SlideShare uma empresa Scribd logo
Curso de Capacitação para Tradutor/Intérprete
   da Língua Brasileira de Sinais 7ª Edição
                  2012/2013




   LINGUÍSTICA GERAL
    Prof.ª Esp. Mariana Correia




      marianacorreiail@yahoo.com.br
  http://profmarianacorreia.blogspot.com
PARTE 1:
INTRODUÇÃO AOS
ESTUDOS
LINGUÍSTICOS
O homem        sentiu sempre – e os poetas
frequentemente cantaram – o poder fundador da
linguagem, que instaura uma sociedade imaginária,
animas as coisas inertes, faz ver o que ainda não
existe, traz de volta o que desapareceu.


                   BENVENISTE apud BENTES e MUSSALIM
Mitos de criação

• No princípio, Deus criou os céus e a terra. A terra
  estava informe e vazia; as trevas cobriam o abismo e
  o Espírito de Deus pairava sobre as águas. Deus disse:
  "Faça-se a luz!" E a luz foi feita. Deus viu que a luz era
  boa, e separou a luz das trevas. Deus chamou à luz
  DIA, e às trevas NOITE. Sobreveio a tarde e depois a
  manhã: foi o primeiro dia.
O poder da palavra no Antigo Egito
O que é linguística?

• A linguística não se limita ao estudo de uma língua
  específica, nem ao estudo de uma família de línguas.

• A linguística é o estudo científico da língua como um
  fenômeno natural. É claro que quanto mais
  avançamos nossos conhecimentos sobre as
  características das mais variadas línguas naturais,
  mais bem formamos um entendimento do que é a
  língua como um todo.
O que é linguística?

• A língua é sem dúvida parte da cognição humana. Por
  isso, a linguística investiga a relação entre língua e
  pensamento, e suas conexões com nossa capacidade
  motora, com nossa percepção visual e auditiva, e
  como essas conexões operam na construção da
  significação.
O que é linguística?
• A língua é também um fenômeno eminentemente
  social. As línguas emergem sempre que dois seres
  humanos entram em contato.

• Pelo fato de a língua ser social, a linguística precisa
  entender as relações entre língua e cultura, entre
  língua e classes sociais, e entre uma língua e outras
  línguas que estão em contato com ela. Essas relações
  são importantes porque elas estão associadas a
  alguns fenômenos de grande interesse, como a
  variação e a mudança linguísticas.
O que é linguística?
• A linguística não tem um caráter prescritivo ou normativo.

• Seu objetivo NÃO é proteger a língua de mudanças, de influências
  de outras línguas, nem privilegiar as formas mais “cultas” de uma
  língua, em detrimento de formas mais “populares”. A linguística é
  uma ciência empírica. O linguista observa e descreve as línguas
  exatamente como elas se apresentam para ele, sem qualquer juízo
  de valor. O linguista também busca explicações para a capacidade
  que as pessoas têm de falar ou sinalizar e para a capacidade que
  elas têm de compreender uma língua, e para o conhecimento que
  qualquer falante tem a respeito dos sons ou gestos, das palavras,
  das sentenças, dos discursos e dos textos de sua língua. A
  linguística é, então, uma ciência descritivo-explicativa.
O que é linguística? (Teorias)
•Cada definição de língua precisa ser
 entendida no âmbito de uma teoria
 particular.

•As teorias são lentes que nos ajudam
 a perceber peculiaridades da língua,
 que passam despercebidas quando
 estamos fazendo uso dela em nosso
 dia-a-dia.
Justificativa das teorias
•A teoria define o objeto!
O que estuda?
•Não é correto pensarmos que a língua é algo
 que podemos observar. Aquilo que nós
 observamos são produções linguísticas,
 manifestações externas da língua, mas não a
 língua ela mesma.
O que estuda?

• Nós percebemos sentenças ou discursos em português ou
  LIBRAS, mas não o português ou a língua de sinais brasileira
  em si, não o sistema de princípios, regras e valores que torna
  a produção linguística possível. É por isso que precisamos das
  teorias. São elas que nos ajudam a chegar à língua, a partir das
  produções linguísticas que podemos perceber e observar.
Como estuda? Linguística X Gramática
• Definições de gramática
       Podemos definir o entendimento do conceito de
gramática de três formas:
       - Internalizada: saber linguístico que o falante de
uma língua desenvolve na própria atividade linguística.
       - Prescritiva: como o conjunto de regras
(Gramática Tradicional) que determina como as
relações dentro das sentenças deve ser feita.
       -Descritiva: como o uso efetivo observável em
produções linguísticas.
Gramaticalidade e Agramaticalidade
• Os usuários da língua são capazes de detectar claramente as
  construções que gramaticais e agramaticais. Observe os
  exemplos abaixo e anote aqueles que julgar agramaticais:
1. O pastor da minha vizinha alemão pegou.
2. O pastor alemão da minha vizinha pegou o jornal.
3. O cão de guarda estava machucado.
4. O cão estava machucado de guarda.
5. O pastor alemão é um ótimo cão de guarda.
6. O machucado morreu homem.
7. As flores de plástico não morrem.
8. Têm pessoas de barata medo.
Gramaticalidade e Agramaticalidade

• As orações: 1, 4, 6, 8



• Não estão de acordo com a organização estrutural da
  língua portuguesa, por isso, são agramaticais de
  acordo com o conhecimento da língua que, nós,
  usuários, temos.
Linguística X Gramática Tradicional
• Linguística:
           • Não prescritiva,
           • Empírica (baseada na observação)
           • Descritiva,
           • Acompanha as mudanças.
• Gramática Tradicional:
           • Prescritiva.
           • Normativa,
           • Não acompanha as mudanças,
           • Baseada nas tradição gramatical.
Qual o campo de conhecimento? (intersecções e
combinações)
• Cada uma das interfaces da linguística com outras
  ciências vai dar uma definição de língua que privilegia um
  de seus múltiplos aspectos:

  • A interface entre a linguística e a biologia vai preferir
    definir a língua como parte da dotação genética da
    espécie humana;
  • A interface da linguística com a sociologia, vai dar mais
    ênfase aos aspectos sócio-culturais da língua;
  • A interface da linguística com a psicologia vai definir a
    língua como parte da cognição humana.
Parte 1



COMUNICAÇÃO
Comunicação humana



  •Quem não se
   comunica se
    trumbica!
Comunicação Verbal
•É aquela feita através
 de palavras, seja em
 discursos orais como
 em comunicações por
 escrito. Ou seja, são
 aquelas que utilizam o
 código escrito para a
 mensagem.
Comunicação Não-verbal
      É  uma complementação das verbais, pois, ao ser
 emitido uma comunicação verbal, também se está
 emitindo mensagem não-verbal;
      Como as comunicações por mímicas (nas quais se
 empregam as mãos, os gestos, a face, o corpo), as
 comunicações pelo olhar (as pessoas entendem-se através
 do olhar).
      Também há as comunicações posturais (a postura do
corpo ou atitudes indicam uma mensagem da qual se é
pouco consciente).
       Por fim, as comunicações conscientes e
inconscientes (ao comunicar por meio da fala, os gestos
podem estar demonstrando ao contrário do que se está
expressando).
Elementos da comunicação

• Emissor: aquele que envia a mensagem.

• Receptor: aquele que recebe a mensagem.

• Mensagem: conteúdo das informações transmitidas.
Elementos da comunicação
• Código é o sistema de símbolos, signos ou sinais que,
  por convenção prévia, se destina a representar e a
  transmitir a informação entre a fonte dos sinais
  (emissor) e o ponto de destino (receptor).

• Canal: meio pelo qual a mensagem é transmitida.

• Referente: é o objeto ou contexto sobre o qual a
  mensagem se refere.
Esquema de comunicação
Comunicação Verbal e Não-Verbal
Comunicação, Linguagem, Língua e Linguística




• A comunicação humana se dá através da linguagem e
  da língua (que é uma parte dela) e a linguística
  estuda as manifestações da língua de acordo com o
  objeto definido pela teoria utilizada.
Referências
• BAGNO, Marcos. Preconceito Linguístico: O que é e como se faz. 52ª Edição. Edições Loyola, 2009. 207 p.
• DUBOIS, Jean et al. Dicionário de Linguística. São Paulo: Cultrix, 2004. 653 p.
• FIORIN, José Luiz (org.). Introdução à Linguística – I Objetos teóricos. 6 ed. São Paulo: Contexto, 2010.
  227 p.
• FIORIN, José Luiz (org.). Introdução à Linguística – II Princípios de análise. 4 ed. São Paulo: Contexto,
  2010. 227 p.
• MEDEIROS, Janaína. O poder da palavra no Egito. Disponível em:
  http://www.slideshare.net/marianacorreiail/o-poder-da-palavra-no-egito
• MUSSALIM, Fernanda e BENTES, Anna Christina (org.). Introdução à Linguística: Domínios e fronteiras.
  Volume 1, 2 e 3. 9 ed. São Paulo: Cortez, 2011. 294 p.
• REITER, Aírton Júlio. Caderno de Estudos: Fundamentos da Linguística. Indaial: Editora ASSELVI, 2007.
  136 p.
• SPARANO, Maria Cristina de Távora. Linguagem e significado: O projeto filosófico de Davidson. Coleção
  filosofia 164. Edipucrs, 2003. 208 p.
• VIOTTI, Ivani. Temática 1: O que é linguística. Os conceitos de Língua e Linguagem. Curso de Licenciatura
  em Letras-LIBRAS – UFSC. Disponível em:
  http://www.libras.ufsc.br/hiperlab/avalibras/moodle/prelogin/index.htm. Acessado em: 10/09/2011.
• VIOTTI, Ivani. Temática 2: A língua para Fernidand de Saussure. Curso de Licenciatura em Letras-LIBRAS –
  UFSC. Disponível em: http://www.libras.ufsc.br/hiperlab/avalibras/moodle/prelogin/index.htm. Acessado
  em: 10/09/2011.
• VIOTTI, Ivani. Temática 3: A língua para Noan Chomsky. Curso de Licenciatura em Letras-LIBRAS – UFSC.
  Disponível em: http://www.libras.ufsc.br/hiperlab/avalibras/moodle/prelogin/index.htm. Acessado em:
  10/09/2011.
• VIOTTI, Ivani. Temática 4: Linguística Geral. Curso de Licenciatura em Letras-LIBRAS – UFSC. Disponível
  em: http://www.libras.ufsc.br/hiperlab/avalibras/moodle/prelogin/index.htm. Acessado em: 10/09/2011.
•

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lingua e fala
Lingua e falaLingua e fala
Lingua e fala
Jamille Rabelo
 
Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2
Flávio Ferreira
 
Sociolinguística
SociolinguísticaSociolinguística
Sociolinguística
Maria Glalcy Fequetia Dalcim
 
Saussure vida e obra
Saussure   vida e obraSaussure   vida e obra
Saussure vida e obra
Silvio Reinod Costa
 
Sintaxe
SintaxeSintaxe
Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1
Maninho Walker
 
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+FalaLinguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
jayarruda
 
Gerativismo
GerativismoGerativismo
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas. Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
Ailton Moreira
 
Língua e fala
Língua e falaLíngua e fala
Língua e fala
Antônio Francisco
 
Parte 2 linguística geral chomsky - apresentação
Parte 2   linguística geral chomsky - apresentaçãoParte 2   linguística geral chomsky - apresentação
Parte 2 linguística geral chomsky - apresentação
Mariana Correia
 
Sociolinguística
SociolinguísticaSociolinguística
Sociolinguística
Fernanda Câmara
 
Estruturalismo de saussure
Estruturalismo de saussureEstruturalismo de saussure
Estruturalismo de saussure
Raquel Benaion
 
Introdução a alguns conceitos da Teoria Gerativa
Introdução a alguns conceitos da Teoria GerativaIntrodução a alguns conceitos da Teoria Gerativa
Introdução a alguns conceitos da Teoria Gerativa
Márcio Leitão
 
Introdução à linguística - linguagem, língua e linguística
Introdução à linguística - linguagem, língua e linguísticaIntrodução à linguística - linguagem, língua e linguística
Introdução à linguística - linguagem, língua e linguística
Maria Glalcy Fequetia Dalcim
 
Parte 1 linguística geral apresentação
Parte 1   linguística geral apresentaçãoParte 1   linguística geral apresentação
Parte 1 linguística geral apresentação
Mariana Correia
 
Fonética e fonologia
Fonética e fonologiaFonética e fonologia
Fonética e fonologia
Diego Prezia
 
Variações Linguísticas
Variações LinguísticasVariações Linguísticas
Variações Linguísticas
7 de Setembro
 
Eixo analise linguistica
Eixo analise linguisticaEixo analise linguistica
Eixo analise linguistica
Pactoufba
 
Ferdinand de saussure
Ferdinand de saussureFerdinand de saussure
Ferdinand de saussure
Diana Barbosa
 

Mais procurados (20)

Lingua e fala
Lingua e falaLingua e fala
Lingua e fala
 
Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2
 
Sociolinguística
SociolinguísticaSociolinguística
Sociolinguística
 
Saussure vida e obra
Saussure   vida e obraSaussure   vida e obra
Saussure vida e obra
 
Sintaxe
SintaxeSintaxe
Sintaxe
 
Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1
 
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+FalaLinguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
 
Gerativismo
GerativismoGerativismo
Gerativismo
 
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas. Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
 
Língua e fala
Língua e falaLíngua e fala
Língua e fala
 
Parte 2 linguística geral chomsky - apresentação
Parte 2   linguística geral chomsky - apresentaçãoParte 2   linguística geral chomsky - apresentação
Parte 2 linguística geral chomsky - apresentação
 
Sociolinguística
SociolinguísticaSociolinguística
Sociolinguística
 
Estruturalismo de saussure
Estruturalismo de saussureEstruturalismo de saussure
Estruturalismo de saussure
 
Introdução a alguns conceitos da Teoria Gerativa
Introdução a alguns conceitos da Teoria GerativaIntrodução a alguns conceitos da Teoria Gerativa
Introdução a alguns conceitos da Teoria Gerativa
 
Introdução à linguística - linguagem, língua e linguística
Introdução à linguística - linguagem, língua e linguísticaIntrodução à linguística - linguagem, língua e linguística
Introdução à linguística - linguagem, língua e linguística
 
Parte 1 linguística geral apresentação
Parte 1   linguística geral apresentaçãoParte 1   linguística geral apresentação
Parte 1 linguística geral apresentação
 
Fonética e fonologia
Fonética e fonologiaFonética e fonologia
Fonética e fonologia
 
Variações Linguísticas
Variações LinguísticasVariações Linguísticas
Variações Linguísticas
 
Eixo analise linguistica
Eixo analise linguisticaEixo analise linguistica
Eixo analise linguistica
 
Ferdinand de saussure
Ferdinand de saussureFerdinand de saussure
Ferdinand de saussure
 

Semelhante a Parte 1 linguística geral apresentação 2012

Slide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptx
Slide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptxSlide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptx
Slide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptx
Paola Barbosa Dias
 
Pcc
PccPcc
Linguagem_lingua
Linguagem_linguaLinguagem_lingua
Linguagem_lingua
Jesrayne Nascimento
 
Capitulo 1
Capitulo 1Capitulo 1
Capitulo 1
BrunaLuque
 
Lingua e linguagem perini
Lingua e linguagem periniLingua e linguagem perini
Lingua e linguagem perini
Sâmara Lopes
 
Aula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdf
Aula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdfAula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdf
Aula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdf
sandralopes1561
 
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
Mariana Correia
 
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunhaPet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
MariaLusadeJesusRodo1
 
Prevenção iliteracia
Prevenção iliteraciaPrevenção iliteracia
Prevenção iliteracia
Ana Paula Santos
 
Parte1 - O que é linguística? Ivani Viotti
Parte1 - O que é linguística? Ivani ViottiParte1 - O que é linguística? Ivani Viotti
Parte1 - O que é linguística? Ivani Viotti
Mariana Correia
 
Tecnicas de comunicaca
Tecnicas de comunicacaTecnicas de comunicaca
Tecnicas de comunicaca
Victor Loforte
 
Linguagem E Sociedade
Linguagem E SociedadeLinguagem E Sociedade
Linguagem E Sociedade
FernandoFernochio
 
Gêneros de discurso e gêneros de texto ppt
Gêneros de discurso e gêneros de texto pptGêneros de discurso e gêneros de texto ppt
Gêneros de discurso e gêneros de texto ppt
pnaicdertsis
 
TP5- Unidades 17 e 18
TP5- Unidades 17  e  18TP5- Unidades 17  e  18
TP5- Unidades 17 e 18
Tatiane Rauber Dedé
 
ADMINISTRAÇÃO_LOGISTICA - MÓDULO I - PORTUGUÊS INSTRUMENTAL (3).pptx
ADMINISTRAÇÃO_LOGISTICA - MÓDULO I - PORTUGUÊS INSTRUMENTAL (3).pptxADMINISTRAÇÃO_LOGISTICA - MÓDULO I - PORTUGUÊS INSTRUMENTAL (3).pptx
ADMINISTRAÇÃO_LOGISTICA - MÓDULO I - PORTUGUÊS INSTRUMENTAL (3).pptx
carminhadc38
 
Adequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguísticaAdequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguística
Karen Olivan
 
Estudos da linguagem
Estudos da linguagemEstudos da linguagem
Estudos da linguagem
Dllubia
 
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática
Slide carmen  aula_2_09_09_2015 gramáticaSlide carmen  aula_2_09_09_2015 gramática
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática
Wellington Alves
 
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática (2)
Slide carmen  aula_2_09_09_2015 gramática (2)Slide carmen  aula_2_09_09_2015 gramática (2)
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática (2)
Wellington Alves
 
Parte 4 linguística geral apresentação 2012
Parte 4   linguística geral apresentação 2012Parte 4   linguística geral apresentação 2012
Parte 4 linguística geral apresentação 2012
Mariana Correia
 

Semelhante a Parte 1 linguística geral apresentação 2012 (20)

Slide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptx
Slide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptxSlide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptx
Slide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptx
 
Pcc
PccPcc
Pcc
 
Linguagem_lingua
Linguagem_linguaLinguagem_lingua
Linguagem_lingua
 
Capitulo 1
Capitulo 1Capitulo 1
Capitulo 1
 
Lingua e linguagem perini
Lingua e linguagem periniLingua e linguagem perini
Lingua e linguagem perini
 
Aula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdf
Aula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdfAula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdf
Aula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdf
 
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
 
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunhaPet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
 
Prevenção iliteracia
Prevenção iliteraciaPrevenção iliteracia
Prevenção iliteracia
 
Parte1 - O que é linguística? Ivani Viotti
Parte1 - O que é linguística? Ivani ViottiParte1 - O que é linguística? Ivani Viotti
Parte1 - O que é linguística? Ivani Viotti
 
Tecnicas de comunicaca
Tecnicas de comunicacaTecnicas de comunicaca
Tecnicas de comunicaca
 
Linguagem E Sociedade
Linguagem E SociedadeLinguagem E Sociedade
Linguagem E Sociedade
 
Gêneros de discurso e gêneros de texto ppt
Gêneros de discurso e gêneros de texto pptGêneros de discurso e gêneros de texto ppt
Gêneros de discurso e gêneros de texto ppt
 
TP5- Unidades 17 e 18
TP5- Unidades 17  e  18TP5- Unidades 17  e  18
TP5- Unidades 17 e 18
 
ADMINISTRAÇÃO_LOGISTICA - MÓDULO I - PORTUGUÊS INSTRUMENTAL (3).pptx
ADMINISTRAÇÃO_LOGISTICA - MÓDULO I - PORTUGUÊS INSTRUMENTAL (3).pptxADMINISTRAÇÃO_LOGISTICA - MÓDULO I - PORTUGUÊS INSTRUMENTAL (3).pptx
ADMINISTRAÇÃO_LOGISTICA - MÓDULO I - PORTUGUÊS INSTRUMENTAL (3).pptx
 
Adequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguísticaAdequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguística
 
Estudos da linguagem
Estudos da linguagemEstudos da linguagem
Estudos da linguagem
 
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática
Slide carmen  aula_2_09_09_2015 gramáticaSlide carmen  aula_2_09_09_2015 gramática
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática
 
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática (2)
Slide carmen  aula_2_09_09_2015 gramática (2)Slide carmen  aula_2_09_09_2015 gramática (2)
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática (2)
 
Parte 4 linguística geral apresentação 2012
Parte 4   linguística geral apresentação 2012Parte 4   linguística geral apresentação 2012
Parte 4 linguística geral apresentação 2012
 

Mais de Mariana Correia

Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...
Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...
Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...
Mariana Correia
 
Reportagem: "A leitura na era digital"
Reportagem: "A leitura na era digital"Reportagem: "A leitura na era digital"
Reportagem: "A leitura na era digital"
Mariana Correia
 
O orfanato da srta peregrine pa ransom riggs
O orfanato da srta peregrine pa   ransom riggsO orfanato da srta peregrine pa   ransom riggs
O orfanato da srta peregrine pa ransom riggs
Mariana Correia
 
Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)
Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)
Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)
Mariana Correia
 
Questionário dados gerados
Questionário   dados geradosQuestionário   dados gerados
Questionário dados gerados
Mariana Correia
 
Testes de compreensão textual: "Le petit prince"
Testes de compreensão textual: "Le petit prince"Testes de compreensão textual: "Le petit prince"
Testes de compreensão textual: "Le petit prince"
Mariana Correia
 
Questionário
QuestionárioQuestionário
Questionário
Mariana Correia
 
Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)
Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)
Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)
Mariana Correia
 
Entrevista com José Pacheco, Revista Aprende Brasil
Entrevista com José Pacheco, Revista Aprende BrasilEntrevista com José Pacheco, Revista Aprende Brasil
Entrevista com José Pacheco, Revista Aprende Brasil
Mariana Correia
 
Fallen i fallen (lauren kate)
Fallen i   fallen (lauren kate)Fallen i   fallen (lauren kate)
Fallen i fallen (lauren kate)
Mariana Correia
 
Série Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txt
Série Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txtSérie Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txt
Série Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txt
Mariana Correia
 
Hamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mata
Hamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mataHamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mata
Hamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mata
Mariana Correia
 
Satisfaction
SatisfactionSatisfaction
Satisfaction
Mariana Correia
 
Formação 5
Formação 5Formação 5
Formação 5
Mariana Correia
 
Paradigma de avaliação de textos
Paradigma de avaliação de textosParadigma de avaliação de textos
Paradigma de avaliação de textos
Mariana Correia
 
Formação 4 - Avaliação e construção de instrumentos
Formação 4 - Avaliação e construção de instrumentosFormação 4 - Avaliação e construção de instrumentos
Formação 4 - Avaliação e construção de instrumentos
Mariana Correia
 
20265 87941-1-pb
20265 87941-1-pb20265 87941-1-pb
20265 87941-1-pb
Mariana Correia
 
0.667326001366389749 paulo freire_e_os_temas_geradores
0.667326001366389749 paulo freire_e_os_temas_geradores0.667326001366389749 paulo freire_e_os_temas_geradores
0.667326001366389749 paulo freire_e_os_temas_geradores
Mariana Correia
 
Formação 3 - Escola Teresa Francescuti
Formação 3 - Escola Teresa FrancescutiFormação 3 - Escola Teresa Francescuti
Formação 3 - Escola Teresa Francescuti
Mariana Correia
 
Formação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinar
Formação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinarFormação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinar
Formação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinar
Mariana Correia
 

Mais de Mariana Correia (20)

Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...
Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...
Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...
 
Reportagem: "A leitura na era digital"
Reportagem: "A leitura na era digital"Reportagem: "A leitura na era digital"
Reportagem: "A leitura na era digital"
 
O orfanato da srta peregrine pa ransom riggs
O orfanato da srta peregrine pa   ransom riggsO orfanato da srta peregrine pa   ransom riggs
O orfanato da srta peregrine pa ransom riggs
 
Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)
Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)
Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)
 
Questionário dados gerados
Questionário   dados geradosQuestionário   dados gerados
Questionário dados gerados
 
Testes de compreensão textual: "Le petit prince"
Testes de compreensão textual: "Le petit prince"Testes de compreensão textual: "Le petit prince"
Testes de compreensão textual: "Le petit prince"
 
Questionário
QuestionárioQuestionário
Questionário
 
Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)
Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)
Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)
 
Entrevista com José Pacheco, Revista Aprende Brasil
Entrevista com José Pacheco, Revista Aprende BrasilEntrevista com José Pacheco, Revista Aprende Brasil
Entrevista com José Pacheco, Revista Aprende Brasil
 
Fallen i fallen (lauren kate)
Fallen i   fallen (lauren kate)Fallen i   fallen (lauren kate)
Fallen i fallen (lauren kate)
 
Série Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txt
Série Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txtSérie Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txt
Série Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txt
 
Hamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mata
Hamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mataHamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mata
Hamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mata
 
Satisfaction
SatisfactionSatisfaction
Satisfaction
 
Formação 5
Formação 5Formação 5
Formação 5
 
Paradigma de avaliação de textos
Paradigma de avaliação de textosParadigma de avaliação de textos
Paradigma de avaliação de textos
 
Formação 4 - Avaliação e construção de instrumentos
Formação 4 - Avaliação e construção de instrumentosFormação 4 - Avaliação e construção de instrumentos
Formação 4 - Avaliação e construção de instrumentos
 
20265 87941-1-pb
20265 87941-1-pb20265 87941-1-pb
20265 87941-1-pb
 
0.667326001366389749 paulo freire_e_os_temas_geradores
0.667326001366389749 paulo freire_e_os_temas_geradores0.667326001366389749 paulo freire_e_os_temas_geradores
0.667326001366389749 paulo freire_e_os_temas_geradores
 
Formação 3 - Escola Teresa Francescuti
Formação 3 - Escola Teresa FrancescutiFormação 3 - Escola Teresa Francescuti
Formação 3 - Escola Teresa Francescuti
 
Formação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinar
Formação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinarFormação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinar
Formação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinar
 

Último

livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 

Parte 1 linguística geral apresentação 2012

  • 1. Curso de Capacitação para Tradutor/Intérprete da Língua Brasileira de Sinais 7ª Edição 2012/2013 LINGUÍSTICA GERAL Prof.ª Esp. Mariana Correia marianacorreiail@yahoo.com.br http://profmarianacorreia.blogspot.com
  • 3. O homem sentiu sempre – e os poetas frequentemente cantaram – o poder fundador da linguagem, que instaura uma sociedade imaginária, animas as coisas inertes, faz ver o que ainda não existe, traz de volta o que desapareceu. BENVENISTE apud BENTES e MUSSALIM
  • 4. Mitos de criação • No princípio, Deus criou os céus e a terra. A terra estava informe e vazia; as trevas cobriam o abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas. Deus disse: "Faça-se a luz!" E a luz foi feita. Deus viu que a luz era boa, e separou a luz das trevas. Deus chamou à luz DIA, e às trevas NOITE. Sobreveio a tarde e depois a manhã: foi o primeiro dia.
  • 5. O poder da palavra no Antigo Egito
  • 6. O que é linguística? • A linguística não se limita ao estudo de uma língua específica, nem ao estudo de uma família de línguas. • A linguística é o estudo científico da língua como um fenômeno natural. É claro que quanto mais avançamos nossos conhecimentos sobre as características das mais variadas línguas naturais, mais bem formamos um entendimento do que é a língua como um todo.
  • 7. O que é linguística? • A língua é sem dúvida parte da cognição humana. Por isso, a linguística investiga a relação entre língua e pensamento, e suas conexões com nossa capacidade motora, com nossa percepção visual e auditiva, e como essas conexões operam na construção da significação.
  • 8. O que é linguística? • A língua é também um fenômeno eminentemente social. As línguas emergem sempre que dois seres humanos entram em contato. • Pelo fato de a língua ser social, a linguística precisa entender as relações entre língua e cultura, entre língua e classes sociais, e entre uma língua e outras línguas que estão em contato com ela. Essas relações são importantes porque elas estão associadas a alguns fenômenos de grande interesse, como a variação e a mudança linguísticas.
  • 9. O que é linguística? • A linguística não tem um caráter prescritivo ou normativo. • Seu objetivo NÃO é proteger a língua de mudanças, de influências de outras línguas, nem privilegiar as formas mais “cultas” de uma língua, em detrimento de formas mais “populares”. A linguística é uma ciência empírica. O linguista observa e descreve as línguas exatamente como elas se apresentam para ele, sem qualquer juízo de valor. O linguista também busca explicações para a capacidade que as pessoas têm de falar ou sinalizar e para a capacidade que elas têm de compreender uma língua, e para o conhecimento que qualquer falante tem a respeito dos sons ou gestos, das palavras, das sentenças, dos discursos e dos textos de sua língua. A linguística é, então, uma ciência descritivo-explicativa.
  • 10. O que é linguística? (Teorias) •Cada definição de língua precisa ser entendida no âmbito de uma teoria particular. •As teorias são lentes que nos ajudam a perceber peculiaridades da língua, que passam despercebidas quando estamos fazendo uso dela em nosso dia-a-dia.
  • 11. Justificativa das teorias •A teoria define o objeto!
  • 12. O que estuda? •Não é correto pensarmos que a língua é algo que podemos observar. Aquilo que nós observamos são produções linguísticas, manifestações externas da língua, mas não a língua ela mesma.
  • 13. O que estuda? • Nós percebemos sentenças ou discursos em português ou LIBRAS, mas não o português ou a língua de sinais brasileira em si, não o sistema de princípios, regras e valores que torna a produção linguística possível. É por isso que precisamos das teorias. São elas que nos ajudam a chegar à língua, a partir das produções linguísticas que podemos perceber e observar.
  • 14. Como estuda? Linguística X Gramática • Definições de gramática Podemos definir o entendimento do conceito de gramática de três formas: - Internalizada: saber linguístico que o falante de uma língua desenvolve na própria atividade linguística. - Prescritiva: como o conjunto de regras (Gramática Tradicional) que determina como as relações dentro das sentenças deve ser feita. -Descritiva: como o uso efetivo observável em produções linguísticas.
  • 15. Gramaticalidade e Agramaticalidade • Os usuários da língua são capazes de detectar claramente as construções que gramaticais e agramaticais. Observe os exemplos abaixo e anote aqueles que julgar agramaticais: 1. O pastor da minha vizinha alemão pegou. 2. O pastor alemão da minha vizinha pegou o jornal. 3. O cão de guarda estava machucado. 4. O cão estava machucado de guarda. 5. O pastor alemão é um ótimo cão de guarda. 6. O machucado morreu homem. 7. As flores de plástico não morrem. 8. Têm pessoas de barata medo.
  • 16. Gramaticalidade e Agramaticalidade • As orações: 1, 4, 6, 8 • Não estão de acordo com a organização estrutural da língua portuguesa, por isso, são agramaticais de acordo com o conhecimento da língua que, nós, usuários, temos.
  • 17. Linguística X Gramática Tradicional • Linguística: • Não prescritiva, • Empírica (baseada na observação) • Descritiva, • Acompanha as mudanças. • Gramática Tradicional: • Prescritiva. • Normativa, • Não acompanha as mudanças, • Baseada nas tradição gramatical.
  • 18. Qual o campo de conhecimento? (intersecções e combinações) • Cada uma das interfaces da linguística com outras ciências vai dar uma definição de língua que privilegia um de seus múltiplos aspectos: • A interface entre a linguística e a biologia vai preferir definir a língua como parte da dotação genética da espécie humana; • A interface da linguística com a sociologia, vai dar mais ênfase aos aspectos sócio-culturais da língua; • A interface da linguística com a psicologia vai definir a língua como parte da cognição humana.
  • 19.
  • 21.
  • 22. Comunicação humana •Quem não se comunica se trumbica!
  • 23. Comunicação Verbal •É aquela feita através de palavras, seja em discursos orais como em comunicações por escrito. Ou seja, são aquelas que utilizam o código escrito para a mensagem.
  • 24. Comunicação Não-verbal É uma complementação das verbais, pois, ao ser emitido uma comunicação verbal, também se está emitindo mensagem não-verbal; Como as comunicações por mímicas (nas quais se empregam as mãos, os gestos, a face, o corpo), as comunicações pelo olhar (as pessoas entendem-se através do olhar). Também há as comunicações posturais (a postura do corpo ou atitudes indicam uma mensagem da qual se é pouco consciente). Por fim, as comunicações conscientes e inconscientes (ao comunicar por meio da fala, os gestos podem estar demonstrando ao contrário do que se está expressando).
  • 25. Elementos da comunicação • Emissor: aquele que envia a mensagem. • Receptor: aquele que recebe a mensagem. • Mensagem: conteúdo das informações transmitidas.
  • 26. Elementos da comunicação • Código é o sistema de símbolos, signos ou sinais que, por convenção prévia, se destina a representar e a transmitir a informação entre a fonte dos sinais (emissor) e o ponto de destino (receptor). • Canal: meio pelo qual a mensagem é transmitida. • Referente: é o objeto ou contexto sobre o qual a mensagem se refere.
  • 28. Comunicação Verbal e Não-Verbal
  • 29. Comunicação, Linguagem, Língua e Linguística • A comunicação humana se dá através da linguagem e da língua (que é uma parte dela) e a linguística estuda as manifestações da língua de acordo com o objeto definido pela teoria utilizada.
  • 30.
  • 31. Referências • BAGNO, Marcos. Preconceito Linguístico: O que é e como se faz. 52ª Edição. Edições Loyola, 2009. 207 p. • DUBOIS, Jean et al. Dicionário de Linguística. São Paulo: Cultrix, 2004. 653 p. • FIORIN, José Luiz (org.). Introdução à Linguística – I Objetos teóricos. 6 ed. São Paulo: Contexto, 2010. 227 p. • FIORIN, José Luiz (org.). Introdução à Linguística – II Princípios de análise. 4 ed. São Paulo: Contexto, 2010. 227 p. • MEDEIROS, Janaína. O poder da palavra no Egito. Disponível em: http://www.slideshare.net/marianacorreiail/o-poder-da-palavra-no-egito • MUSSALIM, Fernanda e BENTES, Anna Christina (org.). Introdução à Linguística: Domínios e fronteiras. Volume 1, 2 e 3. 9 ed. São Paulo: Cortez, 2011. 294 p. • REITER, Aírton Júlio. Caderno de Estudos: Fundamentos da Linguística. Indaial: Editora ASSELVI, 2007. 136 p. • SPARANO, Maria Cristina de Távora. Linguagem e significado: O projeto filosófico de Davidson. Coleção filosofia 164. Edipucrs, 2003. 208 p. • VIOTTI, Ivani. Temática 1: O que é linguística. Os conceitos de Língua e Linguagem. Curso de Licenciatura em Letras-LIBRAS – UFSC. Disponível em: http://www.libras.ufsc.br/hiperlab/avalibras/moodle/prelogin/index.htm. Acessado em: 10/09/2011. • VIOTTI, Ivani. Temática 2: A língua para Fernidand de Saussure. Curso de Licenciatura em Letras-LIBRAS – UFSC. Disponível em: http://www.libras.ufsc.br/hiperlab/avalibras/moodle/prelogin/index.htm. Acessado em: 10/09/2011. • VIOTTI, Ivani. Temática 3: A língua para Noan Chomsky. Curso de Licenciatura em Letras-LIBRAS – UFSC. Disponível em: http://www.libras.ufsc.br/hiperlab/avalibras/moodle/prelogin/index.htm. Acessado em: 10/09/2011. • VIOTTI, Ivani. Temática 4: Linguística Geral. Curso de Licenciatura em Letras-LIBRAS – UFSC. Disponível em: http://www.libras.ufsc.br/hiperlab/avalibras/moodle/prelogin/index.htm. Acessado em: 10/09/2011. •