SlideShare uma empresa Scribd logo
Educação de
Jovens e Adultos
 Professora:

Teofanis Teresinha Zabot Anjos
SALA DE EDUCADOR
 CEJA

SILVA FREIRE
 CEJA JOSÉ DE ALENCAR
 CEJA ARÃO GOMES
 CEJA CLEONICE MIRANDA
 EE JOÃO PAULO II
Contexto Formativo:
Quem são os jovens ?
Quem são os adultos?
 As

teorias do desenvolvimento humano
referem-se
historicamente,
de
modo
predominante à criança e ao adolescente, não
tendo estabelecido uma boa psicologia de
adultos. Assim os processos de construção do
conhecimento e de aprendizagem dos jovens
e adultos são muito pouco explorados nas
teorias contemporâneas.
Quem é o jovem?
 Não

é aquele com uma história de vida escolar
regular, também não é o jovem vestibulando. É
uma pessoa que tem uma trajetória de vida
escolar de “fracasso”, de excluído do processo
de escolarização.
 Possuem uma diversidade de conhecimentos
sobre o meio em que vivem e utilizam diferentes
formas de expressão que devem ser
consideradas pela escola. (manifestações
culturais, diálogo).
 Busca o conhecimento escolar para sentir-se
incluído na sociedade.
Quem são os adultos?
O

adulto, no âmbito da educação de jovens e
adultos, não é o estudante universitário, o
profissional qualificado que frequenta cursos
de
formação
continuada
ou
de
especialização, ou interessada em aperfeiçoar
seus conhecimentos. É aquele que busca um
conhecimento para sentir-se incluído na
sociedade.
Concepção de Educação de Jovens
e Adultos
 Refletir

sobre como esses jovens e adultos
pensam e aprendem envolve portanto
transitar por este campos:





A condição de não crianças;
A condição de excluídos da escola;
A condição de membros de determinados
grupos culturais;
A condição de que trazem um larga
experiência de vida.
 Orientações
 Trabalho

Curriculares

como princípio educativo;
 Direito de aprender por toda a vida;
 Ampliando práticas de cidadania;
 Educação dialógica.
 Concepção de Formação Humana
 Superação das teorias tradicionais
 Organização curricular (metodologias)
 Planejamento por área de conhecimento
 Capacidades/ descritores
 Plano de aula (sequência didática construtiva).
 CONCLUSÕES

DESTE TRABALHO
Passar de uma
concepção
fragmentária
para uma
Concepção de
construção do
conhecimento;

CEJA’s

Ter o ensino
aprendizagem
centrado numa
visão de que
aprendemos
ao longo de
toda a vida.

Objetivos da
metodologia de
trabalho por
área de
conhecimento

Integrar
os
conteúd
os;

Superar a
dicotomia entre
ensino e
pesquisa, consider
ando o estudo e a
pesquisa a partir
da contribuição
das diversas
ciências;
ÁREAS DE
CONHECIMENTO

DISCIPLINAS
INTEGRANTES

OBJETO DE ESTUDO DA
ÁREA

Ciências da Natureza

Ciências, Física,
Química e Biologia
Matemática

A investigação científica e
sua relação com o
desenvolvimento
tecnológico na sociedade.
O paradigma da
sustentabilidade nas
relações ser humanonatureza.

Ciências Humanas

História, Geografia
Filosofia, Sociologia,
Ensino Religioso

As ações humanas no
âmbito das
relações sociais e
ambientais que são
construídas entre
diferentes indivíduos,
grupos, segmentos e
classes sociais.

Linguagem

Língua Portuguesa,
Língua
Estrangeira
Arte e Educação
Física

A linguagem como
mediação entre o ser
humano e a realidade na
produção de sentidos. A
competência de
COMUNICAR-SE.
 Que conteúdos então são necessários para jovens
e adultos que buscam uma escolarização tardia?
 Os conteúdos necessários são aqueles que podem
ser utilizados na vida cotidiana como meio para a
autonomia do sujeito. Pode-se afirmar que a escola
deverá incorporar efetivamente os conhecimentos
– conteúdos e capacidades – necessários para
que o indivíduo possa desenvolver-se física, afetiva,
intelectual e moralmente, a fim de desempenharse com autonomia no âmbito político, econômico,
e social no seu contexto de vida.
 Que organização lhe será dada, considerando os
objetivos
gerais
do
trabalho,
os
Eixos
Norteadores, as possibilidades e objetivos de
estudantes e professores de cada unidade escolar?
 Tecitura do conhecimento em rede; aprendizagem
por projetos; temas geradores, projetos de trabalho
etc.
 O sucesso do trabalho por área de conhecimento
que vem sendo desenvolvido nos CEJA’s. permite
afirmar que para os educandos a redução da
diversidade disciplinar no enfrentamento da
escolarização cotidiana torna mais confortável
favorecendo a permanência dos educandos na
escola.
Principais autores que fundamentaram trabalho:
 Paulo Freire
 Martha Koll de Oliveira
 Jane Paiva
 Inês Barbosa
 Timothy Ireland
 Moacir Gadotti entre outros e
 Orientações Curriculares
 DIRETRIZES CURRICULARES PARA A
 EJA / MEC 2002
Participação no Encontro
 EDUCAÇÃO

EM PRISÕES
Dias 11 a 14 de Junho de 2013

Objetivo:
Elaborar
Plano de Ação para
Educação em Prisões;
Estabelecer metas;
Promover o diálogo
Entre SEDUC/SEJUDH;
Projeto (Ideia inicial)


Educação como instrumento de
ressocialização através da Educação
de Jovens e Adultos desenvolvido
pelo CEJA Benedito Sant’ana da Silva
Freire Sinop/MT.
Objetivo Geral:
Fomentar o atendimento educacional das
pessoas privadas de liberdade no Presídio
Ferrugem de Sinop, através do Centro de
Educação de Jovens e Adultos Benedito
Sant’ana da Silva Freire.
Objetivos específicos:


Implementar novo Projeto de atendimento pelo CEJA
Benedito Sant’na da Silva Freire aos reeducandos a serem
atendidos nas salas de aula na Cadeia e Presídio de Sinop.



Garantir histórico e certificação aos reeducandos através
do CEJA Benedito Santana da Silva Freire.



Favorecer as condições de atendimento in loco com
relação a: material escolar, merenda, apoio pedagógico e
demais aspectos que contemplem os recursos advindos de
verbas federais e estaduais aos estudantes que estejam
matriculados no CEJA Benedito Sant’Ana da Silva Freire.
○

Assegurar atendimento presencial da Assessoria
Pedagógica de Sinop tanto com relação as
aplicações das verbas, bem
com nas
orientações administrativas e pedagógicas;

○

Aprimorar e fortalecer as relações entre as
instituições envolvidas com a temática:
SEJUDH,
SEDUC,
CEFAPRO,
Assessoria,
CEJA, SEJUSP, Fundação Nova Chance.
Projeto em EAD
www.ejasentidosesignificados.blogspot.com.br


A ideia central dessa formação é favorecer a
leitura compartilhada, o trabalho conjunto, a
reflexão solidária, a aprendizagem em parceria,
buscando propiciar momentos agradáveis de
aprendizagem coletiva e a expectativa de
aprofundar o estudo das Orientações Curriculares
para a EJA, intensificando o gosto pela
construção
coletiva
do
conhecimento
pedagógico, favorecendo o desenvolvimento
pessoal e profissional dos participantes e,
principalmente, criando novas possibilidades de
trabalho com os educandos para melhorar a
qualidade de suas aprendizagens.
OBJETIVOS
Proporcionar aos professores subsídios para
reflexão conjunta e de investigação, no contexto
da escola, acerca das questões enfrentadas pelo
coletivo escolar.
 2. Propiciar a articulação entre teoria e prática
através do desenvolvimento de atividades
contextualizadas.
 3. Possibilitar a organização de um registro de
todas as atividades desenvolvidas entre os
educadores da EJA.
 1.
Estabelecendo a comunicação entre
os CEJAs e as demais escolas que
ofertam a EJA
 Criação

de Blog
 salaeducadorceja.blogspot.com



Página TEXTOS
Pagina VÍDEOS
Espaços deliberativos e formativos
FPDEJA - Fóruns da EJA (regionais e
estaduais)


A organização dos Fóruns de EJA em Mato
Grosso
possibilita a interação entre os
municípios de polo, contribuindo para as
discussões políticas e também formativas.

 Todos

estamos matriculados na escola da
vida onde o mestre é o tempo.
Cora Coralina
A todos que fizeram
parte da minha
história de vida
como profissional
da educação meu
muito obrigada de
coração!!!
Feliz Natal
Feliz 2014

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto Político Pedagógico - PPP
Projeto Político Pedagógico - PPPProjeto Político Pedagógico - PPP
Projeto Político Pedagógico - PPP
Hebert Arcanjo
 
Processo histórico da EJA no Brasil - IFMA
Processo histórico da EJA no Brasil - IFMAProcesso histórico da EJA no Brasil - IFMA
Processo histórico da EJA no Brasil - IFMA
Leandro Marques
 
Saberes e práticas na ed. infantil
Saberes e práticas na ed. infantilSaberes e práticas na ed. infantil
Saberes e práticas na ed. infantil
VIROUCLIPTAQ
 
Apresentação eja
Apresentação eja Apresentação eja
Apresentação eja
Izabel Cristina Bonethe
 
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva Educação Inclusiva
Educação Inclusiva
Heilane Santos
 
EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS
EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOSEDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS
EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS
Márcia Castilho de Sales
 
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalhoEJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
profamiriamnavarro
 
Educação infantil
Educação infantilEducação infantil
Educação infantil
Clarice-Borges
 
Eja
EjaEja
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
Almeida Emilene Santos
 
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline VenturaEducação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda
 
Políticas Públicas Educacionais
Políticas Públicas EducacionaisPolíticas Públicas Educacionais
Políticas Públicas Educacionais
Alairton Luis Araujo Soares
 
Fundamentos teóricos e metodológicos da educação de jovens
Fundamentos teóricos e metodológicos da educação de jovensFundamentos teóricos e metodológicos da educação de jovens
Fundamentos teóricos e metodológicos da educação de jovens
Gizelia Reboucas
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
Linda-maria12
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Dirce Cristiane Camilotti
 
Educação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitosEducação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitos
Thiago de Almeida
 
EJa
EJaEJa
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
Rita de Cássia Freitas
 
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAISPOLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
Jose Wilson Melo
 
]Plano nacional de educação 2014 2024
]Plano nacional de educação 2014 2024]Plano nacional de educação 2014 2024
]Plano nacional de educação 2014 2024
Lucimara Foloni
 

Mais procurados (20)

Projeto Político Pedagógico - PPP
Projeto Político Pedagógico - PPPProjeto Político Pedagógico - PPP
Projeto Político Pedagógico - PPP
 
Processo histórico da EJA no Brasil - IFMA
Processo histórico da EJA no Brasil - IFMAProcesso histórico da EJA no Brasil - IFMA
Processo histórico da EJA no Brasil - IFMA
 
Saberes e práticas na ed. infantil
Saberes e práticas na ed. infantilSaberes e práticas na ed. infantil
Saberes e práticas na ed. infantil
 
Apresentação eja
Apresentação eja Apresentação eja
Apresentação eja
 
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva Educação Inclusiva
Educação Inclusiva
 
EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS
EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOSEDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS
EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS
 
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalhoEJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
EJA AULA 8: O educador da EJA: formação e campo de trabalho
 
Educação infantil
Educação infantilEducação infantil
Educação infantil
 
Eja
EjaEja
Eja
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
 
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline VenturaEducação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
Educação de Jovens e Adultos - Profª Dra Jaqueline Ventura
 
Políticas Públicas Educacionais
Políticas Públicas EducacionaisPolíticas Públicas Educacionais
Políticas Públicas Educacionais
 
Fundamentos teóricos e metodológicos da educação de jovens
Fundamentos teóricos e metodológicos da educação de jovensFundamentos teóricos e metodológicos da educação de jovens
Fundamentos teóricos e metodológicos da educação de jovens
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
 
Educação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitosEducação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitos
 
EJa
EJaEJa
EJa
 
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
 
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAISPOLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
 
]Plano nacional de educação 2014 2024
]Plano nacional de educação 2014 2024]Plano nacional de educação 2014 2024
]Plano nacional de educação 2014 2024
 

Semelhante a Teofanis eja

Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Gelson Rocha
 
Concepção e proposta metodológica da EJA
Concepção e proposta metodológica da EJAConcepção e proposta metodológica da EJA
Concepção e proposta metodológica da EJA
Jeca Tatu
 
Andragogia.pptx
Andragogia.pptxAndragogia.pptx
Andragogia.pptx
Benedito32
 
Restinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati Pereira
Restinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati PereiraRestinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati Pereira
Restinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati Pereira
CursoTICs
 
PNAIC - Educação do campo unidade 6
PNAIC - Educação do campo unidade 6PNAIC - Educação do campo unidade 6
PNAIC - Educação do campo unidade 6
ElieneDias
 
PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...
PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...
PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...
Alexandre da Rosa
 
284-979-1-PB.pdf
284-979-1-PB.pdf284-979-1-PB.pdf
284-979-1-PB.pdf
Marília Vieira
 
Pratica de ensino
Pratica de ensinoPratica de ensino
Pratica de ensino
FABIANA CRISTINA MIRANDA
 
Universidade virtual do estado de são paulo
Universidade virtual do estado de são pauloUniversidade virtual do estado de são paulo
Universidade virtual do estado de são paulo
Belmeri Cagnoni Silva
 
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de TaguatingaPPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
Ana Silva
 
Proposta+pedagógica111
Proposta+pedagógica111Proposta+pedagógica111
Proposta+pedagógica111
Eliete
 
Dengue artigo pedagogia bolsa pibid
Dengue artigo   pedagogia bolsa pibidDengue artigo   pedagogia bolsa pibid
Dengue artigo pedagogia bolsa pibid
Lucia Fagundes
 
NOVOS OLHARES NA EDUCAÇÃO, INCLUSÃO E TECNOLOGIAS FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PAR...
NOVOS OLHARES NA EDUCAÇÃO, INCLUSÃO E TECNOLOGIAS FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PAR...NOVOS OLHARES NA EDUCAÇÃO, INCLUSÃO E TECNOLOGIAS FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PAR...
NOVOS OLHARES NA EDUCAÇÃO, INCLUSÃO E TECNOLOGIAS FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PAR...
Cassia Duque
 
ARTIGO 5 ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR.pdf
ARTIGO 5 ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR.pdfARTIGO 5 ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR.pdf
ARTIGO 5 ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR.pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR
ARTIGO ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINARARTIGO ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR
ARTIGO ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR
Cassia Duque
 
Restinga Sêca - Diane Spat Brondani
Restinga Sêca - Diane Spat BrondaniRestinga Sêca - Diane Spat Brondani
Restinga Sêca - Diane Spat Brondani
CursoTICs
 
Artigo vera lucia_cezani
Artigo vera lucia_cezaniArtigo vera lucia_cezani
Artigo vera lucia_cezani
Juliele Ferreira
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciais
renatalguterres
 
Colegio Djss
Colegio DjssColegio Djss
Colegio Djss
guestd7ce4f
 
Colegio Djss
Colegio DjssColegio Djss
Colegio Djss
guestd7ce4f
 

Semelhante a Teofanis eja (20)

Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
 
Concepção e proposta metodológica da EJA
Concepção e proposta metodológica da EJAConcepção e proposta metodológica da EJA
Concepção e proposta metodológica da EJA
 
Andragogia.pptx
Andragogia.pptxAndragogia.pptx
Andragogia.pptx
 
Restinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati Pereira
Restinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati PereiraRestinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati Pereira
Restinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati Pereira
 
PNAIC - Educação do campo unidade 6
PNAIC - Educação do campo unidade 6PNAIC - Educação do campo unidade 6
PNAIC - Educação do campo unidade 6
 
PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...
PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...
PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...
 
284-979-1-PB.pdf
284-979-1-PB.pdf284-979-1-PB.pdf
284-979-1-PB.pdf
 
Pratica de ensino
Pratica de ensinoPratica de ensino
Pratica de ensino
 
Universidade virtual do estado de são paulo
Universidade virtual do estado de são pauloUniversidade virtual do estado de são paulo
Universidade virtual do estado de são paulo
 
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de TaguatingaPPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
 
Proposta+pedagógica111
Proposta+pedagógica111Proposta+pedagógica111
Proposta+pedagógica111
 
Dengue artigo pedagogia bolsa pibid
Dengue artigo   pedagogia bolsa pibidDengue artigo   pedagogia bolsa pibid
Dengue artigo pedagogia bolsa pibid
 
NOVOS OLHARES NA EDUCAÇÃO, INCLUSÃO E TECNOLOGIAS FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PAR...
NOVOS OLHARES NA EDUCAÇÃO, INCLUSÃO E TECNOLOGIAS FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PAR...NOVOS OLHARES NA EDUCAÇÃO, INCLUSÃO E TECNOLOGIAS FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PAR...
NOVOS OLHARES NA EDUCAÇÃO, INCLUSÃO E TECNOLOGIAS FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PAR...
 
ARTIGO 5 ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR.pdf
ARTIGO 5 ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR.pdfARTIGO 5 ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR.pdf
ARTIGO 5 ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR.pdf
 
ARTIGO ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR
ARTIGO ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINARARTIGO ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR
ARTIGO ERRAMENTAS PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR
 
Restinga Sêca - Diane Spat Brondani
Restinga Sêca - Diane Spat BrondaniRestinga Sêca - Diane Spat Brondani
Restinga Sêca - Diane Spat Brondani
 
Artigo vera lucia_cezani
Artigo vera lucia_cezaniArtigo vera lucia_cezani
Artigo vera lucia_cezani
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciais
 
Colegio Djss
Colegio DjssColegio Djss
Colegio Djss
 
Colegio Djss
Colegio DjssColegio Djss
Colegio Djss
 

Mais de Sara Cristina

Pasem kapitango editada - jeferson - incompleta
Pasem kapitango   editada - jeferson - incompletaPasem kapitango   editada - jeferson - incompleta
Pasem kapitango editada - jeferson - incompleta
Sara Cristina
 
30 de junho (1)
30 de junho (1)30 de junho (1)
30 de junho (1)
Sara Cristina
 
Açoes 2014, reginaldo
Açoes 2014, reginaldoAçoes 2014, reginaldo
Açoes 2014, reginaldo
Sara Cristina
 
Ações 2014 luiz (1)
Ações 2014 luiz (1)Ações 2014 luiz (1)
Ações 2014 luiz (1)
Sara Cristina
 
A formação continuada orientada e desenvolvida pelo Cefapro- Sinop- MT
A formação continuada orientada e desenvolvida pelo Cefapro- Sinop- MTA formação continuada orientada e desenvolvida pelo Cefapro- Sinop- MT
A formação continuada orientada e desenvolvida pelo Cefapro- Sinop- MT
Sara Cristina
 
Legislação - Amparo Legal Formação Continuada
Legislação - Amparo Legal Formação ContinuadaLegislação - Amparo Legal Formação Continuada
Legislação - Amparo Legal Formação Continuada
Sara Cristina
 
Texto orientativos desde 2003- Grupo de Pesquisadoras - Formadoras de SINOP e...
Texto orientativos desde 2003- Grupo de Pesquisadoras - Formadoras de SINOP e...Texto orientativos desde 2003- Grupo de Pesquisadoras - Formadoras de SINOP e...
Texto orientativos desde 2003- Grupo de Pesquisadoras - Formadoras de SINOP e...
Sara Cristina
 
Ações 2014 luiz (1)
Ações 2014 luiz (1)Ações 2014 luiz (1)
Ações 2014 luiz (1)
Sara Cristina
 
Registros - Caderno de Campo e Portfólio- Apresentação para a III feira Munic...
Registros - Caderno de Campo e Portfólio- Apresentação para a III feira Munic...Registros - Caderno de Campo e Portfólio- Apresentação para a III feira Munic...
Registros - Caderno de Campo e Portfólio- Apresentação para a III feira Munic...
Sara Cristina
 
Senilde ações 2014 cefapro
Senilde ações 2014 cefaproSenilde ações 2014 cefapro
Senilde ações 2014 cefapro
Sara Cristina
 
Senilde ações 2014 cefapro
Senilde ações 2014 cefaproSenilde ações 2014 cefapro
Senilde ações 2014 cefapro
Sara Cristina
 
Nice portfólio ações e atividades de 2014
Nice  portfólio ações e atividades de 2014Nice  portfólio ações e atividades de 2014
Nice portfólio ações e atividades de 2014
Sara Cristina
 
Nice portifolio ações e atividades de 2014
Nice portifolio ações e atividades de 2014Nice portifolio ações e atividades de 2014
Nice portifolio ações e atividades de 2014
Sara Cristina
 
Adenilse 2014 apresentação cefapro
Adenilse 2014 apresentação cefaproAdenilse 2014 apresentação cefapro
Adenilse 2014 apresentação cefapro
Sara Cristina
 
Apresentação ações 2014
Apresentação ações 2014Apresentação ações 2014
Apresentação ações 2014
Sara Cristina
 
José Paulo 2014-
José Paulo 2014-José Paulo 2014-
José Paulo 2014-
Sara Cristina
 
Apresentação Cefapro- Sinop
Apresentação   Cefapro- SinopApresentação   Cefapro- Sinop
Apresentação Cefapro- Sinop
Sara Cristina
 
Apresentação15
Apresentação15Apresentação15
Apresentação15
Sara Cristina
 
Apresentação ações 2014
Apresentação ações 2014Apresentação ações 2014
Apresentação ações 2014
Sara Cristina
 
Atividades realizadas2014 cassia
Atividades realizadas2014 cassiaAtividades realizadas2014 cassia
Atividades realizadas2014 cassia
Sara Cristina
 

Mais de Sara Cristina (20)

Pasem kapitango editada - jeferson - incompleta
Pasem kapitango   editada - jeferson - incompletaPasem kapitango   editada - jeferson - incompleta
Pasem kapitango editada - jeferson - incompleta
 
30 de junho (1)
30 de junho (1)30 de junho (1)
30 de junho (1)
 
Açoes 2014, reginaldo
Açoes 2014, reginaldoAçoes 2014, reginaldo
Açoes 2014, reginaldo
 
Ações 2014 luiz (1)
Ações 2014 luiz (1)Ações 2014 luiz (1)
Ações 2014 luiz (1)
 
A formação continuada orientada e desenvolvida pelo Cefapro- Sinop- MT
A formação continuada orientada e desenvolvida pelo Cefapro- Sinop- MTA formação continuada orientada e desenvolvida pelo Cefapro- Sinop- MT
A formação continuada orientada e desenvolvida pelo Cefapro- Sinop- MT
 
Legislação - Amparo Legal Formação Continuada
Legislação - Amparo Legal Formação ContinuadaLegislação - Amparo Legal Formação Continuada
Legislação - Amparo Legal Formação Continuada
 
Texto orientativos desde 2003- Grupo de Pesquisadoras - Formadoras de SINOP e...
Texto orientativos desde 2003- Grupo de Pesquisadoras - Formadoras de SINOP e...Texto orientativos desde 2003- Grupo de Pesquisadoras - Formadoras de SINOP e...
Texto orientativos desde 2003- Grupo de Pesquisadoras - Formadoras de SINOP e...
 
Ações 2014 luiz (1)
Ações 2014 luiz (1)Ações 2014 luiz (1)
Ações 2014 luiz (1)
 
Registros - Caderno de Campo e Portfólio- Apresentação para a III feira Munic...
Registros - Caderno de Campo e Portfólio- Apresentação para a III feira Munic...Registros - Caderno de Campo e Portfólio- Apresentação para a III feira Munic...
Registros - Caderno de Campo e Portfólio- Apresentação para a III feira Munic...
 
Senilde ações 2014 cefapro
Senilde ações 2014 cefaproSenilde ações 2014 cefapro
Senilde ações 2014 cefapro
 
Senilde ações 2014 cefapro
Senilde ações 2014 cefaproSenilde ações 2014 cefapro
Senilde ações 2014 cefapro
 
Nice portfólio ações e atividades de 2014
Nice  portfólio ações e atividades de 2014Nice  portfólio ações e atividades de 2014
Nice portfólio ações e atividades de 2014
 
Nice portifolio ações e atividades de 2014
Nice portifolio ações e atividades de 2014Nice portifolio ações e atividades de 2014
Nice portifolio ações e atividades de 2014
 
Adenilse 2014 apresentação cefapro
Adenilse 2014 apresentação cefaproAdenilse 2014 apresentação cefapro
Adenilse 2014 apresentação cefapro
 
Apresentação ações 2014
Apresentação ações 2014Apresentação ações 2014
Apresentação ações 2014
 
José Paulo 2014-
José Paulo 2014-José Paulo 2014-
José Paulo 2014-
 
Apresentação Cefapro- Sinop
Apresentação   Cefapro- SinopApresentação   Cefapro- Sinop
Apresentação Cefapro- Sinop
 
Apresentação15
Apresentação15Apresentação15
Apresentação15
 
Apresentação ações 2014
Apresentação ações 2014Apresentação ações 2014
Apresentação ações 2014
 
Atividades realizadas2014 cassia
Atividades realizadas2014 cassiaAtividades realizadas2014 cassia
Atividades realizadas2014 cassia
 

Teofanis eja

  • 1. Educação de Jovens e Adultos  Professora: Teofanis Teresinha Zabot Anjos
  • 2. SALA DE EDUCADOR  CEJA SILVA FREIRE  CEJA JOSÉ DE ALENCAR  CEJA ARÃO GOMES  CEJA CLEONICE MIRANDA  EE JOÃO PAULO II
  • 3. Contexto Formativo: Quem são os jovens ? Quem são os adultos?
  • 4.  As teorias do desenvolvimento humano referem-se historicamente, de modo predominante à criança e ao adolescente, não tendo estabelecido uma boa psicologia de adultos. Assim os processos de construção do conhecimento e de aprendizagem dos jovens e adultos são muito pouco explorados nas teorias contemporâneas.
  • 5. Quem é o jovem?  Não é aquele com uma história de vida escolar regular, também não é o jovem vestibulando. É uma pessoa que tem uma trajetória de vida escolar de “fracasso”, de excluído do processo de escolarização.  Possuem uma diversidade de conhecimentos sobre o meio em que vivem e utilizam diferentes formas de expressão que devem ser consideradas pela escola. (manifestações culturais, diálogo).  Busca o conhecimento escolar para sentir-se incluído na sociedade.
  • 6. Quem são os adultos? O adulto, no âmbito da educação de jovens e adultos, não é o estudante universitário, o profissional qualificado que frequenta cursos de formação continuada ou de especialização, ou interessada em aperfeiçoar seus conhecimentos. É aquele que busca um conhecimento para sentir-se incluído na sociedade.
  • 7. Concepção de Educação de Jovens e Adultos  Refletir sobre como esses jovens e adultos pensam e aprendem envolve portanto transitar por este campos:     A condição de não crianças; A condição de excluídos da escola; A condição de membros de determinados grupos culturais; A condição de que trazem um larga experiência de vida.
  • 8.  Orientações  Trabalho Curriculares como princípio educativo;  Direito de aprender por toda a vida;  Ampliando práticas de cidadania;  Educação dialógica.  Concepção de Formação Humana  Superação das teorias tradicionais  Organização curricular (metodologias)  Planejamento por área de conhecimento  Capacidades/ descritores  Plano de aula (sequência didática construtiva).
  • 10. Passar de uma concepção fragmentária para uma Concepção de construção do conhecimento; CEJA’s Ter o ensino aprendizagem centrado numa visão de que aprendemos ao longo de toda a vida. Objetivos da metodologia de trabalho por área de conhecimento Integrar os conteúd os; Superar a dicotomia entre ensino e pesquisa, consider ando o estudo e a pesquisa a partir da contribuição das diversas ciências;
  • 11. ÁREAS DE CONHECIMENTO DISCIPLINAS INTEGRANTES OBJETO DE ESTUDO DA ÁREA Ciências da Natureza Ciências, Física, Química e Biologia Matemática A investigação científica e sua relação com o desenvolvimento tecnológico na sociedade. O paradigma da sustentabilidade nas relações ser humanonatureza. Ciências Humanas História, Geografia Filosofia, Sociologia, Ensino Religioso As ações humanas no âmbito das relações sociais e ambientais que são construídas entre diferentes indivíduos, grupos, segmentos e classes sociais. Linguagem Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Arte e Educação Física A linguagem como mediação entre o ser humano e a realidade na produção de sentidos. A competência de COMUNICAR-SE.
  • 12.  Que conteúdos então são necessários para jovens e adultos que buscam uma escolarização tardia?  Os conteúdos necessários são aqueles que podem ser utilizados na vida cotidiana como meio para a autonomia do sujeito. Pode-se afirmar que a escola deverá incorporar efetivamente os conhecimentos – conteúdos e capacidades – necessários para que o indivíduo possa desenvolver-se física, afetiva, intelectual e moralmente, a fim de desempenharse com autonomia no âmbito político, econômico, e social no seu contexto de vida.
  • 13.  Que organização lhe será dada, considerando os objetivos gerais do trabalho, os Eixos Norteadores, as possibilidades e objetivos de estudantes e professores de cada unidade escolar?  Tecitura do conhecimento em rede; aprendizagem por projetos; temas geradores, projetos de trabalho etc.  O sucesso do trabalho por área de conhecimento que vem sendo desenvolvido nos CEJA’s. permite afirmar que para os educandos a redução da diversidade disciplinar no enfrentamento da escolarização cotidiana torna mais confortável favorecendo a permanência dos educandos na escola.
  • 14. Principais autores que fundamentaram trabalho:  Paulo Freire  Martha Koll de Oliveira  Jane Paiva  Inês Barbosa  Timothy Ireland  Moacir Gadotti entre outros e  Orientações Curriculares  DIRETRIZES CURRICULARES PARA A  EJA / MEC 2002
  • 15. Participação no Encontro  EDUCAÇÃO EM PRISÕES Dias 11 a 14 de Junho de 2013 Objetivo: Elaborar Plano de Ação para Educação em Prisões; Estabelecer metas; Promover o diálogo Entre SEDUC/SEJUDH;
  • 16. Projeto (Ideia inicial)  Educação como instrumento de ressocialização através da Educação de Jovens e Adultos desenvolvido pelo CEJA Benedito Sant’ana da Silva Freire Sinop/MT.
  • 17. Objetivo Geral: Fomentar o atendimento educacional das pessoas privadas de liberdade no Presídio Ferrugem de Sinop, através do Centro de Educação de Jovens e Adultos Benedito Sant’ana da Silva Freire.
  • 18. Objetivos específicos:  Implementar novo Projeto de atendimento pelo CEJA Benedito Sant’na da Silva Freire aos reeducandos a serem atendidos nas salas de aula na Cadeia e Presídio de Sinop.  Garantir histórico e certificação aos reeducandos através do CEJA Benedito Santana da Silva Freire.  Favorecer as condições de atendimento in loco com relação a: material escolar, merenda, apoio pedagógico e demais aspectos que contemplem os recursos advindos de verbas federais e estaduais aos estudantes que estejam matriculados no CEJA Benedito Sant’Ana da Silva Freire.
  • 19. ○ Assegurar atendimento presencial da Assessoria Pedagógica de Sinop tanto com relação as aplicações das verbas, bem com nas orientações administrativas e pedagógicas; ○ Aprimorar e fortalecer as relações entre as instituições envolvidas com a temática: SEJUDH, SEDUC, CEFAPRO, Assessoria, CEJA, SEJUSP, Fundação Nova Chance.
  • 21.  A ideia central dessa formação é favorecer a leitura compartilhada, o trabalho conjunto, a reflexão solidária, a aprendizagem em parceria, buscando propiciar momentos agradáveis de aprendizagem coletiva e a expectativa de aprofundar o estudo das Orientações Curriculares para a EJA, intensificando o gosto pela construção coletiva do conhecimento pedagógico, favorecendo o desenvolvimento pessoal e profissional dos participantes e, principalmente, criando novas possibilidades de trabalho com os educandos para melhorar a qualidade de suas aprendizagens.
  • 22. OBJETIVOS Proporcionar aos professores subsídios para reflexão conjunta e de investigação, no contexto da escola, acerca das questões enfrentadas pelo coletivo escolar.  2. Propiciar a articulação entre teoria e prática através do desenvolvimento de atividades contextualizadas.  3. Possibilitar a organização de um registro de todas as atividades desenvolvidas entre os educadores da EJA.  1.
  • 23. Estabelecendo a comunicação entre os CEJAs e as demais escolas que ofertam a EJA  Criação de Blog  salaeducadorceja.blogspot.com   Página TEXTOS Pagina VÍDEOS
  • 24. Espaços deliberativos e formativos FPDEJA - Fóruns da EJA (regionais e estaduais)  A organização dos Fóruns de EJA em Mato Grosso possibilita a interação entre os municípios de polo, contribuindo para as discussões políticas e também formativas. 
  • 25.
  • 26.
  • 27.  Todos estamos matriculados na escola da vida onde o mestre é o tempo. Cora Coralina
  • 28. A todos que fizeram parte da minha história de vida como profissional da educação meu muito obrigada de coração!!! Feliz Natal Feliz 2014