Risco psicossocial (stress)

6.006 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Risco psicossocial (stress)

  1. 1. Trabalho realizado por: Patrícia Morais T3E Riscos Psicossociais (Stress Ocupacional)
  2. 2. Temas a abordar  Introdução;  Riscos psicossociais;  Stress (Causas, consequências e medidas de prevenção);  Conclusão.
  3. 3. Introdução Os riscos psicossociais têm a sua origem no complexo âmbito da organização do trabalho e, embora as suas consequências negativas para a saúde não sejam tão evidentes como as dos acidentes de trabalho ou as doenças profissionais, também podem ter uma relevância notável, manifestando-se através de problemas como o absentismo, a rotação de pessoal, os defeitos de qualidade ou o stress que, em conjunto, representam importantes custos tanto em termos de saúde para as pessoas como económicos para a empresa.
  4. 4. Riscos psicossociais Quando ocorre um desequilíbrio entre as interações de, por um lado, o trabalho, o seu ambiente, a satisfação no trabalho e as condições da sua organização e, por outro lado, a capacidade do trabalhador, as suas necessidades, a sua cultura e a situação pessoal fora do trabalho, aparece o risco de origem psicossocial.
  5. 5. Stress Ocupacional  O stress não é propriamente uma doença e sim, um estado do organismo quando submetido ao esforço e à tensão. Numa situação stressante, o corpo sofre reações químicas normais que preparam o organismo para enfrentar a situação.
  6. 6. Stress Ocupacional  O prejuízo entretanto acontece, quando as situações stressantes são contínuas e o organismo começa a sofrer com as constantes reações químicas que se sucedem, sem que haja tempo para a eliminação desses substâncias e sem o tempo necessário para o descanso e recuperação física e emocional.
  7. 7. Stress (Causas)  Entre inúmeras causas emocionais do stress no ambiente de trabalho e na vida pessoal, podemos citar basicamente três principais: Alto padrão de exigência pessoal, medo e frustração.
  8. 8. Stress (Causas)  O tipo de vida que nos auto-impomos, onde pensamos ser necessário obter muito mais recursos financeiros do que realmente necessitamos, nos exige mais esforço para cumprir o padrão estabelecido e nos coloca diante de conflitos na vida profissional onde há cada vez mais competição e menos espaço.
  9. 9. Stress (Consequências) Cada pessoa reage da sua maneira e em graus diferentes, mas podemos referir algumas reações mais comuns e generalizadas como sejam: • Ansiedade; • Depressão; • Inquietação; • Apatia; • Suicídio; • Ataques cardíacos; • Problemas mentais.
  10. 10. Stress (Medidas de prevenção) A melhor forma de não se stressar é saber lidar com os problemas e atividades do nosso quotidiano, adotando um conjunto de comportamentos corretos e saudáveis. • Dormir bem; • Fazer desporto; • Tentar não ter dividas; • Ter calma nas situações mais graves; • Expor os problemas com os familiares, e/ou com os amigos. Se necessário, recorrer a profissionais de saúde (psicólogos); • Melhorar a alimentação; • Deixar definitivamente os vícios.
  11. 11. Conclusão  O stress é um problema muito importante, sobre o qual a pessoa deve falar ao invés de ignorar. Stress eventualmente começa com algo pequeno e acaba acumulando em grandes problemas de saúde que impedem a pessoa de trabalhar eficientemente.

×