SlideShare uma empresa Scribd logo
Diretrizes curriculares
nacionais e paranaenses
Prof.ª Dr.ª Silvana Aparecida de Souza
Diretrizes nacionais vigentes:
• Resolução CNE/CEB n, 4 de 13 de julho de 2010.
Define Diretrizes curriculares nacionais gerais para a
educação básica.
• Resolução CNE/CEB n. 5 de 17 de dezembro de 2009.
Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a
Educação Infantil .
• Resolução CNE/CEB Nº 7, DE 14 DE DEZEMBRODE
2010. Fixa Diretrizes Curriculares Nacionais para o
Ensino Fundamental de 9 (nove) anos.
• Resolução CNE/CEB n, 2 de 30 de janeiro de 2012 -
Define Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino
Médio.
Princípios defendidos nas
Diretrizes:
• Educação de Qualidade Social
• Ampliação dos tempos e dos espaços de aprendizagem;
• Transversalidade (refere-se à dimensão didático-pedagógica) e a
interdisciplinaridade (refere-se à abordagem epistemológica dos
objetos de conhecimento)
• Inseparabilidade de cuidar e educar;
• O trabalho como princípio educativo;
• Incorporação do conceito de Custo aluno-qualidade inicial (CAQi)
• Incentivo à utilização de meios e tecnologia da informação e
comunicação;
• Reconhecimento do IDEB como fator a ser levado em consideração
no planejamento da escola, mas reconhece que os sistemas de
avaliação tomam apenas uma parte do processo educacional e
salientam que não se deve abandonar o restante.
Diretrizes paranaenses:
Lembrete*
Os candidatos devem ler o Caderno de expectativa de
aprendizagem, cada um em sua área de formação e
vaga em que vão concorrer.
• Currículo não é somente como um documento impresso,
uma orientação pedagógica sobre o conhecimento a ser
desenvolvido na escola ou mera lista de objetivos,
métodos e conteúdos necessários para o
desenvolvimento dos saberes escolares.
• Ele é o resultado de embates políticos que produzem
um projeto pedagógico vinculado a um projeto social.
• O documento faz a crítica ao currículo vinculado ao
academicismo e ao cientificismo; e ao vinculado às
subjetividades e às experiências vividas pelos alunos.
• Defende o currículo como configurador da prática,
produto de ampla discussão entre os sujeitos da
educação, fundamentado nas teorias críticas e com
organização disciplinar:
• Referencia à formação humanista/tecnológica proposta
por Gramsci ou ao atelier/biblioteca/oficina de Leonardo
da Vinci; ênfase para a dimensão artística, da criação
humana;
• “a dimensão artística pode contribuir significativamente
para a humanização dos sentidos, ou seja, para a
superação da condição de alienação e repressão à qual
os sentidos humanos foram submetidos.”(PARANÁ,
2008, p. 23)
• Trata de Conteúdos estruturantes; Conhecimento
instituído; Conteúdos básicos; Conteúdos estáveis.
• Plano de Trabalho Docente: documento de autoria,
vinculado à realidade e às necessidades de suas
diferentes turmas e escolas de atuação.
• “As disciplinas escolares são entendidas como campos
do conhecimento, identificam-se pelos respectivos
conteúdos estruturantes e por seus quadros teóricos
conceituais. Considerando esse constructo teórico, as
disciplinas são o pressuposto para a
interdisciplinaridade.” (PARANÁ, 2008, p. 27)
• Crítica aos temas transversais, os quais são agora
tratados como conteúdos. Ver exemplo da diversidade
étnica e cultural.
Interdisciplinaridade:
• “Estabelecer relações interdisciplinares não é uma tarefa
que se reduz a uma readequação metodológica
curricular, como foi entendido, no passado, pela
pedagogia dos projetos. A interdisciplinaridade é uma
questão epistemológica e está na abordagem teórica e
conceitual dada ao conteúdo em estudo, concretizando-
se na articulação das disciplinas cujos conceitos, teorias
e práticas enriquecem a compreensão desse conteúdo.”
(PARANÁ, 2008, p. 27)
• A interdisciplinaridade está relacionada ao conceito de
contextualização sócio-histórica como princípio
integrador do currículo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Didatica e pratica docente
Didatica e pratica docenteDidatica e pratica docente
Didatica e pratica docente
IFTO - Instituto Federal do Tocantins
 
Didática II
Didática IIDidática II
Didática II
Robert Cesar
 
Didática aula 1
Didática aula 1Didática aula 1
Didática aula 1
asocamargo
 
apostila de didática
apostila de didáticaapostila de didática
apostila de didática
joaovitorinopolacimatos
 
Didática geral e aplicada como planejar.
Didática geral e aplicada como planejar.Didática geral e aplicada como planejar.
Didática geral e aplicada como planejar.
Fernanda Câmara
 
11 tc niveis_de_interacao
11 tc niveis_de_interacao11 tc niveis_de_interacao
11 tc niveis_de_interacao
Mariana Correia
 
UMA PERSPECTIVA HISTÓRIA DA PRÁTICA PEDAGÓGICA
UMA PERSPECTIVA HISTÓRIA DA PRÁTICA PEDAGÓGICAUMA PERSPECTIVA HISTÓRIA DA PRÁTICA PEDAGÓGICA
UMA PERSPECTIVA HISTÓRIA DA PRÁTICA PEDAGÓGICA
Leandro Carneiro
 
O papel da didática na perspectiva da formação superior.
O papel da didática na perspectiva da formação superior.O papel da didática na perspectiva da formação superior.
O papel da didática na perspectiva da formação superior.
Jose Gomes DE Abreu
 
Slide de didática
Slide de didáticaSlide de didática
TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1
TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1
TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1
Jana Caetano
 
Abordagem da educação conservadora ou tradicional
Abordagem da educação conservadora ou tradicionalAbordagem da educação conservadora ou tradicional
Abordagem da educação conservadora ou tradicional
fabianoroliviera
 
Metodologias e ferramentas que facilitam o processo de ensino aprendizagem
Metodologias e ferramentas que facilitam o processo de ensino aprendizagemMetodologias e ferramentas que facilitam o processo de ensino aprendizagem
Metodologias e ferramentas que facilitam o processo de ensino aprendizagem
wakisthelen
 
Questões norteadoras do seminário
Questões norteadoras do seminárioQuestões norteadoras do seminário
Questões norteadoras do seminário
Naysa Taboada
 
Aula 1_Sobre o conhecimento-Planejamento e didática no ensino superior
Aula 1_Sobre o conhecimento-Planejamento e didática no ensino superiorAula 1_Sobre o conhecimento-Planejamento e didática no ensino superior
Aula 1_Sobre o conhecimento-Planejamento e didática no ensino superior
Mariana Andrade
 
Etapa ii-caderno ciencias humanas - prof. adelson
Etapa ii-caderno ciencias humanas - prof. adelsonEtapa ii-caderno ciencias humanas - prof. adelson
Etapa ii-caderno ciencias humanas - prof. adelson
Ana Carolina
 
Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1
Naysa Taboada
 
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciênciasConsiderações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Mirtes Campos
 
Currículo integrado
Currículo integradoCurrículo integrado
Currículo integrado
Antonio Carneiro
 
Apresentação...PPP(1)Slides
Apresentação...PPP(1)SlidesApresentação...PPP(1)Slides
Apresentação...PPP(1)Slides
elianys
 
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturaisA alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
Luciana Corrêa
 

Mais procurados (20)

Didatica e pratica docente
Didatica e pratica docenteDidatica e pratica docente
Didatica e pratica docente
 
Didática II
Didática IIDidática II
Didática II
 
Didática aula 1
Didática aula 1Didática aula 1
Didática aula 1
 
apostila de didática
apostila de didáticaapostila de didática
apostila de didática
 
Didática geral e aplicada como planejar.
Didática geral e aplicada como planejar.Didática geral e aplicada como planejar.
Didática geral e aplicada como planejar.
 
11 tc niveis_de_interacao
11 tc niveis_de_interacao11 tc niveis_de_interacao
11 tc niveis_de_interacao
 
UMA PERSPECTIVA HISTÓRIA DA PRÁTICA PEDAGÓGICA
UMA PERSPECTIVA HISTÓRIA DA PRÁTICA PEDAGÓGICAUMA PERSPECTIVA HISTÓRIA DA PRÁTICA PEDAGÓGICA
UMA PERSPECTIVA HISTÓRIA DA PRÁTICA PEDAGÓGICA
 
O papel da didática na perspectiva da formação superior.
O papel da didática na perspectiva da formação superior.O papel da didática na perspectiva da formação superior.
O papel da didática na perspectiva da formação superior.
 
Slide de didática
Slide de didáticaSlide de didática
Slide de didática
 
TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1
TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1
TRABALHO DA DISCIPLINA DIDÁTICA - 4º PERÍODO - PEDAGOGIA - UERJ - 2011.1
 
Abordagem da educação conservadora ou tradicional
Abordagem da educação conservadora ou tradicionalAbordagem da educação conservadora ou tradicional
Abordagem da educação conservadora ou tradicional
 
Metodologias e ferramentas que facilitam o processo de ensino aprendizagem
Metodologias e ferramentas que facilitam o processo de ensino aprendizagemMetodologias e ferramentas que facilitam o processo de ensino aprendizagem
Metodologias e ferramentas que facilitam o processo de ensino aprendizagem
 
Questões norteadoras do seminário
Questões norteadoras do seminárioQuestões norteadoras do seminário
Questões norteadoras do seminário
 
Aula 1_Sobre o conhecimento-Planejamento e didática no ensino superior
Aula 1_Sobre o conhecimento-Planejamento e didática no ensino superiorAula 1_Sobre o conhecimento-Planejamento e didática no ensino superior
Aula 1_Sobre o conhecimento-Planejamento e didática no ensino superior
 
Etapa ii-caderno ciencias humanas - prof. adelson
Etapa ii-caderno ciencias humanas - prof. adelsonEtapa ii-caderno ciencias humanas - prof. adelson
Etapa ii-caderno ciencias humanas - prof. adelson
 
Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1Didatica e formação do professor parte1
Didatica e formação do professor parte1
 
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciênciasConsiderações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciências
 
Currículo integrado
Currículo integradoCurrículo integrado
Currículo integrado
 
Apresentação...PPP(1)Slides
Apresentação...PPP(1)SlidesApresentação...PPP(1)Slides
Apresentação...PPP(1)Slides
 
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturaisA alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
 

Destaque

O design gráfico na revista Illustração Paranaense: uma aproximação coerente
O design gráfico na revista Illustração Paranaense: uma aproximação coerenteO design gráfico na revista Illustração Paranaense: uma aproximação coerente
O design gráfico na revista Illustração Paranaense: uma aproximação coerente
DeVry University
 
Danças do paraná
Danças do paranáDanças do paraná
Danças do paraná
Hiderson Marciano
 
Geografia do Paraná
Geografia do ParanáGeografia do Paraná
Geografia do Paraná
Daniela Lopes Pereira
 
Danças folclóricas região sul
Danças folclóricas região sulDanças folclóricas região sul
Danças folclóricas região sul
Luciane Ferro da Silva
 
Região sul
Região sulRegião sul
Região sul
Mayara_Sampaio2
 
Região Sul
Região SulRegião Sul
Região Sul
Cristina Van Opstal
 
Geografia do Paraná
Geografia do Paraná Geografia do Paraná
Geografia do Paraná
aroudus
 

Destaque (7)

O design gráfico na revista Illustração Paranaense: uma aproximação coerente
O design gráfico na revista Illustração Paranaense: uma aproximação coerenteO design gráfico na revista Illustração Paranaense: uma aproximação coerente
O design gráfico na revista Illustração Paranaense: uma aproximação coerente
 
Danças do paraná
Danças do paranáDanças do paraná
Danças do paraná
 
Geografia do Paraná
Geografia do ParanáGeografia do Paraná
Geografia do Paraná
 
Danças folclóricas região sul
Danças folclóricas região sulDanças folclóricas região sul
Danças folclóricas região sul
 
Região sul
Região sulRegião sul
Região sul
 
Região Sul
Região SulRegião Sul
Região Sul
 
Geografia do Paraná
Geografia do Paraná Geografia do Paraná
Geografia do Paraná
 

Semelhante a Diretrizes novas

3 formação pnaic
3 formação pnaic3 formação pnaic
3 formação pnaic
Nadylva Guedes
 
PNAIC - Sintese unidade 6
PNAIC - Sintese  unidade 6PNAIC - Sintese  unidade 6
PNAIC - Sintese unidade 6
ElieneDias
 
Teofanis eja
Teofanis ejaTeofanis eja
Teofanis eja
Sara Cristina
 
Slides
SlidesSlides
Dicas interdisciplinaridade[1]
Dicas interdisciplinaridade[1]Dicas interdisciplinaridade[1]
Dicas interdisciplinaridade[1]
centrodeensinoedisonlobao
 
Apresentação inicial agosto
Apresentação inicial agostoApresentação inicial agosto
Apresentação inicial agosto
Elvira Aliceda
 
Manha.ppt
 Manha.ppt Manha.ppt
Manha.ppt
Marcia pereira
 
Apresentação do Alcides 4323423423423423423423423
Apresentação do Alcides 4323423423423423423423423Apresentação do Alcides 4323423423423423423423423
Apresentação do Alcides 4323423423423423423423423
walberfreitasnobre
 
Manual do Desenho Universal
Manual do Desenho UniversalManual do Desenho Universal
Manual do Desenho Universal
Andreia Andrade
 
Slide caderno 2 ciências humanas
Slide   caderno 2 ciências humanasSlide   caderno 2 ciências humanas
Slide caderno 2 ciências humanas
Leonardo Ornellas Pena
 
Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...
Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...
Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...
Natalia Ribeiro
 
Unidade 4 slides 1 quarto momento
Unidade 4 slides  1 quarto momentoUnidade 4 slides  1 quarto momento
Unidade 4 slides 1 quarto momento
Nely Maria Pereira Andrade
 
6a8aa414e3815e1c61e980af467b5870.concepcoes pedagogicas aula 18 04
6a8aa414e3815e1c61e980af467b5870.concepcoes pedagogicas aula 18 046a8aa414e3815e1c61e980af467b5870.concepcoes pedagogicas aula 18 04
6a8aa414e3815e1c61e980af467b5870.concepcoes pedagogicas aula 18 04
prefeitura municipal de logradouro
 
Material Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
Material Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da FonsecaMaterial Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
Material Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
joao jose saraiva da fonseca
 
Curriculo por projetos
Curriculo por projetos   Curriculo por projetos
Curriculo por projetos
Telma da Silva Barbosa
 
Princípios do currículo
Princípios do currículoPrincípios do currículo
Princípios do currículo
Jeca Tatu
 
Princípios do currículo Correto
Princípios do currículo CorretoPrincípios do currículo Correto
Princípios do currículo Correto
Jeca Tatu
 
2) Introdução.
2) Introdução. 2) Introdução.
2) Introdução.
Unicesumar
 
6) Cronograma.
6) Cronograma. 6) Cronograma.
6) Cronograma.
Unicesumar
 
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
profamiriamnavarro
 

Semelhante a Diretrizes novas (20)

3 formação pnaic
3 formação pnaic3 formação pnaic
3 formação pnaic
 
PNAIC - Sintese unidade 6
PNAIC - Sintese  unidade 6PNAIC - Sintese  unidade 6
PNAIC - Sintese unidade 6
 
Teofanis eja
Teofanis ejaTeofanis eja
Teofanis eja
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
Dicas interdisciplinaridade[1]
Dicas interdisciplinaridade[1]Dicas interdisciplinaridade[1]
Dicas interdisciplinaridade[1]
 
Apresentação inicial agosto
Apresentação inicial agostoApresentação inicial agosto
Apresentação inicial agosto
 
Manha.ppt
 Manha.ppt Manha.ppt
Manha.ppt
 
Apresentação do Alcides 4323423423423423423423423
Apresentação do Alcides 4323423423423423423423423Apresentação do Alcides 4323423423423423423423423
Apresentação do Alcides 4323423423423423423423423
 
Manual do Desenho Universal
Manual do Desenho UniversalManual do Desenho Universal
Manual do Desenho Universal
 
Slide caderno 2 ciências humanas
Slide   caderno 2 ciências humanasSlide   caderno 2 ciências humanas
Slide caderno 2 ciências humanas
 
Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...
Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...
Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...
 
Unidade 4 slides 1 quarto momento
Unidade 4 slides  1 quarto momentoUnidade 4 slides  1 quarto momento
Unidade 4 slides 1 quarto momento
 
6a8aa414e3815e1c61e980af467b5870.concepcoes pedagogicas aula 18 04
6a8aa414e3815e1c61e980af467b5870.concepcoes pedagogicas aula 18 046a8aa414e3815e1c61e980af467b5870.concepcoes pedagogicas aula 18 04
6a8aa414e3815e1c61e980af467b5870.concepcoes pedagogicas aula 18 04
 
Material Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
Material Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da FonsecaMaterial Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
Material Didatico Em Ead Joao Jose Saraiva Da Fonseca
 
Curriculo por projetos
Curriculo por projetos   Curriculo por projetos
Curriculo por projetos
 
Princípios do currículo
Princípios do currículoPrincípios do currículo
Princípios do currículo
 
Princípios do currículo Correto
Princípios do currículo CorretoPrincípios do currículo Correto
Princípios do currículo Correto
 
2) Introdução.
2) Introdução. 2) Introdução.
2) Introdução.
 
6) Cronograma.
6) Cronograma. 6) Cronograma.
6) Cronograma.
 
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
 

Mais de appfoz

Edital de..
Edital de..Edital de..
Edital de..
appfoz
 
Panfelto ..serranopolis 30 agosto
Panfelto ..serranopolis 30 agostoPanfelto ..serranopolis 30 agosto
Panfelto ..serranopolis 30 agosto
appfoz
 
Documento..
Documento..Documento..
Documento..appfoz
 
Direitores 3
Direitores 3Direitores 3
Direitores 3appfoz
 
Direitores 3
Direitores 3Direitores 3
Direitores 3appfoz
 
Ficha de inscrição
Ficha de inscriçãoFicha de inscrição
Ficha de inscrição
appfoz
 
Documento abaixo assinado_matriz_curricular
Documento abaixo assinado_matriz_curricularDocumento abaixo assinado_matriz_curricular
Documento abaixo assinado_matriz_curricular
appfoz
 
Plano aula dia_d
Plano aula dia_dPlano aula dia_d
Plano aula dia_d
appfoz
 
Gestão democrática
Gestão democráticaGestão democrática
Gestão democrática
appfoz
 
Curso para concurso educadores pr romeu (1)
Curso para concurso educadores pr romeu (1)Curso para concurso educadores pr romeu (1)
Curso para concurso educadores pr romeu (1)
appfoz
 
Eca comentado
Eca comentadoEca comentado
Eca comentado
appfoz
 
Ldb curso para concurso professores 2
Ldb   curso para concurso professores 2Ldb   curso para concurso professores 2
Ldb curso para concurso professores 2
appfoz
 
Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010
Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010
Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010
appfoz
 
Ldb curso para concurso professores 2
Ldb   curso para concurso professores 2Ldb   curso para concurso professores 2
Ldb curso para concurso professores 2
appfoz
 
Tendências pedagógicas parte ii
Tendências pedagógicas   parte iiTendências pedagógicas   parte ii
Tendências pedagógicas parte ii
appfoz
 
Tendências pedagogicas parte i
Tendências pedagogicas   parte iTendências pedagogicas   parte i
Tendências pedagogicas parte i
appfoz
 

Mais de appfoz (16)

Edital de..
Edital de..Edital de..
Edital de..
 
Panfelto ..serranopolis 30 agosto
Panfelto ..serranopolis 30 agostoPanfelto ..serranopolis 30 agosto
Panfelto ..serranopolis 30 agosto
 
Documento..
Documento..Documento..
Documento..
 
Direitores 3
Direitores 3Direitores 3
Direitores 3
 
Direitores 3
Direitores 3Direitores 3
Direitores 3
 
Ficha de inscrição
Ficha de inscriçãoFicha de inscrição
Ficha de inscrição
 
Documento abaixo assinado_matriz_curricular
Documento abaixo assinado_matriz_curricularDocumento abaixo assinado_matriz_curricular
Documento abaixo assinado_matriz_curricular
 
Plano aula dia_d
Plano aula dia_dPlano aula dia_d
Plano aula dia_d
 
Gestão democrática
Gestão democráticaGestão democrática
Gestão democrática
 
Curso para concurso educadores pr romeu (1)
Curso para concurso educadores pr romeu (1)Curso para concurso educadores pr romeu (1)
Curso para concurso educadores pr romeu (1)
 
Eca comentado
Eca comentadoEca comentado
Eca comentado
 
Ldb curso para concurso professores 2
Ldb   curso para concurso professores 2Ldb   curso para concurso professores 2
Ldb curso para concurso professores 2
 
Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010
Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010
Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010
 
Ldb curso para concurso professores 2
Ldb   curso para concurso professores 2Ldb   curso para concurso professores 2
Ldb curso para concurso professores 2
 
Tendências pedagógicas parte ii
Tendências pedagógicas   parte iiTendências pedagógicas   parte ii
Tendências pedagógicas parte ii
 
Tendências pedagogicas parte i
Tendências pedagogicas   parte iTendências pedagogicas   parte i
Tendências pedagogicas parte i
 

Diretrizes novas

  • 1. Diretrizes curriculares nacionais e paranaenses Prof.ª Dr.ª Silvana Aparecida de Souza
  • 2. Diretrizes nacionais vigentes: • Resolução CNE/CEB n, 4 de 13 de julho de 2010. Define Diretrizes curriculares nacionais gerais para a educação básica. • Resolução CNE/CEB n. 5 de 17 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil . • Resolução CNE/CEB Nº 7, DE 14 DE DEZEMBRODE 2010. Fixa Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental de 9 (nove) anos. • Resolução CNE/CEB n, 2 de 30 de janeiro de 2012 - Define Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio.
  • 3. Princípios defendidos nas Diretrizes: • Educação de Qualidade Social • Ampliação dos tempos e dos espaços de aprendizagem; • Transversalidade (refere-se à dimensão didático-pedagógica) e a interdisciplinaridade (refere-se à abordagem epistemológica dos objetos de conhecimento) • Inseparabilidade de cuidar e educar; • O trabalho como princípio educativo; • Incorporação do conceito de Custo aluno-qualidade inicial (CAQi) • Incentivo à utilização de meios e tecnologia da informação e comunicação; • Reconhecimento do IDEB como fator a ser levado em consideração no planejamento da escola, mas reconhece que os sistemas de avaliação tomam apenas uma parte do processo educacional e salientam que não se deve abandonar o restante.
  • 4. Diretrizes paranaenses: Lembrete* Os candidatos devem ler o Caderno de expectativa de aprendizagem, cada um em sua área de formação e vaga em que vão concorrer. • Currículo não é somente como um documento impresso, uma orientação pedagógica sobre o conhecimento a ser desenvolvido na escola ou mera lista de objetivos, métodos e conteúdos necessários para o desenvolvimento dos saberes escolares. • Ele é o resultado de embates políticos que produzem um projeto pedagógico vinculado a um projeto social.
  • 5. • O documento faz a crítica ao currículo vinculado ao academicismo e ao cientificismo; e ao vinculado às subjetividades e às experiências vividas pelos alunos. • Defende o currículo como configurador da prática, produto de ampla discussão entre os sujeitos da educação, fundamentado nas teorias críticas e com organização disciplinar: • Referencia à formação humanista/tecnológica proposta por Gramsci ou ao atelier/biblioteca/oficina de Leonardo da Vinci; ênfase para a dimensão artística, da criação humana; • “a dimensão artística pode contribuir significativamente para a humanização dos sentidos, ou seja, para a superação da condição de alienação e repressão à qual os sentidos humanos foram submetidos.”(PARANÁ, 2008, p. 23)
  • 6. • Trata de Conteúdos estruturantes; Conhecimento instituído; Conteúdos básicos; Conteúdos estáveis. • Plano de Trabalho Docente: documento de autoria, vinculado à realidade e às necessidades de suas diferentes turmas e escolas de atuação. • “As disciplinas escolares são entendidas como campos do conhecimento, identificam-se pelos respectivos conteúdos estruturantes e por seus quadros teóricos conceituais. Considerando esse constructo teórico, as disciplinas são o pressuposto para a interdisciplinaridade.” (PARANÁ, 2008, p. 27) • Crítica aos temas transversais, os quais são agora tratados como conteúdos. Ver exemplo da diversidade étnica e cultural.
  • 7. Interdisciplinaridade: • “Estabelecer relações interdisciplinares não é uma tarefa que se reduz a uma readequação metodológica curricular, como foi entendido, no passado, pela pedagogia dos projetos. A interdisciplinaridade é uma questão epistemológica e está na abordagem teórica e conceitual dada ao conteúdo em estudo, concretizando- se na articulação das disciplinas cujos conceitos, teorias e práticas enriquecem a compreensão desse conteúdo.” (PARANÁ, 2008, p. 27) • A interdisciplinaridade está relacionada ao conceito de contextualização sócio-histórica como princípio integrador do currículo.