SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
21/07/2015
1
INTERPRETAÇÃO DO LEUCOGRAMA
UNIVERSIDADE DA REGIÃO DA CAMPANHA
CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS
CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA
DISCIPLINA DE LABORATÓRIO CLÍNICO
Profª Regina P. Reiniger
Nº Total de Leucócitos
LEUCOCITOSE
NORMOLEUCOMETRIA
LEUCOPENIA
NEUTRÓFILOS
Fatores de crescimento e controle da produção e da quantidade no sangue
Sistema de células primordiais
Compartimento de proliferação
Mieloblasto
Progranulócito
Mielócito
C. Maturação e estocagem
Metamielócito
Bastão
Neutrófilo
C. Medular
C. circulante C. marginal Tecidos
neutrófilos
Cinética
Sistema de células primordiais
Compartimento de proliferação
Mieloblasto
Progranulócito
Mielócito
C. Maturação e estocagem
Metamielócito
Bastão
Neutrófilo
Tempo de trânsito
7-10 dias (normal)
< inflamação
C. circulante C. marginal
Migração
transendotelial
Quimiotáticos
Meia-vida na
circulação
6 – 10 hs
Controle
IL-3,IL-6,IL-11
FEC
IL-3
FEC
IL-3
FEC
IL-1, TNF
FEC, FIL
FEC- fator estimulador de colônias; FIL-fator indutor de leucocitose; TNF- fator de necrose tumoral
neutrófilos
Sistema de células primordiais
Compartimento de proliferação
Mieloblasto
Progranulócito
Mielócito
C. Maturação e estocagem
Metamielócito
Bastão
Neutrófilo
C. Circulante C. marginal
Lesão inflamatória
Consumo Tecidual
neutrófilos
Resposta Hematológica à Inflamação
Hiperplasia:
.aumento de produção
.alteração tóxica
Liberação da reserva:
.C. de armazenamento-neutrofilia
.Células em maturação-
Desvio à esquerda
21/07/2015
2
Equilíbrio da dinâmica que determina a quantidade de neutrófilos
no sangue
Taxa de liberação medular
Taxa de consumo tecidual
Quando a liberação medular excede o consumo  NEUTROFILIA
Quando o consumo tecidual excede a liberação medular  NEUTROPENIA C/ D.E.
neutrófilos
Resposta inflamatória moderada
Sistema de células primordiais
Compartimento de proliferação
Mieloblasto
Progranulócito
Mielócito
C. Maturação e estocagem
Metamielócito
Bastão
Neutrófilo
C. circulante C. marginal Tecidos
neutrófilos
Exemplo de leucograma:
Leucócitos: 35.000
Bastões- 3.000
NS – 30.000
Linfócitos – 1.200
Monócitos - 800
Interpretação: Inflamação
Resposta inflamatória grave
Sistema de células primordiais
Compartimento de proliferação
Mieloblasto
Progranulócito
Mielócito
C. Maturação e estocagem
Metamielócito
Bastão
Neutrófilo
C. circulante
neutrófilos
Exemplo de leucograma:
Leucócitos: 1.500
Metamielócitos - 300
Bastões- 500
NS – 500
Linfócitos – 200
Interpretação: Inflamação
aguda grave
Tecidos
errado
Valores Normais
Canino Bovino Equino Felino
Hemácias x106 5,5 – 8,5 5 - 10 7 – 13 5,5 – 10
Hemoglobina g%
12 - 18 8 - 14 10 - 18 8 – 14
Hematócrito %
37 - 55 24 - 48 32 - 48 24 – 45
VCM
60 - 77 40 - 60 37 - 50 39 – 55
CHCM
31 - 36 26 - 34 31 - 35 31 – 35
Leucócitos x 10³
6 - 17 4 - 12 7 - 14 5,5 – 19,5
Bastão 0 – 3%
0 - 540
0- 2%
0 - 240
0- 2%
0 - 280
0- 3%
0 – 300
Neutrófilo 60 - 77%
3.000 – 11.500
15 - 45%
600 – 5.400
30- 65%
2.100 – 9.100
35 - 75%
2.500 – 12.500
Eosinófilo 2 - 10%
100 – 1.250
2 - 20%
80 – 2.400
0,5 - 11%
35 – 1.540
2 - 12%
0 – 750
Linfócito 12 - 30%
1.000 – 4.800
45 - 75%
1.800 – 9.000
25 - 70%
1.750 – 9.800
20 - 55%
1.500 – 7.000
Monócito 3 - 10%
150 – 1.350
2 - 7%
80 – 840
0,5 - 7%
35 – 980
1- 4%
0 – 850
Contribuição comparativa da medula óssea à migração de NS e relação
com variações de neutrofilia na resposta inflamatória de várias espécies
Espécie Reserva Medular Capacidade de regeneração
Cão
Gato
Eqüino
Bovino
Relativamente alta
Intermediária
Intermediária
Relativamente baixa
Rápida
Intermediária
Intermediária
Lenta
Espécie Variação possível de neutrofilia (neutrófilos/µL)
Cão
Gato
Eqüino
Bovino
20.000 – 100.000
20.000 – 60.000
15.000 – 30.000
10.000 – 25.000
LEUCOCITOSE
FISIOLÓGICA  ADRENALINA
-Medo / Excitação
-Exercício extenuante
-Parto
PATOLÓGICO
-Infecções
-Cirurgias
-Neoplasias
INDUZIDA POR CORTICÓIDES
Neutrófilos
Linfócitos
* Sem células jovens
21/07/2015
3
Leucocitose induzida por Corticóides
Endógenos e Exógenos
Leucograma de STRESS
NEUTRÓFILOS
MONÓCITOS
LINFÓCITOS
EOSINÓFILOS
Resposta ao Estresse
Sistema de células primordiais
Compartimento de proliferação
Mieloblasto
Progranulócito
Mielócito
C. Maturação e estocagem
Metamielócito
Bastão
Neutrófilo
C. circulante C. marginal
Tecidos
A alteração envolve a
migração celular do
compartimento marginal para
o compartimento circulante,
resultando em quase o dobro
da quantidade de leucócitos
em repouso.
A liberação medular e o
consumo tecidual ficam
inalterados.
Padrão Geral da Resposta Leucocitária
Leucócitos NS Bastão Linfócitos Monócitos Eosinófilos
Inflamação aguda
Inflamação crônica
Inflamação grave
Leucocitose por
excitação
Leucocitose de
Estresse
N ou
N ou
N ou
N ou
N ou
Normais
Normais
N ou
N ou
N ou
Normais
Variáveis
Variáveis
Normais
N ou
Variáveis
Variáveis
Variáveis
Normais
N ou
NS normais ou aumentados - Linfócitos aumentados gatos
Evidência de Necrose Tecidual
. Presença de monocitose indicando demanda por
fagocitose.
Evidência de Hipersensibilidade Sistêmica
. Eosinofilia persistente e ou basofilia
Causas mais comuns: doenças parasitárias;
traqueobronquites alérgicas em cães; asma felina;
Gastroenterites alérgicas
Evidência de Toxemia Sistêmica
. Presença de neutrófilos tóxicos no sangue periférico.
. Comumente associada com infecções bacterianas.
Leucopenia
Doenças virais
Parvovirose / Cinomose/ Hepatite Infecciosa Canina
 Início de infecções bacterianas graves
Toxemia endógena / Septicemia (Salmonelose)
Drogas
Quimioterápicos / Estrógenos
Neoplasmas de Medula Óssea
Parasitas
Erliquiose / Toxoplasmose
Transtornos físicos
Raio X
Deficiência de Vit. B. B12 e ácido fólico
LEUCOPENIA
Mecanismos de Leucopenia por Neutropenia
 Depleção ou exaustão
Mamite bovina
Cólica eqüina
Destruição
Drogas
Infecções bacterianas graves
Degeneração
Depressão
21/07/2015
4
Desvios
Mielócito  Metamielócito  Bastão  Neutrófilo segmentado
Desvio para direitaDesvio para esquerda
Desvios
Mielócito  Metamielócito  Bastão  Neutrófilo segmentado
Desvio para direita
HIPERSEGMENTADOS
Desvios
Mielócito  Metamielócito  Bastão  Neutrófilo segmentado
Desvio para esquerda LEVE
Desvios
Mielócito  Metamielócito  Bastão  Neutrófilo segmentado
Desvio para esquerda MODERADO
Desvios
Mielócito  Metamielócito  Bastão  NEUTRÓFILO SEGMENTADO
Desvio para esquerda MARCADO
QUANDO A SOMA DOS IMATUROS FOR INFERIOR A SOMA DOS
MADUROS = DESVIO PARA ESQUERDA MARCADO REGENERATIVO
Desvios
Mielócito  Metamielócito  Bastão  Neutrófilo segmentado
Desvio para esquerda MARCADO
QUANDO A SOMA DOS IMATUROS FOR SUPERIOR A SOMA DOS
MADUROS = DESVIO PARA ESQUERDA MARCADO DEGENERATIVO
21/07/2015
5
Desvios
Desvio para esquerda MARCADO Degenerativo
PROGNÓSTICO ??
TRÍADE INFLAMATÓRIA
Leucocitose c/neutrofilia + DE
Linfopenia Eosinopenia
Classificação da Resposta Leucocitária
Desvio a Esquerda REGENERATIVO
- Leucocitose
. Neutrofilia (NS) e Bastões
Infecções bacterianas severas
Infecções agudas
Desvio a Esquerda DEGENERATIVO
- Normoleucometria ou Leucopenia
. Neutrófilos bastões > ou = Segmentado
Septicemia (quadro grave)
Desvio a DIREITA
- Hipersegmentados
. Toxemia Endógena (UREMIA)
. Terapia prolongada com corticóides/Hiperadrenocorticismo
. Exposição prolongada ao EDTA
Classificação da Resposta Leucocitária
Desvio a Esquerda REGENERATIVO
= PROGNÓSTICO BOM
Desvio a Esquerda DEGENERATIVO
= PROGNÓSTICO RESERVADO À
DESFAVORÁVEL
Desvio a DIREITA
= PROGNÓSTICO RESERVADO
Classificação da Resposta Leucocitária
Desvio a Esquerda DEGENERATIVO  BOVINO
= PROGNÓSTICO ????
ALTERAÇÕES NO Nº DE NEUTRÓFILOS
Neutrofilia
Fisiológica
Corticóides
Adrenalina
Patológica
Inflamações agudas / crônicas
Necrose tecidual
Intoxicações
•Veneno de cobra
•Mecúrio
21/07/2015
6
ALTERAÇÕES NO Nº DE NEUTRÓFILOS
NEUTROPENIA
Decréscimo da sobrevida
. Infecção bacteriana aguda
. Peritonite / ruptura de órgãos
Diminuição na produção
. Toxidade de drogas
. Fenilbutazona/ cloranfenicol/griseofulvina
Granulopoiese ineficaz
. Vírus da leucemia felina
. Parvovirus canino
. Ehrlichia sp
ALTERAÇÕES NO Nº DE EOSINÓFILOS
Eosinofilia
Reações alérgicas
.Parasitismos
.Sarna sarcóptica / Parasitismo intestinal
Doenças as eosinofílicas específicas
.Granuloma eosinofílico felino
Neoplasias
.Mastocitomas
Início da recuperação do organismo
ALTERAÇÕES NO Nº DE EOSINÓFILOS
Eosinopenia
 Excesso corticóide exógeno / endógeno
. Hiperadrenocorticismo
. Inflamação com estresse
Fase aguda inflamações / infecções
Estresse emocional / exercício
Endotoxemia
. Coma diabético
. Acidose metabólica
. Toxemia endógena
. Uremia
ALTERAÇÕES NO Nº DE MONÓCITOS
Monocitose
Aumento níveis corticóides (cão)
Inflamações crônicas
.Inespecíficas
.Longa duração
Necrose tecidual
.Supuração (cavidades corpóreas)
.Fase recuperação das inflamações
“Limpeza região inflamada” 􀂄
Leucemia monocítica ou mielomonocítica
Monocitopenia  Sem significado clínico
ALTERAÇÕES NO Nº DE LINFÓCITOS
Linfocitose
Fisiológico
Ação adrenalina / Após vacinação / Idade
Patológico
. Doença auto-imune
. Infecção crônica ou persistente
. Início da recuperação do organismo
. Viroses
. Linfoadenopatias inespecíficas
. Leucose bovina “Linfocitose pré-leucemica”
. Protozooses
.Toxoplasmose
ALTERAÇÕES NO Nº DE LINFÓCITOS
Linfopenia
Estresse
. Corticóides endógeno / exógeno
Fase aguda inflamação
Processos infecciosos graves
. Tuberculose
Perda linfócitos
. Quilotórax
Linfopoiese reduzida
. Corticoterapia prolongada
Estágio agudo de infecções virais imunodepressoras
. Cinomose/ Enterite por coronavírus
21/07/2015
7
ANORMALIDADES MAIS COMUNS EM LINFÓCITOS
Alteração Classificação Mecanismo Ocorrência Morfologia Outros
achados
Comentários
Linfopenia Induzido por
corticóide ou
estresse
Interrupção da
recirculação
Linfossarcoma
Sequestro
em efusões
quilosas
Retenção
em
linfonodos
neoplásicos
Comum
Rara
Rara
Normal
Normal
Normal
ou
atípicos
Hipoprotei-
nemia
Moderada
Se < 750µL
procurar
outras causas
de linfopenia
Linfopenia
grave
Pode ser tb
linfocitose
ANORMALIDADES MAIS COMUNS EM LINFÓCITOS
Alteração Classificação Mecanismo Ocorrência Morfologia Comentários
Linfocitose Excitação apenas
em gatos
Estimulação
antigênica
Linfossarcoma
Linfócitos
marginais são
mobilizados
para
circulação
Expansão
clonal como
resposta
Multiplicação
neoplásica
Comum
Comum
Rara
Normal
Reativo
Anormal
Células
grandes,
cromatina
frouxa e
nucléolos
evidentes
Contagens
podem chegar a
20.000/µL
Pode ocorrer
1 -2 semanas
após vacinação
Linfocitose é
uma alteração
tardia da doença
Interpretar o Leucograma pelo valor absoluto
Valor absoluto Valor relativo
Eosinófilos 640/mm³ 8%
Basófilos 0 0
Bastão 80/mm³ 1%
Segmentados 5.600/mm³ 70%
Linfócitos 1.440/mm³ 18%
Monócitos 240/mm³ 3%
Contagem no esfregaço corado
Apresentação dos casos clínicos:
CGV - 3.800.000 (5,5-8,5x106) CGB - 23.000 (6.000-17.000)
Hb - 7,3 g% (12-18) Mielócitos: 0
VG- 22% ( 32-56 ) Metamielócitos: 4%
VGM - ............... ( 60-68) Bastões: 10% ( 0-2)
CHGM............... ( 32-36) NS : 80% (45 - 76)
Reticulócitos: 2,9% (0,5-1) Linfócitos: 5% ( 12- 35)
PPT: 10g/dl ( 6 - 7 ) Eosinófilos: 0 (2 - 10)
FP : 550mg%( 200-400) Monócitos: 1% (3 - 10)
OBS: Exame do esfregaço corado: Presença de anisocitose moderada e hipocromasia.
Ordem para interpretar um hemograma:
1- Eritrograma: 1. Existe anemia?
2. Classificar a anemia;
3. PPT e FP?
4. Reticulócitos?
2 - Leucograma: 1. Leucócitos normais, leucopenia ou leucocitose?
2. Há desvios?
3. Há neutrofilia? relativa ou absoluta?
4. Forma a tríade inflamatória?
Hora dos exercícios!!!
Canino, fêmea, 7 anos, SRD, 24 Kg. Havia entrado em cio há 2 meses,
e o proprietário observou que o abdômen apresentava-se distendido.
Observou-se no exame clínico: aumento de volume abdominal e
corrimento vaginal.
21/07/2015
8
Laboratório de Análises Clínicas
ESPÉCIE: Canina
NOME: SEXO: f FICHA Nº:
RAÇA: IDADE: LC121/13
REQUISITANTE: HCV
PROPRIETÁRIO:
SÉRIE VERMELHA SÉRIE BRANCA % /mm³
Eritrócitos 5 Mielócitos
(5,5 –8,5 milhões/mm3)
Hemoglobina 10,0 Metamielócitos 16 12.800
(12–18g%)
Hematócrito 30,0 Bastonetes 21,5 17.200
(32-55 %) 0 - 3% (0 -390 /mm3)
Neutrófilos 55 44.000
60-77% (3.000 –11.500/mm3)
V.G.M 60,0 Linfócitos 6,5 5.200
(60–77μ3)
10 - 22% (1.000 –2.860 /mm3)
C.H.C.M. 30,0 Basófilos 0
(31–36%) 0 -2% (0 -260 /mm3)
PPT 8,2 Eosinófilos 0,5 400
(6-8 g/dl) 2 - 10% (150 –1.250 /mm3)
FP 200 Monócitos 0,5 400
200-400g% 3 - 10% (150 -1350 /mm3)
Plaquetas (200-400x10³) 200.000 Leucócitos 100 80.000
6.000 – 17.000/mm3
OBSERVAÇÕES: hemácias em rouleax e hipocromia.
Contagem de plaquetas por esfregaço sanguíneo.
Padrão Geral da Resposta Leucocitária
Leucócitos NS Bastão Linfócitos Monócitos Eosinófilos
Inflamação aguda
Inflamação crônica
Inflamação grave
Leucocitose por
excitação
Leucograma de
Estresse
N ou
N ou
N ou
N ou
N ou
Normais
Normais
N ou
N ou
N ou
Normais
Variáveis
Variáveis
Normais
N ou
Variáveis
Variáveis
Variáveis
Normais
N ou
NS normais ou aumentados - Linfócitos aumentados gatos
Caso clínico 1
Felino, macho, SRD, 1 ano
Orientações gerais (crianças na casa)
 Procedência desconhecida
EXAME FÍSICO
- Estado geral bom
- Leucograma- descartar processo subagudo
O animal estava bastante assustado, sendo difícil a
contenção e colheita sangue.
21/07/2015
9
Padrão Geral da Resposta Leucocitária
Leucócitos NS Bastão Linfócitos Monócitos Eosinófilos
Inflamação aguda
Inflamação crônica
Inflamação grave
Leucocitose por
excitação
Leucograma de
Estresse
N ou
N ou
N ou
N ou
N ou
Normais
Normais
N ou
N ou
N ou
Normais
Variáveis
Variáveis
Normais
N ou
Variáveis
Variáveis
Variáveis
Normais
N ou
NS normais ou aumentados - Linfócitos aumentados gatos
21/07/2015
10
21/07/2015
11
21/07/2015
12
Padrão Geral da Resposta Leucocitária
Leucócitos NS Bastão Linfócitos Monócitos Eosinófilos
Inflamação aguda
Inflamação crônica
Inflamação grave
Leucocitose por
excitação
Leucograma de
Estresse
N ou
N ou
N ou
N ou
N ou
Normais
Normais
N ou
N ou
N ou
Normais
Variáveis
Variáveis
Normais
N ou
Variáveis
Variáveis
Variáveis
Normais
N ou
NS normais ou aumentados - Linfócitos aumentados gatos
21/07/2015
13

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Lesões celulares
Lesões celulares Lesões celulares
Lesões celulares
 
Hemograma
HemogramaHemograma
Hemograma
 
Imunologia
ImunologiaImunologia
Imunologia
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitos
ICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitosICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitos
ICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitos
 
Aula sobre distúrbios circulatórios
Aula sobre distúrbios circulatóriosAula sobre distúrbios circulatórios
Aula sobre distúrbios circulatórios
 
Hemograma
HemogramaHemograma
Hemograma
 
Introdução à imunologia
Introdução à imunologiaIntrodução à imunologia
Introdução à imunologia
 
Interpretao de-exames-laboratoriais
Interpretao de-exames-laboratoriaisInterpretao de-exames-laboratoriais
Interpretao de-exames-laboratoriais
 
Morte celular
Morte celularMorte celular
Morte celular
 
Carrapatos - Parasitologia
Carrapatos - ParasitologiaCarrapatos - Parasitologia
Carrapatos - Parasitologia
 
Patologias do sistema urinário
Patologias do sistema urinárioPatologias do sistema urinário
Patologias do sistema urinário
 
Coagulação Sanguínea
Coagulação SanguíneaCoagulação Sanguínea
Coagulação Sanguínea
 
Eritrograma - Anclivepa 2011
Eritrograma  - Anclivepa 2011Eritrograma  - Anclivepa 2011
Eritrograma - Anclivepa 2011
 
Fisiologia renal Veterinária
Fisiologia renal VeterináriaFisiologia renal Veterinária
Fisiologia renal Veterinária
 
Aula 8 edema
Aula 8   edemaAula 8   edema
Aula 8 edema
 
Exame fisico geral
Exame fisico geralExame fisico geral
Exame fisico geral
 
Aula de Patologia do Sistema Endócrino
Aula de Patologia do Sistema EndócrinoAula de Patologia do Sistema Endócrino
Aula de Patologia do Sistema Endócrino
 
Disturbios da coagulação
Disturbios da coagulaçãoDisturbios da coagulação
Disturbios da coagulação
 
ICSA17 - Autoimunidade
ICSA17 - Autoimunidade ICSA17 - Autoimunidade
ICSA17 - Autoimunidade
 
1ª aula amostras biológicas
1ª aula   amostras biológicas1ª aula   amostras biológicas
1ª aula amostras biológicas
 

Semelhante a Interpretação do Leucograma

Apresentação exame dos liquidos cavitarios 2015
Apresentação exame dos liquidos cavitarios 2015Apresentação exame dos liquidos cavitarios 2015
Apresentação exame dos liquidos cavitarios 2015ReginaReiniger
 
Gastroenterites verminóticas dos ruminantes
Gastroenterites verminóticas dos ruminantesGastroenterites verminóticas dos ruminantes
Gastroenterites verminóticas dos ruminantesMaria Alice Sene
 
Lúpus eritematoso sistêmico na gravidez
Lúpus eritematoso sistêmico na gravidezLúpus eritematoso sistêmico na gravidez
Lúpus eritematoso sistêmico na gravidezmedtubebrasil
 
Trabalho de leptospirose
Trabalho de leptospiroseTrabalho de leptospirose
Trabalho de leptospiroseDaniela Santos
 
Peritonite Infecciosa Felina PIF
Peritonite Infecciosa Felina PIF Peritonite Infecciosa Felina PIF
Peritonite Infecciosa Felina PIF Carolina Trochmann
 
Apresentação para o blog 2
Apresentação para o blog 2Apresentação para o blog 2
Apresentação para o blog 2janinemagalhaes
 
Fibrose cistica
Fibrose cisticaFibrose cistica
Fibrose cisticaMandydra
 
Fibrose cistica Medicina UFT
Fibrose cistica Medicina UFT Fibrose cistica Medicina UFT
Fibrose cistica Medicina UFT felippehenrique
 
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEISDOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEISUrovideo.org
 
Questionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptx
Questionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptxQuestionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptx
Questionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptxssuserf1aeac2
 
Caso Clinico - Sepses
Caso Clinico - SepsesCaso Clinico - Sepses
Caso Clinico - SepsesBrunaCares
 

Semelhante a Interpretação do Leucograma (20)

2.Hemograma.pptx
2.Hemograma.pptx2.Hemograma.pptx
2.Hemograma.pptx
 
FELV atualizada 2022
FELV atualizada 2022FELV atualizada 2022
FELV atualizada 2022
 
Apresentação exame dos liquidos cavitarios 2015
Apresentação exame dos liquidos cavitarios 2015Apresentação exame dos liquidos cavitarios 2015
Apresentação exame dos liquidos cavitarios 2015
 
Gastroenterites verminóticas dos ruminantes
Gastroenterites verminóticas dos ruminantesGastroenterites verminóticas dos ruminantes
Gastroenterites verminóticas dos ruminantes
 
Caso clínico
Caso clínicoCaso clínico
Caso clínico
 
Lúpus eritematoso sistêmico na gravidez
Lúpus eritematoso sistêmico na gravidezLúpus eritematoso sistêmico na gravidez
Lúpus eritematoso sistêmico na gravidez
 
Anemias abordagem clínica
Anemias abordagem clínicaAnemias abordagem clínica
Anemias abordagem clínica
 
Caso clínico cg 5
Caso clínico cg 5Caso clínico cg 5
Caso clínico cg 5
 
Trabalho de leptospirose
Trabalho de leptospiroseTrabalho de leptospirose
Trabalho de leptospirose
 
11. reumato 2011-les-e_sindr_afl_
11. reumato 2011-les-e_sindr_afl_11. reumato 2011-les-e_sindr_afl_
11. reumato 2011-les-e_sindr_afl_
 
Peritonite Infecciosa Felina PIF
Peritonite Infecciosa Felina PIF Peritonite Infecciosa Felina PIF
Peritonite Infecciosa Felina PIF
 
Apresentação para o blog 2
Apresentação para o blog 2Apresentação para o blog 2
Apresentação para o blog 2
 
Fibrose cistica
Fibrose cisticaFibrose cistica
Fibrose cistica
 
Fibrose cistica
Fibrose cisticaFibrose cistica
Fibrose cistica
 
Fibrose cistica Medicina UFT
Fibrose cistica Medicina UFT Fibrose cistica Medicina UFT
Fibrose cistica Medicina UFT
 
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEISDOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
 
Emergências oncologias
Emergências oncologiasEmergências oncologias
Emergências oncologias
 
Questionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptx
Questionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptxQuestionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptx
Questionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptx
 
Caso Clinico - Sepses
Caso Clinico - SepsesCaso Clinico - Sepses
Caso Clinico - Sepses
 
Anemias lourdes2
Anemias lourdes2Anemias lourdes2
Anemias lourdes2
 

Mais de ReginaReiniger

Aula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscular
Aula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscularAula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscular
Aula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscularReginaReiniger
 
Aula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscular
Aula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscularAula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscular
Aula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscularReginaReiniger
 
Principais endocrinopatias em pequenos animais
Principais endocrinopatias em pequenos animaisPrincipais endocrinopatias em pequenos animais
Principais endocrinopatias em pequenos animaisReginaReiniger
 
Principais diisturbios do sistema urinario 2015
Principais diisturbios do sistema urinario 2015Principais diisturbios do sistema urinario 2015
Principais diisturbios do sistema urinario 2015ReginaReiniger
 
Disturbio do sistema digestorio parte 2
Disturbio do sistema digestorio parte 2Disturbio do sistema digestorio parte 2
Disturbio do sistema digestorio parte 2ReginaReiniger
 
Disturbio do sistema digestorio parte 1
Disturbio do sistema digestorio parte 1Disturbio do sistema digestorio parte 1
Disturbio do sistema digestorio parte 1ReginaReiniger
 
Aula 4 dermato parte 2
Aula 4 dermato parte 2Aula 4 dermato parte 2
Aula 4 dermato parte 2ReginaReiniger
 
Aula 3 dermatologia i 2015
Aula 3 dermatologia i  2015Aula 3 dermatologia i  2015
Aula 3 dermatologia i 2015ReginaReiniger
 
Aula 2 neonatologia pediatria e geriatria
Aula 2 neonatologia pediatria e geriatriaAula 2 neonatologia pediatria e geriatria
Aula 2 neonatologia pediatria e geriatriaReginaReiniger
 
Aula 1 clinica de pequenos 2 2015
Aula 1 clinica de pequenos 2 2015Aula 1 clinica de pequenos 2 2015
Aula 1 clinica de pequenos 2 2015ReginaReiniger
 
Poligrafo laboratorio 2014
Poligrafo laboratorio  2014Poligrafo laboratorio  2014
Poligrafo laboratorio 2014ReginaReiniger
 
Hematologia interpretação eritrograma
Hematologia   interpretação eritrogramaHematologia   interpretação eritrograma
Hematologia interpretação eritrogramaReginaReiniger
 
Bioquimica clinica 2015
Bioquimica clinica 2015Bioquimica clinica 2015
Bioquimica clinica 2015ReginaReiniger
 
Aula inicial de laboratorio clínico
Aula inicial de laboratorio clínicoAula inicial de laboratorio clínico
Aula inicial de laboratorio clínicoReginaReiniger
 
Sistema circulatório aula 1
Sistema circulatório   aula 1Sistema circulatório   aula 1
Sistema circulatório aula 1ReginaReiniger
 
Poligrafo histologia animal ii 2015
Poligrafo histologia animal ii 2015Poligrafo histologia animal ii 2015
Poligrafo histologia animal ii 2015ReginaReiniger
 

Mais de ReginaReiniger (20)

Aula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscular
Aula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscularAula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscular
Aula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscular
 
Aula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscular
Aula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscularAula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscular
Aula 1 organizacao didatica da disciplina e tecido muscular
 
Principais endocrinopatias em pequenos animais
Principais endocrinopatias em pequenos animaisPrincipais endocrinopatias em pequenos animais
Principais endocrinopatias em pequenos animais
 
Principais diisturbios do sistema urinario 2015
Principais diisturbios do sistema urinario 2015Principais diisturbios do sistema urinario 2015
Principais diisturbios do sistema urinario 2015
 
Disturbio do sistema digestorio parte 2
Disturbio do sistema digestorio parte 2Disturbio do sistema digestorio parte 2
Disturbio do sistema digestorio parte 2
 
Disturbio do sistema digestorio parte 1
Disturbio do sistema digestorio parte 1Disturbio do sistema digestorio parte 1
Disturbio do sistema digestorio parte 1
 
Cardiopatias
CardiopatiasCardiopatias
Cardiopatias
 
Aula 4 dermato parte 2
Aula 4 dermato parte 2Aula 4 dermato parte 2
Aula 4 dermato parte 2
 
Aula 3 dermatologia i 2015
Aula 3 dermatologia i  2015Aula 3 dermatologia i  2015
Aula 3 dermatologia i 2015
 
Aula 2 neonatologia pediatria e geriatria
Aula 2 neonatologia pediatria e geriatriaAula 2 neonatologia pediatria e geriatria
Aula 2 neonatologia pediatria e geriatria
 
Aula 1 clinica de pequenos 2 2015
Aula 1 clinica de pequenos 2 2015Aula 1 clinica de pequenos 2 2015
Aula 1 clinica de pequenos 2 2015
 
Poligrafo laboratorio 2014
Poligrafo laboratorio  2014Poligrafo laboratorio  2014
Poligrafo laboratorio 2014
 
Hematologia interpretação eritrograma
Hematologia   interpretação eritrogramaHematologia   interpretação eritrograma
Hematologia interpretação eritrograma
 
Bioquimica clinica 2015
Bioquimica clinica 2015Bioquimica clinica 2015
Bioquimica clinica 2015
 
Aula urinalise 2015
Aula urinalise 2015Aula urinalise 2015
Aula urinalise 2015
 
Aula inicial de laboratorio clínico
Aula inicial de laboratorio clínicoAula inicial de laboratorio clínico
Aula inicial de laboratorio clínico
 
Aula hemoterapia
Aula hemoterapiaAula hemoterapia
Aula hemoterapia
 
Sistema circulatório aula 1
Sistema circulatório   aula 1Sistema circulatório   aula 1
Sistema circulatório aula 1
 
Poligrafo histologia animal ii 2015
Poligrafo histologia animal ii 2015Poligrafo histologia animal ii 2015
Poligrafo histologia animal ii 2015
 
Tecido muscular
Tecido muscularTecido muscular
Tecido muscular
 

Interpretação do Leucograma

  • 1. 21/07/2015 1 INTERPRETAÇÃO DO LEUCOGRAMA UNIVERSIDADE DA REGIÃO DA CAMPANHA CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA DE LABORATÓRIO CLÍNICO Profª Regina P. Reiniger Nº Total de Leucócitos LEUCOCITOSE NORMOLEUCOMETRIA LEUCOPENIA NEUTRÓFILOS Fatores de crescimento e controle da produção e da quantidade no sangue Sistema de células primordiais Compartimento de proliferação Mieloblasto Progranulócito Mielócito C. Maturação e estocagem Metamielócito Bastão Neutrófilo C. Medular C. circulante C. marginal Tecidos neutrófilos Cinética Sistema de células primordiais Compartimento de proliferação Mieloblasto Progranulócito Mielócito C. Maturação e estocagem Metamielócito Bastão Neutrófilo Tempo de trânsito 7-10 dias (normal) < inflamação C. circulante C. marginal Migração transendotelial Quimiotáticos Meia-vida na circulação 6 – 10 hs Controle IL-3,IL-6,IL-11 FEC IL-3 FEC IL-3 FEC IL-1, TNF FEC, FIL FEC- fator estimulador de colônias; FIL-fator indutor de leucocitose; TNF- fator de necrose tumoral neutrófilos Sistema de células primordiais Compartimento de proliferação Mieloblasto Progranulócito Mielócito C. Maturação e estocagem Metamielócito Bastão Neutrófilo C. Circulante C. marginal Lesão inflamatória Consumo Tecidual neutrófilos Resposta Hematológica à Inflamação Hiperplasia: .aumento de produção .alteração tóxica Liberação da reserva: .C. de armazenamento-neutrofilia .Células em maturação- Desvio à esquerda
  • 2. 21/07/2015 2 Equilíbrio da dinâmica que determina a quantidade de neutrófilos no sangue Taxa de liberação medular Taxa de consumo tecidual Quando a liberação medular excede o consumo  NEUTROFILIA Quando o consumo tecidual excede a liberação medular  NEUTROPENIA C/ D.E. neutrófilos Resposta inflamatória moderada Sistema de células primordiais Compartimento de proliferação Mieloblasto Progranulócito Mielócito C. Maturação e estocagem Metamielócito Bastão Neutrófilo C. circulante C. marginal Tecidos neutrófilos Exemplo de leucograma: Leucócitos: 35.000 Bastões- 3.000 NS – 30.000 Linfócitos – 1.200 Monócitos - 800 Interpretação: Inflamação Resposta inflamatória grave Sistema de células primordiais Compartimento de proliferação Mieloblasto Progranulócito Mielócito C. Maturação e estocagem Metamielócito Bastão Neutrófilo C. circulante neutrófilos Exemplo de leucograma: Leucócitos: 1.500 Metamielócitos - 300 Bastões- 500 NS – 500 Linfócitos – 200 Interpretação: Inflamação aguda grave Tecidos errado Valores Normais Canino Bovino Equino Felino Hemácias x106 5,5 – 8,5 5 - 10 7 – 13 5,5 – 10 Hemoglobina g% 12 - 18 8 - 14 10 - 18 8 – 14 Hematócrito % 37 - 55 24 - 48 32 - 48 24 – 45 VCM 60 - 77 40 - 60 37 - 50 39 – 55 CHCM 31 - 36 26 - 34 31 - 35 31 – 35 Leucócitos x 10³ 6 - 17 4 - 12 7 - 14 5,5 – 19,5 Bastão 0 – 3% 0 - 540 0- 2% 0 - 240 0- 2% 0 - 280 0- 3% 0 – 300 Neutrófilo 60 - 77% 3.000 – 11.500 15 - 45% 600 – 5.400 30- 65% 2.100 – 9.100 35 - 75% 2.500 – 12.500 Eosinófilo 2 - 10% 100 – 1.250 2 - 20% 80 – 2.400 0,5 - 11% 35 – 1.540 2 - 12% 0 – 750 Linfócito 12 - 30% 1.000 – 4.800 45 - 75% 1.800 – 9.000 25 - 70% 1.750 – 9.800 20 - 55% 1.500 – 7.000 Monócito 3 - 10% 150 – 1.350 2 - 7% 80 – 840 0,5 - 7% 35 – 980 1- 4% 0 – 850 Contribuição comparativa da medula óssea à migração de NS e relação com variações de neutrofilia na resposta inflamatória de várias espécies Espécie Reserva Medular Capacidade de regeneração Cão Gato Eqüino Bovino Relativamente alta Intermediária Intermediária Relativamente baixa Rápida Intermediária Intermediária Lenta Espécie Variação possível de neutrofilia (neutrófilos/µL) Cão Gato Eqüino Bovino 20.000 – 100.000 20.000 – 60.000 15.000 – 30.000 10.000 – 25.000 LEUCOCITOSE FISIOLÓGICA  ADRENALINA -Medo / Excitação -Exercício extenuante -Parto PATOLÓGICO -Infecções -Cirurgias -Neoplasias INDUZIDA POR CORTICÓIDES Neutrófilos Linfócitos * Sem células jovens
  • 3. 21/07/2015 3 Leucocitose induzida por Corticóides Endógenos e Exógenos Leucograma de STRESS NEUTRÓFILOS MONÓCITOS LINFÓCITOS EOSINÓFILOS Resposta ao Estresse Sistema de células primordiais Compartimento de proliferação Mieloblasto Progranulócito Mielócito C. Maturação e estocagem Metamielócito Bastão Neutrófilo C. circulante C. marginal Tecidos A alteração envolve a migração celular do compartimento marginal para o compartimento circulante, resultando em quase o dobro da quantidade de leucócitos em repouso. A liberação medular e o consumo tecidual ficam inalterados. Padrão Geral da Resposta Leucocitária Leucócitos NS Bastão Linfócitos Monócitos Eosinófilos Inflamação aguda Inflamação crônica Inflamação grave Leucocitose por excitação Leucocitose de Estresse N ou N ou N ou N ou N ou Normais Normais N ou N ou N ou Normais Variáveis Variáveis Normais N ou Variáveis Variáveis Variáveis Normais N ou NS normais ou aumentados - Linfócitos aumentados gatos Evidência de Necrose Tecidual . Presença de monocitose indicando demanda por fagocitose. Evidência de Hipersensibilidade Sistêmica . Eosinofilia persistente e ou basofilia Causas mais comuns: doenças parasitárias; traqueobronquites alérgicas em cães; asma felina; Gastroenterites alérgicas Evidência de Toxemia Sistêmica . Presença de neutrófilos tóxicos no sangue periférico. . Comumente associada com infecções bacterianas. Leucopenia Doenças virais Parvovirose / Cinomose/ Hepatite Infecciosa Canina  Início de infecções bacterianas graves Toxemia endógena / Septicemia (Salmonelose) Drogas Quimioterápicos / Estrógenos Neoplasmas de Medula Óssea Parasitas Erliquiose / Toxoplasmose Transtornos físicos Raio X Deficiência de Vit. B. B12 e ácido fólico LEUCOPENIA Mecanismos de Leucopenia por Neutropenia  Depleção ou exaustão Mamite bovina Cólica eqüina Destruição Drogas Infecções bacterianas graves Degeneração Depressão
  • 4. 21/07/2015 4 Desvios Mielócito  Metamielócito  Bastão  Neutrófilo segmentado Desvio para direitaDesvio para esquerda Desvios Mielócito  Metamielócito  Bastão  Neutrófilo segmentado Desvio para direita HIPERSEGMENTADOS Desvios Mielócito  Metamielócito  Bastão  Neutrófilo segmentado Desvio para esquerda LEVE Desvios Mielócito  Metamielócito  Bastão  Neutrófilo segmentado Desvio para esquerda MODERADO Desvios Mielócito  Metamielócito  Bastão  NEUTRÓFILO SEGMENTADO Desvio para esquerda MARCADO QUANDO A SOMA DOS IMATUROS FOR INFERIOR A SOMA DOS MADUROS = DESVIO PARA ESQUERDA MARCADO REGENERATIVO Desvios Mielócito  Metamielócito  Bastão  Neutrófilo segmentado Desvio para esquerda MARCADO QUANDO A SOMA DOS IMATUROS FOR SUPERIOR A SOMA DOS MADUROS = DESVIO PARA ESQUERDA MARCADO DEGENERATIVO
  • 5. 21/07/2015 5 Desvios Desvio para esquerda MARCADO Degenerativo PROGNÓSTICO ?? TRÍADE INFLAMATÓRIA Leucocitose c/neutrofilia + DE Linfopenia Eosinopenia Classificação da Resposta Leucocitária Desvio a Esquerda REGENERATIVO - Leucocitose . Neutrofilia (NS) e Bastões Infecções bacterianas severas Infecções agudas Desvio a Esquerda DEGENERATIVO - Normoleucometria ou Leucopenia . Neutrófilos bastões > ou = Segmentado Septicemia (quadro grave) Desvio a DIREITA - Hipersegmentados . Toxemia Endógena (UREMIA) . Terapia prolongada com corticóides/Hiperadrenocorticismo . Exposição prolongada ao EDTA Classificação da Resposta Leucocitária Desvio a Esquerda REGENERATIVO = PROGNÓSTICO BOM Desvio a Esquerda DEGENERATIVO = PROGNÓSTICO RESERVADO À DESFAVORÁVEL Desvio a DIREITA = PROGNÓSTICO RESERVADO Classificação da Resposta Leucocitária Desvio a Esquerda DEGENERATIVO  BOVINO = PROGNÓSTICO ???? ALTERAÇÕES NO Nº DE NEUTRÓFILOS Neutrofilia Fisiológica Corticóides Adrenalina Patológica Inflamações agudas / crônicas Necrose tecidual Intoxicações •Veneno de cobra •Mecúrio
  • 6. 21/07/2015 6 ALTERAÇÕES NO Nº DE NEUTRÓFILOS NEUTROPENIA Decréscimo da sobrevida . Infecção bacteriana aguda . Peritonite / ruptura de órgãos Diminuição na produção . Toxidade de drogas . Fenilbutazona/ cloranfenicol/griseofulvina Granulopoiese ineficaz . Vírus da leucemia felina . Parvovirus canino . Ehrlichia sp ALTERAÇÕES NO Nº DE EOSINÓFILOS Eosinofilia Reações alérgicas .Parasitismos .Sarna sarcóptica / Parasitismo intestinal Doenças as eosinofílicas específicas .Granuloma eosinofílico felino Neoplasias .Mastocitomas Início da recuperação do organismo ALTERAÇÕES NO Nº DE EOSINÓFILOS Eosinopenia  Excesso corticóide exógeno / endógeno . Hiperadrenocorticismo . Inflamação com estresse Fase aguda inflamações / infecções Estresse emocional / exercício Endotoxemia . Coma diabético . Acidose metabólica . Toxemia endógena . Uremia ALTERAÇÕES NO Nº DE MONÓCITOS Monocitose Aumento níveis corticóides (cão) Inflamações crônicas .Inespecíficas .Longa duração Necrose tecidual .Supuração (cavidades corpóreas) .Fase recuperação das inflamações “Limpeza região inflamada” 􀂄 Leucemia monocítica ou mielomonocítica Monocitopenia  Sem significado clínico ALTERAÇÕES NO Nº DE LINFÓCITOS Linfocitose Fisiológico Ação adrenalina / Após vacinação / Idade Patológico . Doença auto-imune . Infecção crônica ou persistente . Início da recuperação do organismo . Viroses . Linfoadenopatias inespecíficas . Leucose bovina “Linfocitose pré-leucemica” . Protozooses .Toxoplasmose ALTERAÇÕES NO Nº DE LINFÓCITOS Linfopenia Estresse . Corticóides endógeno / exógeno Fase aguda inflamação Processos infecciosos graves . Tuberculose Perda linfócitos . Quilotórax Linfopoiese reduzida . Corticoterapia prolongada Estágio agudo de infecções virais imunodepressoras . Cinomose/ Enterite por coronavírus
  • 7. 21/07/2015 7 ANORMALIDADES MAIS COMUNS EM LINFÓCITOS Alteração Classificação Mecanismo Ocorrência Morfologia Outros achados Comentários Linfopenia Induzido por corticóide ou estresse Interrupção da recirculação Linfossarcoma Sequestro em efusões quilosas Retenção em linfonodos neoplásicos Comum Rara Rara Normal Normal Normal ou atípicos Hipoprotei- nemia Moderada Se < 750µL procurar outras causas de linfopenia Linfopenia grave Pode ser tb linfocitose ANORMALIDADES MAIS COMUNS EM LINFÓCITOS Alteração Classificação Mecanismo Ocorrência Morfologia Comentários Linfocitose Excitação apenas em gatos Estimulação antigênica Linfossarcoma Linfócitos marginais são mobilizados para circulação Expansão clonal como resposta Multiplicação neoplásica Comum Comum Rara Normal Reativo Anormal Células grandes, cromatina frouxa e nucléolos evidentes Contagens podem chegar a 20.000/µL Pode ocorrer 1 -2 semanas após vacinação Linfocitose é uma alteração tardia da doença Interpretar o Leucograma pelo valor absoluto Valor absoluto Valor relativo Eosinófilos 640/mm³ 8% Basófilos 0 0 Bastão 80/mm³ 1% Segmentados 5.600/mm³ 70% Linfócitos 1.440/mm³ 18% Monócitos 240/mm³ 3% Contagem no esfregaço corado Apresentação dos casos clínicos: CGV - 3.800.000 (5,5-8,5x106) CGB - 23.000 (6.000-17.000) Hb - 7,3 g% (12-18) Mielócitos: 0 VG- 22% ( 32-56 ) Metamielócitos: 4% VGM - ............... ( 60-68) Bastões: 10% ( 0-2) CHGM............... ( 32-36) NS : 80% (45 - 76) Reticulócitos: 2,9% (0,5-1) Linfócitos: 5% ( 12- 35) PPT: 10g/dl ( 6 - 7 ) Eosinófilos: 0 (2 - 10) FP : 550mg%( 200-400) Monócitos: 1% (3 - 10) OBS: Exame do esfregaço corado: Presença de anisocitose moderada e hipocromasia. Ordem para interpretar um hemograma: 1- Eritrograma: 1. Existe anemia? 2. Classificar a anemia; 3. PPT e FP? 4. Reticulócitos? 2 - Leucograma: 1. Leucócitos normais, leucopenia ou leucocitose? 2. Há desvios? 3. Há neutrofilia? relativa ou absoluta? 4. Forma a tríade inflamatória? Hora dos exercícios!!! Canino, fêmea, 7 anos, SRD, 24 Kg. Havia entrado em cio há 2 meses, e o proprietário observou que o abdômen apresentava-se distendido. Observou-se no exame clínico: aumento de volume abdominal e corrimento vaginal.
  • 8. 21/07/2015 8 Laboratório de Análises Clínicas ESPÉCIE: Canina NOME: SEXO: f FICHA Nº: RAÇA: IDADE: LC121/13 REQUISITANTE: HCV PROPRIETÁRIO: SÉRIE VERMELHA SÉRIE BRANCA % /mm³ Eritrócitos 5 Mielócitos (5,5 –8,5 milhões/mm3) Hemoglobina 10,0 Metamielócitos 16 12.800 (12–18g%) Hematócrito 30,0 Bastonetes 21,5 17.200 (32-55 %) 0 - 3% (0 -390 /mm3) Neutrófilos 55 44.000 60-77% (3.000 –11.500/mm3) V.G.M 60,0 Linfócitos 6,5 5.200 (60–77μ3) 10 - 22% (1.000 –2.860 /mm3) C.H.C.M. 30,0 Basófilos 0 (31–36%) 0 -2% (0 -260 /mm3) PPT 8,2 Eosinófilos 0,5 400 (6-8 g/dl) 2 - 10% (150 –1.250 /mm3) FP 200 Monócitos 0,5 400 200-400g% 3 - 10% (150 -1350 /mm3) Plaquetas (200-400x10³) 200.000 Leucócitos 100 80.000 6.000 – 17.000/mm3 OBSERVAÇÕES: hemácias em rouleax e hipocromia. Contagem de plaquetas por esfregaço sanguíneo. Padrão Geral da Resposta Leucocitária Leucócitos NS Bastão Linfócitos Monócitos Eosinófilos Inflamação aguda Inflamação crônica Inflamação grave Leucocitose por excitação Leucograma de Estresse N ou N ou N ou N ou N ou Normais Normais N ou N ou N ou Normais Variáveis Variáveis Normais N ou Variáveis Variáveis Variáveis Normais N ou NS normais ou aumentados - Linfócitos aumentados gatos Caso clínico 1 Felino, macho, SRD, 1 ano Orientações gerais (crianças na casa)  Procedência desconhecida EXAME FÍSICO - Estado geral bom - Leucograma- descartar processo subagudo O animal estava bastante assustado, sendo difícil a contenção e colheita sangue.
  • 9. 21/07/2015 9 Padrão Geral da Resposta Leucocitária Leucócitos NS Bastão Linfócitos Monócitos Eosinófilos Inflamação aguda Inflamação crônica Inflamação grave Leucocitose por excitação Leucograma de Estresse N ou N ou N ou N ou N ou Normais Normais N ou N ou N ou Normais Variáveis Variáveis Normais N ou Variáveis Variáveis Variáveis Normais N ou NS normais ou aumentados - Linfócitos aumentados gatos
  • 12. 21/07/2015 12 Padrão Geral da Resposta Leucocitária Leucócitos NS Bastão Linfócitos Monócitos Eosinófilos Inflamação aguda Inflamação crônica Inflamação grave Leucocitose por excitação Leucograma de Estresse N ou N ou N ou N ou N ou Normais Normais N ou N ou N ou Normais Variáveis Variáveis Normais N ou Variáveis Variáveis Variáveis Normais N ou NS normais ou aumentados - Linfócitos aumentados gatos