Desenvolvimento humano

1.351 visualizações

Publicada em

A complexidade do cérebro e o processo de aprendizagem.

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.351
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desenvolvimento humano

  1. 1. O Desenvolvimento Humano Psicopedagoga Vanessa Silva (Diretora Pedagógica – Sistema Elite de Ensino)
  2. 2. “Saber ensinar implica necessariamente saber como se aprende.” (Sandra Torresi) Neuroeducação Neurologia Psicologia - Pioneiro: Jean Piaget - 2008: Tracey Noel Tokuhama-Espinosa (EUA) Educação
  3. 3. Organização Básica do Sistema Nervoso
  4. 4. SNC
  5. 5. SNP
  6. 6. Proteção SNC - Crânio - Meninges - Líquido Cerebroespinhal (Liquor – espaço subaracnóide) - Barreira Hematoencefálica
  7. 7. Lobos Cerebrais
  8. 8. Desenvolvimento do Cérebro - 5ª semana de gestação: cérebro pronto - Até a 40ª semana: Giros e Dobras - proliferação de neurônios (alimentação materna) - Podas Neuronais perda de substância cinzenta (presença de corpo neuronal) ganho de substância branca (presença de mielina) 1ª: 6 anos 2ª: 12 anos Janelas de Oportunidades Cérebro saudável alimentação atividade física sono carinho
  9. 9. Neurônio Redes Neurais estimulação precoce tempo de treino = fortalecimento (“decoreba positiva”)
  10. 10. Bainha de Mielina - Camada lipoproteica - Função: acelerar a velocidade do impulso nervoso - Nodos de Ranvier: condução saltatória aumento da velocidade e economia de energia - Desmielinização: doenças. Ex: esclerose múltipla
  11. 11. Sinapses a) Químicas (bombas Na+ e K+) b) Elétricas (neurotransmissores)
  12. 12. Células Gliais (Neuróglia) - Macróglia astrócitos (organizar e nutrir neurônios) oligodendrócitos (forma bainha mielina no SNC) células de Schwam (forma bainha mielina no SNP) - Micróglia: células fagocitárias (doenças, lesões...)
  13. 13. Principais Características Funcionais - Lobo Occiptal: visão - Lobo Parietal: área motora e sensações somestésicas - Lobo Temporal: linguagem e audição - Lobo Frontal: fala, pensamento e emoção - Cerebelo: equilíbrio e movimentos Área de Wernicke: percepção e decodificação do som Área de Broca: desenvolvimento da fala
  14. 14. - Hipotálamo: “regulador” funções vitais (temperatura corporal, frequência cardíaca, pressão e osmolaridade sanguínea, ingestão de alimento e água) sistema endócrino (controle da hipófise) sistema nervoso autônomo sistema motivacional (sistema líbico)
  15. 15. - Sistema Límbico (emoções e memória) - Núcleos da Base: planejamento e programação de movimentos intencionais. - Corpo caloso: sistema de ligação entre hemisférios cerebrais (fibras).
  16. 16. Hemisférios Cerebrais HE: - pensamento lógico e matemático - tarefas que envolvam símbolos abstratos, como pensamento verbal. HD: - análise holística - pensamento intuitivo - orientação espacial - expressão não-verbal (palavras isoladas) Cérebro é um todo. Não há áreas isoladas.
  17. 17. Marcos do Desenvolvimento Humano Gestação cuidado com a alimentação interação com bebê
  18. 18. Primeira Infância
  19. 19. Professor na 1ª Infância - Estimular desejo de explorar (curiosidade) autocontrole (funções executivas) criatividade (brincadeiras imaginativas) comunicação verbal (“fertilizante neuronal”) comunicação corporal Conhecer o Mundo (árvores, pátio, natureza) - Não estimular televisão (imitação) andador (fortalecimento da musculatura pélvica) bico A escola deve oferecer o que não há em casa.
  20. 20. Professor na 1ª Infância - Exercícios físicos oxigena o cérebro aumento da capacidade cerebral evita estresse (libera oxitocina) mineraliza o cálcio controle da obesidade
  21. 21. Professor na 1ª Infância *Dicas: - Não compare crianças. Todos somos diferentes. - Não grite, converse. O grito assusta, mas não educa. - Seja rígido, mas com calma, paciência e ternura. - Faça as proibições explicando as razões. - Explique as razões do castigo. O castigo deve ser CURTO. - Atue na hora em que a criança fizer algo errado. - Paciência na época de adaptação escolar. - Conte histórias. - Peça que a criança leia e conte o que leu. - Elogie o esforço, não a inteligência. O erro pode ser corrigido com trabalho árduo.
  22. 22. Adolescência - Cérebro tamanho adulto pré-frontal imaturo (modulação emocional do comportamento) 2ª poda fim mielinização (30 anos = fim adolescência) desenvolvendo empatia (teoria da mente) - 1ª região de modificação: áreas de formação de imagem corporal cérebro usa para mapear espaço (são “atrapalhados”) importância dos espelhos e fotos
  23. 23. - Sexualidade preferência sexual (feromônios) opção sexual (sociedade) - Tédio e impaciência: transformação no sistema de recompensa (perde de 30 a 50%) Mostra quando algo pode dar certo Gera motivação/prazer Córtex pré-frontal identifica algo positivo Área tegmentar produz dopamina sobre núcleo acumbente Sensação de bem estar
  24. 24. - Imaturidade do córtex pré-frontal: diminuição no controle dos impulsos (controle executivo) + Diminuição no sistema de recompensa = RISCOS (busca de novos estímulos)
  25. 25. Importância do pré-frontal: caso Phineas Cage (1848)
  26. 26. *Professores devem aproveitar no adolescente: - Atividade física: ajuda ao cérebro a reorganizar e harmonizar movimentos (tentativa e erro) - Aumento da capacidade de memória - Aumento do processamento da linguagem - Melhora da atenção - Processamento de informações abstratas (arte, filosofia, política...) *Adultos: “emprestar o cérebro” ajudar a pensar não tomar decisões pelos adolescentes
  27. 27. Formação de Memória: a grande aliada
  28. 28. *Movimentos da Memória Aquisição – Armazenamento – Evocação – Esquecimento Caso do Paciente HM (1957)
  29. 29. *Tipos de Memória a) Tempo de Armazenamento Memória imediata (sensorial) – menos de 1 seg Memória de curto prazo (operacional/executiva) – horas ou dias Memória de longo prazo (apenas 1% do que chega à consciência) Memória remota (consolidação)
  30. 30. b) Conteúdo Armazenado
  31. 31. Aprendizagem = plasticidade cerebral Não se aprende só o novo. Se ressignifica o velho. Treino = altera sinapses = forma memória (processo - rede robusta) Regularidade das sessões = familiaridade Ativação do Sistema de Recompensa (nível dos exercícios e elogios)
  32. 32. - Evocação da memória: “dica contextual” (cérebro busca significado e sentido) - Material adequado para as aulas (slides, vídeos, mapas conceituais...) - Emoções formam memória (cortizol, adrenalina e noradrenalina) - HOMEOSTASE - Medo ativa a amígdala (“branco”)
  33. 33. *Formação de memória = ATENÇÃO Distração X Dispersão
  34. 34. * Ambiente de Estudo - Território = “sentir-se em casa” - Território contemporâneo: atenção dividida - Simultaneidade ou oscilações de tarefas - Intolerância ao silêncio (dificuldade em estabelecer relação consigo) - Estudo menos potente
  35. 35. *Horário de Estudo
  36. 36. Desenvolvimento Emocional
  37. 37. *O Apego (John Bowlby) Apego: comportamentos inatos (choro, sorriso, agarrar, contato visual...) Visam manter a proximidade com a principal figura de cuidados Sobrevivência - Apego ativado: medo, fome, cansaço ou estresse. Respostas sensível = criança confiante e segura insensível = criança frustrada e ansiosa
  38. 38. Tipos de Apego - Apego Seguro: ambiente de bons tratos e emocionalmente estáveis. - Inseguro Ambivalente: ambientes com negligência. Criança explora pouco o ambiente e tem sentimentos de amor e raiva em relação à figura de apego. pode desenvolver dificuldade de aprendizagem.
  39. 39. - Inseguro Evitador: ambientes violentos (física e emocionalmente). Crianças dão impressão de frieza, independência e falta de apego com quem vive com elas. Cuidador não permite o contato físico e tem frieza, raiva e agressividade com a criança. criança não se acha merecedora de ser cuidada. Não tem amigos e tem baixa tolerância à frustração. apresenta comportamento negativo para chamar atenção do cuidador. Mas não consegue confiar e desenvolver empatia. pode desenvolver transtornos de comportamento (ativa genes). - Apego Desorganizado: contexto social caótico, de grande violência. pode desenvolver sociopatias (ativa genes).
  40. 40. *Resiliência - Teoria ecológica (Bronfenbrenner) - Capacidade de resistência diante de adversidades - Forma de defesa da psique - Fatores de risco e proteção que sujeito é exposto - Composta por fatores sociais e biológicos
  41. 41. Fatores de Cuidado: Família + animais de estimação + amigos Liberação de oxicitocina (desativa cortizol = menos estresse)
  42. 42. “O melhor vento para embarcações é aquele que atravessa as velas; não o que vem de trás, de popa, que empurra.” (Cora Coralina)

×