Transtornos do humor

1.200 visualizações

Publicada em

aborda aspectos diagnosticos dos tratornos do humor (afetivos)

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.200
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
65
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Transtornos do humor

  1. 1. Transtornos do humor (Afetivos) Enf. Me. Aroldo Gavioli
  2. 2. AFETIVIDADE “Função psíquica que da cor, brilho e emoção às esferas intelectivas” • Relacionada aos sentimentos, paixões e emoções”. "fenômenos da afetividade; experiência sensível em relação a nuances do desejo, dor e prazer" (Ey, 1985) função psíquica • vida emocional • expressão externa das experiências internas
  3. 3. Significado psicológico de afeto Sentimento e emoção que se manifestam das mais variadas formas: amizade é uma forma de afeto. Psicologia. Um dos três tipos de função mental, juntamente, com a volição e com a cognição. Psicanálise. Estado emocional que se relaciona com a formação de uma pulsão.
  4. 4. HUMOR Emoção pervasiva e mantida que dá colorido às percepções do mundo. Somatória de emoções e sentimentos que estão presentes na consciência do indivíduo num determinado momento. Estado de disposição básica, difusa e prolongada da afetividade do sujeito. Capacidade polarizável
  5. 5. Código Internacionais de Doenças CID- 10 F 30 - EPISÓDIO MANÍACO F 31 - TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR F 32 - EPISÓDIO DEPRESSIVO F 33 - TRANSTORNO DEPRESSIVO RECORRENTE F 34 - TRANSTORNO RESISTENTE DO HUMOR F 38 - OUTROS TRANSTORNOS DO HUMOR F 39 - TRANSTORNO DO HUMOR NÃO ESPECIFICADO
  6. 6. Transtornos do humor - afetivos Alteração do humor ou do afeto, no sentido de uma depressão ou elação Modificação do nível global de atividade São Recorrentes Relação estreita com situações ou fatos estressantes. Acomete ~18% da população
  7. 7. Episódio maníaco • aumento do humor e da atividade, sem grave prejuízo profissional ou social. hipomania: • Elevação anormal do humor, disforia, perda da atenção, mania de grandeza com perda das inibições sociais, levando a condutas imprudentes, irrazoáveis, inapropriadas ou deslocadas. mania sem sintomas psicóticos: • Mania associada a idéias delirantes (em geral de grandeza) e agitação psicomotora. O sujeito se torna incompreensível ou inacessível a toda comunicação normal. • Estupor maníaco Mania com sintomas psicóticos
  8. 8. • Dois ou mais episódios de perturbação do humor e do nível de atividade do sujeito. • Alternância entre Elevação do humor e aumento da energia e da atividade (mania) e rebaixamento do humor e de redução da energia e da atividade (depressão). • Pacientes que sofrem somente de episódios repetidos de hipomania ou mania são classificados como bipolares. F31 Transtorno afetivo bipolar
  9. 9. Transtorno Afetivo Bipolar Eu te odeio – eu te amo; Perda de relacionamentos; Problemas no trabalho;
  10. 10. Transtorno Afetivo Bipolar Doença psiquiátrica crônica que evolui em episódios ou continuamente; Alternância no humor: • Da depressão à euforia. • Da normalidade à exaltação ou à raiva e à tristeza.
  11. 11. TAB • É uma doença biológica que se manifesta no comportamento da pessoa.
  12. 12. O Transtorno Afetivo Bipolar provoca: Distorção do humor e pensamentos, provoca comportamentos terríveis, destrói a base do pensamento racional e com grande frequência mina o desejo e a vontade de viver. Esta é uma doença que é biológica em sua origem, porém tem uma característica psicológica em sua vivência; uma doença que é singular por conferir vantagens e prazer, trazendo porém em seu rastro um sofrimento quase que insuportável e, não raro, suicídio.”
  13. 13. Formas do TAB Tipo I • Fases de depressão e mania Tipo II • Fases de depressão e de hipomania
  14. 14. Mania Humor expansivo, elevado, eufórico Busca de necessidade prazerosa; Insônia; Começa muitas atividades, faz as coisas ao mesmo tempo – não termina; Impulsividade: • Bebidas, • Compras, • Sexo.
  15. 15. Mania Riscos à integridade física, social ou econômica: • Perda de relacionamentos; • Gastos excessivos; • Comportamentos de risco – álcool, drogas, sexo; Fuga de ideias; Aumento de energia mental ou física;
  16. 16. Mania Sentimento de invencibilidade; Sintomas psicóticos:
  17. 17. Cicladores • Rápidos • Ultrarrápidos Estados mistos
  18. 18. Diagnóstico Tardio – apesar de iniciar cedo a evolução é lenta; Difere quanto ao seu curso; Histórico do paciente; Histórico familiar; Clínico: não há exames!
  19. 19. Tratamento Família; • Mania ou hipomania: o paciente não acha que está doente; Medicamentos; • Fase aguda; • Prevenir recaídas;
  20. 20. Tratamento Manter qualidade de vida: • Hábitos saudáveis de vida: Alimentar-se e dormir bem, fazer exercício físico regularmente, evitar o uso de drogas; Estabilidade; Medicamentoso; Psicoeducação; Psicoterapia – TCC;
  21. 21. Tratamento do TAB O tratamento do TAB se faz com o uso de estabilizadores de humor(EH). O EH mais utilizado mundialmente é o Lítio, no Brasil utiliza-se o carbonato de lítio. Em alguns casos é necessário a utilização conjunta de antidepressivos, antipsicóticos, ansiolíticos. Por se tratar de uma doença grave, o uso de um único medicamento geralmente é insuficiente para o controle completo dos sintomas. A carbamazepina, oxcarbazepina e o ácido valpróico também se mostram eficazes. Acompanhamento psiquiátrico por longo período deve ser seguido, associado com psicoterapia que colabora no tratamento comportamental e cognitivo.
  22. 22. Medicação utilizada nos transtornos do humor EPISÓDIO MANÍACO MEDICAÇÃO dose inicial - faixa terapêutica (mg/dia) Lítio (1970) 300 – 900; 900 a 1800 - nível plasmático 0,5 a 1,5 mEq/l Clorpromazina (1995) 25 a 2000 Divalproato (1995) 250 – 750; 500 a 3000 - nível plasmático 80 a 125 mcg/ml ( > eficácia acima de 94 mcg/ml)21 Olanzapina (2000) 10 – 15; 10 – 30 Risperidona (2003) 3; 2 – 8 Quetiapina (2004) 100; 300 – 800 Ziprazidona (2004) 80; 120 - 200 Aripiprazol (2004) 30; 15 – 30 Carbamazepina (2004) 200 – 600; 200 a 1600 – nível plasmático 4 a 12 mcg/ml
  23. 23. Medicação utilizada nos transtornos do humor EPISÓDIO DEPRESSIVO MEDICAÇÃO dose inicial - faixa terapêutica (mg/dia) Olanzapina-fluoxetina (2003) 6-25; 6-25 a 12-50, respectivamente Quetiapina (2006) 100; 300 - 800 MANUTENÇÃO/PROFILAXIA Lítio (1974) 300 – 900; 900 a 1800 - nível plasmático 0,5 a 1,5 mEq/l Lamotrigina (2003) 25; 50 – 200. Obs. Prevenção de episódios depressivos Olanzapina (2004) 10 – 15; 10 – 30 Aripiprazol (2005) 30; 15 – 30

×