Marco Histórico Internacional da MTC

5.544 visualizações

Publicada em

Esta apresentação de slides foi desenvolvida para o curso introdutório em Medicina Tradicional Chinesa, na Comunidade de Práticas . Acesse: https://cursos.atencaobasica.org.br/courses/16683
Material produzido pelo Ministério da Saúde (Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares) e Instituto Communitas.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Marco Histórico Internacional da MTC

  1. 1. CURSO INTRODUTÓRIO EM MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Marco Histórico Internacional da MTC
  2. 2. A Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou um Guia de Estratégias das Medicinas Tradicionais de 2014 até 2023. Figura 1: Logo da OMS
  3. 3. MEDICINA TRADICIONAL CHINESA – MTC Estratégias da OMS Objetivo: fornecer informações, contexto, orientação e apoio para os formuladores de políticas, planejadores de serviços de saúde, especialistas em saúde pública, comunidades de medicina tradicional e complementar, incluindo produtos, práticas envolvendo os profissionais, de forma multiprofissional. (OMS, 1979)
  4. 4. MARCO HISTÓRICO INTERNACIONAL ACUPUNTURA/MTC na: •CHINA •EUROPA •AMÉRICA
  5. 5. ACUPUNTURA NA CHINA A história da Acupuntura se confunde com a história da Medicina na China. Seus primórdios remontam à pré- história chinesa. A linguagem escrita milenar permitiu a continuidade do conhecimento. (Wen,Tom Sintan 2014)
  6. 6. As notícias sobre Acupuntura no ocidente chegaram com os primeiros exploradores europeus que visitaram o império Chinês ainda na idade média. (Rossetto e Coló, 2012)
  7. 7. Entre estes são comuns as referências a Marco Polo (1254 – 1324) mercador, embaixador e explorador italiano, aos Monges Jesuítas do século XVI e a Andreas Cleyer (1634 - 1698), botânico e orientalista da Companhia Holandesa das índias Ocidentais. (Villela, 2010)  
  8. 8. DIFUSÃO DA ACUPUNTURA NA EUROPA Soulié de Morant começou a aprender chinês com a idade de oito anos, sendo ensinada a língua por um jesuíta padre. Embora tinha a intenção de se tornar um médico, ele teve que desistir de seus planos quando o pai faleceu. Com a idade de vinte anos, Soulié de Morant foi contratado por um banco, que decidiu enviá-lo para a China em 1899. 
  9. 9. Com o profundo conhecimento de Soulié de Morant na língua chinesa, ele se juntou ao corpo diplomático francês, permanecendo pelas duas décadas seguintes. Soulié de Morant se convenceu da importância da Acupuntura quando testemunhou os efeitos do tratamento de Acupuntura durante uma epidemia de cólera em Pequim .
  10. 10.   Como Soulié atuou como cônsul em várias cidades chinesas, procurou professores que poderiam dar-lhe instrução em Acupuntura.
  11. 11. Voltou então para a França depois de vários anos de serviço consular. Foi então convencido pelo proeminente defensor da medicina alternativa, Paul Ferreyrolles (1880-1955), para colocar todos os seus esforços em traduzir obras chinesas sobre a Acupuntura. (Sussmann, 1995)
  12. 12. Sua obra l'Acuponcture chinoise, que foi baseada em textos chineses da Dinastia Ming, ainda é considerado como uma obra clássica sobre a Acupuntura e foi publicada em várias edições e traduções.
  13. 13. Foi Soulié quem criou os sistema de Acupuntura como conhecemos hoje, substituindo os nomes dos pontos em língua Chinesa por números em ordem crescente e com a letra maiúscula do nome do Meridiano (Exemplo: Pulmão - P)
  14. 14. MERIDIANOS E ANALOGIA DE SOULIÉ A própria palavra “Meridiano” que no dialeto chinês era denominado “MAI”, “Caminho-Trajeto” foi criado por Soulié, através de uma analogia aos Sistema de linhas imaginárias da Meridianos Terrestres. (Souza, 2003)
  15. 15. A ordem numérica determina o sentido do fluxo de Qi (Energia) no meridiano, o que segundo a tradição, determina angulação de inserção da agulha no Acuponto, determinando sedação e ou tonificação, na tentativa de facilitar a compreensão da Acupuntura pelos Europeus e principalmente pelos Franceses.
  16. 16. ACUPUNTURA NA AMÉRICA Nos Estados Unidos a Acupuntura chegou no início dos anos 70, graças ao ex-Presidente Richard Nixon que durante sua viagem a China, um dos membros de sua comitiva foi surpreendido por fortes dores de apendicite, recebendo de imediato tratamento com a Acupuntura/MTC. (Wen, Tom Sintan 2008)
  17. 17. ACUPUNTURA NA AMÉRICA Nixon ficou impressionado com a rápida recuperação e como o sistema de saúde chinês usava a Acupuntura com tanta eficácia, inclusive como anestésico em algumas cirurgias.
  18. 18. Hoje a popularidade da acupuntura na América tem crescido a cada ano. São vários hospitais, clínicas e spas que oferecem este tratamento. Alguns seguros de saúde pagam pelo tratamento. (Souza, J.L. 2004)
  19. 19. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS – PNPIC- SUS / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2006. 92 p. – (Série B. Textos Básicos de Saúde). • FRONER, T. M. Laserpuntura. (TCC). Universidade de São Paulo, São Carlos, 2007. • KUREBAYASHI, LEONICE FUMIKO SATO; FREITAS, GENIVAL FERNANDES DE; Acupuntura multiprofissional: aspectos éticos e legais – São Caetano do Sul – SP: Yendis Editora, 2011. • KUREBAYASHI, LEONICE FUMIKO SATO; FREITAS, GENIVAL FERNANDES DE; Acupuntura multiprofissional: aspectos éticos e legais – São Caetano do Sul – SP: Yendis Editora, 2011. • ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE / UNICEF. Cuidados Primários em Saúde. In: Conferência Mundial sobre Cuidados Primários. Relatório final. Brasília: UNICEF, Alma Ata, Cazaquistão, 1979.
  20. 20. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Estrategia de la OMS sobre medicina tradicional. 2002 – 2005. • ROSSETTO, SUZETE COLÓ; Acupuntura Multidisciplinar – São Paulo; Phorte, 2012. • SILVA, D. F. da. Psicologia e acupuntura: aspectos históricos, políticos e teóricos. Psicol. Cienc. Prof., v. 27, n. 3, 2007. • SOUZA, JEAN LUIS: Sistema de Ensino em Acupuntura (SEA), Módulo 1: Taoísmo. Uberlândia, Center Fisio-Imes, 2003. • SOUZA, JEAN LUIS: Sistema de Ensino em Acupuntura (SEA), Módulo 2: Cinco Elementos. Uberlândia, Center Fisio-Imes, 2004. • SOUZA, JEAN LUIS: Sistema de Ensino em Acupuntura (SEA), Módulo 3: Microssistemas, Diagnósticos e Constitucional. Uberlândia, Center Fisio- Imes, 2004. • SUSSMANN, DAVID J.; Acupuntura Teoria Y Práctica, Kier Editoda S.A., Buenos Aires- Argentina, 1995.
  21. 21. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • VILLELA, M. P. C.; LEMOS, M. E. S. Os cuidados do Enfermeiro- acupunturista ao paciente com angina estável: uma relação rumo à integralidade da assistência. Ver. RMR, v. 4, n. 14, 2010. • WEN, TOM SINTAN; Acupuntura clássica chinesa / - [2.ed., 3. Reimp.] – São Paulo: Cultrix, 2014. • WEN, TOM SINTAN; Manual terapêutico de acupuntura / editor Wu Tu Hsing; tradutora Míriam Akemi Kumatsu. – Barueri, SP: Manole, 2008. • FIGURA 1: Disponível em: https://exercicioesaude.wordpress.com/oms/ Acesso em Agosto de 2015

×