SlideShare uma empresa Scribd logo
TRABALHO ESTUDOS
INDEPENDENTES - QUÍMICA
Aluno (a):______________________________________________ Nº _______ Turma: 2º Ano _______ Valor: 40,0 pontos.
Professor: Claudinei orio de liveira Data: ____/____/2018 2018
(Vunesp) O naftaleno, comercialmente
conhecido como naftalina, empregado para
evitar baratas em roupas, funde em
temperaturas superiores a 80 °C. Sabe-se que
bolinhas de naftalina, à temperatura ambiente,
têm suas massas constantemente diminuídas,
terminando por desaparecer sem deixar
resíduo. Essa observação pode ser explicada
pelo fenômeno da:
a) fusão. c) solidificação. e) ebulição.
b) sublimação. d) liquefação.
(UFMG) Em um
frasco de vidro
transparente, um
estudante colocou
500 mL de água e,
sobre ela, escorreu
vagarosamente, pelas
paredes internas do recipiente, 500 mL de
etanol. Em seguida, ele gotejou óleo vegetal
sobre esse sistema. As gotículas formadas
posicionaram-se na região interfacial, conforme
mostrado nesta figura:
Considerando-se esse experimento, é correto
afirmar que:
a) a densidade do óleo é menor que a da água.
b) a massa de água, no sistema, é 10 vezes
maior que a de etanol.
c) a densidade do etanol é maior que a do óleo.
d) a densidade da água é menor que a do etanol.
(UFSC-SP) Considere os processos:
I. Transformação de uma rocha em pó através de
pressão.
II. Revelação de filme fotográfico.
III. Desaparecimento de bolinhas de naftalina
colocadas no armário para matar traças.
IV. Obtenção de querosene a partir do petróleo.
V. Corrosão de uma chapa de ferro.
São exemplos de transformações químicas os
processos:
a) I e IV c) II, IV
b) II e V d) I, IV e V
Analise a curva de aquecimento:
Aquecendo-se continuamente uma substância pura,
à pressão
constante,
quando se
observa a
passagem do
estado sólido
para o líquido,
a temperatura
do sistema:
a) é constante e igual ao ponto de ebulição;
b) é constante, mesmo depois que todo o sólido
tenha desaparecido;
c) é constante, enquanto há sólido;
d) aumenta gradativamente;
e) aumenta até acabar todo o sólido.
Escola Estadual Quintiliano Jardim
Rua Oswaldo Cruz, 300 – Bairro Estados Unidos – Uberaba-MG. CEP - 38015-230
Decreto 9.455 MG, de 25/01/1966. Resolução SEE nº 276/73 Fone: (34) 3332-0919
NOTA
(UFV-MG) As cinzas provenientes da queima de
vegetais podem ser utilizadas na produção de
sabão por serem ricas em óxidos, principalmente
os óxidos de metais alcalinos e alcalinoterrosos.
Na formação desses óxidos iônicos ocorre
transferência aparente dos elétrons de valência
do metal para o oxigênio. As fórmulas químicas
dos óxidos de potássio e de cálcio são,
respectivamente:
a) KO e CaO. b) K2O e CaO.
c) KO2 e CaO2. d) K2O e Ca2O.
O equipamento ilustrado pode
ser usado na separação dos
componentes do sistema:
a) água + álcool etílico.
b) água + sal de cozinha. (sem
depósito no fundo).
c) água + sacarose (sem depósito no fundo).
d) água + oxigênio.
e) água + carvão (pó).
Hidrogênio reage com nitrogênio formando
amônia. A equação não balanceada que
representa essa transformação é:
H2(g) + N2(g) → NH3(g)
Outra maneira de escrever essa equação química,
mas agora balanceando-a e representando as
moléculas dos três gases, é:
(MODELO ENEM) – Os elétrons de um átomo
estão distribuídos em níveis de energia ou
camadas eletrônicas. O número máximo de
elétrons nos subníveis s, p, d, f é
respectivamente 2, x, y, z. Sabendo-se que esses
números formam uma progressão aritmética de
razão quatro, os valores de x, y, z são na ordem:
a) 4, 8, 12 b) 6, 8, 10 c) 4, 6, 8
d) 6, 10, 14 e) 6, 12, 16
Para dar nome a um ácido oxigenado, utilizam-se
as terminações ICO e OSO e os prefixos HIPO E
PER. Geralmente, o número de átomos de oxigênio
na molécula aumenta na ordem:
(hipo ... oso) < (oso) < (ico) < (per ... ico)
Sabendo-se que a fórmula do ácido fosfórico é
H3PO4, conclui-se que a fórmula do ácido
hipofosforoso é
a) H3PO3 b) H3PO2 c) H3PO5
d) H3PO e) H3P
Considere a figura abaixo:
e as seguintes possibilidades para o líquido
existente no béquer.
I) H2O
II) H2O + glicose
III) H2O + sal de cozinha
Que alternativa melhor descreve a condição da
lâmpada?
a) Acesa em II e apagada nas demais.
b) Apagada em I e acesa nas demais.
c) Apagada em I e II.
d) Acesa em I, II e III.
e) Acesa em I e apagada nas demais.
O cloreto de potássio é um sal que
adicionado ao cloreto de sódio é vendido
comercialmente como “sal light”, com baixo
teor de sódio. Noventa e oito gramas de
cloreto de potássio são adicionados em 200 g
de água e armazenados em um frasco
fechado sob temperatura de 60 ºC.
Dados: Considere a solubilidade do cloreto
de potássio a 60 ºC igual a 45g/100g de
água.
Qual a massa de soluto que deve estar em
excesso no fundo do frasco?
*apresentar cálculo
a) 18g b) 8g c) 98g d) 60g
(UNESP – MODIFICADA – MODELO ENEM)
– As curvas de solubilidade são construídas
em função das soluções saturadas, isto é,
indicam a máxima quantidade de soluto que
pode ser dissolvida em certa quantidade de
solvente a uma dada temperatura, além de
exibir se o comportamento da dissolução é
endotérmico ou exotérmico.
No gráfico, encontra-se representada a curva
de solubilidade do nitrato de potássio (em
gramas de soluto por 100 g de água).
Para a obtenção de solução saturada contendo
200 g de nitrato de potássio em 500 g de
água, a solução deve estar a uma temperatura,
aproximadamente, igual a:
a) 8°C
b) 14°C
c) 22°C
d) 27ºC
e) 32°C
Analise o gráfico:
Em 100 g de água a 20°C, adicionam-se 40,0
g de KCl. Conhecida a tabela acima, após
forte agitação, observa-se a formação de
uma:
a) solução saturada, sem corpo de fundo.
b) solução saturada, contendo 34,0 g de KCl
dissolvidos, com 6,0 g de KCl sólido.
c) solução insaturada, com corpo de fundo.
d) solução extremamente diluída.
e) solução supersaturada com corpo de
fundo.
Em 540 g de uma solução saturada a 20°C,
de um certo sal, existem x gramas de soluto
dissolvidos em y gramas de solvente.
Determine os valores de x e y, sabendo que o
C.S = 80 g / 100 g de H2O a 20°C.
*apresentar cálculo
Sobre o conceito de solução, define-se
soluto como a substância que:
a) dissolve uma quantidade infinita de sal.
b) o conjunto do soluto e solvente
misturados.
c) pode ser dissolvida pelo solvente.
d) a substância que dissolve o soluto.
Analisando o gráfico abaixo, é correto
afirmar que os dois sistemas em que há
precipitado são:
a) 1 e 2. c) 5 e 6.
b) 1 e 3. d) 2 e 4.
Abaixo, a solubilidade de K2Cr2O7 (dicromato de
potássio) sólido em água, em função da
temperatura. É correto afirmar:
a) dissolvem-se 50 g de soluto em 100g de
água a 60°C.
b) dissolvem-se 30 g de soluto em 100g de
água a 20°C.
c) dissolvem-se 40 g de soluto em 100g de
água a 60°C.
d) dissolvem-se 80 g de soluto em 100g de
água a 100°C.
Evapora-se totalmente o solvente de 250 mL
de uma solução aquosa de MgCl2 de
concentração 8,0 g/L. Quantos gramas de
soluto são obtidos?
*apresentar cálculo
Considerando a solução ao lado,
leve em conta que, para
prepará-la, foram utilizados
180 gramas de HCl.
Determine o volume de solução
que foi preparada.
*apresentar cálculo
O nitrato de prata é muito usado tanto nos
laboratórios de química como na medicina.
Para isso, é necessário calcular a
concentração das soluções corretamente.
Calcule a concentração de uma solução de
nitrato de prata, sabendo que ela encerra 60
g do sal em 300 mL de solução.
*apresentar cálculo
A alternativa que corresponde a essa
concentração é:
a) 100 g/L c) 30 g/L e) 50 g/L
b) 20 g/L d) 200 g/L
Defina, em poucas palavras, o que vem a ser
concentração comum de uma solução.
_________________________________
_________________________________
_________________________________
_________________________________
_________________________________
_________________________________
Em relação a uma solução aquosa de
hidróxido de sódio, NaOH(aq), calcule:
a) a concentração em g/L de uma solução que
contém 2,0 g de NaOH dissolvidos em 250
mL de solução.
b) qual a massa de NaOH necessária para
preparar 300 mL de solução de concentração
2,0 g/L.
c) o volume (em mL) de solução aquosa de
hidróxido de sódio, NaOH, de concentração
160 g/L, que contém exatamente 40 g dessa
substância.
(Ueba_modificada) O soro caseiro consiste
em uma solução aquosa de cloreto de sódio
(3,5 g/L) e de sacarose (11 g/L). As massas de
cloreto de sódio e de sacarose necessárias
para se preparar 500 mL de soro caseiro são,
respectivamente:
*apresentar cálculo
a) 17,5 g e 55 g;
b) 175 g e 550 g;
c) 1 750 mg e 5 500 mg;
d) 17,5 mg e 55 mg.
e) 175 mg e 550 mg.
A concentração em massa (C), ou
concentração comum, é uma das expressões
mais utilizadas em laboratório. Indica a
quantidade em massa de soluto (m1) que se
encontra dissolvida em um volume-padrão de
solução (V).
A concentração comum de uma solução é
expressa, normalmente, em:
a) g/L. c) g e) mL/L
b) L d) L/g
A palavra mol vem do latim e significa um
amontoado ou pilha de
pedras colocadas no mar,
muitas vezes, como
quebra-mar. Por analogia,
o termo mol representa
um amontoado de
átomos, moléculas,
elétrons ou outras
partículas.
Suponha que dentro de
um extintor tenha sido
injetado 2,2 Kg de CO2.
Qual seria a quantidade
de moléculas presentes
dentro desse extintor?
a) 6,02.1025
moléculas.
b) 1,505.1025
moléculas.
c) 4,515.1023
moléculas.
d) 3,01.1025
moléculas.
e) 6,02.1021
moléculas.
Explique o significado da
palavra “mol” para a química.
As fronteiras entre real e imaginário vão se
tornando cada vez mais sutis à medida que
melhoramos nosso conhecimento e
desenvolvemos nossa capacidade de
abstração. Átomos e moléculas: sem enxergá-
los podemos imaginá-los. Qual será o
tamanho dos átomos e das moléculas?
Quantos átomos ou moléculas há numa certa
quantidade de matéria?
A massa molar de um elemento é a massa
(em gramas) de 1 mol de átomos (6,0.1023
átomos) desse elemento.
Qual a massa em gramas de 2,0.1022
átomos
de magnésio?
Dados: Massa molar do Mg = 24g/mol
Número de Avogadro = 6,0.1023
a) 1,6g c) 0,8g e) 1,2g
b) 3,2g d) 2,4g
Uma pessoa, ao comer 20g de chocolate
contendo 1,4g de sacarose (C12H22O11), estará
ingerindo, aproximadamente, quantas
moléculas dessa substância?
Dados: Número de Avogadro = 6,0 . 1023
Massas molares em g/mol: C: 12; H: 1; O: 16
a) 2,5 . 1021
moléculas
b) 9,8 . 1022
moléculas
c) 6,0 . 1023
moléculas
d) 1,0 . 1022
moléculas
e) 5,0 . 1021
moléculas
Reações em que a energia dos reagentes (Hi)
é inferior à dos produtos (Hf), à mesma
temperatura, são:
a) endotérmicas.
d) catalisadas.
b) lentas.
e) explosivas.
c) exotérmicas.
Pesam-se 4,9g de H2SO4 puro e dissolvem-se
em água destilada dentro de um béquer,
conforme a figura abaixo:
Massas molares em g/mol: S: 32; H: 1; O: 16
Determine:
a) A concentração molar da solução.
b) A quantidade de moléculas presentes em
50,0 mL solução.
c) A quantidade de partículas presentes em
50,0 mL de solução, conforme a ionização do
ácido em solução aquosa:
H2SO4(líquido) 2H+
(aq) + SO4
2-
(aq)
O gelo seco, ou dióxido de carbono solidificado,
muito utilizado em processos de refrigeração,
sofre sublimação nas condições ambientes.
Durante essa transformação, ocorrem, dentre
outros, o fenômeno de variação de energia.
Esse fenômeno é classificado como:
a) exotérmico
b) ixotérmico
c) isotérmico
d) endotérmico
O preparo de uma solução de hidróxido de
sódio em água ocorre com desenvolvimento de
energia térmica e consequente aumento de
temperatura, indicando tratar-se de um
processo:
a) sem variação de entalpia.
b) sem variação de energia livre.
c) isotérmico.
d) endotérmico.
e) exotérmico.
A reação ilustrada abaixo apresenta ∆H
positivo. Assim, pode-se afirmar que essa
reação:
a) ocorre com contração de volume.
b) libera energia térmica.
c) é catalisada.
d) é endotérmica.
e) é espontânea.
O esquema abaixo representa as mudanças
de estados físicos:
São processos exotérmicos:
a) 1, 3 e 5 c) 1, 2 e 6 e) 3, 4 e 6
b) 3, 4 e 5 d) 2, 4 e 6
H2O
Defina Termoquímica.
Considere as seguintes transformações:
Dessas transformações, no sentido indicado e
à temperatura constante, apenas:
a) I é exotérmica.
b) II é exotérmica.
c) III é exotérmica.
d) I e II são exotérmicas.
e) II e III são exotérmicas.
Todas as reações químicas e todas as
mudanças de estado físico liberam ou
absorvem calor.
Explique o que vem a ser:
a) REAÇÃO QUÍMICA ENDOTÉRMICA.
b) REAÇÃO QUÍMICA EXOTÉRMICA.
No processo exotérmico, o calor é cedido ao
meio ambiente, enquanto no processo
endotérmico o calor é absorvido do ambiente.
Quando um atleta sofre uma contusão, é
necessário resfriar, imediatamente, o local com
emprego de éter; quando o gelo é exposto à
temperatura ambiente, liquefaz-se.
A evaporação do éter e a fusão do gelo são,
respectivamente, processos:
a) endotérmico e endotérmico.
b) exotérmico e exotérmico.
c) endotérmico e exotérmico.
d) exotérmico e endotérmico.
e) isotérmico e endotérmico.
Para a reação abaixo, o valor da variação de
entalpia (em calorias), calculado com base no
gráfico, é:
S(r) → S(m)
a) – 200 c) – 100 e) – 50
b) + 200 d) + 100
Uma substância A encontra-se nos seus três
estados de agregação, conforme o esquema.
A ordem decrescente das entalpias será:
a) Hs > Hv > Hl
b) Hv > Hl > Hs
c) Hs > Hl > Hv
d) Hl > Hv > Hs
e) Hv > Hs > Hl
Considere as seguintes reações, na
temperatura de 25 °C.
A diferença entre os efeitos térmicos,
(ΔH)1 – (ΔH)2
é igual:
a) a zero.
b) ao calor de vaporização da água.
c) ao calor de fusão do gelo.
d) ao calor de condensação do vapor de água.
e) ao calor de solidificação da água.
Observando-se os dados a seguir, pode-se
dizer que o reagente apresenta menor energia
que o produto somente em:
a) II c) III e II e) I
b) III d) III e I
Sejam dadas as seguintes equações
termoquímicas (25 °C, 1 atm):
Com base nessas equações, todas as
afirmativas estão corretas, exceto:
a) A formação de CO2 é um processo
exotérmico.
b) A equação II libera maior quantia de
energia, pois o carbono diamante é menos
estável que o carbono grafite.
c) A combustão do carbono é um processo
exotérmico.
d) A variação de entalpia necessária para
converter 1,0 mol de grafite em diamante é
igual a + 1,9 kJ.
e) A reação de transformação de grafite em
diamante é exotérmica.
Considere o diagrama de entalpia abaixo:
Encontre o ΔH de:
a) H2O(l)  H2(g) + ½ O2(g)
Considere o diagrama de entalpia abaixo.
Assinale a opção que contém a equação
termoquímica correta.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

pH e pOH_Martha Reis
pH e pOH_Martha ReispH e pOH_Martha Reis
pH e pOH_Martha Reis
Escola Pública/Particular
 
Lista de exercícios V Estudo das Soluções
Lista de exercícios V Estudo das SoluçõesLista de exercícios V Estudo das Soluções
Lista de exercícios V Estudo das Soluções
Carlos Priante
 
Rc – 2º ano
Rc – 2º anoRc – 2º ano
Lista 2.3 concentração das soluções
Lista 2.3   concentração das soluçõesLista 2.3   concentração das soluções
Lista 2.3 concentração das soluções
carlosrbd
 
2º ano
2º ano2º ano
Atividade molaridade 2º médio
Atividade molaridade 2º médioAtividade molaridade 2º médio
Atividade molaridade 2º médio
Escola Pública/Particular
 
Revisão p2 2º ano eja
Revisão p2 2º ano ejaRevisão p2 2º ano eja
Revisão p2 2º ano eja
Escola Pública/Particular
 
Concentração em quantidade de matéria
Concentração em  quantidade de matéria Concentração em  quantidade de matéria
Concentração em quantidade de matéria
Escola Pública/Particular
 
Lista de exercicios solubilidade
Lista de exercicios solubilidadeLista de exercicios solubilidade
Lista de exercicios solubilidade
Rodrigo Sampaio
 
Lista de exercícios 48 coeficciente de solubilidade
Lista de exercícios 48   coeficciente de solubilidadeLista de exercícios 48   coeficciente de solubilidade
Lista de exercícios 48 coeficciente de solubilidade
Colegio CMC
 
Soluções lista
Soluções lista Soluções lista
Soluções lista
Fábio Oisiovici
 
concentração soluções
concentração soluçõesconcentração soluções
concentração soluções
Fábio Oisiovici
 
Estequiometria pureza e impureza
Estequiometria pureza e impurezaEstequiometria pureza e impureza
Estequiometria pureza e impureza
Rodrigo Sampaio
 
Questões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º anoQuestões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º ano
Escola Pública/Particular
 
Exercícios de soluções (Revisão)
Exercícios de soluções (Revisão)Exercícios de soluções (Revisão)
Exercícios de soluções (Revisão)
Estude Mais
 
Exercicio sobre solucoes
Exercicio sobre solucoesExercicio sobre solucoes
Exercicio sobre solucoes
Estude Mais
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
Marcio Pereira
 
Lista de exercícios resolvidos de química soluções 2017 1
Lista de exercícios resolvidos de química soluções   2017   1 Lista de exercícios resolvidos de química soluções   2017   1
Lista de exercícios resolvidos de química soluções 2017 1
Helio Okliveira
 
Correção
CorreçãoCorreção
Correção
Monni Duka
 
Exercícios de densidade
Exercícios de densidadeExercícios de densidade
Exercícios de densidade
blogprofbento
 

Mais procurados (20)

pH e pOH_Martha Reis
pH e pOH_Martha ReispH e pOH_Martha Reis
pH e pOH_Martha Reis
 
Lista de exercícios V Estudo das Soluções
Lista de exercícios V Estudo das SoluçõesLista de exercícios V Estudo das Soluções
Lista de exercícios V Estudo das Soluções
 
Rc – 2º ano
Rc – 2º anoRc – 2º ano
Rc – 2º ano
 
Lista 2.3 concentração das soluções
Lista 2.3   concentração das soluçõesLista 2.3   concentração das soluções
Lista 2.3 concentração das soluções
 
2º ano
2º ano2º ano
2º ano
 
Atividade molaridade 2º médio
Atividade molaridade 2º médioAtividade molaridade 2º médio
Atividade molaridade 2º médio
 
Revisão p2 2º ano eja
Revisão p2 2º ano ejaRevisão p2 2º ano eja
Revisão p2 2º ano eja
 
Concentração em quantidade de matéria
Concentração em  quantidade de matéria Concentração em  quantidade de matéria
Concentração em quantidade de matéria
 
Lista de exercicios solubilidade
Lista de exercicios solubilidadeLista de exercicios solubilidade
Lista de exercicios solubilidade
 
Lista de exercícios 48 coeficciente de solubilidade
Lista de exercícios 48   coeficciente de solubilidadeLista de exercícios 48   coeficciente de solubilidade
Lista de exercícios 48 coeficciente de solubilidade
 
Soluções lista
Soluções lista Soluções lista
Soluções lista
 
concentração soluções
concentração soluçõesconcentração soluções
concentração soluções
 
Estequiometria pureza e impureza
Estequiometria pureza e impurezaEstequiometria pureza e impureza
Estequiometria pureza e impureza
 
Questões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º anoQuestões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º ano
 
Exercícios de soluções (Revisão)
Exercícios de soluções (Revisão)Exercícios de soluções (Revisão)
Exercícios de soluções (Revisão)
 
Exercicio sobre solucoes
Exercicio sobre solucoesExercicio sobre solucoes
Exercicio sobre solucoes
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
 
Lista de exercícios resolvidos de química soluções 2017 1
Lista de exercícios resolvidos de química soluções   2017   1 Lista de exercícios resolvidos de química soluções   2017   1
Lista de exercícios resolvidos de química soluções 2017 1
 
Correção
CorreçãoCorreção
Correção
 
Exercícios de densidade
Exercícios de densidadeExercícios de densidade
Exercícios de densidade
 

Semelhante a Estudos independentes2

Atv 2º c (solubilidade e concentração)
Atv   2º c (solubilidade e concentração)Atv   2º c (solubilidade e concentração)
Atv 2º c (solubilidade e concentração)
Analynne Almeida
 
exercicios de solucao
exercicios de solucao exercicios de solucao
exercicios de solucao
claudia juliana noriega
 
Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...
Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...
Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
cálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluçõescálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluções
Aninha Felix Vieira Dias
 
Lista 2 de exercicios de solubilidade
Lista 2 de exercicios de solubilidadeLista 2 de exercicios de solubilidade
Lista 2 de exercicios de solubilidade
Estude Mais
 
Exercícios 2º ano 1ºb
Exercícios 2º ano 1ºbExercícios 2º ano 1ºb
Exercícios 2º ano 1ºb
blogprofbento
 
Estequiometria simples
Estequiometria simplesEstequiometria simples
Estequiometria simples
Rodrigo Sampaio
 
Cálculos químicos i soluções
Cálculos químicos i   soluçõesCálculos químicos i   soluções
Cálculos químicos i soluções
Aninha Felix Vieira Dias
 
Recuperação 2º ano 1º bim
Recuperação 2º ano 1º bimRecuperação 2º ano 1º bim
Recuperação 2º ano 1º bim
blogprofbento
 
2 exercicios físico química
2 exercicios físico química2 exercicios físico química
2 exercicios físico química
Biomedicina_
 
Lista de Exercícios: Solucões
Lista de Exercícios: SolucõesLista de Exercícios: Solucões
Lista de Exercícios: Solucões
Hebertty Dantas
 
3 em -1tri-lista_de_exercicios_ape290420111527
3 em -1tri-lista_de_exercicios_ape2904201115273 em -1tri-lista_de_exercicios_ape290420111527
3 em -1tri-lista_de_exercicios_ape290420111527
Gisah Silveira
 
AP SOLUÇÕES.PDF
AP SOLUÇÕES.PDFAP SOLUÇÕES.PDF
AP SOLUÇÕES.PDF
JoseNeves49
 
Lista de exercicios - solucoes
Lista de exercicios - solucoesLista de exercicios - solucoes
Lista de exercicios - solucoes
Savio Troglio
 
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscina
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscinaRelatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscina
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscina
arceariane87
 
Soluções EEHG
Soluções EEHGSoluções EEHG
Soluções EEHG
Júlio Morais
 
Molaridade
MolaridadeMolaridade
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADELista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Rodrigo Sampaio
 
Lista de Exercícios: Concentração de Soluções
Lista de Exercícios: Concentração de SoluçõesLista de Exercícios: Concentração de Soluções
Lista de Exercícios: Concentração de Soluções
Hebertty Dantas
 
DISPERSÕES REVISÃO ENEM
DISPERSÕES REVISÃO ENEMDISPERSÕES REVISÃO ENEM
DISPERSÕES REVISÃO ENEM
Fábio Oisiovici
 

Semelhante a Estudos independentes2 (20)

Atv 2º c (solubilidade e concentração)
Atv   2º c (solubilidade e concentração)Atv   2º c (solubilidade e concentração)
Atv 2º c (solubilidade e concentração)
 
exercicios de solucao
exercicios de solucao exercicios de solucao
exercicios de solucao
 
Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...
Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...
Exercícios complementares densidade_solubilidade_mudança de estado físico_mod...
 
cálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluçõescálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluções
 
Lista 2 de exercicios de solubilidade
Lista 2 de exercicios de solubilidadeLista 2 de exercicios de solubilidade
Lista 2 de exercicios de solubilidade
 
Exercícios 2º ano 1ºb
Exercícios 2º ano 1ºbExercícios 2º ano 1ºb
Exercícios 2º ano 1ºb
 
Estequiometria simples
Estequiometria simplesEstequiometria simples
Estequiometria simples
 
Cálculos químicos i soluções
Cálculos químicos i   soluçõesCálculos químicos i   soluções
Cálculos químicos i soluções
 
Recuperação 2º ano 1º bim
Recuperação 2º ano 1º bimRecuperação 2º ano 1º bim
Recuperação 2º ano 1º bim
 
2 exercicios físico química
2 exercicios físico química2 exercicios físico química
2 exercicios físico química
 
Lista de Exercícios: Solucões
Lista de Exercícios: SolucõesLista de Exercícios: Solucões
Lista de Exercícios: Solucões
 
3 em -1tri-lista_de_exercicios_ape290420111527
3 em -1tri-lista_de_exercicios_ape2904201115273 em -1tri-lista_de_exercicios_ape290420111527
3 em -1tri-lista_de_exercicios_ape290420111527
 
AP SOLUÇÕES.PDF
AP SOLUÇÕES.PDFAP SOLUÇÕES.PDF
AP SOLUÇÕES.PDF
 
Lista de exercicios - solucoes
Lista de exercicios - solucoesLista de exercicios - solucoes
Lista de exercicios - solucoes
 
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscina
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscinaRelatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscina
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscina
 
Soluções EEHG
Soluções EEHGSoluções EEHG
Soluções EEHG
 
Molaridade
MolaridadeMolaridade
Molaridade
 
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADELista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
 
Lista de Exercícios: Concentração de Soluções
Lista de Exercícios: Concentração de SoluçõesLista de Exercícios: Concentração de Soluções
Lista de Exercícios: Concentração de Soluções
 
DISPERSÕES REVISÃO ENEM
DISPERSÕES REVISÃO ENEMDISPERSÕES REVISÃO ENEM
DISPERSÕES REVISÃO ENEM
 

Mais de Escola Pública/Particular

ATIVIDADE_10_Nomenclatura de Hidrocarbonetos.pdf
ATIVIDADE_10_Nomenclatura de Hidrocarbonetos.pdfATIVIDADE_10_Nomenclatura de Hidrocarbonetos.pdf
ATIVIDADE_10_Nomenclatura de Hidrocarbonetos.pdf
Escola Pública/Particular
 
ATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdf
ATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdfATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdf
ATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdf
Escola Pública/Particular
 
ATIVIDADE DISTRIBUIÇÃO ELETRÔNICA_1º ANO.pdf
ATIVIDADE DISTRIBUIÇÃO ELETRÔNICA_1º ANO.pdfATIVIDADE DISTRIBUIÇÃO ELETRÔNICA_1º ANO.pdf
ATIVIDADE DISTRIBUIÇÃO ELETRÔNICA_1º ANO.pdf
Escola Pública/Particular
 
Estudos1
Estudos1Estudos1
Estudos3
Estudos3Estudos3
Sal e oxidos
Sal e oxidosSal e oxidos
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Cinética Química 2
Cinética Química 2Cinética Química 2
Cinética Química 2
Escola Pública/Particular
 
Ácido e Base de Arrhenius
Ácido e Base de ArrheniusÁcido e Base de Arrhenius
Ácido e Base de Arrhenius
Escola Pública/Particular
 
Cinetica1
Cinetica1Cinetica1
Resumo_Equilíbrio iônico da água
Resumo_Equilíbrio iônico da águaResumo_Equilíbrio iônico da água
Resumo_Equilíbrio iônico da água
Escola Pública/Particular
 
Propriedades
PropriedadesPropriedades
Projeto miniworkshop
Projeto miniworkshopProjeto miniworkshop
Projeto miniworkshop
Escola Pública/Particular
 
Estudos independentes
Estudos independentesEstudos independentes
Estudos independentes
Escola Pública/Particular
 
Ácido e base de Arrhenius_Atividade
Ácido e base de Arrhenius_AtividadeÁcido e base de Arrhenius_Atividade
Ácido e base de Arrhenius_Atividade
Escola Pública/Particular
 
Atividade lei de hess
Atividade lei de hessAtividade lei de hess
Atividade lei de hess
Escola Pública/Particular
 
Aula hibridização do carbono
Aula hibridização do carbonoAula hibridização do carbono
Aula hibridização do carbono
Escola Pública/Particular
 
Modelo projeto separacao de misturas
Modelo projeto separacao de misturasModelo projeto separacao de misturas
Modelo projeto separacao de misturas
Escola Pública/Particular
 
Atividade de reforço 1° ano
Atividade de reforço 1° anoAtividade de reforço 1° ano
Atividade de reforço 1° ano
Escola Pública/Particular
 
Atividade de reforço 3º ano
Atividade de reforço 3º anoAtividade de reforço 3º ano
Atividade de reforço 3º ano
Escola Pública/Particular
 

Mais de Escola Pública/Particular (20)

ATIVIDADE_10_Nomenclatura de Hidrocarbonetos.pdf
ATIVIDADE_10_Nomenclatura de Hidrocarbonetos.pdfATIVIDADE_10_Nomenclatura de Hidrocarbonetos.pdf
ATIVIDADE_10_Nomenclatura de Hidrocarbonetos.pdf
 
ATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdf
ATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdfATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdf
ATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdf
 
ATIVIDADE DISTRIBUIÇÃO ELETRÔNICA_1º ANO.pdf
ATIVIDADE DISTRIBUIÇÃO ELETRÔNICA_1º ANO.pdfATIVIDADE DISTRIBUIÇÃO ELETRÔNICA_1º ANO.pdf
ATIVIDADE DISTRIBUIÇÃO ELETRÔNICA_1º ANO.pdf
 
Estudos1
Estudos1Estudos1
Estudos1
 
Estudos3
Estudos3Estudos3
Estudos3
 
Sal e oxidos
Sal e oxidosSal e oxidos
Sal e oxidos
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Cinética Química 2
Cinética Química 2Cinética Química 2
Cinética Química 2
 
Ácido e Base de Arrhenius
Ácido e Base de ArrheniusÁcido e Base de Arrhenius
Ácido e Base de Arrhenius
 
Cinetica1
Cinetica1Cinetica1
Cinetica1
 
Resumo_Equilíbrio iônico da água
Resumo_Equilíbrio iônico da águaResumo_Equilíbrio iônico da água
Resumo_Equilíbrio iônico da água
 
Propriedades
PropriedadesPropriedades
Propriedades
 
Projeto miniworkshop
Projeto miniworkshopProjeto miniworkshop
Projeto miniworkshop
 
Estudos independentes
Estudos independentesEstudos independentes
Estudos independentes
 
Ácido e base de Arrhenius_Atividade
Ácido e base de Arrhenius_AtividadeÁcido e base de Arrhenius_Atividade
Ácido e base de Arrhenius_Atividade
 
Atividade lei de hess
Atividade lei de hessAtividade lei de hess
Atividade lei de hess
 
Aula hibridização do carbono
Aula hibridização do carbonoAula hibridização do carbono
Aula hibridização do carbono
 
Modelo projeto separacao de misturas
Modelo projeto separacao de misturasModelo projeto separacao de misturas
Modelo projeto separacao de misturas
 
Atividade de reforço 1° ano
Atividade de reforço 1° anoAtividade de reforço 1° ano
Atividade de reforço 1° ano
 
Atividade de reforço 3º ano
Atividade de reforço 3º anoAtividade de reforço 3º ano
Atividade de reforço 3º ano
 

Último

Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
Ailton Barcelos
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Pastor Robson Colaço
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 

Estudos independentes2

  • 1. TRABALHO ESTUDOS INDEPENDENTES - QUÍMICA Aluno (a):______________________________________________ Nº _______ Turma: 2º Ano _______ Valor: 40,0 pontos. Professor: Claudinei orio de liveira Data: ____/____/2018 2018 (Vunesp) O naftaleno, comercialmente conhecido como naftalina, empregado para evitar baratas em roupas, funde em temperaturas superiores a 80 °C. Sabe-se que bolinhas de naftalina, à temperatura ambiente, têm suas massas constantemente diminuídas, terminando por desaparecer sem deixar resíduo. Essa observação pode ser explicada pelo fenômeno da: a) fusão. c) solidificação. e) ebulição. b) sublimação. d) liquefação. (UFMG) Em um frasco de vidro transparente, um estudante colocou 500 mL de água e, sobre ela, escorreu vagarosamente, pelas paredes internas do recipiente, 500 mL de etanol. Em seguida, ele gotejou óleo vegetal sobre esse sistema. As gotículas formadas posicionaram-se na região interfacial, conforme mostrado nesta figura: Considerando-se esse experimento, é correto afirmar que: a) a densidade do óleo é menor que a da água. b) a massa de água, no sistema, é 10 vezes maior que a de etanol. c) a densidade do etanol é maior que a do óleo. d) a densidade da água é menor que a do etanol. (UFSC-SP) Considere os processos: I. Transformação de uma rocha em pó através de pressão. II. Revelação de filme fotográfico. III. Desaparecimento de bolinhas de naftalina colocadas no armário para matar traças. IV. Obtenção de querosene a partir do petróleo. V. Corrosão de uma chapa de ferro. São exemplos de transformações químicas os processos: a) I e IV c) II, IV b) II e V d) I, IV e V Analise a curva de aquecimento: Aquecendo-se continuamente uma substância pura, à pressão constante, quando se observa a passagem do estado sólido para o líquido, a temperatura do sistema: a) é constante e igual ao ponto de ebulição; b) é constante, mesmo depois que todo o sólido tenha desaparecido; c) é constante, enquanto há sólido; d) aumenta gradativamente; e) aumenta até acabar todo o sólido. Escola Estadual Quintiliano Jardim Rua Oswaldo Cruz, 300 – Bairro Estados Unidos – Uberaba-MG. CEP - 38015-230 Decreto 9.455 MG, de 25/01/1966. Resolução SEE nº 276/73 Fone: (34) 3332-0919 NOTA
  • 2. (UFV-MG) As cinzas provenientes da queima de vegetais podem ser utilizadas na produção de sabão por serem ricas em óxidos, principalmente os óxidos de metais alcalinos e alcalinoterrosos. Na formação desses óxidos iônicos ocorre transferência aparente dos elétrons de valência do metal para o oxigênio. As fórmulas químicas dos óxidos de potássio e de cálcio são, respectivamente: a) KO e CaO. b) K2O e CaO. c) KO2 e CaO2. d) K2O e Ca2O. O equipamento ilustrado pode ser usado na separação dos componentes do sistema: a) água + álcool etílico. b) água + sal de cozinha. (sem depósito no fundo). c) água + sacarose (sem depósito no fundo). d) água + oxigênio. e) água + carvão (pó). Hidrogênio reage com nitrogênio formando amônia. A equação não balanceada que representa essa transformação é: H2(g) + N2(g) → NH3(g) Outra maneira de escrever essa equação química, mas agora balanceando-a e representando as moléculas dos três gases, é: (MODELO ENEM) – Os elétrons de um átomo estão distribuídos em níveis de energia ou camadas eletrônicas. O número máximo de elétrons nos subníveis s, p, d, f é respectivamente 2, x, y, z. Sabendo-se que esses números formam uma progressão aritmética de razão quatro, os valores de x, y, z são na ordem: a) 4, 8, 12 b) 6, 8, 10 c) 4, 6, 8 d) 6, 10, 14 e) 6, 12, 16 Para dar nome a um ácido oxigenado, utilizam-se as terminações ICO e OSO e os prefixos HIPO E PER. Geralmente, o número de átomos de oxigênio na molécula aumenta na ordem: (hipo ... oso) < (oso) < (ico) < (per ... ico) Sabendo-se que a fórmula do ácido fosfórico é H3PO4, conclui-se que a fórmula do ácido hipofosforoso é a) H3PO3 b) H3PO2 c) H3PO5 d) H3PO e) H3P Considere a figura abaixo: e as seguintes possibilidades para o líquido existente no béquer. I) H2O II) H2O + glicose III) H2O + sal de cozinha Que alternativa melhor descreve a condição da lâmpada? a) Acesa em II e apagada nas demais. b) Apagada em I e acesa nas demais. c) Apagada em I e II. d) Acesa em I, II e III. e) Acesa em I e apagada nas demais.
  • 3. O cloreto de potássio é um sal que adicionado ao cloreto de sódio é vendido comercialmente como “sal light”, com baixo teor de sódio. Noventa e oito gramas de cloreto de potássio são adicionados em 200 g de água e armazenados em um frasco fechado sob temperatura de 60 ºC. Dados: Considere a solubilidade do cloreto de potássio a 60 ºC igual a 45g/100g de água. Qual a massa de soluto que deve estar em excesso no fundo do frasco? *apresentar cálculo a) 18g b) 8g c) 98g d) 60g (UNESP – MODIFICADA – MODELO ENEM) – As curvas de solubilidade são construídas em função das soluções saturadas, isto é, indicam a máxima quantidade de soluto que pode ser dissolvida em certa quantidade de solvente a uma dada temperatura, além de exibir se o comportamento da dissolução é endotérmico ou exotérmico. No gráfico, encontra-se representada a curva de solubilidade do nitrato de potássio (em gramas de soluto por 100 g de água). Para a obtenção de solução saturada contendo 200 g de nitrato de potássio em 500 g de água, a solução deve estar a uma temperatura, aproximadamente, igual a: a) 8°C b) 14°C c) 22°C d) 27ºC e) 32°C Analise o gráfico: Em 100 g de água a 20°C, adicionam-se 40,0 g de KCl. Conhecida a tabela acima, após forte agitação, observa-se a formação de uma: a) solução saturada, sem corpo de fundo. b) solução saturada, contendo 34,0 g de KCl dissolvidos, com 6,0 g de KCl sólido. c) solução insaturada, com corpo de fundo. d) solução extremamente diluída. e) solução supersaturada com corpo de fundo.
  • 4. Em 540 g de uma solução saturada a 20°C, de um certo sal, existem x gramas de soluto dissolvidos em y gramas de solvente. Determine os valores de x e y, sabendo que o C.S = 80 g / 100 g de H2O a 20°C. *apresentar cálculo Sobre o conceito de solução, define-se soluto como a substância que: a) dissolve uma quantidade infinita de sal. b) o conjunto do soluto e solvente misturados. c) pode ser dissolvida pelo solvente. d) a substância que dissolve o soluto. Analisando o gráfico abaixo, é correto afirmar que os dois sistemas em que há precipitado são: a) 1 e 2. c) 5 e 6. b) 1 e 3. d) 2 e 4. Abaixo, a solubilidade de K2Cr2O7 (dicromato de potássio) sólido em água, em função da temperatura. É correto afirmar: a) dissolvem-se 50 g de soluto em 100g de água a 60°C. b) dissolvem-se 30 g de soluto em 100g de água a 20°C. c) dissolvem-se 40 g de soluto em 100g de água a 60°C. d) dissolvem-se 80 g de soluto em 100g de água a 100°C. Evapora-se totalmente o solvente de 250 mL de uma solução aquosa de MgCl2 de concentração 8,0 g/L. Quantos gramas de soluto são obtidos? *apresentar cálculo Considerando a solução ao lado, leve em conta que, para prepará-la, foram utilizados 180 gramas de HCl. Determine o volume de solução que foi preparada. *apresentar cálculo
  • 5. O nitrato de prata é muito usado tanto nos laboratórios de química como na medicina. Para isso, é necessário calcular a concentração das soluções corretamente. Calcule a concentração de uma solução de nitrato de prata, sabendo que ela encerra 60 g do sal em 300 mL de solução. *apresentar cálculo A alternativa que corresponde a essa concentração é: a) 100 g/L c) 30 g/L e) 50 g/L b) 20 g/L d) 200 g/L Defina, em poucas palavras, o que vem a ser concentração comum de uma solução. _________________________________ _________________________________ _________________________________ _________________________________ _________________________________ _________________________________ Em relação a uma solução aquosa de hidróxido de sódio, NaOH(aq), calcule: a) a concentração em g/L de uma solução que contém 2,0 g de NaOH dissolvidos em 250 mL de solução. b) qual a massa de NaOH necessária para preparar 300 mL de solução de concentração 2,0 g/L. c) o volume (em mL) de solução aquosa de hidróxido de sódio, NaOH, de concentração 160 g/L, que contém exatamente 40 g dessa substância. (Ueba_modificada) O soro caseiro consiste em uma solução aquosa de cloreto de sódio (3,5 g/L) e de sacarose (11 g/L). As massas de cloreto de sódio e de sacarose necessárias para se preparar 500 mL de soro caseiro são, respectivamente: *apresentar cálculo a) 17,5 g e 55 g; b) 175 g e 550 g; c) 1 750 mg e 5 500 mg; d) 17,5 mg e 55 mg. e) 175 mg e 550 mg.
  • 6. A concentração em massa (C), ou concentração comum, é uma das expressões mais utilizadas em laboratório. Indica a quantidade em massa de soluto (m1) que se encontra dissolvida em um volume-padrão de solução (V). A concentração comum de uma solução é expressa, normalmente, em: a) g/L. c) g e) mL/L b) L d) L/g A palavra mol vem do latim e significa um amontoado ou pilha de pedras colocadas no mar, muitas vezes, como quebra-mar. Por analogia, o termo mol representa um amontoado de átomos, moléculas, elétrons ou outras partículas. Suponha que dentro de um extintor tenha sido injetado 2,2 Kg de CO2. Qual seria a quantidade de moléculas presentes dentro desse extintor? a) 6,02.1025 moléculas. b) 1,505.1025 moléculas. c) 4,515.1023 moléculas. d) 3,01.1025 moléculas. e) 6,02.1021 moléculas. Explique o significado da palavra “mol” para a química. As fronteiras entre real e imaginário vão se tornando cada vez mais sutis à medida que melhoramos nosso conhecimento e desenvolvemos nossa capacidade de abstração. Átomos e moléculas: sem enxergá- los podemos imaginá-los. Qual será o tamanho dos átomos e das moléculas? Quantos átomos ou moléculas há numa certa quantidade de matéria? A massa molar de um elemento é a massa (em gramas) de 1 mol de átomos (6,0.1023 átomos) desse elemento. Qual a massa em gramas de 2,0.1022 átomos de magnésio? Dados: Massa molar do Mg = 24g/mol Número de Avogadro = 6,0.1023 a) 1,6g c) 0,8g e) 1,2g b) 3,2g d) 2,4g Uma pessoa, ao comer 20g de chocolate contendo 1,4g de sacarose (C12H22O11), estará ingerindo, aproximadamente, quantas moléculas dessa substância? Dados: Número de Avogadro = 6,0 . 1023 Massas molares em g/mol: C: 12; H: 1; O: 16 a) 2,5 . 1021 moléculas b) 9,8 . 1022 moléculas c) 6,0 . 1023 moléculas d) 1,0 . 1022 moléculas e) 5,0 . 1021 moléculas Reações em que a energia dos reagentes (Hi) é inferior à dos produtos (Hf), à mesma temperatura, são: a) endotérmicas. d) catalisadas. b) lentas. e) explosivas. c) exotérmicas.
  • 7. Pesam-se 4,9g de H2SO4 puro e dissolvem-se em água destilada dentro de um béquer, conforme a figura abaixo: Massas molares em g/mol: S: 32; H: 1; O: 16 Determine: a) A concentração molar da solução. b) A quantidade de moléculas presentes em 50,0 mL solução. c) A quantidade de partículas presentes em 50,0 mL de solução, conforme a ionização do ácido em solução aquosa: H2SO4(líquido) 2H+ (aq) + SO4 2- (aq) O gelo seco, ou dióxido de carbono solidificado, muito utilizado em processos de refrigeração, sofre sublimação nas condições ambientes. Durante essa transformação, ocorrem, dentre outros, o fenômeno de variação de energia. Esse fenômeno é classificado como: a) exotérmico b) ixotérmico c) isotérmico d) endotérmico O preparo de uma solução de hidróxido de sódio em água ocorre com desenvolvimento de energia térmica e consequente aumento de temperatura, indicando tratar-se de um processo: a) sem variação de entalpia. b) sem variação de energia livre. c) isotérmico. d) endotérmico. e) exotérmico. A reação ilustrada abaixo apresenta ∆H positivo. Assim, pode-se afirmar que essa reação: a) ocorre com contração de volume. b) libera energia térmica. c) é catalisada. d) é endotérmica. e) é espontânea. O esquema abaixo representa as mudanças de estados físicos: São processos exotérmicos: a) 1, 3 e 5 c) 1, 2 e 6 e) 3, 4 e 6 b) 3, 4 e 5 d) 2, 4 e 6 H2O
  • 8. Defina Termoquímica. Considere as seguintes transformações: Dessas transformações, no sentido indicado e à temperatura constante, apenas: a) I é exotérmica. b) II é exotérmica. c) III é exotérmica. d) I e II são exotérmicas. e) II e III são exotérmicas. Todas as reações químicas e todas as mudanças de estado físico liberam ou absorvem calor. Explique o que vem a ser: a) REAÇÃO QUÍMICA ENDOTÉRMICA. b) REAÇÃO QUÍMICA EXOTÉRMICA. No processo exotérmico, o calor é cedido ao meio ambiente, enquanto no processo endotérmico o calor é absorvido do ambiente. Quando um atleta sofre uma contusão, é necessário resfriar, imediatamente, o local com emprego de éter; quando o gelo é exposto à temperatura ambiente, liquefaz-se. A evaporação do éter e a fusão do gelo são, respectivamente, processos: a) endotérmico e endotérmico. b) exotérmico e exotérmico. c) endotérmico e exotérmico. d) exotérmico e endotérmico. e) isotérmico e endotérmico. Para a reação abaixo, o valor da variação de entalpia (em calorias), calculado com base no gráfico, é: S(r) → S(m) a) – 200 c) – 100 e) – 50 b) + 200 d) + 100 Uma substância A encontra-se nos seus três estados de agregação, conforme o esquema. A ordem decrescente das entalpias será: a) Hs > Hv > Hl b) Hv > Hl > Hs c) Hs > Hl > Hv d) Hl > Hv > Hs e) Hv > Hs > Hl
  • 9. Considere as seguintes reações, na temperatura de 25 °C. A diferença entre os efeitos térmicos, (ΔH)1 – (ΔH)2 é igual: a) a zero. b) ao calor de vaporização da água. c) ao calor de fusão do gelo. d) ao calor de condensação do vapor de água. e) ao calor de solidificação da água. Observando-se os dados a seguir, pode-se dizer que o reagente apresenta menor energia que o produto somente em: a) II c) III e II e) I b) III d) III e I Sejam dadas as seguintes equações termoquímicas (25 °C, 1 atm): Com base nessas equações, todas as afirmativas estão corretas, exceto: a) A formação de CO2 é um processo exotérmico. b) A equação II libera maior quantia de energia, pois o carbono diamante é menos estável que o carbono grafite. c) A combustão do carbono é um processo exotérmico. d) A variação de entalpia necessária para converter 1,0 mol de grafite em diamante é igual a + 1,9 kJ. e) A reação de transformação de grafite em diamante é exotérmica. Considere o diagrama de entalpia abaixo: Encontre o ΔH de: a) H2O(l)  H2(g) + ½ O2(g) Considere o diagrama de entalpia abaixo. Assinale a opção que contém a equação termoquímica correta.