SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 45
O lugar da escultura e da pintura no Românico
A arquitectura é a base da arte românica. A ela se adaptam a escultura e a pintura.   S. Salvador de Bravães Ponte da Barca A subordinação à arquitetura
A função da escultura e da pintura ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Pormenor do capitel de umas das colunas do tímpano da Catedral de Autun, França
A função da escultura e da pintura Pormenor do capitel de umas das colunas do tímpano da Catedral de Autun, França “ As obras de arte têm pleno direito de existir, pois o seu fim não era ser adoradas pelos fiéis, mas ensinar os ignorantes. O que os doutores podem ler com a sua inteligência nos livros, vêem os ignorantes com os seus olhos nos quadros  e nos relevos” - palavras do Papa Gregório Magno (540-604).
A função da escultura e da pintura Revelou, desde a arte paleocristã, uma  nova expressão formal  assim como uma  regressão técnica , que se justificava pela valorização da mensagem em detrimento da perícia técnica. Relevo decorativo de uma igreja românica
A escultura
Forma de representação ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Forma de representação ,[object Object],[object Object],[object Object]
Duas tipologias da escultura Relevo Estatuária
A escultura ocupava os tímpanos, as arquivoltas e os capitéis das colunas na fachada. Tímpano, Portal Sul, Santiago de Compostela (Galiza , Espanha) O relevo
O portal O meio era ocupado por  Cristo sentado no trono, envolto pela  mandorla  ou  amêndoa mística ; à sua volta estão as outras personagens, decrescendo de importância O  portal , principal elemento do templo românico,  representava o acesso à casa de Deus,  ao Paraíso, à protecção e uma  lição à espiritualidade O tímpano que o encima é o elemento com maior  profusão decorativa e apresenta um carácter  religioso, pedagógico e estético
O tímpano era decorado com motivos narrativos, como o  Pantocrator , a representação de Cristo como divindade suprema, sentado na  cathedra , com a mão direita erguida e as Sagradas Escrituras na esquerda.   Os tímpanos Tímpano do portal da Catedral de Saint-Trophime d'Arles,  França, séc. XII
Tetramorfo : representação simbólica dos quatro evangelistas – o anjo de S. Mateus, leão de S. Marcos, touro de S. Lucas e a águia de S. João.  Os tímpanos
As arquivoltas
No interior, ou nos claustros, os capitéis eram historiados com cenas bíblicas, procurando evangelizar através das imagens. David e Golias Moisés lançado às águas do Nilo Vézelay; Borgonha; França Os capitéis
Monstros terríveis povoavam o imaginário e a escultura românicos, lembrando sempre aos fiéis os horrores do Inferno. Os capitéis
Outros locais Cachorrada da Igreja de Santa Maria, Herefordshire, Inglaterra, séc. XII Relevos do deambulatório da Basílica de Saint-Sernin, França
Outros locais   Relevo de um pilar do claustro inferior do Mosteiro de São Domingos de Silos, Burgos, Espanha, séc. XII, "A Dúvida de S. Tomé" Tímpano e mainel do nártex da Basílica de Santa Madalena de Vézelay, França
Outros locais Gárgulas Cornijas e cachorradas Pias batismais
Escultura funerária Outros locais
A estatuária A estatuária ou  imagens de vulto redondo , nomeadamente as  Virgens românicas , possuíam características semelhantes à dos relevos, mas apresentavam um  cariz mais popular ; eram  objectos de veneração , concebidos em composições simples e esquemáticas.
A estatuária ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
A pintura
A pintura Pintura parietal Iluminuras
Suportes e técnicas ,[object Object],[object Object]
Pintura parietal (ou mural) ,[object Object],[object Object],[object Object],Pintura a fresco da Abadia de Lavaudieu, França
Temas ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Aspectos formais As técnicas formais e estilísticas empregues variam de região para região, sendo impossível distinguir autores, mas sim   escolas ou oficinas. O seu trabalho era geralmente colectivo e a aprendizagem era feita nos  scriptoria  dos conventos e catedrais. Não havia criatividade ou inovação A Anunciação", fresco da Igreja de St. John, Áustria
Aspectos formais ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Pintura a fresco da Abadia de Lavaudieu, França
Aspectos formais ,[object Object],[object Object],Pintura a fresco da abobada da abside da Igreja de Santa María de Tahull, Espanha
Aspectos formais ,[object Object],Fresco da Igreja de S. Angelo in Formis, em Monte Cassino, séc. XI
Aspectos formais ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Diferenças regionais ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Frescos da Igreja de St-Jacques-des-Guérets, França
Diferenças regionais ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Helena de Constantinopla representada num fresco da basílica de San Lorenzo Naggiore, Itália, séc. XII
Diferenças regionais ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],"Cristo Pantocrator", fresco da abside da Igreja de São Clemente, Barcelona, Espanha
Programas iconográficos complementares ,[object Object],[object Object]
Pintura sobre madeira ,[object Object],[object Object],[object Object],"Nossa Senhora e o Menino", pormenor central do frontal de altar do altar-mor da Igreja do Mosteiro de Santa Margarida, Espanha, séc. XII
As iluminuras ,[object Object],[object Object],[object Object],"São João Evangelista" representado numa das páginas do Evangelário do Abade Wedricus
A iluminura como  documento histórico A iluminura pode retratar cenas do quotidiano, ilustrar aspectos da vida e da cultura material das sociedades passadas, com o caso ao lado, onde se observam músicos medievais tocando vários instrumentos.
As iluminuras Estas pinturas primavam pela fantasia dos coloridos e pelo sentido de ritmo e movimento das suas composições, chegando a ser mais  diversificadas e criativas  que as dos frescos e a servir de inspiração aos mesmos.   Iluminura do "Apocalipse do Lorvão"
As iluminuras Ilustração de uma das páginas do livro "As Grandes Crónicas de França"
As iluminuras "Maria Madalena anuncia a ressureição de Jesus aos Apóstolos", iluminura do saltério de São Albano
As iluminuras Inicial ornamentada de uma das páginas da Bíblia de Winchester
As iluminuras Capitulares de uma das páginas do Livro de Kells, séc XI
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Módulo 2 escultura romana
Módulo 2   escultura romanaMódulo 2   escultura romana
Módulo 2 escultura romanaCarla Freitas
 
Arte gótica
Arte gótica Arte gótica
Arte gótica kyzinha
 
A arte românica
A arte românicaA arte românica
A arte românicabecresforte
 
Módulo 2 pintura romana
Módulo 2   pintura romanaMódulo 2   pintura romana
Módulo 2 pintura romanaCarla Freitas
 
Pintura romanica
Pintura romanicaPintura romanica
Pintura romanicajojotyu
 
Módulo 3 - Escultura e pintura românicas
Módulo 3 - Escultura e pintura românicasMódulo 3 - Escultura e pintura românicas
Módulo 3 - Escultura e pintura românicasCarla Freitas
 
Arte do Renascimento
Arte do RenascimentoArte do Renascimento
Arte do RenascimentoHca Faro
 
Cultura da Catedral - Arquitectura Gótica
Cultura da Catedral - Arquitectura GóticaCultura da Catedral - Arquitectura Gótica
Cultura da Catedral - Arquitectura GóticaCarlos Vieira
 
Módulo 3 - Arquitetura pré-românica
Módulo 3 - Arquitetura pré-românicaMódulo 3 - Arquitetura pré-românica
Módulo 3 - Arquitetura pré-românicaCarla Freitas
 
Módulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágoraMódulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágoraTLopes
 
Arte Romanica
Arte RomanicaArte Romanica
Arte Romanicatorga
 
Arquitetura renascentista
Arquitetura renascentistaArquitetura renascentista
Arquitetura renascentistaAna Barreiros
 

Mais procurados (20)

Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
A escultura gótica
A escultura góticaA escultura gótica
A escultura gótica
 
A pintura gótica i
A pintura gótica iA pintura gótica i
A pintura gótica i
 
Cultura da catedral
Cultura da catedralCultura da catedral
Cultura da catedral
 
Módulo 2 escultura romana
Módulo 2   escultura romanaMódulo 2   escultura romana
Módulo 2 escultura romana
 
Arte gótica
Arte gótica Arte gótica
Arte gótica
 
A arte românica
A arte românicaA arte românica
A arte românica
 
Módulo 2 pintura romana
Módulo 2   pintura romanaMódulo 2   pintura romana
Módulo 2 pintura romana
 
Pintura barroca
Pintura barrocaPintura barroca
Pintura barroca
 
Pintura romanica
Pintura romanicaPintura romanica
Pintura romanica
 
Módulo 3 - Escultura e pintura românicas
Módulo 3 - Escultura e pintura românicasMódulo 3 - Escultura e pintura românicas
Módulo 3 - Escultura e pintura românicas
 
Arte do Renascimento
Arte do RenascimentoArte do Renascimento
Arte do Renascimento
 
Cultura da Catedral - Arquitectura Gótica
Cultura da Catedral - Arquitectura GóticaCultura da Catedral - Arquitectura Gótica
Cultura da Catedral - Arquitectura Gótica
 
Módulo 3 - Arquitetura pré-românica
Módulo 3 - Arquitetura pré-românicaMódulo 3 - Arquitetura pré-românica
Módulo 3 - Arquitetura pré-românica
 
Módulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágoraMódulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágora
 
Arte Romanica
Arte RomanicaArte Romanica
Arte Romanica
 
Arquitetura renascentista
Arquitetura renascentistaArquitetura renascentista
Arquitetura renascentista
 
A cultura da gare
A cultura da gareA cultura da gare
A cultura da gare
 
Escultura romana
Escultura romanaEscultura romana
Escultura romana
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 

Destaque

Arte islâmica
Arte islâmicaArte islâmica
Arte islâmicaFilllipe
 
Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica   Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica Filipa Silva
 
A cultura da catedral contexto
A cultura da catedral   contextoA cultura da catedral   contexto
A cultura da catedral contextocattonia
 
A arte gótica I
A arte gótica IA arte gótica I
A arte gótica Icattonia
 
Cultura do Mosteiro - Arte islâmica
Cultura do Mosteiro - Arte islâmicaCultura do Mosteiro - Arte islâmica
Cultura do Mosteiro - Arte islâmicaCarlos Vieira
 

Destaque (9)

Arte islâmica 2
Arte islâmica 2Arte islâmica 2
Arte islâmica 2
 
Arte islamica
Arte islamicaArte islamica
Arte islamica
 
Arte islâmica
Arte islâmicaArte islâmica
Arte islâmica
 
Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica   Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica
 
A cultura da catedral contexto
A cultura da catedral   contextoA cultura da catedral   contexto
A cultura da catedral contexto
 
A arte gótica I
A arte gótica IA arte gótica I
A arte gótica I
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Cultura do Mosteiro - Arte islâmica
Cultura do Mosteiro - Arte islâmicaCultura do Mosteiro - Arte islâmica
Cultura do Mosteiro - Arte islâmica
 
Casa Sommer
Casa SommerCasa Sommer
Casa Sommer
 

Semelhante a Escultura e pintura românica

Escultura e pintura românicas
Escultura e pintura românicasEscultura e pintura românicas
Escultura e pintura românicascattonia
 
Barroco
BarrocoBarroco
BarrocoISJ
 
O romanico-em-portugal ruben tiago
O romanico-em-portugal ruben tiagoO romanico-em-portugal ruben tiago
O romanico-em-portugal ruben tiagoGoncaloandre95
 
O romanico-em-portugal ruben tiago
O romanico-em-portugal ruben tiagoO romanico-em-portugal ruben tiago
O romanico-em-portugal ruben tiagoGoncaloandre95
 
ARTE BIZANTINA.pptx.....................................
ARTE BIZANTINA.pptx.....................................ARTE BIZANTINA.pptx.....................................
ARTE BIZANTINA.pptx.....................................LuanyChristina2
 
Dokumen.tips barroco brasil
Dokumen.tips barroco brasilDokumen.tips barroco brasil
Dokumen.tips barroco brasilYvesLunn
 
Arte cristã primitiva
Arte cristã primitivaArte cristã primitiva
Arte cristã primitivaGrazi Schemes
 
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 20122c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012www.historiadasartes.com
 
Barroco 8º Ano
Barroco   8º AnoBarroco   8º Ano
Barroco 8º Anoinfoeducp2
 
Trabalho de Artes - Arte na Idade Média
Trabalho de Artes - Arte na Idade MédiaTrabalho de Artes - Arte na Idade Média
Trabalho de Artes - Arte na Idade MédiaGiovana Krüger
 
RomâNico
RomâNicoRomâNico
RomâNicoHist8
 
Arte romana a arte romana desenvolveu
Arte romana a arte romana desenvolveuArte romana a arte romana desenvolveu
Arte romana a arte romana desenvolveuaxeljunior
 
A cultura da catedral escultura e pintura
A cultura da catedral   escultura e pinturaA cultura da catedral   escultura e pintura
A cultura da catedral escultura e pinturacattonia
 
Resumo idade media- CBG
Resumo idade media- CBGResumo idade media- CBG
Resumo idade media- CBGAline Raposo
 

Semelhante a Escultura e pintura românica (20)

Arte românica
Arte românicaArte românica
Arte românica
 
O românico
O românicoO românico
O românico
 
Escultura e pintura românicas
Escultura e pintura românicasEscultura e pintura românicas
Escultura e pintura românicas
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
O romanico-em-portugal ruben tiago
O romanico-em-portugal ruben tiagoO romanico-em-portugal ruben tiago
O romanico-em-portugal ruben tiago
 
O romanico-em-portugal ruben tiago
O romanico-em-portugal ruben tiagoO romanico-em-portugal ruben tiago
O romanico-em-portugal ruben tiago
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
 
Arte medieval
Arte medievalArte medieval
Arte medieval
 
ARTE BIZANTINA.pptx.....................................
ARTE BIZANTINA.pptx.....................................ARTE BIZANTINA.pptx.....................................
ARTE BIZANTINA.pptx.....................................
 
Dokumen.tips barroco brasil
Dokumen.tips barroco brasilDokumen.tips barroco brasil
Dokumen.tips barroco brasil
 
Arte cristã primitiva
Arte cristã primitivaArte cristã primitiva
Arte cristã primitiva
 
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 20122c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
2c26 Arte Românica e National Gallery of London 2012
 
Barroco 8º Ano
Barroco   8º AnoBarroco   8º Ano
Barroco 8º Ano
 
Arte Românica e Gótica
Arte Românica e GóticaArte Românica e Gótica
Arte Românica e Gótica
 
Trabalho de Artes - Arte na Idade Média
Trabalho de Artes - Arte na Idade MédiaTrabalho de Artes - Arte na Idade Média
Trabalho de Artes - Arte na Idade Média
 
RomâNico
RomâNicoRomâNico
RomâNico
 
Arte romana a arte romana desenvolveu
Arte romana a arte romana desenvolveuArte romana a arte romana desenvolveu
Arte romana a arte romana desenvolveu
 
A cultura da catedral escultura e pintura
A cultura da catedral   escultura e pinturaA cultura da catedral   escultura e pintura
A cultura da catedral escultura e pintura
 
Resumo idade media- CBG
Resumo idade media- CBGResumo idade media- CBG
Resumo idade media- CBG
 

Mais de Ana Barreiros

Pintura barroca na Europa
Pintura barroca na EuropaPintura barroca na Europa
Pintura barroca na EuropaAna Barreiros
 
Rubrica de avaliação
Rubrica de avaliação Rubrica de avaliação
Rubrica de avaliação Ana Barreiros
 
Lista de verificação e-atividade
Lista de verificação e-atividade Lista de verificação e-atividade
Lista de verificação e-atividade Ana Barreiros
 
Imagens de Arquitetura Barroca
Imagens de Arquitetura BarrocaImagens de Arquitetura Barroca
Imagens de Arquitetura BarrocaAna Barreiros
 
Pintura do quattrocento
Pintura do quattrocentoPintura do quattrocento
Pintura do quattrocentoAna Barreiros
 
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinemaCorrecao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinemaAna Barreiros
 
O aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaO aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaAna Barreiros
 
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºGA modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºGAna Barreiros
 
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"Ana Barreiros
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"Ana Barreiros
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"Ana Barreiros
 
Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ana Barreiros
 
Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"Ana Barreiros
 
Ficha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoesFicha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoesAna Barreiros
 
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcaoFicha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcaoAna Barreiros
 
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º anoFicha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º anoAna Barreiros
 
As artes na atualidade
As artes na atualidadeAs artes na atualidade
As artes na atualidadeAna Barreiros
 
Cultura do espaço virtual
Cultura do espaço virtual Cultura do espaço virtual
Cultura do espaço virtual Ana Barreiros
 

Mais de Ana Barreiros (20)

Pintura barroca na Europa
Pintura barroca na EuropaPintura barroca na Europa
Pintura barroca na Europa
 
Rubrica de avaliação
Rubrica de avaliação Rubrica de avaliação
Rubrica de avaliação
 
Lista de verificação e-atividade
Lista de verificação e-atividade Lista de verificação e-atividade
Lista de verificação e-atividade
 
O romantismo
O romantismoO romantismo
O romantismo
 
Bairro dos museus
Bairro dos museusBairro dos museus
Bairro dos museus
 
Imagens de Arquitetura Barroca
Imagens de Arquitetura BarrocaImagens de Arquitetura Barroca
Imagens de Arquitetura Barroca
 
Pintura do quattrocento
Pintura do quattrocentoPintura do quattrocento
Pintura do quattrocento
 
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinemaCorrecao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
 
O aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaO aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte gotica
 
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºGA modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
 
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
 
Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"
 
Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"
 
Ficha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoesFicha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoes
 
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcaoFicha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
 
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º anoFicha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
 
As artes na atualidade
As artes na atualidadeAs artes na atualidade
As artes na atualidade
 
Cultura do espaço virtual
Cultura do espaço virtual Cultura do espaço virtual
Cultura do espaço virtual
 

Último

Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfprofesfrancleite
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Centro Jacques Delors
 
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreFilosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreLeandroLima265595
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaANNAPAULAAIRESDESOUZ
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoCelimaraTiski
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaCentro Jacques Delors
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxAntonioVieira539017
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 

Último (20)

Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
 
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreFilosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 

Escultura e pintura românica

  • 1. O lugar da escultura e da pintura no Românico
  • 2. A arquitectura é a base da arte românica. A ela se adaptam a escultura e a pintura. S. Salvador de Bravães Ponte da Barca A subordinação à arquitetura
  • 3.
  • 4. A função da escultura e da pintura Pormenor do capitel de umas das colunas do tímpano da Catedral de Autun, França “ As obras de arte têm pleno direito de existir, pois o seu fim não era ser adoradas pelos fiéis, mas ensinar os ignorantes. O que os doutores podem ler com a sua inteligência nos livros, vêem os ignorantes com os seus olhos nos quadros e nos relevos” - palavras do Papa Gregório Magno (540-604).
  • 5. A função da escultura e da pintura Revelou, desde a arte paleocristã, uma nova expressão formal assim como uma regressão técnica , que se justificava pela valorização da mensagem em detrimento da perícia técnica. Relevo decorativo de uma igreja românica
  • 7.
  • 8.
  • 9. Duas tipologias da escultura Relevo Estatuária
  • 10. A escultura ocupava os tímpanos, as arquivoltas e os capitéis das colunas na fachada. Tímpano, Portal Sul, Santiago de Compostela (Galiza , Espanha) O relevo
  • 11. O portal O meio era ocupado por Cristo sentado no trono, envolto pela mandorla ou amêndoa mística ; à sua volta estão as outras personagens, decrescendo de importância O portal , principal elemento do templo românico, representava o acesso à casa de Deus, ao Paraíso, à protecção e uma lição à espiritualidade O tímpano que o encima é o elemento com maior profusão decorativa e apresenta um carácter religioso, pedagógico e estético
  • 12. O tímpano era decorado com motivos narrativos, como o Pantocrator , a representação de Cristo como divindade suprema, sentado na cathedra , com a mão direita erguida e as Sagradas Escrituras na esquerda. Os tímpanos Tímpano do portal da Catedral de Saint-Trophime d'Arles, França, séc. XII
  • 13. Tetramorfo : representação simbólica dos quatro evangelistas – o anjo de S. Mateus, leão de S. Marcos, touro de S. Lucas e a águia de S. João. Os tímpanos
  • 15. No interior, ou nos claustros, os capitéis eram historiados com cenas bíblicas, procurando evangelizar através das imagens. David e Golias Moisés lançado às águas do Nilo Vézelay; Borgonha; França Os capitéis
  • 16. Monstros terríveis povoavam o imaginário e a escultura românicos, lembrando sempre aos fiéis os horrores do Inferno. Os capitéis
  • 17. Outros locais Cachorrada da Igreja de Santa Maria, Herefordshire, Inglaterra, séc. XII Relevos do deambulatório da Basílica de Saint-Sernin, França
  • 18. Outros locais   Relevo de um pilar do claustro inferior do Mosteiro de São Domingos de Silos, Burgos, Espanha, séc. XII, "A Dúvida de S. Tomé" Tímpano e mainel do nártex da Basílica de Santa Madalena de Vézelay, França
  • 19. Outros locais Gárgulas Cornijas e cachorradas Pias batismais
  • 21. A estatuária A estatuária ou imagens de vulto redondo , nomeadamente as Virgens românicas , possuíam características semelhantes à dos relevos, mas apresentavam um cariz mais popular ; eram objectos de veneração , concebidos em composições simples e esquemáticas.
  • 22.
  • 24. A pintura Pintura parietal Iluminuras
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28. Aspectos formais As técnicas formais e estilísticas empregues variam de região para região, sendo impossível distinguir autores, mas sim escolas ou oficinas. O seu trabalho era geralmente colectivo e a aprendizagem era feita nos scriptoria dos conventos e catedrais. Não havia criatividade ou inovação A Anunciação", fresco da Igreja de St. John, Áustria
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37.
  • 38.
  • 39. A iluminura como documento histórico A iluminura pode retratar cenas do quotidiano, ilustrar aspectos da vida e da cultura material das sociedades passadas, com o caso ao lado, onde se observam músicos medievais tocando vários instrumentos.
  • 40. As iluminuras Estas pinturas primavam pela fantasia dos coloridos e pelo sentido de ritmo e movimento das suas composições, chegando a ser mais diversificadas e criativas que as dos frescos e a servir de inspiração aos mesmos. Iluminura do "Apocalipse do Lorvão"
  • 41. As iluminuras Ilustração de uma das páginas do livro "As Grandes Crónicas de França"
  • 42. As iluminuras "Maria Madalena anuncia a ressureição de Jesus aos Apóstolos", iluminura do saltério de São Albano
  • 43. As iluminuras Inicial ornamentada de uma das páginas da Bíblia de Winchester
  • 44. As iluminuras Capitulares de uma das páginas do Livro de Kells, séc XI
  • 45. FIM