SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 51
De acordo com a ONU,
uma em cada dez
pessoas terá depressão
ao longo da vida. Desse
total, 60% serão
mulheres, e 40%,
homens. De cada dez
pacientes que se
recuperarem, apenas
um não sofrerá recaída.
A Organização Mundial de
Saúde apontou a
depressão como a quarta
enfermidade mais comum
no planeta. Também
previu que ela será o
principal problema de
saúde global em 2020. Até
lá, o número anual de
suicídios saltará dos atuais
593.000 para 995.000.
A depressão é um estado emocional ao qual todos os
seres humanos estão sujeitos. Pode acometer-nos em
qualquer idade, e pelas mais variadas razões. Nas
páginas da Bíblia, encontram-se homens e mulheres de
fé que lutaram contra um sentimento de tristeza
asfixiante – uma verdadeira depressão.
A depressão vai além da
simples tristeza. Pessoas
tristes podem ser
alegradas pelas
circunstâncias ou pelo
apoio dos amigos.
Indivíduos deprimidos,
por outro lado, nunca
são afetados pelas coisas
boas da vida.
Quando estamos tristes,
conservamos nosso amor-
próprio, voltamos a nos sentir
bem depois que choramos, e
somos ajudados por palavras
de consolo. Mas, quando
alguém está em depressão
severa sua autoestima
desaparece. Chorar não
adianta nada e o que os
amigos dizem só causa
irritação.
As pessoas próximas parecem não entender o que
acontece, e o deprimido, por sua vez, não se sente com
a mínima vontade de explicar.
A experiência de sentir
desânimo ou
esmorecimento é comum
a todas as pessoas, em
qualquer cultura. É apenas
quando essas emoções
passam a ser
incapacitantes que as
consideramos um
problema.
O QUE É DEPRESSÃO?
• Documentada, há mais de 2000 anos (como
melancolia), por Babilônios, egípcios, gregos e judeus.
• Na Antiguidade associaram-na à inteligência,
criatividade.
• Na Idade Média, à covardia, incredulidade, preguiça.
• Na Modernidade tornou-se uma questão de saúde.
• Atualmente é considerada uma doença constando nos
manuais internacionais de saúde.
Define-se depressão como
uma combinação de aflição e
mal-estar, que ocorre
espontaneamente ou que
excede, em duração e
intensidade, a reação normal
a qualquer desastre e
infortúnio.
Ou seja afeta o indivíduo
tanto física quanto
psicologicamente.
OS VÁRIOS TIPOS DE DEPRESSÃO
DEPRESSÃO LEVE X DEPRESSÃO GRAVE
Todos nós, de
tempos em tempos,
formamos uma
imagem negativa
sobre nós mesmos
ou desenvolvemos
uma sensação de
desamparo.
No caso da depressão grave, algumas vezes não
conseguimos de imediato especificar o que a provocou,
além de ela se arrastar por meses a fio e nos deixar
incapacitados.
DEPRESSÃO UNIPOLAR X DEPRESSÃO BIPOLAR
(TRANSTORNO MANÍACO DEPRESSIVO)
• Unipolar: tristeza e prostração constantes
• Bipolar: períodos de abatimento intercalados com
episódios de agitação descontrolada
DEPRESSÃO REATIVA X DEPRESSÃO
ENDÓGENA
• Reativa: origem psicológica, surge como uma reação
emocional a episódios desagradáveis: luto, divórcio,
decepção, enfermidade.
• Endógena: origem orgânica, surgimento associado a
mudanças bioquímicas no corpo: alterações
hormonais, desnutrição, deficiência de
neurotransmissores e intoxicação.
• (Neurotransmissores são substâncias químicas
produzidas pelos neurônios, as células nervosas com a
função de biossinalização. Por meio delas, podem
enviar informações a outras células. Podem também
estimular a continuidade de um impulso ou efetuar a
reação final no órgão ou músculo alvo.)
SINTOMAS DA DEPRESSÃO
Depressão é um
quadro clínico
identificado por um
conjunto de
sintomas. Um ou dois
sinais não bastam
para afirmarmos que
uma pessoa está com
depressão.
Esfera emocional: O que o deprimido sente?
•Desânimo
• Desgosto
• Tristeza
•Medo
•Apatia
•Inércia
• Solidão
Esfera cognitiva: O que o deprimido pensa?
Crê-se culpado pelo que está acontecendo e que seu
problema é insolúvel.
É perseguido por ideias de:
Inferioridade Derrotismo
Ressentimento Autoacusação Vergonha
Auto-piedade Indignidade
Deseja isolar-se, fugir de tudo
e de todos, desaparecer.
Coisas que normalmente
despertariam seu interesse,
tais como: trabalho, família,
sexo e relacionamentos,
perdem o encanto. Não quer
tomar decisões nem fazer
planos. Pode perder até a
vontade de viver.
Esfera vegetativa: o que o deprimido
experimenta em seu corpo
• Alterações do apetite
• Perturbações do sono
• Fadiga
• Semblante caído
• Corpo vergado
• Tensão muscular
• Distúrbios digestivos
•Sensação de peito
apertado
•Falta de ar
•Alterações cardíacas
•Flacidez
Esfera motora: como o deprimido age
• Lentidão
• Retardamento
• Dificuldade de mobilização
• Prostração
• Perda de espontaneidade
• Crises de inquietação, agitação
• Inibição motora
Quando encontramos todos os sintomas atrás ou a
maioria deles é muito provável estarmos diante de um
caso depressivo. A pessoa deve ser encaminhada a um
profissional. Um diagnóstico pode ser feito e o
tratamento iniciado. Os sintomas não surgem do dia
para a noite, mas vão se acumulando. O início da
manhã e o fim da tarde parecem ser as horas em que
os sintomas se mostram mais intensos.
AS CAUSAS DA DEPRESSÃO
Causas físico-genéticas
• Existe um fator hereditário na
depressão.
• Sabe-se também que a falta de
sono, uma alimentação
inadequada, a carência de
proteínas e a hipoglicemia
conduzem ao abatimento.
• A alteração de taxas hormonais pode originar um
quadro depressivo (razão porque as mulheres são
maioria)
• Intoxicação química, efeito de drogas, infecções
viróticas
Causas ambientais
• A convivência num ambiente familiar opressivo ou
num local de trabalho estressante pode com o tempo
levar à depressão
• Outros fatores externos que também podem
contribuir para um quadro depressivo: poluição
sonora, olfativa e visual; clima de animosidade, tensão
e competição; insegurança e imprevisibilidade
Causas emocionais
Traumas ou perdas significativas
na infância tornam maiores as
probabilidades de se cair em
depressão
Sentimentos de rejeição, culpa,
mágoa, autocomiseração
Pessoas de natureza
perfeccionista ou pessimista
Causas ocasionais
Enfermidades, desemprego,
separação, perda de entes queridos,
agressão, desapontamento e outras
situações sobre as quais não se tem
controle
Há também, quem fique deprimido
em datas especiais: natal, ano novo,
dia do aniversário
Causas existenciais
Levar um estilo de vida
inadequado à própria
personalidade, a longo prazo,
pode levar à depressão
Outra causa existencial é o
sentimento de impotência
que aflige o indivíduo que se
vê incapaz de mudar uma
realidade que lhe pareça
desagradável
Causas espirituais
A falta de intimidade
com Deus pode levar-
nos a uma
insatisfação crônica,
podendo, inclusive,
gerar sentimentos de
medo, ansiedade e
falta de propósito
Ademais, cristãos creem em influências sobrenaturais.
Porém, devemos considerar essa possibilidade com
cuidado, pois pessoas deprimidas impressionam-se
facilmente
Cuidados a se tomar em relação ao assunto
• Devemos evitar os preconceitos. Dizer ao deprimido
que seu estado resulta de frieza espiritual não vai
ajudá-lo.
• Devemos evitar a precipitação. Como as causas da
depressão são múltiplas não há uma receita para
tudo.
• Devemos evitar a auto medicação.
• Devemos evitar a ingenuidade. Poucas coisas
ofendem tanto a quem sofre quanto soluções
simplistas. Termos a serem evitados: “reaja”, “não se
sinta desse jeito”, “a vida é bela”, “existem coisas
piores”, etc
O que fazer em caso de depressão?
Medicação e terapia
De acordo com a
Organização Mundial de
Saúde, os melhores
resultados no tratamento
da depressão são aqueles
obtidos com a utilização
conjunta de medicação e
psicoterapia.
O estado de abatimento de humor, característico da
depressão, está associado à diminuição de certas
substâncias em nosso cérebro. Essas substâncias,
chamadas neurotransmissores, atuam no espaço
existente entre as células nervosas. São elas que
possibilitam a comunicação entre os neurônios.
Nas pessoas deprimidas, a quantidade de
neurotransmissores – principalmente a adrenalina, a
noradrenalina e a serotonina – apresenta-se abaixo do
normal. Os remédios antidepressivos atuam
justamente aí. Eles aumentam a concentração de
neurotransmissores.
Funções da adrenalina
Os efeitos da adrenalina sobre o sistema cardiovascular
são considerados os mais importantes, pois mantêm a
frequência cardíaca e pressão arterial adequada tanto
em repouso como em condições de estresse.
A adrenalina promove vasoconstrição periférica,
aumento da frequência cardíaca e da automaticidade
das regiões do coração.
Nos brônquios, a adrenalina permite a broncodilatação
e aumento da respiração, por isso é utilizada no
tratamento de bronquites. Pode estimular a secreção
de hormônios como insulina, glucagon, gastrina, etc.
Estimula o aumento da concentração de glicose no
plasma. Promove a fosforilação de proteínas no fígado,
envolvidas na regulação do metabolismo do glicogênio.
Participa da degradação de triacilgliceróis armazenados
no tecido adiposo.
Funções da noradrenalina
• Também chamada de noraepinefrina, ela influencia no
humor, ansiedade, sono e alimentação. É sintetizada
nas fibras nervosas. Suas principais ações no sistema
cardiovascular estão relacionadas ao aumento do
influxo celular do cálcio e a manter o pressão
sanguínea em níveis normais
Funções da serotonina
Regulação do sono, a transmissão ineficaz do
neurotransmissor pode levar depressão e outros
distúrbios de humor, pode ser aplicada no tratamento
da enxaqueca, conduz à saciedade e, ainda existe a
hipótese de que os sintomas da TPM (incluindo os
espasmos doloridos da cólica)também estejam ligados
à baixa transmissão de serotonina no cérebro.
Remédios antidepressivos não produzem efeitos
instantâneos, podem levar de dez a quinze dias para
que o paciente experimente alguma melhora. Além
disso cada organismo apresenta reações diferentes.
Isso significa que o médico terá, em alguns caos, de
fazer várias tentativas até acertar com a medicação
Somente a medicação não basta
Um psicólogo ou
conselheiro capacitado
será de grande ajuda para
a pessoa deprimida. Se
ela puder conversar com
alguém que entenda o seu
problema, sem emitir
juízos ou sugerir medidas
simplistas, perceberá que
encontrou um aliado na
sua luta.
A depressão, em última instância, é sempre um alerta
de que algo não vai bem. Talvez estejamos carentes de
proteínas, hormônios ou neurotransmissores. Pode ser
que precisemos simplesmente de repouso ou férias
regulares, perspectivas de vida, amizades sinceras ou
um relacionamento pessoal com Deus.
O exemplo do profeta Elias I Reis 19: 2 – 4
• Sintomas depressivos em Elias:
• Abatimento físico e emocional;
• Tendência ao isolamento;
• Alterações de sono e apetite;
• Elias deseja a morte.
• O Senhor tratou Elias em todas as áreas de sua vida:
física, espiritual, comunitária e emocional.
O que Deus providenciou para Elias
• Alimentação equilibrada
• Repouso regular
• Atividade física
• Terapia ocupacional
• Reestruturação da vida afetiva
• Crescimento espiritual
Finalmente
Passar por um episódio depressivo não é uma
experiência fácil. O deprimido tem a sensação de estar
em um deserto, castigado por tempestades de areia
que o machucam e o sufocam. Seus pés parecem
afundar. Seus olhos contemplam uma noite escura, sem
estrelas ou luar. Nossas sensações físicas, pensamentos
e emoções podem dizer-nos que não há saída. É o que
ocorre na depressão. Mas, se o Criador, em pessoa,
afirmar que ainda seremos felizes, temos razões para
crer e perseverar.
O AUTOR
O Pastor Marcelo Rodrigues de Aguiar formou-se
em teologia no ano de 1986 pelo Seminário
Teológico Batista do Sul do Brasil. Pastoreou a
Igreja Batista em Paul, na cidade de Vila Velha, por
catorze anos. Desde o dia 25 de abril de 2009, é o
pastor titular da Igreja Batista em Mata da Praia,
na cidade de Vitória. Formado em Psicologia pela
Universidade Federal do Espírito Santo, atua
também como escritor, tendo 12 livros publicados
pela Editora Betânia e pela Editora Vida. Casado
com Rosi Leia Ribeiro de Aguiar, é pai das gêmeas
Amanda e Beatriz.
O que é depressão e seus principais sintomas e causas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Shober, sthephan superando a depressão biblica e naturalmente (artigo)
Shober, sthephan superando a depressão biblica e naturalmente (artigo)Shober, sthephan superando a depressão biblica e naturalmente (artigo)
Shober, sthephan superando a depressão biblica e naturalmente (artigo)didaque
 
Palestra stress, ansiedade, depressão e suicídio - dezembro 2014 - policia...
Palestra stress, ansiedade, depressão e suicídio -  dezembro 2014 - policia...Palestra stress, ansiedade, depressão e suicídio -  dezembro 2014 - policia...
Palestra stress, ansiedade, depressão e suicídio - dezembro 2014 - policia...Dr. Icaro Alves Alcântara
 
Saúde do Idoso - Transtornos psiquicos
Saúde do Idoso - Transtornos psiquicosSaúde do Idoso - Transtornos psiquicos
Saúde do Idoso - Transtornos psiquicosJúnior Maidana
 
Palestra Depressão: Doença Física ou Espiritual?
Palestra Depressão: Doença Física ou Espiritual?Palestra Depressão: Doença Física ou Espiritual?
Palestra Depressão: Doença Física ou Espiritual?Marcelo Suster
 
Depressão na 3ª idade
Depressão na 3ª idadeDepressão na 3ª idade
Depressão na 3ª idadeCras Macatuba
 
Pregação 16.07.17 depressão 1
Pregação 16.07.17 depressão 1Pregação 16.07.17 depressão 1
Pregação 16.07.17 depressão 1Dagmar Wendt
 
Lição 7 Combatento a Depressão, o mal do Século
Lição 7 Combatento a Depressão, o mal do SéculoLição 7 Combatento a Depressão, o mal do Século
Lição 7 Combatento a Depressão, o mal do SéculoEscol Dominical
 
Palestra Depress O E Melancolia
Palestra Depress O E MelancoliaPalestra Depress O E Melancolia
Palestra Depress O E Melancoliaguestaa6f1b
 

Mais procurados (20)

Shober, sthephan superando a depressão biblica e naturalmente (artigo)
Shober, sthephan superando a depressão biblica e naturalmente (artigo)Shober, sthephan superando a depressão biblica e naturalmente (artigo)
Shober, sthephan superando a depressão biblica e naturalmente (artigo)
 
Depressão palestra
Depressão   palestraDepressão   palestra
Depressão palestra
 
Palestra stress, ansiedade, depressão e suicídio - dezembro 2014 - policia...
Palestra stress, ansiedade, depressão e suicídio -  dezembro 2014 - policia...Palestra stress, ansiedade, depressão e suicídio -  dezembro 2014 - policia...
Palestra stress, ansiedade, depressão e suicídio - dezembro 2014 - policia...
 
Saúde do Idoso - Transtornos psiquicos
Saúde do Idoso - Transtornos psiquicosSaúde do Idoso - Transtornos psiquicos
Saúde do Idoso - Transtornos psiquicos
 
Depressão palestra uniplac
Depressão   palestra uniplacDepressão   palestra uniplac
Depressão palestra uniplac
 
Palestra Depressão: Doença Física ou Espiritual?
Palestra Depressão: Doença Física ou Espiritual?Palestra Depressão: Doença Física ou Espiritual?
Palestra Depressão: Doença Física ou Espiritual?
 
Vencendo a depressão
Vencendo a depressãoVencendo a depressão
Vencendo a depressão
 
Depressao na mulher
Depressao na mulherDepressao na mulher
Depressao na mulher
 
Depressão na 3ª idade
Depressão na 3ª idadeDepressão na 3ª idade
Depressão na 3ª idade
 
Cuidador de idoso_29
Cuidador de idoso_29Cuidador de idoso_29
Cuidador de idoso_29
 
Depressão geriatria
Depressão geriatriaDepressão geriatria
Depressão geriatria
 
A depressão
A depressãoA depressão
A depressão
 
Pregação 16.07.17 depressão 1
Pregação 16.07.17 depressão 1Pregação 16.07.17 depressão 1
Pregação 16.07.17 depressão 1
 
Lição 7 Combatento a Depressão, o mal do Século
Lição 7 Combatento a Depressão, o mal do SéculoLição 7 Combatento a Depressão, o mal do Século
Lição 7 Combatento a Depressão, o mal do Século
 
DEPRESSÃO NO IDOSO
DEPRESSÃO NO IDOSODEPRESSÃO NO IDOSO
DEPRESSÃO NO IDOSO
 
Caminhos para vencer a Depressão
Caminhos para vencer a DepressãoCaminhos para vencer a Depressão
Caminhos para vencer a Depressão
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Palestra Depress O E Melancolia
Palestra Depress O E MelancoliaPalestra Depress O E Melancolia
Palestra Depress O E Melancolia
 

Destaque

Feira do conhecimento 2014 - DEPRESSÃO
Feira do conhecimento   2014 - DEPRESSÃOFeira do conhecimento   2014 - DEPRESSÃO
Feira do conhecimento 2014 - DEPRESSÃORodrigo
 
+Amor.um pedido dosanimais
+Amor.um pedido dosanimais+Amor.um pedido dosanimais
+Amor.um pedido dosanimaisFórum Espírita
 
DepressãO Infantil
DepressãO InfantilDepressãO Infantil
DepressãO InfantilJOSE varreis
 
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...Luciane Santana
 
Curso de psicologia_clinica_sp__76407
Curso de psicologia_clinica_sp__76407Curso de psicologia_clinica_sp__76407
Curso de psicologia_clinica_sp__76407Marcelo Enrico
 
Controle do Stress, Ansiedade e Depressão - Palestra de Agosto 2014 - FUNCEF
Controle do Stress, Ansiedade e Depressão - Palestra de Agosto 2014 - FUNCEFControle do Stress, Ansiedade e Depressão - Palestra de Agosto 2014 - FUNCEF
Controle do Stress, Ansiedade e Depressão - Palestra de Agosto 2014 - FUNCEFDr. Icaro Alves Alcântara
 
Depressão infantil 2014
Depressão infantil 2014Depressão infantil 2014
Depressão infantil 2014kmillaalves
 
Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...
Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...
Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...Dr. Rafael Higashi
 
Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...
Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...
Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...Dr. Rafael Higashi
 

Destaque (20)

Feira do conhecimento 2014 - DEPRESSÃO
Feira do conhecimento   2014 - DEPRESSÃOFeira do conhecimento   2014 - DEPRESSÃO
Feira do conhecimento 2014 - DEPRESSÃO
 
Depressão
Depressão Depressão
Depressão
 
Depressão infantil
Depressão infantilDepressão infantil
Depressão infantil
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Tristeza e depressão
Tristeza e depressãoTristeza e depressão
Tristeza e depressão
 
A Depressão
A DepressãoA Depressão
A Depressão
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Vacina contra depressão
Vacina contra depressãoVacina contra depressão
Vacina contra depressão
 
Depressão e Suicício
Depressão e SuicícioDepressão e Suicício
Depressão e Suicício
 
Laboratório de Inovação - Conhecimento e Inovações em Saúde - Opas
Laboratório de Inovação - Conhecimento e Inovações em Saúde - OpasLaboratório de Inovação - Conhecimento e Inovações em Saúde - Opas
Laboratório de Inovação - Conhecimento e Inovações em Saúde - Opas
 
Experiência do CONASS - Laboratório de Inovação na Atenção Condições Crônicas
Experiência do CONASS - Laboratório de Inovação na Atenção Condições CrônicasExperiência do CONASS - Laboratório de Inovação na Atenção Condições Crônicas
Experiência do CONASS - Laboratório de Inovação na Atenção Condições Crônicas
 
+Amor.um pedido dosanimais
+Amor.um pedido dosanimais+Amor.um pedido dosanimais
+Amor.um pedido dosanimais
 
DepressãO Infantil
DepressãO InfantilDepressãO Infantil
DepressãO Infantil
 
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
Dois Estudos de caso,Um fala sobre o Luto.Outro a questão das dores sistemáti...
 
Curso de psicologia_clinica_sp__76407
Curso de psicologia_clinica_sp__76407Curso de psicologia_clinica_sp__76407
Curso de psicologia_clinica_sp__76407
 
Controle do Stress, Ansiedade e Depressão - Palestra de Agosto 2014 - FUNCEF
Controle do Stress, Ansiedade e Depressão - Palestra de Agosto 2014 - FUNCEFControle do Stress, Ansiedade e Depressão - Palestra de Agosto 2014 - FUNCEF
Controle do Stress, Ansiedade e Depressão - Palestra de Agosto 2014 - FUNCEF
 
Depressão infantil 2014
Depressão infantil 2014Depressão infantil 2014
Depressão infantil 2014
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...
Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...
Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...
 
Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...
Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...
Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...
 

Semelhante a O que é depressão e seus principais sintomas e causas

Palestra André
Palestra AndréPalestra André
Palestra Andréassefrak
 
Depressão marcelly e marcilene
Depressão   marcelly e marcileneDepressão   marcelly e marcilene
Depressão marcelly e marcilenemahvieira
 
Trabalho de grupo (depressão)
Trabalho de grupo (depressão)Trabalho de grupo (depressão)
Trabalho de grupo (depressão)gomespereira64
 
Trabalho de grupo (depressão)
Trabalho de grupo (depressão)Trabalho de grupo (depressão)
Trabalho de grupo (depressão)gomespereira64
 
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALDEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALCarlosLinsJr
 
A depressao-e-uma-doenca-que-se-trata
A depressao-e-uma-doenca-que-se-trataA depressao-e-uma-doenca-que-se-trata
A depressao-e-uma-doenca-que-se-trataCosmo Palasio
 
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão pdf
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão   pdfSaiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão   pdf
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão pdfEderson Bezerra
 
Estresse e Doenças da Alma
Estresse e Doenças da AlmaEstresse e Doenças da Alma
Estresse e Doenças da AlmaRobson Roberto
 
ELETIVAS – a vida em movimento.pptx
ELETIVAS – a vida em movimento.pptxELETIVAS – a vida em movimento.pptx
ELETIVAS – a vida em movimento.pptxSuzy De Abreu Santana
 
Depressão: Suplemento da Lição 7
Depressão: Suplemento da Lição 7Depressão: Suplemento da Lição 7
Depressão: Suplemento da Lição 7Escol Dominical
 
Psicologia na vida adulta
Psicologia na vida adultaPsicologia na vida adulta
Psicologia na vida adultaedi
 
Apresentação de psicologia
Apresentação de psicologiaApresentação de psicologia
Apresentação de psicologiaedi
 
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptxSíndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptxSilviaLouro2
 
Os primeiros sinais de depressão
Os primeiros sinais de depressãoOs primeiros sinais de depressão
Os primeiros sinais de depressãoTeresa Batista
 
SLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptx
SLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptxSLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptx
SLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptxJessicaAvelar3
 

Semelhante a O que é depressão e seus principais sintomas e causas (20)

Palestra André
Palestra AndréPalestra André
Palestra André
 
Mulher!!!palestra
Mulher!!!palestraMulher!!!palestra
Mulher!!!palestra
 
depressao.pdf
depressao.pdfdepressao.pdf
depressao.pdf
 
doenças mentais
doenças mentaisdoenças mentais
doenças mentais
 
Depressão marcelly e marcilene
Depressão   marcelly e marcileneDepressão   marcelly e marcilene
Depressão marcelly e marcilene
 
Trabalho de grupo (depressão)
Trabalho de grupo (depressão)Trabalho de grupo (depressão)
Trabalho de grupo (depressão)
 
Trabalho de grupo (depressão)
Trabalho de grupo (depressão)Trabalho de grupo (depressão)
Trabalho de grupo (depressão)
 
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALDEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
 
A depressao-e-uma-doenca-que-se-trata
A depressao-e-uma-doenca-que-se-trataA depressao-e-uma-doenca-que-se-trata
A depressao-e-uma-doenca-que-se-trata
 
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão pdf
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão   pdfSaiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão   pdf
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão pdf
 
Estresse e Doenças da Alma
Estresse e Doenças da AlmaEstresse e Doenças da Alma
Estresse e Doenças da Alma
 
ELETIVAS – a vida em movimento.pptx
ELETIVAS – a vida em movimento.pptxELETIVAS – a vida em movimento.pptx
ELETIVAS – a vida em movimento.pptx
 
Depressão: Suplemento da Lição 7
Depressão: Suplemento da Lição 7Depressão: Suplemento da Lição 7
Depressão: Suplemento da Lição 7
 
Psicologia na vida adulta
Psicologia na vida adultaPsicologia na vida adulta
Psicologia na vida adulta
 
Apresentação de psicologia
Apresentação de psicologiaApresentação de psicologia
Apresentação de psicologia
 
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptxSíndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Os primeiros sinais de depressão
Os primeiros sinais de depressãoOs primeiros sinais de depressão
Os primeiros sinais de depressão
 
SLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptx
SLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptxSLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptx
SLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptx
 
DEPRESSÃO
DEPRESSÃODEPRESSÃO
DEPRESSÃO
 

Mais de João Marcos Professor Literatura (7)

Medo
MedoMedo
Medo
 
áLbum de fotografias
áLbum de fotografiasáLbum de fotografias
áLbum de fotografias
 
ANÁLISE DO FILME OS INCOMPREENDIDOS DE FRANÇOIS TRUFFAUT PARA O VESTIBULAR UE...
ANÁLISE DO FILME OS INCOMPREENDIDOS DE FRANÇOIS TRUFFAUT PARA O VESTIBULAR UE...ANÁLISE DO FILME OS INCOMPREENDIDOS DE FRANÇOIS TRUFFAUT PARA O VESTIBULAR UE...
ANÁLISE DO FILME OS INCOMPREENDIDOS DE FRANÇOIS TRUFFAUT PARA O VESTIBULAR UE...
 
Skank Alexia Cd Velocia (2014) Rosa mostrou música à jogadora Alexia e ela ad...
Skank Alexia Cd Velocia (2014) Rosa mostrou música à jogadora Alexia e ela ad...Skank Alexia Cd Velocia (2014) Rosa mostrou música à jogadora Alexia e ela ad...
Skank Alexia Cd Velocia (2014) Rosa mostrou música à jogadora Alexia e ela ad...
 
Triste fim exercícios
Triste fim exercíciosTriste fim exercícios
Triste fim exercícios
 
Sagarana (1946)
Sagarana (1946)Sagarana (1946)
Sagarana (1946)
 
00 cinema de qualidade
00   cinema de qualidade00   cinema de qualidade
00 cinema de qualidade
 

Último

GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EMicheleRosa39
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxCelso Napoleon
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoRicardo Azevedo
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalAmaroJunior21
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...silvana30986
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresAntonino Silva
 
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptxCURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptxWerquesonSouza
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaWillemarSousa1
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024RaniereSilva14
 

Último (10)

GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
 
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.pptFluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
 
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptxCURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
 

O que é depressão e seus principais sintomas e causas

  • 1.
  • 2. De acordo com a ONU, uma em cada dez pessoas terá depressão ao longo da vida. Desse total, 60% serão mulheres, e 40%, homens. De cada dez pacientes que se recuperarem, apenas um não sofrerá recaída.
  • 3. A Organização Mundial de Saúde apontou a depressão como a quarta enfermidade mais comum no planeta. Também previu que ela será o principal problema de saúde global em 2020. Até lá, o número anual de suicídios saltará dos atuais 593.000 para 995.000.
  • 4. A depressão é um estado emocional ao qual todos os seres humanos estão sujeitos. Pode acometer-nos em qualquer idade, e pelas mais variadas razões. Nas páginas da Bíblia, encontram-se homens e mulheres de fé que lutaram contra um sentimento de tristeza asfixiante – uma verdadeira depressão.
  • 5. A depressão vai além da simples tristeza. Pessoas tristes podem ser alegradas pelas circunstâncias ou pelo apoio dos amigos. Indivíduos deprimidos, por outro lado, nunca são afetados pelas coisas boas da vida.
  • 6. Quando estamos tristes, conservamos nosso amor- próprio, voltamos a nos sentir bem depois que choramos, e somos ajudados por palavras de consolo. Mas, quando alguém está em depressão severa sua autoestima desaparece. Chorar não adianta nada e o que os amigos dizem só causa irritação.
  • 7. As pessoas próximas parecem não entender o que acontece, e o deprimido, por sua vez, não se sente com a mínima vontade de explicar.
  • 8. A experiência de sentir desânimo ou esmorecimento é comum a todas as pessoas, em qualquer cultura. É apenas quando essas emoções passam a ser incapacitantes que as consideramos um problema.
  • 9. O QUE É DEPRESSÃO? • Documentada, há mais de 2000 anos (como melancolia), por Babilônios, egípcios, gregos e judeus. • Na Antiguidade associaram-na à inteligência, criatividade.
  • 10. • Na Idade Média, à covardia, incredulidade, preguiça. • Na Modernidade tornou-se uma questão de saúde. • Atualmente é considerada uma doença constando nos manuais internacionais de saúde.
  • 11. Define-se depressão como uma combinação de aflição e mal-estar, que ocorre espontaneamente ou que excede, em duração e intensidade, a reação normal a qualquer desastre e infortúnio. Ou seja afeta o indivíduo tanto física quanto psicologicamente.
  • 12. OS VÁRIOS TIPOS DE DEPRESSÃO
  • 13. DEPRESSÃO LEVE X DEPRESSÃO GRAVE Todos nós, de tempos em tempos, formamos uma imagem negativa sobre nós mesmos ou desenvolvemos uma sensação de desamparo.
  • 14. No caso da depressão grave, algumas vezes não conseguimos de imediato especificar o que a provocou, além de ela se arrastar por meses a fio e nos deixar incapacitados.
  • 15. DEPRESSÃO UNIPOLAR X DEPRESSÃO BIPOLAR (TRANSTORNO MANÍACO DEPRESSIVO) • Unipolar: tristeza e prostração constantes • Bipolar: períodos de abatimento intercalados com episódios de agitação descontrolada
  • 16. DEPRESSÃO REATIVA X DEPRESSÃO ENDÓGENA • Reativa: origem psicológica, surge como uma reação emocional a episódios desagradáveis: luto, divórcio, decepção, enfermidade. • Endógena: origem orgânica, surgimento associado a mudanças bioquímicas no corpo: alterações hormonais, desnutrição, deficiência de neurotransmissores e intoxicação.
  • 17. • (Neurotransmissores são substâncias químicas produzidas pelos neurônios, as células nervosas com a função de biossinalização. Por meio delas, podem enviar informações a outras células. Podem também estimular a continuidade de um impulso ou efetuar a reação final no órgão ou músculo alvo.)
  • 18. SINTOMAS DA DEPRESSÃO Depressão é um quadro clínico identificado por um conjunto de sintomas. Um ou dois sinais não bastam para afirmarmos que uma pessoa está com depressão.
  • 19. Esfera emocional: O que o deprimido sente? •Desânimo • Desgosto • Tristeza •Medo •Apatia •Inércia • Solidão
  • 20. Esfera cognitiva: O que o deprimido pensa? Crê-se culpado pelo que está acontecendo e que seu problema é insolúvel. É perseguido por ideias de: Inferioridade Derrotismo Ressentimento Autoacusação Vergonha Auto-piedade Indignidade
  • 21. Deseja isolar-se, fugir de tudo e de todos, desaparecer. Coisas que normalmente despertariam seu interesse, tais como: trabalho, família, sexo e relacionamentos, perdem o encanto. Não quer tomar decisões nem fazer planos. Pode perder até a vontade de viver.
  • 22. Esfera vegetativa: o que o deprimido experimenta em seu corpo • Alterações do apetite • Perturbações do sono • Fadiga • Semblante caído • Corpo vergado • Tensão muscular • Distúrbios digestivos •Sensação de peito apertado •Falta de ar •Alterações cardíacas •Flacidez
  • 23. Esfera motora: como o deprimido age • Lentidão • Retardamento • Dificuldade de mobilização • Prostração • Perda de espontaneidade • Crises de inquietação, agitação • Inibição motora
  • 24. Quando encontramos todos os sintomas atrás ou a maioria deles é muito provável estarmos diante de um caso depressivo. A pessoa deve ser encaminhada a um profissional. Um diagnóstico pode ser feito e o tratamento iniciado. Os sintomas não surgem do dia para a noite, mas vão se acumulando. O início da manhã e o fim da tarde parecem ser as horas em que os sintomas se mostram mais intensos.
  • 25. AS CAUSAS DA DEPRESSÃO
  • 26. Causas físico-genéticas • Existe um fator hereditário na depressão. • Sabe-se também que a falta de sono, uma alimentação inadequada, a carência de proteínas e a hipoglicemia conduzem ao abatimento.
  • 27. • A alteração de taxas hormonais pode originar um quadro depressivo (razão porque as mulheres são maioria) • Intoxicação química, efeito de drogas, infecções viróticas
  • 28. Causas ambientais • A convivência num ambiente familiar opressivo ou num local de trabalho estressante pode com o tempo levar à depressão • Outros fatores externos que também podem contribuir para um quadro depressivo: poluição sonora, olfativa e visual; clima de animosidade, tensão e competição; insegurança e imprevisibilidade
  • 29. Causas emocionais Traumas ou perdas significativas na infância tornam maiores as probabilidades de se cair em depressão Sentimentos de rejeição, culpa, mágoa, autocomiseração Pessoas de natureza perfeccionista ou pessimista
  • 30. Causas ocasionais Enfermidades, desemprego, separação, perda de entes queridos, agressão, desapontamento e outras situações sobre as quais não se tem controle Há também, quem fique deprimido em datas especiais: natal, ano novo, dia do aniversário
  • 31. Causas existenciais Levar um estilo de vida inadequado à própria personalidade, a longo prazo, pode levar à depressão Outra causa existencial é o sentimento de impotência que aflige o indivíduo que se vê incapaz de mudar uma realidade que lhe pareça desagradável
  • 32. Causas espirituais A falta de intimidade com Deus pode levar- nos a uma insatisfação crônica, podendo, inclusive, gerar sentimentos de medo, ansiedade e falta de propósito
  • 33. Ademais, cristãos creem em influências sobrenaturais. Porém, devemos considerar essa possibilidade com cuidado, pois pessoas deprimidas impressionam-se facilmente
  • 34. Cuidados a se tomar em relação ao assunto • Devemos evitar os preconceitos. Dizer ao deprimido que seu estado resulta de frieza espiritual não vai ajudá-lo. • Devemos evitar a precipitação. Como as causas da depressão são múltiplas não há uma receita para tudo.
  • 35. • Devemos evitar a auto medicação. • Devemos evitar a ingenuidade. Poucas coisas ofendem tanto a quem sofre quanto soluções simplistas. Termos a serem evitados: “reaja”, “não se sinta desse jeito”, “a vida é bela”, “existem coisas piores”, etc
  • 36. O que fazer em caso de depressão?
  • 37. Medicação e terapia De acordo com a Organização Mundial de Saúde, os melhores resultados no tratamento da depressão são aqueles obtidos com a utilização conjunta de medicação e psicoterapia.
  • 38. O estado de abatimento de humor, característico da depressão, está associado à diminuição de certas substâncias em nosso cérebro. Essas substâncias, chamadas neurotransmissores, atuam no espaço existente entre as células nervosas. São elas que possibilitam a comunicação entre os neurônios.
  • 39. Nas pessoas deprimidas, a quantidade de neurotransmissores – principalmente a adrenalina, a noradrenalina e a serotonina – apresenta-se abaixo do normal. Os remédios antidepressivos atuam justamente aí. Eles aumentam a concentração de neurotransmissores.
  • 40. Funções da adrenalina Os efeitos da adrenalina sobre o sistema cardiovascular são considerados os mais importantes, pois mantêm a frequência cardíaca e pressão arterial adequada tanto em repouso como em condições de estresse. A adrenalina promove vasoconstrição periférica, aumento da frequência cardíaca e da automaticidade das regiões do coração.
  • 41. Nos brônquios, a adrenalina permite a broncodilatação e aumento da respiração, por isso é utilizada no tratamento de bronquites. Pode estimular a secreção de hormônios como insulina, glucagon, gastrina, etc. Estimula o aumento da concentração de glicose no plasma. Promove a fosforilação de proteínas no fígado, envolvidas na regulação do metabolismo do glicogênio. Participa da degradação de triacilgliceróis armazenados no tecido adiposo.
  • 42. Funções da noradrenalina • Também chamada de noraepinefrina, ela influencia no humor, ansiedade, sono e alimentação. É sintetizada nas fibras nervosas. Suas principais ações no sistema cardiovascular estão relacionadas ao aumento do influxo celular do cálcio e a manter o pressão sanguínea em níveis normais
  • 43. Funções da serotonina Regulação do sono, a transmissão ineficaz do neurotransmissor pode levar depressão e outros distúrbios de humor, pode ser aplicada no tratamento da enxaqueca, conduz à saciedade e, ainda existe a hipótese de que os sintomas da TPM (incluindo os espasmos doloridos da cólica)também estejam ligados à baixa transmissão de serotonina no cérebro.
  • 44. Remédios antidepressivos não produzem efeitos instantâneos, podem levar de dez a quinze dias para que o paciente experimente alguma melhora. Além disso cada organismo apresenta reações diferentes. Isso significa que o médico terá, em alguns caos, de fazer várias tentativas até acertar com a medicação
  • 45. Somente a medicação não basta Um psicólogo ou conselheiro capacitado será de grande ajuda para a pessoa deprimida. Se ela puder conversar com alguém que entenda o seu problema, sem emitir juízos ou sugerir medidas simplistas, perceberá que encontrou um aliado na sua luta.
  • 46. A depressão, em última instância, é sempre um alerta de que algo não vai bem. Talvez estejamos carentes de proteínas, hormônios ou neurotransmissores. Pode ser que precisemos simplesmente de repouso ou férias regulares, perspectivas de vida, amizades sinceras ou um relacionamento pessoal com Deus.
  • 47. O exemplo do profeta Elias I Reis 19: 2 – 4 • Sintomas depressivos em Elias: • Abatimento físico e emocional; • Tendência ao isolamento; • Alterações de sono e apetite; • Elias deseja a morte. • O Senhor tratou Elias em todas as áreas de sua vida: física, espiritual, comunitária e emocional.
  • 48. O que Deus providenciou para Elias • Alimentação equilibrada • Repouso regular • Atividade física • Terapia ocupacional • Reestruturação da vida afetiva • Crescimento espiritual
  • 49. Finalmente Passar por um episódio depressivo não é uma experiência fácil. O deprimido tem a sensação de estar em um deserto, castigado por tempestades de areia que o machucam e o sufocam. Seus pés parecem afundar. Seus olhos contemplam uma noite escura, sem estrelas ou luar. Nossas sensações físicas, pensamentos e emoções podem dizer-nos que não há saída. É o que ocorre na depressão. Mas, se o Criador, em pessoa, afirmar que ainda seremos felizes, temos razões para crer e perseverar.
  • 50. O AUTOR O Pastor Marcelo Rodrigues de Aguiar formou-se em teologia no ano de 1986 pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil. Pastoreou a Igreja Batista em Paul, na cidade de Vila Velha, por catorze anos. Desde o dia 25 de abril de 2009, é o pastor titular da Igreja Batista em Mata da Praia, na cidade de Vitória. Formado em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo, atua também como escritor, tendo 12 livros publicados pela Editora Betânia e pela Editora Vida. Casado com Rosi Leia Ribeiro de Aguiar, é pai das gêmeas Amanda e Beatriz.