SlideShare uma empresa Scribd logo
A EDUCAÇÃO E A ESCOLA
Gleydsonrocha@hotmail.com
A EDUCAÇÃO COMO CONTEXTO PARA O
PSICÓLOGO ESCOLAR
 Epimeteu e Prometeu – atribuir as diversão
aptidões e características;
 Esqueceram dos humanos
 Roubaram o fogo
 Humano frágil diante da natureza
 Intervenção de Zeus – Hermes (respeito e a
justiça)
 O mito é evocado para introduzir o estudo da
História da Pedagogia – o homem necessita
desenvolver suas capacidades
A EDUCAÇÃO COMO CONTEXTO PARA O
PSICÓLOGO ESCOLAR
 Conceito de Educação – vasto:
 Qualquer relação interpessoal
 Relação do homem com a natureza
A EDUCAÇÃO COMO CONTEXTO PARA O
PSICÓLOGO ESCOLAR
Processos educacionais em
curso – processos de
ensino e aprendizagem
 A educação em um sentido mais restrito:
 Meio acadêmico: processo de
transferência do saber de uma
geração para outra
A EDUCAÇÃO COMO CONTEXTO PARA O
PSICÓLOGO ESCOLAR
 Processos: formais e informais
 O ensino formal: momento em que a educação se
sujeita à pedagogia entendida como “teoria da
educação”.
 Escola – local privilegiado de desenvolvimento da
educação formal
(com características
diversas com o tempo)
A EDUCAÇÃO COMO CONTEXTO PARA O
PSICÓLOGO ESCOLAR
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM
A SOCIEDADE?
 Objeto de controvérsias
 Possibilidade de conceber a educação na sua
articulação com a sociedade
 Primeiro grupo de teorias educacionais:
TRADICIONAL.
 Émile Durkheim (sociólogo francês)
 A educação seria uma ação que as gerações adultas
exercem sobre as mais jovens,
 Objetivo de desenvolver determinados estados (físicos,
intelectuais e morais) exigidos pela sociedade.
 Educação: processo metódico de socialização;
 Tábula rasa: pela educação inscreveria padrões morais
e sociais
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM
A SOCIEDADE?
 Escola Nova (séc. XX):
 O modelo tradicional demostrou incapacidade de
cumpri seus intentos
 Fruto das críticas ao modelo antigo.
 John Dewey:
 Um dos Mentores e representantes do
movimento da educação ativa ou educação nova
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM
A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
 John Dewey:
 Educação: processo de reconstrução e
reorganização da experiência.
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM
A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
 A vida humana é caracterizada pela contínua
reorganização e reconstrução da experiência por
meio da reflexão , a educação confunda-se com a
vida
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM
A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
 O processo educativo é o elemento mais
significativo para a escola nova.
 A escola nova:
 Ambiente simplificado – facilite a participação
 Purificado – dos malefícios do ambiente social
 Promotor da harmonia social
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM
A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
 Sombria e disciplinada Alegre e movimentado
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM
A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
Aprender a aprender
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM
A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
 Há um deslocamento de eixo (Saviani, 1984);
 Do intelecto para o sentimento; do aspecto lógico
para o psicológico; dos conteúdos cognitivos para
os métodos ou processos pedagógicos; do
professor para o estudante; do esforço para o
interesse; da disciplina para a espontaneidade; do
diretivismo para o não-diretivismo; da quantidade
para a qualidade; de uma pedagogia de inspiração
filosófica centrada na ciência da lógica para a
pedagogia de inspiração experimental baseada
principalmente nas contribuições da biologia e da
psicologia.
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM
A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
 Também não logrou cumprir seus propósitos
 Mais porque?
 Nações marcadas pela desigualdade;
 Premissa da educação para a democracia (ambiente
democrático dentro da escola)
 Com isso, fomentar um alastramento dos ideais
democráticos.
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM
A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
 QUESTIONAMENTOS:
 Quais seriam os conhecimentos e valores, enfim,
os modelos transmitidos em uma sociedade cindida
em classes com interesses antagônicos?
 Não haveria uma excessiva valorização do espaço
escolar como promotora de mudanças sociais
cujas raízes estão muito distantes das vontades de
indivíduos?
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM
A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
Conjunto de reflexões.
Surge: Karl Marx e Engels
França, Grã-bretnha e nos EUA
A educação somente poderia ser compreendida em
termos amplos, e a educação escolar se
considerados seus condicionamentos históricos.
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM
A SOCIEDADE? (1970)
Alguns escritos: Ideologia Alemã, Manifesto
Comunista, Critica ao programa de Gotha
( revolução socialista) – Classificação de educação.
Ideia: Superando a divisão do trabalho a
educação deveria caminhar na direção da
escola politécnica, uma educação que articule o
desenvolvimento intelectual, físico, a formação
tecnológica e científica, diretamente vinculada
ao trabalho produtivo.
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A
SOCIEDADE? (KARL MARX E ENGELS)
• Defende uma escola única
e comum, que seria laica,
obrigatória e gratuita,
aberta às crianças de
todas as classes sociais.
• Direcionamento de um
ensino politécnico,
postulando o trabalho
como princípio educativo.
Antonio
Gramsci
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A
SOCIEDADE? (PRIMEIRA METADE DO SÉC. 20)
Guerra fria
Protesto contra intercepções norte-
americanas no sudoeste asiático
No Brasil, luta conta o regime autocrático-
burguês
Surge Louis Althusser
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A
SOCIEDADE? (PRIMEIRA METADE DO SÉC. 20)
QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A
SOCIEDADE? (LOUIS ALTHUSSER)
• AIE religiosa
• AIE familiar
• AIE jurídica
• AIE política
• AIE informação
• AIE cultural
• AIE escolar (CAPITALISMO
- DOMINANTE)
Aparelho
Ideológico do
Estado (AIE) –
funcionamento
“pela
ideologia”
POR QUE MOSTRAR ESSA LINHA HISTÓRICA?
Para ilustrar a
complexidade das
relações entre a
educação escolar e a
sociedade.
ESCOLA....
Reprodutora das relações capitalistas
(como todas as esferas da sociedade)
Reproduz a contradição social;
Palco da luta de classes;
A educação nunca é neutra:
expressa interesse de classes.
SISTEMA PRODUTIVO E EDUCAÇÃO ESCOLAR
Educação como investimento (teoria do
capital humano - Schultz)
Largamente criticada pelos educadores
Relação mediada
Reprodução de ideologias (neutralidade ou
não-neutralidade)
DISCUTIR O PAPEL DA ESCOLA.....
Não poderemos deixar de considerar os condicionamentos
sociais e políticos.
Instituição social e do processo educativo;
O psicólogo escolar deverá levar em consideração parâmetros
que são externos as concepções psicológicas,
O psicólogo não pode desconhecer o fenômeno educacional,
suas diferentes concepções teóricas, as polêmicas e as
questões que sãovcolocadas para os educadores
RETOMANDO AO MITO DE PROMETEU
 Tarefas e dificuldade do
educador
 De dia a águia come o
fígado e de noite ele é
reconstituído.
 Superar seus limites da
condição humana
RETOMANDO AO MITO DE PROMETEU
 Condição humana: não
é algo abstrato e dado,
mas concreto e
socialmente construído.
 Um dia seremos
resgatados por
Hercules e viveremos
no olimpo. RSRSRS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Legislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional BrasileiraLegislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional BrasileiraMessias Mota Vieira
 
Educação no brasil
Educação no brasilEducação no brasil
Educação no brasilDeyved3
 
Filosofia da Educação
Filosofia da Educação  Filosofia da Educação
Filosofia da Educação unieubra
 
Antropologia e educação2223
Antropologia e educação2223Antropologia e educação2223
Antropologia e educação2223Ricardo Castro
 
Estrutura do Sistema Educacional Brasileiro
Estrutura do Sistema Educacional BrasileiroEstrutura do Sistema Educacional Brasileiro
Estrutura do Sistema Educacional BrasileiroLucas Sebastião Barbosa
 
Fundamentos da filosofia da educação
Fundamentos da filosofia da educação  Fundamentos da filosofia da educação
Fundamentos da filosofia da educação Keila Cuzzuol Pimentel
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemGerdian Teixeira
 
Introdução ao ensino superior. estrutura e funcionamento ppt
Introdução ao ensino superior. estrutura e funcionamento pptIntrodução ao ensino superior. estrutura e funcionamento ppt
Introdução ao ensino superior. estrutura e funcionamento pptDaniela Barroso
 
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAISPOLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAISJose Wilson Melo
 
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosGestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosUlisses Vakirtzis
 
Uso de recursos tecnológicos na educação
Uso de recursos tecnológicos na educaçãoUso de recursos tecnológicos na educação
Uso de recursos tecnológicos na educaçãoPatty Santana
 

Mais procurados (20)

Legislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional BrasileiraLegislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional Brasileira
 
O Papel Social da Escola
O Papel Social da EscolaO Papel Social da Escola
O Papel Social da Escola
 
Educação no brasil
Educação no brasilEducação no brasil
Educação no brasil
 
Filosofia da Educação
Filosofia da Educação  Filosofia da Educação
Filosofia da Educação
 
O que é eletiva
O que é eletivaO que é eletiva
O que é eletiva
 
ETICA
ETICAETICA
ETICA
 
Slide história da educação - pdf
Slide   história da educação - pdfSlide   história da educação - pdf
Slide história da educação - pdf
 
Antropologia e educação2223
Antropologia e educação2223Antropologia e educação2223
Antropologia e educação2223
 
Estrutura do Sistema Educacional Brasileiro
Estrutura do Sistema Educacional BrasileiroEstrutura do Sistema Educacional Brasileiro
Estrutura do Sistema Educacional Brasileiro
 
Fundamentos da filosofia da educação
Fundamentos da filosofia da educação  Fundamentos da filosofia da educação
Fundamentos da filosofia da educação
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Curriculo
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
 
Introdução ao ensino superior. estrutura e funcionamento ppt
Introdução ao ensino superior. estrutura e funcionamento pptIntrodução ao ensino superior. estrutura e funcionamento ppt
Introdução ao ensino superior. estrutura e funcionamento ppt
 
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAISPOLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
 
Ética Moral e Valores.
Ética Moral e Valores.Ética Moral e Valores.
Ética Moral e Valores.
 
ALIENAÇÃO E IDEOLOGIA
ALIENAÇÃO E IDEOLOGIAALIENAÇÃO E IDEOLOGIA
ALIENAÇÃO E IDEOLOGIA
 
Ética e moral
Ética e moralÉtica e moral
Ética e moral
 
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosGestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
 
Uso de recursos tecnológicos na educação
Uso de recursos tecnológicos na educaçãoUso de recursos tecnológicos na educação
Uso de recursos tecnológicos na educação
 
LDB - 9394/96
LDB - 9394/96LDB - 9394/96
LDB - 9394/96
 

Destaque

"Pais apoiantes, filhos brilhantes!"
"Pais apoiantes, filhos brilhantes!""Pais apoiantes, filhos brilhantes!"
"Pais apoiantes, filhos brilhantes!"Myzer
 
OS PAIS E A ESCOLA PARA TODOS (FORMOSINHO)
OS PAIS E A ESCOLA PARA TODOS (FORMOSINHO)OS PAIS E A ESCOLA PARA TODOS (FORMOSINHO)
OS PAIS E A ESCOLA PARA TODOS (FORMOSINHO)eduardosequeira
 
Slide lara relação família escola
Slide lara relação família escolaSlide lara relação família escola
Slide lara relação família escolaRosana Leite
 
Deveres dos pais em relação á educação dos
Deveres dos pais em relação á educação dosDeveres dos pais em relação á educação dos
Deveres dos pais em relação á educação dosLeonarda Macedo
 
Família e escola
Família e escolaFamília e escola
Família e escolaBraz Paulo
 
SEMANA DE EDUCAÇÃO PARA A VIDA.
SEMANA DE EDUCAÇÃO PARA A VIDA. SEMANA DE EDUCAÇÃO PARA A VIDA.
SEMANA DE EDUCAÇÃO PARA A VIDA. Antônio Fernandes
 
Semana de Educação para a Vida 2013
Semana de Educação para a Vida 2013Semana de Educação para a Vida 2013
Semana de Educação para a Vida 2013QUEDMA SILVA
 
08 pesquisa - significações sobre a atuação do psicólogo escolar
08   pesquisa - significações sobre a atuação do psicólogo escolar08   pesquisa - significações sobre a atuação do psicólogo escolar
08 pesquisa - significações sobre a atuação do psicólogo escolarGLEYDSON ROCHA
 

Destaque (20)

"Pais apoiantes, filhos brilhantes!"
"Pais apoiantes, filhos brilhantes!""Pais apoiantes, filhos brilhantes!"
"Pais apoiantes, filhos brilhantes!"
 
Palestra para Pais
Palestra para Pais Palestra para Pais
Palestra para Pais
 
OS PAIS E A ESCOLA PARA TODOS (FORMOSINHO)
OS PAIS E A ESCOLA PARA TODOS (FORMOSINHO)OS PAIS E A ESCOLA PARA TODOS (FORMOSINHO)
OS PAIS E A ESCOLA PARA TODOS (FORMOSINHO)
 
Slide lara relação família escola
Slide lara relação família escolaSlide lara relação família escola
Slide lara relação família escola
 
Deveres dos pais em relação á educação dos
Deveres dos pais em relação á educação dosDeveres dos pais em relação á educação dos
Deveres dos pais em relação á educação dos
 
A relação família-escola
A relação família-escolaA relação família-escola
A relação família-escola
 
Família e escola
Família e escolaFamília e escola
Família e escola
 
SEMANA DE EDUCAÇÃO PARA A VIDA.
SEMANA DE EDUCAÇÃO PARA A VIDA. SEMANA DE EDUCAÇÃO PARA A VIDA.
SEMANA DE EDUCAÇÃO PARA A VIDA.
 
Sociologia da educacao (1)
Sociologia da educacao (1)Sociologia da educacao (1)
Sociologia da educacao (1)
 
Familia e escola
Familia e escolaFamilia e escola
Familia e escola
 
Família e escola
Família e escolaFamília e escola
Família e escola
 
Semana de Educação para a Vida 2013
Semana de Educação para a Vida 2013Semana de Educação para a Vida 2013
Semana de Educação para a Vida 2013
 
Preleção família e escola
Preleção família e escolaPreleção família e escola
Preleção família e escola
 
Educação profissional (1)
Educação profissional (1)Educação profissional (1)
Educação profissional (1)
 
A Família e a Escola
A Família e a EscolaA Família e a Escola
A Família e a Escola
 
Normas da-apa
Normas da-apaNormas da-apa
Normas da-apa
 
Pais e filhos
Pais e filhosPais e filhos
Pais e filhos
 
08 pesquisa - significações sobre a atuação do psicólogo escolar
08   pesquisa - significações sobre a atuação do psicólogo escolar08   pesquisa - significações sobre a atuação do psicólogo escolar
08 pesquisa - significações sobre a atuação do psicólogo escolar
 
Entrada escola
Entrada escolaEntrada escola
Entrada escola
 
Projeto EDUCAÇÃO E VIDA 2015
Projeto EDUCAÇÃO E VIDA 2015Projeto EDUCAÇÃO E VIDA 2015
Projeto EDUCAÇÃO E VIDA 2015
 

Semelhante a 02 a educação e a escola

Aula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdf
Aula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdfAula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdf
Aula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdfjonathanmartins084
 
Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02
Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02
Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02Rosimay Monteiro
 
SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO Pedagogia (Santa Cruz)
SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO Pedagogia (Santa Cruz)SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO Pedagogia (Santa Cruz)
SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO Pedagogia (Santa Cruz)humberto145
 
Sociologia da educaçáo 1
Sociologia da educaçáo 1Sociologia da educaçáo 1
Sociologia da educaçáo 1greghouse48
 
Teorias do currículo_aula 6.ppt
Teorias do currículo_aula 6.pptTeorias do currículo_aula 6.ppt
Teorias do currículo_aula 6.pptArianaLima24
 
Teorias do currículo_19.09.ppt
Teorias do currículo_19.09.pptTeorias do currículo_19.09.ppt
Teorias do currículo_19.09.pptAmanda645931
 
FICHAMENTO LIVRO ESCOLA E DEMOCRACIA, DERMEVAL SAVIANI.docx
FICHAMENTO LIVRO ESCOLA E DEMOCRACIA, DERMEVAL SAVIANI.docxFICHAMENTO LIVRO ESCOLA E DEMOCRACIA, DERMEVAL SAVIANI.docx
FICHAMENTO LIVRO ESCOLA E DEMOCRACIA, DERMEVAL SAVIANI.docxCristinaOliveira543833
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicasAntonio Futuro
 
Educação Escolar, Cultura e Diversidade.Texto de Antonio Flávio e Vera Candau
Educação Escolar, Cultura e Diversidade.Texto de Antonio Flávio e Vera CandauEducação Escolar, Cultura e Diversidade.Texto de Antonio Flávio e Vera Candau
Educação Escolar, Cultura e Diversidade.Texto de Antonio Flávio e Vera CandauSeduc MT
 
A sociologia da educação de pierre bourdieu
A sociologia da educação de pierre bourdieuA sociologia da educação de pierre bourdieu
A sociologia da educação de pierre bourdieuLilianeBA
 
FILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptx
FILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptxFILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptx
FILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptxMarinesdeOliveira
 
Papel da escola na reprodução social trabalho
Papel da escola na reprodução social   trabalhoPapel da escola na reprodução social   trabalho
Papel da escola na reprodução social trabalhocarlonaviola
 

Semelhante a 02 a educação e a escola (20)

Escola, cultura e sociedade
Escola, cultura e sociedadeEscola, cultura e sociedade
Escola, cultura e sociedade
 
Aula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdf
Aula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdfAula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdf
Aula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdf
 
Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02
Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02
Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02
 
SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO Pedagogia (Santa Cruz)
SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO Pedagogia (Santa Cruz)SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO Pedagogia (Santa Cruz)
SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO Pedagogia (Santa Cruz)
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologia
 
Sociologia da educaçáo 1
Sociologia da educaçáo 1Sociologia da educaçáo 1
Sociologia da educaçáo 1
 
Teorias do currículo_aula 6.ppt
Teorias do currículo_aula 6.pptTeorias do currículo_aula 6.ppt
Teorias do currículo_aula 6.ppt
 
Teorias do currículo_19.09.ppt
Teorias do currículo_19.09.pptTeorias do currículo_19.09.ppt
Teorias do currículo_19.09.ppt
 
Teorias do currículo_aula 6.ppt
Teorias do currículo_aula 6.pptTeorias do currículo_aula 6.ppt
Teorias do currículo_aula 6.ppt
 
ARQUIVO Claudete menegatt
ARQUIVO Claudete menegattARQUIVO Claudete menegatt
ARQUIVO Claudete menegatt
 
SOCILOGIA DA EDUCAÇÃO.pptx
SOCILOGIA DA EDUCAÇÃO.pptxSOCILOGIA DA EDUCAÇÃO.pptx
SOCILOGIA DA EDUCAÇÃO.pptx
 
FICHAMENTO LIVRO ESCOLA E DEMOCRACIA, DERMEVAL SAVIANI.docx
FICHAMENTO LIVRO ESCOLA E DEMOCRACIA, DERMEVAL SAVIANI.docxFICHAMENTO LIVRO ESCOLA E DEMOCRACIA, DERMEVAL SAVIANI.docx
FICHAMENTO LIVRO ESCOLA E DEMOCRACIA, DERMEVAL SAVIANI.docx
 
2.introdução à didática
2.introdução à didática2.introdução à didática
2.introdução à didática
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
 
Educação Escolar, Cultura e Diversidade.Texto de Antonio Flávio e Vera Candau
Educação Escolar, Cultura e Diversidade.Texto de Antonio Flávio e Vera CandauEducação Escolar, Cultura e Diversidade.Texto de Antonio Flávio e Vera Candau
Educação Escolar, Cultura e Diversidade.Texto de Antonio Flávio e Vera Candau
 
Apostila completa concurso professor (1) 1
Apostila completa concurso professor (1) 1Apostila completa concurso professor (1) 1
Apostila completa concurso professor (1) 1
 
Teorias sociológicas na história da humanidade
Teorias sociológicas na história da humanidadeTeorias sociológicas na história da humanidade
Teorias sociológicas na história da humanidade
 
A sociologia da educação de pierre bourdieu
A sociologia da educação de pierre bourdieuA sociologia da educação de pierre bourdieu
A sociologia da educação de pierre bourdieu
 
FILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptx
FILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptxFILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptx
FILOSOFIA DA EDUCACAO - AULA 1 2016.pptx
 
Papel da escola na reprodução social trabalho
Papel da escola na reprodução social   trabalhoPapel da escola na reprodução social   trabalho
Papel da escola na reprodução social trabalho
 

Mais de GLEYDSON ROCHA

O ambientalismo e a abordagem behaviorista
O ambientalismo e a abordagem behavioristaO ambientalismo e a abordagem behaviorista
O ambientalismo e a abordagem behavioristaGLEYDSON ROCHA
 
A abordagem cognitivista e o enfoque do construtivismo piaget
A abordagem cognitivista e o enfoque do construtivismo   piagetA abordagem cognitivista e o enfoque do construtivismo   piaget
A abordagem cognitivista e o enfoque do construtivismo piagetGLEYDSON ROCHA
 
Atividade quesito cor ibge étnico racial
Atividade quesito cor ibge étnico racialAtividade quesito cor ibge étnico racial
Atividade quesito cor ibge étnico racialGLEYDSON ROCHA
 
Apresentação conceitos fg étnico racial
Apresentação conceitos fg étnico racialApresentação conceitos fg étnico racial
Apresentação conceitos fg étnico racialGLEYDSON ROCHA
 
Rl educação ambiental
Rl educação ambientalRl educação ambiental
Rl educação ambientalGLEYDSON ROCHA
 
11 a atuação da psicologia escolar no atendimento aos estudantes encaminhados...
11 a atuação da psicologia escolar no atendimento aos estudantes encaminhados...11 a atuação da psicologia escolar no atendimento aos estudantes encaminhados...
11 a atuação da psicologia escolar no atendimento aos estudantes encaminhados...GLEYDSON ROCHA
 
10 avaliação das dificuldades de aprendizagem novas perspectivas para a avali...
10 avaliação das dificuldades de aprendizagem novas perspectivas para a avali...10 avaliação das dificuldades de aprendizagem novas perspectivas para a avali...
10 avaliação das dificuldades de aprendizagem novas perspectivas para a avali...GLEYDSON ROCHA
 
09 educação para a liberdade, psicologia da libertação e psicologia escolar u...
09 educação para a liberdade, psicologia da libertação e psicologia escolar u...09 educação para a liberdade, psicologia da libertação e psicologia escolar u...
09 educação para a liberdade, psicologia da libertação e psicologia escolar u...GLEYDSON ROCHA
 
06 repensendo a formacao e o exercicio profissional do psi esc na posmodernidade
06 repensendo a formacao e o exercicio profissional do psi esc na posmodernidade06 repensendo a formacao e o exercicio profissional do psi esc na posmodernidade
06 repensendo a formacao e o exercicio profissional do psi esc na posmodernidadeGLEYDSON ROCHA
 
05 formando psicólogos escolares no brasil, dificuldades e perspectivas
05 formando psicólogos escolares no brasil, dificuldades e perspectivas05 formando psicólogos escolares no brasil, dificuldades e perspectivas
05 formando psicólogos escolares no brasil, dificuldades e perspectivasGLEYDSON ROCHA
 
04 histórias, tendências e possibilidades.
04 histórias, tendências e possibilidades.04 histórias, tendências e possibilidades.
04 histórias, tendências e possibilidades.GLEYDSON ROCHA
 
03 psicologia e educação nossa historia nossa realidade
03 psicologia e educação nossa historia nossa realidade03 psicologia e educação nossa historia nossa realidade
03 psicologia e educação nossa historia nossa realidadeGLEYDSON ROCHA
 
01 psicologia da educação
01 psicologia da educação01 psicologia da educação
01 psicologia da educaçãoGLEYDSON ROCHA
 
Historia da psicologia
Historia da psicologiaHistoria da psicologia
Historia da psicologiaGLEYDSON ROCHA
 
A evolução da ciência psicológica
A evolução da ciência psicológicaA evolução da ciência psicológica
A evolução da ciência psicológicaGLEYDSON ROCHA
 
Composição da nota e falta
Composição da nota e faltaComposição da nota e falta
Composição da nota e faltaGLEYDSON ROCHA
 
Diretrizes de oferta das disciplinas semipresenciais 2014.2 apresentação de...
Diretrizes de oferta das disciplinas semipresenciais 2014.2   apresentação de...Diretrizes de oferta das disciplinas semipresenciais 2014.2   apresentação de...
Diretrizes de oferta das disciplinas semipresenciais 2014.2 apresentação de...GLEYDSON ROCHA
 

Mais de GLEYDSON ROCHA (19)

O ambientalismo e a abordagem behaviorista
O ambientalismo e a abordagem behavioristaO ambientalismo e a abordagem behaviorista
O ambientalismo e a abordagem behaviorista
 
A abordagem cognitivista e o enfoque do construtivismo piaget
A abordagem cognitivista e o enfoque do construtivismo   piagetA abordagem cognitivista e o enfoque do construtivismo   piaget
A abordagem cognitivista e o enfoque do construtivismo piaget
 
Atividade quesito cor ibge étnico racial
Atividade quesito cor ibge étnico racialAtividade quesito cor ibge étnico racial
Atividade quesito cor ibge étnico racial
 
Apresentação conceitos fg étnico racial
Apresentação conceitos fg étnico racialApresentação conceitos fg étnico racial
Apresentação conceitos fg étnico racial
 
Diretrizes dh ppt
Diretrizes dh   pptDiretrizes dh   ppt
Diretrizes dh ppt
 
Rl educação ambiental
Rl educação ambientalRl educação ambiental
Rl educação ambiental
 
11 a atuação da psicologia escolar no atendimento aos estudantes encaminhados...
11 a atuação da psicologia escolar no atendimento aos estudantes encaminhados...11 a atuação da psicologia escolar no atendimento aos estudantes encaminhados...
11 a atuação da psicologia escolar no atendimento aos estudantes encaminhados...
 
10 avaliação das dificuldades de aprendizagem novas perspectivas para a avali...
10 avaliação das dificuldades de aprendizagem novas perspectivas para a avali...10 avaliação das dificuldades de aprendizagem novas perspectivas para a avali...
10 avaliação das dificuldades de aprendizagem novas perspectivas para a avali...
 
09 educação para a liberdade, psicologia da libertação e psicologia escolar u...
09 educação para a liberdade, psicologia da libertação e psicologia escolar u...09 educação para a liberdade, psicologia da libertação e psicologia escolar u...
09 educação para a liberdade, psicologia da libertação e psicologia escolar u...
 
06 repensendo a formacao e o exercicio profissional do psi esc na posmodernidade
06 repensendo a formacao e o exercicio profissional do psi esc na posmodernidade06 repensendo a formacao e o exercicio profissional do psi esc na posmodernidade
06 repensendo a formacao e o exercicio profissional do psi esc na posmodernidade
 
05 formando psicólogos escolares no brasil, dificuldades e perspectivas
05 formando psicólogos escolares no brasil, dificuldades e perspectivas05 formando psicólogos escolares no brasil, dificuldades e perspectivas
05 formando psicólogos escolares no brasil, dificuldades e perspectivas
 
04 histórias, tendências e possibilidades.
04 histórias, tendências e possibilidades.04 histórias, tendências e possibilidades.
04 histórias, tendências e possibilidades.
 
03 psicologia e educação nossa historia nossa realidade
03 psicologia e educação nossa historia nossa realidade03 psicologia e educação nossa historia nossa realidade
03 psicologia e educação nossa historia nossa realidade
 
01 psicologia da educação
01 psicologia da educação01 psicologia da educação
01 psicologia da educação
 
Historia da psicologia
Historia da psicologiaHistoria da psicologia
Historia da psicologia
 
A evolução da ciência psicológica
A evolução da ciência psicológicaA evolução da ciência psicológica
A evolução da ciência psicológica
 
Fd flyer1
Fd flyer1Fd flyer1
Fd flyer1
 
Composição da nota e falta
Composição da nota e faltaComposição da nota e falta
Composição da nota e falta
 
Diretrizes de oferta das disciplinas semipresenciais 2014.2 apresentação de...
Diretrizes de oferta das disciplinas semipresenciais 2014.2   apresentação de...Diretrizes de oferta das disciplinas semipresenciais 2014.2   apresentação de...
Diretrizes de oferta das disciplinas semipresenciais 2014.2 apresentação de...
 

Último

5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdfedjailmax
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxEduardaMedeiros18
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfLeandroTelesRocha2
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergBrenda Fritz
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaLuanaAlves940822
 

Último (20)

5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 

02 a educação e a escola

  • 1. A EDUCAÇÃO E A ESCOLA Gleydsonrocha@hotmail.com
  • 2. A EDUCAÇÃO COMO CONTEXTO PARA O PSICÓLOGO ESCOLAR  Epimeteu e Prometeu – atribuir as diversão aptidões e características;  Esqueceram dos humanos  Roubaram o fogo  Humano frágil diante da natureza  Intervenção de Zeus – Hermes (respeito e a justiça)
  • 3.  O mito é evocado para introduzir o estudo da História da Pedagogia – o homem necessita desenvolver suas capacidades A EDUCAÇÃO COMO CONTEXTO PARA O PSICÓLOGO ESCOLAR
  • 4.  Conceito de Educação – vasto:  Qualquer relação interpessoal  Relação do homem com a natureza A EDUCAÇÃO COMO CONTEXTO PARA O PSICÓLOGO ESCOLAR Processos educacionais em curso – processos de ensino e aprendizagem
  • 5.  A educação em um sentido mais restrito:  Meio acadêmico: processo de transferência do saber de uma geração para outra A EDUCAÇÃO COMO CONTEXTO PARA O PSICÓLOGO ESCOLAR
  • 6.  Processos: formais e informais  O ensino formal: momento em que a educação se sujeita à pedagogia entendida como “teoria da educação”.  Escola – local privilegiado de desenvolvimento da educação formal (com características diversas com o tempo) A EDUCAÇÃO COMO CONTEXTO PARA O PSICÓLOGO ESCOLAR
  • 7. QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE?  Objeto de controvérsias  Possibilidade de conceber a educação na sua articulação com a sociedade
  • 8.  Primeiro grupo de teorias educacionais: TRADICIONAL.  Émile Durkheim (sociólogo francês)  A educação seria uma ação que as gerações adultas exercem sobre as mais jovens,  Objetivo de desenvolver determinados estados (físicos, intelectuais e morais) exigidos pela sociedade.  Educação: processo metódico de socialização;  Tábula rasa: pela educação inscreveria padrões morais e sociais QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE?
  • 9.  Escola Nova (séc. XX):  O modelo tradicional demostrou incapacidade de cumpri seus intentos  Fruto das críticas ao modelo antigo.  John Dewey:  Um dos Mentores e representantes do movimento da educação ativa ou educação nova QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
  • 10.  John Dewey:  Educação: processo de reconstrução e reorganização da experiência. QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
  • 11.  A vida humana é caracterizada pela contínua reorganização e reconstrução da experiência por meio da reflexão , a educação confunda-se com a vida QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
  • 12.  O processo educativo é o elemento mais significativo para a escola nova.  A escola nova:  Ambiente simplificado – facilite a participação  Purificado – dos malefícios do ambiente social  Promotor da harmonia social QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
  • 13.  Sombria e disciplinada Alegre e movimentado QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
  • 14. Aprender a aprender QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
  • 15.  Há um deslocamento de eixo (Saviani, 1984);  Do intelecto para o sentimento; do aspecto lógico para o psicológico; dos conteúdos cognitivos para os métodos ou processos pedagógicos; do professor para o estudante; do esforço para o interesse; da disciplina para a espontaneidade; do diretivismo para o não-diretivismo; da quantidade para a qualidade; de uma pedagogia de inspiração filosófica centrada na ciência da lógica para a pedagogia de inspiração experimental baseada principalmente nas contribuições da biologia e da psicologia. QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
  • 16.  Também não logrou cumprir seus propósitos  Mais porque?  Nações marcadas pela desigualdade;  Premissa da educação para a democracia (ambiente democrático dentro da escola)  Com isso, fomentar um alastramento dos ideais democráticos. QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
  • 17.  QUESTIONAMENTOS:  Quais seriam os conhecimentos e valores, enfim, os modelos transmitidos em uma sociedade cindida em classes com interesses antagônicos?  Não haveria uma excessiva valorização do espaço escolar como promotora de mudanças sociais cujas raízes estão muito distantes das vontades de indivíduos? QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE? (ESCOLA NOVA)
  • 18. Conjunto de reflexões. Surge: Karl Marx e Engels França, Grã-bretnha e nos EUA A educação somente poderia ser compreendida em termos amplos, e a educação escolar se considerados seus condicionamentos históricos. QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE? (1970)
  • 19. Alguns escritos: Ideologia Alemã, Manifesto Comunista, Critica ao programa de Gotha ( revolução socialista) – Classificação de educação. Ideia: Superando a divisão do trabalho a educação deveria caminhar na direção da escola politécnica, uma educação que articule o desenvolvimento intelectual, físico, a formação tecnológica e científica, diretamente vinculada ao trabalho produtivo. QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE? (KARL MARX E ENGELS)
  • 20. • Defende uma escola única e comum, que seria laica, obrigatória e gratuita, aberta às crianças de todas as classes sociais. • Direcionamento de um ensino politécnico, postulando o trabalho como princípio educativo. Antonio Gramsci QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE? (PRIMEIRA METADE DO SÉC. 20)
  • 21. Guerra fria Protesto contra intercepções norte- americanas no sudoeste asiático No Brasil, luta conta o regime autocrático- burguês Surge Louis Althusser QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE? (PRIMEIRA METADE DO SÉC. 20)
  • 22. QUAIS AS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A SOCIEDADE? (LOUIS ALTHUSSER) • AIE religiosa • AIE familiar • AIE jurídica • AIE política • AIE informação • AIE cultural • AIE escolar (CAPITALISMO - DOMINANTE) Aparelho Ideológico do Estado (AIE) – funcionamento “pela ideologia”
  • 23. POR QUE MOSTRAR ESSA LINHA HISTÓRICA? Para ilustrar a complexidade das relações entre a educação escolar e a sociedade.
  • 24. ESCOLA.... Reprodutora das relações capitalistas (como todas as esferas da sociedade) Reproduz a contradição social; Palco da luta de classes; A educação nunca é neutra: expressa interesse de classes.
  • 25. SISTEMA PRODUTIVO E EDUCAÇÃO ESCOLAR Educação como investimento (teoria do capital humano - Schultz) Largamente criticada pelos educadores Relação mediada Reprodução de ideologias (neutralidade ou não-neutralidade)
  • 26. DISCUTIR O PAPEL DA ESCOLA..... Não poderemos deixar de considerar os condicionamentos sociais e políticos. Instituição social e do processo educativo; O psicólogo escolar deverá levar em consideração parâmetros que são externos as concepções psicológicas, O psicólogo não pode desconhecer o fenômeno educacional, suas diferentes concepções teóricas, as polêmicas e as questões que sãovcolocadas para os educadores
  • 27. RETOMANDO AO MITO DE PROMETEU  Tarefas e dificuldade do educador  De dia a águia come o fígado e de noite ele é reconstituído.  Superar seus limites da condição humana
  • 28. RETOMANDO AO MITO DE PROMETEU  Condição humana: não é algo abstrato e dado, mas concreto e socialmente construído.  Um dia seremos resgatados por Hercules e viveremos no olimpo. RSRSRS