SlideShare uma empresa Scribd logo
Língua Portuguesa
Vera Lourenço
Escolhe a opção correcta:
1. O primeiro parágrafo informa-nos acerca de:
a) o reino, a rainha, o príncipe e a aia.
b) o reino, o rei, a rainha e o filho.
c) o reino, o tio, o rei e o filho.
2. A lua começou a minguar, quando:
a) o rei partiu a batalhar em terras distantes.
b) o rei faleceu, trespassado por sete lanças à beira do grande lago.
c) O rei morreu à beira do grande rio.
3. A rainha chorou amargamente:
a) a morte do esposo e do cunhado.
b)a morte do rei, esposo e pai.
c) a morte do pai e do rei.
4. O grande inimigo do reino e a sua horda viviam:
a) na planície, próximo do palácio.
b) às portas do palácio, na cidadela.
c) num castelo sobre os montes.
5. O tio, irmão bastardo do rei:
a) ajudou a governar o reino.
b)chorou copiosamente a morte do rei.
c) desejou os tesouros da realeza.
6. As semelhanças entre o príncipe e o escravo são:
a) nascidos na mesma noite, criados pelo mesmo seio, cercados pelo mesmo carinho e em ambos reluziam
os olhos como pedras preciosas.
b) nascidos no Verão, criados cada um por sua mãe e cercados de diferentes carinhos.
c) nascidos numa manhã fria, criados pelo mesmo seio e em ambos reluziam os olhos.
7. A aia chorou sentidamente a morte do rei por:
a) amar, perdidamente, moço e valente rei.
b) perder o pai do seu filhinho.
c) ser leal ao seu amo.
8. A aia temia o futuro do seu príncipe porque:
a) o tio era cruel e o príncipe frágil.
b) o reino foi invadido pela horda do tio.
c) o tio tinha a face mais escura do que a noite.
9. A aia a ambos tratava de modo igual, no entanto, tinha consciência que:
a) o seu filho nada tinha a temer porque a sua alma era livre e simples.
b) as desgraças, os assaltos de má sorte se abateriam sobre o seu filho.
c) o seu príncipe nada tinha a recear porque a sua existência era despida de glória.
10. O bastardo, homem de rapina, e a sua horda desceram à planície:
a) deixando um sulco de matança e ruínas.
b) espalhando a alegria e a felicidade.
c) queimando tudo por onde passavam.
Vera Lourenço
11. A aia tirou o príncipe do seu berço de marfim para o berço de verga porque
a) pensava que o palácio ia ser incendiado.
b) compreendeu que, naquela noite, algo se estava a passar no palácio.
c) achava que o seu filho merecia um berço de marfim.
12. A aia, muito calada e pálida:
a) ouvia o bater das armas.
b) cobriu o menino no berço de marfim.
c) destapou o pobre berço de verga, onde estava o príncipe adormecido.
13. O capitão das guardas trouxe a notícia da:
a) morte do tio bastardo e do “principezinho”.
b) morte do “principezinho”, do tio bastardo e da sua horda.
c) morte do tio bastardo e da sua horda.
14. “Serva sublimemente leal” por:
a) ter mandado o seu filho à morte.
b) ter matado o tio cruel.
c) ter nascido naquela casa real.
15. A multidão interrogava-se acerca:
a) da morte do príncipe.
b)da invasão do palácio.
c)de quem teria salvo o príncipe.
16. Caminhavam em direcção à câmara dos tesouros para:
a) enclausurar o menino.
b) recompensar a aia.
c) admirar a riqueza.
17. Senhores, aias, homens de armas acompanhavam sentidamente a aia à câmara dos tesouros num:
a) desejo ávido de recompensa.
b) alegre festejo de vitória.
c) comovido “cortejo fúnebre”.
18. O brilho das pedrarias e do ouro foi realçado pelo:
a) nascer do dia.
b) luar.
c) pôr do Sol.
19. A aia cravou o punhal no coração porque:
a) ia cuidar do seu filho, pois já havia salvo o reino.
b) queria ir ao reino dos céus, encontrar-se com o seu rei.
c) odiava a rainha.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)Lurdes Augusto
 
Ficha trabalho coordenação
Ficha trabalho coordenaçãoFicha trabalho coordenação
Ficha trabalho coordenaçãoMargarida Gomes
 
Paratextos 8º ano teste 3 com soluções
Paratextos 8º ano teste 3 com soluçõesParatextos 8º ano teste 3 com soluções
Paratextos 8º ano teste 3 com soluçõesZélia fernandes
 
Síntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deusesSíntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deusesEva Antunes
 
Ficha de avaliação_ texto narrativo
Ficha de avaliação_ texto narrativoFicha de avaliação_ texto narrativo
Ficha de avaliação_ texto narrativoRaquel Antunes
 
Ficha avaliação reportagem notícia
Ficha avaliação reportagem notíciaFicha avaliação reportagem notícia
Ficha avaliação reportagem notíciaCarlos Lima
 
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar - 1ªparte
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar - 1ªparteHistória de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar - 1ªparte
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar - 1ªparteLurdes Augusto
 
Categorias da Narrativa em "A Aia"
Categorias da Narrativa em "A Aia"Categorias da Narrativa em "A Aia"
Categorias da Narrativa em "A Aia"Maria João C. Conde
 
Crise de 1383 85
Crise de 1383 85Crise de 1383 85
Crise de 1383 85Maria Gomes
 
Auto da-barca-do-inferno-argumentos-de-acusao-e-de-defesa
Auto da-barca-do-inferno-argumentos-de-acusao-e-de-defesaAuto da-barca-do-inferno-argumentos-de-acusao-e-de-defesa
Auto da-barca-do-inferno-argumentos-de-acusao-e-de-defesaFJDOliveira
 
Portugues 9º ano 1º teste.pdf fidalgo
Portugues 9º ano 1º teste.pdf fidalgoPortugues 9º ano 1º teste.pdf fidalgo
Portugues 9º ano 1º teste.pdf fidalgoRúben Henriques
 
Teste poesia trovadoresca 10 ano
Teste poesia trovadoresca 10 anoTeste poesia trovadoresca 10 ano
Teste poesia trovadoresca 10 anoRonaldo Figo
 

Mais procurados (20)

A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
 
Swoosh 9 evaluation tests
Swoosh 9   evaluation testsSwoosh 9   evaluation tests
Swoosh 9 evaluation tests
 
1ª Ficha De AvaliaçãO
1ª Ficha De AvaliaçãO1ª Ficha De AvaliaçãO
1ª Ficha De AvaliaçãO
 
Ficha trabalho coordenação
Ficha trabalho coordenaçãoFicha trabalho coordenação
Ficha trabalho coordenação
 
Resumo a saga
Resumo a sagaResumo a saga
Resumo a saga
 
Paratextos 8º ano teste 3 com soluções
Paratextos 8º ano teste 3 com soluçõesParatextos 8º ano teste 3 com soluções
Paratextos 8º ano teste 3 com soluções
 
Teste saga
Teste saga Teste saga
Teste saga
 
Síntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deusesSíntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deuses
 
Ficha de avaliação_ texto narrativo
Ficha de avaliação_ texto narrativoFicha de avaliação_ texto narrativo
Ficha de avaliação_ texto narrativo
 
Conto a Saga 2
Conto a Saga 2Conto a Saga 2
Conto a Saga 2
 
Ficha avaliação reportagem notícia
Ficha avaliação reportagem notíciaFicha avaliação reportagem notícia
Ficha avaliação reportagem notícia
 
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar - 1ªparte
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar - 1ªparteHistória de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar - 1ªparte
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar - 1ªparte
 
Categorias da Narrativa em "A Aia"
Categorias da Narrativa em "A Aia"Categorias da Narrativa em "A Aia"
Categorias da Narrativa em "A Aia"
 
A Aia
A AiaA Aia
A Aia
 
Saga.docx
Saga.docxSaga.docx
Saga.docx
 
Crise de 1383 85
Crise de 1383 85Crise de 1383 85
Crise de 1383 85
 
O Cavaleiro Dinamarca síntese
O Cavaleiro Dinamarca sínteseO Cavaleiro Dinamarca síntese
O Cavaleiro Dinamarca síntese
 
Auto da-barca-do-inferno-argumentos-de-acusao-e-de-defesa
Auto da-barca-do-inferno-argumentos-de-acusao-e-de-defesaAuto da-barca-do-inferno-argumentos-de-acusao-e-de-defesa
Auto da-barca-do-inferno-argumentos-de-acusao-e-de-defesa
 
Portugues 9º ano 1º teste.pdf fidalgo
Portugues 9º ano 1º teste.pdf fidalgoPortugues 9º ano 1º teste.pdf fidalgo
Portugues 9º ano 1º teste.pdf fidalgo
 
Teste poesia trovadoresca 10 ano
Teste poesia trovadoresca 10 anoTeste poesia trovadoresca 10 ano
Teste poesia trovadoresca 10 ano
 

Semelhante a Questionário a aia

Cnl contos aia_tesouro_prova_3ciclo_11jan2017
Cnl contos aia_tesouro_prova_3ciclo_11jan2017Cnl contos aia_tesouro_prova_3ciclo_11jan2017
Cnl contos aia_tesouro_prova_3ciclo_11jan2017Odilia Oliveira
 
Escolha multipla rei da heliria
Escolha multipla rei da heliriaEscolha multipla rei da heliria
Escolha multipla rei da heliriaPaula Costa
 
Lrh ficha verificação leitura lrh
Lrh ficha verificação leitura lrhLrh ficha verificação leitura lrh
Lrh ficha verificação leitura lrhelifly
 
Ficha de verific. leitura cav. dinamarca
Ficha de verific. leitura cav. dinamarcaFicha de verific. leitura cav. dinamarca
Ficha de verific. leitura cav. dinamarcaAntonioEsposende
 
Leandro, rei da helíria quest.
Leandro, rei da helíria   quest.Leandro, rei da helíria   quest.
Leandro, rei da helíria quest.Sheila Dupont
 
Recensão crítica - a aia
Recensão crítica - a aia Recensão crítica - a aia
Recensão crítica - a aia AMLDRP
 
Correção do guião das páginas 204 e 205
Correção do guião das páginas 204 e 205Correção do guião das páginas 204 e 205
Correção do guião das páginas 204 e 205ElisabeteMarques
 
A aia escplha multipla
A aia escplha multiplaA aia escplha multipla
A aia escplha multiplaostrapaula
 
Ficha de verificação de leitura (preparação) - O Cavaleiro da Dinamarca.docx
Ficha de verificação de leitura (preparação) - O Cavaleiro da Dinamarca.docxFicha de verificação de leitura (preparação) - O Cavaleiro da Dinamarca.docx
Ficha de verificação de leitura (preparação) - O Cavaleiro da Dinamarca.docxFlorbelaGraa2
 
A Aia - sistematização.pptx
A Aia - sistematização.pptxA Aia - sistematização.pptx
A Aia - sistematização.pptxfernandomondim
 
Trabalho de Português - Gabriela Pinto nº2
Trabalho de Português - Gabriela Pinto nº2Trabalho de Português - Gabriela Pinto nº2
Trabalho de Português - Gabriela Pinto nº2Rita Costa
 
Os príncipes gémeos, in Queres Ouvir? Eu Conto!, Irene Lisboa
Os príncipes gémeos, in Queres Ouvir? Eu Conto!, Irene LisboaOs príncipes gémeos, in Queres Ouvir? Eu Conto!, Irene Lisboa
Os príncipes gémeos, in Queres Ouvir? Eu Conto!, Irene LisboaPaula Carvalho
 

Semelhante a Questionário a aia (20)

teste adaptado- AAia.doc
teste adaptado-  AAia.docteste adaptado-  AAia.doc
teste adaptado- AAia.doc
 
Aia
AiaAia
Aia
 
A aia
A aiaA aia
A aia
 
Cnl contos aia_tesouro_prova_3ciclo_11jan2017
Cnl contos aia_tesouro_prova_3ciclo_11jan2017Cnl contos aia_tesouro_prova_3ciclo_11jan2017
Cnl contos aia_tesouro_prova_3ciclo_11jan2017
 
Escolha multipla rei da heliria
Escolha multipla rei da heliriaEscolha multipla rei da heliria
Escolha multipla rei da heliria
 
Lrh ficha verificação leitura lrh
Lrh ficha verificação leitura lrhLrh ficha verificação leitura lrh
Lrh ficha verificação leitura lrh
 
Ficha de leitura
Ficha de leituraFicha de leitura
Ficha de leitura
 
Ficha de verific. leitura cav. dinamarca
Ficha de verific. leitura cav. dinamarcaFicha de verific. leitura cav. dinamarca
Ficha de verific. leitura cav. dinamarca
 
Leandro, rei da helíria quest.
Leandro, rei da helíria   quest.Leandro, rei da helíria   quest.
Leandro, rei da helíria quest.
 
Teste a aia 2
Teste a aia 2Teste a aia 2
Teste a aia 2
 
A aia resumo1
A aia   resumo1A aia   resumo1
A aia resumo1
 
Recensão crítica - a aia
Recensão crítica - a aia Recensão crítica - a aia
Recensão crítica - a aia
 
testePT7Leandro.docx
testePT7Leandro.docxtestePT7Leandro.docx
testePT7Leandro.docx
 
Correção do guião das páginas 204 e 205
Correção do guião das páginas 204 e 205Correção do guião das páginas 204 e 205
Correção do guião das páginas 204 e 205
 
A aia escplha multipla
A aia escplha multiplaA aia escplha multipla
A aia escplha multipla
 
Ficha de verificação de leitura (preparação) - O Cavaleiro da Dinamarca.docx
Ficha de verificação de leitura (preparação) - O Cavaleiro da Dinamarca.docxFicha de verificação de leitura (preparação) - O Cavaleiro da Dinamarca.docx
Ficha de verificação de leitura (preparação) - O Cavaleiro da Dinamarca.docx
 
A aia
A aiaA aia
A aia
 
A Aia - sistematização.pptx
A Aia - sistematização.pptxA Aia - sistematização.pptx
A Aia - sistematização.pptx
 
Trabalho de Português - Gabriela Pinto nº2
Trabalho de Português - Gabriela Pinto nº2Trabalho de Português - Gabriela Pinto nº2
Trabalho de Português - Gabriela Pinto nº2
 
Os príncipes gémeos, in Queres Ouvir? Eu Conto!, Irene Lisboa
Os príncipes gémeos, in Queres Ouvir? Eu Conto!, Irene LisboaOs príncipes gémeos, in Queres Ouvir? Eu Conto!, Irene Lisboa
Os príncipes gémeos, in Queres Ouvir? Eu Conto!, Irene Lisboa
 

Último

Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfrarakey779
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoPedroFerreira53928
 
Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40vitoriaalyce2011
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
hereditariedade é variabilidade genetic
hereditariedade é variabilidade  genetichereditariedade é variabilidade  genetic
hereditariedade é variabilidade geneticMrMartnoficial
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfrarakey779
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessDesastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessRodrigoGonzlez461291
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfmanual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfLeandroTelesRocha2
 
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]ESCRIBA DE CRISTO
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxmairaviani
 

Último (20)

Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
hereditariedade é variabilidade genetic
hereditariedade é variabilidade  genetichereditariedade é variabilidade  genetic
hereditariedade é variabilidade genetic
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessDesastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfmanual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
 
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
 

Questionário a aia

  • 1. Língua Portuguesa Vera Lourenço Escolhe a opção correcta: 1. O primeiro parágrafo informa-nos acerca de: a) o reino, a rainha, o príncipe e a aia. b) o reino, o rei, a rainha e o filho. c) o reino, o tio, o rei e o filho. 2. A lua começou a minguar, quando: a) o rei partiu a batalhar em terras distantes. b) o rei faleceu, trespassado por sete lanças à beira do grande lago. c) O rei morreu à beira do grande rio. 3. A rainha chorou amargamente: a) a morte do esposo e do cunhado. b)a morte do rei, esposo e pai. c) a morte do pai e do rei. 4. O grande inimigo do reino e a sua horda viviam: a) na planície, próximo do palácio. b) às portas do palácio, na cidadela. c) num castelo sobre os montes. 5. O tio, irmão bastardo do rei: a) ajudou a governar o reino. b)chorou copiosamente a morte do rei. c) desejou os tesouros da realeza. 6. As semelhanças entre o príncipe e o escravo são: a) nascidos na mesma noite, criados pelo mesmo seio, cercados pelo mesmo carinho e em ambos reluziam os olhos como pedras preciosas. b) nascidos no Verão, criados cada um por sua mãe e cercados de diferentes carinhos. c) nascidos numa manhã fria, criados pelo mesmo seio e em ambos reluziam os olhos. 7. A aia chorou sentidamente a morte do rei por: a) amar, perdidamente, moço e valente rei. b) perder o pai do seu filhinho. c) ser leal ao seu amo. 8. A aia temia o futuro do seu príncipe porque: a) o tio era cruel e o príncipe frágil. b) o reino foi invadido pela horda do tio. c) o tio tinha a face mais escura do que a noite. 9. A aia a ambos tratava de modo igual, no entanto, tinha consciência que: a) o seu filho nada tinha a temer porque a sua alma era livre e simples. b) as desgraças, os assaltos de má sorte se abateriam sobre o seu filho. c) o seu príncipe nada tinha a recear porque a sua existência era despida de glória. 10. O bastardo, homem de rapina, e a sua horda desceram à planície: a) deixando um sulco de matança e ruínas. b) espalhando a alegria e a felicidade. c) queimando tudo por onde passavam.
  • 2. Vera Lourenço 11. A aia tirou o príncipe do seu berço de marfim para o berço de verga porque a) pensava que o palácio ia ser incendiado. b) compreendeu que, naquela noite, algo se estava a passar no palácio. c) achava que o seu filho merecia um berço de marfim. 12. A aia, muito calada e pálida: a) ouvia o bater das armas. b) cobriu o menino no berço de marfim. c) destapou o pobre berço de verga, onde estava o príncipe adormecido. 13. O capitão das guardas trouxe a notícia da: a) morte do tio bastardo e do “principezinho”. b) morte do “principezinho”, do tio bastardo e da sua horda. c) morte do tio bastardo e da sua horda. 14. “Serva sublimemente leal” por: a) ter mandado o seu filho à morte. b) ter matado o tio cruel. c) ter nascido naquela casa real. 15. A multidão interrogava-se acerca: a) da morte do príncipe. b)da invasão do palácio. c)de quem teria salvo o príncipe. 16. Caminhavam em direcção à câmara dos tesouros para: a) enclausurar o menino. b) recompensar a aia. c) admirar a riqueza. 17. Senhores, aias, homens de armas acompanhavam sentidamente a aia à câmara dos tesouros num: a) desejo ávido de recompensa. b) alegre festejo de vitória. c) comovido “cortejo fúnebre”. 18. O brilho das pedrarias e do ouro foi realçado pelo: a) nascer do dia. b) luar. c) pôr do Sol. 19. A aia cravou o punhal no coração porque: a) ia cuidar do seu filho, pois já havia salvo o reino. b) queria ir ao reino dos céus, encontrar-se com o seu rei. c) odiava a rainha.