SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Baixar para ler offline
As personagens que participam neste conto
são a Aia, a Rainha, o Principezinho, o tio e o
escravo ( o filho da Aia).
A personagem principal é a Aia, porque a
história gira à volta dela é ela que protagoniza
as grandes decisões e as grandes peripécias
da narrativa .
Personagens     Características físicas              Características psicológicas


Aia             Negra, (porque a escravatura         - Determinada, corajosa, leal,
                esta associada a esse tom de         humilde, tranquila.
                pele e também porque o filho
                também é negro) bela e robusta.

Rainha          ----------------------------------   - Insegura, indefesa, pouco
                                                     preparada para lidar com situações
                                                     complicadas, desorientada.

Principezinho   Loiro de olhos azuis pequeninos.     - Adorável, calmo, inocente



Escravo         Negro, cabelo crespo.                -Inocente, feliz, humilde, calmo,
                                                     adorável.
Tio             -------------------------------      - Cobarde, ambicioso, bravio.
                                                     Depravado, mau.
A rainha era feliz e tranquila, mas a partida do marido e a sua morte
trouxe-lhe uma enorme angústia e um grande desespero. Ela
sentiu-se desorientada, pois agora estava sozinha a governar o
reino. Tinha a Aia para a ajudar com o seu filho pequeno, mas sentia-
se indefesa, pois não conseguia organizar as tropas e não se
conseguia defender sozinha.
Quando soube que o irmão do rei queria ficar com reino, sentiu-se
preocupada e temeu que pudesse fazer alguma coisa ao seu
principezinho. Quando soube que a Aia sacrificara o seu filho para
salvar o seu filho ficou aliviada, mas ao mesmo tempo triste, porque
esta perdera o seu escravozinho.


A Aia ao longo deste conto desempenhou um papel muito
importante, porque ela conseguiu demonstrar a sua força e
serenidade , mas acima de tudo ela mostrou ser leal à rainha.
A empregada era muito determinada nas suas decisões, pois
fazer a troca do seu filho para salvar o principezinho foi um ato de
muita coragem.
Aia                                                     Tio
É uma
relação de
                                                       A Rainha
hierarquia e
                                                       temia o tio,
de amizade,
                                                       porque este
pois apesar
                                                       queria matar o
de serem de     Escravozinho
estatutos                         Principezinho        seu filho e ela
                                                       sentia-se
socias         A rainha tinha
                                  A rainha tinha uma   insegura, pois
diferentes,    uma grande
                                  relação e um         não tinha o
dão-se bem     ternura pelo
                                  carinho muito        marido para os
e apoiam-se    escravozinho,
                                  grande e muita       proteger.
uma à outra.   pois este nasceu
                                  ternura pelo seu
               no mesmo dia
                                  filho. Quando
               que o seu
                                  soube que o
               príncipe e ela
                                  queriam matar
               acarinhava-o
                                  entrou em
               também.
                                  desespero.
Principezinho                      Escravo

A aia tinha um
                      A aia amava o
grande um respeito
                      escravozinho e foi uma
e uma enorme
                      grande dor para ela
lealdade pelo
                      sacrificar o seu filho.
principezinho, pois
                      Amava-o tanto que se
um dia ele iria ser
                      matou para ir ter com ele,
o seu rei, mas
                      para continuar a cuidar
também o adorava
                      dele.
como um filho.
A rainha e a escrava por um lado eram muito diferentes,
mas por outro eram muito parecidas, pois ambas eram
mães e tinham um grande afeto e cuidado pelos seus
filhos. No entanto eram diferentes, pois a rainha
pertencia a uma classe alta, era mais rica, mas não
estava preparada para lidar com situações difíceis. A aia
era pobre, era uma escrava, mas tinha a força e a
determinação para agir no momento certo. Tem a
coragem de alguém que está habituado a lidar com as
situações difíceis da vida, o que não acontecia com a
rainha. Apesar das diferenças estas mulheres são fieis
uma à outra.
O escravozinho e o principezinho são como irmãos na sua
inocência, não têm consciência das suas diferenças.
São ambos bebés acarinhados, nascido no mesmo dia e
amamentados pela mesma mulher, a aia.


No entanto, estas crianças são muito diferentes, pois o principezinho
um dia iria ser o rei e o escravozinho iria ser sempre um servo dele.
À primeira vista o futuro rei tinha muito a temer, devido aos seus
inimigos e o escravo nada tinha a temer do mundo. Ainda assim, é o
escravo que é sacrificado para que o príncipe seja salvo.
Trabalho realizado :

Beatriz Mestre nº2

Cláudia Maia nº4

Vânia Ferreira nº 19
Tempo e Espaço




                 Trabalho Realizado por:
                 - Eliane Pereira nº6
                 -Joana Nascimento nº9
                 - Lara Farinha nº11       9ºB
Marcas Temporais (presentes na primeira página)



•   “Era uma vez (…)“
•   “A lua cheia (…)”
•   “(…) noite de Verão.”
•   “(…) antes de adormecer (…)”
•   “(…) um dia (…)”
•   “(…) na sua longa infância(…)”
Marcas do Tempo Histórico e Espaço Cultural

Tempo histórico :
o Idade Média


Marcas de Espaço Cultural :
o   Existência de reis, príncipes, aias, vassalos, escravos, pajens;
o   Batalhas entres reinos ;
o   Lanças, cavaleiros, horda, capitães;
o   Sucessão ao trono (bastardo e herdeiro);
o   Berços (descrição);
o   Iluminação – Tochas/lanternas;
o   Lealdade da escrava.
A evolução das personagens ao longo
              do tempo
A Aia :
o tranquila – feliz – protetora / carinhosa – segura – preocupada /
   serena – corajosa –fria/ imóvel – determinada/ corajosa

A Rainha :
o feliz/ tranquila – triste/ angústia –amedrontada/ desorientada –desesperada
   / descontrolada –aliviada- triste /agradecida

Tio :
o escondido (cobarde)– ofensivo -derrotado
Espaço Físico

• Macro-espaço: Reino (palácio, cidades, searas);
  “(…) senhor de um reino abundante em cidades e searas(…)”

• Micro-espaço: Palácio (quarto; sala do tesouro)
  “Nascida naquela casa real (…)”


   “(…) o berço de um era magnifico de marfim entre brocados, e o berço de outro,
pobre e de verga.” ( referência indireta ao quarto)

  “ (…) no seu catre entre os dois berços (…)”

   “ (…) Câmara dou tesouros(…)”
A ação é marcada pela existência de duas
                 condições sociais
Existem duas classes :
A classe alta:
-a realeza (representada pelo rei, a rainha e o príncipe)
A classe baixa:
 -o povo (é representado pela aia e pelo filho)

 Relação
-A aia era feliz , gostava de servir os seus reis .(“seria no céu como fora na terra, e feliz
na sua servidão”)
-Tanto a rainha como a aia sentiam amizade uma pela outra. (A rainha sentia-se
agradecida pelo facto de a aia cuidar do seu filho e a aia sentia-se agradecida pelo
carinho e respeito que recebia da rainha).
- Mas o sentimento mais dominante é a confiança e a lealdade, percebemos que esta
escrava fará tudo pelos seus senhores.
O Narrador quanto à presença é:
-Não participante – uso da 3ª pessoa
 “Era uma vez um rei(…)que partira a batalhar(…)”

Quanto à ciência é:
- Heterodiegético – o narrador não é nenhuma das
                        personagens
“ Era uma vez um rei(…)que partira a batalhar(…)

Quanto à focalização é variado:
- Interna – parece conhecer bem a perspectiva de algumas
             personagens – Aia e Rainha
              “ (…) também ela tremia pelo seu principezinho! “
             “Pobre principezinho da sua alma! “
             “ A mãe caiu sobre o berço , com suspiro como cai
               um corpo morto! “
- Externa
- Omnisciente
O narrador é parcial :

- O narrador exprime a sua opinião, o que é visível nos
pontos de exclamação, reticências e pontos de
interrogação que vão surgindo , pois manifestam as suas
emoções .

Exemplos : “ Mais , ai dor sem nome ! “




Momentos de descrição :
-“ Era uma vez um rei , moço (…) berço dentro das suas
faixas . “

Momentos de narração :
-“ Ora uma noite , noite (…) vergéis .“
Caracterização Direta :

-“Era uma vez um rei , moço e valente , senhor
de um reino (…)” .
- “(…) era seu tio, irmão bastardo de rei ,
homem depravado e bravio ; consumido de
cobiças grosseiras(…)”.

Indireta :
-“ Então , rapidamente , sem (…) um brocado”.



                Lealdade
                Dedicação
                Coragem
                Determinação
Joana Mendes nº10
Sandro Lopes nº16     9ºB
Tiago Oliveira nº17

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Auto da barca do inferno- O frade
Auto da barca do inferno- O fradeAuto da barca do inferno- O frade
Auto da barca do inferno- O fradeZé Carlos Barbosa
 
Auto da Barca do Inferno - Cena do onzeneiro
Auto da Barca do Inferno - Cena do onzeneiroAuto da Barca do Inferno - Cena do onzeneiro
Auto da Barca do Inferno - Cena do onzeneiroRita Galrito
 
Auto Da Barca Do Inferno cena do frade
Auto Da Barca Do Inferno cena do fradeAuto Da Barca Do Inferno cena do frade
Auto Da Barca Do Inferno cena do fradeDelfina Vernuccio
 
Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"Inês Moreira
 
Leandro, Rei da Helíria
Leandro, Rei da HelíriaLeandro, Rei da Helíria
Leandro, Rei da HelíriaAntónio Pires
 
Cena do Enforcado - Auto da Barca do Inferno
Cena do Enforcado - Auto da Barca do InfernoCena do Enforcado - Auto da Barca do Inferno
Cena do Enforcado - Auto da Barca do InfernoToninho Mata
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumocolegiomb
 
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenas
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenasAuto da-barca-do-inferno-analise-cenas
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenasClaudia Lazarini
 
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaRomantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaLurdes Augusto
 
Despedidas em belém
Despedidas em belémDespedidas em belém
Despedidas em belémLurdes
 
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasGigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasDina Baptista
 
Autodabarcadoinferno procurador e corregedor
Autodabarcadoinferno procurador e corregedorAutodabarcadoinferno procurador e corregedor
Autodabarcadoinferno procurador e corregedorFrancisco Teixeira
 
Maria de Noronha-Frei Luis de Sousa
Maria de Noronha-Frei Luis de SousaMaria de Noronha-Frei Luis de Sousa
Maria de Noronha-Frei Luis de Sousananasimao
 
Auto da barca do inferno
Auto da barca do infernoAuto da barca do inferno
Auto da barca do infernoVanda Marques
 

Mais procurados (20)

Auto da barca do inferno- O frade
Auto da barca do inferno- O fradeAuto da barca do inferno- O frade
Auto da barca do inferno- O frade
 
A alcoviteira
A alcoviteiraA alcoviteira
A alcoviteira
 
Resumo galinha Virgilio Ferreia
Resumo galinha Virgilio FerreiaResumo galinha Virgilio Ferreia
Resumo galinha Virgilio Ferreia
 
Auto da Barca do Inferno - Cena do onzeneiro
Auto da Barca do Inferno - Cena do onzeneiroAuto da Barca do Inferno - Cena do onzeneiro
Auto da Barca do Inferno - Cena do onzeneiro
 
Auto Da Barca Do Inferno cena do frade
Auto Da Barca Do Inferno cena do fradeAuto Da Barca Do Inferno cena do frade
Auto Da Barca Do Inferno cena do frade
 
Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"
 
Onzeneiro
OnzeneiroOnzeneiro
Onzeneiro
 
Leandro, Rei da Helíria
Leandro, Rei da HelíriaLeandro, Rei da Helíria
Leandro, Rei da Helíria
 
Teste a aia 2
Teste a aia 2Teste a aia 2
Teste a aia 2
 
Cena do Enforcado - Auto da Barca do Inferno
Cena do Enforcado - Auto da Barca do InfernoCena do Enforcado - Auto da Barca do Inferno
Cena do Enforcado - Auto da Barca do Inferno
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumo
 
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenas
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenasAuto da-barca-do-inferno-analise-cenas
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenas
 
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaRomantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de Sousa
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
 
Despedidas em belém
Despedidas em belémDespedidas em belém
Despedidas em belém
 
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasGigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
 
Ilha dos Amores
Ilha dos AmoresIlha dos Amores
Ilha dos Amores
 
Autodabarcadoinferno procurador e corregedor
Autodabarcadoinferno procurador e corregedorAutodabarcadoinferno procurador e corregedor
Autodabarcadoinferno procurador e corregedor
 
Maria de Noronha-Frei Luis de Sousa
Maria de Noronha-Frei Luis de SousaMaria de Noronha-Frei Luis de Sousa
Maria de Noronha-Frei Luis de Sousa
 
Auto da barca do inferno
Auto da barca do infernoAuto da barca do inferno
Auto da barca do inferno
 

Destaque

Frase ativa e frase passiva
Frase ativa e frase passivaFrase ativa e frase passiva
Frase ativa e frase passivatessvalente
 
A sesta de terça feira análise e resumo
A sesta de terça feira análise e resumoA sesta de terça feira análise e resumo
A sesta de terça feira análise e resumoSchool help
 
Discurso direto e indireto
Discurso direto e indiretoDiscurso direto e indireto
Discurso direto e indiretoprofessoraIsabel
 
Ficha informativa sobre o Comentário
Ficha informativa sobre o ComentárioFicha informativa sobre o Comentário
Ficha informativa sobre o ComentárioSchool help
 
Transformação ativa-passiva
Transformação ativa-passivaTransformação ativa-passiva
Transformação ativa-passivaAntónio Mateus
 

Destaque (6)

1ª Ficha De AvaliaçãO
1ª Ficha De AvaliaçãO1ª Ficha De AvaliaçãO
1ª Ficha De AvaliaçãO
 
Frase ativa e frase passiva
Frase ativa e frase passivaFrase ativa e frase passiva
Frase ativa e frase passiva
 
A sesta de terça feira análise e resumo
A sesta de terça feira análise e resumoA sesta de terça feira análise e resumo
A sesta de terça feira análise e resumo
 
Discurso direto e indireto
Discurso direto e indiretoDiscurso direto e indireto
Discurso direto e indireto
 
Ficha informativa sobre o Comentário
Ficha informativa sobre o ComentárioFicha informativa sobre o Comentário
Ficha informativa sobre o Comentário
 
Transformação ativa-passiva
Transformação ativa-passivaTransformação ativa-passiva
Transformação ativa-passiva
 

Semelhante a A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)

A Aia - sistematização.pptx
A Aia - sistematização.pptxA Aia - sistematização.pptx
A Aia - sistematização.pptxfernandomondim
 
Fi a aia muito bom
Fi a aia muito bomFi a aia muito bom
Fi a aia muito bomostrapaula
 
A AIA APRESENTAÇÃO PORTUGUÊS.docx
A AIA APRESENTAÇÃO PORTUGUÊS.docxA AIA APRESENTAÇÃO PORTUGUÊS.docx
A AIA APRESENTAÇÃO PORTUGUÊS.docxRitaMag2
 
Resumo da obra literária a Aia - Português 9º ano
Resumo da obra literária a Aia - Português 9º anoResumo da obra literária a Aia - Português 9º ano
Resumo da obra literária a Aia - Português 9º anoAnaMargaridaParreira1
 
A aia resumo com analise mt bom
A aia resumo com analise mt bomA aia resumo com analise mt bom
A aia resumo com analise mt bomostrapaula
 
A aia escplha multipla
A aia escplha multiplaA aia escplha multipla
A aia escplha multiplaostrapaula
 
Ficha de trabalho sobre as categorias da narrativa-AAia.docx
Ficha de trabalho sobre as categorias da narrativa-AAia.docxFicha de trabalho sobre as categorias da narrativa-AAia.docx
Ficha de trabalho sobre as categorias da narrativa-AAia.docxBeatriz Gomes
 
Correcao do teste aia net
Correcao  do teste aia netCorrecao  do teste aia net
Correcao do teste aia netostrapaula
 
Correção do guião das páginas 204 e 205
Correção do guião das páginas 204 e 205Correção do guião das páginas 204 e 205
Correção do guião das páginas 204 e 205ElisabeteMarques
 

Semelhante a A Aia - Trabalhos de grupo (alunos) (20)

Ficha de leitura
Ficha de leituraFicha de leitura
Ficha de leitura
 
A Aia - sistematização.pptx
A Aia - sistematização.pptxA Aia - sistematização.pptx
A Aia - sistematização.pptx
 
A aia
A aiaA aia
A aia
 
A Aia
A AiaA Aia
A Aia
 
Fi a aia muito bom
Fi a aia muito bomFi a aia muito bom
Fi a aia muito bom
 
A AIA APRESENTAÇÃO PORTUGUÊS.docx
A AIA APRESENTAÇÃO PORTUGUÊS.docxA AIA APRESENTAÇÃO PORTUGUÊS.docx
A AIA APRESENTAÇÃO PORTUGUÊS.docx
 
Resumo da obra literária a Aia - Português 9º ano
Resumo da obra literária a Aia - Português 9º anoResumo da obra literária a Aia - Português 9º ano
Resumo da obra literária a Aia - Português 9º ano
 
A aia resumo com analise mt bom
A aia resumo com analise mt bomA aia resumo com analise mt bom
A aia resumo com analise mt bom
 
A aia escplha multipla
A aia escplha multiplaA aia escplha multipla
A aia escplha multipla
 
a-aia-ficha-de-trabalho.doc
a-aia-ficha-de-trabalho.doca-aia-ficha-de-trabalho.doc
a-aia-ficha-de-trabalho.doc
 
A aia
A aiaA aia
A aia
 
Questionário a aia
Questionário a aiaQuestionário a aia
Questionário a aia
 
A aia
A aiaA aia
A aia
 
7 ano B
7 ano B7 ano B
7 ano B
 
Ficha de trabalho sobre as categorias da narrativa-AAia.docx
Ficha de trabalho sobre as categorias da narrativa-AAia.docxFicha de trabalho sobre as categorias da narrativa-AAia.docx
Ficha de trabalho sobre as categorias da narrativa-AAia.docx
 
Correcao do teste aia net
Correcao  do teste aia netCorrecao  do teste aia net
Correcao do teste aia net
 
O Menino e a Lua
O Menino e a LuaO Menino e a Lua
O Menino e a Lua
 
Correção do guião das páginas 204 e 205
Correção do guião das páginas 204 e 205Correção do guião das páginas 204 e 205
Correção do guião das páginas 204 e 205
 
Ordem do Templo
Ordem do TemploOrdem do Templo
Ordem do Templo
 
7 ano C
7 ano C7 ano C
7 ano C
 

Mais de Lurdes Augusto

10ºano camões parte C
10ºano camões parte C10ºano camões parte C
10ºano camões parte CLurdes Augusto
 
10ºano Luís de Camões parte B
10ºano Luís de Camões parte B10ºano Luís de Camões parte B
10ºano Luís de Camões parte BLurdes Augusto
 
10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte A10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte ALurdes Augusto
 
Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca Lurdes Augusto
 
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensOs Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensLurdes Augusto
 
Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões Lurdes Augusto
 
Do Ultrarromantismo ao Realismo
Do Ultrarromantismo ao RealismoDo Ultrarromantismo ao Realismo
Do Ultrarromantismo ao RealismoLurdes Augusto
 
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoLurdes Augusto
 
Grupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções SintáticasGrupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções SintáticasLurdes Augusto
 
Resumo da gramática - classe de palavras
Resumo da gramática - classe de palavrasResumo da gramática - classe de palavras
Resumo da gramática - classe de palavrasLurdes Augusto
 
Tempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostosTempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostosLurdes Augusto
 
Funcionamento da língua - coordenação, subordinação
Funcionamento da língua - coordenação, subordinaçãoFuncionamento da língua - coordenação, subordinação
Funcionamento da língua - coordenação, subordinaçãoLurdes Augusto
 
Texto dramático - características
Texto dramático - característicasTexto dramático - características
Texto dramático - característicasLurdes Augusto
 
Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida GarrettFalar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida GarrettLurdes Augusto
 
Texto dramático - exercício de aplicação
Texto dramático - exercício de aplicaçãoTexto dramático - exercício de aplicação
Texto dramático - exercício de aplicaçãoLurdes Augusto
 
Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida GarrettFalar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida GarrettLurdes Augusto
 
Texto dramático, Falar verdade a Mentir
Texto dramático, Falar verdade a MentirTexto dramático, Falar verdade a Mentir
Texto dramático, Falar verdade a MentirLurdes Augusto
 
José Jorge Letria - biografia
José Jorge Letria - biografiaJosé Jorge Letria - biografia
José Jorge Letria - biografiaLurdes Augusto
 

Mais de Lurdes Augusto (20)

10ºano camões parte C
10ºano camões parte C10ºano camões parte C
10ºano camões parte C
 
10ºano Luís de Camões parte B
10ºano Luís de Camões parte B10ºano Luís de Camões parte B
10ºano Luís de Camões parte B
 
10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte A10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte A
 
Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca
 
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensOs Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões Lírica de Luís de Camões
Lírica de Luís de Camões
 
Do Ultrarromantismo ao Realismo
Do Ultrarromantismo ao RealismoDo Ultrarromantismo ao Realismo
Do Ultrarromantismo ao Realismo
 
Cesário Verde
Cesário Verde Cesário Verde
Cesário Verde
 
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
 
Grupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções SintáticasGrupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções Sintáticas
 
Resumo da gramática - classe de palavras
Resumo da gramática - classe de palavrasResumo da gramática - classe de palavras
Resumo da gramática - classe de palavras
 
Tempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostosTempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostos
 
Funcionamento da língua - coordenação, subordinação
Funcionamento da língua - coordenação, subordinaçãoFuncionamento da língua - coordenação, subordinação
Funcionamento da língua - coordenação, subordinação
 
Texto dramático - características
Texto dramático - característicasTexto dramático - características
Texto dramático - características
 
Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida GarrettFalar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
 
Texto dramático - exercício de aplicação
Texto dramático - exercício de aplicaçãoTexto dramático - exercício de aplicação
Texto dramático - exercício de aplicação
 
Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida GarrettFalar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett
 
Texto dramático, Falar verdade a Mentir
Texto dramático, Falar verdade a MentirTexto dramático, Falar verdade a Mentir
Texto dramático, Falar verdade a Mentir
 
José Jorge Letria - biografia
José Jorge Letria - biografiaJosé Jorge Letria - biografia
José Jorge Letria - biografia
 

A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)

  • 1.
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10. As personagens que participam neste conto são a Aia, a Rainha, o Principezinho, o tio e o escravo ( o filho da Aia). A personagem principal é a Aia, porque a história gira à volta dela é ela que protagoniza as grandes decisões e as grandes peripécias da narrativa .
  • 11. Personagens Características físicas Características psicológicas Aia Negra, (porque a escravatura - Determinada, corajosa, leal, esta associada a esse tom de humilde, tranquila. pele e também porque o filho também é negro) bela e robusta. Rainha ---------------------------------- - Insegura, indefesa, pouco preparada para lidar com situações complicadas, desorientada. Principezinho Loiro de olhos azuis pequeninos. - Adorável, calmo, inocente Escravo Negro, cabelo crespo. -Inocente, feliz, humilde, calmo, adorável. Tio ------------------------------- - Cobarde, ambicioso, bravio. Depravado, mau.
  • 12. A rainha era feliz e tranquila, mas a partida do marido e a sua morte trouxe-lhe uma enorme angústia e um grande desespero. Ela sentiu-se desorientada, pois agora estava sozinha a governar o reino. Tinha a Aia para a ajudar com o seu filho pequeno, mas sentia- se indefesa, pois não conseguia organizar as tropas e não se conseguia defender sozinha. Quando soube que o irmão do rei queria ficar com reino, sentiu-se preocupada e temeu que pudesse fazer alguma coisa ao seu principezinho. Quando soube que a Aia sacrificara o seu filho para salvar o seu filho ficou aliviada, mas ao mesmo tempo triste, porque esta perdera o seu escravozinho. A Aia ao longo deste conto desempenhou um papel muito importante, porque ela conseguiu demonstrar a sua força e serenidade , mas acima de tudo ela mostrou ser leal à rainha. A empregada era muito determinada nas suas decisões, pois fazer a troca do seu filho para salvar o principezinho foi um ato de muita coragem.
  • 13. Aia Tio É uma relação de A Rainha hierarquia e temia o tio, de amizade, porque este pois apesar queria matar o de serem de Escravozinho estatutos Principezinho seu filho e ela sentia-se socias A rainha tinha A rainha tinha uma insegura, pois diferentes, uma grande relação e um não tinha o dão-se bem ternura pelo carinho muito marido para os e apoiam-se escravozinho, grande e muita proteger. uma à outra. pois este nasceu ternura pelo seu no mesmo dia filho. Quando que o seu soube que o príncipe e ela queriam matar acarinhava-o entrou em também. desespero.
  • 14. Principezinho Escravo A aia tinha um A aia amava o grande um respeito escravozinho e foi uma e uma enorme grande dor para ela lealdade pelo sacrificar o seu filho. principezinho, pois Amava-o tanto que se um dia ele iria ser matou para ir ter com ele, o seu rei, mas para continuar a cuidar também o adorava dele. como um filho.
  • 15. A rainha e a escrava por um lado eram muito diferentes, mas por outro eram muito parecidas, pois ambas eram mães e tinham um grande afeto e cuidado pelos seus filhos. No entanto eram diferentes, pois a rainha pertencia a uma classe alta, era mais rica, mas não estava preparada para lidar com situações difíceis. A aia era pobre, era uma escrava, mas tinha a força e a determinação para agir no momento certo. Tem a coragem de alguém que está habituado a lidar com as situações difíceis da vida, o que não acontecia com a rainha. Apesar das diferenças estas mulheres são fieis uma à outra.
  • 16. O escravozinho e o principezinho são como irmãos na sua inocência, não têm consciência das suas diferenças. São ambos bebés acarinhados, nascido no mesmo dia e amamentados pela mesma mulher, a aia. No entanto, estas crianças são muito diferentes, pois o principezinho um dia iria ser o rei e o escravozinho iria ser sempre um servo dele. À primeira vista o futuro rei tinha muito a temer, devido aos seus inimigos e o escravo nada tinha a temer do mundo. Ainda assim, é o escravo que é sacrificado para que o príncipe seja salvo.
  • 17. Trabalho realizado : Beatriz Mestre nº2 Cláudia Maia nº4 Vânia Ferreira nº 19
  • 18. Tempo e Espaço Trabalho Realizado por: - Eliane Pereira nº6 -Joana Nascimento nº9 - Lara Farinha nº11 9ºB
  • 19. Marcas Temporais (presentes na primeira página) • “Era uma vez (…)“ • “A lua cheia (…)” • “(…) noite de Verão.” • “(…) antes de adormecer (…)” • “(…) um dia (…)” • “(…) na sua longa infância(…)”
  • 20. Marcas do Tempo Histórico e Espaço Cultural Tempo histórico : o Idade Média Marcas de Espaço Cultural : o Existência de reis, príncipes, aias, vassalos, escravos, pajens; o Batalhas entres reinos ; o Lanças, cavaleiros, horda, capitães; o Sucessão ao trono (bastardo e herdeiro); o Berços (descrição); o Iluminação – Tochas/lanternas; o Lealdade da escrava.
  • 21. A evolução das personagens ao longo do tempo A Aia : o tranquila – feliz – protetora / carinhosa – segura – preocupada / serena – corajosa –fria/ imóvel – determinada/ corajosa A Rainha : o feliz/ tranquila – triste/ angústia –amedrontada/ desorientada –desesperada / descontrolada –aliviada- triste /agradecida Tio : o escondido (cobarde)– ofensivo -derrotado
  • 22. Espaço Físico • Macro-espaço: Reino (palácio, cidades, searas); “(…) senhor de um reino abundante em cidades e searas(…)” • Micro-espaço: Palácio (quarto; sala do tesouro) “Nascida naquela casa real (…)” “(…) o berço de um era magnifico de marfim entre brocados, e o berço de outro, pobre e de verga.” ( referência indireta ao quarto) “ (…) no seu catre entre os dois berços (…)” “ (…) Câmara dou tesouros(…)”
  • 23. A ação é marcada pela existência de duas condições sociais Existem duas classes : A classe alta: -a realeza (representada pelo rei, a rainha e o príncipe) A classe baixa: -o povo (é representado pela aia e pelo filho) Relação -A aia era feliz , gostava de servir os seus reis .(“seria no céu como fora na terra, e feliz na sua servidão”) -Tanto a rainha como a aia sentiam amizade uma pela outra. (A rainha sentia-se agradecida pelo facto de a aia cuidar do seu filho e a aia sentia-se agradecida pelo carinho e respeito que recebia da rainha). - Mas o sentimento mais dominante é a confiança e a lealdade, percebemos que esta escrava fará tudo pelos seus senhores.
  • 24.
  • 25.
  • 26. O Narrador quanto à presença é: -Não participante – uso da 3ª pessoa “Era uma vez um rei(…)que partira a batalhar(…)” Quanto à ciência é: - Heterodiegético – o narrador não é nenhuma das personagens “ Era uma vez um rei(…)que partira a batalhar(…) Quanto à focalização é variado: - Interna – parece conhecer bem a perspectiva de algumas personagens – Aia e Rainha “ (…) também ela tremia pelo seu principezinho! “ “Pobre principezinho da sua alma! “ “ A mãe caiu sobre o berço , com suspiro como cai um corpo morto! “ - Externa - Omnisciente
  • 27. O narrador é parcial : - O narrador exprime a sua opinião, o que é visível nos pontos de exclamação, reticências e pontos de interrogação que vão surgindo , pois manifestam as suas emoções . Exemplos : “ Mais , ai dor sem nome ! “ Momentos de descrição : -“ Era uma vez um rei , moço (…) berço dentro das suas faixas . “ Momentos de narração : -“ Ora uma noite , noite (…) vergéis .“
  • 28. Caracterização Direta : -“Era uma vez um rei , moço e valente , senhor de um reino (…)” . - “(…) era seu tio, irmão bastardo de rei , homem depravado e bravio ; consumido de cobiças grosseiras(…)”. Indireta : -“ Então , rapidamente , sem (…) um brocado”. Lealdade Dedicação Coragem Determinação
  • 29. Joana Mendes nº10 Sandro Lopes nº16 9ºB Tiago Oliveira nº17