SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Baixar para ler offline
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ATENÇÃO ÀS
MULHERES
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
“O objetivo do acompanhamento pré-natal é assegurar o
desenvolvimento da gestação, permitindo o parto de um recém-nascido
saudável, sem impacto para a saúde materna, inclusive abordando
aspectos psicossociais e as atividades educativas e preventivas”
Ministério da Saúde, 2012
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Objetivos dessa apresentação:
• Apresentar a sugestão de investigação complementar mínima no
seguimento pré-natal de mulheres de risco habitual;
• Discutir os significados e interpretação de seus resultados e sua
importância para a redução da morbimortalidade materna e neonatal.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Introdução
• Brasil: cobertura elevada da assistência pré-natal (98,7%), 75,8% das mulheres iniciam o
pré-natal antes da 16a semana gestacional e 73,1% compareceram a 6 ou mais consultas.
• Porém, os desafios persistem para a melhoria da qualidade dessa assistência, com a
realização de procedimentos efetivos para a redução de desfechos desfavoráveis.
• A assistência pré-natal adequada, com a detecção e a intervenção precoce das situações
de risco, além da qualificação da assistência ao parto, são os grandes determinantes dos
indicadores de saúde relacionados à mãe e ao bebê que têm o potencial de diminuir as
principais causas de mortalidade materna e neonatal.
VIilellas et al, 2014.
Ministério da Saúde, 2012.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Acompanhamento Pré-Natal
Calendário de Consultas
• Até 28 semanasMensal
• 32 a 36 semanasQuinzenal
• 36 a 41 semanasSemanal
Ministério da Saúde, 2012.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Exames Complementares1ª Consulta
• Hemograma
• Tipagem sanguínea – PAI (se Rh negativo)
• Glicemia de jejum
• Teste rápido para Sífilis ou VDRL
• Teste rápido para HIV – Anti HIV
• Toxoplasmose – IgM/IgG
• AgHbs
• Urina I/Urocultura
• Ultrassonografia obstétrica (se necessário)
• Citologia oncótica (se necessário)
• Exames de secreção vaginal (se indicação)
• Parasitológico de fezes (se indicação)
• Eletroforese de hemoglobina (negras,
anemia crônica)
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
• Hemograma
• Glicemia de jejum
• PAI se Rh negativo
• VDRL
• Anti HIV
• AgHbs
• Toxoplasmose se suscetível
• Urina I
• Urocultura
• Bacterioscopia de secreção
vaginal (>37 sem)
• Rubéola
Exames ComplementaresNo 3º trimestre
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
• Fluxogramas de solicitações de exames e interpretações
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Rh + ou desconhecida
Solicitar novo PAI:
✓ 4/4 sem a partir da 24ª sem
Se PAI +
Referenciar para Med Fetal
Independente do título
Tipagem do parceiro
Rh -
Profilaxia
✓ 28 semanas a 34 semanas
✓ Parto
✓ Procedimentos invasivos
✓ TPP/Sangramento
250 a 300 µg Imunoglobulina anti D
Gestante Rh negativo
Rh +Desconhecida ou Rh- :solicitar tipagem
Pedir apenas PAITipagem
Sanguínea
Procurar no prontuário/cartão de pré-natal
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
VDRL
Tratamento
Teste treponêmico
Resultado
Resultado Amostra não reagente
Tratamento
Negativo
Negativo
Positivo
Positivo Indeterminado
Sífilis
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Traços
Não
Repetir em 15 dias
+
Hematúria
Infecção Isolada
Tratar
e repetir
Excluir
Sangr. genital
Hematúria persistente
Avaliação Nefro/Urologia
Cilindrúria
Avaliação
Nefrologia
Investigar
infecção
Repetir urina I
Urina I
Proteinúria
Hipertensão
e/ou Edema
Proteinúria quantitativa
Exames de PE
Internação
Avaliação Nefro
Sim
Maciça
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Bacteriúria assintomática: 100.000 colônias
Sempre tratar e repetir a cultura após tratamento!
Urocultura
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
FE – 120 a 240 mg/dia
Dieta
Parasitoses
Hb ≥ 11g/dl
Normal
Novo hemograma em 30 a60 dias
8 < Hb < 11g/dl
Anemia leve/moderada
Repetir exame
após 30º
semana
Hb ≥ 11g/dl
Normal
Após 20 semanas
Fe. elementar – 40 mg/dia
Ácido fólico 5 mg/dia*
Avaliação da
Hematologia
Hb ≤ 8g/dl
Grave
Dieta
Parasitoses
*Ácido fólico
400 a 800 mcg/dia
Hemograma
Hemograma
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Glicemia de Jejum
Glicemia de Jejum
≥ 126
Glicemia de Jejum
< 92
TTGO* 75g
J ≥ 92 mg/dl
1h ≥ 180 mg/dl
2h ≥ 153 mg/dl
Diabetes pré gestacional
DM2 - “Overt”
Diabetes Melitus
gestacional
24 a 28 sem
Alteração
de 1 valor
92 ≤ GJ < 126
Diabetes Gestacional
1ª consulta de pré-natal
(< 20 semanas)
*TTGO: teste de tolerância à glicose oral
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
TTGO entre 24 e 28 semanas
Diabetes pré gestacional
DM2 - “Overt”
Diabetes Melitus
Diabetes gestacional
Diabetes Gestacional
Alteração
de 1 valor
*TTGO 75g
J ≥ 92 mg/dl
1h ≥ 180 mg/dl
2h ≥ 153 mg/dl
TTGO 75g
GJ ≥ 126 mg/dl
2h ≥ 200 mg/dl
TTGO 75g
92 ≤ GJ < 126 mg/dl
2h < 200 mg/dl
Se 1ª consulta pré-natal
20 ≥ IG < 28 semanas
*TTGO: teste de tolerância à glicose oral
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Se 1ª consulta pré-natal
IG ≥ 28 semanas
Diabetes pré gestacional
DM2 - “Overt”
Diabetes Melitus
Diabetes gestacional
Diabetes Gestacional
Alteração
de 1 valor
*TTGO 75g
J ≥ 92 mg/dl
1h ≥ 180 mg/dl
2h ≥ 153 mg/dl
TTGO 75g
GJ ≥ 126 mg/dl
2h ≥ 200 mg/dl
TTGO 75g
92 ≤ GJ < 126 mg/dl
2h < 200 mg/dl
GTT75g imediatamente
*TTGO: teste de tolerância à glicose oral
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
HIV
Negativo Positivo
Referenciar para
Infectologia
Repetir após a
30º semana
HIV
Preferir teste
completo, não
apenas o rápido.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
IgG +
e
IgM -
Gestante imune
IgG -
e
IgM - Desconhecido
Solicitar IgG e IgM
IgG -
e
IgM -
Orientar profilaxia
Repetir junto com GTT/PG e após 30ª sem
IgG +
e
IgM +
Discutir com a equipe da
Medicina Fetal
Solicitar teste de avidez
IgG +
ou
IgM +
Gestante imune
Toxoplasmose
Procurar no prontuário por sorologia prévia
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Ag Hbs -
Anti Hbs -
Anti Hbc -
Orientar a vacinação
Materna após 1º trim
Ag Hbs -
Anti Hbs +
Anti Hbc -
Ag Hbs -
Anti Hbs +
Anti Hbc +
Gestante
Imune
Ag Hbs +
Sorovacinação do RN
Referenciar para a Infectologia
Checar sorologia prévia (Anti Hbs) e vacina (3 doses)
Eficácia de 80 a 100%
Sem necessidade de coleta de sorologia após vacinação completa
Hepatite B
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Não realizar rotineiramente
Populações especiais:
• Usuárias de drogas
• Parceiro usuário de drogas
• Múltiplos parceiros
• Transfusão
• Situação de risco
Objetivo
• Vacinar mulheres
suscetíveis no puerpério
• Solicitar no 3º trimestre
Hepatite C Rubéola
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Citologia Oncótica Cervical
Recomendação:
• O rastreamento em gestantes deve seguir as recomendações de periodicidade e faixa
etária como para as demais mulheres, sendo que a procura ao serviço de saúde para
realização do pré-natal deve sempre ser considerada uma oportunidade para rastreio.
A coleta de espécime endocervical não parece aumentar o risco sobre a gestação, quando
utilizada uma técnica adequada (MS, 2016)
Alterações -> referenciar para colposcopia
• 1% a 3% dos casos de câncer de colo ocorrem no
ciclo gravídico puerperal.
• 0.8 a 1.5 casos/10.000 nascimentos
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Rastreamento para Vaginose Bacteriana
A Vaginose Bacteriana está associada à:
• Trabalho de parto prematuro
• Rotura prematura de membranas
• Corioamnionite
• Infecção puerperal
Ainda assim, rastrear a tratar mulheres assintomáticas não diminui estas intercorrências.
Recomendação:
• Não há recomendação para rastreamento rotineiro para vaginose bacteriana em
mulheres assintomáticas durante o pré-natal.
• Deve-se mulheres sintomáticas e trata-las caso seja identificada vaginose.
Ministério da Saúde, 2012; CDC, 2015.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Ultrassom Obstétrico
Com base nas evidências existentes, a ultrassonografia de rotina nas gestantes de baixo
risco não confere benefícios à mãe ou ao recém-nascido (grau de recomendação A).
Recomendação:
Ultrassom precoce – 11 a 14 semanas de gestação:
• Datação da idade gestacional
• Detecção de suspeita de malformação fetal/cromossomopatia
• Diagnóstico de gemelaridade
Ministério da Saúde, 2016.
Deve ser feito antes
de 20 semanas
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Ultrassom Obstétrico
2º trimestre: apesar de aumentar a taxa de detecção das malformações congênitas, não
existem evidências de que a USG em gestantes de baixo risco melhore o prognóstico
perinatal (grau de recomendação A).
3º trimestre: revisão sistemática disponibilizada pela biblioteca Cochrane sugere que não há
benefícios da ultrassonografia de rotina em gestações de baixo risco após a 24ª semana de
gravidez (grau de recomendação A).
Ministério da Saúde, 2016.
A realização de ultrassonografia em gestantes de baixo risco pode gerar controvérsias, pois não
existem evidências de que melhore o prognóstico perinatal, além da grande variação da
sensibilidade do método. Por isso, deve-se ter cautela na sua solicitação e interpretação.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
• Cuidado pré-natal não se limita à solicitação e interpretação
de exames complementares.
• Deve-se buscar individualizar o cuidado: além das rotinas,
qual outro cuidado é necessário?
• É o momento de preparo para o parto e amamentação.
• Atenção especial para riscos sociais e vulnerabilidades:
idade, ocupação, violência doméstica, etc.
• Janela de oportunidades para a saúde da mulher
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
A redução da mortalidade materna e a prevenção de agravos e
dos óbitos evitáveis não serão alcançadas sem o diagnóstico
precoce da gravidez, início precoce do acompanhamento pré-
natal e sem diagnóstico e tratamento adequados de afecções
para a promoção de ações de saúde.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL
Referências
• Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica.Atenção ao pré-natal de baixo risco / Ministério da Saúde.
Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2012.318 p.: il. – (Série A. Normas e
Manuais Técnicos) (Cadernos de Atenção Básica, n° 32)
• Brasil. Ministério da Saúde. Protocolos da Atenção Básica : Saúde das Mulheres / Ministério da Saúde, Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa –
Brasília : Ministério da Saúde, 2016.
• Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente
Transmissíveis. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Prevenção da Transmissão Vertical do HIV, Sífilis e Hepatites Virais / Ministério da Saúde,
Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. – Brasília : Ministério da
Saúde, 2019.
• FEBRASGO. Rastreamento e diagnóstico de diabetes mellitus gestacional no Brasil. FEMINA 2019;47(11): 786-96.
• CDC. Sexually Transmitted Diseases (STDs). 2015 STD Treatment Guidelines. Diseases Characterized by Vaginal Discharge Bacterial Vaginosis, 2015.
Disponível em: https://www.cdc.gov/std/tg2015/bv.htm.
• Viellas, Elaine Fernandes, Domingues, Rosa Maria Soares Madeira, Dias, Marcos Augusto Bastos, Gama, Silvana Granado Nogueira da, Theme Filha,
Mariza Miranda, Costa, Janaina Viana da, Bastos, Maria Helena, & Leal, Maria do Carmo. (2014). Assistência pré-natal no Brasil. Cadernos de Saúde
Pública, 30(Suppl. 1), S85-S100. https://doi.org/10.1590/0102-311X00126013
• Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização
de Rede. Diretrizes brasileiras para o rastreamento do câncer do colo do útero / Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Coordenação
de Prevenção e Vigilância. Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede. – 2. ed. rev. atual. – Rio de Janeiro: INCA, 2016.
ATENÇÃO ÀS
MULHERES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Material de 11 de agosto de 2020
Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Eixo: Atenção às Mulheres
Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal.
EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Assistência pré natal
Assistência pré natalAssistência pré natal
Assistência pré natal
LASM_UIT
 
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
SMS - Petrópolis
 

Mais procurados (20)

Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
 
Aula sobre parto seguro
Aula sobre parto seguroAula sobre parto seguro
Aula sobre parto seguro
 
Assistência pré natal
Assistência pré natalAssistência pré natal
Assistência pré natal
 
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
 
02 aula Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
02 aula   Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.02 aula   Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
02 aula Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
 
AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
 
Diagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
Diagnóstico de Gravidez na Atenção BásicaDiagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
Diagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
 
Gestação de Risco: Cuidados Básicos e Imprescindíveis
Gestação de Risco: Cuidados Básicos e ImprescindíveisGestação de Risco: Cuidados Básicos e Imprescindíveis
Gestação de Risco: Cuidados Básicos e Imprescindíveis
 
Exames Preventivos na Mulher: indo além do Rastreio dos Cânceres de Colo e de...
Exames Preventivos na Mulher: indo além do Rastreio dos Cânceres de Colo e de...Exames Preventivos na Mulher: indo além do Rastreio dos Cânceres de Colo e de...
Exames Preventivos na Mulher: indo além do Rastreio dos Cânceres de Colo e de...
 
Características recém nascidos: o que é normal e o que não é
Características recém nascidos: o que é normal e o que não éCaracterísticas recém nascidos: o que é normal e o que não é
Características recém nascidos: o que é normal e o que não é
 
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
 
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
 
Consulta de pre natal
Consulta de pre natalConsulta de pre natal
Consulta de pre natal
 
Saúde da Mulher na APS
Saúde da Mulher na APSSaúde da Mulher na APS
Saúde da Mulher na APS
 
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo UterinoColeta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
 
Hemorragia pós-parto
Hemorragia pós-partoHemorragia pós-parto
Hemorragia pós-parto
 
Reanimação Neonatal em Sala de Parto
Reanimação Neonatal em Sala de PartoReanimação Neonatal em Sala de Parto
Reanimação Neonatal em Sala de Parto
 
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
 

Semelhante a Exames de Rotina do Pré-Natal

Assistência pre natal - gestante de baixo risco
Assistência pre natal - gestante de baixo riscoAssistência pre natal - gestante de baixo risco
Assistência pre natal - gestante de baixo risco
yasminroriz3
 
Slide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdf
Slide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdfSlide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdf
Slide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdf
arymurilo123
 
Diretrizes de sms pré natal e puerpério
Diretrizes de sms pré natal e puerpérioDiretrizes de sms pré natal e puerpério
Diretrizes de sms pré natal e puerpério
raquelwleal
 
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptxAssistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
VitriaMaria56
 
Protocolo de hepatite
Protocolo de hepatiteProtocolo de hepatite
Protocolo de hepatite
tvf
 

Semelhante a Exames de Rotina do Pré-Natal (20)

Assistência pre natal - gestante de baixo risco
Assistência pre natal - gestante de baixo riscoAssistência pre natal - gestante de baixo risco
Assistência pre natal - gestante de baixo risco
 
Slide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdf
Slide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdfSlide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdf
Slide Aula pré-natal atb 2018 final (2).pdf
 
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo riscoProtocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
 
Gravidez nos CSP
Gravidez nos CSPGravidez nos CSP
Gravidez nos CSP
 
DDP
DDP DDP
DDP
 
Diretrizes de sms pré natal e puerpério
Diretrizes de sms pré natal e puerpérioDiretrizes de sms pré natal e puerpério
Diretrizes de sms pré natal e puerpério
 
Descolamento Prematuro de Placenta (DPP): otimizando o Diagnóstico e a Conduta
Descolamento Prematuro de Placenta (DPP): otimizando o Diagnóstico e a CondutaDescolamento Prematuro de Placenta (DPP): otimizando o Diagnóstico e a Conduta
Descolamento Prematuro de Placenta (DPP): otimizando o Diagnóstico e a Conduta
 
Pre Natal
Pre NatalPre Natal
Pre Natal
 
Sangramento no Primeiro Trimestre
Sangramento no Primeiro TrimestreSangramento no Primeiro Trimestre
Sangramento no Primeiro Trimestre
 
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptxAssistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
 
Protocolo de hepatite
Protocolo de hepatiteProtocolo de hepatite
Protocolo de hepatite
 
PNBR 2016
PNBR 2016PNBR 2016
PNBR 2016
 
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
 
Patologia obstetricia 2016
Patologia obstetricia  2016Patologia obstetricia  2016
Patologia obstetricia 2016
 
Prenatal baixo risco
Prenatal baixo riscoPrenatal baixo risco
Prenatal baixo risco
 
Protocolo Obstetricia
Protocolo Obstetricia Protocolo Obstetricia
Protocolo Obstetricia
 
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natalAula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
 
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de CesáreaIndução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
 
Assistência pré natal
Assistência pré natalAssistência pré natal
Assistência pré natal
 
Assistência pré natal
Assistência pré natalAssistência pré natal
Assistência pré natal
 

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)

Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz) (20)

Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e InfertilidadeDisbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
 
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em PediatriaPrevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
 
Ansiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no ClimatérioAnsiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no Climatério
 
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
 
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
 
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no BrasilDesospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
 
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto NormalO Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadasDiabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
 
Luto Perinatal
Luto PerinatalLuto Perinatal
Luto Perinatal
 
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e ManejoAnafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e PuerpérioDiabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
 
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no BrasilRetomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
 
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na GestaçãoCuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
 
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
 
Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?
 
Osteogênese Imperfeita
Osteogênese ImperfeitaOsteogênese Imperfeita
Osteogênese Imperfeita
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natalDiabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
 
Desafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução AlimentarDesafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução Alimentar
 

Último

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
DanieldaSade
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
DanieldaSade
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
paulo222341
 

Último (11)

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
 
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
 

Exames de Rotina do Pré-Natal

  • 2. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL “O objetivo do acompanhamento pré-natal é assegurar o desenvolvimento da gestação, permitindo o parto de um recém-nascido saudável, sem impacto para a saúde materna, inclusive abordando aspectos psicossociais e as atividades educativas e preventivas” Ministério da Saúde, 2012
  • 3. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Objetivos dessa apresentação: • Apresentar a sugestão de investigação complementar mínima no seguimento pré-natal de mulheres de risco habitual; • Discutir os significados e interpretação de seus resultados e sua importância para a redução da morbimortalidade materna e neonatal.
  • 4. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Introdução • Brasil: cobertura elevada da assistência pré-natal (98,7%), 75,8% das mulheres iniciam o pré-natal antes da 16a semana gestacional e 73,1% compareceram a 6 ou mais consultas. • Porém, os desafios persistem para a melhoria da qualidade dessa assistência, com a realização de procedimentos efetivos para a redução de desfechos desfavoráveis. • A assistência pré-natal adequada, com a detecção e a intervenção precoce das situações de risco, além da qualificação da assistência ao parto, são os grandes determinantes dos indicadores de saúde relacionados à mãe e ao bebê que têm o potencial de diminuir as principais causas de mortalidade materna e neonatal. VIilellas et al, 2014. Ministério da Saúde, 2012.
  • 5. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Acompanhamento Pré-Natal Calendário de Consultas • Até 28 semanasMensal • 32 a 36 semanasQuinzenal • 36 a 41 semanasSemanal Ministério da Saúde, 2012.
  • 6. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Exames Complementares1ª Consulta • Hemograma • Tipagem sanguínea – PAI (se Rh negativo) • Glicemia de jejum • Teste rápido para Sífilis ou VDRL • Teste rápido para HIV – Anti HIV • Toxoplasmose – IgM/IgG • AgHbs • Urina I/Urocultura • Ultrassonografia obstétrica (se necessário) • Citologia oncótica (se necessário) • Exames de secreção vaginal (se indicação) • Parasitológico de fezes (se indicação) • Eletroforese de hemoglobina (negras, anemia crônica)
  • 7. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL • Hemograma • Glicemia de jejum • PAI se Rh negativo • VDRL • Anti HIV • AgHbs • Toxoplasmose se suscetível • Urina I • Urocultura • Bacterioscopia de secreção vaginal (>37 sem) • Rubéola Exames ComplementaresNo 3º trimestre
  • 8. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL • Fluxogramas de solicitações de exames e interpretações
  • 9. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Rh + ou desconhecida Solicitar novo PAI: ✓ 4/4 sem a partir da 24ª sem Se PAI + Referenciar para Med Fetal Independente do título Tipagem do parceiro Rh - Profilaxia ✓ 28 semanas a 34 semanas ✓ Parto ✓ Procedimentos invasivos ✓ TPP/Sangramento 250 a 300 µg Imunoglobulina anti D Gestante Rh negativo Rh +Desconhecida ou Rh- :solicitar tipagem Pedir apenas PAITipagem Sanguínea Procurar no prontuário/cartão de pré-natal
  • 10. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL VDRL Tratamento Teste treponêmico Resultado Resultado Amostra não reagente Tratamento Negativo Negativo Positivo Positivo Indeterminado Sífilis
  • 11. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Traços Não Repetir em 15 dias + Hematúria Infecção Isolada Tratar e repetir Excluir Sangr. genital Hematúria persistente Avaliação Nefro/Urologia Cilindrúria Avaliação Nefrologia Investigar infecção Repetir urina I Urina I Proteinúria Hipertensão e/ou Edema Proteinúria quantitativa Exames de PE Internação Avaliação Nefro Sim Maciça
  • 12. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Bacteriúria assintomática: 100.000 colônias Sempre tratar e repetir a cultura após tratamento! Urocultura
  • 13. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL FE – 120 a 240 mg/dia Dieta Parasitoses Hb ≥ 11g/dl Normal Novo hemograma em 30 a60 dias 8 < Hb < 11g/dl Anemia leve/moderada Repetir exame após 30º semana Hb ≥ 11g/dl Normal Após 20 semanas Fe. elementar – 40 mg/dia Ácido fólico 5 mg/dia* Avaliação da Hematologia Hb ≤ 8g/dl Grave Dieta Parasitoses *Ácido fólico 400 a 800 mcg/dia Hemograma Hemograma
  • 14. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Glicemia de Jejum Glicemia de Jejum ≥ 126 Glicemia de Jejum < 92 TTGO* 75g J ≥ 92 mg/dl 1h ≥ 180 mg/dl 2h ≥ 153 mg/dl Diabetes pré gestacional DM2 - “Overt” Diabetes Melitus gestacional 24 a 28 sem Alteração de 1 valor 92 ≤ GJ < 126 Diabetes Gestacional 1ª consulta de pré-natal (< 20 semanas) *TTGO: teste de tolerância à glicose oral
  • 15. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL TTGO entre 24 e 28 semanas Diabetes pré gestacional DM2 - “Overt” Diabetes Melitus Diabetes gestacional Diabetes Gestacional Alteração de 1 valor *TTGO 75g J ≥ 92 mg/dl 1h ≥ 180 mg/dl 2h ≥ 153 mg/dl TTGO 75g GJ ≥ 126 mg/dl 2h ≥ 200 mg/dl TTGO 75g 92 ≤ GJ < 126 mg/dl 2h < 200 mg/dl Se 1ª consulta pré-natal 20 ≥ IG < 28 semanas *TTGO: teste de tolerância à glicose oral
  • 16. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Se 1ª consulta pré-natal IG ≥ 28 semanas Diabetes pré gestacional DM2 - “Overt” Diabetes Melitus Diabetes gestacional Diabetes Gestacional Alteração de 1 valor *TTGO 75g J ≥ 92 mg/dl 1h ≥ 180 mg/dl 2h ≥ 153 mg/dl TTGO 75g GJ ≥ 126 mg/dl 2h ≥ 200 mg/dl TTGO 75g 92 ≤ GJ < 126 mg/dl 2h < 200 mg/dl GTT75g imediatamente *TTGO: teste de tolerância à glicose oral
  • 17. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL HIV Negativo Positivo Referenciar para Infectologia Repetir após a 30º semana HIV Preferir teste completo, não apenas o rápido.
  • 18. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL IgG + e IgM - Gestante imune IgG - e IgM - Desconhecido Solicitar IgG e IgM IgG - e IgM - Orientar profilaxia Repetir junto com GTT/PG e após 30ª sem IgG + e IgM + Discutir com a equipe da Medicina Fetal Solicitar teste de avidez IgG + ou IgM + Gestante imune Toxoplasmose Procurar no prontuário por sorologia prévia
  • 19. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Ag Hbs - Anti Hbs - Anti Hbc - Orientar a vacinação Materna após 1º trim Ag Hbs - Anti Hbs + Anti Hbc - Ag Hbs - Anti Hbs + Anti Hbc + Gestante Imune Ag Hbs + Sorovacinação do RN Referenciar para a Infectologia Checar sorologia prévia (Anti Hbs) e vacina (3 doses) Eficácia de 80 a 100% Sem necessidade de coleta de sorologia após vacinação completa Hepatite B
  • 20. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Não realizar rotineiramente Populações especiais: • Usuárias de drogas • Parceiro usuário de drogas • Múltiplos parceiros • Transfusão • Situação de risco Objetivo • Vacinar mulheres suscetíveis no puerpério • Solicitar no 3º trimestre Hepatite C Rubéola
  • 21. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Citologia Oncótica Cervical Recomendação: • O rastreamento em gestantes deve seguir as recomendações de periodicidade e faixa etária como para as demais mulheres, sendo que a procura ao serviço de saúde para realização do pré-natal deve sempre ser considerada uma oportunidade para rastreio. A coleta de espécime endocervical não parece aumentar o risco sobre a gestação, quando utilizada uma técnica adequada (MS, 2016) Alterações -> referenciar para colposcopia • 1% a 3% dos casos de câncer de colo ocorrem no ciclo gravídico puerperal. • 0.8 a 1.5 casos/10.000 nascimentos
  • 22. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Rastreamento para Vaginose Bacteriana A Vaginose Bacteriana está associada à: • Trabalho de parto prematuro • Rotura prematura de membranas • Corioamnionite • Infecção puerperal Ainda assim, rastrear a tratar mulheres assintomáticas não diminui estas intercorrências. Recomendação: • Não há recomendação para rastreamento rotineiro para vaginose bacteriana em mulheres assintomáticas durante o pré-natal. • Deve-se mulheres sintomáticas e trata-las caso seja identificada vaginose. Ministério da Saúde, 2012; CDC, 2015.
  • 23. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Ultrassom Obstétrico Com base nas evidências existentes, a ultrassonografia de rotina nas gestantes de baixo risco não confere benefícios à mãe ou ao recém-nascido (grau de recomendação A). Recomendação: Ultrassom precoce – 11 a 14 semanas de gestação: • Datação da idade gestacional • Detecção de suspeita de malformação fetal/cromossomopatia • Diagnóstico de gemelaridade Ministério da Saúde, 2016. Deve ser feito antes de 20 semanas
  • 24. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Ultrassom Obstétrico 2º trimestre: apesar de aumentar a taxa de detecção das malformações congênitas, não existem evidências de que a USG em gestantes de baixo risco melhore o prognóstico perinatal (grau de recomendação A). 3º trimestre: revisão sistemática disponibilizada pela biblioteca Cochrane sugere que não há benefícios da ultrassonografia de rotina em gestações de baixo risco após a 24ª semana de gravidez (grau de recomendação A). Ministério da Saúde, 2016. A realização de ultrassonografia em gestantes de baixo risco pode gerar controvérsias, pois não existem evidências de que melhore o prognóstico perinatal, além da grande variação da sensibilidade do método. Por isso, deve-se ter cautela na sua solicitação e interpretação.
  • 25. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL • Cuidado pré-natal não se limita à solicitação e interpretação de exames complementares. • Deve-se buscar individualizar o cuidado: além das rotinas, qual outro cuidado é necessário? • É o momento de preparo para o parto e amamentação. • Atenção especial para riscos sociais e vulnerabilidades: idade, ocupação, violência doméstica, etc. • Janela de oportunidades para a saúde da mulher
  • 26. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL A redução da mortalidade materna e a prevenção de agravos e dos óbitos evitáveis não serão alcançadas sem o diagnóstico precoce da gravidez, início precoce do acompanhamento pré- natal e sem diagnóstico e tratamento adequados de afecções para a promoção de ações de saúde.
  • 27. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL Referências • Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica.Atenção ao pré-natal de baixo risco / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2012.318 p.: il. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos) (Cadernos de Atenção Básica, n° 32) • Brasil. Ministério da Saúde. Protocolos da Atenção Básica : Saúde das Mulheres / Ministério da Saúde, Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa – Brasília : Ministério da Saúde, 2016. • Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Prevenção da Transmissão Vertical do HIV, Sífilis e Hepatites Virais / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. – Brasília : Ministério da Saúde, 2019. • FEBRASGO. Rastreamento e diagnóstico de diabetes mellitus gestacional no Brasil. FEMINA 2019;47(11): 786-96. • CDC. Sexually Transmitted Diseases (STDs). 2015 STD Treatment Guidelines. Diseases Characterized by Vaginal Discharge Bacterial Vaginosis, 2015. Disponível em: https://www.cdc.gov/std/tg2015/bv.htm. • Viellas, Elaine Fernandes, Domingues, Rosa Maria Soares Madeira, Dias, Marcos Augusto Bastos, Gama, Silvana Granado Nogueira da, Theme Filha, Mariza Miranda, Costa, Janaina Viana da, Bastos, Maria Helena, & Leal, Maria do Carmo. (2014). Assistência pré-natal no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 30(Suppl. 1), S85-S100. https://doi.org/10.1590/0102-311X00126013 • Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede. Diretrizes brasileiras para o rastreamento do câncer do colo do útero / Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede. – 2. ed. rev. atual. – Rio de Janeiro: INCA, 2016.
  • 28. ATENÇÃO ÀS MULHERES portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Material de 11 de agosto de 2020 Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Eixo: Atenção às Mulheres Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal. EXAMES DE ROTINA DO PRÉ-NATAL