SlideShare uma empresa Scribd logo
Paulo Freire e os Temas Geradores 
Paulo Régis Neves Freire, educador pernambucano, nasceu em 19/9/1921 na cidade do Recife. Foi alfabetizado pela mãe, que o ensina a escrever com pequenos galhos de árvore no quintal da casa da família. Com 10 anos de idade, a família mudou para a cidade de Jaboatão. 
TEMAS GERADORES 
A proposta de Freire parte do Estudo da Realidade (fala do educando) e a Organização dos Dados (fala do educador). Nesse processo surgem os Temas Geradores, extraídos da problematização da prática de vida dos educandos. Os conteúdos de ensino são resultados de uma metodologia dialógica. Cada pessoa, cada grupo envolvido na ação pedagógica dispõe em si próprio, ainda que de forma rudimentar, dos conteúdos necessários dos quais se parte. O importante não é transmitir conteúdos específicos, mas despertar uma nova forma de relação com a experiência vivida. A transmissão de conteúdos estruturados fora do contexto social do educando é considerada "invasão cultural" ou "depósito de informações" porque não emerge do saber popular. Portanto, antes de qualquer coisa, é preciso conhecer o aluno. Conhecê-lo enquanto indivíduo inserido num contexto social de onde deverá sair o "conteúdo" a ser trabalhado. 
Princípios do Método de Paulo Freire 
1º - Politicidade do ato educativo. 
Um dos axiomas do Método em questão é que não existe educação neutra. A educação vista como construção e reconstrução contínua de significados de uma dada realidade prevê a ação do homem sobre essa
realidade. Essa ação pode ser determinada pela crença fatalista da causalidade e, portanto, isenta de análise uma vez que ela se lhe apresenta estática, imutável, determinada, ou pode ser movida pela crença de que a causalidade está submetida a sua análise, portanto sua ação e reflexão podem alterá-la, relativizá-la, transformá-la. 
O alfabetizando é desafiado a refletir sobre seu papel na sociedade enquanto aprende a escrever a palavra sociedade; é desafiado a repensar a sua história enquanto aprende a decodificar o valor sonoro de cada sílaba que compõe a palavra história. Essa reflexão tem por objetivo promove a superação da consciência ingênua - também conhecida como consciência mágica1[1] - para a consciência crítica2[2]. 
As salas de aula transformaram-se em fóruns de debate, denominados "Círculos de Cultura". Neles, os alfabetizandos aprendem a ler as letras e o mundo e a escrever a palavra e também a sua própria história. 
O professor, contrariando a visão tradicionalista que atribui a ele o papel privilegiado de detentor do saber, é denominado "Animador de debates" e tem o papel de coordenar o debate, problematizar as discussões para que opiniões e relatos surjam. Cabe também ao educador conhecer o universo vocabular dos educandos, o seu saber traduzido através de sua oralidade, partindo de sua bagagem cultural repleta de conhecimentos vividos que se manifestam através de suas histórias, de seus "causos" e, através do diálogo constante, em parceria com o educando, reinterpretá-los, recriá-los. 
2º - Dialogicidade do ato educativo 
Para Freire, a base da pedagogia é o diálogo. A relação pedagógica necessita ser, acima de tudo, uma relação dialógica. Essa premissa está presente no método em diferentes situações: entre educador e educando, entre educando e educador e o objeto do conhecimento, entre natureza e cultura. 
1[1] A consciência mágica não chega a acreditar –se de “superior aos fatos, dominando-os fora, nem se julga livre para entende-los como melhor lhe agradar”. Simplesmente os capta, emprestando-lhes um poder superior, que os domina de fora e a que tem, de submeter-se com docilidade. È próprio desta consciência o fatalismo, que leva ao cruzamento dos braços, à impossibilidade de fazer algo diante do poder dos fatos, sob os quais fica vencido o homem. ( Freire:1992, pg 113) 
2[2] A consciência crítica “é a representação das coisas e dos fatos como se dão na existência empírica. Nas suas correlações causais e circunstanciais”. (Freire: 1992, pg 113)
A dialogicidade, para Paulo Freire, está ancorada no tripé educador- educando-objeto do conhecimento. A indissociabilidade entre essas três "categorias gnosiológicas" é um princípio presente no Método a partir da busca do conteúdo programático. 
Momentos e fases do Método Freire 
1º Momento: Investigação Temática – Pesquisa Sociológica: investigação do universo vocabular e estudo dos modos de vida na localidade (Estudo da Realidade). O estudo da realidade não se limita à simples coleta de dados e fatos, mas deve, acima de tudo, perceber como o educando sente sua própria realidade superando a simples constatação dos fatos; isso numa atitude de constante investigação dessa realidade. Esse mergulho na vida do educando fará o educador emergir com um conhecimento maior de seu grupo-classe, tendo condições de interagir no processo ajudando-o a definir seu ponto de partida que irá traduzir-se no tema gerador geral. 
2º Momento: Tematização - Através da seleção de temas e palavras geradoras, realizamos a codificação e decodificação desses temas buscando o seu significado social, ou seja, a consciência do vivido. Através do tema gerador geral é possível avançar para além do limite de conhecimento que os educandos têm de sua própria realidade, podendo assim melhor compreendê- la a fim de poder nela intervir criticamente. Do tema gerador geral deverão sair as palavras geradoras. Cada palavra geradora deverá ter a sua ilustração que por sua vez deverá suscitar novos debates. Essa ilustração (desenho ou fotografia) sempre ligada ao tema, tem como objetivo a "codificação", ou seja, a representação de um aspecto da realidade, de uma situação existencial construída pelos educandos em interação com seus elementos.
Após a etapa de investigação (estudo da realidade), passa-se à seleção das palavras geradoras, que deverá obedecer a três critérios básicos: 
a) Elas devem necessariamente estar inseridas no contexto social dos educandos. 
b) Elas devem ter um teor pragmático, ou melhor, as palavras devem abrigar uma pluralidade de engajamento numa dada realidade social, cultural, política etc... 
c) Elas devem ser selecionadas de maneira que sua seqüência englobe todos os fonemas da língua, para que com seu estudo sejam trabalhadas todas as dificuldades fonéticas. 
3º Momento: Problematização - Busca da superação da primeira visão ingênua por uma visão crítica, capaz de transformar o contexto vivido. "A problematização nasce da consciência que os homens adquirem de si mesmos que sabem pouco a próprio respeito. Esse pouco saber faz com que os homens se transformem e se ponham a si mesmos como problemas"(Jorge, 1981:78).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Paulofreire
PaulofreirePaulofreire
Paulofreire
Elaine Flores
 
Teorias sociocríticas - Teoria da Ação Comunicativa e a Cibercultura
Teorias sociocríticas - Teoria da Ação Comunicativa e a CiberculturaTeorias sociocríticas - Teoria da Ação Comunicativa e a Cibercultura
Teorias sociocríticas - Teoria da Ação Comunicativa e a Cibercultura
SefeAguiar
 
Leitura
LeituraLeitura
Concepção bancária da educação
Concepção bancária da educaçãoConcepção bancária da educação
Concepção bancária da educação
Mayra Henrique
 
MONOGRAFIA LEITURA
MONOGRAFIA LEITURAMONOGRAFIA LEITURA
MONOGRAFIA LEITURA
Raquel Donega
 
Vieira filho do dialogo freireano2
Vieira filho   do dialogo freireano2Vieira filho   do dialogo freireano2
Vieira filho do dialogo freireano2
Magda Aparecida Lombardi Ferreira
 
Apresentação abralin final
Apresentação abralin   finalApresentação abralin   final
Apresentação abralin final
Karla Maria
 
Teoria da ação comunicativa no contexto da cibercultura
Teoria da ação comunicativa no contexto da ciberculturaTeoria da ação comunicativa no contexto da cibercultura
Teoria da ação comunicativa no contexto da cibercultura
Edigar Diniz
 
ConcepçãO Interacionista
ConcepçãO InteracionistaConcepçãO Interacionista
ConcepçãO Interacionista
cristinammelo
 
ConcepçãO Interacionista
ConcepçãO InteracionistaConcepçãO Interacionista
ConcepçãO Interacionista
cristinammelo
 
Escrita pelo aluno
Escrita pelo alunoEscrita pelo aluno
Escrita pelo aluno
orientacoesdidaticas
 
Explorando práticas de leitura na e.i
Explorando práticas de leitura na e.iExplorando práticas de leitura na e.i
Explorando práticas de leitura na e.i
Ana Rufino
 
Pedagogia do oprimido na transformação da educação social
Pedagogia do oprimido na transformação da educação socialPedagogia do oprimido na transformação da educação social
Pedagogia do oprimido na transformação da educação social
UeslianeMaraRodrigue
 
Ufm scomo os prof aprendem
Ufm scomo os prof aprendemUfm scomo os prof aprendem
Ufm scomo os prof aprendem
Dirce Cristiane Camilotti
 
Práticas de escrita na educação infantil
Práticas de escrita na educação infantilPráticas de escrita na educação infantil
Práticas de escrita na educação infantil
orientacoesdidaticas
 
Paulo freire
Paulo freire Paulo freire
Paulo freire
pibidsociais
 
Ppt paulo freire
Ppt paulo freire Ppt paulo freire
Ppt paulo freire
Jessica Pellegrini Meinerz
 
concepção sociointeracionista no ensino
concepção sociointeracionista no ensinoconcepção sociointeracionista no ensino
concepção sociointeracionista no ensino
Nadia Biavati
 
Abordagens sociopolíticas da educação
Abordagens sociopolíticas da educaçãoAbordagens sociopolíticas da educação
Abordagens sociopolíticas da educação
Edilene Pina
 
Linguagens geradoras e projetos de trabalho
Linguagens geradoras e projetos de trabalhoLinguagens geradoras e projetos de trabalho
Linguagens geradoras e projetos de trabalho
VIROUCLIPTAQ
 

Mais procurados (20)

Paulofreire
PaulofreirePaulofreire
Paulofreire
 
Teorias sociocríticas - Teoria da Ação Comunicativa e a Cibercultura
Teorias sociocríticas - Teoria da Ação Comunicativa e a CiberculturaTeorias sociocríticas - Teoria da Ação Comunicativa e a Cibercultura
Teorias sociocríticas - Teoria da Ação Comunicativa e a Cibercultura
 
Leitura
LeituraLeitura
Leitura
 
Concepção bancária da educação
Concepção bancária da educaçãoConcepção bancária da educação
Concepção bancária da educação
 
MONOGRAFIA LEITURA
MONOGRAFIA LEITURAMONOGRAFIA LEITURA
MONOGRAFIA LEITURA
 
Vieira filho do dialogo freireano2
Vieira filho   do dialogo freireano2Vieira filho   do dialogo freireano2
Vieira filho do dialogo freireano2
 
Apresentação abralin final
Apresentação abralin   finalApresentação abralin   final
Apresentação abralin final
 
Teoria da ação comunicativa no contexto da cibercultura
Teoria da ação comunicativa no contexto da ciberculturaTeoria da ação comunicativa no contexto da cibercultura
Teoria da ação comunicativa no contexto da cibercultura
 
ConcepçãO Interacionista
ConcepçãO InteracionistaConcepçãO Interacionista
ConcepçãO Interacionista
 
ConcepçãO Interacionista
ConcepçãO InteracionistaConcepçãO Interacionista
ConcepçãO Interacionista
 
Escrita pelo aluno
Escrita pelo alunoEscrita pelo aluno
Escrita pelo aluno
 
Explorando práticas de leitura na e.i
Explorando práticas de leitura na e.iExplorando práticas de leitura na e.i
Explorando práticas de leitura na e.i
 
Pedagogia do oprimido na transformação da educação social
Pedagogia do oprimido na transformação da educação socialPedagogia do oprimido na transformação da educação social
Pedagogia do oprimido na transformação da educação social
 
Ufm scomo os prof aprendem
Ufm scomo os prof aprendemUfm scomo os prof aprendem
Ufm scomo os prof aprendem
 
Práticas de escrita na educação infantil
Práticas de escrita na educação infantilPráticas de escrita na educação infantil
Práticas de escrita na educação infantil
 
Paulo freire
Paulo freire Paulo freire
Paulo freire
 
Ppt paulo freire
Ppt paulo freire Ppt paulo freire
Ppt paulo freire
 
concepção sociointeracionista no ensino
concepção sociointeracionista no ensinoconcepção sociointeracionista no ensino
concepção sociointeracionista no ensino
 
Abordagens sociopolíticas da educação
Abordagens sociopolíticas da educaçãoAbordagens sociopolíticas da educação
Abordagens sociopolíticas da educação
 
Linguagens geradoras e projetos de trabalho
Linguagens geradoras e projetos de trabalhoLinguagens geradoras e projetos de trabalho
Linguagens geradoras e projetos de trabalho
 

Destaque

Enem 2012 dia1_branco
Enem 2012 dia1_brancoEnem 2012 dia1_branco
Enem 2012 dia1_branco
Mariana Correia
 
Aulões preparatórios para a prova do enem
Aulões preparatórios para a prova do enemAulões preparatórios para a prova do enem
Aulões preparatórios para a prova do enem
Mariana Correia
 
Paradigma de avaliação de textos
Paradigma de avaliação de textosParadigma de avaliação de textos
Paradigma de avaliação de textos
Mariana Correia
 
Ad matriz (1)
Ad matriz (1)Ad matriz (1)
Ad matriz (1)
Mariana Correia
 
Formação continuada escola tereza francescuti
Formação continuada escola tereza francescutiFormação continuada escola tereza francescuti
Formação continuada escola tereza francescuti
Mariana Correia
 
Satisfaction
SatisfactionSatisfaction
Satisfaction
Mariana Correia
 
Anexo 5 material sequência didática projeto curta-metragem
Anexo 5  material sequência didática projeto curta-metragemAnexo 5  material sequência didática projeto curta-metragem
Anexo 5 material sequência didática projeto curta-metragem
Mariana Correia
 
11 tc niveis_de_interacao
11 tc niveis_de_interacao11 tc niveis_de_interacao
11 tc niveis_de_interacao
Mariana Correia
 
Ad matriz (2)
Ad matriz (2)Ad matriz (2)
Ad matriz (2)
Mariana Correia
 
Formação 5
Formação 5Formação 5
Formação 5
Mariana Correia
 
10 ec interdisciplinaridade
10 ec interdisciplinaridade10 ec interdisciplinaridade
10 ec interdisciplinaridade
Mariana Correia
 
Formação 3 - Escola Teresa Francescuti
Formação 3 - Escola Teresa FrancescutiFormação 3 - Escola Teresa Francescuti
Formação 3 - Escola Teresa Francescuti
Mariana Correia
 
Esclarecimentos ae
Esclarecimentos aeEsclarecimentos ae
Esclarecimentos ae
Mariana Correia
 
Enem 2012 dia2_cinza
Enem 2012 dia2_cinzaEnem 2012 dia2_cinza
Enem 2012 dia2_cinza
Mariana Correia
 
Caderno enem2013 dom_rosa
Caderno enem2013 dom_rosaCaderno enem2013 dom_rosa
Caderno enem2013 dom_rosa
Mariana Correia
 
Hamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mata
Hamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mataHamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mata
Hamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mata
Mariana Correia
 
Entrevista com José Pacheco, Revista Aprende Brasil
Entrevista com José Pacheco, Revista Aprende BrasilEntrevista com José Pacheco, Revista Aprende Brasil
Entrevista com José Pacheco, Revista Aprende Brasil
Mariana Correia
 
Arlei final
Arlei finalArlei final
Arlei final
Mariana Correia
 
Fabi e sílvia final 2
Fabi e sílvia final 2Fabi e sílvia final 2
Fabi e sílvia final 2
Mariana Correia
 
20265 87941-1-pb
20265 87941-1-pb20265 87941-1-pb
20265 87941-1-pb
Mariana Correia
 

Destaque (20)

Enem 2012 dia1_branco
Enem 2012 dia1_brancoEnem 2012 dia1_branco
Enem 2012 dia1_branco
 
Aulões preparatórios para a prova do enem
Aulões preparatórios para a prova do enemAulões preparatórios para a prova do enem
Aulões preparatórios para a prova do enem
 
Paradigma de avaliação de textos
Paradigma de avaliação de textosParadigma de avaliação de textos
Paradigma de avaliação de textos
 
Ad matriz (1)
Ad matriz (1)Ad matriz (1)
Ad matriz (1)
 
Formação continuada escola tereza francescuti
Formação continuada escola tereza francescutiFormação continuada escola tereza francescuti
Formação continuada escola tereza francescuti
 
Satisfaction
SatisfactionSatisfaction
Satisfaction
 
Anexo 5 material sequência didática projeto curta-metragem
Anexo 5  material sequência didática projeto curta-metragemAnexo 5  material sequência didática projeto curta-metragem
Anexo 5 material sequência didática projeto curta-metragem
 
11 tc niveis_de_interacao
11 tc niveis_de_interacao11 tc niveis_de_interacao
11 tc niveis_de_interacao
 
Ad matriz (2)
Ad matriz (2)Ad matriz (2)
Ad matriz (2)
 
Formação 5
Formação 5Formação 5
Formação 5
 
10 ec interdisciplinaridade
10 ec interdisciplinaridade10 ec interdisciplinaridade
10 ec interdisciplinaridade
 
Formação 3 - Escola Teresa Francescuti
Formação 3 - Escola Teresa FrancescutiFormação 3 - Escola Teresa Francescuti
Formação 3 - Escola Teresa Francescuti
 
Esclarecimentos ae
Esclarecimentos aeEsclarecimentos ae
Esclarecimentos ae
 
Enem 2012 dia2_cinza
Enem 2012 dia2_cinzaEnem 2012 dia2_cinza
Enem 2012 dia2_cinza
 
Caderno enem2013 dom_rosa
Caderno enem2013 dom_rosaCaderno enem2013 dom_rosa
Caderno enem2013 dom_rosa
 
Hamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mata
Hamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mataHamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mata
Hamilton werneck -_se_a_boa_escola_e_a_que_reprova,_o_bom_hospital_e_o_que_mata
 
Entrevista com José Pacheco, Revista Aprende Brasil
Entrevista com José Pacheco, Revista Aprende BrasilEntrevista com José Pacheco, Revista Aprende Brasil
Entrevista com José Pacheco, Revista Aprende Brasil
 
Arlei final
Arlei finalArlei final
Arlei final
 
Fabi e sílvia final 2
Fabi e sílvia final 2Fabi e sílvia final 2
Fabi e sílvia final 2
 
20265 87941-1-pb
20265 87941-1-pb20265 87941-1-pb
20265 87941-1-pb
 

Semelhante a 0.667326001366389749 paulo freire_e_os_temas_geradores

29039 tendências pedagógicas
29039 tendências pedagógicas29039 tendências pedagógicas
29039 tendências pedagógicas
Mimos Artesanais
 
Tendências pedagógicas texto
Tendências pedagógicas   textoTendências pedagógicas   texto
Tendências pedagógicas texto
diegocn
 
09JAN23 - REVISÃO - PEIF - PROF ANDREA .pdf
09JAN23 - REVISÃO - PEIF - PROF ANDREA .pdf09JAN23 - REVISÃO - PEIF - PROF ANDREA .pdf
09JAN23 - REVISÃO - PEIF - PROF ANDREA .pdf
GracielleAndrade4
 
Paulo freire-pedagogia-do-oprimido-doc-livrocompleto
Paulo freire-pedagogia-do-oprimido-doc-livrocompletoPaulo freire-pedagogia-do-oprimido-doc-livrocompleto
Paulo freire-pedagogia-do-oprimido-doc-livrocompleto
Maria do Carmo Assis CVB
 
AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...
AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...
AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...
LeonardoCarrizo11
 
AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...
AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...
AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...
LeonardoCarrizo11
 
INTERDISCIPLINARIDADE LITERÁRIA NA EDUCAÇÂO INFANTIL
INTERDISCIPLINARIDADE LITERÁRIA NA EDUCAÇÂO INFANTILINTERDISCIPLINARIDADE LITERÁRIA NA EDUCAÇÂO INFANTIL
INTERDISCIPLINARIDADE LITERÁRIA NA EDUCAÇÂO INFANTIL
cefaprodematupa
 
Edu básica 04
Edu básica 04Edu básica 04
Edu básica 04
Israel serique
 
Teorias da aprendizagem.Resumo em português pdf
Teorias da aprendizagem.Resumo em português pdfTeorias da aprendizagem.Resumo em português pdf
Teorias da aprendizagem.Resumo em português pdf
LucreciaRostan
 
aula_sabado_e_segunda_.pptx
aula_sabado_e_segunda_.pptxaula_sabado_e_segunda_.pptx
aula_sabado_e_segunda_.pptx
DeboraCaroline16
 
Método Paulo Freire com Imagens
Método Paulo Freire com ImagensMétodo Paulo Freire com Imagens
Método Paulo Freire com Imagens
Adilson P Motta Motta
 
Teoria e prática educativa na área da alfabetização
Teoria e prática educativa na área da alfabetizaçãoTeoria e prática educativa na área da alfabetização
Teoria e prática educativa na área da alfabetização
Elisa Maria Gomide
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaPedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
Genario Sousa
 
Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032
Taís Rubinho
 
Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032
Taís Rubinho
 
A Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidade
A Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidadeA Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidade
A Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidade
Richard Reinaldo
 
Slides
SlidesSlides
Slides
SlidesSlides
Slides
Vygotsky2011
 
Pedagogia paulo freire.
Pedagogia paulo freire.Pedagogia paulo freire.
Pedagogia paulo freire.
Soares Junior
 
Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01
Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01
Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01
Jhosyrene Oliveira
 

Semelhante a 0.667326001366389749 paulo freire_e_os_temas_geradores (20)

29039 tendências pedagógicas
29039 tendências pedagógicas29039 tendências pedagógicas
29039 tendências pedagógicas
 
Tendências pedagógicas texto
Tendências pedagógicas   textoTendências pedagógicas   texto
Tendências pedagógicas texto
 
09JAN23 - REVISÃO - PEIF - PROF ANDREA .pdf
09JAN23 - REVISÃO - PEIF - PROF ANDREA .pdf09JAN23 - REVISÃO - PEIF - PROF ANDREA .pdf
09JAN23 - REVISÃO - PEIF - PROF ANDREA .pdf
 
Paulo freire-pedagogia-do-oprimido-doc-livrocompleto
Paulo freire-pedagogia-do-oprimido-doc-livrocompletoPaulo freire-pedagogia-do-oprimido-doc-livrocompleto
Paulo freire-pedagogia-do-oprimido-doc-livrocompleto
 
AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...
AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...
AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...
 
AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...
AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...
AD1 - 2022.2 - Didática - Leonardo Areal Carrizo - 22111080048 - Sarah Soares...
 
INTERDISCIPLINARIDADE LITERÁRIA NA EDUCAÇÂO INFANTIL
INTERDISCIPLINARIDADE LITERÁRIA NA EDUCAÇÂO INFANTILINTERDISCIPLINARIDADE LITERÁRIA NA EDUCAÇÂO INFANTIL
INTERDISCIPLINARIDADE LITERÁRIA NA EDUCAÇÂO INFANTIL
 
Edu básica 04
Edu básica 04Edu básica 04
Edu básica 04
 
Teorias da aprendizagem.Resumo em português pdf
Teorias da aprendizagem.Resumo em português pdfTeorias da aprendizagem.Resumo em português pdf
Teorias da aprendizagem.Resumo em português pdf
 
aula_sabado_e_segunda_.pptx
aula_sabado_e_segunda_.pptxaula_sabado_e_segunda_.pptx
aula_sabado_e_segunda_.pptx
 
Método Paulo Freire com Imagens
Método Paulo Freire com ImagensMétodo Paulo Freire com Imagens
Método Paulo Freire com Imagens
 
Teoria e prática educativa na área da alfabetização
Teoria e prática educativa na área da alfabetizaçãoTeoria e prática educativa na área da alfabetização
Teoria e prática educativa na área da alfabetização
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaPedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
 
Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032
 
Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032
 
A Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidade
A Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidadeA Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidade
A Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidade
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
Pedagogia paulo freire.
Pedagogia paulo freire.Pedagogia paulo freire.
Pedagogia paulo freire.
 
Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01
Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01
Resumodasleiturasprovaofaseefetivos 130818165310-phpapp01
 

Mais de Mariana Correia

Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...
Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...
Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...
Mariana Correia
 
Reportagem: "A leitura na era digital"
Reportagem: "A leitura na era digital"Reportagem: "A leitura na era digital"
Reportagem: "A leitura na era digital"
Mariana Correia
 
O orfanato da srta peregrine pa ransom riggs
O orfanato da srta peregrine pa   ransom riggsO orfanato da srta peregrine pa   ransom riggs
O orfanato da srta peregrine pa ransom riggs
Mariana Correia
 
Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)
Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)
Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)
Mariana Correia
 
Questionário dados gerados
Questionário   dados geradosQuestionário   dados gerados
Questionário dados gerados
Mariana Correia
 
Testes de compreensão textual: "Le petit prince"
Testes de compreensão textual: "Le petit prince"Testes de compreensão textual: "Le petit prince"
Testes de compreensão textual: "Le petit prince"
Mariana Correia
 
Questionário
QuestionárioQuestionário
Questionário
Mariana Correia
 
Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)
Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)
Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)
Mariana Correia
 
Fallen i fallen (lauren kate)
Fallen i   fallen (lauren kate)Fallen i   fallen (lauren kate)
Fallen i fallen (lauren kate)
Mariana Correia
 
Série Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txt
Série Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txtSérie Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txt
Série Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txt
Mariana Correia
 
Formação 4 - Avaliação e construção de instrumentos
Formação 4 - Avaliação e construção de instrumentosFormação 4 - Avaliação e construção de instrumentos
Formação 4 - Avaliação e construção de instrumentos
Mariana Correia
 
Formação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinar
Formação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinarFormação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinar
Formação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinar
Mariana Correia
 
20265 87941-1-pb
20265 87941-1-pb20265 87941-1-pb
20265 87941-1-pb
Mariana Correia
 
11 tc niveis_de_interacao
11 tc niveis_de_interacao11 tc niveis_de_interacao
11 tc niveis_de_interacao
Mariana Correia
 
10 ec interdisciplinaridade
10 ec interdisciplinaridade10 ec interdisciplinaridade
10 ec interdisciplinaridade
Mariana Correia
 
Interdisciplinaridade por emanuelle oliveira
Interdisciplinaridade   por emanuelle oliveiraInterdisciplinaridade   por emanuelle oliveira
Interdisciplinaridade por emanuelle oliveira
Mariana Correia
 

Mais de Mariana Correia (16)

Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...
Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...
Bruxos, vampiros, divergentes e zumbis a formação do leitor literário na esco...
 
Reportagem: "A leitura na era digital"
Reportagem: "A leitura na era digital"Reportagem: "A leitura na era digital"
Reportagem: "A leitura na era digital"
 
O orfanato da srta peregrine pa ransom riggs
O orfanato da srta peregrine pa   ransom riggsO orfanato da srta peregrine pa   ransom riggs
O orfanato da srta peregrine pa ransom riggs
 
Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)
Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)
Lajolo. a moçada está lendo (e gostando de ler)
 
Questionário dados gerados
Questionário   dados geradosQuestionário   dados gerados
Questionário dados gerados
 
Testes de compreensão textual: "Le petit prince"
Testes de compreensão textual: "Le petit prince"Testes de compreensão textual: "Le petit prince"
Testes de compreensão textual: "Le petit prince"
 
Questionário
QuestionárioQuestionário
Questionário
 
Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)
Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)
Geraldi. portos de passagem (prefácio e introdução)
 
Fallen i fallen (lauren kate)
Fallen i   fallen (lauren kate)Fallen i   fallen (lauren kate)
Fallen i fallen (lauren kate)
 
Série Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txt
Série Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txtSérie Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txt
Série Fallen 1- Fallen, Lauren Kate txt
 
Formação 4 - Avaliação e construção de instrumentos
Formação 4 - Avaliação e construção de instrumentosFormação 4 - Avaliação e construção de instrumentos
Formação 4 - Avaliação e construção de instrumentos
 
Formação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinar
Formação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinarFormação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinar
Formação Escola Tereza Francescutti - Níveis de Interação disicplinar
 
20265 87941-1-pb
20265 87941-1-pb20265 87941-1-pb
20265 87941-1-pb
 
11 tc niveis_de_interacao
11 tc niveis_de_interacao11 tc niveis_de_interacao
11 tc niveis_de_interacao
 
10 ec interdisciplinaridade
10 ec interdisciplinaridade10 ec interdisciplinaridade
10 ec interdisciplinaridade
 
Interdisciplinaridade por emanuelle oliveira
Interdisciplinaridade   por emanuelle oliveiraInterdisciplinaridade   por emanuelle oliveira
Interdisciplinaridade por emanuelle oliveira
 

Último

Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 

Último (20)

Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 

0.667326001366389749 paulo freire_e_os_temas_geradores

  • 1. Paulo Freire e os Temas Geradores Paulo Régis Neves Freire, educador pernambucano, nasceu em 19/9/1921 na cidade do Recife. Foi alfabetizado pela mãe, que o ensina a escrever com pequenos galhos de árvore no quintal da casa da família. Com 10 anos de idade, a família mudou para a cidade de Jaboatão. TEMAS GERADORES A proposta de Freire parte do Estudo da Realidade (fala do educando) e a Organização dos Dados (fala do educador). Nesse processo surgem os Temas Geradores, extraídos da problematização da prática de vida dos educandos. Os conteúdos de ensino são resultados de uma metodologia dialógica. Cada pessoa, cada grupo envolvido na ação pedagógica dispõe em si próprio, ainda que de forma rudimentar, dos conteúdos necessários dos quais se parte. O importante não é transmitir conteúdos específicos, mas despertar uma nova forma de relação com a experiência vivida. A transmissão de conteúdos estruturados fora do contexto social do educando é considerada "invasão cultural" ou "depósito de informações" porque não emerge do saber popular. Portanto, antes de qualquer coisa, é preciso conhecer o aluno. Conhecê-lo enquanto indivíduo inserido num contexto social de onde deverá sair o "conteúdo" a ser trabalhado. Princípios do Método de Paulo Freire 1º - Politicidade do ato educativo. Um dos axiomas do Método em questão é que não existe educação neutra. A educação vista como construção e reconstrução contínua de significados de uma dada realidade prevê a ação do homem sobre essa
  • 2. realidade. Essa ação pode ser determinada pela crença fatalista da causalidade e, portanto, isenta de análise uma vez que ela se lhe apresenta estática, imutável, determinada, ou pode ser movida pela crença de que a causalidade está submetida a sua análise, portanto sua ação e reflexão podem alterá-la, relativizá-la, transformá-la. O alfabetizando é desafiado a refletir sobre seu papel na sociedade enquanto aprende a escrever a palavra sociedade; é desafiado a repensar a sua história enquanto aprende a decodificar o valor sonoro de cada sílaba que compõe a palavra história. Essa reflexão tem por objetivo promove a superação da consciência ingênua - também conhecida como consciência mágica1[1] - para a consciência crítica2[2]. As salas de aula transformaram-se em fóruns de debate, denominados "Círculos de Cultura". Neles, os alfabetizandos aprendem a ler as letras e o mundo e a escrever a palavra e também a sua própria história. O professor, contrariando a visão tradicionalista que atribui a ele o papel privilegiado de detentor do saber, é denominado "Animador de debates" e tem o papel de coordenar o debate, problematizar as discussões para que opiniões e relatos surjam. Cabe também ao educador conhecer o universo vocabular dos educandos, o seu saber traduzido através de sua oralidade, partindo de sua bagagem cultural repleta de conhecimentos vividos que se manifestam através de suas histórias, de seus "causos" e, através do diálogo constante, em parceria com o educando, reinterpretá-los, recriá-los. 2º - Dialogicidade do ato educativo Para Freire, a base da pedagogia é o diálogo. A relação pedagógica necessita ser, acima de tudo, uma relação dialógica. Essa premissa está presente no método em diferentes situações: entre educador e educando, entre educando e educador e o objeto do conhecimento, entre natureza e cultura. 1[1] A consciência mágica não chega a acreditar –se de “superior aos fatos, dominando-os fora, nem se julga livre para entende-los como melhor lhe agradar”. Simplesmente os capta, emprestando-lhes um poder superior, que os domina de fora e a que tem, de submeter-se com docilidade. È próprio desta consciência o fatalismo, que leva ao cruzamento dos braços, à impossibilidade de fazer algo diante do poder dos fatos, sob os quais fica vencido o homem. ( Freire:1992, pg 113) 2[2] A consciência crítica “é a representação das coisas e dos fatos como se dão na existência empírica. Nas suas correlações causais e circunstanciais”. (Freire: 1992, pg 113)
  • 3. A dialogicidade, para Paulo Freire, está ancorada no tripé educador- educando-objeto do conhecimento. A indissociabilidade entre essas três "categorias gnosiológicas" é um princípio presente no Método a partir da busca do conteúdo programático. Momentos e fases do Método Freire 1º Momento: Investigação Temática – Pesquisa Sociológica: investigação do universo vocabular e estudo dos modos de vida na localidade (Estudo da Realidade). O estudo da realidade não se limita à simples coleta de dados e fatos, mas deve, acima de tudo, perceber como o educando sente sua própria realidade superando a simples constatação dos fatos; isso numa atitude de constante investigação dessa realidade. Esse mergulho na vida do educando fará o educador emergir com um conhecimento maior de seu grupo-classe, tendo condições de interagir no processo ajudando-o a definir seu ponto de partida que irá traduzir-se no tema gerador geral. 2º Momento: Tematização - Através da seleção de temas e palavras geradoras, realizamos a codificação e decodificação desses temas buscando o seu significado social, ou seja, a consciência do vivido. Através do tema gerador geral é possível avançar para além do limite de conhecimento que os educandos têm de sua própria realidade, podendo assim melhor compreendê- la a fim de poder nela intervir criticamente. Do tema gerador geral deverão sair as palavras geradoras. Cada palavra geradora deverá ter a sua ilustração que por sua vez deverá suscitar novos debates. Essa ilustração (desenho ou fotografia) sempre ligada ao tema, tem como objetivo a "codificação", ou seja, a representação de um aspecto da realidade, de uma situação existencial construída pelos educandos em interação com seus elementos.
  • 4. Após a etapa de investigação (estudo da realidade), passa-se à seleção das palavras geradoras, que deverá obedecer a três critérios básicos: a) Elas devem necessariamente estar inseridas no contexto social dos educandos. b) Elas devem ter um teor pragmático, ou melhor, as palavras devem abrigar uma pluralidade de engajamento numa dada realidade social, cultural, política etc... c) Elas devem ser selecionadas de maneira que sua seqüência englobe todos os fonemas da língua, para que com seu estudo sejam trabalhadas todas as dificuldades fonéticas. 3º Momento: Problematização - Busca da superação da primeira visão ingênua por uma visão crítica, capaz de transformar o contexto vivido. "A problematização nasce da consciência que os homens adquirem de si mesmos que sabem pouco a próprio respeito. Esse pouco saber faz com que os homens se transformem e se ponham a si mesmos como problemas"(Jorge, 1981:78).