SlideShare uma empresa Scribd logo
PREVENÇÃO AO
USO DE DROGAS
AULA 1 – AS DROGAS NA SOCIEDADE
MODERNA
DEFINIÇÃO
• substâncias químicas especiais chamadas de
psicoativas ou psicotrópicas, que produzem
no organismo alterações psíquicas e de
comportamento, uma vez que exercem efeitos
sobre o cérebro e o Sistema Nervoso Central .
EFEITO DA DROGAS
• SENSAÇÕES DE:
• Sedação,
• Excitação,
• Alucinações (“barato”)
• PODEM AFETAR:
• A percepção,
• A inteligência,
• A memória,
• O raciocínio,
• As motivações ou o autocontrole.
HISTÓRICO DAS DROGAS
• SEMPRE EXISTIRAM NAS SOCIEDADES
ORGANIZADAS:
• O uso era determinado pelos costumes e hábitos
sociais, e ajudavam a integrar as pessoas na
comunidade, através de cerimônias coletivas,
rituais ou festas.
• Uso esporádico – não representava perigo
para a comunidade
UTILIZAÇÃO ADEQUADA
• TODO MEDICAMENTO
É UMA DROGA.
• Contudo, bem utilizado
pode sanar males e
amenizar sintomas.
• É a utilização científica ou
“positiva” das drogas.
A SOCIEDADE MODERNA E
AS DROGAS
• OS ANOS 80 VIRAM
SURGIR E SE
ESTABELECER O
NARCOTRÁFICO E A
“EXPLOSÃO” NO
CONSUMO DE
DROGAS
CLASSIFICAÇÃO
DAS DROGAS
QUANTO A ORIGEM
• Naturais: são aquelas disponíveis na natureza, que
não necessitam de industrialização, por exemplo:
maconha e os cogumelos.
• Semissintéticas: são aquelas disponíveis na natureza
que passam por um processo químico realizado em
laboratório, para facilitar o consumo. Exemplos:
cocaína, tabaco (cigarro) e o álcool.
• Sintéticas: são aquelas produzidas exclusivamente,
por manipulação química em laboratório. Exemplos:
LSD e “ecstasy”. Nesta categoria incluem-se
também os remédios, calmantes e os barbitúricos,
fabricados pela indústria farmacêutica com
finalidade clinica.
QUANTO A AÇÃO
• Depressoras: Como o próprio nome diz, estas substâncias
(deprimem) diminuem a atividade do sistema nervoso central.
Exemplos: álcool, tranquilizantes, solventes e inalantes (cola).
• Estimulantes: São substâncias que aumentam a atividade do
cérebro. Exemplos: cocaína, crack, nicotina e cafeína.
• Alucinógenas ou perturbadoras: São aquelas que alteram, no
indivíduo, a percepção, o entendimento da realidade. Exemplos:
mescalina, maconha, cogumelos, lírios, LSD e “ecstasy”.
• Medicações psiquiátricas: Estas drogas são utilizadas no
tratamento de transtornos mentais. Exemplos: antipsicóticos,
antidepressivos e estabilizantes do humor.
QUANTO A FORMA DE USO
• Via oral: É considerado o meio mais comum,
sendo caracterizado pela ingestão de
comprimidos, líquidos, pós e pastilhas.
• Via mucosa e pele: A absorção se dá através da
pele e da mucosa do nariz, boca, olhos e garganta
(medicamentos líquidos ou pomadas).
• Inalação: A inalação é o método de uso mais
rápido, e fácil, através do olfato.
• Injeção: Utilizada sob as formas: subcutânea
(embaixo da pele), intramuscular (no músculo) e
intravenosa (na veia).
QAUNTO A LEGALIDADE
• Lícitas: São aquelas
drogas cujo consumo,
comercialização e
produção são permitidas
por lei, tais como álcool,
cigarro e medicamentos.
• Ilícitas: São aquelas cuja
produção, comercialização
e o consumo são
considerados crime, tais
como maconha, cocaína,
crack, heroína etc.
USO DE DROGAS – BRASIL 2005
ESTIMATIVA DO CONSUMO DE
CRACK – BRASIL 2012
QUANTO ÁS
CARACTERÍSTICAS DE USO
• Uso experimental: é o primeiro contato com a
droga, motivados pela curiosidade (escola ou grupo
de amigos – necessidade de ser “igual”).
• Uso recreacional/social: ocorre em ambientes
favoráveis, geralmente entre amigos que desejam
compartilhar experiências percebidas como
aceitáveis e prazerosas, sem apresentar problemas
nos campos afetivos, social ou profissional.
• Uso intenso: é caracterizado uso como de longa
duração, no mínimo de uma vez ao dia. O indivíduo
exibe uma necessidade ou desejo de obter alívio de
problemas persistentes ou situação estressante.
QUANTO ÁS
CARACTERÍSTICAS DE USO
• Uso compulsivo: uso de drogas em grandes quantidades ou
por período de tempo maior do que aquele previamente
intencionado.
• Uso nocivo: caracterizado por danos à saúde decorrentes do
consumo. Este dano pode ser tanto de natureza física como
psíquica.
• Abuso: padrão de uso desajustado, apesar do
reconhecimento de problemas físicos, psicológicos, sociais
ou ocupacionais, decorrentes desse uso.
• Poliusuário: refere-se a quem utiliza mais do que uma droga
frequentemente e ao mesmo tempo com a intenção de
aumentar, potencializar ou conter os efeitos da droga.
EFEITOS DAS DROGAS
• NO SISTEMA NERVOSO CENTRAL:
• Agudos – sintomas de curta
duração que ocorrem durante
o uso da substância:
• Crônicos – sintomas de longa
duração, ocorrem depois do
uso prolongado da substância.
EFEITOS DAS DROGAS
• Efeitos somáticos – sintomas que se manifestam no
organismo;
• Efeitos psíquicos – sintomas que se manifestam na
mente.
EFEITOS DAS DROGAS
• PROVOCAM SINTOMAS OU
SÍNDROMES:
• Dependência (Síndrome de dependência) –
Necessidade incontrolável de continuar o
consumo da droga.
• Tolerância – Para alcançar os mesmos efeitos,
necessitam de doses cada vez maiores.
• Abstinência (Síndrome de Abstinência) –
Situação em que o organismo se vê sem a droga.
DISTINÇÃO DOS USUÁRIOS
• Uso na vida: o uso de droga pelo menos uma vez na vida
• Uso no ano: pelo menos uma vez nos últimos doze meses
• Uso recente ou no mês: pelo menos uma vez nos últimos 30
dias
• Uso frequente: seis ou mais vezes nos últimos 30 dias
• Uso de risco: padrão de uso que implica alto risco de dano à
saúde física ou mental do usuário, mas que ainda não
resultou em doença orgânica ou psicológica
• Uso prejudicial: padrão de uso que já está causando dano à
saúde física ou mental
DISTINÇÃO DOS USUÁRIOS
• Não-usuário: nunca utilizou drogas
• Usuário leve: utilizou drogas no último mês, mas o
consumo foi menor que uma vez por semana
• Usuário moderado: utilizou drogas semanalmente,
mas não todos os dias, durante o último mês
• Usuário pesado: utilizou drogas diariamente
durante o último mês.
•
FATORES DE RISCO
• Sem informações adequadas
sobre as drogas e seus
efeitos;
• Com uma saúde deficiente;
• Insatisfeita com sua
qualidade de vida;
• Com personalidade
vulnerável ou mal
integrada;
• Com fácil acesso às drogas.
FATORES DE RISCO
• Em contrapartida, corre menos riscos de
utilizar drogas a pessoa:
• Bem informada;
• Com boa saúde;
• Com qualidade de vida satisfatória;
• Bem integrada em si mesma, na família e na sociedade;
• Com difícil acesso às drogas
TIPOS DE USUÁRIOS
• experimentador: limita-se a experimentar uma ou várias drogas, por
diversos motivos, como curiosidade, novas experiências, pressões do
grupo de pares, da publicidade;
• usuário ocasional: utiliza um ou vários produtos, de vez em quando, se
o ambiente for favorável e a droga disponível. Não há dependências
nem ruptura das relações afetivas, profissionais e sociais;
• usuário habitual ou “funcional”: faz o uso frequente de drogas, em
suas relações já se observam sinais de rupturas. Ainda “funciona”
socialmente, com riscos de dependência;
• usuário dependente ou “disfuncional”: vive pela droga e para a
droga, quase exclusivamente. Como consequência rompe-se os vínculos
familiares e sociais, o que provoca isolamento e marginalização,
acompanhados de decadência física e moral.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDEDROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
Zelton Alves Oliveira
 
Apresentação drogas escola
Apresentação drogas escolaApresentação drogas escola
Apresentação drogas escola
Alinebrauna Brauna
 
Slides drogas-2
Slides   drogas-2Slides   drogas-2
Slides drogas-2
Dallyla Sohara
 
Palestras sobre drogas
Palestras sobre drogasPalestras sobre drogas
Palestras sobre drogas
Otacilio Fraga
 
Prevenção ao uso de drogas
Prevenção ao uso de drogasPrevenção ao uso de drogas
Prevenção ao uso de drogas
Luiz Siles
 
Palestra sobre drogas atual 2010
Palestra sobre drogas atual 2010Palestra sobre drogas atual 2010
Palestra sobre drogas atual 2010
Alinebrauna Brauna
 
Drogas na Adolescência
Drogas na AdolescênciaDrogas na Adolescência
Drogas na Adolescência
Thais Andalaft
 
ÁLcool e outras drogas
ÁLcool e outras  drogasÁLcool e outras  drogas
ÁLcool e outras drogas
Centro Universitário Ages
 
Drogas
DrogasDrogas
DROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando Abreu
DROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando AbreuDROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando Abreu
DROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando Abreu
Fernando Abreu
 
Palestra prevencao drogas
Palestra prevencao drogasPalestra prevencao drogas
Palestra prevencao drogas
Prefeitura Municipal de Bandeirantes,PR
 
Alcoolismo (4)
Alcoolismo (4)Alcoolismo (4)
Alcoolismo (4)
Alinebrauna Brauna
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
DrogasDrogas
Drogas licitas e ilicitas - Tema para SIPAT
Drogas licitas e ilicitas - Tema para SIPATDrogas licitas e ilicitas - Tema para SIPAT
Drogas licitas e ilicitas - Tema para SIPAT
Claudio Cesar Pontes ن
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas e alcool
Drogas e alcool Drogas e alcool
Drogas e alcool
Dr.Marcelinho Correia
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas apresentação
Drogas   apresentaçãoDrogas   apresentação
Drogas apresentação
cinthyamaduro
 
Alcoolismo (3)
Alcoolismo (3)Alcoolismo (3)
Alcoolismo (3)
Alinebrauna Brauna
 

Mais procurados (20)

DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDEDROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
 
Apresentação drogas escola
Apresentação drogas escolaApresentação drogas escola
Apresentação drogas escola
 
Slides drogas-2
Slides   drogas-2Slides   drogas-2
Slides drogas-2
 
Palestras sobre drogas
Palestras sobre drogasPalestras sobre drogas
Palestras sobre drogas
 
Prevenção ao uso de drogas
Prevenção ao uso de drogasPrevenção ao uso de drogas
Prevenção ao uso de drogas
 
Palestra sobre drogas atual 2010
Palestra sobre drogas atual 2010Palestra sobre drogas atual 2010
Palestra sobre drogas atual 2010
 
Drogas na Adolescência
Drogas na AdolescênciaDrogas na Adolescência
Drogas na Adolescência
 
ÁLcool e outras drogas
ÁLcool e outras  drogasÁLcool e outras  drogas
ÁLcool e outras drogas
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
DROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando Abreu
DROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando AbreuDROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando Abreu
DROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando Abreu
 
Palestra prevencao drogas
Palestra prevencao drogasPalestra prevencao drogas
Palestra prevencao drogas
 
Alcoolismo (4)
Alcoolismo (4)Alcoolismo (4)
Alcoolismo (4)
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Drogas licitas e ilicitas - Tema para SIPAT
Drogas licitas e ilicitas - Tema para SIPATDrogas licitas e ilicitas - Tema para SIPAT
Drogas licitas e ilicitas - Tema para SIPAT
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Drogas e alcool
Drogas e alcool Drogas e alcool
Drogas e alcool
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Drogas apresentação
Drogas   apresentaçãoDrogas   apresentação
Drogas apresentação
 
Alcoolismo (3)
Alcoolismo (3)Alcoolismo (3)
Alcoolismo (3)
 

Destaque

Drogas
Drogas Drogas
Drogas
PqpBiersack
 
Drogas - Pesquisa em Área de Projecto
Drogas - Pesquisa em Área de ProjectoDrogas - Pesquisa em Área de Projecto
Drogas - Pesquisa em Área de Projecto
Maria Olinda Mineiro
 
A triste realidade do usuário de drogas - Edson Zanata
A triste realidade do usuário de drogas - Edson ZanataA triste realidade do usuário de drogas - Edson Zanata
A triste realidade do usuário de drogas - Edson Zanata
Edson Zanata
 
Brigada apresentação
Brigada   apresentaçãoBrigada   apresentação
Brigada apresentação
davisilva1985
 
trabalho anjos caido
 trabalho anjos caido trabalho anjos caido
trabalho anjos caido
Governo do Estado de Rondonia
 
Projeto recover
Projeto recoverProjeto recover
Projeto recover
Laura Marcht
 
Drogas na Escola 2014 PSE
Drogas na Escola 2014 PSEDrogas na Escola 2014 PSE
Drogas na Escola 2014 PSE
SMEdeItabaianinha
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
wladimir
 
Tipos de Drogas
Tipos de DrogasTipos de Drogas
Tipos de Drogas
maria.j.fontes
 
Slide sobre drogas
Slide sobre drogasSlide sobre drogas
Slide sobre drogas
Ericka Vanessa Andrade
 
Medicamentos na gravidez e lactação
Medicamentos na gravidez e lactaçãoMedicamentos na gravidez e lactação
Medicamentos na gravidez e lactação
Felipe Assan Remondi
 
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.Drogas: tipos, efeitos e prevenção.
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.
Paulo Firmino
 
Drogas. trabalho
Drogas. trabalhoDrogas. trabalho
Drogas. trabalho
Inês Magalhães
 
Medicamentos e amamentação
Medicamentos e amamentaçãoMedicamentos e amamentação
Medicamentos e amamentação
Aline Maria Sá Nascimento
 
CARTILHA SOBRE DROGAS
CARTILHA SOBRE DROGASCARTILHA SOBRE DROGAS
CARTILHA SOBRE DROGAS
Jéssica Angelo
 
Drogas Ilegais
Drogas IlegaisDrogas Ilegais
Drogas Ilegais
Debora Jesus
 
As drogas
As drogasAs drogas
As drogas
0jorge321
 
Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2
Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2
Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2
Eduardo Cordioli
 
Projeto apagando o fogo das drogas e acendendo a chama da vida
Projeto apagando o fogo das drogas e acendendo a chama da vidaProjeto apagando o fogo das drogas e acendendo a chama da vida
Projeto apagando o fogo das drogas e acendendo a chama da vida
elimscosta
 
Uma dose de história: uma introdução à história das drogas e o contexto atual
Uma dose de história: uma introdução à história das drogas e o contexto atualUma dose de história: uma introdução à história das drogas e o contexto atual
Uma dose de história: uma introdução à história das drogas e o contexto atual
Gabriela Haack
 

Destaque (20)

Drogas
Drogas Drogas
Drogas
 
Drogas - Pesquisa em Área de Projecto
Drogas - Pesquisa em Área de ProjectoDrogas - Pesquisa em Área de Projecto
Drogas - Pesquisa em Área de Projecto
 
A triste realidade do usuário de drogas - Edson Zanata
A triste realidade do usuário de drogas - Edson ZanataA triste realidade do usuário de drogas - Edson Zanata
A triste realidade do usuário de drogas - Edson Zanata
 
Brigada apresentação
Brigada   apresentaçãoBrigada   apresentação
Brigada apresentação
 
trabalho anjos caido
 trabalho anjos caido trabalho anjos caido
trabalho anjos caido
 
Projeto recover
Projeto recoverProjeto recover
Projeto recover
 
Drogas na Escola 2014 PSE
Drogas na Escola 2014 PSEDrogas na Escola 2014 PSE
Drogas na Escola 2014 PSE
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Tipos de Drogas
Tipos de DrogasTipos de Drogas
Tipos de Drogas
 
Slide sobre drogas
Slide sobre drogasSlide sobre drogas
Slide sobre drogas
 
Medicamentos na gravidez e lactação
Medicamentos na gravidez e lactaçãoMedicamentos na gravidez e lactação
Medicamentos na gravidez e lactação
 
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.Drogas: tipos, efeitos e prevenção.
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.
 
Drogas. trabalho
Drogas. trabalhoDrogas. trabalho
Drogas. trabalho
 
Medicamentos e amamentação
Medicamentos e amamentaçãoMedicamentos e amamentação
Medicamentos e amamentação
 
CARTILHA SOBRE DROGAS
CARTILHA SOBRE DROGASCARTILHA SOBRE DROGAS
CARTILHA SOBRE DROGAS
 
Drogas Ilegais
Drogas IlegaisDrogas Ilegais
Drogas Ilegais
 
As drogas
As drogasAs drogas
As drogas
 
Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2
Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2
Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2
 
Projeto apagando o fogo das drogas e acendendo a chama da vida
Projeto apagando o fogo das drogas e acendendo a chama da vidaProjeto apagando o fogo das drogas e acendendo a chama da vida
Projeto apagando o fogo das drogas e acendendo a chama da vida
 
Uma dose de história: uma introdução à história das drogas e o contexto atual
Uma dose de história: uma introdução à história das drogas e o contexto atualUma dose de história: uma introdução à história das drogas e o contexto atual
Uma dose de história: uma introdução à história das drogas e o contexto atual
 

Semelhante a Prevenção ao uso de drogas - Aula 1

Drogas - Profº Gilberto de Jesus
Drogas - Profº Gilberto de JesusDrogas - Profº Gilberto de Jesus
Drogas - Profº Gilberto de Jesus
Gilberto de Jesus
 
Drogas tabela
Drogas tabelaDrogas tabela
Drogas tabela
savaro
 
dependencia-quimica-160217163618 (1).pptx
dependencia-quimica-160217163618 (1).pptxdependencia-quimica-160217163618 (1).pptx
dependencia-quimica-160217163618 (1).pptx
MillaCorreia1
 
Drogas_psicotrópicas (1).pdf, 1234556789
Drogas_psicotrópicas (1).pdf, 1234556789Drogas_psicotrópicas (1).pdf, 1234556789
Drogas_psicotrópicas (1).pdf, 1234556789
iagodosal
 
Drogas e Medicamentos.pptx
Drogas e Medicamentos.pptxDrogas e Medicamentos.pptx
Drogas e Medicamentos.pptx
PriscilaBiggi1
 
Substâncias Psicoactivas
Substâncias PsicoactivasSubstâncias Psicoactivas
Substâncias Psicoactivas
tocha_turma9a
 
O que é dependência química conceitos fundamentais
O que é dependência química conceitos fundamentaisO que é dependência química conceitos fundamentais
O que é dependência química conceitos fundamentais
Ricardo Alexandre
 
Toxicodependencia
ToxicodependenciaToxicodependencia
Toxicodependencia
TAS2012
 
Drogas e medicamentos
Drogas e medicamentosDrogas e medicamentos
Drogas e medicamentos
8Egrupo3
 
DROGAS.pptxreeteterterytyytgfhjhjghjhjhkgjghjkghj
DROGAS.pptxreeteterterytyytgfhjhjghjhjhkgjghjkghjDROGAS.pptxreeteterterytyytgfhjhjghjhjhkgjghjkghj
DROGAS.pptxreeteterterytyytgfhjhjghjhjhkgjghjkghj
PedroCaquarta
 
O uso de substâncias psicoativas
O uso de substâncias psicoativasO uso de substâncias psicoativas
O uso de substâncias psicoativas
Mirelly Melo
 
auladrogas-130702180709-phpapp01.ppt
auladrogas-130702180709-phpapp01.pptauladrogas-130702180709-phpapp01.ppt
auladrogas-130702180709-phpapp01.ppt
Zezinho Joao
 
Dep quimica
Dep quimicaDep quimica
Dep quimica
F R
 
Drogas inlicitas e proibidas, como evitar.pptx
Drogas inlicitas e proibidas, como evitar.pptxDrogas inlicitas e proibidas, como evitar.pptx
Drogas inlicitas e proibidas, como evitar.pptx
AlitofaqueMomade
 
Trabalho sobre drogas
Trabalho sobre drogasTrabalho sobre drogas
Trabalho sobre drogas
wolveninex lol
 
Curtir Sem Drogas
Curtir Sem DrogasCurtir Sem Drogas
Curtir Sem Drogas
ivanaferraz
 
Dependência química no ambiente de trabalho | Espaco Holos
Dependência química no ambiente de trabalho | Espaco HolosDependência química no ambiente de trabalho | Espaco Holos
Dependência química no ambiente de trabalho | Espaco Holos
Espaço Holos | Psiquiatria Integrada
 
Psicofarmacologia
PsicofarmacologiaPsicofarmacologia
Psicofarmacologia
Leomarques13
 
I seminário de educação física
I seminário de educação físicaI seminário de educação física
I seminário de educação física
adaniloferreira
 
Drogas
DrogasDrogas

Semelhante a Prevenção ao uso de drogas - Aula 1 (20)

Drogas - Profº Gilberto de Jesus
Drogas - Profº Gilberto de JesusDrogas - Profº Gilberto de Jesus
Drogas - Profº Gilberto de Jesus
 
Drogas tabela
Drogas tabelaDrogas tabela
Drogas tabela
 
dependencia-quimica-160217163618 (1).pptx
dependencia-quimica-160217163618 (1).pptxdependencia-quimica-160217163618 (1).pptx
dependencia-quimica-160217163618 (1).pptx
 
Drogas_psicotrópicas (1).pdf, 1234556789
Drogas_psicotrópicas (1).pdf, 1234556789Drogas_psicotrópicas (1).pdf, 1234556789
Drogas_psicotrópicas (1).pdf, 1234556789
 
Drogas e Medicamentos.pptx
Drogas e Medicamentos.pptxDrogas e Medicamentos.pptx
Drogas e Medicamentos.pptx
 
Substâncias Psicoactivas
Substâncias PsicoactivasSubstâncias Psicoactivas
Substâncias Psicoactivas
 
O que é dependência química conceitos fundamentais
O que é dependência química conceitos fundamentaisO que é dependência química conceitos fundamentais
O que é dependência química conceitos fundamentais
 
Toxicodependencia
ToxicodependenciaToxicodependencia
Toxicodependencia
 
Drogas e medicamentos
Drogas e medicamentosDrogas e medicamentos
Drogas e medicamentos
 
DROGAS.pptxreeteterterytyytgfhjhjghjhjhkgjghjkghj
DROGAS.pptxreeteterterytyytgfhjhjghjhjhkgjghjkghjDROGAS.pptxreeteterterytyytgfhjhjghjhjhkgjghjkghj
DROGAS.pptxreeteterterytyytgfhjhjghjhjhkgjghjkghj
 
O uso de substâncias psicoativas
O uso de substâncias psicoativasO uso de substâncias psicoativas
O uso de substâncias psicoativas
 
auladrogas-130702180709-phpapp01.ppt
auladrogas-130702180709-phpapp01.pptauladrogas-130702180709-phpapp01.ppt
auladrogas-130702180709-phpapp01.ppt
 
Dep quimica
Dep quimicaDep quimica
Dep quimica
 
Drogas inlicitas e proibidas, como evitar.pptx
Drogas inlicitas e proibidas, como evitar.pptxDrogas inlicitas e proibidas, como evitar.pptx
Drogas inlicitas e proibidas, como evitar.pptx
 
Trabalho sobre drogas
Trabalho sobre drogasTrabalho sobre drogas
Trabalho sobre drogas
 
Curtir Sem Drogas
Curtir Sem DrogasCurtir Sem Drogas
Curtir Sem Drogas
 
Dependência química no ambiente de trabalho | Espaco Holos
Dependência química no ambiente de trabalho | Espaco HolosDependência química no ambiente de trabalho | Espaco Holos
Dependência química no ambiente de trabalho | Espaco Holos
 
Psicofarmacologia
PsicofarmacologiaPsicofarmacologia
Psicofarmacologia
 
I seminário de educação física
I seminário de educação físicaI seminário de educação física
I seminário de educação física
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 

Mais de RASC EAD

Convivência Familiar
Convivência FamiliarConvivência Familiar
Convivência Familiar
RASC EAD
 
Ferramentas de gestao para melhoria pessoal
Ferramentas de gestao para melhoria pessoalFerramentas de gestao para melhoria pessoal
Ferramentas de gestao para melhoria pessoal
RASC EAD
 
Mudanças
MudançasMudanças
Mudanças
RASC EAD
 
Proatividade
ProatividadeProatividade
Proatividade
RASC EAD
 
Proatividade
ProatividadeProatividade
Proatividade
RASC EAD
 
nocoes de etica profissional
nocoes de etica profissionalnocoes de etica profissional
nocoes de etica profissional
RASC EAD
 
Aula 2 - parte 4 - Direitos do aprendiz
Aula 2 - parte 4 - Direitos do aprendizAula 2 - parte 4 - Direitos do aprendiz
Aula 2 - parte 4 - Direitos do aprendiz
RASC EAD
 
Aula 2 - parte 3 - Direitos dos aprendizes continuacao
Aula 2 - parte 3 - Direitos dos aprendizes continuacaoAula 2 - parte 3 - Direitos dos aprendizes continuacao
Aula 2 - parte 3 - Direitos dos aprendizes continuacao
RASC EAD
 
Aula 2 - parte 2 - Direitos do aprendiz - salarios ferias e decimo terceiro
Aula 2 - parte 2 - Direitos do aprendiz - salarios ferias e decimo terceiroAula 2 - parte 2 - Direitos do aprendiz - salarios ferias e decimo terceiro
Aula 2 - parte 2 - Direitos do aprendiz - salarios ferias e decimo terceiro
RASC EAD
 
Aula 2 - Introducao a aprendizagem profissional
Aula 2 - Introducao a aprendizagem profissionalAula 2 - Introducao a aprendizagem profissional
Aula 2 - Introducao a aprendizagem profissional
RASC EAD
 
Oficina Apresentação Pessoal - Ana Maria
Oficina Apresentação Pessoal - Ana MariaOficina Apresentação Pessoal - Ana Maria
Oficina Apresentação Pessoal - Ana Maria
RASC EAD
 
Organização financeira - Professor Sotrati
Organização financeira - Professor SotratiOrganização financeira - Professor Sotrati
Organização financeira - Professor Sotrati
RASC EAD
 
Aula 6 Você fazendo a diferença
Aula 6 Você fazendo a diferençaAula 6 Você fazendo a diferença
Aula 6 Você fazendo a diferença
RASC EAD
 
Aula introdutoria - A lei da aprendizagem
Aula introdutoria - A lei da aprendizagemAula introdutoria - A lei da aprendizagem
Aula introdutoria - A lei da aprendizagem
RASC EAD
 
Aula introdutória - A lei da aprendizagem - Luiz
Aula introdutória  - A lei da aprendizagem - LuizAula introdutória  - A lei da aprendizagem - Luiz
Aula introdutória - A lei da aprendizagem - Luiz
RASC EAD
 
Matematica Juros Simples
Matematica Juros SimplesMatematica Juros Simples
Matematica Juros Simples
RASC EAD
 
Matematica - Aulas 5 e 6
Matematica - Aulas 5 e 6Matematica - Aulas 5 e 6
Matematica - Aulas 5 e 6
RASC EAD
 
Aula 14 secretariado
Aula 14 secretariadoAula 14 secretariado
Aula 14 secretariado
RASC EAD
 
Aula 12 secretariado
Aula 12 secretariadoAula 12 secretariado
Aula 12 secretariado
RASC EAD
 
Aula 3 Secretariado
Aula 3 SecretariadoAula 3 Secretariado
Aula 3 Secretariado
RASC EAD
 

Mais de RASC EAD (20)

Convivência Familiar
Convivência FamiliarConvivência Familiar
Convivência Familiar
 
Ferramentas de gestao para melhoria pessoal
Ferramentas de gestao para melhoria pessoalFerramentas de gestao para melhoria pessoal
Ferramentas de gestao para melhoria pessoal
 
Mudanças
MudançasMudanças
Mudanças
 
Proatividade
ProatividadeProatividade
Proatividade
 
Proatividade
ProatividadeProatividade
Proatividade
 
nocoes de etica profissional
nocoes de etica profissionalnocoes de etica profissional
nocoes de etica profissional
 
Aula 2 - parte 4 - Direitos do aprendiz
Aula 2 - parte 4 - Direitos do aprendizAula 2 - parte 4 - Direitos do aprendiz
Aula 2 - parte 4 - Direitos do aprendiz
 
Aula 2 - parte 3 - Direitos dos aprendizes continuacao
Aula 2 - parte 3 - Direitos dos aprendizes continuacaoAula 2 - parte 3 - Direitos dos aprendizes continuacao
Aula 2 - parte 3 - Direitos dos aprendizes continuacao
 
Aula 2 - parte 2 - Direitos do aprendiz - salarios ferias e decimo terceiro
Aula 2 - parte 2 - Direitos do aprendiz - salarios ferias e decimo terceiroAula 2 - parte 2 - Direitos do aprendiz - salarios ferias e decimo terceiro
Aula 2 - parte 2 - Direitos do aprendiz - salarios ferias e decimo terceiro
 
Aula 2 - Introducao a aprendizagem profissional
Aula 2 - Introducao a aprendizagem profissionalAula 2 - Introducao a aprendizagem profissional
Aula 2 - Introducao a aprendizagem profissional
 
Oficina Apresentação Pessoal - Ana Maria
Oficina Apresentação Pessoal - Ana MariaOficina Apresentação Pessoal - Ana Maria
Oficina Apresentação Pessoal - Ana Maria
 
Organização financeira - Professor Sotrati
Organização financeira - Professor SotratiOrganização financeira - Professor Sotrati
Organização financeira - Professor Sotrati
 
Aula 6 Você fazendo a diferença
Aula 6 Você fazendo a diferençaAula 6 Você fazendo a diferença
Aula 6 Você fazendo a diferença
 
Aula introdutoria - A lei da aprendizagem
Aula introdutoria - A lei da aprendizagemAula introdutoria - A lei da aprendizagem
Aula introdutoria - A lei da aprendizagem
 
Aula introdutória - A lei da aprendizagem - Luiz
Aula introdutória  - A lei da aprendizagem - LuizAula introdutória  - A lei da aprendizagem - Luiz
Aula introdutória - A lei da aprendizagem - Luiz
 
Matematica Juros Simples
Matematica Juros SimplesMatematica Juros Simples
Matematica Juros Simples
 
Matematica - Aulas 5 e 6
Matematica - Aulas 5 e 6Matematica - Aulas 5 e 6
Matematica - Aulas 5 e 6
 
Aula 14 secretariado
Aula 14 secretariadoAula 14 secretariado
Aula 14 secretariado
 
Aula 12 secretariado
Aula 12 secretariadoAula 12 secretariado
Aula 12 secretariado
 
Aula 3 Secretariado
Aula 3 SecretariadoAula 3 Secretariado
Aula 3 Secretariado
 

Último

Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 

Último (20)

Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 

Prevenção ao uso de drogas - Aula 1

  • 1. PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS AULA 1 – AS DROGAS NA SOCIEDADE MODERNA
  • 2. DEFINIÇÃO • substâncias químicas especiais chamadas de psicoativas ou psicotrópicas, que produzem no organismo alterações psíquicas e de comportamento, uma vez que exercem efeitos sobre o cérebro e o Sistema Nervoso Central .
  • 3. EFEITO DA DROGAS • SENSAÇÕES DE: • Sedação, • Excitação, • Alucinações (“barato”) • PODEM AFETAR: • A percepção, • A inteligência, • A memória, • O raciocínio, • As motivações ou o autocontrole.
  • 4. HISTÓRICO DAS DROGAS • SEMPRE EXISTIRAM NAS SOCIEDADES ORGANIZADAS: • O uso era determinado pelos costumes e hábitos sociais, e ajudavam a integrar as pessoas na comunidade, através de cerimônias coletivas, rituais ou festas. • Uso esporádico – não representava perigo para a comunidade
  • 5. UTILIZAÇÃO ADEQUADA • TODO MEDICAMENTO É UMA DROGA. • Contudo, bem utilizado pode sanar males e amenizar sintomas. • É a utilização científica ou “positiva” das drogas.
  • 6. A SOCIEDADE MODERNA E AS DROGAS • OS ANOS 80 VIRAM SURGIR E SE ESTABELECER O NARCOTRÁFICO E A “EXPLOSÃO” NO CONSUMO DE DROGAS
  • 8. QUANTO A ORIGEM • Naturais: são aquelas disponíveis na natureza, que não necessitam de industrialização, por exemplo: maconha e os cogumelos. • Semissintéticas: são aquelas disponíveis na natureza que passam por um processo químico realizado em laboratório, para facilitar o consumo. Exemplos: cocaína, tabaco (cigarro) e o álcool. • Sintéticas: são aquelas produzidas exclusivamente, por manipulação química em laboratório. Exemplos: LSD e “ecstasy”. Nesta categoria incluem-se também os remédios, calmantes e os barbitúricos, fabricados pela indústria farmacêutica com finalidade clinica.
  • 9. QUANTO A AÇÃO • Depressoras: Como o próprio nome diz, estas substâncias (deprimem) diminuem a atividade do sistema nervoso central. Exemplos: álcool, tranquilizantes, solventes e inalantes (cola). • Estimulantes: São substâncias que aumentam a atividade do cérebro. Exemplos: cocaína, crack, nicotina e cafeína. • Alucinógenas ou perturbadoras: São aquelas que alteram, no indivíduo, a percepção, o entendimento da realidade. Exemplos: mescalina, maconha, cogumelos, lírios, LSD e “ecstasy”. • Medicações psiquiátricas: Estas drogas são utilizadas no tratamento de transtornos mentais. Exemplos: antipsicóticos, antidepressivos e estabilizantes do humor.
  • 10. QUANTO A FORMA DE USO • Via oral: É considerado o meio mais comum, sendo caracterizado pela ingestão de comprimidos, líquidos, pós e pastilhas. • Via mucosa e pele: A absorção se dá através da pele e da mucosa do nariz, boca, olhos e garganta (medicamentos líquidos ou pomadas). • Inalação: A inalação é o método de uso mais rápido, e fácil, através do olfato. • Injeção: Utilizada sob as formas: subcutânea (embaixo da pele), intramuscular (no músculo) e intravenosa (na veia).
  • 11. QAUNTO A LEGALIDADE • Lícitas: São aquelas drogas cujo consumo, comercialização e produção são permitidas por lei, tais como álcool, cigarro e medicamentos. • Ilícitas: São aquelas cuja produção, comercialização e o consumo são considerados crime, tais como maconha, cocaína, crack, heroína etc.
  • 12. USO DE DROGAS – BRASIL 2005
  • 13. ESTIMATIVA DO CONSUMO DE CRACK – BRASIL 2012
  • 14. QUANTO ÁS CARACTERÍSTICAS DE USO • Uso experimental: é o primeiro contato com a droga, motivados pela curiosidade (escola ou grupo de amigos – necessidade de ser “igual”). • Uso recreacional/social: ocorre em ambientes favoráveis, geralmente entre amigos que desejam compartilhar experiências percebidas como aceitáveis e prazerosas, sem apresentar problemas nos campos afetivos, social ou profissional. • Uso intenso: é caracterizado uso como de longa duração, no mínimo de uma vez ao dia. O indivíduo exibe uma necessidade ou desejo de obter alívio de problemas persistentes ou situação estressante.
  • 15. QUANTO ÁS CARACTERÍSTICAS DE USO • Uso compulsivo: uso de drogas em grandes quantidades ou por período de tempo maior do que aquele previamente intencionado. • Uso nocivo: caracterizado por danos à saúde decorrentes do consumo. Este dano pode ser tanto de natureza física como psíquica. • Abuso: padrão de uso desajustado, apesar do reconhecimento de problemas físicos, psicológicos, sociais ou ocupacionais, decorrentes desse uso. • Poliusuário: refere-se a quem utiliza mais do que uma droga frequentemente e ao mesmo tempo com a intenção de aumentar, potencializar ou conter os efeitos da droga.
  • 16. EFEITOS DAS DROGAS • NO SISTEMA NERVOSO CENTRAL: • Agudos – sintomas de curta duração que ocorrem durante o uso da substância: • Crônicos – sintomas de longa duração, ocorrem depois do uso prolongado da substância.
  • 17. EFEITOS DAS DROGAS • Efeitos somáticos – sintomas que se manifestam no organismo; • Efeitos psíquicos – sintomas que se manifestam na mente.
  • 18. EFEITOS DAS DROGAS • PROVOCAM SINTOMAS OU SÍNDROMES: • Dependência (Síndrome de dependência) – Necessidade incontrolável de continuar o consumo da droga. • Tolerância – Para alcançar os mesmos efeitos, necessitam de doses cada vez maiores. • Abstinência (Síndrome de Abstinência) – Situação em que o organismo se vê sem a droga.
  • 19. DISTINÇÃO DOS USUÁRIOS • Uso na vida: o uso de droga pelo menos uma vez na vida • Uso no ano: pelo menos uma vez nos últimos doze meses • Uso recente ou no mês: pelo menos uma vez nos últimos 30 dias • Uso frequente: seis ou mais vezes nos últimos 30 dias • Uso de risco: padrão de uso que implica alto risco de dano à saúde física ou mental do usuário, mas que ainda não resultou em doença orgânica ou psicológica • Uso prejudicial: padrão de uso que já está causando dano à saúde física ou mental
  • 20. DISTINÇÃO DOS USUÁRIOS • Não-usuário: nunca utilizou drogas • Usuário leve: utilizou drogas no último mês, mas o consumo foi menor que uma vez por semana • Usuário moderado: utilizou drogas semanalmente, mas não todos os dias, durante o último mês • Usuário pesado: utilizou drogas diariamente durante o último mês. •
  • 21. FATORES DE RISCO • Sem informações adequadas sobre as drogas e seus efeitos; • Com uma saúde deficiente; • Insatisfeita com sua qualidade de vida; • Com personalidade vulnerável ou mal integrada; • Com fácil acesso às drogas.
  • 22. FATORES DE RISCO • Em contrapartida, corre menos riscos de utilizar drogas a pessoa: • Bem informada; • Com boa saúde; • Com qualidade de vida satisfatória; • Bem integrada em si mesma, na família e na sociedade; • Com difícil acesso às drogas
  • 23. TIPOS DE USUÁRIOS • experimentador: limita-se a experimentar uma ou várias drogas, por diversos motivos, como curiosidade, novas experiências, pressões do grupo de pares, da publicidade; • usuário ocasional: utiliza um ou vários produtos, de vez em quando, se o ambiente for favorável e a droga disponível. Não há dependências nem ruptura das relações afetivas, profissionais e sociais; • usuário habitual ou “funcional”: faz o uso frequente de drogas, em suas relações já se observam sinais de rupturas. Ainda “funciona” socialmente, com riscos de dependência; • usuário dependente ou “disfuncional”: vive pela droga e para a droga, quase exclusivamente. Como consequência rompe-se os vínculos familiares e sociais, o que provoca isolamento e marginalização, acompanhados de decadência física e moral.