SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
Da adesão aos resultados esperados no
PlanificaSUS: um olhar sobre a importância da
articulação estadual na IV Região de Saúde,
VIII Microrregião, Belo Jardim PE.
O início de tudo...
A palavra Planifica;
Resgate da APS em rede;
Sensibilização dos gestores estaduais (mudança de secretário estadual);
A escolha da região
 Características:
• Capital: Recife;
• Região geográfica: Nordeste;
• Número de habitantes: Censo 2010 - 8.796.448 e estimada 2018 - 9.496.294;
• Área territorial (IBGE 2017): 98068,021 km²;
• Densidade populacional: 89,62 hab./km²;
• IDH (IBGE 2010): 0,673.
O estado
• Mapa: 184 municípios e ilha de Fernando de Noronha
12 Gerências Regionais de Saúde (Geres)
O estado
Estratégias para a implantação
 Instituição do grupo condutor: Atenção primária, Atenção especializada, vigilância em saúde,
secretaria de governo, COSEMS, CES, regulação, GERES, Escola de Saúde Pública de
Pernambuco;
 Realização de reuniões semanais do grupo condutor e participação dos 8 secretários municipais
na reunião da semana padrão;
 Instituição de tutores e facilitadores apoiadores;
 Planificação como agenda estratégica do secretário estadual;
 Linha de cuidado: Condições crônicas
 Município sede: Belo Jardim
 Número de polos: 3
 Número de participantes: 1.100
 Número de Tutores: Municipais- 09;
SES APS- 07;
SES AAE- 07
 Facilitadores: Municipais- 27;
SES- 13
Colocando em prática
I Seminário PlanificaSUS-PE
Colocando em prática
Unidade Pernambucana de Atenção Especializada - UPAE
 São centros de diagnóstico e orientação terapêutica, oferecendo
atendimentos ambulatoriais em especialidades médicas e procedimentos
diagnósticos de média complexidade;
 Missão: Atender a demanda da APS para os especialistas, aumentando a
sua resolutividade e responsabilidade como coordenadora do cuidado e
ordenadora da rede.
Oportunidade
Oportunidade
Oportunidade
• Mapa: 32 municípios
4 microrregiões
A região
 Características:
• Número de equipes Saúde da Família: 73
• Número de equipes Saúde Bucal: 63
• Número de equipes NASF: 9
• Unidades Prisionais: 2
• Polos indígenas: 2
• Número de serviços ambulatoriais especializados: 7 centros de especialidades,
5 Policlínicas, 6 clínicas, 3 CEO’s, 3 CAPS e 1 UPAE
• Número de serviços de apoio diagnóstico e terapêutico: 7 Laboratórios, 2
CTA’s
• Número de serviços de urgência: 6 SAMU, 2 UPA’s, 3 unidades mistas, 5
hospitais.
VIII microrregião da IV Região de
Saúde
A microrregião
 Apresentou os critérios exigidos pelo PlanificaSUS;
 Localização;
 Pioneira no processo de aproximação entre APS e AAE no estado, utilizando a
ferramenta do matriciamento para a construção do protocolo de acesso à Unidade
Pernambucana de Atendimento Especializado (UPAE);
Porque a microrregião?
Avanços
 Descentralização do workshop para cada município;
 Equipes e gestores comprometidos;
 Participação ativa dos coordenadores a apoiadores das UPAE’s Caruaru e Arcoverde;
 Início do processo de expansão na VI Região de saúde- UPAE Arcoverde;
 Realização de oficina com os facilitadores antes de cada workshop para alinhamento das
atividades;
 Secretário Estadual de Saúde e Gerente da Regional envolvidos;
 Envolvimento dos secretários municipais na semana padrão;
 Pauta fixa na CIR;
 Ambulatório da Atenção Especializada estruturada.
O olhar da apoiadora
Desafios
 Manter a participação dos profissionais nos workshop;
 Garantir a agenda protegida dos profissionais;
 Garantir o andamento do projeto em todos os municípios ao mesmo tempo;
 Expandir a planificação para as demais Regiões de Saúde do estado;
 Carga horária de funcionamento das eSF;
 Descontinuidade da gestão;
 Rotatividade dos profissionais;
 Rotatividade dos facilitadores.
O olhar da apoiadora
Reunião Grupo Condutor
Alguns momentos...
Workshop de abertura
Alguns momentos...
1ª Oficina Tutorial
Alguns momentos...
Alguns momentos...
Workshop
Pernambuco tecendo a rede
PLANIFICASUS - PE
CARGA TOTAL
OBRIGADA!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Política Nacional de Atenção básica
Política Nacional de Atenção básicaPolítica Nacional de Atenção básica
Política Nacional de Atenção básicaRenata Cadidé
 
Estratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaEstratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaRuth Milhomem
 
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)Luis Dantas
 
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da MulherPolítica Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da MulherKarina Pereira
 
Pnab -programa nacional da Atenção básica
Pnab -programa nacional da Atenção básicaPnab -programa nacional da Atenção básica
Pnab -programa nacional da Atenção básicaJarquineide Silva
 
Aula nasf
Aula nasfAula nasf
Aula nasfenfgabi
 
O trabalho do agente comunitário de saúde
O trabalho do agente comunitário de saúdeO trabalho do agente comunitário de saúde
O trabalho do agente comunitário de saúdeCamila Rodrigues
 
Aula promoao a saude
Aula promoao a saudeAula promoao a saude
Aula promoao a saudedavinci ras
 
PNAB principais ações
PNAB principais açõesPNAB principais ações
PNAB principais açõestmunicipal
 
Politicas e programas de saude
Politicas e programas de saudePoliticas e programas de saude
Politicas e programas de saudeBruno Figueiredo
 

Mais procurados (20)

Redes de atenção à saúde
Redes de atenção à saúdeRedes de atenção à saúde
Redes de atenção à saúde
 
Política Nacional de Atenção básica
Política Nacional de Atenção básicaPolítica Nacional de Atenção básica
Política Nacional de Atenção básica
 
Estratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaEstratégia saúde da família
Estratégia saúde da família
 
Aula 8 e 9 SUS
Aula 8 e 9   SUSAula 8 e 9   SUS
Aula 8 e 9 SUS
 
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
 
Cartilha entendendo o sus
Cartilha entendendo o susCartilha entendendo o sus
Cartilha entendendo o sus
 
Sistema unico de saude[1]
Sistema unico de saude[1]Sistema unico de saude[1]
Sistema unico de saude[1]
 
Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011
 
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da MulherPolítica Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
 
Pnab -programa nacional da Atenção básica
Pnab -programa nacional da Atenção básicaPnab -programa nacional da Atenção básica
Pnab -programa nacional da Atenção básica
 
Historico sus
Historico susHistorico sus
Historico sus
 
Controle social no Sistema Único de Saúde
Controle social no Sistema Único de SaúdeControle social no Sistema Único de Saúde
Controle social no Sistema Único de Saúde
 
Lei 8080 e lei 8142
Lei 8080 e lei 8142Lei 8080 e lei 8142
Lei 8080 e lei 8142
 
Aula nasf
Aula nasfAula nasf
Aula nasf
 
Pnps
Pnps   Pnps
Pnps
 
O trabalho do agente comunitário de saúde
O trabalho do agente comunitário de saúdeO trabalho do agente comunitário de saúde
O trabalho do agente comunitário de saúde
 
Aula promoao a saude
Aula promoao a saudeAula promoao a saude
Aula promoao a saude
 
PNAB principais ações
PNAB principais açõesPNAB principais ações
PNAB principais ações
 
Politicas e programas de saude
Politicas e programas de saudePoliticas e programas de saude
Politicas e programas de saude
 
Programa de Saúde da Família (PSF
Programa de Saúde da Família (PSFPrograma de Saúde da Família (PSF
Programa de Saúde da Família (PSF
 

Semelhante a PlanificaSUS na VIII Microrregião da IV Região de Saúde de Pernambuco

Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJ
Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJFolder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJ
Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJInaiara Bragante
 
Plano diretor da ap cínthia (1)
Plano diretor da ap  cínthia (1)Plano diretor da ap  cínthia (1)
Plano diretor da ap cínthia (1)Cínthia Lima
 
Plano diretor da atenção primária à saúde.
Plano diretor da atenção primária à saúde.Plano diretor da atenção primária à saúde.
Plano diretor da atenção primária à saúde.Cinthia13Lima
 
apresentacao_equipes_NASF_PE_abril2018.pdf
apresentacao_equipes_NASF_PE_abril2018.pdfapresentacao_equipes_NASF_PE_abril2018.pdf
apresentacao_equipes_NASF_PE_abril2018.pdfssuser884e3b
 
Seminário da saúde mandato ver Ricardo PCdoB
Seminário da saúde  mandato ver Ricardo PCdoBSeminário da saúde  mandato ver Ricardo PCdoB
Seminário da saúde mandato ver Ricardo PCdoBWladimir Crippa
 
Saúde para os Municípios
Saúde para os MunicípiosSaúde para os Municípios
Saúde para os MunicípiosCogepp CEPAM
 
Dra. sandra gargur - 20/09/2012
Dra. sandra gargur - 20/09/2012Dra. sandra gargur - 20/09/2012
Dra. sandra gargur - 20/09/2012Anais IV CBED
 

Semelhante a PlanificaSUS na VIII Microrregião da IV Região de Saúde de Pernambuco (20)

O papel da regional de saúde na organização da Redes de Atenção à Saúde na re...
O papel da regional de saúde na organização da Redes de Atenção à Saúde na re...O papel da regional de saúde na organização da Redes de Atenção à Saúde na re...
O papel da regional de saúde na organização da Redes de Atenção à Saúde na re...
 
O papel da Gestão Estadual no processo de expansão da Planificação da Atenção...
O papel da Gestão Estadual no processo de expansão da Planificação da Atenção...O papel da Gestão Estadual no processo de expansão da Planificação da Atenção...
O papel da Gestão Estadual no processo de expansão da Planificação da Atenção...
 
Pnh junho 13
Pnh junho 13Pnh junho 13
Pnh junho 13
 
O papel do estado na organização da Redes de Atenção à Saúde nas regiões de s...
O papel do estado na organização da Redes de Atenção à Saúde nas regiões de s...O papel do estado na organização da Redes de Atenção à Saúde nas regiões de s...
O papel do estado na organização da Redes de Atenção à Saúde nas regiões de s...
 
A ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE: A EXPERIÊNCIA DE FORTALEZA
A ORGANIZAÇÃO  DA  ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE:  A EXPERIÊNCIA DE FORTALEZAA ORGANIZAÇÃO  DA  ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE:  A EXPERIÊNCIA DE FORTALEZA
A ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE: A EXPERIÊNCIA DE FORTALEZA
 
Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJ
Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJFolder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJ
Folder do Programa de Residência em MFC - SMS/RJ
 
Apresentação de agosto de 2014
Apresentação de agosto de 2014Apresentação de agosto de 2014
Apresentação de agosto de 2014
 
Rede Cuidar
Rede CuidarRede Cuidar
Rede Cuidar
 
O papel do estado na organização da Redes de Atenção à Saúde nas regiões de s...
O papel do estado na organização da Redes de Atenção à Saúde nas regiões de s...O papel do estado na organização da Redes de Atenção à Saúde nas regiões de s...
O papel do estado na organização da Redes de Atenção à Saúde nas regiões de s...
 
8ª Assembleia do CONASS – Plano Diretor dos Hospitais - Programa de Apoio ao ...
8ª Assembleia do CONASS – Plano Diretor dos Hospitais - Programa de Apoio ao ...8ª Assembleia do CONASS – Plano Diretor dos Hospitais - Programa de Apoio ao ...
8ª Assembleia do CONASS – Plano Diretor dos Hospitais - Programa de Apoio ao ...
 
Folder do PRMFC -SMS/RJ
Folder do PRMFC -SMS/RJFolder do PRMFC -SMS/RJ
Folder do PRMFC -SMS/RJ
 
Palestra PNAB
Palestra PNABPalestra PNAB
Palestra PNAB
 
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DFEstratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
 
Plano diretor da ap cínthia (1)
Plano diretor da ap  cínthia (1)Plano diretor da ap  cínthia (1)
Plano diretor da ap cínthia (1)
 
Plano diretor da atenção primária à saúde.
Plano diretor da atenção primária à saúde.Plano diretor da atenção primária à saúde.
Plano diretor da atenção primária à saúde.
 
apresentacao_equipes_NASF_PE_abril2018.pdf
apresentacao_equipes_NASF_PE_abril2018.pdfapresentacao_equipes_NASF_PE_abril2018.pdf
apresentacao_equipes_NASF_PE_abril2018.pdf
 
Seminário da saúde mandato ver Ricardo PCdoB
Seminário da saúde  mandato ver Ricardo PCdoBSeminário da saúde  mandato ver Ricardo PCdoB
Seminário da saúde mandato ver Ricardo PCdoB
 
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
 
Saúde para os Municípios
Saúde para os MunicípiosSaúde para os Municípios
Saúde para os Municípios
 
Dra. sandra gargur - 20/09/2012
Dra. sandra gargur - 20/09/2012Dra. sandra gargur - 20/09/2012
Dra. sandra gargur - 20/09/2012
 

Mais de Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS

Mais de Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS (20)

Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do SulModelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
 
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
 
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à SaúdeBanners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
 
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
 
PIMENTEIRAS DO OESTE - RO
PIMENTEIRAS DO OESTE - ROPIMENTEIRAS DO OESTE - RO
PIMENTEIRAS DO OESTE - RO
 
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
 
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
 
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
 
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
 
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e HipertensãoJornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
 
A Segurança do Paciente na Construção Social da APS
A Segurança do Paciente na Construção Social da APSA Segurança do Paciente na Construção Social da APS
A Segurança do Paciente na Construção Social da APS
 
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicasCuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
 
Sala de Situação Regional de Saúde Sudoeste I
Sala de Situação  Regional de Saúde  Sudoeste I Sala de Situação  Regional de Saúde  Sudoeste I
Sala de Situação Regional de Saúde Sudoeste I
 
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de DiabetesPor um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
 
O pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
O pediatra e sua presença na Assistência no BrasilO pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
O pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
 
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à SaúdeNotas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
 
Ministério Público em Defesa da APS
Ministério Público em Defesa da APSMinistério Público em Defesa da APS
Ministério Público em Defesa da APS
 
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
 
Usuário do SUS: as primeiras evidências
Usuário do SUS: as primeiras evidênciasUsuário do SUS: as primeiras evidências
Usuário do SUS: as primeiras evidências
 
Desafios do SUS
Desafios do SUS Desafios do SUS
Desafios do SUS
 

Último

Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaCristianodaRosa5
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoMarianaAnglicaMirand
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptAlberto205764
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfNelmo Pinto
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 

Último (9)

Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
 
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãosAplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 

PlanificaSUS na VIII Microrregião da IV Região de Saúde de Pernambuco

  • 1.
  • 2. Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importância da articulação estadual na IV Região de Saúde, VIII Microrregião, Belo Jardim PE.
  • 3. O início de tudo... A palavra Planifica; Resgate da APS em rede; Sensibilização dos gestores estaduais (mudança de secretário estadual); A escolha da região
  • 4.  Características: • Capital: Recife; • Região geográfica: Nordeste; • Número de habitantes: Censo 2010 - 8.796.448 e estimada 2018 - 9.496.294; • Área territorial (IBGE 2017): 98068,021 km²; • Densidade populacional: 89,62 hab./km²; • IDH (IBGE 2010): 0,673. O estado
  • 5. • Mapa: 184 municípios e ilha de Fernando de Noronha 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres) O estado
  • 6. Estratégias para a implantação  Instituição do grupo condutor: Atenção primária, Atenção especializada, vigilância em saúde, secretaria de governo, COSEMS, CES, regulação, GERES, Escola de Saúde Pública de Pernambuco;  Realização de reuniões semanais do grupo condutor e participação dos 8 secretários municipais na reunião da semana padrão;  Instituição de tutores e facilitadores apoiadores;  Planificação como agenda estratégica do secretário estadual;
  • 7.  Linha de cuidado: Condições crônicas  Município sede: Belo Jardim  Número de polos: 3  Número de participantes: 1.100  Número de Tutores: Municipais- 09; SES APS- 07; SES AAE- 07  Facilitadores: Municipais- 27; SES- 13 Colocando em prática
  • 9. Unidade Pernambucana de Atenção Especializada - UPAE  São centros de diagnóstico e orientação terapêutica, oferecendo atendimentos ambulatoriais em especialidades médicas e procedimentos diagnósticos de média complexidade;  Missão: Atender a demanda da APS para os especialistas, aumentando a sua resolutividade e responsabilidade como coordenadora do cuidado e ordenadora da rede. Oportunidade
  • 12. • Mapa: 32 municípios 4 microrregiões A região
  • 13.  Características: • Número de equipes Saúde da Família: 73 • Número de equipes Saúde Bucal: 63 • Número de equipes NASF: 9 • Unidades Prisionais: 2 • Polos indígenas: 2 • Número de serviços ambulatoriais especializados: 7 centros de especialidades, 5 Policlínicas, 6 clínicas, 3 CEO’s, 3 CAPS e 1 UPAE • Número de serviços de apoio diagnóstico e terapêutico: 7 Laboratórios, 2 CTA’s • Número de serviços de urgência: 6 SAMU, 2 UPA’s, 3 unidades mistas, 5 hospitais. VIII microrregião da IV Região de Saúde A microrregião
  • 14.  Apresentou os critérios exigidos pelo PlanificaSUS;  Localização;  Pioneira no processo de aproximação entre APS e AAE no estado, utilizando a ferramenta do matriciamento para a construção do protocolo de acesso à Unidade Pernambucana de Atendimento Especializado (UPAE); Porque a microrregião?
  • 15. Avanços  Descentralização do workshop para cada município;  Equipes e gestores comprometidos;  Participação ativa dos coordenadores a apoiadores das UPAE’s Caruaru e Arcoverde;  Início do processo de expansão na VI Região de saúde- UPAE Arcoverde;  Realização de oficina com os facilitadores antes de cada workshop para alinhamento das atividades;  Secretário Estadual de Saúde e Gerente da Regional envolvidos;  Envolvimento dos secretários municipais na semana padrão;  Pauta fixa na CIR;  Ambulatório da Atenção Especializada estruturada. O olhar da apoiadora
  • 16. Desafios  Manter a participação dos profissionais nos workshop;  Garantir a agenda protegida dos profissionais;  Garantir o andamento do projeto em todos os municípios ao mesmo tempo;  Expandir a planificação para as demais Regiões de Saúde do estado;  Carga horária de funcionamento das eSF;  Descontinuidade da gestão;  Rotatividade dos profissionais;  Rotatividade dos facilitadores. O olhar da apoiadora
  • 22. PLANIFICASUS - PE CARGA TOTAL OBRIGADA!