SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Metodologia Ágil
SCRUM para um case voltado ao sucesso do negócio !
Introdução
AGENDA

NOSSA EQUIPE



Métodos Ágeis



Fabricio Pinheiro



Definição



Giovani Miron



Características



Michel Franco



Manifesto Ágil



Sabrina Mariana



Papéis e Responsabilidades



Mario Luiz Marinho



Ciclo



Prática



CASE



Impedimentos



Lições Aprendidas



SCRUM x PMBOK
O que são Métodos Ágeis?
•

Rápido

•

Flexível a mudança

•

Iterativo

•

Valor para o negócio

•

Adaptativo

•

Evolucionário

•

Comportar as Mudanças
Tipos de Métodos Ágeis
SCRUM


XP – eXtreme Programming;



FDD = Feature Driven Development;



Adaptative Software Development;



Crystal;



Pragmatic Programming.
AS VANTAGENS
•

Visibilidade da execução dos projetos

•

Previsibilidade dos resultados

•

Maior produtividade

•

Foco na qualidade do produto

•

Habilidade para Gerenciar Complexidade

•

Melhora o ambiente de trabalho

•

Satisfação dos recursos envolvidos
SCRUM - Definição


FRAMEWORK: Processos -> Papéis -> Artefatos



Foco na entrega;



Equipes auto gerenciáveis;



Processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer
produto;



Gerenciamento e controle de projetos;



Requisitos sofrem constantes mudanças;



Otimizar a comunicação;



Para pequenos projetos e grandes corporações;



Abordagem de GP baseada em Manifesto Ágil.
SCRUM - Características
 Não há prática de engenharia prescrita;
 Utiliza somente documentos realmente necessários;
 Produto projetado, codificado e testado durante o Sprint;
 Tempo limitado;
 Ênfase em Comunicação;
 Trabalho em equipe e Flexibilidade;
 Equipes pequenas (5 a 9 membros).
Scrum - Manifesto Ágil


Prioridade é satisfazer o cliente;



Ser eficaz e ter Eficiência ao transmitir informações;



Melhores arquiteturas e requisitos;



Excelência técnica e bom design, aumenta a agilidade;



Aceitar mudanças de requisitos frequentes;



Entregar software funcionando em cada ciclo;



Processos ágeis promovem um ambiente sustentável;



Pessoas relacionadas ao negócios;



Desenvolvedores trabalham em conjunto;



Construir projetos ao redor de indivíduos motivados.
SCRUM -Manifesto Ágil
Indivíduos e
Interações

Software que
Funciona

Colaboração dos
Clientes

Respostas às
Mudanças

Processos e
Ferramentas
M
A
I
S
Q
U
E

Documentação Abrangente

Negociação de
Contrato

Seguir um
Plano
SCRUM - Papéis e Responsabilidades
Scrum Master


Permitir que o time seja auto gerenciável;



Garantir que os caminhos para a comunicação do time estejam abertos
permanentemente;



Garantir e auxiliar o time a seguir corretamente as práticas do Scrum;



Remover qualquer impedimento que o time encontre;



Proteger o time de interferências externas para garantir que sua produtividade
não seja afetada;



Facilitar as reuniões diárias.
Product Owner


Definir a visão do produto (product vision);



Gerenciar o retorno de investimento (ROI);



Apresentar ao time os requisitos necessários para a entrega do produto;



Priorizar cada requisito de acordo com seu valor para o negócio/cliente;



Gerenciar a entrada de novos requisitos e suas priorizações;



Planejar entregas (releases);



Atuar como facilitador quando mais de um cliente estiver envolvido no projeto;



Garantir que Especialistas de Domínio estejam disponíveis para o time.
Time


Definir a meta do que será desenvolvido em uma iteração (sprint);



Estar comprometido com o trabalho e com a alta qualidade;



Trabalhar seguindo a visão do produto e meta da iteração;



Colaborar com outros membros do time e ajudar a torná-lo auto gerenciado;



Estimar os itens da lista de requisitos (backlog do produto) e garantir o
esforço necessário para que as estimativas sejam realistas;



Participar das reuniões diárias;



Manifestar impedimentos.
SCRUM - Ciclo
Processo Empírico

Transparência: O time passa e
recebe feedback contínuo nas
reuniões diárias. O cliente recebe
através das constantes releases.
Inspeção: As retrospectivas de
Sprint garantem a inspeção do
processo.
3.Adaptação: A inspeção permite
a
constante
adaptação
do
processo às particularidades do
projeto.
SCRUM na Prática
O CASE
ACTION LOCADORA
Action Locadora – Regras de Negócio
Cliente + Product Owner
Nós, da Locadora Action, desejamos expor nosso vasto catálogo de filmes na
internet através de um website.
Desta forma, nosso usuário poderá ter a comodidade de locar filmes sem sair
de casa.
Nosso usuário poderá pesquisar os títulos por nome e gênero e poderá locar
vários filmes por vez.
O usuário deverá estar cadastrado e identificado em nosso portal.
O pagamento será feito via cartão de crédito.
Nossa área administrativa poderá bloquear e liberar títulos para visualização no
web site.
Nosso diferencial será a facilidade de localização dos filmes e a segurança das
transações.
Estimativa utilizando Planning Poker
Ao invés de estimar horas exatas estima-se em
pontos. Os pontos utilizados no ‘jogo’
são parecidos com a sequencia do
Fibonacci, ou seja, o próximo número é a soma
dos dois números anteriores:
0, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 20, 40, 100.
Porque números tão distante entre si?
Porque quanto maior uma tarefa, mais difícil de
prever com precisão quantos pontos a mesma
terá (e muito menos horas). Isso significa que
uma estimativa de 13 pode estar entre 8 e
21… Por isso que quanto menor as
tarefas, melhor para serem estimadas e a
variação de pontos é melhor administrada.
Sempre procure chegar no menor nível de
granularidade, evitando tarefas muito grandes;
Product Backlog
Product Backlog
Parte 1
ID

User Story

Parte 2

Parte 3

Prioridade

Release

Sprint

Story Points

Esforço (hs)

1

Cadastro de Usuários, Modelo de
Dados, Arquitetura, Codificação,
Testes Homologação, QA, Merge e
Deploy.

1

1

1

8

92

2

Cadastro de Filmes, Modelo de
Dados, Arquitetura, Codificação,
Testes Homologação, QA, Merge e
Deploy.

2

1

1

8

75

3

Cadastro de Generos, Modelo de
Dados, Arquitetura, Codificação,
Testes Homologação, QA, Merge e
Deploy.

3

2

2

8

35

4

Cadastro de Fornecedores, Modelo
de Dados, Arquitetura, Codificação,
Testes Homologação, QA, Merge e
Deploy.

4

2

2

5

60

5

Bloqueio de Titulos

5

3

3

13

13
Sprint Backlog
Sprint Backlog (Exemplo)
Item

Atividade

Responsáv Esforço
el
Previsto

Dia 1 Dia 2 Dia 3 Dia 4 Dia 5 Dia 6 Dia 7 Dia 8 Dia 9

Dia
10

Dia
11

Dia
12

Dia
13

Dia
14

Dia
15

Cadastro
de
Usuários,
Modelo
de
Dados,
1 Arquitetura,
Codificação, A,B,C
Testes Homologação, QA,
Merge e Deploy.

92

92 85 70 65 50 43 40 35 29 20 20 20 15

8

0

Cadastro de Filmes, Modelo
de
Dados,
Arquitetura,
2 Codificação,
Testes
Homologação, QA, Merge e
Deploy.

D,E

75

75 75 75 75 75 75 65 55 40 30 28 25

0

0

0

Cadastro
de
Generos,
Modelo
de
Dados,
3 Arquitetura,
Codificação,
Testes Homologação, QA,
Merge e Deploy.

F

35

35 2

0

0

0

0

Cadastro de Fornecedores,
Modelo
de
Dados,
4 Arquitetura,
Codificação,
Testes Homologação, QA,
Merge e Deploy.

G,H

60

60 55 49 42 35 30 22 22 22 22 15 10

5

3

0

I

13

13 8

0

0

0

5

Bloqueio de Titulos

2

5

8 35 3

0

0

0

2

0

2

0

8

0

0

0

0

0

0
Gráfico de Burndown
O Gráfico de Burndown é a principal ferramenta de monitoramento do projeto. Pode ser
usado para monitorar o backlog do produto e também o backlog da sprint.

Sprint Burndown

É uma ferramenta para a equipe
gerenciar o trabalho restante da sprint
versus
tempo.
É
atualizada
diariamente pelo Scrum Master,
facilitando a tomada de decisão e a
identificação de possíveis gargalos.

Release Burndown

É uma ferramenta para a Product
Owner gerenciar as funcionalidades
ainda não desenvolvidas versus as
sprints realizadas. É mantida pelo
Product
Owner
facilitando
o
monitoramento das entregas por sprint.
Impedimentos
Falta de conhecimento?
Impedimentos, impedem o prosseguimento da atividade por motivos:

1.
2.
3.
4.
5.

Impossibilidade de buscar uma fonte de consulta
Impossibilidade física
Comunicação entre áreas
Falta de planejamento
Falta de detalhamento (Requisito superficial)
Lições Aprendidas
Vivenciamos na prática um processo ágil;
O planejamento inicial é incerto
- A vivência e experiência possibilitou uma visão mais real.
As equipes se tornam motivadas e auto gerenciáveis;
O Scrum Master é mais líder do que gerente;
O ambiente de trabalho fica mais leve, produtivo e organizado;
- Em grande parte graças à comunicação maximizada.
Comparativo PMBOK x Ágil
Área do Processo

Escopo

Tempo
Custo
Qualidade
Riscos
Comunicação
Recursos Humanos
Aquisição
Integração

Gerenciamento Tradicional

Gerenciamento Ágil

Escopo é definido em alto nível e os
Bem definido nas fases iniciais do projeto e requisitos são priorizados e definidos de
formalizado através da EAP.
forma iterativa. Necessita de maior controle
de gold plating.
Cronograma detalhado para a realização de Cronograma orientado a produtos com
todo o projeto.
entregas incrementais de 2-4 semanas.
Monitoração das ações para que não afete Maior controle em função da rapidez na
os custos planejados.
incorporação de alterações.
Processos de Verificação, Validação e Plano Programação em pares, testes incrementais
de Testes.
e refatoração.
Análise de riscos durante todo o ciclo de Aplica-se
o
mesmo
conceito
do
vida do projeto.
gerenciamento tradicional.
Documentado e formal.
Implícita, interpessoal e colaborativa.
Confiança nos membros da equipe e
Papéis claros e bem definidos.
ambiente colaborativo.
Presença do cliente, volatilidade de
Controle por contrato e escopo bem definido
requisitos e pouca documentação torna o
e documentado.
processo um desafio.
Plano de projeto detalhado e controle total Plano do projeto evolutivo e gerente de
do gerente.
projeto atua como facilitador.

Gold Plating- impedir a realização de trabalho extraque não faça parte do projeto;
Referências
Agile Project Management with
Scrum Ken Schwaber
•Agile Estimating and Planning Mike
Cohn
•User Stories Applied Mike Cohn
•Agile Software Development: The
Cooperative Game Alistair Cockburn
•Becoming Agile... in an imperfect
world Greg Smith, Ahmed Sidky
•The Enterprise and Scrum Ken
Schwaber
•Agile Project Management: Creating
Innovative Product Jim Highsmith
• Agile Retrospectives, Diana Larsen
Esther Derby
•Agile and Iterative Development: A
Manager’s Guide Craig Larman
• Artful Making: What Managers need
to know about how artists work
Robert Austin, Lee Devin

Test-Driven Development: A Practical Guide
David Astels
•Domain-Driven Design: Tacklin Complexity...
Eric Evans
•Practices of na Agile Developer: Working in
the Real World Venkat Subramaniam, Andy
Hunt
•Agile Testing: A Practical Gruide for Testers
and Agile Teams Lisa Crispin, Janet Gregory
•Refactoring: Improving the Design of
Existing Code Marting Fowler
•Feature-Driven Development: A Practical
Guide Stephen Palmer, John Felsing
•Scrum Guide Ken Schwaber, Jeff Sutherland
•Workshop Product Owner Rildo F. Santos
DÚVIDAS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

WORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOS
WORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOSWORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOS
WORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOSCarlos Silva Júnior
 
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta FidelidadePrototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta FidelidadeErico Fileno
 
Aula 1 - Gestão de Projetos
Aula 1 - Gestão de ProjetosAula 1 - Gestão de Projetos
Aula 1 - Gestão de ProjetosFernando Dantas
 
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPM
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPMMapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPM
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPMRogério Araújo
 
Comparativo Método Tradicional e Método Ágil
Comparativo Método Tradicional e Método ÁgilComparativo Método Tradicional e Método Ágil
Comparativo Método Tradicional e Método ÁgilJúlio César Caldas
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidadeCarlos Sousa
 
Gestão da Qualidade Total
Gestão da Qualidade TotalGestão da Qualidade Total
Gestão da Qualidade TotalGerisval Pessoa
 
Qualidade de Software - Introdução
Qualidade de Software - Introdução Qualidade de Software - Introdução
Qualidade de Software - Introdução Elaine Cecília Gatto
 
Indicadores Estrategicos
Indicadores EstrategicosIndicadores Estrategicos
Indicadores EstrategicosJairo Siqueira
 
Métricas de Software
Métricas de SoftwareMétricas de Software
Métricas de Softwareelliando dias
 

Mais procurados (20)

Qualidade de software
Qualidade de softwareQualidade de software
Qualidade de software
 
WORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOS
WORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOSWORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOS
WORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOS
 
Fundamentos da Engenharia de Software
Fundamentos da Engenharia de SoftwareFundamentos da Engenharia de Software
Fundamentos da Engenharia de Software
 
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta FidelidadePrototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
 
Aula 1 - Gestão de Projetos
Aula 1 - Gestão de ProjetosAula 1 - Gestão de Projetos
Aula 1 - Gestão de Projetos
 
Design Centrado no Ser Humano
Design Centrado no Ser HumanoDesign Centrado no Ser Humano
Design Centrado no Ser Humano
 
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPM
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPMMapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPM
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPM
 
Gestao agil de projetos
Gestao agil de projetosGestao agil de projetos
Gestao agil de projetos
 
Aula 6 - Qualidade de Software
Aula 6 - Qualidade de SoftwareAula 6 - Qualidade de Software
Aula 6 - Qualidade de Software
 
Comparativo Método Tradicional e Método Ágil
Comparativo Método Tradicional e Método ÁgilComparativo Método Tradicional e Método Ágil
Comparativo Método Tradicional e Método Ágil
 
Analise de Requisitos Software
Analise de Requisitos SoftwareAnalise de Requisitos Software
Analise de Requisitos Software
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Gestão de projetos
Gestão de projetosGestão de projetos
Gestão de projetos
 
Gestão da Qualidade Total
Gestão da Qualidade TotalGestão da Qualidade Total
Gestão da Qualidade Total
 
Qualidade de Software - Introdução
Qualidade de Software - Introdução Qualidade de Software - Introdução
Qualidade de Software - Introdução
 
Metodologia Ágil
Metodologia ÁgilMetodologia Ágil
Metodologia Ágil
 
Eng.ª do Software - 2. Requisitos
Eng.ª do Software - 2. RequisitosEng.ª do Software - 2. Requisitos
Eng.ª do Software - 2. Requisitos
 
Indicadores Estrategicos
Indicadores EstrategicosIndicadores Estrategicos
Indicadores Estrategicos
 
Mapa Mental Scrum
Mapa Mental ScrumMapa Mental Scrum
Mapa Mental Scrum
 
Métricas de Software
Métricas de SoftwareMétricas de Software
Métricas de Software
 

Semelhante a Gestão da qualidade metodologia ágil v01 (2)

Utilizando metologias ágeis com VSTS: Scrum e XP, YES WE CAN! (ALM204)
Utilizando metologias ágeis com VSTS: Scrum e XP, YES WE CAN! (ALM204)Utilizando metologias ágeis com VSTS: Scrum e XP, YES WE CAN! (ALM204)
Utilizando metologias ágeis com VSTS: Scrum e XP, YES WE CAN! (ALM204)André Dias
 
Gerenciamento de equipes no desenvolvimento de software
Gerenciamento de equipes no desenvolvimento de softwareGerenciamento de equipes no desenvolvimento de software
Gerenciamento de equipes no desenvolvimento de softwareRoberto Brandini
 
Introdução A Gestão Ágil De Projetos Com Scrum
Introdução A Gestão Ágil De Projetos Com ScrumIntrodução A Gestão Ágil De Projetos Com Scrum
Introdução A Gestão Ágil De Projetos Com ScrumJuan Bernabó
 
Inciando com Scrum
Inciando com ScrumInciando com Scrum
Inciando com ScrumIdéia Ágil
 
Caminhos do Scrum
Caminhos do ScrumCaminhos do Scrum
Caminhos do Scrumjrompkovski
 
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetosCenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetosJoão Clineu - CTFL, CSM, CSD
 
FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014
FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014
FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014Vanilton Pinheiro
 
Palestra de SCRUM em Juazeiro
Palestra de SCRUM em JuazeiroPalestra de SCRUM em Juazeiro
Palestra de SCRUM em JuazeiroPaulo Furtado
 
Aplicando Scrum na prática para times ágeis
Aplicando Scrum na prática para times ágeisAplicando Scrum na prática para times ágeis
Aplicando Scrum na prática para times ágeisfayrusm
 
Desenvolvimento ágil pensando além
Desenvolvimento ágil   pensando alémDesenvolvimento ágil   pensando além
Desenvolvimento ágil pensando alémilegra
 
Gestão de Produtos com Scrum e algo mais...
Gestão de Produtos com Scrum e algo mais...Gestão de Produtos com Scrum e algo mais...
Gestão de Produtos com Scrum e algo mais...Fábio Aguiar
 
T@rget trust metodologias ágeis - projetos ágeis com scrum - gestão e acomp...
T@rget trust   metodologias ágeis - projetos ágeis com scrum - gestão e acomp...T@rget trust   metodologias ágeis - projetos ágeis com scrum - gestão e acomp...
T@rget trust metodologias ágeis - projetos ágeis com scrum - gestão e acomp...Targettrust
 
Apostila Scrum: Fundamentos do Scrum
Apostila Scrum: Fundamentos do ScrumApostila Scrum: Fundamentos do Scrum
Apostila Scrum: Fundamentos do ScrumMindMasterBrasil
 

Semelhante a Gestão da qualidade metodologia ágil v01 (2) (20)

Treinamento Ágil / Scrum
Treinamento Ágil / ScrumTreinamento Ágil / Scrum
Treinamento Ágil / Scrum
 
Utilizando metologias ágeis com VSTS: Scrum e XP, YES WE CAN! (ALM204)
Utilizando metologias ágeis com VSTS: Scrum e XP, YES WE CAN! (ALM204)Utilizando metologias ágeis com VSTS: Scrum e XP, YES WE CAN! (ALM204)
Utilizando metologias ágeis com VSTS: Scrum e XP, YES WE CAN! (ALM204)
 
Gerenciamento de equipes no desenvolvimento de software
Gerenciamento de equipes no desenvolvimento de softwareGerenciamento de equipes no desenvolvimento de software
Gerenciamento de equipes no desenvolvimento de software
 
Introdução A Gestão Ágil De Projetos Com Scrum
Introdução A Gestão Ágil De Projetos Com ScrumIntrodução A Gestão Ágil De Projetos Com Scrum
Introdução A Gestão Ágil De Projetos Com Scrum
 
Desmistificando Agile & Scrum
Desmistificando Agile & ScrumDesmistificando Agile & Scrum
Desmistificando Agile & Scrum
 
Inciando com Scrum
Inciando com ScrumInciando com Scrum
Inciando com Scrum
 
Caminhos do Scrum
Caminhos do ScrumCaminhos do Scrum
Caminhos do Scrum
 
Gerenciamento de projetos de TI
Gerenciamento de projetos de TIGerenciamento de projetos de TI
Gerenciamento de projetos de TI
 
Scrum
ScrumScrum
Scrum
 
Gerenciamento ágil de projetos com scrum
Gerenciamento ágil de projetos com scrumGerenciamento ágil de projetos com scrum
Gerenciamento ágil de projetos com scrum
 
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetosCenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
 
FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014
FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014
FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014
 
Scrum
ScrumScrum
Scrum
 
Palestra de SCRUM em Juazeiro
Palestra de SCRUM em JuazeiroPalestra de SCRUM em Juazeiro
Palestra de SCRUM em Juazeiro
 
Aplicando Scrum na prática para times ágeis
Aplicando Scrum na prática para times ágeisAplicando Scrum na prática para times ágeis
Aplicando Scrum na prática para times ágeis
 
Scrum 8
Scrum 8Scrum 8
Scrum 8
 
Desenvolvimento ágil pensando além
Desenvolvimento ágil   pensando alémDesenvolvimento ágil   pensando além
Desenvolvimento ágil pensando além
 
Gestão de Produtos com Scrum e algo mais...
Gestão de Produtos com Scrum e algo mais...Gestão de Produtos com Scrum e algo mais...
Gestão de Produtos com Scrum e algo mais...
 
T@rget trust metodologias ágeis - projetos ágeis com scrum - gestão e acomp...
T@rget trust   metodologias ágeis - projetos ágeis com scrum - gestão e acomp...T@rget trust   metodologias ágeis - projetos ágeis com scrum - gestão e acomp...
T@rget trust metodologias ágeis - projetos ágeis com scrum - gestão e acomp...
 
Apostila Scrum: Fundamentos do Scrum
Apostila Scrum: Fundamentos do ScrumApostila Scrum: Fundamentos do Scrum
Apostila Scrum: Fundamentos do Scrum
 

Mais de Sabrina Mariana

Gestão de Projeto - Fast Shop Mega Store
Gestão de Projeto  -  Fast Shop Mega StoreGestão de Projeto  -  Fast Shop Mega Store
Gestão de Projeto - Fast Shop Mega StoreSabrina Mariana
 
Gestão da Qualidade - Metodologia ágil
Gestão da Qualidade - Metodologia ágilGestão da Qualidade - Metodologia ágil
Gestão da Qualidade - Metodologia ágilSabrina Mariana
 
Gestão de Projetos - Palco Brasilidade
Gestão de Projetos - Palco BrasilidadeGestão de Projetos - Palco Brasilidade
Gestão de Projetos - Palco BrasilidadeSabrina Mariana
 
Apresentação fernao capelo gaivota
Apresentação fernao capelo gaivotaApresentação fernao capelo gaivota
Apresentação fernao capelo gaivotaSabrina Mariana
 
Apresentação árvore do conhecimento - final 2
Apresentação   árvore do conhecimento - final 2Apresentação   árvore do conhecimento - final 2
Apresentação árvore do conhecimento - final 2Sabrina Mariana
 
EAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
EAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STOREEAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
EAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORESabrina Mariana
 
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO - GESTÃO DE PROJETOS - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO -  GESTÃO DE PROJETOS  - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORECURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO -  GESTÃO DE PROJETOS  - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO - GESTÃO DE PROJETOS - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORESabrina Mariana
 
GESTÃO DO CONHECIMENTO
GESTÃO DO CONHECIMENTO GESTÃO DO CONHECIMENTO
GESTÃO DO CONHECIMENTO Sabrina Mariana
 
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURAESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURASabrina Mariana
 
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURAESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURASabrina Mariana
 
Teorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de AprendizagemTeorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de AprendizagemSabrina Mariana
 

Mais de Sabrina Mariana (13)

Gestão de Projeto - Fast Shop Mega Store
Gestão de Projeto  -  Fast Shop Mega StoreGestão de Projeto  -  Fast Shop Mega Store
Gestão de Projeto - Fast Shop Mega Store
 
Gestão da Qualidade - Metodologia ágil
Gestão da Qualidade - Metodologia ágilGestão da Qualidade - Metodologia ágil
Gestão da Qualidade - Metodologia ágil
 
Aula de Dot Project
Aula de Dot ProjectAula de Dot Project
Aula de Dot Project
 
Gestão de Projetos - Palco Brasilidade
Gestão de Projetos - Palco BrasilidadeGestão de Projetos - Palco Brasilidade
Gestão de Projetos - Palco Brasilidade
 
Apresentação fernao capelo gaivota
Apresentação fernao capelo gaivotaApresentação fernao capelo gaivota
Apresentação fernao capelo gaivota
 
Apresentação árvore do conhecimento - final 2
Apresentação   árvore do conhecimento - final 2Apresentação   árvore do conhecimento - final 2
Apresentação árvore do conhecimento - final 2
 
Versao final risco
Versao final riscoVersao final risco
Versao final risco
 
EAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
EAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STOREEAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
EAP - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
 
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO - GESTÃO DE PROJETOS - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO -  GESTÃO DE PROJETOS  - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORECURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO -  GESTÃO DE PROJETOS  - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO - GESTÃO DE PROJETOS - O PROJETO FAST SHOP MEGA STORE
 
GESTÃO DO CONHECIMENTO
GESTÃO DO CONHECIMENTO GESTÃO DO CONHECIMENTO
GESTÃO DO CONHECIMENTO
 
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURAESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
 
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURAESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
ESTRATÉGIA DE REAÇÃO EM CALL CENTER: UMA PROPOSTA DE ARQUITETURA
 
Teorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de AprendizagemTeorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de Aprendizagem
 

Gestão da qualidade metodologia ágil v01 (2)

  • 1. Metodologia Ágil SCRUM para um case voltado ao sucesso do negócio !
  • 2. Introdução AGENDA NOSSA EQUIPE  Métodos Ágeis  Fabricio Pinheiro  Definição  Giovani Miron  Características  Michel Franco  Manifesto Ágil  Sabrina Mariana  Papéis e Responsabilidades  Mario Luiz Marinho  Ciclo  Prática  CASE  Impedimentos  Lições Aprendidas  SCRUM x PMBOK
  • 3. O que são Métodos Ágeis? • Rápido • Flexível a mudança • Iterativo • Valor para o negócio • Adaptativo • Evolucionário • Comportar as Mudanças
  • 4. Tipos de Métodos Ágeis SCRUM  XP – eXtreme Programming;  FDD = Feature Driven Development;  Adaptative Software Development;  Crystal;  Pragmatic Programming.
  • 5. AS VANTAGENS • Visibilidade da execução dos projetos • Previsibilidade dos resultados • Maior produtividade • Foco na qualidade do produto • Habilidade para Gerenciar Complexidade • Melhora o ambiente de trabalho • Satisfação dos recursos envolvidos
  • 6. SCRUM - Definição  FRAMEWORK: Processos -> Papéis -> Artefatos  Foco na entrega;  Equipes auto gerenciáveis;  Processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto;  Gerenciamento e controle de projetos;  Requisitos sofrem constantes mudanças;  Otimizar a comunicação;  Para pequenos projetos e grandes corporações;  Abordagem de GP baseada em Manifesto Ágil.
  • 7. SCRUM - Características  Não há prática de engenharia prescrita;  Utiliza somente documentos realmente necessários;  Produto projetado, codificado e testado durante o Sprint;  Tempo limitado;  Ênfase em Comunicação;  Trabalho em equipe e Flexibilidade;  Equipes pequenas (5 a 9 membros).
  • 8. Scrum - Manifesto Ágil  Prioridade é satisfazer o cliente;  Ser eficaz e ter Eficiência ao transmitir informações;  Melhores arquiteturas e requisitos;  Excelência técnica e bom design, aumenta a agilidade;  Aceitar mudanças de requisitos frequentes;  Entregar software funcionando em cada ciclo;  Processos ágeis promovem um ambiente sustentável;  Pessoas relacionadas ao negócios;  Desenvolvedores trabalham em conjunto;  Construir projetos ao redor de indivíduos motivados.
  • 9. SCRUM -Manifesto Ágil Indivíduos e Interações Software que Funciona Colaboração dos Clientes Respostas às Mudanças Processos e Ferramentas M A I S Q U E Documentação Abrangente Negociação de Contrato Seguir um Plano
  • 10. SCRUM - Papéis e Responsabilidades
  • 11. Scrum Master  Permitir que o time seja auto gerenciável;  Garantir que os caminhos para a comunicação do time estejam abertos permanentemente;  Garantir e auxiliar o time a seguir corretamente as práticas do Scrum;  Remover qualquer impedimento que o time encontre;  Proteger o time de interferências externas para garantir que sua produtividade não seja afetada;  Facilitar as reuniões diárias.
  • 12. Product Owner  Definir a visão do produto (product vision);  Gerenciar o retorno de investimento (ROI);  Apresentar ao time os requisitos necessários para a entrega do produto;  Priorizar cada requisito de acordo com seu valor para o negócio/cliente;  Gerenciar a entrada de novos requisitos e suas priorizações;  Planejar entregas (releases);  Atuar como facilitador quando mais de um cliente estiver envolvido no projeto;  Garantir que Especialistas de Domínio estejam disponíveis para o time.
  • 13. Time  Definir a meta do que será desenvolvido em uma iteração (sprint);  Estar comprometido com o trabalho e com a alta qualidade;  Trabalhar seguindo a visão do produto e meta da iteração;  Colaborar com outros membros do time e ajudar a torná-lo auto gerenciado;  Estimar os itens da lista de requisitos (backlog do produto) e garantir o esforço necessário para que as estimativas sejam realistas;  Participar das reuniões diárias;  Manifestar impedimentos.
  • 14. SCRUM - Ciclo Processo Empírico Transparência: O time passa e recebe feedback contínuo nas reuniões diárias. O cliente recebe através das constantes releases. Inspeção: As retrospectivas de Sprint garantem a inspeção do processo. 3.Adaptação: A inspeção permite a constante adaptação do processo às particularidades do projeto.
  • 17. Action Locadora – Regras de Negócio Cliente + Product Owner Nós, da Locadora Action, desejamos expor nosso vasto catálogo de filmes na internet através de um website. Desta forma, nosso usuário poderá ter a comodidade de locar filmes sem sair de casa. Nosso usuário poderá pesquisar os títulos por nome e gênero e poderá locar vários filmes por vez. O usuário deverá estar cadastrado e identificado em nosso portal. O pagamento será feito via cartão de crédito. Nossa área administrativa poderá bloquear e liberar títulos para visualização no web site. Nosso diferencial será a facilidade de localização dos filmes e a segurança das transações.
  • 18. Estimativa utilizando Planning Poker Ao invés de estimar horas exatas estima-se em pontos. Os pontos utilizados no ‘jogo’ são parecidos com a sequencia do Fibonacci, ou seja, o próximo número é a soma dos dois números anteriores: 0, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 20, 40, 100. Porque números tão distante entre si? Porque quanto maior uma tarefa, mais difícil de prever com precisão quantos pontos a mesma terá (e muito menos horas). Isso significa que uma estimativa de 13 pode estar entre 8 e 21… Por isso que quanto menor as tarefas, melhor para serem estimadas e a variação de pontos é melhor administrada. Sempre procure chegar no menor nível de granularidade, evitando tarefas muito grandes;
  • 19. Product Backlog Product Backlog Parte 1 ID User Story Parte 2 Parte 3 Prioridade Release Sprint Story Points Esforço (hs) 1 Cadastro de Usuários, Modelo de Dados, Arquitetura, Codificação, Testes Homologação, QA, Merge e Deploy. 1 1 1 8 92 2 Cadastro de Filmes, Modelo de Dados, Arquitetura, Codificação, Testes Homologação, QA, Merge e Deploy. 2 1 1 8 75 3 Cadastro de Generos, Modelo de Dados, Arquitetura, Codificação, Testes Homologação, QA, Merge e Deploy. 3 2 2 8 35 4 Cadastro de Fornecedores, Modelo de Dados, Arquitetura, Codificação, Testes Homologação, QA, Merge e Deploy. 4 2 2 5 60 5 Bloqueio de Titulos 5 3 3 13 13
  • 20. Sprint Backlog Sprint Backlog (Exemplo) Item Atividade Responsáv Esforço el Previsto Dia 1 Dia 2 Dia 3 Dia 4 Dia 5 Dia 6 Dia 7 Dia 8 Dia 9 Dia 10 Dia 11 Dia 12 Dia 13 Dia 14 Dia 15 Cadastro de Usuários, Modelo de Dados, 1 Arquitetura, Codificação, A,B,C Testes Homologação, QA, Merge e Deploy. 92 92 85 70 65 50 43 40 35 29 20 20 20 15 8 0 Cadastro de Filmes, Modelo de Dados, Arquitetura, 2 Codificação, Testes Homologação, QA, Merge e Deploy. D,E 75 75 75 75 75 75 75 65 55 40 30 28 25 0 0 0 Cadastro de Generos, Modelo de Dados, 3 Arquitetura, Codificação, Testes Homologação, QA, Merge e Deploy. F 35 35 2 0 0 0 0 Cadastro de Fornecedores, Modelo de Dados, 4 Arquitetura, Codificação, Testes Homologação, QA, Merge e Deploy. G,H 60 60 55 49 42 35 30 22 22 22 22 15 10 5 3 0 I 13 13 8 0 0 0 5 Bloqueio de Titulos 2 5 8 35 3 0 0 0 2 0 2 0 8 0 0 0 0 0 0
  • 21. Gráfico de Burndown O Gráfico de Burndown é a principal ferramenta de monitoramento do projeto. Pode ser usado para monitorar o backlog do produto e também o backlog da sprint. Sprint Burndown É uma ferramenta para a equipe gerenciar o trabalho restante da sprint versus tempo. É atualizada diariamente pelo Scrum Master, facilitando a tomada de decisão e a identificação de possíveis gargalos. Release Burndown É uma ferramenta para a Product Owner gerenciar as funcionalidades ainda não desenvolvidas versus as sprints realizadas. É mantida pelo Product Owner facilitando o monitoramento das entregas por sprint.
  • 22. Impedimentos Falta de conhecimento? Impedimentos, impedem o prosseguimento da atividade por motivos: 1. 2. 3. 4. 5. Impossibilidade de buscar uma fonte de consulta Impossibilidade física Comunicação entre áreas Falta de planejamento Falta de detalhamento (Requisito superficial)
  • 23. Lições Aprendidas Vivenciamos na prática um processo ágil; O planejamento inicial é incerto - A vivência e experiência possibilitou uma visão mais real. As equipes se tornam motivadas e auto gerenciáveis; O Scrum Master é mais líder do que gerente; O ambiente de trabalho fica mais leve, produtivo e organizado; - Em grande parte graças à comunicação maximizada.
  • 24. Comparativo PMBOK x Ágil Área do Processo Escopo Tempo Custo Qualidade Riscos Comunicação Recursos Humanos Aquisição Integração Gerenciamento Tradicional Gerenciamento Ágil Escopo é definido em alto nível e os Bem definido nas fases iniciais do projeto e requisitos são priorizados e definidos de formalizado através da EAP. forma iterativa. Necessita de maior controle de gold plating. Cronograma detalhado para a realização de Cronograma orientado a produtos com todo o projeto. entregas incrementais de 2-4 semanas. Monitoração das ações para que não afete Maior controle em função da rapidez na os custos planejados. incorporação de alterações. Processos de Verificação, Validação e Plano Programação em pares, testes incrementais de Testes. e refatoração. Análise de riscos durante todo o ciclo de Aplica-se o mesmo conceito do vida do projeto. gerenciamento tradicional. Documentado e formal. Implícita, interpessoal e colaborativa. Confiança nos membros da equipe e Papéis claros e bem definidos. ambiente colaborativo. Presença do cliente, volatilidade de Controle por contrato e escopo bem definido requisitos e pouca documentação torna o e documentado. processo um desafio. Plano de projeto detalhado e controle total Plano do projeto evolutivo e gerente de do gerente. projeto atua como facilitador. Gold Plating- impedir a realização de trabalho extraque não faça parte do projeto;
  • 25. Referências Agile Project Management with Scrum Ken Schwaber •Agile Estimating and Planning Mike Cohn •User Stories Applied Mike Cohn •Agile Software Development: The Cooperative Game Alistair Cockburn •Becoming Agile... in an imperfect world Greg Smith, Ahmed Sidky •The Enterprise and Scrum Ken Schwaber •Agile Project Management: Creating Innovative Product Jim Highsmith • Agile Retrospectives, Diana Larsen Esther Derby •Agile and Iterative Development: A Manager’s Guide Craig Larman • Artful Making: What Managers need to know about how artists work Robert Austin, Lee Devin Test-Driven Development: A Practical Guide David Astels •Domain-Driven Design: Tacklin Complexity... Eric Evans •Practices of na Agile Developer: Working in the Real World Venkat Subramaniam, Andy Hunt •Agile Testing: A Practical Gruide for Testers and Agile Teams Lisa Crispin, Janet Gregory •Refactoring: Improving the Design of Existing Code Marting Fowler •Feature-Driven Development: A Practical Guide Stephen Palmer, John Felsing •Scrum Guide Ken Schwaber, Jeff Sutherland •Workshop Product Owner Rildo F. Santos