SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 36
INTRODUÇÃO
 A Bíblia de Estudo Pentecostal define "dons" Neste trimestre, estudaremos
a mensagem de Deus entregue aos santos irmãos do primeiro século por
intermédio de Tiago, o irmão do Senhor.
 Assim pode ser resumida a Epístola universal de Tiago: uma carta de
conselhos práticos para uma vida bem-sucedida e de acordo com a Palavra
de Deus.
 A espiritualidade superficial, a ausência de integridade, a carência de
perseverança e a insuficiência da compaixão para com o próximo são
características que permeiam o caminho de muitos crentes dos dias
modernos.
 O estudo dessa epístola é relevante para os nossos dias, pois contempla a
oportunidade de aperfeiçoarmos o nosso relacionamento com Deus e com o
próximo, levando-nos a compreender que a fé sem as obras é morta (Tg
2.17).
I - AUTORIA, LOCAL, DATA E DESTINATÁRIOS (Tg 1.1)
 1. Autoria.
 Em primeiro lugar, é preciso destacar o fato de que há, em o Novo
Testamento, a menção de quatro pessoas com o nome de Tiago:
Tiago, pai de Judas, não o Iscariotes, (Lc 6.16); Tiago, filho de
Zebedeu e irmão de João (Mt 4.21; 10.2; Mc 1.19, 10.35; Lc 5.10;
6.14; At. 1.13; 12.2); Tiago, filho de Alfeu, um dos doze discípulos
(Mt 10.3; Mc 3.18; 15.40; Lc 6.15; At 1.13) e, finalmente, Tiago, o
autor da epístola, que era filho de José e Maria e meio-irmão do
nosso Senhor (Mt 1.18,20).
 Após firmar os passos na fé e testemunhar a ressurreição do Filho de
Deus, o irmão do Senhor liderou a Igreja em Jerusalém (At 15.13-
21) e, mais tarde, foi considerado apóstolo (Gl 1.19). Pela riqueza
doutrinária da carta, o autor não poderia ser outro Tiago, senão, o
irmão do Senhor e líder da Igreja em Jerusalém.
I - AUTORIA, LOCAL, DATA E DESTINATÁRIOS (Tg 1.1)
2. Local e data.
Embora a maioria dos biblistas veja a Palestina, e
mais especificamente Jerusalém, como local mais
indicado de produção da epístola, tal informação é
desconhecida.
Sobre a data, tratando-se do período antigo da era
cristã, sempre será aproximada.
Por essa razão, a Bíblia de Estudo Pentecostal data a
produção da carta de Tiago entre os anos 45 a 49 d.C.,
aproximadamente.
I - AUTORIA, LOCAL, DATA E DESTINATÁRIOS (Tg 1.1)
3. Destinatário.
"Às doze tribos que andam dispersas" (Tg 1.1). Há muito
a estrutura política de Israel perdera a configuração de
divisão em tribos.
Assim, em o Novo Testamento, a expressão "doze tribos"
é um recurso linguístico que faz alusão, de forma
figurativa, à nação inteira de Israel (Mt 19.28; At 26.7; Ap
21.12).
Todavia, ao usar a fórmula "doze tribos", na verdade,
Tiago refere-se aos cristãos dispersos na Palestina e
variadas igrejas estabelecidas em outras regiões, isto é,
todo o povo de Deus espalhado pelo mundo.
R. Tiago, filho de José e Maria e meio-irmão do
nosso Senhor.
R. Os cristãos dispersos na Palestina e variadas igrejas
estabelecidas em outras regiões, isto é, todo o povo de Deus
espalhado pelo mundo.
II - O PROPÓSITO DA EPÍSTOLA DE TIAGO
 1. Orientar.
 Em um tempo marcado pela falsa espiritualidade e egoísmo, as
orientações de Tiago são relevantes e pertinentes. Isso porque a
Escritura nos revela o serviço a Deus como a prática concreta
de atitudes e comunhão: guardar-se do sistema mundano
(engano, falsidade, egoísmo, etc.) e amar o próximo.
 Assim, através de orientações práticas, Tiago almeja fortalecer
e consolar os cristãos, exortando-os acerca da profundidade da
verdadeira, pura e imaculada religião para com Deus a qual é:
 a) visitar os órfãos e as viúvas nas tribulações;
 b) não fazer acepção de pessoas e
 c) guardar-se da corrupção do mundo (Tg 1.27).
II - O PROPÓSITO DA EPÍSTOLA DE TIAGO
 2. Consolar.
 Numa cultura onde não se dobrar a César, honrando-o como
divindade, significava rebelião à autoridade maior, os crentes
antigos foram impiedosamente perseguidos, humilhados e
mortos.
 Entretanto, a despeito de perder emprego, pais, filhos e sofrer
martírios em praças públicas, eles se mantiveram fiéis ao
Senhor.
 Por isso, a epístola é, ainda hoje, um bálsamo para as igrejas e
crentes perseguidos espalhados pelo mundo (Tg 1.17,18; 5.7-
11).
II - O PROPÓSITO DA EPÍSTOLA DE TIAGO
 3. Fortalecer.
 Além das perseguições cruéis, os crentes eram explorados
pelos ricos e defraudados e afligidos pelos patrões (Tg 5.4).
 Apesar de a Palavra de Deus condenar com veemência essa
prática mundana, infelizmente, ela ainda é muito atual (Ml 3.5;
Mc 10.19; 1 Ts 4.6).
 A Epístola de Tiago não foge à tradição profética de condenar
tais abusos, pois, além de expor o juízo divino contra os
exploradores, o meio-irmão do Senhor exorta os santos a não
desanimarem na fé, pois há um Deus que contempla as más
atitudes do injusto e certamente cobrará muito caro por isso.
 A queda de quem explora o trabalhador não tardará (Tg 5.1-3).
R. Orientar, consolar e fortalecer a Igreja de Cristo.
III - ATUALIDADE DA EPÍSTOLA
1. Num tempo de superficialidade espiritual.
Outro propósito da epístola é levar o leitor a um
relacionamento mais íntimo com Deus e com o próximo.
A carta traz diversas citações do Sermão do Monte como
prova de que o autor está em plena concordância com o
ensino de Jesus Cristo.
Tiago chama a atenção para a verdade de que se as
orientações de Jesus não forem praticadas, o leitor estará
fora da boa, perfeita e agradável vontade de Deus.
Portanto, a Igreja do Senhor não pode abandonar os
conselhos divinos para desenvolver uma espiritualidade
sadia e profunda.
III - ATUALIDADE DA EPÍSTOLA
 2. Num tempo de confusão entre "salvação pela fé" ou
"salvação pelas obras".
 O leitor desavisado pode pensar que a Epístola de Tiago
contradiz o apóstolo Paulo quanto à doutrina da salvação
mediante a fé.
 Nos tempos apostólicos, falsos mestres torceram a doutrina da
salvação pela graça proclamada pelo apóstolo dos gentios (2 Pe
3.14-16 cf. Rm 5.20-6.4).
 Entretanto, a Epístola de Tiago evidencia que não se pode fazer
separação entre a fé e as obras.
 Apesar de as obras não garantirem a salvação, a sua
manifestação dá testemunho da experiência salvífica do crente
(Ef 2.10; cf. Tg 2.24).
III - ATUALIDADE DA EPÍSTOLA
3. Uma fé posta em prática.
Muitos dizem ser discípulos de Cristo, mas estão
distantes das virtudes bíblicas. Estes não evidenciam
sua fé por intermédio de suas atitudes.
Os pseudo discípulos visam os seus interesses
particulares e não a glória de Deus. Precisamos
urgentemente priorizar o Reino de Deus e a sua justiça
(Mt 6.33).
Tiago nos ensina, assim como João Batista (Lc 3.8-
14), que precisamos produzir frutos dignos de
arrependimento.
R. Que o autor está em plena
concordância com o ensino de Jesus
Cristo.
R. Porque apesar de as obras não garantirem a
salvação, a sua manifestação dá testemunho da
experiência salvífica do crente (Ef 2.10; cf. Tg 2.24).
CONCLUSÃO
 Como em toda a Escritura Sagrada, a Epístola de Tiago é um
farol acesso e permanentemente atual.
 Ela nos alerta contra a mediocridade da vida supostamente
cristã e nos exorta a fazer das Escrituras o nosso pão diário.
Jesus Cristo sempre foi zeloso pelo bem estar do seu rebanho
(Jo 10.10).
 Em todas as épocas Ele é o bom pastor que cuida das suas
ovelhas (Jo 10.11).
 É do interesse do Mestre que os discípulos vivam em harmonia
e amor mútuo, a fim de não trazerem escândalo aos de dentro
e, muito menos, aos de fora (1 Co 10.32).
 E não nos esqueçamos: A religião pura e imaculada é a fé que
se mostra através de nossas práticas e obras
ACESSE O NOSSO SITE
www.escola-dominical.com
www.proaviva.blogspot.com
Produção dos slides
Ev. Ismael Pereira de Oliveira
&
Ismael Isidio

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 1 Tiago Fé que se mostra pelas obras.
Lição 1  Tiago Fé que se mostra pelas obras.Lição 1  Tiago Fé que se mostra pelas obras.
Lição 1 Tiago Fé que se mostra pelas obras.Lourinaldo Serafim
 
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUALIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUAIsmael Isidio
 
5 epístolas gerais tiago
5 epístolas gerais tiago5 epístolas gerais tiago
5 epístolas gerais tiagoJosé Santos
 
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS Ismael Isidio
 
LIÇÃO 7 - A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS.
LIÇÃO 7 - A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS.LIÇÃO 7 - A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS.
LIÇÃO 7 - A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS.Lourinaldo Serafim
 
Uma vida equilibrada (carta de Tiago) - Parte 1
Uma vida equilibrada (carta de Tiago) - Parte 1Uma vida equilibrada (carta de Tiago) - Parte 1
Uma vida equilibrada (carta de Tiago) - Parte 1igreja-crista
 
EPÍSTOLA DE TIAGO COM COMENTÁRIOS
EPÍSTOLA DE TIAGO COM COMENTÁRIOSEPÍSTOLA DE TIAGO COM COMENTÁRIOS
EPÍSTOLA DE TIAGO COM COMENTÁRIOSESCRIBAVALDEMIR
 
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADELIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADEIsmael Isidio
 
lição biblica dominical 3° trimestre 2014
lição biblica dominical 3° trimestre 2014lição biblica dominical 3° trimestre 2014
lição biblica dominical 3° trimestre 2014jeanderson neto
 
A atualidade dos últimos conselhos de Tiago
A atualidade dos últimos conselhos de TiagoA atualidade dos últimos conselhos de Tiago
A atualidade dos últimos conselhos de TiagoMoisés Sampaio
 
LIÇÃO 13 – A ATUALIDADE DOS ÚLTIMOS CONSELHOS DE TIAGO
LIÇÃO 13 – A ATUALIDADE DOS ÚLTIMOS CONSELHOS DE TIAGOLIÇÃO 13 – A ATUALIDADE DOS ÚLTIMOS CONSELHOS DE TIAGO
LIÇÃO 13 – A ATUALIDADE DOS ÚLTIMOS CONSELHOS DE TIAGOLourinaldo Serafim
 
O Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo CristãoO Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo CristãoJUERP
 
A Organização de uma Igreja Local
A Organização de uma Igreja LocalA Organização de uma Igreja Local
A Organização de uma Igreja LocalAntonio Fernandes
 

Mais procurados (20)

Lição 1 Tiago Fé que se mostra pelas obras.
Lição 1  Tiago Fé que se mostra pelas obras.Lição 1  Tiago Fé que se mostra pelas obras.
Lição 1 Tiago Fé que se mostra pelas obras.
 
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUALIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
 
Lição 01
Lição 01Lição 01
Lição 01
 
5 epístolas gerais tiago
5 epístolas gerais tiago5 epístolas gerais tiago
5 epístolas gerais tiago
 
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
 
LIÇÃO 7 - A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS.
LIÇÃO 7 - A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS.LIÇÃO 7 - A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS.
LIÇÃO 7 - A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS.
 
Tiago lição 1
Tiago lição 1Tiago lição 1
Tiago lição 1
 
Panorama do NT - Tiago
Panorama do NT - TiagoPanorama do NT - Tiago
Panorama do NT - Tiago
 
Uma vida equilibrada (carta de Tiago) - Parte 1
Uma vida equilibrada (carta de Tiago) - Parte 1Uma vida equilibrada (carta de Tiago) - Parte 1
Uma vida equilibrada (carta de Tiago) - Parte 1
 
EPÍSTOLA DE TIAGO COM COMENTÁRIOS
EPÍSTOLA DE TIAGO COM COMENTÁRIOSEPÍSTOLA DE TIAGO COM COMENTÁRIOS
EPÍSTOLA DE TIAGO COM COMENTÁRIOS
 
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADELIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
 
Cartas Gerais
Cartas GeraisCartas Gerais
Cartas Gerais
 
lição biblica dominical 3° trimestre 2014
lição biblica dominical 3° trimestre 2014lição biblica dominical 3° trimestre 2014
lição biblica dominical 3° trimestre 2014
 
A atualidade dos últimos conselhos de Tiago
A atualidade dos últimos conselhos de TiagoA atualidade dos últimos conselhos de Tiago
A atualidade dos últimos conselhos de Tiago
 
Carta de tiago
Carta de tiagoCarta de tiago
Carta de tiago
 
Livro de tiago 1.1 5.20
Livro de tiago 1.1 5.20Livro de tiago 1.1 5.20
Livro de tiago 1.1 5.20
 
Panorama do NT - 2Pedro
Panorama do NT - 2PedroPanorama do NT - 2Pedro
Panorama do NT - 2Pedro
 
LIÇÃO 13 – A ATUALIDADE DOS ÚLTIMOS CONSELHOS DE TIAGO
LIÇÃO 13 – A ATUALIDADE DOS ÚLTIMOS CONSELHOS DE TIAGOLIÇÃO 13 – A ATUALIDADE DOS ÚLTIMOS CONSELHOS DE TIAGO
LIÇÃO 13 – A ATUALIDADE DOS ÚLTIMOS CONSELHOS DE TIAGO
 
O Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo CristãoO Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
 
A Organização de uma Igreja Local
A Organização de uma Igreja LocalA Organização de uma Igreja Local
A Organização de uma Igreja Local
 

Destaque

A verdadeira fé não faz acepção de pessoas
A verdadeira fé não faz acepção de pessoasA verdadeira fé não faz acepção de pessoas
A verdadeira fé não faz acepção de pessoasAdenísio dos Reis
 
Lição 4 a necessidade universal de salvação
Lição 4   a necessidade universal de salvaçãoLição 4   a necessidade universal de salvação
Lição 4 a necessidade universal de salvaçãoboasnovassena
 
Lição 10 - A ATUAÇÃO SOCIAL DA IGREJA
Lição 10 - A ATUAÇÃO SOCIAL DA IGREJALição 10 - A ATUAÇÃO SOCIAL DA IGREJA
Lição 10 - A ATUAÇÃO SOCIAL DA IGREJAAilton da Silva
 
Aula EBD - Fidelidade ao Senhor
Aula EBD - Fidelidade ao SenhorAula EBD - Fidelidade ao Senhor
Aula EBD - Fidelidade ao SenhorDilsilei Monteiro
 
2014 3 TRI LIÇÃO 6 - A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
2014 3 TRI LIÇÃO 6 - A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS2014 3 TRI LIÇÃO 6 - A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
2014 3 TRI LIÇÃO 6 - A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOASNatalino das Neves Neves
 
Aula #002 Respeitando as Diferenças[2011]
Aula #002  Respeitando as Diferenças[2011]Aula #002  Respeitando as Diferenças[2011]
Aula #002 Respeitando as Diferenças[2011]TH
 
Boas novas para você - lição 6 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 6 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...Boas novas para você - lição 6 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 6 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...Jamesson Cardozo
 
Esboço da carta de tiago
Esboço da carta de tiagoEsboço da carta de tiago
Esboço da carta de tiagoNewton Brasil
 

Destaque (16)

LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOASLIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
 
LIÇÃO 7 – A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS
LIÇÃO 7 – A FÉ SE MANIFESTA EM OBRASLIÇÃO 7 – A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS
LIÇÃO 7 – A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS
 
Fé e Obras
Fé e Obras Fé e Obras
Fé e Obras
 
LIÇÃO 13 – A ATUALIDADE DOS ÚLTIMOS CONSELHOS DE TIAGO
LIÇÃO 13 – A ATUALIDADE DOS ÚLTIMOS CONSELHOS DE TIAGOLIÇÃO 13 – A ATUALIDADE DOS ÚLTIMOS CONSELHOS DE TIAGO
LIÇÃO 13 – A ATUALIDADE DOS ÚLTIMOS CONSELHOS DE TIAGO
 
Livro de tiago
Livro de tiagoLivro de tiago
Livro de tiago
 
Tenha uma fé viva - Mensagem 007
Tenha uma fé viva - Mensagem 007Tenha uma fé viva - Mensagem 007
Tenha uma fé viva - Mensagem 007
 
A verdadeira fé não faz acepção de pessoas
A verdadeira fé não faz acepção de pessoasA verdadeira fé não faz acepção de pessoas
A verdadeira fé não faz acepção de pessoas
 
Lição 4 a necessidade universal de salvação
Lição 4   a necessidade universal de salvaçãoLição 4   a necessidade universal de salvação
Lição 4 a necessidade universal de salvação
 
Tiago 1
Tiago 1Tiago 1
Tiago 1
 
LIÇÃO 01 – FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS
LIÇÃO 01 – FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRASLIÇÃO 01 – FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS
LIÇÃO 01 – FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS
 
Lição 10 - A ATUAÇÃO SOCIAL DA IGREJA
Lição 10 - A ATUAÇÃO SOCIAL DA IGREJALição 10 - A ATUAÇÃO SOCIAL DA IGREJA
Lição 10 - A ATUAÇÃO SOCIAL DA IGREJA
 
Aula EBD - Fidelidade ao Senhor
Aula EBD - Fidelidade ao SenhorAula EBD - Fidelidade ao Senhor
Aula EBD - Fidelidade ao Senhor
 
2014 3 TRI LIÇÃO 6 - A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
2014 3 TRI LIÇÃO 6 - A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS2014 3 TRI LIÇÃO 6 - A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
2014 3 TRI LIÇÃO 6 - A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
 
Aula #002 Respeitando as Diferenças[2011]
Aula #002  Respeitando as Diferenças[2011]Aula #002  Respeitando as Diferenças[2011]
Aula #002 Respeitando as Diferenças[2011]
 
Boas novas para você - lição 6 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 6 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...Boas novas para você - lição 6 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 6 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
 
Esboço da carta de tiago
Esboço da carta de tiagoEsboço da carta de tiago
Esboço da carta de tiago
 

Semelhante a Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas Obras

escola bliblica dominical 3 trimestre
escola bliblica dominical 3 trimestreescola bliblica dominical 3 trimestre
escola bliblica dominical 3 trimestrejeanderson neto
 
TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014
TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014
TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014Pr. Andre Luiz
 
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA Lourinaldo Serafim
 
Uma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderançaUma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderançaPr. Gerson Eller
 
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à LiderançaLição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à LiderançaTcc Final
 
Aula 5: Um inimigo que precisa ser resistido
Aula 5: Um inimigo que precisa ser resistidoAula 5: Um inimigo que precisa ser resistido
Aula 5: Um inimigo que precisa ser resistidoMarina de Morais
 
Lição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptx
Lição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptxLição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptx
Lição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptxCelso Napoleon
 
Lição 1 uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
Lição 1   uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015Lição 1   uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
Lição 1 uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015Andrew Guimarães
 
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015Pr. Andre Luiz
 
Lição 01 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
Lição 01 -  Uma mensagem à igreja local e à liderançaLição 01 -  Uma mensagem à igreja local e à liderança
Lição 01 - Uma mensagem à igreja local e à liderançaRegio Davis
 
Aula 4 - Marca 2 Teologia Biblica.pptx
Aula 4 - Marca 2 Teologia Biblica.pptxAula 4 - Marca 2 Teologia Biblica.pptx
Aula 4 - Marca 2 Teologia Biblica.pptxFelipeAlvesMoraes1
 
Lição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptx
Lição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptxLição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptx
Lição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptxCelso Napoleon
 
Dez ideais de Deus para os seus filhos
Dez ideais de Deus para os seus filhosDez ideais de Deus para os seus filhos
Dez ideais de Deus para os seus filhosJUERP
 
Lição 11 a organização de uma igreja local 3º trimestre de 2015
Lição 11   a organização de uma igreja local    3º trimestre de 2015Lição 11   a organização de uma igreja local    3º trimestre de 2015
Lição 11 a organização de uma igreja local 3º trimestre de 2015Andrew Guimarães
 

Semelhante a Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas Obras (20)

escola bliblica dominical 3 trimestre
escola bliblica dominical 3 trimestreescola bliblica dominical 3 trimestre
escola bliblica dominical 3 trimestre
 
TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014
TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014
TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014
 
019 tiago
019 tiago019 tiago
019 tiago
 
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
 
Uma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderançaUma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderança
 
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à LiderançaLição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
 
Aula 5: Um inimigo que precisa ser resistido
Aula 5: Um inimigo que precisa ser resistidoAula 5: Um inimigo que precisa ser resistido
Aula 5: Um inimigo que precisa ser resistido
 
Lição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptx
Lição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptxLição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptx
Lição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptx
 
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇAINSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
 
Lição 1 uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
Lição 1   uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015Lição 1   uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
Lição 1 uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
 
Boletim CBG_ 28 julho_2013
Boletim CBG_ 28 julho_2013Boletim CBG_ 28 julho_2013
Boletim CBG_ 28 julho_2013
 
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
 
Lição 01 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
Lição 01 -  Uma mensagem à igreja local e à liderançaLição 01 -  Uma mensagem à igreja local e à liderança
Lição 01 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
 
Aula 4 - Marca 2 Teologia Biblica.pptx
Aula 4 - Marca 2 Teologia Biblica.pptxAula 4 - Marca 2 Teologia Biblica.pptx
Aula 4 - Marca 2 Teologia Biblica.pptx
 
Nossahistoria
NossahistoriaNossahistoria
Nossahistoria
 
Lição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptx
Lição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptxLição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptx
Lição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptx
 
Dez ideais de Deus para os seus filhos
Dez ideais de Deus para os seus filhosDez ideais de Deus para os seus filhos
Dez ideais de Deus para os seus filhos
 
Aula 8 missoes e a educação crista
Aula 8   missoes e a educação cristaAula 8   missoes e a educação crista
Aula 8 missoes e a educação crista
 
41 tiago
41 tiago41 tiago
41 tiago
 
Lição 11 a organização de uma igreja local 3º trimestre de 2015
Lição 11   a organização de uma igreja local    3º trimestre de 2015Lição 11   a organização de uma igreja local    3º trimestre de 2015
Lição 11 a organização de uma igreja local 3º trimestre de 2015
 

Mais de Ismael Isidio

Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humanaLição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humanaIsmael Isidio
 
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURALIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURAIsmael Isidio
 
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDELIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDEIsmael Isidio
 
Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação Ismael Isidio
 
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUSLIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUSIsmael Isidio
 
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOLIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOIsmael Isidio
 
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORLIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORIsmael Isidio
 
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTORLIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTORIsmael Isidio
 
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTALIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTAIsmael Isidio
 
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETALIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETAIsmael Isidio
 
Lição 06 - O ministério dos Apóstolos
Lição 06 - O ministério dos ApóstolosLição 06 - O ministério dos Apóstolos
Lição 06 - O ministério dos ApóstolosIsmael Isidio
 
Lição 05 – dons de elocução
Lição 05 – dons de elocuçãoLição 05 – dons de elocução
Lição 05 – dons de elocuçãoIsmael Isidio
 
Lição 4 dons de poder
Lição 4   dons de poderLição 4   dons de poder
Lição 4 dons de poderIsmael Isidio
 
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃOLIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃOIsmael Isidio
 
Lição 2 o propósito dos dons espirituais
Lição 2   o  propósito dos dons espirituaisLição 2   o  propósito dos dons espirituais
Lição 2 o propósito dos dons espirituaisIsmael Isidio
 
Lição 1 E deu dons aos homens
Lição 1   E deu dons aos homensLição 1   E deu dons aos homens
Lição 1 E deu dons aos homensIsmael Isidio
 
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉSLIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉSIsmael Isidio
 

Mais de Ismael Isidio (17)

Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humanaLição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
 
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURALIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
 
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDELIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
 
Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação
 
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUSLIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
 
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOLIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
 
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORLIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
 
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTORLIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
 
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTALIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
 
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETALIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
 
Lição 06 - O ministério dos Apóstolos
Lição 06 - O ministério dos ApóstolosLição 06 - O ministério dos Apóstolos
Lição 06 - O ministério dos Apóstolos
 
Lição 05 – dons de elocução
Lição 05 – dons de elocuçãoLição 05 – dons de elocução
Lição 05 – dons de elocução
 
Lição 4 dons de poder
Lição 4   dons de poderLição 4   dons de poder
Lição 4 dons de poder
 
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃOLIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
 
Lição 2 o propósito dos dons espirituais
Lição 2   o  propósito dos dons espirituaisLição 2   o  propósito dos dons espirituais
Lição 2 o propósito dos dons espirituais
 
Lição 1 E deu dons aos homens
Lição 1   E deu dons aos homensLição 1   E deu dons aos homens
Lição 1 E deu dons aos homens
 
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉSLIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
 

Último

ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 

Último (20)

ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 

Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas Obras

  • 1.
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7. INTRODUÇÃO  A Bíblia de Estudo Pentecostal define "dons" Neste trimestre, estudaremos a mensagem de Deus entregue aos santos irmãos do primeiro século por intermédio de Tiago, o irmão do Senhor.  Assim pode ser resumida a Epístola universal de Tiago: uma carta de conselhos práticos para uma vida bem-sucedida e de acordo com a Palavra de Deus.  A espiritualidade superficial, a ausência de integridade, a carência de perseverança e a insuficiência da compaixão para com o próximo são características que permeiam o caminho de muitos crentes dos dias modernos.  O estudo dessa epístola é relevante para os nossos dias, pois contempla a oportunidade de aperfeiçoarmos o nosso relacionamento com Deus e com o próximo, levando-nos a compreender que a fé sem as obras é morta (Tg 2.17).
  • 8.
  • 9. I - AUTORIA, LOCAL, DATA E DESTINATÁRIOS (Tg 1.1)  1. Autoria.  Em primeiro lugar, é preciso destacar o fato de que há, em o Novo Testamento, a menção de quatro pessoas com o nome de Tiago: Tiago, pai de Judas, não o Iscariotes, (Lc 6.16); Tiago, filho de Zebedeu e irmão de João (Mt 4.21; 10.2; Mc 1.19, 10.35; Lc 5.10; 6.14; At. 1.13; 12.2); Tiago, filho de Alfeu, um dos doze discípulos (Mt 10.3; Mc 3.18; 15.40; Lc 6.15; At 1.13) e, finalmente, Tiago, o autor da epístola, que era filho de José e Maria e meio-irmão do nosso Senhor (Mt 1.18,20).  Após firmar os passos na fé e testemunhar a ressurreição do Filho de Deus, o irmão do Senhor liderou a Igreja em Jerusalém (At 15.13- 21) e, mais tarde, foi considerado apóstolo (Gl 1.19). Pela riqueza doutrinária da carta, o autor não poderia ser outro Tiago, senão, o irmão do Senhor e líder da Igreja em Jerusalém.
  • 10.
  • 11. I - AUTORIA, LOCAL, DATA E DESTINATÁRIOS (Tg 1.1) 2. Local e data. Embora a maioria dos biblistas veja a Palestina, e mais especificamente Jerusalém, como local mais indicado de produção da epístola, tal informação é desconhecida. Sobre a data, tratando-se do período antigo da era cristã, sempre será aproximada. Por essa razão, a Bíblia de Estudo Pentecostal data a produção da carta de Tiago entre os anos 45 a 49 d.C., aproximadamente.
  • 12.
  • 13.
  • 14. I - AUTORIA, LOCAL, DATA E DESTINATÁRIOS (Tg 1.1) 3. Destinatário. "Às doze tribos que andam dispersas" (Tg 1.1). Há muito a estrutura política de Israel perdera a configuração de divisão em tribos. Assim, em o Novo Testamento, a expressão "doze tribos" é um recurso linguístico que faz alusão, de forma figurativa, à nação inteira de Israel (Mt 19.28; At 26.7; Ap 21.12). Todavia, ao usar a fórmula "doze tribos", na verdade, Tiago refere-se aos cristãos dispersos na Palestina e variadas igrejas estabelecidas em outras regiões, isto é, todo o povo de Deus espalhado pelo mundo.
  • 15.
  • 16. R. Tiago, filho de José e Maria e meio-irmão do nosso Senhor. R. Os cristãos dispersos na Palestina e variadas igrejas estabelecidas em outras regiões, isto é, todo o povo de Deus espalhado pelo mundo.
  • 17.
  • 18. II - O PROPÓSITO DA EPÍSTOLA DE TIAGO  1. Orientar.  Em um tempo marcado pela falsa espiritualidade e egoísmo, as orientações de Tiago são relevantes e pertinentes. Isso porque a Escritura nos revela o serviço a Deus como a prática concreta de atitudes e comunhão: guardar-se do sistema mundano (engano, falsidade, egoísmo, etc.) e amar o próximo.  Assim, através de orientações práticas, Tiago almeja fortalecer e consolar os cristãos, exortando-os acerca da profundidade da verdadeira, pura e imaculada religião para com Deus a qual é:  a) visitar os órfãos e as viúvas nas tribulações;  b) não fazer acepção de pessoas e  c) guardar-se da corrupção do mundo (Tg 1.27).
  • 19.
  • 20. II - O PROPÓSITO DA EPÍSTOLA DE TIAGO  2. Consolar.  Numa cultura onde não se dobrar a César, honrando-o como divindade, significava rebelião à autoridade maior, os crentes antigos foram impiedosamente perseguidos, humilhados e mortos.  Entretanto, a despeito de perder emprego, pais, filhos e sofrer martírios em praças públicas, eles se mantiveram fiéis ao Senhor.  Por isso, a epístola é, ainda hoje, um bálsamo para as igrejas e crentes perseguidos espalhados pelo mundo (Tg 1.17,18; 5.7- 11).
  • 21.
  • 22. II - O PROPÓSITO DA EPÍSTOLA DE TIAGO  3. Fortalecer.  Além das perseguições cruéis, os crentes eram explorados pelos ricos e defraudados e afligidos pelos patrões (Tg 5.4).  Apesar de a Palavra de Deus condenar com veemência essa prática mundana, infelizmente, ela ainda é muito atual (Ml 3.5; Mc 10.19; 1 Ts 4.6).  A Epístola de Tiago não foge à tradição profética de condenar tais abusos, pois, além de expor o juízo divino contra os exploradores, o meio-irmão do Senhor exorta os santos a não desanimarem na fé, pois há um Deus que contempla as más atitudes do injusto e certamente cobrará muito caro por isso.  A queda de quem explora o trabalhador não tardará (Tg 5.1-3).
  • 23.
  • 24. R. Orientar, consolar e fortalecer a Igreja de Cristo.
  • 25.
  • 26. III - ATUALIDADE DA EPÍSTOLA 1. Num tempo de superficialidade espiritual. Outro propósito da epístola é levar o leitor a um relacionamento mais íntimo com Deus e com o próximo. A carta traz diversas citações do Sermão do Monte como prova de que o autor está em plena concordância com o ensino de Jesus Cristo. Tiago chama a atenção para a verdade de que se as orientações de Jesus não forem praticadas, o leitor estará fora da boa, perfeita e agradável vontade de Deus. Portanto, a Igreja do Senhor não pode abandonar os conselhos divinos para desenvolver uma espiritualidade sadia e profunda.
  • 27.
  • 28. III - ATUALIDADE DA EPÍSTOLA  2. Num tempo de confusão entre "salvação pela fé" ou "salvação pelas obras".  O leitor desavisado pode pensar que a Epístola de Tiago contradiz o apóstolo Paulo quanto à doutrina da salvação mediante a fé.  Nos tempos apostólicos, falsos mestres torceram a doutrina da salvação pela graça proclamada pelo apóstolo dos gentios (2 Pe 3.14-16 cf. Rm 5.20-6.4).  Entretanto, a Epístola de Tiago evidencia que não se pode fazer separação entre a fé e as obras.  Apesar de as obras não garantirem a salvação, a sua manifestação dá testemunho da experiência salvífica do crente (Ef 2.10; cf. Tg 2.24).
  • 29.
  • 30. III - ATUALIDADE DA EPÍSTOLA 3. Uma fé posta em prática. Muitos dizem ser discípulos de Cristo, mas estão distantes das virtudes bíblicas. Estes não evidenciam sua fé por intermédio de suas atitudes. Os pseudo discípulos visam os seus interesses particulares e não a glória de Deus. Precisamos urgentemente priorizar o Reino de Deus e a sua justiça (Mt 6.33). Tiago nos ensina, assim como João Batista (Lc 3.8- 14), que precisamos produzir frutos dignos de arrependimento.
  • 31.
  • 32. R. Que o autor está em plena concordância com o ensino de Jesus Cristo. R. Porque apesar de as obras não garantirem a salvação, a sua manifestação dá testemunho da experiência salvífica do crente (Ef 2.10; cf. Tg 2.24).
  • 33.
  • 34. CONCLUSÃO  Como em toda a Escritura Sagrada, a Epístola de Tiago é um farol acesso e permanentemente atual.  Ela nos alerta contra a mediocridade da vida supostamente cristã e nos exorta a fazer das Escrituras o nosso pão diário. Jesus Cristo sempre foi zeloso pelo bem estar do seu rebanho (Jo 10.10).  Em todas as épocas Ele é o bom pastor que cuida das suas ovelhas (Jo 10.11).  É do interesse do Mestre que os discípulos vivam em harmonia e amor mútuo, a fim de não trazerem escândalo aos de dentro e, muito menos, aos de fora (1 Co 10.32).  E não nos esqueçamos: A religião pura e imaculada é a fé que se mostra através de nossas práticas e obras
  • 35.
  • 36. ACESSE O NOSSO SITE www.escola-dominical.com www.proaviva.blogspot.com Produção dos slides Ev. Ismael Pereira de Oliveira & Ismael Isidio