SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 40
O aluno virtual: perfil
e motivação
Deleuse Russi de Azevedo
Unisulvirtual – curso de especialização em
Metodologia da Educação a Distância – formação
para o Magistério Superior
2007
O aluno virtual:
perfil e motivação
Objetivos da
Pesquisa
O aluno virtual: perfil e
motivação
Colaborar com a EaD
sobre os estudos do aluno
virtual,
principal sujeito e por
onde todas as ações
educativas
convergem,
O aluno virtual: perfil e
motivação
...
na busca do entendimento
de qual é o perfil do aluno
virtual e quais suas
motivações em fazer um
curso a distância.
O aluno virtual:
perfil e motivação
Sujeitos
pesquisados
O aluno virtual: perfil e
motivação
Alunos do curso de
graduação em Gestão da
Tecnologia da
Informação da
Unisulvirtual.
O aluno virtual: perfil e
motivação
Conceitos sobre o
Aluno Virtual
O aluno virtual: perfil e
motivação
“O aluno passa a ser o
principal sujeito de sua
própria aprendizagem. Isso
exige, por parte do mesmo,
uma maior iniciativa,
autonomia e disciplina, ...
O aluno virtual: perfil e
motivação
...pois ele fará seu próprio
horário de estudo,
estabelecerá as condições
em que irá estudar e, dentro
de limites amplos, o ritmo
desse estudo, adaptando-o a
seu perfil e conveniência”
(Michel Authier – pensador francês, 2006)
O aluno virtual: perfil e
motivação
“ o aluno on-line ‘típico’ é
geralmente descrito como
alguém que tem mais de 25 a,
está empregado, preocupado
com o bem-estar social da
comunidade, com alguma
educação superior em
andamento, podendo ser...
O aluno virtual: perfil e
motivação
...tanto do sexo feminino
quanto do sexo masculino. Os
alunos on-line poderiam ser
alunos de graduação, pós-
graduação ou educação
continuada pouco
convencional” (Pallof e Pratt, 2004).
O aluno virtual: perfil e
motivação
“Aquele que não tem
condições de freqüentar o
ensino convencional o acesso
ao ensino, além de ser
apontada como uma
alternativa de capacitação
corporativa e em serviço. ...
O aluno virtual: perfil e
motivação
...A experiência educacional
nessa área tem comprovado
que seu público-alvo é, em
sua grande maioria, o aluno
adulto que busca formação
pessoal ou progressão
profissional” (Sartori e Roesler, 2005, p.
141).
O aluno virtual: perfil e
motivação
[...] um ser autônomo,
gestor de seu processo de
aprendizagem, capaz de
autodirigir e auto-regular
este processo. ...
O aluno virtual: perfil e
motivação
...Este modelo de
aprendizagem é apropriado a
adultos com maturidade e
motivação necessárias à
auto-aprendizagem e
possuindo um mínimo de
habilidade de estudo (Belloni, 2003,
p. 39-49).
O aluno virtual: perfil
e motivação
A motivação
O aluno virtual: perfil e
motivação
“ como aprender implica
mudar e a maior parte das
mudanças em nossa memória
precisa de uma certa
quantidade prática, aprender,
principalmente de modo
explícito ou deliberado, ...
O aluno virtual: perfil e
motivação
...supõe um esforço que
requer altas doses de
motivação, no sentido mais
literal ou etimológico, de
‘mover-se para’ a
aprendizagem (Pozo, 2002, p. 138).
O aluno virtual: perfil
e motivação
Às necessidades
humanas
O aluno virtual: perfil e
motivação
http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://upload.wikimedia.org/
wikipedia/pt/thumb/2/29/Maslow.jpg/230px-Maslow.jpg&imgrefurl
O aluno virtual: perfil
e motivação
Fator motivacional: o
uso da Internet
O aluno virtual: perfil e
motivação
“ A internet é uma mídia que
facilita a motivação dos alunos,
pela novidade e pelas
possibilidades inesgotáveis de
pesquisa que oferece. Essa
motivação aumenta se o
professor criar um clima de
confiança, de abertura, de
cordialidade com seus alunos. ...
O aluno virtual: perfil e
motivação
... Mais que a tecnologia, o que
facilita o processo de ensino
aprendizagem é a capacidade de
comunicação autêntica do
professor de estabelecer
relações de confiança com seus
alunos, pelo equilíbrio, pela
competência e pela simpatia com
que atua” (Moran, 2001).
O aluno virtual: perfil
e motivação
O perfil
O aluno virtual: perfil e
motivação
o aluno virtual precisa
ter acesso a um
computador e a um
modem ou conexão de
alta velocidade e saber
usá-los;
O aluno virtual: perfil e
motivação
os alunos virtuais de sucesso
têm a mente aberta e
compartilham detalhes sobre
sua vida, trabalho e outras
experiências educacionais.
Com isto colaboram para a
interatividade do grupo;
O aluno virtual: perfil e
motivação
o aluno virtual não se
sente prejudicado pela
ausência de sinais
auditivos ou visuais no
processo de
comunicação;
O aluno virtual: perfil e
motivação
o aluno virtual tem automotivação
e autodisciplina. “Com a
liberdade e a flexibilidade do
ambiente on-line vem à
responsabilidade. Para
acompanhar o processo on-line
exige-se um compromisso real e
disciplina”. (Pallof e Pratt,2004)
O aluno virtual: perfil e
motivação
“Escutar, olhar, ler,
equivale finalmente a
construir-se” (Lévy, 1996).
O aluno virtual: perfil e
motivação
A educação a distância
propicia ao aluno a
construção de seu
conhecimento, do aprender
autônomo.
O aluno virtual: perfil
e motivação
O aluno virtual sobre a
perspectiva da
complexidade
O aluno virtual: perfil e
motivação
“a educação do futuro deverá ser
o ensino primeiro e universal,
centrado na condição humana.
Estamos na era planetária: uma
aventura comum conduz os seres
humanos, onde quer que se
encontrem” (Morin,2000, p. 47).
O aluno virtual: perfil e
motivação
Esta aventura comum
possibilita, ao indivíduo, a
reconhecer a diversidade
cultural existente no mundo, a
partir do momento em que se
dispõe a experimentar a
virtualidade ...
O aluno virtual: perfil e
motivação
...seja através da
participação em
comunidades virtuais ou
através da cibercultura,
gerando no mesmo o
sentimento de
pertencimento.
O aluno virtual: perfil e
motivação
Educar para a era planetária
requer três reformas
interdependentes:
O aluno virtual: perfil e
motivação
Uma reforma no modo do
conhecimento;
Uma reforma do
pensamento;
Uma reforma do ensino.
O aluno virtual: perfil e
motivação
Estas três reformas levam a
reflexão sobre as formas de
aprendizagem surgidas a partir
da inserção das novas
tecnologias da informação.
O aluno virtual: perfil e
motivação
A reforma do pensamento é
mais ampla e profunda, pois
propicia uma análise dos
aspectos culturais, sociais,
econômicos, públicos e
históricos fazendo com que
se perceba as modificações
neste contexto.
O aluno virtual: perfil e
motivação
Também esta reforma conduz a
uma outra reflexão que diz
respeito às atitudes do sujeito no
que concerne à organização do
conhecimento integrando o saber
à própria vida o que o leva a
auto-reflexão e auto-observação
sobre os acontecimentos.
O aluno virtual: perfil e
motivação
“Ninguém educa ninguém,
como tão pouco ninguém
educa a si mesmo: os
homens se educam em
comunhão, mediatizados pelo
mundo”. (Paulo Freire, 1977)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A minha participação na conferência myMPeL’2013
A minha participação na conferência myMPeL’2013A minha participação na conferência myMPeL’2013
A minha participação na conferência myMPeL’2013
João Pinto
 
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe FagundesSobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
CursoTICs
 
Teletrabalho docente no pós pandemia desafios para uma educação digital huma...
Teletrabalho docente no pós pandemia  desafios para uma educação digital huma...Teletrabalho docente no pós pandemia  desafios para uma educação digital huma...
Teletrabalho docente no pós pandemia desafios para uma educação digital huma...
Fabio Batalha M Barros
 
2012 inclusão digital em curso on line reconstruindo conceitos
2012 inclusão digital em curso on line  reconstruindo conceitos2012 inclusão digital em curso on line  reconstruindo conceitos
2012 inclusão digital em curso on line reconstruindo conceitos
José Lauro Martins
 
Universidade federal de pelotas
Universidade federal de pelotasUniversidade federal de pelotas
Universidade federal de pelotas
Ruhena Ferreira
 
Teoria Distancia Transacional
Teoria Distancia TransacionalTeoria Distancia Transacional
Teoria Distancia Transacional
Ana Toscano
 
Diálogo colaborativo assíncrono na educação digital humanizada
Diálogo colaborativo assíncrono na educação digital humanizadaDiálogo colaborativo assíncrono na educação digital humanizada
Diálogo colaborativo assíncrono na educação digital humanizada
Fabio Batalha M Barros
 

Mais procurados (20)

A minha participação na conferência myMPeL’2013
A minha participação na conferência myMPeL’2013A minha participação na conferência myMPeL’2013
A minha participação na conferência myMPeL’2013
 
Formação Síncrona e Assíncrona
Formação Síncrona e AssíncronaFormação Síncrona e Assíncrona
Formação Síncrona e Assíncrona
 
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe FagundesSobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
 
Teletrabalho docente no pós pandemia desafios para uma educação digital huma...
Teletrabalho docente no pós pandemia  desafios para uma educação digital huma...Teletrabalho docente no pós pandemia  desafios para uma educação digital huma...
Teletrabalho docente no pós pandemia desafios para uma educação digital huma...
 
Didatica online Formacao Educadores Adriana Bruno
Didatica online Formacao Educadores Adriana BrunoDidatica online Formacao Educadores Adriana Bruno
Didatica online Formacao Educadores Adriana Bruno
 
Tutor
TutorTutor
Tutor
 
Plataformas de Aprendizagem
Plataformas de AprendizagemPlataformas de Aprendizagem
Plataformas de Aprendizagem
 
EXPERIÊNCIAS NEGATIVAS NA MODALIDADE DE EAD
EXPERIÊNCIAS NEGATIVAS NA MODALIDADE DE EADEXPERIÊNCIAS NEGATIVAS NA MODALIDADE DE EAD
EXPERIÊNCIAS NEGATIVAS NA MODALIDADE DE EAD
 
Características essenciais do aprendente no ensino a distância
Características essenciais do aprendente no ensino a distânciaCaracterísticas essenciais do aprendente no ensino a distância
Características essenciais do aprendente no ensino a distância
 
Sistemas de tutoria_em_cursos_a_distância_03_a_pvou114_ravel_gimenes
Sistemas de tutoria_em_cursos_a_distância_03_a_pvou114_ravel_gimenes Sistemas de tutoria_em_cursos_a_distância_03_a_pvou114_ravel_gimenes
Sistemas de tutoria_em_cursos_a_distância_03_a_pvou114_ravel_gimenes
 
2012 inclusão digital em curso on line reconstruindo conceitos
2012 inclusão digital em curso on line  reconstruindo conceitos2012 inclusão digital em curso on line  reconstruindo conceitos
2012 inclusão digital em curso on line reconstruindo conceitos
 
Powerpointjociane
PowerpointjocianePowerpointjociane
Powerpointjociane
 
Universidade federal de pelotas
Universidade federal de pelotasUniversidade federal de pelotas
Universidade federal de pelotas
 
Conceito de Ead
Conceito de EadConceito de Ead
Conceito de Ead
 
A metodologia blended-learning como mais uma alternativa na formação contínua...
A metodologia blended-learning como mais uma alternativa na formação contínua...A metodologia blended-learning como mais uma alternativa na formação contínua...
A metodologia blended-learning como mais uma alternativa na formação contínua...
 
Michael Moore - Distância Transacional
Michael Moore - Distância TransacionalMichael Moore - Distância Transacional
Michael Moore - Distância Transacional
 
Teoria Distancia Transacional
Teoria Distancia TransacionalTeoria Distancia Transacional
Teoria Distancia Transacional
 
Fundamentos de-educacao-a-distancia
Fundamentos de-educacao-a-distanciaFundamentos de-educacao-a-distancia
Fundamentos de-educacao-a-distancia
 
Desenho de uma atividade on line
Desenho de uma atividade on lineDesenho de uma atividade on line
Desenho de uma atividade on line
 
Diálogo colaborativo assíncrono na educação digital humanizada
Diálogo colaborativo assíncrono na educação digital humanizadaDiálogo colaborativo assíncrono na educação digital humanizada
Diálogo colaborativo assíncrono na educação digital humanizada
 

Destaque

G.n.e.e. trabalho
G.n.e.e. trabalhoG.n.e.e. trabalho
G.n.e.e. trabalho
candidacruz
 

Destaque (10)

  Capa
  Capa  Capa
  Capa
 
Comunicação aumentativa
Comunicação aumentativaComunicação aumentativa
Comunicação aumentativa
 
G.n.e.e. trabalho
G.n.e.e. trabalhoG.n.e.e. trabalho
G.n.e.e. trabalho
 
Introdução à literatura policial - parte 1 de 4
Introdução à literatura policial  - parte 1 de 4Introdução à literatura policial  - parte 1 de 4
Introdução à literatura policial - parte 1 de 4
 
CURSO DE PASTOR
CURSO DE PASTORCURSO DE PASTOR
CURSO DE PASTOR
 
Bibliologia
BibliologiaBibliologia
Bibliologia
 
Lição 02 - Doutrina dos Anjos
Lição 02 - Doutrina dos AnjosLição 02 - Doutrina dos Anjos
Lição 02 - Doutrina dos Anjos
 
Psicologia - a mente, as emoções e a conação
Psicologia - a mente, as emoções e a conaçãoPsicologia - a mente, as emoções e a conação
Psicologia - a mente, as emoções e a conação
 
Aula 01 introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Aula 01   introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...Aula 01   introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Aula 01 introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
 
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIAAula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
 

Semelhante a Aluno virtual

Tarefa etapa4 claudine-alvarenga-silva
Tarefa etapa4 claudine-alvarenga-silvaTarefa etapa4 claudine-alvarenga-silva
Tarefa etapa4 claudine-alvarenga-silva
Claudine Alvarenga
 
Slide share pesquisa princípio científico e educativo
Slide share pesquisa princípio científico e educativoSlide share pesquisa princípio científico e educativo
Slide share pesquisa princípio científico e educativo
Weruska Dutra
 
Prática pedagógica na EAD
Prática pedagógica na EADPrática pedagógica na EAD
Prática pedagógica na EAD
washingtton
 
Trabalho T.I Powerpoint
Trabalho T.I PowerpointTrabalho T.I Powerpoint
Trabalho T.I Powerpoint
RMCT
 

Semelhante a Aluno virtual (20)

Tarefa etapa4 claudine-alvarenga-silva
Tarefa etapa4 claudine-alvarenga-silvaTarefa etapa4 claudine-alvarenga-silva
Tarefa etapa4 claudine-alvarenga-silva
 
Aula 04 100 horas 2011
Aula 04  100 horas 2011Aula 04  100 horas 2011
Aula 04 100 horas 2011
 
UM PROCESSO REFLEXIVO A PARTIR DO ESTÁGIO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A UTI...
UM PROCESSO REFLEXIVO A PARTIR DO ESTÁGIO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A UTI...UM PROCESSO REFLEXIVO A PARTIR DO ESTÁGIO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A UTI...
UM PROCESSO REFLEXIVO A PARTIR DO ESTÁGIO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A UTI...
 
PROJECTO EFA
PROJECTO EFAPROJECTO EFA
PROJECTO EFA
 
Conhecimento, saber e formação profissional na era da conectividade
Conhecimento, saber e formação profissional na era da conectividadeConhecimento, saber e formação profissional na era da conectividade
Conhecimento, saber e formação profissional na era da conectividade
 
Apresentação Pacto pela Educação do Pará
Apresentação Pacto pela Educação do ParáApresentação Pacto pela Educação do Pará
Apresentação Pacto pela Educação do Pará
 
ATPC 11-13_08 Metodologias ativas e currículo_ abordagens possíveis Parte 1...
ATPC 11-13_08 Metodologias ativas  e  currículo_ abordagens possíveis Parte 1...ATPC 11-13_08 Metodologias ativas  e  currículo_ abordagens possíveis Parte 1...
ATPC 11-13_08 Metodologias ativas e currículo_ abordagens possíveis Parte 1...
 
O processo de_aprendizagem
O processo de_aprendizagemO processo de_aprendizagem
O processo de_aprendizagem
 
Apresentação EAD - 2101347.pptx
Apresentação EAD - 2101347.pptxApresentação EAD - 2101347.pptx
Apresentação EAD - 2101347.pptx
 
Ti cs e novo papel professor versao 19 06 (03)
Ti cs e novo papel professor versao 19 06 (03)Ti cs e novo papel professor versao 19 06 (03)
Ti cs e novo papel professor versao 19 06 (03)
 
Slide share
Slide shareSlide share
Slide share
 
Slide share pesquisa princípio científico e educativo
Slide share pesquisa princípio científico e educativoSlide share pesquisa princípio científico e educativo
Slide share pesquisa princípio científico e educativo
 
Slide uni vi bb
Slide uni vi bbSlide uni vi bb
Slide uni vi bb
 
Tarefa etapa3
Tarefa etapa3 Tarefa etapa3
Tarefa etapa3
 
Prática pedagógica na EAD
Prática pedagógica na EADPrática pedagógica na EAD
Prática pedagógica na EAD
 
Trabalho T.I Powerpoint
Trabalho T.I PowerpointTrabalho T.I Powerpoint
Trabalho T.I Powerpoint
 
Didática e Ensino Remoto: planejamento
Didática e Ensino Remoto: planejamento Didática e Ensino Remoto: planejamento
Didática e Ensino Remoto: planejamento
 
Apresentação valma fideles
Apresentação   valma fidelesApresentação   valma fideles
Apresentação valma fideles
 
EAD
EADEAD
EAD
 
A autoformação assegurando a sustentabilidade da formação docente
A autoformação   assegurando a sustentabilidade da formação docente A autoformação   assegurando a sustentabilidade da formação docente
A autoformação assegurando a sustentabilidade da formação docente
 

Mais de joao jose saraiva da fonseca

Mais de joao jose saraiva da fonseca (20)

apresentacao domingo.pptx
apresentacao domingo.pptxapresentacao domingo.pptx
apresentacao domingo.pptx
 
Elaboracao de questoes de multpla escolha
Elaboracao de questoes de multpla escolhaElaboracao de questoes de multpla escolha
Elaboracao de questoes de multpla escolha
 
Seminario
SeminarioSeminario
Seminario
 
Teoriadainteractividade
TeoriadainteractividadeTeoriadainteractividade
Teoriadainteractividade
 
Avaliacao
AvaliacaoAvaliacao
Avaliacao
 
A seqüência fedathi
A seqüência fedathiA seqüência fedathi
A seqüência fedathi
 
Conferencia
ConferenciaConferencia
Conferencia
 
Conhecimento
ConhecimentoConhecimento
Conhecimento
 
A Avaliação da Aprendizagem em Educação à Distância.
A Avaliação da Aprendizagem em Educação à Distância.A Avaliação da Aprendizagem em Educação à Distância.
A Avaliação da Aprendizagem em Educação à Distância.
 
avaliacao
avaliacaoavaliacao
avaliacao
 
DomíNio Afetivo Da Taxonomia De Bloom
DomíNio Afetivo Da Taxonomia De BloomDomíNio Afetivo Da Taxonomia De Bloom
DomíNio Afetivo Da Taxonomia De Bloom
 
Rumo à diferenciação dos conteúdos escolares: o ensino e aprendizagem de conc...
Rumo à diferenciação dos conteúdos escolares: o ensino e aprendizagem de conc...Rumo à diferenciação dos conteúdos escolares: o ensino e aprendizagem de conc...
Rumo à diferenciação dos conteúdos escolares: o ensino e aprendizagem de conc...
 
EL ENFOQUE SOCIOCULTURAL EN EL DISEÑO Y CONSTRUCCIÓN DE UNA COMUNIDAD DE APRE...
EL ENFOQUE SOCIOCULTURAL EN EL DISEÑO Y CONSTRUCCIÓN DE UNA COMUNIDAD DE APRE...EL ENFOQUE SOCIOCULTURAL EN EL DISEÑO Y CONSTRUCCIÓN DE UNA COMUNIDAD DE APRE...
EL ENFOQUE SOCIOCULTURAL EN EL DISEÑO Y CONSTRUCCIÓN DE UNA COMUNIDAD DE APRE...
 
Educação a distância: o contexto
Educação a distância: o contextoEducação a distância: o contexto
Educação a distância: o contexto
 
Professor Digital
Professor DigitalProfessor Digital
Professor Digital
 
Toys To Tools
Toys To ToolsToys To Tools
Toys To Tools
 
Livreto Univesp
Livreto UnivespLivreto Univesp
Livreto Univesp
 
Desenho De Interfaces Joao Jose Saraiva Da Fonseca
Desenho De Interfaces Joao Jose Saraiva Da FonsecaDesenho De Interfaces Joao Jose Saraiva Da Fonseca
Desenho De Interfaces Joao Jose Saraiva Da Fonseca
 
Perfil do profissional para educacao a distancia
Perfil do profissional para educacao a distanciaPerfil do profissional para educacao a distancia
Perfil do profissional para educacao a distancia
 
Web 2.0 Learning Environment
Web 2.0 Learning EnvironmentWeb 2.0 Learning Environment
Web 2.0 Learning Environment
 

Último

Último (9)

ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoConvergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
 

Aluno virtual

  • 1. O aluno virtual: perfil e motivação Deleuse Russi de Azevedo Unisulvirtual – curso de especialização em Metodologia da Educação a Distância – formação para o Magistério Superior 2007
  • 2. O aluno virtual: perfil e motivação Objetivos da Pesquisa
  • 3. O aluno virtual: perfil e motivação Colaborar com a EaD sobre os estudos do aluno virtual, principal sujeito e por onde todas as ações educativas convergem,
  • 4. O aluno virtual: perfil e motivação ... na busca do entendimento de qual é o perfil do aluno virtual e quais suas motivações em fazer um curso a distância.
  • 5. O aluno virtual: perfil e motivação Sujeitos pesquisados
  • 6. O aluno virtual: perfil e motivação Alunos do curso de graduação em Gestão da Tecnologia da Informação da Unisulvirtual.
  • 7. O aluno virtual: perfil e motivação Conceitos sobre o Aluno Virtual
  • 8. O aluno virtual: perfil e motivação “O aluno passa a ser o principal sujeito de sua própria aprendizagem. Isso exige, por parte do mesmo, uma maior iniciativa, autonomia e disciplina, ...
  • 9. O aluno virtual: perfil e motivação ...pois ele fará seu próprio horário de estudo, estabelecerá as condições em que irá estudar e, dentro de limites amplos, o ritmo desse estudo, adaptando-o a seu perfil e conveniência” (Michel Authier – pensador francês, 2006)
  • 10. O aluno virtual: perfil e motivação “ o aluno on-line ‘típico’ é geralmente descrito como alguém que tem mais de 25 a, está empregado, preocupado com o bem-estar social da comunidade, com alguma educação superior em andamento, podendo ser...
  • 11. O aluno virtual: perfil e motivação ...tanto do sexo feminino quanto do sexo masculino. Os alunos on-line poderiam ser alunos de graduação, pós- graduação ou educação continuada pouco convencional” (Pallof e Pratt, 2004).
  • 12. O aluno virtual: perfil e motivação “Aquele que não tem condições de freqüentar o ensino convencional o acesso ao ensino, além de ser apontada como uma alternativa de capacitação corporativa e em serviço. ...
  • 13. O aluno virtual: perfil e motivação ...A experiência educacional nessa área tem comprovado que seu público-alvo é, em sua grande maioria, o aluno adulto que busca formação pessoal ou progressão profissional” (Sartori e Roesler, 2005, p. 141).
  • 14. O aluno virtual: perfil e motivação [...] um ser autônomo, gestor de seu processo de aprendizagem, capaz de autodirigir e auto-regular este processo. ...
  • 15. O aluno virtual: perfil e motivação ...Este modelo de aprendizagem é apropriado a adultos com maturidade e motivação necessárias à auto-aprendizagem e possuindo um mínimo de habilidade de estudo (Belloni, 2003, p. 39-49).
  • 16. O aluno virtual: perfil e motivação A motivação
  • 17. O aluno virtual: perfil e motivação “ como aprender implica mudar e a maior parte das mudanças em nossa memória precisa de uma certa quantidade prática, aprender, principalmente de modo explícito ou deliberado, ...
  • 18. O aluno virtual: perfil e motivação ...supõe um esforço que requer altas doses de motivação, no sentido mais literal ou etimológico, de ‘mover-se para’ a aprendizagem (Pozo, 2002, p. 138).
  • 19. O aluno virtual: perfil e motivação Às necessidades humanas
  • 20. O aluno virtual: perfil e motivação http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://upload.wikimedia.org/ wikipedia/pt/thumb/2/29/Maslow.jpg/230px-Maslow.jpg&imgrefurl
  • 21. O aluno virtual: perfil e motivação Fator motivacional: o uso da Internet
  • 22. O aluno virtual: perfil e motivação “ A internet é uma mídia que facilita a motivação dos alunos, pela novidade e pelas possibilidades inesgotáveis de pesquisa que oferece. Essa motivação aumenta se o professor criar um clima de confiança, de abertura, de cordialidade com seus alunos. ...
  • 23. O aluno virtual: perfil e motivação ... Mais que a tecnologia, o que facilita o processo de ensino aprendizagem é a capacidade de comunicação autêntica do professor de estabelecer relações de confiança com seus alunos, pelo equilíbrio, pela competência e pela simpatia com que atua” (Moran, 2001).
  • 24. O aluno virtual: perfil e motivação O perfil
  • 25. O aluno virtual: perfil e motivação o aluno virtual precisa ter acesso a um computador e a um modem ou conexão de alta velocidade e saber usá-los;
  • 26. O aluno virtual: perfil e motivação os alunos virtuais de sucesso têm a mente aberta e compartilham detalhes sobre sua vida, trabalho e outras experiências educacionais. Com isto colaboram para a interatividade do grupo;
  • 27. O aluno virtual: perfil e motivação o aluno virtual não se sente prejudicado pela ausência de sinais auditivos ou visuais no processo de comunicação;
  • 28. O aluno virtual: perfil e motivação o aluno virtual tem automotivação e autodisciplina. “Com a liberdade e a flexibilidade do ambiente on-line vem à responsabilidade. Para acompanhar o processo on-line exige-se um compromisso real e disciplina”. (Pallof e Pratt,2004)
  • 29. O aluno virtual: perfil e motivação “Escutar, olhar, ler, equivale finalmente a construir-se” (Lévy, 1996).
  • 30. O aluno virtual: perfil e motivação A educação a distância propicia ao aluno a construção de seu conhecimento, do aprender autônomo.
  • 31. O aluno virtual: perfil e motivação O aluno virtual sobre a perspectiva da complexidade
  • 32. O aluno virtual: perfil e motivação “a educação do futuro deverá ser o ensino primeiro e universal, centrado na condição humana. Estamos na era planetária: uma aventura comum conduz os seres humanos, onde quer que se encontrem” (Morin,2000, p. 47).
  • 33. O aluno virtual: perfil e motivação Esta aventura comum possibilita, ao indivíduo, a reconhecer a diversidade cultural existente no mundo, a partir do momento em que se dispõe a experimentar a virtualidade ...
  • 34. O aluno virtual: perfil e motivação ...seja através da participação em comunidades virtuais ou através da cibercultura, gerando no mesmo o sentimento de pertencimento.
  • 35. O aluno virtual: perfil e motivação Educar para a era planetária requer três reformas interdependentes:
  • 36. O aluno virtual: perfil e motivação Uma reforma no modo do conhecimento; Uma reforma do pensamento; Uma reforma do ensino.
  • 37. O aluno virtual: perfil e motivação Estas três reformas levam a reflexão sobre as formas de aprendizagem surgidas a partir da inserção das novas tecnologias da informação.
  • 38. O aluno virtual: perfil e motivação A reforma do pensamento é mais ampla e profunda, pois propicia uma análise dos aspectos culturais, sociais, econômicos, públicos e históricos fazendo com que se perceba as modificações neste contexto.
  • 39. O aluno virtual: perfil e motivação Também esta reforma conduz a uma outra reflexão que diz respeito às atitudes do sujeito no que concerne à organização do conhecimento integrando o saber à própria vida o que o leva a auto-reflexão e auto-observação sobre os acontecimentos.
  • 40. O aluno virtual: perfil e motivação “Ninguém educa ninguém, como tão pouco ninguém educa a si mesmo: os homens se educam em comunhão, mediatizados pelo mundo”. (Paulo Freire, 1977)