Conhecimento, saber e formação profissional na era da conectividade

952 visualizações

Publicada em

Palestra do I EITA - Encontro Integrado de Trabalhos Acadêmicos, Faculdade de Ciências Humanas - Esuda

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Conhecimento, saber e formação profissional na era da conectividade

  1. 1. Conhecimento, saber eformação profissional na era da conectividade Prof. Dr. Marcelo Sabbatini Centro de Educação Universidade Federal de Pernambuco
  2. 2. Mudando o Ensino Superior • É necessário mudar o foco e as práticas do ensino graduado: – ajudar os estudantes a desenvolverem estratégias para lidarem com o grande e cambiante volume de informação, conceitos, princípios e habilidades; – obter um melhor equilíbrio curricular entre obtenção de informação, formação e socialização
  3. 3. Albert Einstein sobre o Pensador Independente Se uma pessoa domina o fundamental no seu campo de estudo e aprendeu a pensar e a trabalhar independentemente, ela será mais capaz de adaptar- se ao progresso e às mudanças do que a pessoa cujo treinamento consiste principalmente na aquisição de conhecimento detalhado.
  4. 4. Educação versus Informação • A instrução é oferecida de forma estruturada, e otimizada para facilitar o auto-aprendizado; • Existe intensa interação (mediação) entre professor e aluno, e entre alunos; • Existe um gerenciamento do processo instrucional, ou seja, o controle da progressão do aluno, e a avaliação do seu aprendizado e do desempenho em curso, etc.
  5. 5. A Mudança de Paradigma: Ensino Aprendizagem•Fornecer instrução • Ajudar a aprender•Transferir conhecimento do •Estimular a descoberta doprofessor para o estudante estudante e a construção do conhecimento•Oferecer cursos e •Oferecer ricos ambientes deprogramas aprendizagem•Modelo Livro-Dependente •Modelo Trabalho/Pesquisa (busca orientada do conhecimento/informação)
  6. 6. Novas configurações do ambiente educacional• Novos “espaços e tempos” no processo de ensino e aprendizagem – Mais além da sala de aula: recursos de informação e comunicação, laboratórios e atividades externas (experimentais, profissionais e culturais) • Tendências: mobilidade (m-learning), TV digital, personalização – Reorganização dos ambientes presenciais – O presencial “conectado”: telepresença, realidade aumentada – Os Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVAs) • Apropriação da tecnologia pelos usuários
  7. 7. Escola–lugar Escola–nodo
  8. 8. Ambientes Pessoais de Aprendizagem (PLE) Não é uma tecnologia Não é uma metodologia didática Não é uma fórmula É como aprendemos na Internet
  9. 9. Catedral x Bazar
  10. 10. Conectivismo e Cursos Massivos Online (MOOC)Princípios... Diversidade de opiniões Estabelecer conexões, ver conexões Capacidade de saber mais, atualizar conhecimento Capacidade de tomar decisões Conhecimento em dispositivos não humanosPrática Gratuidade Conhecimento x certificação Individualização Alcance global
  11. 11. DesescolarizaçãoIvan Illich e a “desinstitucionalização”Bauman e a geração Ni-NiZuckerberg, inovação e empreendorismoNos fazem pensar...Qual a relação competência x diploma?Qual sua empregabilidade futura?Qual o retorno de seu investimento?Vale a pena fazer o curso superior?
  12. 12. Considerações• O impacto das tecnologias de informação e comunicação não se resumem à “educação à distância”• Cada vez mais os espaço de aulas se virtualizam e os espaços virtuais se “realizam”• Existe um equilíbrio entre a desescolarização e a necessidade de certificação• A Rede é “o” local estratégico onde competências e habilidades serão reconhecidas• Competências e habilidades técnicas, sociais, criativas e de planejamento devem ser desenvolvidas pelo trabalhador do século XXI• Estas competências e habilidades se desenvolvem em um quadro mais amplo de nós como transformadores de nossa realidade
  13. 13. Contatomarcelo.sabbatini@ufpe.brhttp://marcelo.sabbatini.com#marsabbatinihttps://www.facebook.com/marsabbatini

×