SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Baixar para ler offline
LEAN MANUFACTURING
proposto
Roteiro
 Histórico
 O que é o Lean
 Definindo Lean Manufacturing
 Conceitos Lean Thinking
 Trabalho Padronizado
 Os 7 Desperdícios
 Just in Time
 Jidoka
 Sintetizando
 As ferramentas
 Resultados
Histórico
TRÊS CENÁRIOS
Final do séx. XIX
PRODUÇÃO ARTESANAL
 Produção sob encomenda
 Um item por vez
 Ferramentaria simples
 Qualidade dependia do
artesão
 Custos elevados
1913-1920 (1a guerra)
PRODUÇÃO EM MASSA
 Divisão do trabalho
 Produtos e processos
padronizados
 Equipamentos
dedicados
 Baixa variedade,
grandes volumes e altos
estoques
 Custos menores
1950 (2a guerra)
PRODUÇÃO ENXUTA
 Cenário pós guerra
 Alta variedade e baixos
volumes
 Qualidade assegurada
 Produtos com ciclo de
vida mais curto
 Trabalho de acordo com
a demanda, pequenos
lotes
 Custos extremamente
reduzidos
O Lean Manufacturing é um sistema
de gerenciamento da produção que
via aumentar o lucro reduzindo
custos. Para que isso seja feito, é
necessária a identificação e
eliminação das perdas, que são
atividades que não agregam valor
nenhum e podem gerar eventuais
custos.
Lean Manufacturing
Definindo
Lean Manufacturing
Definindo
Entenda a
situação
AGIR PLANEJAR
VERIFICAR FAZER
Atividade primordial:
Ciclo P.D.C.A.
(Plan, Do, Check, Act)
o Lean
O que é
 Sistema Toyota de Produção, Sistema de Produção Enxuta, ou
simplesmente Lean Manufacturing
 Eiji Toyoda e Taiichi Ohno concluíram que existiam algumas possibilidades
para melhorar o sistema de produção.
 O CONCEITO INOVADOR: A FERRAMENTA MAIS VALIOSA É O FUNCIONÁRIO
 Levou aproximadamente 30 anos para que o Lean fosse implementado na
Toyota completamente.
 Sem estruturação não há andamento eficaz
 Entre o custo de produção bruto e o custo final existe uma complexidade
 Hora de reavaliar processos
 META: Eliminar o gasto para aumentar a lucratividade.
Lean Thinking
Conceitos
Para começar a compreender a MENTALIDADE ENXUTA:
 VALOR: Será sempre determinado pelo cliente e a empresa deve identificá-
lo. Quais são as reais necessidades do cliente? Por aqui a empresa aumenta
seus lucros mantendo a melhoria contínua.
 FLUXO DE VALOR: cadeia produtiva em três espécies de processos:
 Os que agrefam valor
 Não agregam valor mas são importantes na produção
 Não agregam valor nenhum, devendo ser extintos.
O fluxo de valor pede uma visão MACRO do processo, para que nenhum
desperdício passe oculto aos olhos.
 FLUXO CONTÍNUO: a produção deve fluir. Agilidade, cada etapa de
processamento conclui os seus trabalhos antes do próximo processo.
 PRODUÇÃO PUXADA: A produção segue a demanda e reduz a necessidade
de estoques, valorizando o produto.
 PERFEIÇÃO: É isso que o sistema busca. Sem falhas, sem erros, sem
retrabalho. Todos os envolvidos devem conhecer o processo a fundo para
que haja fluidez na troca de informações e no sequenciamento da
produção. A melhoria deve ser CONTÍNUA.
Lean Thinking
Conceitos
Padronizado
Trabalho
 O objetivo de se ter um trabalho
padronizado é forcecer uma base para
melhorias,
 Não existe um único meio de se fazer o
trabalho;
 Deve ser projetado pelos trabalhadores.
 4 ferramentas (4 M):
 Men/woman (homem/mulher): equipe
 Machine (máquina): equipamento
 Material (material): insumo
 Method (método): processos; junção dos 3 anteriores
Padronizado
Trabalho
 Devemos administrar o PQCDSM:
 Productivity - Produtividade
 Quality - Qualidade
 Cost - Custo
 Delivery Time – Tempo de entrega
 Safety and Enviroment – Segurança e Ambiente
 Morale - Moral
Padronizado
Trabalho
 Benefícios:
 Estabilidade do processo
 Clareza de execução do processo
 Aprendizagem organizacional (know how)
 Solução de auditorias e problemas
 Envolvimento do funcionário = Poka Yoke
 Kaizen
 Treinamento
desperdícios
Os 7
 Desperdícios, também chamados de muda, são aquelas atividades
desnecessárias, as quais o cliente não está disposto a pagar.
Os 7 desperdícios principais são:
Perdas por movimentação;
Perdas por espera;
Perdas por transporte;
Perdas por retrabalho;
Perdas no próprio processamento;
Perdas por estoque;
Perdas por superprodução (quantidade e antecipada);
In timeJust
“A superprodução é um crime”
 O Just in Time ataca exageros: quer a produção da peça certa, na
quantidade certa e na hora certa.
 Produzir um fluxo de valor contínuo para que o cliente possa puxar.
 Resposta rápida
 Melhor tempo takt (Tempo disponível para a produção dividido pela
demanda do cliente)
 Nivelamento da Produção (Heijunka)
 Identifica mais oportunidades de Kaizen(melhoria contínua de um processo
completo que cria mais valor com menos desperdício)
In timeJust
“A superprodução é um crime”
 O Just in Time ataca exageros: quer a produção da peça certa, na
quantidade certa e na hora certa.
 Produzir um fluxo de valor contínuo para que o cliente possa puxar.
 Resposta rápida
 Melhor tempo takt (Tempo disponível para a produção dividido pela
demanda do cliente)
 Nivelamento da Produção (como Kanban)
 Identifica mais oportunidades de Kaizen(melhoria contínua de um processo
completo que cria mais valor com menos desperdício)
O zero defeito
Jidoka
“Pare a produção para que a produção não tenha que parar”
 JI – trabalhador. Se perceber que algo não vai bem, deve pausar a linha.
 DO – movimento, trabalho.
 KA – ação.
 Definição da Toyota: Automação com uma Mente Humana
 Cria processos livres de defeitos, fortalecendo:
 a capacidade do processo;
 A contenção dos defeitos;
 O feedback.Retorno para contramedidas.
O zero defeito
Jidoka
 Essencial para obtenção da melhor qualidade com o menor custo, no lead
time (tempo de ciclo do produto) mais baixo.
 Inspeção total, Poka Yoke (Sistema a prova de erros) para detecção de
erros e feedback rápido para tomada de contramedidas.
 Poka Yokes de parada e de alerta.
Premissas para aplicação do Lean:
• Disciplina – sequenciamento
• Atitude – para implentar mudanças
• Respeito – ao cliente e ao trabalhador
Sintetizando
Uma imagem pode reunir todo o Lean:
Sintetizando
A casa Lean
5S
Mapeamento de Processos
Mapeamento de Fluxo de valor
Troca Rápida de Ferramentas
Gestão Visual / Kanban
5 Porquês
Diagrama de Ishikawa (Causa e Efeito)
Poka Yoke
Kaizen
6 Sigma
As
ferramentas
Encontrar problemas:
5S
Mapeamento de Fluxo de valor
Gestão Visual
As
ferramentas
Identificar onde nasceram essesproblemas:
Mapeamento de Processos
5 Porquês
Diagrama de Ishikawa (Causa e Efeito)
As
ferramentas
Sanar os problemas:
Troca Rápida de Ferramentas
Kanban
Kaizen
6 Sigma
As
ferramentas
Resultados
 Muitas empresas utilizaram
os conceitos do Lean
Manufacturing desde que o
sucesso da Toyota se tornou
implacável;
 A melhoria do processo é
inegável.
 Sua aplicação não depende
de muitos recursos
financeiros
 As melhorias podem ser
medidas qualitativa e
quantitativamente.
 Lean Construction, Lean TI,
etc… são ramificações
deste conceito
Obrigada
daisymarschalk@gmail.com
DENNIS, Pascal. Produção Lean Simplificada, versão trazduzida
2008.
Referências:
http://www.taktica.com.br
http://www.lean.org.br
Slides: Modelo Editado SOAP Storytelling

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Kanban
KanbanKanban
Kanban
 
Ferramentas Qualidade e Lean Six Sigma Hospital
Ferramentas Qualidade e Lean Six Sigma HospitalFerramentas Qualidade e Lean Six Sigma Hospital
Ferramentas Qualidade e Lean Six Sigma Hospital
 
Just in time (jit)
Just in time (jit)Just in time (jit)
Just in time (jit)
 
7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade
 
Mapeamento de Processos
Mapeamento de ProcessosMapeamento de Processos
Mapeamento de Processos
 
Respostas exercícios para fixação de tempos e métodos
Respostas exercícios para fixação de tempos e métodosRespostas exercícios para fixação de tempos e métodos
Respostas exercícios para fixação de tempos e métodos
 
Gestão por processos
Gestão por processosGestão por processos
Gestão por processos
 
2º e 3ºaula de pcp, mrp i e mrp-ii (1)
2º e 3ºaula de pcp, mrp i e mrp-ii (1)2º e 3ºaula de pcp, mrp i e mrp-ii (1)
2º e 3ºaula de pcp, mrp i e mrp-ii (1)
 
Ferramentas da Qualidade
Ferramentas da QualidadeFerramentas da Qualidade
Ferramentas da Qualidade
 
Apresentação Takt Time
Apresentação Takt Time Apresentação Takt Time
Apresentação Takt Time
 
Os 7 Desperdicios
Os 7 DesperdiciosOs 7 Desperdicios
Os 7 Desperdicios
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Ferramentas da qualidade aula 17-02-15
Ferramentas da qualidade   aula 17-02-15Ferramentas da qualidade   aula 17-02-15
Ferramentas da qualidade aula 17-02-15
 
PCP
PCPPCP
PCP
 
Jit – just in time
Jit – just in timeJit – just in time
Jit – just in time
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
 
Princípios da Filosofia Lean - Slides - Profª Silene Seibel
Princípios da Filosofia Lean - Slides - Profª Silene SeibelPrincípios da Filosofia Lean - Slides - Profª Silene Seibel
Princípios da Filosofia Lean - Slides - Profª Silene Seibel
 
Planejamento da Organização na Manutenção
Planejamento da Organização na ManutençãoPlanejamento da Organização na Manutenção
Planejamento da Organização na Manutenção
 
Kanban
KanbanKanban
Kanban
 
Ciclo pdca
Ciclo pdcaCiclo pdca
Ciclo pdca
 

Destaque

Manufatura enxuta (Lean Manufacturing)
Manufatura enxuta (Lean Manufacturing)Manufatura enxuta (Lean Manufacturing)
Manufatura enxuta (Lean Manufacturing)Daniel Lucas
 
Levando a Estratégia para as Nuvens v2.0
Levando a Estratégia para as Nuvens v2.0Levando a Estratégia para as Nuvens v2.0
Levando a Estratégia para as Nuvens v2.0AEA Brazil Chapter
 
Slide lean manuscturing
Slide   lean manuscturingSlide   lean manuscturing
Slide lean manuscturingLeila Miranda
 
Diagrama de Pareto y de Ishikawa
Diagrama de Pareto y de IshikawaDiagrama de Pareto y de Ishikawa
Diagrama de Pareto y de Ishikawaraul325
 
Trabalhos realizados na A3 Editora
Trabalhos realizados na A3 EditoraTrabalhos realizados na A3 Editora
Trabalhos realizados na A3 EditoraGELDESIGN
 
3 a problemas organizacionais - po_
3 a problemas organizacionais - po_3 a problemas organizacionais - po_
3 a problemas organizacionais - po_lymenezes2012
 
Os 5 sensos da qualidade por adilson barroso
Os 5 sensos da qualidade   por adilson barrosoOs 5 sensos da qualidade   por adilson barroso
Os 5 sensos da qualidade por adilson barrosoDavid Marques
 
C08 O Desafio de Alinhar a Área Comercial com a Manufatura e Distribuição
C08 O Desafio de Alinhar a Área Comercial com a Manufatura e DistribuiçãoC08 O Desafio de Alinhar a Área Comercial com a Manufatura e Distribuição
C08 O Desafio de Alinhar a Área Comercial com a Manufatura e DistribuiçãoFábio Cardoso Alves
 
Lean manufacturing 4-implementação
Lean manufacturing   4-implementaçãoLean manufacturing   4-implementação
Lean manufacturing 4-implementaçãojparsilva
 

Destaque (20)

Lean Manufacturing 6
Lean Manufacturing 6Lean Manufacturing 6
Lean Manufacturing 6
 
Manufatura enxuta (Lean Manufacturing)
Manufatura enxuta (Lean Manufacturing)Manufatura enxuta (Lean Manufacturing)
Manufatura enxuta (Lean Manufacturing)
 
Conteudo dos Treinamentos Lean TPM
Conteudo dos Treinamentos Lean TPMConteudo dos Treinamentos Lean TPM
Conteudo dos Treinamentos Lean TPM
 
Lean Manufacturing 1
Lean Manufacturing 1Lean Manufacturing 1
Lean Manufacturing 1
 
Levando a Estratégia para as Nuvens v2.0
Levando a Estratégia para as Nuvens v2.0Levando a Estratégia para as Nuvens v2.0
Levando a Estratégia para as Nuvens v2.0
 
Slide lean manuscturing
Slide   lean manuscturingSlide   lean manuscturing
Slide lean manuscturing
 
Diagrama de Pareto y de Ishikawa
Diagrama de Pareto y de IshikawaDiagrama de Pareto y de Ishikawa
Diagrama de Pareto y de Ishikawa
 
Além da gestão tradicional
Além da gestão tradicionalAlém da gestão tradicional
Além da gestão tradicional
 
Trabalhos realizados na A3 Editora
Trabalhos realizados na A3 EditoraTrabalhos realizados na A3 Editora
Trabalhos realizados na A3 Editora
 
3 a problemas organizacionais - po_
3 a problemas organizacionais - po_3 a problemas organizacionais - po_
3 a problemas organizacionais - po_
 
A3 hoshin kanri
A3 hoshin kanriA3 hoshin kanri
A3 hoshin kanri
 
Relatório A3
Relatório A3Relatório A3
Relatório A3
 
Metodologia PDCA A3
Metodologia PDCA A3Metodologia PDCA A3
Metodologia PDCA A3
 
Os 5 sensos da qualidade por adilson barroso
Os 5 sensos da qualidade   por adilson barrosoOs 5 sensos da qualidade   por adilson barroso
Os 5 sensos da qualidade por adilson barroso
 
C08 O Desafio de Alinhar a Área Comercial com a Manufatura e Distribuição
C08 O Desafio de Alinhar a Área Comercial com a Manufatura e DistribuiçãoC08 O Desafio de Alinhar a Área Comercial com a Manufatura e Distribuição
C08 O Desafio de Alinhar a Área Comercial com a Manufatura e Distribuição
 
Formulário A3
Formulário A3 Formulário A3
Formulário A3
 
O Pensamento A3
O Pensamento A3O Pensamento A3
O Pensamento A3
 
Taking Lean to the Enterprise
Taking Lean to the EnterpriseTaking Lean to the Enterprise
Taking Lean to the Enterprise
 
Lean manufacturing 4-implementação
Lean manufacturing   4-implementaçãoLean manufacturing   4-implementação
Lean manufacturing 4-implementação
 
Enterprise Value Stream
Enterprise Value Stream Enterprise Value Stream
Enterprise Value Stream
 

Semelhante a Lean Manufacturing: Reduzindo custos

MATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptx
MATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptxMATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptx
MATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptxAlessandro M da Rocha
 
00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf
00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf
00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdfAlvanirBarros1
 
Senai - Lean Manufacturing.pdf
Senai - Lean Manufacturing.pdfSenai - Lean Manufacturing.pdf
Senai - Lean Manufacturing.pdfLuanaMaia48
 
Introdução ao Lean manufacturing
Introdução ao Lean manufacturingIntrodução ao Lean manufacturing
Introdução ao Lean manufacturingEdomar Hornburg
 
Aula 1 - Lean Manufaturing.pptx
Aula 1 - Lean Manufaturing.pptxAula 1 - Lean Manufaturing.pptx
Aula 1 - Lean Manufaturing.pptxFABRICIOPLASTER1
 
1a_Confraria_Transbordo_2_LEAN-Renan_Silva.pdf
1a_Confraria_Transbordo_2_LEAN-Renan_Silva.pdf1a_Confraria_Transbordo_2_LEAN-Renan_Silva.pdf
1a_Confraria_Transbordo_2_LEAN-Renan_Silva.pdfDemetrioFontesDeLosR
 
Vantagens e desvantagens do justin time
Vantagens e desvantagens do justin timeVantagens e desvantagens do justin time
Vantagens e desvantagens do justin timeDanny Moura
 
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean ManufacturingVicenteTino
 
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean ManufacturingVicenteTino
 
Administração de Produção II
Administração de Produção IIAdministração de Produção II
Administração de Produção IIRomilson Cesar
 
Ferramentas e Conceitos em Lean Seis Sigma
Ferramentas e Conceitos em Lean Seis SigmaFerramentas e Conceitos em Lean Seis Sigma
Ferramentas e Conceitos em Lean Seis SigmaFrancisco Mello Castro
 
11. módulo 6 just in time (lean manufacturing)
11. módulo 6   just in time (lean manufacturing)11. módulo 6   just in time (lean manufacturing)
11. módulo 6 just in time (lean manufacturing)Eliana Celiven
 
Lean Kanban
Lean KanbanLean Kanban
Lean KanbanLucashgt
 
Seminário Just in Time
Seminário Just in TimeSeminário Just in Time
Seminário Just in TimeRenato Bafi
 
Ferramentas stp 2017_moodle
Ferramentas stp 2017_moodleFerramentas stp 2017_moodle
Ferramentas stp 2017_moodleTelmo Telles
 
Aula pcp lean parte II - Unoesc São Miguel do Oeste
Aula pcp lean parte II -  Unoesc São Miguel do OesteAula pcp lean parte II -  Unoesc São Miguel do Oeste
Aula pcp lean parte II - Unoesc São Miguel do OesteLuiz Felipe Cherem
 

Semelhante a Lean Manufacturing: Reduzindo custos (20)

MATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptx
MATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptxMATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptx
MATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptx
 
Lean
LeanLean
Lean
 
00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf
00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf
00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf
 
Senai - Lean Manufacturing.pdf
Senai - Lean Manufacturing.pdfSenai - Lean Manufacturing.pdf
Senai - Lean Manufacturing.pdf
 
Introdução ao Lean manufacturing
Introdução ao Lean manufacturingIntrodução ao Lean manufacturing
Introdução ao Lean manufacturing
 
Aula 1 - Lean Manufaturing.pptx
Aula 1 - Lean Manufaturing.pptxAula 1 - Lean Manufaturing.pptx
Aula 1 - Lean Manufaturing.pptx
 
1a_Confraria_Transbordo_2_LEAN-Renan_Silva.pdf
1a_Confraria_Transbordo_2_LEAN-Renan_Silva.pdf1a_Confraria_Transbordo_2_LEAN-Renan_Silva.pdf
1a_Confraria_Transbordo_2_LEAN-Renan_Silva.pdf
 
Lean Thinking
Lean ThinkingLean Thinking
Lean Thinking
 
Vantagens e desvantagens do justin time
Vantagens e desvantagens do justin timeVantagens e desvantagens do justin time
Vantagens e desvantagens do justin time
 
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean Manufacturing
 
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean Manufacturing
 
Administração de Produção II
Administração de Produção IIAdministração de Produção II
Administração de Produção II
 
Ferramentas e Conceitos em Lean Seis Sigma
Ferramentas e Conceitos em Lean Seis SigmaFerramentas e Conceitos em Lean Seis Sigma
Ferramentas e Conceitos em Lean Seis Sigma
 
11. módulo 6 just in time (lean manufacturing)
11. módulo 6   just in time (lean manufacturing)11. módulo 6   just in time (lean manufacturing)
11. módulo 6 just in time (lean manufacturing)
 
Lean Kanban
Lean KanbanLean Kanban
Lean Kanban
 
Novas tecnologias
Novas tecnologiasNovas tecnologias
Novas tecnologias
 
Seminário Just in Time
Seminário Just in TimeSeminário Just in Time
Seminário Just in Time
 
Just in Time
Just in TimeJust in Time
Just in Time
 
Ferramentas stp 2017_moodle
Ferramentas stp 2017_moodleFerramentas stp 2017_moodle
Ferramentas stp 2017_moodle
 
Aula pcp lean parte II - Unoesc São Miguel do Oeste
Aula pcp lean parte II -  Unoesc São Miguel do OesteAula pcp lean parte II -  Unoesc São Miguel do Oeste
Aula pcp lean parte II - Unoesc São Miguel do Oeste
 

Mais de Daisy Marschalk

Noções de Marketing Digital
Noções de Marketing DigitalNoções de Marketing Digital
Noções de Marketing DigitalDaisy Marschalk
 
Projeto smart solicitação resolução 006
Projeto smart   solicitação resolução 006Projeto smart   solicitação resolução 006
Projeto smart solicitação resolução 006Daisy Marschalk
 
Implantação da troca rápida de ferramenta
Implantação da troca rápida de ferramentaImplantação da troca rápida de ferramenta
Implantação da troca rápida de ferramentaDaisy Marschalk
 
Pequenos rituais eficientes produtividade - 07-03
Pequenos rituais eficientes   produtividade - 07-03Pequenos rituais eficientes   produtividade - 07-03
Pequenos rituais eficientes produtividade - 07-03Daisy Marschalk
 

Mais de Daisy Marschalk (6)

Noções de Marketing Digital
Noções de Marketing DigitalNoções de Marketing Digital
Noções de Marketing Digital
 
Design Thinking
Design ThinkingDesign Thinking
Design Thinking
 
Projeto smart solicitação resolução 006
Projeto smart   solicitação resolução 006Projeto smart   solicitação resolução 006
Projeto smart solicitação resolução 006
 
Planejamento financeiro
Planejamento financeiroPlanejamento financeiro
Planejamento financeiro
 
Implantação da troca rápida de ferramenta
Implantação da troca rápida de ferramentaImplantação da troca rápida de ferramenta
Implantação da troca rápida de ferramenta
 
Pequenos rituais eficientes produtividade - 07-03
Pequenos rituais eficientes   produtividade - 07-03Pequenos rituais eficientes   produtividade - 07-03
Pequenos rituais eficientes produtividade - 07-03
 

Lean Manufacturing: Reduzindo custos

  • 2. proposto Roteiro  Histórico  O que é o Lean  Definindo Lean Manufacturing  Conceitos Lean Thinking  Trabalho Padronizado  Os 7 Desperdícios  Just in Time  Jidoka  Sintetizando  As ferramentas  Resultados
  • 3. Histórico TRÊS CENÁRIOS Final do séx. XIX PRODUÇÃO ARTESANAL  Produção sob encomenda  Um item por vez  Ferramentaria simples  Qualidade dependia do artesão  Custos elevados 1913-1920 (1a guerra) PRODUÇÃO EM MASSA  Divisão do trabalho  Produtos e processos padronizados  Equipamentos dedicados  Baixa variedade, grandes volumes e altos estoques  Custos menores 1950 (2a guerra) PRODUÇÃO ENXUTA  Cenário pós guerra  Alta variedade e baixos volumes  Qualidade assegurada  Produtos com ciclo de vida mais curto  Trabalho de acordo com a demanda, pequenos lotes  Custos extremamente reduzidos
  • 4. O Lean Manufacturing é um sistema de gerenciamento da produção que via aumentar o lucro reduzindo custos. Para que isso seja feito, é necessária a identificação e eliminação das perdas, que são atividades que não agregam valor nenhum e podem gerar eventuais custos. Lean Manufacturing Definindo
  • 5. Lean Manufacturing Definindo Entenda a situação AGIR PLANEJAR VERIFICAR FAZER Atividade primordial: Ciclo P.D.C.A. (Plan, Do, Check, Act)
  • 6. o Lean O que é  Sistema Toyota de Produção, Sistema de Produção Enxuta, ou simplesmente Lean Manufacturing  Eiji Toyoda e Taiichi Ohno concluíram que existiam algumas possibilidades para melhorar o sistema de produção.  O CONCEITO INOVADOR: A FERRAMENTA MAIS VALIOSA É O FUNCIONÁRIO  Levou aproximadamente 30 anos para que o Lean fosse implementado na Toyota completamente.  Sem estruturação não há andamento eficaz  Entre o custo de produção bruto e o custo final existe uma complexidade  Hora de reavaliar processos  META: Eliminar o gasto para aumentar a lucratividade.
  • 7. Lean Thinking Conceitos Para começar a compreender a MENTALIDADE ENXUTA:  VALOR: Será sempre determinado pelo cliente e a empresa deve identificá- lo. Quais são as reais necessidades do cliente? Por aqui a empresa aumenta seus lucros mantendo a melhoria contínua.  FLUXO DE VALOR: cadeia produtiva em três espécies de processos:  Os que agrefam valor  Não agregam valor mas são importantes na produção  Não agregam valor nenhum, devendo ser extintos. O fluxo de valor pede uma visão MACRO do processo, para que nenhum desperdício passe oculto aos olhos.
  • 8.  FLUXO CONTÍNUO: a produção deve fluir. Agilidade, cada etapa de processamento conclui os seus trabalhos antes do próximo processo.  PRODUÇÃO PUXADA: A produção segue a demanda e reduz a necessidade de estoques, valorizando o produto.  PERFEIÇÃO: É isso que o sistema busca. Sem falhas, sem erros, sem retrabalho. Todos os envolvidos devem conhecer o processo a fundo para que haja fluidez na troca de informações e no sequenciamento da produção. A melhoria deve ser CONTÍNUA. Lean Thinking Conceitos
  • 9. Padronizado Trabalho  O objetivo de se ter um trabalho padronizado é forcecer uma base para melhorias,  Não existe um único meio de se fazer o trabalho;  Deve ser projetado pelos trabalhadores.  4 ferramentas (4 M):  Men/woman (homem/mulher): equipe  Machine (máquina): equipamento  Material (material): insumo  Method (método): processos; junção dos 3 anteriores
  • 10. Padronizado Trabalho  Devemos administrar o PQCDSM:  Productivity - Produtividade  Quality - Qualidade  Cost - Custo  Delivery Time – Tempo de entrega  Safety and Enviroment – Segurança e Ambiente  Morale - Moral
  • 11. Padronizado Trabalho  Benefícios:  Estabilidade do processo  Clareza de execução do processo  Aprendizagem organizacional (know how)  Solução de auditorias e problemas  Envolvimento do funcionário = Poka Yoke  Kaizen  Treinamento
  • 12. desperdícios Os 7  Desperdícios, também chamados de muda, são aquelas atividades desnecessárias, as quais o cliente não está disposto a pagar. Os 7 desperdícios principais são: Perdas por movimentação; Perdas por espera; Perdas por transporte; Perdas por retrabalho; Perdas no próprio processamento; Perdas por estoque; Perdas por superprodução (quantidade e antecipada);
  • 13. In timeJust “A superprodução é um crime”  O Just in Time ataca exageros: quer a produção da peça certa, na quantidade certa e na hora certa.  Produzir um fluxo de valor contínuo para que o cliente possa puxar.  Resposta rápida  Melhor tempo takt (Tempo disponível para a produção dividido pela demanda do cliente)  Nivelamento da Produção (Heijunka)  Identifica mais oportunidades de Kaizen(melhoria contínua de um processo completo que cria mais valor com menos desperdício)
  • 14. In timeJust “A superprodução é um crime”  O Just in Time ataca exageros: quer a produção da peça certa, na quantidade certa e na hora certa.  Produzir um fluxo de valor contínuo para que o cliente possa puxar.  Resposta rápida  Melhor tempo takt (Tempo disponível para a produção dividido pela demanda do cliente)  Nivelamento da Produção (como Kanban)  Identifica mais oportunidades de Kaizen(melhoria contínua de um processo completo que cria mais valor com menos desperdício)
  • 15. O zero defeito Jidoka “Pare a produção para que a produção não tenha que parar”  JI – trabalhador. Se perceber que algo não vai bem, deve pausar a linha.  DO – movimento, trabalho.  KA – ação.  Definição da Toyota: Automação com uma Mente Humana  Cria processos livres de defeitos, fortalecendo:  a capacidade do processo;  A contenção dos defeitos;  O feedback.Retorno para contramedidas.
  • 16. O zero defeito Jidoka  Essencial para obtenção da melhor qualidade com o menor custo, no lead time (tempo de ciclo do produto) mais baixo.  Inspeção total, Poka Yoke (Sistema a prova de erros) para detecção de erros e feedback rápido para tomada de contramedidas.  Poka Yokes de parada e de alerta.
  • 17. Premissas para aplicação do Lean: • Disciplina – sequenciamento • Atitude – para implentar mudanças • Respeito – ao cliente e ao trabalhador Sintetizando Uma imagem pode reunir todo o Lean:
  • 19. 5S Mapeamento de Processos Mapeamento de Fluxo de valor Troca Rápida de Ferramentas Gestão Visual / Kanban 5 Porquês Diagrama de Ishikawa (Causa e Efeito) Poka Yoke Kaizen 6 Sigma As ferramentas
  • 20. Encontrar problemas: 5S Mapeamento de Fluxo de valor Gestão Visual As ferramentas
  • 21. Identificar onde nasceram essesproblemas: Mapeamento de Processos 5 Porquês Diagrama de Ishikawa (Causa e Efeito) As ferramentas
  • 22. Sanar os problemas: Troca Rápida de Ferramentas Kanban Kaizen 6 Sigma As ferramentas
  • 23. Resultados  Muitas empresas utilizaram os conceitos do Lean Manufacturing desde que o sucesso da Toyota se tornou implacável;  A melhoria do processo é inegável.  Sua aplicação não depende de muitos recursos financeiros  As melhorias podem ser medidas qualitativa e quantitativamente.  Lean Construction, Lean TI, etc… são ramificações deste conceito
  • 25. DENNIS, Pascal. Produção Lean Simplificada, versão trazduzida 2008. Referências: http://www.taktica.com.br http://www.lean.org.br Slides: Modelo Editado SOAP Storytelling