SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
Acesse nosso blog: www.proaviva.blogspot.com
 A partir da lição desta semana estudaremos os Dons
Ministeriais distribuídos por Deus à sua Igreja, objetivando
desenvolver o caráter cristão da comunidade dos santos,
tornando-o semelhante ao de Cristo (Ef 4.13).
 De acordo com as epístolas aos Efésios e aos Coríntios, são
cinco os dons ministeriais concedidos por Deus à Igreja:
apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores (1 Co
12.27-29).
 Veremos o quanto esses ministérios são necessários a vida da
igreja local para cumprir a missão ordenada pelo Senhor ante
o mundo e, simultaneamente, crescer "na graça e
conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo" (2 Pe
3.18). Mostrando a sequência de Efésios 4.11, iniciaremos o
estudo pelo dom ministerial de apóstolo.
I - O COLÉGIO APOSTÓLICO
 1. O termo "apóstolo".
 O Dicionário Bíblico Wycliffe informa que o termo grego
apóstolos origina-se do verbo apostellein, que significa
"enviar", "remeter".
 A palavra apóstolo, portanto, significa "aquele que é
enviado", "mensageiro", "oficialmente comissionado por
Cristo".
 Ao longo do Novo Testamento, o verdadeiro apóstolo é
enviado por Cristo igualmente como o Filho foi enviado
pelo Pai com a missão de salvar o pecador com autoridade,
poder, graça e amor.
 O verdadeiro apostolado baseia-se na pessoa e obra de
Jesus, o Apóstolo por excelência (Hb 3.1).
I - O COLÉGIO APOSTÓLICO
 2. O colégio apostólico.
 Entende-se por colégio apostólico o grupo dos doze primeiros
discípulos de Jesus convidados por Ele a auxiliarem o seu
ministério terreno. O Salvador os separou e nomeou.
 Os primeiros escolhidos não eram homens perfeitos, mas foram
vocacionados a levar a mensagem do Evangelho a todo o mundo
(Mt 28.19,20; Mc 16.15-20).
 De acordo com Stanley Horton, eles foram habilitados a exercer
"o ministério quando do estabelecimento da Igreja (At
1.20,25,26)".
 Em outras palavras, os doze apóstolos constituíram a base
ministerial para o desenvolvimento e a expansão da Igreja no
mundo. Mas antes, como nos mostra a Palavra de Deus,
receberam o batismo com o Espírito Santo (Lc 24.49; At 1.8; 2.1-
46).
I - O COLÉGIO APOSTÓLICO
 3. A singularidade dos doze.
 Aqui é importante ressaltar que o apostolado dos doze
tem uma conotação bem singular em relação aos
demais encontrados em Atos e também nas epístolas
paulinas.
 a) Eles foram convocados pessoalmente pelo
Senhor. Multidões seguiam Jesus por onde Ele passava
(Mt 4.25), e muitos se tornavam seguidores do Mestre.
Mas para iniciar o trabalho da Grande Comissão,
apenas doze foram convocados pessoalmente por Ele
(Mt 10.1; Lc 6.13).
I - O COLÉGIO APOSTÓLICO
 b) Andaram com Jesus durante todo o seu ministério.
 Desde o batismo do Senhor até a crucificação, os doze
andaram com o Mestre, aprenderam e conviveram com
Ele (Mc 6.7; Jo 6.66-71; At 1.21-23).
I - O COLÉGIO APOSTÓLICO
 c) Receberam autoridade do Senhor (Jo 20.21-23).
 Os doze receberam de Jesus um mandato especial para
prosseguirem com a obra de evangelização. Eles foram
revestidos de autoridade de Deus para expulsar os
demônios, curar os enfermos e pregar o Evangelho à
humanidade (Mc 16.17,18; cf. At 2.4).
São cinco dons: Apóstolos, profetas,
evangelistas, pastores e doutores.
Apóstolos origina do verbo apostellein
que diz respeito a “enviar”, “remeter”.
II - O APÓSTOLO PAULO
 1. Saulo e sua conversão.
 Saulo foi um judeu de cidadania romana, educado "aos pés de
Gamaliel", e também um importante mestre do judaísmo (At
22.3,25).
 Ele era intelectual, fariseu e foi perseguidor dos cristãos.
Entretanto, a caminho de Damasco, em busca dos cristãos que
haviam fugido devido à perseguição em Jerusalém, e com
carta de autorização para prendê-los, Saulo teve uma
experiência com o Cristo ressurreto (At 9.1-22).
 A sua vida foi inteiramente transformada a partir desse
encontro pessoal com Jesus. De perseguidor, passou a
perseguido; de Saulo, o fariseu, a Paulo, o apóstolo dos
gentios.
II - O APÓSTOLO PAULO
 2. Um homem preparado para servir.
 Dos vinte sete livros do Novo Testamento, treze foram
escritos pelo apóstolo Paulo. Quão grande tratado
teológico encontramos em sua Epístola aos Romanos! O
seu legado teológico foi grandioso para o cristianismo.
 Mas para além da intelectualidade teológica, o apóstolo
dos gentios levou uma vida de sofrimento por causa da
pregação do Cristo ressurreto. Eis a declaração
apostólica que denota tal verdade: "Combati o bom
combate, acabei a carreira, guardei a fé" (2 Tm 4.7).
II - O APÓSTOLO PAULO
 3. "O menor dos apóstolos".
 O apóstolo Paulo não pertencia ao colégio dos doze. Ele não
andou com Jesus em seu ministério terreno nem testemunhou
a ressurreição do Senhor - requisitos indispensáveis para o
grupo dos doze (At 1.21-23).
 Humildemente, o apóstolo reconheceu que não merecia ser
assim chamado, pois considerava-se um "abortivo", como que
nascido fora de tempo, o menor de todos (1 Co 15.8,9).
Entretanto, o Senhor se revelou a ele ressurreto (At 9.4,5) e
ensinou-lhe todas as coisas.
 O apóstolo recebeu o Evangelho diretamente do Senhor (Gl
1.6-24; 1 Co 11.23). Embora o colégio apostólico tenha
reconhecido o apostolado paulino (Gl 2.6-10; 2 Pe 3.14-16), as
igrejas plantadas por ele eram o selo do seu ministério
apostólico (1 Co 9.2).
Ele era judeu de cidadania romana.
III - APOSTOLICIDADE ATUAL (EF 4.11)
 1. Ainda há apóstolos?
 No sentido estrito do termo, e de acordo com a sua
singularidade, apóstolos como os doze não mais
existem.
 A Palavra de Deus diz que durante o milênio, os doze se
assentarão sobre tronos para julgar as doze tribos de
Israel (Mt 19.28). Os seus nomes também estarão
registrados nos doze fundamentos da cidade santa (Ap
21.12-14).
 Logo, o colégio apostólico foi formado por um grupo
limitado de discípulos, não havendo, portanto, uma
sucessão apostólica.
 2. Apóstolos fora dos doze.
 A carta aos Efésios apresenta a vigência do dom
ministerial de apóstolo. O teólogo Stanley Horton
informa-nos que "o Novo Testamento indica que havia
outros apóstolos que também haviam sido dados como
dons à Igreja.
 Entre estes se acham Paulo e Barnabé (At 14.4,14, bem
como os parentes de Paulo, Andrônico e Júnia (Rm
16.7)". Ao longo do Novo Testamento, e no primeiro
século da Igreja, o termo apóstolo recebeu um
significado mais amplo, de um dom ministerial
distribuído à igreja local (Dicionário Vine).
III - APOSTOLICIDADE ATUAL (EF 4.11)
 3. O ministério apostólico atual.
 Não há sucessão apostólica. Esta é uma doutrina formada pela
igreja romana e, infelizmente, copiada por algumas evangélicas
para justificar a existência do poder papal. O ministério dos doze
não se repete mais.
 O que há é o ministério de caráter apostólico. Atualmente,
missionários enviados para evangelizar povos não alcançados
pelo Evangelho são dignos de serem reconhecidos como
verdadeiros apóstolos de Cristo.
 Homens como John Wesley, William Carey (cognominado "pai
das missões modernas"), Hudson Taylor, D. L. Moody, Gunnar
Vingren, Daniel Berg, "irmão André" e tantos outros, em tempos
recentes, foram verdadeiros desbravadores apostólicos. Cidades e
até países foram impactados pela instrumentalidade desses servos
de Deus.
III - APOSTOLICIDADE ATUAL (EF 4.11)
Nos moldes do colégio dos doze, o
ministério apostólico não existe mais.
Todavia o dom ministerial de apóstolo
citado em Ef 4.11 está em plena vingência.
Os missionários.
 Nos moldes do colégio dos doze, o ministério
apostólico não existe atualmente. Entretanto, o dom
ministerial de apóstolo citado por Paulo em Efésios
4.11 está em plena vigência. Pastores
experimentados, evangelistas e missionários que
desbravaram os rincões do nosso país ou em países
inimigos do Evangelho, são pessoas portadoras
desse dom ministerial. São os verdadeiros apóstolos
da Igreja de Cristo hoje.
ACESSE O NOSSO SITE
www.escola-dominical.com
Produção dos slides
Ev. Ismael Pereira de Oliveira
ACESSE O NOSSO SITE
www.proaviva.blogspot.com
Edição dos slides
Ismael Isidio

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (19)

Atos
AtosAtos
Atos
 
LIÇÃO 6 - O MINISTÉRIO DE APÓSTOLO
LIÇÃO 6 -  O MINISTÉRIO DE APÓSTOLOLIÇÃO 6 -  O MINISTÉRIO DE APÓSTOLO
LIÇÃO 6 - O MINISTÉRIO DE APÓSTOLO
 
Evangelho segundo Marcos
Evangelho segundo MarcosEvangelho segundo Marcos
Evangelho segundo Marcos
 
9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios
 
LIÇÃO 1 - O EVANGELHO DE LUCAS
LIÇÃO 1 - O EVANGELHO DE LUCASLIÇÃO 1 - O EVANGELHO DE LUCAS
LIÇÃO 1 - O EVANGELHO DE LUCAS
 
Atos dos apostolos
Atos dos apostolos Atos dos apostolos
Atos dos apostolos
 
5. O Evangelho de Lucas
5. O Evangelho de Lucas5. O Evangelho de Lucas
5. O Evangelho de Lucas
 
Lição 6 o ministerio de apostolo
Lição 6 o ministerio de apostoloLição 6 o ministerio de apostolo
Lição 6 o ministerio de apostolo
 
Escola de profetas - Lucas, o Médico Amado
Escola de profetas - Lucas, o Médico AmadoEscola de profetas - Lucas, o Médico Amado
Escola de profetas - Lucas, o Médico Amado
 
Panorama do NT - Marcos
Panorama do NT - MarcosPanorama do NT - Marcos
Panorama do NT - Marcos
 
1. Atos do apóstolos
1. Atos do apóstolos1. Atos do apóstolos
1. Atos do apóstolos
 
30 atos
30 atos30 atos
30 atos
 
8. epístola de paulo aos romanos
8. epístola de paulo aos romanos8. epístola de paulo aos romanos
8. epístola de paulo aos romanos
 
Aula 6 - Lucas
Aula 6 - LucasAula 6 - Lucas
Aula 6 - Lucas
 
Ebd adultos 2ºtrimestre 2016 - lição 13
Ebd adultos   2ºtrimestre 2016 - lição 13Ebd adultos   2ºtrimestre 2016 - lição 13
Ebd adultos 2ºtrimestre 2016 - lição 13
 
4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos
 
Atos
AtosAtos
Atos
 
Atos dos Apóstolos
Atos dos ApóstolosAtos dos Apóstolos
Atos dos Apóstolos
 
História da igreja i
História da igreja iHistória da igreja i
História da igreja i
 

Destaque

Relações Públicas no 3º setor
Relações Públicas no 3º setorRelações Públicas no 3º setor
Relações Públicas no 3º setorRafael Batista
 
Noções de relações públicas
Noções de relações públicasNoções de relações públicas
Noções de relações públicasFrancisco Sobrinho
 
Preservando a Pureza da Doutrina Cristã (1)
Preservando a Pureza da Doutrina Cristã (1)Preservando a Pureza da Doutrina Cristã (1)
Preservando a Pureza da Doutrina Cristã (1)ALTAIR GERMANO
 
Relações Públicas - A profissão
Relações Públicas - A profissãoRelações Públicas - A profissão
Relações Públicas - A profissãoDAC UFS
 
O que é Relações Públicas?
O que é Relações Públicas?O que é Relações Públicas?
O que é Relações Públicas?brunaschorn
 
CAMPANHA ELEITORAL - COORDENAÇÃO DE CAMPANHA - Eleição
CAMPANHA ELEITORAL - COORDENAÇÃO DE CAMPANHA - EleiçãoCAMPANHA ELEITORAL - COORDENAÇÃO DE CAMPANHA - Eleição
CAMPANHA ELEITORAL - COORDENAÇÃO DE CAMPANHA - EleiçãoAlfredo Kleper Chaves Lavor
 
O Plano RelaçõEs PúBlicas Icp 17 Junho2010
O Plano RelaçõEs PúBlicas Icp 17 Junho2010O Plano RelaçõEs PúBlicas Icp 17 Junho2010
O Plano RelaçõEs PúBlicas Icp 17 Junho2010pcmarques
 
Relações públicas
Relações públicasRelações públicas
Relações públicasfrancisco
 
Marketing político digital ESPM - 26mai2010
Marketing político digital ESPM - 26mai2010Marketing político digital ESPM - 26mai2010
Marketing político digital ESPM - 26mai2010Conrado Adolpho
 
Relações Públicas
Relações PúblicasRelações Públicas
Relações PúblicasDAC UFS
 
As10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas Fazem
As10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas FazemAs10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas Fazem
As10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas FazemJustino Pereira
 
Planejamento de Relações Públicas
Planejamento de Relações PúblicasPlanejamento de Relações Públicas
Planejamento de Relações PúblicasDAC UFS
 
Planejamento de marketing político scribd
Planejamento de marketing político   scribdPlanejamento de marketing político   scribd
Planejamento de marketing político scribdEliana Araujo Consulting
 
Plano campanha política
Plano campanha políticaPlano campanha política
Plano campanha políticaRaphael Dylan
 
Relações Públicas e Empreendedorismo Universitário
Relações Públicas e Empreendedorismo UniversitárioRelações Públicas e Empreendedorismo Universitário
Relações Públicas e Empreendedorismo UniversitárioLorena Loiola
 

Destaque (20)

Relações Públicas no 3º setor
Relações Públicas no 3º setorRelações Públicas no 3º setor
Relações Públicas no 3º setor
 
Credo apostólico para niños
Credo apostólico para niñosCredo apostólico para niños
Credo apostólico para niños
 
Noções de relações públicas
Noções de relações públicasNoções de relações públicas
Noções de relações públicas
 
Preservando a Pureza da Doutrina Cristã (1)
Preservando a Pureza da Doutrina Cristã (1)Preservando a Pureza da Doutrina Cristã (1)
Preservando a Pureza da Doutrina Cristã (1)
 
Relações Públicas - A profissão
Relações Públicas - A profissãoRelações Públicas - A profissão
Relações Públicas - A profissão
 
Planejamento de campanha
Planejamento de campanhaPlanejamento de campanha
Planejamento de campanha
 
Marketing PolíTico
Marketing PolíTicoMarketing PolíTico
Marketing PolíTico
 
O que é Relações Públicas?
O que é Relações Públicas?O que é Relações Públicas?
O que é Relações Públicas?
 
CAMPANHA ELEITORAL - COORDENAÇÃO DE CAMPANHA - Eleição
CAMPANHA ELEITORAL - COORDENAÇÃO DE CAMPANHA - EleiçãoCAMPANHA ELEITORAL - COORDENAÇÃO DE CAMPANHA - Eleição
CAMPANHA ELEITORAL - COORDENAÇÃO DE CAMPANHA - Eleição
 
O Plano RelaçõEs PúBlicas Icp 17 Junho2010
O Plano RelaçõEs PúBlicas Icp 17 Junho2010O Plano RelaçõEs PúBlicas Icp 17 Junho2010
O Plano RelaçõEs PúBlicas Icp 17 Junho2010
 
Marketing Político
Marketing PolíticoMarketing Político
Marketing Político
 
Relações públicas
Relações públicasRelações públicas
Relações públicas
 
ESTRATEGIA ELEITORAL 2016 MARKETING POLITICO
ESTRATEGIA ELEITORAL  2016  MARKETING POLITICOESTRATEGIA ELEITORAL  2016  MARKETING POLITICO
ESTRATEGIA ELEITORAL 2016 MARKETING POLITICO
 
Marketing político digital ESPM - 26mai2010
Marketing político digital ESPM - 26mai2010Marketing político digital ESPM - 26mai2010
Marketing político digital ESPM - 26mai2010
 
Relações Públicas
Relações PúblicasRelações Públicas
Relações Públicas
 
As10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas Fazem
As10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas FazemAs10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas Fazem
As10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas Fazem
 
Planejamento de Relações Públicas
Planejamento de Relações PúblicasPlanejamento de Relações Públicas
Planejamento de Relações Públicas
 
Planejamento de marketing político scribd
Planejamento de marketing político   scribdPlanejamento de marketing político   scribd
Planejamento de marketing político scribd
 
Plano campanha política
Plano campanha políticaPlano campanha política
Plano campanha política
 
Relações Públicas e Empreendedorismo Universitário
Relações Públicas e Empreendedorismo UniversitárioRelações Públicas e Empreendedorismo Universitário
Relações Públicas e Empreendedorismo Universitário
 

Semelhante a Lição 06 - O ministério dos Apóstolos

O ministério de apóstolo
O ministério de apóstoloO ministério de apóstolo
O ministério de apóstoloMoisés Sampaio
 
O ministério de apóstolo Lição 6 2º-2014
O ministério de apóstolo Lição 6 2º-2014O ministério de apóstolo Lição 6 2º-2014
O ministério de apóstolo Lição 6 2º-2014Pr. Andre Luiz
 
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaLição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaErberson Pinheiro
 
Conhecendo a igreja primitiva através de atos dos apóstolos
Conhecendo a igreja primitiva através de atos dos apóstolosConhecendo a igreja primitiva através de atos dos apóstolos
Conhecendo a igreja primitiva através de atos dos apóstolosPastor Paulo Francisco
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Epistola Paulina Completo.pptx
Epistola Paulina  Completo.pptxEpistola Paulina  Completo.pptx
Epistola Paulina Completo.pptxLucianoMachado52
 
(26) Os Evangelhos.pdf
(26) Os Evangelhos.pdf(26) Os Evangelhos.pdf
(26) Os Evangelhos.pdfTiago Silva
 
2014 2 tri lição 6 - O ministério de apóstolo
2014 2 tri lição 6 - O  ministério de apóstolo2014 2 tri lição 6 - O  ministério de apóstolo
2014 2 tri lição 6 - O ministério de apóstoloNatalino das Neves Neves
 
Ministerio apostolico wilson lino
Ministerio apostolico  wilson linoMinisterio apostolico  wilson lino
Ministerio apostolico wilson linowildete
 
Ministerio apostolico wilson lino
Ministerio apostolico  wilson linoMinisterio apostolico  wilson lino
Ministerio apostolico wilson linoWildete Silva
 
2 - O periodo dos apostolos.pptx
2 - O periodo dos apostolos.pptx2 - O periodo dos apostolos.pptx
2 - O periodo dos apostolos.pptxPIB Penha - SP
 

Semelhante a Lição 06 - O ministério dos Apóstolos (20)

O ministério de apóstolo
O ministério de apóstoloO ministério de apóstolo
O ministério de apóstolo
 
O ministério de apóstolo
O ministério de apóstoloO ministério de apóstolo
O ministério de apóstolo
 
O ministério de apóstolo Lição 6 2º-2014
O ministério de apóstolo Lição 6 2º-2014O ministério de apóstolo Lição 6 2º-2014
O ministério de apóstolo Lição 6 2º-2014
 
Boletim cbg n°_38_21_set_2014
Boletim cbg n°_38_21_set_2014Boletim cbg n°_38_21_set_2014
Boletim cbg n°_38_21_set_2014
 
Panorama do NT - Atos
Panorama do NT - AtosPanorama do NT - Atos
Panorama do NT - Atos
 
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaLição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
 
1 introdução à missiologia
1 introdução à missiologia1 introdução à missiologia
1 introdução à missiologia
 
Conhecendo a igreja primitiva através de atos dos apóstolos
Conhecendo a igreja primitiva através de atos dos apóstolosConhecendo a igreja primitiva através de atos dos apóstolos
Conhecendo a igreja primitiva através de atos dos apóstolos
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
História da igreja
História da igrejaHistória da igreja
História da igreja
 
Epistola Paulina Completo.pptx
Epistola Paulina  Completo.pptxEpistola Paulina  Completo.pptx
Epistola Paulina Completo.pptx
 
(26) Os Evangelhos.pdf
(26) Os Evangelhos.pdf(26) Os Evangelhos.pdf
(26) Os Evangelhos.pdf
 
Epistolas paulinas
Epistolas paulinasEpistolas paulinas
Epistolas paulinas
 
Os_Evangelhos_Lucas.pdf
Os_Evangelhos_Lucas.pdfOs_Evangelhos_Lucas.pdf
Os_Evangelhos_Lucas.pdf
 
A Liderança de Paulo
A Liderança de PauloA Liderança de Paulo
A Liderança de Paulo
 
A liderança de paulo
A liderança de pauloA liderança de paulo
A liderança de paulo
 
2014 2 tri lição 6 - O ministério de apóstolo
2014 2 tri lição 6 - O  ministério de apóstolo2014 2 tri lição 6 - O  ministério de apóstolo
2014 2 tri lição 6 - O ministério de apóstolo
 
Ministerio apostolico wilson lino
Ministerio apostolico  wilson linoMinisterio apostolico  wilson lino
Ministerio apostolico wilson lino
 
Ministerio apostolico wilson lino
Ministerio apostolico  wilson linoMinisterio apostolico  wilson lino
Ministerio apostolico wilson lino
 
2 - O periodo dos apostolos.pptx
2 - O periodo dos apostolos.pptx2 - O periodo dos apostolos.pptx
2 - O periodo dos apostolos.pptx
 

Mais de Ismael Isidio

Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humanaLição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humanaIsmael Isidio
 
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUALIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUAIsmael Isidio
 
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS Ismael Isidio
 
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURALIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURAIsmael Isidio
 
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADELIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADEIsmael Isidio
 
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDELIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDEIsmael Isidio
 
Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação Ismael Isidio
 
Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas Obras
Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas ObrasLição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas Obras
Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas ObrasIsmael Isidio
 
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUSLIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUSIsmael Isidio
 
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOLIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOIsmael Isidio
 
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORLIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORIsmael Isidio
 
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTORLIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTORIsmael Isidio
 
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTALIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTAIsmael Isidio
 
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETALIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETAIsmael Isidio
 
Lição 05 – dons de elocução
Lição 05 – dons de elocuçãoLição 05 – dons de elocução
Lição 05 – dons de elocuçãoIsmael Isidio
 
Lição 4 dons de poder
Lição 4   dons de poderLição 4   dons de poder
Lição 4 dons de poderIsmael Isidio
 
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃOLIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃOIsmael Isidio
 
Lição 2 o propósito dos dons espirituais
Lição 2   o  propósito dos dons espirituaisLição 2   o  propósito dos dons espirituais
Lição 2 o propósito dos dons espirituaisIsmael Isidio
 
Lição 1 E deu dons aos homens
Lição 1   E deu dons aos homensLição 1   E deu dons aos homens
Lição 1 E deu dons aos homensIsmael Isidio
 
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉSLIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉSIsmael Isidio
 

Mais de Ismael Isidio (20)

Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humanaLição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
 
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUALIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
 
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
 
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURALIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
 
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADELIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
 
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDELIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
 
Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação
 
Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas Obras
Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas ObrasLição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas Obras
Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas Obras
 
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUSLIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
 
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOLIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
 
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORLIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
 
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTORLIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
 
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTALIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
 
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETALIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
 
Lição 05 – dons de elocução
Lição 05 – dons de elocuçãoLição 05 – dons de elocução
Lição 05 – dons de elocução
 
Lição 4 dons de poder
Lição 4   dons de poderLição 4   dons de poder
Lição 4 dons de poder
 
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃOLIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
 
Lição 2 o propósito dos dons espirituais
Lição 2   o  propósito dos dons espirituaisLição 2   o  propósito dos dons espirituais
Lição 2 o propósito dos dons espirituais
 
Lição 1 E deu dons aos homens
Lição 1   E deu dons aos homensLição 1   E deu dons aos homens
Lição 1 E deu dons aos homens
 
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉSLIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
 

Último

Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxSanta Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxMartin M Flynn
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docCarolineWaitman
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 

Último (20)

Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxSanta Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 

Lição 06 - O ministério dos Apóstolos

  • 1. Acesse nosso blog: www.proaviva.blogspot.com
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.  A partir da lição desta semana estudaremos os Dons Ministeriais distribuídos por Deus à sua Igreja, objetivando desenvolver o caráter cristão da comunidade dos santos, tornando-o semelhante ao de Cristo (Ef 4.13).  De acordo com as epístolas aos Efésios e aos Coríntios, são cinco os dons ministeriais concedidos por Deus à Igreja: apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores (1 Co 12.27-29).  Veremos o quanto esses ministérios são necessários a vida da igreja local para cumprir a missão ordenada pelo Senhor ante o mundo e, simultaneamente, crescer "na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo" (2 Pe 3.18). Mostrando a sequência de Efésios 4.11, iniciaremos o estudo pelo dom ministerial de apóstolo.
  • 7.
  • 8. I - O COLÉGIO APOSTÓLICO  1. O termo "apóstolo".  O Dicionário Bíblico Wycliffe informa que o termo grego apóstolos origina-se do verbo apostellein, que significa "enviar", "remeter".  A palavra apóstolo, portanto, significa "aquele que é enviado", "mensageiro", "oficialmente comissionado por Cristo".  Ao longo do Novo Testamento, o verdadeiro apóstolo é enviado por Cristo igualmente como o Filho foi enviado pelo Pai com a missão de salvar o pecador com autoridade, poder, graça e amor.  O verdadeiro apostolado baseia-se na pessoa e obra de Jesus, o Apóstolo por excelência (Hb 3.1).
  • 9.
  • 10. I - O COLÉGIO APOSTÓLICO  2. O colégio apostólico.  Entende-se por colégio apostólico o grupo dos doze primeiros discípulos de Jesus convidados por Ele a auxiliarem o seu ministério terreno. O Salvador os separou e nomeou.  Os primeiros escolhidos não eram homens perfeitos, mas foram vocacionados a levar a mensagem do Evangelho a todo o mundo (Mt 28.19,20; Mc 16.15-20).  De acordo com Stanley Horton, eles foram habilitados a exercer "o ministério quando do estabelecimento da Igreja (At 1.20,25,26)".  Em outras palavras, os doze apóstolos constituíram a base ministerial para o desenvolvimento e a expansão da Igreja no mundo. Mas antes, como nos mostra a Palavra de Deus, receberam o batismo com o Espírito Santo (Lc 24.49; At 1.8; 2.1- 46).
  • 11.
  • 12. I - O COLÉGIO APOSTÓLICO  3. A singularidade dos doze.  Aqui é importante ressaltar que o apostolado dos doze tem uma conotação bem singular em relação aos demais encontrados em Atos e também nas epístolas paulinas.  a) Eles foram convocados pessoalmente pelo Senhor. Multidões seguiam Jesus por onde Ele passava (Mt 4.25), e muitos se tornavam seguidores do Mestre. Mas para iniciar o trabalho da Grande Comissão, apenas doze foram convocados pessoalmente por Ele (Mt 10.1; Lc 6.13).
  • 13.
  • 14. I - O COLÉGIO APOSTÓLICO  b) Andaram com Jesus durante todo o seu ministério.  Desde o batismo do Senhor até a crucificação, os doze andaram com o Mestre, aprenderam e conviveram com Ele (Mc 6.7; Jo 6.66-71; At 1.21-23).
  • 15.
  • 16. I - O COLÉGIO APOSTÓLICO  c) Receberam autoridade do Senhor (Jo 20.21-23).  Os doze receberam de Jesus um mandato especial para prosseguirem com a obra de evangelização. Eles foram revestidos de autoridade de Deus para expulsar os demônios, curar os enfermos e pregar o Evangelho à humanidade (Mc 16.17,18; cf. At 2.4).
  • 17.
  • 18. São cinco dons: Apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores. Apóstolos origina do verbo apostellein que diz respeito a “enviar”, “remeter”.
  • 19.
  • 20. II - O APÓSTOLO PAULO  1. Saulo e sua conversão.  Saulo foi um judeu de cidadania romana, educado "aos pés de Gamaliel", e também um importante mestre do judaísmo (At 22.3,25).  Ele era intelectual, fariseu e foi perseguidor dos cristãos. Entretanto, a caminho de Damasco, em busca dos cristãos que haviam fugido devido à perseguição em Jerusalém, e com carta de autorização para prendê-los, Saulo teve uma experiência com o Cristo ressurreto (At 9.1-22).  A sua vida foi inteiramente transformada a partir desse encontro pessoal com Jesus. De perseguidor, passou a perseguido; de Saulo, o fariseu, a Paulo, o apóstolo dos gentios.
  • 21.
  • 22. II - O APÓSTOLO PAULO  2. Um homem preparado para servir.  Dos vinte sete livros do Novo Testamento, treze foram escritos pelo apóstolo Paulo. Quão grande tratado teológico encontramos em sua Epístola aos Romanos! O seu legado teológico foi grandioso para o cristianismo.  Mas para além da intelectualidade teológica, o apóstolo dos gentios levou uma vida de sofrimento por causa da pregação do Cristo ressurreto. Eis a declaração apostólica que denota tal verdade: "Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé" (2 Tm 4.7).
  • 23.
  • 24. II - O APÓSTOLO PAULO  3. "O menor dos apóstolos".  O apóstolo Paulo não pertencia ao colégio dos doze. Ele não andou com Jesus em seu ministério terreno nem testemunhou a ressurreição do Senhor - requisitos indispensáveis para o grupo dos doze (At 1.21-23).  Humildemente, o apóstolo reconheceu que não merecia ser assim chamado, pois considerava-se um "abortivo", como que nascido fora de tempo, o menor de todos (1 Co 15.8,9). Entretanto, o Senhor se revelou a ele ressurreto (At 9.4,5) e ensinou-lhe todas as coisas.  O apóstolo recebeu o Evangelho diretamente do Senhor (Gl 1.6-24; 1 Co 11.23). Embora o colégio apostólico tenha reconhecido o apostolado paulino (Gl 2.6-10; 2 Pe 3.14-16), as igrejas plantadas por ele eram o selo do seu ministério apostólico (1 Co 9.2).
  • 25.
  • 26. Ele era judeu de cidadania romana.
  • 27.
  • 28. III - APOSTOLICIDADE ATUAL (EF 4.11)  1. Ainda há apóstolos?  No sentido estrito do termo, e de acordo com a sua singularidade, apóstolos como os doze não mais existem.  A Palavra de Deus diz que durante o milênio, os doze se assentarão sobre tronos para julgar as doze tribos de Israel (Mt 19.28). Os seus nomes também estarão registrados nos doze fundamentos da cidade santa (Ap 21.12-14).  Logo, o colégio apostólico foi formado por um grupo limitado de discípulos, não havendo, portanto, uma sucessão apostólica.
  • 29.
  • 30.  2. Apóstolos fora dos doze.  A carta aos Efésios apresenta a vigência do dom ministerial de apóstolo. O teólogo Stanley Horton informa-nos que "o Novo Testamento indica que havia outros apóstolos que também haviam sido dados como dons à Igreja.  Entre estes se acham Paulo e Barnabé (At 14.4,14, bem como os parentes de Paulo, Andrônico e Júnia (Rm 16.7)". Ao longo do Novo Testamento, e no primeiro século da Igreja, o termo apóstolo recebeu um significado mais amplo, de um dom ministerial distribuído à igreja local (Dicionário Vine). III - APOSTOLICIDADE ATUAL (EF 4.11)
  • 31.
  • 32.  3. O ministério apostólico atual.  Não há sucessão apostólica. Esta é uma doutrina formada pela igreja romana e, infelizmente, copiada por algumas evangélicas para justificar a existência do poder papal. O ministério dos doze não se repete mais.  O que há é o ministério de caráter apostólico. Atualmente, missionários enviados para evangelizar povos não alcançados pelo Evangelho são dignos de serem reconhecidos como verdadeiros apóstolos de Cristo.  Homens como John Wesley, William Carey (cognominado "pai das missões modernas"), Hudson Taylor, D. L. Moody, Gunnar Vingren, Daniel Berg, "irmão André" e tantos outros, em tempos recentes, foram verdadeiros desbravadores apostólicos. Cidades e até países foram impactados pela instrumentalidade desses servos de Deus. III - APOSTOLICIDADE ATUAL (EF 4.11)
  • 33.
  • 34. Nos moldes do colégio dos doze, o ministério apostólico não existe mais. Todavia o dom ministerial de apóstolo citado em Ef 4.11 está em plena vingência. Os missionários.
  • 35.
  • 36.  Nos moldes do colégio dos doze, o ministério apostólico não existe atualmente. Entretanto, o dom ministerial de apóstolo citado por Paulo em Efésios 4.11 está em plena vigência. Pastores experimentados, evangelistas e missionários que desbravaram os rincões do nosso país ou em países inimigos do Evangelho, são pessoas portadoras desse dom ministerial. São os verdadeiros apóstolos da Igreja de Cristo hoje.
  • 37.
  • 38. ACESSE O NOSSO SITE www.escola-dominical.com Produção dos slides Ev. Ismael Pereira de Oliveira
  • 39. ACESSE O NOSSO SITE www.proaviva.blogspot.com Edição dos slides Ismael Isidio