SlideShare uma empresa Scribd logo
IMPLEMENTAÇÃO DETALHADA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE
A Definitivamente, Unipessoal Lda. nasceu com o propósito, de querer ser a empresa de serviços que mais impulsiona a  Certificação das empresas Portuguesas na norma NP EN ISO 9001:2008  contribuindo por isso, para a sua melhoria organizacional. Política da Qualidade: - Planear e Identificar com precisão os requisitos exigidos e esperados pelo Cliente. - Fornecer os produtos e serviços contratados com a total satisfação dos Clientes. - Obtenção da eficácia em todas as actividades e melhorar continuamente os processos empresariais e as soluções encontradas. APRESENTAÇÃO  DEFINITIVAMENTE, UNIPESSOAL LDA. “ CRISTALISAR SINERGIAS E GERAR VALOR”
VISÃO Ser a melhor Empresa de Serviços de Consultoria, reconhecida como Inovadora, Ética e de Confiança, pretendendo proporcionar ao mercado, produtos e serviços de Excelência obtidos pela sinergia entre as empresas MISSÃO Promover adequadas soluções de Gestão Organizacional e Tecnológica, correspondendo integralmente aos requisitos e necessidades das empresas PME`s suas clientes.  APRESENTAÇÃO  DEFINITIVAMENTE, UNIPESSOAL LDA.
 
- Determinação de Requisitos. Apoio á Certificação e Implementação do SGQ na Norma NP EN ISO 9001:2008. Reuniões de Sensibilização e Auditorias Internas.  Auditorias da Qualidade Externas, 2ª e 3ª parte.  Reorganização Interna das Organizações com Customer Care.  Gestão por Processos e Controlo da Eficácia.  Implementação de Sistema de Apoio á Decisão e Melhorias de Desempenho.  Visão Estratégica VSC-Value Scorecard ( Balanced Scorecard + Análise de Risco) . - Desenho e Operações de Serviços. Serviços Complementares disponíveis para a Gestão por Processos e Gestão da Qualidade  NP EN ISO 9001:2008
Definição dos Objectivos do Projecto Análise Interna, Planeamento e Calendarização ETAPA 1  Planeamento Descrição de Procedimentos  e Instruções  Reuniões de Trabalho com Departamentos. Apresentações de Sensibilização á Qualidade ETAPA 2  Levantamento Levantamento de Registos  (Modelos, Relatórios) ETAPA 3 Documentação Controlo e Melhorias ao Sistema Implementado Formação Interna  e Avaliação de Satisfação ETAPA 4  Acompanhamento Auditorias, Planos de Acção melhoria e Eficácia. Apoio na Auditoria Prévia e na de Concessão.  ETAPA 5  Concessão á Certificação do SGQ  ESTRUTURA DE IMPLEMENTAÇÃO
Definição dos Objectivos do Projecto Análise Interna, Planeamento e Calendarização ETAPA 1  Planeamento Nomeação do Representante da Gestão da Qualidade e Definição de Objectivos da Qualidade. Comprometimento da Gestão e Política da Qualidade Exclusões Permitidas aplicadas e âmbito do sistema da gestão da qualidade. Identificação  e Mapeamento dos Processos da Organização: Processos Chave e de Suporte. Elaboração do Plano de Controlo das Medidas de Desempenho e Indicadores da Gestão Gestão de Recursos necessários para Focalização no cliente. Plano de trabalhos segundo a norma NP EN ISO 9001:2008. Planeamento/Controlo do SGQ e estabelecimento dos objectivos da Qualidade.
Reuniões de Trabalho com Departamentos. Apresentações de Sensibilização á Qualidade ETAPA 2  Levantamento Reuniões com os colaboradores e chefias de departamento para levantamento de dados.  Sessões de sensibilização e comunicação com os colaboradores Ponto de Situação dos trabalhos quando necessário. Apresentação do plano de implementação. Conclusão da Fase de Diagnóstico, revisão do controlo  Formação aos Colaboradores – Visão Geral da norma NP EN ISO 9001:2008 Resultados do Diagnóstico e estrutura da documentação a adoptar. Apresentação dos Resultados alcançados.
Descrição de Manual da Qualidade e Procedimentos Levantamento de Registos  (Modelos, Relatórios) ETAPA 3 Documentação Documentação do Sistema: Estrutura do Manual da Qualidade. Procedimentos Operacionais, Procedimentos Documentados Instruções de Trabalho e Modelos. Especificações, planos, listagens, documentação externa e Registos. Documentos: Preparação e alteração, aprovação, revisão e edição, distribuição e remoção. Documentos: Arquivo, Controlo de cópias, destruição documentação e períodos de conservação Identificação da Infra-estrutura tecnológica utilizada, para dar suporte ao SGQ Modelo de aplicação dos meios informáticos para agilizar os Processos do SGQ. Propostas de melhorias dos processos da empresa de forma a enquadrá-lo na norma ISO.
Controlo e Melhorias ao Sistema Implementado Formação Interna em Auditoria e Avaliação de Satisfação ETAPA 4  Acompanhamento Acompanhamento da implementação do SGQ, com reuniões mensais. Identificação de Indicadores das medidas de desempenho dos processos chave e de suporte. Identificação dos inputs e outputs dos Macro processos. Definição de Responsabilidades e Autoridades. Preparação do plano de formação e conteúdo das respectivas acções. Realização das acções de formação, avaliação e avaliação da eficácia. Validação da documentação para verificação da sua conformidade com a norma. Entradas para a Revisão ao SGQ pela Gestão.
Auditorias, Planos de Acção melhoria e Eficácia. Apoio na Auditoria Prévia e na de Concessão.  ETAPA 5  Concessão á Certificação do SGQ  Definição do Programa Anual de Auditorias e Lista de Auditores Internos Registos mínimos de três meses até á Auditoria Prévia. Execução de Auditorias Internas, planos de Acção, implementação de melhorias e aval. Eficácia. Análise de dados. Solicitação de processo de candidaturas e regulamentos á Entidade Certificadora. Colaboração no processo de candidatura e envio á entidade Certificadora Colaboração na Auditoria de Concessão á Certificação pela Entidade Certificadora. Apoio na construção do Plano de Acção de Melhoria após Relatório da Auditoria de Concessão Colaboração na visita prévia da Entidade Certificadora e nas melhorias com vista a Concessão.
IMPLEMENTAÇÃO RESUMO DO SGQ
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2012 4. método de tomada de ações com base em indicadores de qualidade o ca...
2012 4. método de tomada de ações com base em indicadores de qualidade   o ca...2012 4. método de tomada de ações com base em indicadores de qualidade   o ca...
2012 4. método de tomada de ações com base em indicadores de qualidade o ca...
Amanda Fraga
 
Não Conformidade, Ação Corretiva e Preventiva
Não Conformidade, Ação Corretiva e PreventivaNão Conformidade, Ação Corretiva e Preventiva
Não Conformidade, Ação Corretiva e Preventiva
Templum Consultoria Online
 
Bíblia ISO - 9001
Bíblia   ISO - 9001Bíblia   ISO - 9001
Bíblia ISO - 9001
Mauro Sobrenome
 
Gestão da Qualidade - Análise Crítica pela Direção
Gestão da Qualidade - Análise Crítica pela DireçãoGestão da Qualidade - Análise Crítica pela Direção
Gestão da Qualidade - Análise Crítica pela Direção
Universidade Federal Fluminense
 
BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001
BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001
BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001
Adriano Pereira
 
Cronograma de Atividades para Implantação do QSB
Cronograma de Atividades para Implantação do QSBCronograma de Atividades para Implantação do QSB
Cronograma de Atividades para Implantação do QSB
Rogério Souza
 
G9 check list para ai da iso 9001 2000 - generico
G9   check list para ai da  iso 9001 2000 - genericoG9   check list para ai da  iso 9001 2000 - generico
G9 check list para ai da iso 9001 2000 - generico
Ana Paula Valente Da Silva
 
2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado
2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado
2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado
Amanda Fraga
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
José Alberto Bezerra da Silva
 
TP1 - Gestão da Qualidade
TP1 - Gestão da QualidadeTP1 - Gestão da Qualidade
TP1 - Gestão da Qualidade
Cristiana
 
Solução de EQMS
Solução de EQMSSolução de EQMS
Solução de EQMS
Paulo Henrique Pinhão
 
ISO 9001:2015 - Introdução
ISO 9001:2015 - IntroduçãoISO 9001:2015 - Introdução
ISO 9001:2015 - Introdução
FormaoIFDEP
 
Check list 9001 adq
Check list 9001 adqCheck list 9001 adq
Check list 9001 adq
Adqualiti Treinamento
 
QUALIDADE
QUALIDADEQUALIDADE
QUALIDADE
FormaoIFDEP
 
Formação de Auditores Internos
Formação de Auditores InternosFormação de Auditores Internos
Formação de Auditores Internos
Rogério Souza
 
Cronograma de atividades da gestão da qualidade
Cronograma de atividades da gestão da qualidadeCronograma de atividades da gestão da qualidade
Cronograma de atividades da gestão da qualidade
Ythia Karla
 
Curso auditor interno iso 9001
Curso auditor interno iso 9001Curso auditor interno iso 9001
Curso auditor interno iso 9001
Sidney Santana
 
Check list para auditoria interna
Check list para auditoria internaCheck list para auditoria interna
Check list para auditoria interna
Miguel
 
Reunião de análise crítica pesquisa de satisfação
Reunião de análise crítica   pesquisa de satisfaçãoReunião de análise crítica   pesquisa de satisfação
Reunião de análise crítica pesquisa de satisfação
Ythia Karla
 
ISO 9001:2015 - Abordagem por Processos
ISO 9001:2015 - Abordagem por ProcessosISO 9001:2015 - Abordagem por Processos
ISO 9001:2015 - Abordagem por Processos
FormaoIFDEP
 

Mais procurados (20)

2012 4. método de tomada de ações com base em indicadores de qualidade o ca...
2012 4. método de tomada de ações com base em indicadores de qualidade   o ca...2012 4. método de tomada de ações com base em indicadores de qualidade   o ca...
2012 4. método de tomada de ações com base em indicadores de qualidade o ca...
 
Não Conformidade, Ação Corretiva e Preventiva
Não Conformidade, Ação Corretiva e PreventivaNão Conformidade, Ação Corretiva e Preventiva
Não Conformidade, Ação Corretiva e Preventiva
 
Bíblia ISO - 9001
Bíblia   ISO - 9001Bíblia   ISO - 9001
Bíblia ISO - 9001
 
Gestão da Qualidade - Análise Crítica pela Direção
Gestão da Qualidade - Análise Crítica pela DireçãoGestão da Qualidade - Análise Crítica pela Direção
Gestão da Qualidade - Análise Crítica pela Direção
 
BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001
BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001
BENEFÍCIOS ORGANIZACIONAIS ATRAVÉS DA ISO 9001
 
Cronograma de Atividades para Implantação do QSB
Cronograma de Atividades para Implantação do QSBCronograma de Atividades para Implantação do QSB
Cronograma de Atividades para Implantação do QSB
 
G9 check list para ai da iso 9001 2000 - generico
G9   check list para ai da  iso 9001 2000 - genericoG9   check list para ai da  iso 9001 2000 - generico
G9 check list para ai da iso 9001 2000 - generico
 
2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado
2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado
2011 etapas necessarias_implantacao_sistema_gestao_integrado
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
 
TP1 - Gestão da Qualidade
TP1 - Gestão da QualidadeTP1 - Gestão da Qualidade
TP1 - Gestão da Qualidade
 
Solução de EQMS
Solução de EQMSSolução de EQMS
Solução de EQMS
 
ISO 9001:2015 - Introdução
ISO 9001:2015 - IntroduçãoISO 9001:2015 - Introdução
ISO 9001:2015 - Introdução
 
Check list 9001 adq
Check list 9001 adqCheck list 9001 adq
Check list 9001 adq
 
QUALIDADE
QUALIDADEQUALIDADE
QUALIDADE
 
Formação de Auditores Internos
Formação de Auditores InternosFormação de Auditores Internos
Formação de Auditores Internos
 
Cronograma de atividades da gestão da qualidade
Cronograma de atividades da gestão da qualidadeCronograma de atividades da gestão da qualidade
Cronograma de atividades da gestão da qualidade
 
Curso auditor interno iso 9001
Curso auditor interno iso 9001Curso auditor interno iso 9001
Curso auditor interno iso 9001
 
Check list para auditoria interna
Check list para auditoria internaCheck list para auditoria interna
Check list para auditoria interna
 
Reunião de análise crítica pesquisa de satisfação
Reunião de análise crítica   pesquisa de satisfaçãoReunião de análise crítica   pesquisa de satisfação
Reunião de análise crítica pesquisa de satisfação
 
ISO 9001:2015 - Abordagem por Processos
ISO 9001:2015 - Abordagem por ProcessosISO 9001:2015 - Abordagem por Processos
ISO 9001:2015 - Abordagem por Processos
 

Destaque

Apresentação de resultados qualidade dez 13
Apresentação de resultados qualidade dez 13Apresentação de resultados qualidade dez 13
Apresentação de resultados qualidade dez 13
Eduardo Ribeiro Durães
 
Apresentação de resultados qualidade jan 14 mod
Apresentação de resultados qualidade jan 14 modApresentação de resultados qualidade jan 14 mod
Apresentação de resultados qualidade jan 14 mod
Eduardo Ribeiro Durães
 
Manual sgq
Manual sgqManual sgq
Sgq apresentação
Sgq apresentaçãoSgq apresentação
Sgq apresentação
Carlos Rocha
 
2009 - Introdução ao SGQ para Novos Colaboradores
2009 - Introdução ao SGQ para Novos Colaboradores2009 - Introdução ao SGQ para Novos Colaboradores
2009 - Introdução ao SGQ para Novos Colaboradores
Thiago Lima
 
Benefícios do ISO para escritórios de Advocacia
Benefícios do ISO para escritórios de AdvocaciaBenefícios do ISO para escritórios de Advocacia
Benefícios do ISO para escritórios de Advocacia
guest63a5c
 
Iso 9001 palestra power point
Iso  9001 palestra   power pointIso  9001 palestra   power point
Iso 9001 palestra power point
Fabiano Mesquita
 
ISO 9001:2015 Volume 1
ISO 9001:2015 Volume 1ISO 9001:2015 Volume 1
ISO 9001:2015 Volume 1
Sara Ribeiro
 
Projeto Rumo a ISO 9001:2015
Projeto Rumo a ISO 9001:2015Projeto Rumo a ISO 9001:2015
Projeto Rumo a ISO 9001:2015
QUALIENG Consultoria, Auditoria e Treinamento
 
Palestra gestão de riscos na nova ISO 9001:2015
Palestra gestão de riscos na nova ISO 9001:2015Palestra gestão de riscos na nova ISO 9001:2015
Palestra gestão de riscos na nova ISO 9001:2015
Cassio Henrique. F. Ramos, CRISC
 
Guia de utilização iso9001 2015
Guia de utilização iso9001 2015Guia de utilização iso9001 2015
Guia de utilização iso9001 2015
Denyse Evany Silveira Marquini
 

Destaque (11)

Apresentação de resultados qualidade dez 13
Apresentação de resultados qualidade dez 13Apresentação de resultados qualidade dez 13
Apresentação de resultados qualidade dez 13
 
Apresentação de resultados qualidade jan 14 mod
Apresentação de resultados qualidade jan 14 modApresentação de resultados qualidade jan 14 mod
Apresentação de resultados qualidade jan 14 mod
 
Manual sgq
Manual sgqManual sgq
Manual sgq
 
Sgq apresentação
Sgq apresentaçãoSgq apresentação
Sgq apresentação
 
2009 - Introdução ao SGQ para Novos Colaboradores
2009 - Introdução ao SGQ para Novos Colaboradores2009 - Introdução ao SGQ para Novos Colaboradores
2009 - Introdução ao SGQ para Novos Colaboradores
 
Benefícios do ISO para escritórios de Advocacia
Benefícios do ISO para escritórios de AdvocaciaBenefícios do ISO para escritórios de Advocacia
Benefícios do ISO para escritórios de Advocacia
 
Iso 9001 palestra power point
Iso  9001 palestra   power pointIso  9001 palestra   power point
Iso 9001 palestra power point
 
ISO 9001:2015 Volume 1
ISO 9001:2015 Volume 1ISO 9001:2015 Volume 1
ISO 9001:2015 Volume 1
 
Projeto Rumo a ISO 9001:2015
Projeto Rumo a ISO 9001:2015Projeto Rumo a ISO 9001:2015
Projeto Rumo a ISO 9001:2015
 
Palestra gestão de riscos na nova ISO 9001:2015
Palestra gestão de riscos na nova ISO 9001:2015Palestra gestão de riscos na nova ISO 9001:2015
Palestra gestão de riscos na nova ISO 9001:2015
 
Guia de utilização iso9001 2015
Guia de utilização iso9001 2015Guia de utilização iso9001 2015
Guia de utilização iso9001 2015
 

Semelhante a Flyer_Detalhada_SGQ_2010

Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011
Valeria Carneiro
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
Valeria Carneiro
 
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
elliando dias
 
Palestra iso 9001 ej ros (1)
Palestra iso 9001 ej ros (1)Palestra iso 9001 ej ros (1)
Palestra iso 9001 ej ros (1)
Cesar Gonçalves
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
ISO 9001
Beto Briscese
 
Portfolio 9001:2015
Portfolio 9001:2015Portfolio 9001:2015
Portfolio 9001:2015
Ricardo Apolinario
 
ISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para Manufatura
ISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para ManufaturaISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para Manufatura
ISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para Manufatura
Rogério Souza
 
Treinamento gestao processo
Treinamento gestao processoTreinamento gestao processo
Treinamento gestao processo
Josivan Rodrigues
 
Copia di iso 9001 2000 - slides - curso
Copia di iso 9001   2000 - slides - cursoCopia di iso 9001   2000 - slides - curso
Copia di iso 9001 2000 - slides - curso
paolo grosso
 
Rjv cursos
Rjv cursosRjv cursos
Rjv cursos
Richard Vasques
 
Guiadeutilizaoiso90012015
Guiadeutilizaoiso90012015Guiadeutilizaoiso90012015
Guiadeutilizaoiso90012015
SERGIO DE MELLO QUEIROZ
 
Apcer guia iso9001_2015
Apcer guia iso9001_2015Apcer guia iso9001_2015
Apcer guia iso9001_2015
Odsoren Martins
 
Gestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptx
Gestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptxGestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptx
Gestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptx
AngelaGontijo1
 
E book 9001-1
E book 9001-1E book 9001-1
E book 9001-1
Raquel Letti
 
Curso iso 9001 para colaboradores - Pão de Tapioca Indústria de Alimentos
Curso iso 9001 para colaboradores - Pão de Tapioca Indústria de AlimentosCurso iso 9001 para colaboradores - Pão de Tapioca Indústria de Alimentos
Curso iso 9001 para colaboradores - Pão de Tapioca Indústria de Alimentos
Felipe Girão
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
Iso 9001 Esag Jr.
Iso 9001 Esag Jr.Iso 9001 Esag Jr.
Iso 9001 Esag Jr.
Rodrigo Zeno Lisboa Vieira
 
InterpretaçãO Iso 9001 2008
InterpretaçãO Iso 9001 2008InterpretaçãO Iso 9001 2008
InterpretaçãO Iso 9001 2008
Andréa Borges
 
Iso 9000
Iso 9000Iso 9000
Iso 9000
Nayara Michelle
 
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptxVisao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
Antônio Lino
 

Semelhante a Flyer_Detalhada_SGQ_2010 (20)

Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
 
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
 
Palestra iso 9001 ej ros (1)
Palestra iso 9001 ej ros (1)Palestra iso 9001 ej ros (1)
Palestra iso 9001 ej ros (1)
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
ISO 9001
 
Portfolio 9001:2015
Portfolio 9001:2015Portfolio 9001:2015
Portfolio 9001:2015
 
ISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para Manufatura
ISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para ManufaturaISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para Manufatura
ISO 9001 2000 Apresentação dos Requisitos para Manufatura
 
Treinamento gestao processo
Treinamento gestao processoTreinamento gestao processo
Treinamento gestao processo
 
Copia di iso 9001 2000 - slides - curso
Copia di iso 9001   2000 - slides - cursoCopia di iso 9001   2000 - slides - curso
Copia di iso 9001 2000 - slides - curso
 
Rjv cursos
Rjv cursosRjv cursos
Rjv cursos
 
Guiadeutilizaoiso90012015
Guiadeutilizaoiso90012015Guiadeutilizaoiso90012015
Guiadeutilizaoiso90012015
 
Apcer guia iso9001_2015
Apcer guia iso9001_2015Apcer guia iso9001_2015
Apcer guia iso9001_2015
 
Gestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptx
Gestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptxGestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptx
Gestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptx
 
E book 9001-1
E book 9001-1E book 9001-1
E book 9001-1
 
Curso iso 9001 para colaboradores - Pão de Tapioca Indústria de Alimentos
Curso iso 9001 para colaboradores - Pão de Tapioca Indústria de AlimentosCurso iso 9001 para colaboradores - Pão de Tapioca Indústria de Alimentos
Curso iso 9001 para colaboradores - Pão de Tapioca Indústria de Alimentos
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
ISO 9001
 
Iso 9001 Esag Jr.
Iso 9001 Esag Jr.Iso 9001 Esag Jr.
Iso 9001 Esag Jr.
 
InterpretaçãO Iso 9001 2008
InterpretaçãO Iso 9001 2008InterpretaçãO Iso 9001 2008
InterpretaçãO Iso 9001 2008
 
Iso 9000
Iso 9000Iso 9000
Iso 9000
 
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptxVisao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
 

Mais de CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS

Portefólio Mariana Fernandes 2018
Portefólio Mariana Fernandes 2018Portefólio Mariana Fernandes 2018
Portefólio Mariana Fernandes 2018
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Organização de um projeto para certificação DGERT.
Organização de um projeto para certificação DGERT.Organização de um projeto para certificação DGERT.
Organização de um projeto para certificação DGERT.
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedorasFormaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Profissional de vendas - funções e competências
Profissional de vendas - funções e competênciasProfissional de vendas - funções e competências
Profissional de vendas - funções e competências
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Perfil e potencial do empreendedor 2012
Perfil e potencial do empreendedor 2012Perfil e potencial do empreendedor 2012
Perfil e potencial do empreendedor 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Balanço da atividade formativa - DGERT
Balanço da atividade formativa - DGERT Balanço da atividade formativa - DGERT
Balanço da atividade formativa - DGERT
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Cv_Formador_Angola
Cv_Formador_AngolaCv_Formador_Angola
Debate Old School Radio em Mafra
Debate Old School Radio em MafraDebate Old School Radio em Mafra
Debate Old School Radio em Mafra
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Folhetos Perfil potencial Empreendedor
Folhetos Perfil potencial EmpreendedorFolhetos Perfil potencial Empreendedor
Folhetos Perfil potencial Empreendedor
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Programa Formação Value Balanced Scorecard
Programa Formação Value Balanced ScorecardPrograma Formação Value Balanced Scorecard
Programa Formação Value Balanced Scorecard
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processos
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processosPrograma formação Exemplo - Mapeamento de processos
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processos
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresasPrograma formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Definitivamente e-mail de natal 2012
Definitivamente e-mail de natal 2012Definitivamente e-mail de natal 2012
Definitivamente e-mail de natal 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciemCv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Apresentaçao resumo - ciem 2012
Apresentaçao resumo - ciem 2012Apresentaçao resumo - ciem 2012
Apresentaçao resumo - ciem 2012
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 
Ciem 2012 . Ponencia
Ciem 2012 . PonenciaCiem 2012 . Ponencia
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS
 

Mais de CONSULTOR e FORMADOR DE COMPETÊNCIAS (20)

Portefólio Mariana Fernandes 2018
Portefólio Mariana Fernandes 2018Portefólio Mariana Fernandes 2018
Portefólio Mariana Fernandes 2018
 
Organização de um projeto para certificação DGERT.
Organização de um projeto para certificação DGERT.Organização de um projeto para certificação DGERT.
Organização de um projeto para certificação DGERT.
 
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedorasFormaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras
 
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
 
Profissional de vendas - funções e competências
Profissional de vendas - funções e competênciasProfissional de vendas - funções e competências
Profissional de vendas - funções e competências
 
Perfil e potencial do empreendedor 2012
Perfil e potencial do empreendedor 2012Perfil e potencial do empreendedor 2012
Perfil e potencial do empreendedor 2012
 
Balanço da atividade formativa - DGERT
Balanço da atividade formativa - DGERT Balanço da atividade formativa - DGERT
Balanço da atividade formativa - DGERT
 
Cv_Formador_Angola
Cv_Formador_AngolaCv_Formador_Angola
Cv_Formador_Angola
 
Debate Old School Radio em Mafra
Debate Old School Radio em MafraDebate Old School Radio em Mafra
Debate Old School Radio em Mafra
 
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
Cv resumido de Paulo Machado Fernandes ed 04-2013
 
Folhetos Perfil potencial Empreendedor
Folhetos Perfil potencial EmpreendedorFolhetos Perfil potencial Empreendedor
Folhetos Perfil potencial Empreendedor
 
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
Programa Formação Empreendedorismo ed1 2012
 
Programa Formação Value Balanced Scorecard
Programa Formação Value Balanced ScorecardPrograma Formação Value Balanced Scorecard
Programa Formação Value Balanced Scorecard
 
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processos
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processosPrograma formação Exemplo - Mapeamento de processos
Programa formação Exemplo - Mapeamento de processos
 
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresasPrograma formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
Programa formação Preparação e estratégia na internacionalização das empresas
 
Definitivamente e-mail de natal 2012
Definitivamente e-mail de natal 2012Definitivamente e-mail de natal 2012
Definitivamente e-mail de natal 2012
 
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciemCv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
Cv paulo machado fernandes ed 09 2012 - ciem
 
Apresentaçao resumo - ciem 2012
Apresentaçao resumo - ciem 2012Apresentaçao resumo - ciem 2012
Apresentaçao resumo - ciem 2012
 
Ciem 2012 . Ponencia
Ciem 2012 . PonenciaCiem 2012 . Ponencia
Ciem 2012 . Ponencia
 
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
2a Conferencia Ibérica de Emprendimiento
 

Último

Introduction to EFFECTUATION concepts and applications
Introduction to EFFECTUATION concepts and applicationsIntroduction to EFFECTUATION concepts and applications
Introduction to EFFECTUATION concepts and applications
João de Paula Ribeiro Neto
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxFoi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
lindalva da cruz
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 

Último (6)

Introduction to EFFECTUATION concepts and applications
Introduction to EFFECTUATION concepts and applicationsIntroduction to EFFECTUATION concepts and applications
Introduction to EFFECTUATION concepts and applications
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxFoi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 

Flyer_Detalhada_SGQ_2010

  • 1. IMPLEMENTAÇÃO DETALHADA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE
  • 2. A Definitivamente, Unipessoal Lda. nasceu com o propósito, de querer ser a empresa de serviços que mais impulsiona a Certificação das empresas Portuguesas na norma NP EN ISO 9001:2008 contribuindo por isso, para a sua melhoria organizacional. Política da Qualidade: - Planear e Identificar com precisão os requisitos exigidos e esperados pelo Cliente. - Fornecer os produtos e serviços contratados com a total satisfação dos Clientes. - Obtenção da eficácia em todas as actividades e melhorar continuamente os processos empresariais e as soluções encontradas. APRESENTAÇÃO DEFINITIVAMENTE, UNIPESSOAL LDA. “ CRISTALISAR SINERGIAS E GERAR VALOR”
  • 3. VISÃO Ser a melhor Empresa de Serviços de Consultoria, reconhecida como Inovadora, Ética e de Confiança, pretendendo proporcionar ao mercado, produtos e serviços de Excelência obtidos pela sinergia entre as empresas MISSÃO Promover adequadas soluções de Gestão Organizacional e Tecnológica, correspondendo integralmente aos requisitos e necessidades das empresas PME`s suas clientes. APRESENTAÇÃO DEFINITIVAMENTE, UNIPESSOAL LDA.
  • 4.  
  • 5. - Determinação de Requisitos. Apoio á Certificação e Implementação do SGQ na Norma NP EN ISO 9001:2008. Reuniões de Sensibilização e Auditorias Internas. Auditorias da Qualidade Externas, 2ª e 3ª parte. Reorganização Interna das Organizações com Customer Care. Gestão por Processos e Controlo da Eficácia. Implementação de Sistema de Apoio á Decisão e Melhorias de Desempenho. Visão Estratégica VSC-Value Scorecard ( Balanced Scorecard + Análise de Risco) . - Desenho e Operações de Serviços. Serviços Complementares disponíveis para a Gestão por Processos e Gestão da Qualidade NP EN ISO 9001:2008
  • 6. Definição dos Objectivos do Projecto Análise Interna, Planeamento e Calendarização ETAPA 1 Planeamento Descrição de Procedimentos e Instruções Reuniões de Trabalho com Departamentos. Apresentações de Sensibilização á Qualidade ETAPA 2 Levantamento Levantamento de Registos (Modelos, Relatórios) ETAPA 3 Documentação Controlo e Melhorias ao Sistema Implementado Formação Interna e Avaliação de Satisfação ETAPA 4 Acompanhamento Auditorias, Planos de Acção melhoria e Eficácia. Apoio na Auditoria Prévia e na de Concessão. ETAPA 5 Concessão á Certificação do SGQ ESTRUTURA DE IMPLEMENTAÇÃO
  • 7. Definição dos Objectivos do Projecto Análise Interna, Planeamento e Calendarização ETAPA 1 Planeamento Nomeação do Representante da Gestão da Qualidade e Definição de Objectivos da Qualidade. Comprometimento da Gestão e Política da Qualidade Exclusões Permitidas aplicadas e âmbito do sistema da gestão da qualidade. Identificação e Mapeamento dos Processos da Organização: Processos Chave e de Suporte. Elaboração do Plano de Controlo das Medidas de Desempenho e Indicadores da Gestão Gestão de Recursos necessários para Focalização no cliente. Plano de trabalhos segundo a norma NP EN ISO 9001:2008. Planeamento/Controlo do SGQ e estabelecimento dos objectivos da Qualidade.
  • 8. Reuniões de Trabalho com Departamentos. Apresentações de Sensibilização á Qualidade ETAPA 2 Levantamento Reuniões com os colaboradores e chefias de departamento para levantamento de dados. Sessões de sensibilização e comunicação com os colaboradores Ponto de Situação dos trabalhos quando necessário. Apresentação do plano de implementação. Conclusão da Fase de Diagnóstico, revisão do controlo Formação aos Colaboradores – Visão Geral da norma NP EN ISO 9001:2008 Resultados do Diagnóstico e estrutura da documentação a adoptar. Apresentação dos Resultados alcançados.
  • 9. Descrição de Manual da Qualidade e Procedimentos Levantamento de Registos (Modelos, Relatórios) ETAPA 3 Documentação Documentação do Sistema: Estrutura do Manual da Qualidade. Procedimentos Operacionais, Procedimentos Documentados Instruções de Trabalho e Modelos. Especificações, planos, listagens, documentação externa e Registos. Documentos: Preparação e alteração, aprovação, revisão e edição, distribuição e remoção. Documentos: Arquivo, Controlo de cópias, destruição documentação e períodos de conservação Identificação da Infra-estrutura tecnológica utilizada, para dar suporte ao SGQ Modelo de aplicação dos meios informáticos para agilizar os Processos do SGQ. Propostas de melhorias dos processos da empresa de forma a enquadrá-lo na norma ISO.
  • 10. Controlo e Melhorias ao Sistema Implementado Formação Interna em Auditoria e Avaliação de Satisfação ETAPA 4 Acompanhamento Acompanhamento da implementação do SGQ, com reuniões mensais. Identificação de Indicadores das medidas de desempenho dos processos chave e de suporte. Identificação dos inputs e outputs dos Macro processos. Definição de Responsabilidades e Autoridades. Preparação do plano de formação e conteúdo das respectivas acções. Realização das acções de formação, avaliação e avaliação da eficácia. Validação da documentação para verificação da sua conformidade com a norma. Entradas para a Revisão ao SGQ pela Gestão.
  • 11. Auditorias, Planos de Acção melhoria e Eficácia. Apoio na Auditoria Prévia e na de Concessão. ETAPA 5 Concessão á Certificação do SGQ Definição do Programa Anual de Auditorias e Lista de Auditores Internos Registos mínimos de três meses até á Auditoria Prévia. Execução de Auditorias Internas, planos de Acção, implementação de melhorias e aval. Eficácia. Análise de dados. Solicitação de processo de candidaturas e regulamentos á Entidade Certificadora. Colaboração no processo de candidatura e envio á entidade Certificadora Colaboração na Auditoria de Concessão á Certificação pela Entidade Certificadora. Apoio na construção do Plano de Acção de Melhoria após Relatório da Auditoria de Concessão Colaboração na visita prévia da Entidade Certificadora e nas melhorias com vista a Concessão.
  • 13.