Benveniste e a noção de pessoa

4.929 visualizações

Publicada em

Slides sobre Benveniste e a noção de pessoa, subjetividade, etc

Publicada em: Educação
2 comentários
12 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.929
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
2
Gostaram
12
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Benveniste e a noção de pessoa

  1. 1. Conceitos básicos de Émile BenvenisteUma linguística da Enunciação
  2. 2.  Os postulados teóricos criados por Benveniste sãoconvencionalmente chamados deTeoria da Enunciação Sua obra está dividida em 6 (seis) blocos temáticos: Transformações linguísticas; A comunicação; Estrutura e análises; Funções sintáticas; O homem na língua; Léxico e cultura.Conceitos básicos de Émile Benveniste
  3. 3.  No texto “O aparelho formal da enunciação” (PLGII), Benveniste apresenta a definição de Enunciação.“A enunciação é este colocar em funcionamento alíngua por um ato individual de utilização ”(p.82) Em outras palavras é;O ato de dizer;É a passagem da língua para a fala;Enunciação é o processo e Enunciado é o produtoConceitos básicos de Émile Benveniste
  4. 4.  Quadro da EnunciaçãoConceitos básicos de Émile BenvenisteQuadro daEnunciaçãoQuadro daEnunciaçãoEuEu TuTuAqui/EspaçoAqui/EspaçoAgora/TempoAgora/Tempo
  5. 5.  A noção de pessoa é abordada por Benveniste nostextos; “A subjetividade da linguagem” (PLG I),“A natureza dos pronomes” (PLG I) e “Estruturadas relações de pessoas no verbo” (PLG II). Se a enunciação é um ato individual de utilizaçãoda língua, quem realiza esse ato? R- A pessoa A noção de pessoa, conforme a tradição clássicaestá relacionada as categorias dos pronomespessoais e do verbo.Noção de Pessoa
  6. 6.
  7. 7.  Benveniste é contra os estudos que afirma queas três pessoas são:1ª- a que fala2ª- com quem se fala3ª- a que fala Segundo ele, a pessoa:Eu – pessoa subjetivaTu – pessoa não-subjetivaEle – não pessoaNoção de Pessoa
  8. 8. Benveniste apresenta uma nova divisão:- pronomes que pertencem à sintaxe (ele)- pronomes que pertencem às instâncias do- discurso: como signos que são atualizados nainstância do discurso pelo locutor (eu – tu)
  9. 9.  homem => indivíduo => locutor => pessoa ==>“eu” Principalmente em textos falados O enunciado que tem “eu” inclui nele mesmo olocutor Não tem uma única referência. Cada “eu” tem suareferência própria – o ser único que enuncia “Eu” é aquele que enuncia a presente instância dediscurso que contém a instância linguística “eu” Isso pode ser explícito ou implícito no enunciadoEu
  10. 10.
  11. 11. Benveniste:eu = não é um conceito, não se refere a umindivíduo particular“eu” – não tem um conteúdo/referente como“árvore”; não designa um único indivíduoSe refere ao ato de discurso individual no qual épronunciado, e lhe designa o locutor. E o locutor seenuncia como sujeito.Noção de pessoa
  12. 12.  Capacidade do locutor para se propor como sujeito(no discurso, pela linguagem)Subjetividade:
  13. 13.  “eu” se refere ao ato de discurso individualno qual é pronunciado e lhe designa o locutor Sua referência é sempre atual (agora) e sópode ser identificado na instância de discurso “eu” é do nível pragmático da linguagem:signo + sujeito que emprega o signoNoção de pessoa
  14. 14.  O sujeito se constitui lingüisticamente pelaenunciação do eu no enunciado. O eu se constitui como locutor no seu enunciado einstitui um tu, seu interlocutor.Subjetividade
  15. 15.  O eu é o centro da enunciação. Só existe o tuem função de um eu. O eu instaura o tu. Só existe um eu porque existe um tu. A consciência de si mesmo só é possível seexpermentada por contraste.Intersubjetividade
  16. 16.  O eu e o tu trocam de posição durante um diálogo.Intercambialidade
  17. 17.  Sobre o ele: conteúdo representativo daenunciação, enunciado. Passa a ser visto comoelemento integrante e constituidor daenunciação. Não só o eu e o tu estão na relação semântica,mas também o ele. O eu (quem diz) só seconstitui como sujeito de discurso e só institui otu (para quem diz) como seu interlocutor emfunção de um ele (o que é dito). A não-pessoa (ele) é elemento constitutivo darelação interpessoal.Noção de pessoa
  18. 18.  Segundo Fiorin (1999): EU: quem fala, eu é aquele que diz eu; TU: aquele com quem se fala, aquele a quem oeu diz tu, e por esse fato se torna interlocutor; ELE: aquele de que eu e tu falam. Pode serqualquer coisa, pode representar qualquersujeito.Noção de pessoa
  19. 19.  Segundo Fiorin (1999): NÓS: não é soma de eu, mas a soma de um eu e umnão-eu. Inclusivo – eu + tu. Exclusivo - eu + eles VÓS/VOCÊS : é o plural de tu, e a soma de tu +ele/ eles; ELES: é o plural de ele.Noção de pessoa
  20. 20.  “Papos” (Verissimo, 2001, p.65-66)– Me disseram...– Disseram-me.– Hein?– O correto é “disseram-me”. Não “me disseram”.– Eu falo como quero. E te digo mais... Ou é “digo-te”?– O quê?– Digo-te que você...Importância do sujeito
  21. 21. – O “te” e o “você” não combinam. [...] O que você iame dizer?– Que você está sendo grosseiro, pedante e chato. E queeu vou te partir a cara. Lhe partir a cara. [...] Mais umacorreção e eu...– O quê?– O mato.– Que mato?Importância do sujeito
  22. 22. – Mato-o. Mato-lhe. Mato você. Matar-lhe-ei-te. [...]– Está bem, está bem. Desculpe. Fale como quiser.– Agradeço-lhe a permissão para falar errado que masdás. Mas não posso mais dizer-lo-te o que dizer-te-ia.– Por quê?– Porque, com todo este papo, esqueci-lo.Importância do sujeito

×