Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos

2.146 visualizações

Publicada em

Curso Uso de plantas medicinais e fitoterápicos - Caso 2 - Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.146
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.418
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos

  1. 1. PLANTAS MEDICINAIS EM ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE CURSO DE PLANTAS MEDICINAIS PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE TRATAMENTO CONTRA INFESTAÇÃO DE PIOLHOS COM PLANTA MEDICINAL
  2. 2. A pediculose da cabeça é uma doença parasitária, causada pelo Pediculus humanus var. capitis, vulgarmente chamado de piolho. A doença tem como característica principal a coceira intensa no couro cabeludo, principalmente na parte de trás da cabeça e que pode atingir também o pescoço e a região do tronco, onde se observa pontos avermelhados semelhantes a picadas de mosquitos. Atinge principalmente criança em idade escolar e mulheres, e é transmitida pelo contato direto interpessoal ou pelo uso de utensílios, como pentes de pessoas contaminadas. INFORMAÇÕES
  3. 3. As lêndeas são os ovos do piolho. Os ovos são depositados próximos ao couro cabeludo. Procure os ovos na nuca e atrás das orelhas. Esses ovos não podem ser removidos com água nem retirados com pente. Eles devem ser catados. CAUSAS: Os piolhos podem se espalhar rapidamente de uma pessoa para outra através das seguintes maneiras: - Compartilhar chapéu, bonés, cachecóis, pentes, escovas, prendedores de cabelos ou tiaras, faixas e roupas; - Deitar na mesma cama, sofá ou tapete; - Participar de jogos de contato; - Usar peças de roupas que foram guardadas em armários e gavetas com piolhos ou lêndeas.
  4. 4. COZIMENTO DE MELÃO-DE-SÃO-CAETANO COMPONENTES: Meio frasco de folhas de melão-de-são-caetano cortadas Meio frasco de água fervida e filtrada MODO DE FAZER: Colocar a água e as folhas de melão-de-são-caetano em uma panela e ferver durante três minutos. Deixar esfriar e coar para um frasco limpo.
  5. 5. INDICAÇÃO: Tratamento contra piolhos MODO DE USAR: -Lavar os cabelos e secá-los com uma toalha; -Aplicar o cozimento de melão-de-são-caetano nos cabelos e assegurando molhar a nuca e atrás das orelhas; -Deixar o produto atuar nos cabelos por 10 minutos; -Passar um pente fino nos cabelos para retirar os piolhos e as lêndeas. -Pode ser útil dividir o cabelo em seções. -Os ovos devem ser removidos e se necessário catar os ovos com a mão; -Colocar os ovos em um saco plástico, feche-o bem e jogue fora; -Lavar bem as mãos e esfregar a parte de baixo das unhas; -Vestir roupas limpas; -Fazer esse tratamento durante cinco(5) dias consecutivos. Melão-de- são-caetano Momordica charanthia L.
  6. 6. OBSERVAÇÕES: Repetir o tratamento após 7 dias. O cozimento de melão-de-são-caetano pode ser usado misturado ao xampu em quantidades iguais. Nesse caso, ao lavar os cabelos deixar o produto também atuar por 10 minutos e enxágüe. Passar o pente fino conforme o modo de usar explicado. A arruda (Ruta graveolens L.) também tem ação contra piolhos.Neste caso fazer a preparação com o dobro da quantidade das folhas de melão-de-são-caetano. Cuidado! Esses cozimentos não devem ser utilizados por via oral.
  7. 7. Se a pediculose não for tratada, ou seja, a infestação por piolhos,poderá causar marcas vermelhas ou feridas na cabeça, às vezes com secreção e crostas. Essas lesões normalmente são encontradas atrás das orelhas ou da nuca. Se ao coçar as feridas, elas abrirem, poderão infeccionar e deverão ser tratadas por um médico. Com a coçadura das lesões pode ocorrer a infecção secundária por bactérias, levando inclusive ao Surgimento de gânglios no pescoço. ATENÇÃO!
  8. 8. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Práticas Integrativas e Complementares; Plantas Medicinais e Fitoterapia na Atenção Básica/ Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica – Brasília: Ministério da Saúde, 2012. MATOS, F. J. A., Farmácias Vivas. 3º Ed. Fortaleza: EUFC, 1998, 219p. MATOS, F. J. A., BANDEIRA, M.A.M.. Manual de Orientação Farmacêutica sobre Preparação de Remédios Caseiros com Plantas Medicinais. Fortaleza: Projeto Farmácias Vivas, 2010, 40p. MATOS, F. J.A.. Plantas Medicinais: Guia de Seleção e emprego de Plantas usadas em Fitoterapia no Brasil. 3. Ed. Fortaleza: Ed. UFC, 2007. 263p. SOUSA et al. . Constituintes Químicos Ativos e Propriedades Biológicas de Plantas Medicinais Brasileiras. 2{ Ed. Fortaleza: EUFC, 2004, 448p. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

×