SlideShare uma empresa Scribd logo
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS
ORIENTAÇÕES AOS
PAIS
E RESPONSÁVEIS
DICA PARA O ALUNO QUER SABER MAIS?
Caro(a) estudante,
A suspensão das aulas em virtude da
propagação do COVID-19 foi uma medida
de segurança para sua saúde e da sua
família. Mas, não é motivo para que você
deixe de estudar e aprender sempre,
lembrando que você inicia uma nova etapa
da Educação Básica, que é a Educação
Profissional. Dessa forma, você:
1- receberá Plano de Estudos
Tutorado de cada um dos
componentes curriculares.
2- terá acesso aos conceitos básicos da
aula.
3- realizará algumas atividades.
4- precisará buscar informações em
diferentes fontes.
5- deverá organizar o seu tempo e local
para estudar.
Anotar é um exercício de seleção das
ideias e de maior aprendizado, por isso…
(1) Ao anotar, fazemos um esforço de
síntese. Como resultado, duas coisas
acontecem. Em primeiro lugar, quem
anota entende mais, pois está sempre
fazendo um esforço de captar o
âmago da questão. Repetindo, as
notas são nossa tradução do que
entendemos do conteúdo.
(2) Em segundo lugar, ao anotar, nossa
cabeça vaga menos. A disciplina de
selecionar o que será escrito ajuda
a manter a atenção no que está
sendo dito ou lido, com menos
divagações ou preocupações com
outros problemas. Quando bate o
sono ou o tédio, é a melhor maneira
de retomar a atenção.
Caro(a) estudante, busque anotar sempre
o que compreendeu de cada assunto
estudado.
Não fique limitado aos textos contidos nas
aulas. Pesquise em outras fontes como:
livros, internet, revista, documentos,
vídeos etc.
PLANO DE ESTUDO TUTORADO
COMPONENTE CURRICULAR: Português Intrumental
NOME DA ESCOLA: Escola Estadual Geraldino Rodrigues Cunha
PROFESSOR: Maria Luísa de Jesus Rodovalho
TURMA: Técnico em Administração TURNO: Noite
NÚMERO DE AULAS POR SEMANA: 02 aulas NÚMERO DE AULAS POR MÊS: 8
SEMANA 1
EIXO TEMÁTICO: Língua e Linguagem .
OBJETO DE CONHECIMENTO: Reconhecer e interpretar as variáveis da comunicação no
ambiente informatizado, bem como nortear o devido treinamento coloquial e norma culta padrão.
HABILIDADE(S): Reconhecer o sentido como produto de interação verbal. Reconhecer atos de
linguagem realizados no uso da língua como parte integrante do sentido de textos ou sequências
textuais.
CONTEÚDOS RELACIONADOS: Português Instrumental
INTERDISCIPLINARIDADE: Linguagens e suas Tecnologias Ciências Humanas e Sociais
ATIVIDADES
CONCEITOS BÁSICOS DA COMUNICAÇÃO HUMANA
LÍNGUA + LINGUAGEM = COMUNICAÇÃO
• Língua: produto social. Sistema de signos cujo funcionamento repousa sobre um certo número
de regras, de correções. É um código que pretende estabelecer uma comunicação entre emissor
e receptor. Ou seja, um contrato coletivo.
• Linguagem: instrumento, conteúdo e forma de pensamento. Meio de expressão de um grupo..
Meio de expressão de um grupo.
COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS QUE TORNAM UM INDIVÍDUO UM FALANTE DE UMA
LÍNGUA
→ Competência comunicativa: capacidade de usar a língua de acordo com a situação e o local;
→ Competência linguística: capacidade de usar conscientemente as diversas estruturas da
língua;
→ Competência metalinguística: capacidade de usar conscientemente certas características
habitualmente inconscientes;
→ Competência textual: capacidade de compreender e interpretar textos de acordo com o
contexto social e situacional.
TIPOS DE LINGUAGEM:
• Não-verbal - Que não utiliza os sons do aparelho fonador.
– Linguagem Gestual
– Linguagem Visual
– Linguagem Sonora
– Linguagem Simbólica
• Verbal - Que utiliza os sons do aparelho fonador.
– Linguagem Falada ou Oral
– Linguagem Escrita
– Linguagem Secreta ou Cifrada
• Mista - Que recorre aos sons do aparelho fonador e a outros.
– Linguagem Publicitária
A questão de como a linguagem consegue transmitir ideias de maneira coerente tanto ao emissor
quanto a sua audiência fascinou a filósofos, linguistas e psicólogos. Uma das mais célebres teorias
da comunicação foi proposta pelo linguista Roman Jakobson (1896–1982). Para Jakobson, qualquer
dado ato de comunicação verbal é composto de seis fatores:
1. Emissor: orador, narrador, autor.
2. Receptor: ouvinte, leitor, telespectador, usuário, destinatário.
3. Código: o sistema linguístico ou comunicativo, um conjunto de signos e regras linguísticos.
4. Mensagem: texto, discurso, o conteúdo, o que está sendo dito.
5. Contexto: o referente, a situação.
6. Canal de comunicação: o contato ou conexão psicológica ou física.
Além desses fatores, há ruído, ou seja, qualquer coisa que interfira na comunicação.
Esses fatores ou elementos exercem seis funções:
✓ Função Referencial ou Denotativa: foco no referente, objeto ou situação da mensagem trata,
com informações objetiva.
▪ Típicos de textos descritivos, científicos e jornalísticos.
✓ Função Emotiva ou Expressiva: foco no emissor com suas emoções e opiniões.
▪ Típico de frases de interjeições e poesias subjetivas.
✓ Função Conativa ou Apelativa: foco no receptor com objetivo de persuadi-lo.
▪ Típico de mensagens publicitárias.
✓ Função fática: o termo “fático” foi cunhado por Malinowski e vem do grego phatos (falado, do
verbo phanai, falar, dizer). Foco no canal. Visa estabelecer contato entre os sujeitos.
▪ Um exemplo é uma saudação entre duas pessoas que se encontraram.
✓ Função metalinguística: foco no código, ou seja na própria linguagem.
▪ Típico de dicionários e gramáticas.
✓ Função poética: foco na mensagem.
▪ Típico de obras literárias e publicitárias.
ATIVIDADES
1) Defina as características que se restringem a essa tríade: linguagem, língua e fala.
2) Considerando a relação entre os usos oral e escrito da língua, tratada no texto, verifica-se
que a escrita:
a) modifica as ideias e intenções
daqueles que tiveram seus textos
registrados por outros.
b) permite, com mais facilidade, a
propagação e a permanência de
ideias ao longo do tempo.
c) figura como um modo
comunicativo superior ao da
oralidade.
d) leva as pessoas a
desacreditarem nos fatos narrados
por meio da oralidade.
e) tem seu surgimento
concomitante ao da oralidade.
3) (UEMG-2006) Assinale a alternativa em que o(s) termo(s) em negrito do fragmento citado NÃO
contém (êm) traço(s) da função emotiva da linguagem.
a) Os poemas (infelizmente!) não estão nos rótulos de embalagens nem junto aos frascos de
remédio.
b) A leitura ganha contornos de “cobaia de laboratório” quando sai de sua significação e cai no
ambiente artificial e na situação inventada.
c) Outras leituras significativas são o rótulo de um produto que se vai comprar, os preços do bem
deconsumo, o tíquete do cinema, as placas do ponto de ônibus (...)
d) Ler e escrever são condutas da vida em sociedade. Não são ratinhos
mortos (...) prontinhos para ser desmontados e montados, picadinhos (...)
4) Enem-2014)
O telefone tocou.
— Alô? Quem fala?
— Como? Com quem deseja falar?
— Quero falar com o sr. Samuel Cardoso.
— É ele mesmo. Quem fala, por obséquio?
— Não se lembra mais da minha voz, seu Samuel?
Faça um esforço.
— Lamento muito, minha senhora, mas não me lembro. Pode dizer-me de quem se trata?
(ANDRADE, C. D. Contos de aprendiz. Rio de Janeiro: José Olympio, 1958.)
Pela insistência em manter o contato entre o emissor e o receptor, predomina no texto a função
a) metalinguística.
b) fática.
c) referencial.
d) emotiva.
e) conativa.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Disponível em https://ensaiosenotas.com/2014/11/16/funcoes-da-linguagem-e-a-construcao-do-sentido-
para-jakobson/
Disponível em https://pt.slideshare.net/flavioferreira98837399/lingua-elinguagem2
SEMANA 2
EIXO TEMÁTICO: Leitura e análise linguística.
OBJETO DE CONHECIMENTO: Estratégias de leitura: apreender os sentidos globais do texto.
Consideração das condições de produção. Construção da textualidade.
HABILIDADE(S): Comparar informações sobre um mesmo fato divulgado em diferentes veículos e
mídias, analisando e avaliando a confiabilidade.Selecionar informações e dados relevantes de
fontes diversas( impressas, digitais, orais, etc), avaliando a qualidade e a utilidade dessas fontes.
CONTEÚDOS RELACIONADOS: : Português Instrumental
INTERDISCIPLINARIDADE: Linguagens e suas Tecnologias Ciências Humanas e Sociais
ATIVIDADES
Um diálogo a distância...
Quando nosso texto nos escapa das mãos, ele vai sozinho e nos representará. É, também, uma
espécie de diálogo a distância, leva, de qualquer forma, a nossa mensagem, a maneira como
enxergamos o mundo, os outros e os fatos. Por isso, é sempre bom lembrar, quando escrevemos,
que ao colocar ideias no papel temos que nos colocar também no lugar do outro, o nosso leitor.
Somos claros? Temos dificuldades em nos expressar? Nossos argumentos são frágeis?
O leitor não deverá ter dificuldades em nos compreender e, caso tenha, a comunicação ficará
truncada1, com consequências trágicas para nós.
SEMANA 2
Tenha paciência com você:
um bom texto não vem ao mundo de uma hora para outra... Outra coisa: escrever não é meramente
transpor a fala para o papel. Observe:
Exemplo:
Texto I (falado)
"Ela tava ali, lindinha e nos conformes, cara... Fiquei olhando, imaginando um jeito de dize!; bem,
você sabe, né? De dizer aqueles negócios que fico pensando sem ela. Era hora, agora, vou lá, dou
uma chavecada nela, buzino umas no ouvidinho dela, tá na minha... Bom, tava faltando coragem,
puxa, foi me dando um frio, uma coisa, um estado... Virei as costas, meu irmão, e me mandei... "
Texto II (escrito)
"Digo a você que ela estava lá, diante dos meus olhos. Perfeita. Olhei-a imaginando um jeito de
dizer o quanto era importante para mim, dizer o que pensava dela quando estava a sós comigo
mesmo. Pensei ser a hora certa, conversa1: Mas me faltou coragem. Fugi."
Sobre as pontuações acima :
Construa um texto falado.
Referências
AS DIFERENÇAS ENTRE FALA E ESCRITA. Algo Sobre,2021. Disponível em: <
https://www.algosobre.com.br/redacao/as-diferencas-entre-fala-e-escrita.html >. Acesso em:
29, Agosto e 2021.
SEMANA 3
EIXO TEMÁTICO: Leitura e análise linguística.
OBJETO DE CONHECIMENTO: Estratégias de leitura: apreender os sentidos globais do texto.
Consideração das condições de produção. Construção da textualidade.
HABILIDADE(S): Comparar informações sobre um mesmo fato divulgado em diferentes veículos e
mídias, analisando e avaliando a confiabilidade.Selecionar informações e dados relevantes de
fontes diversas( impressas, digitais, orais, etc), avaliando a qualidade e a utilidade dessas fontes.
CONTEÚDOS RELACIONADOS: Português Instrumental
INTERDISCIPLINARIDADE: Linguagens e suas Tecnologias Ciências Humanas e Sociais
ATIVIDADES
A MARAVILHOSA COMUNICAÇÃO GERENCIAL
Como ter uma Comunicação Empresarial eficaz e melhorar seus resultados
As empresas hoje, mais do que simples aglomerados de pessoas buscando lucro através de uma
atividade, são como um organismo vivo, formado por diversas partes diferentes e interdependentes,
que trabalham em conjunto. Nesse novo contexto, a comunicação empresarial é extremamente
importante.
Para que a corporação funcione, tanto em termos operacionais, quanto na parte de clima
corporativo, a comunicação empresarial é fundamental. É ela que vai garantir que os colaboradores
trabalhem de forma conjunta e alinhada aos objetivos da empresa, e ainda fazer com que eles se
sintam pertencentes a ela, implicando em aumento de desempenho, inovação constante e criando
defensores da sua marca. Mas não se assuste, trabalhar com comunicação nas empresas não
precisa ser uma tarefa extremamente árdua e complicada.
COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL X COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL
Apesar da similaridade do nome e da maioria das pessoas considerar esses dois conceitos como
sinônimos, é importante ressaltar, apenas para conhecimento, que alguns acadêmicos entendem
que é preciso fazer uma distinção entre comunicação empresarial e comunicação organizacional.
Para algumas pessoas, a comunicação empresarial estaria mais relacionada a práticas diretamente
voltadas para o lucro ou benefício – seja financeiro, social ou de imagem – da própria empresa,
enquanto comunicação organizacional seria um conceito mais amplo, relacionado a diferentes
ações e com a capacidade de beneficiar não só a empresa, mas também pessoas e instituições
externas a ela. A comunicação organizacional, diferente da comunicação empresarial, poderia ser
aplicada até mesmo em empresas sem fins lucrativos, como ONGs e associações.
Além do mais, em alguns países esses conceitos também podem ter interpretações diferentes. Em
certos países da América Latina, por exemplo, comunicação organizacional é um sinônimo de
Relações Públicas, enquanto nos Estados Unidos o termo está mais relacionado a comunicação e
eventos internos na empresa.
Evolução da Comunicação Empresarial
Se antes as empresas só se preocupavam com sua imagem externamente, perante a comunidade
ou figuras de influência, hoje, com a evolução da tecnologia, o conhecimento cada vez maior dos
colaboradores sobre seus direitos e o aumento da importância do caráter humano das corporações,
elas precisam trabalhar sua comunicação empresarial de forma integrada e ampla, dando atenção
tanto ao externo quanto ao interno.
E atualmente o que não faltam são meios para que as empresas se comuniquem e atinjam seus
públicos de interesse de forma efetiva e é importante saber usar cada um deles de forma eficiente
e adequada.
A comunicação empresarial, que antes se apoiava em memorandos, murais de aviso e notas nos
cantos dos jornais, foi potencializada e hoje conta com meios muito mais efetivos e abrangentes.
Enquanto há alguns anos você conseguia atingir colaboradores e clientes de forma lenta e
fragmentada, hoje, com alguns cliques você garante que pessoas do mundo inteiro vejam sua
mensagem com qualidade total e quase em tempo real.
Por isso investir em tecnologias para comunicação empresarial é cada vez mais importante e pode
fazer toda a diferença no modo como sua empresa se relaciona com os colaboradores e é percebida
pela comunidade.
Os desafios da Comunicação Empresarial
Estabelecer uma boa comunicação empresarial nem sempre é uma tarefa fácil. Existem uma série
de barreiras, de ordem física e pessoal, que podem acabar prejudicando o bom funcionamento
desse processo e dificultar o andamento de outros. Portanto, é importante conhecer os principais
desafios que a comunicação empresarial pode enfrentar e estar preparado para lidar com eles.
Barreiras Semânticas
As barreiras semânticas ocorrem quando alguém tenta transmitir uma mensagem a outra pessoa
ou grupo em uma linguagem que não é comumente utilizada por eles.
Em termos práticos, imagine, por exemplo, se colocássemos um advogado formado para conversar
com um estudante de ensino médio e, durante a conversa, o profissional usasse termos
extremamente formais, complicados ou jargões da profissão. Provavelmente existiria aí umabarreira
semântica, uma vez que o estudante dificilmente entenderia o significado daquilo que estásendo
dito, mesmo que no fundo fosse algo realmente simples.
Portanto, para evitar esse tipo de barreira na comunicação empresarial, é importante que o receptor
tenha sempre claro em sua mente o tipo de público com o qual ele está lidando, e adapte a
mensagem para que ela seja compreendida de forma fácil e eficaz.
Barreiras Psicológicas e Pessoais
Esse tipo de barreira na comunicação empresarial ocorre por fatores intrínsecos às pessoas e aos
seus sentimentos, preconceitos e personalidade.
Nós temos uma barreira pessoal quando, por exemplo a pessoa vai trabalhar estando de mau
humor e então não consegue aceitar bem as opiniões alheias, ordens ou chegar a um acordo com
seus colegas.
As barreiras pessoais são as mais difíceis de se eliminar, uma vez que dependem apenas da própria
pessoa para existir ou não. Porém, com conversas e os incentivos certos, você pode ajudar seus
colaboradores a lidar melhor com problemas pessoais, com seus defeitos, e a manter um bom clima
na empresa como um todo.
Já as barreiras psicológicas na comunicação empresarial estão mais relacionadas com os
preconceitos e os sentimentos de uma pessoa em relação a outra ou a um grupo.
Por exemplo, imagine que o setor de tecnologia de uma empresa não compreende o papel das
pessoas do marketing e acha seu trabalho irrelevante e desnecessário para a corporação como um
todo, e que essas pessoas do marketing acham o setor de tecnologia chato, complicado e distante.
Se em alguma ocasião você precisar colocar os dois times para trabalharem juntos, de forma direta,
vai ter problemas na certa, gerados por essas barreiras psicológicas e pelo preconceito de cada
pessoa em relação a outra área.
Portanto, para evitar esse tipo de barreira e dificuldade na comunicação empresarial e entre os
times, é necessário que cada área tenha pelo menos um conhecimento superficial sobre o trabalho
do outro e que todos tenham acesso aos resultados de cada setor, para que vejam que todos são
importantes de alguma forma e trazem coisas boas para a empresa.
Barreiras Físicas e Geográficas
Por fim, a comunicação empresarial também sofre com fatores físicos e geográficos como distância,
interrupções, ruídos e dificuldade de deslocamento.
Principalmente no caso de empresas com atividade em mais de uma cidade ou país, ou em que os
funcionários precisam viajar constantemente, pode ficar bem difícil estabelecer uma comunicação
eficaz se ela for feita apenas de forma presencial ou por emails e mensagens de texto.
Portanto, é importante que sua empresa tire o máximo proveito de todas as ferramentas
tecnológicas disponíveis hoje, como os vídeos online e as videoconferências, para tornar a
comunicação empresarial mais próxima, completa e eficiente e não ter prejuízos em nenhum nível
operacional.
Fluxos da Comunicação Empresarial
A comunicação e a troca de informações que ocorre internamente, entre os próprios colaboradores
da empresa, segue alguns fluxos que podem definir seu tom, linguagem, e abordagem.
Fluxo descendente
Em uma empresa com forte hierarquia, é quando a comunicação ocorre das posições mais altas,
dos cargos mais importantes, às mais baixas.
Nesse tipo de comunicação empresarial, o emissor deve tomar cuidado para não soar autoritário,
ou agir de uma forma que possa desgastar sua relação com o receptor.
Fluxo ascendente
É exatamente o contrário do descendente. Nele, a comunicação empresarial ocorre das posições
mais baixas às mais altas.
Aqui também é importante tomar cuidado com a abordagem usada na comunicação, já que nesse
caso o emissor está se dirigindo a alguém, teoricamente, com mais poderes do que ele.
Fluxo horizontal
Este, como o nome já diz, é o fluxo que ocorre em um mesmo nível dentro da empresa, ou seja,
entre colaboradores na mesma posição ou com a mesma importância.
Este tipo de comunicação empresarial tende a ser mais leve e dinâmica, mas ainda assim, é
importante levar em conta fatores como o assunto e a realidade da sua empresa na hora de se
comunicar.
Fluxo transversal
O fluxo transversal se dá em todas as direções e permite que pessoas de todos os níveis participem
da comunicação empresarial e possam intervir em outros níveis ou áreas.
Este tipo de comunicação facilita a interação e aproxima pessoas de diferentes setores, porém deve
ocorrer de forma minimamente organizada, para que não haja conflitos entre pessoas com
especialidades diferentes.
Fluxo circular
Este tipo de comunicação é mais comum em empresas informais, uma vez que abarca todos os
níveis e não segue as direções tradicionais.
No fluxo circular, a comunicação empresarial é mais dinâmica, o que pode favorecer a efeciência
no ambiente de trabalho.
ATIVIDADES
1) A respeito de ocorrências em ambientes organizacionais, julgue os itens subsequentes.
Justifique sua escolha.
I - Nas organizações, as mensagens devem alcançar seu receptor de maneira correta e
compreensível, portanto as organizações devem estar atentas às possíveis barreiras que possam
afetar o sistema de comunicação.
A- Certo B – Errado
2) Um gerente recebeu uma avalição negativa do desempenho da sua equipe. Surpreso com os
resultados, ele convocou a equipe, apresentou os resultados e perguntou como aquilo podia ter
acontecido, se todos os relatórios e informações que recebia dos subordinados apontavam que
as atividades estavam sendo desempenhadas sem problemas e os resultados estavam sendo
atingidos. Os subordinados reconheceram que muitas vezes amenizaram as más notícias, para
evitar “problemas com o chefe”. Essa atitude dos subordinados indica que ocorreu a seguinte
barreira à comunicação:
a) Sobrecarga de informações
b) Canal inadequado
c) Feedback inadequado
d) Percepção seletiva
e) Filtragem de informações
3) Leia abaixo algumas considerações sobre um processo de comunicação eficiente, analise, e
assinale a alternativa incorreta:
a) Em um processo de comunicação eficiente a palavra, o tom de voz, os gestos, o contexto, tudo
deve estar integrado à mensagem que é transmitida.
b) Quando uma mensagem não produz resultados dizemos que há desperdício de energia.
Mensagens que não agreguem resultados positivos ou que não agreguem resultado algum, devem
ser descartadas.
c) A demonstração de profissionalismo, conhecimento sobre o assunto, experiência, credibilidade,
ajudam a criar uma imagem positiva atribuindo certa autoridade e respeito.
d) Dentro de um processo comunicativo para que obtenha a confiança das pessoas envolvidas é
necessário que suas falas estejam sintonizadas e coerentes com as diversas atitudes e situações
desenvolvidas no seu dia a dia.
e) Sempre que possível é interessante que se crie um ambiente amigável, a qualquer custo. Mesmo
que para isso seu trabalho ou sua empresa, sempre sejam prejudicados.
4) O texto publicitário tem por característica uma estrutura circular, o que significa dizer que esse
tipo de texto:
a) expõe dados da realidade de modo objetivo, privilegiando o objeto, o contexto. (resposta correta)
b) deve conter uma única proposição de venda, ao longo de seu desenvolvimento.
c) evita o questionamento e tem por objetivo levar o leitor a conclusões definitivas.
d) utiliza citações de especialistas que dão seu testemunho favorável, validando o que está sendo
afirmado.
e) não escolhe as palavras aleatoriamente, mas sim ideologicamente.
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
Disponível em https://sambatech.com/blog/insights/comunicacao-empresarial/
Disponível em https://gestaoempresarialfatec.wordpress.com/2018/06/24/exercicios-de-revisao-para-a-
prova-de-comunicacao-empresarial/
SEMANA 4
EIXO TEMÁTICO: Leitura e análise linguística.
OBJETO DE CONHECIMENTO: Estratégias de leitura: apreender os sentidos globais do texto.
Consideração das condições de produção. Construção da textualidade.
HABILIDADE(S): Comparar informações sobre um mesmo fato divulgado em diferentes veículos e
mídias, analisando e avaliando a confiabilidade.Selecionar informações e dados relevantes de
fontes diversas( impressas, digitais, orais, etc), avaliando a qualidade e a utilidade dessas fontes.
CONTEÚDOS RELACIONADOS: Coerência e Coesão. Análise e compreensão de textos: Texto
técnico, texto científico, jornalístico.
INTERDISCIPLINARIDADE: Linguagens e suas Tecnologias Ciências Humanas e Sociais
ATIVIDADES
O QUE É LER? O QUE É LEITURA?
Paulo Freire, falando sobre leitura diz: “A leitura do mundo precede a leitura da palavra […]”
Comumente se acredita que ler é a habilidade de interpretar os sinais gráficos convencionados da
língua falada. Mas não é apenas isso. Mais do que interpretar, ler é compreender a mensagem que
estes sinais nos transmitem. Moacir Gadotti diz: “ler é ver o que está escrito, interpretar por meio
da leitura, decifrar, compreender o que está escondido por um sinal exterior, descobrir, tomar
conhecimento do texto da leitura. Todas estas definições, finalmente, implicam na existência de
um leitor, de um código e de um autor”.
Um texto é, portanto, algo acabado, uma obra tecida, um complexo harmonioso. Essa é a primeira
conotação do que é texto. Dessa forma já temos o texto. Vamos ter o leitor. E do encontro ao leitor
e texto teremos a leitura.
Cada vez que lemos podemos reagir à mensagem e relacioná-la com nossas experiências e
conhecimentos. Podemos concordar com ela ou discordar dela. Por isso dizemos que ler, no
sentido profundo do termo, é o resultado da tensão entre leitor e texto. Isto é, a comunicação que
se estabelece entre o escritor que elaborou, escreveu e teve divulgado o seu pensamento, e o
leitor que se interessou, leu e aprendeu o que lhe foi exposto, além de confrontá-lo com sua
experiência de vida e de outras leituras.
Da mesma forma, pode-se concluir que não se nasce leitor. Por isso temos que aprender a ler e a
gostar de ler, se possível ao mesmo tempo.
Para cada tipo de texto, existem características que representam a sua finalidade.
Assim, é possível interpretar os formatos de escrita e qual é o propósito de cada conteúdo.
DIFERENÇA ENTRE TEXTOS
TEXTOS JORNALÍSTICOS:
Os textos jornalísticos tem a função de informar.
A escrita jornalística é objetiva, com frases curtas e numa linguagem simples, para que a
compreensão do conteúdo seja fácil e atenda o público de massa.
O texto jornalístico está presente em todos os meios de comunicação, adaptado conforme o tipo
de veiculação. Impressos, tv, rádio, mídias online: cada tipo de veículo tem o seu estilo de escrita,
para atender seu público-alvo.
Tipos de textos jornalísticos: Notícia, Editorial, Nota:
TEXTOS CIENTÍFICOS:
Um texto científico é uma produção textual, uma narrativa escrita que aborda algum conceito ou
teoria, com base no conhecimento científico através da linguagem científica.
Um texto científico é construído com linguagem científica, própria de uma comunidade específica.
A linguagem deve ser objetiva, não dando espaço para ambiguidade. No texto científico não existe
a preocupação da estética, como em um texto poético, por exemplo.
Muitas vezes os textos científicos expressam resultados obtidos em algum tipo de experiência e tem
como público-alvo outros elementos da comunidade científica, interessados também pelo mesmo
objeto de estudo.
Os artigos ou textos científicos devem seguir certos padrões, que no Brasil são determinados pela
ABNT (NBR 6022). Estas normas apresentam padrões relacionados com o formato, paginação,
citações, notas de rodapé, referências bibliográficas, etc.
Em inglês, a expressão "texto científico" é traduzida por science article.
TEXTOS TÉCNICOS:
O texto técnico é um texto voltado mais para “profissões”. São textos de uso mais específico,
escritos em linguagem conceitual, como trabalhos escolares, cartas, relatórios, comunicados
internos de empresas, processos jurídicos, normas administrativas, leis e etc.
A linguagem conceitual é aquela que, por suas características, leva o leitor a uma postura objetiva
diante de um texto. Ela é denotativa, racional, pede abstração, tende a fixar ou a apoiar-se em
conceitos, leis, princípios e normas, e se utiliza do processo dissertativo. Ele é usado quando
queremos comunicar dados, idéias, relatos, reflexões teóricas, propostas, considerações… enfim,
informações objetivas.
A Estrutura do texto técnico:
Veja agora os elementos que estão presentes na estruturação de um texto técnico. Os textos
técnicos apresentam em sua estrutura dois elementos: A descrição de objeto e a descrição de
processo. Veja cada um deles:
Descrição de objeto – é uma representação verbal que irá qualificar um elemento apresentando
suas características. Observe o exemplo:
Parabéns por adquirir um mouse sem fio da Microsoft, que inclui:
1. Mouse sem fio; 2. Receptor (versão para desktops ou notebooks, dependendo do seu modelo de
mouse); 3. Uma ou mais pilhas para o mouse sem fio, dependendo do seu modelo de mouse.; 4.
CD com o software de mouse Microsoft IntelliPoint; 5. Este Guia de Introdução
(In: Guia de Introdução. Produtos de mouse sem fio da Microsoft. p. 18)
Descrição de processo – é a representação, também verbal do funcionamento de um elemento. A
ênfase é dada na ação que é bem detalhada (no texto literário é a elaboração da narrativa, do
suspense). O corpo de quase todos os relatórios técnicos é uma descrição de processo e exige
conhecimento do assunto.
NN Observe o exemplo:
Para que um texto fique claro, objetivo e interessante, ele precisa realçar beleza, para que sua
estética seja vista de maneira plausível.
Fazendo parte dessa estética estão os elementos que participam da construção textual; entre eles,
a coesão e a coerência.
A coesão e a coerência são responsáveis pela construção do sentido de qualquer texto e,
portanto, de uma de suas características essenciais: a textualidade. Quando se tem diante de si a
intenção ou a proposição da produção de um texto, deve ser estabelecido o que se pretende
comunicar e planejar as ideias. É essencial ser claro e coerente com a ordem das palavras e
comunicar, sem contradizer, sem confundir o interlocutor através de enunciados desconexos. É
preciso também perceber se quem está escrevendo consegue se imaginar como leitor, a ponto de
compreender o enunciado, sem, por exemplo, encontrar-se diante de duplas interpretações.
❖ A coesão nada mais é que a ligação harmoniosa entre os parágrafos, fazendo com
que fiquem ajustados entre si, mantendo uma relação de significância.
Para melhor entender como isso se processa, imagine um texto sobrecarregado de palavras que
se repetem do início ao fim. Então, para evitar que isso aconteça, existem termos que substituem
a ideia apresentada, evitando, assim, a
repetição. Falamos das conjunções, dos
pronomes, dos advérbios e outros. Como
exemplo, verifique:
A magia das palavras é enorme, pois elas
expressam a força do pensamento. As
mesmas têm o poder de transformar e de
conscientizar.
Podemos perceber que as
expressões: elas e as mesmas referem-se
ao termo - “palavras”.
❖ Quando falamos sobre coerência, nos referimos à lógica interna de um texto, isto é, o assunto
abordado tem que se manter intacto, sem que haja distorções, facilitando, assim, o
entendimento da mensagem.
Estes são apenas alguns dos requisitos para a elaboração de um texto, e estas técnicas vão sendo
apreendidas à medida que nos tornamos escritores assíduos.
ATIVIDADES
Brasil, um país de não-leitores
O brasileiro lê em média 1,8 livro não-escolar por ano. Várias iniciativas estão sendo tomadas
para melhorar a situação. O governo lançou, em 13 de março, um programa nacional de incentivo
à leitura que visa criar bibliotecas, financiar editoras, estimular projetos de formação de professores,
entre outras coisas. No Brasil, já existem ONGs dedicadas a isso e, ultimamente, até as novelas de
TV têm mostrado personagens lendo. Um dos problemas é que os livros são caros, devido às baixas
tiragens. Outro é cultural: nunca se criou o hábito da leitura, e o sucesso do rádio, desde os anos
1930, e o da TV, desde os anos 1950, contribuíram para isso. Internet: (com adaptações).
1) De acordo com o texto, o governo lançou um programa de incentivo à leitura porque:
a) os livros, no Brasil, apesar das baixas tiragens, são caros.
b) o Estado deve, além de distribuir livros didáticos à população pobre, assegurar-lhe acesso à
literatura brasileira.
c) levantamentos demonstraram que o hábito de leitura é pouco cultivado no Brasil.
d) os apelos dos meios de comunicação audiovisuais fomentam o desinteresse das crianças pela
leitura.
2) Com base nos preceitos gramaticais e mantendo-se o sentido do texto, assinale a substituição
correta.
a) O brasileiro lê (ℓ.1) por Os brasileiros lêm
b) estão sendo tomadas (ℓ.1) por tem sido executado
c) já existem ONGs (ℓ.4) por já se criaram ONGs
d) os livros são caros (ℓ.5) por os livros custam caros
3) Os textos publicitários são produzidos para cumprir determinadas funções comunicativas. Os
objetivos desse cartaz estão voltados para a conscientização dos brasileiros sobre a
necessidade de a formação leitora começar na infância. Justifique essa afirmação.
4) No texto a seguir há um trecho que, se tomado literalmente (ao pé da letra), leva uma
interpretação absurda.
"Um cadáver morto foi encontrado boiando em canal."(Folha de S. Paulo, 2 nov. 1990.)
a) Identifique o trecho problemático.
b) Diga qual a interpretação absurda que se pode extrair desse trecho.
c) Qual a interpretação pretendida pelo autor?
d) Reescreva o trecho de forma que deixe explícita tal interpretação.
__
REFEREÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:
Disponível em redacaoegramatica.com.br
Disponível em https://biblioo.info/o-que-e-ler-o-que-e-leitura/
Disponível em https://academiadojornalista.com.br/producao-de-texto-jornalistico/diferencas-entre-
textos-jornalisticos-e-academicos/
Disponível em https://lpcbg2010.wordpress.com/textos-tecnicos/
Disponível em http://www.filologia.org.br/xvi_cnlf/tomo_1/006.pdf
Disponível em https://mundoeducacao.uol.com.br/redacao/coesao-coerencia.htm
SEMANA 5
EIXO TEMÁTICO: Prátca de Linguagem
OBJETO DE CONHECIMENTO: Estratégias de leitura: apreender os sentidos globais do texto.
Estilo. Reconstrução das condições de produção, circulação e recepção. Elementos notacionais da
escrita.
HABILIDADE(S): Comparar informações sobre um mesmo fato divulgado em diferentes veículos e
mídias, analisando e avaliando a confiabilidade.Pontuar adequadamente textos.
CONTEÚDOS RELACIONADOS: Recursos e tipos de redação técnica: relatórios, ofícios,
memorandos, atas, regulamentos.
INTERDISCIPLINARIDADE: Linguagens e suas Tecnologias Ciências Humanas e Sociais
ATIVIDADES
A REDAÇÃO TÉCNICA é o conjunto de gêneros textuais utilizados por órgãos públicos e empresas
para promover comunicação com seus receptores de forma objetiva e imparcial, seguindo as regras
da norma culta. A redação técnica é um texto redigido de maneira mais elaborada e formal. Ela
difere das redações literárias, pois são objetivas e imparciais, além do queutilizam a linguagem
denotativa.
CARACTERÍSTICAS DA REDAÇÃO TÉCNICA
A redação técnica é um texto que difere das redações literárias, pois, além de utilizar a
linguagem denotativa, é um texto formal e bastante conciso. Ela possui algumas peculiaridades
quanto à estrutura e estilo, por se tratar de documentos oficiais.
✓ Impessoalidade: distanciamento do autor do texto em relação ao tema e eliminação de
subjetividades.
✓ Formalidade: âmbito da padronização do texto, obedecendo às características previstas no
gênero.
✓ Concisão: redigir apenas o essencial, em poucas palavras.
✓ Nível de linguagem: emprego da norma-padrão da língua portuguesa.
TIPOS
De acordo com a finalidade proposta, existem diversos tipos de Redação Técnica, a saber:
▪ Ata
▪ Memorando
▪ Atestado
▪ Circular
▪ Carta Comercial
▪ Relatório
▪ Requerimento
▪ Declaração
▪ Ofício
▪ Procuração
▪ Contrato
▪ Currículo
ESTRUTURA: COMO FAZER UMA REDAÇÃO TÉCNICA?
Cada tipo de redação técnica apresenta uma estrutura específica, no entanto, algumas
características são comuns a todos, a saber:
• Timbre: as redações técnicas geralmente são produzidas em papel timbrado da empresa, da
universidade, da escola, etc. Além do timbre, elas podem conter carimbos com indicaçãoda
instituição que a emitiu.
• Destinatário: alguns textos técnicos exigem a indicação do receptor da mensagem. Além do
nome, podem ser acrescidos o departamento e o cargo ocupado pelo destinatário.
• Título: algumas delas usam título, enquanto outras preenchem um campo denominado de
“assunto”.
• Tema: antes de escrever é importante estar atento ao tema (assunto) que será explorado no
corpo do texto.
• Corpo do texto: os textos das redações técnicas geralmente seguem a estrutura padrão de
introdução, desenvolvimento e conclusão.
• Saudações finais: alguns documentos admitem as saudações finais e sempre devem
aparecer na linguagem formal: atenciosamente, saudações cordiais, cumprimentos, etc.
• Assinatura: ao final do documento, muitas redações técnicas apresentam a assinatura do
emissor, bem como o cargo que ocupa.
ATIVIDADES
1) Ao se redigir um documento oficial, deve-se atentar para as seguintes recomendações:
I. Praticar a concisão e a clareza, de modo a que poucas palavras possam trazer muita
informação, não deixando dúvida quanto à significação do conjunto do texto.
II. A comunicação oficial não exime o redator de manifestar claramente sua subjetividade, por
meio de opiniões criativas e do posicionamento estritamente pessoal diante de uma questão.
III. A formalidade da linguagem é uma característica imprescindível da redação oficial,
fazendo-se notar, por exemplo, pela observância da norma culta e pelas formas protocolares
de tratamento.
Está correto o que consta APENAS em:
a) I
b) II
c) III
d) I e III
e) NDA.
2) De acordo com o Manual de Redação da Presidência da República, os textos oficiais “por seu
caráter impessoal, por sua finalidade de informar com o máximo de clareza e concisão,requerem
o uso do padrão culto da língua”. Tal preceito está corretamente preservado em:
a) Encaminhamos a Vossa Senhoria todos os documentos relativos ao processo, para vossa
análise das principais questões ali presente.
b) A maioria dos documentos encaminhado já foram protocoladas na semana passada, mas
ainda existem alguns que fogem a essa condição.
c) Em relação às cópias anexas, cumpre frisar que se trata de uma amostra representativa,
adequada para esse primeiro momento de análise.
d) Todos os documentos solicitados foram encaminhados, embora tenha faltado dois que
seriam básicos para consolidar o relatório do departamento.
e) Por haverem questões ainda controversas quanto aos documentos, deixamos eles sob os
cuidados dos advogados do setor para que sejam melhor analisados.
3) Assinale a opção em que o trecho, adaptado da Internet (www.tse.gov.br), está gramaticalmente
correto e apropriado para compor um documento oficial.
a) As eleições não são experiências recentes no país. Com os primeiros núcleos de
povoadores, surgiram em terras brasileiras, o livre exercício do voto, logo depois da chegada
dos colonizadores. Foi o resultado da tradição portuguesa de eleger os administradores dos
povoados sob domínio luso.
b) Os colonizadores portugueses, mal pisavam a nova terra descoberta, passavam logo a
realizarem votações para eleger os que iriam governar as vilas e cidades que fundavam. Os
bandeirantes paulistas, por exemplo, iam, em suas missões, matutando a ideia de votar e de
serem votados.
c) Quando chegavam ao local que deveriam se estabelecer, se metiam logo a realizar a eleição
do guarda-mor regente. Somente após esse ato eram fundadas as cidades, já sob a égide
da lei e da ordem. Eram essas eleições realizadas para governos locais.
d) As eleições para governanças locais foram realizadas até a Independência. A primeira de
que se tem notícia aconteceu em 1532, para eleger o Conselho Municipal da Vila de São
Vicente. As pressões populares e o crescimento econômico do país, contudo, passaram a
exigir a participação de representantes brasileiros nas decisões da corte.
e) Os votos eram a princípio depositados em bolas de cera chamadas de pelouros; depois vieram
as urnas de madeira, as de ferro e as de lona, até que se implementou em todo o país, no
ano 2000, o voto informatizado, realizado em urnas eletrônicas que possibilitam a apuração
das eleições bem rapidinho.
TEXTO I
4) Ainda com base no Texto I, assinale a opção incorreta quanto à análise do uso da língua.
a) A forma "A gente", presente no primeiro balão, é muito comum na oralidade, mas deve ser
evitada na modalidade escrita em gêneros que requerem a norma padrão da língua
portuguesa, como o ofício, a ata, o memorando.
b) O recurso gráfico de balões com falas é usado no Texto I para representar, na modalidade
escrita, um tipo de interação que, no universo ficcional, ocorreria pela modalidade oral entre
as personagens.
c) A palavra "PAH", presente no primeiro quadrinho, seria inadequada em um contexto de
comunicação oficial por escrito entre órgãos da administração pública.
d) O fato de a palavra "PAH" ser grafada em caixa alta e seguida por um ponto de exclamação
e reticências não pode ser relacionado a uma estratégia de representação gráfica de como
o personagem teria, no universo ficcional, entoado oralmente essa palavra.
e) Em "Veja você", temos uma marca de interlocução entre as personagens.
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:
Disponível em https://www.todamateria.com.br/redacao-tecnica
Disponível em https://brasilescola.uol.com.br/redacao/redacao-tecnica.htm
Disponível em https://jcconcursos.uol.com.br/simulados/resultado/simulado-de-redacao-oficial-
para-concursos-nivel-medio/
Disponível em https://www.qconcursos.com/questoes-de-concursos/disciplinas/letras-redacao-
oficial/o-padrao-oficio/questoes
SEMANA 5
EIXO TEMÁTICO: Prática de Linguagem
OBJETO DE CONHECIMENTO: Estratégias de leitura: apreender os sentidos globais do texto.
Estilo. Reconstrução das condições de produção, circulação e recepção. Elementos notacionais da
escrita.
HABILIDADE(S): Comparar informações sobre um mesmo fato divulgado em diferentes veículos e
mídias, analisando e avaliando a confiabilidade.Pontuar adequadamente textos.
CONTEÚDOS RELACIONADOS: Recursos e tipos de redação técnica: relatórios, ofícios,
memorandos, atas, regulamentos.
INTERDISCIPLINARIDADE: Linguagens e suas Tecnologias Ciências Humanas e Sociais
ATIVIDADES
TIPOS DE REDAÇÃO TÉCNICA
Abaixo seguem os gêneros mais comuns no âmbito da redação técnica. É importante destacar que
existem inúmeros outros gêneros voltados ao estabelecimento de comunicação oficial ou
corporativa.
COMO FAZER UMA REDAÇÃO TÉCNICA
Ao redigir uma redação técnica, é preciso estar atento aos objetivos do texto e à norma culta.
Por isso, analise os pontos a seguir.
→ Tenha certeza da relevância do documento a ser emitido: é importante pensar na
relevância do documento, pois se trata de uma manifestação que estabelecerá comunicação
de forma bastante séria e comprometida. Portanto, ao redigir o texto técnico, pense em como
ele será recebido pelos interlocutores.
→ Concisão: ser conciso é informar o máximo em um mínimo de palavras. Observe, abaixo,
algumas expressões que podem ser substituídas por construções concisas.
Em vez de Escreva
Servimo-nos da presente para informar Informamos
Venho pela presente informar Informamos
Acusamos o recebimento Recebemos
Vimos pela presente agradecer Agradecemos
Devido ao fato de que Por causa
→ Estabeleça o destinatário: o destinatário pode ser uma pessoa, departamento, empresa.
→ Estabeleça o assunto ou tema: insira o assunto ou o tema do documento logo abaixo do
cabeçalho.
→ Corpo do texto: desenvolva o parágrafo central do documento de acordo com a norma-
padrão, de forma clara.
→ Fecho: é o momento em que o leitor entende que a comunicação está sendo encerrada na
forma de cumprimento. Exemplos: atenciosamente, respeitosamente, cordialmente.
ATIVIDADES
1) Leia o texto.
As lacunas do texto devem ser preenchidas, correta e respectivamente, com:
a) Senhor Prefeito ... Vossa Excelência ... Respeitosamente
b) Caro Prefeito ... Sua Excelência ... Atenciosamente
c) Ilustríssimo Prefeito ... Você ... Cordialmente
d) Estimado Senhor Prefeito ... Sua Excelência ... Respeitosamente
e) Senhor Prefeito ... Vossa Senhoria ... Atenciosamente
2) Dentre as partes do documento no padrão ofício, uma apresenta a imagem do brasão do
referente órgão público, conforme exemplificado a seguir.
(Imagem do brasão disponível em: https://www.capanema.pr.gov.br/.)
Tal característica pode ser identificada em:
a) Assunto.
b) Cabeçalho.
c) Endereçamento.
d) Identificação do expediente.
e) Fechos para as comunicações.
3) Considerando o fragmento de texto apresentado, julgue CERTO OU ERRADO os seguintes
itens, de acordo com o disposto no Manual de Redação da Presidência da República
(MRPR). Justifique sua resposta.
A concisão é uma qualidade da redação oficial que atende ao princípio da economia linguística,
segundo o qual se deve reduzir ao mínimo de palavras possível o conteúdo a ser comunicado,
evitando-se redundâncias ou trechos inúteis.
4) Responda V para verdadeiro ou F para falso e, em seguida, assinale a alternativa que
contém a ordem correta das respostas, de cima para baixo. Em relação ao memorando:
( )É a modalidade de comunicação entre unidades administrativas de um mesmo órgão, que
podem estar hierarquicamente em mesmo nível ou em nível diferente;
( )Sua característica principal é a heterogeneidade;
( )Pode ter caráter meramente administrativo, ou ser empregado para a exposição de projetos,
ideias, diretrizes, a serem adotados por determinado setor do serviço público.
a) F-V-F
b) V-V-F
c) V-F-V
d) F-V-V.
Vídeo Apoio
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:
Disponível em https://www.concursosnobrasil.com.br/escola/redacao/correspondencia-oficial.html
Disponível em https://www.slideshare.net/netosaimonsilva/documentos-oficiais-73650419
Disponível em https://pt.slideshare.net/dianapilatti/modelos-de-documentos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Linguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidadeLinguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidade
Karen Olivan
 
Linguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbalLinguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbal
Andreia Jaqueline Bach
 
LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
LIBRAS - Língua Brasileira de SinaisLIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
Lene Reis
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
GernciadeProduodeMat
 
Linguagem corporal
Linguagem corporalLinguagem corporal
Linguagem corporal
Igor Gabriel
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros Textuais
Edna Brito
 
Eixo analise linguistica
Eixo analise linguisticaEixo analise linguistica
Eixo analise linguistica
Pactoufba
 
Sentido literal e figurado
Sentido literal e figuradoSentido literal e figurado
Sentido literal e figurado
Sonia Amaral
 
Elementos da comunicação
Elementos da comunicaçãoElementos da comunicação
Elementos da comunicação
Elizabeth Vicente da Silva
 
Generos e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais pptGeneros e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais ppt
pnaicdertsis
 
Texto literário e texto não literário
Texto literário e texto não literárioTexto literário e texto não literário
Texto literário e texto não literário
vinivs
 
Comunicação Empresarial
Comunicação EmpresarialComunicação Empresarial
Comunicação Empresarial
Thais Oliveira
 
Aula de imersão linguagem, língua e fala
Aula  de  imersão  linguagem, língua e falaAula  de  imersão  linguagem, língua e fala
Aula de imersão linguagem, língua e fala
Renato Oliveira
 
Comunicação Não Violenta
Comunicação Não ViolentaComunicação Não Violenta
Comunicação Não Violenta
jorge luiz dos santos de souza
 
Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2
Flávio Ferreira
 
Generos textuais
Generos textuaisGeneros textuais
Ficha de observação para a leitura
Ficha de observação para a leituraFicha de observação para a leitura
Ficha de observação para a leitura
Evilane Alves
 
Gêneros , tipologia textual, descritores e distratores
Gêneros , tipologia textual, descritores e distratoresGêneros , tipologia textual, descritores e distratores
Gêneros , tipologia textual, descritores e distratores
Renato Rodrigues
 
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+FalaLinguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
jayarruda
 
Linguagem adequada ao contexto de comunicação
Linguagem    adequada   ao contexto  de comunicaçãoLinguagem    adequada   ao contexto  de comunicação
Linguagem adequada ao contexto de comunicação
Henrique Fonseca
 

Mais procurados (20)

Linguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidadeLinguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidade
 
Linguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbalLinguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbal
 
LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
LIBRAS - Língua Brasileira de SinaisLIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
 
Linguagem corporal
Linguagem corporalLinguagem corporal
Linguagem corporal
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros Textuais
 
Eixo analise linguistica
Eixo analise linguisticaEixo analise linguistica
Eixo analise linguistica
 
Sentido literal e figurado
Sentido literal e figuradoSentido literal e figurado
Sentido literal e figurado
 
Elementos da comunicação
Elementos da comunicaçãoElementos da comunicação
Elementos da comunicação
 
Generos e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais pptGeneros e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais ppt
 
Texto literário e texto não literário
Texto literário e texto não literárioTexto literário e texto não literário
Texto literário e texto não literário
 
Comunicação Empresarial
Comunicação EmpresarialComunicação Empresarial
Comunicação Empresarial
 
Aula de imersão linguagem, língua e fala
Aula  de  imersão  linguagem, língua e falaAula  de  imersão  linguagem, língua e fala
Aula de imersão linguagem, língua e fala
 
Comunicação Não Violenta
Comunicação Não ViolentaComunicação Não Violenta
Comunicação Não Violenta
 
Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2
 
Generos textuais
Generos textuaisGeneros textuais
Generos textuais
 
Ficha de observação para a leitura
Ficha de observação para a leituraFicha de observação para a leitura
Ficha de observação para a leitura
 
Gêneros , tipologia textual, descritores e distratores
Gêneros , tipologia textual, descritores e distratoresGêneros , tipologia textual, descritores e distratores
Gêneros , tipologia textual, descritores e distratores
 
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+FalaLinguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
 
Linguagem adequada ao contexto de comunicação
Linguagem    adequada   ao contexto  de comunicaçãoLinguagem    adequada   ao contexto  de comunicação
Linguagem adequada ao contexto de comunicação
 

Semelhante a Pet português instrumental e e geraldino r cunha

Parte 1 linguística geral apresentação 2012
Parte 1   linguística geral  apresentação 2012Parte 1   linguística geral  apresentação 2012
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
Mariana Correia
 
Trabalho LPL
Trabalho LPLTrabalho LPL
Trabalho LPL
Taissccp
 
português instrumental
  português instrumental  português instrumental
português instrumental
Jhosafá de Kastro
 
Linguagem, Adequação da linguagem, língua e código
Linguagem, Adequação da linguagem, língua e códigoLinguagem, Adequação da linguagem, língua e código
Linguagem, Adequação da linguagem, língua e código
efcamargo1968
 
Língua e linguagem
Língua e linguagemLíngua e linguagem
Língua e linguagem
johnypakato
 
Tp5
Tp5Tp5
Tp5
cleia
 
O Processo de Comunicação
O Processo de ComunicaçãoO Processo de Comunicação
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptx
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptxSlides sobre as Funções da Linguagem.pptx
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptx
MauricioOliveira258223
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
John Joseph
 
TP5- Unidades 17 e 18
TP5- Unidades 17  e  18TP5- Unidades 17  e  18
TP5- Unidades 17 e 18
Tatiane Rauber Dedé
 
Parte 1 linguística geral apresentação
Parte 1   linguística geral apresentaçãoParte 1   linguística geral apresentação
Parte 1 linguística geral apresentação
Mariana Correia
 
Resumo completo analise textual aulas 1 10
Resumo completo analise textual aulas 1 10Resumo completo analise textual aulas 1 10
Resumo completo analise textual aulas 1 10
Janair E Edvonaldo
 
Língua(s), linguagens e comunicação
Língua(s), linguagens e comunicaçãoLíngua(s), linguagens e comunicação
Língua(s), linguagens e comunicação
ArnaldoSobrinho
 
Língua(s), linguagens e comunicação
Língua(s), linguagens e comunicaçãoLíngua(s), linguagens e comunicação
Língua(s), linguagens e comunicação
ArnaldoSobrinho
 
Elementos da comunicação
Elementos da comunicaçãoElementos da comunicação
Elementos da comunicação
Netosaimon Silva
 
Gêneros textuais anos inicias
Gêneros textuais   anos iniciasGêneros textuais   anos inicias
Gêneros textuais anos inicias
VidaRevista Consultoria e Treinamento
 
Projeto Gestar II
Projeto Gestar IIProjeto Gestar II
Projeto Gestar II
izoldaferreira
 
Oralidae, escrita e mídia
Oralidae, escrita e mídiaOralidae, escrita e mídia
Oralidae, escrita e mídia
izoldaferreira
 
Pcc
PccPcc
Apostila Análise Textual - Língua uso e discurso entremeios e fronteiras
Apostila Análise Textual - Língua uso e discurso   entremeios e fronteiras Apostila Análise Textual - Língua uso e discurso   entremeios e fronteiras
Apostila Análise Textual - Língua uso e discurso entremeios e fronteiras
Diego Moreau
 

Semelhante a Pet português instrumental e e geraldino r cunha (20)

Parte 1 linguística geral apresentação 2012
Parte 1   linguística geral  apresentação 2012Parte 1   linguística geral  apresentação 2012
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
 
Trabalho LPL
Trabalho LPLTrabalho LPL
Trabalho LPL
 
português instrumental
  português instrumental  português instrumental
português instrumental
 
Linguagem, Adequação da linguagem, língua e código
Linguagem, Adequação da linguagem, língua e códigoLinguagem, Adequação da linguagem, língua e código
Linguagem, Adequação da linguagem, língua e código
 
Língua e linguagem
Língua e linguagemLíngua e linguagem
Língua e linguagem
 
Tp5
Tp5Tp5
Tp5
 
O Processo de Comunicação
O Processo de ComunicaçãoO Processo de Comunicação
O Processo de Comunicação
 
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptx
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptxSlides sobre as Funções da Linguagem.pptx
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptx
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
TP5- Unidades 17 e 18
TP5- Unidades 17  e  18TP5- Unidades 17  e  18
TP5- Unidades 17 e 18
 
Parte 1 linguística geral apresentação
Parte 1   linguística geral apresentaçãoParte 1   linguística geral apresentação
Parte 1 linguística geral apresentação
 
Resumo completo analise textual aulas 1 10
Resumo completo analise textual aulas 1 10Resumo completo analise textual aulas 1 10
Resumo completo analise textual aulas 1 10
 
Língua(s), linguagens e comunicação
Língua(s), linguagens e comunicaçãoLíngua(s), linguagens e comunicação
Língua(s), linguagens e comunicação
 
Língua(s), linguagens e comunicação
Língua(s), linguagens e comunicaçãoLíngua(s), linguagens e comunicação
Língua(s), linguagens e comunicação
 
Elementos da comunicação
Elementos da comunicaçãoElementos da comunicação
Elementos da comunicação
 
Gêneros textuais anos inicias
Gêneros textuais   anos iniciasGêneros textuais   anos inicias
Gêneros textuais anos inicias
 
Projeto Gestar II
Projeto Gestar IIProjeto Gestar II
Projeto Gestar II
 
Oralidae, escrita e mídia
Oralidae, escrita e mídiaOralidae, escrita e mídia
Oralidae, escrita e mídia
 
Pcc
PccPcc
Pcc
 
Apostila Análise Textual - Língua uso e discurso entremeios e fronteiras
Apostila Análise Textual - Língua uso e discurso   entremeios e fronteiras Apostila Análise Textual - Língua uso e discurso   entremeios e fronteiras
Apostila Análise Textual - Língua uso e discurso entremeios e fronteiras
 

Último

(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
Ailton Barcelos
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 

Pet português instrumental e e geraldino r cunha

  • 1. SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS ORIENTAÇÕES AOS PAIS E RESPONSÁVEIS DICA PARA O ALUNO QUER SABER MAIS? Caro(a) estudante, A suspensão das aulas em virtude da propagação do COVID-19 foi uma medida de segurança para sua saúde e da sua família. Mas, não é motivo para que você deixe de estudar e aprender sempre, lembrando que você inicia uma nova etapa da Educação Básica, que é a Educação Profissional. Dessa forma, você: 1- receberá Plano de Estudos Tutorado de cada um dos componentes curriculares. 2- terá acesso aos conceitos básicos da aula. 3- realizará algumas atividades. 4- precisará buscar informações em diferentes fontes. 5- deverá organizar o seu tempo e local para estudar. Anotar é um exercício de seleção das ideias e de maior aprendizado, por isso… (1) Ao anotar, fazemos um esforço de síntese. Como resultado, duas coisas acontecem. Em primeiro lugar, quem anota entende mais, pois está sempre fazendo um esforço de captar o âmago da questão. Repetindo, as notas são nossa tradução do que entendemos do conteúdo. (2) Em segundo lugar, ao anotar, nossa cabeça vaga menos. A disciplina de selecionar o que será escrito ajuda a manter a atenção no que está sendo dito ou lido, com menos divagações ou preocupações com outros problemas. Quando bate o sono ou o tédio, é a melhor maneira de retomar a atenção. Caro(a) estudante, busque anotar sempre o que compreendeu de cada assunto estudado. Não fique limitado aos textos contidos nas aulas. Pesquise em outras fontes como: livros, internet, revista, documentos, vídeos etc. PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPONENTE CURRICULAR: Português Intrumental NOME DA ESCOLA: Escola Estadual Geraldino Rodrigues Cunha PROFESSOR: Maria Luísa de Jesus Rodovalho TURMA: Técnico em Administração TURNO: Noite NÚMERO DE AULAS POR SEMANA: 02 aulas NÚMERO DE AULAS POR MÊS: 8
  • 2. SEMANA 1 EIXO TEMÁTICO: Língua e Linguagem . OBJETO DE CONHECIMENTO: Reconhecer e interpretar as variáveis da comunicação no ambiente informatizado, bem como nortear o devido treinamento coloquial e norma culta padrão. HABILIDADE(S): Reconhecer o sentido como produto de interação verbal. Reconhecer atos de linguagem realizados no uso da língua como parte integrante do sentido de textos ou sequências textuais. CONTEÚDOS RELACIONADOS: Português Instrumental INTERDISCIPLINARIDADE: Linguagens e suas Tecnologias Ciências Humanas e Sociais ATIVIDADES CONCEITOS BÁSICOS DA COMUNICAÇÃO HUMANA LÍNGUA + LINGUAGEM = COMUNICAÇÃO • Língua: produto social. Sistema de signos cujo funcionamento repousa sobre um certo número de regras, de correções. É um código que pretende estabelecer uma comunicação entre emissor e receptor. Ou seja, um contrato coletivo. • Linguagem: instrumento, conteúdo e forma de pensamento. Meio de expressão de um grupo.. Meio de expressão de um grupo. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS QUE TORNAM UM INDIVÍDUO UM FALANTE DE UMA LÍNGUA → Competência comunicativa: capacidade de usar a língua de acordo com a situação e o local; → Competência linguística: capacidade de usar conscientemente as diversas estruturas da língua; → Competência metalinguística: capacidade de usar conscientemente certas características habitualmente inconscientes; → Competência textual: capacidade de compreender e interpretar textos de acordo com o contexto social e situacional. TIPOS DE LINGUAGEM: • Não-verbal - Que não utiliza os sons do aparelho fonador. – Linguagem Gestual – Linguagem Visual – Linguagem Sonora – Linguagem Simbólica • Verbal - Que utiliza os sons do aparelho fonador. – Linguagem Falada ou Oral – Linguagem Escrita – Linguagem Secreta ou Cifrada • Mista - Que recorre aos sons do aparelho fonador e a outros. – Linguagem Publicitária
  • 3. A questão de como a linguagem consegue transmitir ideias de maneira coerente tanto ao emissor quanto a sua audiência fascinou a filósofos, linguistas e psicólogos. Uma das mais célebres teorias da comunicação foi proposta pelo linguista Roman Jakobson (1896–1982). Para Jakobson, qualquer dado ato de comunicação verbal é composto de seis fatores: 1. Emissor: orador, narrador, autor. 2. Receptor: ouvinte, leitor, telespectador, usuário, destinatário. 3. Código: o sistema linguístico ou comunicativo, um conjunto de signos e regras linguísticos. 4. Mensagem: texto, discurso, o conteúdo, o que está sendo dito. 5. Contexto: o referente, a situação. 6. Canal de comunicação: o contato ou conexão psicológica ou física. Além desses fatores, há ruído, ou seja, qualquer coisa que interfira na comunicação. Esses fatores ou elementos exercem seis funções: ✓ Função Referencial ou Denotativa: foco no referente, objeto ou situação da mensagem trata, com informações objetiva. ▪ Típicos de textos descritivos, científicos e jornalísticos. ✓ Função Emotiva ou Expressiva: foco no emissor com suas emoções e opiniões. ▪ Típico de frases de interjeições e poesias subjetivas. ✓ Função Conativa ou Apelativa: foco no receptor com objetivo de persuadi-lo. ▪ Típico de mensagens publicitárias. ✓ Função fática: o termo “fático” foi cunhado por Malinowski e vem do grego phatos (falado, do verbo phanai, falar, dizer). Foco no canal. Visa estabelecer contato entre os sujeitos. ▪ Um exemplo é uma saudação entre duas pessoas que se encontraram. ✓ Função metalinguística: foco no código, ou seja na própria linguagem. ▪ Típico de dicionários e gramáticas. ✓ Função poética: foco na mensagem.
  • 4. ▪ Típico de obras literárias e publicitárias. ATIVIDADES 1) Defina as características que se restringem a essa tríade: linguagem, língua e fala. 2) Considerando a relação entre os usos oral e escrito da língua, tratada no texto, verifica-se que a escrita: a) modifica as ideias e intenções daqueles que tiveram seus textos registrados por outros. b) permite, com mais facilidade, a propagação e a permanência de ideias ao longo do tempo. c) figura como um modo comunicativo superior ao da oralidade. d) leva as pessoas a desacreditarem nos fatos narrados por meio da oralidade. e) tem seu surgimento concomitante ao da oralidade. 3) (UEMG-2006) Assinale a alternativa em que o(s) termo(s) em negrito do fragmento citado NÃO contém (êm) traço(s) da função emotiva da linguagem. a) Os poemas (infelizmente!) não estão nos rótulos de embalagens nem junto aos frascos de remédio. b) A leitura ganha contornos de “cobaia de laboratório” quando sai de sua significação e cai no ambiente artificial e na situação inventada. c) Outras leituras significativas são o rótulo de um produto que se vai comprar, os preços do bem deconsumo, o tíquete do cinema, as placas do ponto de ônibus (...) d) Ler e escrever são condutas da vida em sociedade. Não são ratinhos mortos (...) prontinhos para ser desmontados e montados, picadinhos (...) 4) Enem-2014) O telefone tocou. — Alô? Quem fala? — Como? Com quem deseja falar? — Quero falar com o sr. Samuel Cardoso. — É ele mesmo. Quem fala, por obséquio? — Não se lembra mais da minha voz, seu Samuel? Faça um esforço. — Lamento muito, minha senhora, mas não me lembro. Pode dizer-me de quem se trata? (ANDRADE, C. D. Contos de aprendiz. Rio de Janeiro: José Olympio, 1958.)
  • 5. Pela insistência em manter o contato entre o emissor e o receptor, predomina no texto a função a) metalinguística. b) fática. c) referencial. d) emotiva. e) conativa. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: Disponível em https://ensaiosenotas.com/2014/11/16/funcoes-da-linguagem-e-a-construcao-do-sentido- para-jakobson/ Disponível em https://pt.slideshare.net/flavioferreira98837399/lingua-elinguagem2 SEMANA 2 EIXO TEMÁTICO: Leitura e análise linguística. OBJETO DE CONHECIMENTO: Estratégias de leitura: apreender os sentidos globais do texto. Consideração das condições de produção. Construção da textualidade. HABILIDADE(S): Comparar informações sobre um mesmo fato divulgado em diferentes veículos e mídias, analisando e avaliando a confiabilidade.Selecionar informações e dados relevantes de fontes diversas( impressas, digitais, orais, etc), avaliando a qualidade e a utilidade dessas fontes. CONTEÚDOS RELACIONADOS: : Português Instrumental INTERDISCIPLINARIDADE: Linguagens e suas Tecnologias Ciências Humanas e Sociais ATIVIDADES Um diálogo a distância... Quando nosso texto nos escapa das mãos, ele vai sozinho e nos representará. É, também, uma espécie de diálogo a distância, leva, de qualquer forma, a nossa mensagem, a maneira como enxergamos o mundo, os outros e os fatos. Por isso, é sempre bom lembrar, quando escrevemos, que ao colocar ideias no papel temos que nos colocar também no lugar do outro, o nosso leitor. Somos claros? Temos dificuldades em nos expressar? Nossos argumentos são frágeis? O leitor não deverá ter dificuldades em nos compreender e, caso tenha, a comunicação ficará truncada1, com consequências trágicas para nós. SEMANA 2
  • 6. Tenha paciência com você: um bom texto não vem ao mundo de uma hora para outra... Outra coisa: escrever não é meramente transpor a fala para o papel. Observe: Exemplo: Texto I (falado) "Ela tava ali, lindinha e nos conformes, cara... Fiquei olhando, imaginando um jeito de dize!; bem, você sabe, né? De dizer aqueles negócios que fico pensando sem ela. Era hora, agora, vou lá, dou uma chavecada nela, buzino umas no ouvidinho dela, tá na minha... Bom, tava faltando coragem, puxa, foi me dando um frio, uma coisa, um estado... Virei as costas, meu irmão, e me mandei... " Texto II (escrito) "Digo a você que ela estava lá, diante dos meus olhos. Perfeita. Olhei-a imaginando um jeito de dizer o quanto era importante para mim, dizer o que pensava dela quando estava a sós comigo mesmo. Pensei ser a hora certa, conversa1: Mas me faltou coragem. Fugi." Sobre as pontuações acima : Construa um texto falado. Referências AS DIFERENÇAS ENTRE FALA E ESCRITA. Algo Sobre,2021. Disponível em: < https://www.algosobre.com.br/redacao/as-diferencas-entre-fala-e-escrita.html >. Acesso em: 29, Agosto e 2021.
  • 7. SEMANA 3 EIXO TEMÁTICO: Leitura e análise linguística. OBJETO DE CONHECIMENTO: Estratégias de leitura: apreender os sentidos globais do texto. Consideração das condições de produção. Construção da textualidade. HABILIDADE(S): Comparar informações sobre um mesmo fato divulgado em diferentes veículos e mídias, analisando e avaliando a confiabilidade.Selecionar informações e dados relevantes de fontes diversas( impressas, digitais, orais, etc), avaliando a qualidade e a utilidade dessas fontes. CONTEÚDOS RELACIONADOS: Português Instrumental INTERDISCIPLINARIDADE: Linguagens e suas Tecnologias Ciências Humanas e Sociais ATIVIDADES A MARAVILHOSA COMUNICAÇÃO GERENCIAL Como ter uma Comunicação Empresarial eficaz e melhorar seus resultados As empresas hoje, mais do que simples aglomerados de pessoas buscando lucro através de uma atividade, são como um organismo vivo, formado por diversas partes diferentes e interdependentes, que trabalham em conjunto. Nesse novo contexto, a comunicação empresarial é extremamente importante.
  • 8. Para que a corporação funcione, tanto em termos operacionais, quanto na parte de clima corporativo, a comunicação empresarial é fundamental. É ela que vai garantir que os colaboradores trabalhem de forma conjunta e alinhada aos objetivos da empresa, e ainda fazer com que eles se sintam pertencentes a ela, implicando em aumento de desempenho, inovação constante e criando defensores da sua marca. Mas não se assuste, trabalhar com comunicação nas empresas não precisa ser uma tarefa extremamente árdua e complicada. COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL X COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL Apesar da similaridade do nome e da maioria das pessoas considerar esses dois conceitos como sinônimos, é importante ressaltar, apenas para conhecimento, que alguns acadêmicos entendem que é preciso fazer uma distinção entre comunicação empresarial e comunicação organizacional. Para algumas pessoas, a comunicação empresarial estaria mais relacionada a práticas diretamente voltadas para o lucro ou benefício – seja financeiro, social ou de imagem – da própria empresa, enquanto comunicação organizacional seria um conceito mais amplo, relacionado a diferentes ações e com a capacidade de beneficiar não só a empresa, mas também pessoas e instituições externas a ela. A comunicação organizacional, diferente da comunicação empresarial, poderia ser aplicada até mesmo em empresas sem fins lucrativos, como ONGs e associações. Além do mais, em alguns países esses conceitos também podem ter interpretações diferentes. Em certos países da América Latina, por exemplo, comunicação organizacional é um sinônimo de Relações Públicas, enquanto nos Estados Unidos o termo está mais relacionado a comunicação e eventos internos na empresa. Evolução da Comunicação Empresarial Se antes as empresas só se preocupavam com sua imagem externamente, perante a comunidade ou figuras de influência, hoje, com a evolução da tecnologia, o conhecimento cada vez maior dos colaboradores sobre seus direitos e o aumento da importância do caráter humano das corporações, elas precisam trabalhar sua comunicação empresarial de forma integrada e ampla, dando atenção tanto ao externo quanto ao interno. E atualmente o que não faltam são meios para que as empresas se comuniquem e atinjam seus públicos de interesse de forma efetiva e é importante saber usar cada um deles de forma eficiente e adequada. A comunicação empresarial, que antes se apoiava em memorandos, murais de aviso e notas nos cantos dos jornais, foi potencializada e hoje conta com meios muito mais efetivos e abrangentes. Enquanto há alguns anos você conseguia atingir colaboradores e clientes de forma lenta e fragmentada, hoje, com alguns cliques você garante que pessoas do mundo inteiro vejam sua mensagem com qualidade total e quase em tempo real. Por isso investir em tecnologias para comunicação empresarial é cada vez mais importante e pode fazer toda a diferença no modo como sua empresa se relaciona com os colaboradores e é percebida pela comunidade. Os desafios da Comunicação Empresarial Estabelecer uma boa comunicação empresarial nem sempre é uma tarefa fácil. Existem uma série de barreiras, de ordem física e pessoal, que podem acabar prejudicando o bom funcionamento desse processo e dificultar o andamento de outros. Portanto, é importante conhecer os principais desafios que a comunicação empresarial pode enfrentar e estar preparado para lidar com eles. Barreiras Semânticas As barreiras semânticas ocorrem quando alguém tenta transmitir uma mensagem a outra pessoa ou grupo em uma linguagem que não é comumente utilizada por eles.
  • 9. Em termos práticos, imagine, por exemplo, se colocássemos um advogado formado para conversar com um estudante de ensino médio e, durante a conversa, o profissional usasse termos extremamente formais, complicados ou jargões da profissão. Provavelmente existiria aí umabarreira semântica, uma vez que o estudante dificilmente entenderia o significado daquilo que estásendo dito, mesmo que no fundo fosse algo realmente simples. Portanto, para evitar esse tipo de barreira na comunicação empresarial, é importante que o receptor tenha sempre claro em sua mente o tipo de público com o qual ele está lidando, e adapte a mensagem para que ela seja compreendida de forma fácil e eficaz. Barreiras Psicológicas e Pessoais Esse tipo de barreira na comunicação empresarial ocorre por fatores intrínsecos às pessoas e aos seus sentimentos, preconceitos e personalidade. Nós temos uma barreira pessoal quando, por exemplo a pessoa vai trabalhar estando de mau humor e então não consegue aceitar bem as opiniões alheias, ordens ou chegar a um acordo com seus colegas. As barreiras pessoais são as mais difíceis de se eliminar, uma vez que dependem apenas da própria pessoa para existir ou não. Porém, com conversas e os incentivos certos, você pode ajudar seus colaboradores a lidar melhor com problemas pessoais, com seus defeitos, e a manter um bom clima na empresa como um todo. Já as barreiras psicológicas na comunicação empresarial estão mais relacionadas com os preconceitos e os sentimentos de uma pessoa em relação a outra ou a um grupo. Por exemplo, imagine que o setor de tecnologia de uma empresa não compreende o papel das pessoas do marketing e acha seu trabalho irrelevante e desnecessário para a corporação como um todo, e que essas pessoas do marketing acham o setor de tecnologia chato, complicado e distante. Se em alguma ocasião você precisar colocar os dois times para trabalharem juntos, de forma direta, vai ter problemas na certa, gerados por essas barreiras psicológicas e pelo preconceito de cada pessoa em relação a outra área. Portanto, para evitar esse tipo de barreira e dificuldade na comunicação empresarial e entre os times, é necessário que cada área tenha pelo menos um conhecimento superficial sobre o trabalho do outro e que todos tenham acesso aos resultados de cada setor, para que vejam que todos são importantes de alguma forma e trazem coisas boas para a empresa. Barreiras Físicas e Geográficas Por fim, a comunicação empresarial também sofre com fatores físicos e geográficos como distância, interrupções, ruídos e dificuldade de deslocamento. Principalmente no caso de empresas com atividade em mais de uma cidade ou país, ou em que os funcionários precisam viajar constantemente, pode ficar bem difícil estabelecer uma comunicação eficaz se ela for feita apenas de forma presencial ou por emails e mensagens de texto. Portanto, é importante que sua empresa tire o máximo proveito de todas as ferramentas tecnológicas disponíveis hoje, como os vídeos online e as videoconferências, para tornar a comunicação empresarial mais próxima, completa e eficiente e não ter prejuízos em nenhum nível operacional. Fluxos da Comunicação Empresarial A comunicação e a troca de informações que ocorre internamente, entre os próprios colaboradores da empresa, segue alguns fluxos que podem definir seu tom, linguagem, e abordagem. Fluxo descendente Em uma empresa com forte hierarquia, é quando a comunicação ocorre das posições mais altas, dos cargos mais importantes, às mais baixas. Nesse tipo de comunicação empresarial, o emissor deve tomar cuidado para não soar autoritário,
  • 10. ou agir de uma forma que possa desgastar sua relação com o receptor. Fluxo ascendente É exatamente o contrário do descendente. Nele, a comunicação empresarial ocorre das posições mais baixas às mais altas. Aqui também é importante tomar cuidado com a abordagem usada na comunicação, já que nesse caso o emissor está se dirigindo a alguém, teoricamente, com mais poderes do que ele. Fluxo horizontal Este, como o nome já diz, é o fluxo que ocorre em um mesmo nível dentro da empresa, ou seja, entre colaboradores na mesma posição ou com a mesma importância. Este tipo de comunicação empresarial tende a ser mais leve e dinâmica, mas ainda assim, é importante levar em conta fatores como o assunto e a realidade da sua empresa na hora de se comunicar. Fluxo transversal O fluxo transversal se dá em todas as direções e permite que pessoas de todos os níveis participem da comunicação empresarial e possam intervir em outros níveis ou áreas. Este tipo de comunicação facilita a interação e aproxima pessoas de diferentes setores, porém deve ocorrer de forma minimamente organizada, para que não haja conflitos entre pessoas com especialidades diferentes. Fluxo circular Este tipo de comunicação é mais comum em empresas informais, uma vez que abarca todos os níveis e não segue as direções tradicionais. No fluxo circular, a comunicação empresarial é mais dinâmica, o que pode favorecer a efeciência no ambiente de trabalho. ATIVIDADES 1) A respeito de ocorrências em ambientes organizacionais, julgue os itens subsequentes. Justifique sua escolha. I - Nas organizações, as mensagens devem alcançar seu receptor de maneira correta e compreensível, portanto as organizações devem estar atentas às possíveis barreiras que possam afetar o sistema de comunicação. A- Certo B – Errado 2) Um gerente recebeu uma avalição negativa do desempenho da sua equipe. Surpreso com os resultados, ele convocou a equipe, apresentou os resultados e perguntou como aquilo podia ter acontecido, se todos os relatórios e informações que recebia dos subordinados apontavam que as atividades estavam sendo desempenhadas sem problemas e os resultados estavam sendo atingidos. Os subordinados reconheceram que muitas vezes amenizaram as más notícias, para evitar “problemas com o chefe”. Essa atitude dos subordinados indica que ocorreu a seguinte barreira à comunicação:
  • 11. a) Sobrecarga de informações b) Canal inadequado c) Feedback inadequado d) Percepção seletiva e) Filtragem de informações 3) Leia abaixo algumas considerações sobre um processo de comunicação eficiente, analise, e assinale a alternativa incorreta: a) Em um processo de comunicação eficiente a palavra, o tom de voz, os gestos, o contexto, tudo deve estar integrado à mensagem que é transmitida. b) Quando uma mensagem não produz resultados dizemos que há desperdício de energia. Mensagens que não agreguem resultados positivos ou que não agreguem resultado algum, devem ser descartadas. c) A demonstração de profissionalismo, conhecimento sobre o assunto, experiência, credibilidade, ajudam a criar uma imagem positiva atribuindo certa autoridade e respeito. d) Dentro de um processo comunicativo para que obtenha a confiança das pessoas envolvidas é necessário que suas falas estejam sintonizadas e coerentes com as diversas atitudes e situações desenvolvidas no seu dia a dia. e) Sempre que possível é interessante que se crie um ambiente amigável, a qualquer custo. Mesmo que para isso seu trabalho ou sua empresa, sempre sejam prejudicados. 4) O texto publicitário tem por característica uma estrutura circular, o que significa dizer que esse tipo de texto: a) expõe dados da realidade de modo objetivo, privilegiando o objeto, o contexto. (resposta correta) b) deve conter uma única proposição de venda, ao longo de seu desenvolvimento. c) evita o questionamento e tem por objetivo levar o leitor a conclusões definitivas. d) utiliza citações de especialistas que dão seu testemunho favorável, validando o que está sendo afirmado. e) não escolhe as palavras aleatoriamente, mas sim ideologicamente. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA Disponível em https://sambatech.com/blog/insights/comunicacao-empresarial/ Disponível em https://gestaoempresarialfatec.wordpress.com/2018/06/24/exercicios-de-revisao-para-a- prova-de-comunicacao-empresarial/ SEMANA 4 EIXO TEMÁTICO: Leitura e análise linguística. OBJETO DE CONHECIMENTO: Estratégias de leitura: apreender os sentidos globais do texto. Consideração das condições de produção. Construção da textualidade. HABILIDADE(S): Comparar informações sobre um mesmo fato divulgado em diferentes veículos e mídias, analisando e avaliando a confiabilidade.Selecionar informações e dados relevantes de fontes diversas( impressas, digitais, orais, etc), avaliando a qualidade e a utilidade dessas fontes. CONTEÚDOS RELACIONADOS: Coerência e Coesão. Análise e compreensão de textos: Texto técnico, texto científico, jornalístico. INTERDISCIPLINARIDADE: Linguagens e suas Tecnologias Ciências Humanas e Sociais
  • 12. ATIVIDADES O QUE É LER? O QUE É LEITURA? Paulo Freire, falando sobre leitura diz: “A leitura do mundo precede a leitura da palavra […]” Comumente se acredita que ler é a habilidade de interpretar os sinais gráficos convencionados da língua falada. Mas não é apenas isso. Mais do que interpretar, ler é compreender a mensagem que estes sinais nos transmitem. Moacir Gadotti diz: “ler é ver o que está escrito, interpretar por meio da leitura, decifrar, compreender o que está escondido por um sinal exterior, descobrir, tomar conhecimento do texto da leitura. Todas estas definições, finalmente, implicam na existência de um leitor, de um código e de um autor”. Um texto é, portanto, algo acabado, uma obra tecida, um complexo harmonioso. Essa é a primeira conotação do que é texto. Dessa forma já temos o texto. Vamos ter o leitor. E do encontro ao leitor e texto teremos a leitura. Cada vez que lemos podemos reagir à mensagem e relacioná-la com nossas experiências e conhecimentos. Podemos concordar com ela ou discordar dela. Por isso dizemos que ler, no sentido profundo do termo, é o resultado da tensão entre leitor e texto. Isto é, a comunicação que se estabelece entre o escritor que elaborou, escreveu e teve divulgado o seu pensamento, e o leitor que se interessou, leu e aprendeu o que lhe foi exposto, além de confrontá-lo com sua experiência de vida e de outras leituras. Da mesma forma, pode-se concluir que não se nasce leitor. Por isso temos que aprender a ler e a gostar de ler, se possível ao mesmo tempo.
  • 13. Para cada tipo de texto, existem características que representam a sua finalidade. Assim, é possível interpretar os formatos de escrita e qual é o propósito de cada conteúdo. DIFERENÇA ENTRE TEXTOS TEXTOS JORNALÍSTICOS: Os textos jornalísticos tem a função de informar. A escrita jornalística é objetiva, com frases curtas e numa linguagem simples, para que a compreensão do conteúdo seja fácil e atenda o público de massa. O texto jornalístico está presente em todos os meios de comunicação, adaptado conforme o tipo de veiculação. Impressos, tv, rádio, mídias online: cada tipo de veículo tem o seu estilo de escrita, para atender seu público-alvo. Tipos de textos jornalísticos: Notícia, Editorial, Nota: TEXTOS CIENTÍFICOS: Um texto científico é uma produção textual, uma narrativa escrita que aborda algum conceito ou teoria, com base no conhecimento científico através da linguagem científica. Um texto científico é construído com linguagem científica, própria de uma comunidade específica. A linguagem deve ser objetiva, não dando espaço para ambiguidade. No texto científico não existe a preocupação da estética, como em um texto poético, por exemplo. Muitas vezes os textos científicos expressam resultados obtidos em algum tipo de experiência e tem como público-alvo outros elementos da comunidade científica, interessados também pelo mesmo objeto de estudo. Os artigos ou textos científicos devem seguir certos padrões, que no Brasil são determinados pela ABNT (NBR 6022). Estas normas apresentam padrões relacionados com o formato, paginação, citações, notas de rodapé, referências bibliográficas, etc. Em inglês, a expressão "texto científico" é traduzida por science article. TEXTOS TÉCNICOS: O texto técnico é um texto voltado mais para “profissões”. São textos de uso mais específico, escritos em linguagem conceitual, como trabalhos escolares, cartas, relatórios, comunicados internos de empresas, processos jurídicos, normas administrativas, leis e etc. A linguagem conceitual é aquela que, por suas características, leva o leitor a uma postura objetiva diante de um texto. Ela é denotativa, racional, pede abstração, tende a fixar ou a apoiar-se em conceitos, leis, princípios e normas, e se utiliza do processo dissertativo. Ele é usado quando queremos comunicar dados, idéias, relatos, reflexões teóricas, propostas, considerações… enfim, informações objetivas.
  • 14. A Estrutura do texto técnico: Veja agora os elementos que estão presentes na estruturação de um texto técnico. Os textos técnicos apresentam em sua estrutura dois elementos: A descrição de objeto e a descrição de processo. Veja cada um deles: Descrição de objeto – é uma representação verbal que irá qualificar um elemento apresentando suas características. Observe o exemplo: Parabéns por adquirir um mouse sem fio da Microsoft, que inclui: 1. Mouse sem fio; 2. Receptor (versão para desktops ou notebooks, dependendo do seu modelo de mouse); 3. Uma ou mais pilhas para o mouse sem fio, dependendo do seu modelo de mouse.; 4. CD com o software de mouse Microsoft IntelliPoint; 5. Este Guia de Introdução (In: Guia de Introdução. Produtos de mouse sem fio da Microsoft. p. 18) Descrição de processo – é a representação, também verbal do funcionamento de um elemento. A ênfase é dada na ação que é bem detalhada (no texto literário é a elaboração da narrativa, do suspense). O corpo de quase todos os relatórios técnicos é uma descrição de processo e exige conhecimento do assunto. NN Observe o exemplo: Para que um texto fique claro, objetivo e interessante, ele precisa realçar beleza, para que sua estética seja vista de maneira plausível. Fazendo parte dessa estética estão os elementos que participam da construção textual; entre eles, a coesão e a coerência. A coesão e a coerência são responsáveis pela construção do sentido de qualquer texto e, portanto, de uma de suas características essenciais: a textualidade. Quando se tem diante de si a intenção ou a proposição da produção de um texto, deve ser estabelecido o que se pretende comunicar e planejar as ideias. É essencial ser claro e coerente com a ordem das palavras e comunicar, sem contradizer, sem confundir o interlocutor através de enunciados desconexos. É preciso também perceber se quem está escrevendo consegue se imaginar como leitor, a ponto de compreender o enunciado, sem, por exemplo, encontrar-se diante de duplas interpretações. ❖ A coesão nada mais é que a ligação harmoniosa entre os parágrafos, fazendo com que fiquem ajustados entre si, mantendo uma relação de significância. Para melhor entender como isso se processa, imagine um texto sobrecarregado de palavras que se repetem do início ao fim. Então, para evitar que isso aconteça, existem termos que substituem
  • 15. a ideia apresentada, evitando, assim, a repetição. Falamos das conjunções, dos pronomes, dos advérbios e outros. Como exemplo, verifique: A magia das palavras é enorme, pois elas expressam a força do pensamento. As mesmas têm o poder de transformar e de conscientizar. Podemos perceber que as expressões: elas e as mesmas referem-se ao termo - “palavras”. ❖ Quando falamos sobre coerência, nos referimos à lógica interna de um texto, isto é, o assunto abordado tem que se manter intacto, sem que haja distorções, facilitando, assim, o entendimento da mensagem. Estes são apenas alguns dos requisitos para a elaboração de um texto, e estas técnicas vão sendo apreendidas à medida que nos tornamos escritores assíduos. ATIVIDADES Brasil, um país de não-leitores O brasileiro lê em média 1,8 livro não-escolar por ano. Várias iniciativas estão sendo tomadas para melhorar a situação. O governo lançou, em 13 de março, um programa nacional de incentivo à leitura que visa criar bibliotecas, financiar editoras, estimular projetos de formação de professores, entre outras coisas. No Brasil, já existem ONGs dedicadas a isso e, ultimamente, até as novelas de TV têm mostrado personagens lendo. Um dos problemas é que os livros são caros, devido às baixas tiragens. Outro é cultural: nunca se criou o hábito da leitura, e o sucesso do rádio, desde os anos 1930, e o da TV, desde os anos 1950, contribuíram para isso. Internet: (com adaptações). 1) De acordo com o texto, o governo lançou um programa de incentivo à leitura porque: a) os livros, no Brasil, apesar das baixas tiragens, são caros. b) o Estado deve, além de distribuir livros didáticos à população pobre, assegurar-lhe acesso à literatura brasileira. c) levantamentos demonstraram que o hábito de leitura é pouco cultivado no Brasil. d) os apelos dos meios de comunicação audiovisuais fomentam o desinteresse das crianças pela leitura. 2) Com base nos preceitos gramaticais e mantendo-se o sentido do texto, assinale a substituição correta. a) O brasileiro lê (ℓ.1) por Os brasileiros lêm b) estão sendo tomadas (ℓ.1) por tem sido executado c) já existem ONGs (ℓ.4) por já se criaram ONGs d) os livros são caros (ℓ.5) por os livros custam caros
  • 16. 3) Os textos publicitários são produzidos para cumprir determinadas funções comunicativas. Os objetivos desse cartaz estão voltados para a conscientização dos brasileiros sobre a necessidade de a formação leitora começar na infância. Justifique essa afirmação. 4) No texto a seguir há um trecho que, se tomado literalmente (ao pé da letra), leva uma interpretação absurda. "Um cadáver morto foi encontrado boiando em canal."(Folha de S. Paulo, 2 nov. 1990.) a) Identifique o trecho problemático. b) Diga qual a interpretação absurda que se pode extrair desse trecho. c) Qual a interpretação pretendida pelo autor? d) Reescreva o trecho de forma que deixe explícita tal interpretação. __
  • 17. REFEREÊNCIA BIBLIOGRÁFICA: Disponível em redacaoegramatica.com.br Disponível em https://biblioo.info/o-que-e-ler-o-que-e-leitura/ Disponível em https://academiadojornalista.com.br/producao-de-texto-jornalistico/diferencas-entre- textos-jornalisticos-e-academicos/ Disponível em https://lpcbg2010.wordpress.com/textos-tecnicos/ Disponível em http://www.filologia.org.br/xvi_cnlf/tomo_1/006.pdf Disponível em https://mundoeducacao.uol.com.br/redacao/coesao-coerencia.htm SEMANA 5 EIXO TEMÁTICO: Prátca de Linguagem OBJETO DE CONHECIMENTO: Estratégias de leitura: apreender os sentidos globais do texto. Estilo. Reconstrução das condições de produção, circulação e recepção. Elementos notacionais da escrita. HABILIDADE(S): Comparar informações sobre um mesmo fato divulgado em diferentes veículos e mídias, analisando e avaliando a confiabilidade.Pontuar adequadamente textos. CONTEÚDOS RELACIONADOS: Recursos e tipos de redação técnica: relatórios, ofícios, memorandos, atas, regulamentos. INTERDISCIPLINARIDADE: Linguagens e suas Tecnologias Ciências Humanas e Sociais ATIVIDADES
  • 18. A REDAÇÃO TÉCNICA é o conjunto de gêneros textuais utilizados por órgãos públicos e empresas para promover comunicação com seus receptores de forma objetiva e imparcial, seguindo as regras da norma culta. A redação técnica é um texto redigido de maneira mais elaborada e formal. Ela difere das redações literárias, pois são objetivas e imparciais, além do queutilizam a linguagem denotativa. CARACTERÍSTICAS DA REDAÇÃO TÉCNICA A redação técnica é um texto que difere das redações literárias, pois, além de utilizar a linguagem denotativa, é um texto formal e bastante conciso. Ela possui algumas peculiaridades quanto à estrutura e estilo, por se tratar de documentos oficiais. ✓ Impessoalidade: distanciamento do autor do texto em relação ao tema e eliminação de subjetividades. ✓ Formalidade: âmbito da padronização do texto, obedecendo às características previstas no gênero. ✓ Concisão: redigir apenas o essencial, em poucas palavras. ✓ Nível de linguagem: emprego da norma-padrão da língua portuguesa. TIPOS De acordo com a finalidade proposta, existem diversos tipos de Redação Técnica, a saber: ▪ Ata ▪ Memorando ▪ Atestado ▪ Circular ▪ Carta Comercial ▪ Relatório ▪ Requerimento ▪ Declaração ▪ Ofício ▪ Procuração ▪ Contrato ▪ Currículo ESTRUTURA: COMO FAZER UMA REDAÇÃO TÉCNICA? Cada tipo de redação técnica apresenta uma estrutura específica, no entanto, algumas características são comuns a todos, a saber: • Timbre: as redações técnicas geralmente são produzidas em papel timbrado da empresa, da universidade, da escola, etc. Além do timbre, elas podem conter carimbos com indicaçãoda instituição que a emitiu. • Destinatário: alguns textos técnicos exigem a indicação do receptor da mensagem. Além do nome, podem ser acrescidos o departamento e o cargo ocupado pelo destinatário. • Título: algumas delas usam título, enquanto outras preenchem um campo denominado de “assunto”. • Tema: antes de escrever é importante estar atento ao tema (assunto) que será explorado no corpo do texto. • Corpo do texto: os textos das redações técnicas geralmente seguem a estrutura padrão de introdução, desenvolvimento e conclusão. • Saudações finais: alguns documentos admitem as saudações finais e sempre devem aparecer na linguagem formal: atenciosamente, saudações cordiais, cumprimentos, etc.
  • 19. • Assinatura: ao final do documento, muitas redações técnicas apresentam a assinatura do emissor, bem como o cargo que ocupa. ATIVIDADES 1) Ao se redigir um documento oficial, deve-se atentar para as seguintes recomendações: I. Praticar a concisão e a clareza, de modo a que poucas palavras possam trazer muita informação, não deixando dúvida quanto à significação do conjunto do texto. II. A comunicação oficial não exime o redator de manifestar claramente sua subjetividade, por meio de opiniões criativas e do posicionamento estritamente pessoal diante de uma questão. III. A formalidade da linguagem é uma característica imprescindível da redação oficial, fazendo-se notar, por exemplo, pela observância da norma culta e pelas formas protocolares de tratamento. Está correto o que consta APENAS em: a) I b) II c) III d) I e III e) NDA. 2) De acordo com o Manual de Redação da Presidência da República, os textos oficiais “por seu caráter impessoal, por sua finalidade de informar com o máximo de clareza e concisão,requerem o uso do padrão culto da língua”. Tal preceito está corretamente preservado em: a) Encaminhamos a Vossa Senhoria todos os documentos relativos ao processo, para vossa análise das principais questões ali presente. b) A maioria dos documentos encaminhado já foram protocoladas na semana passada, mas ainda existem alguns que fogem a essa condição. c) Em relação às cópias anexas, cumpre frisar que se trata de uma amostra representativa, adequada para esse primeiro momento de análise. d) Todos os documentos solicitados foram encaminhados, embora tenha faltado dois que seriam básicos para consolidar o relatório do departamento. e) Por haverem questões ainda controversas quanto aos documentos, deixamos eles sob os cuidados dos advogados do setor para que sejam melhor analisados. 3) Assinale a opção em que o trecho, adaptado da Internet (www.tse.gov.br), está gramaticalmente correto e apropriado para compor um documento oficial. a) As eleições não são experiências recentes no país. Com os primeiros núcleos de povoadores, surgiram em terras brasileiras, o livre exercício do voto, logo depois da chegada dos colonizadores. Foi o resultado da tradição portuguesa de eleger os administradores dos povoados sob domínio luso. b) Os colonizadores portugueses, mal pisavam a nova terra descoberta, passavam logo a realizarem votações para eleger os que iriam governar as vilas e cidades que fundavam. Os bandeirantes paulistas, por exemplo, iam, em suas missões, matutando a ideia de votar e de serem votados. c) Quando chegavam ao local que deveriam se estabelecer, se metiam logo a realizar a eleição do guarda-mor regente. Somente após esse ato eram fundadas as cidades, já sob a égide da lei e da ordem. Eram essas eleições realizadas para governos locais. d) As eleições para governanças locais foram realizadas até a Independência. A primeira de que se tem notícia aconteceu em 1532, para eleger o Conselho Municipal da Vila de São Vicente. As pressões populares e o crescimento econômico do país, contudo, passaram a
  • 20. exigir a participação de representantes brasileiros nas decisões da corte. e) Os votos eram a princípio depositados em bolas de cera chamadas de pelouros; depois vieram as urnas de madeira, as de ferro e as de lona, até que se implementou em todo o país, no ano 2000, o voto informatizado, realizado em urnas eletrônicas que possibilitam a apuração das eleições bem rapidinho. TEXTO I 4) Ainda com base no Texto I, assinale a opção incorreta quanto à análise do uso da língua. a) A forma "A gente", presente no primeiro balão, é muito comum na oralidade, mas deve ser evitada na modalidade escrita em gêneros que requerem a norma padrão da língua portuguesa, como o ofício, a ata, o memorando. b) O recurso gráfico de balões com falas é usado no Texto I para representar, na modalidade escrita, um tipo de interação que, no universo ficcional, ocorreria pela modalidade oral entre as personagens. c) A palavra "PAH", presente no primeiro quadrinho, seria inadequada em um contexto de comunicação oficial por escrito entre órgãos da administração pública. d) O fato de a palavra "PAH" ser grafada em caixa alta e seguida por um ponto de exclamação e reticências não pode ser relacionado a uma estratégia de representação gráfica de como o personagem teria, no universo ficcional, entoado oralmente essa palavra. e) Em "Veja você", temos uma marca de interlocução entre as personagens. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA: Disponível em https://www.todamateria.com.br/redacao-tecnica Disponível em https://brasilescola.uol.com.br/redacao/redacao-tecnica.htm Disponível em https://jcconcursos.uol.com.br/simulados/resultado/simulado-de-redacao-oficial- para-concursos-nivel-medio/ Disponível em https://www.qconcursos.com/questoes-de-concursos/disciplinas/letras-redacao- oficial/o-padrao-oficio/questoes SEMANA 5 EIXO TEMÁTICO: Prática de Linguagem OBJETO DE CONHECIMENTO: Estratégias de leitura: apreender os sentidos globais do texto. Estilo. Reconstrução das condições de produção, circulação e recepção. Elementos notacionais da escrita.
  • 21. HABILIDADE(S): Comparar informações sobre um mesmo fato divulgado em diferentes veículos e mídias, analisando e avaliando a confiabilidade.Pontuar adequadamente textos. CONTEÚDOS RELACIONADOS: Recursos e tipos de redação técnica: relatórios, ofícios, memorandos, atas, regulamentos. INTERDISCIPLINARIDADE: Linguagens e suas Tecnologias Ciências Humanas e Sociais ATIVIDADES TIPOS DE REDAÇÃO TÉCNICA Abaixo seguem os gêneros mais comuns no âmbito da redação técnica. É importante destacar que existem inúmeros outros gêneros voltados ao estabelecimento de comunicação oficial ou corporativa.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26. COMO FAZER UMA REDAÇÃO TÉCNICA Ao redigir uma redação técnica, é preciso estar atento aos objetivos do texto e à norma culta. Por isso, analise os pontos a seguir. → Tenha certeza da relevância do documento a ser emitido: é importante pensar na relevância do documento, pois se trata de uma manifestação que estabelecerá comunicação de forma bastante séria e comprometida. Portanto, ao redigir o texto técnico, pense em como ele será recebido pelos interlocutores. → Concisão: ser conciso é informar o máximo em um mínimo de palavras. Observe, abaixo, algumas expressões que podem ser substituídas por construções concisas. Em vez de Escreva Servimo-nos da presente para informar Informamos Venho pela presente informar Informamos Acusamos o recebimento Recebemos Vimos pela presente agradecer Agradecemos Devido ao fato de que Por causa → Estabeleça o destinatário: o destinatário pode ser uma pessoa, departamento, empresa. → Estabeleça o assunto ou tema: insira o assunto ou o tema do documento logo abaixo do cabeçalho. → Corpo do texto: desenvolva o parágrafo central do documento de acordo com a norma- padrão, de forma clara. → Fecho: é o momento em que o leitor entende que a comunicação está sendo encerrada na forma de cumprimento. Exemplos: atenciosamente, respeitosamente, cordialmente. ATIVIDADES 1) Leia o texto.
  • 27. As lacunas do texto devem ser preenchidas, correta e respectivamente, com: a) Senhor Prefeito ... Vossa Excelência ... Respeitosamente b) Caro Prefeito ... Sua Excelência ... Atenciosamente c) Ilustríssimo Prefeito ... Você ... Cordialmente d) Estimado Senhor Prefeito ... Sua Excelência ... Respeitosamente e) Senhor Prefeito ... Vossa Senhoria ... Atenciosamente 2) Dentre as partes do documento no padrão ofício, uma apresenta a imagem do brasão do referente órgão público, conforme exemplificado a seguir. (Imagem do brasão disponível em: https://www.capanema.pr.gov.br/.) Tal característica pode ser identificada em: a) Assunto. b) Cabeçalho. c) Endereçamento. d) Identificação do expediente. e) Fechos para as comunicações. 3) Considerando o fragmento de texto apresentado, julgue CERTO OU ERRADO os seguintes itens, de acordo com o disposto no Manual de Redação da Presidência da República (MRPR). Justifique sua resposta.
  • 28. A concisão é uma qualidade da redação oficial que atende ao princípio da economia linguística, segundo o qual se deve reduzir ao mínimo de palavras possível o conteúdo a ser comunicado, evitando-se redundâncias ou trechos inúteis. 4) Responda V para verdadeiro ou F para falso e, em seguida, assinale a alternativa que contém a ordem correta das respostas, de cima para baixo. Em relação ao memorando: ( )É a modalidade de comunicação entre unidades administrativas de um mesmo órgão, que podem estar hierarquicamente em mesmo nível ou em nível diferente; ( )Sua característica principal é a heterogeneidade; ( )Pode ter caráter meramente administrativo, ou ser empregado para a exposição de projetos, ideias, diretrizes, a serem adotados por determinado setor do serviço público. a) F-V-F b) V-V-F c) V-F-V d) F-V-V. Vídeo Apoio
  • 29. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA: Disponível em https://www.concursosnobrasil.com.br/escola/redacao/correspondencia-oficial.html Disponível em https://www.slideshare.net/netosaimonsilva/documentos-oficiais-73650419 Disponível em https://pt.slideshare.net/dianapilatti/modelos-de-documentos