Plantas medicinais usadas em infecções respiratórias

7.197 visualizações

Publicada em

Curso de plantas medicinais e fitoterapia - Caso 6 - Plantas medicinais usadas em infecções respiratórias

Publicada em: Saúde e medicina

Plantas medicinais usadas em infecções respiratórias

  1. 1. PLANTAS MEDICINAIS USADAS EM INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS AGUDAS PLANTAS MEDICINAIS EM ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE CURSO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERAPIA PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
  2. 2. INFORMAÇÕES BÁSICAS As afecções respiratórias ocupam o primeiro lugar entre as doenças que afetam as crianças e adultos. Gripes, bronquites, pneumonia, asma (cansaço) infecções de garganta e, em conseqüência, infecções de ouvidos e sinusites, são doenças comuns e bem conhecidas das mães de nossas comunidades.
  3. 3. A maior parte das Infecções Respiratórias Agudas (IRA) começam de forma leve e podem ser controladas em casa, se a mãe estiver bem orientada com medicina e práticas caseiras; entretanto é importante conhecer sinais de alarme e saber encaminhar aos serviços de saúde locais os casos que necessitarem de atendimentos. Algumas medidas são importantíssimas para a prevenção e o controle das Infecções Respiratórias Agudas (IRA) as quais se encontram escritas em outras ações básicas de saúde e educação, desenvolvidas pelo Ministério da Saúde.
  4. 4. LEVE Entupimento do nariz; Secreção nasal clara ou purulenta; Dor de garganta; Garganta vermelha; Rouquidão; Tosse. MODERADA Dor de ouvido e/ ou secreção purulenta (pus no ouvido); Garganta vermelha com placa purulenta e febre em maiores de dois anos; Tosse com secreção purulenta (amarela-esverdeada); Mais de 50 movimentos respiratórios por minuto, em menores de 1 ano; e 40 movimentos respiratórios por minuto, em crianças de 1 a 4 anos. GRAVE Febre e batimento da asa do nariz; Garganta com membrana (placas); Afundamento do espaço entre as costelas; Gemido respiratório (piado no peito); Estado geral comprometido com agitação ou prostração, abatimento da criança. A Infecção Respiratória Aguda (IRA) pode ser considerada:
  5. 5. ATENÇÃO! É muito importante manter as crianças com a vacinação em dia. Recomenda-se, portanto, muito cuidado com o cartão de vacinas. Uma alimentação rica em vitaminas ajuda a fortalecer a resistência natural, pois as infecções respiratórias agudas se tornam muitas vezes graves devido a conseqüência da desnutrição da criança. Ao reconhecer os sinais nos casos de Infecções Respiratórias Moderada e Grave encaminhar o paciente ao médico.
  6. 6. LAMBEDOR (XAROPE CASEIRO) DE GUACO -1 frasco de açúcar; - Meio frasco de água fervida e filtrada; -Meio frasco de folhas de guaco (ou chambá) bem lavadas e cortadas em pequenos pedaços; -12 folhas de malvariço; -12 folhas de hortelã japonesa. COMPONENTES:
  7. 7. MODO DE FAZER: Colocar o açúcar e a água numa panela e aquecer até formar um mel. Depois colocar as folhas de guaco (ou chambá), e aquecer durante 3 minutos. Colocar em seguida as folhas de malvariço e hortelã e aquecer por mais 3 minutos agitando bem. Deixar esfriar, coar e guardar em vidro escaldado com água quente. O lambedor simples, contendo apenas folhas de malvariço, pode ser preparado com 12 folhas de malvariço aquecidas diretamente com o meio frasco de açucar até formar o mel. Coe e guarde em frasco escaldado. O lambedor é valido por sete dias fora da geladeira. NOTA: Observe na sua região as espécies correspondentes aos nomes populares citados para que utilize com segurança.
  8. 8. INDICAÇÃO: Em estados gripais. MODO DE USAR: Crianças: 2 a 6 anos – 1 colher de café 3 vezes ao dia; 7 a 12 anos – 1 colher das de sobremesa 3 vezes ao dia. Adultos: 1 colher das de sopa 3 vezes ao dia.
  9. 9. INALAÇÃO COM EUCALIPTO PARA ADULTO COMPONENTES E MODO DE FAZER: Colocar 1 litro de água fervente sobre uma porção de folhas (10 a 15 folhas) de eucalipto medicinal dentro de uma vasilha. MODO DE USAR: Aspirar o vapor pelo nariz e pela boca alternadamente através de um pequeno funil de papel.Uma alternativa é sentar-se e colocar essa vasilha contendo a preparação próxima aos pés, e envolver-se com um lençol de modo que os vapores passem por baixo do mesmo e possam ser inalados. INDICAÇÃO: Indicados em estados gripais como antisséptico das vias respiratórias.
  10. 10. ATENÇÃO! Não confundir o eucalipto medicinal com o eucalipto limão. O eucalipto medicinal tem cheiro que lembra os ungüentos de farmácia, enquanto o eucalipto-limão tem cheiro de desinfetante de banheiro.
  11. 11. INALAÇÃO COM EUCALIPTO PARA CRIANÇAS COMPONENTES E MODO DE FAZER: Colocar 1 litro de água fervente sobre uma porção de folhas de eucalipto medicinal dentro de uma vasilha. Deixar a preparação ao lado do local onde a criança estiver dormindo para que ela aspire o vapor. Colocar uma panela de água fervente no quarto fechado. Folhas de eucalipto acrescentadas a água tornam a vaporização mais agradável.
  12. 12. INDICAÇÃO: Indicado em estados gripais como antisséptico das vias respiratórias e como expectorante. ATENÇÃO! Fazer esta preparação somente quando a criança estiver dormindo.
  13. 13. BANHO COM EUCALIPTO MEDICINAL COMPONENTES E MODO DE FAZER: Colocar em uma vasilha 1 litro de água fervente sobre uma boa porção de eucalipto medicinal bem cortadas. Tampar a panela e deixar esfriar. Coar o chá em uma bacia; completar com água e fazer o banho morno.
  14. 14. INDICAÇÃO: Indicado em estados gripais como antisséptico das vias respiratórias e como expectorante. OBSERVAÇÕES: Pode-se utilizar para o banho, ao invés de folhas de eucalípto medicinal, folhas de alfavaca.Para esta forma de uso, as folhas de alfavaca devem ser coletadas no começo da manhã ou no final da tarde. ATENÇÃO! Esta preparação exige cuidado rigoroso. Verifique se a água do banho não está muito quente antes de usar.
  15. 15. COZIMENTO DE ROMÃ COMPONENTES: -1 colher das de sopa de casca trituradas do fruto de romã. -1 copo de água. MODO DE FAZER: Colocar em uma panela 1 colher das de sopa de cascas trituradas (secas ou frescas) do fruto da romã, 1 copo de água e deixar ferver durante 5 a 10 minutos. Pode adicionar açúcar a gosto.
  16. 16. MODO DE USAR: Utilizar como gargarejo 3 vezes ao dia. INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES: A casca do fruto também pode ser usada em pequenos pedaços, colocados em um frasco cobertos com açucar, que são chupados lentamente, principalmente nos primeiros dias da irritação da garganta. Pode ser usado também em lavagens vaginais ou compressas “nas partes” para tratamentos de herpes genital. Outra planta que também pode ser indicada para este caso é o cozimento das folhas de cajá. Atenção! Importante que o tratamento da herpes genital seja acompanhado pelo médico.
  17. 17. COMPONENTES: -10 frutos de acerola maduras (vermelhas). -1 copo de água. MODO DE FAZER: Liquidificar os frutos com a água, ou utilizar outra maneira caseira de espremer as frutas junto com a água, coar e adicionar açúcar a gosto. INDICAÇÃO: Fonte de vitamina C. Aumenta a resistência às infecções e favorece a recuperação da saúde. SUCO DE ACEROLA
  18. 18. MODO USAR: Toma-se diariamente um copo de suco recentemente preparado. INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES: Os sucos de caju, laranja e limão são também ricos em vitamina C. Esses sucos podem ser misturados ao de acerola. Esta vitamina apresenta os seguintes efeitos no organismo em doses adequadas: favorece a formação dos dentes e ossos; ajuda a resistir às doenças previne gripes, fraqueza muscular e infecções. Ajuda o sistema imunológico e a respiração celular, e protege os vasos sanguíneos. A vitamina C é importante para o funcionamento adequado das células brancas do sangue.
  19. 19. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Práticas Integrativas e Complementares; Plantas Medicinais e Fitoterapia na Atenção Básica/ Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica – Brasília: Ministério da Saúde, 2012. MATOS, F. J. A., Farmácias Vivas. 3º Ed. Fortaleza: EUFC, 1998, 219p. MATOS, F. J. A., BANDEIRA, M.A.M.. Manual de Orientação Farmacêutica sobre Preparação de Remédios Caseiros com Plantas Medicinais. Fortaleza: Projeto Farmácias Vivas, 2010, 40p. MATOS, F. J.A.. Plantas Medicinais: Guia de Seleção e emprego de Plantas usadas em Fitoterapia no Brasil. 3. Ed. Fortaleza: Ed. UFC, 2007. 263p. SOUSA et al. . Constituintes Químicos Ativos e Propriedades Biológicas de Plantas Medicinais Brasileiras. 2{ Ed. Fortaleza: EUFC, 2004, 448p.

×