SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade Federal de São Paulo
Escola Paulista de Medicina

Eduardo Henrique Costa Tibali – R3 nefrologia

OFIDISMO E INSUFICIÊNCIA RENAL
ACIDENTE OFÍDICO


Principais representantes


Gênero Bothrops
 Bothrops

jararaca: Jararacas.
 Bothrops cotiara: cotiaras.
 Urutus


Gênero Crotalus
 Crotalus



durissus: cascavel.

Elapídeos
 Micrurus



spp. e Leptomicrurus: corais verdadeiras.

Lachesis
 Surucutinga,

pico-de-jaca, bico-de-jaca e surucucu-pico-de-jaca.
JARARACA
CASCAVEL
CORAL VERDADEIRA
COBRA BICO-DE-JACA
ACIDENTE OFÍDICO


Epidemiologia
 Mais

de 20.000 notificações por ano no Brasil
 Taxa de mortalidade: 0,45%.
 Bothrops: 85% dos casos.
 Crotalus: 7,7% dos casos.
 Mesma incidência de IRA entre os gêneros citados
 Acidentes

crotálicos são mais nefrotóxicos
ACIDENTE OFÍDICO


Epidemiologia
 Maior

incidência

 Trabalhadores

rurais
 Gênero masculino
 Idade: 15 a 49 anos
ACIDENTE OFÍDICO
ACIDENTE OFÍDICO


Identificação da serpente
ACIDENTE OFÍDICO


Identificação da serpente

Gênero Ações do veneno
Manifestações locais
Neurotóxica
Parestesia
Miotóxica
Edema leve
Crotalus Coagulante
Nefrotóxica

Manifestações sistêmicas
Face miastênica
Rabdomiólise
IRA
Coagulopatia

Nefrotóxica
Edema intenso
Coagulopatia
Proteolítica local Equimose e bolhas
IRA
Hemorrágica
Sangramentos
Bothrops
Infecção secundária
Gangrena
Síndrome compartimental
ACIDENTES POR BOTHROPS
ACIDENTE CROTÁLICO
ACIDENTE CROTÁLICO


Quadro clínico
 Manifestações

sistêmicas predominam
 Alterações oculares
 Diplopia
 Turvação

visual

 Midríase
 Ptose

palpebral (uni ou bilateral)

 Flacidez
 Face

da musculatura da face

neurotóxica
ACIDENTE CROTÁLICO


Quadro clínico
 Mialgia

e urina escura

 Rabdomiólise
 Mioglobinúria

 Gengivorragia
 Epistaxe
 Sintomas

inespecíficos

 Vômitos,

sonolência, mal-estar...
ACIDENTE CROTÁLICO


Quadro clínico
 Principais

complicações

 IRA
 Insuficiência

respiratória
 Choque circulatório
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA
1) Bothrops sp.
 Incidência
 1,6

a 5% dos acidentes
 Danger: 13% se Bothrops jararacussu
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA


Patogênese
 Ainda

sem completa elucidação
 Toxicidade tubular renal
 Talvez ação proteolítica direta sobre os glomérulos
 Lesões “indiretas”
 Rabdomiólise
 Hemólise
 Hipovolemia

 CIVD

e deposição de fibrina nos capilares glomerulares
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA
Membrana celular

...

...

...

...

Bothropstoxin1

Ação vasoativa
Alteração da hemodinâmica
glomerular
Alteração da taxa de filtração
glomerular

...

Ácido araquidônico

Tromboxana

Prostaglandina
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA


Características da IRA
 Primeiras

24 horas do acidente
 ↓ diurese: 2º ou 3º dia
 Oligúrica em 90% dos casos
 Duração:

 Sedimento

2-3 semanas

urinário

 Proteinúria

 Lesões

+ hematúria

mais comuns

 NTA
 Necrose

cortical bilateral
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA


Características da IRA
 Necrose

cortical: 20% dos casos.
 Lesões tardias
 Calcificação

do parênquima renal
 Evolução para DRC
 Mortalidade
 20%

dos casos
 Principal causa: EAP na fase oligúrica.
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA


Fatores de risco
 ∆t

entre picada e soro antibotrópico
 Pacientes mais velhos
 Maior

mortalidade também
 Menor massa renal funcionante (envelhecimento ou
nefropatia de base)
 Torniquete

e IRA?
 Incoagulabilidade sanguínea?
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA


Prevenção e tratamento
 Soroterapia

precoce e adequada
 Medidas para evitar insulto nefrotóxico
 Evitar

contraste iodado em exames de imagem
 Evitar analgesia com AINEs
 Evitar antibióticos nefrotóxicos
 Medidas

de suporte hemodinâmico
 Furosemida? Manitol? Dopamina?
 Manejo semelhante ao da NTA ou sepse
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA
2) Crotalus sp.
 Incidência
 Bem

mais frequente que no botrópico
 Incerto: 12-18,4% / 29%
 Depende

dos critérios de definição de IRA
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA


Patogênese
 [veneno]renal
 Até

A

> [veneno]plasmático

50% superior

peçonha é de excreção renal

 Toxicidade

 Principais

celular direta nos túbulos

toxinas

 Crotoxina
 Girotoxina

O

veneno crotálico também pode agir de modo
semelhante ao botrópico (PLA2...)
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA


Patogênese
 Rabdomiólise
 Principal

mecanismo de lesão renal
 Mais frequente no acidente crotálico em relação ao
botrópico
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA


Características da IRA
 Fase

oligúrica:

 Início

em 24 horas
 Duração: 6-14 dias


O

Menor que no botrópico

grau de lesão renal determina o tipo de IRA

 Oligúrica
 Não-oligúrica

 Diferentes

mecanismos de lesão renal
 Raramente uma vítima de acidente crotálico
desenvolverá DRC e necessidade de diálise de
manutenção.
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA


Características da IRA
 24%

dos casos: diálise!
 Relato de caso: soro crotálico e NIA.


Fatores de risco
 Atraso

na soroterapia
 Face miastênica
 Mialgia
 Elevação acentuada de CPK
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA


Laboratório
 ↑CPK

(>2000 U/L)
 ↑TGO e ↑TGP
 ↑DHL
 ↑FENa (como esperado na NTA...)
 Urina I
 Glicosúria
 Proteinúria
 Leucocitúria
 Células

epiteliais
 Cilindros

Exuberantes se IRA
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA


Laboratório
 ↑K+
 ↑ureia
 ↑P
 ↓Cai

Mais
frequentes
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA


Aspectos preditivos de IRA
 Mialgia
 Face

neurotóxica
 Urina vermelha: 80% dos casos... Não ajuda
 Diurese > 90 mL/h → protetor
 Tempo de coagulação: sem valor
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA


Prevenção e tratamento
 Soroterapia

precoce e adequada
 Evitar nefrotoxinas
 Evitar hipovolemia
 Atenção: manejo da rabdomiólise!
 Manter

↑ fluxo urinário

↓ [mioglobina]intratubular
 ↓ ∆t de exposição das células tubulares ao pigmento
 ↓ riscos de precipitação e consequente obstrução tubular por
mioglobina
 Estratégia: expansão volêmica e diuréticos

INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA


Prevenção e tratamento
 Atenção:

manejo da rabdomiólise!

 Manter

↑ fluxo urinário

Salina (3-6 L/dia e máximo de 10 L/dia)
 Controverso: NaHCO3






 Atenção:

Atenuar a acidemia
Reduz tendência a hiperK
Reduz a tendência a precipitação intratubular de mioglobina

não há recomendação específica sobre
quando iniciar a terapia renal substitutiva.
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA
INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA
Ofidismo e insuficiência renal aguda (acidente ofídico)
Ofidismo e insuficiência renal aguda (acidente ofídico)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula acessos venosos
Aula acessos venososAula acessos venosos
Aula acessos venosos
Viviane da Silva
 
Aula 03 anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Aula 03   anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexosAula 03   anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Aula 03 anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Hamilton Nobrega
 
Suporte Básico para a Vida - Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA
Suporte Básico para a Vida - Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEASuporte Básico para a Vida - Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA
Suporte Básico para a Vida - Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA
Conf_Bras_Beisebol_Softbol
 
Materiais Cirurgicos e Tecnicas de Instrumentação
Materiais Cirurgicos e Tecnicas de InstrumentaçãoMateriais Cirurgicos e Tecnicas de Instrumentação
Materiais Cirurgicos e Tecnicas de Instrumentação
Eduardo Bernardino
 
Aula de feridas e curativos - Completa
Aula de feridas e curativos -  CompletaAula de feridas e curativos -  Completa
Aula de feridas e curativos - Completa
SMS - Petrópolis
 
Sintomas e exame físico do aparelho urinário
Sintomas e exame físico do aparelho urinário Sintomas e exame físico do aparelho urinário
Sintomas e exame físico do aparelho urinário
Paulo Alambert
 
Semiologia Cardiovascular
Semiologia CardiovascularSemiologia Cardiovascular
Semiologia Cardiovascular
Anderson Armstrong
 
Aula Insuficiência Renal Aguda
Aula Insuficiência Renal AgudaAula Insuficiência Renal Aguda
Aula Insuficiência Renal Aguda
Jucie Vasconcelos
 
Gasometria arterial
Gasometria arterialGasometria arterial
Gasometria arterial
resenfe2013
 
Monitorização UTI
Monitorização UTIMonitorização UTI
Monitorização UTI
Julio Cesar Matias
 
Cateterismo vesical
Cateterismo vesicalCateterismo vesical
Cateterismo vesical
Rodrigo Abreu
 
Hemorragias
HemorragiasHemorragias
Hemorragias
Luana Santos
 
Nós Cirúrgicos
Nós CirúrgicosNós Cirúrgicos
Nós Cirúrgicos
Samuel Abner
 
Feridas e curativos
Feridas e curativosFeridas e curativos
Feridas e curativos
Luh Soares
 
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-InvasivaMonitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
resenfe2013
 
Gasometria arterial
Gasometria arterialGasometria arterial
Gasometria arterial
resenfe2013
 
Critérios de admissão em Unidade de Terapia Intensiva
Critérios de admissão em Unidade de Terapia IntensivaCritérios de admissão em Unidade de Terapia Intensiva
Critérios de admissão em Unidade de Terapia Intensiva
Aroldo Gavioli
 
Semiologia vascular periférica
Semiologia vascular periféricaSemiologia vascular periférica
Semiologia vascular periférica
pauloalambert
 
Seminário choque e infarto
Seminário   choque e infartoSeminário   choque e infarto
Seminário choque e infarto
Ilana Moura
 
Semiologia vascular
Semiologia vascularSemiologia vascular
Semiologia vascular
LAC
 

Mais procurados (20)

Aula acessos venosos
Aula acessos venososAula acessos venosos
Aula acessos venosos
 
Aula 03 anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Aula 03   anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexosAula 03   anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Aula 03 anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
 
Suporte Básico para a Vida - Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA
Suporte Básico para a Vida - Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEASuporte Básico para a Vida - Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA
Suporte Básico para a Vida - Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA
 
Materiais Cirurgicos e Tecnicas de Instrumentação
Materiais Cirurgicos e Tecnicas de InstrumentaçãoMateriais Cirurgicos e Tecnicas de Instrumentação
Materiais Cirurgicos e Tecnicas de Instrumentação
 
Aula de feridas e curativos - Completa
Aula de feridas e curativos -  CompletaAula de feridas e curativos -  Completa
Aula de feridas e curativos - Completa
 
Sintomas e exame físico do aparelho urinário
Sintomas e exame físico do aparelho urinário Sintomas e exame físico do aparelho urinário
Sintomas e exame físico do aparelho urinário
 
Semiologia Cardiovascular
Semiologia CardiovascularSemiologia Cardiovascular
Semiologia Cardiovascular
 
Aula Insuficiência Renal Aguda
Aula Insuficiência Renal AgudaAula Insuficiência Renal Aguda
Aula Insuficiência Renal Aguda
 
Gasometria arterial
Gasometria arterialGasometria arterial
Gasometria arterial
 
Monitorização UTI
Monitorização UTIMonitorização UTI
Monitorização UTI
 
Cateterismo vesical
Cateterismo vesicalCateterismo vesical
Cateterismo vesical
 
Hemorragias
HemorragiasHemorragias
Hemorragias
 
Nós Cirúrgicos
Nós CirúrgicosNós Cirúrgicos
Nós Cirúrgicos
 
Feridas e curativos
Feridas e curativosFeridas e curativos
Feridas e curativos
 
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-InvasivaMonitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
 
Gasometria arterial
Gasometria arterialGasometria arterial
Gasometria arterial
 
Critérios de admissão em Unidade de Terapia Intensiva
Critérios de admissão em Unidade de Terapia IntensivaCritérios de admissão em Unidade de Terapia Intensiva
Critérios de admissão em Unidade de Terapia Intensiva
 
Semiologia vascular periférica
Semiologia vascular periféricaSemiologia vascular periférica
Semiologia vascular periférica
 
Seminário choque e infarto
Seminário   choque e infartoSeminário   choque e infarto
Seminário choque e infarto
 
Semiologia vascular
Semiologia vascularSemiologia vascular
Semiologia vascular
 

Destaque

Infecção pelo HIV/Aids - Interface com a Formacao em Enfermagem 2015
Infecção pelo HIV/Aids - Interface com a Formacao em Enfermagem 2015Infecção pelo HIV/Aids - Interface com a Formacao em Enfermagem 2015
Infecção pelo HIV/Aids - Interface com a Formacao em Enfermagem 2015
Alexandre Naime Barbosa
 
Ofidismo
OfidismoOfidismo
Acidentes Ofdicos
Acidentes OfdicosAcidentes Ofdicos
Acidentes Ofdicos
douglas silva
 
Acidentes ofídicos. cuidados imediatos e tratamentos
Acidentes ofídicos. cuidados imediatos e tratamentosAcidentes ofídicos. cuidados imediatos e tratamentos
Acidentes ofídicos. cuidados imediatos e tratamentos
adrianomedico
 
Animais peçonhentos ofidismo
Animais peçonhentos ofidismoAnimais peçonhentos ofidismo
Animais peçonhentos ofidismo
Faculdade Integrada Tiradentes - FITS
 
Variantes das doenças por lesões mínimas
Variantes das doenças por lesões mínimasVariantes das doenças por lesões mínimas
Variantes das doenças por lesões mínimas
Eduardo Tibali
 
Hipoglicemiantes orais em monoterapia mortalidade
Hipoglicemiantes orais em monoterapia   mortalidadeHipoglicemiantes orais em monoterapia   mortalidade
Hipoglicemiantes orais em monoterapia mortalidade
Eduardo Tibali
 
Doença renal crônica e gestação
Doença renal crônica e gestaçãoDoença renal crônica e gestação
Doença renal crônica e gestação
Eduardo Tibali
 
Questões de animais peçonhentos
Questões de animais peçonhentosQuestões de animais peçonhentos
Questões de animais peçonhentos
Nathy Oliveira
 
Hipertensão refratária
Hipertensão refratáriaHipertensão refratária
Hipertensão refratária
Eduardo Tibali
 
Nefropatia por IgA
Nefropatia por IgANefropatia por IgA
Nefropatia por IgA
Eduardo Tibali
 
Acidentes Ofidicos Serpentes Brasil 2015
Acidentes Ofidicos Serpentes Brasil 2015Acidentes Ofidicos Serpentes Brasil 2015
Acidentes Ofidicos Serpentes Brasil 2015
Alexandre Naime Barbosa
 
Apostila toxicologia básica
Apostila toxicologia básicaApostila toxicologia básica
Apostila toxicologia básica
João Siqueira da Mata
 
Inibidores do sglt 2 (hipoglicemiantes orais)
Inibidores do sglt 2 (hipoglicemiantes orais)Inibidores do sglt 2 (hipoglicemiantes orais)
Inibidores do sglt 2 (hipoglicemiantes orais)
Eduardo Tibali
 
Acidentes Ofídicos
Acidentes OfídicosAcidentes Ofídicos
Acidentes Ofídicos
Mateosssx
 
Aula 04 apresentação biologia e identificação de serpentes
Aula 04   apresentação biologia e identificação de serpentesAula 04   apresentação biologia e identificação de serpentes
Aula 04 apresentação biologia e identificação de serpentes
filipe
 
Nutrição enteral e parenteral no doente crítico
Nutrição enteral e parenteral no doente críticoNutrição enteral e parenteral no doente crítico
Nutrição enteral e parenteral no doente crítico
Eduardo Tibali
 
Infecção do trato urinário em uti
Infecção do trato urinário em utiInfecção do trato urinário em uti
Infecção do trato urinário em uti
Eduardo Tibali
 
Assistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentos
Assistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentosAssistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentos
Assistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentos
Patricia Pereira
 
Primeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhas
Primeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhasPrimeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhas
Primeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhas
Anita Queiroz
 

Destaque (20)

Infecção pelo HIV/Aids - Interface com a Formacao em Enfermagem 2015
Infecção pelo HIV/Aids - Interface com a Formacao em Enfermagem 2015Infecção pelo HIV/Aids - Interface com a Formacao em Enfermagem 2015
Infecção pelo HIV/Aids - Interface com a Formacao em Enfermagem 2015
 
Ofidismo
OfidismoOfidismo
Ofidismo
 
Acidentes Ofdicos
Acidentes OfdicosAcidentes Ofdicos
Acidentes Ofdicos
 
Acidentes ofídicos. cuidados imediatos e tratamentos
Acidentes ofídicos. cuidados imediatos e tratamentosAcidentes ofídicos. cuidados imediatos e tratamentos
Acidentes ofídicos. cuidados imediatos e tratamentos
 
Animais peçonhentos ofidismo
Animais peçonhentos ofidismoAnimais peçonhentos ofidismo
Animais peçonhentos ofidismo
 
Variantes das doenças por lesões mínimas
Variantes das doenças por lesões mínimasVariantes das doenças por lesões mínimas
Variantes das doenças por lesões mínimas
 
Hipoglicemiantes orais em monoterapia mortalidade
Hipoglicemiantes orais em monoterapia   mortalidadeHipoglicemiantes orais em monoterapia   mortalidade
Hipoglicemiantes orais em monoterapia mortalidade
 
Doença renal crônica e gestação
Doença renal crônica e gestaçãoDoença renal crônica e gestação
Doença renal crônica e gestação
 
Questões de animais peçonhentos
Questões de animais peçonhentosQuestões de animais peçonhentos
Questões de animais peçonhentos
 
Hipertensão refratária
Hipertensão refratáriaHipertensão refratária
Hipertensão refratária
 
Nefropatia por IgA
Nefropatia por IgANefropatia por IgA
Nefropatia por IgA
 
Acidentes Ofidicos Serpentes Brasil 2015
Acidentes Ofidicos Serpentes Brasil 2015Acidentes Ofidicos Serpentes Brasil 2015
Acidentes Ofidicos Serpentes Brasil 2015
 
Apostila toxicologia básica
Apostila toxicologia básicaApostila toxicologia básica
Apostila toxicologia básica
 
Inibidores do sglt 2 (hipoglicemiantes orais)
Inibidores do sglt 2 (hipoglicemiantes orais)Inibidores do sglt 2 (hipoglicemiantes orais)
Inibidores do sglt 2 (hipoglicemiantes orais)
 
Acidentes Ofídicos
Acidentes OfídicosAcidentes Ofídicos
Acidentes Ofídicos
 
Aula 04 apresentação biologia e identificação de serpentes
Aula 04   apresentação biologia e identificação de serpentesAula 04   apresentação biologia e identificação de serpentes
Aula 04 apresentação biologia e identificação de serpentes
 
Nutrição enteral e parenteral no doente crítico
Nutrição enteral e parenteral no doente críticoNutrição enteral e parenteral no doente crítico
Nutrição enteral e parenteral no doente crítico
 
Infecção do trato urinário em uti
Infecção do trato urinário em utiInfecção do trato urinário em uti
Infecção do trato urinário em uti
 
Assistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentos
Assistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentosAssistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentos
Assistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentos
 
Primeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhas
Primeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhasPrimeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhas
Primeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhas
 

Semelhante a Ofidismo e insuficiência renal aguda (acidente ofídico)

aula-pacientespticoeosprotocolosdeatendimendodasepseemuti-enfa-240416210215-6...
aula-pacientespticoeosprotocolosdeatendimendodasepseemuti-enfa-240416210215-6...aula-pacientespticoeosprotocolosdeatendimendodasepseemuti-enfa-240416210215-6...
aula-pacientespticoeosprotocolosdeatendimendodasepseemuti-enfa-240416210215-6...
THIALYMARIASILVADACU
 
Estratificação da Lesão Renal Aguda
Estratificação da Lesão Renal AgudaEstratificação da Lesão Renal Aguda
Estratificação da Lesão Renal Aguda
Federal University of Bahia
 
Nefrectomia Laparoscópica para doador Vivo
Nefrectomia Laparoscópica para doador VivoNefrectomia Laparoscópica para doador Vivo
Nefrectomia Laparoscópica para doador Vivo
Urovideo.org
 
Sepse
SepseSepse
Cirrose hepática
Cirrose hepáticaCirrose hepática
Insuficiência renal aguda
Insuficiência renal agudaInsuficiência renal aguda
Insuficiência renal aguda
Mel Franco
 
Trombose de seio
Trombose de seioTrombose de seio
Trombose de seio
Janine Magalhaes
 
CIRURGIAS NEFROLÓGICAS
CIRURGIAS NEFROLÓGICASCIRURGIAS NEFROLÓGICAS
CIRURGIAS NEFROLÓGICAS
WAGNER OLIVEIRA
 
Profilaxia TVP
Profilaxia TVPProfilaxia TVP
Profilaxia TVP
Carlos Andrade
 
IRenal Aguda e Métodos Dialíticos
IRenal Aguda e Métodos DialíticosIRenal Aguda e Métodos Dialíticos
IRenal Aguda e Métodos Dialíticos
Rodrigo Biondi
 
INSUFICIENCIA RENAL AGUDA
 INSUFICIENCIA RENAL AGUDA  INSUFICIENCIA RENAL AGUDA
INSUFICIENCIA RENAL AGUDA
Hospital Samaritano Paulista
 
Infarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdioInfarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdio
jaquerpereira
 
Cardiomiopatias
CardiomiopatiasCardiomiopatias
Cardiomiopatias
dapab
 
Aula pancreatite aguda_final
Aula pancreatite aguda_finalAula pancreatite aguda_final
Aula pancreatite aguda_final
Evandro Heston
 
Sarcoidose
SarcoidoseSarcoidose
Sarcoidose
Flávia Salame
 
Irc 2014
Irc 2014Irc 2014
Irc 2014
Rubia Rettori
 
Infartoagudodomiocrdio 120204054416-phpapp01
Infartoagudodomiocrdio 120204054416-phpapp01Infartoagudodomiocrdio 120204054416-phpapp01
Infartoagudodomiocrdio 120204054416-phpapp01
Vlc_val
 
Pancreatite
PancreatitePancreatite
Derramepleural 100508113220-phpapp02
Derramepleural 100508113220-phpapp02Derramepleural 100508113220-phpapp02
Derramepleural 100508113220-phpapp02
EdEr Mariano
 
Apresentação sessao magna
Apresentação sessao magnaApresentação sessao magna
Apresentação sessao magna
janinemagalhaes
 

Semelhante a Ofidismo e insuficiência renal aguda (acidente ofídico) (20)

aula-pacientespticoeosprotocolosdeatendimendodasepseemuti-enfa-240416210215-6...
aula-pacientespticoeosprotocolosdeatendimendodasepseemuti-enfa-240416210215-6...aula-pacientespticoeosprotocolosdeatendimendodasepseemuti-enfa-240416210215-6...
aula-pacientespticoeosprotocolosdeatendimendodasepseemuti-enfa-240416210215-6...
 
Estratificação da Lesão Renal Aguda
Estratificação da Lesão Renal AgudaEstratificação da Lesão Renal Aguda
Estratificação da Lesão Renal Aguda
 
Nefrectomia Laparoscópica para doador Vivo
Nefrectomia Laparoscópica para doador VivoNefrectomia Laparoscópica para doador Vivo
Nefrectomia Laparoscópica para doador Vivo
 
Sepse
SepseSepse
Sepse
 
Cirrose hepática
Cirrose hepáticaCirrose hepática
Cirrose hepática
 
Insuficiência renal aguda
Insuficiência renal agudaInsuficiência renal aguda
Insuficiência renal aguda
 
Trombose de seio
Trombose de seioTrombose de seio
Trombose de seio
 
CIRURGIAS NEFROLÓGICAS
CIRURGIAS NEFROLÓGICASCIRURGIAS NEFROLÓGICAS
CIRURGIAS NEFROLÓGICAS
 
Profilaxia TVP
Profilaxia TVPProfilaxia TVP
Profilaxia TVP
 
IRenal Aguda e Métodos Dialíticos
IRenal Aguda e Métodos DialíticosIRenal Aguda e Métodos Dialíticos
IRenal Aguda e Métodos Dialíticos
 
INSUFICIENCIA RENAL AGUDA
 INSUFICIENCIA RENAL AGUDA  INSUFICIENCIA RENAL AGUDA
INSUFICIENCIA RENAL AGUDA
 
Infarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdioInfarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdio
 
Cardiomiopatias
CardiomiopatiasCardiomiopatias
Cardiomiopatias
 
Aula pancreatite aguda_final
Aula pancreatite aguda_finalAula pancreatite aguda_final
Aula pancreatite aguda_final
 
Sarcoidose
SarcoidoseSarcoidose
Sarcoidose
 
Irc 2014
Irc 2014Irc 2014
Irc 2014
 
Infartoagudodomiocrdio 120204054416-phpapp01
Infartoagudodomiocrdio 120204054416-phpapp01Infartoagudodomiocrdio 120204054416-phpapp01
Infartoagudodomiocrdio 120204054416-phpapp01
 
Pancreatite
PancreatitePancreatite
Pancreatite
 
Derramepleural 100508113220-phpapp02
Derramepleural 100508113220-phpapp02Derramepleural 100508113220-phpapp02
Derramepleural 100508113220-phpapp02
 
Apresentação sessao magna
Apresentação sessao magnaApresentação sessao magna
Apresentação sessao magna
 

Último

4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
AmaroAlmeidaChimbala
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
CatieleAlmeida1
 
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptxDESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
Klaisn
 
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdfHistória da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
JandersonGeorgeGuima
 
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
Luiz Henrique Pimentel Novais Silva
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
marjoguedes1
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
sula31
 

Último (8)

4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
 
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptxDESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
 
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdfHistória da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
 
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
 

Ofidismo e insuficiência renal aguda (acidente ofídico)

  • 1. Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina Eduardo Henrique Costa Tibali – R3 nefrologia OFIDISMO E INSUFICIÊNCIA RENAL
  • 2. ACIDENTE OFÍDICO  Principais representantes  Gênero Bothrops  Bothrops jararaca: Jararacas.  Bothrops cotiara: cotiaras.  Urutus  Gênero Crotalus  Crotalus  durissus: cascavel. Elapídeos  Micrurus  spp. e Leptomicrurus: corais verdadeiras. Lachesis  Surucutinga, pico-de-jaca, bico-de-jaca e surucucu-pico-de-jaca.
  • 7. ACIDENTE OFÍDICO  Epidemiologia  Mais de 20.000 notificações por ano no Brasil  Taxa de mortalidade: 0,45%.  Bothrops: 85% dos casos.  Crotalus: 7,7% dos casos.  Mesma incidência de IRA entre os gêneros citados  Acidentes crotálicos são mais nefrotóxicos
  • 8. ACIDENTE OFÍDICO  Epidemiologia  Maior incidência  Trabalhadores rurais  Gênero masculino  Idade: 15 a 49 anos
  • 11. ACIDENTE OFÍDICO  Identificação da serpente Gênero Ações do veneno Manifestações locais Neurotóxica Parestesia Miotóxica Edema leve Crotalus Coagulante Nefrotóxica Manifestações sistêmicas Face miastênica Rabdomiólise IRA Coagulopatia Nefrotóxica Edema intenso Coagulopatia Proteolítica local Equimose e bolhas IRA Hemorrágica Sangramentos Bothrops Infecção secundária Gangrena Síndrome compartimental
  • 14. ACIDENTE CROTÁLICO  Quadro clínico  Manifestações sistêmicas predominam  Alterações oculares  Diplopia  Turvação visual  Midríase  Ptose palpebral (uni ou bilateral)  Flacidez  Face da musculatura da face neurotóxica
  • 15. ACIDENTE CROTÁLICO  Quadro clínico  Mialgia e urina escura  Rabdomiólise  Mioglobinúria  Gengivorragia  Epistaxe  Sintomas inespecíficos  Vômitos, sonolência, mal-estar...
  • 16. ACIDENTE CROTÁLICO  Quadro clínico  Principais complicações  IRA  Insuficiência respiratória  Choque circulatório
  • 18. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA 1) Bothrops sp.  Incidência  1,6 a 5% dos acidentes  Danger: 13% se Bothrops jararacussu
  • 19. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA  Patogênese  Ainda sem completa elucidação  Toxicidade tubular renal  Talvez ação proteolítica direta sobre os glomérulos  Lesões “indiretas”  Rabdomiólise  Hemólise  Hipovolemia  CIVD e deposição de fibrina nos capilares glomerulares
  • 20. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA Membrana celular ... ... ... ... Bothropstoxin1 Ação vasoativa Alteração da hemodinâmica glomerular Alteração da taxa de filtração glomerular ... Ácido araquidônico Tromboxana Prostaglandina
  • 21. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA  Características da IRA  Primeiras 24 horas do acidente  ↓ diurese: 2º ou 3º dia  Oligúrica em 90% dos casos  Duração:  Sedimento 2-3 semanas urinário  Proteinúria  Lesões + hematúria mais comuns  NTA  Necrose cortical bilateral
  • 22. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA  Características da IRA  Necrose cortical: 20% dos casos.  Lesões tardias  Calcificação do parênquima renal  Evolução para DRC  Mortalidade  20% dos casos  Principal causa: EAP na fase oligúrica.
  • 23. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA  Fatores de risco  ∆t entre picada e soro antibotrópico  Pacientes mais velhos  Maior mortalidade também  Menor massa renal funcionante (envelhecimento ou nefropatia de base)  Torniquete e IRA?  Incoagulabilidade sanguínea?
  • 24. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA  Prevenção e tratamento  Soroterapia precoce e adequada  Medidas para evitar insulto nefrotóxico  Evitar contraste iodado em exames de imagem  Evitar analgesia com AINEs  Evitar antibióticos nefrotóxicos  Medidas de suporte hemodinâmico  Furosemida? Manitol? Dopamina?  Manejo semelhante ao da NTA ou sepse
  • 25. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA 2) Crotalus sp.  Incidência  Bem mais frequente que no botrópico  Incerto: 12-18,4% / 29%  Depende dos critérios de definição de IRA
  • 26. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA  Patogênese  [veneno]renal  Até A > [veneno]plasmático 50% superior peçonha é de excreção renal  Toxicidade  Principais celular direta nos túbulos toxinas  Crotoxina  Girotoxina O veneno crotálico também pode agir de modo semelhante ao botrópico (PLA2...)
  • 27. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA  Patogênese  Rabdomiólise  Principal mecanismo de lesão renal  Mais frequente no acidente crotálico em relação ao botrópico
  • 28. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA  Características da IRA  Fase oligúrica:  Início em 24 horas  Duração: 6-14 dias  O Menor que no botrópico grau de lesão renal determina o tipo de IRA  Oligúrica  Não-oligúrica  Diferentes mecanismos de lesão renal  Raramente uma vítima de acidente crotálico desenvolverá DRC e necessidade de diálise de manutenção.
  • 29. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA  Características da IRA  24% dos casos: diálise!  Relato de caso: soro crotálico e NIA.  Fatores de risco  Atraso na soroterapia  Face miastênica  Mialgia  Elevação acentuada de CPK
  • 30. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA  Laboratório  ↑CPK (>2000 U/L)  ↑TGO e ↑TGP  ↑DHL  ↑FENa (como esperado na NTA...)  Urina I  Glicosúria  Proteinúria  Leucocitúria  Células epiteliais  Cilindros Exuberantes se IRA
  • 31. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA  Laboratório  ↑K+  ↑ureia  ↑P  ↓Cai Mais frequentes
  • 32. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA  Aspectos preditivos de IRA  Mialgia  Face neurotóxica  Urina vermelha: 80% dos casos... Não ajuda  Diurese > 90 mL/h → protetor  Tempo de coagulação: sem valor
  • 33. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA  Prevenção e tratamento  Soroterapia precoce e adequada  Evitar nefrotoxinas  Evitar hipovolemia  Atenção: manejo da rabdomiólise!  Manter ↑ fluxo urinário ↓ [mioglobina]intratubular  ↓ ∆t de exposição das células tubulares ao pigmento  ↓ riscos de precipitação e consequente obstrução tubular por mioglobina  Estratégia: expansão volêmica e diuréticos 
  • 34. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA  Prevenção e tratamento  Atenção: manejo da rabdomiólise!  Manter ↑ fluxo urinário Salina (3-6 L/dia e máximo de 10 L/dia)  Controverso: NaHCO3      Atenção: Atenuar a acidemia Reduz tendência a hiperK Reduz a tendência a precipitação intratubular de mioglobina não há recomendação específica sobre quando iniciar a terapia renal substitutiva.

Notas do Editor

  1. Parei no começo da página 4