SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
INTRODUÇÃO
 Na lição dessa semana vamos estudar a maneira
adequada de o crente usar um instrumento maravilhoso,
mas ao mesmo tempo, potencialmente perigoso: a fala.
Este assunto está interligado à temática da verdadeira
religião que agrada a Deus.
 O fenômeno da fala é uma das fontes de expressão do
pensamento humano, como também é responsável pelo
processo de comunicação e de formação da identidade
cultural de uma sociedade.
 As pessoas querem falar às outras àquilo que pensam.
O crente, todavia, tem o compromisso de não apenas
falar o que pensa, mas agir como propõe o Evangelho.
I - PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR
(Tg 1.19,20)
 1. Pronto para ouvir.
 Para alguns crentes, a pessoa sábia é a que sempre tem algo a falar. Ouvir é um
empreendimento trabalhoso e, por isso, ignorado por muitos. Diferentemente,
as Escrituras admoestam-nos a ser prontos para ouvir. No versículo 19, Tiago
introduz o seu ensino sobre o "ouvir" e o "falar" destacando a expressão sabei
isto.
 Com essa expressão, ele demonstra a sua preocupação pastoral com os seus
leitores. Outro termo no versículo 19 chama-nos a atenção: pronto. No grego, a
palavra significa "rápido", "ligeiro" e "veloz". Ali, o escritor sacro incentiva-
nos a estar disponíveis a ouvir. É uma atitude que depende de uma disposição e
também da decisão em ouvir o outro.
 A exemplo do profeta Samuel, que desde a sua infância foi ensinado a ouvir a
voz divina (1 Sm 3.10; 16.6-13), o povo de Deus deve persistir em escutar os
desígnios do Pai, pois nesses últimos dias têm Ele falado através do seu Filho,
o Verbo Vivo de Deus (Hb 1.1; cf. Jo 1.1).
I - PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR
(Tg 1.19,20)
 2. Tardio para falar.
 Quem ouve com atenção adquire a rara capacidade de opinar acerca de
qualquer assunto. É justamente por isso que a Carta de Tiago exorta-nos a
ser tardios para falar (v.19). Uma palavra dita sem pensar, fora de tempo,
e sem conhecimento dos fatos, pode provocar verdadeiras tragédias.
 Quem nunca se arrependeu de ter falado antes de pensar? Diante de
Faraó, o imperador do Egito Antigo, o patriarca José aproveitou
sabiamente um momento ímpar em sua vida. Antes de responder às
perguntas sobre os sonhos do monarca, José as ouviu e refletiu sobre elas.
Em seguida, orientado pelo Senhor, respondeu sabiamente Faraó (Gn
41.16).
 Temos de aprender a refletir sobre o que vamos dizer e falar no tempo
certo. Pese bem as palavras, e ore como o rei Davi: "Põe, ó SENHOR,
uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios" (Sl 141.3).
I - PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR
(Tg 1.19,20)
 3. Controle a sua ira.
 Uma terceira admoestação encontrada no versículo 19 da carta de Tiago
expressa o seguinte: tardios para se irar. A ira é um profundo sentimento
de ódio e rancor contra a outra pessoa. Uma vez descontrolada, ela não
produz a justiça de Deus, mas uma justiça segundo o critério da pessoa
que sofreu o dano: a vingança.
 A Palavra de Deus não proíbe o crente de ficar indignado contra a
injustiça (Is 58.1,7; Lc 19.45). Contudo, ao mesmo tempo, a Bíblia
estabelece limites para o nosso temperamento não se achar irrefletido,
descontrolado, deixando-nos impulsivamente irados (Ef 4.26; Pv 17.27).
 O cristão, templo do Espírito Santo, tem de levar a sua mente cativa a
Cristo (2 Co 10.5) e manifestar o fruto do Santo Espírito: o domínio
próprio (Gl 5.22 - ARA). Fuja da aparência do mal. Tenha autocontrole.
R. Com essa expressão, ele demonstra a sua
preocupação pastoral com os seus leitores.
R. A ira é um profundo sentimento de ódio e
rancor contra a outra pessoa.
II - PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA
PALAVRA (Tg 1.21-25)
1. Enxertai-vos da Palavra (21).
A Palavra de Deus é o guia maior do crente. E para que a
Palavra atinja efetivamente o coração do servo de Deus, este
precisa acolhê-la com pureza e sinceridade.
Isto é, firmar uma posição radical rejeitando toda a
imundícia e a malícia mundana (v.19); recebendo o
Evangelho com mansidão e sobriedade.
Leia os Evangelhos! Persiga em conhecer a mensagem
divina de Cristo Jesus, mas, igualmente, abra o coração para
ouvir a voz do Senhor.
II - PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA
PALAVRA (Tg 1.21-25)
 2. Praticai a Palavra (22-24).
 O escritor sacro não tem interesse em que o leitor da epístola apenas
acolha a Palavra no coração, antes deseja que o crente a pratique (v.22).
Não pode haver incoerência entre o que se "diz" e o que se "faz" para
quem é discípulo de Jesus. Se amar a Deus e ao próximo são os maiores
dos mandamentos, então, devemos porfiar em vivê-los.
 Quem acolhe a Palavra rejeita tudo o que é imundo, maligno, perverso,
injusto, dissimulado, insincero. Não apenas isso, mas igualmente abre a
porta do coração para "tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo
o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa
fama" (Fp 4.8).
 Do contrário, seremos identificados com o homem que contempla a própria
imagem no espelho e depois se retira esquecendo-se completamente dela.
Há pessoas que olham para o Evangelho e ouvem, mas sem memória e
perseverança, não dão nenhuma resposta ou sequência ao chamado de
Jesus Cristo (vv.23,24). Deus nos livre desse engodo!
II - PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA
PALAVRA (Tg 1.21-25)
 3. Persevere ouvindo e agindo (v.25).
 Tiago conclui este ponto da epístola da seguinte maneira: Quem é
cuidadoso para com a lei, nela persevera; não apenas ouvindo-a
negligentemente, mas praticando-a zelosamente.
 Felicidade plena em tudo é a promessa para quem ousa viver o
Evangelho cônscio das implicações espirituais e das consequências
materiais. Alguém, um dia, disse que os evangélicos são poderosos
no discurso, mas fracos na prática do mesmo discurso. Falamos, mas
não vivemos! Precisamos analisar nossa vida em amor e sinceridade.
 Entremos na presença de Deus com o rosto descoberto, coração
rasgado e alma despida. No tempo em que vivemos não dá para
passar despercebidos na dissimulação, ou seja, fingindo ser algo que
na verdade não somos.
R. A Palavra de Deus.
III - A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg
1.26,27)
 1. A falsa religiosidade.
 Apesar de algumas pessoas se considerarem religiosas por frequentarem
um templo, as Escrituras revelam o significado da verdadeira religião. Ela
reprova todo o ativismo religioso feito em "nome de Deus", mas em
detrimento do próximo. Aqui, a língua do crente tem um papel importante.
 Tiago diz que é possível enganar o próprio coração quando deixamos de
refrear a nossa língua. Ora, o coração é a sede dos desejos, dos
sentimentos e das vontades. E a boca só fala daquilo que o coração está
cheio (Mt 12.34). É incompatível com o Evangelho, viver a graça de Deus
sem mergulhar no Reino dEle.
 Quem não se entrega inteiramente ao Senhor pratica uma religião vã e
falsa. Não podemos ser como a pessoa capaz de fazer uma belíssima
oração por um faminto, e depois despedi-lo sem lhe dar um único grão de
arroz.
III - A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg
1.26,27)
 2. A verdadeira religião (v.27).
 A religião pura, santa e imaculada, de acordo com o autor sacro, é
suprir a necessidade do próximo: "Visitar os órfãos e as viúvas
nas suas tribulações". O problema hoje é que a nossa atenção,
quase sempre, está voltada para o prazer pessoal.
 Temos os olhos fechados para os necessitados que na maioria das
vezes cultuam a Deus, assentados, ao nosso lado. Lembremo-nos
da vida de Jesus Cristo! Ele não apenas olhou para os
marginalizados, mas foi até eles e os acolheu em amor (Mt 25.35-
45).
 A religião que agrada a Deus é aquela cujos discípulos professam
e bendizem o seu nome, visitando e acolhendo os necessitados
nas aflições.
III - A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg
1.26,27)
3. Guardando-se da corrupção (v.27).
Além de recomendar a obrigatoriedade de visitarmos os
órfãos e as viúvas, a Epístola de Tiago menciona outro
aspecto da verdadeira religião: guardar-se da corrupção
do mundo.
A religião falsa está mergulhada no egoísmo, na
corrupção e nos interesses maléficos do sistema
pecaminoso.
A igreja deve manter-se longe da corrupção. Estamos no
mundo, mas não fazemos parte do seu sistema! O
Evangelho nada tem com os seus valores e preceitos
R. Quem não se entrega inteiramente ao
Senhor pratica uma religião vã e falsa.
R. A religião que agrada a Deus é aquela cujos
discípulos professam e bendizem o seu nome, visitando
e acolhendo os necessitados nas suas aflições.
CONCLUSÃO
Nessa semana aprendemos sobre o cuidado que
devemos ter com o ouvir e o falar. Estudamos também
acerca da religião pura e imaculada que alegra a Deus:
visitar os órfãos e as viúvas nas tribulações e
guardarmo-nos da corrupção do mundo.
Que os nossos ouvidos estejam prontos para ouvir, a
nossa língua para falar sabiamente e a nossa vida para
praticar tudo quanto aprendemos do Evangelho.
Embora estejamos em um mundo turbulento, devemos
exalar o bom perfume de Cristo por onde formos (2
Co 2.15).
ACESSE O NOSSO SITE
www.escola-dominical.com
www.proaviva.blogspot.com
Produção dos slides
Ev. Ismael Pereira de Oliveira
&
Ismael Isidio

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1 teologia sistematica - apostilia
1 teologia sistematica - apostilia1 teologia sistematica - apostilia
1 teologia sistematica - apostiliaAndrRicardo86
 
Lição 9 - Seja santo, fuja do pecado
Lição 9 - Seja santo, fuja do pecadoLição 9 - Seja santo, fuja do pecado
Lição 9 - Seja santo, fuja do pecadoÉder Tomé
 
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores  Calvino e LuteroPontos de teologia dos reformadores  Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e LuteroAlberto Simonton
 
A melhor resolução de ano novo conhecer a cristo (paco orozco gonzáles)
A melhor resolução de ano novo   conhecer a cristo (paco orozco gonzáles)A melhor resolução de ano novo   conhecer a cristo (paco orozco gonzáles)
A melhor resolução de ano novo conhecer a cristo (paco orozco gonzáles)Deusdete Soares
 
Silas a importância de ser cheio do espírito santo
Silas a importância de ser cheio do espírito santoSilas a importância de ser cheio do espírito santo
Silas a importância de ser cheio do espírito santoTarcila Lais
 
precisamos ser cheios do espírito santo em 2014 pib 05.01.14
precisamos ser cheios do espírito santo em 2014   pib 05.01.14precisamos ser cheios do espírito santo em 2014   pib 05.01.14
precisamos ser cheios do espírito santo em 2014 pib 05.01.14Pastor Cerqueira
 
Lição 8: A MORDOMIA DO TEMPO
Lição 8: A MORDOMIA DO TEMPOLição 8: A MORDOMIA DO TEMPO
Lição 8: A MORDOMIA DO TEMPOHamilton Souza
 
Evangelismo parte 4 execução
Evangelismo parte 4   execuçãoEvangelismo parte 4   execução
Evangelismo parte 4 execuçãoJoel Silva
 
LBJ LIÇÃO 13 - A IGREJA LOUVARÁ ETERNAMENTE AO SENHOR
LBJ LIÇÃO 13 - A IGREJA LOUVARÁ ETERNAMENTE AO SENHORLBJ LIÇÃO 13 - A IGREJA LOUVARÁ ETERNAMENTE AO SENHOR
LBJ LIÇÃO 13 - A IGREJA LOUVARÁ ETERNAMENTE AO SENHORNatalino das Neves Neves
 
Lição 3 – O dinheiro e seus perigos
Lição 3 – O dinheiro e seus perigosLição 3 – O dinheiro e seus perigos
Lição 3 – O dinheiro e seus perigosÉder Tomé
 
Revelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação EspecialRevelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação EspecialAlberto Simonton
 
Manual de ética ministerial
Manual de ética ministerialManual de ética ministerial
Manual de ética ministerialRicardo819
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progressoDalila Melo
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progressoDalila Melo
 
A importância da sabedoria humilde
A importância da sabedoria humildeA importância da sabedoria humilde
A importância da sabedoria humildeMoisés Sampaio
 
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?Jonas Martins Olímpio
 
Propósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãsPropósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãsAlberto Simonton
 
Atos Lição 2 - Cheios do Espírito Santo
Atos Lição 2 - Cheios do Espírito SantoAtos Lição 2 - Cheios do Espírito Santo
Atos Lição 2 - Cheios do Espírito SantoCleide Corrêa
 

Mais procurados (20)

1 teologia sistematica - apostilia
1 teologia sistematica - apostilia1 teologia sistematica - apostilia
1 teologia sistematica - apostilia
 
Lição 9 - Seja santo, fuja do pecado
Lição 9 - Seja santo, fuja do pecadoLição 9 - Seja santo, fuja do pecado
Lição 9 - Seja santo, fuja do pecado
 
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores  Calvino e LuteroPontos de teologia dos reformadores  Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
 
A melhor resolução de ano novo conhecer a cristo (paco orozco gonzáles)
A melhor resolução de ano novo   conhecer a cristo (paco orozco gonzáles)A melhor resolução de ano novo   conhecer a cristo (paco orozco gonzáles)
A melhor resolução de ano novo conhecer a cristo (paco orozco gonzáles)
 
Silas a importância de ser cheio do espírito santo
Silas a importância de ser cheio do espírito santoSilas a importância de ser cheio do espírito santo
Silas a importância de ser cheio do espírito santo
 
precisamos ser cheios do espírito santo em 2014 pib 05.01.14
precisamos ser cheios do espírito santo em 2014   pib 05.01.14precisamos ser cheios do espírito santo em 2014   pib 05.01.14
precisamos ser cheios do espírito santo em 2014 pib 05.01.14
 
Lição 8: A MORDOMIA DO TEMPO
Lição 8: A MORDOMIA DO TEMPOLição 8: A MORDOMIA DO TEMPO
Lição 8: A MORDOMIA DO TEMPO
 
Evangelismo parte 4 execução
Evangelismo parte 4   execuçãoEvangelismo parte 4   execução
Evangelismo parte 4 execução
 
LBJ LIÇÃO 13 - A IGREJA LOUVARÁ ETERNAMENTE AO SENHOR
LBJ LIÇÃO 13 - A IGREJA LOUVARÁ ETERNAMENTE AO SENHORLBJ LIÇÃO 13 - A IGREJA LOUVARÁ ETERNAMENTE AO SENHOR
LBJ LIÇÃO 13 - A IGREJA LOUVARÁ ETERNAMENTE AO SENHOR
 
Lição 3 – O dinheiro e seus perigos
Lição 3 – O dinheiro e seus perigosLição 3 – O dinheiro e seus perigos
Lição 3 – O dinheiro e seus perigos
 
Revelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação EspecialRevelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação Especial
 
Manual de ética ministerial
Manual de ética ministerialManual de ética ministerial
Manual de ética ministerial
 
Lição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagraçãoLição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagração
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progresso
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progresso
 
A importância da sabedoria humilde
A importância da sabedoria humildeA importância da sabedoria humilde
A importância da sabedoria humilde
 
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
 
Propósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãsPropósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãs
 
Atos Lição 2 - Cheios do Espírito Santo
Atos Lição 2 - Cheios do Espírito SantoAtos Lição 2 - Cheios do Espírito Santo
Atos Lição 2 - Cheios do Espírito Santo
 
Boletim CBG, Suzano
Boletim CBG, SuzanoBoletim CBG, Suzano
Boletim CBG, Suzano
 

Semelhante a LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA

Licão 05 3ºtrimestre2014
Licão 05 3ºtrimestre2014Licão 05 3ºtrimestre2014
Licão 05 3ºtrimestre2014Junia Queles
 
O Cuidado ao Falar e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar  e a Religião PuraO Cuidado ao Falar  e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar e a Religião PuraAdenísio dos Reis
 
A Epistola de Tiago
A Epistola de TiagoA Epistola de Tiago
A Epistola de TiagoUEPB
 
palestra 5 - COMO AGIR SEGUNDO A PALAVRA DE DEUS.pdf
palestra 5 - COMO AGIR SEGUNDO A PALAVRA DE DEUS.pdfpalestra 5 - COMO AGIR SEGUNDO A PALAVRA DE DEUS.pdf
palestra 5 - COMO AGIR SEGUNDO A PALAVRA DE DEUS.pdfDassayevSilva
 
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDELIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDEIsmael Isidio
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13Joel Silva
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13Joel de Oliveira
 
Dez ideais de Deus para os seus filhos
Dez ideais de Deus para os seus filhosDez ideais de Deus para os seus filhos
Dez ideais de Deus para os seus filhosJUERP
 
O Cuidado ao Falar e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar e a Religião PuraO Cuidado ao Falar e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar e a Religião PuraAntonio Fernandes
 
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptxLição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptxCelso Napoleon
 
Lição 12 - Nossas atitudes diante da Palavra de Deus
Lição 12 - Nossas atitudes diante da Palavra de DeusLição 12 - Nossas atitudes diante da Palavra de Deus
Lição 12 - Nossas atitudes diante da Palavra de DeusÉder Tomé
 
1 história do cristianismo - 1ª aula
1   história do cristianismo - 1ª aula1   história do cristianismo - 1ª aula
1 história do cristianismo - 1ª aulaPIB Penha
 
Lição 8 - Comprometidos com a Palavra de Deus (Windscreen)
Lição 8 - Comprometidos com a Palavra de Deus (Windscreen)Lição 8 - Comprometidos com a Palavra de Deus (Windscreen)
Lição 8 - Comprometidos com a Palavra de Deus (Windscreen)Éder Tomé
 
ASSIM DIZ O SENHOR
ASSIM DIZ O SENHORASSIM DIZ O SENHOR
ASSIM DIZ O SENHORibpd
 
2015 3TRI LIÇÃO 2 - O EVANGELHO DA GRAÇA
2015 3TRI LIÇÃO 2 - O EVANGELHO DA GRAÇA2015 3TRI LIÇÃO 2 - O EVANGELHO DA GRAÇA
2015 3TRI LIÇÃO 2 - O EVANGELHO DA GRAÇANatalino das Neves Neves
 
Curso internacional de teologia ebook gratuito
Curso internacional de teologia ebook gratuitoCurso internacional de teologia ebook gratuito
Curso internacional de teologia ebook gratuitoCristiane Farias
 
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja localSlide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja localVilma Longuini
 
3. a importância da sabedoria humilde
3. a importância da sabedoria humilde3. a importância da sabedoria humilde
3. a importância da sabedoria humildeAdenísio dos Reis
 

Semelhante a LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA (20)

Licão 05 3ºtrimestre2014
Licão 05 3ºtrimestre2014Licão 05 3ºtrimestre2014
Licão 05 3ºtrimestre2014
 
O Cuidado ao Falar e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar  e a Religião PuraO Cuidado ao Falar  e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar e a Religião Pura
 
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇAINSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
 
A Epistola de Tiago
A Epistola de TiagoA Epistola de Tiago
A Epistola de Tiago
 
palestra 5 - COMO AGIR SEGUNDO A PALAVRA DE DEUS.pdf
palestra 5 - COMO AGIR SEGUNDO A PALAVRA DE DEUS.pdfpalestra 5 - COMO AGIR SEGUNDO A PALAVRA DE DEUS.pdf
palestra 5 - COMO AGIR SEGUNDO A PALAVRA DE DEUS.pdf
 
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDELIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
LIÇÃO 3 - A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
 
Dez ideais de Deus para os seus filhos
Dez ideais de Deus para os seus filhosDez ideais de Deus para os seus filhos
Dez ideais de Deus para os seus filhos
 
O Cuidado ao Falar e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar e a Religião PuraO Cuidado ao Falar e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar e a Religião Pura
 
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptxLição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
 
Lição 12 - Nossas atitudes diante da Palavra de Deus
Lição 12 - Nossas atitudes diante da Palavra de DeusLição 12 - Nossas atitudes diante da Palavra de Deus
Lição 12 - Nossas atitudes diante da Palavra de Deus
 
1 história do cristianismo - 1ª aula
1   história do cristianismo - 1ª aula1   história do cristianismo - 1ª aula
1 história do cristianismo - 1ª aula
 
Lição 8 - Comprometidos com a Palavra de Deus (Windscreen)
Lição 8 - Comprometidos com a Palavra de Deus (Windscreen)Lição 8 - Comprometidos com a Palavra de Deus (Windscreen)
Lição 8 - Comprometidos com a Palavra de Deus (Windscreen)
 
ASSIM DIZ O SENHOR
ASSIM DIZ O SENHORASSIM DIZ O SENHOR
ASSIM DIZ O SENHOR
 
2015 3TRI LIÇÃO 2 - O EVANGELHO DA GRAÇA
2015 3TRI LIÇÃO 2 - O EVANGELHO DA GRAÇA2015 3TRI LIÇÃO 2 - O EVANGELHO DA GRAÇA
2015 3TRI LIÇÃO 2 - O EVANGELHO DA GRAÇA
 
Fp 2.16 avante retendo a palavra fiel
Fp 2.16 avante retendo a palavra fielFp 2.16 avante retendo a palavra fiel
Fp 2.16 avante retendo a palavra fiel
 
Curso internacional de teologia ebook gratuito
Curso internacional de teologia ebook gratuitoCurso internacional de teologia ebook gratuito
Curso internacional de teologia ebook gratuito
 
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja localSlide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
 
3. a importância da sabedoria humilde
3. a importância da sabedoria humilde3. a importância da sabedoria humilde
3. a importância da sabedoria humilde
 

Mais de Ismael Isidio

Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humanaLição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humanaIsmael Isidio
 
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUALIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUAIsmael Isidio
 
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS Ismael Isidio
 
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADELIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADEIsmael Isidio
 
Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação Ismael Isidio
 
Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas Obras
Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas ObrasLição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas Obras
Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas ObrasIsmael Isidio
 
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUSLIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUSIsmael Isidio
 
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOLIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOIsmael Isidio
 
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORLIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORIsmael Isidio
 
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTORLIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTORIsmael Isidio
 
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTALIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTAIsmael Isidio
 
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETALIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETAIsmael Isidio
 
Lição 06 - O ministério dos Apóstolos
Lição 06 - O ministério dos ApóstolosLição 06 - O ministério dos Apóstolos
Lição 06 - O ministério dos ApóstolosIsmael Isidio
 
Lição 05 – dons de elocução
Lição 05 – dons de elocuçãoLição 05 – dons de elocução
Lição 05 – dons de elocuçãoIsmael Isidio
 
Lição 4 dons de poder
Lição 4   dons de poderLição 4   dons de poder
Lição 4 dons de poderIsmael Isidio
 
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃOLIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃOIsmael Isidio
 
Lição 2 o propósito dos dons espirituais
Lição 2   o  propósito dos dons espirituaisLição 2   o  propósito dos dons espirituais
Lição 2 o propósito dos dons espirituaisIsmael Isidio
 
Lição 1 E deu dons aos homens
Lição 1   E deu dons aos homensLição 1   E deu dons aos homens
Lição 1 E deu dons aos homensIsmael Isidio
 
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉSLIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉSIsmael Isidio
 

Mais de Ismael Isidio (19)

Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humanaLição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
 
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUALIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
 
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
LIÇÃO 06 – A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
 
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADELIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
LIÇÃO 04 – GERADOS PELA PALAVRA DA VERDADE
 
Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação
 
Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas Obras
Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas ObrasLição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas Obras
Lição 1: Tiago — Fé que se Mostra pelas Obras
 
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUSLIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
 
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOLIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
 
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORLIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
 
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTORLIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
LIÇÃO 09 - O MINISTÉRIO DE PASTOR
 
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTALIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
LIÇÃO 08 - O MINISTERIO DE EVANGELISTA
 
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETALIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
LIÇÃO 7 - O MINISTÉRIO DE PROFETA
 
Lição 06 - O ministério dos Apóstolos
Lição 06 - O ministério dos ApóstolosLição 06 - O ministério dos Apóstolos
Lição 06 - O ministério dos Apóstolos
 
Lição 05 – dons de elocução
Lição 05 – dons de elocuçãoLição 05 – dons de elocução
Lição 05 – dons de elocução
 
Lição 4 dons de poder
Lição 4   dons de poderLição 4   dons de poder
Lição 4 dons de poder
 
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃOLIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
LIÇÃO 3 - DONS DE REVELAÇÃO
 
Lição 2 o propósito dos dons espirituais
Lição 2   o  propósito dos dons espirituaisLição 2   o  propósito dos dons espirituais
Lição 2 o propósito dos dons espirituais
 
Lição 1 E deu dons aos homens
Lição 1   E deu dons aos homensLição 1   E deu dons aos homens
Lição 1 E deu dons aos homens
 
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉSLIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
LIÇÃO 13 – O LEGADO DE MOISÉS
 

Último

Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxlucivaniaholanda
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaanapsuls
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 

LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA

  • 1.
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6. INTRODUÇÃO  Na lição dessa semana vamos estudar a maneira adequada de o crente usar um instrumento maravilhoso, mas ao mesmo tempo, potencialmente perigoso: a fala. Este assunto está interligado à temática da verdadeira religião que agrada a Deus.  O fenômeno da fala é uma das fontes de expressão do pensamento humano, como também é responsável pelo processo de comunicação e de formação da identidade cultural de uma sociedade.  As pessoas querem falar às outras àquilo que pensam. O crente, todavia, tem o compromisso de não apenas falar o que pensa, mas agir como propõe o Evangelho.
  • 7.
  • 8. I - PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20)  1. Pronto para ouvir.  Para alguns crentes, a pessoa sábia é a que sempre tem algo a falar. Ouvir é um empreendimento trabalhoso e, por isso, ignorado por muitos. Diferentemente, as Escrituras admoestam-nos a ser prontos para ouvir. No versículo 19, Tiago introduz o seu ensino sobre o "ouvir" e o "falar" destacando a expressão sabei isto.  Com essa expressão, ele demonstra a sua preocupação pastoral com os seus leitores. Outro termo no versículo 19 chama-nos a atenção: pronto. No grego, a palavra significa "rápido", "ligeiro" e "veloz". Ali, o escritor sacro incentiva- nos a estar disponíveis a ouvir. É uma atitude que depende de uma disposição e também da decisão em ouvir o outro.  A exemplo do profeta Samuel, que desde a sua infância foi ensinado a ouvir a voz divina (1 Sm 3.10; 16.6-13), o povo de Deus deve persistir em escutar os desígnios do Pai, pois nesses últimos dias têm Ele falado através do seu Filho, o Verbo Vivo de Deus (Hb 1.1; cf. Jo 1.1).
  • 9.
  • 10. I - PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20)  2. Tardio para falar.  Quem ouve com atenção adquire a rara capacidade de opinar acerca de qualquer assunto. É justamente por isso que a Carta de Tiago exorta-nos a ser tardios para falar (v.19). Uma palavra dita sem pensar, fora de tempo, e sem conhecimento dos fatos, pode provocar verdadeiras tragédias.  Quem nunca se arrependeu de ter falado antes de pensar? Diante de Faraó, o imperador do Egito Antigo, o patriarca José aproveitou sabiamente um momento ímpar em sua vida. Antes de responder às perguntas sobre os sonhos do monarca, José as ouviu e refletiu sobre elas. Em seguida, orientado pelo Senhor, respondeu sabiamente Faraó (Gn 41.16).  Temos de aprender a refletir sobre o que vamos dizer e falar no tempo certo. Pese bem as palavras, e ore como o rei Davi: "Põe, ó SENHOR, uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios" (Sl 141.3).
  • 11.
  • 12. I - PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20)  3. Controle a sua ira.  Uma terceira admoestação encontrada no versículo 19 da carta de Tiago expressa o seguinte: tardios para se irar. A ira é um profundo sentimento de ódio e rancor contra a outra pessoa. Uma vez descontrolada, ela não produz a justiça de Deus, mas uma justiça segundo o critério da pessoa que sofreu o dano: a vingança.  A Palavra de Deus não proíbe o crente de ficar indignado contra a injustiça (Is 58.1,7; Lc 19.45). Contudo, ao mesmo tempo, a Bíblia estabelece limites para o nosso temperamento não se achar irrefletido, descontrolado, deixando-nos impulsivamente irados (Ef 4.26; Pv 17.27).  O cristão, templo do Espírito Santo, tem de levar a sua mente cativa a Cristo (2 Co 10.5) e manifestar o fruto do Santo Espírito: o domínio próprio (Gl 5.22 - ARA). Fuja da aparência do mal. Tenha autocontrole.
  • 13.
  • 14. R. Com essa expressão, ele demonstra a sua preocupação pastoral com os seus leitores. R. A ira é um profundo sentimento de ódio e rancor contra a outra pessoa.
  • 15.
  • 16. II - PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25) 1. Enxertai-vos da Palavra (21). A Palavra de Deus é o guia maior do crente. E para que a Palavra atinja efetivamente o coração do servo de Deus, este precisa acolhê-la com pureza e sinceridade. Isto é, firmar uma posição radical rejeitando toda a imundícia e a malícia mundana (v.19); recebendo o Evangelho com mansidão e sobriedade. Leia os Evangelhos! Persiga em conhecer a mensagem divina de Cristo Jesus, mas, igualmente, abra o coração para ouvir a voz do Senhor.
  • 17.
  • 18. II - PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25)  2. Praticai a Palavra (22-24).  O escritor sacro não tem interesse em que o leitor da epístola apenas acolha a Palavra no coração, antes deseja que o crente a pratique (v.22). Não pode haver incoerência entre o que se "diz" e o que se "faz" para quem é discípulo de Jesus. Se amar a Deus e ao próximo são os maiores dos mandamentos, então, devemos porfiar em vivê-los.  Quem acolhe a Palavra rejeita tudo o que é imundo, maligno, perverso, injusto, dissimulado, insincero. Não apenas isso, mas igualmente abre a porta do coração para "tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama" (Fp 4.8).  Do contrário, seremos identificados com o homem que contempla a própria imagem no espelho e depois se retira esquecendo-se completamente dela. Há pessoas que olham para o Evangelho e ouvem, mas sem memória e perseverança, não dão nenhuma resposta ou sequência ao chamado de Jesus Cristo (vv.23,24). Deus nos livre desse engodo!
  • 19.
  • 20. II - PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25)  3. Persevere ouvindo e agindo (v.25).  Tiago conclui este ponto da epístola da seguinte maneira: Quem é cuidadoso para com a lei, nela persevera; não apenas ouvindo-a negligentemente, mas praticando-a zelosamente.  Felicidade plena em tudo é a promessa para quem ousa viver o Evangelho cônscio das implicações espirituais e das consequências materiais. Alguém, um dia, disse que os evangélicos são poderosos no discurso, mas fracos na prática do mesmo discurso. Falamos, mas não vivemos! Precisamos analisar nossa vida em amor e sinceridade.  Entremos na presença de Deus com o rosto descoberto, coração rasgado e alma despida. No tempo em que vivemos não dá para passar despercebidos na dissimulação, ou seja, fingindo ser algo que na verdade não somos.
  • 21.
  • 22. R. A Palavra de Deus.
  • 23.
  • 24. III - A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27)  1. A falsa religiosidade.  Apesar de algumas pessoas se considerarem religiosas por frequentarem um templo, as Escrituras revelam o significado da verdadeira religião. Ela reprova todo o ativismo religioso feito em "nome de Deus", mas em detrimento do próximo. Aqui, a língua do crente tem um papel importante.  Tiago diz que é possível enganar o próprio coração quando deixamos de refrear a nossa língua. Ora, o coração é a sede dos desejos, dos sentimentos e das vontades. E a boca só fala daquilo que o coração está cheio (Mt 12.34). É incompatível com o Evangelho, viver a graça de Deus sem mergulhar no Reino dEle.  Quem não se entrega inteiramente ao Senhor pratica uma religião vã e falsa. Não podemos ser como a pessoa capaz de fazer uma belíssima oração por um faminto, e depois despedi-lo sem lhe dar um único grão de arroz.
  • 25.
  • 26. III - A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27)  2. A verdadeira religião (v.27).  A religião pura, santa e imaculada, de acordo com o autor sacro, é suprir a necessidade do próximo: "Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações". O problema hoje é que a nossa atenção, quase sempre, está voltada para o prazer pessoal.  Temos os olhos fechados para os necessitados que na maioria das vezes cultuam a Deus, assentados, ao nosso lado. Lembremo-nos da vida de Jesus Cristo! Ele não apenas olhou para os marginalizados, mas foi até eles e os acolheu em amor (Mt 25.35- 45).  A religião que agrada a Deus é aquela cujos discípulos professam e bendizem o seu nome, visitando e acolhendo os necessitados nas aflições.
  • 27.
  • 28. III - A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) 3. Guardando-se da corrupção (v.27). Além de recomendar a obrigatoriedade de visitarmos os órfãos e as viúvas, a Epístola de Tiago menciona outro aspecto da verdadeira religião: guardar-se da corrupção do mundo. A religião falsa está mergulhada no egoísmo, na corrupção e nos interesses maléficos do sistema pecaminoso. A igreja deve manter-se longe da corrupção. Estamos no mundo, mas não fazemos parte do seu sistema! O Evangelho nada tem com os seus valores e preceitos
  • 29.
  • 30. R. Quem não se entrega inteiramente ao Senhor pratica uma religião vã e falsa. R. A religião que agrada a Deus é aquela cujos discípulos professam e bendizem o seu nome, visitando e acolhendo os necessitados nas suas aflições.
  • 31.
  • 32.
  • 33. CONCLUSÃO Nessa semana aprendemos sobre o cuidado que devemos ter com o ouvir e o falar. Estudamos também acerca da religião pura e imaculada que alegra a Deus: visitar os órfãos e as viúvas nas tribulações e guardarmo-nos da corrupção do mundo. Que os nossos ouvidos estejam prontos para ouvir, a nossa língua para falar sabiamente e a nossa vida para praticar tudo quanto aprendemos do Evangelho. Embora estejamos em um mundo turbulento, devemos exalar o bom perfume de Cristo por onde formos (2 Co 2.15).
  • 34.
  • 35. ACESSE O NOSSO SITE www.escola-dominical.com www.proaviva.blogspot.com Produção dos slides Ev. Ismael Pereira de Oliveira & Ismael Isidio