Tarefa 3

322 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
322
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
42
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tarefa 3

  1. 1. Plano de acção Integração do processo de auto-avaliação da BE na escola Nota introdutória O agrupamento de escolas de Pardilhó congrega no mesmo espaço físico todos os alunos desde o pré escolar até ao 9ºano. A Biblioteca Escolar de Pardilhó foi inaugurada em Fevereiro de 2007 e entrou para a RBE em Julho de 2007, estando portanto no seu segundo ano de funcionamento. A aposta da equipa tem-se centrado na pratica de criação Dado que durante este ano lectivo a Escola foi integrada no Projecto Escolas TEIP, para o qual foi elaborado um projecto TEIP, que entrará em vigor no ano lectivo 2009/2010, centrado na melhoria da qualidade do sucesso educativo, estando por isso muitos dos documentos orientadores da Escola em fase de reestruturação. Uma das dificuldades da nossa escola prende-se com a mobilidade do corpo docente. A implementação deste modelo na Escola só será efectivamente concretizada e interiorizada no próximo ano lectivo uma vez que cerca de 75% dos docentes estão a concurso sendo a grande maioria contratados. Como este é o segundo ano de funcionamento o domínio a ser avaliado será o D- Gestão da BE e não na sua totalidade uma vez que ainda é quase inexistente a catalogação. Tem sido prática elaborarem-se de forma sistemática registos de: opiniões sobre as actividades desenvolvidas; estatísticas de requisições domiciliárias; utilização de equipamento informático e multimédia; sugestões dos alunos sobre aspectos a melhorar. Começa a ser necessário realizar a avaliação de uma forma sistemática e normalizada. Metas: • Desenvolver uma tomada de consciência da importância da BE nos resultados da aprendizagem por parte dos alunos e professores • Aumentar a cooperação entre os docentes e a equipa da BE • Melhorar conhecimento e aumentar a rentabilização dos recursos da BE por parte de todos os agentes educativos • Ajustar continuamente as práticas com vista à melhoria dos resultados Amparo Morais 1
  2. 2. 1. Diagnóstico da situação Pontos fortes Pontos fracos Oportunidades Ameaças - Motivação professor bibliotecário - Envolvimento ainda pouco - Apoio das equipas - Sobrecarga de trabalho burocrático e e equipas. significativo, pela comunidade inter-concelhias. lectivo. - Existência de um coordenador a docente , no trabalho da BE. - Formação em auto- -Dificuldades na implementação e tempo inteiro este ano lectivo Necessário um envolvimento avaliação em curso. gestão de nova legislação sempre a - Liderança forte do professor sistemático e articulado. - A BE está integrada no chegar às escolas bibliotecário - Ausência de planificação e Regulamento Interno; - Desmotivação generalizada do corpo - Professor bibliotecário trabalho cooperativo com os Plano Anual de docente. interventor no percurso formativo professores. Actividades, os outros - Concepção de Biblioteca, ainda e curricular dos alunos. - Práticas de avaliação sistemática documentos encontram- presente, centrada na oferta de um - Professor bibliotecário com das actividades da BE ainda pouco se em reestruturação – espaço equipado, com um fundo assento no Conselho pedagógico. implementadas. - Modelo de auto- documental diversificado a que é - O plano de actividades da BE - Ser quase do consenso geral que avaliação proposto pela possível aceder quando dele se está i. a auto-avaliação da BE é mais um RBE necessite. - Boa comunicação entre o trabalho burocrático dispensável. - Integração da Escola - Prática lectiva ainda muito centrada professor bibliotecário e a - O desenvolvimento de trabalhos no projecto TEIP na sala de aula comunidade educativa. feitos pelos alunos com o apoio da - Corpo docente com muita mobilidade - Apoio colaborante por parte do BE é avaliado ao nível da disciplina Conselho Executivo. não havendo feed-back do grau de evolução do desenvolvimento das - Realização trimestral e anual de competências nos alunos. um relatório de avaliação, - Avaliação sistemática, através da aprovado em conselho pedagógico recolha de evidências, que aqundo da avaliação do PAAA demonstre o valor da BE deveria ser mais eficiente - Insuficiência de recursos humanos Amparo Morais 2
  3. 3. 2. Plano de Acção Objectivos Estratégias/Acções a Calendarização implementar - Reunião com o Conselho Executivo para Março Envolver o Conselho Executivo/líder apresentação do Modelo de auto-avaliação coadjuvante proposto pela RBE - Comunicação/discussão constante de todos os Durante a implementação do processo factos relevantes durante a implementação do processo de auto-avaliação Envolver os diversos agentes da comunidade - Apresentação do modelo de auto-avaliação no Março educativa (professores, alunos, pais, Conselho Pedagógico, através de um auxiliares de acção educativa) PowerPoint a fornecer aos departamentos curriculares para posterior divulgação junto dos docentes. - Divulgação do respectivo PowerPoint na página Web da BE - Reunião com a equipa com vista a Escolher o domínio a avaliar apresentação ao Conselho Executivo/ Conselho Março Pedagógico do domínio a avaliar - Aplicar os instrumentos de avaliação fornecidos pela RBE e adaptados à realidade da Junho Recolha de evidências Escola - Fazer o tratamento estatístico dos resultados - Discussão e análise do relatório de auto- Julho Identificação dos problemas a resolver avaliação em Conselho pedagógico - Divulgação dos resultados nos departamentos Amparo Morais 3
  4. 4. através dos respectivos Coordenadores - Divulgação dos resultados na página Web. Da escola. Elaboração o Plano de melhoria - Apresentação do referido plano ao Conselho Início de Setembro Pedagógico e à comunidade Escolar . Amparo Morais 4

×