O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

O matriciamento como ferramenta para a integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal

132 visualizações

Publicada em

Apresentação da SES/DF, no seminário "O futuro do Sistema Único de Saúde: a contribuição da Planificação da Atenção à Saúde" e a Reunião Conjunta das Câmaras Técnicas de Atenção à Saúde, Atenção Primária à Saúde e Epidemiologia

Publicada em: Saúde
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

O matriciamento como ferramenta para a integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal

  1. 1. O matriciamento como ferramenta para a integração entre a atenção primária à saúde e a atenção ambulatorial especializada na Região Leste do Distrito Federal O Modelo de Atenção às Condições Crônicas na RAS Experiência no Distrito Federal Dra. Raquel Beviláqua Matias da Paz Medeiros Silva Superintendente da Região de Saúde Leste Dra. Érica Correia Garcia Médica Endocrinologista Dr. José Antônio Barbosa Filho Médico Cardiologista
  2. 2. Planificação da Saúde Estratégia de Saúde da Família (ESF) como modelo de Atenção Primária (APS) do DF PNAB Resolução n. 465/2016 do Conselho de Saúde do DF Lei Distrital n. 3.133 (06/04/2018)
  3. 3. Por onde começar?
  4. 4. Região Leste • Vazio assistencial • Área de vulnerabilidade social e econômica • RA Itapoã – 09/2016 − Menor dimensão − Sem modelo misto de Atenção Primária à Saúde (APS) − 06 Oficinas • RA Paranoá e RA São Sebastião – 01/2018 − Ampliação para toda a Região Leste − 07 Oficinas (Pioneiro: Oficina de Saúde Bucal)
  5. 5. População Alvo ESTIMATIVA DA POPULAÇÃO ALVO REGIÃO LESTE ITAPOÃ SUBPOPULAÇÃO COM HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA E DIABETES MELLITUS POPULAÇÃO ALVO DO AMBULATÓRIO DE ATENÇÃO ESPECIALIZADA POPULAÇÃO GERAL > 20 ANOS (média de 70%) ALTO RISCO MUITO ALTO RISCO 110.000 77.000 HAS 20,40% 15.708 20,0% 3.142 5,0% 785 DM 7,00% 5.390 25,0% 1.348 5,0% 270 DM associada a HAS 40% 539 108 HAS (sem DM) 2.603 678 DM (com e sem HAS) 1.348 270 4490 1056
  6. 6. Linha de Cuidado – HAS e DM • Importante causa de morbimortalidade e incapacidade • Complicações • Alto custo • Prevalência crescente no DF (>18 anos): − Diabetes melitus (DM): 7% − Hipertensão (HAS): 20,4%
  7. 7. Reforma do Modelo Controle informatizado de metas, resultados e indicadores Aumento da resolutividade do sistema como um todo Conversão progressiva do modelo tradicional de APS em ESF Ampliação de cobertura APS e Policlínicas CADH Acesso e regulação do sistema de saúde baseado na APS Classificação de risco nas Emergências e contra-referência Capacitação das Equipes – Oficinas de Planificação CONASS Matriciamento de especialidades na APS Implantação de Protocolos Assistenciais Execução plena da carteira de serviços Qualificação dos processos de trabalho
  8. 8. A mudança dos sistemas piramidais para as redes de Atenção à Saúde
  9. 9. O que faltava? ? ? Restabelecer equilíbrio entre oferta e demanda por atendimentos especializados • Estratificação de risco – Nota Técnica de DM e HAS (SES/DF) • Encaminhamento • Acesso • Manejo adequado das condições crônicas − Atendimento multi-profissional interdisciplinar − Ferramentas de gestão de cuidado • Estabilização • Contra-referência
  10. 10. CADH – Centro de Atenção ao Diabetes e Hipertensão • Proposta: − Integralizar − Qualificar APS − Garantir acesso ao especialista − Referência e contra-referência − Melhorar Gestão − MATRICIAMENTO
  11. 11. Resultados Região Leste Atual Pós-planificação Cobertura 45,7% Cobertura 95%36 ESF 70 ESF Qualificação dos processos de trabalho Classificação de risco PS e UPA Qualificação dos profissionais Acesso e resolutividade Regulação – Redução de filas e tempo de espera Criação do nível Secundário de Atenção - DIRASE CADH - Centro de Atenção ao Diabetes e Hipertensão Matriciamento CADH - APS Modelo misto de APS
  12. 12. Região Leste
  13. 13. • Entendemos que deveríamos trabalhar em rede; • Ficamos mais empolgados e sonhadores; • Entretanto ainda éramos temerosos... O matriciamento como ferramenta para integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal
  14. 14. • A construção do CADH e do matriciamento iniciou oficialmente em maio de 2017 com a publicação da nota técnica! O matriciamento como ferramenta para integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal
  15. 15. • Matriciamento conforme demanda da APS!!! “Não há saber mais ou saber menos: Há saberes diferentes” Paulo Freire O matriciamento como ferramenta para integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal
  16. 16. • 1ª ETAPA do MATRICIAMENTO − Construção de um trabalho em Redes de Atenção em Saúde − Ajustamento mútuo − Explicação sobre a PLANIFICAÇÃO − Explicação sobre a NOTA TÉCNICA − Como estratificar o risco de cada paciente − Como encaminhar ao CADH (Centro de Atenção ao Diabético e ao Hipertenso) − Como é o funcionamento do CADH O matriciamento como ferramenta para integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal
  17. 17. • 2ª ETAPA do MATRICIAMENTO (alinhamento teórico e prático básico): − Ajustamento mútuo − Exposição dialogada − Treinamento breve − Discussão de casos − Esclarecimento de dúvidas, discussão de casos, compartilhamento de material atualizado por WhatsApp O matriciamento como ferramenta para integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal
  18. 18. • 3ª ETAPA do MATRICIAMENTO: − Ajustamento mútuo − Gestão da fila de espera com a APS − Discussão de casos − Atendimento compartilhado − Esclarecimento de dúvidas, discussão de casos, compartilhamento de material atualizado por WhatsApp O matriciamento como ferramenta para integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal
  19. 19. MATRIACIAMENTO da REGIÃO LESTE (SES-DF) Érica Correia Garcia Endocrinologista
  20. 20. MATRIACIAMENTO da REGIÃO LESTE (SES-DF) Érica Correia Garcia Endocrinologista José Antônio Barbosa Filho Cardiologista
  21. 21. MATRIACIAMENTO da REGIÃO LESTE (SES-DF) Érica Correia Garcia Endocrinologista José Antônio Barbosa Filho Cardiologista Maggie Roxana Antezana Urquidi Oftalmologista
  22. 22. MATRIACIAMENTO da REGIÃO LESTE (SES-DF) Érica Correia Garcia Endocrinologista José Antônio Barbosa Filho Cardiologista Maggie Roxana Antezana Urquidi Oftalmologista Valdemar de Almeida Rodrigues Enfermeiro
  23. 23. • Impacto do matriciamento no microssistema clínico − Compensação do usuário antes do atendimento na atenção especializada O matriciamento como ferramenta para integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal
  24. 24. • Impacto do matriciamento no microssistema clínico − Redução das internações hospitalares por descompensação da condição crônica(TOPS 230% - 110%) O matriciamento como ferramenta para integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal
  25. 25. • Impacto do matriciamento no microssistema clínico − Condução de casos por matriciamento a distância e consolidação da atenção primária como referência para o usuário O matriciamento como ferramenta para integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal
  26. 26. • Impacto do matriciamento no microssistema clínico − Redução da fila através da gestão compartilhada dos casos clínicos O matriciamento como ferramenta para integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal
  27. 27. • Impacto do matriciamento no microssistema clínico − Aprimoramento da relação entre os profissionais da atenção primária e especializada compartilhando responsabilidades O matriciamento como ferramenta para integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal
  28. 28. Um sonho vira realidade... APS e AAE unidas para o bem dos usuários Corresponsabilidade O matriciamento como ferramenta para integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal
  29. 29. Um sonho vira realidade... Recebemos várias visitas nobres para conhecimento do CADH e do nosso matriciamento. Dentre essas visitas destacamos: nosso mestre Dr. Eugênio Vilaça, Secretário de Saúde do DF, gestores renomados do CONASS, da SES-DF, do Hospital Einstein, do Hospital Sírio Libanês. O matriciamento como ferramenta para integração entre a APS e a AAE na Região Leste do Distrito Federal
  30. 30. Dra. Raquel Beviláqua Matias da Paz Medeiros Silva Superintendente da Região de Saúde Leste Dra. Érica Correia Garcia Médica Endocrinologista Dr. José Antônio Barbosa Filho Médico Cardiologista superleste.ses@gmail.com

×