SlideShare uma empresa Scribd logo
20 dicas para
se dar bem na
dinâmica de grupo
E M P R E G A B I L I D A D E
EMPREGABILIDADE
Dicas para se dar bem na dinâmica de grupo.
 Muita gente sente frio na barriga
só de pensar em encarar uma
dinâmica de grupo. Competir,
responder e participar das
atividades são alguns dos desafios
que aparecem nesta etapa da
seleção.
 O objetivo da dinâmica é ver
como o candidato vai se comportar
em situações diversas.
 Você não sabe o que a empresa
está considerando como diferencial,
para isso, seguem 20 dicas para se
dar bem na dinâmica de grupo e
ter sucesso nesta "temida" fase do
processo seletivo.
1. Aposte no autoconhecimento
 Quanto mais você se conhece mais domínio se tem da
situação. Faça uma retrospectiva, analise quais são o seus
valores e pontos fortes, descubra aspectos que ainda
precisam ser desenvolvidos ou que precisam estar claros na
sua mente.
As habilidades ficam ainda
mais em destaque quando
você busca o
autoconhecimento e
descobre suas competências
pessoais. Com isso, você
valoriza seus ponto fortes e
minimiza seus pontos fracos.
2. Aprofunda a pesquisa
sobre a empresa
 Os pontos de aderência entre a cultura da empresa e seus
valores serão mais cobrados na fase de dinâmica e essa
pesquisa deve acontecer porque parte-se do pressuposto
de que a escolha é mútua, a empresa escolhe o candidato e
vice-versa.
Saber os valores e a missão da
empresa contribui para ter
sucesso na dinâmica. Isso dará
subsídios para entender como a
empresa é, se investe nas
pessoas, se preza pela
responsabilidade social e ajuda
a compreender sua cultura.
Cultura
Ambiente
interno
3. Mantenha a tranquilidade
 Quanto mais tranquilo você estiver mais facilmente você
vai ficar conectado com as atividades propostas. O medo
obstrui e distorce a sua percepção.
Ombro contraído, mãos
apertadas, perna que não
param de tremer são sinais
de tensão. Respiração
mais profunda é uma boa
técnica para relaxar,
oxigenando o corpo você
tende a ficar mais leve.
4. Atente à maneira como
você interage
 A habilidade de comunicação faz toda a diferença neste
momento, a empresa quer conhecer o candidato; para ela, o
profissional ainda é uma folha em branco, por isso você
precisa saber se movimentar.
O importante é entender o
que está sendo proposto
pela dinâmica, entrar no
contexto e participar. Você
precisa buscar espaço para
se comunicar, o que não
significa brigar por ele e
muito menos entrar mudo e
sair calado.
5. Cuidado com a sua postura
e com a maneira de se vestir
 Ficar se mexendo na cadeira e
fazer gestos bruscos vão
contra o que os especialistas
recomendam. É preciso ter
cuidado com a postura na hora
de se sentar, na hora de se
comunicar e na hora de
interagir.
 O jeito de se vestir mostra um
pouco da sua personalidade,
por isso, prefira apresentar-se
de forma mais alinhada e sem
exageros.
6. Arrisque (um pouco) mais
 Um toque de ousadia é a “cereja do bolo” em uma dinâmica de
grupo já que aumenta as chances de você se destacar dos
demais. O candidato deve ser ousado em participar, não ter
vergonha de nada, fazer perguntas para o grupo e, para isso,
não precisa ter todas as respostas na ponta da língua.
7. Fique atento
 Preste atenção nos outros
participantes, nas atitudes e
comportamentos deles. É com eles
que você vai desenvolver a dinâmica
e se você tem um espírito natural de
líder, por que não ser um destaque?
 Fique atento às explicações e
orientações. As informações
normalmente são padronizadas,
mas devem ser interpretadas à luz
do que vai acontecer daí para frente.
Procure entender o que se quer
observar e libere sua criatividade.
8. Iniciativa
 Candidatos que deixam para falar por último passam a
impressão de serem muito cautelosos ou terem pouca
iniciativa.
 Se “ter iniciativa” não é uma característica sua, não se
force a falar antes de todos só porque sabe que isso é um
ponto de avaliação importante. O recrutador perceberá
rapidamente se a atitude estiver sendo forçada.
9. Relacionamento
 Esta é uma das características mais avaliadas em uma
dinâmica de grupo. Enfatizamos: não tente ser o que você
não é, aja naturalmente.
 O que será analisado é o seu comportamento e posição
diante de uma situação. O melhor é não tentar disfarçar ou
fingir. Procure agir o mais naturalmente possível e não
contrarie a sua natureza.
10.Pontualidade
 Chegue na hora. Na verdade,
você deve planejar chegar ao local
da dinâmica antes do horário
combinado. Confirme o local, a
data e o horário da dinâmica.
 A pontualidade é uma qualidade
essencial para a formação de um
bom profissional, demonstra
responsabilidade, interesse e
comprometimento com o trabalho.
O atraso, além de perda de
tempo, é perda de dinheiro.
11.Autenticidade
 Você deve procurar ser autentico.
Não é o que fala mais na dinâmica
que provavelmente se destacará.
O profissional deve se comportar
naturalmente, como ele agiria se
estivesse em uma situação de
trabalho normal.
 Tentar se moldar, de maneira
forçada, no perfil da vaga não
funciona e isso pode transparecer
falsidade. O melhor mesmo e agir
com naturalidade e sinceridade.
12.Coopere e participe
 Aproveite a oportunidade de
evidenciar os seus diferenciais de
forma positiva, sendo cooperativo
com os demais.
 É imprescindível participar. Pode
haver alguém que se destaque,
mas, busque espaço. Seja
autêntico e exponha o que tem de
melhor, sempre com bom senso.
Por mais estranha que possa
parecer a atividade proposta,
envolva-se. Mostre flexibilidade e
capacidade de adaptação.
13.Bom humor
 Medo e insegurança podem muitas
vezes te acompanhar na dinâmica
e driblar esses obstáculos com
humor pode fazer a diferença nos
resultados.
 O bom humor deve estar sempre
presente na dinâmica de grupo, até
para ajudar a minimizar a natural
tensão, comum a toda situação
competitiva. No entanto, não se
deve jamais encarar a dinâmica
como brincadeira ou diversão.
14.Tempo
 As dinâmicas de grupo podem demorar entre 3 a 5 horas.
Portanto, reserve o tempo necessário para essa atividade.
Seria muito embaraçoso ter que pedir para sair mais cedo
durante o processo seletivo. Você já estaria “começando
com o pé esquerdo”. Se você trabalha, peça folga e fique
tranquila para participar da dinâmica sem pressa.
15.Etiqueta para o coffee break
 O coffee break é um tira-gosto. O objetivo não é saciar a
fome como uma refeição completa, então, ficar todo o
intervalo parado junto à mesa se servindo vai atrapalhar os
demais que querem se servir. O melhor é circular.
A quantidade costuma ser
calculada como uma unidade por
participante de cada item. Saciar
a fome com várias unidades não
é elegante, muito menos levar o
lanche para a sala da dinâmica.
Lembre-se, você está sendo
observado até na hora do coffee
break.
16.Competências
 É na dinâmica que as habilidades de um candidato são de
fato colocadas à prova. É a fase de validação, já que ocorre
depois de uma criteriosa triagem curricular.
As competências vêm
sendo analisadas nas
dinâmicas. Ao verificar
quais são as
competências de cada
um, pode-se escolher
melhor a pessoa certa
para o lugar certo.
17.Espírito empreendedor
 As empresas estão buscando em
cada candidato o espírito
empreendedor ao contratar.
Pessoas positivistas, que sabem
enfrentar as barreiras sem desistir,
enxergando oportunidades,
exercendo liderança, serão mais
disputados pelas empresas.
 É possível desenvolver
características fundamentais como:
delegar tarefas, ter metas claras,
planejar, monitorar e persistir.
18.Tenha um diferencial
 Ter um diferencial competitivo é
fundamental para que consiga
se destacar entre os demais. Ser
inovador, ter bom
relacionamento e cumprir tarefas
são pontos que podem fazer
toda diferença.
 Mas, quem sabe, na hora “H”
você desperta algo ainda mais
diferente e que surpreenda a
todos. Esse é o que se chama
“diferencial” e que pode ser
decisivo durante o processo de
seleção e durante a dinâmica.
19. Evite cair no
"pensamento de grupo"
 Cuidado: não seja um
“Maria vai com as outras”.
Quando todas as barreiras
já foram ultrapassadas e
um grupo é muito coeso e
homogêneo existe a
possibilidade de se tornar
resistente às opiniões.
 É importante que o grupo
ouça as suas opiniões e
que você seja uma pessoa
autêntica. Defenda as suas
ideias com convicção.
20. Autoestima intacta ao
término da dinâmica
 Independentemente do resultado da
dinâmica, esteja certo de que a
experiência foi positiva para você.
 Após uma dinâmica não há
vencidos ou melhores ou piores. O
que todo processo seletivo visa é
identificar o candidato que possua
um perfil mais adequado ao da vaga
que se busca preencher. Isso deve
ficar muito claro para que nenhum
candidato saia do processo com
sua autoestima abalada.
Para se dar bem na dinâmica de grupo
 Por se tratar de uma etapa na qual o candidato
não conhece as atividades a serem desenvolvidas,
a dinâmica de grupo é uma das partes mais
temidas de todo o processo de seleção.
 O papel da dinâmica é criar um ambiente que
induza o candidato a agir com a maior naturalidade
possível, sem exageros, formalidades e textos
prontos.
 Como parte do processo de seleção, você será
observado e analisado. Não sinta-se incomodado
com isso e não deixe que essa situação interfira na
sua atuação. Siga as dicas apresentadas para que
você aumente suas chances de se dar bem em
dinâmicas de grupo.
 É importante que você faça análise de si
mesmo, um processo de reflexão. Entender seus
pontos fortes e fracos pode ajudá-lo a explorar e
demonstrar suas potencialidades em detrimento
dos seus pontos a desenvolver.
20 dicas para se dar bem na dinâmica de grupo
Prof. Wandick Rocha
wandickrocha@yahoo.com.br
http://contabilidademais.blogspot.com.br/
http://pt.slideshare.net/wandickrochadeaquino

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 1 planejamento estratégico
Aula 1   planejamento estratégicoAula 1   planejamento estratégico
Aula 1 planejamento estratégico
Kesia Rozzett Oliveira
 
Liderança e Comunicação - Maurício Andrade
Liderança e Comunicação - Maurício AndradeLiderança e Comunicação - Maurício Andrade
Liderança e Comunicação - Maurício Andrade
Maurício Andrade
 
Gestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- IntroduçãoGestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- Introdução
Marcos Alves
 
Plano de Marketing
Plano de MarketingPlano de Marketing
Plano de Marketing
Kenneth Corrêa
 
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICOPLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
Paulo David
 
Gestão por Processos
Gestão por ProcessosGestão por Processos
Gestão por Processos
Wandick Rocha de Aquino
 
Gestão e Liderança de Pessoas - Aulas 11 e 12
Gestão e Liderança de Pessoas - Aulas 11 e 12Gestão e Liderança de Pessoas - Aulas 11 e 12
Gestão e Liderança de Pessoas - Aulas 11 e 12
Wandick Rocha de Aquino
 
Relatório final (Consultoria em empresa de agronegócios)
Relatório final (Consultoria em empresa de agronegócios)Relatório final (Consultoria em empresa de agronegócios)
Relatório final (Consultoria em empresa de agronegócios)
Adriano Alves de Aquino
 
Recrutamento e Seleção
Recrutamento e SeleçãoRecrutamento e Seleção
Recrutamento e Seleção
Caroline Ricci
 
Gestão e Liderança_Prof. Randes
Gestão e Liderança_Prof. RandesGestão e Liderança_Prof. Randes
Gestão e Liderança_Prof. Randes
Prof. Randes Enes, M.Sc.
 
Descrição de Cargos, Competência e Treinamento
Descrição de Cargos, Competência e TreinamentoDescrição de Cargos, Competência e Treinamento
Descrição de Cargos, Competência e Treinamento
Templum Consultoria Online
 
Liderança de equipes
Liderança de equipesLiderança de equipes
Liderança de equipes
Alessandro Lunardon
 
Treinamento.desenvolvimento
Treinamento.desenvolvimentoTreinamento.desenvolvimento
Treinamento.desenvolvimento
Marcia Henrique
 
O que é liderança
O que é liderançaO que é liderança
O que é liderança
Márcio Roberto de Mattos
 
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Comunicação Assertiva  - Karime KamelComunicação Assertiva  - Karime Kamel
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Karime Kamel
 
LideranÇa O Caminho Para O Sucesso
LideranÇa   O Caminho Para O SucessoLideranÇa   O Caminho Para O Sucesso
LideranÇa O Caminho Para O Sucesso
Thiago Ferreira
 
Plano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadoresPlano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadores
Letícia Vilela de Aquino
 
Feedback - A arte de ouvir e falar
Feedback - A arte de ouvir e falarFeedback - A arte de ouvir e falar
Feedback - A arte de ouvir e falar
Kenneth Corrêa
 
Empreendedorismo no Brasil
Empreendedorismo no BrasilEmpreendedorismo no Brasil
COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL _ Aula 1 - Comunicação
COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL _ Aula 1 - ComunicaçãoCOMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL _ Aula 1 - Comunicação
COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL _ Aula 1 - Comunicação
Fábio Nogueira, PhD
 

Mais procurados (20)

Aula 1 planejamento estratégico
Aula 1   planejamento estratégicoAula 1   planejamento estratégico
Aula 1 planejamento estratégico
 
Liderança e Comunicação - Maurício Andrade
Liderança e Comunicação - Maurício AndradeLiderança e Comunicação - Maurício Andrade
Liderança e Comunicação - Maurício Andrade
 
Gestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- IntroduçãoGestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- Introdução
 
Plano de Marketing
Plano de MarketingPlano de Marketing
Plano de Marketing
 
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICOPLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
 
Gestão por Processos
Gestão por ProcessosGestão por Processos
Gestão por Processos
 
Gestão e Liderança de Pessoas - Aulas 11 e 12
Gestão e Liderança de Pessoas - Aulas 11 e 12Gestão e Liderança de Pessoas - Aulas 11 e 12
Gestão e Liderança de Pessoas - Aulas 11 e 12
 
Relatório final (Consultoria em empresa de agronegócios)
Relatório final (Consultoria em empresa de agronegócios)Relatório final (Consultoria em empresa de agronegócios)
Relatório final (Consultoria em empresa de agronegócios)
 
Recrutamento e Seleção
Recrutamento e SeleçãoRecrutamento e Seleção
Recrutamento e Seleção
 
Gestão e Liderança_Prof. Randes
Gestão e Liderança_Prof. RandesGestão e Liderança_Prof. Randes
Gestão e Liderança_Prof. Randes
 
Descrição de Cargos, Competência e Treinamento
Descrição de Cargos, Competência e TreinamentoDescrição de Cargos, Competência e Treinamento
Descrição de Cargos, Competência e Treinamento
 
Liderança de equipes
Liderança de equipesLiderança de equipes
Liderança de equipes
 
Treinamento.desenvolvimento
Treinamento.desenvolvimentoTreinamento.desenvolvimento
Treinamento.desenvolvimento
 
O que é liderança
O que é liderançaO que é liderança
O que é liderança
 
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Comunicação Assertiva  - Karime KamelComunicação Assertiva  - Karime Kamel
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
 
LideranÇa O Caminho Para O Sucesso
LideranÇa   O Caminho Para O SucessoLideranÇa   O Caminho Para O Sucesso
LideranÇa O Caminho Para O Sucesso
 
Plano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadoresPlano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadores
 
Feedback - A arte de ouvir e falar
Feedback - A arte de ouvir e falarFeedback - A arte de ouvir e falar
Feedback - A arte de ouvir e falar
 
Empreendedorismo no Brasil
Empreendedorismo no BrasilEmpreendedorismo no Brasil
Empreendedorismo no Brasil
 
COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL _ Aula 1 - Comunicação
COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL _ Aula 1 - ComunicaçãoCOMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL _ Aula 1 - Comunicação
COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL _ Aula 1 - Comunicação
 

Destaque

Dinâmica de grupo objetivo
Dinâmica de grupo objetivoDinâmica de grupo objetivo
Dinâmica de grupo objetivo
Daniella Moraes
 
Case PARATI
Case PARATICase PARATI
Case PARATI
BRAVA Tecnologia
 
O PROCESSO DE TRABALHO NO SUS E A IMPORTÂNCIA 01 DAS AÇÕES DE PLANEJAMENTO EM...
O PROCESSO DE TRABALHO NO SUS E A IMPORTÂNCIA 01 DAS AÇÕES DE PLANEJAMENTO EM...O PROCESSO DE TRABALHO NO SUS E A IMPORTÂNCIA 01 DAS AÇÕES DE PLANEJAMENTO EM...
O PROCESSO DE TRABALHO NO SUS E A IMPORTÂNCIA 01 DAS AÇÕES DE PLANEJAMENTO EM...
Aliny Lima
 
Networking
NetworkingNetworking
Networking
Douglas Ramos
 
Palestra de networking e indicações profissionais
Palestra de networking e indicações profissionaisPalestra de networking e indicações profissionais
Palestra de networking e indicações profissionais
SBGC - Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento
 
Palestra empregabilidade
Palestra empregabilidadePalestra empregabilidade
Palestra empregabilidade
Veruska Galvão
 
O poder do NETWORKING - Palestra online - EVENTIALS
O poder do NETWORKING - Palestra online - EVENTIALSO poder do NETWORKING - Palestra online - EVENTIALS
O poder do NETWORKING - Palestra online - EVENTIALS
André Augusto Damasceno Mendes
 
Empregabilidade Palestra
Empregabilidade PalestraEmpregabilidade Palestra
Empregabilidade Palestra
Mara Suassuna
 
Slide networking
Slide   networkingSlide   networking
Slide networking
Rodrigo Araújo
 
Apresentação dinâmica de grupo em seleção
Apresentação dinâmica de grupo em seleçãoApresentação dinâmica de grupo em seleção
Apresentação dinâmica de grupo em seleção
atair dos santos
 
5, 6, 7, 9 e 10S
5, 6, 7, 9 e 10S5, 6, 7, 9 e 10S
5, 6, 7, 9 e 10S
Marília Prux Nienow
 
Empregabilidade
Empregabilidade Empregabilidade
Empregabilidade
Carlos Rocha
 
Diagramadinamica
DiagramadinamicaDiagramadinamica
Diagramadinamica
Marcelo Ribas
 
Quem voce salvaria ?
Quem voce salvaria ?Quem voce salvaria ?
Quem voce salvaria ?
amimh
 
Empregabilidade
EmpregabilidadeEmpregabilidade
Dicas de Entrevista
Dicas de EntrevistaDicas de Entrevista
Mercado de trabalho e Empregabilidade
Mercado de trabalho e EmpregabilidadeMercado de trabalho e Empregabilidade
Mercado de trabalho e Empregabilidade
Joedes Ribeiro
 
Teoria e técnica de dinâmica de grupo
Teoria e técnica de dinâmica de grupoTeoria e técnica de dinâmica de grupo
Teoria e técnica de dinâmica de grupo
Silvio Custódio Souza Júnior
 
Slaide
SlaideSlaide
Slaide
evyllinn
 
Inovação e Criatividade
Inovação e CriatividadeInovação e Criatividade
Inovação e Criatividade
Andrea Costa
 

Destaque (20)

Dinâmica de grupo objetivo
Dinâmica de grupo objetivoDinâmica de grupo objetivo
Dinâmica de grupo objetivo
 
Case PARATI
Case PARATICase PARATI
Case PARATI
 
O PROCESSO DE TRABALHO NO SUS E A IMPORTÂNCIA 01 DAS AÇÕES DE PLANEJAMENTO EM...
O PROCESSO DE TRABALHO NO SUS E A IMPORTÂNCIA 01 DAS AÇÕES DE PLANEJAMENTO EM...O PROCESSO DE TRABALHO NO SUS E A IMPORTÂNCIA 01 DAS AÇÕES DE PLANEJAMENTO EM...
O PROCESSO DE TRABALHO NO SUS E A IMPORTÂNCIA 01 DAS AÇÕES DE PLANEJAMENTO EM...
 
Networking
NetworkingNetworking
Networking
 
Palestra de networking e indicações profissionais
Palestra de networking e indicações profissionaisPalestra de networking e indicações profissionais
Palestra de networking e indicações profissionais
 
Palestra empregabilidade
Palestra empregabilidadePalestra empregabilidade
Palestra empregabilidade
 
O poder do NETWORKING - Palestra online - EVENTIALS
O poder do NETWORKING - Palestra online - EVENTIALSO poder do NETWORKING - Palestra online - EVENTIALS
O poder do NETWORKING - Palestra online - EVENTIALS
 
Empregabilidade Palestra
Empregabilidade PalestraEmpregabilidade Palestra
Empregabilidade Palestra
 
Slide networking
Slide   networkingSlide   networking
Slide networking
 
Apresentação dinâmica de grupo em seleção
Apresentação dinâmica de grupo em seleçãoApresentação dinâmica de grupo em seleção
Apresentação dinâmica de grupo em seleção
 
5, 6, 7, 9 e 10S
5, 6, 7, 9 e 10S5, 6, 7, 9 e 10S
5, 6, 7, 9 e 10S
 
Empregabilidade
Empregabilidade Empregabilidade
Empregabilidade
 
Diagramadinamica
DiagramadinamicaDiagramadinamica
Diagramadinamica
 
Quem voce salvaria ?
Quem voce salvaria ?Quem voce salvaria ?
Quem voce salvaria ?
 
Empregabilidade
EmpregabilidadeEmpregabilidade
Empregabilidade
 
Dicas de Entrevista
Dicas de EntrevistaDicas de Entrevista
Dicas de Entrevista
 
Mercado de trabalho e Empregabilidade
Mercado de trabalho e EmpregabilidadeMercado de trabalho e Empregabilidade
Mercado de trabalho e Empregabilidade
 
Teoria e técnica de dinâmica de grupo
Teoria e técnica de dinâmica de grupoTeoria e técnica de dinâmica de grupo
Teoria e técnica de dinâmica de grupo
 
Slaide
SlaideSlaide
Slaide
 
Inovação e Criatividade
Inovação e CriatividadeInovação e Criatividade
Inovação e Criatividade
 

Semelhante a EMPREGABILIDADE - 20 dicas para se dar bem na dinâmica de grupo

Habilidades
HabilidadesHabilidades
Habilidades
Francisco
 
EMPREGABILIDADE - 20 dicas para se dar bem na entrevista
EMPREGABILIDADE - 20 dicas para se dar bem na entrevistaEMPREGABILIDADE - 20 dicas para se dar bem na entrevista
EMPREGABILIDADE - 20 dicas para se dar bem na entrevista
Wandick Rocha de Aquino
 
10 dicas para se sair bem na dinâmica
10 dicas para se sair bem na dinâmica10 dicas para se sair bem na dinâmica
10 dicas para se sair bem na dinâmica
ricelligoncalves
 
10 dicas para se sair bem na dinâmica
10 dicas para se sair bem na dinâmica10 dicas para se sair bem na dinâmica
10 dicas para se sair bem na dinâmica
ricelligoncalves
 
Ebook: Como se tornar um Líder
Ebook: Como se tornar um LíderEbook: Como se tornar um Líder
Ebook: Como se tornar um Líder
Fórmula do Diamante
 
Como se tornar um lider
Como se tornar um liderComo se tornar um lider
Como se tornar um lider
Advancerepemp
 
Tap aula1e2-diagrama dinamica
Tap aula1e2-diagrama dinamicaTap aula1e2-diagrama dinamica
Tap aula1e2-diagrama dinamica
Marcelo Ribas
 
Tap aula1e2-diagrama dinamica
Tap aula1e2-diagrama dinamicaTap aula1e2-diagrama dinamica
Tap aula1e2-diagrama dinamica
Marcelo Ribas
 
15 DICAS DE LIDERANÇA
15 DICAS DE LIDERANÇA15 DICAS DE LIDERANÇA
15 DICAS DE LIDERANÇA
Tatiane Souza
 
10 atitudes que podem sabotar sua carreira
10 atitudes que podem sabotar  sua carreira10 atitudes que podem sabotar  sua carreira
10 atitudes que podem sabotar sua carreira
R Gómez
 
Cartilha do Trabalhador
Cartilha do TrabalhadorCartilha do Trabalhador
Cartilha do Trabalhador
Superintendência da Juventude
 
Projeto de Vida, e o Caminho para o Sucesso!
Projeto de Vida, e o Caminho para o Sucesso!Projeto de Vida, e o Caminho para o Sucesso!
Projeto de Vida, e o Caminho para o Sucesso!
Maju Canzi
 
Trabalho comunicação empresarial sem.ii
Trabalho comunicação empresarial sem.iiTrabalho comunicação empresarial sem.ii
Trabalho comunicação empresarial sem.ii
DanielmendesGO
 
Preparo para mercado de trabalho
Preparo para mercado de trabalhoPreparo para mercado de trabalho
Preparo para mercado de trabalho
Escola de Informática Evolutime; Colégio Pio XII
 
10 gafes que você não pode cometer numa entrevista de emprego
10 gafes que você não pode cometer numa entrevista de emprego10 gafes que você não pode cometer numa entrevista de emprego
10 gafes que você não pode cometer numa entrevista de emprego
Ana Cunha
 
Liderança Estratégica - Palestra UNEF
Liderança Estratégica - Palestra UNEFLiderança Estratégica - Palestra UNEF
Liderança Estratégica - Palestra UNEF
Givanildo Silva
 
Conteúdo - Deu Match.pptx
Conteúdo - Deu Match.pptxConteúdo - Deu Match.pptx
Conteúdo - Deu Match.pptx
JooVitor395220
 
Como se tornar um líder
Como se tornar um líderComo se tornar um líder
Como se tornar um líder
Rivelino A Carneiro
 
Em busca do 1º emprego
Em busca do 1º empregoEm busca do 1º emprego
Em busca do 1º emprego
Cleiton Rodrigo da Silva Ribeiro
 
Boletim coaching julho 2015
Boletim coaching   julho 2015Boletim coaching   julho 2015
Boletim coaching julho 2015
Myrthes Lutke
 

Semelhante a EMPREGABILIDADE - 20 dicas para se dar bem na dinâmica de grupo (20)

Habilidades
HabilidadesHabilidades
Habilidades
 
EMPREGABILIDADE - 20 dicas para se dar bem na entrevista
EMPREGABILIDADE - 20 dicas para se dar bem na entrevistaEMPREGABILIDADE - 20 dicas para se dar bem na entrevista
EMPREGABILIDADE - 20 dicas para se dar bem na entrevista
 
10 dicas para se sair bem na dinâmica
10 dicas para se sair bem na dinâmica10 dicas para se sair bem na dinâmica
10 dicas para se sair bem na dinâmica
 
10 dicas para se sair bem na dinâmica
10 dicas para se sair bem na dinâmica10 dicas para se sair bem na dinâmica
10 dicas para se sair bem na dinâmica
 
Ebook: Como se tornar um Líder
Ebook: Como se tornar um LíderEbook: Como se tornar um Líder
Ebook: Como se tornar um Líder
 
Como se tornar um lider
Como se tornar um liderComo se tornar um lider
Como se tornar um lider
 
Tap aula1e2-diagrama dinamica
Tap aula1e2-diagrama dinamicaTap aula1e2-diagrama dinamica
Tap aula1e2-diagrama dinamica
 
Tap aula1e2-diagrama dinamica
Tap aula1e2-diagrama dinamicaTap aula1e2-diagrama dinamica
Tap aula1e2-diagrama dinamica
 
15 DICAS DE LIDERANÇA
15 DICAS DE LIDERANÇA15 DICAS DE LIDERANÇA
15 DICAS DE LIDERANÇA
 
10 atitudes que podem sabotar sua carreira
10 atitudes que podem sabotar  sua carreira10 atitudes que podem sabotar  sua carreira
10 atitudes que podem sabotar sua carreira
 
Cartilha do Trabalhador
Cartilha do TrabalhadorCartilha do Trabalhador
Cartilha do Trabalhador
 
Projeto de Vida, e o Caminho para o Sucesso!
Projeto de Vida, e o Caminho para o Sucesso!Projeto de Vida, e o Caminho para o Sucesso!
Projeto de Vida, e o Caminho para o Sucesso!
 
Trabalho comunicação empresarial sem.ii
Trabalho comunicação empresarial sem.iiTrabalho comunicação empresarial sem.ii
Trabalho comunicação empresarial sem.ii
 
Preparo para mercado de trabalho
Preparo para mercado de trabalhoPreparo para mercado de trabalho
Preparo para mercado de trabalho
 
10 gafes que você não pode cometer numa entrevista de emprego
10 gafes que você não pode cometer numa entrevista de emprego10 gafes que você não pode cometer numa entrevista de emprego
10 gafes que você não pode cometer numa entrevista de emprego
 
Liderança Estratégica - Palestra UNEF
Liderança Estratégica - Palestra UNEFLiderança Estratégica - Palestra UNEF
Liderança Estratégica - Palestra UNEF
 
Conteúdo - Deu Match.pptx
Conteúdo - Deu Match.pptxConteúdo - Deu Match.pptx
Conteúdo - Deu Match.pptx
 
Como se tornar um líder
Como se tornar um líderComo se tornar um líder
Como se tornar um líder
 
Em busca do 1º emprego
Em busca do 1º empregoEm busca do 1º emprego
Em busca do 1º emprego
 
Boletim coaching julho 2015
Boletim coaching   julho 2015Boletim coaching   julho 2015
Boletim coaching julho 2015
 

Mais de Wandick Rocha de Aquino

Parte 1 - Habilidades do Líder
Parte 1 - Habilidades do LíderParte 1 - Habilidades do Líder
Parte 1 - Habilidades do Líder
Wandick Rocha de Aquino
 
Processo Seletivo
Processo Seletivo Processo Seletivo
Processo Seletivo
Wandick Rocha de Aquino
 
Sped
SpedSped
Comportamento e Postura Profissional
Comportamento e Postura ProfissionalComportamento e Postura Profissional
Comportamento e Postura Profissional
Wandick Rocha de Aquino
 
DRE - Demonstração do Resultado do Exercício
DRE - Demonstração  do Resultado do ExercícioDRE - Demonstração  do Resultado do Exercício
DRE - Demonstração do Resultado do Exercício
Wandick Rocha de Aquino
 
Treinamento & Desenvolvimento
Treinamento & DesenvolvimentoTreinamento & Desenvolvimento
Treinamento & Desenvolvimento
Wandick Rocha de Aquino
 
Práticas Administrativas
Práticas AdministrativasPráticas Administrativas
Práticas Administrativas
Wandick Rocha de Aquino
 
Qualidade no Trabalho
Qualidade no TrabalhoQualidade no Trabalho
Qualidade no Trabalho
Wandick Rocha de Aquino
 
Organização
OrganizaçãoOrganização
Noções de Cultura Organizacional
Noções de Cultura OrganizacionalNoções de Cultura Organizacional
Noções de Cultura Organizacional
Wandick Rocha de Aquino
 
Reforma Trabalhista
Reforma TrabalhistaReforma Trabalhista
Reforma Trabalhista
Wandick Rocha de Aquino
 
Qualidade no Trabalho: atendiemento, ética e motivação
Qualidade no Trabalho: atendiemento, ética e motivaçãoQualidade no Trabalho: atendiemento, ética e motivação
Qualidade no Trabalho: atendiemento, ética e motivação
Wandick Rocha de Aquino
 
Liderança
LiderançaLiderança
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
Wandick Rocha de Aquino
 
Novo emprego, novos planos
Novo emprego, novos planosNovo emprego, novos planos
Novo emprego, novos planos
Wandick Rocha de Aquino
 
Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10
Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10
Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10
Wandick Rocha de Aquino
 
Manual do Novo Empregado
Manual do Novo EmpregadoManual do Novo Empregado
Manual do Novo Empregado
Wandick Rocha de Aquino
 
Trabalho da Mulher
Trabalho da MulherTrabalho da Mulher
Trabalho da Mulher
Wandick Rocha de Aquino
 
Currículo - A chave para o mercado de Trabalho
Currículo - A chave para o mercado de TrabalhoCurrículo - A chave para o mercado de Trabalho
Currículo - A chave para o mercado de Trabalho
Wandick Rocha de Aquino
 
Resiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações Críticas
Resiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações CríticasResiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações Críticas
Resiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações Críticas
Wandick Rocha de Aquino
 

Mais de Wandick Rocha de Aquino (20)

Parte 1 - Habilidades do Líder
Parte 1 - Habilidades do LíderParte 1 - Habilidades do Líder
Parte 1 - Habilidades do Líder
 
Processo Seletivo
Processo Seletivo Processo Seletivo
Processo Seletivo
 
Sped
SpedSped
Sped
 
Comportamento e Postura Profissional
Comportamento e Postura ProfissionalComportamento e Postura Profissional
Comportamento e Postura Profissional
 
DRE - Demonstração do Resultado do Exercício
DRE - Demonstração  do Resultado do ExercícioDRE - Demonstração  do Resultado do Exercício
DRE - Demonstração do Resultado do Exercício
 
Treinamento & Desenvolvimento
Treinamento & DesenvolvimentoTreinamento & Desenvolvimento
Treinamento & Desenvolvimento
 
Práticas Administrativas
Práticas AdministrativasPráticas Administrativas
Práticas Administrativas
 
Qualidade no Trabalho
Qualidade no TrabalhoQualidade no Trabalho
Qualidade no Trabalho
 
Organização
OrganizaçãoOrganização
Organização
 
Noções de Cultura Organizacional
Noções de Cultura OrganizacionalNoções de Cultura Organizacional
Noções de Cultura Organizacional
 
Reforma Trabalhista
Reforma TrabalhistaReforma Trabalhista
Reforma Trabalhista
 
Qualidade no Trabalho: atendiemento, ética e motivação
Qualidade no Trabalho: atendiemento, ética e motivaçãoQualidade no Trabalho: atendiemento, ética e motivação
Qualidade no Trabalho: atendiemento, ética e motivação
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
Novo emprego, novos planos
Novo emprego, novos planosNovo emprego, novos planos
Novo emprego, novos planos
 
Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10
Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10
Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10
 
Manual do Novo Empregado
Manual do Novo EmpregadoManual do Novo Empregado
Manual do Novo Empregado
 
Trabalho da Mulher
Trabalho da MulherTrabalho da Mulher
Trabalho da Mulher
 
Currículo - A chave para o mercado de Trabalho
Currículo - A chave para o mercado de TrabalhoCurrículo - A chave para o mercado de Trabalho
Currículo - A chave para o mercado de Trabalho
 
Resiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações Críticas
Resiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações CríticasResiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações Críticas
Resiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações Críticas
 

Último

Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 

Último (20)

Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 

EMPREGABILIDADE - 20 dicas para se dar bem na dinâmica de grupo

  • 1. 20 dicas para se dar bem na dinâmica de grupo E M P R E G A B I L I D A D E
  • 2. EMPREGABILIDADE Dicas para se dar bem na dinâmica de grupo.
  • 3.  Muita gente sente frio na barriga só de pensar em encarar uma dinâmica de grupo. Competir, responder e participar das atividades são alguns dos desafios que aparecem nesta etapa da seleção.  O objetivo da dinâmica é ver como o candidato vai se comportar em situações diversas.  Você não sabe o que a empresa está considerando como diferencial, para isso, seguem 20 dicas para se dar bem na dinâmica de grupo e ter sucesso nesta "temida" fase do processo seletivo.
  • 4. 1. Aposte no autoconhecimento  Quanto mais você se conhece mais domínio se tem da situação. Faça uma retrospectiva, analise quais são o seus valores e pontos fortes, descubra aspectos que ainda precisam ser desenvolvidos ou que precisam estar claros na sua mente. As habilidades ficam ainda mais em destaque quando você busca o autoconhecimento e descobre suas competências pessoais. Com isso, você valoriza seus ponto fortes e minimiza seus pontos fracos.
  • 5. 2. Aprofunda a pesquisa sobre a empresa  Os pontos de aderência entre a cultura da empresa e seus valores serão mais cobrados na fase de dinâmica e essa pesquisa deve acontecer porque parte-se do pressuposto de que a escolha é mútua, a empresa escolhe o candidato e vice-versa. Saber os valores e a missão da empresa contribui para ter sucesso na dinâmica. Isso dará subsídios para entender como a empresa é, se investe nas pessoas, se preza pela responsabilidade social e ajuda a compreender sua cultura. Cultura Ambiente interno
  • 6. 3. Mantenha a tranquilidade  Quanto mais tranquilo você estiver mais facilmente você vai ficar conectado com as atividades propostas. O medo obstrui e distorce a sua percepção. Ombro contraído, mãos apertadas, perna que não param de tremer são sinais de tensão. Respiração mais profunda é uma boa técnica para relaxar, oxigenando o corpo você tende a ficar mais leve.
  • 7. 4. Atente à maneira como você interage  A habilidade de comunicação faz toda a diferença neste momento, a empresa quer conhecer o candidato; para ela, o profissional ainda é uma folha em branco, por isso você precisa saber se movimentar. O importante é entender o que está sendo proposto pela dinâmica, entrar no contexto e participar. Você precisa buscar espaço para se comunicar, o que não significa brigar por ele e muito menos entrar mudo e sair calado.
  • 8. 5. Cuidado com a sua postura e com a maneira de se vestir  Ficar se mexendo na cadeira e fazer gestos bruscos vão contra o que os especialistas recomendam. É preciso ter cuidado com a postura na hora de se sentar, na hora de se comunicar e na hora de interagir.  O jeito de se vestir mostra um pouco da sua personalidade, por isso, prefira apresentar-se de forma mais alinhada e sem exageros.
  • 9. 6. Arrisque (um pouco) mais  Um toque de ousadia é a “cereja do bolo” em uma dinâmica de grupo já que aumenta as chances de você se destacar dos demais. O candidato deve ser ousado em participar, não ter vergonha de nada, fazer perguntas para o grupo e, para isso, não precisa ter todas as respostas na ponta da língua.
  • 10. 7. Fique atento  Preste atenção nos outros participantes, nas atitudes e comportamentos deles. É com eles que você vai desenvolver a dinâmica e se você tem um espírito natural de líder, por que não ser um destaque?  Fique atento às explicações e orientações. As informações normalmente são padronizadas, mas devem ser interpretadas à luz do que vai acontecer daí para frente. Procure entender o que se quer observar e libere sua criatividade.
  • 11. 8. Iniciativa  Candidatos que deixam para falar por último passam a impressão de serem muito cautelosos ou terem pouca iniciativa.  Se “ter iniciativa” não é uma característica sua, não se force a falar antes de todos só porque sabe que isso é um ponto de avaliação importante. O recrutador perceberá rapidamente se a atitude estiver sendo forçada.
  • 12. 9. Relacionamento  Esta é uma das características mais avaliadas em uma dinâmica de grupo. Enfatizamos: não tente ser o que você não é, aja naturalmente.  O que será analisado é o seu comportamento e posição diante de uma situação. O melhor é não tentar disfarçar ou fingir. Procure agir o mais naturalmente possível e não contrarie a sua natureza.
  • 13. 10.Pontualidade  Chegue na hora. Na verdade, você deve planejar chegar ao local da dinâmica antes do horário combinado. Confirme o local, a data e o horário da dinâmica.  A pontualidade é uma qualidade essencial para a formação de um bom profissional, demonstra responsabilidade, interesse e comprometimento com o trabalho. O atraso, além de perda de tempo, é perda de dinheiro.
  • 14. 11.Autenticidade  Você deve procurar ser autentico. Não é o que fala mais na dinâmica que provavelmente se destacará. O profissional deve se comportar naturalmente, como ele agiria se estivesse em uma situação de trabalho normal.  Tentar se moldar, de maneira forçada, no perfil da vaga não funciona e isso pode transparecer falsidade. O melhor mesmo e agir com naturalidade e sinceridade.
  • 15. 12.Coopere e participe  Aproveite a oportunidade de evidenciar os seus diferenciais de forma positiva, sendo cooperativo com os demais.  É imprescindível participar. Pode haver alguém que se destaque, mas, busque espaço. Seja autêntico e exponha o que tem de melhor, sempre com bom senso. Por mais estranha que possa parecer a atividade proposta, envolva-se. Mostre flexibilidade e capacidade de adaptação.
  • 16. 13.Bom humor  Medo e insegurança podem muitas vezes te acompanhar na dinâmica e driblar esses obstáculos com humor pode fazer a diferença nos resultados.  O bom humor deve estar sempre presente na dinâmica de grupo, até para ajudar a minimizar a natural tensão, comum a toda situação competitiva. No entanto, não se deve jamais encarar a dinâmica como brincadeira ou diversão.
  • 17. 14.Tempo  As dinâmicas de grupo podem demorar entre 3 a 5 horas. Portanto, reserve o tempo necessário para essa atividade. Seria muito embaraçoso ter que pedir para sair mais cedo durante o processo seletivo. Você já estaria “começando com o pé esquerdo”. Se você trabalha, peça folga e fique tranquila para participar da dinâmica sem pressa.
  • 18. 15.Etiqueta para o coffee break  O coffee break é um tira-gosto. O objetivo não é saciar a fome como uma refeição completa, então, ficar todo o intervalo parado junto à mesa se servindo vai atrapalhar os demais que querem se servir. O melhor é circular. A quantidade costuma ser calculada como uma unidade por participante de cada item. Saciar a fome com várias unidades não é elegante, muito menos levar o lanche para a sala da dinâmica. Lembre-se, você está sendo observado até na hora do coffee break.
  • 19. 16.Competências  É na dinâmica que as habilidades de um candidato são de fato colocadas à prova. É a fase de validação, já que ocorre depois de uma criteriosa triagem curricular. As competências vêm sendo analisadas nas dinâmicas. Ao verificar quais são as competências de cada um, pode-se escolher melhor a pessoa certa para o lugar certo.
  • 20. 17.Espírito empreendedor  As empresas estão buscando em cada candidato o espírito empreendedor ao contratar. Pessoas positivistas, que sabem enfrentar as barreiras sem desistir, enxergando oportunidades, exercendo liderança, serão mais disputados pelas empresas.  É possível desenvolver características fundamentais como: delegar tarefas, ter metas claras, planejar, monitorar e persistir.
  • 21. 18.Tenha um diferencial  Ter um diferencial competitivo é fundamental para que consiga se destacar entre os demais. Ser inovador, ter bom relacionamento e cumprir tarefas são pontos que podem fazer toda diferença.  Mas, quem sabe, na hora “H” você desperta algo ainda mais diferente e que surpreenda a todos. Esse é o que se chama “diferencial” e que pode ser decisivo durante o processo de seleção e durante a dinâmica.
  • 22. 19. Evite cair no "pensamento de grupo"  Cuidado: não seja um “Maria vai com as outras”. Quando todas as barreiras já foram ultrapassadas e um grupo é muito coeso e homogêneo existe a possibilidade de se tornar resistente às opiniões.  É importante que o grupo ouça as suas opiniões e que você seja uma pessoa autêntica. Defenda as suas ideias com convicção.
  • 23. 20. Autoestima intacta ao término da dinâmica  Independentemente do resultado da dinâmica, esteja certo de que a experiência foi positiva para você.  Após uma dinâmica não há vencidos ou melhores ou piores. O que todo processo seletivo visa é identificar o candidato que possua um perfil mais adequado ao da vaga que se busca preencher. Isso deve ficar muito claro para que nenhum candidato saia do processo com sua autoestima abalada.
  • 24. Para se dar bem na dinâmica de grupo  Por se tratar de uma etapa na qual o candidato não conhece as atividades a serem desenvolvidas, a dinâmica de grupo é uma das partes mais temidas de todo o processo de seleção.  O papel da dinâmica é criar um ambiente que induza o candidato a agir com a maior naturalidade possível, sem exageros, formalidades e textos prontos.  Como parte do processo de seleção, você será observado e analisado. Não sinta-se incomodado com isso e não deixe que essa situação interfira na sua atuação. Siga as dicas apresentadas para que você aumente suas chances de se dar bem em dinâmicas de grupo.  É importante que você faça análise de si mesmo, um processo de reflexão. Entender seus pontos fortes e fracos pode ajudá-lo a explorar e demonstrar suas potencialidades em detrimento dos seus pontos a desenvolver.
  • 25. 20 dicas para se dar bem na dinâmica de grupo Prof. Wandick Rocha wandickrocha@yahoo.com.br http://contabilidademais.blogspot.com.br/ http://pt.slideshare.net/wandickrochadeaquino