SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 72
Baixar para ler offline
1.
Copyright © 2006 por Seminário Bíblico das Américas
Todos os direitos reservados. ISBN 9974-7935-3-X
Dep. Legal 339 301. Impresso em Montevidéu.
Proíbida a reprodução total ou parcial deste manual sem prévia autorização escrita do Seminário Bíblico das Américas.
EPÍSTOLAS PAULINAS I
ESTUDO DE GÁLATAS
I e II TESSALONICENSES, I e II CORÍNTIOS
por
Joseph Milioni
SEMINÁRIO BÍBLICO DAS AMÉRICAS
Colônia 1243 (quase Jí)
Montevidéu, URUGUAI
Tel.: (+598) 2903 1875
E-mail: oficina@seminariobiblico.com
Seminário Bíblico das Américas2.
Seminário Bíblico das Américas 3.
CONTEÚDO
Lição 1 Introdução às Epístolas do Novo Testamento .................................................................... 5
Lição 2 Introdução a Epístola a os Gálatas .................................................................................. 15
Lição 3 Analises de Gálatas ......................................................................................................... 19
Lição 4 Introdução as Epístolas à Tessalônica ............................................................................. 25
Lição 5 Analises de I e II Tessalonicenses ................................................................................... 29
Lição 6 Analises de I e II Tessalonicenses (continuação) ........................................................... 35
Lição 7 Introdução às Epístolas a os Corintos .............................................................................. 39
Lição 8 Analises de I Coríntios..................................................................................................... 43
Lição 9 Analises de I Coríntios (continuação) ..............................................................................49
Lição 10 Analises de I Coríntios (continuação) ............................................................................. 57
Lição 11 Analises de II Coríntios ................................................................................................... 63
Lição 12 Analises de II Coríntios (continuação) ............................................................................ 69
Seminário Bíblico das Américas4.
Seminário Bíblico das Américas 5.
LIÇÃO 1
INTRODUÇÃO ÀS EPÍSTOLAS
DO NOVO TESTAMENTO
A. O ANTIGO TESTAMENTO
No Antigo Testamento vemos a Deus falando aos
homens por meio de pessoas escolhidas a quem chamava e
encomendava que dessem a conhecer sua vontade (Hb. 1:1).
A este objetivo chamou desde a antiguidade a profetas como
Moisés, David, Isaías, Jeremias, Daniel e muitos outros até
Malaquias, o qual dá um sinal vindouro “sol da Justiça” que
haveria de chegar ao cumprimento do tempo estabelecido
por Deus. (Mal. 4:2)
B. O VERBO
Gálatas 4:4. O verbo encarnado traz em sua própria pessoa a revelação mais completa do Pai e
do seu plano de salvação para os homens (Hb. 1:2; Jn. 1:14 e 14:9)
C. OS EVANGELISTAS
Ainda faltava perpetuar e transmitir essa revelação. Era necessário que testemunhas presenciais
escrevessem para as gerações futuras o que haviam visto, ouvido e apalpado do verbo da vida (I Jn. 1:1).
Assim Deus escolheu a novos instrumentos humanos. Mateus e João como testemunhas presen-
ciais, Marcos e Lucas como intérpretes igualmente inspirados, deram ao mundo quatro registros da
revelação de Jesus Cristo, o filho de Deus, cuja continuação depois de sua ressurreição e ascensão em
glória, Lucas também registrou em Atos dos Apóstolos.
D. UMA NOVA FORMA – CARTAS
Mas, escondido desde os séculos de Deus, ainda continuava um mistério não revelado comple-
tamente, um fato, um propósito, um intervalo de tempo entre a ascensão de Cristo e seu retorno em
glória. Este era o chamado da “ECLÉSIA”, a igreja que é o corpo de Cristo.
1. Até o término de seu ministério, Jesus revelou este propósito
(Mateus 16:18), mas sem dar detalhes específicos.
2. Nos ensinos de Jesus estava a semente de tudo, entretanto, o cresci-
mento e o desenvolvimento da verdade acerca da Igreja se produz com o
ministério do Consolador vindouro (João 14:25,26; 15:26; 16: 12-15).
3. Assim outra vez o Espírito Santo operando em instrumentos
humanos revelou o mistério da cruz, desenvolveu as doutrinas cristãs e
estabeleceu posição, relações, privilégios, deveres e desígnios da igreja,
subministrando o significado “muitas coisas” (João 16:12) que os discí-
pulos não podiam suportar em seu tempo.
Seminário Bíblico das Américas6.
4. Isto deu origem a uma nova modalidade de revelação divina. Esta tomou a forma de CARTAS.
a. Nelas o Espírito completa a revelação da Igreja
b. Estabelece sua posição, relações, privilégios, deveres e desígnios.
c. Desenvolve e sistematiza as doutrinas e verdades básicas da fé cristã
d. Corrige erros e trata com os problemas surgidos com a extensão do Evangelho. Assim
encontramos que os convertidos de Colossos retinham algo de seu gnosticismo pagão, os
de Corinto algo de suas práticas antigas, enquanto que alguns da Galácia quiseram impor
o legalismo judaico.
E. COMO LER UMA CARTA NO NOVO TESTAMENTO
Tanto as cartas de hoje, como as cartas do Novo Testamento foram escritas a receptores específicos
com problemas específicos. Temos que entender que as cartas foram inspiradas pelo Espírito Santo, mas
em uma situação com um contexto histórico e cultural. Então existem regras na aplicação dessas cartas.
Como as cartas de hoje, as cartas do primeiro século tinham um estilo convencional. Uma carta
antiga geralmente tinha:
1. O nome do autor (Paulo, Pedro)
2. O nome do receptor (à Igreja de Deus que está em Corinto).
3. Uma saudação (Graça e paz a vocês)
5. O corpo da carta
6. Saudações e despedida
Também era de costume nos tempos antigos, ter um secretário. O secretário escrevia o que o autor
queria dizer. Depois o autor lia o que o secretário havia escrito, e fazia as mudanças e uma saudação com
sua própria mão. Os autores do N.T. também seguiram esta prática (Rom. 16:22;II Ts. 3: 17; 1 Pe 5:12)
INTERPRETANDO AS CARTAS.
Para entender uma carta é preciso lê-la toda sem parar. O que você faz quando recebe uma
carta de um amigo? Lemos a carta completa e não em partes. As cartas têm uma série de argumentos
dependendo do propósito do autor. Por isso, o contexto é importante. Temos que perguntar sempre:
Porque foi escrito? Qual foi a intenção do autor? Como foi recebida pelos receptores originais? Para
interpretar a carta é importante lembrar que a cultura e estilo de vida eram diferentes. As cartas tem
muita teologia mas, sempre foram dirigidas a uma pessoa ou a um grupo de pessoas específico em uma
situação particular. Por isso, entender o que significava o texto e a quem estava dirigido é o primeiro
passo ao ler as cartas e fundamental antes de aplicar a carta a nossa vida pessoal.
APLICANDO AS CARTAS:
A aplicação das cartas do Novo Testamento deve ser feita com cuidado (2 Ti. 2:15). Por isso,
deve ser feita com estudo, oração e guia do Espírito Santo. Existem regras que podem ajudar:
1. Quando nossa situação é igual que a situação de quem recebeu as cartas, a palavra é
aplicável diretamente.
Existem muitas passagens que podem ser aplicadas diretamente as nossas vidas. A lista de
pecados em Gálatas 5: 19-21 é igual hoje em dia, por isso, a aplicação desse princípio é idêntica.
2. Quandoasituaçãodequemrecebeacartaédiferentedanossadevemosbuscaroprincípiobásico.
Existe pouca oportunidade de comer comida oferecida a ídolos (Rm. 14:1, 15:2;
1 Co. 8:1-13, 10:14, 11:1) Embora o princípio de não ofender a consciência de um irmão
fraco seja muito importante.
3. Existem passagens que não tem aplicação direta nem indireta para nós hoje em dia.
Um bom exemplo disso são os comentários pessoais. Quando Paulo pediu a Timóteo que
trouxesse sua capa (II Tm. 4:13) não significa que devemos ir a Turquia para buscar um casaco.
Seminário Bíblico das Américas 7.
INTRODUÇÃO AS EPÍSTOLAS PAULINAS
A. ESTUDO CRONOLÓGICO
Faremos o estudo das epístolas Paulinas em ordem cronológica.
1. Este estudo tem relação histórica e geográfica com o livro de Atos, no qual se registra o relato
das viagens de Paulo e das localidades que visitou com o objetivo de dar a luz do Evangelho conforme
o propósito de Deus. (Atos 26: 15-19)
2. Dividiremos as cartas de Paulo em quatro grupos, segundo foram escritas em diferentes
viagens e em distintas ocasiões. Esta mesma divisão as agrupa segundo os temas básicos contidos.
ASSIM TEMOS:
SEGUNDO GRUPO
(Terceira viagem)
PRIMEIRO GRUPO 1Coríntios
(Segunda viagem) Coríntios
1 Tessalonicenses Gálatas
2 Tessalonicenses Romanos
Conhecidas como: Conhecidas como:
CARTAS ESCATOLÓGICAS CARTAS SOTERIOLOGICAS
Relativa aos últimos acontecimentos Relativas à Salvação
TERCEIRO GRUPO QUARTO GRUPO
(Estando preso pela primeira vez) (Depois da primeira prisão
Filipenses e durante a segunda prisão)
Filemom 1 Timóteo
Colossensses 2 Timóteo
Efésios Tito
Conhecidas como: Conhecidas como:
CARTAS CRISTOLÓGICAS CARTAS PASTORAIS
Relativas a Teologia do Filho Relativas ao Ministério do Pastor
B. SELO DO ESCRITOR
As cartas de Paulo têm o selo do escritor, não somente pelo nome que as encabeça (Rm. 1:1),
como também por seu inconfundível caráter interno.
1. Todas elas olham para a CRUZ, seja olhando transparentemente como em 1 Co. 2:2, ou
através de seus escritos. Para o apóstolo, a cruz era o todo, o laço de união do humano e o divino (Ef.
1:10), e de Deus com o pecador, pois é o lugar onde se encontram (2 Co. 5:19). Na cruz o homem
sente o quanto o pecado é repugnante e se arrepende. Deus, em Cristo crucificado, o perdoa e o limpa.
2. Outra característica de seus escritos é a exaltação do CRISTO GLORIFICADO. Paulo foi
convertido pelo ministério direto de Cristo quando este já havia ascendido ao céu (At. 1:11 e 9:5). Esta
visão de Cristo que o chamou por seu nome, produziu um efeito inapagável em sua vida e em todas as
projeções de seu pensamento. (Ef. 1:20-22)
Seminário Bíblico das Américas8.
Cristo, nos Evangelhos, podia aparecer aos olhos incrédulos como um mero ser humano
histórico, fundador de uma religião. Mas nas Epístolas de Paulo, o elemento divino é irredutível e o
leitor não pode escapar a apresentação da divindade de Cristo como glorificado dono e Senhor de todo
(Col. 1:12-20).
3. Outra característica das cartas de Paulo é a revelação da IGREJA. O mesmo declara que isto
é um mistério que foi declarado a ele (Ef. 3:3-9), “ que os gentios sejam juntamente herdeiros e incor-
porados e consortes da promessa em Cristo mediante o Evangelho”.
Mas, além disso, a igreja é o corpo de Cristo e ele é a sua cabeça, se formando assim uma
unidade vital e orgânica entre ambos. (Ef. 1:22-23).
4. O termo MISTÉRIO é usado freqüentemente por Paulo. Na Bíblia, esta palavra quer dizer: “A
verdade divina revelada”, ou seja, uma verdade que se Deus não revelara, ficaria ignorada pelo homem.
Em Romanos 11:25 fala do “mistério do propósito de Deus para seu povo”. O texto de 1 Co.
2:6-10 faz uma profunda descrição do mistério da sabedoria de Deus revelada a seus filhos pela instru-
mentalidade da Palavra.
O apóstolo desejava que os mistérios de Deus fossem conhecidos pelos crentes a fim de que
nenhum deles fossem enganados por nada nem por ninguém. (Col. 2:2-5).
5. A GRAÇA ocupa um lugar muito importante nos escritos e nos ensinos de Paulo. Em Gálatas
2:21; 3:4 há o contraste com a lei. Esta sublime verdade dá harmonia e propósito a vida cristã.
A Graça divina é o gratuito e não merecido amor e favor de Deus ao pecador que se manifesta
especialmente no plano divino da redenção do homem por meio de Jesus Cristo. (Romanos 3:24-26).
LAS OUTRAS ESPÍSTOLAS DO NOVO TESTAMENTO
21
___________________ = Paulo
___________________ = Pedro
___________________ = João
___________________ = Tiago
___________________ = Judas
___________________ = ?
Seminário Bíblico das Américas 9.
A VIDA DO PAULO
A. SUA VIDA ANTES DA CONVERSÃO.
Paulo nasceu cerca do mesmo tempo que Jesus. Seu nome
de circuncisão era Saulo, mas logo em sua infância recebeu seu
nome gentio “Paulo”. Por ter nascido em Tarso, uma cidade
distinguida pela riqueza de seus habitantes na Ásia menor, que
também tinha uma universidade famosa, Paulo teve a oportuni-
dade de estudar.
Seu pai era fariseu (Atos 23:6). Mesmo sendo judeu, também era cidadão romano. Não sabemos
como recebeu esse privilégio, mas Saulo nasceu cidadão como todos os benefícios.
Na sua infância, Saulo aprendeu a profissão de fazedor tendas, mas decidiu estudar para ser
rabino, então quando tinha 13 anos foi a Jerusalém para estudar na escola rabínica sobre a orientação
de Gamaliel. É interessante que Gamaliel foi generoso com os apóstolos (Atos 5:34-39), mas Saulo
elegeu persegui-los.
Leia e anote o que você aprende a vida de Paulo em Fil. 3:4-6
B. SUA CONVERSÃO (ATOS 9:1-9)
A conversão de Paulo não somente marca as mudanças drásticas em sua vida pessoal, como
também na história da igreja apostólica e em toda humanidade. É o evento mais poderoso desde a
pregação de Pedro no Pentecostes. Não é nada menos que um milagre da Graça divina que o maior
perseguidor da igreja tenha se convertido.
Podemos ver o impacto de sua conversão dramática nas suas cartas. Existe uma ênfase na justi-
ficação somente pela fé e não por obras. Ele era perseguidor da igreja, e não fez nada para ganhar a
salvação. Era inimigo de Deus, mas como a negação de Pedro, isso foi rejeitado por Jesus. A conversão
de Paulo não foi somente para salvação, mas também, para ser apóstolo.
C. SUA PREPARAÇÃO
Imediatamente depois de sua conversão e visita curta a Damasco, Paulo se viajou para a Arábia
(Gál. 1:17) por 3 anos. Provavelmente foi na região desértica da Arábia perto de Damasco. Depois
regressou a Damasco por um tempo curto e regressou a Jerusalém. Em Jerusalém conheceu a Pedro
e a Tiago (o irmão de Jesus e líder da igreja em Jerusalém), não havendo conhecido a nenhum outro
apóstolo. Em Atos 9:23-25 encontramos que ainda que tenha passado somente 15 dias em Jerusalém,
foi suficiente tempo para causar uma oposição ao ponto de sofrer um atentado. Então, escapou para
Tarso por 10 anos até que Barnabé chegou para levá-lo a uma viagem missionária.
Seminário Bíblico das Américas10.
D. SUAS VIAGENS
Esquema das viagens de Paulo (Atos 9:1 e 11:30)
1. Caminho a Damasco (Conversão)
2. Damasco
3. Arábia (Gál.1:17)
4. Damasco
5. Jerusalém (primeira vez depois de sua conversão)
6. Tarso
7. Cilícia e Síria (vários anos, Gálatas 1:21)
8. Antioquia de Síria (1 ano)
9. Jerusalém (segunda visita)
10. Antioquía de Síria
Seminário Bíblico das Américas 11.
PRIMEIRA VIAGEM MISSIONÁRIA (ATOS 13 E 14)
Ponto de partida: Antioquia de Siria
1. Seleucia
2. Salamina
3. Pafos
4. Perge
5. Antioquia de Pisídia
6. Icônio
7. Listra
8. Derbe
9. Listra
10. Icônio
11. Antioquia de Pisidia
12. Perge
13. Atalia
14. Seleucia
15. Antioquia de Síria
Seminário Bíblico das Américas12.
SEGUNDA VIAGEM MISSIONÁRIA (ATOS 15:35 E 18:22)
Ponto de partida: Antioquia de Síria
1. Tarso
2. Derbe
3. Listra
4. Iconio
5. Antioquia de Pisidia
6. Troas
7. Neápolis
8. Filipos
9. Anfipolis
10. Apolonia
11. Tessalonica
12. Berea
13. Atenas
14. Corinto (18 meses)
15. Cencreas
16. Efeso
17. Cesarea
18. Jerusalem (4ª visita)
19. Antioquia da Síria
Seminário Bíblico das Américas 13.
TERCEIRA VIAGEM MISSIONÁRIA (ATOS 19:1 E 21:16)
Ponto de partida: Antioquia de Siria
por Galacia e Frigia
1. Éfeso (2 anos)
2. Troas
3. Macedonia
4. Corinto
5. Filipos
6. Troas
7. Mileto
8. Tiro
9. Tolemaida
10. Cesareia
11. Jerusalem (5ª visita-Prisioneiro 2 anos)
Seminário Bíblico das Américas14.
QUARTA VIAGEM MISSIONÁRIA ROMA – (ATOS 21:17 E 28:30)
Ponto de Partida: Antioquia de Siria
1. Sidom
2. Mira
3. Bons portos
4. Malta
5. Roma (2 anos prisioneiro) Liberdade?
6. Espanha? (Romanos 15:24,28)
7. Éfeso, Macedônia (1 Ti. 1:3)
8. Creta (Tit. 1:5)
9. Asia Menor (2 Ti. 1:15)
10. Nicopolis (Tit. 3:12)
11. Roma (preso por 2ª vez)
Martírio (II Ti. 2:9, 4:6-19)
Seminário Bíblico das Américas 15.
LIÇÃO 2
INTRODUÇÃO A EPÍSTOLA
A OS GÁLATAS
A carta aos Gálatas tem sido chamada de a
Carta Magna da Reforma.
Sem dúvida foi a carta favorita de Martinho
Lutero. O reformador disse, “ a Epístola aos
Gálatas é minha Epístola, é como um enlace matri-
monial com ela, é a minha Catarina (o nome da
sua esposa). Foi um estudo cuidadoso de Gálatas
que guiou a Lutero até uma revolução contra o
legalismo daqueles dias. “Só a Graça”, o tema de
Gálatas chegou a ser o tema da reforma.
A. A NATUREZA DE GÁLATAS
Olhe a introdução os receptores em 1 Co. 1:4-7 e Gálatas 1: 6-7 e note a diferença.
Gálatas é a única em sua severidade. É a única carta que não pretende ficar bem com os destinatá-
rios. Não há elogios, não há ação de graça. Não há pedidos de oração nem uma menção de seu estado em
Cristo. Ninguém é mencionado pelo nome. Não é um discurso teológico senão que é uma carta pessoal.
Porque estudarmos? A coisa mais perigosa para a igreja nunca foi o ateísmo, paganismo, seitas
ou religiões falsas. A coisa mais perigosa é a doutrina falsa dentro da igreja. Uma gota de veneno
é suficiente para envenenar um copo de água. A igreja hoje tem que ter cuidado com a doutrina da
salvação pelas obras. Qualquer doutrina fora da salvação completamente pela graça ou qualquer tipo de
legalismo é falso.
VERSÍCULO CHAVE 5:1 (R.V. 60)
“Estás,pois,firmesna___________________comqueCristonosfez___________________,
e não estais outra vez _____________________ ao jugo de ____________________.”
Seminário Bíblico das Américas16.
B. DATA E DESTINATÁRIO
Por muitos anos se pensou que
Gálatas foi escrita mais tarde que as
igrejas no norte da Galácia, mas 4: 13-14
mostra que Paulo tinha relação pessoal
com eles, então agora se considera que
Gálatas foi a primeira carta escrita por
Paulo no ano de 49 d. C.
Galácia é uma região na Ásia
menor onde está localizada a Turquia
hoje. Paulo e Barnabé estabeleceram 4
igrejas nas cidades de Antioquia, Icônio,
Derbe e Listra (Atos 13:14, 14:23)
A pessoas de Galácia era emocional e intensa. Cesar disse: “São caprichosos e não se pode
confiar neles.”
Leia Atos 14:8-20 e descreva o que foi que passou com Paulo enquanto ministrava na Galácia.
C. OCASIÃO E PROPÓSITO
Paulo foi perseguido pelos judaizantes em todo seu ministério, mas talvez nunca como tenha
ido à Galácia. Na Galácia os judaizantes haviam penetrado nas igrejas da Galácia e atacado a autori-
dade do apóstolo e o Evangelho que pregava, se opondo violentamente a seu ministério. Estes ataques
levantaram dúvidas quanto a legitimidade das pretensões apostólicas de Paulo, e alguns haviam
abandonado a liberdade do Evangelho de Cristo para se submeter à servidão dos ritos mosaicos.
Profundamente comovido pela notícia desta oposição e de tão grande apostasia, Paulo os escreve
a fim de expor qual é o verdadeiro Evangelho de Cristo e quais as únicas doutrinas cristãs acerca do
pecado e da salvação.
Sendo assim, a epístola aos Romanos e a epístola aos Gálatas, tratam de assuntos paralelos,
sendo que a segunda é menos extensa que a primeira, mas seu estilo, ainda que menos metódico, é
mais vigoroso.
Depois da introdução onde saúda as igrejas da Galácia e declara a fonte de seu ministério
apostólico, Paulo denuncia a vacilação dos gálatas e afirma sua posição como ministro do Evangelho
de Cristo.
Em seguida demonstra que o pecador se justifica diante de Deus pela fé e não pelo cumprimento
dos ritos da Lei mosaica, cujo objeto já havia sido cumprido, exorta a permanência na liberdade cristã
cuja natureza explica, e finalmente insiste com a prática das virtudes derivadas de uma verdadeira
experiência de liberdade em Cristo.
Seminário Bíblico das Américas 17.
Leia 1:1-10 Quais as duas acusações que fizeram os judaizantes contra Paulo?
D. ESBOÇO, (leia e ponha um título para as seguintes referências)
1. 1:1 – 2:29 ______________________________________________
2. 3:1 – 4:31 ______________________________________________
3. 5:1 – 6:18 ______________________________________________
E. TEMAS, (leia Gálatas e responda as perguntas sobre os temas seguintes)
1. Liberdade
Gálatas é nosso certificado de liberdade. Não estamos debaixo da jurisdição da lei. Mas esse fato
significa que podemos fazer qualquer coisa? Se não, o que significa para o crente? (2:4,4:31, 5:1-15, outros)
2. Graça (1:15, 2:21, 3:18, 5:4)
Graça é um dom de Deus para a salvação. A graça possibilita a fé, que é a resposta agradecida
a iniciativa de Deus. A fé é a aceitação da graça de Deus, mas esta não provoca aquela. Toda idéia
neo-testamentária de redenção e salvação gira em torno da graça de Deus manifestada na vida, obra,
morte e ressurreição de Cristo. É a base da nossa justificação, a verdadeira boa nova e a mesma
essência do evangelho.
Olhe o que Paulo diz sobre a graça na salvação e que significa na vida de um crente.
3. A lei (2:16, 19, 21; 3:11, 13, 24; 5:4, 14,18)
A lei servia como guia para dar a conhecer nossa necessidade de sermos perdoados. Cristo
cumpriu com as obrigações da Lei em nosso lugar. Devemos nos voltar para Ele a fim de sermos
salvos. Só Ele pode nos fazer justos diante de Deus.
Qual é o propósito da lei e o que significa na vida de um crente?
Seminário Bíblico das Américas18.
Seminário Bíblico das Américas 19.
LIÇÃO 3
ANALISES DE GÁLATAS
1. PAULO DEFENDE O EVAN-
GELHO E SUA POSIÇÃO APOSTÓ-
LICA (1:1; 2:21)
A. INTRODUÇÃO – 1:1-9
VERSÍCULO CHAVE 1:8
“Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo
do céu vos pregue __________________ que vá além
do que vos temos pregado, seja _______________.”
Aparentemente os judaizantes que perse-
guiram a Paulo em todo o seu ministério tinham
muita influência na Galácia. Os judaizantes pregavam
outro evangelho. Eles ensinavam que era necessário
converter-se ao judaísmo e ser circuncidado antes de
aceitar o evangelho. Eles queriam atacar a mensagem
e às vezes o método mais simples era atacar ao mensa-
geiro. Os judaizantes estavam dizendo que Paulo não
era um apóstolo verdadeiro e que só estava pregando
para seu próprio lucro.
1. Saudação 1:1-5
Desde o princípio desta carta Paulo defende seu minis-
tério. Em muitas de suas cartas Paulo se introduz dizendo
apóstolo ou servo, mas nesta carta agrega algo mais. O que é?
2. A situação 6-9: Afastado da Graça
Paulo expressa sua surpresa ao ver a rapidez que abando-
naram o evangelho. O cristão não deve se associar com um
falso mestre, sem importar com suas credenciais. O falso
mestre trata de justificar suas próprias ações ou crenças. Os
mestres têm influência e por isso são julgados mais estrita-
mente. (Tiago 3:1)
Apóstol:
Enviado com uma missão.
No sentido específico refere-se
a um grupo de pessoas enviadas
por Cristo. Os requisitos eram: ter
visto a Jesús ressuscitado e ter um
ministério de milagres. Só os 12
discípulos e Paulo pertenceram
a este grupo.
No sentido mais amplo refere-se
a mensageiros da Palavra. Berbabé
e Timoteo são exemplos.
Seminário Bíblico das Américas20.
Qualquer pessoa que ensine algo fora do evangelho verdadeiro é um falso mestre e corre perigo
de ser condenado.
Com suas próprias palavras. Qual é o evangelho verdadeiro?
B. PAULO DEFENDE SEU CARGO DE APÓSTOLO 1:10-24
VERSÍCULO CHAVE 1:11, 12
“Faço-vos, porém, saber irmãos, que o ____________________ por mim anunciado não é
segundo _________________; porque eu não o __________________ nem o ________________
de homem algum, mas mediante a _________________ de _________________.”
Leia Gálatas 1:10-24 e responda as seguintes perguntas:
Paulo enfatiza que o evangelho não possui
fonte humana:
Qual é a explicação de Paulo a esse respeito?
Como recebeu o evangelho?
Paulo usava seu testemunho para demonstrar
que ele era chamado de Deus e não por homem.
Antes de sua conversão era perseguidor da igreja. O
que pode ter causado nele uma mudança tão drástica?
A causa de sua mudança foi ver a Cristo ressusci-
tado. Esse mesmo Cristo lhe deu um chamado. Ele
demonstra que o evangelho não vinha de outros
apóstolos porque não passou tempo com eles.
Por que os Apóstolos glorificavam a Deus? (v.24)
Seminário Bíblico das Américas 21.
C. OEVANGELHODEGRAÇAAPROVADOPELALIDERANÇADEJERUSALÉM–2:1-10
Paulo fez 5 viagens a Jerusalém:
1. Visita pós-conversão.
2. Visita com ofertas para os pobres.
3. Visita ao Concílio de Jerusalém.
4. Visita depois da sua 2ª viagem missionária.
5. Última visita e encarceramento.
Não está bem claro que visita Paulo está mencionando, se é a segunda ou a terceira. O que
está bem claro é o que aconteceu nesta visita. Paulo havia traído a Tito, um verdadeiro cristão gentil,
discípulo de Paulo. Nunca em sua visita foi sugerido que Tito seria circuncidado. Entretanto, quando
os apóstolos deram suas bênçãos a Paulo e a Barnabé só apresentaram uma instrução, que não circun-
cidassem aos gentios senão que se lembrassem dos pobres.
D. A LEI O A GRAÇA? 2:11-21
VERSÍCULO CHAVE 2:20
“Estou crucificado com __________________; logo, já não sou eu quem vive, mas
_________________vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de
Deus, que me ___________________ e a si mesmo se ___________________ por mim.”
Por que Paulo brigou com Pedro?
Se havia um apóstolo que deveria ter apoiado a Paulo este seria Pedro. Foi ele quem por primeira
vez recebeu a mensagem de que o evangelho foi aberto para os gentios (Atos 10). Mas, Pedro foi
influenciado pela pressão social.
Quem mais foi influenciado por Pedro? (13)
De acordo com o versículo 20. Qual é nossa identidade?
Por que disse que Cristo morreu em vão se a justificação vem pela lei? (v.20)
Seminário Bíblico das Américas22.
2. SALVAÇÃO SÓ POR GRAÇA 3:1, 4:31
A. JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ E NÃO PELA LEI 3: 1-14
VERSÍCULOS CHAVES 3:13, 14
“Cristo nos resgatou da maldição da ___________________, fazendo-se ele próprio maldição
em nosso lugar (porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado em madeiro), para que
a benção de Abraão chegasse aos ____________________em Jesus Cristo a fim de que recebês-
semos, pela fé, o _____________________ prometido.”
1. O Espírito Santo se recebe por fé e não por obras 3:1-5.
Nos escritos de Paulo vemos muito o uso de perguntas sem respostas para estabelecer
seu argumento.
Quantas perguntas existem e qual é a resposta de cada uma?
2. Abraão foi justificado pela fé e não por obras 3:6-9
Como Abraão recebeu a justificação?
3. A maldição da lei 3:10-19
Qual é a relação entre maldição e a lei de Deus? Como podemos ser redimidos desta maldição?
O que veio primeiro a lei ou a promessa?
B. O PROPÓSITO DA LEI 3:20-, 4:11
VERSÍCULOS CHAVES 3:26-29
“Pois todos vós sois ___________________ de Deus mediante a fé em Cristo Jesus; porque
todos quantos fostes ____________________em Cristo de Cristo vos revestistes. Dessarte, não pode
haver ___________________ nem __________________; nem escravo nem liberto; nem homem
nem mulher; porque todos vós sois ___________________em Cristo Jesus.E, se sois de Cristo,
também sois descendentes de _________________e herdeiros segundo a __________________.”
Era comum naquela cultura colocar um filho sobre a supervisão de um escravo. Esse escravo
se chamava pedagogue. O pedadogue tinha a responsabilidade de treinar ao filho para obedecer a
seus pais e servia como professor ou tutor dele. O filho tinha que obedecer a este escravo até chegar
a maior idade (adulto). Quando chegava a ser adulto recebia os direitos de filho e o pai falava direta-
mente com ele. Ainda que, em muitos casos, o pedagogue mantinha sua amizade com o filho, jamais
se relacionariam.
1. Liberdade em Cristo 3:25-29
Qual é o tutor?
O que significa que “somos um em Cristo” no v. 28?
Seminário Bíblico das Américas 23.
2. Somos filhos de Deus 4:1-11
O que aprendemos sobre nossa relação com o Pai nestes versículos?
C. A REAÇÃO DOS GÁLATAS PARA COM PAULO 4:12-20
Como receberam a Paulo inicialmente? (13-15)
Qual era o desejo dos inimigos de Paulo? (17)
D. FILHOS DA PROMESSA 4:21, 5:1
Paulo usa uma ilustração alegórica nos versículos 21 e 31. Nesta ilustração, Agar representa
a lei e Sara a graça.
Que semelhanças encontramos no hoje em dia com relação aos filhos de Isaque e os
filhos de Ismael? (29)
3.VIVENDO EM LIBERDADE 5:2. 6:18
A. O PERIGO DO LEGALISMO 5:2-12
O aviso de Paulo contra a circuncisão estava ligado à idéia de que a mesma teria um valor espiri-
tual em si mesma. Os judaizantes estavam dizendo que ainda que a morte de Jesus tivesse muito valor
não era suficiente. Ensinavam que nós temos que cumprir o que Cristo fez, com nossas próprias obras.
Ensinavam que sem a circuncisão não se podia ser salvo. (Atos 15:1,5)
No capítulo 5, Paulo responde a esta doutrina. Veja os seguintes versículos e escreva 4 resul-
tados em caso de seguir a lei.
1. 5:2
2. 5:3
3. 5:4
4. 5:5, 6
B. PRÁTICA DA LIBERDADE 5:13-15
Paulo entendia que a liberdade cristã podia ser mal interpretada. Nosso chamado a liberdade é
um chamado livre do sistema legal da lei do antigo testamento. Um sistema impossível de cumprir.
Entretanto, tão pouco é uma oportunidade para a carne.
Qual é a maneira de viver em liberdade?
Seminário Bíblico das Américas24.
C. O CONFLITO ENTRE O ESPÍRITO E A CARNE 5:16-26
VERSÍCULOS CHAVES 5:16 E 24
“Digo, porém: _________________ no ________________ e jamais satisfareis à concupis-
cência da carne.”
“E os que são de Cristo Jesus ________________ a carne com as suas ________________ e
_________________.”
Quais são os três verbos que Paulo usa para indicar nossa direção pelo Espírito? (v.16, 18 e 25).
Qual é o resultado em cada um?
Faça uma comparação entre 5:17, 18 e Romanos 7:13-25 e responda como nos ajuda a poder
entender o capítulo 5:17,18.
1. Andai no Espírito 5:16-18
2. Obras da carne 5:19-21
3. Fruto do Espírito 5:22-26
D. EXECUÇÃO DA LIBERDADE: FAZEI O BEM A TODOS 6:1-10
Qual é a lei de Cristo? (6:2). Veja João 13:34; Gálatas 5:14 e Romanos 13:8-10
Leia 6:2. O contexto desta declaração é ajudar a um irmão a superar o pecado.
Pensando neste contexto, como cumprimos a lei de Cristo?
Você está vivendo debaixo da lei ou da graça? Você aceitou a graça de Deus para sua salvação,
mas, todavia, está vivendo debaixo da lei?
Avalie seu caminho debaixo do controle do Espírito Santo usando 5:16-21
Seminário Bíblico das Américas 25.
LIÇÃO 4
INTRODUÇÃO AS EPÍSTOLAS
À TESSALÔNICA
É o sonho de cada missionário poder escrever as Igrejas que fundou dizendo: ”damos sempre
graças a Deus por todos vocês”. Ainda que Paulo não tenha permanecido muito tempo em Tessalô-
nica, teve um grande êxito e a igreja cresceu.
Hoje em dia existe muito interesse nas profecias e nos acontecimentos dos últimos dias, por
esta razão existe uma tendência de ver as cartas somente como cartas escatológicas; perdendo assim
os ricos ensinos que contém. Sem dúvida, tem um ensino muito importante sobre a vinda de Cristo,
mas no contexto vemos um pastor preocupado pela sua congregação, que não perde sua esperança. As
epístolas aos Tessalonicenses são primeiramente instruções a uma igreja jovem.
Não existem outras duas cartas de Paulo mais parecidas no formato e no conteúdo como que
estas. Então estudaremos as duas juntas.
A. A NATUREZA DOS TESSALONICENSES
Veja os seguintes versículos e anote a atitude de Paulo aos receptores.
1 Ts. 1:2
1 Ts. 2:13-14
1 Ts. 2:19-20
1 Ts. 3:9
1 Ts. 5:11
2 Ts. 1:3, 4
2 Ts. 2:13
As Cartas aos Tessalonicenses estão cheios de gozo e esperança Paulo foi abalado pelo que
estava passando nas igrejas. Suas cartas refletem o gozo que ele tinha pelo crescimento e maturidade
desta jovem igreja.
Seminário Bíblico das Américas26.
VERSÍCULOS CHAVES 1 Ts. 4:14 e 2 Ts. 2:1-2
“Pois, se cremos que Jesus ________________e ________________, assim também Deus,
mediante Jesus, em sua companhia, os que ________________.”
“Irmãos, no que diz respeito à ________________ de nosso Senhor ________________
e a nossa ________________ com ele, nós vos exortamos, a que não vos demovais da vossa
________________, com facilidade, nem vos perturbeis, que por ________________, quer por
________________, quer por epístola, como se procedesse de nós, supondo tenha chegado o dia do
Senhor.”
B. DATA E DESTINATÁRIOS
Paulo escreveu as duas cartas durante sua
segunda viagem missionária, desde Corinto ao
redor do ano 50 ou 51. Geralmente é aceito que a
segunda carta foi escrita poucos meses depois que
a primeira, mas alguns opinam que foi ao contrário.
1. A cidade.
Tessalônica era uma das cidades maiores da
Macedônia na era apostólica. Foi muito importante
como centro comercial e político, sendo um grande
porto que atraía muito tráfico e uma população mista.
Estava situada sobre a rota mais importante que unia Roma com suas dependências orientais, e
debaixo dos Romanos se constituiu na capital de um dos quatro distritos que compunham Macedônia.
2. A Igreja.
Leia Atos 16 e 17 e anote o que aconteceu com Paulo e a Silas antes de chegarem a Tessalônica
e as verdades que ele pregou em Tessalônica.
C. OCASIÃO E PROPÓSITO
Paulo não podia ficar em Tessalônica por muito tempo por causa da perseguição. Ele junto com
Timóteo e Silas tiveram que fugir de Tessalônica e depois fugir de Beréia até Atenas. Pela sua preocu-
pação com as igrejas jovens, Paulo mandou Timóteo a Tessalônica e Silas a Macedônia para ver as
igrejas, ficando Paulo sozinho em Atenas, para fazer a difícil obra naquele lugar. Com pouco êxito em
Atenas, Paulo foi a Corinto desaminado.
Quando Timóteo chegou com suas informações, que tipo de notícias trouxe? I Ts. 3:6-9.
Seminário Bíblico das Américas 27.
Ainda que as notícias de Timóteo fossem esperançosas existiam algumas preocupações e a
primeira epístola aos Tessalonicenses é a resposta. A igreja jovem precisava do conselho de Paulo
para permanecer firme. Seus inimigos haviam dito que os evangelistas cristãos só trabalhavam para
conseguir dinheiro. Também perseguiram a esta jovem igreja dizendo que estavam seguindo a outro
rei. Também disseram que Paulo os havia abandonado e que ele não gostava deles. Esta carta também
corrige alguns maus entendidos sobre a vinda do Senhor. Eles pensavam que a vinda de Cristo era
rápida e estavam preocupados pelos irmãos que já estavam mortos. Esta epístola foi escrita poucos
meses depois para esclarecer o ensino sobre a vinda do Senhor.
D. ESBOÇO (leia e ponha um título às seguintes referências)
I Tessalonicenses II Tessalonicenses
1. 1:1-10 Introdução 1. 1:1-4 Introdução
2. 2: 1-16 ________________
3. 2:17, 3:13 ________________
4. 4: 1-12 ________________
5. 4:13, 5:11 Vinda do Senhor 5. 1:5, 2:17 Vinda do Senhor
6. 5:12-22 ________________ 6. 3:1-15 _________________
7. 5:23-28 Conclusão 7. 3: 6-18 Conclusão
E. TEMAS
1. A segunda vinda de Cristo
Uma grande porção do texto das cartas dedicada aos últimos aos tempos (I Ts. 4:13, 5:11 e II
Ts. 1:5, 2:17). Também muitos capítulos terminam com uma referência a segunda vinda (I Ts. 1:10,
2:19-20 e 3:13).
Leia as passagens e anote a informação sobre os últimos tempos.
2. Conduta da igreja
Leia I Ts. 5:12-28 e II Ts. 3:6-18 e observe os comandos de Paulo.
Seminário Bíblico das Américas28.
Seminário Bíblico das Américas 29.
LIÇÃO 5
ANALISES DE I E II TESSALONICENSES
1. INSTRUÇÕES PARA A VIDA
CRISTÃ (I Ts. 1:1, 4:12; II Ts. 1:1-12)
A. INTRODUÇÃO (I.Ts. 1:1-10; II Ts. 1:1-12)
VERSÍCULOS CHAVES I TS. 1:8 E II TS. 1:11
“Porque de vós _________________ a
palavra do Senhor, não só na Macedônia e Acaia,
mas também por toda a _________________ se
divulgou a vossa _________________ para com
Deus, a tal ponto de não termos necessidade de
_________________ coisa alguma.”
“Por isso, também não cessamos de
_________________ por vós, para que o nosso
Deus vos torne _________________ da sua
vocação e cumpra com _________________ todo
_________________ de bondade e obra de fé.”
Paulo sempre estava sobrecarregado com as responsabilidades das igrejas que ele havia fundado.
Com todo sofrimento e suas cargas pelas igrejas deve ter sido emocionante e restaurador ministrar em
Tessalônica. Em contraste a sua carta aos Gálatas, sua carta aos Tessalonicenses está cheia de elogio
e animo.
Como muitas das cartas de Paulo, sua carta aos Tessalonicenses está escrita para corrigir ensinos
falsos ou para responder as acusações dos que estavam perseguindo a igreja.
B. SAUDAÇÃO (I Ts. 1:1-3; II Ts. 1:1-2)
Suas cartas aos tessalonicenses são as únicas que não
levam título algum de Paulo, como Apóstolo ou Servo.
Por que não era necessário por título na sua carta aos
Tessalonicenses?
Seminário Bíblico das Américas30.
C. O TESTEMUNHO DOS TESSALONICENSES (I Ts. 1:4-10; II Ts. 3-12)
1. Sua conversão (I Ts. 1:4,5)
Os cristãos são os eleitos, escolhidos por Deus. (Mt. 24:22, 24, 31; Lc. 18:7; Rm 8:33; Cl 3:12,
II Tm 2:10). Deus elegeu ao homem para cumprir sua vontade e Ele é soberano. Isso é um tema
comum nas cartas de Paulo e o Novo Testamento. (Jo 6:37, 44; Ro 9:15-16; I Co 1:9; Ef. 1:4-6; II Ts.
2:13; II Tm 1:9; At 13: 46-48; Ap. 13:8; 17:8)
Também em I Ts. 1:6 e 9 surge que a vontade do homem participa na conversão. Não podemos
negar a eleição de Deus nem a vontade livre do homem. (Fp. 2:12-13; Rm. 10:9-10).
Uma das acusações dos que estavam perseguindo a igreja era de que não eram salvos verdadei-
ramente e que Cristo já veio e não nos levou. Então Paulo começou explicando o motivo pelo qual
podem estar seguros de sua salvação. Primeiro, porque foram eleitos por Deus e segundo pela maneira
na qual receberam o evangelho.
Em 1:5 vemos que o evangelho chegou em
palavras e também em:
a.
b.
2. O resultado de seu testemunho. (I Ts. 1:6-10)
Também a igreja em Tessalônica podia estar
segura da salvação pelo seu próprio testemunho.
Vemos no versículo 6 que a igreja foi estabelecida
em meio da perseguição.
Quais as coisas que Paulo testemunhou referente
aos Tessalonicenses? (v.5-10)
Quais coisas em seu testemunho podem lhe dar a segurança da sua salvação?
Seminário Bíblico das Américas 31.
3. São dignos do lugar no reino (II Ts. 1:3-5)
Paulo segue a discussão em II Tessalonicenses. É possível que depois de sua primeira carta
ficassem dúvidas e então Paulo segue explicando que eles são verdadeiramente salvos e tem o direito
de participar no dia do Senhor. Nos versículos 3-5 Paulo lhes mostra que podem confiar na sua salvação
porque são dignos de participar no reino.
O que demonstrou que mereciam um lugar no Reino de Deus? (4-5)
4. A vingança do Senhor (II Ts. 1:6-10)
Paulo não somente queria lhes dar segurança de que eles eram salvos e não faltariam ao dia do
Senhor, senão que também todos vão a receber sua recompensa. Os inimigos de Deus e os crentes vão
ser julgados.
Nos versículos 7 e 8, sobre que evento Paulo está falando?
Paulo está falando sobre o mesmo eventos nos versículos 9 e 10? Sim ou não? Por quê?
Leia os versículos 9-12 e diga quais os versículos pertencem ao juízo dos incrédulos e quais
pertencem aos crentes.
D. PAULO FUNDOU A IGREJA (I Ts. 1:1-16)
Para fazer frente às acusações dos perseguidores de Paulo recorda de seu ministério (1-12) e
como foi recebido (13-16)
1. O ministério de Paulo (2:1-12)
Leia 1-12 e ponha um adjetivo que descreva o ministério de Paulo dentro dos Tessalonicenses:
2:1-2 ___________________________
2:2 ___________________________
2:3 ___________________________
2:4 ___________________________
2:5-6 ___________________________
2:7-8 ___________________________
2:9 ___________________________
2:10 ___________________________
2:11 ___________________________
Seminário Bíblico das Américas32.
2. Como receberam o evangelho (2:13-16)
Paulo explica que da mesma forma que as igrejas na Judéia foram perseguidas pela sua própria
pátria, os Judeus, também os tessalonicenses foram perseguidos pelos seus companheiros.
“assim preencham eles sempre a medida dos seus pecados”. Seus pecados haviam chegados ao
limite, mas a ira de Deus viria a eles com toda severidade.
E. O GRANDE INTERESSE DE PAULO PELOS TESSALONICENSES (I Ts. 2:17, 3:13)
VERSÍCULOS CHAVES 3:12 E 13
“E o Senhor vos faça __________________ e __________________ no amor uns para com
outros e para com __________________, como também nós para convosco.”
“A fim de que seja o vosso coração __________________ em santidade, isento de
__________________, na presença do nosso Deus e Pai, na vinda do nosso Senhor Jesus, com
todos os seus santos.”
1.Em seu grande desejo de ver seus rostos (2:17-20)
Paulo entendeu que o desejo do inimigo é se opor ao Reino de Deus. Leia os seguintes versí-
culos e descreva alguns métodos que o inimigo usa para inibir a propagação do evangelho (Mt 13:19;
II Co 4:4; II Ts. 2:9; II Co 11:3, Jo 8:44)
Também vemos a presença do inimigo na igreja de:
Jerusalém (Atos 5:1-11)
Corinto (II Coríntios 2:1-11)
Éfeso (I Tito 3:6-7)
Esmirna (Ap. 2:9-10)
Pérgamo (Ap. 2:13)
Tiatira (Ap. 2:24)
Filadelfia (Ap. 3:9)
A batalha é real e o inimigo é como um leão rugindo buscando devorar os santos (I Pedro 5:8).
Leia Tiago 4:7 e I Pedro 5:9, sobre o que devemos fazer.
2. Ao mandar a Timóteo para ajudar-los e consolar-los (3:1-5)
Por que Paulo enviou Timóteo?
3. Em sua alegria ao regressar Timóteo com boas notícias (3:6-9)
O que alentou o coração de Paulo como fundador e ministro daquela igreja?
Seminário Bíblico das Américas 33.
4. Em sua oração por eles (3:10-13)
Paulo ora por 3 coisas específicas, quais são?
a.
b.
c.
F. APROFUNDAR AINDA MAIS (4:1-12)
Paulo estava muito alegre com o progresso da igreja em Tessalônica, mas não queria que eles
pensassem que seu crescimento havia terminado. Então Paulo anima-os a que se abstenham do pecado
e que amem ao irmão.
1. Conduta geral (4:1-2)
2. Conduta sexual (4:3-8)
Quais são as instruções sobre a vida sexual?
3. Conduta entre os irmãos (9-10)
Paulo dá 2 razões pelas quais não necessita escrever-lhes sobre o amor fraternal. Quais são?
a.
b.
Paulo deu 3 instruções de como andar com as pessoas de fora, quais são?
a.
b.
c.
Seminário Bíblico das Américas34.
Seminário Bíblico das Américas 35.
LIÇÃO 6
ANALISES DE I E II TESSALONICENSES
(continuação)
1. INSTRUÇÕES SOBRE A VINDA DE
CRISTO E CONDUTA NA IGREJA
(I Ts. 4:13-5:28; II Ts. 2:1-3:18)
A. INSTRUÇÕES SOBRE OS ÚLTIMOS
TEMPOS (I Ts. 4:13; 5:11, II Ts. 2:1-17)
VERSÍCULOS CHAVES I TS. 4:16 E 17
“Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua ________________ de ordem, ouvida a
________________ do arcanjo e ressoada a __________________ de Deus, descerá dos céus, e os
________________ em Cristo ressuscitarão ___________________.”
“Depois, nós, os _________________, os que ficarmos seremos _______________ junta-
mente com eles, entre _________________ para o encontro do Senhor nos ares e assim estaremos
para _________________ com o Senhor.”
1. Instruções sobre a ressurreição e o arrebatamento. (I Ts. 4:13-18; II Ts. 2:1, 2)
Talvez não exista uma doutrina que gere mais interesse que o arrebatamento da igreja. A igreja
em Tessalônica foi ensinada sobre o regresso do Senhor e o arrebatamento, mas estavam confundidos
em alguns aspectos. Primeiro pela perseguição, eles pensavam que já estavam no “Dia do Senhor” e
que eles não haviam sido arrebatados.
Leia II Ts. 2:2. Em sua opinião, o que estavam ensinando os falsos mestres?
Em que Paulo se baseia para assegurar que serão ressuscitados?
Quem serão os que ressuscitarão primeiro?
Vemos no versículo 14 que os que dormem são os que estão mortos em Cristo. É importante
entender que esse sonho fala somente do corpo e não da alma. II Co. 5:8 e Fp. 1:23 nos ensina que
quando morremos estamos instantaneamente na presença do Senhor. Não se deve confundir o Arreba-
tamento da Igreja (encontrando-se com Cristo no ar) com a segunda vinda, o momento quando Ele
virá com seus santos a terra para julgar aos pecadores e estabelecer seu reino. (II Ts. 1:7-12)
Seminário Bíblico das Américas36.
2. Nossa atitude diante do “Dia do Senhor” (I Ts. 5:1-11; II Ts. 2:13-17)
a. Sejam vigilantes. (I Ts. 5:1-8)
O dia é imprevisível (I Ts. 5:1-3)
O Dia do Senhor se refere a um tempo futuro que Deus mesmo irá intervir direta e dramatica-
mente nas coisas do mundo. Isso foi predito nos dois testamentos (veja também Is. 3:6-12; Jl. 2:28-32;
Sf. 1:14-18). Esse tempo irá incluir castigos para os inimigos de Deus e bênçãos para seu povo. Cristo
irá julgar o pecado e estabelecerá seu reino. Nesse tempo também estão incluídos o arrebatamento, a
grande tribulação, o estabelecimento do reino e o milênio, o juízo dos pecados e o juízo dos crentes.
A ordem dos eventos, especialmente o arrebatamento são bem discutidos. As opiniões principais são:
Pré-Tribulação: Jesus virá antes da tribu-
lação para levar sua igreja ao céu. Por 7 anos a
igreja passará o tempo celebrando a grande boda.
Depois de 7 anos regressarão com Cristo para
conquistar a Terra.
Pós-Tribulação: A segunda vinda e o
arrebatamento são um mesmo evento. Ainda que
a igreja receba alguma proteção e Deus, ainda
sim sofrerá. Depois da tribulação são chamados a
unir-se com o noivo (Cristo) e regressar com Ele
para estabelecer seu reino.
Pré-Ira: A tribulação está dividida em 2
partes: A ira do homem em que o anti- cristo e a
ira de Deus quando Deus irá julgar o mundo. Esta
teoria afirma que o arrebatamento ocorre depois
da ira do homem e antes da ira de Deus.
Em Ts. 5:1-3 menciona-se que ninguém sabe nem o dia nem a hora. O Senhor voltará de surpresa,
adverte Paulo. Já que ninguém sabe quando Jesus voltará a terra, deveríamos estar sempre prontos.
Deveríamos viver cada dia preparados para dar as boas vindas a Cristo.
Se Ele voltasse hoje: Como o encontraria vivendo? Você está pronto?
Seminário Bíblico das Américas 37.
Estejam preparados. (I Ts. 5:4-8)
Leia v. 4-8 e anote a diferença entre os crentes (preparados) e os não crentes (não preparados).
Anote também as diferenças.
Crentes Não Crentes
5:5 Filhos de Luz 5:4 Em Trevas
b. Não tenha medo (II Ts. 2:13-17)
Paulo ensinou de maneira firma que a salvação
começa e termina com Deus. Não podemos fazer nada
para obter a salvação por nossos próprios méritos,
devemos aceitar o presente de Deus que é a salvação.
Não existe outra forma na qual podemos obter
perdão pelos nossos pecados. Paulo está animando
aos crentes tessalonicenses ao recordá-los que foram
escolhidos por Deus desde o princípio. A santificação
é um processo de crescimento cristão através do qual
o Espírito Santo nos assemelhe a Cristo; ainda que
este processo não seja cumprido nesta vida, Paulo está
assegurando aos tessalonicenses outra vez que estão
no caminho de santificação pelo Espírito e que então
podem estar seguros na sua fé.
3. Três coisas que antecedem ao Dia do Senhor (II Ts. 2:1-8)
Paulo deseja lhes dar a segurança de que não estão no dia do Senhor, então ensinou que existem
3 coisas que tem necessitam acontecer antes que Jesus traga a sua Justiça. Quais são estas 3 coisas?
- (Vs.3)
- (Vs.3)
- (Vs. 7)
Seminário Bíblico das Américas38.
Há muita discussão dentro da igreja evangélica. O que é a apostasia e quando será? Quem
ou o que é o homem do pecado? Estes são eventos que ocorrerão no futuro ou já passarão? Alguns
identificam estes eventos como o papado e outros eventos futuros, por exemplo, quando os que estão
professando ser cristãos se afastem da igreja para seguir ao homem do pecado. Não podemos estar
seguros, mas podemos dizer com toda a certeza que o Dia do Senhor não irá começar até que o homem
identificado como anticristo apareça e os que estão alerta o reconheçam.
Quem detém ao homem do pecado? Não sabemos com certeza. Sugerimos 3 possibilidades: 1)
Governo e lei que ajudam a controlar a maldade. 2) O ministério e atividade da igreja e os efeitos do
evangelho. 3) O Espírito Santo ou a mão de Deus. A Bíblia não é clara sobre quem é ou que o deterá,
somente diz que será detido para sempre. Mas não devemos temer ao dia em que ele será detido por
aquele que irá deter-lo. Deus é muito mais poderoso que o homem do pecado e Ele salvará a seu povo.
Qual é o final do homem do pecado? (v.8)
4. Descrição do homem do pecado (2:9-12)
Leia versículo 9-12 e descreva como ele irá enganar as pessoas?
B. CONDUTA NA IGREJA (I Ts. 5:12-24; II Ts. 3:3-15)
1. Respeitar aos líderes (I Ts. 5:12-13)
Leia I Ts. 5:12-17; Hb 13:17 e I Tm.5:17 e descreva como deve ser nossa atitude frente aos lideres.
2. Instruções para os irmãos (I Ts. 5:14-15)
Anote as instruções de Paulo nestes versículos:
- Admoestar aos ociosos.
3. Conduta Pessoal (I Ts. 5:16-22)
Anote as instruções de Paulo sobre nossa conduta pessoal:
- Estar sempre gozosos.
4. Disciplina (II Ts. 3:3-15)
a. Que se afastem de todo irmão que ande desordenadamente (6)
b. O exemplo de Paulo (7-10)
c. O problema e a solução (11-15)
C. CONCLUSÃO (I Ts. 5:23-28; 3:1-2 e 3:16-18)
Seminário Bíblico das Américas 39.
LIÇÃO 7
INTRODUÇÃO AS EPÍSTOLAS
A OS CORINTOS
A. INTRODUÇÃO
Quando Paulo entrou em Corinto, ele
enfrentou uma tarefa impossível. Deus o
chamou para plantar uma igreja na cidade
mais pagã daqueles dias. Ainda usavam
a palavra korinthiazesthai para descrever
a alguém que vivia imoralmente. Como a
maioria das cidades gregas, Corinto tinha
uma Acropólis (cidade alta). A Acropólis era
um lugar onde as pessoas buscavam proteção
durante uma guerra e também era o centro
do culto pagão. Na Acropólis de Corinto
encontrou-se o templo famoso de Afrodite (a
deusa do amor). Esse templo tinha mil sacer-
dotisas prostitutas que viviam ali e desciam
à cidade todas as noites para buscar clientes.
A igreja em Corinto estava cheia de pessoas salvas do mundo pagão. Também Paulo teve que
enfrentar falsos mestres e divisões. Apesar de todos estes problemas, Paulo estabeleceu a igreja.
VERSÍCULOS CHAVES I CO. 1:10 Y II CO.5:20
Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus, que faleis _______________ a mesma
________________, e que não haja entre vós _________________; antes, sejais inteiramente
________________, na mesma _________________ mental e no mesmo parecer.
De sorte que somos __________________ em nome de Cristo, como, se Deus exortasse por
nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos __________________ com Deus.
B. DATA E DESTINATÁRIOS
Entendemos que foi escrita pelo Apóstolo Paulo desde Éfeso segundo Atos 20:31 e I Co. 16:5-8,
provavelmente ao terminar sua residência nesta cidade. O Apóstolo residiu três anos naquela cidade,
dados que datam a carta entre os anos 54 a 57 d.C. aproximadamente.
Seminário Bíblico das Américas40.
1. A Cidade:
Localizemos a cidade de Corinto
no mapa do Império Romano e isso nos
basta para nos convencer da impor-
tância da situação.
O golfo de Salônica ao oeste e
o golfo de Corinto ao leste, penetram
profundamente a península deixando
somente uma faixa estreita na terra
que mantém unido o extremo sul da
Macedônia (que é praticamente uma
ilha) com o resto do continente.
Nesteistmodesomenteseiskilometrosdelargura,estálocalizadaCorinto.Sabe-sequeosestreitos
e istmos são sempre lugares estratégicos para fins políticos, de navegação, de comércio e outros. Assim,
então Corinto chegou a ser um dos centros comerciais mais importantes do mundo antigo.
Todo tráfico da Grécia passava por ali, e ali se cruzavam todas as vias marítimas de leste a oeste
e terrestres de norte a sul.
O mercado proveniente do extremo leste do império se encontrava com o procedente do extremo
oeste; e o do extremo norte com o do extremo sul. E como se isso fosse pouco, para incrementar mais
transito e mais popularidade a esta cidade, esta era a cidade dos Jogos ístmicos, que ocupavam no
mundo antigo o segundo lugar depois dos Olímpicos.
2. População:
Nos dias de Paulo, sua população era bem heterogênea. Foi bastante perigoso navegar ao redor
da península. Havia um ditado que dizia: “um marinheiro não navegará ao redor do Malea até que
escreva seu departamento”. Por isso a maioria dos capitães escolhia levar seus barcos através deste
istmo sobre cilindros. Então para transportar esses barcos o Império Romano mandou muitos escravos
a Corinto, por isso havia uma população diversa.
Também estavam os veteranos romanos que César havia enviado ali. Quando um soldado romano
havia servido por um determinado tempo, lhe era outorgado à cidadania romana e era enviado a alguma
cidade recém fundada ou conquistada, lhe dando uma porção de terra para se tornasse um colono.
Havia mercadores aproveitando a supremacia comercial daquela cidade, também se encontravam
muitos judeus entre a população, muitos deles obtendo vantagens das oportunidades comerciais. Além
disso, havia fenícios, frigios e gente do oriente com seus costumes estranhos e modos exóticos.
Farrar, um importante historiador, descreve aquela população com estas palavras: “população
de raça indefinida e heterogênea, de aventureiros gregos e de romanos burgueses, de uma massa de
judeus, ex-soldados, filósofos, mercadores, marinheiros, libertos, escravos, mascates e agentes de
todo tipo de vícios.”
Seminário Bíblico das Américas 41.
3. A igreja
A igreja foi estabelecida durante uma visita de Paulo no ano 50.
Leia Atos 18 e anote como estabeleceu a igreja e com quem trabalhava.
C. OCASIÃO E PROPÓSITO
1. I Coríntios
Leia I Co. 1:12 e 3:4-6 e anote quem mais visitou Corinto.
Um dos grandes problemas em Corinto eram as divisões. Em lugar de considerar a cada servo
do Senhor como parte de um todo, haviam fracionado em grupos, cada um dos quais exaltava o seu
mestre favorito. Além disso, Paulo em sua segunda visita a cidade encontrou uma igreja imoral, então
escreveu uma carta segundo podemos ver claramente em I Co. 5:9, censurando a imoralidade da
igreja (desconhecemos a razão pela qual não foi preservada). Esta carta perdida a sua vez deu como
resultado que os crentes de Corinto escrevessem ao Apóstolo (I Co.7:1) solicitando instrução acerca
da relação entre ambos os sexos e outros assuntos. Também Paulo recebeu visitas da família de Cloe
(1:11). Então esta carta é a resposta a carta da igreja pedindo instruções e o informe que recebeu.
2. II Coríntios
Depois de sua primeira carta Paulo visitou por um breve tempo a igreja (II Co. 2:1, 13:2).
Essa visita ocasionou dor e tristeza, então Paulo mandou outra carta severa por meio de Tito (2:4,
7:6-8). Parece que esta carta também se perdeu. As cartas anteriores de Paulo não resolveram todos
os problemas. Alguns líderes carnais estavam influenciando as pessoas, é por isso que Paulo escreve
defendendo sua autoridade e pedindo lealdade a igreja.
D. ESBOÇO (leia e coloque um título as seguintes referências)
I Coríntios II Coríntios
1:1-9 Introdução 1:1-11 Introdução
1:10-3:23 _____________________ 1:12-2:13 _____________________
4:1-21 _____________________ 2:14-17 _____________________
5:1-6:20 _____________________ 3:1-18 _____________________
7:1-40 _____________________ 4:1-5:21 _____________________
8:1-11:1 _____________________ 6:1-10 _____________________
11:2-14:40 _____________________ 6:11-7:16 _____________________
15:1-58 _____________________ 8:1-9:15 _____________________
16:1-4 _____________________ 10:1-12:13 _____________________
16:5-24 Conclusão 12:14-13:10 _____________________
12:11-14 Conclusão
Seminário Bíblico das Américas42.
E. TEMAS
1. I Corintios.
a. Imoralidade: Paulo encontrou cristãos carnais na igreja. Os cristãos não devem se
comprometer com idéias e práticas pecaminosas. Não devemos nos confundir com as
pessoas que nos rodeiam. Você deve viver de acordo com as normas morais de Deus e não
passar despercebido pelas condutas imorais ainda que a sociedade as aceite.
Existe alguma área na sua vida que está acomodada ao mundo?
b. Divisão: Devemos nos preocupar pelos irmãos, e não brigar com eles.
Você é mais leal a Cristo ou a um líder? Existe algo mais que você possa fazer
pelos irmãos da sua igreja?
c. Liberdade: A igreja em Corinto estava usando mal sua liberdade. Somos livres em Cristo,
entretanto, não devemos abusar da nossa liberdade cristã para sermos irresponsáveis
e insensíveis aos outros.
Qual área da sua vida pode melhorar?
d. Adoração: Paulo enfoca a desordem na adoração. As pessoas estavam participando da
Ceia do Senhor sem confessar seus pecados. Estavam usando mal os dons espirituais
e havia confusão quanto ao papel da mulher da igreja.
e. A Ressurreição:
Por que é importante a ressurreição?
2. II Coríntios.
a. Disciplina: A meta da disciplina é a correção, não a vergonha. Uma igreja eficaz confronta
os problemas. Sua igreja disciplina com amor?
b. Esperança: Para animar aos coríntios que estavam enfrentando provas, Paulo recordou
que eles receberiam novos corpos no céu. Isso seria uma grande vitória em contraste com
o sofrimento que experimentavam.
Como nos dá esperança o fato de que receberemos corpos novos?
Seminário Bíblico das Américas 43.
LIÇÃO 8
ANALISES DE 1ª CORÍNTIOS
1. CORRIGINDO PROBLEMAS NA IGREJA
PARTE I (1:1-6:20)
A. INTRODUÇÃO (1:1-9)
VERSÍCULO CHAVE 1:9
“Fiel é _____________________, pelo qual fostes chamados
à __________________ de seu filho Jesus Cristo, nosso Senhor.”
1. Saudação (1:1-3)
Outra vez Paulo se apresentou como Apóstolo. Quando
uma corte suprema judaica arbitrava uma situação, eles sempre
mandavam sua decisão pelo Apóstolo. O apóstolo tinha toda autoridade do
Sinédrio. Ele não falava por si mesmo senão pelo Sinédrio, era mais que um
mensageiro, era embaixador ou emissário.
Sóstenes: era líder da sinagoga depois de Crispo.
O que aconteceu com Crispo? (Atos 18:8)
Leia Atos 18:12-17 e descreva o que aconteceu com Sóstenes.
Depois desse incidente ou talvez por esse incidente, Sóstenes tornou-se um irmão e compa-
nheiro de Paulo. Os Coríntios são chamados a ser segundo I Co. 1:2:
2. Ação de Graças pelos Coríntios (1:4-9)
Em quase todas as cartas de Paulo há uma ação de graças pelos receptores. Em Tessalonicenses
vemos suas ações de graça pela sua obra, fé, testemunho, etc. Em primeira de Coríntios Paulo dá
graças não pelo que os Coríntios tem feito, senão pelo que Deus tem feito por eles.
Quais são algumas dessas coisas que Deus tem feito? (1:4-9)
Seminário Bíblico das Américas44.
2. FRAÇÕES E RIVAIS NA IGREJA (1:10-4:21)
A. CAUSAS DA DIVISÃO (1:11-3:15)
1. Lealdade ao homem em vez de lealdade a Cristo (1:10-17)
2. A necessidade de harmonia. (1:10)
Paulo pede que eles sejam perfeitamente unidos em duas coisas, quais são?
a. _________________________
b. _________________________
Esta petição é por harmonia doutrinária. Isso não significa que devemos ser fotocopias uns dos
outros. Somos indivíduos únicos. Temos nossas próprias idéias e opiniões, mas na doutrina básica
devemos estar de acordo com nossa igreja e sua liderança. Então se uma situação surge, devemos
apresentar nossas preocupações com cuidado e humildade.
Filipenses 2:3 tem a chave para a unidade. Qual é?
3. Lealdade da igreja. (1:11-17)
Paulo menciona pelos menos 4 frações:
a. Leais a Paulo: Paulo estabeleceu a igreja e esteve ali por 18 meses.
b. Leais a Apolo: Apolo foi o segundo pastor em Corinto.
c. Leais a Cefas ou Pedro: Provavelmente judeus e pode ser que converteram no
dia de Pentecostes.
d. “De Cristo”: Era um grupo orgulhoso que não pertencia a outro grupo. Eles tinham
o nome correto, mas a atitude equivocada.
4. Olhando a sabedoria do homem em lugar da sabedoria de Cristo (1:18-25)
VERSÍCULO CHAVE (1:25)
“Porque a loucura de Deus é mais _______________ do que os homens; e a ______________
de Deus é mais forte do que os homens.”
Naqueles dias havia uma ênfase na busca da sabedoria. Mas, algumas vezes naqueles dias, como
hoje, havia um conflito entre a sabedoria do homem e a sabedoria de Deus. Quando existe um conflito,
entre o que o homem ensina e o que a bíblia ensina a Bíblia sempre está correta.
Você tem aprendido algo que é contrário a Bíblia? Como responderia?
Seminário Bíblico das Américas 45.
O grande exemplo hoje em dia é a evolução. Qualquer teoria de criação fora de Deus está equivo-
cada. Em toda a história os inimigos da Bíblia têm atacado a palavra buscando erros. No século XIX
os adversários levantaram a opinião de que era impossível que Moisés tenha escrito os 5 primeiros
livros da Bíblia. Dizem que não existiam escritos tão complicados naqueles tempos. Hoje sabem que
não somente havia escritos complicados, senão que existia um sistema de correio internacional.
5. A loucura da Cruz.
Que coisas os judeus buscavam? O que buscavam os gregos?
A idéia de a morte de Jesus é o caminho para salvação era uma loucura para ambos, os judeus e
gregos. Para os judeus porque antecipava o Messias como um vitorioso conquistador; os gregos não
podiam compreender como a morte de alguém podia produzir vida.
Leia Dt. 21:22-23 e descreva o que os judeus pensavam sobre alguém pendurado num madeiro.
B. ESQUECENDO A NATUREZA DE SEU CHAMADO (1:26-2:5)
Leia os versículos 26-31 e preencha a tabela:
O que Deus procura O que o homem procura
Nossa união e identificação com Cristo nos leva a atingir 4 coisas:
a. ______________________________________
b. ______________________________________
c. ______________________________________
d. ______________________________________
1. O exemplo de Paulo (2:1-5)
Como descreveria Paulo seu ministério?
Por que Deus permitiu a Paulo trabalhar dessa forma? (1:29-31)
Seminário Bíblico das Américas46.
C. ESTAVA BUSCANDO SABEDORIA COM SUA PRÓPRIA
MENTE E NÃO COM O ESPÍRITO (2:6-16)
1. A sabedoria verdadeira não é descoberta pela razão humana (6-9)
Qual é a prova de que eles não entenderam a sabedoria de Deus? (8)
2. A sabedoria de Deus é revelada: (2:10-16)
a. Por revelação (2:10-11)
b. Por inspiração (2:12-13)
c. Por iluminação (2:14-16)
D. A VIDA CARNAL (3:1-9)
Um novo convertido descreveu sua conversão como um ciclista subindo uma montanha,
chegando a um ponto e pensando que podia custar o resto de sua viagem só, para descobrir que está
só no principio da sua subida. Assim é para o novo convertido. Se pensarmos que nossa luta com o
pecado terminou estamos equivocados. A vitória é segura, mas o processo é contínuo.
1. Carnais pela sua imaturidade (3:1-4)
Quais são alguns dos sintomas de um cristão carnal?
2. Carnais pela sua lealdade (3:5-9)
Outra vez Paulo fala sobre o tema da unidade. Que não somente estejamos unidos na igreja,
senão que também na obra.
Quem dá o crescimento?
Quem recebe a recompensa?
Seminário Bíblico das Américas 47.
E. MOTIVOS FALSOS (3:10-17)
Paulo segue com sua discussão sobre as divisões na igreja, mas o contexto aqui é a segunda
vinda. Paulo mostra como nosso comportamento e atitudes irão afetar nosso futuro juízo. O crente não
será julgado pelos seus pecados senão receber o premio pelas suas obras.
Seremos julgados segundo:
a. I Co. 4:5 ________________________________________________________________
b. Rm. 14:10, 12, 13 ________________________________________________________
c. II Co. 5:10 ______________________________________________________________
Paulo descreve 3 tipos de obreiros: o Construtivo, o Inútil, o Destrutivo.
O que recebe cada um destes?
1. Como eliminar a divisão (3:18-23)
A base da divisão é o orgulho. A igreja em Corinto era orgulhosa com respeito aos seus líderes,
seus dons, sua liberdade, seu ministério, etc. Então Paulo disse que devemos ter a perspectiva correta
nestas 4 áreas. Quais são?
a. vs. 18-20 _______________________________________________________________
b. vs. 21-22ª aos líderes, outros
c. v. 22ª nossas possessões
d. v. 23 __________________________________________________________________
2. O serviço (4:1-21)
a. O servo verdadeiro (4:1-5)
Anote a atitude de Paulo sobre julgar os servos.
b. O orgulho dos Coríntios (4:6-8)
c. A humildade dos Apóstolos (4:9-13)
d. O motivo de Paulo ao escrever a carta (4:14-21)
Paulo explica que a razão de escrever esta carta tão dura é por se sentir seu pai espiritual. Paulo
como pai espiritual tem várias responsabilidades. Quais são? (4:12-21)
Seminário Bíblico das Américas48.
3. IMORALIDADE NA IGREJA (5:1-6:20)
A. SOBRE O INCESTO (5:1-13)
1. Entregar aos fornicadores à disciplina (5:1-8)
Aparentemente havia um homem que tinha relações com a esposa de seu pai. Isso não somente
foi condenado pela lei judia (Lv. 18:8,29), senão que também pela lei Romana. Era uma vergonha que
a igreja não só não disciplinava, senão que também, tinha orgulho de sua liberdade.
Paulo instrui claramente a igreja. O que deveria ser feito nessa situação?
Em Mateus 18:15-20 Jesus dá três passos para a disciplina. Quais são?
a. __________________________________
b. __________________________________
c. __________________________________
2. Separar-se dos crentes imorais (5:9-13)
Paulo explica que devemos nos separar dos não crentes imorais. Por quê?
B. SOBRE O LITIGIO ENTRE OS CRENTES (6:1-11)
Um cristão não deveria levar um irmão diante do Tribunal secular. É uma vergonha diante do
mundo. Nós somos capazes de resolver as disputas, e, além disso, nós julgaremos aos anjos. (v3)
Quem não será herdeiro do reino?
C. ADVERTENCIA SOBRE A IMORALIDADE SEXUAL (6:12-20)
VERSÍCULO CHAVE 6:12
“Todas as coisas me são ____________________, mas nem todas ______________________
_________; Todas as coisas me são ________________
Mas eu não me deixarei ______________________por nenhuma.
1. O princípio da liberdade (v.12)
Ainda que o contexto fala sobre pecado sexual, este versículo é um bom princípio acerca da liberdade
cristã. Somos livres, mas nem todas as coisas nos convêm. Não devemos ser dominados por nenhuma coisa.
2. O valor do Corpo (13-20)
Aqui vemos que um dos problemas mais graves da igreja em Corinto era a fornicação. A filosofia
daquele tempo era: “O estomago é para a comida e a comida é para o estomago, então o corpo é para o sexo
e o sexo para o corpo”. Paulo mostra que o corpo não é para imoralidade sexual senão que nosso corpo é:
a. v. 13 ___________________________________
b. v. 15 ___________________________________
c. v. 19 ___________________________________
d. v. 20 ___________________________________
Seminário Bíblico das Américas 49.
LIÇÃO 9
ANÁLISES DE 1ª CORÍNTIOS
(continuação)
1. RESPONDENDOASPERGUNTAS(7:1-11:33)
A. CONCERNENTE AO CASAMENTO (7:1-40)
Nos capítulos 7-11, Paulo respondeu a uma carta que
recebeu deles. A primeira pergunta que eles tinham era relativa
ao casamento. Os problemas na igreja eram um reflexo da
sociedade onde estava localizada. A sociedade tolerava
formação, adultério, homossexualidade, poligamia, concubi-
nato e divórcio. A igreja em Corinto não se havia separado
completamente desta cultura.
VERSÍCULO CHAVE 7:2
“Masporcausada____________________,cadaumtenhaasuaprópria_________________,
e cada uma seu próprio _____________________.”
1. O Celibato (1:1-7)
Outro problema na igreja de Corinto eram as divisões sobre os solteiros. Ainda que alguns
houvessem caído em libertinagem e fornicação, outros estavam dizendo que os solteiros eram mais
espirituais e que o sexo era uma coisa má. Pois os cristãos judeus tinham seu ensino de Gn. 1:28 e
2:18. O que diz?
Então Paulo teve que responder a essas perguntas.
a. O Celibato é bom (7:1)
b. O Celibato não é sempre o correto (7:2-5)
Dentro do casamento o celibato não é correto. O sexo não somente é um privilégio no
casamento como também uma responsabilidade, “dever conjugal” e uma parte regular
dentro de um casamento sadio. Então Paulo instrui aos Coríntios que o esposo e a esposa
não devem negar-se um ao outro.
Qual o único caso aceito?
Qual são as instruções neste caso?
Seminário Bíblico das Américas50.
c. O Celibato pode ser um dom. (7:6-9)
O Celibato, como um casamento, é um dom de Deus. Como todos os dons é algo que nem
todos possuem.
Por que Deus dá o dom da continência? (veja versículos 7:32-35)
Alguns ensinam que os “solteiros” no versículo 8 são os que nunca estiveram casados.
Outros dizem que a palavra traduzida “solteiros” ágamos não é a palavra geralmente
traduzida como solteiro, nunca casado, virgem ou donzela parthenoi, pois a palavra
parthenoi onde se encontram estas duas palavras juntas no versículo 34, então a palavra
ágamos significa divorciada e se refere a alguém divorciada antes da sua conversão.
Em qualquer dos dois casos Paulo ensina que o melhor é ficar como?
B. DIREÇÃO AOS CASAMENTOS (7:10-16)
1. Aos casados com outro crente (10-11)
Paulo diz que este ensino vem diretamente do Senhor. Podemos vê-lo em Mateus 5:31, 32 e Mateus
19:1-8. O ensino é claro: se dois crentes de divorciam e se casam com outro estão cometendo o que?
2. Aos casados com um não crente (12-16)
a. O não crente quer permanecer casado (12-14)
Agora Paulo diz que este ensino não é diretamente de Cristo, senão que é seu próprio.
Do mesmo modo é uma instrução que temos que obedecer. Se o não crente deseja continuar
casado o crente está debaixo da mesma obrigação como se fosse cristão.
b. O não crente não quer permanecer casado (15-16)
Muitos dos esposos incrédulos não queriam tolerar a nova religião de suas esposas. Então
se divorciavam. Paulo diz que é necessário deixá-los sem contestar o divórcio. Além
disso, o crente “não está sujeito a servidão em caso semelhante” que quer dizer que é
como se nunca casaram.
O casamento não é algo para decidir facilmente, senão que é melhor não se casar do que
entrar em uma união que pode terminar. A filosofia do mundo ensina que o casamento é
algo que podemos “provar” se não nos convém podemos terminar. A opinião de Deus é
distinta. Qual é a opinião de Deus? (Ml 2:16)
Se você está casado, você vê seu casamento como algo permanente? O que está fazendo para
melhorar seu casamento?
Seminário Bíblico das Américas 51.
C. DEMORA NO CHAMADO DE DEUS (7:17-24)
“O estado em que foi chamado” se refere a: estado civil, estado de circunciso, estado de escra-
vidão ou livre e estado social. Ainda que o novo crente possa melhorar sua situação a mudança mais
importante é o interno e não o externo.
D. DIREÇÃO AOS SOLTEIROS (7:25-40)
1. As virgens (25-35)
Paulo dá 3 razões pelo qual é melhor permanecer solteiro. (Leia os versículos e anote a razão)
a. vs. 25-28 (também anote se esta razão é válida para o dia de hoje (v. 26)
b. vs. 29-31
c. vs. 32-35
2. Os votos do Pai (7:36-38)
Naquela altura, muitos dos casamentos eram acertados pelos pais. Alguns pais faziam um voto
para que sua filha ficasse solteira pelo resto da sua vida para servir ao Senhor, mas Paulo está dizendo
se elas não têm o dom do celibato, devem deixar que se casem.
3. Guia as viúvas (39-40)
Leia também I Timóteo 5:9-16 e anote o conselho para as viúvas.
2. CONCERNENTE A LIBERDADE (8:1-11:1)
A. LIBERDADE E O IRMÃO DÉBIL (8:1-13)
Os romanos e gregos tinham muitos deuses. Também criam que o ar estava cheio de espíritos
que queriam invadir aos corpos humanos. O método mais fácil era habitar a comida. O único
método de limpar a comida era sacrificar-lo a um ídolo. Os sacrifícios eram divididos em 3 partes: 1.
Queimando em sacrifício ao deus. 2. Para pagar ao sacerdote. 3. Para comer. Muitas carnes guardadas
para os sacerdotes eram vendidas nos mercados. Esta carne tinha muito valor porque estava limpa dos
espíritos. Por isso, era a carne preferida para servir aos convidados nas festas.
Paulo identifica 2 tipos de crentes:
- Os Imaturos: os que não comiam a carne porque pensavam que era algo pagão.
- Os Maduros: os que entenderam que a carne em si mesma não era pecado.
1. Paulo dá 3 razões para que os maduros pudessem comer carne:
a. vs. 1-3 temos o devido __________________________
b. vs. 4-7 sabemos que um ídolo ____________________
c. vs. 8 a comida não significa nada _________________
Seminário Bíblico das Américas52.
2. Exortação a cuidar do irmão débil (8:9-13)
VERSÍCULO CHAVE (V. 13)
“E por isso, se a comida serve de _________________ a meu irmão, nunca mais comerei
carne, para que não venha a _________________.”
Nossa liberdade nunca deve ser de tropeço para um irmão débil. Quando alguém é imaturo não
tem claro entendimento da liberdade e tem tendência ao legalismo. Quando estamos com irmãos não
somente temos que seguir nossa própria consciência, senão que a dos irmãos também.
B. PAULO UMA ILUSTRAÇÃO DE LIBERDADE (9:1-27)
1. As razões que tem o direito de receber sustento. (9:1-14)
Para ilustrar que não tem que se aproveitar da liberdade, Paulo ensina as razões pelas quais tinha
direito a receber sustento. Nos versículos 15-27, ele mostra as razões pelas quais não aproveitou este
sustento ainda que ele fosse livre.
a. Porque era um apóstolo (9:1-6)
b. É lógico (9:7)
c. É a lei (9:8-11) (veja Dt. 25:4)
d. Tem sustentado a outros (9:12)
e. É o patrão (9:13)
f. Foi proclamado por Jesus (9:14) (veja Lc. 10:7)
2. As razões pelas quais ele não aproveitou este sustento (9:15-27)
a. Para não perder seu prêmio (9:15-18)
b. Para ganhar mais para Cristo (19-27)
Nos versículos 19-23, vemos que Paulo se negou a si mesmo, negou seus direitos e ainda sua
própria cultura para ganhar mais.
VERSÍCULO CHAVE 9:22
“Fiz-me ______________________ para com os ______________________, com o fim de
ganhar os ______________________. Fiz-me tudo para com todos, com o fim de, por todos os
modos, salvar alguns.”
Seminário Bíblico das Américas 53.
Aqui os débeis não são cristãos que caem no pecado, senão os legalistas. Paulo está dizendo que
negou seu direito de participar em atividades que ofendam para ganhar mais.
Nos versículos 24-27 Paulo usava um exemplo entendido pelos Coríntios. Paulo usa uma
ilustração de um evento dos jogos ístmicos.
VERSÍCULO CHAVE 9:27
“Mas esmurro o meu ______________________ e o reduzo à ____________________, para
que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser ________________________.”
Ainda temos o direito de participar em algumas atividades, para ganhar mais temos que por
nosso corpo em servidão. “desqualificado” significa perder seu testemunho.
Existe alguma atividade que você esteja fazendo que seja de tropeço para um irmão débil ou que
iniba testificar aos não crentes?
C. ILUSTRAÇÃO DO POVO DE ISRAEL (10:1-13)
1. Não tinham desculpas para desobedecer (10:1-4)
Ainda que Deus guiasse os israelitas através de uma nuvem. Ainda que eles vissem os milagres
de Deus e atravessassem o mar em terra seca. Ainda que Deus tenha providenciado comida e bebida,
eles não obedeciam. Eles tinham uma lenda, diziam que depois de que Moisés bateu na rocha, a rocha
seguiu ao povo. Paulo está dizendo que a rocha que antes seguia a eles, agora essa rocha é Cristo. O
cristão não tem desculpas para abusar da liberdade porque temos a Cristo.
2. O mal exemplo de Israel. (10:5-10)
3. O propósito do exemplo (11-13)
Paulo nos dá a promessa que Deus não nos deixará ser provados. Como?
D. COMO USA SUA LIBERDADE PARA GLORIFICAR A DEUS (10:14-11:1)
APLICAÇÃO:
- Fugir da idolatria (14-22)
Nossa liberdade não dá o direito de pecar.
- A liberdade é par glorificar a Deus. (10:23-11:1)
Seminário Bíblico das Américas54.
Paulo dá 4 princípios de como aplicar a liberdade:
1. vs. 23 Edificação sobre gratificação.
“Todasascoisasmesão_______________________,masnemtodasme____________________;
todas as coisas são ______________________, mas nem todas _______________________.”
2. vs. 24 Ponha outros sobre si mesmo.
“Ninguém busque seu próprio ______________________, e sim o de _________________.”
3. Vs. 25-27 Liberdade sobre o legalismo.
4. Vs. 28-30 Consciência sobre condenação.
Paulo ensina que temos que seguir a consciência de quem?
5. O propósito da liberdade (10:31-11:1)
Paulo ensina que tudo o que fazemos deve glorificar a Deus e nenhuma outra coisa deve impedir
que outros conheçam ao Senhor.
3. PERGUNTAS SOBRE A ADORAÇÃO PÚBLICA (11:2-34)
A. O PAPEL DOS SEXOS (11:2-16)
1. A ordem divina (11:2, 3)
A ordem divina: Deus ------ Jesus ------ ____________________ ------ ___________________.
A ordem de Deus é que o homem seja um líder espiritual.
2. Aplicação na oração (11:4-10)
Um dos problemas em Corinto era que as mulheres estavam vivendo como homens. Cortavam
seu cabelo como homens, usavam roupas de homem, deixaram de cuidar de suas crianças, etc. O papel
dos sexos vem do Senhor. Não podemos negar.
3. Não levar o princípio dos papéis ao extremo (11:11-12)
4. A ordem natural (11:13-16)
Seminário Bíblico das Américas 55.
B. A SANTA CEIA (11:17-34)
1. A perversão da Santa Ceia. (11:18-22)
Na igreja primitiva a santa ceia era uma festa. Cada um levava comida para compartir. Os ricos
levavam sua comida, mas comiam a parte, diante dos pobres que não tinham comida. Os pobres iam
para comer, mas saiam com fome. Os ricos saiam embriagados. Não podiam chamar a ceia do Senhor
porque o propósito não era para relembrar a Cristo, senão somente uma ceia.
2. O propósito da Santa Ceia: Recordar a morte de Cristo (11:23-26)
3. Como estar preparado para tomar a Santa Ceia. (27-34)
O que devemos fazer antes de tomar a Santa Ceia? (v.28)
O que acontece com os que comem a Santa Ceia indignamente? (v.29)
O que havia acontecido com os Coríntios que comeram indignamente? (v.30)
Seminário Bíblico das Américas56.
Seminário Bíblico das Américas 57.
LIÇÃO 10
ANÁLISES DE 1ª CORÍNTIOS
(continuação)
1. RESPONDENDO AS PERGUNTAS
(12:1-16:24)
A igreja de Deus não é um clube onde as pessoas
se encontram para discutir crenças. A igreja é um ser
vivo sobrenatural. É um corpo em que Cristo é o cabeça
e cada crente é um membro. Paulo segue respondendo
aos problemas na igreja de Corinto.
A. SOBRE OS DONS ESPIRITUAIS (12:1-14:40)
1. A Prova (12:1-3)
Em Corinto havia muitas religiões falsas, e também falsos milagres e manifestações de falsos
dons. Qual é a prova de alguém que fala pelo Espírito Santo?
2. A origem e propósito dos dons (12:4-7)
- Há diversidade de dons, mas o mesmo ________________________________________.
- Há diversidade de ministérios, mas o mesmo ___________________________________.
- Há diversidade de atividades, mas o mesmo ___________________________________.
O propósito dos dons é? (v. 7)
3. A diversidade dos dons. (8-11)
Quem é o autor dos dons?
Como os dons são repartidos? (v.11)
Havia membros na Igreja de Corinto cheios de orgulho pelos dons que Deus havia dado.
Paulo está dizendo que nós não podemos estar orgulhosos por estes dons porque vem do Espírito para
seu propósito divino. Existe muita discussão sobre o significado dos dons e se todos existem hoje em
dia. A mensagem deste parágrafo não é para ensinar o significado dos dons, mas para ensinar a não
menosprezar nenhum deles.
4. A unidade na Igreja (12:12-19)
a. Somos um corpo (v.12)
“Porque assim como o corpo é __________________, e tem muitos __________________,
e todos os ___________________ sendo muitos constituem um só ___________________,
assim também com respeito a Cristo.”
Seminário Bíblico das Américas58.
A igreja é um corpo composto por muitos membros. Ainda que sejam diferentes pertencem
ao mesmo corpo.
b. Batizado no mesmo espírito (v.13)
c. Diversidade dos membros (14-17)
Ainda que a unidade seja muito importante na igreja, também a diversidade. Como um corpo
temmuitosórgãoseoutrosmembros,tambémaigreja.Cadauméimportanteepossuiseupropósito.
d. Organizado pelo Senhor (12:18-20)
Como Deus distribuiu seus dons?
Temos que trabalhar de acordo com os dons que temos. A igreja funciona melhor quando
percebe os dons que os membros possuem e trabalham de acordo com eles.
e. A relação entre os membros (12:21-27)
VERSÍCULOS CHAVES (12:26, 27)
“De maneira que, se um membro ___________________, todos sofrem com ele; e se um
deles é ____________________, com ele todos se _____________________.”
“Ora, vós sois ________________ de Cristo; e _______________ membros desse corpo.”
Nenhuma parte é de menor valor porque tudo vêm de Deus. Nenhum dom é mais importante
que outro. Se um membro sofre todos sofrem. Não importa se o membro que sofre tem um
dos dons mais notáveis.
f. O Plano perfeito de Deus. (12:28-30)
Outra vez Paulo ensina que Deus distribuiu os dons e cargos de acordo com seu plano. Não
é um plano humano.
g. A resposta correta do crente (12:31)
Os melhores dons são os que ____________________ a igreja (14:5)
2. A SUPERIORIDADE DO AMOR (13:1-13)
Semoamorosdonsnãovalem.OamoréarespostaasdivisõesqueseencontraramnaigrejadeCorinto.
A. O AMOR E SUAS CARACTERÍSTICAS (13:1-7)
Paulo diz que se eu tenho qualquer dom, profecia, línguas, etc. e não tenho amor que eu sou como?
Quais as características de um amor verdadeiro? (vs. 4-7)
Seminário Bíblico das Américas 59.
B. O AMOR É ETERNO (8-13)
As línguas cessarão e o dom do conhecimento e profecia terminarão quando venha o que é
perfeito. Mas o amor nunca irá terminar. É eterno. O perfeito é a vida glorificada. Não vamos precisar
nem de profecia, nem conhecimento quando estejamos glorificados porque vamos estar na presença
de Deus, mas o amor irá abundar. O amor é mais importante que qualquer dom. Alguns dizem que o
dom de línguas cessou além dos demais, outros dizem que terminará ao mesmo tempo que a profecia.
3. O DOM DE LINGUAS (14:1-40)
A. PROCURAR OS DONS QUE EDIFICAM A IGREJA (14:1-5)
Os que falam em línguas estranhas a quem edificam?
Os que profetizam a quem edificam?
A igreja recebe edificação se o que se fala em línguas tem...
B. AS LÍNGUAS SEM INTERPRETAÇÃO NÃO TEM VALOR NO CULTO (14:6-12)
VERSÍCULO CHAVE 14:12
“Assim, também vós, que desejais dons _________________, procurai _________________
para a ___________________ da igreja.”
C. AS LÍNGUAS SEM INTERPRETAÇÃO NÃO SÃO RACIONAIS (14:13-19)
Paulo diz que no culto é melhor falar poucas palavras e que sejam entendidas, do que milhares
que não se entendem.
D. O PROPÓSITO DE FALAR EM LÍNGUAS E A PROFECIA (14:20-25)
As línguas são um sinal a quem? A profecia?
E. METODOLOGIA DOS DONS NO CULTO (14:26-39)
1. Línguas (14:26-28)
Nos versículos 26 e 27 Paulo dá 4 instruções para usar o dom na igreja
- Tudo seja feito para edificação
- Só 2 ou 3
- ____________________________
- ____________________________
Seminário Bíblico das Américas60.
2. Profecia (14:29-40)
a. Instruções no culto (29-33)
Os profetas também necessitam manter a ordem. Somente 2 ou 3 podiam falar numa
reunião. Quando o profeta fala, os outros devem julgar se é correta a profecia. Se outro
recebe uma revelação, o primeiro tem que ficar calado. Também ensinava que o espírito
dos profetas está sujeitos aos profetas, então podemos manter uma ordem na igreja. Não
devemos perder o controle.
b. Outras instruções (34-40)
Outra vez Paulo ensina a importância de que a mulher esteja sujeita ao marido. Naquela
cultura a mulher não somente tinha a proibição de falar, mas também de estudar.
4. INSTRUÇÕES SOBRE A RESSURREIÇÃO (15:1-58)
Em nenhum outro lugar na escritura se encontra mais informação sobre a ressurreição. A ressur-
reição de Cristo é o coração de toda nossa doutrina. Sem crer na ressurreição, a salvação é impossível
(Rm. 10:9). Em Corinto havia confusão sobre a ressurreição, mas não sobre a de Cristo, senão acerca
das suas próprias.
A. A CERTEZA DA RESSURREIÇÃO DE CRISTO (15:1-11)
Jesus é nosso exemplo. Se ele não ressuscitou, nós também não. Mas podemos ver com certeza
que Jesus ressuscitou e então nós também.
Escreva uma lista de todos os testemunhos mencionados:
B. A IMPORTÂNCIA DA RESSURREIÇÃO (15:12-19)
Se não existe ressurreição, os que morreram pereceram.
C. O PLANO DA RESSURREIÇÃO (15:20-28)
1. Ilustração da colheita (20-23)
Antes que os judeus fizessem a colheita tinham que levar as primícias aos sacerdotes como
sacrifício. As primícias eram um exemplo do que estava porvir na colheita (Lv. 23:10). As primícias
também indicavam que algo mais viria, a colheita. Cristo é a nossa primícia, é o primeiro e por isso a
indicação de que a colheita vem. Todos os que pertencem a linhagem de Adão morrem, mas todos os
que pertencem a linhagem de Cristo ressuscitarão.
Quando acontecerá esta ressurreição? (v.23)
2. Restauração do Reino (15:24-28)
Depois da ressurreição Cristo irá entregar o reino ao Pai. Quando Cristo entregar o reino o
desenho original será restaurado. Então, antes Cristo tem que conquistar para sempre todos os inimigos
de Deus. E então Cristo reinará quando tenha a todos os seus inimigos “debaixo de seus pés”. Primeiro
os inimigos da terra. Durante o milênio Cristo não tolerará a rebelião. Por isso, é que “regerá com vara
de ferro” (Ap. 19:15). Depois do milênio, o último inimigo será conquistado. Quem é este? (v.26)
Seminário Bíblico das Américas 61.
3. As motivações da ressurreição (15:29-34)
A ressurreição é uma das doutrinas fundamentais do crente. Se tirarmos a ressurreição da
doutrina tiraríamos também o motivo de aceitar-lo e viver por Ele e para Ele. A esperança de uma
ressurreição futura é o que nos motiva a viver corretamente. Sabemos que esta vida é nada em compa-
ração a vida eterna.
a. Motivo pelo qual ser salvo (v.29)
Este é um dos versículos mais difíceis de toda a escritura e é importante interpretá-lo no
contexto do resto da Bíblia. Podemos ver várias interpretações sem ser dogmáticos com
nenhuma. Podemos estar seguros de que não significa que os mortos podem receber a
salvação quando alguém vivo esta batizado.
Possíveis interpretações:
- O testemunho dos que morreram resultou na salvação de outros.
- Foram batizados em nome de crentes que morreram antes de ter a oportunidade
de ser batizados.
Não importa a interpretação, o ponto deste versículo é que existe esperança de uma vida
eterna. Em Romanos 6, Paulo mostra que o batismo é uma ilustração da morte e ressur-
reição. Se não há ressurreição não é necessário aceitar a Cristo e ser batizado.
b. Motivações para servir (15:30-34)
Sem a esperança da ressurreição não existe razão para sacrificar-se nesta vida. Sem a
esperança de uma vida eterna não há motivos para viver corretamente.
O que você está fazendo para demonstrar que a vida futura é a mais importante?
4. Nossos corpos glorificados (15:35-49)
Haviamuitasperguntassobrearessurreiçãoecomoiriafuncionar.Osfalsosmestresjáensinavam
que a ressurreição era impossível e faziam perguntas para causar dúvidas. Então Paulo respondeu as
perguntas sobre a ressurreição. Uma falsa interpretação dava a idéia de que nossos corpos ressusci-
tados seriam iguais aos nossos corpos terrenos. A filosofia grega ensinava que o corpo era mal, então
a ressurreição era indesejável.
a. As perguntas (15:35)
Quais eram as perguntas que tinham sobre ressurreição? (muitos têm as mesmas perguntas
hoje em dia)
Seminário Bíblico das Américas62.
b. A falta de entendimento (15:36-38)
Paulo usa a ilustração de uma semente. Quando se planta uma semente, a semente tem que
morrer como tal, para logo se tornar uma planta. Se plantarmos uma semente de trigo, vamos
a colher trigo de milho. Nossos corpos são iguais a estas sementes. Nossos corpos eternais
serão diferentes, mas também terão uma continuidade.
c. A forma de nossos corpos ressuscitados (15:39-44)
Ainda que nossos corpos ressuscitados sejam diferentes de nossos corpos terrenos, não
significa que vamos perder nossa individualidade. Como os corpos celestiais (sol, estrela,
etc.) são diferentes da terra, são individuais também, não existem duas estrelas iguais.
Como serão nossos corpos celestiais?
d. O protótipo (15:45-49)
Outra vez Paulo nos mostra que do mesmo modo que temos o corpo de Adão seguiremos o
exemplo de Cristo na ressurreição e receberemos um corpo celestial.
e. Vitória sobre a morte. (15:50-58)
VERSÍCULO CHAVE 15:58
“Portanto, meus amados irmãos, sede _________________, inabaláveis e sempre
__________________ na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor o vosso __________________
não é ____________________.”
O cristão sabe que seu trabalho não é vão porque já temos a vitória sobre a morte, já temos a
vida eterna, então o que fazemos nesta vida não é em vão porque vamos receber nossa recompensa.
5. INSTRUÇÕES SOBRE A OFERTA (16:1-4)
Vemos que em uma parte do culto regularmente se efetua a coleta das ofertas.
A oferta que damos é segundo o que?
O propósito desta oferta era para ajudar a igreja em Jerusalém?
6. CONCLUSÃO (16:5-24)
Como sempre Paulo termina sua carta com uma lista de instruções práticas. Quais são?
Vs. 13 ______________________________________________________________________.
Vs. 14 ______________________________________________________________________.
Vs. 16 ______________________________________________________________________.
Vs. 18 ______________________________________________________________________.
Seminário Bíblico das Américas 63.
LIÇÃO 11
ANÁLISES DE IIª CORÍNTIOS
Ministros verdadeiros podem antecipar uma reação hostil ao mundo. Paulo foi perseguido em
todo o seu ministério. A primeira epístola aos Coríntios resolveu alguns dos problemas em Corinto,
mas outro problema mais perigoso apareceu. Falsos mestres, simulando que eram apóstolos enviados
de Jerusalém, chegaram e começaram a proclamar falsas doutrinas. Paulo ouviu sobre esta situação e
foi diretamente a Corinto desde Éfeso. Esta visita (2:1) foi dolorosa. Durante esta visita foi insultado
e perseguido por alguém (2:5-8; 7:12), talvez um dos falsos apóstolos. A igreja não disciplinava ao tal
homem. Paulo regressou a Éfeso e escreveu uma carta severa (2:4) e enviou a Corinto por intermédio
de Tito (7:5-16).
Paulo foi a Troas com a esperança de ver a Tito. Ainda que Paulo tivesse a oportunidade de
ministrar em Troas, não podia aproveitar-la por sua preocupação por Tito e a situação em Corinto. Saiu
e foi a Macedônia onde finalmente se encontrou com Tito. Tito trouxe notícias de que os Coríntios se
haviam arrependidos, disciplinaram ao homem e reafirmaram sua lealdade e preocupação por Paulo (7:7).
Paulo escreveu a segunda carta aos Coríntios para preparar sua visita.
1. SEU MINISTÉRIO APOSTÓLICO (1:1-7:16)
Ainda que a situação tivesse melhorado em Corinto, os falsos mestres, todavia influenciaram em
seus pensamentos. Então outra vez Paulo teve que defender seu ministério.
A. INTRODUÇÃO (1:1-11)
1. Saudação (1:1-2)
2. Confortado para confortar outros (1:3-11)
VERSÍCULO CHAVE 1:4
“É Ele que nos ___________________ em toda a nossa ____________________, para
podermos _____________________os que estiverem em qualquer ____________________, com a
______________________ com nós mesmos somos ______________________ por Deus.”
Leia 3-7 e responda:
Por que às vezes sofremos?
Quando sofremos com quem somos conectados?
Seminário Bíblico das Américas64.
B. JUSTIFICAÇÃO DE PAULO POR SUAS MUDANÇAS DE PLANOS (1:12-2:11)
Um dos cargos pelo qual os inimigos acusavam Paulo era porque diziam que ele era caprichoso.
Quando Paulo disse que iria vir não veio. Então Paulo defendeu sua decisão de mudar seus planos.
1. Os planos originais de Paulo (1:12-22)
Quais eram os planos originais de Paulo? (vs. 15,16)
2. A mudança dos planos de Paulo (1:23-2:4)
Como defende Paulo esta mudança de planos?
3. Paulo pede que perdoem ao ofensor? (2:5-11)
Qual palavra se repete nos versículos 5-11 ____________________________.
A meta da disciplina na igreja é a ressurreição não o castigo. Então Paulo esta ensinando que
agora é tempo de terminar a disciplina do homem ofensor. Não sabemos quem é. Pode ser o homem
disciplinado em 1 Coríntios ou pode ser alguém que estava em oposição a Paulo. O princípio deste
parágrafo é que devemos fazer duas coisas. (v.7)
a.
b.
C. MINISTRANDO COM INTEGRIDADE (2:12-7:16)
No mapa seguinte marque a viagem de Paulo que se encontra nos versículos 12 e 13
Seminário Bíblico das Américas 65.
2. MINISTRANDO EM VITÓRIA (12-17)
VERSÇICULO CHAVE 2:14
“Graças, porém, a Deus, que, em Cristo sempre nos ____________ ____ em triunfo e, por
meio de nós, manifesta em todo lugar a ____________ do seu _______________.”
O que Paulo fez que demonstrou sua preocupação pelos outros?
Outra vez vemos esta passagem a ilustração de um desfile do general conquistador. No desfile
os generais e líderes marchavam juntos com o exército vitorioso e os cativos condenados. Parte da
celebração se fazia com incenso. Para os cativos o aroma marcava a morte ou escravidão, para o
exército representava vitória e vida.
Por que o evangelho é o aroma de vida para os crentes?
Por que o evangelho é o aroma de morte para aqueles que rejeitam o evangelho?
Vemos no versículo 17 que Paulo era um ministro de integridade. Seus motivos eram puros.
Separe alguns minutos para meditar no versículo 17 e responda:
Meus motivos são puros ou tenho motivos que causam dano?
Estou tentando ganhar o favor do homem ou fazendo o que Deus quer?
A. A CARTA DE RECOMENDAÇÃO PARA SEU MINISTÉRIO (3:1-5)
Muitos falsos mestres estavam aproveitando a generosidade e hospitalidade dos irmãos. Então
os apóstolos começaram a mandar cartas de recomendação para que a igreja recebesse a pessoa que
estavam enviando (Romanos 16:1,2 é um exemplo). Paulo não necessitava de uma carta de recomen-
dação porque já tinha. Veja o v. 3 e responda:
Quais eram suas cartas?
Quem é o autor das suas cartas?
Onde foram escritas?
O que fazemos é nossa carta de recomendação. Somos conhecidos por nossos frutos.
Seminário Bíblico das Américas66.
B. A BASE DO MINISTÉRIO (3:6-18)
VERSÍCULOS CHAVES 3:17, 18
“OraoSenhoréo_______________;e,ondeestáoEspíritodoSenhor,aihá______________.
E todos nós, com o rosto _______________, contemplando, como por espelho, a _____________
do Senhor, somos transformados de ________________ em ________________, na sua própria
imagem, como pelo Senhor, o Espírito.”
Paulo segue a discussão que ele começou no versículo 14. Agora Paulo mostra que o novo pacto
produz mais glória.
Veja a seguinte tabela:
Antigo Pacto Novo Pacto
Ministério de _______________ (7, 9) Ministério de _________________ (8, 9)
Duração ___________________ (7, 11) Duração _____________________ (8, 9)
Resultado __________________ (15) Resultado ____________________ (17, 18)
O que significa o véu espiritualmente falando?
C. MINISTRANDO NO MUNDO ESCURO (4:1-6)
VERSÍCULO CHAVE 4:6
“Porque Deus, que disse: Das ________________ resplandecerá a _________________,
ele mesmo ______________ em nosso coração, para iluminação do _________________ da
_________________ de Deus, na face de Cristo.”
Paulo segue defendendo sua integridade. Nos versículos 1-6 ele responde a acusação de que ele
usava maneiras ocultas e adulterava a palavra de Deus.
Quem é o inimigo no versículo 4? Faça uma comparação com o versículo 6.
D. MINISTRANDO NAS DIFICULDADES (4:7-18)
Paulo usa a ilustração de um vaso de barro. Ele estava dizendo “nós não somos nada. Somos
nada mais que vasos de barro. Entretanto, não nos quebram facilmente.”
A que se refere a dizer vasos de barros no verso 7?
Seminário Bíblico das Américas 67.
Qual é o tesouro mencionado no verso 7? (veja verso 6)
VERSÍCULO CHAVE 4:18
“Não atentando nós nas coisas que se ___________________; porque as que se vêem são
__________________, e as que se não vêem são ___________________.”
Paulo foi anátema aos seus inimigos. Apesar dos obstáculos Paulo seguia no caminho pregando
a Cristo. Aqui Paulo é como diretor técnico de uma equipe, dando um discurso motivador.
Vamos em frente!
E. A MOTIVAÇÃO DO MINISTÉRIO (5:1-10)
Paulo contrasta nossos corpos terrenos (“morada terrestre”) e nossa ressurreição futura do corpo
(“um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus”). Paulo afirma com clareza que nossos
corpos mortais nos fazem gemer, mas quando morrermos não seremos espírito sem corpo (“seremos
achados vestidos, não nus”). Teremos novos corpos que serão perfeitos para nossa vida eterna.
Paulo escreveu isto porque a igreja de Corinto estava no coração da cultura grega e muitos
crentes tinham dificuldades com o conceito da ressurreição do corpo. Os gregos não criam na ressur-
reição corporal. A maioria considerava a vida após a morte como algo relacionado somente com a
alma, a pessoa real presa por um corpo físico. Acreditavam que ao morrer a alma ficava livre, não
havia imortalidade para o corpo, em cambio a alma entrava num estado eterno. Mas, a bíblia ensina
que o corpo e a alma finalmente são inseparáveis.
Qual é a nossa motivação? (v. 8-10)
F. A MENSAGEM DO MINISTÉRIO (5:11-21)
VERSÍCULOS CHAVES 17, 18
“E, assim, se alguém está em Cristo, é nova _______________________; as coisas antigas já
______________________; eis que se fizeram ____________________. Ora, tudo provém de Deus,
que nos _______________________ consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da
____________________.”
O que faz um embaixador?
Qual é a nossa mensagem? (vs.18-21)
Seminário Bíblico das Américas68.
G. A CONDUTA NO MINISTÉRIO (6:1-10)
O ministério de Paulo estava por cima de toda crítica
1. Exortações no ministério (6:11-7:1)
a. Separa-se do mundo.
VERSÍCULO CHAVE 6:14
“Não vos ponhais em jugo _____________________ com os incrédulos; porquanto que
sociedade pode haver entre a _____________________ e a ___________________? Ou que
comunhão, da ____________________ com as _____________________?”
Paulo exorta aos Coríntios que a não entrar em algumas relações com os incrédulos. É neces-
sário ter cuidado de não fazer negócios com incrédulos. Não é sábio nos colocar em situações que vão
dividir nossa lealdade. Pode ser um casamento ou um negócio comercial.
b. Limpe-se de toda contaminação (7:1)
H. GOZO NO MINISTÉRIO (7:2-16)
VERSÍCULO CHAVE 7:10
“Porque a _____________________ segundo Deus produz _____________________ para
salvação, que a ninguém traz pesar; mas a tristeza do mundo produz ____________________.”
“Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para salvação.” Refere-se a tristeza
por nossos pecados que produzem uma transformação na nossa conduta. Muita gente se entristece
somente pelos efeitos de seus pecados ou por não haver sido “descobertos” (tristeza do mundo) e
produz morte porque não mudam.
Epistolas paulinas
Epistolas paulinas
Epistolas paulinas
Epistolas paulinas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1
 
Panorama do NT - Judas
Panorama do NT - JudasPanorama do NT - Judas
Panorama do NT - Judas
 
43. O Profeta Ageu
43. O Profeta Ageu43. O Profeta Ageu
43. O Profeta Ageu
 
Profetas maiores
Profetas maioresProfetas maiores
Profetas maiores
 
Atos
AtosAtos
Atos
 
PROFETAS MENORES
 PROFETAS MENORES PROFETAS MENORES
PROFETAS MENORES
 
16. O Livro de II Reis
16. O Livro de II Reis16. O Livro de II Reis
16. O Livro de II Reis
 
44. O Profeta Zacarias
44. O Profeta Zacarias44. O Profeta Zacarias
44. O Profeta Zacarias
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
 
Apocalipse
ApocalipseApocalipse
Apocalipse
 
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo TestamentoIntrodução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
 
Aula 13 - Livros Proféticos
Aula 13 - Livros ProféticosAula 13 - Livros Proféticos
Aula 13 - Livros Proféticos
 
ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOS
ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOSESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOS
ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOS
 
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
 
Ezequiel
EzequielEzequiel
Ezequiel
 
69 estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
69   estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)69   estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
69 estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
 
30. O Livro do profeta Jeremias
30. O Livro do  profeta Jeremias30. O Livro do  profeta Jeremias
30. O Livro do profeta Jeremias
 
O Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da IgrejaO Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da Igreja
 
Panorama do AT - Esdras
Panorama do AT - EsdrasPanorama do AT - Esdras
Panorama do AT - Esdras
 
Aula 8 - Livros Históricos (part. 1)
Aula 8 - Livros Históricos (part. 1)Aula 8 - Livros Históricos (part. 1)
Aula 8 - Livros Históricos (part. 1)
 

Destaque

A bíblia e o futuro anthony hoekema
A bíblia e o futuro   anthony hoekemaA bíblia e o futuro   anthony hoekema
A bíblia e o futuro anthony hoekemaFaetef Faetef
 
2013 metodologia de implementação de práticas preventivas ao uso de drogas
2013 metodologia de implementação de práticas preventivas ao uso de drogas2013 metodologia de implementação de práticas preventivas ao uso de drogas
2013 metodologia de implementação de práticas preventivas ao uso de drogasFaetef Faetef
 
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à LiderançaLição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à LiderançaTcc Final
 
2 epístolas paulinas
2 epístolas paulinas2 epístolas paulinas
2 epístolas paulinasJosé Santos
 
A bíblia: O surgimento e o impacto dela na vida da humanidade
A bíblia: O surgimento e o impacto dela na vida da humanidadeA bíblia: O surgimento e o impacto dela na vida da humanidade
A bíblia: O surgimento e o impacto dela na vida da humanidadeNome Sobrenome
 
Os evangelhos em ordem cronologica
Os evangelhos em ordem cronologicaOs evangelhos em ordem cronologica
Os evangelhos em ordem cronologicaMarcel Lagos
 
telas do 02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO
telas do  02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTOtelas do  02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO
telas do 02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTOMOISESTEIX by AgenciaKmz
 
Cartas paulinas
Cartas paulinasCartas paulinas
Cartas paulinasvarp86
 
Árvore Genealógica de Adão até Jesus Cristo
Árvore Genealógica de Adão até Jesus CristoÁrvore Genealógica de Adão até Jesus Cristo
Árvore Genealógica de Adão até Jesus CristoManuelDantas1976
 

Destaque (16)

Gráfico livros bíblicos
Gráfico   livros bíblicosGráfico   livros bíblicos
Gráfico livros bíblicos
 
A bíblia e o futuro anthony hoekema
A bíblia e o futuro   anthony hoekemaA bíblia e o futuro   anthony hoekema
A bíblia e o futuro anthony hoekema
 
2013 metodologia de implementação de práticas preventivas ao uso de drogas
2013 metodologia de implementação de práticas preventivas ao uso de drogas2013 metodologia de implementação de práticas preventivas ao uso de drogas
2013 metodologia de implementação de práticas preventivas ao uso de drogas
 
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à LiderançaLição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
 
Panorama do nt 3
Panorama do nt 3Panorama do nt 3
Panorama do nt 3
 
Panorama do nt 2
Panorama do nt 2Panorama do nt 2
Panorama do nt 2
 
2 epístolas paulinas
2 epístolas paulinas2 epístolas paulinas
2 epístolas paulinas
 
As cartas paulinas
As cartas paulinasAs cartas paulinas
As cartas paulinas
 
A bíblia: O surgimento e o impacto dela na vida da humanidade
A bíblia: O surgimento e o impacto dela na vida da humanidadeA bíblia: O surgimento e o impacto dela na vida da humanidade
A bíblia: O surgimento e o impacto dela na vida da humanidade
 
Os evangelhos em ordem cronologica
Os evangelhos em ordem cronologicaOs evangelhos em ordem cronologica
Os evangelhos em ordem cronologica
 
Cartas paulinas
Cartas paulinasCartas paulinas
Cartas paulinas
 
4º Aula de Epístolas Paulinas I
4º Aula de Epístolas Paulinas I4º Aula de Epístolas Paulinas I
4º Aula de Epístolas Paulinas I
 
telas do 02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO
telas do  02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTOtelas do  02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO
telas do 02 - Conheça Sua Bíblia - PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO
 
Epistolas paulinas
Epistolas paulinasEpistolas paulinas
Epistolas paulinas
 
Cartas paulinas
Cartas paulinasCartas paulinas
Cartas paulinas
 
Árvore Genealógica de Adão até Jesus Cristo
Árvore Genealógica de Adão até Jesus CristoÁrvore Genealógica de Adão até Jesus Cristo
Árvore Genealógica de Adão até Jesus Cristo
 

Semelhante a Epistolas paulinas

(49) atos dos apostolos
(49) atos dos apostolos(49) atos dos apostolos
(49) atos dos apostolosAlice Costa
 
O_plano_divino_atraves_dos_seculos_-_N._Lawrence_Olson_by_Levita.pdf
O_plano_divino_atraves_dos_seculos_-_N._Lawrence_Olson_by_Levita.pdfO_plano_divino_atraves_dos_seculos_-_N._Lawrence_Olson_by_Levita.pdf
O_plano_divino_atraves_dos_seculos_-_N._Lawrence_Olson_by_Levita.pdfMarcondesLima9
 
Lição 06 - O Ministerio dos Apóstolos
Lição 06 - O Ministerio dos ApóstolosLição 06 - O Ministerio dos Apóstolos
Lição 06 - O Ministerio dos ApóstolosIsmael Isidio
 
Lição 06 - O ministério dos Apóstolos
Lição 06 - O ministério dos ApóstolosLição 06 - O ministério dos Apóstolos
Lição 06 - O ministério dos ApóstolosIsmael Isidio
 
Escatologia bíblica
Escatologia bíblicaEscatologia bíblica
Escatologia bíblicaMarcos Kinho
 
(26) Os Evangelhos.pdf
(26) Os Evangelhos.pdf(26) Os Evangelhos.pdf
(26) Os Evangelhos.pdfTiago Silva
 
Lição 01 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
Lição 01 -  Uma mensagem à igreja local e à liderançaLição 01 -  Uma mensagem à igreja local e à liderança
Lição 01 - Uma mensagem à igreja local e à liderançaRegio Davis
 
ATOS DOS APSTOLOS ATUALIZADO Reparado.pdf
ATOS DOS APSTOLOS  ATUALIZADO Reparado.pdfATOS DOS APSTOLOS  ATUALIZADO Reparado.pdf
ATOS DOS APSTOLOS ATUALIZADO Reparado.pdfEduardadaRochaCunhaM
 
A Bíblia que Jesus Lia
A Bíblia que Jesus LiaA Bíblia que Jesus Lia
A Bíblia que Jesus LiaGabriel Valle
 
A SERVIÇO D - Sa aos Coríntios - Apresentação 1.pptx
A SERVIÇO D - Sa aos Coríntios - Apresentação 1.pptxA SERVIÇO D - Sa aos Coríntios - Apresentação 1.pptx
A SERVIÇO D - Sa aos Coríntios - Apresentação 1.pptxDanielMarcus29
 
1- Objetivos, metodologia e planejamento das Cartas de Paulo.pptx
1- Objetivos, metodologia e planejamento das Cartas de Paulo.pptx1- Objetivos, metodologia e planejamento das Cartas de Paulo.pptx
1- Objetivos, metodologia e planejamento das Cartas de Paulo.pptxPIB Penha - SP
 
Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS
Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS  Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS
Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS RODRIGO FERREIRA
 
Lesslie Newbigin_Teologia_Reformada_Tradição
Lesslie Newbigin_Teologia_Reformada_TradiçãoLesslie Newbigin_Teologia_Reformada_Tradição
Lesslie Newbigin_Teologia_Reformada_TradiçãoMarcelo Gonçalves
 

Semelhante a Epistolas paulinas (20)

Apostila do novo testamento
Apostila do novo testamentoApostila do novo testamento
Apostila do novo testamento
 
(49) atos dos apostolos
(49) atos dos apostolos(49) atos dos apostolos
(49) atos dos apostolos
 
O_plano_divino_atraves_dos_seculos_-_N._Lawrence_Olson_by_Levita.pdf
O_plano_divino_atraves_dos_seculos_-_N._Lawrence_Olson_by_Levita.pdfO_plano_divino_atraves_dos_seculos_-_N._Lawrence_Olson_by_Levita.pdf
O_plano_divino_atraves_dos_seculos_-_N._Lawrence_Olson_by_Levita.pdf
 
Bibliologia apostila do aluno
Bibliologia apostila do alunoBibliologia apostila do aluno
Bibliologia apostila do aluno
 
Lição 06 - O Ministerio dos Apóstolos
Lição 06 - O Ministerio dos ApóstolosLição 06 - O Ministerio dos Apóstolos
Lição 06 - O Ministerio dos Apóstolos
 
Lição 06 - O ministério dos Apóstolos
Lição 06 - O ministério dos ApóstolosLição 06 - O ministério dos Apóstolos
Lição 06 - O ministério dos Apóstolos
 
Escatologia bíblica
Escatologia bíblicaEscatologia bíblica
Escatologia bíblica
 
Atos dos apostolos
Atos dos apostolos Atos dos apostolos
Atos dos apostolos
 
(26) Os Evangelhos.pdf
(26) Os Evangelhos.pdf(26) Os Evangelhos.pdf
(26) Os Evangelhos.pdf
 
Lição 01 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
Lição 01 -  Uma mensagem à igreja local e à liderançaLição 01 -  Uma mensagem à igreja local e à liderança
Lição 01 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
 
ATOS DOS APSTOLOS ATUALIZADO Reparado.pdf
ATOS DOS APSTOLOS  ATUALIZADO Reparado.pdfATOS DOS APSTOLOS  ATUALIZADO Reparado.pdf
ATOS DOS APSTOLOS ATUALIZADO Reparado.pdf
 
A Bíblia que Jesus Lia
A Bíblia que Jesus LiaA Bíblia que Jesus Lia
A Bíblia que Jesus Lia
 
Biblia lider
Biblia liderBiblia lider
Biblia lider
 
Biblia lider
Biblia liderBiblia lider
Biblia lider
 
A SERVIÇO D - Sa aos Coríntios - Apresentação 1.pptx
A SERVIÇO D - Sa aos Coríntios - Apresentação 1.pptxA SERVIÇO D - Sa aos Coríntios - Apresentação 1.pptx
A SERVIÇO D - Sa aos Coríntios - Apresentação 1.pptx
 
1- Objetivos, metodologia e planejamento das Cartas de Paulo.pptx
1- Objetivos, metodologia e planejamento das Cartas de Paulo.pptx1- Objetivos, metodologia e planejamento das Cartas de Paulo.pptx
1- Objetivos, metodologia e planejamento das Cartas de Paulo.pptx
 
Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS
Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS  Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS
Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS
 
Lesslie Newbigin_Teologia_Reformada_Tradição
Lesslie Newbigin_Teologia_Reformada_TradiçãoLesslie Newbigin_Teologia_Reformada_Tradição
Lesslie Newbigin_Teologia_Reformada_Tradição
 
O ministério de apóstolo
O ministério de apóstoloO ministério de apóstolo
O ministério de apóstolo
 
Cânon bíblico
Cânon bíblicoCânon bíblico
Cânon bíblico
 

Último

As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdfLindinhaSilva1
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 

Último (20)

Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 

Epistolas paulinas

  • 1. 1. Copyright © 2006 por Seminário Bíblico das Américas Todos os direitos reservados. ISBN 9974-7935-3-X Dep. Legal 339 301. Impresso em Montevidéu. Proíbida a reprodução total ou parcial deste manual sem prévia autorização escrita do Seminário Bíblico das Américas. EPÍSTOLAS PAULINAS I ESTUDO DE GÁLATAS I e II TESSALONICENSES, I e II CORÍNTIOS por Joseph Milioni SEMINÁRIO BÍBLICO DAS AMÉRICAS Colônia 1243 (quase Jí) Montevidéu, URUGUAI Tel.: (+598) 2903 1875 E-mail: oficina@seminariobiblico.com
  • 3. Seminário Bíblico das Américas 3. CONTEÚDO Lição 1 Introdução às Epístolas do Novo Testamento .................................................................... 5 Lição 2 Introdução a Epístola a os Gálatas .................................................................................. 15 Lição 3 Analises de Gálatas ......................................................................................................... 19 Lição 4 Introdução as Epístolas à Tessalônica ............................................................................. 25 Lição 5 Analises de I e II Tessalonicenses ................................................................................... 29 Lição 6 Analises de I e II Tessalonicenses (continuação) ........................................................... 35 Lição 7 Introdução às Epístolas a os Corintos .............................................................................. 39 Lição 8 Analises de I Coríntios..................................................................................................... 43 Lição 9 Analises de I Coríntios (continuação) ..............................................................................49 Lição 10 Analises de I Coríntios (continuação) ............................................................................. 57 Lição 11 Analises de II Coríntios ................................................................................................... 63 Lição 12 Analises de II Coríntios (continuação) ............................................................................ 69
  • 5. Seminário Bíblico das Américas 5. LIÇÃO 1 INTRODUÇÃO ÀS EPÍSTOLAS DO NOVO TESTAMENTO A. O ANTIGO TESTAMENTO No Antigo Testamento vemos a Deus falando aos homens por meio de pessoas escolhidas a quem chamava e encomendava que dessem a conhecer sua vontade (Hb. 1:1). A este objetivo chamou desde a antiguidade a profetas como Moisés, David, Isaías, Jeremias, Daniel e muitos outros até Malaquias, o qual dá um sinal vindouro “sol da Justiça” que haveria de chegar ao cumprimento do tempo estabelecido por Deus. (Mal. 4:2) B. O VERBO Gálatas 4:4. O verbo encarnado traz em sua própria pessoa a revelação mais completa do Pai e do seu plano de salvação para os homens (Hb. 1:2; Jn. 1:14 e 14:9) C. OS EVANGELISTAS Ainda faltava perpetuar e transmitir essa revelação. Era necessário que testemunhas presenciais escrevessem para as gerações futuras o que haviam visto, ouvido e apalpado do verbo da vida (I Jn. 1:1). Assim Deus escolheu a novos instrumentos humanos. Mateus e João como testemunhas presen- ciais, Marcos e Lucas como intérpretes igualmente inspirados, deram ao mundo quatro registros da revelação de Jesus Cristo, o filho de Deus, cuja continuação depois de sua ressurreição e ascensão em glória, Lucas também registrou em Atos dos Apóstolos. D. UMA NOVA FORMA – CARTAS Mas, escondido desde os séculos de Deus, ainda continuava um mistério não revelado comple- tamente, um fato, um propósito, um intervalo de tempo entre a ascensão de Cristo e seu retorno em glória. Este era o chamado da “ECLÉSIA”, a igreja que é o corpo de Cristo. 1. Até o término de seu ministério, Jesus revelou este propósito (Mateus 16:18), mas sem dar detalhes específicos. 2. Nos ensinos de Jesus estava a semente de tudo, entretanto, o cresci- mento e o desenvolvimento da verdade acerca da Igreja se produz com o ministério do Consolador vindouro (João 14:25,26; 15:26; 16: 12-15). 3. Assim outra vez o Espírito Santo operando em instrumentos humanos revelou o mistério da cruz, desenvolveu as doutrinas cristãs e estabeleceu posição, relações, privilégios, deveres e desígnios da igreja, subministrando o significado “muitas coisas” (João 16:12) que os discí- pulos não podiam suportar em seu tempo.
  • 6. Seminário Bíblico das Américas6. 4. Isto deu origem a uma nova modalidade de revelação divina. Esta tomou a forma de CARTAS. a. Nelas o Espírito completa a revelação da Igreja b. Estabelece sua posição, relações, privilégios, deveres e desígnios. c. Desenvolve e sistematiza as doutrinas e verdades básicas da fé cristã d. Corrige erros e trata com os problemas surgidos com a extensão do Evangelho. Assim encontramos que os convertidos de Colossos retinham algo de seu gnosticismo pagão, os de Corinto algo de suas práticas antigas, enquanto que alguns da Galácia quiseram impor o legalismo judaico. E. COMO LER UMA CARTA NO NOVO TESTAMENTO Tanto as cartas de hoje, como as cartas do Novo Testamento foram escritas a receptores específicos com problemas específicos. Temos que entender que as cartas foram inspiradas pelo Espírito Santo, mas em uma situação com um contexto histórico e cultural. Então existem regras na aplicação dessas cartas. Como as cartas de hoje, as cartas do primeiro século tinham um estilo convencional. Uma carta antiga geralmente tinha: 1. O nome do autor (Paulo, Pedro) 2. O nome do receptor (à Igreja de Deus que está em Corinto). 3. Uma saudação (Graça e paz a vocês) 5. O corpo da carta 6. Saudações e despedida Também era de costume nos tempos antigos, ter um secretário. O secretário escrevia o que o autor queria dizer. Depois o autor lia o que o secretário havia escrito, e fazia as mudanças e uma saudação com sua própria mão. Os autores do N.T. também seguiram esta prática (Rom. 16:22;II Ts. 3: 17; 1 Pe 5:12) INTERPRETANDO AS CARTAS. Para entender uma carta é preciso lê-la toda sem parar. O que você faz quando recebe uma carta de um amigo? Lemos a carta completa e não em partes. As cartas têm uma série de argumentos dependendo do propósito do autor. Por isso, o contexto é importante. Temos que perguntar sempre: Porque foi escrito? Qual foi a intenção do autor? Como foi recebida pelos receptores originais? Para interpretar a carta é importante lembrar que a cultura e estilo de vida eram diferentes. As cartas tem muita teologia mas, sempre foram dirigidas a uma pessoa ou a um grupo de pessoas específico em uma situação particular. Por isso, entender o que significava o texto e a quem estava dirigido é o primeiro passo ao ler as cartas e fundamental antes de aplicar a carta a nossa vida pessoal. APLICANDO AS CARTAS: A aplicação das cartas do Novo Testamento deve ser feita com cuidado (2 Ti. 2:15). Por isso, deve ser feita com estudo, oração e guia do Espírito Santo. Existem regras que podem ajudar: 1. Quando nossa situação é igual que a situação de quem recebeu as cartas, a palavra é aplicável diretamente. Existem muitas passagens que podem ser aplicadas diretamente as nossas vidas. A lista de pecados em Gálatas 5: 19-21 é igual hoje em dia, por isso, a aplicação desse princípio é idêntica. 2. Quandoasituaçãodequemrecebeacartaédiferentedanossadevemosbuscaroprincípiobásico. Existe pouca oportunidade de comer comida oferecida a ídolos (Rm. 14:1, 15:2; 1 Co. 8:1-13, 10:14, 11:1) Embora o princípio de não ofender a consciência de um irmão fraco seja muito importante. 3. Existem passagens que não tem aplicação direta nem indireta para nós hoje em dia. Um bom exemplo disso são os comentários pessoais. Quando Paulo pediu a Timóteo que trouxesse sua capa (II Tm. 4:13) não significa que devemos ir a Turquia para buscar um casaco.
  • 7. Seminário Bíblico das Américas 7. INTRODUÇÃO AS EPÍSTOLAS PAULINAS A. ESTUDO CRONOLÓGICO Faremos o estudo das epístolas Paulinas em ordem cronológica. 1. Este estudo tem relação histórica e geográfica com o livro de Atos, no qual se registra o relato das viagens de Paulo e das localidades que visitou com o objetivo de dar a luz do Evangelho conforme o propósito de Deus. (Atos 26: 15-19) 2. Dividiremos as cartas de Paulo em quatro grupos, segundo foram escritas em diferentes viagens e em distintas ocasiões. Esta mesma divisão as agrupa segundo os temas básicos contidos. ASSIM TEMOS: SEGUNDO GRUPO (Terceira viagem) PRIMEIRO GRUPO 1Coríntios (Segunda viagem) Coríntios 1 Tessalonicenses Gálatas 2 Tessalonicenses Romanos Conhecidas como: Conhecidas como: CARTAS ESCATOLÓGICAS CARTAS SOTERIOLOGICAS Relativa aos últimos acontecimentos Relativas à Salvação TERCEIRO GRUPO QUARTO GRUPO (Estando preso pela primeira vez) (Depois da primeira prisão Filipenses e durante a segunda prisão) Filemom 1 Timóteo Colossensses 2 Timóteo Efésios Tito Conhecidas como: Conhecidas como: CARTAS CRISTOLÓGICAS CARTAS PASTORAIS Relativas a Teologia do Filho Relativas ao Ministério do Pastor B. SELO DO ESCRITOR As cartas de Paulo têm o selo do escritor, não somente pelo nome que as encabeça (Rm. 1:1), como também por seu inconfundível caráter interno. 1. Todas elas olham para a CRUZ, seja olhando transparentemente como em 1 Co. 2:2, ou através de seus escritos. Para o apóstolo, a cruz era o todo, o laço de união do humano e o divino (Ef. 1:10), e de Deus com o pecador, pois é o lugar onde se encontram (2 Co. 5:19). Na cruz o homem sente o quanto o pecado é repugnante e se arrepende. Deus, em Cristo crucificado, o perdoa e o limpa. 2. Outra característica de seus escritos é a exaltação do CRISTO GLORIFICADO. Paulo foi convertido pelo ministério direto de Cristo quando este já havia ascendido ao céu (At. 1:11 e 9:5). Esta visão de Cristo que o chamou por seu nome, produziu um efeito inapagável em sua vida e em todas as projeções de seu pensamento. (Ef. 1:20-22)
  • 8. Seminário Bíblico das Américas8. Cristo, nos Evangelhos, podia aparecer aos olhos incrédulos como um mero ser humano histórico, fundador de uma religião. Mas nas Epístolas de Paulo, o elemento divino é irredutível e o leitor não pode escapar a apresentação da divindade de Cristo como glorificado dono e Senhor de todo (Col. 1:12-20). 3. Outra característica das cartas de Paulo é a revelação da IGREJA. O mesmo declara que isto é um mistério que foi declarado a ele (Ef. 3:3-9), “ que os gentios sejam juntamente herdeiros e incor- porados e consortes da promessa em Cristo mediante o Evangelho”. Mas, além disso, a igreja é o corpo de Cristo e ele é a sua cabeça, se formando assim uma unidade vital e orgânica entre ambos. (Ef. 1:22-23). 4. O termo MISTÉRIO é usado freqüentemente por Paulo. Na Bíblia, esta palavra quer dizer: “A verdade divina revelada”, ou seja, uma verdade que se Deus não revelara, ficaria ignorada pelo homem. Em Romanos 11:25 fala do “mistério do propósito de Deus para seu povo”. O texto de 1 Co. 2:6-10 faz uma profunda descrição do mistério da sabedoria de Deus revelada a seus filhos pela instru- mentalidade da Palavra. O apóstolo desejava que os mistérios de Deus fossem conhecidos pelos crentes a fim de que nenhum deles fossem enganados por nada nem por ninguém. (Col. 2:2-5). 5. A GRAÇA ocupa um lugar muito importante nos escritos e nos ensinos de Paulo. Em Gálatas 2:21; 3:4 há o contraste com a lei. Esta sublime verdade dá harmonia e propósito a vida cristã. A Graça divina é o gratuito e não merecido amor e favor de Deus ao pecador que se manifesta especialmente no plano divino da redenção do homem por meio de Jesus Cristo. (Romanos 3:24-26). LAS OUTRAS ESPÍSTOLAS DO NOVO TESTAMENTO 21 ___________________ = Paulo ___________________ = Pedro ___________________ = João ___________________ = Tiago ___________________ = Judas ___________________ = ?
  • 9. Seminário Bíblico das Américas 9. A VIDA DO PAULO A. SUA VIDA ANTES DA CONVERSÃO. Paulo nasceu cerca do mesmo tempo que Jesus. Seu nome de circuncisão era Saulo, mas logo em sua infância recebeu seu nome gentio “Paulo”. Por ter nascido em Tarso, uma cidade distinguida pela riqueza de seus habitantes na Ásia menor, que também tinha uma universidade famosa, Paulo teve a oportuni- dade de estudar. Seu pai era fariseu (Atos 23:6). Mesmo sendo judeu, também era cidadão romano. Não sabemos como recebeu esse privilégio, mas Saulo nasceu cidadão como todos os benefícios. Na sua infância, Saulo aprendeu a profissão de fazedor tendas, mas decidiu estudar para ser rabino, então quando tinha 13 anos foi a Jerusalém para estudar na escola rabínica sobre a orientação de Gamaliel. É interessante que Gamaliel foi generoso com os apóstolos (Atos 5:34-39), mas Saulo elegeu persegui-los. Leia e anote o que você aprende a vida de Paulo em Fil. 3:4-6 B. SUA CONVERSÃO (ATOS 9:1-9) A conversão de Paulo não somente marca as mudanças drásticas em sua vida pessoal, como também na história da igreja apostólica e em toda humanidade. É o evento mais poderoso desde a pregação de Pedro no Pentecostes. Não é nada menos que um milagre da Graça divina que o maior perseguidor da igreja tenha se convertido. Podemos ver o impacto de sua conversão dramática nas suas cartas. Existe uma ênfase na justi- ficação somente pela fé e não por obras. Ele era perseguidor da igreja, e não fez nada para ganhar a salvação. Era inimigo de Deus, mas como a negação de Pedro, isso foi rejeitado por Jesus. A conversão de Paulo não foi somente para salvação, mas também, para ser apóstolo. C. SUA PREPARAÇÃO Imediatamente depois de sua conversão e visita curta a Damasco, Paulo se viajou para a Arábia (Gál. 1:17) por 3 anos. Provavelmente foi na região desértica da Arábia perto de Damasco. Depois regressou a Damasco por um tempo curto e regressou a Jerusalém. Em Jerusalém conheceu a Pedro e a Tiago (o irmão de Jesus e líder da igreja em Jerusalém), não havendo conhecido a nenhum outro apóstolo. Em Atos 9:23-25 encontramos que ainda que tenha passado somente 15 dias em Jerusalém, foi suficiente tempo para causar uma oposição ao ponto de sofrer um atentado. Então, escapou para Tarso por 10 anos até que Barnabé chegou para levá-lo a uma viagem missionária.
  • 10. Seminário Bíblico das Américas10. D. SUAS VIAGENS Esquema das viagens de Paulo (Atos 9:1 e 11:30) 1. Caminho a Damasco (Conversão) 2. Damasco 3. Arábia (Gál.1:17) 4. Damasco 5. Jerusalém (primeira vez depois de sua conversão) 6. Tarso 7. Cilícia e Síria (vários anos, Gálatas 1:21) 8. Antioquia de Síria (1 ano) 9. Jerusalém (segunda visita) 10. Antioquía de Síria
  • 11. Seminário Bíblico das Américas 11. PRIMEIRA VIAGEM MISSIONÁRIA (ATOS 13 E 14) Ponto de partida: Antioquia de Siria 1. Seleucia 2. Salamina 3. Pafos 4. Perge 5. Antioquia de Pisídia 6. Icônio 7. Listra 8. Derbe 9. Listra 10. Icônio 11. Antioquia de Pisidia 12. Perge 13. Atalia 14. Seleucia 15. Antioquia de Síria
  • 12. Seminário Bíblico das Américas12. SEGUNDA VIAGEM MISSIONÁRIA (ATOS 15:35 E 18:22) Ponto de partida: Antioquia de Síria 1. Tarso 2. Derbe 3. Listra 4. Iconio 5. Antioquia de Pisidia 6. Troas 7. Neápolis 8. Filipos 9. Anfipolis 10. Apolonia 11. Tessalonica 12. Berea 13. Atenas 14. Corinto (18 meses) 15. Cencreas 16. Efeso 17. Cesarea 18. Jerusalem (4ª visita) 19. Antioquia da Síria
  • 13. Seminário Bíblico das Américas 13. TERCEIRA VIAGEM MISSIONÁRIA (ATOS 19:1 E 21:16) Ponto de partida: Antioquia de Siria por Galacia e Frigia 1. Éfeso (2 anos) 2. Troas 3. Macedonia 4. Corinto 5. Filipos 6. Troas 7. Mileto 8. Tiro 9. Tolemaida 10. Cesareia 11. Jerusalem (5ª visita-Prisioneiro 2 anos)
  • 14. Seminário Bíblico das Américas14. QUARTA VIAGEM MISSIONÁRIA ROMA – (ATOS 21:17 E 28:30) Ponto de Partida: Antioquia de Siria 1. Sidom 2. Mira 3. Bons portos 4. Malta 5. Roma (2 anos prisioneiro) Liberdade? 6. Espanha? (Romanos 15:24,28) 7. Éfeso, Macedônia (1 Ti. 1:3) 8. Creta (Tit. 1:5) 9. Asia Menor (2 Ti. 1:15) 10. Nicopolis (Tit. 3:12) 11. Roma (preso por 2ª vez) Martírio (II Ti. 2:9, 4:6-19)
  • 15. Seminário Bíblico das Américas 15. LIÇÃO 2 INTRODUÇÃO A EPÍSTOLA A OS GÁLATAS A carta aos Gálatas tem sido chamada de a Carta Magna da Reforma. Sem dúvida foi a carta favorita de Martinho Lutero. O reformador disse, “ a Epístola aos Gálatas é minha Epístola, é como um enlace matri- monial com ela, é a minha Catarina (o nome da sua esposa). Foi um estudo cuidadoso de Gálatas que guiou a Lutero até uma revolução contra o legalismo daqueles dias. “Só a Graça”, o tema de Gálatas chegou a ser o tema da reforma. A. A NATUREZA DE GÁLATAS Olhe a introdução os receptores em 1 Co. 1:4-7 e Gálatas 1: 6-7 e note a diferença. Gálatas é a única em sua severidade. É a única carta que não pretende ficar bem com os destinatá- rios. Não há elogios, não há ação de graça. Não há pedidos de oração nem uma menção de seu estado em Cristo. Ninguém é mencionado pelo nome. Não é um discurso teológico senão que é uma carta pessoal. Porque estudarmos? A coisa mais perigosa para a igreja nunca foi o ateísmo, paganismo, seitas ou religiões falsas. A coisa mais perigosa é a doutrina falsa dentro da igreja. Uma gota de veneno é suficiente para envenenar um copo de água. A igreja hoje tem que ter cuidado com a doutrina da salvação pelas obras. Qualquer doutrina fora da salvação completamente pela graça ou qualquer tipo de legalismo é falso. VERSÍCULO CHAVE 5:1 (R.V. 60) “Estás,pois,firmesna___________________comqueCristonosfez___________________, e não estais outra vez _____________________ ao jugo de ____________________.”
  • 16. Seminário Bíblico das Américas16. B. DATA E DESTINATÁRIO Por muitos anos se pensou que Gálatas foi escrita mais tarde que as igrejas no norte da Galácia, mas 4: 13-14 mostra que Paulo tinha relação pessoal com eles, então agora se considera que Gálatas foi a primeira carta escrita por Paulo no ano de 49 d. C. Galácia é uma região na Ásia menor onde está localizada a Turquia hoje. Paulo e Barnabé estabeleceram 4 igrejas nas cidades de Antioquia, Icônio, Derbe e Listra (Atos 13:14, 14:23) A pessoas de Galácia era emocional e intensa. Cesar disse: “São caprichosos e não se pode confiar neles.” Leia Atos 14:8-20 e descreva o que foi que passou com Paulo enquanto ministrava na Galácia. C. OCASIÃO E PROPÓSITO Paulo foi perseguido pelos judaizantes em todo seu ministério, mas talvez nunca como tenha ido à Galácia. Na Galácia os judaizantes haviam penetrado nas igrejas da Galácia e atacado a autori- dade do apóstolo e o Evangelho que pregava, se opondo violentamente a seu ministério. Estes ataques levantaram dúvidas quanto a legitimidade das pretensões apostólicas de Paulo, e alguns haviam abandonado a liberdade do Evangelho de Cristo para se submeter à servidão dos ritos mosaicos. Profundamente comovido pela notícia desta oposição e de tão grande apostasia, Paulo os escreve a fim de expor qual é o verdadeiro Evangelho de Cristo e quais as únicas doutrinas cristãs acerca do pecado e da salvação. Sendo assim, a epístola aos Romanos e a epístola aos Gálatas, tratam de assuntos paralelos, sendo que a segunda é menos extensa que a primeira, mas seu estilo, ainda que menos metódico, é mais vigoroso. Depois da introdução onde saúda as igrejas da Galácia e declara a fonte de seu ministério apostólico, Paulo denuncia a vacilação dos gálatas e afirma sua posição como ministro do Evangelho de Cristo. Em seguida demonstra que o pecador se justifica diante de Deus pela fé e não pelo cumprimento dos ritos da Lei mosaica, cujo objeto já havia sido cumprido, exorta a permanência na liberdade cristã cuja natureza explica, e finalmente insiste com a prática das virtudes derivadas de uma verdadeira experiência de liberdade em Cristo.
  • 17. Seminário Bíblico das Américas 17. Leia 1:1-10 Quais as duas acusações que fizeram os judaizantes contra Paulo? D. ESBOÇO, (leia e ponha um título para as seguintes referências) 1. 1:1 – 2:29 ______________________________________________ 2. 3:1 – 4:31 ______________________________________________ 3. 5:1 – 6:18 ______________________________________________ E. TEMAS, (leia Gálatas e responda as perguntas sobre os temas seguintes) 1. Liberdade Gálatas é nosso certificado de liberdade. Não estamos debaixo da jurisdição da lei. Mas esse fato significa que podemos fazer qualquer coisa? Se não, o que significa para o crente? (2:4,4:31, 5:1-15, outros) 2. Graça (1:15, 2:21, 3:18, 5:4) Graça é um dom de Deus para a salvação. A graça possibilita a fé, que é a resposta agradecida a iniciativa de Deus. A fé é a aceitação da graça de Deus, mas esta não provoca aquela. Toda idéia neo-testamentária de redenção e salvação gira em torno da graça de Deus manifestada na vida, obra, morte e ressurreição de Cristo. É a base da nossa justificação, a verdadeira boa nova e a mesma essência do evangelho. Olhe o que Paulo diz sobre a graça na salvação e que significa na vida de um crente. 3. A lei (2:16, 19, 21; 3:11, 13, 24; 5:4, 14,18) A lei servia como guia para dar a conhecer nossa necessidade de sermos perdoados. Cristo cumpriu com as obrigações da Lei em nosso lugar. Devemos nos voltar para Ele a fim de sermos salvos. Só Ele pode nos fazer justos diante de Deus. Qual é o propósito da lei e o que significa na vida de um crente?
  • 18. Seminário Bíblico das Américas18.
  • 19. Seminário Bíblico das Américas 19. LIÇÃO 3 ANALISES DE GÁLATAS 1. PAULO DEFENDE O EVAN- GELHO E SUA POSIÇÃO APOSTÓ- LICA (1:1; 2:21) A. INTRODUÇÃO – 1:1-9 VERSÍCULO CHAVE 1:8 “Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue __________________ que vá além do que vos temos pregado, seja _______________.” Aparentemente os judaizantes que perse- guiram a Paulo em todo o seu ministério tinham muita influência na Galácia. Os judaizantes pregavam outro evangelho. Eles ensinavam que era necessário converter-se ao judaísmo e ser circuncidado antes de aceitar o evangelho. Eles queriam atacar a mensagem e às vezes o método mais simples era atacar ao mensa- geiro. Os judaizantes estavam dizendo que Paulo não era um apóstolo verdadeiro e que só estava pregando para seu próprio lucro. 1. Saudação 1:1-5 Desde o princípio desta carta Paulo defende seu minis- tério. Em muitas de suas cartas Paulo se introduz dizendo apóstolo ou servo, mas nesta carta agrega algo mais. O que é? 2. A situação 6-9: Afastado da Graça Paulo expressa sua surpresa ao ver a rapidez que abando- naram o evangelho. O cristão não deve se associar com um falso mestre, sem importar com suas credenciais. O falso mestre trata de justificar suas próprias ações ou crenças. Os mestres têm influência e por isso são julgados mais estrita- mente. (Tiago 3:1) Apóstol: Enviado com uma missão. No sentido específico refere-se a um grupo de pessoas enviadas por Cristo. Os requisitos eram: ter visto a Jesús ressuscitado e ter um ministério de milagres. Só os 12 discípulos e Paulo pertenceram a este grupo. No sentido mais amplo refere-se a mensageiros da Palavra. Berbabé e Timoteo são exemplos.
  • 20. Seminário Bíblico das Américas20. Qualquer pessoa que ensine algo fora do evangelho verdadeiro é um falso mestre e corre perigo de ser condenado. Com suas próprias palavras. Qual é o evangelho verdadeiro? B. PAULO DEFENDE SEU CARGO DE APÓSTOLO 1:10-24 VERSÍCULO CHAVE 1:11, 12 “Faço-vos, porém, saber irmãos, que o ____________________ por mim anunciado não é segundo _________________; porque eu não o __________________ nem o ________________ de homem algum, mas mediante a _________________ de _________________.” Leia Gálatas 1:10-24 e responda as seguintes perguntas: Paulo enfatiza que o evangelho não possui fonte humana: Qual é a explicação de Paulo a esse respeito? Como recebeu o evangelho? Paulo usava seu testemunho para demonstrar que ele era chamado de Deus e não por homem. Antes de sua conversão era perseguidor da igreja. O que pode ter causado nele uma mudança tão drástica? A causa de sua mudança foi ver a Cristo ressusci- tado. Esse mesmo Cristo lhe deu um chamado. Ele demonstra que o evangelho não vinha de outros apóstolos porque não passou tempo com eles. Por que os Apóstolos glorificavam a Deus? (v.24)
  • 21. Seminário Bíblico das Américas 21. C. OEVANGELHODEGRAÇAAPROVADOPELALIDERANÇADEJERUSALÉM–2:1-10 Paulo fez 5 viagens a Jerusalém: 1. Visita pós-conversão. 2. Visita com ofertas para os pobres. 3. Visita ao Concílio de Jerusalém. 4. Visita depois da sua 2ª viagem missionária. 5. Última visita e encarceramento. Não está bem claro que visita Paulo está mencionando, se é a segunda ou a terceira. O que está bem claro é o que aconteceu nesta visita. Paulo havia traído a Tito, um verdadeiro cristão gentil, discípulo de Paulo. Nunca em sua visita foi sugerido que Tito seria circuncidado. Entretanto, quando os apóstolos deram suas bênçãos a Paulo e a Barnabé só apresentaram uma instrução, que não circun- cidassem aos gentios senão que se lembrassem dos pobres. D. A LEI O A GRAÇA? 2:11-21 VERSÍCULO CHAVE 2:20 “Estou crucificado com __________________; logo, já não sou eu quem vive, mas _________________vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me ___________________ e a si mesmo se ___________________ por mim.” Por que Paulo brigou com Pedro? Se havia um apóstolo que deveria ter apoiado a Paulo este seria Pedro. Foi ele quem por primeira vez recebeu a mensagem de que o evangelho foi aberto para os gentios (Atos 10). Mas, Pedro foi influenciado pela pressão social. Quem mais foi influenciado por Pedro? (13) De acordo com o versículo 20. Qual é nossa identidade? Por que disse que Cristo morreu em vão se a justificação vem pela lei? (v.20)
  • 22. Seminário Bíblico das Américas22. 2. SALVAÇÃO SÓ POR GRAÇA 3:1, 4:31 A. JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ E NÃO PELA LEI 3: 1-14 VERSÍCULOS CHAVES 3:13, 14 “Cristo nos resgatou da maldição da ___________________, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar (porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado em madeiro), para que a benção de Abraão chegasse aos ____________________em Jesus Cristo a fim de que recebês- semos, pela fé, o _____________________ prometido.” 1. O Espírito Santo se recebe por fé e não por obras 3:1-5. Nos escritos de Paulo vemos muito o uso de perguntas sem respostas para estabelecer seu argumento. Quantas perguntas existem e qual é a resposta de cada uma? 2. Abraão foi justificado pela fé e não por obras 3:6-9 Como Abraão recebeu a justificação? 3. A maldição da lei 3:10-19 Qual é a relação entre maldição e a lei de Deus? Como podemos ser redimidos desta maldição? O que veio primeiro a lei ou a promessa? B. O PROPÓSITO DA LEI 3:20-, 4:11 VERSÍCULOS CHAVES 3:26-29 “Pois todos vós sois ___________________ de Deus mediante a fé em Cristo Jesus; porque todos quantos fostes ____________________em Cristo de Cristo vos revestistes. Dessarte, não pode haver ___________________ nem __________________; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois ___________________em Cristo Jesus.E, se sois de Cristo, também sois descendentes de _________________e herdeiros segundo a __________________.” Era comum naquela cultura colocar um filho sobre a supervisão de um escravo. Esse escravo se chamava pedagogue. O pedadogue tinha a responsabilidade de treinar ao filho para obedecer a seus pais e servia como professor ou tutor dele. O filho tinha que obedecer a este escravo até chegar a maior idade (adulto). Quando chegava a ser adulto recebia os direitos de filho e o pai falava direta- mente com ele. Ainda que, em muitos casos, o pedagogue mantinha sua amizade com o filho, jamais se relacionariam. 1. Liberdade em Cristo 3:25-29 Qual é o tutor? O que significa que “somos um em Cristo” no v. 28?
  • 23. Seminário Bíblico das Américas 23. 2. Somos filhos de Deus 4:1-11 O que aprendemos sobre nossa relação com o Pai nestes versículos? C. A REAÇÃO DOS GÁLATAS PARA COM PAULO 4:12-20 Como receberam a Paulo inicialmente? (13-15) Qual era o desejo dos inimigos de Paulo? (17) D. FILHOS DA PROMESSA 4:21, 5:1 Paulo usa uma ilustração alegórica nos versículos 21 e 31. Nesta ilustração, Agar representa a lei e Sara a graça. Que semelhanças encontramos no hoje em dia com relação aos filhos de Isaque e os filhos de Ismael? (29) 3.VIVENDO EM LIBERDADE 5:2. 6:18 A. O PERIGO DO LEGALISMO 5:2-12 O aviso de Paulo contra a circuncisão estava ligado à idéia de que a mesma teria um valor espiri- tual em si mesma. Os judaizantes estavam dizendo que ainda que a morte de Jesus tivesse muito valor não era suficiente. Ensinavam que nós temos que cumprir o que Cristo fez, com nossas próprias obras. Ensinavam que sem a circuncisão não se podia ser salvo. (Atos 15:1,5) No capítulo 5, Paulo responde a esta doutrina. Veja os seguintes versículos e escreva 4 resul- tados em caso de seguir a lei. 1. 5:2 2. 5:3 3. 5:4 4. 5:5, 6 B. PRÁTICA DA LIBERDADE 5:13-15 Paulo entendia que a liberdade cristã podia ser mal interpretada. Nosso chamado a liberdade é um chamado livre do sistema legal da lei do antigo testamento. Um sistema impossível de cumprir. Entretanto, tão pouco é uma oportunidade para a carne. Qual é a maneira de viver em liberdade?
  • 24. Seminário Bíblico das Américas24. C. O CONFLITO ENTRE O ESPÍRITO E A CARNE 5:16-26 VERSÍCULOS CHAVES 5:16 E 24 “Digo, porém: _________________ no ________________ e jamais satisfareis à concupis- cência da carne.” “E os que são de Cristo Jesus ________________ a carne com as suas ________________ e _________________.” Quais são os três verbos que Paulo usa para indicar nossa direção pelo Espírito? (v.16, 18 e 25). Qual é o resultado em cada um? Faça uma comparação entre 5:17, 18 e Romanos 7:13-25 e responda como nos ajuda a poder entender o capítulo 5:17,18. 1. Andai no Espírito 5:16-18 2. Obras da carne 5:19-21 3. Fruto do Espírito 5:22-26 D. EXECUÇÃO DA LIBERDADE: FAZEI O BEM A TODOS 6:1-10 Qual é a lei de Cristo? (6:2). Veja João 13:34; Gálatas 5:14 e Romanos 13:8-10 Leia 6:2. O contexto desta declaração é ajudar a um irmão a superar o pecado. Pensando neste contexto, como cumprimos a lei de Cristo? Você está vivendo debaixo da lei ou da graça? Você aceitou a graça de Deus para sua salvação, mas, todavia, está vivendo debaixo da lei? Avalie seu caminho debaixo do controle do Espírito Santo usando 5:16-21
  • 25. Seminário Bíblico das Américas 25. LIÇÃO 4 INTRODUÇÃO AS EPÍSTOLAS À TESSALÔNICA É o sonho de cada missionário poder escrever as Igrejas que fundou dizendo: ”damos sempre graças a Deus por todos vocês”. Ainda que Paulo não tenha permanecido muito tempo em Tessalô- nica, teve um grande êxito e a igreja cresceu. Hoje em dia existe muito interesse nas profecias e nos acontecimentos dos últimos dias, por esta razão existe uma tendência de ver as cartas somente como cartas escatológicas; perdendo assim os ricos ensinos que contém. Sem dúvida, tem um ensino muito importante sobre a vinda de Cristo, mas no contexto vemos um pastor preocupado pela sua congregação, que não perde sua esperança. As epístolas aos Tessalonicenses são primeiramente instruções a uma igreja jovem. Não existem outras duas cartas de Paulo mais parecidas no formato e no conteúdo como que estas. Então estudaremos as duas juntas. A. A NATUREZA DOS TESSALONICENSES Veja os seguintes versículos e anote a atitude de Paulo aos receptores. 1 Ts. 1:2 1 Ts. 2:13-14 1 Ts. 2:19-20 1 Ts. 3:9 1 Ts. 5:11 2 Ts. 1:3, 4 2 Ts. 2:13 As Cartas aos Tessalonicenses estão cheios de gozo e esperança Paulo foi abalado pelo que estava passando nas igrejas. Suas cartas refletem o gozo que ele tinha pelo crescimento e maturidade desta jovem igreja.
  • 26. Seminário Bíblico das Américas26. VERSÍCULOS CHAVES 1 Ts. 4:14 e 2 Ts. 2:1-2 “Pois, se cremos que Jesus ________________e ________________, assim também Deus, mediante Jesus, em sua companhia, os que ________________.” “Irmãos, no que diz respeito à ________________ de nosso Senhor ________________ e a nossa ________________ com ele, nós vos exortamos, a que não vos demovais da vossa ________________, com facilidade, nem vos perturbeis, que por ________________, quer por ________________, quer por epístola, como se procedesse de nós, supondo tenha chegado o dia do Senhor.” B. DATA E DESTINATÁRIOS Paulo escreveu as duas cartas durante sua segunda viagem missionária, desde Corinto ao redor do ano 50 ou 51. Geralmente é aceito que a segunda carta foi escrita poucos meses depois que a primeira, mas alguns opinam que foi ao contrário. 1. A cidade. Tessalônica era uma das cidades maiores da Macedônia na era apostólica. Foi muito importante como centro comercial e político, sendo um grande porto que atraía muito tráfico e uma população mista. Estava situada sobre a rota mais importante que unia Roma com suas dependências orientais, e debaixo dos Romanos se constituiu na capital de um dos quatro distritos que compunham Macedônia. 2. A Igreja. Leia Atos 16 e 17 e anote o que aconteceu com Paulo e a Silas antes de chegarem a Tessalônica e as verdades que ele pregou em Tessalônica. C. OCASIÃO E PROPÓSITO Paulo não podia ficar em Tessalônica por muito tempo por causa da perseguição. Ele junto com Timóteo e Silas tiveram que fugir de Tessalônica e depois fugir de Beréia até Atenas. Pela sua preocu- pação com as igrejas jovens, Paulo mandou Timóteo a Tessalônica e Silas a Macedônia para ver as igrejas, ficando Paulo sozinho em Atenas, para fazer a difícil obra naquele lugar. Com pouco êxito em Atenas, Paulo foi a Corinto desaminado. Quando Timóteo chegou com suas informações, que tipo de notícias trouxe? I Ts. 3:6-9.
  • 27. Seminário Bíblico das Américas 27. Ainda que as notícias de Timóteo fossem esperançosas existiam algumas preocupações e a primeira epístola aos Tessalonicenses é a resposta. A igreja jovem precisava do conselho de Paulo para permanecer firme. Seus inimigos haviam dito que os evangelistas cristãos só trabalhavam para conseguir dinheiro. Também perseguiram a esta jovem igreja dizendo que estavam seguindo a outro rei. Também disseram que Paulo os havia abandonado e que ele não gostava deles. Esta carta também corrige alguns maus entendidos sobre a vinda do Senhor. Eles pensavam que a vinda de Cristo era rápida e estavam preocupados pelos irmãos que já estavam mortos. Esta epístola foi escrita poucos meses depois para esclarecer o ensino sobre a vinda do Senhor. D. ESBOÇO (leia e ponha um título às seguintes referências) I Tessalonicenses II Tessalonicenses 1. 1:1-10 Introdução 1. 1:1-4 Introdução 2. 2: 1-16 ________________ 3. 2:17, 3:13 ________________ 4. 4: 1-12 ________________ 5. 4:13, 5:11 Vinda do Senhor 5. 1:5, 2:17 Vinda do Senhor 6. 5:12-22 ________________ 6. 3:1-15 _________________ 7. 5:23-28 Conclusão 7. 3: 6-18 Conclusão E. TEMAS 1. A segunda vinda de Cristo Uma grande porção do texto das cartas dedicada aos últimos aos tempos (I Ts. 4:13, 5:11 e II Ts. 1:5, 2:17). Também muitos capítulos terminam com uma referência a segunda vinda (I Ts. 1:10, 2:19-20 e 3:13). Leia as passagens e anote a informação sobre os últimos tempos. 2. Conduta da igreja Leia I Ts. 5:12-28 e II Ts. 3:6-18 e observe os comandos de Paulo.
  • 28. Seminário Bíblico das Américas28.
  • 29. Seminário Bíblico das Américas 29. LIÇÃO 5 ANALISES DE I E II TESSALONICENSES 1. INSTRUÇÕES PARA A VIDA CRISTÃ (I Ts. 1:1, 4:12; II Ts. 1:1-12) A. INTRODUÇÃO (I.Ts. 1:1-10; II Ts. 1:1-12) VERSÍCULOS CHAVES I TS. 1:8 E II TS. 1:11 “Porque de vós _________________ a palavra do Senhor, não só na Macedônia e Acaia, mas também por toda a _________________ se divulgou a vossa _________________ para com Deus, a tal ponto de não termos necessidade de _________________ coisa alguma.” “Por isso, também não cessamos de _________________ por vós, para que o nosso Deus vos torne _________________ da sua vocação e cumpra com _________________ todo _________________ de bondade e obra de fé.” Paulo sempre estava sobrecarregado com as responsabilidades das igrejas que ele havia fundado. Com todo sofrimento e suas cargas pelas igrejas deve ter sido emocionante e restaurador ministrar em Tessalônica. Em contraste a sua carta aos Gálatas, sua carta aos Tessalonicenses está cheia de elogio e animo. Como muitas das cartas de Paulo, sua carta aos Tessalonicenses está escrita para corrigir ensinos falsos ou para responder as acusações dos que estavam perseguindo a igreja. B. SAUDAÇÃO (I Ts. 1:1-3; II Ts. 1:1-2) Suas cartas aos tessalonicenses são as únicas que não levam título algum de Paulo, como Apóstolo ou Servo. Por que não era necessário por título na sua carta aos Tessalonicenses?
  • 30. Seminário Bíblico das Américas30. C. O TESTEMUNHO DOS TESSALONICENSES (I Ts. 1:4-10; II Ts. 3-12) 1. Sua conversão (I Ts. 1:4,5) Os cristãos são os eleitos, escolhidos por Deus. (Mt. 24:22, 24, 31; Lc. 18:7; Rm 8:33; Cl 3:12, II Tm 2:10). Deus elegeu ao homem para cumprir sua vontade e Ele é soberano. Isso é um tema comum nas cartas de Paulo e o Novo Testamento. (Jo 6:37, 44; Ro 9:15-16; I Co 1:9; Ef. 1:4-6; II Ts. 2:13; II Tm 1:9; At 13: 46-48; Ap. 13:8; 17:8) Também em I Ts. 1:6 e 9 surge que a vontade do homem participa na conversão. Não podemos negar a eleição de Deus nem a vontade livre do homem. (Fp. 2:12-13; Rm. 10:9-10). Uma das acusações dos que estavam perseguindo a igreja era de que não eram salvos verdadei- ramente e que Cristo já veio e não nos levou. Então Paulo começou explicando o motivo pelo qual podem estar seguros de sua salvação. Primeiro, porque foram eleitos por Deus e segundo pela maneira na qual receberam o evangelho. Em 1:5 vemos que o evangelho chegou em palavras e também em: a. b. 2. O resultado de seu testemunho. (I Ts. 1:6-10) Também a igreja em Tessalônica podia estar segura da salvação pelo seu próprio testemunho. Vemos no versículo 6 que a igreja foi estabelecida em meio da perseguição. Quais as coisas que Paulo testemunhou referente aos Tessalonicenses? (v.5-10) Quais coisas em seu testemunho podem lhe dar a segurança da sua salvação?
  • 31. Seminário Bíblico das Américas 31. 3. São dignos do lugar no reino (II Ts. 1:3-5) Paulo segue a discussão em II Tessalonicenses. É possível que depois de sua primeira carta ficassem dúvidas e então Paulo segue explicando que eles são verdadeiramente salvos e tem o direito de participar no dia do Senhor. Nos versículos 3-5 Paulo lhes mostra que podem confiar na sua salvação porque são dignos de participar no reino. O que demonstrou que mereciam um lugar no Reino de Deus? (4-5) 4. A vingança do Senhor (II Ts. 1:6-10) Paulo não somente queria lhes dar segurança de que eles eram salvos e não faltariam ao dia do Senhor, senão que também todos vão a receber sua recompensa. Os inimigos de Deus e os crentes vão ser julgados. Nos versículos 7 e 8, sobre que evento Paulo está falando? Paulo está falando sobre o mesmo eventos nos versículos 9 e 10? Sim ou não? Por quê? Leia os versículos 9-12 e diga quais os versículos pertencem ao juízo dos incrédulos e quais pertencem aos crentes. D. PAULO FUNDOU A IGREJA (I Ts. 1:1-16) Para fazer frente às acusações dos perseguidores de Paulo recorda de seu ministério (1-12) e como foi recebido (13-16) 1. O ministério de Paulo (2:1-12) Leia 1-12 e ponha um adjetivo que descreva o ministério de Paulo dentro dos Tessalonicenses: 2:1-2 ___________________________ 2:2 ___________________________ 2:3 ___________________________ 2:4 ___________________________ 2:5-6 ___________________________ 2:7-8 ___________________________ 2:9 ___________________________ 2:10 ___________________________ 2:11 ___________________________
  • 32. Seminário Bíblico das Américas32. 2. Como receberam o evangelho (2:13-16) Paulo explica que da mesma forma que as igrejas na Judéia foram perseguidas pela sua própria pátria, os Judeus, também os tessalonicenses foram perseguidos pelos seus companheiros. “assim preencham eles sempre a medida dos seus pecados”. Seus pecados haviam chegados ao limite, mas a ira de Deus viria a eles com toda severidade. E. O GRANDE INTERESSE DE PAULO PELOS TESSALONICENSES (I Ts. 2:17, 3:13) VERSÍCULOS CHAVES 3:12 E 13 “E o Senhor vos faça __________________ e __________________ no amor uns para com outros e para com __________________, como também nós para convosco.” “A fim de que seja o vosso coração __________________ em santidade, isento de __________________, na presença do nosso Deus e Pai, na vinda do nosso Senhor Jesus, com todos os seus santos.” 1.Em seu grande desejo de ver seus rostos (2:17-20) Paulo entendeu que o desejo do inimigo é se opor ao Reino de Deus. Leia os seguintes versí- culos e descreva alguns métodos que o inimigo usa para inibir a propagação do evangelho (Mt 13:19; II Co 4:4; II Ts. 2:9; II Co 11:3, Jo 8:44) Também vemos a presença do inimigo na igreja de: Jerusalém (Atos 5:1-11) Corinto (II Coríntios 2:1-11) Éfeso (I Tito 3:6-7) Esmirna (Ap. 2:9-10) Pérgamo (Ap. 2:13) Tiatira (Ap. 2:24) Filadelfia (Ap. 3:9) A batalha é real e o inimigo é como um leão rugindo buscando devorar os santos (I Pedro 5:8). Leia Tiago 4:7 e I Pedro 5:9, sobre o que devemos fazer. 2. Ao mandar a Timóteo para ajudar-los e consolar-los (3:1-5) Por que Paulo enviou Timóteo? 3. Em sua alegria ao regressar Timóteo com boas notícias (3:6-9) O que alentou o coração de Paulo como fundador e ministro daquela igreja?
  • 33. Seminário Bíblico das Américas 33. 4. Em sua oração por eles (3:10-13) Paulo ora por 3 coisas específicas, quais são? a. b. c. F. APROFUNDAR AINDA MAIS (4:1-12) Paulo estava muito alegre com o progresso da igreja em Tessalônica, mas não queria que eles pensassem que seu crescimento havia terminado. Então Paulo anima-os a que se abstenham do pecado e que amem ao irmão. 1. Conduta geral (4:1-2) 2. Conduta sexual (4:3-8) Quais são as instruções sobre a vida sexual? 3. Conduta entre os irmãos (9-10) Paulo dá 2 razões pelas quais não necessita escrever-lhes sobre o amor fraternal. Quais são? a. b. Paulo deu 3 instruções de como andar com as pessoas de fora, quais são? a. b. c.
  • 34. Seminário Bíblico das Américas34.
  • 35. Seminário Bíblico das Américas 35. LIÇÃO 6 ANALISES DE I E II TESSALONICENSES (continuação) 1. INSTRUÇÕES SOBRE A VINDA DE CRISTO E CONDUTA NA IGREJA (I Ts. 4:13-5:28; II Ts. 2:1-3:18) A. INSTRUÇÕES SOBRE OS ÚLTIMOS TEMPOS (I Ts. 4:13; 5:11, II Ts. 2:1-17) VERSÍCULOS CHAVES I TS. 4:16 E 17 “Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua ________________ de ordem, ouvida a ________________ do arcanjo e ressoada a __________________ de Deus, descerá dos céus, e os ________________ em Cristo ressuscitarão ___________________.” “Depois, nós, os _________________, os que ficarmos seremos _______________ junta- mente com eles, entre _________________ para o encontro do Senhor nos ares e assim estaremos para _________________ com o Senhor.” 1. Instruções sobre a ressurreição e o arrebatamento. (I Ts. 4:13-18; II Ts. 2:1, 2) Talvez não exista uma doutrina que gere mais interesse que o arrebatamento da igreja. A igreja em Tessalônica foi ensinada sobre o regresso do Senhor e o arrebatamento, mas estavam confundidos em alguns aspectos. Primeiro pela perseguição, eles pensavam que já estavam no “Dia do Senhor” e que eles não haviam sido arrebatados. Leia II Ts. 2:2. Em sua opinião, o que estavam ensinando os falsos mestres? Em que Paulo se baseia para assegurar que serão ressuscitados? Quem serão os que ressuscitarão primeiro? Vemos no versículo 14 que os que dormem são os que estão mortos em Cristo. É importante entender que esse sonho fala somente do corpo e não da alma. II Co. 5:8 e Fp. 1:23 nos ensina que quando morremos estamos instantaneamente na presença do Senhor. Não se deve confundir o Arreba- tamento da Igreja (encontrando-se com Cristo no ar) com a segunda vinda, o momento quando Ele virá com seus santos a terra para julgar aos pecadores e estabelecer seu reino. (II Ts. 1:7-12)
  • 36. Seminário Bíblico das Américas36. 2. Nossa atitude diante do “Dia do Senhor” (I Ts. 5:1-11; II Ts. 2:13-17) a. Sejam vigilantes. (I Ts. 5:1-8) O dia é imprevisível (I Ts. 5:1-3) O Dia do Senhor se refere a um tempo futuro que Deus mesmo irá intervir direta e dramatica- mente nas coisas do mundo. Isso foi predito nos dois testamentos (veja também Is. 3:6-12; Jl. 2:28-32; Sf. 1:14-18). Esse tempo irá incluir castigos para os inimigos de Deus e bênçãos para seu povo. Cristo irá julgar o pecado e estabelecerá seu reino. Nesse tempo também estão incluídos o arrebatamento, a grande tribulação, o estabelecimento do reino e o milênio, o juízo dos pecados e o juízo dos crentes. A ordem dos eventos, especialmente o arrebatamento são bem discutidos. As opiniões principais são: Pré-Tribulação: Jesus virá antes da tribu- lação para levar sua igreja ao céu. Por 7 anos a igreja passará o tempo celebrando a grande boda. Depois de 7 anos regressarão com Cristo para conquistar a Terra. Pós-Tribulação: A segunda vinda e o arrebatamento são um mesmo evento. Ainda que a igreja receba alguma proteção e Deus, ainda sim sofrerá. Depois da tribulação são chamados a unir-se com o noivo (Cristo) e regressar com Ele para estabelecer seu reino. Pré-Ira: A tribulação está dividida em 2 partes: A ira do homem em que o anti- cristo e a ira de Deus quando Deus irá julgar o mundo. Esta teoria afirma que o arrebatamento ocorre depois da ira do homem e antes da ira de Deus. Em Ts. 5:1-3 menciona-se que ninguém sabe nem o dia nem a hora. O Senhor voltará de surpresa, adverte Paulo. Já que ninguém sabe quando Jesus voltará a terra, deveríamos estar sempre prontos. Deveríamos viver cada dia preparados para dar as boas vindas a Cristo. Se Ele voltasse hoje: Como o encontraria vivendo? Você está pronto?
  • 37. Seminário Bíblico das Américas 37. Estejam preparados. (I Ts. 5:4-8) Leia v. 4-8 e anote a diferença entre os crentes (preparados) e os não crentes (não preparados). Anote também as diferenças. Crentes Não Crentes 5:5 Filhos de Luz 5:4 Em Trevas b. Não tenha medo (II Ts. 2:13-17) Paulo ensinou de maneira firma que a salvação começa e termina com Deus. Não podemos fazer nada para obter a salvação por nossos próprios méritos, devemos aceitar o presente de Deus que é a salvação. Não existe outra forma na qual podemos obter perdão pelos nossos pecados. Paulo está animando aos crentes tessalonicenses ao recordá-los que foram escolhidos por Deus desde o princípio. A santificação é um processo de crescimento cristão através do qual o Espírito Santo nos assemelhe a Cristo; ainda que este processo não seja cumprido nesta vida, Paulo está assegurando aos tessalonicenses outra vez que estão no caminho de santificação pelo Espírito e que então podem estar seguros na sua fé. 3. Três coisas que antecedem ao Dia do Senhor (II Ts. 2:1-8) Paulo deseja lhes dar a segurança de que não estão no dia do Senhor, então ensinou que existem 3 coisas que tem necessitam acontecer antes que Jesus traga a sua Justiça. Quais são estas 3 coisas? - (Vs.3) - (Vs.3) - (Vs. 7)
  • 38. Seminário Bíblico das Américas38. Há muita discussão dentro da igreja evangélica. O que é a apostasia e quando será? Quem ou o que é o homem do pecado? Estes são eventos que ocorrerão no futuro ou já passarão? Alguns identificam estes eventos como o papado e outros eventos futuros, por exemplo, quando os que estão professando ser cristãos se afastem da igreja para seguir ao homem do pecado. Não podemos estar seguros, mas podemos dizer com toda a certeza que o Dia do Senhor não irá começar até que o homem identificado como anticristo apareça e os que estão alerta o reconheçam. Quem detém ao homem do pecado? Não sabemos com certeza. Sugerimos 3 possibilidades: 1) Governo e lei que ajudam a controlar a maldade. 2) O ministério e atividade da igreja e os efeitos do evangelho. 3) O Espírito Santo ou a mão de Deus. A Bíblia não é clara sobre quem é ou que o deterá, somente diz que será detido para sempre. Mas não devemos temer ao dia em que ele será detido por aquele que irá deter-lo. Deus é muito mais poderoso que o homem do pecado e Ele salvará a seu povo. Qual é o final do homem do pecado? (v.8) 4. Descrição do homem do pecado (2:9-12) Leia versículo 9-12 e descreva como ele irá enganar as pessoas? B. CONDUTA NA IGREJA (I Ts. 5:12-24; II Ts. 3:3-15) 1. Respeitar aos líderes (I Ts. 5:12-13) Leia I Ts. 5:12-17; Hb 13:17 e I Tm.5:17 e descreva como deve ser nossa atitude frente aos lideres. 2. Instruções para os irmãos (I Ts. 5:14-15) Anote as instruções de Paulo nestes versículos: - Admoestar aos ociosos. 3. Conduta Pessoal (I Ts. 5:16-22) Anote as instruções de Paulo sobre nossa conduta pessoal: - Estar sempre gozosos. 4. Disciplina (II Ts. 3:3-15) a. Que se afastem de todo irmão que ande desordenadamente (6) b. O exemplo de Paulo (7-10) c. O problema e a solução (11-15) C. CONCLUSÃO (I Ts. 5:23-28; 3:1-2 e 3:16-18)
  • 39. Seminário Bíblico das Américas 39. LIÇÃO 7 INTRODUÇÃO AS EPÍSTOLAS A OS CORINTOS A. INTRODUÇÃO Quando Paulo entrou em Corinto, ele enfrentou uma tarefa impossível. Deus o chamou para plantar uma igreja na cidade mais pagã daqueles dias. Ainda usavam a palavra korinthiazesthai para descrever a alguém que vivia imoralmente. Como a maioria das cidades gregas, Corinto tinha uma Acropólis (cidade alta). A Acropólis era um lugar onde as pessoas buscavam proteção durante uma guerra e também era o centro do culto pagão. Na Acropólis de Corinto encontrou-se o templo famoso de Afrodite (a deusa do amor). Esse templo tinha mil sacer- dotisas prostitutas que viviam ali e desciam à cidade todas as noites para buscar clientes. A igreja em Corinto estava cheia de pessoas salvas do mundo pagão. Também Paulo teve que enfrentar falsos mestres e divisões. Apesar de todos estes problemas, Paulo estabeleceu a igreja. VERSÍCULOS CHAVES I CO. 1:10 Y II CO.5:20 Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus, que faleis _______________ a mesma ________________, e que não haja entre vós _________________; antes, sejais inteiramente ________________, na mesma _________________ mental e no mesmo parecer. De sorte que somos __________________ em nome de Cristo, como, se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos __________________ com Deus. B. DATA E DESTINATÁRIOS Entendemos que foi escrita pelo Apóstolo Paulo desde Éfeso segundo Atos 20:31 e I Co. 16:5-8, provavelmente ao terminar sua residência nesta cidade. O Apóstolo residiu três anos naquela cidade, dados que datam a carta entre os anos 54 a 57 d.C. aproximadamente.
  • 40. Seminário Bíblico das Américas40. 1. A Cidade: Localizemos a cidade de Corinto no mapa do Império Romano e isso nos basta para nos convencer da impor- tância da situação. O golfo de Salônica ao oeste e o golfo de Corinto ao leste, penetram profundamente a península deixando somente uma faixa estreita na terra que mantém unido o extremo sul da Macedônia (que é praticamente uma ilha) com o resto do continente. Nesteistmodesomenteseiskilometrosdelargura,estálocalizadaCorinto.Sabe-sequeosestreitos e istmos são sempre lugares estratégicos para fins políticos, de navegação, de comércio e outros. Assim, então Corinto chegou a ser um dos centros comerciais mais importantes do mundo antigo. Todo tráfico da Grécia passava por ali, e ali se cruzavam todas as vias marítimas de leste a oeste e terrestres de norte a sul. O mercado proveniente do extremo leste do império se encontrava com o procedente do extremo oeste; e o do extremo norte com o do extremo sul. E como se isso fosse pouco, para incrementar mais transito e mais popularidade a esta cidade, esta era a cidade dos Jogos ístmicos, que ocupavam no mundo antigo o segundo lugar depois dos Olímpicos. 2. População: Nos dias de Paulo, sua população era bem heterogênea. Foi bastante perigoso navegar ao redor da península. Havia um ditado que dizia: “um marinheiro não navegará ao redor do Malea até que escreva seu departamento”. Por isso a maioria dos capitães escolhia levar seus barcos através deste istmo sobre cilindros. Então para transportar esses barcos o Império Romano mandou muitos escravos a Corinto, por isso havia uma população diversa. Também estavam os veteranos romanos que César havia enviado ali. Quando um soldado romano havia servido por um determinado tempo, lhe era outorgado à cidadania romana e era enviado a alguma cidade recém fundada ou conquistada, lhe dando uma porção de terra para se tornasse um colono. Havia mercadores aproveitando a supremacia comercial daquela cidade, também se encontravam muitos judeus entre a população, muitos deles obtendo vantagens das oportunidades comerciais. Além disso, havia fenícios, frigios e gente do oriente com seus costumes estranhos e modos exóticos. Farrar, um importante historiador, descreve aquela população com estas palavras: “população de raça indefinida e heterogênea, de aventureiros gregos e de romanos burgueses, de uma massa de judeus, ex-soldados, filósofos, mercadores, marinheiros, libertos, escravos, mascates e agentes de todo tipo de vícios.”
  • 41. Seminário Bíblico das Américas 41. 3. A igreja A igreja foi estabelecida durante uma visita de Paulo no ano 50. Leia Atos 18 e anote como estabeleceu a igreja e com quem trabalhava. C. OCASIÃO E PROPÓSITO 1. I Coríntios Leia I Co. 1:12 e 3:4-6 e anote quem mais visitou Corinto. Um dos grandes problemas em Corinto eram as divisões. Em lugar de considerar a cada servo do Senhor como parte de um todo, haviam fracionado em grupos, cada um dos quais exaltava o seu mestre favorito. Além disso, Paulo em sua segunda visita a cidade encontrou uma igreja imoral, então escreveu uma carta segundo podemos ver claramente em I Co. 5:9, censurando a imoralidade da igreja (desconhecemos a razão pela qual não foi preservada). Esta carta perdida a sua vez deu como resultado que os crentes de Corinto escrevessem ao Apóstolo (I Co.7:1) solicitando instrução acerca da relação entre ambos os sexos e outros assuntos. Também Paulo recebeu visitas da família de Cloe (1:11). Então esta carta é a resposta a carta da igreja pedindo instruções e o informe que recebeu. 2. II Coríntios Depois de sua primeira carta Paulo visitou por um breve tempo a igreja (II Co. 2:1, 13:2). Essa visita ocasionou dor e tristeza, então Paulo mandou outra carta severa por meio de Tito (2:4, 7:6-8). Parece que esta carta também se perdeu. As cartas anteriores de Paulo não resolveram todos os problemas. Alguns líderes carnais estavam influenciando as pessoas, é por isso que Paulo escreve defendendo sua autoridade e pedindo lealdade a igreja. D. ESBOÇO (leia e coloque um título as seguintes referências) I Coríntios II Coríntios 1:1-9 Introdução 1:1-11 Introdução 1:10-3:23 _____________________ 1:12-2:13 _____________________ 4:1-21 _____________________ 2:14-17 _____________________ 5:1-6:20 _____________________ 3:1-18 _____________________ 7:1-40 _____________________ 4:1-5:21 _____________________ 8:1-11:1 _____________________ 6:1-10 _____________________ 11:2-14:40 _____________________ 6:11-7:16 _____________________ 15:1-58 _____________________ 8:1-9:15 _____________________ 16:1-4 _____________________ 10:1-12:13 _____________________ 16:5-24 Conclusão 12:14-13:10 _____________________ 12:11-14 Conclusão
  • 42. Seminário Bíblico das Américas42. E. TEMAS 1. I Corintios. a. Imoralidade: Paulo encontrou cristãos carnais na igreja. Os cristãos não devem se comprometer com idéias e práticas pecaminosas. Não devemos nos confundir com as pessoas que nos rodeiam. Você deve viver de acordo com as normas morais de Deus e não passar despercebido pelas condutas imorais ainda que a sociedade as aceite. Existe alguma área na sua vida que está acomodada ao mundo? b. Divisão: Devemos nos preocupar pelos irmãos, e não brigar com eles. Você é mais leal a Cristo ou a um líder? Existe algo mais que você possa fazer pelos irmãos da sua igreja? c. Liberdade: A igreja em Corinto estava usando mal sua liberdade. Somos livres em Cristo, entretanto, não devemos abusar da nossa liberdade cristã para sermos irresponsáveis e insensíveis aos outros. Qual área da sua vida pode melhorar? d. Adoração: Paulo enfoca a desordem na adoração. As pessoas estavam participando da Ceia do Senhor sem confessar seus pecados. Estavam usando mal os dons espirituais e havia confusão quanto ao papel da mulher da igreja. e. A Ressurreição: Por que é importante a ressurreição? 2. II Coríntios. a. Disciplina: A meta da disciplina é a correção, não a vergonha. Uma igreja eficaz confronta os problemas. Sua igreja disciplina com amor? b. Esperança: Para animar aos coríntios que estavam enfrentando provas, Paulo recordou que eles receberiam novos corpos no céu. Isso seria uma grande vitória em contraste com o sofrimento que experimentavam. Como nos dá esperança o fato de que receberemos corpos novos?
  • 43. Seminário Bíblico das Américas 43. LIÇÃO 8 ANALISES DE 1ª CORÍNTIOS 1. CORRIGINDO PROBLEMAS NA IGREJA PARTE I (1:1-6:20) A. INTRODUÇÃO (1:1-9) VERSÍCULO CHAVE 1:9 “Fiel é _____________________, pelo qual fostes chamados à __________________ de seu filho Jesus Cristo, nosso Senhor.” 1. Saudação (1:1-3) Outra vez Paulo se apresentou como Apóstolo. Quando uma corte suprema judaica arbitrava uma situação, eles sempre mandavam sua decisão pelo Apóstolo. O apóstolo tinha toda autoridade do Sinédrio. Ele não falava por si mesmo senão pelo Sinédrio, era mais que um mensageiro, era embaixador ou emissário. Sóstenes: era líder da sinagoga depois de Crispo. O que aconteceu com Crispo? (Atos 18:8) Leia Atos 18:12-17 e descreva o que aconteceu com Sóstenes. Depois desse incidente ou talvez por esse incidente, Sóstenes tornou-se um irmão e compa- nheiro de Paulo. Os Coríntios são chamados a ser segundo I Co. 1:2: 2. Ação de Graças pelos Coríntios (1:4-9) Em quase todas as cartas de Paulo há uma ação de graças pelos receptores. Em Tessalonicenses vemos suas ações de graça pela sua obra, fé, testemunho, etc. Em primeira de Coríntios Paulo dá graças não pelo que os Coríntios tem feito, senão pelo que Deus tem feito por eles. Quais são algumas dessas coisas que Deus tem feito? (1:4-9)
  • 44. Seminário Bíblico das Américas44. 2. FRAÇÕES E RIVAIS NA IGREJA (1:10-4:21) A. CAUSAS DA DIVISÃO (1:11-3:15) 1. Lealdade ao homem em vez de lealdade a Cristo (1:10-17) 2. A necessidade de harmonia. (1:10) Paulo pede que eles sejam perfeitamente unidos em duas coisas, quais são? a. _________________________ b. _________________________ Esta petição é por harmonia doutrinária. Isso não significa que devemos ser fotocopias uns dos outros. Somos indivíduos únicos. Temos nossas próprias idéias e opiniões, mas na doutrina básica devemos estar de acordo com nossa igreja e sua liderança. Então se uma situação surge, devemos apresentar nossas preocupações com cuidado e humildade. Filipenses 2:3 tem a chave para a unidade. Qual é? 3. Lealdade da igreja. (1:11-17) Paulo menciona pelos menos 4 frações: a. Leais a Paulo: Paulo estabeleceu a igreja e esteve ali por 18 meses. b. Leais a Apolo: Apolo foi o segundo pastor em Corinto. c. Leais a Cefas ou Pedro: Provavelmente judeus e pode ser que converteram no dia de Pentecostes. d. “De Cristo”: Era um grupo orgulhoso que não pertencia a outro grupo. Eles tinham o nome correto, mas a atitude equivocada. 4. Olhando a sabedoria do homem em lugar da sabedoria de Cristo (1:18-25) VERSÍCULO CHAVE (1:25) “Porque a loucura de Deus é mais _______________ do que os homens; e a ______________ de Deus é mais forte do que os homens.” Naqueles dias havia uma ênfase na busca da sabedoria. Mas, algumas vezes naqueles dias, como hoje, havia um conflito entre a sabedoria do homem e a sabedoria de Deus. Quando existe um conflito, entre o que o homem ensina e o que a bíblia ensina a Bíblia sempre está correta. Você tem aprendido algo que é contrário a Bíblia? Como responderia?
  • 45. Seminário Bíblico das Américas 45. O grande exemplo hoje em dia é a evolução. Qualquer teoria de criação fora de Deus está equivo- cada. Em toda a história os inimigos da Bíblia têm atacado a palavra buscando erros. No século XIX os adversários levantaram a opinião de que era impossível que Moisés tenha escrito os 5 primeiros livros da Bíblia. Dizem que não existiam escritos tão complicados naqueles tempos. Hoje sabem que não somente havia escritos complicados, senão que existia um sistema de correio internacional. 5. A loucura da Cruz. Que coisas os judeus buscavam? O que buscavam os gregos? A idéia de a morte de Jesus é o caminho para salvação era uma loucura para ambos, os judeus e gregos. Para os judeus porque antecipava o Messias como um vitorioso conquistador; os gregos não podiam compreender como a morte de alguém podia produzir vida. Leia Dt. 21:22-23 e descreva o que os judeus pensavam sobre alguém pendurado num madeiro. B. ESQUECENDO A NATUREZA DE SEU CHAMADO (1:26-2:5) Leia os versículos 26-31 e preencha a tabela: O que Deus procura O que o homem procura Nossa união e identificação com Cristo nos leva a atingir 4 coisas: a. ______________________________________ b. ______________________________________ c. ______________________________________ d. ______________________________________ 1. O exemplo de Paulo (2:1-5) Como descreveria Paulo seu ministério? Por que Deus permitiu a Paulo trabalhar dessa forma? (1:29-31)
  • 46. Seminário Bíblico das Américas46. C. ESTAVA BUSCANDO SABEDORIA COM SUA PRÓPRIA MENTE E NÃO COM O ESPÍRITO (2:6-16) 1. A sabedoria verdadeira não é descoberta pela razão humana (6-9) Qual é a prova de que eles não entenderam a sabedoria de Deus? (8) 2. A sabedoria de Deus é revelada: (2:10-16) a. Por revelação (2:10-11) b. Por inspiração (2:12-13) c. Por iluminação (2:14-16) D. A VIDA CARNAL (3:1-9) Um novo convertido descreveu sua conversão como um ciclista subindo uma montanha, chegando a um ponto e pensando que podia custar o resto de sua viagem só, para descobrir que está só no principio da sua subida. Assim é para o novo convertido. Se pensarmos que nossa luta com o pecado terminou estamos equivocados. A vitória é segura, mas o processo é contínuo. 1. Carnais pela sua imaturidade (3:1-4) Quais são alguns dos sintomas de um cristão carnal? 2. Carnais pela sua lealdade (3:5-9) Outra vez Paulo fala sobre o tema da unidade. Que não somente estejamos unidos na igreja, senão que também na obra. Quem dá o crescimento? Quem recebe a recompensa?
  • 47. Seminário Bíblico das Américas 47. E. MOTIVOS FALSOS (3:10-17) Paulo segue com sua discussão sobre as divisões na igreja, mas o contexto aqui é a segunda vinda. Paulo mostra como nosso comportamento e atitudes irão afetar nosso futuro juízo. O crente não será julgado pelos seus pecados senão receber o premio pelas suas obras. Seremos julgados segundo: a. I Co. 4:5 ________________________________________________________________ b. Rm. 14:10, 12, 13 ________________________________________________________ c. II Co. 5:10 ______________________________________________________________ Paulo descreve 3 tipos de obreiros: o Construtivo, o Inútil, o Destrutivo. O que recebe cada um destes? 1. Como eliminar a divisão (3:18-23) A base da divisão é o orgulho. A igreja em Corinto era orgulhosa com respeito aos seus líderes, seus dons, sua liberdade, seu ministério, etc. Então Paulo disse que devemos ter a perspectiva correta nestas 4 áreas. Quais são? a. vs. 18-20 _______________________________________________________________ b. vs. 21-22ª aos líderes, outros c. v. 22ª nossas possessões d. v. 23 __________________________________________________________________ 2. O serviço (4:1-21) a. O servo verdadeiro (4:1-5) Anote a atitude de Paulo sobre julgar os servos. b. O orgulho dos Coríntios (4:6-8) c. A humildade dos Apóstolos (4:9-13) d. O motivo de Paulo ao escrever a carta (4:14-21) Paulo explica que a razão de escrever esta carta tão dura é por se sentir seu pai espiritual. Paulo como pai espiritual tem várias responsabilidades. Quais são? (4:12-21)
  • 48. Seminário Bíblico das Américas48. 3. IMORALIDADE NA IGREJA (5:1-6:20) A. SOBRE O INCESTO (5:1-13) 1. Entregar aos fornicadores à disciplina (5:1-8) Aparentemente havia um homem que tinha relações com a esposa de seu pai. Isso não somente foi condenado pela lei judia (Lv. 18:8,29), senão que também pela lei Romana. Era uma vergonha que a igreja não só não disciplinava, senão que também, tinha orgulho de sua liberdade. Paulo instrui claramente a igreja. O que deveria ser feito nessa situação? Em Mateus 18:15-20 Jesus dá três passos para a disciplina. Quais são? a. __________________________________ b. __________________________________ c. __________________________________ 2. Separar-se dos crentes imorais (5:9-13) Paulo explica que devemos nos separar dos não crentes imorais. Por quê? B. SOBRE O LITIGIO ENTRE OS CRENTES (6:1-11) Um cristão não deveria levar um irmão diante do Tribunal secular. É uma vergonha diante do mundo. Nós somos capazes de resolver as disputas, e, além disso, nós julgaremos aos anjos. (v3) Quem não será herdeiro do reino? C. ADVERTENCIA SOBRE A IMORALIDADE SEXUAL (6:12-20) VERSÍCULO CHAVE 6:12 “Todas as coisas me são ____________________, mas nem todas ______________________ _________; Todas as coisas me são ________________ Mas eu não me deixarei ______________________por nenhuma. 1. O princípio da liberdade (v.12) Ainda que o contexto fala sobre pecado sexual, este versículo é um bom princípio acerca da liberdade cristã. Somos livres, mas nem todas as coisas nos convêm. Não devemos ser dominados por nenhuma coisa. 2. O valor do Corpo (13-20) Aqui vemos que um dos problemas mais graves da igreja em Corinto era a fornicação. A filosofia daquele tempo era: “O estomago é para a comida e a comida é para o estomago, então o corpo é para o sexo e o sexo para o corpo”. Paulo mostra que o corpo não é para imoralidade sexual senão que nosso corpo é: a. v. 13 ___________________________________ b. v. 15 ___________________________________ c. v. 19 ___________________________________ d. v. 20 ___________________________________
  • 49. Seminário Bíblico das Américas 49. LIÇÃO 9 ANÁLISES DE 1ª CORÍNTIOS (continuação) 1. RESPONDENDOASPERGUNTAS(7:1-11:33) A. CONCERNENTE AO CASAMENTO (7:1-40) Nos capítulos 7-11, Paulo respondeu a uma carta que recebeu deles. A primeira pergunta que eles tinham era relativa ao casamento. Os problemas na igreja eram um reflexo da sociedade onde estava localizada. A sociedade tolerava formação, adultério, homossexualidade, poligamia, concubi- nato e divórcio. A igreja em Corinto não se havia separado completamente desta cultura. VERSÍCULO CHAVE 7:2 “Masporcausada____________________,cadaumtenhaasuaprópria_________________, e cada uma seu próprio _____________________.” 1. O Celibato (1:1-7) Outro problema na igreja de Corinto eram as divisões sobre os solteiros. Ainda que alguns houvessem caído em libertinagem e fornicação, outros estavam dizendo que os solteiros eram mais espirituais e que o sexo era uma coisa má. Pois os cristãos judeus tinham seu ensino de Gn. 1:28 e 2:18. O que diz? Então Paulo teve que responder a essas perguntas. a. O Celibato é bom (7:1) b. O Celibato não é sempre o correto (7:2-5) Dentro do casamento o celibato não é correto. O sexo não somente é um privilégio no casamento como também uma responsabilidade, “dever conjugal” e uma parte regular dentro de um casamento sadio. Então Paulo instrui aos Coríntios que o esposo e a esposa não devem negar-se um ao outro. Qual o único caso aceito? Qual são as instruções neste caso?
  • 50. Seminário Bíblico das Américas50. c. O Celibato pode ser um dom. (7:6-9) O Celibato, como um casamento, é um dom de Deus. Como todos os dons é algo que nem todos possuem. Por que Deus dá o dom da continência? (veja versículos 7:32-35) Alguns ensinam que os “solteiros” no versículo 8 são os que nunca estiveram casados. Outros dizem que a palavra traduzida “solteiros” ágamos não é a palavra geralmente traduzida como solteiro, nunca casado, virgem ou donzela parthenoi, pois a palavra parthenoi onde se encontram estas duas palavras juntas no versículo 34, então a palavra ágamos significa divorciada e se refere a alguém divorciada antes da sua conversão. Em qualquer dos dois casos Paulo ensina que o melhor é ficar como? B. DIREÇÃO AOS CASAMENTOS (7:10-16) 1. Aos casados com outro crente (10-11) Paulo diz que este ensino vem diretamente do Senhor. Podemos vê-lo em Mateus 5:31, 32 e Mateus 19:1-8. O ensino é claro: se dois crentes de divorciam e se casam com outro estão cometendo o que? 2. Aos casados com um não crente (12-16) a. O não crente quer permanecer casado (12-14) Agora Paulo diz que este ensino não é diretamente de Cristo, senão que é seu próprio. Do mesmo modo é uma instrução que temos que obedecer. Se o não crente deseja continuar casado o crente está debaixo da mesma obrigação como se fosse cristão. b. O não crente não quer permanecer casado (15-16) Muitos dos esposos incrédulos não queriam tolerar a nova religião de suas esposas. Então se divorciavam. Paulo diz que é necessário deixá-los sem contestar o divórcio. Além disso, o crente “não está sujeito a servidão em caso semelhante” que quer dizer que é como se nunca casaram. O casamento não é algo para decidir facilmente, senão que é melhor não se casar do que entrar em uma união que pode terminar. A filosofia do mundo ensina que o casamento é algo que podemos “provar” se não nos convém podemos terminar. A opinião de Deus é distinta. Qual é a opinião de Deus? (Ml 2:16) Se você está casado, você vê seu casamento como algo permanente? O que está fazendo para melhorar seu casamento?
  • 51. Seminário Bíblico das Américas 51. C. DEMORA NO CHAMADO DE DEUS (7:17-24) “O estado em que foi chamado” se refere a: estado civil, estado de circunciso, estado de escra- vidão ou livre e estado social. Ainda que o novo crente possa melhorar sua situação a mudança mais importante é o interno e não o externo. D. DIREÇÃO AOS SOLTEIROS (7:25-40) 1. As virgens (25-35) Paulo dá 3 razões pelo qual é melhor permanecer solteiro. (Leia os versículos e anote a razão) a. vs. 25-28 (também anote se esta razão é válida para o dia de hoje (v. 26) b. vs. 29-31 c. vs. 32-35 2. Os votos do Pai (7:36-38) Naquela altura, muitos dos casamentos eram acertados pelos pais. Alguns pais faziam um voto para que sua filha ficasse solteira pelo resto da sua vida para servir ao Senhor, mas Paulo está dizendo se elas não têm o dom do celibato, devem deixar que se casem. 3. Guia as viúvas (39-40) Leia também I Timóteo 5:9-16 e anote o conselho para as viúvas. 2. CONCERNENTE A LIBERDADE (8:1-11:1) A. LIBERDADE E O IRMÃO DÉBIL (8:1-13) Os romanos e gregos tinham muitos deuses. Também criam que o ar estava cheio de espíritos que queriam invadir aos corpos humanos. O método mais fácil era habitar a comida. O único método de limpar a comida era sacrificar-lo a um ídolo. Os sacrifícios eram divididos em 3 partes: 1. Queimando em sacrifício ao deus. 2. Para pagar ao sacerdote. 3. Para comer. Muitas carnes guardadas para os sacerdotes eram vendidas nos mercados. Esta carne tinha muito valor porque estava limpa dos espíritos. Por isso, era a carne preferida para servir aos convidados nas festas. Paulo identifica 2 tipos de crentes: - Os Imaturos: os que não comiam a carne porque pensavam que era algo pagão. - Os Maduros: os que entenderam que a carne em si mesma não era pecado. 1. Paulo dá 3 razões para que os maduros pudessem comer carne: a. vs. 1-3 temos o devido __________________________ b. vs. 4-7 sabemos que um ídolo ____________________ c. vs. 8 a comida não significa nada _________________
  • 52. Seminário Bíblico das Américas52. 2. Exortação a cuidar do irmão débil (8:9-13) VERSÍCULO CHAVE (V. 13) “E por isso, se a comida serve de _________________ a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que não venha a _________________.” Nossa liberdade nunca deve ser de tropeço para um irmão débil. Quando alguém é imaturo não tem claro entendimento da liberdade e tem tendência ao legalismo. Quando estamos com irmãos não somente temos que seguir nossa própria consciência, senão que a dos irmãos também. B. PAULO UMA ILUSTRAÇÃO DE LIBERDADE (9:1-27) 1. As razões que tem o direito de receber sustento. (9:1-14) Para ilustrar que não tem que se aproveitar da liberdade, Paulo ensina as razões pelas quais tinha direito a receber sustento. Nos versículos 15-27, ele mostra as razões pelas quais não aproveitou este sustento ainda que ele fosse livre. a. Porque era um apóstolo (9:1-6) b. É lógico (9:7) c. É a lei (9:8-11) (veja Dt. 25:4) d. Tem sustentado a outros (9:12) e. É o patrão (9:13) f. Foi proclamado por Jesus (9:14) (veja Lc. 10:7) 2. As razões pelas quais ele não aproveitou este sustento (9:15-27) a. Para não perder seu prêmio (9:15-18) b. Para ganhar mais para Cristo (19-27) Nos versículos 19-23, vemos que Paulo se negou a si mesmo, negou seus direitos e ainda sua própria cultura para ganhar mais. VERSÍCULO CHAVE 9:22 “Fiz-me ______________________ para com os ______________________, com o fim de ganhar os ______________________. Fiz-me tudo para com todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns.”
  • 53. Seminário Bíblico das Américas 53. Aqui os débeis não são cristãos que caem no pecado, senão os legalistas. Paulo está dizendo que negou seu direito de participar em atividades que ofendam para ganhar mais. Nos versículos 24-27 Paulo usava um exemplo entendido pelos Coríntios. Paulo usa uma ilustração de um evento dos jogos ístmicos. VERSÍCULO CHAVE 9:27 “Mas esmurro o meu ______________________ e o reduzo à ____________________, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser ________________________.” Ainda temos o direito de participar em algumas atividades, para ganhar mais temos que por nosso corpo em servidão. “desqualificado” significa perder seu testemunho. Existe alguma atividade que você esteja fazendo que seja de tropeço para um irmão débil ou que iniba testificar aos não crentes? C. ILUSTRAÇÃO DO POVO DE ISRAEL (10:1-13) 1. Não tinham desculpas para desobedecer (10:1-4) Ainda que Deus guiasse os israelitas através de uma nuvem. Ainda que eles vissem os milagres de Deus e atravessassem o mar em terra seca. Ainda que Deus tenha providenciado comida e bebida, eles não obedeciam. Eles tinham uma lenda, diziam que depois de que Moisés bateu na rocha, a rocha seguiu ao povo. Paulo está dizendo que a rocha que antes seguia a eles, agora essa rocha é Cristo. O cristão não tem desculpas para abusar da liberdade porque temos a Cristo. 2. O mal exemplo de Israel. (10:5-10) 3. O propósito do exemplo (11-13) Paulo nos dá a promessa que Deus não nos deixará ser provados. Como? D. COMO USA SUA LIBERDADE PARA GLORIFICAR A DEUS (10:14-11:1) APLICAÇÃO: - Fugir da idolatria (14-22) Nossa liberdade não dá o direito de pecar. - A liberdade é par glorificar a Deus. (10:23-11:1)
  • 54. Seminário Bíblico das Américas54. Paulo dá 4 princípios de como aplicar a liberdade: 1. vs. 23 Edificação sobre gratificação. “Todasascoisasmesão_______________________,masnemtodasme____________________; todas as coisas são ______________________, mas nem todas _______________________.” 2. vs. 24 Ponha outros sobre si mesmo. “Ninguém busque seu próprio ______________________, e sim o de _________________.” 3. Vs. 25-27 Liberdade sobre o legalismo. 4. Vs. 28-30 Consciência sobre condenação. Paulo ensina que temos que seguir a consciência de quem? 5. O propósito da liberdade (10:31-11:1) Paulo ensina que tudo o que fazemos deve glorificar a Deus e nenhuma outra coisa deve impedir que outros conheçam ao Senhor. 3. PERGUNTAS SOBRE A ADORAÇÃO PÚBLICA (11:2-34) A. O PAPEL DOS SEXOS (11:2-16) 1. A ordem divina (11:2, 3) A ordem divina: Deus ------ Jesus ------ ____________________ ------ ___________________. A ordem de Deus é que o homem seja um líder espiritual. 2. Aplicação na oração (11:4-10) Um dos problemas em Corinto era que as mulheres estavam vivendo como homens. Cortavam seu cabelo como homens, usavam roupas de homem, deixaram de cuidar de suas crianças, etc. O papel dos sexos vem do Senhor. Não podemos negar. 3. Não levar o princípio dos papéis ao extremo (11:11-12) 4. A ordem natural (11:13-16)
  • 55. Seminário Bíblico das Américas 55. B. A SANTA CEIA (11:17-34) 1. A perversão da Santa Ceia. (11:18-22) Na igreja primitiva a santa ceia era uma festa. Cada um levava comida para compartir. Os ricos levavam sua comida, mas comiam a parte, diante dos pobres que não tinham comida. Os pobres iam para comer, mas saiam com fome. Os ricos saiam embriagados. Não podiam chamar a ceia do Senhor porque o propósito não era para relembrar a Cristo, senão somente uma ceia. 2. O propósito da Santa Ceia: Recordar a morte de Cristo (11:23-26) 3. Como estar preparado para tomar a Santa Ceia. (27-34) O que devemos fazer antes de tomar a Santa Ceia? (v.28) O que acontece com os que comem a Santa Ceia indignamente? (v.29) O que havia acontecido com os Coríntios que comeram indignamente? (v.30)
  • 56. Seminário Bíblico das Américas56.
  • 57. Seminário Bíblico das Américas 57. LIÇÃO 10 ANÁLISES DE 1ª CORÍNTIOS (continuação) 1. RESPONDENDO AS PERGUNTAS (12:1-16:24) A igreja de Deus não é um clube onde as pessoas se encontram para discutir crenças. A igreja é um ser vivo sobrenatural. É um corpo em que Cristo é o cabeça e cada crente é um membro. Paulo segue respondendo aos problemas na igreja de Corinto. A. SOBRE OS DONS ESPIRITUAIS (12:1-14:40) 1. A Prova (12:1-3) Em Corinto havia muitas religiões falsas, e também falsos milagres e manifestações de falsos dons. Qual é a prova de alguém que fala pelo Espírito Santo? 2. A origem e propósito dos dons (12:4-7) - Há diversidade de dons, mas o mesmo ________________________________________. - Há diversidade de ministérios, mas o mesmo ___________________________________. - Há diversidade de atividades, mas o mesmo ___________________________________. O propósito dos dons é? (v. 7) 3. A diversidade dos dons. (8-11) Quem é o autor dos dons? Como os dons são repartidos? (v.11) Havia membros na Igreja de Corinto cheios de orgulho pelos dons que Deus havia dado. Paulo está dizendo que nós não podemos estar orgulhosos por estes dons porque vem do Espírito para seu propósito divino. Existe muita discussão sobre o significado dos dons e se todos existem hoje em dia. A mensagem deste parágrafo não é para ensinar o significado dos dons, mas para ensinar a não menosprezar nenhum deles. 4. A unidade na Igreja (12:12-19) a. Somos um corpo (v.12) “Porque assim como o corpo é __________________, e tem muitos __________________, e todos os ___________________ sendo muitos constituem um só ___________________, assim também com respeito a Cristo.”
  • 58. Seminário Bíblico das Américas58. A igreja é um corpo composto por muitos membros. Ainda que sejam diferentes pertencem ao mesmo corpo. b. Batizado no mesmo espírito (v.13) c. Diversidade dos membros (14-17) Ainda que a unidade seja muito importante na igreja, também a diversidade. Como um corpo temmuitosórgãoseoutrosmembros,tambémaigreja.Cadauméimportanteepossuiseupropósito. d. Organizado pelo Senhor (12:18-20) Como Deus distribuiu seus dons? Temos que trabalhar de acordo com os dons que temos. A igreja funciona melhor quando percebe os dons que os membros possuem e trabalham de acordo com eles. e. A relação entre os membros (12:21-27) VERSÍCULOS CHAVES (12:26, 27) “De maneira que, se um membro ___________________, todos sofrem com ele; e se um deles é ____________________, com ele todos se _____________________.” “Ora, vós sois ________________ de Cristo; e _______________ membros desse corpo.” Nenhuma parte é de menor valor porque tudo vêm de Deus. Nenhum dom é mais importante que outro. Se um membro sofre todos sofrem. Não importa se o membro que sofre tem um dos dons mais notáveis. f. O Plano perfeito de Deus. (12:28-30) Outra vez Paulo ensina que Deus distribuiu os dons e cargos de acordo com seu plano. Não é um plano humano. g. A resposta correta do crente (12:31) Os melhores dons são os que ____________________ a igreja (14:5) 2. A SUPERIORIDADE DO AMOR (13:1-13) Semoamorosdonsnãovalem.OamoréarespostaasdivisõesqueseencontraramnaigrejadeCorinto. A. O AMOR E SUAS CARACTERÍSTICAS (13:1-7) Paulo diz que se eu tenho qualquer dom, profecia, línguas, etc. e não tenho amor que eu sou como? Quais as características de um amor verdadeiro? (vs. 4-7)
  • 59. Seminário Bíblico das Américas 59. B. O AMOR É ETERNO (8-13) As línguas cessarão e o dom do conhecimento e profecia terminarão quando venha o que é perfeito. Mas o amor nunca irá terminar. É eterno. O perfeito é a vida glorificada. Não vamos precisar nem de profecia, nem conhecimento quando estejamos glorificados porque vamos estar na presença de Deus, mas o amor irá abundar. O amor é mais importante que qualquer dom. Alguns dizem que o dom de línguas cessou além dos demais, outros dizem que terminará ao mesmo tempo que a profecia. 3. O DOM DE LINGUAS (14:1-40) A. PROCURAR OS DONS QUE EDIFICAM A IGREJA (14:1-5) Os que falam em línguas estranhas a quem edificam? Os que profetizam a quem edificam? A igreja recebe edificação se o que se fala em línguas tem... B. AS LÍNGUAS SEM INTERPRETAÇÃO NÃO TEM VALOR NO CULTO (14:6-12) VERSÍCULO CHAVE 14:12 “Assim, também vós, que desejais dons _________________, procurai _________________ para a ___________________ da igreja.” C. AS LÍNGUAS SEM INTERPRETAÇÃO NÃO SÃO RACIONAIS (14:13-19) Paulo diz que no culto é melhor falar poucas palavras e que sejam entendidas, do que milhares que não se entendem. D. O PROPÓSITO DE FALAR EM LÍNGUAS E A PROFECIA (14:20-25) As línguas são um sinal a quem? A profecia? E. METODOLOGIA DOS DONS NO CULTO (14:26-39) 1. Línguas (14:26-28) Nos versículos 26 e 27 Paulo dá 4 instruções para usar o dom na igreja - Tudo seja feito para edificação - Só 2 ou 3 - ____________________________ - ____________________________
  • 60. Seminário Bíblico das Américas60. 2. Profecia (14:29-40) a. Instruções no culto (29-33) Os profetas também necessitam manter a ordem. Somente 2 ou 3 podiam falar numa reunião. Quando o profeta fala, os outros devem julgar se é correta a profecia. Se outro recebe uma revelação, o primeiro tem que ficar calado. Também ensinava que o espírito dos profetas está sujeitos aos profetas, então podemos manter uma ordem na igreja. Não devemos perder o controle. b. Outras instruções (34-40) Outra vez Paulo ensina a importância de que a mulher esteja sujeita ao marido. Naquela cultura a mulher não somente tinha a proibição de falar, mas também de estudar. 4. INSTRUÇÕES SOBRE A RESSURREIÇÃO (15:1-58) Em nenhum outro lugar na escritura se encontra mais informação sobre a ressurreição. A ressur- reição de Cristo é o coração de toda nossa doutrina. Sem crer na ressurreição, a salvação é impossível (Rm. 10:9). Em Corinto havia confusão sobre a ressurreição, mas não sobre a de Cristo, senão acerca das suas próprias. A. A CERTEZA DA RESSURREIÇÃO DE CRISTO (15:1-11) Jesus é nosso exemplo. Se ele não ressuscitou, nós também não. Mas podemos ver com certeza que Jesus ressuscitou e então nós também. Escreva uma lista de todos os testemunhos mencionados: B. A IMPORTÂNCIA DA RESSURREIÇÃO (15:12-19) Se não existe ressurreição, os que morreram pereceram. C. O PLANO DA RESSURREIÇÃO (15:20-28) 1. Ilustração da colheita (20-23) Antes que os judeus fizessem a colheita tinham que levar as primícias aos sacerdotes como sacrifício. As primícias eram um exemplo do que estava porvir na colheita (Lv. 23:10). As primícias também indicavam que algo mais viria, a colheita. Cristo é a nossa primícia, é o primeiro e por isso a indicação de que a colheita vem. Todos os que pertencem a linhagem de Adão morrem, mas todos os que pertencem a linhagem de Cristo ressuscitarão. Quando acontecerá esta ressurreição? (v.23) 2. Restauração do Reino (15:24-28) Depois da ressurreição Cristo irá entregar o reino ao Pai. Quando Cristo entregar o reino o desenho original será restaurado. Então, antes Cristo tem que conquistar para sempre todos os inimigos de Deus. E então Cristo reinará quando tenha a todos os seus inimigos “debaixo de seus pés”. Primeiro os inimigos da terra. Durante o milênio Cristo não tolerará a rebelião. Por isso, é que “regerá com vara de ferro” (Ap. 19:15). Depois do milênio, o último inimigo será conquistado. Quem é este? (v.26)
  • 61. Seminário Bíblico das Américas 61. 3. As motivações da ressurreição (15:29-34) A ressurreição é uma das doutrinas fundamentais do crente. Se tirarmos a ressurreição da doutrina tiraríamos também o motivo de aceitar-lo e viver por Ele e para Ele. A esperança de uma ressurreição futura é o que nos motiva a viver corretamente. Sabemos que esta vida é nada em compa- ração a vida eterna. a. Motivo pelo qual ser salvo (v.29) Este é um dos versículos mais difíceis de toda a escritura e é importante interpretá-lo no contexto do resto da Bíblia. Podemos ver várias interpretações sem ser dogmáticos com nenhuma. Podemos estar seguros de que não significa que os mortos podem receber a salvação quando alguém vivo esta batizado. Possíveis interpretações: - O testemunho dos que morreram resultou na salvação de outros. - Foram batizados em nome de crentes que morreram antes de ter a oportunidade de ser batizados. Não importa a interpretação, o ponto deste versículo é que existe esperança de uma vida eterna. Em Romanos 6, Paulo mostra que o batismo é uma ilustração da morte e ressur- reição. Se não há ressurreição não é necessário aceitar a Cristo e ser batizado. b. Motivações para servir (15:30-34) Sem a esperança da ressurreição não existe razão para sacrificar-se nesta vida. Sem a esperança de uma vida eterna não há motivos para viver corretamente. O que você está fazendo para demonstrar que a vida futura é a mais importante? 4. Nossos corpos glorificados (15:35-49) Haviamuitasperguntassobrearessurreiçãoecomoiriafuncionar.Osfalsosmestresjáensinavam que a ressurreição era impossível e faziam perguntas para causar dúvidas. Então Paulo respondeu as perguntas sobre a ressurreição. Uma falsa interpretação dava a idéia de que nossos corpos ressusci- tados seriam iguais aos nossos corpos terrenos. A filosofia grega ensinava que o corpo era mal, então a ressurreição era indesejável. a. As perguntas (15:35) Quais eram as perguntas que tinham sobre ressurreição? (muitos têm as mesmas perguntas hoje em dia)
  • 62. Seminário Bíblico das Américas62. b. A falta de entendimento (15:36-38) Paulo usa a ilustração de uma semente. Quando se planta uma semente, a semente tem que morrer como tal, para logo se tornar uma planta. Se plantarmos uma semente de trigo, vamos a colher trigo de milho. Nossos corpos são iguais a estas sementes. Nossos corpos eternais serão diferentes, mas também terão uma continuidade. c. A forma de nossos corpos ressuscitados (15:39-44) Ainda que nossos corpos ressuscitados sejam diferentes de nossos corpos terrenos, não significa que vamos perder nossa individualidade. Como os corpos celestiais (sol, estrela, etc.) são diferentes da terra, são individuais também, não existem duas estrelas iguais. Como serão nossos corpos celestiais? d. O protótipo (15:45-49) Outra vez Paulo nos mostra que do mesmo modo que temos o corpo de Adão seguiremos o exemplo de Cristo na ressurreição e receberemos um corpo celestial. e. Vitória sobre a morte. (15:50-58) VERSÍCULO CHAVE 15:58 “Portanto, meus amados irmãos, sede _________________, inabaláveis e sempre __________________ na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor o vosso __________________ não é ____________________.” O cristão sabe que seu trabalho não é vão porque já temos a vitória sobre a morte, já temos a vida eterna, então o que fazemos nesta vida não é em vão porque vamos receber nossa recompensa. 5. INSTRUÇÕES SOBRE A OFERTA (16:1-4) Vemos que em uma parte do culto regularmente se efetua a coleta das ofertas. A oferta que damos é segundo o que? O propósito desta oferta era para ajudar a igreja em Jerusalém? 6. CONCLUSÃO (16:5-24) Como sempre Paulo termina sua carta com uma lista de instruções práticas. Quais são? Vs. 13 ______________________________________________________________________. Vs. 14 ______________________________________________________________________. Vs. 16 ______________________________________________________________________. Vs. 18 ______________________________________________________________________.
  • 63. Seminário Bíblico das Américas 63. LIÇÃO 11 ANÁLISES DE IIª CORÍNTIOS Ministros verdadeiros podem antecipar uma reação hostil ao mundo. Paulo foi perseguido em todo o seu ministério. A primeira epístola aos Coríntios resolveu alguns dos problemas em Corinto, mas outro problema mais perigoso apareceu. Falsos mestres, simulando que eram apóstolos enviados de Jerusalém, chegaram e começaram a proclamar falsas doutrinas. Paulo ouviu sobre esta situação e foi diretamente a Corinto desde Éfeso. Esta visita (2:1) foi dolorosa. Durante esta visita foi insultado e perseguido por alguém (2:5-8; 7:12), talvez um dos falsos apóstolos. A igreja não disciplinava ao tal homem. Paulo regressou a Éfeso e escreveu uma carta severa (2:4) e enviou a Corinto por intermédio de Tito (7:5-16). Paulo foi a Troas com a esperança de ver a Tito. Ainda que Paulo tivesse a oportunidade de ministrar em Troas, não podia aproveitar-la por sua preocupação por Tito e a situação em Corinto. Saiu e foi a Macedônia onde finalmente se encontrou com Tito. Tito trouxe notícias de que os Coríntios se haviam arrependidos, disciplinaram ao homem e reafirmaram sua lealdade e preocupação por Paulo (7:7). Paulo escreveu a segunda carta aos Coríntios para preparar sua visita. 1. SEU MINISTÉRIO APOSTÓLICO (1:1-7:16) Ainda que a situação tivesse melhorado em Corinto, os falsos mestres, todavia influenciaram em seus pensamentos. Então outra vez Paulo teve que defender seu ministério. A. INTRODUÇÃO (1:1-11) 1. Saudação (1:1-2) 2. Confortado para confortar outros (1:3-11) VERSÍCULO CHAVE 1:4 “É Ele que nos ___________________ em toda a nossa ____________________, para podermos _____________________os que estiverem em qualquer ____________________, com a ______________________ com nós mesmos somos ______________________ por Deus.” Leia 3-7 e responda: Por que às vezes sofremos? Quando sofremos com quem somos conectados?
  • 64. Seminário Bíblico das Américas64. B. JUSTIFICAÇÃO DE PAULO POR SUAS MUDANÇAS DE PLANOS (1:12-2:11) Um dos cargos pelo qual os inimigos acusavam Paulo era porque diziam que ele era caprichoso. Quando Paulo disse que iria vir não veio. Então Paulo defendeu sua decisão de mudar seus planos. 1. Os planos originais de Paulo (1:12-22) Quais eram os planos originais de Paulo? (vs. 15,16) 2. A mudança dos planos de Paulo (1:23-2:4) Como defende Paulo esta mudança de planos? 3. Paulo pede que perdoem ao ofensor? (2:5-11) Qual palavra se repete nos versículos 5-11 ____________________________. A meta da disciplina na igreja é a ressurreição não o castigo. Então Paulo esta ensinando que agora é tempo de terminar a disciplina do homem ofensor. Não sabemos quem é. Pode ser o homem disciplinado em 1 Coríntios ou pode ser alguém que estava em oposição a Paulo. O princípio deste parágrafo é que devemos fazer duas coisas. (v.7) a. b. C. MINISTRANDO COM INTEGRIDADE (2:12-7:16) No mapa seguinte marque a viagem de Paulo que se encontra nos versículos 12 e 13
  • 65. Seminário Bíblico das Américas 65. 2. MINISTRANDO EM VITÓRIA (12-17) VERSÇICULO CHAVE 2:14 “Graças, porém, a Deus, que, em Cristo sempre nos ____________ ____ em triunfo e, por meio de nós, manifesta em todo lugar a ____________ do seu _______________.” O que Paulo fez que demonstrou sua preocupação pelos outros? Outra vez vemos esta passagem a ilustração de um desfile do general conquistador. No desfile os generais e líderes marchavam juntos com o exército vitorioso e os cativos condenados. Parte da celebração se fazia com incenso. Para os cativos o aroma marcava a morte ou escravidão, para o exército representava vitória e vida. Por que o evangelho é o aroma de vida para os crentes? Por que o evangelho é o aroma de morte para aqueles que rejeitam o evangelho? Vemos no versículo 17 que Paulo era um ministro de integridade. Seus motivos eram puros. Separe alguns minutos para meditar no versículo 17 e responda: Meus motivos são puros ou tenho motivos que causam dano? Estou tentando ganhar o favor do homem ou fazendo o que Deus quer? A. A CARTA DE RECOMENDAÇÃO PARA SEU MINISTÉRIO (3:1-5) Muitos falsos mestres estavam aproveitando a generosidade e hospitalidade dos irmãos. Então os apóstolos começaram a mandar cartas de recomendação para que a igreja recebesse a pessoa que estavam enviando (Romanos 16:1,2 é um exemplo). Paulo não necessitava de uma carta de recomen- dação porque já tinha. Veja o v. 3 e responda: Quais eram suas cartas? Quem é o autor das suas cartas? Onde foram escritas? O que fazemos é nossa carta de recomendação. Somos conhecidos por nossos frutos.
  • 66. Seminário Bíblico das Américas66. B. A BASE DO MINISTÉRIO (3:6-18) VERSÍCULOS CHAVES 3:17, 18 “OraoSenhoréo_______________;e,ondeestáoEspíritodoSenhor,aihá______________. E todos nós, com o rosto _______________, contemplando, como por espelho, a _____________ do Senhor, somos transformados de ________________ em ________________, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.” Paulo segue a discussão que ele começou no versículo 14. Agora Paulo mostra que o novo pacto produz mais glória. Veja a seguinte tabela: Antigo Pacto Novo Pacto Ministério de _______________ (7, 9) Ministério de _________________ (8, 9) Duração ___________________ (7, 11) Duração _____________________ (8, 9) Resultado __________________ (15) Resultado ____________________ (17, 18) O que significa o véu espiritualmente falando? C. MINISTRANDO NO MUNDO ESCURO (4:1-6) VERSÍCULO CHAVE 4:6 “Porque Deus, que disse: Das ________________ resplandecerá a _________________, ele mesmo ______________ em nosso coração, para iluminação do _________________ da _________________ de Deus, na face de Cristo.” Paulo segue defendendo sua integridade. Nos versículos 1-6 ele responde a acusação de que ele usava maneiras ocultas e adulterava a palavra de Deus. Quem é o inimigo no versículo 4? Faça uma comparação com o versículo 6. D. MINISTRANDO NAS DIFICULDADES (4:7-18) Paulo usa a ilustração de um vaso de barro. Ele estava dizendo “nós não somos nada. Somos nada mais que vasos de barro. Entretanto, não nos quebram facilmente.” A que se refere a dizer vasos de barros no verso 7?
  • 67. Seminário Bíblico das Américas 67. Qual é o tesouro mencionado no verso 7? (veja verso 6) VERSÍCULO CHAVE 4:18 “Não atentando nós nas coisas que se ___________________; porque as que se vêem são __________________, e as que se não vêem são ___________________.” Paulo foi anátema aos seus inimigos. Apesar dos obstáculos Paulo seguia no caminho pregando a Cristo. Aqui Paulo é como diretor técnico de uma equipe, dando um discurso motivador. Vamos em frente! E. A MOTIVAÇÃO DO MINISTÉRIO (5:1-10) Paulo contrasta nossos corpos terrenos (“morada terrestre”) e nossa ressurreição futura do corpo (“um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus”). Paulo afirma com clareza que nossos corpos mortais nos fazem gemer, mas quando morrermos não seremos espírito sem corpo (“seremos achados vestidos, não nus”). Teremos novos corpos que serão perfeitos para nossa vida eterna. Paulo escreveu isto porque a igreja de Corinto estava no coração da cultura grega e muitos crentes tinham dificuldades com o conceito da ressurreição do corpo. Os gregos não criam na ressur- reição corporal. A maioria considerava a vida após a morte como algo relacionado somente com a alma, a pessoa real presa por um corpo físico. Acreditavam que ao morrer a alma ficava livre, não havia imortalidade para o corpo, em cambio a alma entrava num estado eterno. Mas, a bíblia ensina que o corpo e a alma finalmente são inseparáveis. Qual é a nossa motivação? (v. 8-10) F. A MENSAGEM DO MINISTÉRIO (5:11-21) VERSÍCULOS CHAVES 17, 18 “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova _______________________; as coisas antigas já ______________________; eis que se fizeram ____________________. Ora, tudo provém de Deus, que nos _______________________ consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da ____________________.” O que faz um embaixador? Qual é a nossa mensagem? (vs.18-21)
  • 68. Seminário Bíblico das Américas68. G. A CONDUTA NO MINISTÉRIO (6:1-10) O ministério de Paulo estava por cima de toda crítica 1. Exortações no ministério (6:11-7:1) a. Separa-se do mundo. VERSÍCULO CHAVE 6:14 “Não vos ponhais em jugo _____________________ com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a _____________________ e a ___________________? Ou que comunhão, da ____________________ com as _____________________?” Paulo exorta aos Coríntios que a não entrar em algumas relações com os incrédulos. É neces- sário ter cuidado de não fazer negócios com incrédulos. Não é sábio nos colocar em situações que vão dividir nossa lealdade. Pode ser um casamento ou um negócio comercial. b. Limpe-se de toda contaminação (7:1) H. GOZO NO MINISTÉRIO (7:2-16) VERSÍCULO CHAVE 7:10 “Porque a _____________________ segundo Deus produz _____________________ para salvação, que a ninguém traz pesar; mas a tristeza do mundo produz ____________________.” “Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para salvação.” Refere-se a tristeza por nossos pecados que produzem uma transformação na nossa conduta. Muita gente se entristece somente pelos efeitos de seus pecados ou por não haver sido “descobertos” (tristeza do mundo) e produz morte porque não mudam.