IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)

18.972 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.972
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
349
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
650
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

IADM 2012.1 - História da administração (até teoria dos sistemas)

  1. 1. Curso de Bacharelado em Engenharia de Produção Disciplina: Introdução à Administração INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃOUNIDADE II - A HISTÓRIA DA ADMINISTRAÇÃO 1ª PARTE Profa. Cládice Nóbile Diniz RJ, 03/2012
  2. 2. UNIDADE II - A HISTÓRIA DA ADMINISTRAÇÃO.Sumário UNIDADE II - A HISTÓRIA DA ADMINISTRAÇÃO1ª Parte (Nestes slides)2.1 Períodos Históricos, Eras Econômicas e a Administração: Aspectos relevantes2.2 A Revolução Industrial e a Teoria Administrativas Moderna2.3 As Teoria Administrativas Clássicas: A Administração Científica2.4 A Administração do Trabalho - A Administração Científica: Princípios de Taylor2.5 A Administração da Organização - Princípios de Fayol2.6 A Teoria da Burocracia2.7 A Evolução da Teoria Administrativa: As Relações Humanas, a Ciência do Comportamento, a Abordagem ComportamentalContinua . A 2ª PARTE está em Arquivo com:2.7 A abordagem sistêmica2.8 A Evolução Teórica: Racional, Humanística, Política e Simbólica2.9 Contribuição de Outras Áreas do ConhecimentoREFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DESTA APRESENTAÇÃOCHIAVENATO, I. Introdução à teoria geral da administração: uma visão abrangente da moderna administração dasorganizações. 7. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003 .KWASNICKA, E. L. Introdução a Administração. SP: Atlas, 2006, Cap. 2 A linha do tempo e a Teoria Administrativa p. 27-55.BIBLIOGRAFIA:MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Introdução à Administração Edição Compacta. São Paulo: Ed. Atlas, 2010.KWASNICKA, E. L. Introdução a Administração. SP: Atlas 1995.p. 27-55.
  3. 3. 2.1 Períodos Históricos, Eras Econômicas e a Administração: Aspectos relevantes Administrar é sinônimo de gerir e gerenciar.  O termo “gestor” entrou em voga na década passada (Década de 90), substituindo o “administrador” - que havia se popularizado na década de 70, - para indicar cargos até então ocupados por “gerentes” . Essas alterações do termo com que se referencia quem administra ocorreram devido a mudanças no comportamento desejado para a função no tempo.
  4. 4. “Administrar é a arte de fazer coisas através das pessoas”. (Mary Parker Follet) Evoluiu pouco até o século XIX e firmou-se como ciência no séc. XX
  5. 5. CONCEITO ATUAL DE ADMINISTRAÇÃO Administração é o processode tomar decisões sobre a utilização de recursos e colocá-las em prática para se alcançar os objetivos planejados. DECISÕES RECURSOS OBJETIVOS
  6. 6. ABRANGÊNCIA DE ASSUNTOS NA ADMINISTRAÇÃODECISÕES OBJETIVOS RECURSOS Pessoas Resultados Planejamento Informação e esperados do Organização conhecimento sistema Execução e Espaço, Tempo Direção Dinheiro Controle InstalaçõesHouve uma evolução no conceito até a sua atual definição >>>
  7. 7. A GÊNESE E EVOLUÇÃO DO CONCEITO As ideias sobre os recursos e os objetivos na Humanidade evoluíram e, do ponto de vista econômico, pode considerar-se três importantes períodos – as Eras. As Eras Econômicas da Humanidade são determinadas pelos recursos que mais geraram a riqueza e poder nesses períodos:  A Era da Terra,  A Era do Capital,  A Era do Conhecimento. OS RECURSOS GERAM RIQUEZAS QUANDO VINCULADOS AO TRABALHO
  8. 8. O TRABALHO E A ADMINISTRAÇÃOO trabalho sempre existiu na humanidade. O trabalho é um recurso socioeconômico do ser humano para obter outros recursos para sobreviva e desenvolva as sociedades. A HISTÓRIA DAS ORGANIZAÇÕES É A DO TRABALHO
  9. 9. A ADMINISTRAÇÃO É CIÊNCIA SOCIAL APLICADA O trabalho é tão importante para a Administração, que leva a classificar a área de conhecimento como CIÊNCIA SOCIAL APLICADA. Essa classificação é devida a ela estudar as atividades das pessoas que se organizam para fins produtivos determinados Por estudar as pessoas, não é uma ciência exata: Em X horas, uma pessoa produz Y em um trabalho. Se consideramos duas pessoas, quanto elas produzirão no mesmo período de tempo X? Não é sempre que podemos contar em ter a produção em dobro!
  10. 10. EVOLUÇÃO DAS TEORIAS ADMINISTRATIVAS As teorias da Administração são englobadas em grandes blocos, relacionados com os contextos socioeconômicos que ocorreram nessas ERAS e com as ideias então vigentes sobre como administrar-se uma organização  Era Pré-Científica da Administração  Era Científica da Administração
  11. 11. OS PERÍODOS DAS ERAS ADMINISTRATIVAS Era Pré-Científica da Administração  Abrange a Era (Econômica) da Terra (Feudalismo) e no início da Era (Econômica) do Capital (Capitalismo), da Revolução Industrial até o início do sec. XX. Era Científica da Administração  Abrange a Era (Econômica) do Capital no séc. XX: • Teorias Industriais Clássicas > 1903 a ~ 1950 • Teorias Industriais Neoclássicas > ~ 1950 a ~ 1980  Abrange a Era da Informação (final do séc. XX até o presente): • Teoria Contigencial > ~1980 até o presente
  12. 12. Era da TerraUma Era Pré-Científica para a Administração
  13. 13. 5000 AC – Sumérios tinham registros governamentaisSéc. IV AC – Sócrates (450-399 AC) discutiu a universalidade dos princípios da organização, a administração comouma habilidade pessoal diferente do conhecimento técnico e da experiência. Séc. III AC – Platão (429-347 AC) descreveu a especialização do trabalho e a forma democrática de se administraruma república.
  14. 14. As Organizações na Era da Terra Natureza do trabalho: Física (Agricultura, artesanato e outros serviços manuais – com tração animal), Separação do Trabalho e Ócio (Ócio é tempo para pensar, não é o do Lazer – Só aos senhores era permitido o ócio) Principal Fonte de Recursos e Poder: Terra Administração: Pré-Científica : Tradição/Senso Comum Papel da Gerência: Controle do talento e da perícia dos trabalhadores empregados na tarefa Decisão de constituir uma organização: Exclusiva do soberano e seus senhorios  Organizações Formais: Sociedades de ofícios – oficinas, organizações religiosas, exércitos...  Organizações Informais: mutirões de lavradores ...
  15. 15. OS MODELOS ORGANIZACIONAIS PRÉ-CIENTÍFICOS OCIDENTAIS NA ERA DA TERRA MODELOS: EXÉRCITO ESPARTANO IGREJA CATÓLICA ROMANA  INFLUENCIADOS PELOS MODELOS UTILIZADOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS GREGOS E DOS ROMANOS.
  16. 16. CARACTERÍSTICAS  CARACTERÍSTICAS ESPECÍFICAS Exército: • A função de assessoria de especialidades • Princípio de direção (orientar sobre os objetivos) Igreja Católica: • Coordenação funcional  CARACTERÍSTICAS COMUNS AOS DOIS – A hierarquia de autoridade – Princípio da unidade de comando – Centralização de comando e descentralização da ação: planejamento pelo alto comando e execução pelas bases.
  17. 17. As Revoluções nas Ideias e nos Valores A revolução tecnológica só foi possível porque estava em curso também uma revolução nas ideias e valores No sec. XVIII, a sociedade ocidental começa a se interessar pelos direitos intrínsecos do homem, inclusive os políticos (Rousseau etc.); pela lucratividade (até então vista como usura); e pelo liberalismo econômico (individualismo e livre concorrência).
  18. 18. AS NOVAS FORÇAS QUE ABALAM A ERA DA TERRASéc. XVII – Inglaterra: Lavradores expulsos do campo pela nova nobreza anglicana e Denis Papin descobre a força elástica do vapor. Séc. XVIII – Inglaterra: 1709 – Fabricação ferro doce de boa qualidade com coque (Abraham Darby) No Séc. XVIII, ainda se está na Era da Terra, masinicia-se a Revolução Industrial que vai levar à Era do Capital
  19. 19. 1ª. Revolução Industrial: Fatos SÉC. XVIII Carvão e Ferro revolucionam a Produção pela Maquinária: Mecanização  1709 - A industrialização começa na Inglaterra FOTO - http://www .kidcyber.c om.au/topi cs/indrev. htm Photograph © [2007] Jupiterimag es Corporation  1767 – 1a. máquina de fiar Jenny (James Hangreaves)  1769 – 1º.Tear hidráulico (Richard Arkwright) e Tear mecânico (Edmundo Cartwright) INGLATERRA _ 1733  1775 – Condensador na máquina aFOTO http://www.michellehenry.fr/histru.htm : vapor por James Watt (1736-1819)
  20. 20. EVENTOS QUE PRECIPITAM O FIM DA ERA DA TERRA 1776 – Os Estados Unidos torna-se independente da Inglaterra e adota a República, acaba o feudalismo em suas terras. 1776 - Adam Smith (Inglaterra), no livro A Riqueza das Nações, apresenta que, para se utilizar de homens e máquinas, é importante a decomposição do trabalho, o estudo de tempos e movimentos e a especialização para produtividade. 1785 – Tear mecânico 1789 – Ocorre a Revolução Francesa, o homem do povo passa a ter direitos, acaba o feudalismo na França. Pode-se dizer que, então, se encerra a Era da Terra.
  21. 21. O trabalho, na Era da Terra, era preponderantemente manual.Na Era do Capital, passa ater uma parte significativa automatizada. É efeito da Revolução Industrial.
  22. 22. A ERA DO CAPITAL TEM INÍCIOApós a revolução francesa, a 1ª. Revolução Industrialcontinua em aceleração: • o Carvão e o Ferro é aplicado para movimentar a indústria• Há ênfase na Produção e no seu Transporte• PRECISA-SE DE MUITO CAPITAL NAS ORGANIZAÇÕES 1792 – Surge o desencaroçador de algodão 1807 – Navegação a vapor 1825 – 1ª Estrada de ferro (Inglaterra), 1829 (EUA) e 1832 (Japão) 1832 – Inicia a abordagem científica do trabalho com Charles Babbage (Inglaterra)
  23. 23. A Revolução Industrial A Revolução Industrial de uma sociedade é o seu processo de transição de uma base econômica agrícola-artesanal para a urbano-industrial.http://www.historylearningsite.co.uk/domestic_system.htm FOTO: http://kish.in/the_industrial_revolution/Toma-se como referência o processo ocorrido com a Inglaterraentre + - 1750 e 1840 (1ª Revolução Industrial).VEJA MAIS EM: http://store.discoveryeducation.com/product/show/48571#video
  24. 24. FASES DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL FASE SUBFASES I. Mecanização da indústria e1ª. Revolução Industrial – da agriculturaFase do carvão e ferro –surgimento da mecanizaçãoe da organização formal II. Aplicação da força motrizempreendedora (1709-1840) à indústria2ª. Revolução Industrial – III. Desenvolvimento doFase do aço e eletricidade – sistema fabrilintensa mecanização emudanças sócio-políticas IV. Intensa mudanças nos(1840-1914) transportes e nos meios de comunicação
  25. 25. A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL leva a PROBLEMASTRABALHO INFANTIL CONDIÇÕES LABORAIS DEGRADANTES POLUIÇÃO FOTO http://my.opera.com/labourelations/albums/ show.dml?id=2452191 FOTOs - http://micdsstudents.wikispaces.com/Industrial+Revolution http://my.opera.com/labourelations/blog/index.dml/tag/energy
  26. 26. 1ª FASE DA 2ª. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL:DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA FABRIL  1840 – Selo postal (Inglaterra)  1844 - telégrafo  1847 - Legislação trabalhista; Jornada de 10 horas; limitação do trabalho por crianças; melhoria da alimentação e das condições.  1848 – Karl Marx e Friedrich Engels publicam o livro Manifesto Comunista (Socialismo científico e materialismo histórico).
  27. 27. 2ª FASE DA 2ª. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL: INTENSIFICAÇÃO DAS MUDANÇAS NOSTRANSPORTES E NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO1856 – Daniel Mac Callum (EUA): Organograma e estrutura organizacional para a administração de ferroviasA partir de 1865 é intensificada a industrialização nos EUA, após a Guerra da Sucessão, e, na Alemanha, após 1870 (Unificação).1871 – Fundam-se trustes e há a integração vertical das empresas.
  28. 28. Desenvolvimento industrial e AdministraçãoA Revolução Industrial chega ao fim noinício do SÉC. XX, mas a Era do Capitalcontinuará por esse século até poucodepois de sua metade, caracterizandoessa etapa como um período em que asorganizações se tornam mais complexas,levando ao surgimento daAdministração e à sua contínuaevolução .
  29. 29. Ao longo do Séc XX, o administrar evoluiu cientificamente (Chiavenato, 2003, Fig. 1.1 p.13)
  30. 30. Desenvolvimento Industrial: Teorias ClássicasFase da criação da infra-estrutura industrial  Ênfase no trabalho > Teorizações sobre a Administração do Trabalho > ótica na tarefa: •Teoria da Administração Científica, de Taylor • Contribuições de Emerson, Gilbraith & Gilbraith, Gantt, Hoxie, Sheldon e Ford; Fase da criação do setor de bens de capital  Ênfase na organização > Teorizações sobre a Administração das Organizações > ótica na estrutura organizacional: • Teoria Clássica da Administração, de Fayol e Mary Parker Follett • Evolução: a Teoria Burocrática , de Weber, e a Teoria Estruturalista , de Weber e de Tzione.
  31. 31. A Teoria Clássica da Administração.FREDERICK W. TAYLOR (1856 - 1915) propõe idéias sobre o trabalho industrial no artigo Shop Management (1903) que são consideradas fundadoras da Teoria da Administração Científica.Essas idéias irão compor, com outras posteriores de Fayol sobre a atividade gerencial, a Teoria Clássica da Administração. – O livro Princípios da Administração Científica, de Taylor, é considerado o marco de ínício da ciência da Administração. – Taylor era engenheiro em uma indústria americana e já havia escrito, em 1895, sobre a divisão do trabalho.A partir de Taylor, a Teoria da Administração continuou a evoluir, incluindo novas teorias.
  32. 32. 2.4 Os Princípios de Taylor Planejamento: Determinar pela ciência a melhor forma de se executar cada tarefa, substituindo a improvisação e as regras práticas Preparo: preparar os equipamentos, maquinaria e arranjo mais adequados à tarefa; e selecionar o indivíduo mais apto, capacitando-o, não permitindo o autotreinamento. Controle: Assegurar que o trabalho seja executado de acordo com os métodos e planos previstos, assegurando treinamento e do aumento da remuneração para os que seguirem os procedimentos corretos. Execução: Distribuir a carga de trabalho entre os empregados e administradores, de modo que fique equilibrada,
  33. 33. Contribuições à Administração Científica Estudos de tempos e movimentos: FRANK GILBRETH (1868- 1924) e LILLIAN GILBRETH (1878-1972)  Mediam os movimentos do corpo para descobrir a maneira mais eficiente de executar tarefa específica.  Frank : criou um plano de classificação de 17 movimentos usados em tarefas, e usou essa classificação para analisar as ações dos trabalhadores, chamando esse plano de THERBLIGS (anagrama de seu nome).  Lillian : foi pioneira no estudo de tempos e movimentos para melhorar a produtividade do trabalhador. Ela aplicou essas técnicas em sua própria casa, tinha 12 filhos e é famosa por suas crônicas “Mais barato pela Dúzia” e “Frango todo Domingo”. Estudos de eficiência da produção: HENRY L. GANTT (1861-1919)  Se concentrou em desenvolver procedimentos de remuneração que oferecessem um pagamento justo àqueles que executassem corretamente a tarefa, e um bônus para quem a concluísse em tempo hábil. Sua principal contribuição é o recurso auxiliar de programação da produção, o gráfico da Gantt.  Para motivar os trabalhadores a produzirem além das cotas normais , ele oferecia um “bônus pela produção” o que mostra seu direcionamento para a motivação do trabalhador
  34. 34. Taylor e a Teoria da Administração Científica Taylor considerava que:  a prosperidade econômica só seria atingida através da otimização da produtividade do trabalhador e esta só seria atingida quando estes se tornassem eficientes (Sem controle, os trabalhadores sozinhos diminuiriam seus esforços no trabalho (vagabundos).  a maneira correta de se fazer um trabalho era única (“The best way”) e obtida do “redesenho da tarefa”, com observação e cronometragem do trabalho, “estudo de tempos e movimentos” e criação de um sistema de pagamento por peça produzida.A Administração Científica: uma teoria de Administração do Trabalho A concepção da Teoria da Administração Científica é pragmática, de engenheiros americanos. Volta-se para a administração do trabalho naindustria, preconizando o reagrupamento das tarefas, movimentos, operações e cargos. Deu origem à Organização Racional do Trabalho (ORT).Influencia ainda hoje o desenho do cargo, o lay-out do trabalho e a programação de tarefas.
  35. 35. FORD: Contribuições nada teóricas!• Henry Ford (1863-1947) contribuiu, pela aplicação da especialização do trabalhador em sua fábrica automotiva, levando à divulgação da Administração Científica , com ênfase na analise e divisão do trabalho do operário, ainda que só tenha apresentado tardia contribuição autobiográfica (My life and Work) em 1923. – Propagava a ideia de produção maciça do automóvel Ford modelo T (“Ford bigode”) para que cada família americana pudesse adquirir um, para o lazer. – Para isso, o preço deveria ser compatível com a renda familiar. A economia nos custos foi obtida com a padronização do modelo (Apenas um, de cor preta) e a produção em série por meio de linha de montagem. – Problema: Exagerou na especialização do trabalhador e no uso da linha de montagem, levando o trabalhador a doenças pela repetição contínua de certos movimentos e pelo empobrecimento intelectual da atividade laborativa. A esse quadro doentio em uma empresa, denomina-se Fordismo.
  36. 36. Os Problemas do Taylorismo Apesar de ter proporcionado com suas ideias maiores ganhos para os trabalhadores, receava-se que, por ser o trabalho realizado de maneira mais rápida, ocasionasse demissões de trabalhadores. Concluía que os trabalhadores agiam em favor de seus próprios interesses (e subsequentemente dos da organização), se entendessem os procedimentos de trabalho “corretos” e se fossem recompensados por segui- los. Nas aplicações de sua teoria, as pessoas eram tratadas como seres racionais e econômicos, quase que uma extensão das máquinas com que trabalhavam. Essa interpretação errônea da sua teoria é denominada Taylorismo, e se ligada à linha de montagem, Fordismo.
  37. 37. 2.5 A Administração das OrganizaçõesO estudo da administração das organizações foidesenvolvido por HENRY FAYOL (1841 - 1925), com onome de “Teoria Clássica da Administração”.• Sua preocupação era voltada à eficiência e à eficácia da organização como um todo.• Contribuições à Teoria da Administração : 1) Distinção entre supervisão e gerenciamento. 2) Definição do que os gerentes faziam como “Funções de Administração “. 3) Desenvolvimento dos “Princípios Gerais da Administração”. 4) Os princípios devem ser flexíveis em sua aplicação. 5) Novos gerentes podem aprender como gerenciar – é possível “fabricar” um líder.
  38. 38. Princípios de Fayol1.Divisão do Trabalho.2.Autoridade e responsabilidade.3.Disciplina.4.Unidade de Comando (um só chefe para cada um).5.Unidade de Direção (objetivo).6.Subordinação do Indivíduo ao interesse geral.7.Remuneração do pessoal.8.Centralização.9. Rede ou cadeia escalar ou hierarquica.10.Ordem – um lugar para cada um11.Equidade (senso de justiça).12.Estabilidade Pessoal (Adaptação ao trabalho, Equilíbrio).13. Iniciativa.14. Espírito de Equipe.
  39. 39. Sintetizando os princípios de Fayol Divisão do trabalho: refere-se à especialização das tarefas e ao controle da quantidade de objetos sob cada trabalhador ou gerente para melhorar a eficiência e eficácia. Autoridade e responsabilidade: confere à pessoa com autoridade o direito de dar ordens, e o poder para obter obediência. A responsabilidade emerge diretamente da autoridade. Unicidade de comando: ninguém deve ter mais de uma chefia. Remuneração: o pagamento deve ser justo e satisfatório para o empregador e para o empregado. Espírito de equipe: o moral e um sentimento positivo em relação à organização são intensificados pela comunicação face a face e pela coesão do time.
  40. 40. As cinco funções de FayolPara Fayol, a Administração se caracteriza por cinco funções específicas :1) Previsão (prever - planejar)2) Organização (estrutura organizacional e hierárquica).3) Comando (comunicação eficaz, comportamento gerencial, recompensa e punição).4) Coordenação (interdependência e interrelação na organização).5) Controle (acompanhamento - avaliação).
  41. 41. Contribuições a FayolPrenunciando a teoria das relações humanas, surge a busca de solução para os conflitos no trabalho.MARY PARKER FOLLETT (1868-1933)• Pioneira na solução de conflitos. Suas pesquisas desenvolveram um método de colaboração para a solução de problemas, em que defendia o acordo.• Desenvolveu a idéia de que a administração devia formular os pedidos de uma maneira lógica e não deve controlar demais os funcionários.• Denominava “chefismo” ao controle excessivo.• Apresentava suas idéias em palestras, só sendo publicada em 1941 uma coletânea do que tratou.
  42. 42. 2.6 A Teoria da Burocracia e a Teoria Estruturalista São desdobramentos da Teoria Clássica, com ênfase na estrutura organizacional. A Teoria da BurocraciaÉ devida a Max Weber, filósofo alemão.• Ênfase na racionalidade administrativa.• Propôs o modelo burocrático de administrar-se, também chamado de racional, com pessoas competentes e especializadas.• Foi descrita em 1947 e com as idéias do administrar de empresas americano difunde-se no mundo pós Segunda Guerra.• Problemas devido à má interpretação desta teoria: Comunicação exageramente formal, excesso de papel e falta de flexibilidade quanto às inovações.
  43. 43. Idéias da Burocracia• A posse e a administração de uma organização são separadas; o presidente não é o proprietário da empresa.• Um administrador não deve poder controlar a disposição física ou os adornos de um escritório por ser esse um trabalho técnico.• Todos os atos administrativos são registrados por escrito.• As regras e procedimentos controlam as funções organizacionais• Alto grau de diferenciação entre as funções organizacionais.• Organização de cargos determinada hierarquicamente. Cada sub-unidade é diretamente subordinada a um cargo de um nível superior.• Enfatizam-se regras prescritas ou normas estabelecidas que regulam o comportamento.
  44. 44. TEORIA ESTRUTURALISTA• Autores: Max Weber e Etzione• É um desdobramento da Teoria da Burocracia, com uma visão mais crítica da organização• Visão da sociedade moderna como uma sociedade de organizações• Uma organização deve ser interpretada como uma síntese da organização formal e da informal• Organização Formal: Objetivos, planejamento e estrutura organizacional• Essa teoria apresenta mais críticas do que soluções
  45. 45. 2.7 A Evolução da Teoria Administrativa: As RelaçõesHumanas, A Ciência do Comportamento, aAbordagem Sistêmica, A Abordagem ComportamentalA evolução da teoria administrativa vem com a Teoria dasRelações Humanas, a Teoria Neoclássica, a Teoria doDesenvolvimento Organizacional, a Teoria dos Sistemas ea Teoria da Contingência.Nestes slides vamos estudar até a Teoria doDesenvolvimento Organizacional e em um outro arquivovocê irá encontrar subsídios sobre a Teoria dos Sistemase a Teoria da Contingência.
  46. 46. TEORIA DAS RELAÇÕES HUMANAS• Grandes autores: Elton Mayo e Kurt Lewin• Ênfase: Relações Humanas, no Homem Social e no clima psicológico do trabalho – A organização informal é importante – Há necessidades psicológicas a atender: liderança e motivação• Opõe-se à Teoria Clássica• Surgiu da experiência de Hawthorne
  47. 47. FOTO Hawthorne - 1925Fonte: História da Administraçãohttp://www.sobreadministracao.com/historia-e-evolucao-da-administracao/
  48. 48. A experiência de HawthornePesquisador: Elton Mayo, psicólogo e consultor americano• Experiência: Na fábrica da Western Eletric Company, Chicago, EUA, no bairro de Hawthorne, iniciada em 1927:– Grupo de mulheres especialmente selecionadas para a experiência foi colocada numa sala preparada e o seu comportamento foi cuidadosamente acompanhado, à medida que as condições de trabalho eram alteradas para mensuração de tempo despendido em atividades.• Finalidade da experiência: determinar a relação entre a intensidade da iluminação e a eficiência dos operários, medida através da produção.• A descoberta– Independente das ações relacionadas às condições de trabalho, melhorando ou piorando-as, a produtividade do grupo e a produtividade individual aumentava;– Os integrantes do grupo desenvolveram um moral elevado durante as experiências, o que parecia influenciar positivamente seu desempenho.
  49. 49. Soluções pela Teoria das Relações Humanas Com a revolução Indústrial: – Separação entre trabalhadores e a administração (Especialização) • Indivíduos sem chances de demonstrar a sua iniciativa e originalidade – Cresce o tamanho das organizações (Gigantismo industrial) • Problemas de comunicação Na Teoria das Relações Humanas, o administrador deve buscar: – Entender o que os trabalhadores desejam do trabalho – Elaborar a comunicação
  50. 50. A TEORIA NEOCLÁSSICA• Engloba teorizações propostas por Peter Drucker, Ernest Dale e outros.• É uma evolução da Teoria Clássica, vendo a organização a partir de resultados e objetivos.• O ponto fundamental dessa Teoria é o de ser o administrar uma técnica básica, importando os aspectos técnicos e específicos do trabalho de administrar e os aspectos relacionados com a direção de pessoas dentro da organização.• Sua decorrência: o Processo Administrativo – Planos, Planejamentos, Objetivos, o método Pert para determinar a folga de tempo máxima em um processo etc.
  51. 51. A TEORIA DO DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL (D.0.)• Autores: Chandler e Burke• Ênfase: Mudanças planejadas• Preocupa-se com o desenvolvimento das pessoas, individualmente e em grupos• Prescreve o preestabelecimento de padrões de desempenho e treinamentos• Recomenda o diagnóstico dos problemas organizacionais, a busca de solução por mudança organizacional - comportamental e/ou tecnológica, a implementação da mudança e a avaliação dos resultados• Propõe o estudo do clima e da cultura organizacionais.
  52. 52. A GÊNESE DA ERA DO CONHECIMENTO  No curso dessa teoria administrativa, o no. de trabalhadores do conhecimento suplantou o no. de trabalhadores manuais  Segundo Naisbitt, no seu livro Megatrends, isso ocorreu em 1956, nos EUA  O trabalho exigido da maioria dos trabalhadores deixa de ser o manual, que foi em grande parte automatizado, passando a se lhes exigir O conhecimentos. DO TRABALHADOR PASSA CONHECIMENTO A SER O RECURSO GERADOR DE RIQUEZAS
  53. 53. A ERA DO CONHECIMENTOA Era do CONHECIMENTO (ou Era daSociedade da Informação ) é a atual, domomento presente, também ditocontemporâneo: Para alguns teóricos, esta era iniciou na década de noventa Para Naisbitt, em 1956 O CONHECIMENTO DO TRABALHADOR PASSAA SER O RECURSO GERADOR DE RIQUEZAS DAS ORGANIZAÇÕES : QUEM SABE O QUE A ORGANIZAÇÃO VALORIZA, é por ela valorizado.
  54. 54. NO PRÓXIMO ARQUIVO DESLIDES, ESTUDAREMOS AS TEORIASDA ADMINISTRAÇÃO QUE SÃO MUITO APLICADAS NA ATUALIDADE. INICIAREMOS PELA TEORIA DE SISTEMAS

×