SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Baixar para ler offline
ANTECEDENTES
HISTÓRICOS DA
ADMINISTRAÇÃO
Professor: Sérgio Oliveira
REVOLUÇÃO URBANA
▪ Por volta de 4000 a.C. a
Revolução Agrícola
evoluiu para a
Revolução Urbana.
Surgiram as cidades e
os Estados.
▪ Por volta de 3000
a.C. os sumérios –
Mesopotâmica -
demonstraram as
primeiras práticas da
administração na
formação de uma
“sociedade de
irrigação”
▪ Coordenação dos esforços coube
a quem exercia as funções
sacerdotais.
▪ Mandaram construir templos que
se transformaram em centros
administrativos.
▪ Funcionários faziam anotações
para arquivos. Havia registros de
recebimento, armazenagem e
desembolsos de produtos
SUMÉRIA -
MESOPOTÂMIA
Surgimento das
cidades e Estados.
Formação de uma
classe de dirigentes
profissionais, reis-
sarcedores
Formação d euma
classe de
funcionários
públicos.
Invenção da
Contabilidade
primitiva
Legislação
Estrutura de
colaboração e
coordenação entre
cidades-estados
Planejamento de
longo prazo
Administração de
grandes projetos de
construção
Exércitos
profissionais
especializados
EGITO
▪ A regularidade das
inundações do Nilo tiveram
grande influência sobre os
egípcios, o que levou a
desenvolver a mentalidade
orientada para o
planejamento a longo
prazo.
▪ A construção das pirâmides
são o maior testemunho
das aptidões técnicas e
administrativas dos
egípcios.
▪ Problemas de mão de obra,
uso de arquitetos e
logística.
• Cerca de 100.000
pessoas trabalharam
na construção da
pirâmides de Quéops
• 2.300.00 blocos de
pedras, com peso
médio de 2,5
toneladas
• 146,5 metros de
altura e 230 metros
cada lado
• Fim dos governos provincianos
para dar lugar a um governo
centralizado, governador por
militares.
• O Faraó tornou-se proprietário de
todas as terras. Criação da própria
burocracia administrativa. Surgiram
os escribas, que mantinham
registros detalhados das
operações.
• Criação do exército regular, com
soldados assalariados e fortes para
proteção.
Mudanças
BABILÔNIA E ASSÍRIA
▪ Código do rei
babilônio – As
regras
representam
os princípios
da
administração
▪ Se um homem entrega a outro prata, ouro
ou qualquer coisa em depósito, seja o que
for que entregue, mostrá-lo-á a uma
testemunha, combinará os termos dos
contratos e fará então o depósito.
▪ Se um mercador entrega a um agente
cereal, lã, azeite ou mercadorias de
qualquer espécie para negociar, o agente
registrará o valor e pagará em dinheiro ao
mercador. O agente receberá um recibo
selado pelo dinheiro que entregar ao
mercador. Se o agente for descuidado e
não ficar com um recibo pelo dinheiro que
entregou ao mercador, o dinheiro sem
recibo não será lançado em sua conta -
(PRÁTICA DE CONTROLE)
▪ O pedreiro que constrói uma casa
que desmorona e mata seus
residentes será condenado à morte.
▪ Se um comerciante de vinho permitir
que homens turbulentos se reúnam
em sua casa e não os expulsar, será
morto.
▪ Se um doutor operar uma ferida com
uma lanceta de cobre e o paciente
morrer, ou o olho de um nobre
perder a vista em consequência
disto, as mãos do doutor serão
cortadas – (PRINCÍPIO DA
RESPONSABILIDADE)
▪ Utilizavam cores para
controlar a produção e o
tempo que cada lote
permanecia nos estoques
▪ Foram pioneiros na
instalação de um sistema
de incentivos salariais.
Óleo de Diego Velasquez "As fiadeiras" - 1657
CHINA
▪ Século XXIV a.C o
Imperador Yao
empregou o
princípio da
assessoria.
▪ Reunião com
assessores e
ministros para
aconselhar-se e
delegar-lhes
poderes
1. Organização para
que o estado possa ser
estabelecido.
▪ Criou um manual
de administração
para o primeiro-
ministro:
2. Funções – para
que o Estado possa
ser esclarecido.
3. Relações –
governo possa ser
cooperativo.
4. Procedimento –
Foco na eficiência.
5. Formalidades –
possa parecer
permanente.
6. Controle – Ser
completo
7. Punições –
estado possa ser
corrigido
8. Conta – Para
que o estado seja
fiscalizado
SUN -TZU ▪ Arte da Guerra – filme 11
minutos
▪ O TEXTO TRATA DE PRINCÍPIOS
FUNDAMENTAIS PERMANENTES
▪ PLANEJAMENTO
▪ COMANDO
▪ DOUTRINA
▪ POR COMANDO – ATRIBUTOS DO
GENERAL QUANTO A SABEDORIA,
SINCEIRIDADE, HUMILDADE,
CORAGEM E EXIGÊNCIA;
▪ DOUTRINA – ORGANIZAÇÃO,
CONTROLE, ATRIBUIÇÃO
CORRETA DOS POSTOS DO
COMANDO, ORDENAÇÃO DAS
VIAS DE ABASTECIMENTO DAS
TROPAS
▪ OS GENERAIS DEVEM CRIAR
VANTAGENS CONDUCENTES À
SUA CONCRETIZAÇÃO. DEVERÁ
ATUAR COM RAPIDEZ E DE
ACORDO COM O QUE FOR
VANTAJOSO PARA PODER
CONTROLAR OS RESULTADOS
CONFÚCIO E MÊNCIO
▪ A importância das
pessoas deve basear-
se no mérito. Este tem
por base o
conhecimento.
▪ Profissionalismo na
administração pública.
Os governantes
deveriam sistematizar
a condução dos
negócios públicos:
▪ Mêncio fala sobre a
organização do negócio
como sistemas
▪ Sistemas facilita a
execução até mesmo
para os menos
habilidosos, gerando
resultados
▪ O regime do
confucionismos –
contratação eram feitas
com à submissão de
exames – criou o
concurso público
Vídeo sobre Confúcio 17 minutos
Democracia -
Administração
participativa
Executivos
Eleitos pela
assembleia dos
cidadãos
Ética – Foco na
felicidade dos
cidadãos como
objetivo do poder
público
Método
Conhecimento
gerado pela
investigação
sistêmica
Estratégia –
Encadeamento de
meios lógicos para a
realização dos fins
Qualidade – Ideal do
melhor em qualquer
campo de atuação
GRÉCIA
Influência dos Filósofos
Aristóteles (384 a.c. – 322 a.c.) Em
sua obra Política, falava sobre a
organização do estado em três
formas:
1. Monarquia
2. Aristocracia
3. Democracia
4. Aristóteles entendia que o
conhecimento começa com o
estudo da realidade
Sócrates (470 a.c. –
399 a.c.)
defendia a
Administração como
uma habilidade
pessoal separada do
conhecimento
técnico.
Platão (429 a.c. – 347 a.c.) Em
análise aos problemas decorrentes
do desenvolvimento social e
cultural, defendia a Administração
Democrática de governo como a
adequada para os negócios
públicos.
Um dos defensores do métodos,
afirma que o verdadeiro
conhecimento vinha da
especulação conceitual,
encontrava-se nas idéias e formas
ROMA
PRINCÍPIOS
▪ DIVIDIR PARA GOVERNAR
▪ O IMPÉRIO FOI DIVIDO EM
QUATRO GRANDES
REGIÕES
▪ ESTAS DIVIDIAM EM 13
DIOCESES –
ADMINISTRADOS POR
VIGÁRIOS
▪ QUE SE DIVIDIAM EM 101
PROVÍNCIAS – COM
GOVERNADORES
Administração Financeira
▪ Principais fontes de Receita do Estado – Tributos cobrados nas cidades
conquistadas por Roma. Os habitantes pagam um tributo sobre as propriedades
e um imposto individual.
▪ Surgimento dos coletores – A coleta dos tributos era terceirizada na forma de
arrendamento – coletor paga dividendos ao estado.
▪ Criação de grandes empresas sob a forma de sociedade de ação – para a coleta
dos impostos
▪ Direito romano conferiu à propriedade privada sua identidade formal aos
proprietários
▪ Surgimento da propriedade privada
PERÍODO MEDIEVAL
▪ ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
▪ Extensão das práticas
romanas, era marcada pela
existência de associações
de artesãos ou empresários
– GUILDAS,
▪ Controlavam a produção e a
distribuição de bens;
• Protegiam os produtores
da concorrência por meio
de práticas justas
• As empresas tinham
estruturas hierárquicas
• Processo decisório
coletivo com participação
dos funcionários
• Regulamentação dos
trabalhos
RENASCIMENTO
▪ O MERCANTILISMO OU CAPITALISMO MERCANTIL
▪ Nascimento da burguesia e com
ela o surgimento de famílias de
comerciantes e banqueiros
▪ Surgimento dos intermediários
e agenciadores da matéria
prima e mão de obra;
▪ Negócios tornam-se redes,
que faziam o comércio de
bens em larga escala.
▪ Processo de tomada de
decisão se tornou
centralizado;
CONTRIBUIÇÕES
VENEZA
▪ Sociedade de famílias para
constituir empresas – utilização
de contratos sociais de duração
limitada – fretamento de navios
para o comércio internacional.
▪ Entrega de mercadorias em
consignação para
distribuidores, que recebiam
pagamentos de comissão
sobre vendas;
▪ Uso de livros de contabilidade
▪ Sistema de linha de
montagem para as
embarcações
▪ Disposição dos armazéns
de peças ao logo do canal
▪ Oficiais de montagem especializados em partes
▪ Peças padronizadas – serviam em outros navios
▪ Embarcação com projetos básicos
▪ Remuneração de horas extras
▪ Supervisão focando na qualidade, horas trabalhadas e
na disciplina
▪ Desempenho no sistema de mérito – aumento salários
INFLUÊNCIA DAS CIÊNCIAS NA ADMINISTRAÇÃO
RENÉ DESCARTES
(1596-1650) (francês)
descreveu o método
cartesiano, cujos
princípios são:
▪ Princípio da duvida sistemática
ou da evidencia: Consiste em
não aceitar como verdadeira
coisa alguma enquanto não se
souber com evidência aquilo que
é realmente verdadeiro.
▪ Princípio da Analise ou
Decomposição: Consiste em
dividir e decompor cada
dificuldade ou problema em
tantas partes quantas sejam
possíveis e necessárias á sua
adequação e solução e resolve-
la cada uma separadamente.
▪ Princípio da Síntese ou da
Composição:
Consiste em conduzir
ordenadamente nossos
pensamentos e nossos
pensamentos e nosso raciocínio,
começando pelos objetivos e
assuntos mais fáceis e simples de
se conhecer, para passarmos
gradativamente aos mais difíceis.
Princípios da Administração:
divisão do trabalho,
da ordem
controle
Princípio da Enumeração
ou da Verificação:
Consiste em fazer
recontagens, verificações e
revisões tão gerais que se
fique seguro de nada haver
omitido ou deixado á parte.
REVOLUÇÃO INDÚSTRIAL
▪ A ruptura das estruturas corporativas da Idade
Média;
▪ O avanço tecnológico e a aplicação dos
progressos científicos à produção, a
descoberta de novas formas de energia e a
enorme ampliação de mercados.
▪ A substituição do tipo artesanal por um tipo
industrial de produção.
FATORES QUE POSSIBILITARAM O NASCIMENTO
DA ORGANIZAÇÃO E DA EMPRESA MODER:
CONTRIBUIÇÕES
Embrião da Teoria Administrativa
A BUSCA PELA EFICIÊNCIA NA PRODUÇÃO
PARA O AUMENTO DA MESMA.
PARA ATINGIR OS OJETIVOS – REDUÇÃO
DO NÚERO DE TAREFAS DE CADA
TRABALHADOR;
AUMENTO DA VELOCIDADE DE EXECUÇÃO
DOS TRABALHOS;
GANHO DE EFICIÊNCIA
Práticas de administração
rudimentares.
Qualidade do produto precária e
variável vigorando o princípio de
que cabia ao comprador
inspecionar o que comprava.
Pagamento de baixos salários e
usava-se capatazes para fazer o
controle cerrado da mão-de-obra.
EFICIÊNCIA
ADAM SMITH
Fundador da economia clássica, cuja ideia central é a
competição.
Na administração, contribuiu com o principio da
especialização e o principio da divisão do trabalho.
livro A Riqueza das Nações.
Adam Smith reforçou a importância do planejamento e
da organização dentro das funções da Administração.
JAMES MILL
Estudava o tempo e movimentos como meio de
obter incremento da produção nas indústrias da
época – Foco, principalmente, na Eficiência
FUNDIÇÃO SOHO
Campo das
experiências
práticas –
pioneirismo de
conceitos
fundamentais da
ADM.
 Padronização do funcionamento das máquinas,
objetivando equilibrar o ritmo de fabricação;
 Fabricação de peças intercambiáveis;
 Detalhando planejamento das operações e do
local de trabalho – foco na otimização do
espaço físico e alto grau de precisão – redução
dos esforços humanos
 Cronometragem e estudo de tempos e
movimentos
 Pagamentos e incentivos salariais
 Principal recurso da empresa era a mão de
obra;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão e Organização de Empresas parte 1
Gestão e Organização de Empresas parte 1Gestão e Organização de Empresas parte 1
Gestão e Organização de Empresas parte 1André Silva
 
Fundamentos de administração 1
Fundamentos de administração 1Fundamentos de administração 1
Fundamentos de administração 1Andrey Martins
 
Primordios da administração apresentação
Primordios da administração apresentaçãoPrimordios da administração apresentação
Primordios da administração apresentaçãocalinesa
 
Funções da Administração
Funções da AdministraçãoFunções da Administração
Funções da AdministraçãoDivino Fredson
 
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Aula 5  - Teoria das Relações HumanasAula 5  - Teoria das Relações Humanas
Aula 5 - Teoria das Relações HumanasProf. Leonardo Rocha
 
Aula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismoAula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismoNJS Consultoria
 
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)Gustavo Zimmermann
 
01 historia do trabalho
01 historia do trabalho01 historia do trabalho
01 historia do trabalhoVânia Franco
 
Estrutura Organizacional - Conceito e Tipos
Estrutura Organizacional - Conceito e TiposEstrutura Organizacional - Conceito e Tipos
Estrutura Organizacional - Conceito e TiposMatheus Inácio
 
1 introdução e primórdios da adm
1 introdução e primórdios da adm1 introdução e primórdios da adm
1 introdução e primórdios da admJean Leão
 
Evolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias AdministrativasEvolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias AdministrativasWilliam Costa
 
Apostila rotinas administrativa 2013
Apostila rotinas administrativa 2013Apostila rotinas administrativa 2013
Apostila rotinas administrativa 2013Anderson Vasconcelos
 
Cultura organizacional
Cultura organizacionalCultura organizacional
Cultura organizacionalMichael Silva
 
Introdução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e OperaçõesIntrodução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e Operaçõesdouglas
 
Etica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de TrabalhoEtica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de TrabalhoNyedson Barbosa
 

Mais procurados (20)

Gestão e Organização de Empresas parte 1
Gestão e Organização de Empresas parte 1Gestão e Organização de Empresas parte 1
Gestão e Organização de Empresas parte 1
 
Fundamentos de administração 1
Fundamentos de administração 1Fundamentos de administração 1
Fundamentos de administração 1
 
Primordios da administração apresentação
Primordios da administração apresentaçãoPrimordios da administração apresentação
Primordios da administração apresentação
 
Organização do trabalho
Organização do trabalhoOrganização do trabalho
Organização do trabalho
 
Cultura Organizacional
Cultura OrganizacionalCultura Organizacional
Cultura Organizacional
 
Funções da Administração
Funções da AdministraçãoFunções da Administração
Funções da Administração
 
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Aula 5  - Teoria das Relações HumanasAula 5  - Teoria das Relações Humanas
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
 
Teorias da Administração
Teorias da AdministraçãoTeorias da Administração
Teorias da Administração
 
Aula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismoAula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismo
 
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
 
01 historia do trabalho
01 historia do trabalho01 historia do trabalho
01 historia do trabalho
 
Estrutura Organizacional - Conceito e Tipos
Estrutura Organizacional - Conceito e TiposEstrutura Organizacional - Conceito e Tipos
Estrutura Organizacional - Conceito e Tipos
 
1 introdução e primórdios da adm
1 introdução e primórdios da adm1 introdução e primórdios da adm
1 introdução e primórdios da adm
 
Evolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias AdministrativasEvolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias Administrativas
 
Cultura e Clima Organizacionais
Cultura e Clima OrganizacionaisCultura e Clima Organizacionais
Cultura e Clima Organizacionais
 
Apostila rotinas administrativa 2013
Apostila rotinas administrativa 2013Apostila rotinas administrativa 2013
Apostila rotinas administrativa 2013
 
Cultura organizacional
Cultura organizacionalCultura organizacional
Cultura organizacional
 
Introdução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e OperaçõesIntrodução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e Operações
 
Teoria geral da administração
Teoria geral da administraçãoTeoria geral da administração
Teoria geral da administração
 
Etica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de TrabalhoEtica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de Trabalho
 

Destaque

Origem da administração
Origem da administraçãoOrigem da administração
Origem da administraçãoRicardo_Roque
 
A influência da igreja católica na administração
A influência da igreja católica na administraçãoA influência da igreja católica na administração
A influência da igreja católica na administraçãoMarcioveras
 
ADM - Introdução à administração e às organizações
ADM - Introdução à administração e às organizaçõesADM - Introdução à administração e às organizações
ADM - Introdução à administração e às organizaçõesGabriel Faustino
 
Aula 2 adm - Primórdios da Administração
Aula 2 adm - Primórdios da AdministraçãoAula 2 adm - Primórdios da Administração
Aula 2 adm - Primórdios da AdministraçãoPMY TECNOLOGIA LTDA
 
Conceito bens serviços_curva de produção e modelos
Conceito bens serviços_curva de produção e modelosConceito bens serviços_curva de produção e modelos
Conceito bens serviços_curva de produção e modelosPriscila Reis
 
Habilidades do administrador slides
Habilidades do administrador   slidesHabilidades do administrador   slides
Habilidades do administrador slidesVanessa
 
Aula 1 antecedentes historicos
Aula 1   antecedentes historicosAula 1   antecedentes historicos
Aula 1 antecedentes historicosMarta Figueiredo
 
IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)
IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)
IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)pdrohfa
 
Princípios de administração na igreja
Princípios de administração na igrejaPrincípios de administração na igreja
Princípios de administração na igrejaClaudinei Dias
 
Administração e Organização
Administração e OrganizaçãoAdministração e Organização
Administração e OrganizaçãoJonathan Nascyn
 
Modelo trabalho na ABNT
Modelo trabalho na ABNTModelo trabalho na ABNT
Modelo trabalho na ABNTMicheli Wink
 
Introdução à tga organizações e o papel da administração
Introdução à tga organizações e o papel da administraçãoIntrodução à tga organizações e o papel da administração
Introdução à tga organizações e o papel da administraçãoSérgio Oliveira
 
1ª e 2ª aulas o que é macroeconomia
1ª e 2ª aulas o que é macroeconomia1ª e 2ª aulas o que é macroeconomia
1ª e 2ª aulas o que é macroeconomiaCintia Andrade
 
Bird 2º edição solutions,
Bird 2º edição solutions,Bird 2º edição solutions,
Bird 2º edição solutions,marcopesoa
 
Introdução Geral a Administração
Introdução Geral a AdministraçãoIntrodução Geral a Administração
Introdução Geral a AdministraçãoJeane Santos
 

Destaque (20)

Precedentes Administração
Precedentes AdministraçãoPrecedentes Administração
Precedentes Administração
 
Linha Histórica da Administração
Linha Histórica da AdministraçãoLinha Histórica da Administração
Linha Histórica da Administração
 
Origem da administração
Origem da administraçãoOrigem da administração
Origem da administração
 
Antecedentes
AntecedentesAntecedentes
Antecedentes
 
(4) administração evolução e conceitos
(4) administração evolução e conceitos(4) administração evolução e conceitos
(4) administração evolução e conceitos
 
A influência da igreja católica na administração
A influência da igreja católica na administraçãoA influência da igreja católica na administração
A influência da igreja católica na administração
 
ADM - Introdução à administração e às organizações
ADM - Introdução à administração e às organizaçõesADM - Introdução à administração e às organizações
ADM - Introdução à administração e às organizações
 
Aula 2 adm - Primórdios da Administração
Aula 2 adm - Primórdios da AdministraçãoAula 2 adm - Primórdios da Administração
Aula 2 adm - Primórdios da Administração
 
Conceito bens serviços_curva de produção e modelos
Conceito bens serviços_curva de produção e modelosConceito bens serviços_curva de produção e modelos
Conceito bens serviços_curva de produção e modelos
 
Habilidades do administrador slides
Habilidades do administrador   slidesHabilidades do administrador   slides
Habilidades do administrador slides
 
Aula 1 antecedentes historicos
Aula 1   antecedentes historicosAula 1   antecedentes historicos
Aula 1 antecedentes historicos
 
IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)
IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)
IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)
 
Princípios de administração na igreja
Princípios de administração na igrejaPrincípios de administração na igreja
Princípios de administração na igreja
 
Administração e Organização
Administração e OrganizaçãoAdministração e Organização
Administração e Organização
 
Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01
 
Modelo trabalho na ABNT
Modelo trabalho na ABNTModelo trabalho na ABNT
Modelo trabalho na ABNT
 
Introdução à tga organizações e o papel da administração
Introdução à tga organizações e o papel da administraçãoIntrodução à tga organizações e o papel da administração
Introdução à tga organizações e o papel da administração
 
1ª e 2ª aulas o que é macroeconomia
1ª e 2ª aulas o que é macroeconomia1ª e 2ª aulas o que é macroeconomia
1ª e 2ª aulas o que é macroeconomia
 
Bird 2º edição solutions,
Bird 2º edição solutions,Bird 2º edição solutions,
Bird 2º edição solutions,
 
Introdução Geral a Administração
Introdução Geral a AdministraçãoIntrodução Geral a Administração
Introdução Geral a Administração
 

Semelhante a Antecedentes históricos da administração

Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2Wandick Rocha de Aquino
 
Contabilidade Para NãO Contadores
Contabilidade Para NãO ContadoresContabilidade Para NãO Contadores
Contabilidade Para NãO ContadoresLeonardo Novaes
 
A história da contabilidade!
A história da contabilidade!A história da contabilidade!
A história da contabilidade!wrssantos
 
Contabilidade gerencial
Contabilidade gerencialContabilidade gerencial
Contabilidade gerencialJoão Batista
 
Caderno - Teoria das Organizações
Caderno - Teoria das OrganizaçõesCaderno - Teoria das Organizações
Caderno - Teoria das OrganizaçõesCadernos PPT
 
Apostila preparatória exame suficiência
Apostila preparatória exame suficiênciaApostila preparatória exame suficiência
Apostila preparatória exame suficiênciaLetícia Melo
 
Administração financeira
Administração financeiraAdministração financeira
Administração financeiraafpinto
 
Introdução - ética
Introdução - éticaIntrodução - ética
Introdução - éticaDavi Islabao
 
Atps direito empresarial e tributário
Atps direito empresarial e tributárioAtps direito empresarial e tributário
Atps direito empresarial e tributárioSAMRASEC
 
eco aula 1 - Disciplina de economia e administração rural
eco aula 1 - Disciplina de economia e administração ruraleco aula 1 - Disciplina de economia e administração rural
eco aula 1 - Disciplina de economia e administração ruralCarol Castro
 
6cce08ed-df59-8e12-5c0c-66645ef1363d.pptx
6cce08ed-df59-8e12-5c0c-66645ef1363d.pptx6cce08ed-df59-8e12-5c0c-66645ef1363d.pptx
6cce08ed-df59-8e12-5c0c-66645ef1363d.pptxemanuelleribeiro15
 
Art cientifico gestao de pessoa
Art cientifico gestao de pessoaArt cientifico gestao de pessoa
Art cientifico gestao de pessoaprofrosane
 
APOSTILA_DE_PRATICAS_CONTABEIS_I.doc
APOSTILA_DE_PRATICAS_CONTABEIS_I.docAPOSTILA_DE_PRATICAS_CONTABEIS_I.doc
APOSTILA_DE_PRATICAS_CONTABEIS_I.docLeoAnjos4
 

Semelhante a Antecedentes históricos da administração (20)

Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2
 
Contabilidade Para NãO Contadores
Contabilidade Para NãO ContadoresContabilidade Para NãO Contadores
Contabilidade Para NãO Contadores
 
Artigo prof ivan
Artigo prof ivanArtigo prof ivan
Artigo prof ivan
 
Trabalho tributária
Trabalho tributáriaTrabalho tributária
Trabalho tributária
 
Contabilidade financeira e gerencial(1)
Contabilidade financeira e gerencial(1)Contabilidade financeira e gerencial(1)
Contabilidade financeira e gerencial(1)
 
A história da contabilidade!
A história da contabilidade!A história da contabilidade!
A história da contabilidade!
 
Contabilidade gerencial
Contabilidade gerencialContabilidade gerencial
Contabilidade gerencial
 
Caderno - Teoria das Organizações
Caderno - Teoria das OrganizaçõesCaderno - Teoria das Organizações
Caderno - Teoria das Organizações
 
Apostila preparatória exame suficiência
Apostila preparatória exame suficiênciaApostila preparatória exame suficiência
Apostila preparatória exame suficiência
 
Fundamentos de contabilidade i
Fundamentos de contabilidade iFundamentos de contabilidade i
Fundamentos de contabilidade i
 
Teoria contab
Teoria contabTeoria contab
Teoria contab
 
Noção da contabibilidade
Noção da contabibilidadeNoção da contabibilidade
Noção da contabibilidade
 
Administração financeira
Administração financeiraAdministração financeira
Administração financeira
 
Introdução - ética
Introdução - éticaIntrodução - ética
Introdução - ética
 
Trabalho sig
Trabalho sigTrabalho sig
Trabalho sig
 
Atps direito empresarial e tributário
Atps direito empresarial e tributárioAtps direito empresarial e tributário
Atps direito empresarial e tributário
 
eco aula 1 - Disciplina de economia e administração rural
eco aula 1 - Disciplina de economia e administração ruraleco aula 1 - Disciplina de economia e administração rural
eco aula 1 - Disciplina de economia e administração rural
 
6cce08ed-df59-8e12-5c0c-66645ef1363d.pptx
6cce08ed-df59-8e12-5c0c-66645ef1363d.pptx6cce08ed-df59-8e12-5c0c-66645ef1363d.pptx
6cce08ed-df59-8e12-5c0c-66645ef1363d.pptx
 
Art cientifico gestao de pessoa
Art cientifico gestao de pessoaArt cientifico gestao de pessoa
Art cientifico gestao de pessoa
 
APOSTILA_DE_PRATICAS_CONTABEIS_I.doc
APOSTILA_DE_PRATICAS_CONTABEIS_I.docAPOSTILA_DE_PRATICAS_CONTABEIS_I.doc
APOSTILA_DE_PRATICAS_CONTABEIS_I.doc
 

Mais de Sérgio Oliveira

Marketing relacionamento e mídias sociais by sérgio oliveira
Marketing relacionamento e mídias sociais by sérgio oliveiraMarketing relacionamento e mídias sociais by sérgio oliveira
Marketing relacionamento e mídias sociais by sérgio oliveiraSérgio Oliveira
 
MÍDIAS SOCIAIS – Ferramentas de estratégia de marketing de relacionamento par...
MÍDIAS SOCIAIS – Ferramentas de estratégia de marketing de relacionamento par...MÍDIAS SOCIAIS – Ferramentas de estratégia de marketing de relacionamento par...
MÍDIAS SOCIAIS – Ferramentas de estratégia de marketing de relacionamento par...Sérgio Oliveira
 
Estratratégia de Marketing - Aula 19_10_08
Estratratégia de Marketing - Aula 19_10_08Estratratégia de Marketing - Aula 19_10_08
Estratratégia de Marketing - Aula 19_10_08Sérgio Oliveira
 
CRM - Customer Relationship Managment
CRM - Customer Relationship ManagmentCRM - Customer Relationship Managment
CRM - Customer Relationship ManagmentSérgio Oliveira
 
Aula gestão de informção
Aula gestão de informçãoAula gestão de informção
Aula gestão de informçãoSérgio Oliveira
 
Aula gestão estratégica de informação
Aula gestão estratégica de informaçãoAula gestão estratégica de informação
Aula gestão estratégica de informaçãoSérgio Oliveira
 
Quem é o nosso consumidor
Quem é o nosso consumidorQuem é o nosso consumidor
Quem é o nosso consumidorSérgio Oliveira
 
Marketing de relacionamento
Marketing de relacionamentoMarketing de relacionamento
Marketing de relacionamentoSérgio Oliveira
 

Mais de Sérgio Oliveira (11)

Orientação de Marketing
Orientação de MarketingOrientação de Marketing
Orientação de Marketing
 
Introdução ao Marketing
Introdução ao MarketingIntrodução ao Marketing
Introdução ao Marketing
 
Marketing relacionamento e mídias sociais by sérgio oliveira
Marketing relacionamento e mídias sociais by sérgio oliveiraMarketing relacionamento e mídias sociais by sérgio oliveira
Marketing relacionamento e mídias sociais by sérgio oliveira
 
MÍDIAS SOCIAIS – Ferramentas de estratégia de marketing de relacionamento par...
MÍDIAS SOCIAIS – Ferramentas de estratégia de marketing de relacionamento par...MÍDIAS SOCIAIS – Ferramentas de estratégia de marketing de relacionamento par...
MÍDIAS SOCIAIS – Ferramentas de estratégia de marketing de relacionamento par...
 
Vendedor de Sucesso
Vendedor de SucessoVendedor de Sucesso
Vendedor de Sucesso
 
Estratratégia de Marketing - Aula 19_10_08
Estratratégia de Marketing - Aula 19_10_08Estratratégia de Marketing - Aula 19_10_08
Estratratégia de Marketing - Aula 19_10_08
 
CRM - Customer Relationship Managment
CRM - Customer Relationship ManagmentCRM - Customer Relationship Managment
CRM - Customer Relationship Managment
 
Aula gestão de informção
Aula gestão de informçãoAula gestão de informção
Aula gestão de informção
 
Aula gestão estratégica de informação
Aula gestão estratégica de informaçãoAula gestão estratégica de informação
Aula gestão estratégica de informação
 
Quem é o nosso consumidor
Quem é o nosso consumidorQuem é o nosso consumidor
Quem é o nosso consumidor
 
Marketing de relacionamento
Marketing de relacionamentoMarketing de relacionamento
Marketing de relacionamento
 

Antecedentes históricos da administração

  • 2. REVOLUÇÃO URBANA ▪ Por volta de 4000 a.C. a Revolução Agrícola evoluiu para a Revolução Urbana. Surgiram as cidades e os Estados. ▪ Por volta de 3000 a.C. os sumérios – Mesopotâmica - demonstraram as primeiras práticas da administração na formação de uma “sociedade de irrigação” ▪ Coordenação dos esforços coube a quem exercia as funções sacerdotais. ▪ Mandaram construir templos que se transformaram em centros administrativos. ▪ Funcionários faziam anotações para arquivos. Havia registros de recebimento, armazenagem e desembolsos de produtos SUMÉRIA - MESOPOTÂMIA
  • 3. Surgimento das cidades e Estados. Formação de uma classe de dirigentes profissionais, reis- sarcedores Formação d euma classe de funcionários públicos. Invenção da Contabilidade primitiva Legislação Estrutura de colaboração e coordenação entre cidades-estados Planejamento de longo prazo Administração de grandes projetos de construção Exércitos profissionais especializados
  • 4. EGITO ▪ A regularidade das inundações do Nilo tiveram grande influência sobre os egípcios, o que levou a desenvolver a mentalidade orientada para o planejamento a longo prazo. ▪ A construção das pirâmides são o maior testemunho das aptidões técnicas e administrativas dos egípcios. ▪ Problemas de mão de obra, uso de arquitetos e logística. • Cerca de 100.000 pessoas trabalharam na construção da pirâmides de Quéops • 2.300.00 blocos de pedras, com peso médio de 2,5 toneladas • 146,5 metros de altura e 230 metros cada lado • Fim dos governos provincianos para dar lugar a um governo centralizado, governador por militares. • O Faraó tornou-se proprietário de todas as terras. Criação da própria burocracia administrativa. Surgiram os escribas, que mantinham registros detalhados das operações. • Criação do exército regular, com soldados assalariados e fortes para proteção. Mudanças
  • 5. BABILÔNIA E ASSÍRIA ▪ Código do rei babilônio – As regras representam os princípios da administração ▪ Se um homem entrega a outro prata, ouro ou qualquer coisa em depósito, seja o que for que entregue, mostrá-lo-á a uma testemunha, combinará os termos dos contratos e fará então o depósito. ▪ Se um mercador entrega a um agente cereal, lã, azeite ou mercadorias de qualquer espécie para negociar, o agente registrará o valor e pagará em dinheiro ao mercador. O agente receberá um recibo selado pelo dinheiro que entregar ao mercador. Se o agente for descuidado e não ficar com um recibo pelo dinheiro que entregou ao mercador, o dinheiro sem recibo não será lançado em sua conta - (PRÁTICA DE CONTROLE) ▪ O pedreiro que constrói uma casa que desmorona e mata seus residentes será condenado à morte. ▪ Se um comerciante de vinho permitir que homens turbulentos se reúnam em sua casa e não os expulsar, será morto. ▪ Se um doutor operar uma ferida com uma lanceta de cobre e o paciente morrer, ou o olho de um nobre perder a vista em consequência disto, as mãos do doutor serão cortadas – (PRINCÍPIO DA RESPONSABILIDADE)
  • 6. ▪ Utilizavam cores para controlar a produção e o tempo que cada lote permanecia nos estoques ▪ Foram pioneiros na instalação de um sistema de incentivos salariais. Óleo de Diego Velasquez "As fiadeiras" - 1657
  • 7. CHINA ▪ Século XXIV a.C o Imperador Yao empregou o princípio da assessoria. ▪ Reunião com assessores e ministros para aconselhar-se e delegar-lhes poderes 1. Organização para que o estado possa ser estabelecido. ▪ Criou um manual de administração para o primeiro- ministro: 2. Funções – para que o Estado possa ser esclarecido. 3. Relações – governo possa ser cooperativo. 4. Procedimento – Foco na eficiência. 5. Formalidades – possa parecer permanente. 6. Controle – Ser completo 7. Punições – estado possa ser corrigido 8. Conta – Para que o estado seja fiscalizado
  • 8. SUN -TZU ▪ Arte da Guerra – filme 11 minutos ▪ O TEXTO TRATA DE PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS PERMANENTES ▪ PLANEJAMENTO ▪ COMANDO ▪ DOUTRINA ▪ POR COMANDO – ATRIBUTOS DO GENERAL QUANTO A SABEDORIA, SINCEIRIDADE, HUMILDADE, CORAGEM E EXIGÊNCIA; ▪ DOUTRINA – ORGANIZAÇÃO, CONTROLE, ATRIBUIÇÃO CORRETA DOS POSTOS DO COMANDO, ORDENAÇÃO DAS VIAS DE ABASTECIMENTO DAS TROPAS ▪ OS GENERAIS DEVEM CRIAR VANTAGENS CONDUCENTES À SUA CONCRETIZAÇÃO. DEVERÁ ATUAR COM RAPIDEZ E DE ACORDO COM O QUE FOR VANTAJOSO PARA PODER CONTROLAR OS RESULTADOS
  • 9. CONFÚCIO E MÊNCIO ▪ A importância das pessoas deve basear- se no mérito. Este tem por base o conhecimento. ▪ Profissionalismo na administração pública. Os governantes deveriam sistematizar a condução dos negócios públicos: ▪ Mêncio fala sobre a organização do negócio como sistemas ▪ Sistemas facilita a execução até mesmo para os menos habilidosos, gerando resultados ▪ O regime do confucionismos – contratação eram feitas com à submissão de exames – criou o concurso público Vídeo sobre Confúcio 17 minutos
  • 10. Democracia - Administração participativa Executivos Eleitos pela assembleia dos cidadãos Ética – Foco na felicidade dos cidadãos como objetivo do poder público Método Conhecimento gerado pela investigação sistêmica Estratégia – Encadeamento de meios lógicos para a realização dos fins Qualidade – Ideal do melhor em qualquer campo de atuação GRÉCIA
  • 11. Influência dos Filósofos Aristóteles (384 a.c. – 322 a.c.) Em sua obra Política, falava sobre a organização do estado em três formas: 1. Monarquia 2. Aristocracia 3. Democracia 4. Aristóteles entendia que o conhecimento começa com o estudo da realidade Sócrates (470 a.c. – 399 a.c.) defendia a Administração como uma habilidade pessoal separada do conhecimento técnico. Platão (429 a.c. – 347 a.c.) Em análise aos problemas decorrentes do desenvolvimento social e cultural, defendia a Administração Democrática de governo como a adequada para os negócios públicos. Um dos defensores do métodos, afirma que o verdadeiro conhecimento vinha da especulação conceitual, encontrava-se nas idéias e formas
  • 12. ROMA PRINCÍPIOS ▪ DIVIDIR PARA GOVERNAR ▪ O IMPÉRIO FOI DIVIDO EM QUATRO GRANDES REGIÕES ▪ ESTAS DIVIDIAM EM 13 DIOCESES – ADMINISTRADOS POR VIGÁRIOS ▪ QUE SE DIVIDIAM EM 101 PROVÍNCIAS – COM GOVERNADORES
  • 13.
  • 14. Administração Financeira ▪ Principais fontes de Receita do Estado – Tributos cobrados nas cidades conquistadas por Roma. Os habitantes pagam um tributo sobre as propriedades e um imposto individual. ▪ Surgimento dos coletores – A coleta dos tributos era terceirizada na forma de arrendamento – coletor paga dividendos ao estado. ▪ Criação de grandes empresas sob a forma de sociedade de ação – para a coleta dos impostos ▪ Direito romano conferiu à propriedade privada sua identidade formal aos proprietários ▪ Surgimento da propriedade privada
  • 15. PERÍODO MEDIEVAL ▪ ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO ▪ Extensão das práticas romanas, era marcada pela existência de associações de artesãos ou empresários – GUILDAS, ▪ Controlavam a produção e a distribuição de bens; • Protegiam os produtores da concorrência por meio de práticas justas • As empresas tinham estruturas hierárquicas • Processo decisório coletivo com participação dos funcionários • Regulamentação dos trabalhos
  • 16. RENASCIMENTO ▪ O MERCANTILISMO OU CAPITALISMO MERCANTIL ▪ Nascimento da burguesia e com ela o surgimento de famílias de comerciantes e banqueiros ▪ Surgimento dos intermediários e agenciadores da matéria prima e mão de obra; ▪ Negócios tornam-se redes, que faziam o comércio de bens em larga escala. ▪ Processo de tomada de decisão se tornou centralizado;
  • 18. VENEZA ▪ Sociedade de famílias para constituir empresas – utilização de contratos sociais de duração limitada – fretamento de navios para o comércio internacional. ▪ Entrega de mercadorias em consignação para distribuidores, que recebiam pagamentos de comissão sobre vendas; ▪ Uso de livros de contabilidade ▪ Sistema de linha de montagem para as embarcações ▪ Disposição dos armazéns de peças ao logo do canal ▪ Oficiais de montagem especializados em partes ▪ Peças padronizadas – serviam em outros navios ▪ Embarcação com projetos básicos ▪ Remuneração de horas extras ▪ Supervisão focando na qualidade, horas trabalhadas e na disciplina ▪ Desempenho no sistema de mérito – aumento salários
  • 19. INFLUÊNCIA DAS CIÊNCIAS NA ADMINISTRAÇÃO RENÉ DESCARTES (1596-1650) (francês) descreveu o método cartesiano, cujos princípios são: ▪ Princípio da duvida sistemática ou da evidencia: Consiste em não aceitar como verdadeira coisa alguma enquanto não se souber com evidência aquilo que é realmente verdadeiro. ▪ Princípio da Analise ou Decomposição: Consiste em dividir e decompor cada dificuldade ou problema em tantas partes quantas sejam possíveis e necessárias á sua adequação e solução e resolve- la cada uma separadamente.
  • 20. ▪ Princípio da Síntese ou da Composição: Consiste em conduzir ordenadamente nossos pensamentos e nossos pensamentos e nosso raciocínio, começando pelos objetivos e assuntos mais fáceis e simples de se conhecer, para passarmos gradativamente aos mais difíceis. Princípios da Administração: divisão do trabalho, da ordem controle Princípio da Enumeração ou da Verificação: Consiste em fazer recontagens, verificações e revisões tão gerais que se fique seguro de nada haver omitido ou deixado á parte.
  • 21. REVOLUÇÃO INDÚSTRIAL ▪ A ruptura das estruturas corporativas da Idade Média; ▪ O avanço tecnológico e a aplicação dos progressos científicos à produção, a descoberta de novas formas de energia e a enorme ampliação de mercados. ▪ A substituição do tipo artesanal por um tipo industrial de produção. FATORES QUE POSSIBILITARAM O NASCIMENTO DA ORGANIZAÇÃO E DA EMPRESA MODER:
  • 23. Embrião da Teoria Administrativa A BUSCA PELA EFICIÊNCIA NA PRODUÇÃO PARA O AUMENTO DA MESMA. PARA ATINGIR OS OJETIVOS – REDUÇÃO DO NÚERO DE TAREFAS DE CADA TRABALHADOR; AUMENTO DA VELOCIDADE DE EXECUÇÃO DOS TRABALHOS; GANHO DE EFICIÊNCIA Práticas de administração rudimentares. Qualidade do produto precária e variável vigorando o princípio de que cabia ao comprador inspecionar o que comprava. Pagamento de baixos salários e usava-se capatazes para fazer o controle cerrado da mão-de-obra. EFICIÊNCIA
  • 24. ADAM SMITH Fundador da economia clássica, cuja ideia central é a competição. Na administração, contribuiu com o principio da especialização e o principio da divisão do trabalho. livro A Riqueza das Nações. Adam Smith reforçou a importância do planejamento e da organização dentro das funções da Administração. JAMES MILL Estudava o tempo e movimentos como meio de obter incremento da produção nas indústrias da época – Foco, principalmente, na Eficiência
  • 25. FUNDIÇÃO SOHO Campo das experiências práticas – pioneirismo de conceitos fundamentais da ADM.  Padronização do funcionamento das máquinas, objetivando equilibrar o ritmo de fabricação;  Fabricação de peças intercambiáveis;  Detalhando planejamento das operações e do local de trabalho – foco na otimização do espaço físico e alto grau de precisão – redução dos esforços humanos  Cronometragem e estudo de tempos e movimentos  Pagamentos e incentivos salariais  Principal recurso da empresa era a mão de obra;