SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Ministério Leão
de Judá
Ceará
O que são as drogas ?
• Drogas são substâncias utilizadas para
produzir alterações, mudanças, nas
sensações, no grau de consciência e no
estado emocional. As alterações causadas
por essas substâncias variam de acordo
com as características da pessoa que as
usa, qual droga é utilizada e em que
quantidade, o efeito que se espera da
droga e as circunstâncias em que é
consumida.
O que são as drogas ?
• Geralmente achamos que existem apenas
algumas poucas substâncias
extremamente perigosas: são essas que
chamamos de drogas. Achamos também
que drogas são apenas os produtos ilegais
como a maconha, a cocaína e o crack.
Porém, do ponto de vista de saúde, muitas
substâncias legalizadas podem ser
igualmente perigosas, como por exemplo o
álcool, que também é considerado uma
droga como as demais.
Quais os tipos de drogas que
existem e que efeitos elas
provocam?
• As drogas atuam no cérebro afetando a atividade
mental, sendo por essa razão denominadas
psicoativas. Basicamente, elas são de três tipos:
• drogas que diminuem a atividade mental – também
chamadas de depressoras. Afetam o cérebro,
fazendo com que funcione de forma mais lenta.
Essas drogas diminuem a atenção, a concentração,
a tensão emocional e a capacidade intelectual.
Exemplos: ansiolíticos (tranqüilizantes), álcool,
inalantes (cola) , narcóticos (morfina, heroína);
Quais os tipos de drogas
que existem e que efeitos
elas provocam?
• drogas que aumentam a atividade mental – são
chamadas de estimulantes. Afetam o cérebro,
fazendo com que funcione de forma mais
acelerada. Exemplos: cafeína, tabaco, anfetamina,
cocaína, crack; e
• drogas que alteram a percepção – são chamadas de
substâncias alucinógenas e provocam distúrbios no
funcionamento do cérebro, fazendo com que ele
passe a trabalhar de forma desordenada, numa
espécie de delírio. Exemplos: LSD, ecstasy,
maconha e outras substâncias derivadas de
plantas.
O que é dependência?
• Dependência é o impulso que leva a pessoa a usar uma
droga de forma contínua (sempre) ou periódica
(freqüentemente) para obter prazer. Alguns indivíduos podem
também fazer uso constante de uma droga para aliviar
tensões, ansiedades, medos, sensações físicas
desagradáveis, etc. O dependente caracteriza-se por não
conseguir controlar o consumo de drogas, agindo de forma
impulsiva e repetitiva.
• Para compreendermos melhor a dependência, vamos
analisar as duas formas principais em que ela se apresenta:
a física e a psicológica.
• A dependência física caracteriza-se pela presença de
sintomas e sinais físicos que aparecem quando o indivíduo
pára de tomar a droga ou diminui bruscamente o seu uso: é a
síndrome de abstinência. Os sinais e sintomas de
abstinência dependem do tipo de substância utilizada e
aparecem algumas horas ou dias depois que ela foi
consumida pela última vez. No caso dos dependentes do
álcool, por exemplo, a abstinência pode ocasionar desde um
simples tremor nas mãos a náuseas, vômitos e até um
quadro de abstinência mais grave denominado delirium
tremens, com risco de morte, em alguns casos.
O que é dependência?
• Já a dependência psicológica corresponde a um estado
de mal-estar e desconforto que surge quando o
dependente interrompe o uso de uma droga. Os sintomas
mais comuns são ansiedade, sensação de vazio,
dificuldade de concentração, mas que podem variar de
pessoa para pessoa.
• Com os medicamentos existentes atualmente, a maioria
dos casos relacionados à dependência física podem ser
tratados. Por outro lado, o que quase sempre faz com que
uma pessoa volte a usar drogas é a dependência
psicológica, de difícil tratamento e não pode ser
resolvida de forma relativamente rápida e simples como
a dependência física .
AS DROGAS E SEUS
EFEITOS
Drogas que diminuem a
atividade mental
Substância Origem Conhecidas Possíveis efeitos Conseqüência
Ansiolíticos
ou
tranqüilizan
tes
Substância
s sintéticas
produzidas
em
laboratório.
Sedativos,
calmantes.
Valium,
Lexotan,
Diazepan,Die
npax,
Librium,Lorax
,
Rohypnol,
Dalmadorm.
Alívio da tensão e
da ansiedade,
relaxamento
muscular,
sonolência, fala
pastosa,
descoordenação
dos movimentos,
falta de ar.
Em altas doses
podem causar
queda da
pressão
arterial.
Quando usadas
com álcool,
aumentam os
seus efeitos,
podendo levar
a estado de
coma.
Em grávidas
podem causar
mal formação
fetal.
Substância
Álcool
etílico
Origem
Obtido a partir
de cana-de-
açúcar, cereais
ou frutas,
através de um
processo de
fermentação
ou destilação.
Conhecida
Álcool, "birita",
"mé", "mel",
"pinga", "cerva".
Possíveis Efeitos
Em pequenas doses:
desinibição, euforia, perda
da capacidade crítica;
Em doses maiores:
sensação de anestesia,
sonolência, sedação.
Conseqüência
O uso excessivo pode
provocar náuseas,
vômitos, tremores,
suor abundante, dor
de cabeça, tontura,
liberação da
agressividade,
diminuição da
atenção, da
capacidade de
concentração, bem
como dos reflexos, o
que aumenta o risco
de acidentes.
O uso prolongado
pode ocasionar
doenças graves como,
por exemplo, cirrose
no fígado e atrofia
(diminuição) cerebral.
Substância
Inalantes ou
solventes
Origem
Substâncias
químicas.
Conhecida
Cola de sapateiro,
esmalte, benzina,
lança-perfume, "loló",
gasolina, acetona,
éter, tíner, aguarrás e
tintas.
Possíveis Efeitos
Euforia, sonolência,
diminuição da fome,
alucinações.
Tosse, coriza, náuseas e
vômitos, dores musculares.
Visão dupla, fala enrolada,
movimentos desordenados e
confusão mental.
Consequência
Em altas doses, pode
haver queda da pressão
arterial, diminuição da
respiração e dos
batimentos do coração,
podendo levar à morte.
O uso continuado pode
causar problemas nos
rins e destruição dos
neurônios (células do
sistema nervoso),
podendo levar à atrofia
cerebral.
O uso prolongado está
freqüentemente
associado a tentativas
de suicídio.
Substância
Narcóticos (ópio
e seus derivados:
heroína, morfina
e codeína )
Origem
Extraídos da
papoula ou
produtos
sintéticos
obtidos em
laboratório.
Conhecida
Heroína, morfina e
codeína (xaropes
de tosse, Belacodid,
Tylex,
Elixir paregórico,
Algafan
Elixir paregórico,
Algafan).
Dolantina,
Meperidina e
Demerol.
Possíveis Efeitos
Sonolência, estado de
torpor, alívio da dor,
sedativo da tosse.
Sensação de leveza e
prazer. Pupilas contraídas.
Consequência
Pode haver queda da
pressão arterial,
diminuição da
respiração e dos
batimentos do
coração, podendo
levar à morte.
Na abstinência
(interrupção do uso):
bocejos,
lacrimejamento,
coriza, suor
abundante, dores
musculares e
abdominais. Febre,
pupilas dilatadas e
pressão arterial alta.
Drogas que
aumentam a
atividade mental
Substância
Anfetaminas
Origem
Substâncias
sintéticas
obtidas em
laboratório.
Conhecida
Metanfetamina,
"ice", "bolinha",
"rebite", "boleta".
Moderex, Hipofagin,
Inibex, Desobesi,
Reactivan,
Pervertin, Preludin..
Possíveis Efeitos
Estimulam atividade física
e mental, causando
inibição do sono e
diminuição do cansaço e da
fome.
Consequência
Podem causar taquicardia
(aumento dos batimentos
do coração), aumento da
pressão sangüínea,
insônia, ansiedade e
agressividade.
Em doses altas podem
aparecer distúrbios
psicológicos graves como
paranóia (sensação de ser
perseguido) e alucinações.
Alguns casos evoluem
para complicações
cardíacas e circulatórias
(derrame cerebral e
infarto do miocárdio),
convulsões e coma.
O uso prolongado pode
levar à destruição de
tecido cerebral.
Substância
Cocaína
Origem
Substância
extraída da folha
de coca, planta
encontrada na
América do Sul.
Conhecida
"Pó", "brilho",
"crack", "merla",
pasta-base.
Possíveis Efeitos
Sensação de poder, excitação
e euforia. Estimulam a
atividade física e mental,
causando inibição do sono e
diminuição do cansaço e da
fome. O usuário vê o mundo
mais brilhante, com mais
intensidade.
Consequêcia
Pode causar taquicardia,
febre, pupilas dilatadas,
suor excessivo e
aumento da pressão
sangüínea.
Podem aparecer insônia,
ansiedade, paranóia,
sensação de medo ou
pânico.
Pode haver irritabilidade
e liberação da
agressividade.
Em alguns, casos
podem aparecer
complicações cardíacas,
circulatórias e cerebrais
(derrame cerebral e
infarto do miocárdio).
O uso prolongado pode
levar à destruição de
tecido cerebral.
Substância
Tabaco (nicotina)
Origem
Extraído da folha
do fumo.
Conhecida
Cigarro, charuto e
fumo.
Possíveis Efeitos
Estimulante, sensação de
prazer.
Consequêcia
Reduz o apetite,
podendo levar a estados
crônicos de anemia.
O uso prolongado causa
problemas circulatórios,
cardíacos e pulmonares.
O hábito de fumar está
freqüentemente
associado a câncer de
pulmão, bexiga e
próstata, entre outros.
Aumenta o risco de
aborto e de parto
prematuro. Mulheres
que fumam durante a
gravidez têm, em geral,
filhos com peso abaixo
do normal.
Drogas que
produzem
distorções da
percepção
Substancia
Maconha
(tetraidrocanabinol)
Origem
Substância extraída
da planta Cannabis
sativa.
Conhecida
Maconha, haxixe,
"baseado",
"fininho",
"marrom".
Possíveis Efeitos
Excitação seguida de
relaxamento, euforia,
problemas com o tempo
e o espaço, falar em
demasia e fome intensa.
Palidez, taquicardia, olhos
avermelhados, pupilas
dilatadas e boca seca.
Consequência
Prejuízo da atenção e da
memória para fatos
recentes; algumas
pessoas podem
apresentar alucinações,
sobretudo visuais.
Diminuição dos reflexos,
aumentando o risco de
acidentes
Em altas doses, pode
haver ansiedade
intensa; pânico; quadros
psicológicos graves
(paranóia).
O uso contínuo
prolongado pode levar a
uma síndrome
amotivacional (desânimo
generalizado).
Substância
Alucinógenos
Origem
Substâncias extraídas
de plantas ou
produzidas em
laboratório.
Conhecida
LSD (ácido
lisérgico,
"ácido", "selo",
"microponto"),
psilocibina
(extraída de
cogumelos) e
mescalina
(extraída de
cactos).
Possíveis
Efeitos
Efeitos semelhantes
aos da maconha,
porém mais intensos.
Alucinações, delírios,
percepção deformada
de sons, images e do
tato.
Consequência
Podem ocorrer "más
viagens", com
ansiedade, pânico
ou delírios.
Substância
Ecstasy (metileno-dióxi-
metanfetamina)
Origem
Substância sintética
do tipo anfetamina,
que produz
alucinações.
Conhecida
MDMA, "êxtase",
"pílula do
amor".
Possíveis Efeitos
Sensação de bem-estar,
plenitude e leveza.
Aguçamento dos
sentidos.
Aumento da disposição e
resistência física,
podendo levar à
exaustão.
Consequência
Alucinações,
percepção distorcida
de sons e images.
Aumento de
temperatura e
desidratação,
podendo levar à
morte.
Com o uso repetido,
tendem a
desaparecer as
sensações
agradáveis, que
podem ser
substituídas por
ansiedade, sensação
de medo, pânico e
delírios.
Como as escolas podem
colaborar na prevenção do
uso de drogas?
• Diversas escolas têm adotado programas educativos
com esse objetivo. Eles podem ser de grande ajuda
aos jovens, sobretudo a partir do início da
adolescência, desde que conduzidos de forma
adequada. Como já foi explicado anteriormente,
informações mal colocadas podem aguçar a
curiosidade dos jovens, levando-os a experimentar
drogas. Discursos antidrogas e mensagens
amedrontadoras ou repressivas, além de não serem
eficazes, podem até mesmo estimular o uso.
Como as escolas podem
colaborar na prevenção do uso
de drogas?
• Nos programas de prevenção mais adequados, o uso de
drogas deve ser discutido dentro de um contexto mais
amplo de saúde. As drogas, a alimentação, os
sentimentos, as emoções, os desejos, os ideais, ou seja,
a qualidade de vida entendida como bem-estar físico,
psíquico e social, são aspectos a serem abordados no
sentido de levar o jovem a refletir sobre como viver de
maneira saudável.
• Os jovens devem aprender a conhecer suas emoções e a
lidar com suas dificuldades e problemas. Um modelo de
prevenção deve contribuir para que os indivíduos se
responsabilizem por si mesmos, a fim de que
comportamentos de risco da sociedade como um todo
possam ser modificados.
Em se tratando de jovens
que já usaram drogas, qual
deve ser a atitude da
escola?
• De preferência, a escola deve ter algumas regras
bem estabelecidas, tais como não autorizar o uso
de drogas, sejam legais (álcool, fumo) sejam ilegais
(maconha, cocaína), nas suas dependências. Por
outro lado, seria abusivo e contraproducente a
escola tomar atitudes drásticas com alunos que
fazem uso de drogas (como a expulsão). A exclusão
só irá diminuir as chances de os jovens serem
compreendidos e seus casos tratados de forma
adequada.
• Nesse sentido, se for detectado que alunos estão
utilizando algum tipo de droga de forma abusiva, e
a escola não souber lidar com esse tipo de
situação, ela deve procurar apoio em serviços de
saúde: neles, os alunos receberão atendimento
especializado e, se for o caso, serão tratados.
Em se tratando de jovens
que já usaram drogas, qual
deve ser a atitude da
escola?
• O mais importante é estimularem-se
atividades criativas que possam absorver e
entusiasmar os jovens. Para alguém
afastar-se das drogas, é necessário que
existam outras opções mais interessantes
e prazerosas, que possam ocupar o tempo
que seria utilizado com drogas, dentro de
um contexto muito mais saudável.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Drogas na Adolescência
Drogas na AdolescênciaDrogas na Adolescência
Drogas na Adolescência
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Slide sobre drogas
Slide sobre drogasSlide sobre drogas
Slide sobre drogas
 
Slide sobre drogas
Slide sobre drogasSlide sobre drogas
Slide sobre drogas
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Drogas e alcool
Drogas e alcool Drogas e alcool
Drogas e alcool
 
Prevenção ao uso de drogas
Prevenção ao uso de drogasPrevenção ao uso de drogas
Prevenção ao uso de drogas
 
Alcoolismo (4)
Alcoolismo (4)Alcoolismo (4)
Alcoolismo (4)
 
ÁLcool e outras drogas
ÁLcool e outras  drogasÁLcool e outras  drogas
ÁLcool e outras drogas
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Slides drogas-2
Slides   drogas-2Slides   drogas-2
Slides drogas-2
 
O perigo das drogas apresentação power point
O perigo das drogas apresentação power pointO perigo das drogas apresentação power point
O perigo das drogas apresentação power point
 
Palestra álcool
Palestra álcoolPalestra álcool
Palestra álcool
 
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@sSaúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 
Drogas apresentação
Drogas   apresentaçãoDrogas   apresentação
Drogas apresentação
 
Palestra Depressão e Ansiedade
Palestra Depressão e AnsiedadePalestra Depressão e Ansiedade
Palestra Depressão e Ansiedade
 
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDEDROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
 
Alcoolismo (3)
Alcoolismo (3)Alcoolismo (3)
Alcoolismo (3)
 

Destaque

Drogas e seus efeitos
Drogas e seus efeitosDrogas e seus efeitos
Drogas e seus efeitosAline Costa
 
Drogas e Consequências
Drogas e Consequências Drogas e Consequências
Drogas e Consequências Walquiria Dutra
 
Drogas - categorias, efeitos, problemas sociais e de saúde decorrentes
Drogas - categorias, efeitos, problemas sociais e de saúde decorrentesDrogas - categorias, efeitos, problemas sociais e de saúde decorrentes
Drogas - categorias, efeitos, problemas sociais e de saúde decorrentesClécio Bubela
 
trabalho sobre drogas
trabalho sobre drogastrabalho sobre drogas
trabalho sobre drogasfabio silva
 
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.Drogas: tipos, efeitos e prevenção.
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.Paulo Firmino
 
Introdução de substancias psicoativas
Introdução de substancias psicoativasIntrodução de substancias psicoativas
Introdução de substancias psicoativasgueste6f5254
 
Dr Thiago Marques - Seminário “O crack e o enfrentamento social, legal e polí...
Dr Thiago Marques - Seminário “O crack e o enfrentamento social, legal e polí...Dr Thiago Marques - Seminário “O crack e o enfrentamento social, legal e polí...
Dr Thiago Marques - Seminário “O crack e o enfrentamento social, legal e polí...César Hernandes
 
Substâncias psicoativas
Substâncias psicoativasSubstâncias psicoativas
Substâncias psicoativasbelavideira
 
Dependência de substâncias psicoativas
Dependência de substâncias psicoativasDependência de substâncias psicoativas
Dependência de substâncias psicoativasGian Alessandro
 
Atividades diversificadas para uma Educação de qualidade
Atividades diversificadas para uma Educação de qualidadeAtividades diversificadas para uma Educação de qualidade
Atividades diversificadas para uma Educação de qualidadelu-costa
 
Consumo de substancias psicoativas
Consumo de substancias psicoativasConsumo de substancias psicoativas
Consumo de substancias psicoativasbrunomfdias
 
Panorama Contemporâneo das Políticas Públicas sobre Drogas
Panorama Contemporâneo das Políticas Públicas sobre DrogasPanorama Contemporâneo das Políticas Públicas sobre Drogas
Panorama Contemporâneo das Políticas Públicas sobre DrogasLuís Fernando Tófoli
 

Destaque (20)

Drogas e seus efeitos
Drogas e seus efeitosDrogas e seus efeitos
Drogas e seus efeitos
 
Trabalho drogas biologia
Trabalho drogas   biologiaTrabalho drogas   biologia
Trabalho drogas biologia
 
Drogas e Consequências
Drogas e Consequências Drogas e Consequências
Drogas e Consequências
 
Drogas - categorias, efeitos, problemas sociais e de saúde decorrentes
Drogas - categorias, efeitos, problemas sociais e de saúde decorrentesDrogas - categorias, efeitos, problemas sociais e de saúde decorrentes
Drogas - categorias, efeitos, problemas sociais e de saúde decorrentes
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Drogas
Drogas Drogas
Drogas
 
trabalho sobre drogas
trabalho sobre drogastrabalho sobre drogas
trabalho sobre drogas
 
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.Drogas: tipos, efeitos e prevenção.
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.
 
Pastoral da Sobriedade
Pastoral da SobriedadePastoral da Sobriedade
Pastoral da Sobriedade
 
Introdução de substancias psicoativas
Introdução de substancias psicoativasIntrodução de substancias psicoativas
Introdução de substancias psicoativas
 
Dr Thiago Marques - Seminário “O crack e o enfrentamento social, legal e polí...
Dr Thiago Marques - Seminário “O crack e o enfrentamento social, legal e polí...Dr Thiago Marques - Seminário “O crack e o enfrentamento social, legal e polí...
Dr Thiago Marques - Seminário “O crack e o enfrentamento social, legal e polí...
 
Nem Olhos Viram
Nem Olhos ViramNem Olhos Viram
Nem Olhos Viram
 
Substâncias psicoativas
Substâncias psicoativasSubstâncias psicoativas
Substâncias psicoativas
 
Dependência de substâncias psicoativas
Dependência de substâncias psicoativasDependência de substâncias psicoativas
Dependência de substâncias psicoativas
 
Oh quão bom
Oh quão bomOh quão bom
Oh quão bom
 
Veja os danos causados
Veja os danos causadosVeja os danos causados
Veja os danos causados
 
Atividades diversificadas para uma Educação de qualidade
Atividades diversificadas para uma Educação de qualidadeAtividades diversificadas para uma Educação de qualidade
Atividades diversificadas para uma Educação de qualidade
 
Consumo de substancias psicoativas
Consumo de substancias psicoativasConsumo de substancias psicoativas
Consumo de substancias psicoativas
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Panorama Contemporâneo das Políticas Públicas sobre Drogas
Panorama Contemporâneo das Políticas Públicas sobre DrogasPanorama Contemporâneo das Políticas Públicas sobre Drogas
Panorama Contemporâneo das Políticas Públicas sobre Drogas
 

Semelhante a As drogas e seus efeitos

As drogas podem ser tanto naturais quanto sintéticas
As drogas podem ser tanto naturais quanto sintéticasAs drogas podem ser tanto naturais quanto sintéticas
As drogas podem ser tanto naturais quanto sintéticasFrancisca Santos
 
Trabalho Gabriela 23/09/2009
Trabalho Gabriela 23/09/2009Trabalho Gabriela 23/09/2009
Trabalho Gabriela 23/09/2009Ricardo
 
Liberdade é viver sem drogas.
Liberdade é viver sem drogas.Liberdade é viver sem drogas.
Liberdade é viver sem drogas.Jocilaine Moreira
 
Potiguara drogas e adolescencia
Potiguara drogas e adolescenciaPotiguara drogas e adolescencia
Potiguara drogas e adolescenciaFabio Spina
 
Substâncias Psicoactivas
Substâncias PsicoactivasSubstâncias Psicoactivas
Substâncias Psicoactivastocha_turma9a
 
Drogas
DrogasDrogas
DrogasURCA
 
DROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando Abreu
DROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando AbreuDROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando Abreu
DROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando AbreuFernando Abreu
 
Alcool e outras drogas
Alcool e outras drogasAlcool e outras drogas
Alcool e outras drogasblogspott
 
Alcooleoutrasdrogas 120329155650-phpapp02
Alcooleoutrasdrogas 120329155650-phpapp02Alcooleoutrasdrogas 120329155650-phpapp02
Alcooleoutrasdrogas 120329155650-phpapp02MAISA CRISTINA
 
SPA e Padroes de Consumo.pptx
SPA e Padroes de Consumo.pptxSPA e Padroes de Consumo.pptx
SPA e Padroes de Consumo.pptxAureaLopes7
 
Trabalho sobre drogas
Trabalho sobre drogasTrabalho sobre drogas
Trabalho sobre drogasAlexander Jr
 

Semelhante a As drogas e seus efeitos (20)

As drogas podem ser tanto naturais quanto sintéticas
As drogas podem ser tanto naturais quanto sintéticasAs drogas podem ser tanto naturais quanto sintéticas
As drogas podem ser tanto naturais quanto sintéticas
 
Trabalho Gabriela 23/09/2009
Trabalho Gabriela 23/09/2009Trabalho Gabriela 23/09/2009
Trabalho Gabriela 23/09/2009
 
Liberdade é viver sem drogas.
Liberdade é viver sem drogas.Liberdade é viver sem drogas.
Liberdade é viver sem drogas.
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Potiguara drogas e adolescencia
Potiguara drogas e adolescenciaPotiguara drogas e adolescencia
Potiguara drogas e adolescencia
 
Drogas 2
Drogas 2Drogas 2
Drogas 2
 
Substâncias Psicoactivas
Substâncias PsicoactivasSubstâncias Psicoactivas
Substâncias Psicoactivas
 
Drogas e suas caracteristicas
Drogas e suas caracteristicasDrogas e suas caracteristicas
Drogas e suas caracteristicas
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Drogadicción
DrogadicciónDrogadicción
Drogadicción
 
DROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando Abreu
DROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando AbreuDROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando Abreu
DROGAS - CONCEITOS E LEIS - Prof. Fernando Abreu
 
3º anos (Sociologia) Adolescentes e Drogas
3º anos (Sociologia) Adolescentes e Drogas3º anos (Sociologia) Adolescentes e Drogas
3º anos (Sociologia) Adolescentes e Drogas
 
Alcool e outras drogas
Alcool e outras drogasAlcool e outras drogas
Alcool e outras drogas
 
Alcooleoutrasdrogas 120329155650-phpapp02
Alcooleoutrasdrogas 120329155650-phpapp02Alcooleoutrasdrogas 120329155650-phpapp02
Alcooleoutrasdrogas 120329155650-phpapp02
 
Drogas e Seus Efeitos.pdf
Drogas e Seus Efeitos.pdfDrogas e Seus Efeitos.pdf
Drogas e Seus Efeitos.pdf
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
SPA e Padroes de Consumo.pptx
SPA e Padroes de Consumo.pptxSPA e Padroes de Consumo.pptx
SPA e Padroes de Consumo.pptx
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Trabalho sobre drogas
Trabalho sobre drogasTrabalho sobre drogas
Trabalho sobre drogas
 

Mais de Alinebrauna Brauna (20)

Pnab
PnabPnab
Pnab
 
Orientacoes coleta analise_dados_antropometricos
Orientacoes coleta analise_dados_antropometricosOrientacoes coleta analise_dados_antropometricos
Orientacoes coleta analise_dados_antropometricos
 
Livro completo senad5
Livro completo senad5Livro completo senad5
Livro completo senad5
 
Radis 131 web
Radis 131 webRadis 131 web
Radis 131 web
 
Copia de radis_129_23maio2013
Copia de radis_129_23maio2013Copia de radis_129_23maio2013
Copia de radis_129_23maio2013
 
O que são conferências 21.05.2012
O que são conferências 21.05.2012O que são conferências 21.05.2012
O que são conferências 21.05.2012
 
Pmaq
PmaqPmaq
Pmaq
 
Pmaq
PmaqPmaq
Pmaq
 
Violência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentesViolência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Todo sentimento
Todo sentimentoTodo sentimento
Todo sentimento
 
Suas os desafios da assistencia social
Suas   os desafios da assistencia socialSuas   os desafios da assistencia social
Suas os desafios da assistencia social
 
Slides infanto completo
Slides infanto completoSlides infanto completo
Slides infanto completo
 
Saúde mental
Saúde mentalSaúde mental
Saúde mental
 
O papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
O papel do cuidador e seus aspectos psicossociaisO papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
O papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
 
Mpcda
MpcdaMpcda
Mpcda
 
Histórico sobre o eca
Histórico sobre o ecaHistórico sobre o eca
Histórico sobre o eca
 
Politica de ad
Politica de adPolitica de ad
Politica de ad
 
Perguntas e-respostas-crack
Perguntas e-respostas-crackPerguntas e-respostas-crack
Perguntas e-respostas-crack
 
O que é violência sexual
O que é violência sexualO que é violência sexual
O que é violência sexual
 
Manual prevencao suicidio_saude_mental
Manual prevencao suicidio_saude_mentalManual prevencao suicidio_saude_mental
Manual prevencao suicidio_saude_mental
 

As drogas e seus efeitos

  • 2. O que são as drogas ? • Drogas são substâncias utilizadas para produzir alterações, mudanças, nas sensações, no grau de consciência e no estado emocional. As alterações causadas por essas substâncias variam de acordo com as características da pessoa que as usa, qual droga é utilizada e em que quantidade, o efeito que se espera da droga e as circunstâncias em que é consumida.
  • 3. O que são as drogas ? • Geralmente achamos que existem apenas algumas poucas substâncias extremamente perigosas: são essas que chamamos de drogas. Achamos também que drogas são apenas os produtos ilegais como a maconha, a cocaína e o crack. Porém, do ponto de vista de saúde, muitas substâncias legalizadas podem ser igualmente perigosas, como por exemplo o álcool, que também é considerado uma droga como as demais.
  • 4. Quais os tipos de drogas que existem e que efeitos elas provocam? • As drogas atuam no cérebro afetando a atividade mental, sendo por essa razão denominadas psicoativas. Basicamente, elas são de três tipos: • drogas que diminuem a atividade mental – também chamadas de depressoras. Afetam o cérebro, fazendo com que funcione de forma mais lenta. Essas drogas diminuem a atenção, a concentração, a tensão emocional e a capacidade intelectual. Exemplos: ansiolíticos (tranqüilizantes), álcool, inalantes (cola) , narcóticos (morfina, heroína);
  • 5. Quais os tipos de drogas que existem e que efeitos elas provocam? • drogas que aumentam a atividade mental – são chamadas de estimulantes. Afetam o cérebro, fazendo com que funcione de forma mais acelerada. Exemplos: cafeína, tabaco, anfetamina, cocaína, crack; e • drogas que alteram a percepção – são chamadas de substâncias alucinógenas e provocam distúrbios no funcionamento do cérebro, fazendo com que ele passe a trabalhar de forma desordenada, numa espécie de delírio. Exemplos: LSD, ecstasy, maconha e outras substâncias derivadas de plantas.
  • 6. O que é dependência? • Dependência é o impulso que leva a pessoa a usar uma droga de forma contínua (sempre) ou periódica (freqüentemente) para obter prazer. Alguns indivíduos podem também fazer uso constante de uma droga para aliviar tensões, ansiedades, medos, sensações físicas desagradáveis, etc. O dependente caracteriza-se por não conseguir controlar o consumo de drogas, agindo de forma impulsiva e repetitiva. • Para compreendermos melhor a dependência, vamos analisar as duas formas principais em que ela se apresenta: a física e a psicológica. • A dependência física caracteriza-se pela presença de sintomas e sinais físicos que aparecem quando o indivíduo pára de tomar a droga ou diminui bruscamente o seu uso: é a síndrome de abstinência. Os sinais e sintomas de abstinência dependem do tipo de substância utilizada e aparecem algumas horas ou dias depois que ela foi consumida pela última vez. No caso dos dependentes do álcool, por exemplo, a abstinência pode ocasionar desde um simples tremor nas mãos a náuseas, vômitos e até um quadro de abstinência mais grave denominado delirium tremens, com risco de morte, em alguns casos.
  • 7. O que é dependência? • Já a dependência psicológica corresponde a um estado de mal-estar e desconforto que surge quando o dependente interrompe o uso de uma droga. Os sintomas mais comuns são ansiedade, sensação de vazio, dificuldade de concentração, mas que podem variar de pessoa para pessoa. • Com os medicamentos existentes atualmente, a maioria dos casos relacionados à dependência física podem ser tratados. Por outro lado, o que quase sempre faz com que uma pessoa volte a usar drogas é a dependência psicológica, de difícil tratamento e não pode ser resolvida de forma relativamente rápida e simples como a dependência física .
  • 8. AS DROGAS E SEUS EFEITOS Drogas que diminuem a atividade mental
  • 9. Substância Origem Conhecidas Possíveis efeitos Conseqüência Ansiolíticos ou tranqüilizan tes Substância s sintéticas produzidas em laboratório. Sedativos, calmantes. Valium, Lexotan, Diazepan,Die npax, Librium,Lorax , Rohypnol, Dalmadorm. Alívio da tensão e da ansiedade, relaxamento muscular, sonolência, fala pastosa, descoordenação dos movimentos, falta de ar. Em altas doses podem causar queda da pressão arterial. Quando usadas com álcool, aumentam os seus efeitos, podendo levar a estado de coma. Em grávidas podem causar mal formação fetal.
  • 10. Substância Álcool etílico Origem Obtido a partir de cana-de- açúcar, cereais ou frutas, através de um processo de fermentação ou destilação. Conhecida Álcool, "birita", "mé", "mel", "pinga", "cerva". Possíveis Efeitos Em pequenas doses: desinibição, euforia, perda da capacidade crítica; Em doses maiores: sensação de anestesia, sonolência, sedação. Conseqüência O uso excessivo pode provocar náuseas, vômitos, tremores, suor abundante, dor de cabeça, tontura, liberação da agressividade, diminuição da atenção, da capacidade de concentração, bem como dos reflexos, o que aumenta o risco de acidentes. O uso prolongado pode ocasionar doenças graves como, por exemplo, cirrose no fígado e atrofia (diminuição) cerebral.
  • 11. Substância Inalantes ou solventes Origem Substâncias químicas. Conhecida Cola de sapateiro, esmalte, benzina, lança-perfume, "loló", gasolina, acetona, éter, tíner, aguarrás e tintas. Possíveis Efeitos Euforia, sonolência, diminuição da fome, alucinações. Tosse, coriza, náuseas e vômitos, dores musculares. Visão dupla, fala enrolada, movimentos desordenados e confusão mental. Consequência Em altas doses, pode haver queda da pressão arterial, diminuição da respiração e dos batimentos do coração, podendo levar à morte. O uso continuado pode causar problemas nos rins e destruição dos neurônios (células do sistema nervoso), podendo levar à atrofia cerebral. O uso prolongado está freqüentemente associado a tentativas de suicídio.
  • 12. Substância Narcóticos (ópio e seus derivados: heroína, morfina e codeína ) Origem Extraídos da papoula ou produtos sintéticos obtidos em laboratório. Conhecida Heroína, morfina e codeína (xaropes de tosse, Belacodid, Tylex, Elixir paregórico, Algafan Elixir paregórico, Algafan). Dolantina, Meperidina e Demerol. Possíveis Efeitos Sonolência, estado de torpor, alívio da dor, sedativo da tosse. Sensação de leveza e prazer. Pupilas contraídas. Consequência Pode haver queda da pressão arterial, diminuição da respiração e dos batimentos do coração, podendo levar à morte. Na abstinência (interrupção do uso): bocejos, lacrimejamento, coriza, suor abundante, dores musculares e abdominais. Febre, pupilas dilatadas e pressão arterial alta.
  • 14. Substância Anfetaminas Origem Substâncias sintéticas obtidas em laboratório. Conhecida Metanfetamina, "ice", "bolinha", "rebite", "boleta". Moderex, Hipofagin, Inibex, Desobesi, Reactivan, Pervertin, Preludin.. Possíveis Efeitos Estimulam atividade física e mental, causando inibição do sono e diminuição do cansaço e da fome. Consequência Podem causar taquicardia (aumento dos batimentos do coração), aumento da pressão sangüínea, insônia, ansiedade e agressividade. Em doses altas podem aparecer distúrbios psicológicos graves como paranóia (sensação de ser perseguido) e alucinações. Alguns casos evoluem para complicações cardíacas e circulatórias (derrame cerebral e infarto do miocárdio), convulsões e coma. O uso prolongado pode levar à destruição de tecido cerebral.
  • 15. Substância Cocaína Origem Substância extraída da folha de coca, planta encontrada na América do Sul. Conhecida "Pó", "brilho", "crack", "merla", pasta-base. Possíveis Efeitos Sensação de poder, excitação e euforia. Estimulam a atividade física e mental, causando inibição do sono e diminuição do cansaço e da fome. O usuário vê o mundo mais brilhante, com mais intensidade. Consequêcia Pode causar taquicardia, febre, pupilas dilatadas, suor excessivo e aumento da pressão sangüínea. Podem aparecer insônia, ansiedade, paranóia, sensação de medo ou pânico. Pode haver irritabilidade e liberação da agressividade. Em alguns, casos podem aparecer complicações cardíacas, circulatórias e cerebrais (derrame cerebral e infarto do miocárdio). O uso prolongado pode levar à destruição de tecido cerebral.
  • 16. Substância Tabaco (nicotina) Origem Extraído da folha do fumo. Conhecida Cigarro, charuto e fumo. Possíveis Efeitos Estimulante, sensação de prazer. Consequêcia Reduz o apetite, podendo levar a estados crônicos de anemia. O uso prolongado causa problemas circulatórios, cardíacos e pulmonares. O hábito de fumar está freqüentemente associado a câncer de pulmão, bexiga e próstata, entre outros. Aumenta o risco de aborto e de parto prematuro. Mulheres que fumam durante a gravidez têm, em geral, filhos com peso abaixo do normal.
  • 18. Substancia Maconha (tetraidrocanabinol) Origem Substância extraída da planta Cannabis sativa. Conhecida Maconha, haxixe, "baseado", "fininho", "marrom". Possíveis Efeitos Excitação seguida de relaxamento, euforia, problemas com o tempo e o espaço, falar em demasia e fome intensa. Palidez, taquicardia, olhos avermelhados, pupilas dilatadas e boca seca. Consequência Prejuízo da atenção e da memória para fatos recentes; algumas pessoas podem apresentar alucinações, sobretudo visuais. Diminuição dos reflexos, aumentando o risco de acidentes Em altas doses, pode haver ansiedade intensa; pânico; quadros psicológicos graves (paranóia). O uso contínuo prolongado pode levar a uma síndrome amotivacional (desânimo generalizado).
  • 19. Substância Alucinógenos Origem Substâncias extraídas de plantas ou produzidas em laboratório. Conhecida LSD (ácido lisérgico, "ácido", "selo", "microponto"), psilocibina (extraída de cogumelos) e mescalina (extraída de cactos). Possíveis Efeitos Efeitos semelhantes aos da maconha, porém mais intensos. Alucinações, delírios, percepção deformada de sons, images e do tato. Consequência Podem ocorrer "más viagens", com ansiedade, pânico ou delírios.
  • 20. Substância Ecstasy (metileno-dióxi- metanfetamina) Origem Substância sintética do tipo anfetamina, que produz alucinações. Conhecida MDMA, "êxtase", "pílula do amor". Possíveis Efeitos Sensação de bem-estar, plenitude e leveza. Aguçamento dos sentidos. Aumento da disposição e resistência física, podendo levar à exaustão. Consequência Alucinações, percepção distorcida de sons e images. Aumento de temperatura e desidratação, podendo levar à morte. Com o uso repetido, tendem a desaparecer as sensações agradáveis, que podem ser substituídas por ansiedade, sensação de medo, pânico e delírios.
  • 21. Como as escolas podem colaborar na prevenção do uso de drogas? • Diversas escolas têm adotado programas educativos com esse objetivo. Eles podem ser de grande ajuda aos jovens, sobretudo a partir do início da adolescência, desde que conduzidos de forma adequada. Como já foi explicado anteriormente, informações mal colocadas podem aguçar a curiosidade dos jovens, levando-os a experimentar drogas. Discursos antidrogas e mensagens amedrontadoras ou repressivas, além de não serem eficazes, podem até mesmo estimular o uso.
  • 22. Como as escolas podem colaborar na prevenção do uso de drogas? • Nos programas de prevenção mais adequados, o uso de drogas deve ser discutido dentro de um contexto mais amplo de saúde. As drogas, a alimentação, os sentimentos, as emoções, os desejos, os ideais, ou seja, a qualidade de vida entendida como bem-estar físico, psíquico e social, são aspectos a serem abordados no sentido de levar o jovem a refletir sobre como viver de maneira saudável. • Os jovens devem aprender a conhecer suas emoções e a lidar com suas dificuldades e problemas. Um modelo de prevenção deve contribuir para que os indivíduos se responsabilizem por si mesmos, a fim de que comportamentos de risco da sociedade como um todo possam ser modificados.
  • 23. Em se tratando de jovens que já usaram drogas, qual deve ser a atitude da escola? • De preferência, a escola deve ter algumas regras bem estabelecidas, tais como não autorizar o uso de drogas, sejam legais (álcool, fumo) sejam ilegais (maconha, cocaína), nas suas dependências. Por outro lado, seria abusivo e contraproducente a escola tomar atitudes drásticas com alunos que fazem uso de drogas (como a expulsão). A exclusão só irá diminuir as chances de os jovens serem compreendidos e seus casos tratados de forma adequada. • Nesse sentido, se for detectado que alunos estão utilizando algum tipo de droga de forma abusiva, e a escola não souber lidar com esse tipo de situação, ela deve procurar apoio em serviços de saúde: neles, os alunos receberão atendimento especializado e, se for o caso, serão tratados.
  • 24. Em se tratando de jovens que já usaram drogas, qual deve ser a atitude da escola? • O mais importante é estimularem-se atividades criativas que possam absorver e entusiasmar os jovens. Para alguém afastar-se das drogas, é necessário que existam outras opções mais interessantes e prazerosas, que possam ocupar o tempo que seria utilizado com drogas, dentro de um contexto muito mais saudável.