SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Baixar para ler offline
Introdução à Linguística
Letras – IFSP - Avaré
Profª Maria Glalcy Fequetia Dalcim
mariaglalcy@gmail.com
maria.dalcim@ifsp.edu.br
https://lingualem.wordpress.com
1ª Leitura:
PETTER, MARGARIDA. Linguagem, língua
linguística. In: FIORIN, J. L. (org). Introdução
à linguística – objetos teóricos. 6ª ed., São
Paulo: Contexto, 2015.
Uma breve história do estudo da linguagem
 Primeiros estudos – Séc. IV a. C. – textos sagrados hindus
 Gregos – conceito e a palavra que o designa – haverá uma relação
entre a palavra e o significado?
 Latinos – dedicaram-se à gramática – defini-la como ciência e arte
 Modistas - (também chamados modistae ou gramáticos especulativos)
foram os membros de uma escola de filosofia gramatical conhecida
como Modismo, ativa no norte da França, Alemanha, Grã-
Bretanha e Dinamarca nos séculos XIII e XIV – a estrutura gramatical
das línguas é una e universal.
 Reforma Protestante (Século XVI) – tradução de livros sagrados
 Séculos XVII e XVIII – a linguagem se funda na razão – os princípios de
análise estabelecidos não de prendem a uma língua em particular.
 Século XIX – interesse pelas línguas vivas, pelo estudo comparativo dos
falares – Gramáticas Comparadas e da Linguística Histórica.
Uma breve história do estudo da linguagem
 “O pensamento linguístico contemporâneo, mesmo que em
novas bases, formou-se a partir dos princípios metodológicos
elaborados nessa época, que preconizavam a análise dos fatos
observados. O estudo comparado das línguas vai evidenciar o
fato de que as línguas se transformam com o tempo,
independentemente da vontade dos homens, seguindo uma
necessidade própria da língua e manifestando-se de forma
regular.” (p.12)
 Franz Boop – Descoberta de semelhanças entre as línguas –
Linguística Histórica – relação de “parentesco”
 Século XIX – as mudanças observadas nos textos escritos
poderiam ser explicadas por mudanças que teriam acontecido
da língua falada – Linguística Moderna – prioridade do estudo
da língua falada.
Uma breve história do estudo da linguagem
 Século XX – Ferdinand Saussure – Universidade de Genebra –
Linguística passa a ser reconhecida como Estudo Científico. Em
1916, dois alunos de Saussure, a partir das anotações em aula,
publicam o Curso de Linguística Geral.
O que é linguagem?
 Language – Língua e Linguagem
 Saussure e Chomsky
 Saussure – Linguagem “heteróclita e multifacetada” – vários
domínios: física, fisiológica, psíquica, domínio individual e social;
 A língua é parte essencial da linguagem: “é um produto social
da faculdade da linguagem e um conjunto de convenções
necessárias adotadas pelo corpo social para permitir o exercício
dessa faculdade no indivíduos” (1969: p.17)
 “A língua para Saussure é “um sistema de signos” – um conjunto
de unidades que se relacionam organizadamente dentro de um
todo. É a “parte social da linguagem”, exterior ao indivíduo; não
pode ser modificada pelo falante e obedece às leis do contrato
social estabelecido pelos membros da comunidade.” (p.14)
O que é linguagem?
 Objeto da Linguística para Saussure: distinção entre linguagem /
língua /fala.
 A língua é condição para produzir a fala, mas não há língua sem
o exercício da fala.
 Saussure focalizou em seu trabalho a linguística da língua –
“produto social depositado no cérebro de cada um”
 “A Linguística tem por único e verdadeiro objeto a língua
considerada em si mesma, e por si mesma”.
 A língua é considerada uma estrutura constituída por uma rede
de elementos, em que cada elemento tem um valor funcional
determinado;
Estruturalismo
O que é linguagem?
 “Doravante considerarei uma linguagem
como um conjunto (finito ou infinito) de
sentenças, cada um finita em comprimento e
construída a partir de um conjunto finito de
elementos” (Syntatic Structures, 1957:13)
 Toda língua natural possui um número finito
de sons (e um número finito de sinais gráficos
que os representam, se for escrita);
 Mesmo que as sentenças distintas da língua
sejam em número infinito, cada sentença só
pode ser representada como uma sequência
finita desses sons (ou letras);
Noam Chomsky
O que é linguagem?
 “Chomsky acredita que tais propriedades são tão abstratas,
complexas e específicas que não poderiam ser aprendidas a
partir do nada por uma criança em fase de aquisição da
linguagem. Essas propriedades já devem ser “conhecidas”
da criança antes de seu contato com qualquer língua
natural e devem ser acionadas durante o processo de
aquisição da linguagem. Para Chomsky, portanto, a
linguagem é uma capacidade inata e específica da
espécie, isto é, transmitida geneticamente e própria da
espécie humana.” (p.15)
 Chomsky distingue competência de desempenho;
O que é linguagem?
 “A competência Linguística é a porção do conhecimento do sistema
linguístico do falante que lhe permite produzir o conjunto de
sentenças de sua língua; é um conjunto de regras que o falante
construiu em sua mente pela aplicação de sua capacidade inata
para a aquisição da linguagem aos dados linguísticos que ouviu
durante a infância. O desempenho corresponde ao comportamento
linguístico, que resulta não somente da competência Linguística do
falante, mas também de fatores não linguísticos de ordem variada,
como: convenções sociais, crenças, atitudes emocionais do falante
em relação ao que diz, pressupostos sobre as atitudes do interlocutor
etc., de um lado; e, de outro, o funcionamento dos mecanismos
psicológicos e fisiológicos envolvidos na produção dos enunciados.
O desempenho pressupõe a competência, ao passo que a
competência não pressupõe desempenho. A tarefa do linguista é
descrever a competência, que é puramente Linguística, subjacente
ao desempenho.” (p.15)
O que é Linguística?
 Investigação científica da linguagem verbal humana.
 Linguagens (verbais e não verbais) – sistemas de signos usados
para a comunicação.
 Estuda a principal modalidade dos sistemas sígnicos, as línguas
naturais, que são a forma de comunicação mais altamente
desenvolvida e de maior uso.
 Possuem as propriedades de flexibilidade e adaptabilidade
que permitem expressar conteúdos bastante diversificados.
 Função do linguista – estudar toda e qualquer expressão
linguística como um fato merecedor de descrição e
explicação dentro de um quadro científico adequado.
O que é Linguística?
 “Os estudos linguísticos não se confundem com o aprendizado
de muitas línguas: o linguista deve estar apto a falar "sobre"
uma ou mais línguas, conhecer seus princípios de
funcionamento, suas semelhanças e diferenças. A Linguística
não se compara ao estudo tradicional da gramática; ao
observar a língua em uso o linguista procura descrever e
explicar os fatos: os padrões sonoros, gramaticais é lexicais que
estão sendo usados, sem avaliar aquele uso em termos de um
outro padrão: moral, estético ou crítico.” (p.17)
 O prestígio e a autoridade da língua escrita em nossa
sociedade, muitas vezes são obstáculos para os principiantes
nos estudos da linguística, que tem dificuldade em perceber e
aceitar a possibilidade de considerar a língua falada
independentemente de sua representação gráfica.
O que é Linguística?
 Linguística Geral – oferece os conceitos e modelos que fundamentarão
a análise das línguas.
 Linguística Descritiva – fornecem dados que confirmam ou refutam as
teorias formuladas pela Linguística Geral
 Linguística Histórica ou Diacrônica – estudo das transformações que
passavam as línguas – análise dos sistemas linguísticos em momentos
diferentes.
 Linguística Sincrônica ou Teórica – análise das línguas sob a forma que
se encontravam em um determinado momento histórico, num ponto
do tempo.
 “Em sincronia os fatos linguísticos são observados quanto ao seu
funcionamento, num determinado momento. Em diacronia os fatos são
analisados quanto às suas transformações, pelas relações que
estabelecem com os fatos que o precederam ou sucederam.” (p.18)
Gramática – o ponto de vista normativo /descritivo
 Gramática Tradicional – fundamenta-se na análise da língua
escrita
 Não reconhece a diferença entre língua escrita e língua falada
 Ponto de vista prescritivo, normativo em relação à língua.
 Expressar-se “segundo a norma”, “falar certo” continua sendo
valorizado.
 A perspectiva normativa contribui para gerar uma série de falsos
conceitos e até preconceitos, que vêm sendo desmistificados
pela Linguística.
Linguística: o ponto de vista descritivo / explicativo
 A Linguística histórica, estudando em profundidade as
transformações da linguagem, mostrou que as mudanças
linguísticas frequentemente têm sua origem na fala popular:
muitas vezes o “errado” de uma época passa a ser consagrado
como a forma correta da época seguinte.
 A Linguística descritiva entende que as variedades não padrão
do português, por exemplo, caracterizam-se por um conjunto de
regras gramaticais que simplesmente diferem daquelas do
português padrão.
 A gramática de uma língua ou de um dialeto é a descrição das
regularidades que sustentam a sua estrutura.
Linguística: o ponto de vista descritivo / explicativo
 O caráter científico da Linguística se fundamenta em dois
princípios: o empirismo e a objetividade. A Linguística é empírica
porque trabalha com dados verificáveis por meio de
observação; é objetiva porque examina a língua de forma
independente, livre de preconceitos sociais ou culturais
associados a uma visão leiga da linguagem.
 Chomsky – é necessária uma teoria explicativa que preceda os
dados e que possa explicar não só as frases realizadas mas
também as que potencialmente seriam produzidas pelo falante.
 Teoria da Gramática – gramaticalidade e agramaticalidade
 Os gerativistas estão preocupados em depreender na análise das
línguas propriedades comuns, universais da linguagem, que
constituem a Gramática Universal (GU)
Definição de alguns termos da linguística
Fonética – estudo das descrições e classificações das
características físicas, articulatórias e perceptivas da produção e
percepção dos sons da fala. Pode ser dividida ainda em três áreas
de atuação: articulatória; acústica e auditiva ou perceptiva.
Fonologia – (phonos = som, logos = estudo) estudo dos sistemas
sonoros das línguas. Possui um enfoque diferente em relação à
fonética, pois analisa a forma como os sons se organizam dentro de
uma língua e os classifica em fonemas.Pode-se diferenciar assim: a
fonética estuda as características físicas da produção do som e,
assim, o classifica. A fonologia estuda o som inserido no uso prático
da língua.
Definição de alguns termos da linguística
Gramática – (do grego γραμματική) conjunto de normas de uso
consagradas em determinada fase da evolução de uma língua e
aceitas pela maior parte da população. A gramática,
teoricamente, é a expressão considerada “correta”. A Linguística
questiona o “certo” e o “errado” gramaticais, pois quase sempre
são consequências de imposições políticas e sociais.
Linguagem – sistema de signos (sonoros, gráficos, gestuais, etc) que
serve de base para a comunicação de ideias ou sentimentos.
Cada povo ou grupo exerce essa capacidade por meio de um
determinado código linguístico, ou seja, utilizando um sistema de
signos vocais distintos e significativos, a que se dá o nome de língua
ou idioma.
Definição de alguns termos da linguística
Morfologia – o termo pode apresentar-se em diversas áreas da
ciência. Em Linguística, descreve o estudo da estrutura da palavra.
A análise pode ser realizada com base no morfema, na formação
ou na classificação da palavra.
Sintaxe – estuda as regras, as condições e os princípios subjacentes
à organização estrutural dos constituintes das frases, ou seja, o
estudo da ordem dos constituintes das frases.
Semântica – estudo do significado dos vocábulos em uma
determinada língua ou contexto.
Lexicologia – estudo da origem, forma e significado dos vocábulos
que constituem uma língua ou o conjunto de termos empregados
em um determinado contexto.
Definição de alguns termos da linguística
Lexicografia – conjunto de termos de uma determinada língua ou
área específica. A lexicografia é responsável pelos dicionários.
Diacronia – análise de um fenômeno linguístico em diferentes
momentos históricos da língua a que pertence. Ao estudar a
palavra “ter”, por exemplo, considera a sua etimologia, sua
evolução fonética e os diversos significados e aplicações que vem
tendo, de sua origem até a atualidade: tenere > têer > teer > ter.
Também conhecida como Linguística Histórica.
Sincronia – análise de um fenômeno linguístico em um determinado
momento histórico. Também conhecida como Linguística
Descritiva.
Definição de alguns termos da linguística
Terminologia – estudo científico das noções e dos termos em uso
nas línguas de especialidade.
Estilística – estudo dos recursos expressivos de uma língua e sua
capacidade de provocar sugestões e efeitos de estilo. A estilística é
muito empregada em poesias e na literatura.
Sociolinguística – estudo das relações entre a língua e os
comportamentos sociais. As mudanças por que passam as
sociedades e que se refletem na evolução da língua.
Psicolinguística – estudo da capacidade da mente humana de
produzir e compreender a língua.
PAIVA, Marcelo Whately. Introdução à Linguística. Curso do Pós-Graduação na área de Língua Portuguesa. Instituto
AVW. Brasília – DF, 2011. Disponível em:
http://lms.ead1.com.br/webfolio/Mod1779/mod_introducao_a_linguistica_wd_v2.pdf. Acesso em: 29 de janeiro de
2017.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Concepções de linguagem, língua, gramática e
Concepções de linguagem, língua, gramática eConcepções de linguagem, língua, gramática e
Concepções de linguagem, língua, gramática eThiago Soares
 
Linguística i saussure
Linguística i  saussureLinguística i  saussure
Linguística i saussureGuida Gava
 
Lingüística aplicada
Lingüística aplicadaLingüística aplicada
Lingüística aplicadaADRIANA BECKER
 
Línguistica aplicada -__crenças,_necessidades_e_expectativas.
Línguistica aplicada -__crenças,_necessidades_e_expectativas.Línguistica aplicada -__crenças,_necessidades_e_expectativas.
Línguistica aplicada -__crenças,_necessidades_e_expectativas.ADRIANA BECKER
 
Tendências em Linguística Aplicada
Tendências em Linguística AplicadaTendências em Linguística Aplicada
Tendências em Linguística AplicadaVera Menezes
 
Gêneros textuais marcuschi
Gêneros textuais   marcuschiGêneros textuais   marcuschi
Gêneros textuais marcuschiSonia Nudelman
 
Concepções de linguagem
Concepções de linguagemConcepções de linguagem
Concepções de linguagemKelly Moraes
 
Parte 1 linguística geral apresentação
Parte 1   linguística geral apresentaçãoParte 1   linguística geral apresentação
Parte 1 linguística geral apresentaçãoMariana Correia
 
Introdução a alguns conceitos da Teoria Gerativa
Introdução a alguns conceitos da Teoria GerativaIntrodução a alguns conceitos da Teoria Gerativa
Introdução a alguns conceitos da Teoria GerativaMárcio Leitão
 
O funcionalismo linguistico
O funcionalismo linguisticoO funcionalismo linguistico
O funcionalismo linguisticoFrancione Brito
 
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas. Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas. Ailton Moreira
 

Mais procurados (20)

Análise de (do) discurso
Análise de (do) discursoAnálise de (do) discurso
Análise de (do) discurso
 
Concepções de linguagem, língua, gramática e
Concepções de linguagem, língua, gramática eConcepções de linguagem, língua, gramática e
Concepções de linguagem, língua, gramática e
 
Linguística i saussure
Linguística i  saussureLinguística i  saussure
Linguística i saussure
 
Lingüística aplicada
Lingüística aplicadaLingüística aplicada
Lingüística aplicada
 
LÍNGUA & LINGUAGEM
LÍNGUA & LINGUAGEMLÍNGUA & LINGUAGEM
LÍNGUA & LINGUAGEM
 
Línguistica aplicada -__crenças,_necessidades_e_expectativas.
Línguistica aplicada -__crenças,_necessidades_e_expectativas.Línguistica aplicada -__crenças,_necessidades_e_expectativas.
Línguistica aplicada -__crenças,_necessidades_e_expectativas.
 
Tendências em Linguística Aplicada
Tendências em Linguística AplicadaTendências em Linguística Aplicada
Tendências em Linguística Aplicada
 
Gêneros textuais marcuschi
Gêneros textuais   marcuschiGêneros textuais   marcuschi
Gêneros textuais marcuschi
 
Sintaxe
SintaxeSintaxe
Sintaxe
 
Concepções de linguagem
Concepções de linguagemConcepções de linguagem
Concepções de linguagem
 
Parte 1 linguística geral apresentação
Parte 1   linguística geral apresentaçãoParte 1   linguística geral apresentação
Parte 1 linguística geral apresentação
 
Introdução a alguns conceitos da Teoria Gerativa
Introdução a alguns conceitos da Teoria GerativaIntrodução a alguns conceitos da Teoria Gerativa
Introdução a alguns conceitos da Teoria Gerativa
 
Funcionalismo
FuncionalismoFuncionalismo
Funcionalismo
 
Estruturalismo - Introdução à Linguística
Estruturalismo - Introdução à LinguísticaEstruturalismo - Introdução à Linguística
Estruturalismo - Introdução à Linguística
 
Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2
 
O funcionalismo linguistico
O funcionalismo linguisticoO funcionalismo linguistico
O funcionalismo linguistico
 
Semântica pragmática
Semântica pragmáticaSemântica pragmática
Semântica pragmática
 
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas. Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
 
Uma linguística da enunciação
Uma linguística da enunciaçãoUma linguística da enunciação
Uma linguística da enunciação
 
Concepões de língua, linguagem, norma e fala
Concepões de língua, linguagem, norma e falaConcepões de língua, linguagem, norma e fala
Concepões de língua, linguagem, norma e fala
 

Destaque

A comunicação humana - Introdução à Linguística
A comunicação humana - Introdução à LinguísticaA comunicação humana - Introdução à Linguística
A comunicação humana - Introdução à LinguísticaMaria Glalcy Fequetia Dalcim
 
Os modelos de comunicacao
Os modelos de comunicacaoOs modelos de comunicacao
Os modelos de comunicacaoLeYa
 
Modelos de comunicacão
Modelos de comunicacãoModelos de comunicacão
Modelos de comunicacãoLeYa
 
Aula 02 Teoria Hipodérmica da Comunicação
Aula 02   Teoria Hipodérmica da ComunicaçãoAula 02   Teoria Hipodérmica da Comunicação
Aula 02 Teoria Hipodérmica da ComunicaçãoElizeu Nascimento Silva
 
Introdução à comunicação
Introdução à comunicaçãoIntrodução à comunicação
Introdução à comunicaçãoThayse Beckner
 

Destaque (6)

A comunicação humana - Introdução à Linguística
A comunicação humana - Introdução à LinguísticaA comunicação humana - Introdução à Linguística
A comunicação humana - Introdução à Linguística
 
Os modelos de comunicacao
Os modelos de comunicacaoOs modelos de comunicacao
Os modelos de comunicacao
 
Modelos de comunicacão
Modelos de comunicacãoModelos de comunicacão
Modelos de comunicacão
 
Aula 02 Teoria Hipodérmica da Comunicação
Aula 02   Teoria Hipodérmica da ComunicaçãoAula 02   Teoria Hipodérmica da Comunicação
Aula 02 Teoria Hipodérmica da Comunicação
 
Aula 03 - Modelo de Lasswell
Aula 03 - Modelo de LasswellAula 03 - Modelo de Lasswell
Aula 03 - Modelo de Lasswell
 
Introdução à comunicação
Introdução à comunicaçãoIntrodução à comunicação
Introdução à comunicação
 

Semelhante a Introdução à linguística - linguagem, língua e linguística

Slide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptx
Slide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptxSlide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptx
Slide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptxPaola Barbosa Dias
 
Resumo da Disciplina Prática Profissional: Linguística Aplicada
Resumo da Disciplina Prática Profissional: Linguística AplicadaResumo da Disciplina Prática Profissional: Linguística Aplicada
Resumo da Disciplina Prática Profissional: Linguística AplicadaEspaço da Criatividade Encantado
 
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012Mariana Correia
 
Linguística como ciência
Linguística como ciênciaLinguística como ciência
Linguística como ciênciaAdventus Net
 
04.PALESTRA_I_SIC_URCA________UNILAB.ppt
04.PALESTRA_I_SIC_URCA________UNILAB.ppt04.PALESTRA_I_SIC_URCA________UNILAB.ppt
04.PALESTRA_I_SIC_URCA________UNILAB.pptDiinhaCavalcanteDiin
 
Esquema de estudo sobre leitura e produçaõ de textos e as novas ti csl
Esquema de estudo sobre leitura e produçaõ de textos e as novas ti cslEsquema de estudo sobre leitura e produçaõ de textos e as novas ti csl
Esquema de estudo sobre leitura e produçaõ de textos e as novas ti cslEveline Sol
 
linguistica.ppt
linguistica.pptlinguistica.ppt
linguistica.pptlucasicm
 
Conceito de lingua
Conceito de linguaConceito de lingua
Conceito de linguaLeYa
 
Influência do trato da língua e da linguagem - Aula 02.pptx
Influência do trato da língua e da linguagem - Aula 02.pptxInfluência do trato da língua e da linguagem - Aula 02.pptx
Influência do trato da língua e da linguagem - Aula 02.pptxAnnyGabrielly25
 
TEXTO_BASE_-_VERSAO_REVISADA (1).pdf
TEXTO_BASE_-_VERSAO_REVISADA (1).pdfTEXTO_BASE_-_VERSAO_REVISADA (1).pdf
TEXTO_BASE_-_VERSAO_REVISADA (1).pdflucasicm
 
Panorama dos estudos linguísticos
Panorama dos estudos linguísticosPanorama dos estudos linguísticos
Panorama dos estudos linguísticosMauro Toniolo Silva
 
1 GRAMTICA GERATIVA DE CHOMSKY 2021-2.pdf
1 GRAMTICA GERATIVA DE CHOMSKY 2021-2.pdf1 GRAMTICA GERATIVA DE CHOMSKY 2021-2.pdf
1 GRAMTICA GERATIVA DE CHOMSKY 2021-2.pdfLuciane Lucyk
 
Enunciação em Bakthin.pptx
Enunciação em Bakthin.pptxEnunciação em Bakthin.pptx
Enunciação em Bakthin.pptxElymarTargino1
 
Parte 2 a lingua_para_chomsky, Ivani Viotti
Parte 2 a lingua_para_chomsky, Ivani ViottiParte 2 a lingua_para_chomsky, Ivani Viotti
Parte 2 a lingua_para_chomsky, Ivani ViottiMariana Correia
 
Seminário linguistica e comunicação jakobson
Seminário linguistica e comunicação jakobsonSeminário linguistica e comunicação jakobson
Seminário linguistica e comunicação jakobsonFrancione Brito
 

Semelhante a Introdução à linguística - linguagem, língua e linguística (20)

Slide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptx
Slide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptxSlide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptx
Slide 2 - Estudos Linguísticos Scheme.pptx
 
Resumo da Disciplina Prática Profissional: Linguística Aplicada
Resumo da Disciplina Prática Profissional: Linguística AplicadaResumo da Disciplina Prática Profissional: Linguística Aplicada
Resumo da Disciplina Prática Profissional: Linguística Aplicada
 
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
 
Linguística como ciência
Linguística como ciênciaLinguística como ciência
Linguística como ciência
 
Resumão linguagem
Resumão linguagemResumão linguagem
Resumão linguagem
 
04.PALESTRA_I_SIC_URCA________UNILAB.ppt
04.PALESTRA_I_SIC_URCA________UNILAB.ppt04.PALESTRA_I_SIC_URCA________UNILAB.ppt
04.PALESTRA_I_SIC_URCA________UNILAB.ppt
 
Esquema de estudo sobre leitura e produçaõ de textos e as novas ti csl
Esquema de estudo sobre leitura e produçaõ de textos e as novas ti cslEsquema de estudo sobre leitura e produçaõ de textos e as novas ti csl
Esquema de estudo sobre leitura e produçaõ de textos e as novas ti csl
 
linguistica.ppt
linguistica.pptlinguistica.ppt
linguistica.ppt
 
Conceito de lingua
Conceito de linguaConceito de lingua
Conceito de lingua
 
Estudos da linguagem livro
Estudos da linguagem livroEstudos da linguagem livro
Estudos da linguagem livro
 
Influência do trato da língua e da linguagem - Aula 02.pptx
Influência do trato da língua e da linguagem - Aula 02.pptxInfluência do trato da língua e da linguagem - Aula 02.pptx
Influência do trato da língua e da linguagem - Aula 02.pptx
 
TEXTO_BASE_-_VERSAO_REVISADA (1).pdf
TEXTO_BASE_-_VERSAO_REVISADA (1).pdfTEXTO_BASE_-_VERSAO_REVISADA (1).pdf
TEXTO_BASE_-_VERSAO_REVISADA (1).pdf
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
Panorama dos estudos linguísticos
Panorama dos estudos linguísticosPanorama dos estudos linguísticos
Panorama dos estudos linguísticos
 
1 GRAMTICA GERATIVA DE CHOMSKY 2021-2.pdf
1 GRAMTICA GERATIVA DE CHOMSKY 2021-2.pdf1 GRAMTICA GERATIVA DE CHOMSKY 2021-2.pdf
1 GRAMTICA GERATIVA DE CHOMSKY 2021-2.pdf
 
Enunciação em Bakthin.pptx
Enunciação em Bakthin.pptxEnunciação em Bakthin.pptx
Enunciação em Bakthin.pptx
 
Parte 2 a lingua_para_chomsky, Ivani Viotti
Parte 2 a lingua_para_chomsky, Ivani ViottiParte 2 a lingua_para_chomsky, Ivani Viotti
Parte 2 a lingua_para_chomsky, Ivani Viotti
 
AmíLcar+M[1]
AmíLcar+M[1]AmíLcar+M[1]
AmíLcar+M[1]
 
morfologia
morfologiamorfologia
morfologia
 
Seminário linguistica e comunicação jakobson
Seminário linguistica e comunicação jakobsonSeminário linguistica e comunicação jakobson
Seminário linguistica e comunicação jakobson
 

Mais de Maria Glalcy Fequetia Dalcim

"Oficina de Argumentação e Redação" - Relato de Experiência
"Oficina de Argumentação e Redação" - Relato de Experiência"Oficina de Argumentação e Redação" - Relato de Experiência
"Oficina de Argumentação e Redação" - Relato de ExperiênciaMaria Glalcy Fequetia Dalcim
 
Blended Learning: potencialidades no ensino e aprendizagem de línguas
Blended Learning: potencialidades no ensino e aprendizagem de línguas Blended Learning: potencialidades no ensino e aprendizagem de línguas
Blended Learning: potencialidades no ensino e aprendizagem de línguas Maria Glalcy Fequetia Dalcim
 
II Encontro de centros de linguas 2015 - Unesp/ Assis
 II Encontro de centros de linguas 2015 - Unesp/ Assis II Encontro de centros de linguas 2015 - Unesp/ Assis
II Encontro de centros de linguas 2015 - Unesp/ AssisMaria Glalcy Fequetia Dalcim
 
Um estudo sobre o fenômeno da desistência em um curso de formação online para...
Um estudo sobre o fenômeno da desistência em um curso de formação online para...Um estudo sobre o fenômeno da desistência em um curso de formação online para...
Um estudo sobre o fenômeno da desistência em um curso de formação online para...Maria Glalcy Fequetia Dalcim
 
Objetos de Aprendizagem - Objetos Educacionais - Repositórios
Objetos de Aprendizagem - Objetos Educacionais - RepositóriosObjetos de Aprendizagem - Objetos Educacionais - Repositórios
Objetos de Aprendizagem - Objetos Educacionais - RepositóriosMaria Glalcy Fequetia Dalcim
 
Ambientes e ferramentas da internet incorporados às praticas
Ambientes e ferramentas da internet incorporados às praticasAmbientes e ferramentas da internet incorporados às praticas
Ambientes e ferramentas da internet incorporados às praticasMaria Glalcy Fequetia Dalcim
 

Mais de Maria Glalcy Fequetia Dalcim (20)

Revisão - ENEM 2020 - PPT
Revisão - ENEM 2020 - PPTRevisão - ENEM 2020 - PPT
Revisão - ENEM 2020 - PPT
 
Revisão ENEM 2020 - PDF
Revisão ENEM 2020 - PDFRevisão ENEM 2020 - PDF
Revisão ENEM 2020 - PDF
 
Pragmática
PragmáticaPragmática
Pragmática
 
Semântica
SemânticaSemântica
Semântica
 
Morfologia
MorfologiaMorfologia
Morfologia
 
Fonética fonologia
Fonética fonologiaFonética fonologia
Fonética fonologia
 
Simple Past - Review
Simple Past - ReviewSimple Past - Review
Simple Past - Review
 
Prepositions - IN / AT / ON
Prepositions - IN / AT / ONPrepositions - IN / AT / ON
Prepositions - IN / AT / ON
 
Review - Simple Present and Personal Pronouns
Review - Simple Present and Personal PronounsReview - Simple Present and Personal Pronouns
Review - Simple Present and Personal Pronouns
 
Aula 2 - Poetry in Exams
Aula 2 - Poetry in ExamsAula 2 - Poetry in Exams
Aula 2 - Poetry in Exams
 
Poetry in Exams - 1st Class - 3rd year
Poetry in Exams - 1st Class - 3rd yearPoetry in Exams - 1st Class - 3rd year
Poetry in Exams - 1st Class - 3rd year
 
Back to school 2017
Back to school 2017Back to school 2017
Back to school 2017
 
Apresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieira
Apresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieiraApresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieira
Apresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieira
 
Revisão- Inglês - Enem 2016
Revisão- Inglês - Enem 2016Revisão- Inglês - Enem 2016
Revisão- Inglês - Enem 2016
 
"Oficina de Argumentação e Redação" - Relato de Experiência
"Oficina de Argumentação e Redação" - Relato de Experiência"Oficina de Argumentação e Redação" - Relato de Experiência
"Oficina de Argumentação e Redação" - Relato de Experiência
 
Blended Learning: potencialidades no ensino e aprendizagem de línguas
Blended Learning: potencialidades no ensino e aprendizagem de línguas Blended Learning: potencialidades no ensino e aprendizagem de línguas
Blended Learning: potencialidades no ensino e aprendizagem de línguas
 
II Encontro de centros de linguas 2015 - Unesp/ Assis
 II Encontro de centros de linguas 2015 - Unesp/ Assis II Encontro de centros de linguas 2015 - Unesp/ Assis
II Encontro de centros de linguas 2015 - Unesp/ Assis
 
Um estudo sobre o fenômeno da desistência em um curso de formação online para...
Um estudo sobre o fenômeno da desistência em um curso de formação online para...Um estudo sobre o fenômeno da desistência em um curso de formação online para...
Um estudo sobre o fenômeno da desistência em um curso de formação online para...
 
Objetos de Aprendizagem - Objetos Educacionais - Repositórios
Objetos de Aprendizagem - Objetos Educacionais - RepositóriosObjetos de Aprendizagem - Objetos Educacionais - Repositórios
Objetos de Aprendizagem - Objetos Educacionais - Repositórios
 
Ambientes e ferramentas da internet incorporados às praticas
Ambientes e ferramentas da internet incorporados às praticasAmbientes e ferramentas da internet incorporados às praticas
Ambientes e ferramentas da internet incorporados às praticas
 

Último

EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docxSílvia Carneiro
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 

Último (20)

EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 

Introdução à linguística - linguagem, língua e linguística

  • 1. Introdução à Linguística Letras – IFSP - Avaré Profª Maria Glalcy Fequetia Dalcim mariaglalcy@gmail.com maria.dalcim@ifsp.edu.br https://lingualem.wordpress.com
  • 2. 1ª Leitura: PETTER, MARGARIDA. Linguagem, língua linguística. In: FIORIN, J. L. (org). Introdução à linguística – objetos teóricos. 6ª ed., São Paulo: Contexto, 2015.
  • 3. Uma breve história do estudo da linguagem  Primeiros estudos – Séc. IV a. C. – textos sagrados hindus  Gregos – conceito e a palavra que o designa – haverá uma relação entre a palavra e o significado?  Latinos – dedicaram-se à gramática – defini-la como ciência e arte  Modistas - (também chamados modistae ou gramáticos especulativos) foram os membros de uma escola de filosofia gramatical conhecida como Modismo, ativa no norte da França, Alemanha, Grã- Bretanha e Dinamarca nos séculos XIII e XIV – a estrutura gramatical das línguas é una e universal.  Reforma Protestante (Século XVI) – tradução de livros sagrados  Séculos XVII e XVIII – a linguagem se funda na razão – os princípios de análise estabelecidos não de prendem a uma língua em particular.  Século XIX – interesse pelas línguas vivas, pelo estudo comparativo dos falares – Gramáticas Comparadas e da Linguística Histórica.
  • 4. Uma breve história do estudo da linguagem  “O pensamento linguístico contemporâneo, mesmo que em novas bases, formou-se a partir dos princípios metodológicos elaborados nessa época, que preconizavam a análise dos fatos observados. O estudo comparado das línguas vai evidenciar o fato de que as línguas se transformam com o tempo, independentemente da vontade dos homens, seguindo uma necessidade própria da língua e manifestando-se de forma regular.” (p.12)  Franz Boop – Descoberta de semelhanças entre as línguas – Linguística Histórica – relação de “parentesco”  Século XIX – as mudanças observadas nos textos escritos poderiam ser explicadas por mudanças que teriam acontecido da língua falada – Linguística Moderna – prioridade do estudo da língua falada.
  • 5. Uma breve história do estudo da linguagem  Século XX – Ferdinand Saussure – Universidade de Genebra – Linguística passa a ser reconhecida como Estudo Científico. Em 1916, dois alunos de Saussure, a partir das anotações em aula, publicam o Curso de Linguística Geral.
  • 6. O que é linguagem?  Language – Língua e Linguagem  Saussure e Chomsky  Saussure – Linguagem “heteróclita e multifacetada” – vários domínios: física, fisiológica, psíquica, domínio individual e social;  A língua é parte essencial da linguagem: “é um produto social da faculdade da linguagem e um conjunto de convenções necessárias adotadas pelo corpo social para permitir o exercício dessa faculdade no indivíduos” (1969: p.17)  “A língua para Saussure é “um sistema de signos” – um conjunto de unidades que se relacionam organizadamente dentro de um todo. É a “parte social da linguagem”, exterior ao indivíduo; não pode ser modificada pelo falante e obedece às leis do contrato social estabelecido pelos membros da comunidade.” (p.14)
  • 7. O que é linguagem?  Objeto da Linguística para Saussure: distinção entre linguagem / língua /fala.  A língua é condição para produzir a fala, mas não há língua sem o exercício da fala.  Saussure focalizou em seu trabalho a linguística da língua – “produto social depositado no cérebro de cada um”  “A Linguística tem por único e verdadeiro objeto a língua considerada em si mesma, e por si mesma”.  A língua é considerada uma estrutura constituída por uma rede de elementos, em que cada elemento tem um valor funcional determinado; Estruturalismo
  • 8. O que é linguagem?  “Doravante considerarei uma linguagem como um conjunto (finito ou infinito) de sentenças, cada um finita em comprimento e construída a partir de um conjunto finito de elementos” (Syntatic Structures, 1957:13)  Toda língua natural possui um número finito de sons (e um número finito de sinais gráficos que os representam, se for escrita);  Mesmo que as sentenças distintas da língua sejam em número infinito, cada sentença só pode ser representada como uma sequência finita desses sons (ou letras); Noam Chomsky
  • 9. O que é linguagem?  “Chomsky acredita que tais propriedades são tão abstratas, complexas e específicas que não poderiam ser aprendidas a partir do nada por uma criança em fase de aquisição da linguagem. Essas propriedades já devem ser “conhecidas” da criança antes de seu contato com qualquer língua natural e devem ser acionadas durante o processo de aquisição da linguagem. Para Chomsky, portanto, a linguagem é uma capacidade inata e específica da espécie, isto é, transmitida geneticamente e própria da espécie humana.” (p.15)  Chomsky distingue competência de desempenho;
  • 10. O que é linguagem?  “A competência Linguística é a porção do conhecimento do sistema linguístico do falante que lhe permite produzir o conjunto de sentenças de sua língua; é um conjunto de regras que o falante construiu em sua mente pela aplicação de sua capacidade inata para a aquisição da linguagem aos dados linguísticos que ouviu durante a infância. O desempenho corresponde ao comportamento linguístico, que resulta não somente da competência Linguística do falante, mas também de fatores não linguísticos de ordem variada, como: convenções sociais, crenças, atitudes emocionais do falante em relação ao que diz, pressupostos sobre as atitudes do interlocutor etc., de um lado; e, de outro, o funcionamento dos mecanismos psicológicos e fisiológicos envolvidos na produção dos enunciados. O desempenho pressupõe a competência, ao passo que a competência não pressupõe desempenho. A tarefa do linguista é descrever a competência, que é puramente Linguística, subjacente ao desempenho.” (p.15)
  • 11. O que é Linguística?  Investigação científica da linguagem verbal humana.  Linguagens (verbais e não verbais) – sistemas de signos usados para a comunicação.  Estuda a principal modalidade dos sistemas sígnicos, as línguas naturais, que são a forma de comunicação mais altamente desenvolvida e de maior uso.  Possuem as propriedades de flexibilidade e adaptabilidade que permitem expressar conteúdos bastante diversificados.  Função do linguista – estudar toda e qualquer expressão linguística como um fato merecedor de descrição e explicação dentro de um quadro científico adequado.
  • 12. O que é Linguística?  “Os estudos linguísticos não se confundem com o aprendizado de muitas línguas: o linguista deve estar apto a falar "sobre" uma ou mais línguas, conhecer seus princípios de funcionamento, suas semelhanças e diferenças. A Linguística não se compara ao estudo tradicional da gramática; ao observar a língua em uso o linguista procura descrever e explicar os fatos: os padrões sonoros, gramaticais é lexicais que estão sendo usados, sem avaliar aquele uso em termos de um outro padrão: moral, estético ou crítico.” (p.17)  O prestígio e a autoridade da língua escrita em nossa sociedade, muitas vezes são obstáculos para os principiantes nos estudos da linguística, que tem dificuldade em perceber e aceitar a possibilidade de considerar a língua falada independentemente de sua representação gráfica.
  • 13. O que é Linguística?  Linguística Geral – oferece os conceitos e modelos que fundamentarão a análise das línguas.  Linguística Descritiva – fornecem dados que confirmam ou refutam as teorias formuladas pela Linguística Geral  Linguística Histórica ou Diacrônica – estudo das transformações que passavam as línguas – análise dos sistemas linguísticos em momentos diferentes.  Linguística Sincrônica ou Teórica – análise das línguas sob a forma que se encontravam em um determinado momento histórico, num ponto do tempo.  “Em sincronia os fatos linguísticos são observados quanto ao seu funcionamento, num determinado momento. Em diacronia os fatos são analisados quanto às suas transformações, pelas relações que estabelecem com os fatos que o precederam ou sucederam.” (p.18)
  • 14. Gramática – o ponto de vista normativo /descritivo  Gramática Tradicional – fundamenta-se na análise da língua escrita  Não reconhece a diferença entre língua escrita e língua falada  Ponto de vista prescritivo, normativo em relação à língua.  Expressar-se “segundo a norma”, “falar certo” continua sendo valorizado.  A perspectiva normativa contribui para gerar uma série de falsos conceitos e até preconceitos, que vêm sendo desmistificados pela Linguística.
  • 15. Linguística: o ponto de vista descritivo / explicativo  A Linguística histórica, estudando em profundidade as transformações da linguagem, mostrou que as mudanças linguísticas frequentemente têm sua origem na fala popular: muitas vezes o “errado” de uma época passa a ser consagrado como a forma correta da época seguinte.  A Linguística descritiva entende que as variedades não padrão do português, por exemplo, caracterizam-se por um conjunto de regras gramaticais que simplesmente diferem daquelas do português padrão.  A gramática de uma língua ou de um dialeto é a descrição das regularidades que sustentam a sua estrutura.
  • 16. Linguística: o ponto de vista descritivo / explicativo  O caráter científico da Linguística se fundamenta em dois princípios: o empirismo e a objetividade. A Linguística é empírica porque trabalha com dados verificáveis por meio de observação; é objetiva porque examina a língua de forma independente, livre de preconceitos sociais ou culturais associados a uma visão leiga da linguagem.  Chomsky – é necessária uma teoria explicativa que preceda os dados e que possa explicar não só as frases realizadas mas também as que potencialmente seriam produzidas pelo falante.  Teoria da Gramática – gramaticalidade e agramaticalidade  Os gerativistas estão preocupados em depreender na análise das línguas propriedades comuns, universais da linguagem, que constituem a Gramática Universal (GU)
  • 17. Definição de alguns termos da linguística Fonética – estudo das descrições e classificações das características físicas, articulatórias e perceptivas da produção e percepção dos sons da fala. Pode ser dividida ainda em três áreas de atuação: articulatória; acústica e auditiva ou perceptiva. Fonologia – (phonos = som, logos = estudo) estudo dos sistemas sonoros das línguas. Possui um enfoque diferente em relação à fonética, pois analisa a forma como os sons se organizam dentro de uma língua e os classifica em fonemas.Pode-se diferenciar assim: a fonética estuda as características físicas da produção do som e, assim, o classifica. A fonologia estuda o som inserido no uso prático da língua.
  • 18. Definição de alguns termos da linguística Gramática – (do grego γραμματική) conjunto de normas de uso consagradas em determinada fase da evolução de uma língua e aceitas pela maior parte da população. A gramática, teoricamente, é a expressão considerada “correta”. A Linguística questiona o “certo” e o “errado” gramaticais, pois quase sempre são consequências de imposições políticas e sociais. Linguagem – sistema de signos (sonoros, gráficos, gestuais, etc) que serve de base para a comunicação de ideias ou sentimentos. Cada povo ou grupo exerce essa capacidade por meio de um determinado código linguístico, ou seja, utilizando um sistema de signos vocais distintos e significativos, a que se dá o nome de língua ou idioma.
  • 19. Definição de alguns termos da linguística Morfologia – o termo pode apresentar-se em diversas áreas da ciência. Em Linguística, descreve o estudo da estrutura da palavra. A análise pode ser realizada com base no morfema, na formação ou na classificação da palavra. Sintaxe – estuda as regras, as condições e os princípios subjacentes à organização estrutural dos constituintes das frases, ou seja, o estudo da ordem dos constituintes das frases. Semântica – estudo do significado dos vocábulos em uma determinada língua ou contexto. Lexicologia – estudo da origem, forma e significado dos vocábulos que constituem uma língua ou o conjunto de termos empregados em um determinado contexto.
  • 20. Definição de alguns termos da linguística Lexicografia – conjunto de termos de uma determinada língua ou área específica. A lexicografia é responsável pelos dicionários. Diacronia – análise de um fenômeno linguístico em diferentes momentos históricos da língua a que pertence. Ao estudar a palavra “ter”, por exemplo, considera a sua etimologia, sua evolução fonética e os diversos significados e aplicações que vem tendo, de sua origem até a atualidade: tenere > têer > teer > ter. Também conhecida como Linguística Histórica. Sincronia – análise de um fenômeno linguístico em um determinado momento histórico. Também conhecida como Linguística Descritiva.
  • 21. Definição de alguns termos da linguística Terminologia – estudo científico das noções e dos termos em uso nas línguas de especialidade. Estilística – estudo dos recursos expressivos de uma língua e sua capacidade de provocar sugestões e efeitos de estilo. A estilística é muito empregada em poesias e na literatura. Sociolinguística – estudo das relações entre a língua e os comportamentos sociais. As mudanças por que passam as sociedades e que se refletem na evolução da língua. Psicolinguística – estudo da capacidade da mente humana de produzir e compreender a língua. PAIVA, Marcelo Whately. Introdução à Linguística. Curso do Pós-Graduação na área de Língua Portuguesa. Instituto AVW. Brasília – DF, 2011. Disponível em: http://lms.ead1.com.br/webfolio/Mod1779/mod_introducao_a_linguistica_wd_v2.pdf. Acesso em: 29 de janeiro de 2017.