SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
A Aia
Eça de Queirós
Traços marcantes
O conto inicia-se com a expressão “Era uma
vez…” que remete para:
Um tempo indeterminado
A intemporalidade da história narrada
A Aia
 É uma narrativa curta;
Apresenta semelhanças com o conto
tradicional:
Número reduzido de personagens;
Uso de personagens-tipo;
Fácil memorização;
Função lúdica e moralizadora.
Ação
Momentos da narrativa
Momentos da narrativa Segmentos do texto Assunto
Introdução “Era uma vez…dentro das
suas faixas.” até ”A Lua
cheia (…) de um grande
rio.” (Linhas 1 à 7)
• Apresentação do reino, do
rei, da rainha, e do filho.
• Notícia da morte do rei -
deixa sozinhos a rainha, o
filho e o reino.
Desenvolvimento “A rainha chorou
magnificamente o rei (…)”
até
“ Era um punhal de um
velho rei, todo cravejado de
esmeraldas, e que valia uma
província.” (Linhas 8 à 133)
• Morte do rei e cobiça do
tio bastardo.
• Ataque ao castelo.
• Triunfo da aia.
Desenlace “Agarrara o punhal, e com
ele apertado fortemente
(…)” até “E cravou o
punhal no coração.” Linha
134 - 139
Morte da aia
Sequências narrativas
•Apresentação do reino, do rei, da rainha, e do principezinho.
Linha 1 a 3
•Partida do rei para a guerra e notícia da sua morte.
Linha 4 a 7
•Reação da rainha à morte do rei.
Linha 8 a 11
•Apresentação e descrição das ambições do tio bastardo – inimigo do rei.
Linha 12 -15
•Aparecimento da personagem principal – a aia;
Linha 18 - 20
•Descrição comparativa entre o príncipe e o escravozinho.
Linha 20 -25
•A aia – crenças e preocupações sentidas devido à fragilidade do príncipe.
Linha 26 - 48
•Medo que reinava no palácio: devido ao tio bastardo e à indefesa do
principezinho.
Linha 49 a 57
•Pressentimento da aia sobre algo potencialmente perigoso, avistamento dos
homens, e compreensão sobre o plano do bastardo.
Linha 58 a 68
Sequências narrativas
•Atitude impulsiva da aia – troca as crianças
Linha 69 a 71
•Rapto do suposto príncipe
Linha 72 - 75
•Pânico da rainha e tomada de consciência do ato da aia.
Linha 76 a 84
•Notícia da morte do tio, da sua horda e do suposto principezinho.
Linha 85 a 90
•A Rainha mostra a todos que o principezinho está vivo ,erguendo-o nos seus braços.
Linha 90 à 92
•Aclamação da multidão para que a aia fosse recompensada.
Linha 93 a 102
•Deslocação da rainha, aia, e de todos os empregados do palácio até à câmara dos
tesouros para recompensar a aia.
Linha 103 a 114
•Descrição da magnificência do tesouro real
Linha 116- 123
•Reacções da aia perante o espaço à sua volta, suas crenças perante o que
observava, e escolha da sua recompensa.
Linha 124 a 134
•Morte da aia com um punhal
Linha 135- à 139
Organização das
sequências da narrativa
O processo de organização destas sequências
narrativas é o encadeamento, porque os
acontecimentos sucedem-se por ordem
cronológica.
Delimitação da ação
Esta é uma narrativa fechada, visto que a aia
(personagem principal) morreu. Não há mais
desenvolvimento possível neste conto.
Personagens
Classificação das personagens
quanto ao relevo
Principais Secundárias Figurantes
A Aia O principezinho
O escravozinho
O rei
A rainha
O tio
O velho de casta
nobre
A horda do tio
O capitão dos
guardas
As aias
O servo
A legião de archeiros
Os vassalos
A multidão
Caracterização direta e
indireta das personagens
Caracterização direta Caracterização indireta
• “Bela e robusta escrava […] - linha 23
• “leal escrava […] - linha 29
• Fiel – “Tinha a paixão, areligião dos
seus senhores […]” - linhas 31-32
• Crente – “Pertencia, porém, a uma
raça que acredita que a vida na Terra
se continua no Céu.” - linhas 33-34
• Carinhosa – “Com uma ternura maior
[…] cobria o seu corpinho gordo de
beijos” - linhas 49-59
• Temerosa – “também ela tremia pelo
seu principezinho” - linha 43
• Decidida – “Rapidamente, sem uma
vacilação […]” - linhas 80-81
• Corajosa – “E cravou o punhal no
coração” - linha 151
A aia
A Rainha
Caracterização direta Caracterização indireta
“… deixando solitária e triste a sua
rainha …” – linha 2
“ E a rainha desventurosa … ” – linha 54
“… a sua fraqueza de viúva.” – linha 55 e
56
• Carinhosa – “Quando a rainha,
antes de adormecer, vinha beijar o
principezinho, que tinha o cabelo
louro e fino, beijava também por
amor dele o escravozinho, que
tinha o cabelo negro e crespo.” –
linha 20 e 21
• Preocupada e desorientada – “… a
rainha invadiu a câmara, entre as
aias, gritando pelo seu filho.” – linha
79
O Rei
• Caracterização direta Caracterização indireta
• “… moço e valente …” – linha 1
• “… levado no seu sonho de
conquista e de fama …” – linha 4
• “… era formoso e alegre.” – linha 8 e 9
Personagens que
representam o Bem
• Rei
• Aia
• Rainha
• Principezinho
• Escravo
• Velho de casta nobre
• Aias
• Servo
• Capitão dos guardas
Personagens que
defendem o Mal
• Tio do principezinho e sua horda
Tempo
Tempo cronológico
 Tempo do decurso da ação (tempo em que se
desenrolam os acontecimentos:
 “A Lua cheia que o vira marchar […] e da morte do rei trespassado
por sete lanças entre a flor da sua nobreza, à beira de um grande rio.”
– linhas 4-7
 “Ora uma noite, noite de silêncio e escuridão [...] mais que sentiu, um
curto rumor de ferro e de briga, longe, à entrada dos vergéis reais” –
linhas 58-60
 “E nesse instante um novo clamor abalou a galeria de mármore [...]”
– linhas 85-87
 “Era lá, nesse Céu fresco de madrugada [...] e procurava o seu
peito!...” – linhas 127-128
 “Subiam os primeiros raios de Sol [...]. E cravou o punhal no coração”
– linhas 135-139
Principais
acontecimentos
Dia Suicídio da
Aia na
câmara dos
Tesouros
durante os
primeiros
raios de Sol.
Noite A morte do
rei, na guerra
em que
participou
para
defender o
seu reino.
Ataque do tio
e suas tropas
ao palácio, na
tentativa de
matar o
principezinho
para subir ao
trono.
Anunciada a
morte do
suporto
principezinho
.
Anunciada,
pelo capitão
das tropas, a
morte do tio
bastardo.
Tempo histórico
 Localização da ação em termos históricos, referentes a
uma época temporal. Por exemplo, a história relatada
passa-se numa época recuada em que coabitavam reis
e escravos em palácios.
 “Era uma vez um rei […]” – linha 1
 “bela e robusta escrava [...]” – linha 23
 “o palácio surpreendido [...]” – linha 79
Espaço
Espaço físico
 Espaço real (geográfico; interior ou exterior)
onde decorrem os acontecimentos:
Exterior:
 “[…] senhor de um reino abundante de cidades
e searas [...] ” – linha 1
 “trespassado por sete lanças entre a flor da sua
nobreza, à beira de um grande rio.” – linha 7
 [...] no meio de tantos inimigos da sua frágil vida
e do reino que seria seu” – linha 10
 [...] vivia num castelo sobre os montes...” – linha 14
Espaço físico
Interior:
 “Nascida naquela casa real […] – linha 26
 [...] ao fundo da galeria, avistou homens...” – linha
66
 “[...] surgiu à porta da câmara [...]” – linha 73
 Os pátios ressoavam com o bater das armas” –
linha 78
 [...] ela foi assim conduzida para a câmara dos
tesouros” – linhas 107-109
Espaço
O espaço exterior relaciona-se com as personagens que
nele se movem:
 “castelo sobre os montes” povoado pelo tio bastardo e a sua
“o cimo das serras” horda, que vigiavam o principezinho.
 “na planície, às portas da cidade” palácio onde a rainha, o príncipe, o
escravo, os guardas, a aia e os outros
criados viviam.
Espaço social
Consiste no ambiente social vivido pelas
personagens e cujos traços ilustram a atmosfera
social em que se movimentam:
 “[…] o berço de um era magnifico e de marfim entre
brocados – e o berço do outro pobre e de verga.” – linhas 28-29
Espaço psicológico
Corresponde à vivências íntimas, pensamentos,
sonhos, estados de espírito, memórias,
reflexões… das personagens e que caracterizam o
ambiente a elas associado.
 “ Do chão de rocha até às sombrias abóbadas, por toda a
câmara, reluziam, cintilavam, refugiam (…) Apenas os seus
olhos, brilhantes e secos, se tinham erguido para aquele Céu
que, além das grades, se tingia de rosa e ouro.” - linhas 120 à 126.
Narrador
Narrador
(Presença)
Justificação Linha(s)
“Era uma vez um rei…” 1
“Nascida naquela casa real, ela tinha a paixão, a
religião dos seus senhores.”
26
“A mãe caiu sobre o berço, com um suspiro, como
cai um corpo morto.”
83/84
narrador do conto “A Aia” é não participante ou
ausente, ou seja, não participa na ação – narração na
3ª pessoa.
Narrador
(posição)
Justificação Linha(s)
“Ai!” 16
“Pobre principezinho da sua alma!” 38
“Mas, ai! Dor sem nome!” 89
“Os olhos de ambos reluziam como pedras
preciosas.”
22
A rainha tomou a mão da serva. 103/ 104
Então a ama sorriu e estendeu a mão. 128/129
A posição do narrador: objetivo com marcas de
subjetividade.
Narrador
subjetivo
Narrador
objetivo
Modos de
expressão
Modos de expressão
 Narração - representam momentos de progressão na
ação, peripécias.
 “Ora uma noite, noite de silêncio e escuridão […] deitou-o no berço real que
cobriu com um brocado.” – linhas 71 - 83
Pretérito Perfeito Pretérito Imperfeito Gerúndio
• Adivinhou
• Sentiu
• Escutou
• Houve
• Descerrou
• Avistou
• Compreendeu
• Arrebatou
• Atirou-o
• Deitou-o
• Cobriu
• Corriam • Indo
• Atirando
• Tombando
• Vindo
• Atirando
Modos de expressão
 Descreve personagens ou espaços onde decorrem os
acontecimentos:
 “Quando a rainha, antes de adormecer, vinha beijar o
principezinho, que tinha o cabelo louro e fino, beijava
também por amor dele o escravozinho, que tinha o
cabelo negro e crespo.” – linha 20-22
 Louro e fino – dupla adjetivação
 Negro e crespo – dupla adjetivação
 adormecer/ vinha beijar/ beijava/ tinha - Sensações:
táteis e visuais
Modos de expressão
Diálogo: as personagens falam entre si e o
narrador retira-se para segundo plano. Temos
um exemplo no penúltimo parágrafo:
“ - Salvei o meu príncipe - e agora vou dar de mamar ao
meu filho!”
O discurso direto é utilizado para justificar o suicídio da aia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Episódio de inês de castro
Episódio de inês de castroEpisódio de inês de castro
Episódio de inês de castroQuezia Neves
 
Síntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deusesSíntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deusesEva Antunes
 
Análise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e AdamastorAnálise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e AdamastorMarisa Ferreira
 
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasGigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasDina Baptista
 
Um auto de gil vicente resumo por ato e cena
Um auto de gil vicente   resumo por ato e cenaUm auto de gil vicente   resumo por ato e cena
Um auto de gil vicente resumo por ato e cenaHelena Coutinho
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraDavid Caçador
 
Os lusíadas tempestade - Português 9º ano
Os lusíadas tempestade - Português 9º anoOs lusíadas tempestade - Português 9º ano
Os lusíadas tempestade - Português 9º anoGabriel Lima
 
Análise do canto ix
Análise do canto ixAnálise do canto ix
Análise do canto ixKaryn XP
 
Os lusíadas adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
Os lusíadas   adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]Os lusíadas   adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
Os lusíadas adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]Maria João Lima
 
Auto da barca do inferno- O frade
Auto da barca do inferno- O fradeAuto da barca do inferno- O frade
Auto da barca do inferno- O fradeZé Carlos Barbosa
 
Modificador restritivo e apositivo do nome
Modificador restritivo e apositivo do nomeModificador restritivo e apositivo do nome
Modificador restritivo e apositivo do nomeAntónio Fernandes
 
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)Raquel Antunes
 

Mais procurados (20)

Episódio de inês de castro
Episódio de inês de castroEpisódio de inês de castro
Episódio de inês de castro
 
Síntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deusesSíntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deuses
 
Análise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e AdamastorAnálise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e Adamastor
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasGigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
 
Invocação e Dedicarória
Invocação e DedicaróriaInvocação e Dedicarória
Invocação e Dedicarória
 
Um auto de gil vicente resumo por ato e cena
Um auto de gil vicente   resumo por ato e cenaUm auto de gil vicente   resumo por ato e cena
Um auto de gil vicente resumo por ato e cena
 
Proposição
ProposiçãoProposição
Proposição
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereira
 
Os Planos d'Os Lusíadas
Os Planos d'Os LusíadasOs Planos d'Os Lusíadas
Os Planos d'Os Lusíadas
 
Os lusíadas tempestade - Português 9º ano
Os lusíadas tempestade - Português 9º anoOs lusíadas tempestade - Português 9º ano
Os lusíadas tempestade - Português 9º ano
 
Análise do canto ix
Análise do canto ixAnálise do canto ix
Análise do canto ix
 
Os lusíadas adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
Os lusíadas   adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]Os lusíadas   adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
Os lusíadas adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
 
Auto da barca do inferno- O frade
Auto da barca do inferno- O fradeAuto da barca do inferno- O frade
Auto da barca do inferno- O frade
 
A debil cesario verde
A debil cesario verdeA debil cesario verde
A debil cesario verde
 
Os Lusíadas - a estrutura
Os Lusíadas - a estruturaOs Lusíadas - a estrutura
Os Lusíadas - a estrutura
 
Modificador restritivo e apositivo do nome
Modificador restritivo e apositivo do nomeModificador restritivo e apositivo do nome
Modificador restritivo e apositivo do nome
 
Teste 9º os lusíadas
Teste 9º os lusíadasTeste 9º os lusíadas
Teste 9º os lusíadas
 
Palavra Mágica
Palavra MágicaPalavra Mágica
Palavra Mágica
 
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
Ficha formativa_ Recursos Expressivos (I)
 

Semelhante a A Aia de Eça

A Aia - sistematização.pptx
A Aia - sistematização.pptxA Aia - sistematização.pptx
A Aia - sistematização.pptxfernandomondim
 
Recensão crítica - a aia
Recensão crítica - a aia Recensão crítica - a aia
Recensão crítica - a aia AMLDRP
 
Resumo da obra literária a Aia - Português 9º ano
Resumo da obra literária a Aia - Português 9º anoResumo da obra literária a Aia - Português 9º ano
Resumo da obra literária a Aia - Português 9º anoAnaMargaridaParreira1
 
Fi a aia muito bom
Fi a aia muito bomFi a aia muito bom
Fi a aia muito bomostrapaula
 
A aia resumo com analise mt bom
A aia resumo com analise mt bomA aia resumo com analise mt bom
A aia resumo com analise mt bomostrapaula
 
A aia conto e question
A aia conto e questionA aia conto e question
A aia conto e questionostrapaula
 
Iracema - José de Alencar
Iracema - José de AlencarIracema - José de Alencar
Iracema - José de Alencarvestibular
 
Eça de Queirós - A Aia (1).pdf
Eça de Queirós - A Aia (1).pdfEça de Queirós - A Aia (1).pdf
Eça de Queirós - A Aia (1).pdfBeatriz Gomes
 
Novelas de Cavalaria e Humanismo
Novelas de Cavalaria e HumanismoNovelas de Cavalaria e Humanismo
Novelas de Cavalaria e HumanismoCrisBiagio
 

Semelhante a A Aia de Eça (20)

A Aia - sistematização.pptx
A Aia - sistematização.pptxA Aia - sistematização.pptx
A Aia - sistematização.pptx
 
A aia
A aiaA aia
A aia
 
Recensão crítica - a aia
Recensão crítica - a aia Recensão crítica - a aia
Recensão crítica - a aia
 
Resumo da obra literária a Aia - Português 9º ano
Resumo da obra literária a Aia - Português 9º anoResumo da obra literária a Aia - Português 9º ano
Resumo da obra literária a Aia - Português 9º ano
 
Fi a aia muito bom
Fi a aia muito bomFi a aia muito bom
Fi a aia muito bom
 
A Aia
A AiaA Aia
A Aia
 
A aia resumo com analise mt bom
A aia resumo com analise mt bomA aia resumo com analise mt bom
A aia resumo com analise mt bom
 
A bela adormecida
A bela adormecidaA bela adormecida
A bela adormecida
 
Lenda da cova da moura
Lenda da cova da mouraLenda da cova da moura
Lenda da cova da moura
 
A aia conto e question
A aia conto e questionA aia conto e question
A aia conto e question
 
A_narrativa
A_narrativaA_narrativa
A_narrativa
 
Iracema - José de Alencar
Iracema - José de AlencarIracema - José de Alencar
Iracema - José de Alencar
 
Teste a aia 2
Teste a aia 2Teste a aia 2
Teste a aia 2
 
Ficha de leitura
Ficha de leituraFicha de leitura
Ficha de leitura
 
Eça de Queirós - A Aia (1).pdf
Eça de Queirós - A Aia (1).pdfEça de Queirós - A Aia (1).pdf
Eça de Queirós - A Aia (1).pdf
 
1ª Ficha Formativa
1ª Ficha Formativa1ª Ficha Formativa
1ª Ficha Formativa
 
Lenda Taa
Lenda TaaLenda Taa
Lenda Taa
 
Novelas de Cavalaria e Humanismo
Novelas de Cavalaria e HumanismoNovelas de Cavalaria e Humanismo
Novelas de Cavalaria e Humanismo
 
1ª Ficha De AvaliaçãO
1ª Ficha De AvaliaçãO1ª Ficha De AvaliaçãO
1ª Ficha De AvaliaçãO
 
O romance romântico
O romance românticoO romance romântico
O romance romântico
 

Último

Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 

Último (20)

Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 

A Aia de Eça

  • 1. A Aia Eça de Queirós
  • 2. Traços marcantes O conto inicia-se com a expressão “Era uma vez…” que remete para: Um tempo indeterminado A intemporalidade da história narrada
  • 3. A Aia  É uma narrativa curta; Apresenta semelhanças com o conto tradicional: Número reduzido de personagens; Uso de personagens-tipo; Fácil memorização; Função lúdica e moralizadora.
  • 5. Momentos da narrativa Momentos da narrativa Segmentos do texto Assunto Introdução “Era uma vez…dentro das suas faixas.” até ”A Lua cheia (…) de um grande rio.” (Linhas 1 à 7) • Apresentação do reino, do rei, da rainha, e do filho. • Notícia da morte do rei - deixa sozinhos a rainha, o filho e o reino. Desenvolvimento “A rainha chorou magnificamente o rei (…)” até “ Era um punhal de um velho rei, todo cravejado de esmeraldas, e que valia uma província.” (Linhas 8 à 133) • Morte do rei e cobiça do tio bastardo. • Ataque ao castelo. • Triunfo da aia. Desenlace “Agarrara o punhal, e com ele apertado fortemente (…)” até “E cravou o punhal no coração.” Linha 134 - 139 Morte da aia
  • 6. Sequências narrativas •Apresentação do reino, do rei, da rainha, e do principezinho. Linha 1 a 3 •Partida do rei para a guerra e notícia da sua morte. Linha 4 a 7 •Reação da rainha à morte do rei. Linha 8 a 11 •Apresentação e descrição das ambições do tio bastardo – inimigo do rei. Linha 12 -15 •Aparecimento da personagem principal – a aia; Linha 18 - 20 •Descrição comparativa entre o príncipe e o escravozinho. Linha 20 -25 •A aia – crenças e preocupações sentidas devido à fragilidade do príncipe. Linha 26 - 48 •Medo que reinava no palácio: devido ao tio bastardo e à indefesa do principezinho. Linha 49 a 57 •Pressentimento da aia sobre algo potencialmente perigoso, avistamento dos homens, e compreensão sobre o plano do bastardo. Linha 58 a 68
  • 7. Sequências narrativas •Atitude impulsiva da aia – troca as crianças Linha 69 a 71 •Rapto do suposto príncipe Linha 72 - 75 •Pânico da rainha e tomada de consciência do ato da aia. Linha 76 a 84 •Notícia da morte do tio, da sua horda e do suposto principezinho. Linha 85 a 90 •A Rainha mostra a todos que o principezinho está vivo ,erguendo-o nos seus braços. Linha 90 à 92 •Aclamação da multidão para que a aia fosse recompensada. Linha 93 a 102 •Deslocação da rainha, aia, e de todos os empregados do palácio até à câmara dos tesouros para recompensar a aia. Linha 103 a 114 •Descrição da magnificência do tesouro real Linha 116- 123 •Reacções da aia perante o espaço à sua volta, suas crenças perante o que observava, e escolha da sua recompensa. Linha 124 a 134 •Morte da aia com um punhal Linha 135- à 139
  • 8. Organização das sequências da narrativa O processo de organização destas sequências narrativas é o encadeamento, porque os acontecimentos sucedem-se por ordem cronológica.
  • 9. Delimitação da ação Esta é uma narrativa fechada, visto que a aia (personagem principal) morreu. Não há mais desenvolvimento possível neste conto.
  • 11. Classificação das personagens quanto ao relevo Principais Secundárias Figurantes A Aia O principezinho O escravozinho O rei A rainha O tio O velho de casta nobre A horda do tio O capitão dos guardas As aias O servo A legião de archeiros Os vassalos A multidão
  • 12. Caracterização direta e indireta das personagens Caracterização direta Caracterização indireta • “Bela e robusta escrava […] - linha 23 • “leal escrava […] - linha 29 • Fiel – “Tinha a paixão, areligião dos seus senhores […]” - linhas 31-32 • Crente – “Pertencia, porém, a uma raça que acredita que a vida na Terra se continua no Céu.” - linhas 33-34 • Carinhosa – “Com uma ternura maior […] cobria o seu corpinho gordo de beijos” - linhas 49-59 • Temerosa – “também ela tremia pelo seu principezinho” - linha 43 • Decidida – “Rapidamente, sem uma vacilação […]” - linhas 80-81 • Corajosa – “E cravou o punhal no coração” - linha 151 A aia
  • 13. A Rainha Caracterização direta Caracterização indireta “… deixando solitária e triste a sua rainha …” – linha 2 “ E a rainha desventurosa … ” – linha 54 “… a sua fraqueza de viúva.” – linha 55 e 56 • Carinhosa – “Quando a rainha, antes de adormecer, vinha beijar o principezinho, que tinha o cabelo louro e fino, beijava também por amor dele o escravozinho, que tinha o cabelo negro e crespo.” – linha 20 e 21 • Preocupada e desorientada – “… a rainha invadiu a câmara, entre as aias, gritando pelo seu filho.” – linha 79
  • 14. O Rei • Caracterização direta Caracterização indireta • “… moço e valente …” – linha 1 • “… levado no seu sonho de conquista e de fama …” – linha 4 • “… era formoso e alegre.” – linha 8 e 9
  • 15.
  • 16. Personagens que representam o Bem • Rei • Aia • Rainha • Principezinho • Escravo • Velho de casta nobre • Aias • Servo • Capitão dos guardas
  • 17. Personagens que defendem o Mal • Tio do principezinho e sua horda
  • 18. Tempo
  • 19. Tempo cronológico  Tempo do decurso da ação (tempo em que se desenrolam os acontecimentos:  “A Lua cheia que o vira marchar […] e da morte do rei trespassado por sete lanças entre a flor da sua nobreza, à beira de um grande rio.” – linhas 4-7  “Ora uma noite, noite de silêncio e escuridão [...] mais que sentiu, um curto rumor de ferro e de briga, longe, à entrada dos vergéis reais” – linhas 58-60  “E nesse instante um novo clamor abalou a galeria de mármore [...]” – linhas 85-87  “Era lá, nesse Céu fresco de madrugada [...] e procurava o seu peito!...” – linhas 127-128  “Subiam os primeiros raios de Sol [...]. E cravou o punhal no coração” – linhas 135-139
  • 20. Principais acontecimentos Dia Suicídio da Aia na câmara dos Tesouros durante os primeiros raios de Sol. Noite A morte do rei, na guerra em que participou para defender o seu reino. Ataque do tio e suas tropas ao palácio, na tentativa de matar o principezinho para subir ao trono. Anunciada a morte do suporto principezinho . Anunciada, pelo capitão das tropas, a morte do tio bastardo.
  • 21. Tempo histórico  Localização da ação em termos históricos, referentes a uma época temporal. Por exemplo, a história relatada passa-se numa época recuada em que coabitavam reis e escravos em palácios.  “Era uma vez um rei […]” – linha 1  “bela e robusta escrava [...]” – linha 23  “o palácio surpreendido [...]” – linha 79
  • 23. Espaço físico  Espaço real (geográfico; interior ou exterior) onde decorrem os acontecimentos: Exterior:  “[…] senhor de um reino abundante de cidades e searas [...] ” – linha 1  “trespassado por sete lanças entre a flor da sua nobreza, à beira de um grande rio.” – linha 7  [...] no meio de tantos inimigos da sua frágil vida e do reino que seria seu” – linha 10  [...] vivia num castelo sobre os montes...” – linha 14
  • 24. Espaço físico Interior:  “Nascida naquela casa real […] – linha 26  [...] ao fundo da galeria, avistou homens...” – linha 66  “[...] surgiu à porta da câmara [...]” – linha 73  Os pátios ressoavam com o bater das armas” – linha 78  [...] ela foi assim conduzida para a câmara dos tesouros” – linhas 107-109
  • 25. Espaço O espaço exterior relaciona-se com as personagens que nele se movem:  “castelo sobre os montes” povoado pelo tio bastardo e a sua “o cimo das serras” horda, que vigiavam o principezinho.  “na planície, às portas da cidade” palácio onde a rainha, o príncipe, o escravo, os guardas, a aia e os outros criados viviam.
  • 26. Espaço social Consiste no ambiente social vivido pelas personagens e cujos traços ilustram a atmosfera social em que se movimentam:  “[…] o berço de um era magnifico e de marfim entre brocados – e o berço do outro pobre e de verga.” – linhas 28-29
  • 27. Espaço psicológico Corresponde à vivências íntimas, pensamentos, sonhos, estados de espírito, memórias, reflexões… das personagens e que caracterizam o ambiente a elas associado.  “ Do chão de rocha até às sombrias abóbadas, por toda a câmara, reluziam, cintilavam, refugiam (…) Apenas os seus olhos, brilhantes e secos, se tinham erguido para aquele Céu que, além das grades, se tingia de rosa e ouro.” - linhas 120 à 126.
  • 29. Narrador (Presença) Justificação Linha(s) “Era uma vez um rei…” 1 “Nascida naquela casa real, ela tinha a paixão, a religião dos seus senhores.” 26 “A mãe caiu sobre o berço, com um suspiro, como cai um corpo morto.” 83/84 narrador do conto “A Aia” é não participante ou ausente, ou seja, não participa na ação – narração na 3ª pessoa.
  • 30. Narrador (posição) Justificação Linha(s) “Ai!” 16 “Pobre principezinho da sua alma!” 38 “Mas, ai! Dor sem nome!” 89 “Os olhos de ambos reluziam como pedras preciosas.” 22 A rainha tomou a mão da serva. 103/ 104 Então a ama sorriu e estendeu a mão. 128/129 A posição do narrador: objetivo com marcas de subjetividade. Narrador subjetivo Narrador objetivo
  • 32. Modos de expressão  Narração - representam momentos de progressão na ação, peripécias.  “Ora uma noite, noite de silêncio e escuridão […] deitou-o no berço real que cobriu com um brocado.” – linhas 71 - 83 Pretérito Perfeito Pretérito Imperfeito Gerúndio • Adivinhou • Sentiu • Escutou • Houve • Descerrou • Avistou • Compreendeu • Arrebatou • Atirou-o • Deitou-o • Cobriu • Corriam • Indo • Atirando • Tombando • Vindo • Atirando
  • 33. Modos de expressão  Descreve personagens ou espaços onde decorrem os acontecimentos:  “Quando a rainha, antes de adormecer, vinha beijar o principezinho, que tinha o cabelo louro e fino, beijava também por amor dele o escravozinho, que tinha o cabelo negro e crespo.” – linha 20-22  Louro e fino – dupla adjetivação  Negro e crespo – dupla adjetivação  adormecer/ vinha beijar/ beijava/ tinha - Sensações: táteis e visuais
  • 34. Modos de expressão Diálogo: as personagens falam entre si e o narrador retira-se para segundo plano. Temos um exemplo no penúltimo parágrafo: “ - Salvei o meu príncipe - e agora vou dar de mamar ao meu filho!” O discurso direto é utilizado para justificar o suicídio da aia