Atos dos apostolos

11.763 visualizações

Publicada em

Trabalho desenvolvido em grupo de estudo aprofundado da doutrina espirita realizado no Centro Espirita Yvon Costa, Belém , Pará

Publicada em: Espiritual
0 comentários
11 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.763
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
638
Comentários
0
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atos dos apostolos

  1. 1. EM SILÊNCIO "Não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos do Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus." - Paulo. (EFÉSIOS, 6:6.) Se sabes, atende ao que ignora, sem ofuscá-lo com a tua luz. Se tens, ajuda ao necessitado, sem molestá-lo com tua posse. Se amas, não firas o objeto amado com exigências. Se pretendes curar, não humilhes o doente. Se queres melhorar os outros, não maldigues ninguém. Se ensinas a caridade, não te trajes de espinhos, para que teu contato não dilacere os que sofrem. Tem cuidado na tarefa que o Senhor te confiou. É muito fácil servir à vista. Todos querem fazê-lo, procurando o apreço dos homens. Difícil, porém, é servir às ocultas, sem o ilusório manto da vaidade.
  2. 2. É por isto que, em todos os tempos, quase todo o trabalho das criaturas é dispersivo e enganoso. Em geral, cuida-se de obter a qualquer preço as gratificações e as honras humanas. Tu, porém, meu amigo, aprende que o servidor sincero do Cristo fala pouco e constrói, cada vez mais, com o Senhor, no divino silêncio do espírito... Vai e serve. Não te dêem cuidado as fantasias que confundem os olhos da carne e nem te consagres aos ruídos da boca. Faze o bem, em silêncio. Foge às referências pessoais e aprendamos a cumprir, de coração, a vontade de Deus. VINHA DE LUZ – Xavier, Francisco Cândido pelo espírito Emmanuel. Em Silêncio - Mens. 04.
  3. 3. • É o quinto livro do Novo Testamento, composto por 28 capítulos e foi escrito em grego. • O livro do Atos e o terceiro Evangelho eram em princípio duas partes de uma mesma obra. • Na primeira parte temos o relato de toda a vida de Jesus, desde o seu nascimento até a aparição de Jesus aos discípulos na Galileia após a crucificação. • Na segunda parte, são retomados os últimos acontecimentos encadeando-os em uma sequência de relato até a viagem de Paulo a Roma. • Para alguns é conhecido como o Evangelho da Mediunidade.
  4. 4. • O autor de Atos seria um gentio grego, de boa educação, profundo conhecedor das realidades judaicas e da Septuaginta ( Bíblia em grego ) e cristão da geração apostólica. • Desde o ano 175 há um consenso da Igreja em aceitar Lucas como o autor destes dois livros. • Consenso está impresso no documento romano chamado de “ Canon Muratori”. ( fragmento de Muratori, é uma cópia do documento mais antigo que se conhece, ano 170, com a lista dos livros do N.T. nele aparecem: os quatro evangelhos, Atos dos Apóstolos, 13 Espístolas de Paulo ( hebreus ), 2 Epístolas de João, o Apocalipse de João e o de Pedro)
  5. 5. A data mais aceita é a do ano 62 em função dos seguintes pontos: 1. A narrativa em Atos vai até o ano 63 com a viagem de Paulo para Roma. 2. Não temos a menção da morte de Tiago em 62, Paulo em 64 e de Pedro em 67. 3. Não fala sobre a perseguição de Nero contra os cristãos após o grande incêndio em Roma, ano 64. 4. Não existe menção da destruição de Jerusalém no ano 70 por Tito, que após a Grande Revolta Judaica toma a cidade e destrói as muralhas e o Templo. Quadro Cronológico : Bíblia de Jerusalém ( pág.2185 )
  6. 6. 1. Por volta do ano 60, Paulo em conversa com Lucas atentou para dois pontos importantíssimos para a divulgação do Evangelho: “ ... A esse tempo, o ex-doutor de Jerusalém chamou a atenção de Lucas para o velho projeto de escrever uma biografia de Jesus, valendo-se das informações de Maria; lamentou não poder ir a Éfeso, incumbindo-o desse trabalho, que reputava de capital importância para os adeptos do Cristianismo. O médico amigo satisfez-lhe integralmente o desejo, legando à posteridade o precioso relato da vida do mestre, rico de luzes e esperanças divinas. Terminadas as anotações evangélicas, o espírito dinâmico do Apóstolo da gentilidade encareceu a necessidade de um trabalho que fixasse as atividades apostólicas logo após a partida do Cristo, para que o mundo conhecesse as gloriosas revelações do Pentecostes, e assim se originou o magnífico relatório de Lucas, que é – Atos dos Apóstolos...” Paulo e Estevão ( pág. 599 )
  7. 7. • Nascido em Antioquia ( Síria ), médico, falava grego, • Era um homem ilustrado, de vistas largas, pois bem interpretava o movimento de reforma religiosa que se operou em seu tempo, movimento que mereceu todo o seu auxílio prestado à causa Cristã com rara abnegação. ( Vida e Ato dos Apóstolos, pág. 8 ) • Conhece Paulo em Antioquia. • O responsável pela designação de cristão aos seguidores da mensagem de Jesus, que eram conhecidos como viajores, peregrinos ou caminheiros. • Foi um dos grandes apóstolos do Cristianismo nascente.
  8. 8. “ – Irmãos, afastando-me de vós, levo o propósito de trabalhar pelo Mestre, empregando nisso todo o cabedal de minhas fracas forças. Não tenho dúvida alguma quanto à extensão desse movimento espiritual. Para mim, ele transformará o mundo inteiro. Entretanto, pondero a necessidade de imprimirmos a melhor expressão de unidade às suas manifestações. Quero referir-me aos títulos que nos identificam a comunidade. Não vejo na palavra “ caminho” uma designação perfeita que traduza o nosso esforço... Não seria mais justo nos chamarmo-nos – cristãos – uns aos outros? Este título nos recordará a presença do Mestre, nos dará energia em seu nome, e caracterizará, de modo perfeito, as nossas atividades em concordância com os seus ensinos “ ( Paulo e Estevão – 2ª parte, cap. 4 , pág. 393 – 394 )
  9. 9. • Lucas custeou, com seus serviços profissionais, as despesas de uma das viagens de Paulo por mar. • Companheiro de Paulo em vários momentos, ainda que intermitentemente, e nos anos finais é o esteio moral e até físico de Paulo. Está com Paulo na viagem à Roma. Na segunda Epístola a Timóteo ( 4:11 ), poucas semanas antes de ser assassinado, Paulo escreve, algo melancólico: “ Só Lucas está comigo.” • Sua narrativa dos tempos finais de Paulo certamente se perdeu, pois é inaceitável a abrupta interrupção dos Atos em 28:28, dado que Lucas sobreviveu ao amigo e não pode ter deixado de registrar o que se passou nos últimos tempos da vida do apóstolo. ( As Marcas do Cristo – Hermínio Costa Miranda, pág. 201 e 202 )
  10. 10. • Tanto o Evangelho de Lucas e o livro Atos dos Apóstolos tem como destinatário Teófilo, que pode ser algum representante romano ( membro da ordem equestre ) ou simplesmente um título de cortesia. • “ Muitos já se dedicaram a elaborar um relato dos fatos que se cumpriram entre nós, conforme nos foram transmitidos por aqueles que desde o início foram testemunhas oculares e servos da palavra. Eu mesmo investiguei tudo cuidadosamente, desde o começo, e decidi escrever-te um relato ordenado, ó excelentíssimo Teófilo, para que tenhas a certeza das coisas que te foram ensinadas.” ( Lucas 1:1-4 ) • “ Fiz o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar, até ao dia em que foi recebido em cima, depois de ter dado mandamentos, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera.” (Atos 1:1-2)
  11. 11. Quem poderia ser o Teófilo? • Pode ter sido amigo ou protetor de Lucas, simpatizante ou adepto do cristianismo ( O evangelho da Mediunidade – cap I ). • Quem eram os Membros da Ordem Equestre ? Eram romanos de grande fortuna com a função de limitar o poder dos senadores nas províncias e dedicavam-se ao comércio e negócios. Possibilidade de que Lucas tenha escrito para demonstrar que o cristianismo não era religião nociva à pax romana ( PAZ ROMANA – presença de legiões nas províncias garantindo a presença romana e evitar revoltas). O cristianismo já havia sido difamado em Roma antes de Paulo ali chegar. As perseguições que o Cristianismo sofria eram religiosas e não políticas.
  12. 12. • Prova da ressurreição e aparições de Jesus, • Detalhes sobre Pentecostes, • Relatos sobre a fundação dos primeiros núcleos cristãos reunidos ao redor de Pedro, • A atuação desinteressada e caridosa dos primeiros apóstolos responsável pela expansão do Evangelho através da iniciativa missionária de Filipe ( o evangelista ), dos helenistas ( Estevão ), de Pedro e o que aconteceu aos mesmos nesta tarefa. • Nos fornece uma ideia do trabalho realizado pelos primeiros cristãos, suas lutas e desafios dedicados à causa do Cristo.
  13. 13. Nesta parte temos em destaque as figuras de Pedro, Filipe e Estevão: • PEDRO : Após a ascensão de Jesus e de Pentecostes começa a pregar e a realizar muitas curas, percebe que o Evangelho também se estende aos gentios e funda a primeira comunidade cristã. João é seu companheiro inseparável. • FILIPE ( o Evangelista, um dos sete helenistas ) : Expande o Evangelho para a Samaria onde faz muitas curas. • ESTEVÃO : judeu helenista, primeiro mártir do cristianismo e que teve papel fundamental na vida de Paulo.
  14. 14. Os relatos da conversão de Paulo, suas viagens missionárias e sua viagem para Roma como prisioneiro. • A descrição das viagens de Paulo no primeiro século da Era Cristã nos trazem informações valiosas sobre a administração romana, cidades gregas, cultos religiosos, rotas comerciais, política e a topografia local. • Através dos relatos em Atos, podemos também conhecer a organização e administração da igreja cristã primitiva e entender como se realizavam as pregações e propagações das ideias cristãs, em que se utilizava essencialmente da prédica ou da explanação discursiva.
  15. 15. 1) Os apóstolos representavam as “ testemunhas “ dos ensinamentos deixados por Jesus, 2) Formação e desenvolvimento da igreja de Jerusalém, 3) O trabalho de Paulo de Tarso, 4) A ascensão e atividade dos judeus helenistas na Igreja de Jerusalém, 5) A pregação apostólica e 6) Culto de ação de graças
  16. 16. 1) Os apóstolos representavam as “ testemunhas “ dos ensinos deixados por Jesus. “ Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e serme-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra.” ( Atos 1:8 ) “ Todos os apóstolos do Mestre haviam saído do teatro humilde de seus gloriosos ensinamentos, mas, se esses pescadores valorosos eram elevados Espíritos em missão, precisamos considerar que eles estavam muito longe da situação de espiritualidade do Mestre, sofrendo as influências do meio a que foram conduzidos.” ( A Caminho da Luz – pag. 125 )
  17. 17. 173 - COMO TESTEMUNHAR ( Pão Nosso -Atos, 1:8.) Realmente, Jesus é o Salvador do Mundo, mas não libertará a Terra do império do mal, sem a contribuição daqueles que lhe procuram os recursos salvadores. O Divino Mestre, portanto, precisa de auxiliares com atribuições de prepostos e testemunhas, em toda parte... Contudo, para desempenharmos a tarefa de representantes do Senhor, na obra sublime de elevação, não basta o título externo. Indispensável é a obtenção de bênçãos do Alto, por intermédio da execução de nossos deveres, por mais difíceis e dolorosos. Até agora, conhecemos à saciedade, na Terra, o poder de dominar, governar, recusar e ferir, de fácil acesso no campo da vida. Raras criaturas, porém, fazem por merecer de Jesus o poder celeste de obedecer, ensinando, de amar, construindo para o bem, de esperar, trabalhando, de ajudar desinteressadamente. Sem a recepção de semelhantes recursos, que nos identificam com o Trabalhador Divino, e sem as possibilidades de refleti-Lo para o próximo, em espírito e verdade, através do nosso esforço constante de aplicação pessoal do Evangelho, podemos personificar excelentes pregadores, brilhantes literatos ou notáveis simpatizantes da doutrina cristã, mas não testemunhas d’Ele.
  18. 18. 2) Formação e desenvolvimento da igreja de Jerusalém. • em princípio ao redor de Pedro, posteriormente de Tiago Maior, mas permaneceram fiéis à tradição judaica, dificultando a adesão dos gentílicos e com isso provocando discussões pois os helenistas não aceitavam a incorporação da Lei Judaica com seus ritos e práticas. “ ... Tão logo se verificou o regresso do Cordeiro às regiões da Luz, a comunidade cristã começou a sofrer a influência do judaísmo, e quase todos os núcleos organizados, da doutrina, pretenderam guardar a feição aristocrática, em face das novas igrejas e associações que se fundavam nos mais diversos pontos do mundo...” ( A Caminho da Luz – pag. 126 )
  19. 19. 3) O trabalho de Paulo de Tarso foi um dos mais significativos acontecimentos na história do Cristianismo. “...É então que Jesus resolve chamar o espírito luminoso e enérgico de Paulo de Tarso ao exercício do seu ministério. Essa deliberação foi um acontecimento dos mais significativos na história do cristianismo. As ações e as epístolas de Paulo tornam-se poderosos elemento de universalização da nova doutrina. De cidade em cidade, de igreja em igreja, o convertido de Damasco, com o seu enorme prestígio, fala do mestre, inflamando os corações. A princípio estabelece-se entre ele e os demais Apóstolos uma penosa situação de incompreensibilidade, mas sua influência providencial teve por fim evitar uma aristocracia injustificável dentro da comunidade cristã... “ ( A Caminho da Luz – pág. 126 )
  20. 20. 4) A ascensão e atividade dos judeus helenistas na Igreja de Jerusalém. • Essa questão foi debatida no Concílio de Jerusalém onde Pedro, Tiago, Barnabé e Paulo tentaram conciliar as ideias existentes no Cristianismo nascente, onde um dos pontos que mais gerava discussão era a da circuncisão dos convertidos. • Um dos mais famosos helenistas foi Estevão.
  21. 21. 5) A pregação apostólica: Basicamente existiam dois objetivos na pregação dos apóstolos. • A primeira direcionada aos judeus buscava mostrar que Jesus era o Messias esperado, aconselhando-os a não resistiram a esta aceitação, de que o Cristo era o Enviado de Deus. • A segunda, direcionada aos povos gentios, politeístas, tentava justifica, demonstrar a supremacia do amor do Cristo. 6) Culto de ação de graças. As primeiras comunidades viviam envolvidas pelo espírito de caridade, abnegação e fraternidade.
  22. 22. CONCLUSÃO A vida dos Apóstolos foi uma vida de trabalhos, de incessante luta pela difusão do Evangelho, foi uma vida de abnegação e ingentes sacrifícios; de verdadeiro desapego às coisas do mundo; de dores, de sofrimentos, mas também de glória que não se estingue, de aquisição de tesouros que não perecem, de luzes que não se apagam, de verdades que nos conduzem às alturas, onde melhor compreenderemos a Deus e sua infinita sabedoria.
  23. 23. O que caracteriza a vida dos Discípulos são seus atos de amor e de sabedoria, sua tolerância para com os ignorantes, sua humildade, sua renúncia, sua compaixão para com os infelizes, sua extraordinária dedicação à difusão dos ensinos que receberam do Mestre, sua fé firme, inabalável na continuidade da vida, sua submissão, seu singular devotamento num culto à verdade e de amor às coisas divinas, pondo absolutamente de lado os interesses materiais.
  24. 24. 1. BÍBLIA DE JERUSALÉM. Nova edição, revista e ampliada. Paulus, 2002. Itens: Introdução ao Atos dos Apóstolos ( pag. 1896 ), Quadro cronológico ( pag. 2185 ). 2. XAVIER. Francisco Cândido. A Caminho da Luz. Pelo espírito Emmanuel. FEB, 1991. ( pag. 125-126 ) 3. XAVIER. Francisco Cândido. Paulo e Estevão. Pelo espírito Emmanuel. FEB, 2010. ( 2ª parte, cap. 4 , pág. 393 – 394 ) 4. XAVIER. Francisco Cândido. Pão Nosso. Pelo espírito Emmanuel. FEB, 2004. ( mens. 173 pág. 357 ) 5. SCHUTEL, Cairbar. Vida e Ato dos Apóstolos. Matão: O Clarim. 2001 ( pág. 14 – 15 – 245 ) 6. EADE – FEB, 2007. Programa I – Religião à Luz do espiritismo – Cristianismo e Espiritismo ( Módulo II – roteiro 24: Atos dos Apóstolos ) 7. MIRANDA. Hermínio Costa. ( As Marcas do Cristo – pág. 201 – 202 )

×