O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Slide riscos psicológicos (1)

3.465 visualizações

Publicada em

trabalho de biossegurança da saúde

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Slide riscos psicológicos (1)

  1. 1. Orientadora: Welida Silva  Disciplina : Biossegurança em saúde  Sala 513 
  2. 2.  RISCOS PSICOLÓGICOS    Riscos Psicossociais: Estresse no trabalho, assédio e bullying (ou mobbing) são o desafio da Segurança e Saúde no Trabalho.    Riscos Psicossociais:   Hoje em dias muitas são as doenças que afligem os trabalhadores em todo o mundo. Muitas técnicas são desenvolvidas para amenizar essa situação que aflige muito os empregadores e principalmente seus empregados. Cada ano mais aumenta o número de pessoas que precisam se afastar temporariamente dos seus empregos por estarem com doenças psicológicas. As principais são o estresse, depressão, burnout e outras doenças onde a causa geralmente é direcionada pelas correrias do dia-adia no âmbito de trabalho. As doenças psicológicas são causadas por fatores externos em que o homem não consegue dominar as consequências que o trazem transtornos. Quando o ser humano passa a absorver toda essa carga negativa, adoece e muitas vezes não percebe que está psicologicamente abalado. As doenças psicológicas têm cura e podem ser tratada sem deixar sequelas, desde que o mal for identificado o quanto antes. Pessoas que apresentam uma doença psicológica não costumam exibir manifestações físicas aparentes. Chamadas mais comumente de distúrbios, disfunções, transtornos ou perturbações, muitas doenças psicológicas conhecidas atualmente são atribuídas ao estilo de vida, cultura e sociedade em que a pessoa vive.Ele é ocasionado por vários fatores, como ter de cumprir metas abusivas, a dificuldade de relacionamento com os chefes ou com colegas, de adaptação a mudanças e o sentimento de não estar à altura das exigências.
  3. 3. Sintomas Individuais: • Reações Emocionais irritabilidade / conflitos ansiedade/angustia perturbações do sono depressão isolamento stress e burnout problemas familiares • Reações Cognitivas dificuldade concentração memória aprendizagem tomada de decisão • Reações Comportamentais abuso de drogas, álcool, tabaco • Reações Fisiológicas doenças cardíacas (pressão alta) e digestivas (úlcera) dores nas costas e lesões musculares.menor imunidade. Algumas doenças : anorexia,ansiedade,bulimia,depressão, histerias, neuroses,transtorno bipolar, sonambulismo, síndrome do pânico,etc.
  4. 4. Depressão Sentir-se abatido de tempos em tempos é algo normal que faz parte da vida. Mas quando o vazio e o desespero tomam conta do seu dia-a-dia, tornando-se permanente, afetandolhe a motivação e o sentido da vida, pode ser depressão. Deixa de se interessar pelos amigos, família, lazer, hoobies, trabalho, saúde, você sente-se esgotado o tempo todo.
  5. 5. Depressão É o transtorno mental mais comum no mercado de trabalho, em determinados anos, responde por mais de 50% dos afastamentos por transtorno mental. De cada 4 pessoas que apresentam a doença, três são mulheres, e a doença aparece especialmente nas fases da vida em que estão emocionalmente fragilizadas, como na gravidez ou na chegada da menopausa;mas as pessoas mais acessíveis são os profissionais que trabalham diretamente com o contato humano como as esteticistas. Algumas maneiras de controlar esse risco psicológico é : Reorganização do trabalho (enriquecimento da função) Clarificação do papel – Claras descrições da função / definir claramente papéis e responsabilidades Descentralização – Dar controle aos trabalhadores sobre o seu trabalho Gestão participativa – Envolver os trabalhadores quando da tomada de decisão que lhes dizem respeito Promoção do suporte social – chefias e colegas Planejamento da carreira – evitar equívocos Flexibilização dos horários de trabalho Recompensar as boas performances Permitir que os trabalhadores apresentassem sugestões Para evitar tais doenças é necessário ter um ótimo convívio social. É importante saber separar o mundo profissional do pessoal, principalmente nas horas de lazer, cultivar amizades, dar e receber atenção e apoio social. Ter consciência de que errar é humano e que mesmo superando falhas e com imperfeição, o sucesso pode ser atingido, basta força de vontade e batalhar por ele. Em nosso cotidiano temos diversas barreiras a enfrentar, pessoas difíceis de conviver, mas como o grande mestre Ernesto Che Guevara disse, “Os guerreiros podem acabar com as flores, mas jamais poderão acabar com a primavera.” Esta frase podemos entender que por maior que seja a dificuldade que encontramos, não podemos deixar nossa essência interior morrer com a tristeza, devemos encarar nossos desafios e tentar vence – lós, não nos deixar dominar, para que possamos viver com mais qualidade de vida.
  6. 6. Estresse no Trabalho O estresse não é propriamente uma doença e sim, um estado do organismo quando submetido ao esforço e à tensão. Numa situação estressante, o corpo sofre reações químicas normais que preparam o organismo para enfrentar a situação. O prejuízo entretanto acontece, quando as situações estressantes são contínuas e o organismo começa a sofrer com as constantes reações químicas que se sucedem, sem que haja tempo para a eliminação dessas substâncias e sem o tempo necessário para o descanso e recuperação física e emocional. Podem ir desde uma dor de cabeça, distúrbios do sono, irritabilidade, cansaço, dificuldade de concentração ou tensão muscular, a dificuldades respiratórias, dificuldade de memória, problemas digestivos, pressão alta, problemas cardíacos, e até mesmo distúrbios psíquicos como síndromes, depressão e pânico.
  7. 7. Bullying Bullying é um termo da língua inglesa (bully = “valentão”) que se refere a todas as formas de atitudes agressivas, verbais ou físicas, intencionais e repetitivas, que ocorrem sem motivação evidente e são exercidas por um ou mais indivíduos, causando dor e angústia, com o objetivo de intimidar ou agredir outra pessoa sem ter a possibilidade ou capacidade de se defender, sendo realizadas dentro de uma relação desigual de forças ou poder.

×