O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Próximos SlideShares
Tendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 20 Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Quem viu também gostou (20)

Anúncio

Semelhante a Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente (20)

Mais recentes (20)

Anúncio

Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente

  1. 1. Prof: Ma. Kelly da Silva DIDÁTICA, TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS E A PRÁXIS DOCENTE Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano - IFBaiano Concurso Público para Provimento de Cargo de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico
  2. 2. Objetivos da aula: Apresentar a trajetória do desenvolvimento das práticas educacionais, a influência de elementos sociopolíticos em sua organização e seus reflexos no desenvolvimento das tendências pedagógicas e na práxis docente.  Refletir sobre a trajetória da Didática e seu desenvolvimento na Educação;  Refletir sobre a função técnico-político–pedagógica da Didática na formação do educador;  Posicionar-se criticamente acerca das tendências pedagógicas que embasam a prática de ensino, bem como suas implicações na ação pedagógica do professor;  Situar e caracterizar a inserção da Didática na práxis pedagógica;  Refletir por meio do desenvolvimento de atividades planejadas de avaliação sobre quais tendências Pedagógicas circularam e circulam em nossas escolas.
  3. 3. DIDÁTICA  É a ciência aplicada na técnica de ensinar, dirigir e orientar o processo de ensino-aprendizagem.  Diversos autores associam o surgimento da Didática à consolidação do ensino como uma atividade planejada. Libâneo (2013), esclarece, entretanto, que até meados do século XVII não podemos falar de Didática, já que não havia teorias do ensino consolidadas.  COMENIUS - “Século XVII, a educação é um direito natural de todos.” João Amós Comênio (1592- 1670) Didática Magna
  4. 4.  A finalidade da educação é conduzir à felicidade eterna com Deus, pois é uma força poderosa de regeneração da vida humana. Consequentemente, a tarefa principal da Didática é estudar essas características e os métodos de ensino correspondentes, de acordo com a ordem natural das coisas.” (LIBÂNEO, 2013, p. 58).  Apesar das novas ideias de Comênio, suas teorias não tem registro de aplicação. O ensino da época ainda era fruto da idade média, portanto profundamente ligado a religião e baseado em metodologias que privilegiavam a repetição como forma de aprender e a checagem da capacidade de reprodução como forma de avaliar. Nessas escolas não havia espaço para ideias próprias dos alunos, o ensino era separado da vida, mesmo porque ainda era grande o poder da religião na vida social.
  5. 5. Foram ocorrendo intensas mudanças nas formas de produção, havendo um grande desenvolvimento da ciência e da cultura. Crescia também “a necessidade de um ensino ligado às exigências do mundo da produção e dos negócios e, ao mesmo tempo, um ensino que contemplasse o livre desenvolvimento das capacidades e interesses individuais”. (SAVIANI, 2008, p. 78 ) Um século depois, Rousseau (1712-1778) retomaria os conceitos Comenianos apresentando ideias que os completavam. Neste período Jean-Jacques Rosseau destaca que “a preparação da criança para a vida futura deve basear-se no estudo das coisas que correspondem às suas necessidades e interesses atuais. Antes de ensinar as ciências, elas precisam ser levadas a despertar o gosto pelo seu estudo”. (LIBÂNEO, 2013, p. 60)
  6. 6.  Rousseau não colocou em prática suas ideias e nem elaborou uma teoria de ensino. Essa tarefa coube a um outro pedagogo suíço, Henrique Pestalozzi (1746-1827).  Pestalozzi atribuía grande importância ao método intuitivo, levando os alunos a desenvolverem o senso de observação, análise dos objetos e fenômenos e a capacidade da linguagem, através da qual se expressa em palavras o resultado das observações. Nisto constituía a educação intelectual.
  7. 7. Tendências Pedagógicas  O que são tendências?  A adoção de uma determinada tendência ou de outra depende, diretamente, dos condicionantes sócio- políticos que configuram diferentes concepções de homem e de sociedade.  E, consequentemente, diferentes pressupostos sobre o papel da escola, aprendizagem, relações professor- alunos, técnicas pedagógicas etc.
  8. 8.  As tendências pedagógicas são divididas em liberais e progressistas.  A pedagogia liberal acredita que a escola tem a função de preparar os indivíduos para desempenhar papéis sociais, baseadas nas aptidões individuais. Dessa forma, o indivíduo deve adaptar-se aos valores e normas da sociedade de classe, desenvolvendo sua cultura individual. Com isso as diferenças entre as classes sociais não são consideradas, já que, a escola não leva em consideração as desigualdades sociais. Existem quatro tendências. As tendências liberais se dividem em três:  Tradicional; Renovada Progressivista e Renovada não diretiva, Tecnicista.  Já as tendências pedagógicas progressistas analisam de forma critica as realidades sociais, cuja educação possibilita a compreensão da realidade histórico-social, explicando o papel do sujeito como um ser que constrói sua realidade. Ela assume um caráter pedagógico e político ao mesmo tempo. As tendências Progressistas se dividem em três:  Libertadora; Libertária e Crítico Social do Conteúdos.  Surgimento de Tendências Pedagógicas Contemporâneas
  9. 9. Pedagogia liberal tradicional:  O papel da escola é a preparação intelectual e moral dos estudantes para atuar na sociedade.  •Os conteúdos são os conhecimentos e os valores sociais acumulados pela cultura como verdades absolutas.  •O método prevê a exposição e a demonstração verbal da matéria ou o uso de modelos.  •A autoridade do professor exige atitude receptiva do aluno.  •Aprendizagem mecânica e indiferenciada com relação à idade dos alunos.  •É comum nas escolas clássicas humanistas ou científicas. Fonte:tirinhasMafalda
  10. 10. Tendência renovadora progressista:  O papel da escola é adequar às necessidades individuais dos alunos ao meio social.  Os conteúdos são estabelecidos a partir das experiências vividas pelos alunos frente a situações problema.  O método prevê experiências, pesquisa e a solução sistemática de problemas.  A autoridade do professor é reduzida à condição de auxiliar do desenvolvimento livre do aluno.  Aprendizagem é baseada na estimulação e na resolução das situações problema.  Autores como Montessori, Decroly, Dewey, Piaget e Lauro de Oliveira Lima desenvolveram esta tendência.
  11. 11. Tendência renovadora não diretiva:  O papel da escola é a formação de atitudes.  Os conteúdos são baseados na busca dos conhecimentos pelos próprios alunos.  O método prevê a facilitação da aprendizagem.  A autoridade do professor deve garantir uma relação de respeito no processo educativo centralizado no aluno.  Aprendizagem é baseada na modificação das percepções da realidade.  Carl Rogers é um autor desta tendência.
  12. 12. Tendência liberal tecnicista:  O papel da escola é modelar o comportamento humano através de tecnologia específica.  Os conteúdos são informações ordenadas numa sequências lógica e psicológica.  O método prevê procedimentos e técnicas para a transmissão e recepção de informações.  A autoridade do professor é baseada em uma relação objetiva como transmissor de informações que o aluno deve aprender e fixar.  Aprendizagem é baseada no desempenho.  A origem é o tecnicismo estadunidense que foi imposto nas leis 5.540/68 e 5.692/71.
  13. 13. Tendência progressista libertadora:  O papel da escola é substituído pela atuação em comunidades em que professores e alunos devem buscar a consciência social para promover a transformação social.  Os conteúdos são temas geradores.  O método prevê grupos de discussão.  A autoridade do professor é dividida com o aluno numa relação horizontal de igualdade.  Aprendizagem é baseada na resolução da situação problema.  Paulo Freire é o fundador desta tendência.
  14. 14. Tendência progressista libertária  O papel da escola é a transformação da personalidade num sentido libertário e de auto gestão.  Os conteúdos são propostos mas não são exigidos.  O método prevê a vivência grupal de autogestão.  A autoridade do professor orientador é não diretiva, porque o aluno é livre para escolher e decidir.  Aprendizagem é informal e baseada na interação grupal.  Freinet e Arroyo são autores desta tendência
  15. 15. Tendência progressista “crítico social dos conteúdos ou “histórico crítica”  O papel da escola é a difusão dos conteúdos.  Os conteúdos são culturais e universais que foram incorporados pela humanidade frente à realidade social.  O método parte da experiência do aluno confrontada com o saber sistematizada.  A autoridade do professor mediador é exatamente estabelecida na mediação entre o conhecimento formal e o aluno.  A aprendizagem é baseada nas estruturas cognitivas já estruturadas no aluno.  Makarenko, Manacorda e Demerval Saviani são autores desta tendência.
  16. 16. Correntes Pedagógicas Contemporâneas  Mais recentemente algumas novas tendências vêm sendo discutidas, mas ainda parecem carecer de pesquisas que as caracterizem com nitidez, são estas: a corrente racional- tecnológica, as neocognitivistas, as sociocríticas, as holísticas e as pós-modernas.  Racional-tecnológica: recente, visa atender as necessidades do sistema produtivo, formando o técnico. Reformulação do tecnicismo, mas não tem no método o centro do processo. Este centro encontra-se nos recursos.  Neocognitivismo: Faz uma busca das teorias cognitivistas para aperfeiçoá-las. Por um lado traz os conceitos da psicologia moderna, com a consideração dos processos afetivos. Por outro, associa o desenvolvimento das ciências cognitivistas, os avanços tecnológicos, buscando compreender até que ponto é possível falar de inteligência artificial e dos impactos que este novo conceito traz na forma como as pessoas aprendem.
  17. 17. As Sociocríticas apresentam diversas abordagens:  Sociologia Crítica do Currículo: propõe uma revisão dos saberes escolares respeitando o grupo de alunos com o qual se está trabalhando.  Teoria Histórico-cultural: defende que a ação do aprendiz sobre o meio é mediada pela cultura. Portanto, a educação deve ser orientada pelas práticas culturais.  Teoria Sociocultural: similar à teoria histórico-cultural, percebe a aprendizagem como necessariamente arraigada às práticas culturais.  Teoria Sociocognitiva: entende que a aprendizagem se dá pela interação entre as pessoas. Por isso a escola deve prover tais situações.  Teoria da Ação Comunicativa: valoriza a comunicação como prática pedagógica. Esta comunicação se dá com base no diálogo e na participação do aprendiz.
  18. 18.  Holística: a visão do todo é a marca da corrente holística. Nesta concepção a educação não pode ser vista como algo separado da estrutura social. Diversas linhas são encontradas dentro dessa visão: a ecopedagogia, a naturalista.  Pós-moderna: feminismo, ecologia, homossexualidade, cultura local, etc... A dificuldade em encontrar conceitos que sejam amplamente aceitos traz à tona o pós- modernismo, esta corrente engloba todas que se propõem a discutir a questão da diferença e o significado das práticas pedagógicas no respeitodesrespeito a essas diferenças.  São recentes as correntes contemporâneas, por isso demandam pesquisas que as aprofundem para que se conheçam suas manifestações em sala de aula.
  19. 19. ATIVIDADE AVALIATIVA:  Escolha uma aula que você já tenha tido e procure analisar cuidadosamente a forma como ela acontece. Em seguida, tente identificar que concepções de ensino estão presentes. Para facilitar, tente responder às seguintes questões após avaliar a aula: 1. Que visão de mundo é construída? 2. Qual visão de homem que é manifestada nessa prática? 3. Como é a relação do professor com os alunos? 4. Qual o entendimento sobre o processo de aprendizagem? 5. Que método de ensino está mais presente? Respondendo a todas essas perguntas, certamente você conseguirá encaixar a aula avaliada em uma (ou em várias) correntes de ensino, debata com os colegas e apresente sua experiência.
  20. 20. Referências Bibliográficas:  LIBÂNEO, J.C. Didática. - 2. ed. – São Paulo: Cortez, 2013.  MALHEIROS, B.T. Didática geral. Rio de Janeiro: LTC, 2012.  SAVIANI, D. As concepções pedagógicas na História da Educação Brasileira. ed. rev. e ampl. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2008. 474 p. (Coleção memória da educação)

×