SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
Atendimento em Propaganda - Prof. Marcelo Simioni
1
AULA 1
ESTRUTURA DE UMA AGÊNCIA DE PUBLICIDADE
Como uma das muitas forças de comunicação, a Publicidade/Propaganda cumpre seu papel
quando leva o consumidor por sucessivos níveis de captação da mensagem até a ação de
comprar um produto/serviço.
Atualmente as grandes características de uma agência de publicidade são:
 Criar mensagens publicitárias que irão divulgar os produtos, serviços e/ou marcas das
empresas anunciantes, tendo como princípio exaltar os fatores positivos e maquiar (evitar) a
exibição dos pontos negativos. Isso não se trata de desonestidade e sim, uma maneira de
mostrar ao público um lado mais atraente;
 Produzir e materializar as ideias propostas e aprovadas;
 Exercer a função de estabelecer um canal entre uma empresa anunciante, uma empresa
meio (veículos de comunicação) com o intuito de atingir o consumidor final.
Não podemos esquecer que a publicidade é uma ação de persuasão, não de vendas. Ela deve
atrair a atenção do consumidor para a existência das marcas de empresas, assim como seus
respectivos produtos e serviços. Tem que ser bonita, despertar o desejo e, aí sim, a vontade de
comprar.
Para que o ato da compra de determinado produto ou serviço se concretize, outras variáveis de
marketing deverão fazer sua parte, como por exemplo, preço e distribuição.
Como as agências de publicidade passam por um processo de transformação que teve início
na década de 90, o pensamento agora é aumentar a gama de serviços oferecidos,
reestruturando-se para atender os novos segmentos assumindo o papel de agência de
comunicação.
Com este intuito, a nova agência pode auxiliar no planejamento e na implementação do
composto de comunicação em um esforço integrado com a organização e continuar
construindo a imagem de parceiras do anunciante.
 Os Modelos de Agências
Não existem limites muito precisos entre o que é considerado como agência pequena e média
ou média e grande. Mesmo porque há pequenas de diversos tamanhos e estruturas, assim
como médias e grandes muito diferentes entre si.
Grosso modo, porém, pode-se dizer que uma agência pequena é aquela que tem basicamente
as quatro áreas essenciais do negócio — atendimento, planejamento, criação e mídia — com
alguns profissionais, e mesmo um único, em cada área.
A agência média tem uma estrutura mais bem definida e um número maior de profissionais em
cada setor essencial, além de contar (em muitos casos) com os demais departamentos de
apoio.
Atendimento em Propaganda - Prof. Marcelo Simioni
2
A agência grande possui estrutura sofisticada, departamentos essenciais bem organizados e
às vezes até subdivididos. E com áreas de apoio igualmente constituídas.
Os três tipos básicos de agência geralmente são encontrados no mercado brasileiro são:
 A agência de pequeno porte ou agência pequena
 A agência de médio porte ou agência média
 A agência de grande porte ou agência grande
Uma agência de propaganda se estrutura essencialmente em função das quatro principais
etapas do trabalho que presta: o atendimento, o planejamento, a criação e a mídia.
Quando a agência é mais sofisticada, existem também áreas especializadas em pesquisa,
produção gráfica e eletrônica (som e imagem), tráfego (dos trabalhos por entre as áreas da
agência) e até outras ferramentas de comunicação (relações públicas, promoção,
merchandising etc.).
Cada área da agência pode estar constituída de uma ou até de muitas dezenas de pessoas,
dependendo do tamanho e estrutura da empresa. Há desde o caso de diversas pessoas
cuidando exclusivamente de um único tipo de tarefa (produção gráfica, por exemplo) até a
situação em que uma só pessoa realiza todas as tarefas da área.
Evidentemente, como as agências são empresas, torna-se necessária uma área de
administração da organização em si, cuidando das tarefas atinentes a essa função, como a
gestão financeira, do pessoal, da contabilidade e outras semelhantes.
Como capacidade de produção, de prestação de serviços aos clientes, porém, o que conta é o
número e a qualidade das pessoas que trabalham nas áreas operacionais, a partir do eixo
atendimento, planejamento, criação e mídia.
 Perfil de investimento dos anunciantes
 Grandes anunciantes – se utilizam da mídia tradicional; televisão, jornal, revistas, mais
recentemente web, etc.
 Pequenos anunciantes – iniciam seu processo de comunicação via material promocional,
promoção de vendas ou veículos dirigidos, como mala direta, ou jornais e rádios regionais.
Considera-se anunciante toda organização que possui a necessidade de comunicar alguma
coisa para o público.
Possuem diversos tamanhos e estruturas, podem ser: pequenas empresas, grandes
conglomerados, empresas do terceiro setor, sem fins lucrativos, empresas públicas ou mistas.
Atendimento em Propaganda - Prof. Marcelo Simioni
3
 Perfil de clientes
 Business to consumer – B2C
 Bens de Consumo
Empresas que dirigem seus produtos para o consumidor final: Alimentos, bebidas,
eletrodomésticos, automóveis, etc.
Vendem seus produtos a intermediários, concessionárias, grandes grupos de loja – Pão de
Açúcar por exemplo – que por sua vez vendem ao consumidor final.
Na comunicação, criam uma identidade e posicionamento para a empresa e seus produtos,
além de auxiliar os intermediários na comercialização com o consumidor final.
Exemplo: comercial pôneis malditos
 Bens de Serviço
Mercado muito diversificado, podem ser pequena escola de inglês até grandes instituições
financeiras.
A comunicação pode ter funções diferentes, dependendo do porte e da complexidade do
serviço oferecido.
Em bancos e seguradoras por exemplo pode se ter como objetivos de comunicação fixar a
marca, ao passo que em uma imobiliária seria principalmente a divulgação das características
dos imóveis, preços, condições de pagamentos etc.
 Business to business – B2B
Produzem bens que são consumidos por outras empresas.
Exemplos: Cibié, fabrica faróis que serão consumidos pela indústria de automóveis.
A comunicação tem a função de informação, de exposição e comparação de características,
também pode posicionar a empresa. Utilizam dos veículos específicos com informações
técnicas: revistas do segmento, relações públicas, marketing direto, eventos, twitter, face book.
 Intermediários
Empresas que compram os produtos dos fabricantes e dedicam-se às vendas aos
consumidores finais. Podem ser o varejista, como o atacadista, como a franquia.
Exemplos: Grupo Pão de Açúcar, Kalunga, O Boticário.
É comum no meio varejista a propaganda cooperada, que tem a função de informar sobre a
disponibilidade do produto, ofertas, condições de pagamentos, preços, etc.
Pode também posicionar a sua marca.
Exemplo: Carrefour, Extra, Pão de Açúcar.
Atendimento em Propaganda - Prof. Marcelo Simioni
4
 A necessidade de conhecer o consumidor
Sendo principalmente um meio de promover vendas em massa, a publicidade visa três
objetivos:
 Incutir uma ideia na mente da massa;
 Criar o desejo pela coisa anunciada;
 Levar a massa ao ato da compra.
Para isto, a publicidade tem de informar, persuadir, lembrar, buscando levar ao convencimento
para ação, ou seja, tem de influir no comportamento das pessoas consumidoras.
Para influir no comportamento de alguém é preciso conhecer este alguém, e este conhecer
deve abranger:
 A natureza humana: as necessidades básicas, desejos e paixões que fazem o agir do ser
humano;
 Seus hábitos e motivos de compra.
Portanto, o publicitário não tem contato com a clientela, não lhe é possível o conhecimento do
indivíduo em sua plenitude, mas ele tem que conhecer o comportamento da massa como um
todo, isto é, o conhecimento das reações e gostos médios do conjunto de indivíduos, que
formam o mercado a atingir.
Enquanto o vendedor pensa e age em termos de indivíduo, o publicitário tem de fazê-lo em
termos de massa.
Ele tem que discernir na massa o indivíduo típico, o denominador comum, aquele que expressa
em si a média das necessidades, desejos, gostos, etc., da maioria. Para este conhecimento
contamos com a pesquisa.
O conhecimento do mercado, a análise das reações, hábitos e motivos de compra do
consumidor típico, seus hábitos de leitura e audição de rádio, o conhecimento real do produto
em relação aos concorrentes são as bases do planejamento publicitário.
 Organograma
É uma forma gráfica de representar como se organiza uma empresa ou instituição, exibindo as
relações entre cargos, grupos e funcionários.
Como característica de um bom organograma, podemos exemplificar uma melhor visualização
das responsabilidades de cada pessoa em uma agência.
Atendimento em Propaganda - Prof. Marcelo Simioni
5
Exemplo gráfico de um organograma básico em uma agência de publicidade:
REFERÊNCIA BIBLIOGRÀFICA
LUPETTI, Marcélia. Administração em Publicidade: a verdadeira alma do negócio. São Paulo:
Pioneira Thomson Learning, 2003.
SANT’ANNA, Armando. Propaganda. Teoria, Técnica e Prática. 7ª ed. São Paulo: Pioneira,
2000.
SAMPAIO, Rafael. Propaganda de A a Z. São Paulo: Campus, 2000.
PRESIDENTE
PESQUISA
ATENDIMENTO PLANEJAMENTO CRIAÇÃO MÍDIA
OUTRAS ÁREAS
MARKETINGTRÁFEGOPRODUÇÃO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Criação publicitária - Aula 02 - Brainstorm
Criação publicitária - Aula 02  - BrainstormCriação publicitária - Aula 02  - Brainstorm
Criação publicitária - Aula 02 - BrainstormThiago Ianatoni
 
Relações Públicas
Relações PúblicasRelações Públicas
Relações PúblicasDAC UFS
 
Criação Publiciária - Aula 03 - Briefing
Criação Publiciária - Aula 03  - BriefingCriação Publiciária - Aula 03  - Briefing
Criação Publiciária - Aula 03 - BriefingThiago Ianatoni
 
[ESPM] Planejamento de Mídia Online no Planejamento de Comunicação Integrada
[ESPM] Planejamento de Mídia Online no Planejamento de Comunicação Integrada [ESPM] Planejamento de Mídia Online no Planejamento de Comunicação Integrada
[ESPM] Planejamento de Mídia Online no Planejamento de Comunicação Integrada Leonardo Longo
 
O passo a passo da mídia com Letícia Herrmann
O passo a passo da mídia com Letícia HerrmannO passo a passo da mídia com Letícia Herrmann
O passo a passo da mídia com Letícia HerrmannPonto Pasta UFPR
 
Conceitos de midia
Conceitos de midiaConceitos de midia
Conceitos de midiarobervi
 
Planejamento de Mídia
Planejamento de MídiaPlanejamento de Mídia
Planejamento de MídiaRafael. Firmi
 
Atendimento e briefing
Atendimento e briefingAtendimento e briefing
Atendimento e briefingCiro Gusatti
 
MODELOS de Briefing - by André Félix
MODELOS de Briefing - by André FélixMODELOS de Briefing - by André Félix
MODELOS de Briefing - by André FélixNeca Boullosa
 
Departamentos de uma Agência
Departamentos de uma AgênciaDepartamentos de uma Agência
Departamentos de uma AgênciaJoão Almeida
 
Criação Publicitária - Aula 07 - Rafe e Direção de Arte
Criação Publicitária - Aula 07 - Rafe e Direção de ArteCriação Publicitária - Aula 07 - Rafe e Direção de Arte
Criação Publicitária - Aula 07 - Rafe e Direção de ArteThiago Ianatoni
 
Plano de Comunicação & Plano de Marketing
Plano de Comunicação & Plano de MarketingPlano de Comunicação & Plano de Marketing
Plano de Comunicação & Plano de MarketingRaissa Barros
 
Relações Públicas - A profissão
Relações Públicas - A profissãoRelações Públicas - A profissão
Relações Públicas - A profissãoDAC UFS
 
Posicionamento objetivos estratégias e táticas
Posicionamento objetivos estratégias e táticasPosicionamento objetivos estratégias e táticas
Posicionamento objetivos estratégias e táticasCiro Gusatti
 

Mais procurados (20)

Criação publicitária - Aula 02 - Brainstorm
Criação publicitária - Aula 02  - BrainstormCriação publicitária - Aula 02  - Brainstorm
Criação publicitária - Aula 02 - Brainstorm
 
Relações Públicas
Relações PúblicasRelações Públicas
Relações Públicas
 
Apresentação de mídia
Apresentação de mídiaApresentação de mídia
Apresentação de mídia
 
Criação Publiciária - Aula 03 - Briefing
Criação Publiciária - Aula 03  - BriefingCriação Publiciária - Aula 03  - Briefing
Criação Publiciária - Aula 03 - Briefing
 
[ESPM] Planejamento de Mídia Online no Planejamento de Comunicação Integrada
[ESPM] Planejamento de Mídia Online no Planejamento de Comunicação Integrada [ESPM] Planejamento de Mídia Online no Planejamento de Comunicação Integrada
[ESPM] Planejamento de Mídia Online no Planejamento de Comunicação Integrada
 
Conceito, Linha Criativa e Execução
Conceito, Linha Criativa e ExecuçãoConceito, Linha Criativa e Execução
Conceito, Linha Criativa e Execução
 
O passo a passo da mídia com Letícia Herrmann
O passo a passo da mídia com Letícia HerrmannO passo a passo da mídia com Letícia Herrmann
O passo a passo da mídia com Letícia Herrmann
 
Conceitos de midia
Conceitos de midiaConceitos de midia
Conceitos de midia
 
Planejamento de Mídia
Planejamento de MídiaPlanejamento de Mídia
Planejamento de Mídia
 
Atendimento e briefing
Atendimento e briefingAtendimento e briefing
Atendimento e briefing
 
COMO É QUE SE FAZ UM PLANO DE COMUNICAÇÃO?
COMO É QUE SE FAZ UM PLANO DE COMUNICAÇÃO? COMO É QUE SE FAZ UM PLANO DE COMUNICAÇÃO?
COMO É QUE SE FAZ UM PLANO DE COMUNICAÇÃO?
 
MODELOS de Briefing - by André Félix
MODELOS de Briefing - by André FélixMODELOS de Briefing - by André Félix
MODELOS de Briefing - by André Félix
 
Departamentos de uma Agência
Departamentos de uma AgênciaDepartamentos de uma Agência
Departamentos de uma Agência
 
Produtor de rtvc
Produtor de rtvcProdutor de rtvc
Produtor de rtvc
 
Criação Publicitária - Aula 07 - Rafe e Direção de Arte
Criação Publicitária - Aula 07 - Rafe e Direção de ArteCriação Publicitária - Aula 07 - Rafe e Direção de Arte
Criação Publicitária - Aula 07 - Rafe e Direção de Arte
 
Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?
Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?
Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?
 
Estratégia de comunicação digital
Estratégia de comunicação digitalEstratégia de comunicação digital
Estratégia de comunicação digital
 
Plano de Comunicação & Plano de Marketing
Plano de Comunicação & Plano de MarketingPlano de Comunicação & Plano de Marketing
Plano de Comunicação & Plano de Marketing
 
Relações Públicas - A profissão
Relações Públicas - A profissãoRelações Públicas - A profissão
Relações Públicas - A profissão
 
Posicionamento objetivos estratégias e táticas
Posicionamento objetivos estratégias e táticasPosicionamento objetivos estratégias e táticas
Posicionamento objetivos estratégias e táticas
 

Destaque

A evolução do setor e o papel do profissional de atendimento
A evolução do setor e o papel do profissional de atendimentoA evolução do setor e o papel do profissional de atendimento
A evolução do setor e o papel do profissional de atendimentoCíntia Dal Bello
 
Aula 5 atendimento e planejamento de campanha
Aula 5   atendimento e planejamento de campanhaAula 5   atendimento e planejamento de campanha
Aula 5 atendimento e planejamento de campanhaCíntia Dal Bello
 
Do assistir ao tele-existir: TV aberta e apelo à dromoaptidão
Do assistir ao tele-existir: TV aberta e apelo à dromoaptidãoDo assistir ao tele-existir: TV aberta e apelo à dromoaptidão
Do assistir ao tele-existir: TV aberta e apelo à dromoaptidãoCíntia Dal Bello
 
AV3 - 3 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2
AV3 - 3 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2AV3 - 3 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2
AV3 - 3 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2Cíntia Dal Bello
 
TPP - Roteiro de Estudos AV3 - 2014/2
TPP - Roteiro de Estudos AV3 - 2014/2TPP - Roteiro de Estudos AV3 - 2014/2
TPP - Roteiro de Estudos AV3 - 2014/2Cíntia Dal Bello
 
PREX II - 2014/2 - TERMO DE CESSÃO DE DIREITOS AUTORAIS
PREX II - 2014/2 - TERMO DE CESSÃO DE DIREITOS AUTORAISPREX II - 2014/2 - TERMO DE CESSÃO DE DIREITOS AUTORAIS
PREX II - 2014/2 - TERMO DE CESSÃO DE DIREITOS AUTORAISCíntia Dal Bello
 
Como conquistar a atenção?
Como conquistar a atenção? Como conquistar a atenção?
Como conquistar a atenção? Cíntia Dal Bello
 
Aula 5 - Comunicação Gráfica e Design
Aula 5   - Comunicação Gráfica e DesignAula 5   - Comunicação Gráfica e Design
Aula 5 - Comunicação Gráfica e DesignCíntia Dal Bello
 
Análise de projeto gráfico de revista e anúncio publicitário
Análise de projeto gráfico de revista e anúncio publicitárioAnálise de projeto gráfico de revista e anúncio publicitário
Análise de projeto gráfico de revista e anúncio publicitárioCíntia Dal Bello
 
Briefing de criação exercicio
Briefing de criação exercicioBriefing de criação exercicio
Briefing de criação exercicioCíntia Dal Bello
 
Agência de publicidade
Agência de publicidadeAgência de publicidade
Agência de publicidadeManinho Walker
 
Eterni.me: a tele-existência após a morte
Eterni.me: a tele-existência após a morteEterni.me: a tele-existência após a morte
Eterni.me: a tele-existência após a morteCíntia Dal Bello
 
Roteiro de estudos - SUB Av Integrada - 2014-2
Roteiro de estudos - SUB Av Integrada - 2014-2Roteiro de estudos - SUB Av Integrada - 2014-2
Roteiro de estudos - SUB Av Integrada - 2014-2Cíntia Dal Bello
 
Visibilidade mediática, vigilância e naturalização do desejo de autoexposição
Visibilidade mediática, vigilância e naturalização do desejo de autoexposiçãoVisibilidade mediática, vigilância e naturalização do desejo de autoexposição
Visibilidade mediática, vigilância e naturalização do desejo de autoexposiçãoCíntia Dal Bello
 
Midia linguagem e pensamento
Midia linguagem e pensamentoMidia linguagem e pensamento
Midia linguagem e pensamentoCíntia Dal Bello
 
Sorria, você está sendo indexado! A questão da privacidade nas plataformas ci...
Sorria, você está sendo indexado! A questão da privacidade nas plataformas ci...Sorria, você está sendo indexado! A questão da privacidade nas plataformas ci...
Sorria, você está sendo indexado! A questão da privacidade nas plataformas ci...Cíntia Dal Bello
 
WAKE´UP - 9ª edição - Ficha de Inscrição 2014/2
WAKE´UP - 9ª edição - Ficha de Inscrição 2014/2WAKE´UP - 9ª edição - Ficha de Inscrição 2014/2
WAKE´UP - 9ª edição - Ficha de Inscrição 2014/2Cíntia Dal Bello
 
TOP 10 - PROJETO EXPERIMENTAL - 2014-2
TOP 10 - PROJETO EXPERIMENTAL - 2014-2TOP 10 - PROJETO EXPERIMENTAL - 2014-2
TOP 10 - PROJETO EXPERIMENTAL - 2014-2Cíntia Dal Bello
 
Book de criação III - Trabalho 7º sem - Belas Artes
Book de criação III - Trabalho 7º sem - Belas ArtesBook de criação III - Trabalho 7º sem - Belas Artes
Book de criação III - Trabalho 7º sem - Belas ArtesCíntia Dal Bello
 

Destaque (20)

A evolução do setor e o papel do profissional de atendimento
A evolução do setor e o papel do profissional de atendimentoA evolução do setor e o papel do profissional de atendimento
A evolução do setor e o papel do profissional de atendimento
 
Aula 5 atendimento e planejamento de campanha
Aula 5   atendimento e planejamento de campanhaAula 5   atendimento e planejamento de campanha
Aula 5 atendimento e planejamento de campanha
 
Do assistir ao tele-existir: TV aberta e apelo à dromoaptidão
Do assistir ao tele-existir: TV aberta e apelo à dromoaptidãoDo assistir ao tele-existir: TV aberta e apelo à dromoaptidão
Do assistir ao tele-existir: TV aberta e apelo à dromoaptidão
 
AV3 - 3 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2
AV3 - 3 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2AV3 - 3 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2
AV3 - 3 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2
 
TPP - Roteiro de Estudos AV3 - 2014/2
TPP - Roteiro de Estudos AV3 - 2014/2TPP - Roteiro de Estudos AV3 - 2014/2
TPP - Roteiro de Estudos AV3 - 2014/2
 
PREX II - 2014/2 - TERMO DE CESSÃO DE DIREITOS AUTORAIS
PREX II - 2014/2 - TERMO DE CESSÃO DE DIREITOS AUTORAISPREX II - 2014/2 - TERMO DE CESSÃO DE DIREITOS AUTORAIS
PREX II - 2014/2 - TERMO DE CESSÃO DE DIREITOS AUTORAIS
 
Como conquistar a atenção?
Como conquistar a atenção? Como conquistar a atenção?
Como conquistar a atenção?
 
Aula 5 - Comunicação Gráfica e Design
Aula 5   - Comunicação Gráfica e DesignAula 5   - Comunicação Gráfica e Design
Aula 5 - Comunicação Gráfica e Design
 
Análise de projeto gráfico de revista e anúncio publicitário
Análise de projeto gráfico de revista e anúncio publicitárioAnálise de projeto gráfico de revista e anúncio publicitário
Análise de projeto gráfico de revista e anúncio publicitário
 
Briefing de criação exercicio
Briefing de criação exercicioBriefing de criação exercicio
Briefing de criação exercicio
 
Agência de publicidade
Agência de publicidadeAgência de publicidade
Agência de publicidade
 
Eterni.me: a tele-existência após a morte
Eterni.me: a tele-existência após a morteEterni.me: a tele-existência após a morte
Eterni.me: a tele-existência após a morte
 
Roteiro de estudos - SUB Av Integrada - 2014-2
Roteiro de estudos - SUB Av Integrada - 2014-2Roteiro de estudos - SUB Av Integrada - 2014-2
Roteiro de estudos - SUB Av Integrada - 2014-2
 
Visibilidade mediática, vigilância e naturalização do desejo de autoexposição
Visibilidade mediática, vigilância e naturalização do desejo de autoexposiçãoVisibilidade mediática, vigilância e naturalização do desejo de autoexposição
Visibilidade mediática, vigilância e naturalização do desejo de autoexposição
 
Midia linguagem e pensamento
Midia linguagem e pensamentoMidia linguagem e pensamento
Midia linguagem e pensamento
 
Sorria, você está sendo indexado! A questão da privacidade nas plataformas ci...
Sorria, você está sendo indexado! A questão da privacidade nas plataformas ci...Sorria, você está sendo indexado! A questão da privacidade nas plataformas ci...
Sorria, você está sendo indexado! A questão da privacidade nas plataformas ci...
 
WAKE´UP - 9ª edição - Ficha de Inscrição 2014/2
WAKE´UP - 9ª edição - Ficha de Inscrição 2014/2WAKE´UP - 9ª edição - Ficha de Inscrição 2014/2
WAKE´UP - 9ª edição - Ficha de Inscrição 2014/2
 
TOP 10 - PROJETO EXPERIMENTAL - 2014-2
TOP 10 - PROJETO EXPERIMENTAL - 2014-2TOP 10 - PROJETO EXPERIMENTAL - 2014-2
TOP 10 - PROJETO EXPERIMENTAL - 2014-2
 
Book de criação - 2016/2
Book de criação - 2016/2Book de criação - 2016/2
Book de criação - 2016/2
 
Book de criação III - Trabalho 7º sem - Belas Artes
Book de criação III - Trabalho 7º sem - Belas ArtesBook de criação III - Trabalho 7º sem - Belas Artes
Book de criação III - Trabalho 7º sem - Belas Artes
 

Semelhante a Atendimento Publicitário - Estrutura de uma Agência de Publicidade e Propaganda

Aula "Agência de Propaganda: estrutura e padrões"
Aula "Agência de Propaganda: estrutura e padrões"Aula "Agência de Propaganda: estrutura e padrões"
Aula "Agência de Propaganda: estrutura e padrões"Jonas Gomes Jr
 
Planejamento De Com. E Mark.
Planejamento De Com. E Mark.Planejamento De Com. E Mark.
Planejamento De Com. E Mark.guest5cb0a8
 
Cpv m6 documento de apoio n.º1
Cpv m6 documento de apoio n.º1Cpv m6 documento de apoio n.º1
Cpv m6 documento de apoio n.º1Manny Amendoim
 
Aula 8 comunicação de marketing
Aula 8 comunicação de marketing Aula 8 comunicação de marketing
Aula 8 comunicação de marketing Carlos Alves
 
Publicidade na Publicidade: as agências praticam o que pregam?
Publicidade na Publicidade: as agências praticam o que pregam?Publicidade na Publicidade: as agências praticam o que pregam?
Publicidade na Publicidade: as agências praticam o que pregam?Rhuan Willrich
 
Vi e-book-ferramentas-publicidade-e-marketing
Vi e-book-ferramentas-publicidade-e-marketingVi e-book-ferramentas-publicidade-e-marketing
Vi e-book-ferramentas-publicidade-e-marketingMFJCFL
 
Ações de marketing para o mercado imobiliário
Ações de marketing para o mercado imobiliárioAções de marketing para o mercado imobiliário
Ações de marketing para o mercado imobiliárioALVARO RAMOS
 
Por que investir em assessoria de imprensa?
Por que investir em assessoria de imprensa?Por que investir em assessoria de imprensa?
Por que investir em assessoria de imprensa?Juliana Lopes
 
Setores principais da Agência de Propaganda
Setores principais da Agência de PropagandaSetores principais da Agência de Propaganda
Setores principais da Agência de PropagandaJonas Gomes Jr
 
Marketeria Apresentação-Br
Marketeria Apresentação-BrMarketeria Apresentação-Br
Marketeria Apresentação-BrMarketeria-Brasil
 
Os 5 Ms Da Propaganda Em Marketing
Os 5 Ms Da Propaganda Em MarketingOs 5 Ms Da Propaganda Em Marketing
Os 5 Ms Da Propaganda Em Marketingedianegomes
 
Comunicação empresarial
Comunicação empresarialComunicação empresarial
Comunicação empresarialCleoci Ribeiro
 
Comunicação empresarial
Comunicação empresarialComunicação empresarial
Comunicação empresarialCleoci Ribeiro
 
Atps relacionamento com o consumidor
Atps relacionamento com o consumidorAtps relacionamento com o consumidor
Atps relacionamento com o consumidorLais Ramos Virgilio
 
Introdução-------------------comunicação Institucional.docx
Introdução-------------------comunicação Institucional.docxIntrodução-------------------comunicação Institucional.docx
Introdução-------------------comunicação Institucional.docxDolinickAvontade
 
Manual de publicidade
Manual de publicidadeManual de publicidade
Manual de publicidadeJoseane Serpa
 

Semelhante a Atendimento Publicitário - Estrutura de uma Agência de Publicidade e Propaganda (20)

Marketing
MarketingMarketing
Marketing
 
Aula "Agência de Propaganda: estrutura e padrões"
Aula "Agência de Propaganda: estrutura e padrões"Aula "Agência de Propaganda: estrutura e padrões"
Aula "Agência de Propaganda: estrutura e padrões"
 
Planejamento De Com. E Mark.
Planejamento De Com. E Mark.Planejamento De Com. E Mark.
Planejamento De Com. E Mark.
 
Cpv m6 documento de apoio n.º1
Cpv m6 documento de apoio n.º1Cpv m6 documento de apoio n.º1
Cpv m6 documento de apoio n.º1
 
Aula 8 comunicação de marketing
Aula 8 comunicação de marketing Aula 8 comunicação de marketing
Aula 8 comunicação de marketing
 
Publicidade na Publicidade: as agências praticam o que pregam?
Publicidade na Publicidade: as agências praticam o que pregam?Publicidade na Publicidade: as agências praticam o que pregam?
Publicidade na Publicidade: as agências praticam o que pregam?
 
Vi e-book-ferramentas-publicidade-e-marketing
Vi e-book-ferramentas-publicidade-e-marketingVi e-book-ferramentas-publicidade-e-marketing
Vi e-book-ferramentas-publicidade-e-marketing
 
Ações de marketing para o mercado imobiliário
Ações de marketing para o mercado imobiliárioAções de marketing para o mercado imobiliário
Ações de marketing para o mercado imobiliário
 
Função marketing
Função marketingFunção marketing
Função marketing
 
Por que investir em assessoria de imprensa?
Por que investir em assessoria de imprensa?Por que investir em assessoria de imprensa?
Por que investir em assessoria de imprensa?
 
Por que investir em assessoria de imprensa?
Por que investir em assessoria de imprensa?Por que investir em assessoria de imprensa?
Por que investir em assessoria de imprensa?
 
Setores principais da Agência de Propaganda
Setores principais da Agência de PropagandaSetores principais da Agência de Propaganda
Setores principais da Agência de Propaganda
 
Marketeria Apresentação-Br
Marketeria Apresentação-BrMarketeria Apresentação-Br
Marketeria Apresentação-Br
 
Os 5 Ms Da Propaganda Em Marketing
Os 5 Ms Da Propaganda Em MarketingOs 5 Ms Da Propaganda Em Marketing
Os 5 Ms Da Propaganda Em Marketing
 
Comunicação empresarial
Comunicação empresarialComunicação empresarial
Comunicação empresarial
 
Comunicação empresarial
Comunicação empresarialComunicação empresarial
Comunicação empresarial
 
Marketing
MarketingMarketing
Marketing
 
Atps relacionamento com o consumidor
Atps relacionamento com o consumidorAtps relacionamento com o consumidor
Atps relacionamento com o consumidor
 
Introdução-------------------comunicação Institucional.docx
Introdução-------------------comunicação Institucional.docxIntrodução-------------------comunicação Institucional.docx
Introdução-------------------comunicação Institucional.docx
 
Manual de publicidade
Manual de publicidadeManual de publicidade
Manual de publicidade
 

Mais de Cíntia Dal Bello

BA Creative Collectibles - Projeto de Stand
BA Creative Collectibles - Projeto de StandBA Creative Collectibles - Projeto de Stand
BA Creative Collectibles - Projeto de StandCíntia Dal Bello
 
Ba creative collectibles 2018.1
Ba creative collectibles 2018.1Ba creative collectibles 2018.1
Ba creative collectibles 2018.1Cíntia Dal Bello
 
Briefing Converse - relação de peças solicitadas
Briefing Converse - relação de peças solicitadasBriefing Converse - relação de peças solicitadas
Briefing Converse - relação de peças solicitadasCíntia Dal Bello
 
Briefing Converse - Chuck Taylor All Star
Briefing Converse - Chuck Taylor All StarBriefing Converse - Chuck Taylor All Star
Briefing Converse - Chuck Taylor All StarCíntia Dal Bello
 
Briefing de criação x estrutura do anúncio publicitário - versão beta
Briefing de criação x estrutura do anúncio publicitário - versão betaBriefing de criação x estrutura do anúncio publicitário - versão beta
Briefing de criação x estrutura do anúncio publicitário - versão betaCíntia Dal Bello
 
Exercício de criação: Sonho de Valsa
Exercício de criação: Sonho de ValsaExercício de criação: Sonho de Valsa
Exercício de criação: Sonho de ValsaCíntia Dal Bello
 
Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 2
 Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 2 Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 2
Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 2Cíntia Dal Bello
 
Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 1
Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 1Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 1
Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 1Cíntia Dal Bello
 
Da leveza: uma civilização sem peso (Gilles Lipovetsky)
Da leveza: uma civilização sem peso (Gilles Lipovetsky)Da leveza: uma civilização sem peso (Gilles Lipovetsky)
Da leveza: uma civilização sem peso (Gilles Lipovetsky)Cíntia Dal Bello
 
Análise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5B - final
Análise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5B - finalAnálise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5B - final
Análise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5B - finalCíntia Dal Bello
 
Análise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5A - final.pptx
Análise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5A - final.pptxAnálise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5A - final.pptx
Análise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5A - final.pptxCíntia Dal Bello
 
PIM - ROTEIRO DE PROJETO - MÍDIAS SOCIAIS DIGITAIS
PIM - ROTEIRO DE PROJETO - MÍDIAS SOCIAIS DIGITAISPIM - ROTEIRO DE PROJETO - MÍDIAS SOCIAIS DIGITAIS
PIM - ROTEIRO DE PROJETO - MÍDIAS SOCIAIS DIGITAISCíntia Dal Bello
 
Criação em Propaganda: a relação texto x imagem
Criação em Propaganda: a relação texto x imagemCriação em Propaganda: a relação texto x imagem
Criação em Propaganda: a relação texto x imagemCíntia Dal Bello
 
A Sociedade de consumo: A liturgia formal do objeto - Jean Baudrillard
A Sociedade de consumo: A liturgia formal do objeto - Jean BaudrillardA Sociedade de consumo: A liturgia formal do objeto - Jean Baudrillard
A Sociedade de consumo: A liturgia formal do objeto - Jean BaudrillardCíntia Dal Bello
 
Guia do Projeto REVISTA - 2017-1
Guia do Projeto REVISTA - 2017-1Guia do Projeto REVISTA - 2017-1
Guia do Projeto REVISTA - 2017-1Cíntia Dal Bello
 
Dinâmicas de identidade e exclusão
Dinâmicas de identidade e exclusãoDinâmicas de identidade e exclusão
Dinâmicas de identidade e exclusãoCíntia Dal Bello
 
Projeto Campanha Responsável
Projeto Campanha ResponsávelProjeto Campanha Responsável
Projeto Campanha ResponsávelCíntia Dal Bello
 
Do assistir ao tele-existir: tv aberta e apelo à dromoaptidão
Do assistir ao tele-existir: tv aberta e apelo à dromoaptidãoDo assistir ao tele-existir: tv aberta e apelo à dromoaptidão
Do assistir ao tele-existir: tv aberta e apelo à dromoaptidãoCíntia Dal Bello
 

Mais de Cíntia Dal Bello (20)

BA Creative Collectibles - Projeto de Stand
BA Creative Collectibles - Projeto de StandBA Creative Collectibles - Projeto de Stand
BA Creative Collectibles - Projeto de Stand
 
Ba creative collectibles 2018.1
Ba creative collectibles 2018.1Ba creative collectibles 2018.1
Ba creative collectibles 2018.1
 
Briefing Converse - relação de peças solicitadas
Briefing Converse - relação de peças solicitadasBriefing Converse - relação de peças solicitadas
Briefing Converse - relação de peças solicitadas
 
Briefing Converse - Chuck Taylor All Star
Briefing Converse - Chuck Taylor All StarBriefing Converse - Chuck Taylor All Star
Briefing Converse - Chuck Taylor All Star
 
Briefing de criação x estrutura do anúncio publicitário - versão beta
Briefing de criação x estrutura do anúncio publicitário - versão betaBriefing de criação x estrutura do anúncio publicitário - versão beta
Briefing de criação x estrutura do anúncio publicitário - versão beta
 
Exercício de criação: Sonho de Valsa
Exercício de criação: Sonho de ValsaExercício de criação: Sonho de Valsa
Exercício de criação: Sonho de Valsa
 
Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 2
 Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 2 Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 2
Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 2
 
Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 1
Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 1Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 1
Resolução - Briefing de Criação - Case Vigor Grego - Exercício 1
 
Da leveza: uma civilização sem peso (Gilles Lipovetsky)
Da leveza: uma civilização sem peso (Gilles Lipovetsky)Da leveza: uma civilização sem peso (Gilles Lipovetsky)
Da leveza: uma civilização sem peso (Gilles Lipovetsky)
 
BOOK DE CRIAÇÃO - 2017-1
BOOK DE CRIAÇÃO - 2017-1BOOK DE CRIAÇÃO - 2017-1
BOOK DE CRIAÇÃO - 2017-1
 
A criação do cartaz
A criação do cartaz A criação do cartaz
A criação do cartaz
 
Análise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5B - final
Análise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5B - finalAnálise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5B - final
Análise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5B - final
 
Análise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5A - final.pptx
Análise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5A - final.pptxAnálise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5A - final.pptx
Análise de peça publicitária - Resolução – Case Vigor - 5A - final.pptx
 
PIM - ROTEIRO DE PROJETO - MÍDIAS SOCIAIS DIGITAIS
PIM - ROTEIRO DE PROJETO - MÍDIAS SOCIAIS DIGITAISPIM - ROTEIRO DE PROJETO - MÍDIAS SOCIAIS DIGITAIS
PIM - ROTEIRO DE PROJETO - MÍDIAS SOCIAIS DIGITAIS
 
Criação em Propaganda: a relação texto x imagem
Criação em Propaganda: a relação texto x imagemCriação em Propaganda: a relação texto x imagem
Criação em Propaganda: a relação texto x imagem
 
A Sociedade de consumo: A liturgia formal do objeto - Jean Baudrillard
A Sociedade de consumo: A liturgia formal do objeto - Jean BaudrillardA Sociedade de consumo: A liturgia formal do objeto - Jean Baudrillard
A Sociedade de consumo: A liturgia formal do objeto - Jean Baudrillard
 
Guia do Projeto REVISTA - 2017-1
Guia do Projeto REVISTA - 2017-1Guia do Projeto REVISTA - 2017-1
Guia do Projeto REVISTA - 2017-1
 
Dinâmicas de identidade e exclusão
Dinâmicas de identidade e exclusãoDinâmicas de identidade e exclusão
Dinâmicas de identidade e exclusão
 
Projeto Campanha Responsável
Projeto Campanha ResponsávelProjeto Campanha Responsável
Projeto Campanha Responsável
 
Do assistir ao tele-existir: tv aberta e apelo à dromoaptidão
Do assistir ao tele-existir: tv aberta e apelo à dromoaptidãoDo assistir ao tele-existir: tv aberta e apelo à dromoaptidão
Do assistir ao tele-existir: tv aberta e apelo à dromoaptidão
 

Último

AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 

Atendimento Publicitário - Estrutura de uma Agência de Publicidade e Propaganda

  • 1. Atendimento em Propaganda - Prof. Marcelo Simioni 1 AULA 1 ESTRUTURA DE UMA AGÊNCIA DE PUBLICIDADE Como uma das muitas forças de comunicação, a Publicidade/Propaganda cumpre seu papel quando leva o consumidor por sucessivos níveis de captação da mensagem até a ação de comprar um produto/serviço. Atualmente as grandes características de uma agência de publicidade são:  Criar mensagens publicitárias que irão divulgar os produtos, serviços e/ou marcas das empresas anunciantes, tendo como princípio exaltar os fatores positivos e maquiar (evitar) a exibição dos pontos negativos. Isso não se trata de desonestidade e sim, uma maneira de mostrar ao público um lado mais atraente;  Produzir e materializar as ideias propostas e aprovadas;  Exercer a função de estabelecer um canal entre uma empresa anunciante, uma empresa meio (veículos de comunicação) com o intuito de atingir o consumidor final. Não podemos esquecer que a publicidade é uma ação de persuasão, não de vendas. Ela deve atrair a atenção do consumidor para a existência das marcas de empresas, assim como seus respectivos produtos e serviços. Tem que ser bonita, despertar o desejo e, aí sim, a vontade de comprar. Para que o ato da compra de determinado produto ou serviço se concretize, outras variáveis de marketing deverão fazer sua parte, como por exemplo, preço e distribuição. Como as agências de publicidade passam por um processo de transformação que teve início na década de 90, o pensamento agora é aumentar a gama de serviços oferecidos, reestruturando-se para atender os novos segmentos assumindo o papel de agência de comunicação. Com este intuito, a nova agência pode auxiliar no planejamento e na implementação do composto de comunicação em um esforço integrado com a organização e continuar construindo a imagem de parceiras do anunciante.  Os Modelos de Agências Não existem limites muito precisos entre o que é considerado como agência pequena e média ou média e grande. Mesmo porque há pequenas de diversos tamanhos e estruturas, assim como médias e grandes muito diferentes entre si. Grosso modo, porém, pode-se dizer que uma agência pequena é aquela que tem basicamente as quatro áreas essenciais do negócio — atendimento, planejamento, criação e mídia — com alguns profissionais, e mesmo um único, em cada área. A agência média tem uma estrutura mais bem definida e um número maior de profissionais em cada setor essencial, além de contar (em muitos casos) com os demais departamentos de apoio.
  • 2. Atendimento em Propaganda - Prof. Marcelo Simioni 2 A agência grande possui estrutura sofisticada, departamentos essenciais bem organizados e às vezes até subdivididos. E com áreas de apoio igualmente constituídas. Os três tipos básicos de agência geralmente são encontrados no mercado brasileiro são:  A agência de pequeno porte ou agência pequena  A agência de médio porte ou agência média  A agência de grande porte ou agência grande Uma agência de propaganda se estrutura essencialmente em função das quatro principais etapas do trabalho que presta: o atendimento, o planejamento, a criação e a mídia. Quando a agência é mais sofisticada, existem também áreas especializadas em pesquisa, produção gráfica e eletrônica (som e imagem), tráfego (dos trabalhos por entre as áreas da agência) e até outras ferramentas de comunicação (relações públicas, promoção, merchandising etc.). Cada área da agência pode estar constituída de uma ou até de muitas dezenas de pessoas, dependendo do tamanho e estrutura da empresa. Há desde o caso de diversas pessoas cuidando exclusivamente de um único tipo de tarefa (produção gráfica, por exemplo) até a situação em que uma só pessoa realiza todas as tarefas da área. Evidentemente, como as agências são empresas, torna-se necessária uma área de administração da organização em si, cuidando das tarefas atinentes a essa função, como a gestão financeira, do pessoal, da contabilidade e outras semelhantes. Como capacidade de produção, de prestação de serviços aos clientes, porém, o que conta é o número e a qualidade das pessoas que trabalham nas áreas operacionais, a partir do eixo atendimento, planejamento, criação e mídia.  Perfil de investimento dos anunciantes  Grandes anunciantes – se utilizam da mídia tradicional; televisão, jornal, revistas, mais recentemente web, etc.  Pequenos anunciantes – iniciam seu processo de comunicação via material promocional, promoção de vendas ou veículos dirigidos, como mala direta, ou jornais e rádios regionais. Considera-se anunciante toda organização que possui a necessidade de comunicar alguma coisa para o público. Possuem diversos tamanhos e estruturas, podem ser: pequenas empresas, grandes conglomerados, empresas do terceiro setor, sem fins lucrativos, empresas públicas ou mistas.
  • 3. Atendimento em Propaganda - Prof. Marcelo Simioni 3  Perfil de clientes  Business to consumer – B2C  Bens de Consumo Empresas que dirigem seus produtos para o consumidor final: Alimentos, bebidas, eletrodomésticos, automóveis, etc. Vendem seus produtos a intermediários, concessionárias, grandes grupos de loja – Pão de Açúcar por exemplo – que por sua vez vendem ao consumidor final. Na comunicação, criam uma identidade e posicionamento para a empresa e seus produtos, além de auxiliar os intermediários na comercialização com o consumidor final. Exemplo: comercial pôneis malditos  Bens de Serviço Mercado muito diversificado, podem ser pequena escola de inglês até grandes instituições financeiras. A comunicação pode ter funções diferentes, dependendo do porte e da complexidade do serviço oferecido. Em bancos e seguradoras por exemplo pode se ter como objetivos de comunicação fixar a marca, ao passo que em uma imobiliária seria principalmente a divulgação das características dos imóveis, preços, condições de pagamentos etc.  Business to business – B2B Produzem bens que são consumidos por outras empresas. Exemplos: Cibié, fabrica faróis que serão consumidos pela indústria de automóveis. A comunicação tem a função de informação, de exposição e comparação de características, também pode posicionar a empresa. Utilizam dos veículos específicos com informações técnicas: revistas do segmento, relações públicas, marketing direto, eventos, twitter, face book.  Intermediários Empresas que compram os produtos dos fabricantes e dedicam-se às vendas aos consumidores finais. Podem ser o varejista, como o atacadista, como a franquia. Exemplos: Grupo Pão de Açúcar, Kalunga, O Boticário. É comum no meio varejista a propaganda cooperada, que tem a função de informar sobre a disponibilidade do produto, ofertas, condições de pagamentos, preços, etc. Pode também posicionar a sua marca. Exemplo: Carrefour, Extra, Pão de Açúcar.
  • 4. Atendimento em Propaganda - Prof. Marcelo Simioni 4  A necessidade de conhecer o consumidor Sendo principalmente um meio de promover vendas em massa, a publicidade visa três objetivos:  Incutir uma ideia na mente da massa;  Criar o desejo pela coisa anunciada;  Levar a massa ao ato da compra. Para isto, a publicidade tem de informar, persuadir, lembrar, buscando levar ao convencimento para ação, ou seja, tem de influir no comportamento das pessoas consumidoras. Para influir no comportamento de alguém é preciso conhecer este alguém, e este conhecer deve abranger:  A natureza humana: as necessidades básicas, desejos e paixões que fazem o agir do ser humano;  Seus hábitos e motivos de compra. Portanto, o publicitário não tem contato com a clientela, não lhe é possível o conhecimento do indivíduo em sua plenitude, mas ele tem que conhecer o comportamento da massa como um todo, isto é, o conhecimento das reações e gostos médios do conjunto de indivíduos, que formam o mercado a atingir. Enquanto o vendedor pensa e age em termos de indivíduo, o publicitário tem de fazê-lo em termos de massa. Ele tem que discernir na massa o indivíduo típico, o denominador comum, aquele que expressa em si a média das necessidades, desejos, gostos, etc., da maioria. Para este conhecimento contamos com a pesquisa. O conhecimento do mercado, a análise das reações, hábitos e motivos de compra do consumidor típico, seus hábitos de leitura e audição de rádio, o conhecimento real do produto em relação aos concorrentes são as bases do planejamento publicitário.  Organograma É uma forma gráfica de representar como se organiza uma empresa ou instituição, exibindo as relações entre cargos, grupos e funcionários. Como característica de um bom organograma, podemos exemplificar uma melhor visualização das responsabilidades de cada pessoa em uma agência.
  • 5. Atendimento em Propaganda - Prof. Marcelo Simioni 5 Exemplo gráfico de um organograma básico em uma agência de publicidade: REFERÊNCIA BIBLIOGRÀFICA LUPETTI, Marcélia. Administração em Publicidade: a verdadeira alma do negócio. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003. SANT’ANNA, Armando. Propaganda. Teoria, Técnica e Prática. 7ª ed. São Paulo: Pioneira, 2000. SAMPAIO, Rafael. Propaganda de A a Z. São Paulo: Campus, 2000. PRESIDENTE PESQUISA ATENDIMENTO PLANEJAMENTO CRIAÇÃO MÍDIA OUTRAS ÁREAS MARKETINGTRÁFEGOPRODUÇÃO