PROTOCOLO CLÍNICO DE ATENDIMENTO NA REDE BÁSICA  DE PRÉ-NATAL DE BAIXO RISCO  Prof. Francisco Robson da Costa Lima
  À Unidade Básica de Saúde compete:  <ul><li>Rastrear todas as gestantes da região para que </li></ul><ul><li>nenhuma fiq...
  À Unidade Básica de Saúde compete:  <ul><li>Propiciar a presença de acompanhante nas consultas de pré-natal; </li></ul><...
  Agendamento das consultas:  <ul><li>Primeira consulta 1º trimestre (ideal < 12ª semana); </li></ul><ul><li>As consultas ...
  Objetivos do pré-natal:  <ul><li>1- Humanizar o atendimento prestado às mulheres no </li></ul><ul><li>ciclo gravídico-pu...
  Objetivos do pré-natal:  <ul><li>2- Reduzir a mortalidade e morbidade materna e do </li></ul><ul><li>recém-nascido </li>...
  Objetivos do pré-natal:  <ul><li>3- Identificar os fatores de risco nas gestantes e encaminhá- </li></ul><ul><li>las à R...
“ Pré-natal masculino”: <ul><li>Política de Saúde do Homem incentiva o pré-natal masculino; </li></ul><ul><li>A idéia é qu...
Condições mínimas de atendimento para todas as gestantes:  <ul><li>Prontuário unificado e preenchido corretamente; </li></...
Anamnese da gestante deve conter: <ul><li>Identificação da paciente (nome, idade, cor, profissão, estado civil, procedênci...
Anamnese da gestante deve conter: <ul><li>História Ginecológica (menarca, ciclos menstruais, data da última menstruação, c...
Anamnese da gestante deve conter: <ul><li>História Obstétrica é importante pesquisar sobre: </li></ul><ul><li>Evolução dos...
Exame físico da gestante: <ul><li>Durante a 1ª consulta de pré-natal, é importante a realização de um exame físico minucio...
O que avaliar no exame da gestante em consultas subsequentes? <ul><li>Ganho de peso durante a gestação – gráfico; </li></u...
Exames de rotina no pré-natal: <ul><li>Hemograma completo (no 1º e no 3º trimestre com 30 semanas) </li></ul><ul><li>ABO +...
Exames de rotina no pré-natal: <ul><li>VDRL (no 1º e no 3º trimestre com 30 semanas)  </li></ul><ul><li>Anti HIV (no 1º e ...
Exames de rotina no pré-natal: <ul><li>Sorologia para Toxoplasmose (IgG e IgM)  </li></ul><ul><li>Sorologia para Rubéola (...
Interpretação dos exames: Hemograma
Interpretação dos exames: Fator Rh <ul><li>Se gestante for Rh (+): ESTUDO ENCERRADO </li></ul><ul><li>Se gestante for Rh (...
Interpretação dos exames: Urina tipo 1 <ul><li>PROTEINÚRIA “traços”: repetir em 15 dias </li></ul><ul><li>PROTEINÚRIA “tra...
Infecção urinária na gestação <ul><li>Definição : urocultura positiva com mais de 100.000 colônias/ml do mesmo germe. </li...
Infecção urinária na gestação <ul><li>Controle: Nova Urocultura 15 dias após o término do tratamento. </li></ul><ul><li>Se...
Infecção urinária na gestação <ul><li>Casos mais graves: Pielonefrite </li></ul><ul><li>Gestante com queixas urinárias , f...
Interpretação dos exames:  Glicemia de jejum <ul><li>Glicemia de jejum até 90 mg/dl = Normal  </li></ul><ul><li>Glicemia d...
Interpretação dos exames:  Glicemia de jejum <ul><li>*FATORES DE RISCO PARA DIABETES GESTACIONAL  </li></ul><ul><li>Idade ...
Interpretação dos exames:  Glicemia de jejum <ul><li>Se TOTG estiver normal (< 130 mg/dl) – Repetir entre 20 e 30 semanas;...
Interpretação dos exames: VDRL <ul><li>NEGATIVO: repetir com 30 semanas e no parto </li></ul><ul><li>POSITIVO: tratar – te...
Tratamento da sífilis na gestante: <ul><li>Sífilis primária  – tratar com penicilina benzatina 2.400.000 UI  (1.200.000 em...
Interpretação dos exames: Anti HIV <ul><li>Se reagente:  Pré-natal de alto-risco </li></ul>
Interpretação dos exames:  Colpocitologia oncótica (Papanicolau) <ul><li>Realizar nas pacientes cujo último exame tenha oc...
Interpretação dos exames:  Ultra – Sonografia Obstétrica (indicações) <ul><li>Na impossibilidade de determinar a idade ges...
Tratamento das parasitoses na gestante:
Tratamento das parasitoses na gestante:
Interpretação dos exames:  Sorologia para Toxoplasmose IgG e IgM <ul><li>IgG ( + ) e IgM ( - ): Infecção passada  –  Pré-n...
Interpretação dos exames:  Sorologia para Rubéola IgG e IgM <ul><li>IgG ( + ) e IgM ( - ):  Infecção passada (Pré-natal de...
Interpretação dos exames:  Sorologia para Hepatite B <ul><li>HBsAg ( + ):  Pré-natal de alto risco </li></ul><ul><li>HBsAg...
Imunização antitetânica:  Dupla Adulto (dT)
Outras imunizações: <ul><li>A vacina para  hepatite B  pode ser aplicada nas pacientes de risco (profissionais de saúde, u...
Cuidados nutricionais para todas as gestantes: Calorias <ul><li>Calorias as necessidades calóricas aumentam cerca de 10% (...
Cuidados nutricionais para todas as gestantes: Ácido fólico <ul><li>Recomenda-se o uso  Ácido Fólico  dois meses antes da ...
Cuidados nutricionais para todas as gestantes: Ferro elementar <ul><li>Ferro  é o único nutriente cujas necessidades na gr...
Cuidados nutricionais para todas as gestantes: Vitamina A <ul><li>A necessidade diária de  Vitamina A  é suprida por uma d...
Cuidados nutricionais para todas as gestantes: Cálcio, Fósforo e Vitamina D <ul><li>Na gestação, as necessidades de  Cálci...
Cuidados nutricionais para todas as gestantes: <ul><li>A dieta da gestante deve ser fracionada (5 a 6 refeições /dia) , em...
Exercícios físicos: <ul><li>Deve-se incentivar a manutenção da atividade habitual e ginástica orientada, evitando exercíci...
Viagens durante a gravidez: <ul><li>Deve-se evitar viagens de longa distância no 1º trimestre de gestação, pelo risco de a...
Trabalho durante a gravidez: <ul><li>É importante que seja explicado à gestante que é seguro continuar trabalhando durante...
Atividade sexual: <ul><li>Não há restrição à atividade sexual </li></ul>
Tratamento dentário <ul><li>O tratamento dentário é livre durante a gravidez. </li></ul>
Orientação pré-concepcional: <ul><li>Pesquisar doenças maternas e orientar sobre as possíveis repercussões de uma gestação...
Orientação pré-concepcional: <ul><li>Solicitar sorologia para Rubéola, Toxoplasmose e Hepatite </li></ul><ul><li>Se a paci...
Ao ambulatório de alto risco conforme hospital de referência:  Patologias prévias <ul><li>Hipertensão Arterial Crônica </l...
Ao ambulatório de alto risco conforme hospital de referência:  Patologias prévias <ul><li>Morte Intra-uterina ou perinatal...
Ao ambulatório de alto risco conforme hospital de referência:  Gestação atual <ul><li>Isoimunização Rh </li></ul><ul><li>H...
Ao ambulatório de alto risco conforme hospital de referência:  Gestação atual <ul><li>Oligoâmnio; </li></ul><ul><li>Polidr...
Ao ambulatório de alto risco conforme hospital de referência:  Gestação atual <ul><li>Adolescentes com fatores de risco ps...
Encaminhar para atendimento de Urgência / Emergência os casos de: <ul><li>Trabalho de Parto; </li></ul><ul><li>Hemorragia ...
OBRIGADO!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco

8.996 visualizações

Publicada em

Protocolo de atendimento na rede básica de pré-natal de baixo risco.

Publicada em: Educação
1 comentário
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.996
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.480
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
131
Comentários
1
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco

  1. 2. PROTOCOLO CLÍNICO DE ATENDIMENTO NA REDE BÁSICA DE PRÉ-NATAL DE BAIXO RISCO Prof. Francisco Robson da Costa Lima
  2. 3. À Unidade Básica de Saúde compete: <ul><li>Rastrear todas as gestantes da região para que </li></ul><ul><li>nenhuma fique sem pré-natal; </li></ul><ul><li>Facilitar o início precoce do pré-natal; </li></ul><ul><li>Abrir espaço para agendamento a curto prazo (acolhimento); </li></ul><ul><li>Prestar assistência pré-natal, de preferência multiprofissional, a todas as gestantes da região; </li></ul>
  3. 4. À Unidade Básica de Saúde compete: <ul><li>Propiciar a presença de acompanhante nas consultas de pré-natal; </li></ul><ul><li>Agendar as visitas das gestantes à Maternidade de referência; </li></ul><ul><li>Garantir a consulta de puerpério entre 7 a 10 dias após o parto. </li></ul>
  4. 5. Agendamento das consultas: <ul><li>Primeira consulta 1º trimestre (ideal < 12ª semana); </li></ul><ul><li>As consultas devem ser mensais até a 32ª semana; </li></ul><ul><li>Quinzenais entre 32ª e 36ª semanas; </li></ul><ul><li>Semanais no último mês e em hipótese alguma dar &quot;alta&quot; do pré-natal; </li></ul><ul><li>O número de consultas pré-natais deve ser, no mínimo, 6 (Ministério da Saúde). </li></ul>
  5. 6. Objetivos do pré-natal: <ul><li>1- Humanizar o atendimento prestado às mulheres no </li></ul><ul><li>ciclo gravídico-puerperal </li></ul><ul><li>Oferecendo informações quanto aos hábitos de vida, orientação alimentar, atividade física, noções do parto e aleitamento materno. </li></ul>
  6. 7. Objetivos do pré-natal: <ul><li>2- Reduzir a mortalidade e morbidade materna e do </li></ul><ul><li>recém-nascido </li></ul><ul><li>Mantendo a integridade das condições de saúde materna e fetal; </li></ul><ul><li>Prevenindo e identificando intercorrências clínicas, cirúrgicas e obstétricas que possam trazer agravos à gestante ou ao feto; </li></ul><ul><li>Oferecendo testes de screening para o diagnóstico e tratamento precoce de patologias que possam comprometer a saúde da mãe e/ou do feto; </li></ul><ul><li>Atualizando as vacinas. </li></ul>
  7. 8. Objetivos do pré-natal: <ul><li>3- Identificar os fatores de risco nas gestantes e encaminhá- </li></ul><ul><li>las à Referência quando for o caso, de acordo com o que for </li></ul><ul><li>pactuado a nível local. </li></ul>
  8. 9. “ Pré-natal masculino”: <ul><li>Política de Saúde do Homem incentiva o pré-natal masculino; </li></ul><ul><li>A idéia é que os profissionais de saúde aproveitem o momento em que o homem está mais sensível – às vésperas de ser pai – para incentivá-lo não só a acompanhar as consultas durante os nove meses de gestação da parceira como também a realizar exames preventivos; </li></ul><ul><li>O princípio é: ELE PRECISA SE CUIDAR PARA CUIDAR DA FAMÍLIA . </li></ul>
  9. 10. Condições mínimas de atendimento para todas as gestantes: <ul><li>Prontuário unificado e preenchido corretamente; </li></ul><ul><li>Carteira da gestante obrigatória e completamente preenchida; </li></ul><ul><li>Exames de rotina; </li></ul><ul><li>Imunização: Vacina Dupla Adulto (dT); </li></ul><ul><li>Cuidados nutricionais. </li></ul>
  10. 11. Anamnese da gestante deve conter: <ul><li>Identificação da paciente (nome, idade, cor, profissão, estado civil, procedência). </li></ul><ul><li>Queixas clínicas atuais </li></ul><ul><li>História Familiar (destacam-se as doenças de transmissão hereditária: cardiopatia, diabetes, hipertensão, epilepsia, neoplasia e alterações psíquicas). </li></ul><ul><li>História Patológica Pregressa deve-se pesquisar hipertensão, cardiopatia, nefropatia, diabetes, doenças auto-imunes, distúrbios mentais ou epilepsia, doenças infecto-contagiosas, tireoidopatias, cirurgias prévias e uso de medicamentos. </li></ul>
  11. 12. Anamnese da gestante deve conter: <ul><li>História Ginecológica (menarca, ciclos menstruais, data da última menstruação, cirurgias ginecológicas prévias, uso de métodos anticoncepcionais, história de DSTs). </li></ul><ul><li>História Obstétrica Atual (pesquisar data da última menstruação, uso de medicamentos, tabagismo, ingestão de álcool ou drogas ilícitas, etc). </li></ul>
  12. 13. Anamnese da gestante deve conter: <ul><li>História Obstétrica é importante pesquisar sobre: </li></ul><ul><li>Evolução dos partos anteriores (tipo de parto, idade gestacional à interrupção, se foram hospitalares ou domiciliares, presença de patologia durante a gravidez ou puerpério, intervalo entre o último parto e a gestação atual.) </li></ul><ul><li>RN (peso, condições logo após o nascimento e intercorrências no período neonatal). </li></ul><ul><li>História de abortamentos (espontâneo ou induzido, em qual idade gestacional ocorreu, presença de curetagem, complicações, investigar perda gestacional de repetição). </li></ul>
  13. 14. Exame físico da gestante: <ul><li>Durante a 1ª consulta de pré-natal, é importante a realização de um exame físico minucioso, a fim de detectar condições maternas que, de algum modo, comprometam o binômio mãe-feto . </li></ul><ul><li>Deve-se, então, avaliar: peso, altura, pressão arterial (PA), pulso, mucosas (para detectar anemias), tireóide, mamas, ausculta cardíaca, presença de varizes e exame ginecológico. </li></ul>
  14. 15. O que avaliar no exame da gestante em consultas subsequentes? <ul><li>Ganho de peso durante a gestação – gráfico; </li></ul><ul><li>Controle da PA; </li></ul><ul><li>Medida da altura uterina (para avaliar crescimento fetal) – gráfico; </li></ul><ul><li>Ausculta dos batimentos cardíacos fetais (BCF); </li></ul><ul><li>Edema; </li></ul><ul><li>Mamas (3º trimestre). </li></ul>
  15. 16. Exames de rotina no pré-natal: <ul><li>Hemograma completo (no 1º e no 3º trimestre com 30 semanas) </li></ul><ul><li>ABO + Fator Rh (Coombs indireto se Rh negativo) </li></ul><ul><li>Urina tipo 1 (no 1º e no 3º trimestre com 30 semanas) </li></ul><ul><li>UROCULTURA no 3º trimestre </li></ul><ul><li>Glicemia de jejum </li></ul>
  16. 17. Exames de rotina no pré-natal: <ul><li>VDRL (no 1º e no 3º trimestre com 30 semanas) </li></ul><ul><li>Anti HIV (no 1º e no 3 º trimestre com 30 semanas) – com aconselhamento e oferecimento </li></ul><ul><li>Colpocitologia oncótica (Papanicolau) </li></ul><ul><li>Ultra – Sonografia Obstétrica: pelo menos uma na 1ª metade da gestação (ideal 16ª-20ª semana) </li></ul><ul><li>Protoparasitológico </li></ul>
  17. 18. Exames de rotina no pré-natal: <ul><li>Sorologia para Toxoplasmose (IgG e IgM) </li></ul><ul><li>Sorologia para Rubéola (IgG e IgM) se não tiver sido vacinada </li></ul><ul><li>Sorologia para Hepatite B (HBsAg) se não tiver sido vacinada contra Hepatite B </li></ul><ul><li>Sorologia para Hepatite C (Anti-HCV) – situações especiais de alto risco </li></ul>
  18. 19. Interpretação dos exames: Hemograma
  19. 20. Interpretação dos exames: Fator Rh <ul><li>Se gestante for Rh (+): ESTUDO ENCERRADO </li></ul><ul><li>Se gestante for Rh ( − ) e Parceiro Rh (+): COOMBS INDIRETO </li></ul><ul><li>Coombs indireto ( − ): repetir entre 24ª-28ª semanas e, após a cada 4 semanas </li></ul><ul><li>Coombs inditeto (+): Pré-natal de alto risco </li></ul>
  20. 21. Interpretação dos exames: Urina tipo 1 <ul><li>PROTEINÚRIA “traços”: repetir em 15 dias </li></ul><ul><li>PROTEINÚRIA “traços”: + hipertensão e ou edema ou “maciça”, referir ao pré-natal de alto risco </li></ul><ul><li>PIÚRIA (> 10 piócitos/ campo): urocultura + antibiograma </li></ul><ul><li>HEMATÚRIA: se piúria associada, solicitar urocultura </li></ul><ul><li>HEMATÚRIA: se isolada, excluído sangramento genital, referir à consulta especializada </li></ul><ul><li>CILINDRÚRIA: referir ao pré-natal de alto risco </li></ul><ul><li>BACTERIÚRIA: investigar vaginites e cervicites e solicitar urocultura </li></ul>
  21. 22. Infecção urinária na gestação <ul><li>Definição : urocultura positiva com mais de 100.000 colônias/ml do mesmo germe. </li></ul><ul><li>Tratar de imediato, pois pode desencadear Trabalho de Parto Prematuro ou Pielonefrite. </li></ul><ul><li>Tratamento da Bacteriúria Assintomática e de casos leves (Cistites) = como o germe mais comum é a E. coli: </li></ul><ul><li>1ª escolha: Nitrofurantoína = 100 mg V.O. 6/6h (exceto no último mês de gestação) </li></ul><ul><li>2ª escolha: Cefalexina = 500 mg V.O. 6/6 h ou Amoxicilina = 500 mg V.O. 8/8 h </li></ul><ul><li>Duração do tratamento: 10 dias </li></ul>
  22. 23. Infecção urinária na gestação <ul><li>Controle: Nova Urocultura 15 dias após o término do tratamento. </li></ul><ul><li>Se positiva, novo tratamento baseado no Antibiograma. </li></ul><ul><li>Nova Urocultura 15 dias após o término do 2º tratamento. </li></ul><ul><li>Positiva-se, encaminhar para referência de Urologia . </li></ul>
  23. 24. Infecção urinária na gestação <ul><li>Casos mais graves: Pielonefrite </li></ul><ul><li>Gestante com queixas urinárias , febre , desidratada , Sinal de Giordano (+) e estado geral comprometido </li></ul><ul><li>Encaminhar ao Hospital de Referência para Internação, Hidratação E.V. e Antibioticoterapia E.V. </li></ul>
  24. 25. Interpretação dos exames: Glicemia de jejum <ul><li>Glicemia de jejum até 90 mg/dl = Normal </li></ul><ul><li>Glicemia de jejum ≥ 126 mg/dl = Diabetes Gestacional – Encaminhar para Pré-natal de alto risco ; </li></ul>
  25. 26. Interpretação dos exames: Glicemia de jejum <ul><li>*FATORES DE RISCO PARA DIABETES GESTACIONAL </li></ul><ul><li>Idade > 35 anos </li></ul><ul><li>Obesidade </li></ul><ul><li>Hipertensão arterial crônica </li></ul><ul><li>Antecedente Familiar de D.M. em parentes de 1ºgrau (Pais, Filhos, Irmãos) </li></ul><ul><li>Antecedente Obstétrico de natimorto ou óbito neonatal s/ causa definida </li></ul><ul><li>Antecedente de feto com malformações , macrossomia, polihidrâmnio ou abortamento habitual </li></ul><ul><li>História de Diabetes em gestação anterior </li></ul><ul><li>Gestação atual com macrossomia, polihidrâmnio ou malformação </li></ul><ul><li>Se a Glicemia de jejum estiver entre 90 e 125 mg/dl ou com 2 ou mais fatores de risco* para Diabetes Gestacional – Solicitar TOTG de uma hora (Glicemia 1 hora após 50 g de Dextrosol, cujo valor normal é abaixo de 130 mg/dl); </li></ul>
  26. 27. Interpretação dos exames: Glicemia de jejum <ul><li>Se TOTG estiver normal (< 130 mg/dl) – Repetir entre 20 e 30 semanas; </li></ul><ul><li>Se > 130 mg/dl – Encaminhar para Pré-natal de alto risco . </li></ul>
  27. 28. Interpretação dos exames: VDRL <ul><li>NEGATIVO: repetir com 30 semanas e no parto </li></ul><ul><li>POSITIVO: tratar – tempo da doença? = na impossibilidade de definir o tempo da doença, tratar como sífilis tardia </li></ul>
  28. 29. Tratamento da sífilis na gestante: <ul><li>Sífilis primária – tratar com penicilina benzatina 2.400.000 UI (1.200.000 em cada nádega em dose única, dose total 2.4000.000 UI). </li></ul><ul><li>Sífilis recente (até 1 ano) – tratar com penicilina benzatina 2.400.000 UI (1.200.000 em cada nádega) repetir em uma semana, dose total de 4.800.000 </li></ul><ul><li>Sífilis tardia (1 ou mais anos de evolução ou de duração desconhecida) tratar com penicilina benzatina 2.400.000 UI (1.200.000 em cada nádega) em 3 aplicações com intervalo de uma semana, dose total de 7.200.000 UI. </li></ul>
  29. 30. Interpretação dos exames: Anti HIV <ul><li>Se reagente: Pré-natal de alto-risco </li></ul>
  30. 31. Interpretação dos exames: Colpocitologia oncótica (Papanicolau) <ul><li>Realizar nas pacientes cujo último exame tenha ocorrido há mais de 1 ano; </li></ul><ul><li>Gestantes com exames citopatológicos do colo uterino alterados ou com alterações palpatórias ao exame físico das mamas devem ser encaminhadas para referência especializada . </li></ul>
  31. 32. Interpretação dos exames: Ultra – Sonografia Obstétrica (indicações) <ul><li>Na impossibilidade de determinar a idade gestacional correta; </li></ul><ul><li>Na detecção precoce de gestações múltiplas; </li></ul><ul><li>Na detecção de malformações congênitas; </li></ul><ul><li>Na detecção de retardo de crescimento intrauterino (RCIU); </li></ul><ul><li>Na presença de intercorrências clínicas ou obstétricas; </li></ul><ul><li>Se for solicitada, na ausência de indicações específicas, a época ideal seria em torno da 16ª-20ª semana de gestação ; </li></ul><ul><li>Não há evidência da sua efetividade na redução da morbimortalidade materna e perinatal. </li></ul>
  32. 33. Tratamento das parasitoses na gestante:
  33. 34. Tratamento das parasitoses na gestante:
  34. 35. Interpretação dos exames: Sorologia para Toxoplasmose IgG e IgM <ul><li>IgG ( + ) e IgM ( - ): Infecção passada – Pré-natal de baixo risco </li></ul><ul><li>IgG ( + ) e IgM ( + ): Pré-natal de alto risco </li></ul><ul><li>IgG ( - ) e IgM ( + ): Pré-natal de alto risco </li></ul><ul><li>IgG ( - ) e IgM ( - ): Paciente susceptível repetir trimestralmente + orientações higienodietéticas (evitar ingestão de carnes mal cozidas, proteger as mãos ao lidar no jardim, lavar bem frutas e verduras, evitar contatos com gatos). </li></ul>
  35. 36. Interpretação dos exames: Sorologia para Rubéola IgG e IgM <ul><li>IgG ( + ) e IgM ( - ): Infecção passada (Pré-natal de baixo risco) </li></ul><ul><li>IgG ( - ) e IgM ( + ): Pré-natal de alto risco </li></ul><ul><li>IgG ( + ) e IgM ( + ): Pré-natal de alto risco </li></ul><ul><li>IgG ( - ) e IgM ( - ): Realizar imunização no puerpério </li></ul>
  36. 37. Interpretação dos exames: Sorologia para Hepatite B <ul><li>HBsAg ( + ): Pré-natal de alto risco </li></ul><ul><li>HBsAg ( - ) e vacinação prévia não tiver sido efetuada, pode ser recomendado a vacinação nas pacientes de risco e menores de 20 anos </li></ul><ul><li>Mãe portadora do antígeno – a criança tem 70% a 90% de chance de adquirir Hepatite B </li></ul><ul><li>Tratamento do recém-nascido com imunoglobulina e vacina para Hepatite B reduz o risco em 85% a 90%. </li></ul>
  37. 38. Imunização antitetânica: Dupla Adulto (dT)
  38. 39. Outras imunizações: <ul><li>A vacina para hepatite B pode ser aplicada nas pacientes de risco (profissionais de saúde, usuárias de drogas, contato sexual com portadores, politransfundidas) </li></ul><ul><li>Nos casos de epidemia de febre amarela ou de viagem para regiões endêmicas, a vacina para febre amarela pode ser aplicada, preferencialmente, após o 1º trimestre. </li></ul><ul><li>Nos casos de mordida de cães, o tratamento anti-rábico deve ser realizado, se indicado. </li></ul><ul><li>Deve-se oferecer vacina contra o vírus da influenza (inativado) a toda gestante durante a estação de gripe. </li></ul><ul><li>Outras vacinas que contêm vírus vivos atenuados não devem ser realizadas durante a gestação. </li></ul>
  39. 40. Cuidados nutricionais para todas as gestantes: Calorias <ul><li>Calorias as necessidades calóricas aumentam cerca de 10% (2500 Kcal/dia durante a gravidez e 2600 kcal/dia durante a lactação). </li></ul><ul><li>O ganho ponderal gira em torno de 10-12 Kg. </li></ul>
  40. 41. Cuidados nutricionais para todas as gestantes: Ácido fólico <ul><li>Recomenda-se o uso Ácido Fólico dois meses antes da concepção até a 12ª semana de gestação, na dose de 400mcg/dia. </li></ul><ul><li>Suplementação de Ácido Fólico : 400mcg/dia (a deficiência está associada a defeitos do tubo neural do feto) = Ácido fólico 5mg comp. 1x/dia, assim que diagnosticada a gravidez até a 12ª semana de gravidez </li></ul><ul><li>Suplementar 4mg/dia para mulheres com defeito do tubo neural em gestações prévias, para as com doenças de má absorção, para as com uso de antagonista do ácido fólico ou anticonvulsivantes. </li></ul>
  41. 42. Cuidados nutricionais para todas as gestantes: Ferro elementar <ul><li>Ferro é o único nutriente cujas necessidades na gravidez não podem ser supridas somente com a dieta. Recomenda-se reposição de Ferro de 30mg de ferro elementar/dia, (da 20ª semana até o término da lactação ou até o 2º-3º mês pós-parto, nas não-lactantes) nas gestantes com risco de anemia ferropriva e 90mg de ferro elementar para as com anemia ferropriva diagnosticada. </li></ul><ul><li>Suplementação de Ferro : 30mg/dia de ferro elementar a partir da 20ª semana (a gestante é vulnerável à anemia ferropriva) = Sulfato ferroso 300mg drg ou comp </li></ul>
  42. 43. Cuidados nutricionais para todas as gestantes: Vitamina A <ul><li>A necessidade diária de Vitamina A é suprida por uma dieta equilibrada, não sendo necessária a suplementação. O excesso de vitamina A é teratogênica e deve ser evitada. </li></ul><ul><li>Megadose de Vitamina A (Maternidade) </li></ul>
  43. 44. Cuidados nutricionais para todas as gestantes: Cálcio, Fósforo e Vitamina D <ul><li>Na gestação, as necessidades de Cálcio e de Fósforo aumentam devido ao desenvolvimento do esqueleto fetal, entretanto não há evidências que comprovem os benefícios da suplementação de Vitamina D na gravidez, não devendo ser oferecido de rotina a todas as gestantes. </li></ul><ul><li>É necessário apenas o aumento da ingesta de alimentos ricos em Cálcio (leite, margarina, ovos, atum, fígado, etc.) </li></ul>
  44. 45. Cuidados nutricionais para todas as gestantes: <ul><li>A dieta da gestante deve ser fracionada (5 a 6 refeições /dia) , em </li></ul><ul><li>horários regulares e deverá conter : </li></ul><ul><li>4 a 5 copos ( 200 ml ) de leite ou laticínios; </li></ul><ul><li>2 porções de carnes; </li></ul><ul><li>vegetais folhosos (de folhas verde-escuras) e outras hortaliças; </li></ul><ul><li>3 unidades ou porções de frutas cítricas; </li></ul><ul><li>2 porções ou unidades de outras frutas; </li></ul><ul><li>Porções adequadas de leguminosas e alimentos ricos em carboidratos; </li></ul>
  45. 46. Exercícios físicos: <ul><li>Deve-se incentivar a manutenção da atividade habitual e ginástica orientada, evitando exercícios violentos. </li></ul>
  46. 47. Viagens durante a gravidez: <ul><li>Deve-se evitar viagens de longa distância no 1º trimestre de gestação, pelo risco de abortamento, e nas duas últimas semanas, pela possibilidade de antecipação do parto. </li></ul><ul><li>Comumente, as companhias aéreas permitem viagens até o sétimo mês. </li></ul>
  47. 48. Trabalho durante a gravidez: <ul><li>É importante que seja explicado à gestante que é seguro continuar trabalhando durante a gravidez (devendo ser afastados os riscos de exposição ocupacional a agentes teratogênicos ou substâncias tóxicas). </li></ul><ul><li>Pacientes com história prévia de dois ou mais abortamentos não devem permanecer muitas horas de pé ou caminhando, seja no trabalho ou em atividades domésticas. </li></ul><ul><li>Aquelas que trabalham mais de sete horas de pé apresentam probabilidade maior de abortamento espontâneo. </li></ul><ul><li>Para as gestantes sem história prévia de abortamento, não foi encontrado risco associado à atividade física durante a jornada de trabalho. </li></ul>
  48. 49. Atividade sexual: <ul><li>Não há restrição à atividade sexual </li></ul>
  49. 50. Tratamento dentário <ul><li>O tratamento dentário é livre durante a gravidez. </li></ul>
  50. 51. Orientação pré-concepcional: <ul><li>Pesquisar doenças maternas e orientar sobre as possíveis repercussões de uma gestação sobre a saúde da mãe e do bebê. Discutir sobre os cuidados para diminuir tais riscos; </li></ul><ul><li>Solicitar hemograma, glicemia de jejum, sumário de urina, tipagem sangüínea do casal e VDRL; </li></ul><ul><li>Pesquisar exposição a drogas; </li></ul><ul><li>Pesquisar história pessoal e familiar do casal de doenças relacionadas à reprodução; </li></ul>
  51. 52. Orientação pré-concepcional: <ul><li>Solicitar sorologia para Rubéola, Toxoplasmose e Hepatite </li></ul><ul><li>Se a paciente não tiver anticorpo para rubéola orienta-se vacinação (devendo-se aguardar 1 mês para tentar a gravidez); </li></ul><ul><li>Se a paciente não imunizada para hepatite, pode ser feita imunização antes da gestação, se for seu desejo; </li></ul><ul><li>Paciente não imunizada para toxoplasmose, se segue orientações higieno-dietéticas (evitar contato com gatos, evitar consumo de carne mal-cozida); </li></ul><ul><li>Iniciar suplementação de ácido fólico (400mcg/dia) </li></ul>
  52. 53. Ao ambulatório de alto risco conforme hospital de referência: Patologias prévias <ul><li>Hipertensão Arterial Crônica </li></ul><ul><li>Síndrome hipertensiva ou hemorrágica em gestação anterior </li></ul><ul><li>Nefropatias </li></ul><ul><li>Doenças Hematológicas </li></ul><ul><li>Lupus Eritematoso Sistêmico </li></ul><ul><li>Diabetes mellitus Tipos I e II </li></ul><ul><li>Cardiopatia </li></ul><ul><li>Pneumopatia Grave </li></ul>
  53. 54. Ao ambulatório de alto risco conforme hospital de referência: Patologias prévias <ul><li>Morte Intra-uterina ou perinatal em gestação anterior principalmente se for de causa desconhecida </li></ul><ul><li>Doenças Psiquiátricas que necessitem de acompanhamento </li></ul><ul><li>Doenças Neurológicas como a Epilepsia que necessitam de acompanhamento multidisciplinar </li></ul><ul><li>Qualquer patologia clínica que necessite acompanhamento de maior complexidade </li></ul>
  54. 55. Ao ambulatório de alto risco conforme hospital de referência: Gestação atual <ul><li>Isoimunização Rh </li></ul><ul><li>Hipertensão na gestação </li></ul><ul><li>Diabetes Gestacional </li></ul><ul><li>Hemoglobina < 8g/dl </li></ul><ul><li>HIV Reagente </li></ul><ul><li>Toxoplasmose IgM reagente </li></ul><ul><li>Infecções pré-natais como a Rubéola e a Citomegalovirose adquiridas na gestação atual </li></ul>
  55. 56. Ao ambulatório de alto risco conforme hospital de referência: Gestação atual <ul><li>Oligoâmnio; </li></ul><ul><li>Polidrâmnio; </li></ul><ul><li>Crescimento Intra-Uterino Restrito Pré-Termo; </li></ul><ul><li>Desnutrição Materna severa; </li></ul><ul><li>Drogadição e Alcoolismo; </li></ul><ul><li>Gemelaridade; </li></ul><ul><li>Malformações Fetais ou Arritmia Fetal; </li></ul><ul><li>Alta suspeita clínica de Câncer de Mama ou Mamografia com Bi-rads III ou mais </li></ul>
  56. 57. Ao ambulatório de alto risco conforme hospital de referência: Gestação atual <ul><li>Adolescentes com fatores de risco psicossocial; </li></ul><ul><li>Placenta Prévia na gestação atual; </li></ul><ul><li>Anti-HIV reagente; </li></ul><ul><li>NIC III. </li></ul>
  57. 58. Encaminhar para atendimento de Urgência / Emergência os casos de: <ul><li>Trabalho de Parto; </li></ul><ul><li>Hemorragia genital; </li></ul><ul><li>Amniorrexe prematura; </li></ul><ul><li>Febre; </li></ul><ul><li>Obs.: As gestantes que completarem 40 semanas serão encaminhadas ao Hospital de Referência para avaliação , não sendo necessariamente caracterizadas como alto risco e tampouco devem receber alta do pré-natal. </li></ul>
  58. 59. OBRIGADO!

×