SlideShare uma empresa Scribd logo
1
II Encontro Presencial
Professores Ingressantes
Ciências Humanas
História
Dirigente de Ensino: Vera Lucia Miranda
Supervisor de Ensino: Regina Ap. de Freitas
PCNP: Gelson Rocha
Junho 2016
Objetivo Geral
2
Oferecer formação sobre o Currículo Oficial do Estado de São Paulo
aos professores ingressantes.
Objetivo Específico
3
 Orientar o cursista sobre à aplicação do Currículo da SEE-SP e
seus princípios e suas metodologias de aprendizagem,
 Complementar a formação dos professores ingressantes no que diz
respeito à gestão da sala de aula.
Declaração Mundial sobre Educação para Todos
Conferência de Jomtien
Tailândia – 5 a 9 de março de 1990.
OS QUATRO PILARES DA EDUCAÇÃO
São conceitos de fundamento da educação baseados no
Relatório para a UNESCO (1999) da Comissão Internacional
sobre Educação para o Século XXI , coordenada por Jacques
Delors.
• aprender a conhecer;
• aprender a fazer,
•aprender a viver com os outros, aprender a ser.
Os princípios Centrais do Currículo
6
Articulação das competências para
aprender e as competências como
referência
Prioridade para competência leitora e
escritora
Articulação com mundo do trabalho
Uma escola que também aprende
O currículo como espaço de cultura
1º Momento
Sondagem
7
Objetivo: Relacionar os princípios do currículo ao seu eixo norteador
1º Momento
Sensibilização
8
Vídeo Currículo
9
Princípios do Currículo e Situação de Aprendizagem
10
2º Momento
Problematização
Objetivo: Reconhecer, identificar os princípios do currículo
no material São Paulo Faz Escola (Caderno do Professor)
Material de Análise
11
UMA ESCOLA QUE APRENDE
O CURRÍCULO COMO ESPAÇO DE CULTURA
Sondagem e sensibilização (p. 25 e 26)
COMPETÊNCIAS COMO REFERÊNCIAS
Leitura do editorial (p. 11)
PRIORIDADE PARA COMPETÊNCIA DA
LEITURA E DA ESCRITA
Escrita: Notícia (p. 17); Produção de Texto (p.
38);
Leitura: Editorial (pg. 30); Mapa (pg. 44); Leitura
de imagem (p. 46)
ARTICULAÇÃO COM O MUNDO DO
TRABALHO
Competências socioemocionais (p.11)
3º Momento
Sistematização
12
Objetivo: Socializar as conclusões da análise do 2º
momento ( problematização)
13
O quê?
Para quê?
Como?
Com o quê?
Quando?
As Competências como referência
Conteúdos e tema: Guerra Civil Espanhola.
Competências e habilidades: confrontar interpretações diversas
de situações ou fatos de natureza histórico-geográfica, técnico-
científica, artístico-cultural ou do cotidiano, comparando diferentes
pontos de vista, identificando os pressupostos de cada
interpretação e analisando a validade dos argumentos utilizados.
Sugestão de estratégias: análise de textos e pesquisa.
Sugestão de recursos: textos, excertos, documentos de época e
sites.
Sugestão de avaliação: apresentação e resultados da pesquisa.
SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 6
A GUERRA CIVIL ESPANHOLA
História – 3ª série – Volume 1
Prioridade para a competência de leitura e escrita
A mãe migrante
Caderno de História - 9ª ano, Volume 1
Situação de Aprendizagem 6
(...) Compor um texto histórico, lembre-os de que
um texto deste gênero, deverá apresentar as
seguintes características:
1 Linguagem impessoal e objetiva;
2 Organização das ideias em três partes:
- A introdução, na qual será apresentado o
tema que será tratado, momento de sua
caracterização e contextualização;
- O desenvolvimento, que fundamenta ou
desenvolve a ideia principal;
- A conclusão, que deve conter uma síntese do
tema em foco.
Caderno de História - 9ª ano, Volume 1
Situação de Aprendizagem 6
Prioridade para a competência de leitura e escrita
Conforme atividade sugerida no Caderno
do Aluno, na seção Leitura e análise de
texto, peça aos alunos que leiam os
seguintes versos da música “Disparada”,
de Geraldo Vandrè e Théo Barros, cantada
no Festival da Record de 1966 por Jair
Rodrigues.
Caderno de História - 3ª série, Volume 2
Situação de Aprendizagem 5
Caderno do História, 2ª série. Volume 2
Situação de Aprendizagem 2
Avaliação: Produção de texto
Situação de Aprendizagem 3
Avaliação: Produção escrita
Situação de Aprendizagem 4
Avaliação: Produção de texto
Situação de Aprendizagem 5
Avaliação: Produção de texto
Situação de Aprendizagem 7
Avaliação: Produção de texto
Prioridade para a competência de leitura e escrita
Articulação com o mundo do trabalho
Caderno do Aluno, 7 º ano. Volume 2
Articulação com o mundo do trabalho
PESQUISA EM GRUPO
1. 1. O objetivo agora é aprofundar a ideia de diversidade cultural entre os povos da América no período estudado.
Escreva aqui a cultura sobre a qual você deverá pesquisar, seguindo a orientação do professor: ________________
2. Na aula marcada, você e o seu grupo irão contribuir com as informações pesquisadas individualmente (veja
orientação na seção Lição de casa que se segue). Aproveite as informações coletadas pelos colegas que sejam
diferentes das suas e as acrescente àquelas que você já possui na página reservada para o registro da pesquisa.
3. A segunda etapa do trabalho do grupo deverá ser a construção de um texto coletivo que sistematize as informações
pesquisadas. Não se esqueça de discutir com seus colegas um título para o texto que seja coerente com o
conteúdo desenvolvido.
Dicas
para a elaboração do relatório de pesquisa:
Um relatório de pesquisa deve conter e organizar as informações selecionadas, preferencialmente em diversas fontes.
No caso do relatório proposto, ele deve descrever as características da cultura pesquisada pelo grupo e o título
precisa estar em sintonia com essa proposta.
Não se esqueça de citar as fontes de pesquisa! Se necessário, pergunte ao professor como é a maneira adequada de
fazer esse tipo de citação. E lembre-se: se você quiser copiar algum trecho pesquisado que considerar muito
importante, ele sempre deverá vir entre aspas, pois não é de sua autoria.
Caderno do Aluno, 7 º ano. Volume 2
Módulo II
Construção do Conhecimento
(Legalidade x Legitimidade)
Slide
19
“Entre o que eu penso,
o que quero dizer,
o que digo e o que você ouve,
o que você quer ouvir
e o que você acha que entendeu,
há um abismo.”
(Alejandro Jodorowsky)
Slide
21
Na literatura pedagógica ensino e aprendizagem são sempre associados para
não separar o que é controlado pelo professor (ensino), com as operações
cognitivas e afetivas que acontecem com o aluno (aprendizagem). Portanto, o
professor precisa saber o conteúdo e saber como se ensina esse conteúdo.
Focar a formação na prática tem como ponto de partida essa relação entre
saber e saber ensinar bem como a adoção de metodologias que facilitem a
reflexão e a análise da própria prática.
Comunicado SE-1, de 4-3-2015
Introdução
“Uma Situação de Aprendizagem deve proporcionar ao
aluno a vivenciar ações reflexivas, que possa favorecer
tanto aprender-com como aprender-sobre o pensar. Isso
significa que o aluno deve aprender fazendo (colocando a
mão na massa) e construindo algo que lhe seja
significativo, de modo que posso envolver-se afetiva e
cognitivamente com aquilo que está sendo produzido.”
(O Papel do Professor na criação de Situações de Aprendizagem – Maria Elisabette
Bisola Brito)
Faz-se necessário
A visão construtivista apresentou um fator novo, que
contribuiu para alterar a colocação do problema sobre as
dificuldades de aprendizagem ou fracasso escolar,
sobretudo a respeito da aprendizagem de alunos de
classes populares. (...) Essa novidade consistiu em
problematizar o processo de ensino-aprendizagem como
uma relação interdependente e complexa entre
professor – alunos; alunos – objetos do conhecimento e
professor – objetos do conhecimento.
(Caderno do Gestor. Volume 2, ano 2008)
Teoria
(...) Considerar os modos (ativo, passivo etc.) como o
aluno assimila as propostas do professor, as estruturas
cognitivas que dispõe para isso, como reage às suas
perturbações ou exposições, ao convívio com os
colegas, como coopera ou participa das tarefas
relativas ao desenvolvimento de um projeto etc. Trata-
se de considerar a história sociocultural desse aluno e
quanto e de que maneira as coisas da escola
participam de sua vida (e de sua família ou
comunidade) fora da escola.
(Caderno do Gestor. Volume 2, ano 2008)
Construção do Conhecimento
25
Sondagem Inicial/Síncrese
Não é momento de ensinar ou esclarecer conceitos, mas de colocar “na roda” o que vai
ser ensinado e aprendido. Algum esclarecimento pode ser dado, mas não é a hora de
explicações sistematizadas. Assim, as atividades desse primeiro momento têm o papel de
incentivar o começo das discussões, de estimular o levantamento (organizado) de alguns
conhecimentos prévios ou a elaboração de hipóteses que serão desenvolvidas,
pesquisadas, testadas e ampliadas até o final dos trabalhos.
Problematização/ Análise
É interessante que se inicie todo estudo a partir de um problema, que sirva como base
para o seu desenvolvimento. Pode ser um desafio ou uma situação – problema ligada ao
assunto, que seja real, contextualizada, e que possibilite a construção do conhecimento,
atitudes e valores. As discussões podem ser feitas em pequenos grupos e em seguida,
compartilhada por todos. A diversificação de estratégias é extremamente importante.
Slide
26
PROBLEMATIZAÇÃO
“Anos de Chumbo” – Uilson Costa Sarau Afro – Mari Carvalho Precisamos de 365 dias de
Consciência – Maria Odimar
Meu Bairro – Donbosco Alunos do 8º ano, acompanhando o
inicio da sessão - Rodrigo Cecheto
O lixo no bairro São João -
Roberto
27
Construção do Conhecimento
Síntese final ou conclusão
Este é o momento de concluir o estudo, responder a contento a problematização, as
dúvidas iniciais, elaborar definição. São mais eficientes quando preparadas
individualmente, discutidas em pequenos grupos e finalmente em coletivo. Para
compreender de fato é necessário que muitas informações sejam relacionadas aos
problemas, criando um campo de sentidos e de significados que se conectam e fazem
ponte com algo já conhecido, vivido e experimentado. Apesar das definições iniciarem
os estudos, elas se tornam de fato significativas, quando formalizadas ao final de um
percurso investigativo. Ao final, é importante uma retomada das primeiras
elaborações explicativas para verificar se os membros do grupo agregaram novos
conhecimentos.
Carta aos profissionais do Ensino Fundamental, 2008 - CENP
Slide
28
Três funções para a avaliação
Avaliação formativa, é a que ocorre ao longo do processo de
aprendizagem. Seu objetivo é a correção de falhas do processo
educacional e a prescrição de medidas alternativas de recuperação
das falhas de aprendizagem.
Avaliação somativa, ocorre ao final de um processo, com claros
objetivos de mensuração de resultados.
Avaliação diagnóstica, que ocorre antes e durante o processo de
aprendizagem, visando agrupar alunos de acordo com suas
dificuldades no primeiro momento, e no final, identificar se houve, ou
não, progresso em relação à assimilação dos conteúdos.
Avaliação da aprendizagem em meios digitais: novos contextos - Ana Cristina Muscas Caldeira
Grupo 1
29
Construindo uma Situação de Aprendizagem
Objetivo: Elaborar uma Situação de Aprendizagem articulando
conteúdo com a habilidade ( expectativa de Aprendizagem )
proposta
Slide
30
Grupo 2
Objetivo: Verificar procedimentos metodológicos e funções da
avaliação na Situação de Aprendizagem 2 – Guerra Fria em
Notícias
Construção do Conhecimento no Caderno do Professor de História
Slide
31
Grupo 3
Objetivo: Verificar procedimentos metodológicos (?) e
funções da avaliação nas Unidades Temáticas do Livro
Didático.
Construção do Conhecimento no Livro Didático
Slide
32
Grupo 4
Objetivo: Verificar procedimentos metodológicos e
funções da avaliação nas Unidades Temáticas do
material EJA – Mundo do Trabalho
Construção do Conhecimento no material da EJA – Mundo do Trabalho
SÃO PAULO. Caderno do Professor; História, Ensino Fundamental, 69º
ano. V. 2. São Paulo: Secretaria do Estado da Educação, 2014.
___________ Caderno do Gestor: gestão do currículo na escola. V. 1.
São Paulo: Secretaria do Estado da Educação, 2010. 39 p.
___________ Currículo do Estado de São Paulo: Ciências Humanas e
suas Tecnologias. São Paulo: Secretaria do Estado da Educação, 2012.
152 p.
Referências
CONVIVENDO
F
A
Z
E
N
D
O
APRENDENDO
VOLTANDO AO INVOLTANDO AO INÍÍCIO ...CIO ...
Mais do que o discurso,Mais do que o discurso, éé preciso mudar a postura.preciso mudar a postura.
MUDANÇA BATON
(DA BOCA PARA FORA)
OU MUDAR...
O que falta mudar?
35
Obrigado !

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Planejamento e rotina pnaic 2015
Planejamento e rotina pnaic 2015Planejamento e rotina pnaic 2015
Planejamento e rotina pnaic 2015
Fabiana Esteves
 
Pacto caderno ciencias da natureza
Pacto caderno ciencias da natureza Pacto caderno ciencias da natureza
Pacto caderno ciencias da natureza
Gilvandenys Leite Sales
 
PNAC - Ano 01 unidade 6
PNAC - Ano 01   unidade 6PNAC - Ano 01   unidade 6
PNAC - Ano 01 unidade 6
ElieneDias
 
Interdisciplinaridade
InterdisciplinaridadeInterdisciplinaridade
Interdisciplinaridade
Antonio Carlos SSouza
 
1º encontro
1º encontro1º encontro
1º encontro
Naysa Taboada
 
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências DidáticasUnidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Elaine Cruz
 
04. ciências naturais
04. ciências naturais04. ciências naturais
04. ciências naturais
celikennedy
 
Pnaic caderno 8
Pnaic caderno 8Pnaic caderno 8
Pnaic caderno 8
Daniela Menezes
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciais
Rosinara Azeredo
 
Sequencia didática
Sequencia didáticaSequencia didática
Sequencia didática
Shirley Lauria
 
Formação - caderno 3 pnaic 2015
Formação - caderno 3 pnaic  2015Formação - caderno 3 pnaic  2015
Formação - caderno 3 pnaic 2015
Everaldo Gomes
 
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturaisA alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
Luciana Corrêa
 
Welson
WelsonWelson
Heterogeneidade
HeterogeneidadeHeterogeneidade
Heterogeneidade
Shirley Lauria
 
PNAIC - Ano 1, 2, 3 uni dade 5 cien e geo
PNAIC - Ano 1, 2, 3   uni dade 5 cien e geoPNAIC - Ano 1, 2, 3   uni dade 5 cien e geo
PNAIC - Ano 1, 2, 3 uni dade 5 cien e geo
ElieneDias
 
Trabalhando Ciências da Natureza nos Anos Iniciais
Trabalhando Ciências da Natureza nos Anos IniciaisTrabalhando Ciências da Natureza nos Anos Iniciais
Trabalhando Ciências da Natureza nos Anos Iniciais
luciany-nascimento
 
Professor Investigador versus Ensino de Biologia
Professor Investigador versus Ensino de BiologiaProfessor Investigador versus Ensino de Biologia
Professor Investigador versus Ensino de Biologia
hyguer
 
Recuperação Intensiva 2013 - Historia
Recuperação Intensiva 2013 - HistoriaRecuperação Intensiva 2013 - Historia
Recuperação Intensiva 2013 - Historia
Claudia Elisabete Silva
 

Mais procurados (18)

Planejamento e rotina pnaic 2015
Planejamento e rotina pnaic 2015Planejamento e rotina pnaic 2015
Planejamento e rotina pnaic 2015
 
Pacto caderno ciencias da natureza
Pacto caderno ciencias da natureza Pacto caderno ciencias da natureza
Pacto caderno ciencias da natureza
 
PNAC - Ano 01 unidade 6
PNAC - Ano 01   unidade 6PNAC - Ano 01   unidade 6
PNAC - Ano 01 unidade 6
 
Interdisciplinaridade
InterdisciplinaridadeInterdisciplinaridade
Interdisciplinaridade
 
1º encontro
1º encontro1º encontro
1º encontro
 
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências DidáticasUnidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
 
04. ciências naturais
04. ciências naturais04. ciências naturais
04. ciências naturais
 
Pnaic caderno 8
Pnaic caderno 8Pnaic caderno 8
Pnaic caderno 8
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciais
 
Sequencia didática
Sequencia didáticaSequencia didática
Sequencia didática
 
Formação - caderno 3 pnaic 2015
Formação - caderno 3 pnaic  2015Formação - caderno 3 pnaic  2015
Formação - caderno 3 pnaic 2015
 
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturaisA alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
 
Welson
WelsonWelson
Welson
 
Heterogeneidade
HeterogeneidadeHeterogeneidade
Heterogeneidade
 
PNAIC - Ano 1, 2, 3 uni dade 5 cien e geo
PNAIC - Ano 1, 2, 3   uni dade 5 cien e geoPNAIC - Ano 1, 2, 3   uni dade 5 cien e geo
PNAIC - Ano 1, 2, 3 uni dade 5 cien e geo
 
Trabalhando Ciências da Natureza nos Anos Iniciais
Trabalhando Ciências da Natureza nos Anos IniciaisTrabalhando Ciências da Natureza nos Anos Iniciais
Trabalhando Ciências da Natureza nos Anos Iniciais
 
Professor Investigador versus Ensino de Biologia
Professor Investigador versus Ensino de BiologiaProfessor Investigador versus Ensino de Biologia
Professor Investigador versus Ensino de Biologia
 
Recuperação Intensiva 2013 - Historia
Recuperação Intensiva 2013 - HistoriaRecuperação Intensiva 2013 - Historia
Recuperação Intensiva 2013 - Historia
 

Destaque

Premissas para um projeto de intervenção pedagógica
Premissas para um projeto de intervenção pedagógicaPremissas para um projeto de intervenção pedagógica
Premissas para um projeto de intervenção pedagógica
Jeca Tatu
 
Competencia de referencia
Competencia de referenciaCompetencia de referencia
Competencia de referencia
sonym557
 
Boa situação de aprendizagem
Boa situação de aprendizagemBoa situação de aprendizagem
Boa situação de aprendizagem
Jeca Tatu
 
Situação de aprendizagem melhor gestão melhor ensino plano de aula
Situação de aprendizagem melhor gestão melhor ensino plano de aulaSituação de aprendizagem melhor gestão melhor ensino plano de aula
Situação de aprendizagem melhor gestão melhor ensino plano de aula
Ramacciotti
 
Dirigir situacoes de aprendizagem
Dirigir situacoes de aprendizagemDirigir situacoes de aprendizagem
Dirigir situacoes de aprendizagem
João Alberto
 
Matriz referencia
Matriz referenciaMatriz referencia
Matriz referencia
Edson Mamprin
 
Etapas da Situação de Aprendizagem
Etapas da Situação de AprendizagemEtapas da Situação de Aprendizagem
Etapas da Situação de Aprendizagem
Glauber Eduardo Aragon Pereira
 
Curso reflexão e interdisciplinaridade
Curso reflexão e interdisciplinaridade Curso reflexão e interdisciplinaridade
Curso reflexão e interdisciplinaridade
ofpedagogica
 
Correntes pedagógicas
Correntes pedagógicasCorrentes pedagógicas
Correntes pedagógicas
ofpedagogica
 
Habilidades e Competências
Habilidades e CompetênciasHabilidades e Competências
Habilidades e Competências
Meri RochaLeite
 
Habilidades e Competências
Habilidades e CompetênciasHabilidades e Competências
Habilidades e Competências
Alexandre Lopes
 
Competências e habilidades
Competências e habilidadesCompetências e habilidades
Competências e habilidades
Mari_Saracchini
 

Destaque (12)

Premissas para um projeto de intervenção pedagógica
Premissas para um projeto de intervenção pedagógicaPremissas para um projeto de intervenção pedagógica
Premissas para um projeto de intervenção pedagógica
 
Competencia de referencia
Competencia de referenciaCompetencia de referencia
Competencia de referencia
 
Boa situação de aprendizagem
Boa situação de aprendizagemBoa situação de aprendizagem
Boa situação de aprendizagem
 
Situação de aprendizagem melhor gestão melhor ensino plano de aula
Situação de aprendizagem melhor gestão melhor ensino plano de aulaSituação de aprendizagem melhor gestão melhor ensino plano de aula
Situação de aprendizagem melhor gestão melhor ensino plano de aula
 
Dirigir situacoes de aprendizagem
Dirigir situacoes de aprendizagemDirigir situacoes de aprendizagem
Dirigir situacoes de aprendizagem
 
Matriz referencia
Matriz referenciaMatriz referencia
Matriz referencia
 
Etapas da Situação de Aprendizagem
Etapas da Situação de AprendizagemEtapas da Situação de Aprendizagem
Etapas da Situação de Aprendizagem
 
Curso reflexão e interdisciplinaridade
Curso reflexão e interdisciplinaridade Curso reflexão e interdisciplinaridade
Curso reflexão e interdisciplinaridade
 
Correntes pedagógicas
Correntes pedagógicasCorrentes pedagógicas
Correntes pedagógicas
 
Habilidades e Competências
Habilidades e CompetênciasHabilidades e Competências
Habilidades e Competências
 
Habilidades e Competências
Habilidades e CompetênciasHabilidades e Competências
Habilidades e Competências
 
Competências e habilidades
Competências e habilidadesCompetências e habilidades
Competências e habilidades
 

Semelhante a Princípios do currículo Correto

3 formação pnaic
3 formação pnaic3 formação pnaic
3 formação pnaic
Nadylva Guedes
 
PROPOSTA CURRICULAR PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS.ppt
PROPOSTA CURRICULAR PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS.pptPROPOSTA CURRICULAR PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS.ppt
PROPOSTA CURRICULAR PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS.ppt
Nertan Dias
 
Slide caderno 2 ciências humanas
Slide   caderno 2 ciências humanasSlide   caderno 2 ciências humanas
Slide caderno 2 ciências humanas
Leonardo Ornellas Pena
 
Atv.ling. metafora (1)
Atv.ling. metafora (1)Atv.ling. metafora (1)
Atv.ling. metafora (1)
UyaraPortugal
 
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
profamiriamnavarro
 
OT Recuperação Intensiva - História
OT Recuperação Intensiva - HistóriaOT Recuperação Intensiva - História
OT Recuperação Intensiva - História
Claudia Elisabete Silva
 
Plano de desenvolvimento
Plano de desenvolvimentoPlano de desenvolvimento
Plano de desenvolvimento
Alexandra Becchi
 
10 encontro
10 encontro10 encontro
10 encontro
SolVenezzani
 
PNAIC - Ano 3 unidade 2
PNAIC - Ano 3  unidade 2PNAIC - Ano 3  unidade 2
PNAIC - Ano 3 unidade 2
ElieneDias
 
Estágio em séries iniciais
Estágio em séries iniciaisEstágio em séries iniciais
Estágio em séries iniciais
Rosinara Azeredo
 
PNAIC - Direitos de aprendizagem em história
PNAIC - Direitos de aprendizagem em história PNAIC - Direitos de aprendizagem em história
PNAIC - Direitos de aprendizagem em história
ElieneDias
 
Plano de desenvolvimento
Plano de desenvolvimentoPlano de desenvolvimento
Plano de desenvolvimento
Alexandra Becchi
 
Apresentação inicial agosto
Apresentação inicial agostoApresentação inicial agosto
Apresentação inicial agosto
Elvira Aliceda
 
Conhecendo o Planeta Terra a partir da Pesquisa
Conhecendo o Planeta Terra a partir da PesquisaConhecendo o Planeta Terra a partir da Pesquisa
Conhecendo o Planeta Terra a partir da Pesquisa
Daniela Menezes
 
direitos de aprendizagem HISTÓRIA
direitos de aprendizagem HISTÓRIAdireitos de aprendizagem HISTÓRIA
direitos de aprendizagem HISTÓRIA
Aprender com prazer
 
gerson.pdf
gerson.pdfgerson.pdf
gerson.pdf
MuriloCOliveira
 
Slides leitura
Slides leituraSlides leitura
Slides leitura
proletramentoalfa
 
O ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológiasO ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológias
Renato De Souza Abelha
 
EAD 5971 - Cognitivismo - Grupo 5
EAD 5971 - Cognitivismo - Grupo 5 EAD 5971 - Cognitivismo - Grupo 5
EAD 5971 - Cognitivismo - Grupo 5
Nágila Giovanna Silva Vilela
 
Oficina Estudo centro.pptx
Oficina Estudo centro.pptxOficina Estudo centro.pptx
Oficina Estudo centro.pptx
TaironeLima1
 

Semelhante a Princípios do currículo Correto (20)

3 formação pnaic
3 formação pnaic3 formação pnaic
3 formação pnaic
 
PROPOSTA CURRICULAR PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS.ppt
PROPOSTA CURRICULAR PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS.pptPROPOSTA CURRICULAR PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS.ppt
PROPOSTA CURRICULAR PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS.ppt
 
Slide caderno 2 ciências humanas
Slide   caderno 2 ciências humanasSlide   caderno 2 ciências humanas
Slide caderno 2 ciências humanas
 
Atv.ling. metafora (1)
Atv.ling. metafora (1)Atv.ling. metafora (1)
Atv.ling. metafora (1)
 
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
 
OT Recuperação Intensiva - História
OT Recuperação Intensiva - HistóriaOT Recuperação Intensiva - História
OT Recuperação Intensiva - História
 
Plano de desenvolvimento
Plano de desenvolvimentoPlano de desenvolvimento
Plano de desenvolvimento
 
10 encontro
10 encontro10 encontro
10 encontro
 
PNAIC - Ano 3 unidade 2
PNAIC - Ano 3  unidade 2PNAIC - Ano 3  unidade 2
PNAIC - Ano 3 unidade 2
 
Estágio em séries iniciais
Estágio em séries iniciaisEstágio em séries iniciais
Estágio em séries iniciais
 
PNAIC - Direitos de aprendizagem em história
PNAIC - Direitos de aprendizagem em história PNAIC - Direitos de aprendizagem em história
PNAIC - Direitos de aprendizagem em história
 
Plano de desenvolvimento
Plano de desenvolvimentoPlano de desenvolvimento
Plano de desenvolvimento
 
Apresentação inicial agosto
Apresentação inicial agostoApresentação inicial agosto
Apresentação inicial agosto
 
Conhecendo o Planeta Terra a partir da Pesquisa
Conhecendo o Planeta Terra a partir da PesquisaConhecendo o Planeta Terra a partir da Pesquisa
Conhecendo o Planeta Terra a partir da Pesquisa
 
direitos de aprendizagem HISTÓRIA
direitos de aprendizagem HISTÓRIAdireitos de aprendizagem HISTÓRIA
direitos de aprendizagem HISTÓRIA
 
gerson.pdf
gerson.pdfgerson.pdf
gerson.pdf
 
Slides leitura
Slides leituraSlides leitura
Slides leitura
 
O ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológiasO ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológias
 
EAD 5971 - Cognitivismo - Grupo 5
EAD 5971 - Cognitivismo - Grupo 5 EAD 5971 - Cognitivismo - Grupo 5
EAD 5971 - Cognitivismo - Grupo 5
 
Oficina Estudo centro.pptx
Oficina Estudo centro.pptxOficina Estudo centro.pptx
Oficina Estudo centro.pptx
 

Mais de Jeca Tatu

Guia dos livros versão preliminar (1)
Guia dos livros versão preliminar (1)Guia dos livros versão preliminar (1)
Guia dos livros versão preliminar (1)
Jeca Tatu
 
Tutorial
TutorialTutorial
Tutorial
Jeca Tatu
 
Projeto I sarau da eja
Projeto I sarau da ejaProjeto I sarau da eja
Projeto I sarau da eja
Jeca Tatu
 
I sarau da eja
I sarau da ejaI sarau da eja
I sarau da eja
Jeca Tatu
 
Pauta reunião da EJA
Pauta reunião da EJAPauta reunião da EJA
Pauta reunião da EJA
Jeca Tatu
 
Videoconferência Gestão Democrática
Videoconferência Gestão Democrática Videoconferência Gestão Democrática
Videoconferência Gestão Democrática
Jeca Tatu
 
Eja
EjaEja
Replanejamento julho 2016
Replanejamento julho 2016Replanejamento julho 2016
Replanejamento julho 2016
Jeca Tatu
 
Tutorial
Tutorial Tutorial
Tutorial
Jeca Tatu
 
Construção do conhecimento
Construção do conhecimento   Construção do conhecimento
Construção do conhecimento
Jeca Tatu
 
Princípios do currículo
Princípios do currículoPrincípios do currículo
Princípios do currículo
Jeca Tatu
 
Os naciremas
Os naciremasOs naciremas
Os naciremas
Jeca Tatu
 
Orientacoes educacao sexualidade_brasil_preliminar_pt_2013 (1)
Orientacoes educacao sexualidade_brasil_preliminar_pt_2013 (1)Orientacoes educacao sexualidade_brasil_preliminar_pt_2013 (1)
Orientacoes educacao sexualidade_brasil_preliminar_pt_2013 (1)
Jeca Tatu
 
O processo civilizador uma historia dos costumes
O processo civilizador  uma historia dos costumesO processo civilizador  uma historia dos costumes
O processo civilizador uma historia dos costumes
Jeca Tatu
 
Cartilha de combate a homofobia
Cartilha de combate a homofobiaCartilha de combate a homofobia
Cartilha de combate a homofobia
Jeca Tatu
 
Anne fausto sterling
Anne fausto sterlingAnne fausto sterling
Anne fausto sterling
Jeca Tatu
 
Cgeb diversidades sexuais e de gênero nº 14
Cgeb   diversidades sexuais e de gênero nº 14Cgeb   diversidades sexuais e de gênero nº 14
Cgeb diversidades sexuais e de gênero nº 14
Jeca Tatu
 
Projeto Abaetetuba
Projeto Abaetetuba Projeto Abaetetuba
Projeto Abaetetuba
Jeca Tatu
 
Educação para as Relações Étnico-Raciais
Educação para as Relações Étnico-RaciaisEducação para as Relações Étnico-Raciais
Educação para as Relações Étnico-Raciais
Jeca Tatu
 
Situação de aprendizagem
Situação de aprendizagemSituação de aprendizagem
Situação de aprendizagem
Jeca Tatu
 

Mais de Jeca Tatu (20)

Guia dos livros versão preliminar (1)
Guia dos livros versão preliminar (1)Guia dos livros versão preliminar (1)
Guia dos livros versão preliminar (1)
 
Tutorial
TutorialTutorial
Tutorial
 
Projeto I sarau da eja
Projeto I sarau da ejaProjeto I sarau da eja
Projeto I sarau da eja
 
I sarau da eja
I sarau da ejaI sarau da eja
I sarau da eja
 
Pauta reunião da EJA
Pauta reunião da EJAPauta reunião da EJA
Pauta reunião da EJA
 
Videoconferência Gestão Democrática
Videoconferência Gestão Democrática Videoconferência Gestão Democrática
Videoconferência Gestão Democrática
 
Eja
EjaEja
Eja
 
Replanejamento julho 2016
Replanejamento julho 2016Replanejamento julho 2016
Replanejamento julho 2016
 
Tutorial
Tutorial Tutorial
Tutorial
 
Construção do conhecimento
Construção do conhecimento   Construção do conhecimento
Construção do conhecimento
 
Princípios do currículo
Princípios do currículoPrincípios do currículo
Princípios do currículo
 
Os naciremas
Os naciremasOs naciremas
Os naciremas
 
Orientacoes educacao sexualidade_brasil_preliminar_pt_2013 (1)
Orientacoes educacao sexualidade_brasil_preliminar_pt_2013 (1)Orientacoes educacao sexualidade_brasil_preliminar_pt_2013 (1)
Orientacoes educacao sexualidade_brasil_preliminar_pt_2013 (1)
 
O processo civilizador uma historia dos costumes
O processo civilizador  uma historia dos costumesO processo civilizador  uma historia dos costumes
O processo civilizador uma historia dos costumes
 
Cartilha de combate a homofobia
Cartilha de combate a homofobiaCartilha de combate a homofobia
Cartilha de combate a homofobia
 
Anne fausto sterling
Anne fausto sterlingAnne fausto sterling
Anne fausto sterling
 
Cgeb diversidades sexuais e de gênero nº 14
Cgeb   diversidades sexuais e de gênero nº 14Cgeb   diversidades sexuais e de gênero nº 14
Cgeb diversidades sexuais e de gênero nº 14
 
Projeto Abaetetuba
Projeto Abaetetuba Projeto Abaetetuba
Projeto Abaetetuba
 
Educação para as Relações Étnico-Raciais
Educação para as Relações Étnico-RaciaisEducação para as Relações Étnico-Raciais
Educação para as Relações Étnico-Raciais
 
Situação de aprendizagem
Situação de aprendizagemSituação de aprendizagem
Situação de aprendizagem
 

Último

EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 

Último (20)

EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 

Princípios do currículo Correto

  • 1. 1 II Encontro Presencial Professores Ingressantes Ciências Humanas História Dirigente de Ensino: Vera Lucia Miranda Supervisor de Ensino: Regina Ap. de Freitas PCNP: Gelson Rocha Junho 2016
  • 2. Objetivo Geral 2 Oferecer formação sobre o Currículo Oficial do Estado de São Paulo aos professores ingressantes.
  • 3. Objetivo Específico 3  Orientar o cursista sobre à aplicação do Currículo da SEE-SP e seus princípios e suas metodologias de aprendizagem,  Complementar a formação dos professores ingressantes no que diz respeito à gestão da sala de aula.
  • 4. Declaração Mundial sobre Educação para Todos Conferência de Jomtien Tailândia – 5 a 9 de março de 1990.
  • 5. OS QUATRO PILARES DA EDUCAÇÃO São conceitos de fundamento da educação baseados no Relatório para a UNESCO (1999) da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI , coordenada por Jacques Delors. • aprender a conhecer; • aprender a fazer, •aprender a viver com os outros, aprender a ser.
  • 6. Os princípios Centrais do Currículo 6 Articulação das competências para aprender e as competências como referência Prioridade para competência leitora e escritora Articulação com mundo do trabalho Uma escola que também aprende O currículo como espaço de cultura
  • 7. 1º Momento Sondagem 7 Objetivo: Relacionar os princípios do currículo ao seu eixo norteador
  • 9. 9 Princípios do Currículo e Situação de Aprendizagem
  • 10. 10 2º Momento Problematização Objetivo: Reconhecer, identificar os princípios do currículo no material São Paulo Faz Escola (Caderno do Professor)
  • 11. Material de Análise 11 UMA ESCOLA QUE APRENDE O CURRÍCULO COMO ESPAÇO DE CULTURA Sondagem e sensibilização (p. 25 e 26) COMPETÊNCIAS COMO REFERÊNCIAS Leitura do editorial (p. 11) PRIORIDADE PARA COMPETÊNCIA DA LEITURA E DA ESCRITA Escrita: Notícia (p. 17); Produção de Texto (p. 38); Leitura: Editorial (pg. 30); Mapa (pg. 44); Leitura de imagem (p. 46) ARTICULAÇÃO COM O MUNDO DO TRABALHO Competências socioemocionais (p.11)
  • 12. 3º Momento Sistematização 12 Objetivo: Socializar as conclusões da análise do 2º momento ( problematização)
  • 13. 13 O quê? Para quê? Como? Com o quê? Quando? As Competências como referência Conteúdos e tema: Guerra Civil Espanhola. Competências e habilidades: confrontar interpretações diversas de situações ou fatos de natureza histórico-geográfica, técnico- científica, artístico-cultural ou do cotidiano, comparando diferentes pontos de vista, identificando os pressupostos de cada interpretação e analisando a validade dos argumentos utilizados. Sugestão de estratégias: análise de textos e pesquisa. Sugestão de recursos: textos, excertos, documentos de época e sites. Sugestão de avaliação: apresentação e resultados da pesquisa. SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 6 A GUERRA CIVIL ESPANHOLA História – 3ª série – Volume 1
  • 14. Prioridade para a competência de leitura e escrita A mãe migrante Caderno de História - 9ª ano, Volume 1 Situação de Aprendizagem 6 (...) Compor um texto histórico, lembre-os de que um texto deste gênero, deverá apresentar as seguintes características: 1 Linguagem impessoal e objetiva; 2 Organização das ideias em três partes: - A introdução, na qual será apresentado o tema que será tratado, momento de sua caracterização e contextualização; - O desenvolvimento, que fundamenta ou desenvolve a ideia principal; - A conclusão, que deve conter uma síntese do tema em foco. Caderno de História - 9ª ano, Volume 1 Situação de Aprendizagem 6
  • 15. Prioridade para a competência de leitura e escrita Conforme atividade sugerida no Caderno do Aluno, na seção Leitura e análise de texto, peça aos alunos que leiam os seguintes versos da música “Disparada”, de Geraldo Vandrè e Théo Barros, cantada no Festival da Record de 1966 por Jair Rodrigues. Caderno de História - 3ª série, Volume 2 Situação de Aprendizagem 5 Caderno do História, 2ª série. Volume 2 Situação de Aprendizagem 2 Avaliação: Produção de texto Situação de Aprendizagem 3 Avaliação: Produção escrita Situação de Aprendizagem 4 Avaliação: Produção de texto Situação de Aprendizagem 5 Avaliação: Produção de texto Situação de Aprendizagem 7 Avaliação: Produção de texto
  • 16. Prioridade para a competência de leitura e escrita
  • 17. Articulação com o mundo do trabalho Caderno do Aluno, 7 º ano. Volume 2
  • 18. Articulação com o mundo do trabalho PESQUISA EM GRUPO 1. 1. O objetivo agora é aprofundar a ideia de diversidade cultural entre os povos da América no período estudado. Escreva aqui a cultura sobre a qual você deverá pesquisar, seguindo a orientação do professor: ________________ 2. Na aula marcada, você e o seu grupo irão contribuir com as informações pesquisadas individualmente (veja orientação na seção Lição de casa que se segue). Aproveite as informações coletadas pelos colegas que sejam diferentes das suas e as acrescente àquelas que você já possui na página reservada para o registro da pesquisa. 3. A segunda etapa do trabalho do grupo deverá ser a construção de um texto coletivo que sistematize as informações pesquisadas. Não se esqueça de discutir com seus colegas um título para o texto que seja coerente com o conteúdo desenvolvido. Dicas para a elaboração do relatório de pesquisa: Um relatório de pesquisa deve conter e organizar as informações selecionadas, preferencialmente em diversas fontes. No caso do relatório proposto, ele deve descrever as características da cultura pesquisada pelo grupo e o título precisa estar em sintonia com essa proposta. Não se esqueça de citar as fontes de pesquisa! Se necessário, pergunte ao professor como é a maneira adequada de fazer esse tipo de citação. E lembre-se: se você quiser copiar algum trecho pesquisado que considerar muito importante, ele sempre deverá vir entre aspas, pois não é de sua autoria. Caderno do Aluno, 7 º ano. Volume 2
  • 19. Módulo II Construção do Conhecimento (Legalidade x Legitimidade) Slide 19
  • 20. “Entre o que eu penso, o que quero dizer, o que digo e o que você ouve, o que você quer ouvir e o que você acha que entendeu, há um abismo.” (Alejandro Jodorowsky)
  • 21. Slide 21 Na literatura pedagógica ensino e aprendizagem são sempre associados para não separar o que é controlado pelo professor (ensino), com as operações cognitivas e afetivas que acontecem com o aluno (aprendizagem). Portanto, o professor precisa saber o conteúdo e saber como se ensina esse conteúdo. Focar a formação na prática tem como ponto de partida essa relação entre saber e saber ensinar bem como a adoção de metodologias que facilitem a reflexão e a análise da própria prática. Comunicado SE-1, de 4-3-2015
  • 22. Introdução “Uma Situação de Aprendizagem deve proporcionar ao aluno a vivenciar ações reflexivas, que possa favorecer tanto aprender-com como aprender-sobre o pensar. Isso significa que o aluno deve aprender fazendo (colocando a mão na massa) e construindo algo que lhe seja significativo, de modo que posso envolver-se afetiva e cognitivamente com aquilo que está sendo produzido.” (O Papel do Professor na criação de Situações de Aprendizagem – Maria Elisabette Bisola Brito)
  • 23. Faz-se necessário A visão construtivista apresentou um fator novo, que contribuiu para alterar a colocação do problema sobre as dificuldades de aprendizagem ou fracasso escolar, sobretudo a respeito da aprendizagem de alunos de classes populares. (...) Essa novidade consistiu em problematizar o processo de ensino-aprendizagem como uma relação interdependente e complexa entre professor – alunos; alunos – objetos do conhecimento e professor – objetos do conhecimento. (Caderno do Gestor. Volume 2, ano 2008)
  • 24. Teoria (...) Considerar os modos (ativo, passivo etc.) como o aluno assimila as propostas do professor, as estruturas cognitivas que dispõe para isso, como reage às suas perturbações ou exposições, ao convívio com os colegas, como coopera ou participa das tarefas relativas ao desenvolvimento de um projeto etc. Trata- se de considerar a história sociocultural desse aluno e quanto e de que maneira as coisas da escola participam de sua vida (e de sua família ou comunidade) fora da escola. (Caderno do Gestor. Volume 2, ano 2008)
  • 25. Construção do Conhecimento 25 Sondagem Inicial/Síncrese Não é momento de ensinar ou esclarecer conceitos, mas de colocar “na roda” o que vai ser ensinado e aprendido. Algum esclarecimento pode ser dado, mas não é a hora de explicações sistematizadas. Assim, as atividades desse primeiro momento têm o papel de incentivar o começo das discussões, de estimular o levantamento (organizado) de alguns conhecimentos prévios ou a elaboração de hipóteses que serão desenvolvidas, pesquisadas, testadas e ampliadas até o final dos trabalhos. Problematização/ Análise É interessante que se inicie todo estudo a partir de um problema, que sirva como base para o seu desenvolvimento. Pode ser um desafio ou uma situação – problema ligada ao assunto, que seja real, contextualizada, e que possibilite a construção do conhecimento, atitudes e valores. As discussões podem ser feitas em pequenos grupos e em seguida, compartilhada por todos. A diversificação de estratégias é extremamente importante.
  • 26. Slide 26 PROBLEMATIZAÇÃO “Anos de Chumbo” – Uilson Costa Sarau Afro – Mari Carvalho Precisamos de 365 dias de Consciência – Maria Odimar Meu Bairro – Donbosco Alunos do 8º ano, acompanhando o inicio da sessão - Rodrigo Cecheto O lixo no bairro São João - Roberto
  • 27. 27 Construção do Conhecimento Síntese final ou conclusão Este é o momento de concluir o estudo, responder a contento a problematização, as dúvidas iniciais, elaborar definição. São mais eficientes quando preparadas individualmente, discutidas em pequenos grupos e finalmente em coletivo. Para compreender de fato é necessário que muitas informações sejam relacionadas aos problemas, criando um campo de sentidos e de significados que se conectam e fazem ponte com algo já conhecido, vivido e experimentado. Apesar das definições iniciarem os estudos, elas se tornam de fato significativas, quando formalizadas ao final de um percurso investigativo. Ao final, é importante uma retomada das primeiras elaborações explicativas para verificar se os membros do grupo agregaram novos conhecimentos. Carta aos profissionais do Ensino Fundamental, 2008 - CENP
  • 28. Slide 28 Três funções para a avaliação Avaliação formativa, é a que ocorre ao longo do processo de aprendizagem. Seu objetivo é a correção de falhas do processo educacional e a prescrição de medidas alternativas de recuperação das falhas de aprendizagem. Avaliação somativa, ocorre ao final de um processo, com claros objetivos de mensuração de resultados. Avaliação diagnóstica, que ocorre antes e durante o processo de aprendizagem, visando agrupar alunos de acordo com suas dificuldades no primeiro momento, e no final, identificar se houve, ou não, progresso em relação à assimilação dos conteúdos. Avaliação da aprendizagem em meios digitais: novos contextos - Ana Cristina Muscas Caldeira
  • 29. Grupo 1 29 Construindo uma Situação de Aprendizagem Objetivo: Elaborar uma Situação de Aprendizagem articulando conteúdo com a habilidade ( expectativa de Aprendizagem ) proposta
  • 30. Slide 30 Grupo 2 Objetivo: Verificar procedimentos metodológicos e funções da avaliação na Situação de Aprendizagem 2 – Guerra Fria em Notícias Construção do Conhecimento no Caderno do Professor de História
  • 31. Slide 31 Grupo 3 Objetivo: Verificar procedimentos metodológicos (?) e funções da avaliação nas Unidades Temáticas do Livro Didático. Construção do Conhecimento no Livro Didático
  • 32. Slide 32 Grupo 4 Objetivo: Verificar procedimentos metodológicos e funções da avaliação nas Unidades Temáticas do material EJA – Mundo do Trabalho Construção do Conhecimento no material da EJA – Mundo do Trabalho
  • 33. SÃO PAULO. Caderno do Professor; História, Ensino Fundamental, 69º ano. V. 2. São Paulo: Secretaria do Estado da Educação, 2014. ___________ Caderno do Gestor: gestão do currículo na escola. V. 1. São Paulo: Secretaria do Estado da Educação, 2010. 39 p. ___________ Currículo do Estado de São Paulo: Ciências Humanas e suas Tecnologias. São Paulo: Secretaria do Estado da Educação, 2012. 152 p. Referências
  • 34. CONVIVENDO F A Z E N D O APRENDENDO VOLTANDO AO INVOLTANDO AO INÍÍCIO ...CIO ... Mais do que o discurso,Mais do que o discurso, éé preciso mudar a postura.preciso mudar a postura. MUDANÇA BATON (DA BOCA PARA FORA) OU MUDAR... O que falta mudar?