SlideShare uma empresa Scribd logo
Uma introdução ao sistema enxuto de manufatura




Por Eng. Markus Hofrichter
Conteúdo                      Objetivo p/ hoje

1.   Histórico               Saber o que é Lean Manufacturing
2.   Objetivos
3.   Ferramentas
                             Quais são os objetivos do Lean
     básicas
                             Quais são as principais ferramentas
4.   Mudança
                             No que devemos prestar atenção na
     cultural
5.   Fases de                 implantação
     implantação

                   contato@markushofrichter.com.br                  2
Antes de começar, vamos jogar uma bola




           contato@markushofrichter.com.br   3
Fonte:
                                  http://www.strategosinc.com

contato@markushofrichter.com.br                             4
2.1. Enxuto significa ELIMINAÇÂO DAS PERDAS


    1.   Transporte desnecessário
    2.   Inventários desnecessários
    3.   Movimentação
    4.   Espera / Demora
    5.   Superprodução
    6.   Super processamento
    7.   Defeitos
    8.   Potencial não utilizado


                    contato@markushofrichter.com.br   5
Fluxo de                      Fluxo
Valor
                        valor                     continuo

        Produção
                                            Perfeição
         puxada

          contato@markushofrichter.com.br                    6
   o valor de um produto é definido exclusivamente pelo cliente


   Atividades que adicionam valor deixam o produto mais
    parecido com o que o cliente quer

   Atividades que não adicionam valor não geram valor para o
    cliente

   Tudo aquilo que não adiciona valor é definido como
    desperdício


                 contato@markushofrichter.com.br                   7
Agrega Valor                Não agrega            Possibilita Valor
                            Valor

   • aumentar                     • eliminar          • diminuir




                contato@markushofrichter.com.br                       8
   Uma série de processos ponta-a-ponta que geram valor para
    o cliente


   O fluxo de valor inclui
     pessoas
     Ferramentas e tecnologias
     Instalações físicas
     Canais de comunicação
     Políticas e procedimentos

                  contato@markushofrichter.com.br               9
   união de operações manuais e mecânicas na mais eficiente
    combinação para maximização do conteúdo de valor
    adicionado

   A estagnação do trabalho durante e entre os processos é
    eliminada

   O ideal é o fluxo de peça única: fazer uma peça, mover uma
    peça (em contraste com a manipulação de materiais em
    lotes e filas)


                     contato@markushofrichter.com.br             10
   A real demanda dos clientes conduz o processo de
    manufatura tanto quanto possível


   Um sistema de produção em cascata e de instruções de
    entrega que parte das atividades da base para o topo, no
    qual nada é produzido pelo fornecedor do topo até que o
    fornecedor da base sinalize a necessidade

   A taxa de produção de cada produto é igual à taxa de
    consumo do ciente


                 contato@markushofrichter.com.br               11
“melhor 50% agora do que 100% depois.......”


                   contato@markushofrichter.com.br   12
Quanto tempo p/ produzir uma lata ?


                  Quase
                  a.1 segundo
                  b.1 minuto
                  c. 1 hora
                  d.1 ano

contato@markushofrichter.com.br              13
contato@markushofrichter.com.br   14
Fonte:
                                  http://www.insyte-consulting.com
contato@markushofrichter.com.br                                      15
“LET´S PLAY”




          contato@markushofrichter.com.br   16
contato@markushofrichter.com.br   17
contato@markushofrichter.com.br   18
   Supplier                       quem é fornecedor ?
   Input                          qual é a entrada ?
   Process                        como é o processo ?
   Output                         qual é a saida ?
   Customer                       quem é o cliente ?




               contato@markushofrichter.com.br           19
contato@markushofrichter.com.br

                                  20
 Takt time – combina o tempo para produzir uma peça ou o
      produto acabado com o ritmo de vendas, sendo a base
      para a alocação do trabalho entre os empregados .

    Inventário padrão do processo – o número mínimo de
      peças, incluindo unidades nas máquinas, necessário para
      manter o andamento de uma célula ou processo.

    Sequência-padrão de trabalho – a ordem na qual um
      empregado realiza suas tarefas nos vários processos.

Uma vez que a padronização do trabalho esteja estabelecida, o desempenho é medido e
                            continuamente melhorado

                      contato@markushofrichter.com.br                                 21
   O balanceamento do trabalho maximiza a eficiência do
    operador ao combinar o conteúdo do trabalho com o “TAKT
    time”

   O TAKT time é a taxa pela qual os clientes solicitam o
    produto

   O TAKT time é computado como:

            Tempo de trabalho disponível por dia
    Demanda requerida diariamente pelo cliente em peças/dia



                  contato@markushofrichter.com.br             22
• Produtividade

                                  • problemas e perda de informação

                                  • confiabilidade de entrega

                                  • segurança do ambiente




contato@markushofrichter.com.br                                   23
• criar e manter um ambiente de trabalho que seja organizado, limpo
 e eficaz   => base de melhorias

• avaliar se predominam circumstâncias „normais“

• envolver e responsabilizar todos os funcionários




                   contato@markushofrichter.com.br                    24
• identificar todos os materiais e objetos no ambiente e descartar o que não
  for preciso

• colocar etiquetas vermelhas em tudo que não precisa e alocar em uma
  área separada por um tempo determinado

• após deste período, tudo que não precisa =>




„When in doubt, throw it out !“


                   contato@markushofrichter.com.br                             25
   Cada item preciso tem o seu “endereço”




             contato@markushofrichter.com.br   26
contato@markushofrichter.com.br   27
   “FAÇA CERTA, NA PRIMEIRA VEZ - SEMPRE”




            contato@markushofrichter.com.br   28
1° S
                          100%

                            50%
                  5° S                       2° S
                              0%


                       4° S               3° S


contato@markushofrichter.com.br                     29
Objetivos:
                                      (-) o tempo de setup para

                                     (-) o tamanho dos lotes de
                                            produção para

                                               (-) o Lead time

 (-) Estoques                              (+) Flexibilidade      (+) ciclo de aprendizagem

 (-) ativo circulante
 (-) capital de terceiros                       (+) Faturamento         (+) Qualidade
 +) Liquidez

                       contato@markushofrichter.com.br                                  30
Preparação

     30%
                      Troca
                               Ajuste
                      5%
                                15%               Teste + Liberação
A                                                                     B
                                                   50%

                                 Tempo de Troca

      = o período entre a última peça boa de um lote até
      a primeira peça boa do lote seguinte

              contato@markushofrichter.com.br                             31
1.   Documentar o processo da troca e classificar as atividades
     individuais em

  Atividades internas:
somente podem ser executadas com a máquina parada
e

  Atividades externas:
podem ocorrer com a máquina operando



                 contato@markushofrichter.com.br                  32
2.   Transformar atividades internas em externas

    Perde-se muito tempo procurando materiais e informações
    Focar em atividades que freiam o fluxo

    Faça brainstorming




                contato@markushofrichter.com.br                33
3.   Racionalizar atividades internas restantes

    Simplificar, eliminar, diminuir, reduzir
    Usar apoios, encostos etc.
    Reduzir ou eliminar o uso de ferramentas auxiliares
     manuais ( chaves, parafusos,porcas,etc.)




                 contato@markushofrichter.com.br           34
4.   Eliminação de ajustes e try outes

    Substituir estimativas e intuições por fatos e dados

    Aplique controles visuais




                 contato@markushofrichter.com.br            35
Objetivos:

   Reduzir possibilidades de defeitos e tempo de processo

 Fase 1: Preparação
 Fase 2: Desenhar




“jamais será perfeito na primeira vez ! Faça, realize e envolva
o pessoal do chão da fábrica para modidificações”

                 contato@markushofrichter.com.br                  36
   Estabilizar os tempos de processo

   eliminar “falta de materiais”

   O processo como todo atende as
    necessidades do cliente ???



              contato@markushofrichter.com.br   37
   Desenvolver o posto de trabalho para várias
    operações por operador

   Definir os PontosDeUso dos materiais

   selecione o modelo

   Lembre-se do “one-piece-flow”

              contato@markushofrichter.com.br     38
T              Z
                 U




• visibilidade                         • produtos com varias     • quando “U” não
                                         entradas / saìdas       seja possível
• 1 pessoa consegue                                              devido rstrições de
    operar vários postos               • 1 linha produz vários   espaço físico
                                         produtos
• entrada/saìda de
  materiais em um lugar


                       contato@markushofrichter.com.br                           39
Tempo de
ocupação teórica
                   24h/d x 365 d/a                   T = S das horas de produção ”teórica”

     Nível
                                                                                    Paradas,
Disponibilidade    =V/T x100%               V = S das horas disponíveis
      ND                                                                        Setup,Ociosidade
     Nível                                G = velocidade máxima
Performance NP
                   =G/V x100%                       (h)                        Perdas de velocidade

Nível Qualidade                           Q = QUALIDADE
       NQ          =Q/TGx100%                “BOA” (h)              Perdas de Qualidade

                                                                                      Tr: Tempo real de produção (h)
    OEE            = VN x LN x QN
                                                                                      Tg: Tempo Takt Gargalo ( h/pçs)
                                                                                      nok: quantidade de peças ok
                                                                                      nP: Total de peças produzidas
       ND                            NP                                   NQ

= Tr/T x100%              = Tg/Tr x npx100%                       = nok/npx100%
                           contato@markushofrichter.com.br                                                     40
ppm interno: 254
ppm externo: 25
300 horas de setup/ano
Jornada de 22 h/dia e 23 dias/mês
Disponibilidade técnica de 98%
Tempo padrão: 20 golpes/minuto
Quantidade produzida: 549.800 /mês


           contato@markushofrichter.com.br   41
   T = 365 dias x 24 h/dia = 8.760 horas/ano
   ND = (22 h/dia x 23 d/mês x 0.98 x 12 m/a
           - 300 h/a) / T x 100%
         = 64,5%
   NQ = 99,9721%
   NP= 549.800 / 565.020 x 100%
       = 97,3%
OEE = 62,74%


               contato@markushofrichter.com.br   42
Objetivos:
   analisar o conjunto Homen,Máquina e Ambiente de trabalho
    e otimisá-lo

   Ultrapassar 95% de eficiência do equipamento ( eliminando
    perdas )

   Assegurar operação do equipamento sem paradas não
    planejadas


                 contato@markushofrichter.com.br                43
1.   Analisar situação atual

    Documentar os custos e o OEE atual



Onde estamos ??




                contato@markushofrichter.com.br   44
2.   Colocar Equipamento em condições
     confiáveis

    Inspecionar, limpar e consertar o equipamento

    Documentar e listar os consertos necessários

    Identificar as áreas




                 contato@markushofrichter.com.br     45
3.   Eliminar Paradas

    Verificar os defeitos (do passo 2.)
    Eliminar a causa raiz
    Facilitar acesso ao equipamento para melhorar
     inspeções etc.




                contato@markushofrichter.com.br      46
4.   Implementar um conceito de manutenção
     planejada
    Objetivo é transformar a correção em prevenção



Faremos isto em 6 etapas



                contato@markushofrichter.com.br       47
Etapa 1: definir as prioridades

   Onde há o maior indice de
    quebras,paradas,consumo de peças de
    reposição, mão-de-obra etc.

   Aplicar “diários de bordo”


              contato@markushofrichter.com.br   48
Etapa 2: providenciar uma base de partida

   Analisar detalhadamente os motivos, basedo
    nos seus dados, usando p.ex. ISHIKAWA,
    ABC, FMEA, 5 porque...




             contato@markushofrichter.com.br     49
Etapa 3: introduzir Sistema informatizado

   Documentar, registrar e processar todos os
    dados específicos através do sistema




             contato@markushofrichter.com.br     50
Etapa 4: implantar Manutenção relacionada
         ao processo

   Inspeções e manutenções preventivas
    baseadas em planos semanais,mensais,
    anuais etc.



             contato@markushofrichter.com.br   51
contato@markushofrichter.com.br   52
Etapa 5: melhorar processos internos da
         Manutenção

   encurtar diagnose
   otimizar estocagem de peças de reposição
   otimizar troca das peças



             contato@markushofrichter.com.br   53
Etapa 6: assegurar eficácia e melhorar
         continuamente o programa

   Treinamento das pessoas
   5S e gestão á vista
   Analisar os indicadores OEE,MTBF,MTTR
   qual é a evolução ???


             contato@markushofrichter.com.br   54
Objetivos:

   Evitar 100% erros ou diretamente na fonte de
    origem (prevenção) ou detectar
    imediatamente ( reação )




              contato@markushofrichter.com.br      55
   1. 0
   2.Instrução
   3.Treinamento/auxílio visual                       Sensibilização

   4. Controle visual
   5. Contenção (100%)
                                                Detecção
   6. Detecção
   7. Evitar    Prevenção




              contato@markushofrichter.com.br                           56
   Contat0 :
    identificando defeitos testando o formato,contorno,cor ou
    outro atributo físico do produto
   Valor-fixo:
    alerta o operador quando uma certa quantidade de
    movimentos não foi feita
   Sequência:
    determina se a sequência correta foi seguida ou não



                 contato@markushofrichter.com.br                57
contato@markushofrichter.com.br   58
contato@markushofrichter.com.br   59
contato@markushofrichter.com.br   60
contato@markushofrichter.com.br   61
contato@markushofrichter.com.br   62
contato@markushofrichter.com.br   63
ok      Estoque
                                                              acabados
Processo   Processo       Processo
   1          2              3              Controle
                                                       nok
                                                             Retrabalho/
                                                               sucata




   Separar em peças boas e retrabalho/sucata

               contato@markushofrichter.com.br                             64
Feedback
                                                       ok      Estoque
                                                              acabados
Processo   Processo       Processo
   1          2              3              Controle
                                                       nok
                                                             Retrabalho/
                                                               sucata




   Sistema para reduzir custo de inspeção

               contato@markushofrichter.com.br                             65
Feedback
                                                        ok      Estoque
                                                               acabados
Processo   Processo        Processo
   1          2               3              Controle
                                                        nok
                                                              Retrabalho/
                                                                sucata




     Cada etapa verifica a qualidade da etapa anterior

                contato@markushofrichter.com.br                             66
Feedback

Processo   Processo          Processo             Estoque
   1          2                 3                acabados




     Cada etapa verifica a própria qualidade

               contato@markushofrichter.com.br              67
Feedback


Processo   Processo          Processo             Estoque
   1          2                 3                acabados




     Cada etapa verifica a própria qualidade e
     a do seu “fornecedor interno”
               contato@markushofrichter.com.br              68
   Prevenção

   Descobrir no processo

   Descobrir no controle final

   cliente descobriu


              contato@markushofrichter.com.br   69
   Sistema puxado de reposição de material,
    baseado no princípio de que o material é
    puxado através do processo de produção com
    base na real utilização do material

   O Kanban usa sinais visuais, geralmente um
    cartão, para a movimentação de materiais
    através da cadeia de valor

             contato@markushofrichter.com.br     70
contato@markushofrichter.com.br   71
contato@markushofrichter.com.br   72
• Melhoria Contínua é tarefa de todos
   Transformação




                                                   • melhoria é movida por estratégia e indicadores
                                                                 • LEAN é o nosso jeito de trabalhar
                                                                                        • Resultado:
                                                                           Valor entregue ao cliente

                                 • Equipe de gestores lidera a melhoria do processo
Otimização




                                        • núcleos focados em oportunidades
                                      • Gestores aplicam a metodologia LEAN
                     • Rsultado: melhor execução da estratégia e estabelecimento de expertise

                   • as equipes LEAN conduzem a implantação
                   • Projetos ad hoc foquem em resultados financeiros
   Melhoria




                   • aprender o uso das ferramentas
                   • Resultado:
                   identificar e eliminar desperdícios e variação de processo


                                     2 – 5 anos até CULTURA LEAN
                                  contato@markushofrichter.com.br                                      73
Objetivo supremo                   Melhoria contínua como base para o sucesso

                          JIT:
                                                                                                            Produção
                    produção baseada                 Foco no valor agregado / prevenção de desperdício
                                                                                                            0-Defeito
                   na demanda do cliente
Princípios
                                           Flexibilidade e
                                                                   Programação           Sincronização     Estabilidade
                   Controle Pull               eficácia
                                                                     logística           dos processos     do processo
                                            dos recursos




                                                  LEAN Administração
Espaço de
Solução                  LEAN                                                       LEAN
                                                       LEAN                                                 LEAN
                      Supply chain                                                 Manufatura +
                                                      Inovação                                             consumo
                      Management                                                   Manutenção




Base                     5S                Sistema KPI Visualização                        Kaizen        Padronização

                            contato@markushofrichter.com.br                                                               74
•Legislação                                     Supply Chain / ambiente externo
         • meio ambiente

                                 Empresa / interface do sistema de produção                                                               • treinamento / RH
           • financeiro                        • suprimentos                • qualidade
                                                                                                                                          • parceria
           •informação                         • engenharia                 • segurança                                                   Gestores/Funcionários
                                                                                 Documentar                 Criar VSM futuro        Padronizar
Criar a visão             Integrar ao                  Escolher escopo                                                                                          Escolher sistema
                                                                                 VSM atual
                          nível empresarial                 inicial                                                                 operações                   de controle de
                                               mapa                                                         Identificar takt time
Estabelecer                                                                                                                                                     produção
                                                                                 Desenhar fluxo de                                  Processo a prova
necessidade               Estabelecer Equipe            Definir o cliente                                                                                       apropriado
                                                                                 informações                Rever make/buy
                                                                                 produto                                            de erro
Promover                  Desenvolver                    Definir valor,                                                                                         Mirar no one
                                                                                                            Planejar layout novo    Obter controle
treinamento               estratégia de                   Qualidade,                                                                                            piece flow
                                                                                 Desenhar                   Integrar fornece-
LEAN                      Implantação                    Programação             movimentação                                       sobre o processo
                                                                                                            dores
                                                         e custo target                                                                                         Nivelar o fluxo
                                                                                 Operadores/                                        Implantar TPM/
Faça o                    Desenvolver plano                                                                                                                     de produção
                                                                                 ferramentas                Criar sistemas
compromisso               “FTE”                                                                                                     auto controle,
                                               Fase 2:                                                      de controle visual
                                                                                                                                                                Linkar com
                                               Definir valor                     Coletar dados                                      controle visual e
Obter o                   Considerar                                                                                                                            fornecedores
                                                                     Fase 3:                                Estimar e justificar
compromisso               requisitos                                                                                                layout das células
                                                                     Identificar Fluxo de Valor             custos
da alta gestão            Culturais                                                                                                                             Reduzir inventário
                                                                                                            Planejar sistema        Eliminar desperdício
                                                                                                  Fase 4:   TPM
                          Treinar as pessoas                                                                                        Reduzir setup               Readequar
                                                                                                  Criar sistema de produção                                     recursos
Fase 0:                   Estabelecer metas                                                                              Fase 5:
adotar o paradigma LEAN                                                                                                  Implementar fluxo          Fase 6:
                                                                                                                                                    implementar sistema total puxado
                          Fase 1:
                          preparação                  • desenvolver equipes    • institucionalizar 5S + Kaizen    • expandir TPM                 • avaliar o progresso usando
                                                      • otimizar qualidade     • remover barreiras sistemicas     • avaliar contra as metas        matrizes de maduridade

  Entrada Expansão
          interna/externa                                         Fase 7: esforçar a
                                                                  perfeição
                                                                                                  Posição competitiva melhorada
                                                contato@markushofrichter.com.br                                                                                                      75
contato@markushofrichter.com.br   76
    As 5 tarefas do GESTOR


1.    Objetivos
2.    Organizar
3.    Decidir
4.    Desenvolver pessoas
5.    Controlar

              contato@markushofrichter.com.br   77
Trabalhar em equipe:

1.   Conhecimento
2.   Reputação
3.   Respeito á diferencia
4.   Ética
5.   Colaboração
6.   Resolver problemas complexos
7.   Investir no desenvolvimento dos membros
             contato@markushofrichter.com.br   78

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Desvendando Lean Manufacturing
Desvendando Lean ManufacturingDesvendando Lean Manufacturing
Desvendando Lean Manufacturing
Danilo Pereira
 
Balanceamento de linhas
Balanceamento de linhasBalanceamento de linhas
Balanceamento de linhas
marcioemorais
 
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCPSistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Mauro Enrique
 
5s
5s5s
Lean Manufacturing 5
Lean Manufacturing 5Lean Manufacturing 5
Lean Manufacturing 5
daniellopesfranco
 
Chão de fábrica
Chão de fábricaChão de fábrica
Chão de fábrica
Flavio Oliveira
 
Gestão da Manutenção Lean
Gestão da Manutenção LeanGestão da Manutenção Lean
Gestão da Manutenção Lean
Miguel Oliveira
 
Caderno - Gestão de Operações
Caderno - Gestão de OperaçõesCaderno - Gestão de Operações
Caderno - Gestão de Operações
Cadernos PPT
 
Os 7 Desperdicios
Os 7 DesperdiciosOs 7 Desperdicios
Os 7 Desperdicios
Jay Cruz
 
02 aula sistemas dos 5s
02 aula sistemas dos 5s02 aula sistemas dos 5s
02 aula sistemas dos 5s
Homero Alves de Lima
 
Estudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalhoEstudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalho
Mauro Enrique
 
MRP e JIT
MRP e JITMRP e JIT
MRP e JIT
Mauro Enrique
 
Produtividade e Qualidade
Produtividade e QualidadeProdutividade e Qualidade
Produtividade e Qualidade
Fernanda Paola Butarelli
 
Administração de produção 1
Administração de produção 1Administração de produção 1
Administração de produção 1
Romilson Cesar
 
Gestão da produção
Gestão da produçãoGestão da produção
Gestão da produção
Luiz Carlos Oliveira
 
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Aula Lean
Aula LeanAula Lean
Programa 5S
Programa 5SPrograma 5S
Programa 5S
Filipe Fuscaldi
 
Aula 02 just in time e kanban 1
Aula 02   just in time e kanban 1Aula 02   just in time e kanban 1
Aula 02 just in time e kanban 1
josmar faria
 
Sistema Toyota de Produção
Sistema Toyota de ProduçãoSistema Toyota de Produção
Sistema Toyota de Produção
Alexandre Bonifacio Silva
 

Mais procurados (20)

Desvendando Lean Manufacturing
Desvendando Lean ManufacturingDesvendando Lean Manufacturing
Desvendando Lean Manufacturing
 
Balanceamento de linhas
Balanceamento de linhasBalanceamento de linhas
Balanceamento de linhas
 
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCPSistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
 
5s
5s5s
5s
 
Lean Manufacturing 5
Lean Manufacturing 5Lean Manufacturing 5
Lean Manufacturing 5
 
Chão de fábrica
Chão de fábricaChão de fábrica
Chão de fábrica
 
Gestão da Manutenção Lean
Gestão da Manutenção LeanGestão da Manutenção Lean
Gestão da Manutenção Lean
 
Caderno - Gestão de Operações
Caderno - Gestão de OperaçõesCaderno - Gestão de Operações
Caderno - Gestão de Operações
 
Os 7 Desperdicios
Os 7 DesperdiciosOs 7 Desperdicios
Os 7 Desperdicios
 
02 aula sistemas dos 5s
02 aula sistemas dos 5s02 aula sistemas dos 5s
02 aula sistemas dos 5s
 
Estudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalhoEstudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalho
 
MRP e JIT
MRP e JITMRP e JIT
MRP e JIT
 
Produtividade e Qualidade
Produtividade e QualidadeProdutividade e Qualidade
Produtividade e Qualidade
 
Administração de produção 1
Administração de produção 1Administração de produção 1
Administração de produção 1
 
Gestão da produção
Gestão da produçãoGestão da produção
Gestão da produção
 
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Aula Lean
Aula LeanAula Lean
Aula Lean
 
Programa 5S
Programa 5SPrograma 5S
Programa 5S
 
Aula 02 just in time e kanban 1
Aula 02   just in time e kanban 1Aula 02   just in time e kanban 1
Aula 02 just in time e kanban 1
 
Sistema Toyota de Produção
Sistema Toyota de ProduçãoSistema Toyota de Produção
Sistema Toyota de Produção
 

Semelhante a Lean Manufacturing

Lean
LeanLean
Palestra melhorar a produtividade
Palestra   melhorar a produtividadePalestra   melhorar a produtividade
Palestra melhorar a produtividade
Maisgestao
 
Scrum na sua Empresa
Scrum na sua EmpresaScrum na sua Empresa
Scrum na sua Empresa
Fabiano Milani
 
[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM
[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM
[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM
EloGroup
 
[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM
[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM
[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM
EloGroup
 
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com ScrumGestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
Marcos Garrido
 
Projeto para producao de produtos novos
Projeto para  producao de produtos novosProjeto para  producao de produtos novos
Projeto para producao de produtos novos
Robson Ambiental
 
Sistemas de Produção
Sistemas de ProduçãoSistemas de Produção
Sistemas de Produção
Willian dos Santos Abreu
 
59235542-Apostila-de-Administracao-da-Producao-Formato-para-os-alunos.pdf
59235542-Apostila-de-Administracao-da-Producao-Formato-para-os-alunos.pdf59235542-Apostila-de-Administracao-da-Producao-Formato-para-os-alunos.pdf
59235542-Apostila-de-Administracao-da-Producao-Formato-para-os-alunos.pdf
TatianaArcanjo3
 
Custos padrão e meta grupo 5
Custos padrão e meta   grupo 5Custos padrão e meta   grupo 5
Custos padrão e meta grupo 5
Universidade Federal de Viçosa
 
Administração da Produção - Produto
Administração da Produção - ProdutoAdministração da Produção - Produto
Administração da Produção - Produto
douglas
 
00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf
00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf
00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf
AlvanirBarros1
 
Fórum E-Commerce Brasil | Como a Whirlpool investe em qualidade de software p...
Fórum E-Commerce Brasil | Como a Whirlpool investe em qualidade de software p...Fórum E-Commerce Brasil | Como a Whirlpool investe em qualidade de software p...
Fórum E-Commerce Brasil | Como a Whirlpool investe em qualidade de software p...
E-Commerce Brasil
 
Scrum e a Crise Mundial
Scrum e a Crise MundialScrum e a Crise Mundial
Scrum e a Crise Mundial
mgarridobr
 
Scrum e a Crise Mundial
Scrum e a Crise MundialScrum e a Crise Mundial
Scrum e a Crise Mundial
scrumability
 
Aplicação de conceitos básicos de planejamento e controle da produção para me...
Aplicação de conceitos básicos de planejamento e controle da produção para me...Aplicação de conceitos básicos de planejamento e controle da produção para me...
Aplicação de conceitos básicos de planejamento e controle da produção para me...
Letícia Rodrigues
 
Metodologias ageis
Metodologias ageisMetodologias ageis
Metodologias ageis
Charles Fortes
 
Gerência de Projetos de Software - Aula 3 [SCRUM]
Gerência de Projetos de Software - Aula 3 [SCRUM]Gerência de Projetos de Software - Aula 3 [SCRUM]
Gerência de Projetos de Software - Aula 3 [SCRUM]
Adson Cunha, MSc, PMP®
 
7 passos-gestao-de-projeto
7 passos-gestao-de-projeto7 passos-gestao-de-projeto
7 passos-gestao-de-projeto
Carlos M. M. Fernandes
 
7 passos-gestao-de-projeto
7 passos-gestao-de-projeto7 passos-gestao-de-projeto
7 passos-gestao-de-projeto
Carol Ribeiro
 

Semelhante a Lean Manufacturing (20)

Lean
LeanLean
Lean
 
Palestra melhorar a produtividade
Palestra   melhorar a produtividadePalestra   melhorar a produtividade
Palestra melhorar a produtividade
 
Scrum na sua Empresa
Scrum na sua EmpresaScrum na sua Empresa
Scrum na sua Empresa
 
[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM
[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM
[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM
 
[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM
[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM
[BPM DAY CAMPINAS 2013] ZENSA_Otimizando processos produtivos com BPM
 
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com ScrumGestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
 
Projeto para producao de produtos novos
Projeto para  producao de produtos novosProjeto para  producao de produtos novos
Projeto para producao de produtos novos
 
Sistemas de Produção
Sistemas de ProduçãoSistemas de Produção
Sistemas de Produção
 
59235542-Apostila-de-Administracao-da-Producao-Formato-para-os-alunos.pdf
59235542-Apostila-de-Administracao-da-Producao-Formato-para-os-alunos.pdf59235542-Apostila-de-Administracao-da-Producao-Formato-para-os-alunos.pdf
59235542-Apostila-de-Administracao-da-Producao-Formato-para-os-alunos.pdf
 
Custos padrão e meta grupo 5
Custos padrão e meta   grupo 5Custos padrão e meta   grupo 5
Custos padrão e meta grupo 5
 
Administração da Produção - Produto
Administração da Produção - ProdutoAdministração da Produção - Produto
Administração da Produção - Produto
 
00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf
00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf
00_Dinamica lean_e_wcm-oficial-FCA.pdf
 
Fórum E-Commerce Brasil | Como a Whirlpool investe em qualidade de software p...
Fórum E-Commerce Brasil | Como a Whirlpool investe em qualidade de software p...Fórum E-Commerce Brasil | Como a Whirlpool investe em qualidade de software p...
Fórum E-Commerce Brasil | Como a Whirlpool investe em qualidade de software p...
 
Scrum e a Crise Mundial
Scrum e a Crise MundialScrum e a Crise Mundial
Scrum e a Crise Mundial
 
Scrum e a Crise Mundial
Scrum e a Crise MundialScrum e a Crise Mundial
Scrum e a Crise Mundial
 
Aplicação de conceitos básicos de planejamento e controle da produção para me...
Aplicação de conceitos básicos de planejamento e controle da produção para me...Aplicação de conceitos básicos de planejamento e controle da produção para me...
Aplicação de conceitos básicos de planejamento e controle da produção para me...
 
Metodologias ageis
Metodologias ageisMetodologias ageis
Metodologias ageis
 
Gerência de Projetos de Software - Aula 3 [SCRUM]
Gerência de Projetos de Software - Aula 3 [SCRUM]Gerência de Projetos de Software - Aula 3 [SCRUM]
Gerência de Projetos de Software - Aula 3 [SCRUM]
 
7 passos-gestao-de-projeto
7 passos-gestao-de-projeto7 passos-gestao-de-projeto
7 passos-gestao-de-projeto
 
7 passos-gestao-de-projeto
7 passos-gestao-de-projeto7 passos-gestao-de-projeto
7 passos-gestao-de-projeto
 

Lean Manufacturing

  • 1. Uma introdução ao sistema enxuto de manufatura Por Eng. Markus Hofrichter
  • 2. Conteúdo Objetivo p/ hoje 1. Histórico  Saber o que é Lean Manufacturing 2. Objetivos 3. Ferramentas  Quais são os objetivos do Lean básicas  Quais são as principais ferramentas 4. Mudança  No que devemos prestar atenção na cultural 5. Fases de implantação implantação contato@markushofrichter.com.br 2
  • 3. Antes de começar, vamos jogar uma bola contato@markushofrichter.com.br 3
  • 4. Fonte: http://www.strategosinc.com contato@markushofrichter.com.br 4
  • 5. 2.1. Enxuto significa ELIMINAÇÂO DAS PERDAS 1. Transporte desnecessário 2. Inventários desnecessários 3. Movimentação 4. Espera / Demora 5. Superprodução 6. Super processamento 7. Defeitos 8. Potencial não utilizado contato@markushofrichter.com.br 5
  • 6. Fluxo de Fluxo Valor valor continuo Produção Perfeição puxada contato@markushofrichter.com.br 6
  • 7. o valor de um produto é definido exclusivamente pelo cliente  Atividades que adicionam valor deixam o produto mais parecido com o que o cliente quer  Atividades que não adicionam valor não geram valor para o cliente  Tudo aquilo que não adiciona valor é definido como desperdício contato@markushofrichter.com.br 7
  • 8. Agrega Valor Não agrega Possibilita Valor Valor • aumentar • eliminar • diminuir contato@markushofrichter.com.br 8
  • 9. Uma série de processos ponta-a-ponta que geram valor para o cliente  O fluxo de valor inclui  pessoas  Ferramentas e tecnologias  Instalações físicas  Canais de comunicação  Políticas e procedimentos contato@markushofrichter.com.br 9
  • 10. união de operações manuais e mecânicas na mais eficiente combinação para maximização do conteúdo de valor adicionado  A estagnação do trabalho durante e entre os processos é eliminada  O ideal é o fluxo de peça única: fazer uma peça, mover uma peça (em contraste com a manipulação de materiais em lotes e filas) contato@markushofrichter.com.br 10
  • 11. A real demanda dos clientes conduz o processo de manufatura tanto quanto possível  Um sistema de produção em cascata e de instruções de entrega que parte das atividades da base para o topo, no qual nada é produzido pelo fornecedor do topo até que o fornecedor da base sinalize a necessidade  A taxa de produção de cada produto é igual à taxa de consumo do ciente contato@markushofrichter.com.br 11
  • 12. “melhor 50% agora do que 100% depois.......” contato@markushofrichter.com.br 12
  • 13. Quanto tempo p/ produzir uma lata ? Quase a.1 segundo b.1 minuto c. 1 hora d.1 ano contato@markushofrichter.com.br 13
  • 15. Fonte: http://www.insyte-consulting.com contato@markushofrichter.com.br 15
  • 16. “LET´S PLAY” contato@markushofrichter.com.br 16
  • 19. Supplier quem é fornecedor ?  Input qual é a entrada ?  Process como é o processo ?  Output qual é a saida ?  Customer quem é o cliente ? contato@markushofrichter.com.br 19
  • 21.  Takt time – combina o tempo para produzir uma peça ou o produto acabado com o ritmo de vendas, sendo a base para a alocação do trabalho entre os empregados .  Inventário padrão do processo – o número mínimo de peças, incluindo unidades nas máquinas, necessário para manter o andamento de uma célula ou processo.  Sequência-padrão de trabalho – a ordem na qual um empregado realiza suas tarefas nos vários processos. Uma vez que a padronização do trabalho esteja estabelecida, o desempenho é medido e continuamente melhorado contato@markushofrichter.com.br 21
  • 22. O balanceamento do trabalho maximiza a eficiência do operador ao combinar o conteúdo do trabalho com o “TAKT time”  O TAKT time é a taxa pela qual os clientes solicitam o produto  O TAKT time é computado como: Tempo de trabalho disponível por dia Demanda requerida diariamente pelo cliente em peças/dia contato@markushofrichter.com.br 22
  • 23. • Produtividade • problemas e perda de informação • confiabilidade de entrega • segurança do ambiente contato@markushofrichter.com.br 23
  • 24. • criar e manter um ambiente de trabalho que seja organizado, limpo e eficaz => base de melhorias • avaliar se predominam circumstâncias „normais“ • envolver e responsabilizar todos os funcionários contato@markushofrichter.com.br 24
  • 25. • identificar todos os materiais e objetos no ambiente e descartar o que não for preciso • colocar etiquetas vermelhas em tudo que não precisa e alocar em uma área separada por um tempo determinado • após deste período, tudo que não precisa => „When in doubt, throw it out !“ contato@markushofrichter.com.br 25
  • 26. Cada item preciso tem o seu “endereço” contato@markushofrichter.com.br 26
  • 28. “FAÇA CERTA, NA PRIMEIRA VEZ - SEMPRE” contato@markushofrichter.com.br 28
  • 29. 1° S 100% 50% 5° S 2° S 0% 4° S 3° S contato@markushofrichter.com.br 29
  • 30. Objetivos: (-) o tempo de setup para (-) o tamanho dos lotes de produção para (-) o Lead time (-) Estoques (+) Flexibilidade (+) ciclo de aprendizagem (-) ativo circulante (-) capital de terceiros (+) Faturamento (+) Qualidade +) Liquidez contato@markushofrichter.com.br 30
  • 31. Preparação 30% Troca Ajuste 5% 15% Teste + Liberação A B 50% Tempo de Troca = o período entre a última peça boa de um lote até a primeira peça boa do lote seguinte contato@markushofrichter.com.br 31
  • 32. 1. Documentar o processo da troca e classificar as atividades individuais em  Atividades internas: somente podem ser executadas com a máquina parada e  Atividades externas: podem ocorrer com a máquina operando contato@markushofrichter.com.br 32
  • 33. 2. Transformar atividades internas em externas  Perde-se muito tempo procurando materiais e informações  Focar em atividades que freiam o fluxo  Faça brainstorming contato@markushofrichter.com.br 33
  • 34. 3. Racionalizar atividades internas restantes  Simplificar, eliminar, diminuir, reduzir  Usar apoios, encostos etc.  Reduzir ou eliminar o uso de ferramentas auxiliares manuais ( chaves, parafusos,porcas,etc.) contato@markushofrichter.com.br 34
  • 35. 4. Eliminação de ajustes e try outes  Substituir estimativas e intuições por fatos e dados  Aplique controles visuais contato@markushofrichter.com.br 35
  • 36. Objetivos:  Reduzir possibilidades de defeitos e tempo de processo  Fase 1: Preparação  Fase 2: Desenhar “jamais será perfeito na primeira vez ! Faça, realize e envolva o pessoal do chão da fábrica para modidificações” contato@markushofrichter.com.br 36
  • 37. Estabilizar os tempos de processo  eliminar “falta de materiais”  O processo como todo atende as necessidades do cliente ??? contato@markushofrichter.com.br 37
  • 38. Desenvolver o posto de trabalho para várias operações por operador  Definir os PontosDeUso dos materiais  selecione o modelo  Lembre-se do “one-piece-flow” contato@markushofrichter.com.br 38
  • 39. T Z U • visibilidade • produtos com varias • quando “U” não entradas / saìdas seja possível • 1 pessoa consegue devido rstrições de operar vários postos • 1 linha produz vários espaço físico produtos • entrada/saìda de materiais em um lugar contato@markushofrichter.com.br 39
  • 40. Tempo de ocupação teórica 24h/d x 365 d/a T = S das horas de produção ”teórica” Nível Paradas, Disponibilidade =V/T x100% V = S das horas disponíveis ND Setup,Ociosidade Nível G = velocidade máxima Performance NP =G/V x100% (h) Perdas de velocidade Nível Qualidade Q = QUALIDADE NQ =Q/TGx100% “BOA” (h) Perdas de Qualidade Tr: Tempo real de produção (h) OEE = VN x LN x QN Tg: Tempo Takt Gargalo ( h/pçs) nok: quantidade de peças ok nP: Total de peças produzidas ND NP NQ = Tr/T x100% = Tg/Tr x npx100% = nok/npx100% contato@markushofrichter.com.br 40
  • 41. ppm interno: 254 ppm externo: 25 300 horas de setup/ano Jornada de 22 h/dia e 23 dias/mês Disponibilidade técnica de 98% Tempo padrão: 20 golpes/minuto Quantidade produzida: 549.800 /mês contato@markushofrichter.com.br 41
  • 42. T = 365 dias x 24 h/dia = 8.760 horas/ano  ND = (22 h/dia x 23 d/mês x 0.98 x 12 m/a - 300 h/a) / T x 100% = 64,5%  NQ = 99,9721%  NP= 549.800 / 565.020 x 100% = 97,3% OEE = 62,74% contato@markushofrichter.com.br 42
  • 43. Objetivos:  analisar o conjunto Homen,Máquina e Ambiente de trabalho e otimisá-lo  Ultrapassar 95% de eficiência do equipamento ( eliminando perdas )  Assegurar operação do equipamento sem paradas não planejadas contato@markushofrichter.com.br 43
  • 44. 1. Analisar situação atual  Documentar os custos e o OEE atual Onde estamos ?? contato@markushofrichter.com.br 44
  • 45. 2. Colocar Equipamento em condições confiáveis  Inspecionar, limpar e consertar o equipamento  Documentar e listar os consertos necessários  Identificar as áreas contato@markushofrichter.com.br 45
  • 46. 3. Eliminar Paradas  Verificar os defeitos (do passo 2.)  Eliminar a causa raiz  Facilitar acesso ao equipamento para melhorar inspeções etc. contato@markushofrichter.com.br 46
  • 47. 4. Implementar um conceito de manutenção planejada  Objetivo é transformar a correção em prevenção Faremos isto em 6 etapas contato@markushofrichter.com.br 47
  • 48. Etapa 1: definir as prioridades  Onde há o maior indice de quebras,paradas,consumo de peças de reposição, mão-de-obra etc.  Aplicar “diários de bordo” contato@markushofrichter.com.br 48
  • 49. Etapa 2: providenciar uma base de partida  Analisar detalhadamente os motivos, basedo nos seus dados, usando p.ex. ISHIKAWA, ABC, FMEA, 5 porque... contato@markushofrichter.com.br 49
  • 50. Etapa 3: introduzir Sistema informatizado  Documentar, registrar e processar todos os dados específicos através do sistema contato@markushofrichter.com.br 50
  • 51. Etapa 4: implantar Manutenção relacionada ao processo  Inspeções e manutenções preventivas baseadas em planos semanais,mensais, anuais etc. contato@markushofrichter.com.br 51
  • 53. Etapa 5: melhorar processos internos da Manutenção  encurtar diagnose  otimizar estocagem de peças de reposição  otimizar troca das peças contato@markushofrichter.com.br 53
  • 54. Etapa 6: assegurar eficácia e melhorar continuamente o programa  Treinamento das pessoas  5S e gestão á vista  Analisar os indicadores OEE,MTBF,MTTR  qual é a evolução ??? contato@markushofrichter.com.br 54
  • 55. Objetivos:  Evitar 100% erros ou diretamente na fonte de origem (prevenção) ou detectar imediatamente ( reação ) contato@markushofrichter.com.br 55
  • 56. 1. 0  2.Instrução  3.Treinamento/auxílio visual Sensibilização  4. Controle visual  5. Contenção (100%) Detecção  6. Detecção  7. Evitar Prevenção contato@markushofrichter.com.br 56
  • 57. Contat0 : identificando defeitos testando o formato,contorno,cor ou outro atributo físico do produto  Valor-fixo: alerta o operador quando uma certa quantidade de movimentos não foi feita  Sequência: determina se a sequência correta foi seguida ou não contato@markushofrichter.com.br 57
  • 64. ok Estoque acabados Processo Processo Processo 1 2 3 Controle nok Retrabalho/ sucata Separar em peças boas e retrabalho/sucata contato@markushofrichter.com.br 64
  • 65. Feedback ok Estoque acabados Processo Processo Processo 1 2 3 Controle nok Retrabalho/ sucata Sistema para reduzir custo de inspeção contato@markushofrichter.com.br 65
  • 66. Feedback ok Estoque acabados Processo Processo Processo 1 2 3 Controle nok Retrabalho/ sucata Cada etapa verifica a qualidade da etapa anterior contato@markushofrichter.com.br 66
  • 67. Feedback Processo Processo Processo Estoque 1 2 3 acabados Cada etapa verifica a própria qualidade contato@markushofrichter.com.br 67
  • 68. Feedback Processo Processo Processo Estoque 1 2 3 acabados Cada etapa verifica a própria qualidade e a do seu “fornecedor interno” contato@markushofrichter.com.br 68
  • 69. Prevenção  Descobrir no processo  Descobrir no controle final  cliente descobriu contato@markushofrichter.com.br 69
  • 70. Sistema puxado de reposição de material, baseado no princípio de que o material é puxado através do processo de produção com base na real utilização do material  O Kanban usa sinais visuais, geralmente um cartão, para a movimentação de materiais através da cadeia de valor contato@markushofrichter.com.br 70
  • 73. • Melhoria Contínua é tarefa de todos Transformação • melhoria é movida por estratégia e indicadores • LEAN é o nosso jeito de trabalhar • Resultado: Valor entregue ao cliente • Equipe de gestores lidera a melhoria do processo Otimização • núcleos focados em oportunidades • Gestores aplicam a metodologia LEAN • Rsultado: melhor execução da estratégia e estabelecimento de expertise • as equipes LEAN conduzem a implantação • Projetos ad hoc foquem em resultados financeiros Melhoria • aprender o uso das ferramentas • Resultado: identificar e eliminar desperdícios e variação de processo 2 – 5 anos até CULTURA LEAN contato@markushofrichter.com.br 73
  • 74. Objetivo supremo Melhoria contínua como base para o sucesso JIT: Produção produção baseada Foco no valor agregado / prevenção de desperdício 0-Defeito na demanda do cliente Princípios Flexibilidade e Programação Sincronização Estabilidade Controle Pull eficácia logística dos processos do processo dos recursos LEAN Administração Espaço de Solução LEAN LEAN LEAN LEAN Supply chain Manufatura + Inovação consumo Management Manutenção Base 5S Sistema KPI Visualização Kaizen Padronização contato@markushofrichter.com.br 74
  • 75. •Legislação Supply Chain / ambiente externo • meio ambiente Empresa / interface do sistema de produção • treinamento / RH • financeiro • suprimentos • qualidade • parceria •informação • engenharia • segurança Gestores/Funcionários Documentar Criar VSM futuro Padronizar Criar a visão Integrar ao Escolher escopo Escolher sistema VSM atual nível empresarial inicial operações de controle de mapa Identificar takt time Estabelecer produção Desenhar fluxo de Processo a prova necessidade Estabelecer Equipe Definir o cliente apropriado informações Rever make/buy produto de erro Promover Desenvolver Definir valor, Mirar no one Planejar layout novo Obter controle treinamento estratégia de Qualidade, piece flow Desenhar Integrar fornece- LEAN Implantação Programação movimentação sobre o processo dores e custo target Nivelar o fluxo Operadores/ Implantar TPM/ Faça o Desenvolver plano de produção ferramentas Criar sistemas compromisso “FTE” auto controle, Fase 2: de controle visual Linkar com Definir valor Coletar dados controle visual e Obter o Considerar fornecedores Fase 3: Estimar e justificar compromisso requisitos layout das células Identificar Fluxo de Valor custos da alta gestão Culturais Reduzir inventário Planejar sistema Eliminar desperdício Fase 4: TPM Treinar as pessoas Reduzir setup Readequar Criar sistema de produção recursos Fase 0: Estabelecer metas Fase 5: adotar o paradigma LEAN Implementar fluxo Fase 6: implementar sistema total puxado Fase 1: preparação • desenvolver equipes • institucionalizar 5S + Kaizen • expandir TPM • avaliar o progresso usando • otimizar qualidade • remover barreiras sistemicas • avaliar contra as metas matrizes de maduridade Entrada Expansão interna/externa Fase 7: esforçar a perfeição Posição competitiva melhorada contato@markushofrichter.com.br 75
  • 77. As 5 tarefas do GESTOR 1. Objetivos 2. Organizar 3. Decidir 4. Desenvolver pessoas 5. Controlar contato@markushofrichter.com.br 77
  • 78. Trabalhar em equipe: 1. Conhecimento 2. Reputação 3. Respeito á diferencia 4. Ética 5. Colaboração 6. Resolver problemas complexos 7. Investir no desenvolvimento dos membros contato@markushofrichter.com.br 78