SlideShare uma empresa Scribd logo
10/06/1510/06/15 1
Trauma Raquimedular
Trauma Raquimedular
10/06/15 2
TRAUMA RAQUIMEDULAR
• Citar 03 sinais e/ou
sintomas do TRM.
• Identificar as principais
emergências encontradas
nos TRM.
• Descrever 03 passos para
o atendimento no TRM.
7 vértebras cervicais
12 vértebras torácicas
5 vértebras lombares
4 vértebras
coccígeas
5 vértebras sacrais
TRAUMA RAQUIMEDULAR
TRAUMA RAQUIMEDULAR
10/06/15 4
Os traumatismos da coluna vertebral e da medula espinhal são
denominados de traumatismos raquimedular (TRM).
(TRM)
TRAUMA RAQUIMEDULAR
TRAUMA RAQUIMEDULAR
TRAUMA RAQUIMEDULAR
10/06/15 8
…que lesões ósseas vertebrais podem estar presentes sem que haja
lesões de medula espinhal…
…por isso a vítima deve ser imobilizada quando há qualquer suspeita
de lesão de coluna, protegendo a medula de ser lesada com mobilização
inadequada
TRAUMA RAQUIMEDULAR
Lembrar
10/06/15 9
TRAUMA RAQUIMEDULAR
10/06/15 10
TRAUMA RAQUIMEDULAR
10/06/15 11
SINAIS E SINTOMAS
Alterações motoras
Paralisias
Diminuição da força (paresia) muscular
Alterações sensitivas
como anestesia,
diminuição da sensibilidade e
parestesias (formigamento, amortecimento)
geralmente abaixo do nível da lesão.
Dependem do nível da lesão e o comprometimento neurológico
10/06/15 12
AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA
10/06/15 13
ATENDIMENTO
Equipe deve ter conhecimento do mecanismo de trauma.
Paralisia imediata.
Deterioração gradual da sensibilidade ou da atividade motora.
Todo paciente que sofre traumatismo acima da linha da clavícula ou está
inconsciente, é considerado como tendo trauma de coluna cervical.
10/06/15 14
ATENDIMENTO
Manter o paciente em posição neutra e sem movimentação da coluna.
Não realizar a flexão, extensão ou rotação do pescoço e tronco.
Transportar o paciente imobilizado.
Lembrar que embora o colar cervical semi-rígido seja útil, a imobilização da
cabeça a prancha, calçando adequadamente a cabeça e o pescoço, são mais
efetivos.
O maior objetivo da imobilização total é fornecer proteção à coluna dorsal e
lombar,
Devem ser imobilizados de forma segura não só a cabeça e pescoço, mais
também o tórax, a pelve, e as extremidades inferiores.
10/06/15 15
AVALIAÇÃO EM PACIENTES CONSCIENTES
Lembrar que o paciente consciente, com paralisia…
…é capaz de identificar a dor no local do trauma,
Porque ?
Porque a perda de sensibilidade é abaixo do nível da lesão.
No exame físico,
Palpar cuidadosamente a coluna,
Preste atenção a sinais de dor,
Observe sua expressão facial.
Lembre que a paralisia e a perda de sensibilidade podem mascarar lesões
intra-abdominais e de extremidades inferiores.
10/06/15 16
AVALIAÇÃO EM PACIENTES INCONSCIENTES
Se o paciente esta inconsciente e a lesão foi decorrente de queda ou colisão
de automóvel, a possibilidade de lesão de coluna é de 5% a 10%.
Os achados clínicos que sugerem lesão são:
Arreflexia flácida, principalmente com flacidez do esfíncter anal;
Respiração diafragmática;
Capacidade de fletir o antebraço, mais incapacidade de estendê-lo;
Resposta a estímulo doloroso somente acima da linha da clavícula;
Hipotensão com bradicardia, principalmente sem hipovolemia;
Priapismo, sinal incomum, porém característico.
10/06/15 17
AVALIAÇÃO DA COLUNA VERTEBRAL
Uma pessoa para retirar a prancha longa
10/06/15 18
AVALIAÇÃO DA COLUNA VERTEBRAL
Quando existe lesão de coluna, existe dor à palpação que irradia-se para:
braços,
tórax,
abdome,
extremidades inferiores,
DOR
Avaliar
Dor espontânea
Dor à palpação
Deformidades
Nos degraus vertebrais
região posterior.
Apresenta
Edema, equimoses, espasmos musculares, deformidades visíveis.
10/06/15 19
AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA
Disfunções do sistema autônomo
(perda do controle esfincteriano da bexiga e do reto, e presença de priapismo).
10/06/15 20
AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA
O trato córtico-espinhal, localizado na região postero lateral da medula,
controla a força motora do mesmo lado do corpo e é testado de acordo com a
contração voluntária ou involuntária aos estímulos dolorosos.
10/06/15 21
AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA
O trato espinotalâmico, localizado na região antero-lateral da medula
transmite as sensações dolorosas e térmicas, do lado oposto do corpo à sua
localização.
É testado beliscando a pele ou através de estímulo com objeto pontiagudo,
como agulha ou alfinete;
O trato posterior que transmite os impulsos originados do mesmo lado do
corpo é testado pela percepção da posição dos dedos da mão ou pé, ou pela
vibração.
10/06/15 22
AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA
Lesões completas:
Ocorre a ausência da função motora ou da sensibilidade.
Esta situação é muito desfavorável, porque a possibilidade de recuperação é
pequena.
10/06/15 23
AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA
Lesões incompletas:
As lesões incompletas da medula espinhal diferem consideravelmente,
porque pode ocorrer a recuperação.
Portanto é essencial um exame cuidadoso para determinar
a presença de função motora e de sensibilidade.
10/06/15 24
AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA
Choque neurogênico:
Lesão das vias eferentes do sistema simpático da medulaespinhal.
Uma lesão medular pode provocar hipotensão por perda do tônus simpático a
qual acentua os efeitos fisiopatológicos tais como hipotensão sem taquicardia e
sem vasoconstrição cutânea.
Pulso fino não é visto no choque neurogênico e que a presença de bradicardia
em determinadas situações.
O tratamento baseia-se inicialmente com a reposição de líquidos associados
a drogas vasoativas.
10/06/15 25
AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA
Choque medular:
Refere-se à condição neurológica que ocorre imediatamente após a lesão da
medula espinhal.
As suas características são perda total de qualquer função motora, flacidez,
perda de reflexos ao invés da espasticidade, hiperreflexia e sinal de Babinski.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

TCE
TCETCE
Acidente Vascular Encefálico
Acidente Vascular EncefálicoAcidente Vascular Encefálico
Acidente Vascular Encefálico
Brenda Lahlou
 
Traumatismo craniano
Traumatismo cranianoTraumatismo craniano
Traumatismo craniano
Rafael Medeiros
 
Acidente vascular encefálico (ave) .
Acidente vascular encefálico (ave) . Acidente vascular encefálico (ave) .
Acidente vascular encefálico (ave) .
Dani Drp
 
Trm
TrmTrm
Tce
TceTce
Tce
FMU
 
T C E - Anatomia
T C E - AnatomiaT C E - Anatomia
T C E - Anatomia
Marcio Assunção
 
Avc
AvcAvc
Apresentação acidente vascular cerebral
Apresentação acidente vascular cerebralApresentação acidente vascular cerebral
Apresentação acidente vascular cerebral
Laboratório Sérgio Franco
 
Lesão Medular
Lesão MedularLesão Medular
Lesão Medular
Marcelo Lopes
 
Choque aula-med-de-urgc3aancia
Choque aula-med-de-urgc3aanciaChoque aula-med-de-urgc3aancia
Choque aula-med-de-urgc3aancia
Rejane Durães
 
Lesão medular
Lesão medularLesão medular
Lesão medular
Biancaglorinha
 
Tce
TceTce
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-InvasivaMonitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
resenfe2013
 
Avc
AvcAvc
Avc
galegoo
 
Aula residência ave avc
Aula residência ave avcAula residência ave avc
Aula residência ave avc
Inaiara Bragante
 
Palestra tce 2
Palestra tce 2Palestra tce 2
Palestra tce 2
neuroliga-nortemineira
 
Neurorradiologia AVC isquêmico e hemorrágico
Neurorradiologia AVC isquêmico e hemorrágicoNeurorradiologia AVC isquêmico e hemorrágico
Neurorradiologia AVC isquêmico e hemorrágico
Bruna Cesário
 
Crise convulsiva e quedas
Crise convulsiva e quedasCrise convulsiva e quedas
Crise convulsiva e quedas
Natalia Mikaele Vasconcellos
 
Avc seminário
Avc seminárioAvc seminário
Avc seminário
niloshow
 

Mais procurados (20)

TCE
TCETCE
TCE
 
Acidente Vascular Encefálico
Acidente Vascular EncefálicoAcidente Vascular Encefálico
Acidente Vascular Encefálico
 
Traumatismo craniano
Traumatismo cranianoTraumatismo craniano
Traumatismo craniano
 
Acidente vascular encefálico (ave) .
Acidente vascular encefálico (ave) . Acidente vascular encefálico (ave) .
Acidente vascular encefálico (ave) .
 
Trm
TrmTrm
Trm
 
Tce
TceTce
Tce
 
T C E - Anatomia
T C E - AnatomiaT C E - Anatomia
T C E - Anatomia
 
Avc
AvcAvc
Avc
 
Apresentação acidente vascular cerebral
Apresentação acidente vascular cerebralApresentação acidente vascular cerebral
Apresentação acidente vascular cerebral
 
Lesão Medular
Lesão MedularLesão Medular
Lesão Medular
 
Choque aula-med-de-urgc3aancia
Choque aula-med-de-urgc3aanciaChoque aula-med-de-urgc3aancia
Choque aula-med-de-urgc3aancia
 
Lesão medular
Lesão medularLesão medular
Lesão medular
 
Tce
TceTce
Tce
 
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-InvasivaMonitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
 
Avc
AvcAvc
Avc
 
Aula residência ave avc
Aula residência ave avcAula residência ave avc
Aula residência ave avc
 
Palestra tce 2
Palestra tce 2Palestra tce 2
Palestra tce 2
 
Neurorradiologia AVC isquêmico e hemorrágico
Neurorradiologia AVC isquêmico e hemorrágicoNeurorradiologia AVC isquêmico e hemorrágico
Neurorradiologia AVC isquêmico e hemorrágico
 
Crise convulsiva e quedas
Crise convulsiva e quedasCrise convulsiva e quedas
Crise convulsiva e quedas
 
Avc seminário
Avc seminárioAvc seminário
Avc seminário
 

Destaque

Aula Lesão Medular Aacd
Aula Lesão Medular AacdAula Lesão Medular Aacd
Aula Lesão Medular Aacd
guest96d46e1
 
Multiplas vitimas Prof Silvio
 Multiplas vitimas Prof Silvio Multiplas vitimas Prof Silvio
Multiplas vitimas Prof Silvio
Prof Silvio Rosa
 
16ª aula choque e hemorragias Silvio
16ª aula   choque e hemorragias Silvio16ª aula   choque e hemorragias Silvio
16ª aula choque e hemorragias Silvio
Prof Silvio Rosa
 
12ª aula sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.) Silvio
12ª aula   sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.) Silvio12ª aula   sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.) Silvio
12ª aula sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.) Silvio
Prof Silvio Rosa
 
24ª aula trauma de tórax Silvio
24ª aula   trauma de tórax Silvio24ª aula   trauma de tórax Silvio
24ª aula trauma de tórax Silvio
Prof Silvio Rosa
 
13ª aula doenças metabólicas Silvio
13ª aula   doenças metabólicas Silvio13ª aula   doenças metabólicas Silvio
13ª aula doenças metabólicas Silvio
Prof Silvio Rosa
 
11ª aula quase afogamento correta Silvio
11ª aula   quase afogamento correta Silvio11ª aula   quase afogamento correta Silvio
11ª aula quase afogamento correta Silvio
Prof Silvio Rosa
 
22ª aula trauma de crânio Silvio
22ª aula   trauma de crânio Silvio22ª aula   trauma de crânio Silvio
22ª aula trauma de crânio Silvio
Prof Silvio Rosa
 
19ª aula trauma na criança e idoso Silvio
19ª aula   trauma na criança e idoso Silvio19ª aula   trauma na criança e idoso Silvio
19ª aula trauma na criança e idoso Silvio
Prof Silvio Rosa
 
25ª aula trauma abdominal Silvio
25ª aula   trauma abdominal Silvio25ª aula   trauma abdominal Silvio
25ª aula trauma abdominal Silvio
Prof Silvio Rosa
 
Aph conceitos, modalidades, histórico (aula 1)
Aph   conceitos, modalidades, histórico (aula 1)Aph   conceitos, modalidades, histórico (aula 1)
Aph conceitos, modalidades, histórico (aula 1)
Prof Silvio Rosa
 
Gestão de recursos materiais no aph Silvio
Gestão de recursos materiais no aph SilvioGestão de recursos materiais no aph Silvio
Gestão de recursos materiais no aph Silvio
Prof Silvio Rosa
 
3ª aula atendimento inicial no trauma
3ª aula   atendimento inicial no trauma3ª aula   atendimento inicial no trauma
3ª aula atendimento inicial no trauma
Prof Silvio Rosa
 
15ª aula emergencia psiquiatrica
15ª aula   emergencia psiquiatrica15ª aula   emergencia psiquiatrica
15ª aula emergencia psiquiatrica
Prof Silvio Rosa
 
9ª aula queimaduras e acidentes elétricos aph
9ª aula   queimaduras e acidentes elétricos aph9ª aula   queimaduras e acidentes elétricos aph
9ª aula queimaduras e acidentes elétricos aph
Prof Silvio Rosa
 
15ª aula emergencia psiquiatrica Silvio
15ª aula   emergencia psiquiatrica Silvio15ª aula   emergencia psiquiatrica Silvio
15ª aula emergencia psiquiatrica Silvio
Prof Silvio Rosa
 
14ª aula intoxicações exogenas Silvio
14ª aula   intoxicações exogenas Silvio14ª aula   intoxicações exogenas Silvio
14ª aula intoxicações exogenas Silvio
Prof Silvio Rosa
 
21ª aula trauma na gestante Silvio
21ª aula   trauma na gestante Silvio21ª aula   trauma na gestante Silvio
21ª aula trauma na gestante Silvio
Prof Silvio Rosa
 
17ª aula doenças circulatórias Silvio
17ª aula   doenças circulatórias Silvio17ª aula   doenças circulatórias Silvio
17ª aula doenças circulatórias Silvio
Prof Silvio Rosa
 

Destaque (19)

Aula Lesão Medular Aacd
Aula Lesão Medular AacdAula Lesão Medular Aacd
Aula Lesão Medular Aacd
 
Multiplas vitimas Prof Silvio
 Multiplas vitimas Prof Silvio Multiplas vitimas Prof Silvio
Multiplas vitimas Prof Silvio
 
16ª aula choque e hemorragias Silvio
16ª aula   choque e hemorragias Silvio16ª aula   choque e hemorragias Silvio
16ª aula choque e hemorragias Silvio
 
12ª aula sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.) Silvio
12ª aula   sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.) Silvio12ª aula   sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.) Silvio
12ª aula sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.) Silvio
 
24ª aula trauma de tórax Silvio
24ª aula   trauma de tórax Silvio24ª aula   trauma de tórax Silvio
24ª aula trauma de tórax Silvio
 
13ª aula doenças metabólicas Silvio
13ª aula   doenças metabólicas Silvio13ª aula   doenças metabólicas Silvio
13ª aula doenças metabólicas Silvio
 
11ª aula quase afogamento correta Silvio
11ª aula   quase afogamento correta Silvio11ª aula   quase afogamento correta Silvio
11ª aula quase afogamento correta Silvio
 
22ª aula trauma de crânio Silvio
22ª aula   trauma de crânio Silvio22ª aula   trauma de crânio Silvio
22ª aula trauma de crânio Silvio
 
19ª aula trauma na criança e idoso Silvio
19ª aula   trauma na criança e idoso Silvio19ª aula   trauma na criança e idoso Silvio
19ª aula trauma na criança e idoso Silvio
 
25ª aula trauma abdominal Silvio
25ª aula   trauma abdominal Silvio25ª aula   trauma abdominal Silvio
25ª aula trauma abdominal Silvio
 
Aph conceitos, modalidades, histórico (aula 1)
Aph   conceitos, modalidades, histórico (aula 1)Aph   conceitos, modalidades, histórico (aula 1)
Aph conceitos, modalidades, histórico (aula 1)
 
Gestão de recursos materiais no aph Silvio
Gestão de recursos materiais no aph SilvioGestão de recursos materiais no aph Silvio
Gestão de recursos materiais no aph Silvio
 
3ª aula atendimento inicial no trauma
3ª aula   atendimento inicial no trauma3ª aula   atendimento inicial no trauma
3ª aula atendimento inicial no trauma
 
15ª aula emergencia psiquiatrica
15ª aula   emergencia psiquiatrica15ª aula   emergencia psiquiatrica
15ª aula emergencia psiquiatrica
 
9ª aula queimaduras e acidentes elétricos aph
9ª aula   queimaduras e acidentes elétricos aph9ª aula   queimaduras e acidentes elétricos aph
9ª aula queimaduras e acidentes elétricos aph
 
15ª aula emergencia psiquiatrica Silvio
15ª aula   emergencia psiquiatrica Silvio15ª aula   emergencia psiquiatrica Silvio
15ª aula emergencia psiquiatrica Silvio
 
14ª aula intoxicações exogenas Silvio
14ª aula   intoxicações exogenas Silvio14ª aula   intoxicações exogenas Silvio
14ª aula intoxicações exogenas Silvio
 
21ª aula trauma na gestante Silvio
21ª aula   trauma na gestante Silvio21ª aula   trauma na gestante Silvio
21ª aula trauma na gestante Silvio
 
17ª aula doenças circulatórias Silvio
17ª aula   doenças circulatórias Silvio17ª aula   doenças circulatórias Silvio
17ª aula doenças circulatórias Silvio
 

Semelhante a 23ª aula trauma raquimedular Silvio

Trauma vertebromedular.pdf
Trauma vertebromedular.pdfTrauma vertebromedular.pdf
Trauma vertebromedular.pdf
AdrianoCosta696471
 
Taet a10 - primeiros socorros
Taet   a10 - primeiros socorrosTaet   a10 - primeiros socorros
Taet a10 - primeiros socorros
May Mello
 
1ºSOCORROS BASICO.ppt
1ºSOCORROS BASICO.ppt1ºSOCORROS BASICO.ppt
1ºSOCORROS BASICO.ppt
pauloandreaph
 
Traumatismos do plexo braquial
Traumatismos do plexo braquialTraumatismos do plexo braquial
Traumatismos do plexo braquial
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
primeiros socorros
primeiros socorrosprimeiros socorros
primeiros socorros
Rodrigo Oliveira
 
Fraturas Comuns do Antebraço
Fraturas Comuns do AntebraçoFraturas Comuns do Antebraço
Fraturas Comuns do Antebraço
Carlos Andrade
 
Bloqueio e lesão do plexo braquial
Bloqueio e lesão do plexo braquialBloqueio e lesão do plexo braquial
Bloqueio e lesão do plexo braquial
Leidiane Barbosa
 
Traumatismo
TraumatismoTraumatismo
Traumatismo
mujaci
 
Aula-de-Primeiros-Socorros-SENAC.pptx
Aula-de-Primeiros-Socorros-SENAC.pptxAula-de-Primeiros-Socorros-SENAC.pptx
Aula-de-Primeiros-Socorros-SENAC.pptx
JoaoVictorAlencarSan
 
Primeiros socorros-galilei
Primeiros socorros-galileiPrimeiros socorros-galilei
Primeiros socorros-galilei
Luciana Lyra de Aguiar
 
aula trm TRAUMA RAQUIMEDULAR.pdf
aula trm TRAUMA RAQUIMEDULAR.pdfaula trm TRAUMA RAQUIMEDULAR.pdf
aula trm TRAUMA RAQUIMEDULAR.pdf
AmandaMaritsa1
 
Nocoes de primeiros socorros
Nocoes de primeiros socorrosNocoes de primeiros socorros
Nocoes de primeiros socorros
Silvia Nascimento
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
Emerson Silva
 
Apostila 1º socorros
Apostila 1º socorrosApostila 1º socorros
Apostila 1º socorros
Fernando Gomes
 
Fratura luxação toracolombar
Fratura luxação toracolombarFratura luxação toracolombar
Fratura luxação toracolombar
ewerton guizardi
 
Aula Mononeuropatias e síndromes compressivas dos membros superiores.pptx
Aula Mononeuropatias e síndromes compressivas dos membros superiores.pptxAula Mononeuropatias e síndromes compressivas dos membros superiores.pptx
Aula Mononeuropatias e síndromes compressivas dos membros superiores.pptx
Faculdade de Medicina de Catanduva (FAMECA)
 
6- Objetos empalados e encravados, Lesões e fraturas, Técnicas de imobilizaçã...
6- Objetos empalados e encravados, Lesões e fraturas, Técnicas de imobilizaçã...6- Objetos empalados e encravados, Lesões e fraturas, Técnicas de imobilizaçã...
6- Objetos empalados e encravados, Lesões e fraturas, Técnicas de imobilizaçã...
ElioenaiAlmeida1
 
Aula 6 Primeiros Socorros.pdf
Aula 6 Primeiros Socorros.pdfAula 6 Primeiros Socorros.pdf
Aula 6 Primeiros Socorros.pdf
ontimiza
 
Noções básicas sobre primeiros socorros
Noções básicas sobre primeiros socorrosNoções básicas sobre primeiros socorros
Noções básicas sobre primeiros socorros
Rocha Neto
 
PRIMEIROS_SOCORROS_COMPLETO.pptx
PRIMEIROS_SOCORROS_COMPLETO.pptxPRIMEIROS_SOCORROS_COMPLETO.pptx
PRIMEIROS_SOCORROS_COMPLETO.pptx
Instrutor Émerson Silva
 

Semelhante a 23ª aula trauma raquimedular Silvio (20)

Trauma vertebromedular.pdf
Trauma vertebromedular.pdfTrauma vertebromedular.pdf
Trauma vertebromedular.pdf
 
Taet a10 - primeiros socorros
Taet   a10 - primeiros socorrosTaet   a10 - primeiros socorros
Taet a10 - primeiros socorros
 
1ºSOCORROS BASICO.ppt
1ºSOCORROS BASICO.ppt1ºSOCORROS BASICO.ppt
1ºSOCORROS BASICO.ppt
 
Traumatismos do plexo braquial
Traumatismos do plexo braquialTraumatismos do plexo braquial
Traumatismos do plexo braquial
 
primeiros socorros
primeiros socorrosprimeiros socorros
primeiros socorros
 
Fraturas Comuns do Antebraço
Fraturas Comuns do AntebraçoFraturas Comuns do Antebraço
Fraturas Comuns do Antebraço
 
Bloqueio e lesão do plexo braquial
Bloqueio e lesão do plexo braquialBloqueio e lesão do plexo braquial
Bloqueio e lesão do plexo braquial
 
Traumatismo
TraumatismoTraumatismo
Traumatismo
 
Aula-de-Primeiros-Socorros-SENAC.pptx
Aula-de-Primeiros-Socorros-SENAC.pptxAula-de-Primeiros-Socorros-SENAC.pptx
Aula-de-Primeiros-Socorros-SENAC.pptx
 
Primeiros socorros-galilei
Primeiros socorros-galileiPrimeiros socorros-galilei
Primeiros socorros-galilei
 
aula trm TRAUMA RAQUIMEDULAR.pdf
aula trm TRAUMA RAQUIMEDULAR.pdfaula trm TRAUMA RAQUIMEDULAR.pdf
aula trm TRAUMA RAQUIMEDULAR.pdf
 
Nocoes de primeiros socorros
Nocoes de primeiros socorrosNocoes de primeiros socorros
Nocoes de primeiros socorros
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
 
Apostila 1º socorros
Apostila 1º socorrosApostila 1º socorros
Apostila 1º socorros
 
Fratura luxação toracolombar
Fratura luxação toracolombarFratura luxação toracolombar
Fratura luxação toracolombar
 
Aula Mononeuropatias e síndromes compressivas dos membros superiores.pptx
Aula Mononeuropatias e síndromes compressivas dos membros superiores.pptxAula Mononeuropatias e síndromes compressivas dos membros superiores.pptx
Aula Mononeuropatias e síndromes compressivas dos membros superiores.pptx
 
6- Objetos empalados e encravados, Lesões e fraturas, Técnicas de imobilizaçã...
6- Objetos empalados e encravados, Lesões e fraturas, Técnicas de imobilizaçã...6- Objetos empalados e encravados, Lesões e fraturas, Técnicas de imobilizaçã...
6- Objetos empalados e encravados, Lesões e fraturas, Técnicas de imobilizaçã...
 
Aula 6 Primeiros Socorros.pdf
Aula 6 Primeiros Socorros.pdfAula 6 Primeiros Socorros.pdf
Aula 6 Primeiros Socorros.pdf
 
Noções básicas sobre primeiros socorros
Noções básicas sobre primeiros socorrosNoções básicas sobre primeiros socorros
Noções básicas sobre primeiros socorros
 
PRIMEIROS_SOCORROS_COMPLETO.pptx
PRIMEIROS_SOCORROS_COMPLETO.pptxPRIMEIROS_SOCORROS_COMPLETO.pptx
PRIMEIROS_SOCORROS_COMPLETO.pptx
 

Mais de Prof Silvio Rosa

Manual de-aph Combate/Siate
Manual de-aph  Combate/SiateManual de-aph  Combate/Siate
Manual de-aph Combate/Siate
Prof Silvio Rosa
 
Cap 10 hemorragia-choque
Cap 10 hemorragia-choqueCap 10 hemorragia-choque
Cap 10 hemorragia-choque
Prof Silvio Rosa
 
Cap 09-rcp
Cap 09-rcpCap 09-rcp
Cap 09-rcp
Prof Silvio Rosa
 
Cap 08 vias-aereas
Cap 08 vias-aereasCap 08 vias-aereas
Cap 08 vias-aereas
Prof Silvio Rosa
 
Cap 07 atendimento-inicial
Cap 07 atendimento-inicialCap 07 atendimento-inicial
Cap 07 atendimento-inicial
Prof Silvio Rosa
 
Cap 06 sinais-vitais
Cap 06 sinais-vitaisCap 06 sinais-vitais
Cap 06 sinais-vitais
Prof Silvio Rosa
 
Cap 03 direcao-defensiva
Cap 03 direcao-defensivaCap 03 direcao-defensiva
Cap 03 direcao-defensiva
Prof Silvio Rosa
 
Atendimentoemprimeirossocorrosbasicos 111007114243-phpapp02
Atendimentoemprimeirossocorrosbasicos 111007114243-phpapp02Atendimentoemprimeirossocorrosbasicos 111007114243-phpapp02
Atendimentoemprimeirossocorrosbasicos 111007114243-phpapp02
Prof Silvio Rosa
 
Protocolo sav novo
Protocolo sav novoProtocolo sav novo
Protocolo sav novo
Prof Silvio Rosa
 
Protocolo básico novo
Protocolo básico novoProtocolo básico novo
Protocolo básico novo
Prof Silvio Rosa
 
Aula do DEA Silvio
Aula do DEA SilvioAula do DEA Silvio
Aula do DEA Silvio
Prof Silvio Rosa
 
12ª aula sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.)
12ª aula   sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.)12ª aula   sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.)
12ª aula sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.)
Prof Silvio Rosa
 
11ª aula quase afogamento correta
11ª aula   quase afogamento correta11ª aula   quase afogamento correta
11ª aula quase afogamento correta
Prof Silvio Rosa
 
Ficha de socio estadual original
Ficha de socio estadual originalFicha de socio estadual original
Ficha de socio estadual original
Prof Silvio Rosa
 

Mais de Prof Silvio Rosa (14)

Manual de-aph Combate/Siate
Manual de-aph  Combate/SiateManual de-aph  Combate/Siate
Manual de-aph Combate/Siate
 
Cap 10 hemorragia-choque
Cap 10 hemorragia-choqueCap 10 hemorragia-choque
Cap 10 hemorragia-choque
 
Cap 09-rcp
Cap 09-rcpCap 09-rcp
Cap 09-rcp
 
Cap 08 vias-aereas
Cap 08 vias-aereasCap 08 vias-aereas
Cap 08 vias-aereas
 
Cap 07 atendimento-inicial
Cap 07 atendimento-inicialCap 07 atendimento-inicial
Cap 07 atendimento-inicial
 
Cap 06 sinais-vitais
Cap 06 sinais-vitaisCap 06 sinais-vitais
Cap 06 sinais-vitais
 
Cap 03 direcao-defensiva
Cap 03 direcao-defensivaCap 03 direcao-defensiva
Cap 03 direcao-defensiva
 
Atendimentoemprimeirossocorrosbasicos 111007114243-phpapp02
Atendimentoemprimeirossocorrosbasicos 111007114243-phpapp02Atendimentoemprimeirossocorrosbasicos 111007114243-phpapp02
Atendimentoemprimeirossocorrosbasicos 111007114243-phpapp02
 
Protocolo sav novo
Protocolo sav novoProtocolo sav novo
Protocolo sav novo
 
Protocolo básico novo
Protocolo básico novoProtocolo básico novo
Protocolo básico novo
 
Aula do DEA Silvio
Aula do DEA SilvioAula do DEA Silvio
Aula do DEA Silvio
 
12ª aula sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.)
12ª aula   sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.)12ª aula   sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.)
12ª aula sofrimento respiratório agudo (s.a.r.a.)
 
11ª aula quase afogamento correta
11ª aula   quase afogamento correta11ª aula   quase afogamento correta
11ª aula quase afogamento correta
 
Ficha de socio estadual original
Ficha de socio estadual originalFicha de socio estadual original
Ficha de socio estadual original
 

23ª aula trauma raquimedular Silvio

  • 2. 10/06/15 2 TRAUMA RAQUIMEDULAR • Citar 03 sinais e/ou sintomas do TRM. • Identificar as principais emergências encontradas nos TRM. • Descrever 03 passos para o atendimento no TRM.
  • 3. 7 vértebras cervicais 12 vértebras torácicas 5 vértebras lombares 4 vértebras coccígeas 5 vértebras sacrais TRAUMA RAQUIMEDULAR
  • 4. TRAUMA RAQUIMEDULAR 10/06/15 4 Os traumatismos da coluna vertebral e da medula espinhal são denominados de traumatismos raquimedular (TRM). (TRM)
  • 8. 10/06/15 8 …que lesões ósseas vertebrais podem estar presentes sem que haja lesões de medula espinhal… …por isso a vítima deve ser imobilizada quando há qualquer suspeita de lesão de coluna, protegendo a medula de ser lesada com mobilização inadequada TRAUMA RAQUIMEDULAR Lembrar
  • 11. 10/06/15 11 SINAIS E SINTOMAS Alterações motoras Paralisias Diminuição da força (paresia) muscular Alterações sensitivas como anestesia, diminuição da sensibilidade e parestesias (formigamento, amortecimento) geralmente abaixo do nível da lesão. Dependem do nível da lesão e o comprometimento neurológico
  • 13. 10/06/15 13 ATENDIMENTO Equipe deve ter conhecimento do mecanismo de trauma. Paralisia imediata. Deterioração gradual da sensibilidade ou da atividade motora. Todo paciente que sofre traumatismo acima da linha da clavícula ou está inconsciente, é considerado como tendo trauma de coluna cervical.
  • 14. 10/06/15 14 ATENDIMENTO Manter o paciente em posição neutra e sem movimentação da coluna. Não realizar a flexão, extensão ou rotação do pescoço e tronco. Transportar o paciente imobilizado. Lembrar que embora o colar cervical semi-rígido seja útil, a imobilização da cabeça a prancha, calçando adequadamente a cabeça e o pescoço, são mais efetivos. O maior objetivo da imobilização total é fornecer proteção à coluna dorsal e lombar, Devem ser imobilizados de forma segura não só a cabeça e pescoço, mais também o tórax, a pelve, e as extremidades inferiores.
  • 15. 10/06/15 15 AVALIAÇÃO EM PACIENTES CONSCIENTES Lembrar que o paciente consciente, com paralisia… …é capaz de identificar a dor no local do trauma, Porque ? Porque a perda de sensibilidade é abaixo do nível da lesão. No exame físico, Palpar cuidadosamente a coluna, Preste atenção a sinais de dor, Observe sua expressão facial. Lembre que a paralisia e a perda de sensibilidade podem mascarar lesões intra-abdominais e de extremidades inferiores.
  • 16. 10/06/15 16 AVALIAÇÃO EM PACIENTES INCONSCIENTES Se o paciente esta inconsciente e a lesão foi decorrente de queda ou colisão de automóvel, a possibilidade de lesão de coluna é de 5% a 10%. Os achados clínicos que sugerem lesão são: Arreflexia flácida, principalmente com flacidez do esfíncter anal; Respiração diafragmática; Capacidade de fletir o antebraço, mais incapacidade de estendê-lo; Resposta a estímulo doloroso somente acima da linha da clavícula; Hipotensão com bradicardia, principalmente sem hipovolemia; Priapismo, sinal incomum, porém característico.
  • 17. 10/06/15 17 AVALIAÇÃO DA COLUNA VERTEBRAL Uma pessoa para retirar a prancha longa
  • 18. 10/06/15 18 AVALIAÇÃO DA COLUNA VERTEBRAL Quando existe lesão de coluna, existe dor à palpação que irradia-se para: braços, tórax, abdome, extremidades inferiores, DOR Avaliar Dor espontânea Dor à palpação Deformidades Nos degraus vertebrais região posterior. Apresenta Edema, equimoses, espasmos musculares, deformidades visíveis.
  • 19. 10/06/15 19 AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA Disfunções do sistema autônomo (perda do controle esfincteriano da bexiga e do reto, e presença de priapismo).
  • 20. 10/06/15 20 AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA O trato córtico-espinhal, localizado na região postero lateral da medula, controla a força motora do mesmo lado do corpo e é testado de acordo com a contração voluntária ou involuntária aos estímulos dolorosos.
  • 21. 10/06/15 21 AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA O trato espinotalâmico, localizado na região antero-lateral da medula transmite as sensações dolorosas e térmicas, do lado oposto do corpo à sua localização. É testado beliscando a pele ou através de estímulo com objeto pontiagudo, como agulha ou alfinete; O trato posterior que transmite os impulsos originados do mesmo lado do corpo é testado pela percepção da posição dos dedos da mão ou pé, ou pela vibração.
  • 22. 10/06/15 22 AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA Lesões completas: Ocorre a ausência da função motora ou da sensibilidade. Esta situação é muito desfavorável, porque a possibilidade de recuperação é pequena.
  • 23. 10/06/15 23 AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA Lesões incompletas: As lesões incompletas da medula espinhal diferem consideravelmente, porque pode ocorrer a recuperação. Portanto é essencial um exame cuidadoso para determinar a presença de função motora e de sensibilidade.
  • 24. 10/06/15 24 AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA Choque neurogênico: Lesão das vias eferentes do sistema simpático da medulaespinhal. Uma lesão medular pode provocar hipotensão por perda do tônus simpático a qual acentua os efeitos fisiopatológicos tais como hipotensão sem taquicardia e sem vasoconstrição cutânea. Pulso fino não é visto no choque neurogênico e que a presença de bradicardia em determinadas situações. O tratamento baseia-se inicialmente com a reposição de líquidos associados a drogas vasoativas.
  • 25. 10/06/15 25 AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA Choque medular: Refere-se à condição neurológica que ocorre imediatamente após a lesão da medula espinhal. As suas características são perda total de qualquer função motora, flacidez, perda de reflexos ao invés da espasticidade, hiperreflexia e sinal de Babinski.