[Capacitação] Subproduto Turismo

1.804 visualizações

Publicada em

Capacitação do subproduto Turismo para iGIP

Publicada em: Vendas
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.804
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.272
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

[Capacitação] Subproduto Turismo

  1. 1. Turismo TURISMO
  2. 2. Conhecendo e entendendo nosso subproduto Para falarmos sobre o histórico do nosso subproduto Turismo, devemos saber que ele foi utilizado no portfólio de 2012, e agora esta de volta em 2015, visto a necessidade e potencial de mercado! Neste treinamento, iremos explicar melhor o desenvolvimento e os principais pontos que você deverá saber para vendê-lo, como a realidade de mercado, áreas de atuação, supply e cooperação, dentre outros.
  3. 3. Realidade de mercado O Governo do Brasil desenvolveu o Plano Nacional de Turismo 2013-2016 que tem como objetivo alcançar o incentivo de brasileiros a viajar pelo País, incrementar a geração de divisas e a chegada de turistas estrangeiros, melhorar a qualidade a aumentar a competitividade do turismo brasileiro, bem como preparar o nosso turismo para os megaeventos. Temos 8 eixos de atuação e passíveis de necessidades estratégicas, sendo eles:
  4. 4. Realidade de mercado 1. Gestão do turismo; 2. Planejamento e posicionamento de mercado; 3. Qualificação profissional, dos serviços e da produção associada; 4. Empreendedorismo, captação e promoção de investimentos; 5. Infraestrutura turística; 6. Informação ao turista; 7. Promoção e apoio à comercialização; e 8. Monitoramento. Ainda, devemos levar em considerações outros dados chaves para as vendas de nosso subprotudo, referentes a fluência no segundo idioma (GRANDE ARGUMENTO DE VENDA): 20% dos jovens leem, escrevem e falam inglês no Brasil.
  5. 5. Realidade de mercado Devemos considerar ainda a necessidade de mão de obra qualificada em tal setor, como no infográfico abaixo, podemos ver o baixo índice de empregados com superior completo.
  6. 6. Visto a eminente necessidade e abertura de mercado, apresentamos a você o nosso subprotudo!
  7. 7. Definição do subproduto O Programa Talentos Globais – Turismo, busca criar soluções práticas e emergenciais para o desenvolvimento da atividade turística em empresas do ramo nas cidades potenciais do Brasil, concedendo a oportunidade de agregar uma visão diferente e inovadora para seus processos, aumentar a competitividade do turismo brasileiro, bem como capacitar o mercado, tornando-o diferenciado e mais eficaz.
  8. 8. Áreas de atuação O trainee virá focado para trabalhar na parte de Customer Service, no qual poderá trabalhar com as seguintes Job Descriptions: • Realizar o atendimento a clientes (tours); • Trabalhar na recepção; • Coordenar/Liderar grupos internacionais; • Gerenciar reservas, agendamentos, passeios e outros processos internos; • Auxiliar no crescimento da qualidade do serviço; • Trabalhar com gestão de crises.
  9. 9. Projeto – Suporte especializado Turismo Businessmarketing Durante a venda e aplicação do Spin Selling você poderá notar a necessidade e abertura para vender um intercambista para auxiliar na parte administrativa (recursos humanos, finanças e internacionalização), bem como em Marketing (design gráfico, posicionamento de mercado e de marca, etc), mas deve-se atentar para não vender um trainee que tenhas background e vá fazer todas essas funções. SOLUÇÃO: Mostre a ele o benefício e aumento da qualidade do serviço de ter trainees focados em cada área. JDs claras e complementares!
  10. 10. Projeto – Suporte especializado CUSTOMER SERVICE  Atendimento a clientes.  Recepção.  Coordenação de grupos internacionais.  Gerenciamento de reservas, agendamentos, passeios e outros processos internos.  Auxiliar no crescimento da qualidade do serviço.  Gestão de crises. GESTÃO DE TALENTOS POSICIONAMENTO DE MERCADO  Planejamento de Marketing.  Análise de mercado.  Publicidade.  Marketing Digital (gerenciamento de redes sociais).  Customer Relationship Managment.  Recrutamento e seleção.  Treinamento de competências.  Comunicação interna.  Indução de novos colaboradores.  Implementação de cultura organizacional.  Elaboração de materiais e procedimentos operacionais.
  11. 11. Projeto – Suporte especializado Turismo Marketing Business 1º mês Treinamento sobre a empresa Treinamento sobre a empresa Treinamento sobre a empresa Aplicação das Job Descriptions. Análise de mercado e Planejamento de Marketing Aplicação das Job Descriptions. 2º mês Aplicação das Job Descriptions.3º mês 4º mês Análise de resultados e estudo de melhorias. Análise de resultados e estudo de melhorias. Análise de resultados e estudo de melhorias. 5º mês Implementação das melhorias. Implementação das melhorias. Implementação das melhorias. Aplicação das Job Descriptions. Aplicação das Job Descriptions. Aplicação das Job Descriptions.6º mês Responsável pelo Projeto: Empresa.
  12. 12. Projeto – “curta duração” Podemos escalonar nossos resultados em Turismo se focarmos em intercâmbios de curta duração (3 meses), para dois dos setores segmentados (Alojamento, Cultura e Lazer). Os trainees chegariam um mês antes da alta temporada e seguiriam o seguinte cronograma: 1º mês • Treinamento e Capacitação • Alinhamento de Mercado • Adaptação 2º / 3º mês Customer Service Foco: fechar TNs que fornecem alimentação e hospedagem, e bolsa auxílio complementar. Início de Projeto: Junho e Novembro
  13. 13. Projeto – Job rotation O projeto consiste na realização de um intercâmbio que o trainee faria um “job rotation” dentro da empresa, trabalhando por 6 meses, em 3 setores da empresa (recepção, administração, alimentação e bebidas), no qual permaneceria 2 meses em cada setor. A empresa seria responsável em providenciar alimentação e hospedagem. O trainee sairia com uma visão holística da empresa e do segmento turístico local, bem como com experiência em três áreas do setor. Cronograma: Recepção Administração A&B Início de Projeto: Junho e Novembro Foco: Alojamento, Cultura e Lazer
  14. 14. @CG @BL @RJ @BH @pA @RC @FO @FL @SS @GV @US @CT @VT @JV CLs potênciais CLs foco: @BL, @CG, @FO, @RC, @SS Independente de termos potencial, iremos trabalhar com escritórios especializados (CLs foco), para que esse criem um know-how de vendas, match e delivey neste setor. Porém, nada impede que os demais CLs não possam abrir vagas neste subproduto, mas não deverão focar suas vendas nesta área! Utilizem o conhecimento da rede!
  15. 15. Vantagens para empresas • Benchmarking Internacional; • Networking global; • Baixo turnover de trainees; • Conhecimentos internacionais de diversas áreas; • Conhecimento de técnicas e boas práticas aplicadas em outro país. • Equipe de trabalho se motiva a aprender novo idioma; • Equipe mais capacitada e com conhecimento de novas realidades; • Destaque da empresa dentro do mercado local.
  16. 16. Mos para empresas • Maior número de funcionários fluentes em outros idiomas; • Maior número de funcionários com nível superior completo ou em andamento; • Aumento da qualidade de serviço; • Menor investimento em treinamento; • Menor índice de absenteísmo.
  17. 17. Vantagens para o trainee • Experiência em um ambiente desafiador e com grande abertura, no qual almeja a criação, renovação/ inovação e capacitação de seu mercado; • Oportunidade de deixar sua marca na empresa; • Trabalhar em um ambiente turístico e atrativo; • Ter contato com clientes brasileiros e estrangeiros
  18. 18. Supply e Cooperação Austrália Colômbia EUA Holanda México Nova Zelândia Peru Reino Unido Singapura Suécia
  19. 19. Supply e Cooperação Devemos conhecer bem nosso supply e buscar sempre estabelecer cooperações. Dentre os países que temos um histórico de trabalho, devemos concentrar principalmente na LATAM, sendo eles: Colômbia, México, Peru. Outros países que podemos considerar, devido a sua qualidade no setor turístico, seriam: EUA, Nova Zelândia e Reino Unido. Outros países, deverão ser analisados posteriormente, focando principalmente na questão do visto, como exemplo, o visto para Singapura é muito difícil e complicado.
  20. 20. Timeline Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez OP MA RE A garantia da entrega da timeline é essencial, sendo que temos a variável de Alta/Baixa Temporada, o que tem grande influencia na adaptação do trainee – a tendência de um trainee que chegou em alta temporada (trabalho pesado, sob pressão) a não se adaptar ou querer quebrar a Realização é muito grande. NÃO PERCAM A TIMELINE!
  21. 21. Principais dificuldades • Intercambistas se deslumbram por trabalhar em locais turisticos e com pessoas de todo o mundo (clientes da empresa) e concordam com todas as condições – após os primeiros dias de trabalho aquilo se torna rotina e o trainee começa a reclamar. Garantir um processo de match estruturado e alinhado com a realidade/necessidade da empresa; Abrir vagas que realmente garantem o desenvolvimento, que sejam atrativas e tenham valor agregado.
  22. 22. Principais dificuldades • EPs de fora da LATAM estão acostumados com uma carga horária de trabalho muito menor e na alta temporada podem não trabalhar bem sobre pressão. Garantir cooperações com a LATAM! • Adaptação de EPs que não são da área e não entendem a realidade do mercado de turismo. Não devemos vender pessoas com formação em Turismo, sendo que nosso supply é baixo. Mas temos áreas similares e trainees com experiências na área.
  23. 23. Alinhamentos por subproduto Carga Horária Máxima (40hrs) Alta temporada / Baixa temporada EPs com background na área Foco de Cooperação: LATAM Segmentação: 1) Alojamento (Hotéis, Resorts, etc); 2) Agências (Viagem, Turismo); 3) Cultura e lazer (Parques, atrativos, passeios). Trainee deverá chegar antes da alta temporada CLs foco: NORDESTE! Não vender Português como exigência
  24. 24. Entidades nacionais ABAV - Associação Brasileira de Agências de Viagens ABRACAMPING - Associação Brasileira de Campismo ABBTUR - Associação Brasileira de Bacharéis em Turismo ABRACCEF - Associação Brasileira de Centros de Convenções e Feiras ABEOC - Associação Brasileira de Empresas de Eventos ABRAJET - Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo ABETA - Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura ABRASTUR - Associação Brasileira de Cooperativas e Clubes de Turismo Social ABIH - Associação Brasileira da Indústria de Hotéis ABRATURR - Associação Brasileira de Turismo Rural ABOTtC - Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos Culturais ABRESI - Associação Brasileira de Gastronomia, Hospitalidade e Turismo ABR - Associação Brasileira de Resorts ANSEDITUR - Associação Nacional dos Secretários e Dirigentes de Turismo das Capitais e Destinos Indutores Obs: Possíveis parceiras para indicação de clientes em potencial, bem como para conhecimento de mercado.
  25. 25. Entidades nacionais BITO - Associação Brasileira de Turismo Receptivo Internacional FENAGTUR - Federação Nacional dos Guias de Turismo BRAZTOA - Associação Brasileira das Operadoras de Turismo FNHRBS - Federação Nacional de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares CNC - Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo FOHB - Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil CNTur - Confederação Nacional do Turismo FORNATUR - Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo CONTRATUH - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade Fórum Nacional dos Cursos Superiores de Turismo e Hotelaria EMBRATUR - Instituto Brasileiro de Turismo Ministério do Turismo FENACTUR - Federação Nacional de Turismo SINDEPAT - Sindicato Nacional de Parques e Atrações Turísticas
  26. 26. Showcasing - Empresa A vinda de três estagiários da AIESEC para o Parque Ecológico Rio Formoso em Outubro de 2013 foi um marco para a nossa empresa, pois representou uma solução para o maior problema para se gerir negócios no Brasil na atualidade, que é encontrar mão de obra qualificada e motivada por um custo razoável. No passado esse problema já foi as altas taxas de inflação. Posteriormente, com o controle da inflação, passou a ser o fraco desempenho da economia e atualmente é, sem sombra de dúvidas, a dificuldade para se encontrar mão de obra qualificada e motivada por um custo razoável. No caso do setor de turismo onde atuamos, o maior problema é encontrar mão de obra qualificada em línguas estrangeiras para atender os turistas estrangeiros que nos visitam. Sabemos que se tivermos dificuldades de comunicação com os nossos turistas não poderemos prestar-lhes um serviço de qualidade e sem qualidade não se cresce no mercado. Além da fluência em inglês e espanhol, os estagiários da AIESEC são também fluentes na linguagem digital que é essencial ao nosso dia a dia na operação do nosso sistema de reservas, na confecção dos CDs de fotos dos passeios que oferecemos aos nossos turistas e no controle de caixa e de atendimento em nosso bar/restaurante. Por outro lado, a simpatia, o bom humor e a dedicação pelo trabalho, que os estagiários da AIESEC tem demonstrado, vem cativando os nosso clientes rendendo uma série de comentários elogiosos aos nossos serviços e ao atendimento desses estagiários em nossas páginas do Tripadvisor e Facebook. A motivação dos estagiários da AIESEC também teve um efeito contagioso entre os nossos funcionários e alguns deles, graças ao contato com esses estagiários, já pensam em expandir os seus horizontes através de viagens ao exterior. A solução oferecida pela AIESEC foi tão eficaz e positiva que a ideia se divulgou de forma viral pelas empresas de turismo de Bonito e penso que boa parte delas vai contratar estagiários da AIESEC para solucionar seus problemas de mão de obra. Da nossa parte, já contratamos uma nova leva de estagiários da AIESEC para substituir os atuais quando concluírem os seus estágios, desta vez ampliando o número estagiários de três para quatro e o período de estágio de seis meses para dez meses, tamanha foi a nossa satisfação com essa experiência. Por outro lado, ao contratarmos estagiários da AIESEC, estaremos viabilizando a oportunidade para que um número proporcional de jovens brasileiros realizem estágios remunerados no exterior, contribuindo dessa forma para a qualificação da nossa mão de obra jovem. Vicente Jacques Leite Sócio proprietário Parque Ecológico Rio Formoso www.parquerioformoso.com.br
  27. 27. Showcasing - TRAINEE Ao estar um mês no Brasil, como trainee no Restaurante Augusto, minha experiência tem sido muito agradável, como profissional enfrento desafios ao trabalhar com pessoas que tem problemas, que precisam trabalhar, etc. Acredito também que é um ambiente adequado, há uma equipe para trabalhar e um ambiente familiar. Meu trabalho é muito completo, amo o que eu faço, compartilhando com as pessoas, capacitando, ensinando, gerenciando a parte financeira, potencializando tanto a parte econômica quanto a de recursos, em especial os recursos humanos. As pessoas são amigáveis, e eu, ao ser o único jovem, vejo o ambiente como jovial. Ajudam-me com o idioma e também com a cultura gaúcha e brasileira. Por fim, me sinto bem em meu trabalho, e na cidade também, que por ser pequena, me permitiu percorrer várias ruas e conhecer pessoas. Até agora estou bem, sem inconvenientes, espero conhecer e descobrir mais sobre Santa Maria e sobre o Brasil. Levarei uma grande história de vida e crescimento profissional. Pedro Reibán - Equador Chefe de cozinha – Augusto Restaurante
  28. 28. Gabriel Queiroz Alcazas NST Subprodutos – Turismo (67) 8113-1760 gabriel.alcazas@aiesec.net

×