SlideShare uma empresa Scribd logo
Abordagem sistêmica
 Tecnologia da Administração


TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO
IGOR MARTINS
                 CAROLINE NÓBREGA
                    EMYLLY AMORIM
                      LUIZ NÓBREGA
                      RAÍSSA MARIA
                   RÉGIS SALDANHA
                       MARIA LAISE
                     NUZA CAMBOIM
Abordagem Sistêmica da Administração




“O organismo é
um todo maior
que soma das
suas partes ”


                   Ludwig Von Bertalanffy
 Origem de uma nova teoria indisciplinar ;


 Transcender os problemas exclusivos de cada
  ciências e proporcionar princípios gerais sejam
Físicos , biológicos , sociológicos , químicos etc .
 TGS – Teoria Geral de Sistema


 Se baseia na compreensão de dependência recíproca
 de todas as disciplinas e das necessidades de usa
 integração ;

 Passaram a tratar seus objetos de estudos como
 sistemas .
 A abordagem Clássica – Passando pela humanista
 neoclássica , estruturalistas e behaviorista .
 Princípios intelectuais :


 Reducionismo : É o princípio que baseia na cresça de
 que todas as coisas podem ser compostas e reduzida
 em elementos fundamentais e simples ;

 Pensamento Analítico : É utilizado pelo
 reducionismo para explicar as coisas ou tentar
 entender , a análise consiste em decompor o todo .
 Mecanicismo : É o princípio que se baseia na relação
 de causa e efeito entre dois fenômenos . Esta relação
 empregava o que hoje chamamos de sistema
 fechado;
 Sistema Fechado : Não apresentam intercâmbio com
 o meio ambiente externos ;
 Sistema Aberto : Apresentam intercâmbio com o
 meio ambiente por intermédio de entradas e saídas ;
 A revolução da abordagem sistemática :


A abordagem Clássica          Abordagem Sistemática

Reducionismo                   Expansionismo

Pensamento Analítico         Pensamento Sistemática

Mecanicismo                   Teologia
 Expansionismo : É o princípio que sustenta que
  todo o fenômeno é parte de um fenômeno maior . O
  expansionismo não nega que cada fenômeno seja
  constituído de partes , mas sua ênfase reside na
  focalizada do todo do qual o fenômeno faz parte ;
 Pensamento Sistematico : Seria o oposto do
  pensamento analítico , porque ele trabalha direto
  com o todo .
 Teologia : É o estudo do comportamento com
  finalidade de alcançar objetivos que passou a
  influenciar poderosamente as ciências .
 Com esses princípios , a TGS permitiu o surgimento
 da cibernética e desagrou na TGA redimensionando
 Totalmente suas concepções .
TECNOLOGIA E ADMINISTRAÇÃO

Introdução a Tecnologia

 REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
 - Substituição do esforço humano
por máquinas a vapor;

 NOVOS INVENTOS
 - Máquina de escrever, telefone,
o navio, o automóvel, o avião
Invenção do COMPUTADOR

 John W. Mauchly e J. Prester Eckert Jr., inventores
 do computador em 1946.
 Cérebro eletrônico ;
 Forma de unir diversas áreas e especialidades da
  ciência (matemática, engenharia, medicina, etc);
 Maquina gigantesca;
 Aparecimento do PC em
1975;
 Atendimento das necessi-
dades organizacionais.
Ponto de partida da CIBERNÉTICA


Cibernética:

 Criada entre 1943-1947 por
Norbert Wiener.
 Cibernética vem do grego “kybernytiky” = arte de
  governar navios.



 A cibernética surgiu como uma ciência interdisciplinar
  destinada a estabelecer relações entre as várias ciências.
  Preencher os vazios não pesquisados pelas demais ciências.
Principais conceitos da Cibernética

Campo de estudo da cibernética: os sistemas
 Sistema é um conjunto de elementos dinamicamente
  relacionados entre si, formando uma atividade para
  atingir um objetivo, operando sobre entradas (dados) e
  fornecendo saídas (informação).

Representação dos sistemas: os modelos
 A cibernética busca a representação dos sistemas através
  de modelos, que podem ser físicos ou matemáticos.
  Modelo é a representação simplificada de alguma parte
  da realidade. Existem três razões para seu uso:
Componentes e característica de um
                 sistema

                                   Sistema
  Entradas                                                                     Saídas
                   Subsitema                              Subsitema
 Matéria – prima                                                                Produtos
Talentos humanos                                                                 Serviços
      Capital                   Transformação                           Resultados financeiros
  Equipamentos                                                                 Informação
   informação                    Atividade operacionais                Satisfação do colaborador
                                  Atividades gerenciais
                                       Tecnologia
                                 Métodos operacionais




                    Subsitema                              Subsitema

                                       Feedback

                                                                           homeostase

                                   Ambiente                                  Entropia
A manipulação de pessoas ou organizações reais é
socialmente inaceitável e legalmente proibida.
A incerteza com que a administração lida, cresce
rapidamente e aumenta desproporcionalmente as
consequências dos erros.
A capacidade de construir modelos que representam a
realidade aumentou enormemente.
Para a construção de um sistema, são considerados:
 Isomorfismo: quando possuem semelhança de forma e
  suas partes forem imutáveis. Ex.: os produtos de
  determinado artigo, ao final da linha de montagem, pois
  são perfeitamente iguais entre si, pelo menos na forma.
Principais conceitos de Sistema

Entrada; Saída; Retroação; Homeostasia; Informação.

 Conceito de Entrada (Input)
É tudo que o sistema importa ou recebe do seu exterior
para poder funcionar. Pode ser constituído por:
 Informação - é tudo que reduz a incerteza ou aumenta o
  conhecimento sobre algo.
 Energia - é a capacidade utilizada para movimentar e
  dinamizar o sistema fazendo-o funcionar.
 Materiais - são os recursos utilizados pelo sistema pra
  produzir as saídas (produtos ou serviços). São
  Operacionais ou Produtivos.
 Conceito de Saída (Output)
É o resultado final da operação de um sistema.

 Conceito de Caixa Negra (Black Box)
Refere-se a um sistema onde seu interior é
desconhecido
Muitos problemas científicos e administração são
tratados pelo método caixa negra.
 Conceito Retroação (Feed back)
Também chamada de servomecanismo,
retroalimentação ou realimentação. É um mecanismo
pelo qual parte da energia de saída de um sistema
volta à entrada no sentido de alterá-la.
 Positiva – ação estimuladora da saída atua sobre a
  entrada.
 Negativa – ação inibidora da saída sobre a entrada.
 Conceito de Homeostasia
Equilíbrio dinâmico obtido pela auto regulação, ou seja, pelo
autocontrole.

 Conceito de Informação
Reduz a incerteza sobre algo, é o conhecimento de uso
imediato.
Requer também outros dois conceitos: dados e comunicação.
 Dados – anotação ou registro á respeito de um evento ou
  ocorrência, formam conjuntos que formam um banco de
  dados, que quando processados e combinados e obtém-se
  um significado geram uma informação.
 Comunicação – Comunicar é tornar comum a uma ou mais
  pessoas uma informação.
Teoria da Informação

 Conceito de Informação


 Teoria
- Fonte
- Transmissor
- Canal
- Receptor
- Destino
- Ruído
Sistema de Informação


 Sistemas de Processamento das Transações
 Sistemas de Provimento de Informação
 Sistemas de Apoio a Decisão
 Sistemas de tomada de decisão programada


 Benefícios e usos do sistema de informação
Consequências da Informática na Administração


       A Cibernética marca o início da era da eletrônica
nas organizações. A Informática está substituindo o
cérebro humano por softwares. O computador tende a
substituir o ser humano em uma gama crescente de
atividades. Exemplos: diagnóstico e cirurgia médica,
planejamento e operações de manufatura (robôs),
engenharia, gerenciamento da cadeia de suprimento
(logística - gestão de materiais), ensino a distância (e-
learning) etc.
As principais consequências da Informática na
Administração:

Automação:
A automação pode ser considerada um sistema automático de
controle pelo qual os mecanismos verificam seu próprio
funcionamento, efetuando medições e introduzindo correções,
sem a necessidade de interferência do homem. Envolve tanto a
surperracionalização das atividades (melhor combinação dos
meios) como também o controle automático pela própria
retroação que alimenta a máquina com seu próprio produto.
Automação é a aplicação de técnicas computadorizadas ou
mecânicas para diminuir o uso de mão-de-obra em qualquer
processo, especialmente o uso de robôs nas linhas de produção.
A automação diminui os custos e aumenta a velocidade da
produção.
 Ex: O uso de robôs.
Tecnologia da informação (TI):
É o principal produto da Cibernética e representa a
convergência do computador com a televisão e as
telecomunicações. Ela provocou profundas
transformações na configuração da estrutura física –
espaço - das organizações (escritório virtual). Permitiu
a flexibilização, rapidez e comunicação em tempo real
(on-line), integrando vários processos diferentes nas
organizações. Viabilizou a conectividade (multimídia)
por meio de redes: Intranet, Extranet e Internet (web).
E-Businnes:
O e-businnes é considerado o motor da nova
economia. Dá –se o nome de e-businnes aos negócios
virtuais feitos por meio da mídia eletrônica. Essa
mídia, que recebe o nome de Web, está
proporcionando todas as condições para um enorme
malha interligadas de sistemas: portais de
intermediação de negócios, sites pra assegurar o
pagamento de bens e serviços , publicidades
atualizadas dinamicamente com as ultimas noticias de
jornais, sites para ofertas e procura de todos os tipos
de bens e serviços.
Um dos reflexos mais marcantes do e-businnes é o e-
commerce (comércio eletrônico ), que possibilita a compra
e venda de produtos através da internet.
 Homem digital:
Já que a Administração Científica enfatizou o homo economicus , a
escola das relações humanas o homem social, o Estruturalismo
apontou o homem organizacional , a teoria comportamental conduziu
ao homem administrativo, dai surge o homo digitalis, aquele cuja
transações com seu meio ambiente são efetuadas predominantemente
por intermédio de computadores.
Apreciação crítica da tecnologia e Administração

 A nova organização depende da TI


 Falta ainda aproveitar os benefícios da TI
 Os executivos têm uma compreensão limitada da TI
 Preocupam- se em reduzir custos , tarefas e pessoas
 Não sabem extrair o máximo da TI
 A TI é utilizada em tarefas erradas
 Ficou sendo uma função e não um recurso á
  disposição .
 A TI deveria acima de tudo informar as pessoas .
Atenção!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de SistemasTeoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de Sistemas
paulocsm
 
Aula: TEORIAS da ADMINISTRAÇÃO
Aula: TEORIAS da ADMINISTRAÇÃOAula: TEORIAS da ADMINISTRAÇÃO
Aula: TEORIAS da ADMINISTRAÇÃO
Alexandre Conte
 
05. Teoria das Relações Humanas
05. Teoria das Relações Humanas05. Teoria das Relações Humanas
05. Teoria das Relações Humanas
Debora Miceli
 
Teoria da contingência 2012_01
Teoria da contingência 2012_01Teoria da contingência 2012_01
Teoria da contingência 2012_01
Milton Henrique do Couto Neto
 
Teorias da Administração
Teorias da AdministraçãoTeorias da Administração
Teorias da Administração
Alex Eduardo Ribeiro
 
Teoria do Desenvolvimento Organizacional
Teoria do Desenvolvimento OrganizacionalTeoria do Desenvolvimento Organizacional
Teoria do Desenvolvimento Organizacional
Milton Henrique do Couto Neto
 
Administração - conceitos, origens e evolução
Administração - conceitos, origens e evoluçãoAdministração - conceitos, origens e evolução
Administração - conceitos, origens e evolução
Lemos1960
 
Teoria da Contingência
Teoria da ContingênciaTeoria da Contingência
Teoria da Contingência
Izaura Nogueira
 
Gestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- IntroduçãoGestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- Introdução
Marcos Alves
 
Aula 4 - Reengenharia e DO
Aula 4 - Reengenharia e DOAula 4 - Reengenharia e DO
Aula 4 - Reengenharia e DO
Prof. Leonardo Rocha
 
Teoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos SistemasTeoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos Sistemas
Correios
 
Evolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias AdministrativasEvolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias Administrativas
William Costa
 
Cultura Organizacional
Cultura OrganizacionalCultura Organizacional
Cultura Organizacional
Marcela Montalvão Teti
 
Aula 3 teoria do desenvolvimento organizacional
Aula 3   teoria do desenvolvimento organizacionalAula 3   teoria do desenvolvimento organizacional
Aula 3 teoria do desenvolvimento organizacional
Niloar Bissani
 
Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01
Milton Henrique do Couto Neto
 
Aula 01 - Fundamentos da Administração (TGA)
Aula 01 - Fundamentos da Administração (TGA)Aula 01 - Fundamentos da Administração (TGA)
Aula 01 - Fundamentos da Administração (TGA)
Mauricio Valadão
 
Experiência de hawthorne
Experiência de hawthorneExperiência de hawthorne
Experiência de hawthorne
eduazzolin
 
Teoria comportamental slide
Teoria comportamental  slideTeoria comportamental  slide
Teoria comportamental slide
Sabrina Suellen
 
Administração Sistêmica
Administração SistêmicaAdministração Sistêmica
Administração Sistêmica
Denise Reis
 
Aulas - Organizações, Sistemas e Métodos - Prof. Sergio Seloti.Jr - 2010
Aulas - Organizações, Sistemas e Métodos - Prof. Sergio Seloti.Jr - 2010Aulas - Organizações, Sistemas e Métodos - Prof. Sergio Seloti.Jr - 2010
Aulas - Organizações, Sistemas e Métodos - Prof. Sergio Seloti.Jr - 2010
Sergio Luis Seloti Jr
 

Mais procurados (20)

Teoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de SistemasTeoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de Sistemas
 
Aula: TEORIAS da ADMINISTRAÇÃO
Aula: TEORIAS da ADMINISTRAÇÃOAula: TEORIAS da ADMINISTRAÇÃO
Aula: TEORIAS da ADMINISTRAÇÃO
 
05. Teoria das Relações Humanas
05. Teoria das Relações Humanas05. Teoria das Relações Humanas
05. Teoria das Relações Humanas
 
Teoria da contingência 2012_01
Teoria da contingência 2012_01Teoria da contingência 2012_01
Teoria da contingência 2012_01
 
Teorias da Administração
Teorias da AdministraçãoTeorias da Administração
Teorias da Administração
 
Teoria do Desenvolvimento Organizacional
Teoria do Desenvolvimento OrganizacionalTeoria do Desenvolvimento Organizacional
Teoria do Desenvolvimento Organizacional
 
Administração - conceitos, origens e evolução
Administração - conceitos, origens e evoluçãoAdministração - conceitos, origens e evolução
Administração - conceitos, origens e evolução
 
Teoria da Contingência
Teoria da ContingênciaTeoria da Contingência
Teoria da Contingência
 
Gestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- IntroduçãoGestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- Introdução
 
Aula 4 - Reengenharia e DO
Aula 4 - Reengenharia e DOAula 4 - Reengenharia e DO
Aula 4 - Reengenharia e DO
 
Teoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos SistemasTeoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos Sistemas
 
Evolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias AdministrativasEvolução das Teorias Administrativas
Evolução das Teorias Administrativas
 
Cultura Organizacional
Cultura OrganizacionalCultura Organizacional
Cultura Organizacional
 
Aula 3 teoria do desenvolvimento organizacional
Aula 3   teoria do desenvolvimento organizacionalAula 3   teoria do desenvolvimento organizacional
Aula 3 teoria do desenvolvimento organizacional
 
Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01
 
Aula 01 - Fundamentos da Administração (TGA)
Aula 01 - Fundamentos da Administração (TGA)Aula 01 - Fundamentos da Administração (TGA)
Aula 01 - Fundamentos da Administração (TGA)
 
Experiência de hawthorne
Experiência de hawthorneExperiência de hawthorne
Experiência de hawthorne
 
Teoria comportamental slide
Teoria comportamental  slideTeoria comportamental  slide
Teoria comportamental slide
 
Administração Sistêmica
Administração SistêmicaAdministração Sistêmica
Administração Sistêmica
 
Aulas - Organizações, Sistemas e Métodos - Prof. Sergio Seloti.Jr - 2010
Aulas - Organizações, Sistemas e Métodos - Prof. Sergio Seloti.Jr - 2010Aulas - Organizações, Sistemas e Métodos - Prof. Sergio Seloti.Jr - 2010
Aulas - Organizações, Sistemas e Métodos - Prof. Sergio Seloti.Jr - 2010
 

Destaque

Abordagens sistêmica e contingencial
Abordagens sistêmica e contingencialAbordagens sistêmica e contingencial
Abordagens sistêmica e contingencial
Celia Carvalho
 
6 abordagem sistemica e contingencial
6   abordagem sistemica e contingencial6   abordagem sistemica e contingencial
6 abordagem sistemica e contingencial
Isabella Couto Reis
 
Abordagem sistêmica
Abordagem sistêmicaAbordagem sistêmica
Abordagem sistêmica
Murilo Bayma
 
Teoria geral da administração
Teoria geral da administraçãoTeoria geral da administração
Teoria geral da administração
Denis Carlos Sodré
 
Teoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemasTeoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemas
Anderson Barbosa
 
Teoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemasTeoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemas
Diego Carrara
 

Destaque (6)

Abordagens sistêmica e contingencial
Abordagens sistêmica e contingencialAbordagens sistêmica e contingencial
Abordagens sistêmica e contingencial
 
6 abordagem sistemica e contingencial
6   abordagem sistemica e contingencial6   abordagem sistemica e contingencial
6 abordagem sistemica e contingencial
 
Abordagem sistêmica
Abordagem sistêmicaAbordagem sistêmica
Abordagem sistêmica
 
Teoria geral da administração
Teoria geral da administraçãoTeoria geral da administração
Teoria geral da administração
 
Teoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemasTeoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemas
 
Teoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemasTeoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemas
 

Semelhante a Abordagem sistêmica

Teoria Geral de Sistemas e Cibernética
Teoria Geral de Sistemas e CibernéticaTeoria Geral de Sistemas e Cibernética
Teoria Geral de Sistemas e Cibernética
UerjFundamentosDaAdministracao2013_1
 
Enegep1997 t2212
Enegep1997 t2212Enegep1997 t2212
Enegep1997 t2212
Gian Remundini
 
Organizações mecanicistas x organizações flexíveis
Organizações mecanicistas x organizações flexíveisOrganizações mecanicistas x organizações flexíveis
Organizações mecanicistas x organizações flexíveis
Joici Borges
 
Aula15
Aula15Aula15
Apresentação Aula 01
Apresentação Aula 01Apresentação Aula 01
Apresentação Aula 01
Welington Fernandes Pinto
 
Capitulo2 eb
Capitulo2 ebCapitulo2 eb
Aula14
Aula14Aula14
Sistemas de informação 1
Sistemas de informação 1Sistemas de informação 1
Sistemas de informação 1
celsocarriel
 
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de SistemasAula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Gustavo Gonzalez
 
Cibernética Tecnologia e Administração
Cibernética Tecnologia e AdministraçãoCibernética Tecnologia e Administração
Cibernética Tecnologia e Administração
Matheus Augusto
 
Modelagem de dados
Modelagem de dadosModelagem de dados
Modelagem de dados
Manuella Veroni
 
Capítulo 4 sigc
Capítulo 4   sigcCapítulo 4   sigc
Capítulo 4 sigc
Força Aérea Brasileira
 
Material Sistema integrados.pptx
Material Sistema integrados.pptxMaterial Sistema integrados.pptx
Material Sistema integrados.pptx
JulianoCarvalho34
 
Aula 01 – aps
Aula 01 – apsAula 01 – aps
Aula 01 – aps
Mariana Oliveira Santos
 
Evolução do processo administrativo
Evolução do processo administrativoEvolução do processo administrativo
Evolução do processo administrativo
Sandra Rocha
 
Aula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de ProduçãoAula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Unidade i organização e conceito de sistemas
Unidade i   organização e conceito de sistemasUnidade i   organização e conceito de sistemas
Unidade i organização e conceito de sistemas
Mirelle Sampaio
 
Computação Autonoma no Ambiente das Tecnologias da Informação
Computação Autonoma no Ambiente das Tecnologias da InformaçãoComputação Autonoma no Ambiente das Tecnologias da Informação
Computação Autonoma no Ambiente das Tecnologias da Informação
Leonardo Sepulcri
 
TGS_aulas.ppt
TGS_aulas.pptTGS_aulas.ppt
TGS_aulas.ppt
AirtonRovaron
 
Sistema de informação nas Empresas
Sistema de informação nas EmpresasSistema de informação nas Empresas
Sistema de informação nas Empresas
Diolene Sampaio
 

Semelhante a Abordagem sistêmica (20)

Teoria Geral de Sistemas e Cibernética
Teoria Geral de Sistemas e CibernéticaTeoria Geral de Sistemas e Cibernética
Teoria Geral de Sistemas e Cibernética
 
Enegep1997 t2212
Enegep1997 t2212Enegep1997 t2212
Enegep1997 t2212
 
Organizações mecanicistas x organizações flexíveis
Organizações mecanicistas x organizações flexíveisOrganizações mecanicistas x organizações flexíveis
Organizações mecanicistas x organizações flexíveis
 
Aula15
Aula15Aula15
Aula15
 
Apresentação Aula 01
Apresentação Aula 01Apresentação Aula 01
Apresentação Aula 01
 
Capitulo2 eb
Capitulo2 ebCapitulo2 eb
Capitulo2 eb
 
Aula14
Aula14Aula14
Aula14
 
Sistemas de informação 1
Sistemas de informação 1Sistemas de informação 1
Sistemas de informação 1
 
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de SistemasAula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
 
Cibernética Tecnologia e Administração
Cibernética Tecnologia e AdministraçãoCibernética Tecnologia e Administração
Cibernética Tecnologia e Administração
 
Modelagem de dados
Modelagem de dadosModelagem de dados
Modelagem de dados
 
Capítulo 4 sigc
Capítulo 4   sigcCapítulo 4   sigc
Capítulo 4 sigc
 
Material Sistema integrados.pptx
Material Sistema integrados.pptxMaterial Sistema integrados.pptx
Material Sistema integrados.pptx
 
Aula 01 – aps
Aula 01 – apsAula 01 – aps
Aula 01 – aps
 
Evolução do processo administrativo
Evolução do processo administrativoEvolução do processo administrativo
Evolução do processo administrativo
 
Aula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de ProduçãoAula 1 - Sistemas de Produção
Aula 1 - Sistemas de Produção
 
Unidade i organização e conceito de sistemas
Unidade i   organização e conceito de sistemasUnidade i   organização e conceito de sistemas
Unidade i organização e conceito de sistemas
 
Computação Autonoma no Ambiente das Tecnologias da Informação
Computação Autonoma no Ambiente das Tecnologias da InformaçãoComputação Autonoma no Ambiente das Tecnologias da Informação
Computação Autonoma no Ambiente das Tecnologias da Informação
 
TGS_aulas.ppt
TGS_aulas.pptTGS_aulas.ppt
TGS_aulas.ppt
 
Sistema de informação nas Empresas
Sistema de informação nas EmpresasSistema de informação nas Empresas
Sistema de informação nas Empresas
 

Abordagem sistêmica

  • 1. Abordagem sistêmica Tecnologia da Administração TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO IGOR MARTINS CAROLINE NÓBREGA EMYLLY AMORIM LUIZ NÓBREGA RAÍSSA MARIA RÉGIS SALDANHA MARIA LAISE NUZA CAMBOIM
  • 2. Abordagem Sistêmica da Administração “O organismo é um todo maior que soma das suas partes ” Ludwig Von Bertalanffy
  • 3.  Origem de uma nova teoria indisciplinar ;  Transcender os problemas exclusivos de cada ciências e proporcionar princípios gerais sejam Físicos , biológicos , sociológicos , químicos etc .
  • 4.  TGS – Teoria Geral de Sistema  Se baseia na compreensão de dependência recíproca de todas as disciplinas e das necessidades de usa integração ;  Passaram a tratar seus objetos de estudos como sistemas .
  • 5.  A abordagem Clássica – Passando pela humanista neoclássica , estruturalistas e behaviorista .
  • 6.  Princípios intelectuais :  Reducionismo : É o princípio que baseia na cresça de que todas as coisas podem ser compostas e reduzida em elementos fundamentais e simples ;  Pensamento Analítico : É utilizado pelo reducionismo para explicar as coisas ou tentar entender , a análise consiste em decompor o todo .
  • 7.  Mecanicismo : É o princípio que se baseia na relação de causa e efeito entre dois fenômenos . Esta relação empregava o que hoje chamamos de sistema fechado;
  • 8.  Sistema Fechado : Não apresentam intercâmbio com o meio ambiente externos ;
  • 9.  Sistema Aberto : Apresentam intercâmbio com o meio ambiente por intermédio de entradas e saídas ;
  • 10.  A revolução da abordagem sistemática : A abordagem Clássica Abordagem Sistemática Reducionismo Expansionismo Pensamento Analítico Pensamento Sistemática Mecanicismo Teologia
  • 11.  Expansionismo : É o princípio que sustenta que todo o fenômeno é parte de um fenômeno maior . O expansionismo não nega que cada fenômeno seja constituído de partes , mas sua ênfase reside na focalizada do todo do qual o fenômeno faz parte ;  Pensamento Sistematico : Seria o oposto do pensamento analítico , porque ele trabalha direto com o todo .  Teologia : É o estudo do comportamento com finalidade de alcançar objetivos que passou a influenciar poderosamente as ciências .
  • 12.  Com esses princípios , a TGS permitiu o surgimento da cibernética e desagrou na TGA redimensionando Totalmente suas concepções .
  • 13. TECNOLOGIA E ADMINISTRAÇÃO Introdução a Tecnologia  REVOLUÇÃO INDUSTRIAL - Substituição do esforço humano por máquinas a vapor;  NOVOS INVENTOS - Máquina de escrever, telefone, o navio, o automóvel, o avião
  • 14. Invenção do COMPUTADOR  John W. Mauchly e J. Prester Eckert Jr., inventores do computador em 1946.
  • 15.  Cérebro eletrônico ;  Forma de unir diversas áreas e especialidades da ciência (matemática, engenharia, medicina, etc);  Maquina gigantesca;  Aparecimento do PC em 1975;  Atendimento das necessi- dades organizacionais.
  • 16. Ponto de partida da CIBERNÉTICA Cibernética:  Criada entre 1943-1947 por Norbert Wiener.
  • 17.  Cibernética vem do grego “kybernytiky” = arte de governar navios.  A cibernética surgiu como uma ciência interdisciplinar destinada a estabelecer relações entre as várias ciências. Preencher os vazios não pesquisados pelas demais ciências.
  • 18. Principais conceitos da Cibernética Campo de estudo da cibernética: os sistemas  Sistema é um conjunto de elementos dinamicamente relacionados entre si, formando uma atividade para atingir um objetivo, operando sobre entradas (dados) e fornecendo saídas (informação). Representação dos sistemas: os modelos  A cibernética busca a representação dos sistemas através de modelos, que podem ser físicos ou matemáticos. Modelo é a representação simplificada de alguma parte da realidade. Existem três razões para seu uso:
  • 19. Componentes e característica de um sistema Sistema Entradas Saídas Subsitema Subsitema Matéria – prima Produtos Talentos humanos Serviços Capital Transformação Resultados financeiros Equipamentos Informação informação Atividade operacionais Satisfação do colaborador Atividades gerenciais Tecnologia Métodos operacionais Subsitema Subsitema Feedback homeostase Ambiente Entropia
  • 20. A manipulação de pessoas ou organizações reais é socialmente inaceitável e legalmente proibida. A incerteza com que a administração lida, cresce rapidamente e aumenta desproporcionalmente as consequências dos erros. A capacidade de construir modelos que representam a realidade aumentou enormemente. Para a construção de um sistema, são considerados:  Isomorfismo: quando possuem semelhança de forma e suas partes forem imutáveis. Ex.: os produtos de determinado artigo, ao final da linha de montagem, pois são perfeitamente iguais entre si, pelo menos na forma.
  • 21. Principais conceitos de Sistema Entrada; Saída; Retroação; Homeostasia; Informação.  Conceito de Entrada (Input) É tudo que o sistema importa ou recebe do seu exterior para poder funcionar. Pode ser constituído por:  Informação - é tudo que reduz a incerteza ou aumenta o conhecimento sobre algo.  Energia - é a capacidade utilizada para movimentar e dinamizar o sistema fazendo-o funcionar.  Materiais - são os recursos utilizados pelo sistema pra produzir as saídas (produtos ou serviços). São Operacionais ou Produtivos.
  • 22.  Conceito de Saída (Output) É o resultado final da operação de um sistema.  Conceito de Caixa Negra (Black Box) Refere-se a um sistema onde seu interior é desconhecido Muitos problemas científicos e administração são tratados pelo método caixa negra.
  • 23.  Conceito Retroação (Feed back) Também chamada de servomecanismo, retroalimentação ou realimentação. É um mecanismo pelo qual parte da energia de saída de um sistema volta à entrada no sentido de alterá-la.  Positiva – ação estimuladora da saída atua sobre a entrada.  Negativa – ação inibidora da saída sobre a entrada.
  • 24.  Conceito de Homeostasia Equilíbrio dinâmico obtido pela auto regulação, ou seja, pelo autocontrole.  Conceito de Informação Reduz a incerteza sobre algo, é o conhecimento de uso imediato. Requer também outros dois conceitos: dados e comunicação.  Dados – anotação ou registro á respeito de um evento ou ocorrência, formam conjuntos que formam um banco de dados, que quando processados e combinados e obtém-se um significado geram uma informação.  Comunicação – Comunicar é tornar comum a uma ou mais pessoas uma informação.
  • 25. Teoria da Informação  Conceito de Informação  Teoria - Fonte - Transmissor - Canal - Receptor - Destino - Ruído
  • 26.
  • 27. Sistema de Informação  Sistemas de Processamento das Transações  Sistemas de Provimento de Informação  Sistemas de Apoio a Decisão  Sistemas de tomada de decisão programada  Benefícios e usos do sistema de informação
  • 28. Consequências da Informática na Administração A Cibernética marca o início da era da eletrônica nas organizações. A Informática está substituindo o cérebro humano por softwares. O computador tende a substituir o ser humano em uma gama crescente de atividades. Exemplos: diagnóstico e cirurgia médica, planejamento e operações de manufatura (robôs), engenharia, gerenciamento da cadeia de suprimento (logística - gestão de materiais), ensino a distância (e- learning) etc.
  • 29. As principais consequências da Informática na Administração: Automação: A automação pode ser considerada um sistema automático de controle pelo qual os mecanismos verificam seu próprio funcionamento, efetuando medições e introduzindo correções, sem a necessidade de interferência do homem. Envolve tanto a surperracionalização das atividades (melhor combinação dos meios) como também o controle automático pela própria retroação que alimenta a máquina com seu próprio produto. Automação é a aplicação de técnicas computadorizadas ou mecânicas para diminuir o uso de mão-de-obra em qualquer processo, especialmente o uso de robôs nas linhas de produção. A automação diminui os custos e aumenta a velocidade da produção.  Ex: O uso de robôs.
  • 30.
  • 31. Tecnologia da informação (TI): É o principal produto da Cibernética e representa a convergência do computador com a televisão e as telecomunicações. Ela provocou profundas transformações na configuração da estrutura física – espaço - das organizações (escritório virtual). Permitiu a flexibilização, rapidez e comunicação em tempo real (on-line), integrando vários processos diferentes nas organizações. Viabilizou a conectividade (multimídia) por meio de redes: Intranet, Extranet e Internet (web).
  • 32. E-Businnes: O e-businnes é considerado o motor da nova economia. Dá –se o nome de e-businnes aos negócios virtuais feitos por meio da mídia eletrônica. Essa mídia, que recebe o nome de Web, está proporcionando todas as condições para um enorme malha interligadas de sistemas: portais de intermediação de negócios, sites pra assegurar o pagamento de bens e serviços , publicidades atualizadas dinamicamente com as ultimas noticias de jornais, sites para ofertas e procura de todos os tipos de bens e serviços.
  • 33. Um dos reflexos mais marcantes do e-businnes é o e- commerce (comércio eletrônico ), que possibilita a compra e venda de produtos através da internet.
  • 34.  Homem digital: Já que a Administração Científica enfatizou o homo economicus , a escola das relações humanas o homem social, o Estruturalismo apontou o homem organizacional , a teoria comportamental conduziu ao homem administrativo, dai surge o homo digitalis, aquele cuja transações com seu meio ambiente são efetuadas predominantemente por intermédio de computadores.
  • 35. Apreciação crítica da tecnologia e Administração  A nova organização depende da TI  Falta ainda aproveitar os benefícios da TI  Os executivos têm uma compreensão limitada da TI  Preocupam- se em reduzir custos , tarefas e pessoas  Não sabem extrair o máximo da TI
  • 36.  A TI é utilizada em tarefas erradas  Ficou sendo uma função e não um recurso á disposição .  A TI deveria acima de tudo informar as pessoas .